Você está na página 1de 14

CAPÍTULO II - DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS E REGIMENTAIS

SEÇÃO III - DOS ÓRGÃOS DE FISCALIZAÇÃO

Artigo 15. São órgãos de fiscalização da EBSERH o Conselho Fiscal e a


Auditoria Interna

Órgãos de
fscalização

Conselho
Fiscal

Auditoria
Interna

Subseção I - Do Conselho Fiscal

O Art.16 já menciona exatamente conforme estudamos na Aula 01, os


membros desse Conselho, suas indicações, e o mandato. Após a revisão
10174631405

essas informações se mantiveram.


No regimento há apenas dois parágrafos não mencionados anteriormente
pelo Estatuto.

§ 3º Em caso de renúncia, falecimento ou impedimento, os


membros efetivos do Conselho Fiscal serão substituídos pelos seus
suplentes, até a nomeação de novo membro.

Renúncia
Substituído pelo Nomeação
Falecimento
Suplente Novo membro
Impedimento
§ 4º Além dos casos de morte, renúncia, destituição e outros
previstos em lei, considerar-se-á vaga a função do membro do
Conselho Fiscal que, sem causa formalmente justificada, não
comparecer a duas reuniões consecutivas ou três alternadas, no
intervalo de um ano, salvo em caso de força maior.

Lembre-se que o Conselho Fiscal reunir-se-á, ordinariamente, a cada mês


e, extraordinariamente, quando convocado pelo seu Presidente. Ou seja,
todo mês tem reunião!
Vamos ver didaticamente como seria um exemplo de um membro que
perde a sua vaga devido falta não justificada nas reuniões:

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Julh Ago Set Out Nov Dez

FALTA FALTA 10174631405

Ou
Jan Fev Mar Abr Mai Jun Julh Ago Set Out Nov Dez

FALTA FALTA FALTA

Dica: Volte na Aula 01 e revise os membros do Conselho Fiscal e suas


indicações! 

Artigo 17. Compete ao Conselho Fiscal:

Vou fazer questão de trazer um detalhe sobre as competências do Conselho


fiscal. Na 3ª revisão temos o acréscimo de 2 competência e por ser
atualização acho interesse que fique atento a elas:

ATUALIZAÇÃO 3ª REVISÃO
VIII - apreciar as informações
VII - apreciar o Plano Anual
sobre os relatórios de
de Atiidades de Auditoria
auditoria emitdos pela
Interna (PAINT), de acordo
Auditoria Interna da EBSERH,
com Instrução Normatia da
de acordo com Instrução
CGU iigente;
Normatia da CGU iigente.

Dica: Falou em apreciar alguma coisa da Auditoria Interna é competência


do Conselho Fiscal. Lembre-se que apenas esses dois são os órgãos de
fiscalização!
10174631405

Subseção II - Da Auditoria Interna 10174631405

No estatuto a única coisa que já vimos sobre a auditoria interna foi que:
O órgão de auditoria interna da EBSERH vincula-se diretamente ao
Conselho de Administração. Lembra? Em muitas questões, inclusive, cai
essa afirmação.
Hoje vamos entender melhor o que é e como funciona essa Auditoria.

Artigo 18. O órgão de Auditoria Interna da EBSERH vincula-se


diretamente ao Conselho de Administração, nos termos do art.
15, § 3º, do Decreto nº 3.591, de 6 de setembro de 2000, e terá
suporte administrativo da Presidência da EBSERH, que proverá
os meios e condições necessários à execução das suas
competências.

Ou seja, fique atento aos detalhes: A Auditoria interna é VINCULADA


diretamente ao Conselho de Administração, e terá SUPORTE
ADMINISTRATIVO da Presidência da EBSERH.
Conselho de
VINCULADA
Administração
Auditoria Interna
SUPORTE Presidência
ADMINISTRATIVO EBSERH

Mas afinal Profª o que é essa Auditoria interna?


