Você está na página 1de 10
Preparar o Exame 2018 – Matemática A

Preparar o Exame 2018 Matemática A

Página 13

1. Simplifiquemos a expressão dada:

p  q  q  q     p  q 
p  q  q  q 

p  q  q  q

p  q  q  q 
leis de De Morgan
implicação e disjunção

p  q    q  q    p  q
p
q
q
q
p
q
q
p
q
q
q
distributividade

associatividade

 p  q   V   p  q elemento

p
q
V
p
q
elemento

neutro

Assim, a negação da proposição dada é

 p  q   p  q
p  q
 p  q

De leis Morgan de

Resposta: A

2. Tem-se que a proposição

proposição q é falsa (basta considerar x 2 , por exemplo). Assim:

p é verdadeira (definição de vetores colineares), enquanto que a

(

(

p  q )  V F V F F
p  q
)
V
F
V
F
F

p é uma afirmação falsa

(

p p q

))

V F F p é uma afirmação falsa ( p  p  q )) q

q é uma afirmação falsa F

V V F F V F
V
V
F
F
V
F

p p

V

V

q é uma afirmação verdadeira F V V

q é uma afirmação verdadeira F

V V
V
V

(

p q

)

V
V

p é uma afirmação falsa

 
 

V

F

 

F

F

 

Resposta: C

3.

Comecemos por achar o conjunto solução da condição dada p x , resolvendo-a:

1   x 2
1
 x
2

3 4 x

1 3

2 2

1

1

3

 

4

x



x

 

4

x

6

9

x



x

 

x

6

7

4

2

 

x



7

x

3

 

9

x

2

2

   6  

3

x

x

7

x

2

3

 

3

4

x

1

2

x

 

3

Então, o conjunto solução da condição

p  x  é o complementar do conjunto solução da x é o complementar do conjunto solução da

condição

p x , ou seja,

\    7 6 2 3  

; 
;

Resposta: A

Preparar o Exame 2018 – Matemática A

Preparar o Exame 2018 Matemática A

4.

Comecemos por resolver as equações 3 x 2 e 2

Comecemos por resolver as equações 3 x  2 e 2 x  1 3 3

x

1

3

3
3

x 2 x 2

3

x 8 . Logo, U ;8

x

 

1

x

4

2

x

1

3

 

x

 

1

x

4

8

x

4 12

 

x

 

3

3

x

8

x

12

x

3

x

   

4

3

Então, A U 1; 

x

3

  

3;3 A ;81; . Logo, B 3;3A 1;8B 1;8\ 3;33;8

0

x

   

x

3

Assim, A \

7

x

      

x

x

7

1

1;

Resposta: A

5. Analisemos o valor lógico de cada uma das proposições:

f x

2

x

4

2 x

. Então, f 4 2 4 8 e a proposição p é falsa.

f x   x    x

0

4

0

2

verdadeira

2

impossível em

4



, pelo que a função f não tem zeros e a proposição q é

f 0 2 0 0 .

f 0 0 4 4 , pelo que o ponto 0; 4 pertence à reta tangente ao gráfico de

f no ponto de abcissa x 0 , cujo declive é zero ( f 0 0 ). Assim, y 4 é a equação da reta

em causa e a proposição r é verdadeira.

5.1 p q é uma proposição verdadeira

5.2

5.3

5.4

F

V

( ( p )  q ) F V
(
(
p )
 q
)
F
V
V F V
V
F
V

é uma proposição falsa

r é uma proposição verdadeira é uma proposição verdadeira

V

(

)
)

q p r

V

V F F F
V
F
F
F

é uma proposição falsa

Preparar o Exame 2018 – Matemática A

Preparar o Exame 2018 Matemática A

6.1

p  q  q  p     p   q
p  q  q  p

p 

q  q 
q 
p  p  V 

q 
p 

distributividade

p

q  p    p  q  p    p
q  p
p 
q  p 
p  p  q  F  p  q
distributividade

elemento neutro

6.2

 p  q    p  q    q 
p
q

p
q
q
p

p
q
q
p
negação

6.3

p

da

implicação

p   q  p    q   q  p
p
q
p

q
q
p


p
q
p
p


q
q
q
p

distributividade
 p  q   V    V   q 

p
q
V
V
q
p

p
q
q
p
p
elemento
implicação

neutro

e

disjunção

r

q

r

implicação

e

disjunção

~

p

r

~

q

r

r em

evidência

r

~

p

~

q

~

p

q

q

p

~

q

 

r

p

q

~ p

q

 

r

 

p q

r

6.4

p q p r

implicação e

disjunção

~

p q p r p q r p q r

~

evidência p em
evidência p em

~

7. Comecemos por resolver as condições dadas:

3 1

x

 

3

x

 

1

1

1

 

3

x

1

 

3

x

1

  

x

3

x

 

3

. Logo, o conjunto solução da condição p x

3

é

x

2

 

;

1

3

  

  

1 3

;

x   x

5

2

3

2



  

 

1

x    x   x

5

2

0

2

 

F

. R .

