Você está na página 1de 87

Potencial

de
Membrana
Vamos relembrar a
aula anterior?
Já aprendemos que ........
1º- Nas membranas das células estão presentes as proteínas com
atividades de canais e de transportadoras de íons;
2º- Os líquidos extracelulares interagem....

Quais são os líquidos (meio


extracelular) que banham as células?

- Plasma
-Líquido intravascular
- Linfa

-Líquido Intersticial

- Pleural
-Líquido de transição - Sinovial
- Ópticos
Distribuição de solutos nos compartimentos líquidos do
corpo
Vamos entender.....
- O corpo está em um estado de desequilíbrio químico, no qual
certos solutos estão mais concentrados em um dos
compartimentos:

- Por causa dessa diferença, dizemos que a membrana está


polarizada. O que mantém esta diferença é o mecanismo de
bombeamento de íons (transporte ativo), forçando o sódio a sair e
o potássio a entrar, com gasto de energia.
- A bomba de sódio-potássio mantém a membrana polarizada
(no potencial de repouso).
- Graças ao bombeamento, os íons K+ ficam mais concentrados
do lado interno e os íons Na+, do lado externo da célula.
- Como a membrana é mais permeável ao potássio do que ao
sódio, a quantidade de íons K+ que sai por permeabilidade é
maior do que a de íons Na+ que entram pelo bombeamento.

Mais lento
CANAIS IÔNICOS

- São proteínas integrais da membrana que quando aberto


permitem a passagem de certos íons.

- Seletivos:
. dimensão do canal
. cargas em suas paredes
. tamanho do íon (Na+ K+)

-controlados por comportas


Então....agora ficou mais fácil......

O que podemos entender de potencial de membrana?

- Corresponde à diferença de potencial elétrico entre as faces externa e


interna da membrana de células.

O que é potencial elétrico?

- Potencial elétrico de membrana ou potencial transmembranar


é a diferença de potencial elétrico (voltagem) através da membrana
plasmática;

- O principal sistema de funcionamento dos neurônios.

-Também presentes em outras células, este potencial surge da


atividade de canais de proteínas e proteínas transportadoras de íons
que mantêm regularizadas as concentrações desses íons no citoplasma,
separados por uma bicamada fosfolipídica.
Diferenças entre potenciais de membrana

Dois fatores que influenciam o potencial de membrana da célula:

(1) O gradiente de concentração de diferentes íons através da


membrana e;

(2) a permeabilidade da membrana a estes íons.


POTENCIAIS

• Potenciais de difusão

- É a diferença gerada através de membrana quando um soluto


com carga se difunde ao longo do seu gradiente de concentração.

• Potenciais de equilíbrio

- É uma extensão do conceito de potencial de difusão.


- É o potencial que contrabalança a tendência à difusão, ao longo
da diferença de concentração.
Diferenças entre potenciais de membrana

Dois fatores que influenciam o potencial de membrana da célula:

(1) O gradiente de concentração de diferentes íons através da


membrana e;

(2) a permeabilidade da membrana a estes íons.


Canais voltagem-dependentes

- comportas de ativação e inativação controladas pela variação


do potencial de membrana.

Ex: canais de Na+ neurais

Canais ligando-dependentes

- comportas controladas por hormônios, neurotransmissores e


segundos-mensageiros.

Ex: receptor nicotínico da placa neuromotora(Ach)


Canais voltagem-dependentes

Uma voltagem elétrica, ou diferença de potencial, sempre existe


entre o interior e o exterior de uma célula (potencial de repouso). Esse
fato é causado por uma distribuição de íons desigual entre os dois
lados da membrana e da permeabilidade da membrana a esses íons.

A voltagem de uma célula inativa permanece em um valor negativo


— considerando o interior da célula em relação ao exterior ― e varia
muito pouco. Quando a membrana de uma célula excitável é
despolarizada além de um limiar, a célula dispara um potencial de
ação.
Variação de potencial de membrana

- Potencial de repouso (polarizada) - O valor do potencial de


repouso é de –70mV (milivolts).

- Despolarização - é o processo pelo qual o potencial de membrana


fica menos negativo.
Potencial de
ação
- Repolarização – retorno ao potencial de repouso

- Hiperpolarização - é o processo pelo qual o potencial de


membrana fica mais negativo.
Variação de potencial de membrana

- Potencial de repouso (polarizada) - O valor do potencial de


repouso é de –70mV (milivolts).

- Despolarização - é o processo pelo qual o potencial de membrana


fica menos negativo.
Potencial de
ação
- Repolarização – retorno ao potencial de repouso

- Hiperpolarização - é o processo pelo qual o potencial de


membrana fica mais negativo.
- A diferença de potencial elétrico (voltagem) através da
membrana plasmática mantém o funcionamento dos neurônios.