10174631405

§ 1º A Auditoria Interna da EBSERH é uma atividade independente, de


avaliação e assessoramento aos gestores da entidade, no
acompanhamento da execução dos programas de governo, visando
comprovar o cumprimento das metas, o alcance dos objetivos e a
adequação da gestão.
Primeiro ela é uma atividade INDEPENDENTE, e os seus objetivos são
AVALIAÇÃO E ASSESSORAMENTO!

§ 2º A Auditoria Interna recebe orientação normativa e supervisão técnica


do Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Federal, de acordo com
o caput do art. 15 do Decreto n.º 3.591, de 6 de setembro de 2000.

Esse decreto referido dispõe sobre o Sistema de Controle Interno do


Poder Executivo Federal e dá outras providências, e o fato da Auditoria
Interna receber orientações normativas e supervisão técnica desse
Sistema já está previsto nesse decreto de 2000.

Cuidado, pois a banca pode te confundir com vinculação ou suporte


administrativo. Como já vimos é vinculada ao Conselho de administração
e tem suporte administrativo da presidência da EBSERH.

Complementando nossa figura didática:

Conselho de
Vinculada
Administração

Suporte Presidência da
Auditoria Interna
Administratio EBSERH

Orientação Sistema de Controle


normatia e Interno do Poder
superiisão técnica Executio Federal
10174631405
3º A nomeação, designação, exoneração ou dispensa do Auditor Geral,
titular da Auditoria Interna da Sede será submetida, pelo Presidente da
EBSERH, à aprovação do Conselho de Administração e,
subsequentemente, à aprovação da Controladoria-Geral da União, nos
termos do art. 15, §5º, do Decreto nº 3.591, de 6 de setembro de 2000.

Veja então os passos que devem ser tomados para a nomeação,


designação, exoneração ou dispensa do Auditor Geral:

Presidente da Conselho de Controladoria


EBSERH Administração Geral da União

§ 4º Para o desempenho das suas atribuições, a Auditoria Interna da


EBSERH será composta pelo Serviço de Auditoria Interna da Sede e pelas
unidades de Auditoria Interna das filiais, cujos Auditores Chefes serão
subordinados ao Auditor-Geral.

Seriiço de
auditoria
Interna da
Sede

Auditoria
Interna
Unidades
de auditoria
interna das
fliais
10174631405

§ 5º É vedada a atuação dos auditores internos em atividades que possam


caracterizar participação na gestão, conforme Resolução da CGPAR.
A CGPAR é A Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de
Administração de Participações Societárias da União - CGPAR
Artigo 19. Compete à Auditoria Interna:

São 9 competências e vamos detalhá-las, pois são elas que podem ser
confundidas com competências de outros órgãos:

•estabelecer estratégias com o objetivo de avaliar a legalidade e


acompanhar os resultados da gestão orçamentária, financeira,
I patrimonial e de recursos humanos da Sede e filiais

•estabelecer metas, procedimentos e normas para auditoria e


fiscalização da Sede e das filiais
II

•definir estratégias para a execução de ações de controle nas


entidades públicas e privadas contratadas pela Sede e filiais
III

•elaborar e submeter à aprovação do Conselho de Administração


o Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna (PAINT), de
IV acordo com o disposto na legislação

•elaborar o Relatório Anual de Atividades de Auditoria Interna


(RAINT), e apresentá-lo ao Conselho de Administração, de
V acordo com o disposto na legislação

•examinar e emitir parecer quanto à prestação de contas anual, e


tomada de contas especial, nos termos da legislação em vigor
VI

•elaborar e encaminhar, ao Conselho de Administração e ao


10174631405

Presidente da EBSERH, relatórios gerenciais e operacionais das


VII auditorias realizadas;

•instituir, em conjunto com os demais setores da EBSERH,


instrumentos internos de controle administrativo de
desempenho, de aplicação dos recursos públicos e da guarda dos
VIII bens público

•prestar apoio aos Conselhos de Administração e Fiscal, dentro do


limite de suas competências.
IX
Artigo 20. Todos os servidores e empregados da EBSERH prestarão
o apoio necessário para a realização das Ações de Controle da
Auditoria Interna.

