Você está na página 1de 91

UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA

FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Projeto Pedagógico do Curso de


Comunicação Social

Habilitação em
Jornalismo

Porto Velho Fevereiro 2018

Página 1
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

SUMÁRIO

1. Organização Didático-pedagógica .................................................................................... 5


1.1 Instituição de Ensino .......................................................................................................... 5
1.1.1 Missão, objetivos e metas da Instituição .......................................................................... 6
1.1.2 Mantenedora .................................................................................................................... 9
1.1.2.1 Dirigente da Mantenedora ............................................................................................. 9
1.1.3 Mantida .......................................................................................................................... 10
1.1.3.1 Corpo Dirigente da Mantida ......................................................................................... 10
1.2 Curso ................................................................................................................................ 11
1.2.1 Forma de Acesso ........................................................................................................... 11
1.2.2 Ato de Autorização ......................................................................................................... 11
1.2.3 Implementação das políticas institucionais constantes do PDI, no âmbito do curso ........ 11
1.2.4 Autoavaliação do curso .................................................................................................. 14
1.2.5 Atuação do coordenador do curso .................................................................................. 15
1.2.6 Objetivos do Curso ......................................................................................................... 17
1.2.7 Perfil do Egresso ............................................................................................................ 19
1.2.8 Pós-graduação ............................................................................................................... 23
1.2.9 Número de Vagas .......................................................................................................... 24
1.3 Conteúdos Curriculares..................................................................................................... 24
1.3.1 BSC Gerador.................................................................................................................. 26
1.3.2 Grade Curricular do curso de Jornalismo........................................................................ 28
1.3.3 Ementário das Disciplinas .............................................................................................. 31
1.3.4 Pré-requisitos curriculares .............................................................................................. 57
1.3.5 Metodologia de Ensino Aprendizagem............................................................................ 57
1.3.6 Sistema de Avaliação do Acadêmico .............................................................................. 58
1.3.7 Flexibilidade Curricular ................................................................................................... 59
1.3.8 Turma Especial .............................................................................................................. 59
1.3.9 Disciplinas por acompanhamento ................................................................................... 59
1.4 Metodologia ...................................................................................................................... 60
1.4.1 Pesquisa e Produção Científica ...................................................................................... 61
1.4.2 Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) ......................................................................... 62
1.4.3 Agência Experimental de Comunicação.......................................................................... 62
1.4.4 Trabalhos práticos .......................................................................................................... 63
1.4.5 Revista........................................................................................................................... 63
1.4.6 Jornal Impresso.............................................................................................................. 64
1.4.7 Blog ............................................................................................................................... 64

Página 2
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

1.4.8 Rádio ............................................................................................................................. 64


1.4.9 Estímulo a atividades acadêmicas .................................................................................. 67
1.5 Estágio supervisionado e prática profissional..................................................................... 68
1.6 Atividades Complementares.............................................................................................. 69
1.7 Atendimento aos discentes................................................................................................ 72
1.7.1 Secretaria Acadêmica .................................................................................................... 73
1.7.2 Atendimento extra-classe ............................................................................................... 73
1.7.3 Sala Integrada................................................................................................................ 73
1.7.4 Setor de Atendimento ao Acadêmico (SAA).................................................................... 74
1.7.5 Setor de Registro Acadêmico (SRA)............................................................................... 75
1.7.6 Setor de Registro de Diploma (SRD) .............................................................................. 75
1.7.7 A Coordenação do Curso ............................................................................................... 75
1.7.8 Centro de Apoio ao Professor (CEAP) ............................................................................ 75

2. Corpo Docente ................................................................................................................. 76


2.1 Composição do NDE ........................................................................................................ 76
2.2 Titulação e formação acadêmica do NDE ......................................................................... 76
2.3 Regime de trabalho do NDE ............................................................................................. 77
2.4 Titulação e formação do coordenador do curso ................................................................ 77
2.5 Regime de trabalho do coordenador do curso .................................................................. 78
2.6 Composição e Funcionamento do colegiado de curso ou equivalente ............................... 78
2.7 Titulação do corpo docente .............................................................................................. 79
2.8 Regime de trabalho do corpo docente .............................................................................. 80
2.9 Política de atualização do corpo docente .......................................................................... 81
2.10 Seminários pedagógicos ................................................................................................ 82
2.11 Tempo de experiência de magistério superior ou experiência do corpo docente .............. 82
2.12 Número de vagas anuais autorizadas por docente equivalente em tempo integral ........... 82
2.13 Alunos por turma em disciplina teórica ............................................................................ 83
2.14 Número médio de disciplinas por docente ...................................................................... 83