VAMOS LEMBRAR!!

O sistema nervoso é um dos nossos


sistemas controles!!!
Como entender a comunicação célula-
célula que ocorre em todo o sistema
nervoso até chegar no sistema alvo?
“O sistema nervoso é o mais
complexo e diferenciado do
organismo, sendo o primeiro a se
diferenciar embriologicamente e o
último a completar o seu
desenvolvimento”

Sistema
Nervoso
-O papel final mais importante do sistema nervoso
é o de controlar as diversas atividades do corpo;

- É parte de um sistema integrador junto com o


sistema endócrino.

FUNÇÕES BÁSICAS

• Função Integradora => Coordenação das funções do vários órgãos


(↑Pressão arterial→↑Filtração Renal e ↓Freq. Respiratória)

• Função Sensorial => Sensações gerais e especiais.

• Função Motora => Contrações musculares voluntárias ou Involuntárias

• Função Adaptativa => Adaptação do animal ao meio ambiente (sudorese,


calafrio)
O sistema nervoso pode ser dividido em duas partes:
Sistema Nervoso Central e Sistema Nervoso Periférico

- Encéfalo
. Sistema Nervoso Central (SNC)
- Medula espinhal

- O sistema nervoso central é aquele localizado dentro do esqueleto


axial (cavidade craniana e canal vertebral);

- O encéfalo é a parte do sistema nervoso central situado dentro do


crânio neural; e a medula é localizada dentro do canal vertebral.
- Gânglios

. Sistema Nervoso Periférico (SNP) - Nervos (espinhais e


cranianos)

- Terminações nervosas

Obs: o sistema nervoso periférico é aquele que se localiza fora do


esqueleto axial.
Quais são as células do
sistema nervoso?
Sinapse

- É uma região no qual um


neurônio encontra sua
célula-alvo;

- Cada sinapse possui três


partes:

(1) Terminal axônico da célula


pré-sináptica;
(2) Fenda sináptica (espaço
entre as células);
(3) Membrana da célula pós-
sináptica
CÉLULAS DA GLIA

• São células capazes de exercer uma importância vital aos neurônios, sendo a
principal função a Nutrição.
• Não produzem potencial de ação.
Como ocorre a comunicação
célula-célula através do sistema
nervoso?
Variação de potencial de membrana

- Potencial de repouso (polarizada) - O valor do potencial de


repouso é de –70mV (milivolts).

- Despolarização - é o processo pelo qual o potencial de membrana


fica menos negativo.
Potencial de
ação
- Repolarização – retorno ao potencial de repouso

- Hiperpolarização - é o processo pelo qual o potencial de


membrana fica mais negativo.
O que gera o potencial de repouso?
- é a diferença de concentração de íons sódio (Na+) e
potássio (K+) dentro e fora da célula.

Uma voltagem elétrica, ou diferença de


potencial, sempre existe entre o interior e
o exterior de uma célula (potencial de
repouso). Esse fato é causado por uma
distribuição de íons desigual entre os
dois lados da membrana e da
permeabilidade da membrana a esses
íons.

O interior da membrana é mais


negativo em relação ao lado externo
(há 30 vezes mais potássio dentro da
célula do que fora desta).

O valor do potencial de repouso é de –


70mV.
Potencial de repouso
É a diferença de potencial que existe através da membrana das
células excitáveis, nos intervalos entre potenciais de ação.

Ex; células neurais e musculares


Faixa: -70 a –80 mv

Obs: O potencial de repouso deixa o neurônio preparado


para receber um estímulo e, consequentemente, transmitir
o impulso nervoso.

Potencial de repouso:
-70mv

condutância dos canais de K+ e


Cl-

condutância dos canais de Na+


Potencial de ação

- São essenciais para a vida animal, porque transportam


rapidamente informações entre e dentro dos tecidos;

- É uma onda de descarga elétrica que percorre a membrana de


uma célula;

- Eles podem ser gerados por muitos tipos de células, mas são
utilizados mais intensamente pelo sistema nervoso, para
comunicação entre neurônios e para transmitir informação dos
neurônios para outro tecido do organismo, como os músculos ou
as glândulas;

- É um fenômeno das células excitáveis;

- Ocorre despolarização rápida;

- Repolarização da membrana até potencial de repouso;


Um potencial de ação é uma alteração rápida na polaridade da
voltagem, de negativa para positiva e de volta para negativa. Esse
ciclo completo dura poucos milisegundos.
Cada ciclo — e, portanto, cada potencial de ação, possui uma fase
ascendente, uma fase descendente e, ainda, uma curva de
voltagem inferior a do potencial de repouso de membrana.
- No caso do potencial de ação, o que ocorre é que um estímulo
provoca mudança de permeabilidade na membrana, abrindo uma
porta de PASSAGEM para o sódio que penetra na célula
abruptamente, despolarizando a membrana;

despolarização até -60mv


condutância de Na+ maior que K+
corrente de influxo de Na+

Corrente de influxo: é o fluxo de carga positiva para dentro da


célula, despolarizando a célula. (Na+)
- O potencial de ação não permanece em um local da célula, ele percorre
a membrana .