Parágrafo Único. Quando se fizer necessário, a Auditoria Interna poderá


solicitar a assistência de especialistas e de outros profissionais, internos ou
externos à instituição.
Isso é fácil de gravar e se cair em prova é questão tranquila de gabaritar.
Claro que todos (servidores e empregados) devem ajudar na realização
das ações de auditoria. Imagina como seria
se fossemos permitidos a impedir esse
procedimento?

Artigo 21. A Auditoria Interna possui autorização para acesso a


registros, pessoal, informações, sistemas e propriedades físicas
relevantes à execução de suas ações de controle.
10174631405

Parágrafo Único. A Auditoria Interna poderá solicitar às áreas da Sede ou


das filiais, ou a unidades a ela vinculadas, quando necessário ou
pertinente, informações que deverão ser apresentadas tempestiva e
obrigatoriamente pelos seus respectivos gestores.
SEÇÃO IV - DAS COMISSÕES E COMITÊS

Artigo 22. Sem prejuízo de outras que possam ser criadas, são
comissões e comitês da EBSERH:

Opa! Isso nos é familiar! Já vimos na aula passar sobre essas Comissões e
Comitês.
I - a Comissão de Ética;
II - o Comitê Interno de Gestão do Rehuf;
III - a Comissão de Controle Interno;
IV - o Comitê de Gestão Riscos e Crises;
V - o Comitê Permanente de Desenvolvimento de Pessoas da Sede;
VI - o Comitê Gestor de Segurança da Informação e Comunicação;
VII - o Comitê de Governança de Tecnologia da Informação e Comunicação;
e
VIII - o Comitê de Governança do Aplicativo para Gestão dos Hospitais
Universitários.

Mas agora vamos aprofundar em alguma delas:


10174631405

Subseção I - Da Comissão de Ética

Artigo 23. O Presidente da EBSERH constituirá Comissão de Ética


composta por três servidores ou empregados titulares de cargo
efetivo ou emprego permanente, e seus respectivos suplentes,
conforme Decreto nº 1.171, de 22 de junho de 1994.

Comissão de Ética
Artigo 24. É finalidade da Comissão de Ética zelar pelo cumprimento
do Código de Ética da EBSERH.

§ 1º Os membros da Comissão serão designados pelo Presidente para


mandatos não coincidentes de três anos.
Atenção: Mandato de 3 anos!! Não coincidente entre eles!

§ 2º A atuação no âmbito da Comissão de Ética não enseja qualquer


remuneração para seus membros e os trabalhos nela desenvolvidos são
considerados prestação de relevante serviço público.
Veja que novamente temos aqui uma situação em que os membros não
são remunerados. Lembra que a outra situação é o do Conselho
Consultivo?
Nesse caso veja que esses três membros não recebem grana, o trabalho
deles é considerado PRESTAÇÃO DE RELEVANTE SERVIÇO PÚBLICO

10174631405

§ 3º A Comissão de Ética da EBSERH será administrativamente vinculada


à Presidência, que proverá o apoio técnico e material para suas atividades,
após aprovação do seu plano de trabalho, nos termos do § 1º do art. 7º
do Decreto 6.029, de 1º de fevereiro de 2007.
Artigo 25. Compete à Comissão de Ética:

dirimir dúiidas a respeito da interpretação das normas étcas


a que estão subordinados os empregados da EBSERH, e
I deliberar em relação a casos omissos

apurar, mediante denúncia ou de ofcio, conduta em


desacordo com as normas étcas pertnentes
II

disseminar informações e deseniolier capacitação, junto às


unidades e setores da EBSERH, em relação a orientações de
III étca profssional no âmbito da insttuição

- representar a EBSERH na Rede de Étca do Poder Executio


Federal, conforme preiisto no art. 9º do Decreto n° 6029, de
IV 1º de feiereiro de 2007;

elaborar e aproiar seu regimento interno


V

escolher seu Presidente


VI
10174631405

exercer outras atiidades inerentes às suas fnalidades.


VII

Parágrafo Único. Aos dirigentes da EBSERH aplicam-se as disposições


contidas no Código de Conduta da Alta Administração Federal.

