Você está na página 1de 9

distribuição gratuita/venda proibida mai/jun/jul/2018

01

Ismael Nery:
feminino e masculino
sumário

01 grande sala
Ismael Nery: feminino e masculino

06 sala paulo figueiredo


A marquise, o MAM e nós no meio

09 projeto parede
Crepe Garden

10 agenda moderna

12 parceiros

Ismael Nery (Belém, PA, 1900 – ­­ Rio de Janeiro, RJ, 1934), Autorretrato com Adalgisa,
s.d. Óleo sobre cartão, 16 x 13 cm. Coleção Luiz Carlos Ritter. Foto: Jaime Acioli.
02 grande sala 03

va como profundo religioso. 33 anos. Nessa vasta obra não só de Adalgisa, mas
Ismael Nery era único. produzida em um período de várias pessoas do meio
O caminho artístico de tão curto, as pequenas literário, como Manuel Ban-
Nery começou na Escola dimensões chamam atenção, deira e Murilo Mendes. Com
Nacional de Belas Artes no convidando à aproximação e Mendes, Nery manteve uma
Rio de Janeiro aos dezes- à intimidade. Também chama amizade de doze anos, os
seis anos de idade, mas a atenção a androginia das últimos de sua vida. Graças a
foi sempre errático. A esta figuras, muitas delas uma ela, várias obras são conhe-
formação inicial, se seguiram fusão do autorretrato e do re- cidas hoje, pois Nery destruía
outras, igualmente breves, trato de sua mulher Adalgisa. compulsivamente a própria
realizadas em Paris ao longo Ismael Nery conciliou em produção. Murilo Mendes
dos anos 1920, onde esteve suas figuras oposições cris- resgatou do lixo desenhos,
várias vezes com a mãe e a talizadas na cultura, como pinturas e textos que o artista
mulher, a poeta e escritora homem e mulher, masculino havia descartado.
Adalgiza Nery. Numa dessas e feminino. O corpo, seus A mente efervescente de
viagens, em 1927, conheceu órgãos e funções, sobretudo Ismael Nery o levou a explo-
o surrealismo e o líder do a sexual, são temas recor- rar também os campos da
movimento, André Breton, rentes em sua arte, uma arquitetura e do teatro. Seus
Um artista na contramão. familiarizando-se, assim, com investigação mística da vida. projetos de cenário evocam
Enquanto a maior parte dos a noção de inconsciente. Em um poema de 1932, Is- uma atmosfera sombria,
artistas de seu tempo dis- Movido por inquietações mael Nery escreveu: “Deus que não se enquadra em
cutia a identidade nacional, psicológicas e existenciais, criou duas almas./ Deu uma nenhum estilo específico,
ele mergulhava em autorre- Ismael Nery desenvolveu a Adão, outra a Eva. / Deu como, aliás, a totalidade da
tratos. Enquanto os outros um pensamento filosófico também a Adão e Eva / O sua produção, que permane-
flertavam com o cubismo e próprio, o essencialismo, que poder de criar corpos / Para ce única.
o futurismo, ele se rendia ao expressou em poemas e, herdarem as almas que
surrealismo. Enquanto os principalmente, em incontá- Deus lhe deu”. onde e quando
intelectuais de seu tempo veis desenhos e pinturas pro- A expressão pela poesia Grande Sala
defendiam o racionalismo duzidos com a intensidade e a especulação filosófica 08/05 a 12/08
científico, ele se apresenta- de alguém que viveu apenas aproximaram Ismael Nery
Ismael Nery (Belém, PA, 1900 – Rio de Janeiro, RJ, 1934), sem título, s.d. Aquarela e
nanquim sobre papel, 36,5 x 25,8 cm. Coleção MAM, espólio Maria da Glória Lameirão de
Camargo Pacheco e Arthur Octávio de Camargo Pacheco. Foto: João Musa
04 grande sala 05