3

. Logo, o conjunto solução da condição

q x é

1

 2;

3

e o da condição

q  x 
q  x 

é

 1  \  2; 
1 
\  2; 

3

Preparar o Exame 2018 – Matemática A

Preparar o Exame 2018 Matemática A

7.1

a. O

conjunto

solução

da

condição

b. O

conjunto

solução

da

condição

c. Simplifiquemos

a

expressão

da condição c. Simplifiquemos a expressão    ; ; 1 1 3 3 

 

;

;

1

1

3

3

  

  

  

1 1 1 ;      \    2; 
1
1
1
;
    
\
  
2;
  
3
3
   
\   
3
  

1 3

;



  

  

2;

1 3

  

2

p x q x é p x q x é p x q x :



 



 

 

  :          p  x 

p x q x p x q x . Assim, o

conjunto solução pedido é

\q  x  . Assim, o conjunto solução pedido é   2  .

2

.

7.2 Como o conjunto solução da condição p x é

em

conjunto solução da condição p  x  é em , possível não universal.  

, possível não universal.

 

;

1

3

  

  

1 3

;



 

, tem-se que esta condição é,

8.1

x

2

0 é uma condição universal em

, logo também o é em A.é, 8.1  x  2  0 é uma condição universal em p  x

p x é uma condição possível não universal em A Nota que p 3 é

não universal em A Nota que p  3  é exemplo verdadeira, mas p 

exemplo

verdadeira, mas

p 0

é falsa, por

q x é uma condição impossível em A Nenhum dos elementos de A é um número natural

8.2 Todos os elementos de A são números irracionais. É uma proposição falsa, pois, por exemplo,

0 A , mas 0 não é um número irracional.

8.3

a.

Como

q x é uma condição impossível em A, então

p x q x

também é uma condição

impossível em A

b. Como

2

x

0

universal em A

é uma condição universal em A, então

9.1 Provemos que para

equação dada:

x

 ,
,

p x q x e q x

6

0

3

2

x 2 6 p x  
x
2
6
p x

2

x   x x    x   x

F.R.

p x

q

x x 0

2

também é uma condição

. Comecemos por resolver a

Preparar o Exame 2018 – Matemática A

Preparar o Exame 2018 Matemática A

Para

x

, o conjunto solução da condição p  x  é  2  . Este conjunto está contido no conjunto p x é 2. Este conjunto está contido no conjunto

solução da condição q x . Logo, p x q x

O conjunto solução da condição q x é 2. Este conjunto está contido no conjunto solução da

condição p x , para x

Então,

x

p  x  , para x  Então,  x   q  x

q

x



. Logo, q x p x

é uma proposição verdadeira.

9.2

x  , p  x  q  x x  :  p
x  , p  x  q  x x  :  p  x 
q  x x  : p  x  q  x 
2
2

x : x x 6 x

2

9.3

a.

A

proposição

x

3  3 9 3 6 .

2

 : p x     x  : x 2  
: p x
 
x
: x
2
 
x
6

é

verdadeira,

pois

3



b. x , ~ p x  x , x

A proposição

  2
2

x 6 é falsa, pois 3

c. Tem-se que:

x 2 , a proposição

se

p 2 q 2

é verdadeira.

V

V

x k

se

,

com k

  é verdadeira. V V  x  k se , com k  \

\ 2, a proposição

p k q k

F

F

é verdadeira.

p k  q k    F F  é verdadeira. e  

e

3  3 9 3 6 .

2

Logo, para todo o x

verdadeira.

d. As duas soluções da condição p x são racionais e a solução da condição q x é racional.

Logo, se

, tem-se p  x   q  x  . Portanto, a proposição  x p x q x . Portanto, a proposição x

,
,

p x q x é

x k , com k

\
\

, as proposições

p k e q k são falsas e portanto a proposição

p k q k é verdadeira.

Logo, para todo o x

é verdadeira.