Caso vocês baixem a 3ª Revisão na íntegra vocês verão que pula o Art. 26.
Não há ato de revogação desse artigo e não houve explicação relacionada
a retirada desse artigo. Como eu acredito que é melhor pecarmos pelo
excesso do que pela falta segue o Art. 26 da 2ª Revisão:
Artigo 26. O presidente da EBSERH poderá constituir Comissão de
Controle Interno, composta por seis membros, sendo um
representante da Presidência e um representante de cada
Diretoria.

Parágrafo Único. A Comissão, por ato próprio, aprovará seu regulamento


interno, incluindo suas competências institucionais.

Subseção II - Do Comitê Interno de Gestão do Rehuf

Artigo 27. Compete ao Comitê Interno de Gestão do Rehuf,


vinculado à Presidência:

Você sabe o que é o REHUF?


É um programa de Restruturação dos Hospitais Universitários Federais

Agora vejamos as competências desse Comitê Interno de Gestão do Rehuf:


10174631405

Defnir critérios para aproiação de pleitos dos hospitais


I

Acompanhar a execução do orçamento aproiado pelo Comitê


Gestor do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais
II Uniiersitários Federais

defnir as prioridades para a aplicação dos recursos do


Programa
III

acompanhar e monitorar a execução dos recursos do


Programa
IV
§ 1º O Comitê submeterá à aprovação do Presidente da EBSERH suas
recomendações.

§ 2º As definições estabelecidas pelo Comitê deverão contemplar as


diretrizes estabelecidas pelo Comitê Gestor do Programa Nacional de
Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf).

§ 3º O Comitê de que trata o caput deverá enviar ao Comitê Gestor do


10174631405

Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários


Federais, propostas para atualização dos critérios para a descentralização
de recursos do Programa, de acordo com o28

Artigo 28. O presidente da EBSERH constituirá o Comitê Interno de


Gestão do Rehuf com a seguinte composição:

Diretor Vice-
Supervisores Presidente
Regionais, da Executivo, que o
Coordenadoria presidirá
de Gestão
Estratégica, Diretor de
responsáveis Gestão de
pelo Pessoas
acompanhament
o dos hospitais
universitários
federais

Coordenador de Diretor de
Comitê Interno de Gestão do
Gestão Atenção à
REHUF
Estratégica Saúde

Diretor de Diretor de
Orçamento e Administração e
Finanças Infraestrutura
Diretor de
Gestão de
Processos e
Tecnologia da
Informação
10174631405
§ 1º O Coordenador de Gestão Estratégica substituirá o Diretor Vice-
Presidente Executivo, na Presidência do Comitê, em suas ausências e
impedimentos.
§ 2º A critério do Presidente do Comitê, poderão participar das reuniões,
como convidados, gestores, empregados e/ou assessores das Diretorias.

Subseção III - Das demais Comissões e Comitês

Artigo 29. As demais comissões enumeradas no caput do artigo 22


serão nomeadas pelo Presidente da EBSERH e terão seus
regulamentos aprovados por ato próprio.

SEÇÃO V - DA ORGANIZAÇÃO INTERNA

Artigo 30. A estrutura organizacional da EBSERH,


compreendendo a Sede, as filiais e unidades descentralizadas,
será estabelecida no organograma funcional aprovado pelo
Conselho de Administração, assim como o Plano de Cargos,
Carreiras e Salários; o Plano de Benefícios; e o Plano de Cargos
em Comissão e de Funções Gratificadas.

Estrutura
organizacional

Sede

Filiais

Unidades
descentralizadas
10174631405
§ 1º Após aprovação pelo Conselho de Administração, os Planos serão
submetidos à aprovação do Ministério do Planejamento, Orçamento e
Gestão e à subsequente homologação do Ministério do Trabalho.
PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS; PLANO DE
BENEFÍCIOS; PLANO DE CARGOS EM COMISSÃO E DE FUNÇÕES
GRATIFICADAS.

Ministério do
Conselho de Ministério do
Planejamento,
Administração trabalho
Orçamento e Gestão

§ 2º Alterações na estrutura organizacional hierárquica e funcional, bem


como as respectivas mudanças na distribuição de competências poderão,
a qualquer tempo, ser submetidas à aprovação do Conselho de
Administração.