Neurônios transmitem informação gerando seqüências de potenciais


de ação, chamadas trens de pulsos. Variando a freqüência ou o
intervalo de tempo dos disparos de potencial de ação gerados, os
neurônios podem modular a informação que eles transmitem.
Como a bainha de mielina aumenta a
velocidade de propagação do PA?
- Após 1,5 milésimo de segundo, as portas de passagem de
potássio se abrem, permitindo sua saída. Com isso, a
membrana é repolarizada, voltando à condição de repouso.

Repolarização:

- repolarização até o valor de repouso


- fecham canais de Na+
- abrem canais de K+
- corrente de efluxo de K+
A propagação dos potenciais de ação, ao longo das fibras
nervosas e musculares, ocorre pela dispersão de
correntes locais, das regiões ativas para regiões inativas
adjacentes.
corrente de efluxo: é o fluxo de carga positiva para fora da
célula, hiperpolarizando o potencial de membrana. (K+)
Pós potencial hiperpolarizante

• condutância do K+ maior que no repouso

• membrana pronta para ser estimulada

Limiar: é o valor do potencial de membrana a partir do qual é


inevitável a geração de um potencial de ação. Este potencial é
menos negativo que o potencial de repouso.
Período refratário absoluto

- Se sobrepõe a quase toda a duração do potencial de ação.

- Durante este período nenhum potencial de ação pode ser gerado.

- Fechamento das comportas de inativação dos canais de Na+

- Despolarização
Período refratário relativo

- Inicia no fim do período refratário absoluto e se sobrepõe, ao


período pós potencial hiperpolarizante.

- Pode ser produzido um potencial de ação se aplicada uma


corrente despolarizante maior que a usual.

• condutância presente do K+ maior do que a no repouso


• potencial de membrana mais próximo do potencial de equilíbrio
do K+ para gerar um novo potencial de ação é necessário
uma maior corrente de influxo para trazer a membrana até o seu
limiar.
Bainha de mielina e Nódulo de Ranvier

- A bainha de mielina é uma membrana lipídica modificada e


espessada. Ela pode ser sintetizada por duas células:
oligodendrócitos, no sistema nervoso central, e células de
Schwann, no sistema nervoso periférico;

- A bainha de mielina fornece um aumento do isolamento celular


(aumento da resistência de membrana), em virtude de não
haver canais de vazamento de membrana onde há mielina,
deste modo, a fase passiva perde menos íons, o que aumenta a
chance do potencial de ação ter sucesso.

- Além de não haver canais de vazamento de membrana, não há


também praticamente nenhum tipo de canal de membrana
quando há bainha de mielina (ex.: bombas de sódio e potássio), o
que provoca para a célula uma menor necessidade de síntese
protéica, ou seja, menos gasto energético.
- As fases ativas da propagação ocorrem em regiões da bainha de
mielina, os nódulos da Ranvier. Neles, diferentemente da zona cercada
por bainha de mielina, há abundância de canais de íon sódio voltagem-
dependentes (densidade até quatro ordens de magnitude a mais que
nas membranas amielínicas), o que permite a ocorrência do potencial
de ação, que corresponde à fase ativa da propagação.

- A consequência de a bainha de mielina queimar etapas na propagação,


ao diminuir o número de potenciais ativos, são os movimentos saltatórios,
que possuem este nome em virtude de haver a impressão de que os
potenciais de ação saltam de nódulo em nódulo.
Sinapse e
neurotransmissores
Comunicação Célula-célula no
sistema nervoso
- O fluxo de informações através do sistema nervoso
depende de:

. Sinais químicos

. Sinais elétricos

- A especificidade da comunicação neural depende:

. Neurotransmissores (neurônios)
. Neuromoduladores (neurônios)
. Receptores das células alvo
. Conexões anatômicas entre os neurônios e seus
alvos (regiões sinapses)
Sinapse

- É uma região no qual um


neurônio encontra sua
célula-alvo;

- Cada sinapse possui três


partes:

(1) Terminal axônico da célula


pré-sináptica;
(2) Fenda sináptica (espaço
entre as células);
(3) Membrana da célula pós-
sináptica
- Na maioria nas sinapses de neurônios de neurônios com
outros neurônios, os terminais axônicos pré-sinápticos
estão próximos dos dendritos ou do corpo celular de
neurônio pós– sináptico;
Quais os tipos de sinapses? Quais suas
características?