, tem-se p  x   q  x  . Portanto, a proposição  x p x q x . Portanto, a proposição x

 q  x  . Portanto, a proposição  x  \ , p 

\ , p x q x

e

9.4 A condição r x é impossível em . Portanto, se x n , com n , a proposição r n é

falsa e consequentemente, a proposição ~ r n é verdadeira. Assim:

a proposição ~ r  n  é verdadeira. Assim:  a condição ~ r 
a proposição ~ r  n  é verdadeira. Assim:  a condição ~ r 

a condição ~ r x q x não é universal em

~ r  x   q  x  não é universal em , pois,

, pois, por exemplo, se

x 3 , a proposição

~ r  q 3  V
~ r  q
3 
V

3

F

é falsa;

Preparar o Exame 2018 – Matemática A

Preparar o Exame 2018 Matemática A

a condição

r x q x

não

é universal em

pois, por exemplo, se a condição r  x   q  x  não é universal em

x

3

,

a proposição

r

3

q

3

é

falsa.

F

F

a condição

r x p x não

é universal em

pois, por exemplo, se a condição r  x   p  x  não é universal em

x 3 ,

a proposição

r 3

p

3

é falsa.

 

F F

A resposta correta é a B.

10.1 Seja n um número natural. Tem-se que

2

n

3n 3 n n 3

3 . Assim:

se n é par, então, n 3 é impar e portanto n n 3 é par, pois o produto de um número par por um

número ímpar é um número par. Logo,

2

n

3n 3 n n 3

número par por um número ímpar é um número ímpar.

se n é ímpar, então, n 3 é par e portanto n n 3 é par. Logo,

Logo, para todo o n natural,

2

n

3n 3 é um número ímpar.

3

2

n

é ímpar, pois a soma de

um

3n 3 n n 3

3 é ímpar.

10.2 Pretende-se mostra por contrarrecíproca que se

número ímpar. A contrarrecíproca é “se n não é um número ímpar, então,

número ímpar”, ou seja, “se n é um número par, então,

2

n

6 n é um número ímpar, então n é um

não é um

2

n

6 n

n

2 6 n é um número par”.

é um 2 n  6 n n 2  6 n é um número par”.

Seja n um número par. Então, n pode ser escrito na forma n 2 k , com k . Assim:

2

n

6 n 2 k 6 2 k 4 k 12 k 2 2 k 6 k

2

2

2

Tem-se que

2

k

2

6 k é um número natural, pois k é um número natural. Portanto,

2 2 k 6 k

2

é

um número par e consequentemente,

Logo, por contrarrecíproca, está provado que “se número ímpar”.

n

2 6 n é um número par.

2

n 6 n

é um número ímpar, então n é um

10.3 Pretende-se mostra por contrarrecíproca que se n não é um múltiplo de 9, então, n não é um

múltiplo de 63. A contrarrecíproca é “se n é um múltiplo de 63, então, n é um múltiplo de 9.

Seja n um múltiplo de 63. Então, n pode ser escrito na forma n 63k , com k

n 63k 9 7 k 9 7 k .

  9  7  k  9   7 k  . .

. Assim,

Preparar o Exame 2018 – Matemática A

Preparar o Exame 2018 Matemática A

Tem-se que 7 k é um número natural, pois k é um número natural. Portanto, 9 7 k é um

múltiplo de 9 e consequentemente, n é um múltiplo de 9. Logo, por contrarrecíproca, está provado que “se n não é um múltiplo de 9, então, n não é um múltiplo de 63”.

11. Comecemos por calcular cada um dos conjuntos do enunciado:

sen x 0 x 0;2x 0 x x 2. Então, A 0; ;2 .

x x . Logo, B ;

C 1;2; A C 0; ;5; 21; 2;;5

11.2 A \ B 0; ; 2\ ; 0;

11.1

11.3 A B 0; ; 2; 2\ 2

;     2    \  2   11. 4

11. 4 ; A C \ B 0; \ 1;2; ; 21; ;50; 2;;2; ; 5\ ; 0;1; \ 1, 20; 2;; 5; 2;20\;0;1; 2;

 0  \   ;     0;1; 2;   12.

12. Tem-se que:

x

  

x

0

x

  

x

x

0

a distância à origem de um número real é igual a si próprio se e somente se esse

número não for negativo Logo, A 0, .

2 x 1 3 2 x 4 x 2 . Logo B 0, 2 , pois se x A então x 0 .

~ ~ 3 3 x x   1 1   2 2 8 3 x 2 1 x   2 1  0 3 x   x 3   1 x   1 . Assim:

8 2 x 2 0 x 1   2 x 6 x 1 x 3

Logo, C 1,3.

12.1 B C 0, 2 1,31, 2

12.2 Tem-se que B \ C 0, 2 \ 1,30;1e que A ,0 . Assim,

B \ C A 0;1,0 ,1 .

www.raizeditora.pt

Preparar o Exame 2018 – Matemática A

Preparar o Exame 2018 Matemática A

12.3 Tem-se que B C 0, 2 1,30,3. Logo, B C ,0 3, . Assim,

B C A ,0 3, 0, 3, .