Ismael Nery (Belém, PA, 1900 – Rio de Janeiro, RJ, 1934), Composição
surrealista, c. 1928. Guache sobre papel, 20 x 27 cm. Coleção particular.
Foto: Jaime Acioli
06 sala paulo figueiredo 07

A marquise, o MAM
e nós no meio
Antes de haver museu, adaptar às demandas de
havia uma marquise. Nessa pessoas com interesses
marquise, havia uma sala. diversos, mas com algo em
Nessa sala, havia um públi- comum: o gosto pela arte.
co. Primeiro foram pessoas Não à toa o público chama
que queriam ver estátuas o MAM de “o museu da
de cera, depois foram Aranha”, em referência à
visitantes de uma exposi- escultura de Louise Bour-
ção sobre cultura baiana, geois exposta na Sala de
e finalmente foi o público Vidro, à vista de todos na
do MAM. Ao redor desse marquise.
espaço, uma coisa nunca Estão incluídas na expo-
mudou: gente circulando em sição obras da coleção do
seus momentos de lazer. MAM que fazem referência
A exposição A marquise, às atividades realizadas
o MAM e nós no meio mos- dentro do Museu e fora
tra como o Museu construiu dele, na marquise ou no
sua identidade a partir das Jardim de Esculturas. A
relações que estabeleceu ação do MAM Educativo
com o público exatamente tem um papel central na
por estar localizado onde exposição, indicando várias
está: sob a marquise do possibilidades de explorar
parque mais querido da a relação dentro-fora que
cidade. Instalado aí desde o público vivencia em seu
1969, o MAM foi reformado contato com o Museu. Um
algumas vezes para se bom exemplo disso é o
Georgete Melhem (Salvador, BA, 1944), Gêneros e números I, 1969. Acrílica sobre tela,
130,5 x 92,3 cm. Coleção MAM, doação da artista. Foto: Romulo Fialdini
08 sala paulo figueiredo projeto parede 09

Crepe Garden

mobiliário da exposição, favor da diversidade por O artista multimídia Gustavo definida pelas figuras, cujas
desenhado pelo coletivo O meio de propostas artísticas Rezende realiza no corredor ações são ambíguas. Elas
Grupo Inteiro, que é utiliza- como performances, encon- do MAM o trabalho Crepe podem estar contemplando
do tanto no interior da Sala tros, residências e batalhas Garden. Dispostas como ou brigando em um parque
Paulo Figueiredo como na de Vogue. Estas acontecem em um friso, as figuras ou até mesmo se manifestan-
marquise, onde é utilizado em um ringue onde dançari-
são feitas de fita crepe a do na rua. Todas as figuras
em várias atividades. nos disputam a atenção do
Há ações especiais júri com figurinos, movimen- partir do modelo do próprio se parecem, mas seus papéis
programadas para seis tos e coreografias. artista e de outras pessoas. são muito diferentes, podendo
domingos durante o período Rezende tem trabalhado o ser vigilantes, agressores ou
da exposição (ver agenda autorretrato em sua produ- vítimas, em conflito latente.
na página 10). Entre elas, onde e quando ção, colocando-se sempre
o festival do Explode! Zion, Sala Paulo Figueiredo em contextos diferentes. onde e quando
movimento da periferia de Crepe Garden traz uma Corredor de ligação
08/05 a 19/08
São Paulo que atua em paisagem cuja topografia é 8/05 a 19/08
Nair Benedicto (São Paulo, SP, 1940), Tesão no forró, 1978/02. Fotografia sobre papel, 29,7 Gustavo Rezende (Passa Vinte, MG, 1960), Crepe Garden, 2018. Fita crepe sobre parede, 18
x 45,7 cm. Coleção MAM, doação da artista por intermédio do Clube de Colecionadores de x 3,7 m. Coleção do artista. Foto do artista
Fotografia MAM São Paulo. Foto: Romulo Fialdini
10 agenda moderna