• Elétricas

– Ausência de intermediários químicos, passa um sinal elétrico;


– Alta velocidade (condução rápida de sinais de uma célula para
outra);
– Gap junctions (junções comunicantes);
– São incomuns e ocorrem principalmente no SNC
- Ocorrem também nas células da glia, no músculo cardíaco e liso e
em células não excitavéis que utilizam sinais elétricos, como as
células beta do pâncreas;
• Químicas

- A grande maioria das


sinapses do sistema nervoso;

- Utilizam neurotransmissores
para carregar a informação
de uma célula para outra;

- Lentas
Substâncias Neurócrinas conduzem informação dos
neurônios para outras células

Quais são as móleculas que os neurônios liberam?

- Sua composição química é variada;

- Podem funcionar como:

.neurotransmissores (geralmente atuam em sinapse –


substância parácrina e autócrina)

.neuromoduladores (geralmente em sítios não sinápticos -


substância parácrina e autócrina)

.neuro-hormônios (secretados no sangue)


Neurotransmissores

Podem ser informalmente agrupados em 7 classes de acordo com


sua estrutura:

(1) Acetilcolinas
(2) Aminoácidos
(3) Aminas derivadas de aminoácidos
(4) Polipeptídeos
(5) Purinas
(6) Gases
(7) Lipídios
Acetilcolina (Ach)

- Sintetizada a partir de colina e de acetil CoA;


- Sua síntese ocorre no terminal axônico;
- Os neurônios que secretam Ach e receptores que se ligam a
Ach são denominados: COLINÉRGICOS
Aminas

- São derivados de um único aminoácido, o tirosina;


- Dopamina, noradrenalina e adrenalina;
- Também funcionam como neuro-hormônios quando são
secretados pela medula adrenal;
- Os neurônios que secretam a noradrenalina são denominados:
ADRENÉRGICOS OU NORADRENÉRGICOS

Serotonina

- Sintetizadas a partir de triptofano;

Histamina

- Sintetizada a partir de histidina;


Aminoácidos

- Aminoácidos que funcionam como neurotransmissores: glutamato,


aspartato, glicina e ácido gama aminobutírico (GABA);

Polipeptídeos

- Peptídeos diversos: Substância P, opióides (encefalinas e


endorfinas), Colecistocinina (CCK), vasopressina e peptídeo
atrial natriurético.....

Purinas

- Adenosina, adenosina monofosfato (AMP) e adenosina


trifosfato (ATP)
- Ligam-se a receptores purinérgicos
Gases

- Óxido Nítrico (ON) – sem receptor, difunde-se pela célula


alvo e liga-se a proteínas;

- Monóxido de carbono (CO)


Receptores:

. Inotrópicos – que alteram a função do canal de íon;

. Metabotrópicos – exercem suas ações nos sistemas de


segundo mensageiros (ligados a proteínas G e também
regulam a abertura e fechamentos de canais iônicos
Receptores Colinérgicos

. Possui dois subtipos principais:

(1) Nicotínicos (a nicotina é agonista);


- Encontrados em músculos esqueléticos, no sistema nervoso
autônomo e no sistema nervoso central;
- São canais de cátions : Sódio e Potássio podem passar.

(2) Muscarínicos (muscarina – encontrada em fungos- é agonista);


- São divididos em cinco subtipos;
- Acoplados as proteínas G – sistemas segundo mensageiros

Receptores Adrenérgicos:

- Possuem duas variedades: a (alfa) e b (beta)


- Desencadeiam a ativação da via proteínas G-AMPC)
Receptores Glutaminérgicos

- Glutamato é o principal neurotrasnmissor


- A ação depende de qual dos dois tipos receptores ocorre na
célula:

. Receptores APAM (agonista ácido propiônico a-amino-3-hidroxi-5-


metil-4-isoxazole;
-Canais de cátions dependentes de ligantes – o glutamato liga-se
e abre o canal ocorrendo influxo de sódio e despolarização.

. Receptores NMDA (agonista N-metil-D-aspartato)


-Canais de cátions que permitem a passagem do sódio, potássio e
cálcio pelo canal.
-A abertura do canal exigem que haja ligação do glutamato e
mudança de potencial de ação
- Canal bloqueado por magnésio
Ex: noradrenalina

Ex: acetilcolina

Ex: aminoácidos,
polipeptídeos.....