3. Instalações físicas ............................................................................................................ 83


3.1 Sala de professores e sala de reuniões ............................................................................ 83
3.2 Gabinete de trabalho para professores ............................................................................. 83
3.3 Salas de aula .................................................................................................................... 84
3.4 Acesso dos alunos a equipamentos de informática............................................................ 84
3.5 Registros Acadêmicos....................................................................................................... 84
3.6 Biblioteca ......................................................................................................................... 85

Página 3
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

3.7 Livros da bibliografia básica .............................................................................................. 86


3.8 Livros da Bibliografia complementar .................................................................................. 86
3.9 Periódicos especializados, indexados e correntes ............................................................. 87
3.10 Laboratórios especializados ........................................................................................... 87
3.11 Infraestrutura e serviços dos laboratórios especializados................................................. 88

Página 4
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

1. Organização Didático-pedagógica
1.1 Instituição de Ensino

A UNIRON - Faculdade Interamericana de Porto Velho - foi fundada no ano de 1999


por Fernando Mauro de Toledo Prado e Rodrigo Calvo Galindo, que tinham como objetivo
erguer a maior e mais qualificada Instituição de Ensino Superior do estado de Rondônia.
Uma das premissas dessa nova Instituição de Ensino Superior era atuar ativamente
na oferta de cursos de Bacharelado com foco para o mercado de trabalho atendendo assim as
exigências e necessidades dos órgãos públicos e das empresas e instituições instaladas na
cidade de Porto Velho e região.
No ano de 2001 a UNIRON foi efetivamente autorizada pelo MEC - Ministério da
Educação. Os cursos oferecidos eram de Administração de Empresas, Administração em
Marketing, Administração Rural e Administração em Sistemas de Informação. Logo em seguida
vieram os cursos de Secretariado Executivo Bilíngue, Publicidade e Propaganda, Ciências
Contábeis e Direito.
Inicialmente a Instituição funcionou provisoriamente nas instalações da Escola Dr.
Granjeiro no Bairro do Triângulo. Em fevereiro de 2003 a UNIRON inaugura um dos maiores
campus universitários de Porto Velho localizado à Avenida Mamoré, na Zona Leste da capital.
Em uma área de 82.000 m2 e com mais de 30.000 m2 de área construída, o complexo
universitário da UNIRON é referência de modernidade e sofisticação. São mais de 700 metros
lineares de corredores, 78 salas de aula climatizadas, biblioteca central, praça de alimentação,
laboratórios de fotografia, áudio, rádio e televisão, 08 laboratórios de informática com
equipamentos de última geração, agência bancária, centrais de reprografia, restaurantes,
estacionamento para 2.000 veículos, Núcleo de Práticas Jurídicas, Agência Experimental,
Ginásio Poliesportivo, Rádio Universitária, entre diversas outras instalações.
De 2001 a 2005, a UNIRON teve crescimento recorde de mais de 500% no período
passando de 400 para 3.000 acadêmicos espalhados nos 15 cursos de graduação e pós-
graduação oferecidos pela Instituição. A UNIRON não apenas atua na área de ensino de
graduação e pós-graduação como também leva muito a sério sua responsabilidade social e
compromisso com a comunidade da zona leste da capital (sua área de atuação). Vários
projetos sociais são desenvolvidos pela Instituição, como: Prêmio Jovem Talento, Faculdade
da Melhor Idade e Faculdade Para Todos.
Atualmente a UNIRON possui 02 (dois) Campi e 01 (uma) Unidade, sendo:

CAMPUS I - Mamoré (Av. Mamoré, 1520, bairro Cascalheira)


CAMPUS II - Três Marias (Av. Mamoré, 1402, bairro Três Marias)
UNIDADE III - Shopping (Av. Rio Madeira, 3288, 2º andar, bairro Flodoaldo Alves
Pinto)

Página 5
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

São 3.400 alunos matriculados nos 14 cursos de graduação. A evolução da UNIRON


não fica somente na infraestrutura, na qualidade do ensino que oferece, mas também na
capacitação dos colaboradores, qualificação dos professores, instalação de novos cursos de
graduação, especialização e aperfeiçoamento, na implantação de laboratórios, projetos de
extensão que visam à melhoria da qualidade de vida de seus acadêmicos e da comunidade em
que está inserida.