Cursos e eventos
MAIO Mais informação Fotografia autoral II
www.mam.org.br com Marcelo Greco
História da arte e suas 15/08 a 28/11 | qua | 20h-22h
relações com a moda Introdução à fotografia 16 aulas | 6 x R$ 230,00
com Lorenzo Merlino com Karina Bacci
16/05 a 04/07 | qua | 20h-22h 17, 19, 24 e 26/07 | 20h-22h Luz marginal procura
8 aulas | 3 x R$ 170,00 4 aulas | 2x R$ 170,00 corpo vago
com Gal Oppido
Domingo MAM Domingo MAM 13/08 a 26/11 | seg | 20h30-23h
Especial exposição Especial exposição 16 aulas | 6 x R$ 230,00
A marquise, o MAM A marquise, o MAM
e nós no meio e nós no meio Arte política
Salão de jogos | 27/05 Roda | 29/07 com Magnólia Costa
com Guilherme Peters Com Alessandra Leão [Cadê 14/08 a 13/11 | ter | 10h30-
e Guilherme Pacola o cantador?] e Coletiva 12h
[performance com bateria e Ocupação 14 aulas | 6x R$ 230,00
skate] e Bey Hive [Batalha de Mais informação
Beyoncés] www.mam.org.br Desenho
Mais informação com Dudi Maia Rosa
www.mam.org.br AGOSTO 14/08 a 27/11 | ter |
17h-19h30
Você sabia que é possível se tornar um