13.1 Tem-se que

U \ A B C 2;4;14, pelo que estes elementos não pertencem a A

A B 3;15, logo estes elementos pertencem a A

A \ B 6;9;12, pelo que estes elementos pertencem a A

A B 1;3;5;6;7;8;9;10;12;15, A B 3;15e A \ B 6;9;12, então nenhum dos elementos

de 1;5;7;8;10;11;13pertence a A nota que os elementos 11 e 13 não pertencem a A B , logo não pertencem

a A; os restantes pertencem a A B , mas não a A \ B nem a A B , pelo que não pertencem a A.

Como U é o conjunto dos números naturais inferiores a 16, pelo que foi escrito anteriormente, tem-se

que A 3;6;9,12;15x U : x é múltiplo de 3, por exemplo. B 1;3;5;7;8;10;15Tem-se que A 3;6;9,12;15, A B 3;15e A B 1;3;5;6;7;8;9;10;12;15. Assim,

a.

13.2

b. Tem-se que:

A B C 1;7;12;151;3;5;6;7;8;9;10;12;15C 1;7;12;15, logo estes elementos

pertencem a C e nenhum dos elementos de 3;5;6;8;9;10pertence a C

U \ A B C 2;4;14, pelo que estes elementos não pertencem a C, logo pertencem a C .

Além disso, 11;13C , pois não pertencem nem a U \ A B C nem a A B .

Assim, C 1;2;4;7;12;14;15e C 3;5;6;8;9;10;11;13

c. A C \ B 3;6;9,12;153;5;6;8;9;10;11;13\ 1;3;5;7;8;10;156;9;11;12;13

d. C \ B 3;5;6;8;9;10;11;13\ 1;3;5;7;8;10;156;9;1 1;13

Preparar o Exame 2018 – Matemática A

Preparar o Exame 2018 Matemática A

e.

B C A 1;3;5;7;8;10;153;5;6;8;9;10;11;133;6;9,1 2;15

1;3;5;6;7;8;9;10;11;13;153;6;9,12;152;4; 12;143;6;9,12;152;3;4;6;9,12;14;15

f. A B C 3;6;9,12;151;3;5;7;8;10;153;5;6;8;9;10;1 1;133

13.3 Tem-se que:

Y X 1;3;5;7;9A B 1;3;5;6;7;8;9;10;12;15

a. x, x Y x X é uma proposição verdadeira pois Y X

b. Y \ B 1;3;5;7;9 \ 1;3;5;7;8;10;159. Então,x, x Y \ B x 9 é uma proposição

verdadeira pois o único elemento de Y \ B é o 9.

c. x : x X \ Y x é primo é uma proposição falsa pois

X \ Y 1;3;5;6;7;8;9;10;12;15\ 1;3;5;7;96;8;10; 12;15e nenhum dos seus elementos é um

número primo.

13.4 Tem-se que:

a. Tem-se que

a (1)

é

falsa pois

1 2 2 1 0 , mas a (3)

2

3 2

3

1 0 . Assim, em U , a ( x ) é possível não universal.

é verdadeira, por exemplo, pois

b. Averiguemos o valor lógico de b ( n ) para todos os elementos de U :

2

    1 2   17 17   17 19 17 19 é é primo primo

1

2

2

2

    3 4   17 17   23 29 23 29 é é primo primo

3

4

2

2


       8 5 6 7     17 17 17 17     73 37 59 47 73 37 47 59 é é é é primo primo primo primo

5

6

2

7

8

2

2

9   9 10 17 17 89 107 89 é 107 primo é primo

11

14 13 12     11 13 12 5     17 17 17 17     199 127 173 149 199 127 173 149 é é é é primo primo primo primo

10

2

2

2

2

2

2

2

15 15 17 227 227 é primo

Preparar o Exame 2018 – Matemática A

Preparar o Exame 2018 Matemática A

Assim, b ( n ) é verdadeira para todos os elementos de U, pelo que b ( n ) é uma condição universal em

U .

c. Se b ( n ) é universal, então

condição impossível em U

( n ) é universal, então condição impossível em U b ( n ) é uma
( n ) é universal, então condição impossível em U b ( n ) é uma

b ( n ) é uma condição impossível em U. Então, a n b ( n ) é uma

d . Em 13.4 a. , vimos que a (1) é falsa e a (3) é verdadeira. Como b n é universal, então b (1) e b 3

são ambas verdadeiras . Assim, por exemplo,

que b n a n é possível não universal.

b (1) a

V

1

F

é falsa, mas

b (3) a

V

3

V

é verdadeira, pelo