colecione
arte
Domingo MAM

Gilvan Barreto Postcards From Brazil - Vôos da Morte - RJ, 2016


JUNHO 16 aulas | 6x R$ 240,00
Especial exposição
Domingo MAM A marquise, o MAM História da arte moderna colecionador de arte com as obras dos
Especial exposição e nós no meio com Felipe Martinez artistas selecionados para os Clubes de
A marquise, o MAM Barracão | 05/08 14/08 a 23/10 | seg | 18h-20h
e nós no meio Com Mônica Nador [oficina 11 aulas | 3x R$ 320,00 Gravura e Fotografia do
Ballroom | 24/06 de estênceis] e bateria da
Ateliê livre de escultura MAM São Paulo?
com Exlode!Zion [Batalha de Nenê da Vila Matilde
Vogue] e Mc Delacroix Mais informação autoral
com Rogério Ratão e
Mais informação
www.mam.org.br
www.mam.org.br
Eduardo Consonni Não é preciso ser um
Fotografia básico 15/08 a 28/11 | qua | 10h30- especialista para descobrir seu lado
JULHO com Karina Bacci 12h30
Domingo MAM 14/08 a 27/11 | ter | 20h-22h 16 aulas | 6x R$ 240,00 colecionador.
Especial exposição 16 aulas | 6 x R$ 210,00
Arte contemporânea
A marquise, o MAM
e nós no meio
Fotografia intermediário com Pedro França Associe-se ao Clube
com Marcello Vitorino 18/08 a 15/12 | sáb | 10h30-
Meio | 08/07 16/08 a 29/11 | qui | 20h-22h 12h30 de Colecionadores
com Patrícia Bergantin e
Josefa Pereira e Break Ibira
16 aulas | 6 x R$ 210,00 16 aulas | 6 x R$ 230,00 do MAM.
Café Educativo | 15/07 Fotografia autoral I
Conversas “Situação com Marcelo Greco Consulte também a
alimentar do Parque 15/08 a 28/11 | qua | 17h30- programação do museu no
Ibirapuera” e “Fome do 19h30 site do MAM. mam.org.br/clube
comum” 16 aulas - 6 x R$ 230,00 www.mam.org.br clubes@mam.org.br
5085 1314
+55 11 5085-1406
APOIADOR
MANTENEDORES ICTS Protiviti
Paulista S.A. Empreendimentos
Power Segurança e Vigilância LTDA MODERNO MAM O MAM fica no parque Ibirapuera
REALIZAÇÃO +55 11 5085 -1300 | www.mam.org.br
PROGRAMAS EDUCATIVOS
Cielo (PROJETO MUSEU ABERTO) Museu de Arte Moderna de São Paulo
Bradesco (DOMINGO MAM) EDITORA-CHEFE HORÁRIOS
Magnólia Costa Terça a domingo e feriados, das 10h às 18h
PARCERIAS INSTITUCIONAIS COORDENAÇÃO EDITORIAL Bilheteria até 17h30
3D Explora
Amabile Flores Renato Salem
Apis3 DESIGN GRÁFICO E ENTRADA R$ 7,00
ATRAVES\\ TRATAMENTO DE IMAGENS Meia-entrada para estudantes, mediante
Bolsa de Arte
Camila Dylis Silickas apresentação de carteirinha. Gratuidade
CELACC USP - Centro de Estudos Latino-
Americanos sobre Comunicação e Cultura Beatriz Falleiros para menores de 10 e maiores de 60 anos,
Cultura e Mercado sócios e alunos do MAM, funcionários das
FESPSP Fundação Escola de Sociologia e IMAGEM DA CAPA
Política de São Paulo empresas parceiras e museus, membros
FIAP Ismael Nery (Belém, PA, 1900 -- Rio de do ICOM, AICA e ABCA com identificação,
Goethe-Institut São Paulo Janeiro, RJ, 1934), Estudo de cenário (sala agentes ambientais, da CET, GCM, PM,
Gusmão & Labrunie Propriedade Intelectual vazia), c. 1931. Nanquim sobre papel, 21,5
ICIB Inst. Cultural Ítalo-Brasileiro Metrô e linha amarela do Metrô, CPTM,
IPEN
x 23 cm. Coleção particular. Foto: Sergio policiais civis, cobradores e motoristas
Meliá Ibirapuera Guerini
de ônibus, motoristas de ônibus fretados,
MariaSãoPaulo
Saint Paul Escola de Negócios funcionários SPTuris, vendedores ambulantes
TIRAGEM
Senac do parque Ibirapuera, frentistas e taxistas com
Seven English – Español 8.000 exemplares
identificação e até 4 acompanhantes.
CONTATO
PARCERIAS DE MÍDIA moderno@mam.org.br
SÊNIOR PLUS ENTRADA GRATUITA AOS SÁBADOS
Arte 1
Levy & Salomão Advogados
Caixa Belas Artes
Casa da Chris Esta publicação segue as normas do Acordo
SÊNIOR AGENDAMENTO DE GRUPOS
Estadão Ortográfico da Língua Portuguesa, assinado
BMA - Barbosa Müssnich Aragão +55 11 5085 -1313
FOLHA
BNP Paribas em 1990, em vigor desde janeiro de 2009.
O Beijo educativo@mam.org.br
EMS
Revista FFW
Revista Piauí FOTOGRAFIA
PLENO
Revista Cult A fotografia de quaisquer obras expostas
AES
Reserva Cultural
Instituto Votorantim deve ser feita exclusivamente para finalidades
Revista Adega
KPMG Auditores Independentes privadas, sendo vedada sua exposição
Revista Arte!Brasileiros
Montana Química
Trip Editora pública sob qualquer meio ou sua exploração
Pirelli
PwC sob qualquer modalidade, nos termos dos ACESSÍVEL A TODOS OS PÚBLICOS
Safra artigos 77 a 79 da Lei de Direitos Autorais (Lei ESTACIONAMENTO COM ZONA AZUL

MÁSTER
nº 6910, de 19 de fevereiro de 1998).
Bloomberg Philanthropies ACOMPANHE O MAM ONLINE /
REALIZAÇÃO MAMoficial
Klabin
Sompo
ISSN 1984-3313

moderno mam nº 36 / 2018