1.1.1 Missão, objetivos e metas da Instituição

A Faculdade Interamericana de Porto Velho, objetiva ser referência no Estado,


assumindo o compromisso institucional de promover o desenvolvimento educacional da região,
por meio do oferecimento de ensino superior de qualidade, nas diferentes áreas do
conhecimento, integrado à pesquisa e à extensão. A Instituição entende que, na interação
dinâmica com esta sociedade, define os seus campos de atuação acadêmica presente e futuro.
Parte da necessidade de que, enquanto agente promotora de ensino superior deve
ser possuidora de uma política de graduação teoricamente rigorosa, sólida e articulada
organicamente a um projeto de sociedade e de educação.
A Faculdade Interamericana de Porto Velho traçou como diretrizes e Políticas de
Ensino, o atendimento às necessidades locais, da região Norte e, especialmente, do Estado de
Rondônia, tendo como elementos essenciais a regionalidade, a qualidade e a
indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão.
A Faculdade Interamericana de Porto Velho está comprometida com a transmissão e
construção do saber, com a pesquisa, com inovações, com o ensino e formação profissional
que contemple conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias à atuação do cidadão, bem
como com a educação continuada e a cooperação internacional, a fim de contribuir com um
desenvolvimento sustentável. Portanto, define como seus propósitos:

 A produção de conhecimentos próprios e originais, ultrapassando a barreira de mero


ensino;
 A conquista de competência científica em termos de domínio e atualização de saberes
e de recursos;
 A dinamização do processo de reflexão sobre a intervenção na realidade;
 A busca permanente da qualidade educativa e científica na qualificação continuada de
todos os seus segmentos e processos;
 A mediação, no sentido de uma formação emancipatória;
 A atitude criativa, ativa, confrontadora, compatível com a intencionalidade de
construção de sujeitos históricos e críticos.

Página 6
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Para alcançar tais propósitos, as Políticas de Ensino da Faculdade Interamericana de


Porto Velho, em sintonia com a política de pesquisa e extensão institucional, têm como base,
dentre outras:
 O processo de aperfeiçoamento continuado de docentes;
 O estímulo do aprimoramento da ação curricular;
 O desenvolvimento de novas metodologias e tecnologias de ensino.
 Para garantir uma infraestrutura favorável à otimização do desempenho acadêmico,
busca, em ritmo constante e gradativo, atender às seguintes políticas:
o A projeção e melhoria de espaços acadêmicos, como laboratórios, salas de
aula, bibliotecas, salas especializadas, entre outros, e
o A qualificação permanente dos serviços disponíveis aos acadêmicos, por
intermédio do Serviço de Atendimento ao Acadêmico – SAA e Sala Integrada
de Coordenadores e Professores – SICP.
No que diz respeito às Políticas de Pesquisa, a integração com o Ensino, promoverá
e desenvolverá as atividades de Pesquisa e Extensão, por meio da execução de projetos
científicos, de formação de pessoal pós-graduado, promoção de congressos, intercâmbio com
outras instituições congêneres e divulgação dos resultados das pesquisas realizadas.
Os projetos de pesquisa são aprovados pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa
e Extensão – CONSEPE. Um órgão de natureza deliberativa, normativa e consultiva, destinado
a orientar, coordenar e supervisionar as atividades acadêmicas de ensino, pesquisa e extensão
da Faculdade Interamericana de Porto Velho.
A UNIRON, enquanto mantenedora, incentiva a atividade de pesquisa e motiva a
iniciativa de novas políticas por meio de ações e posturas, das quais destacamos:
 Cultivo da atividade científica e estímulo ao pensar crítico em qualquer ação científico-
pedagógica;
 Manutenção de serviços de apoio indispensáveis, tais como biblioteca, documentação
e divulgação científica;
 Formação de pessoal em cursos de graduação e pós-graduação;
 Promoção do desenvolvimento científico, consubstanciado em linhas prioritárias de
ação a médio e longo prazo;
 Concessão de bolsas de estudos ou de auxílio para a execução de projetos em áreas
específicas do conhecimento;
 Realização de convênios com agências de fomento governamentais e não
governamentais de incentivo a pesquisa;
 Captação de recursos externos à Instituição para auxílio a projetos da área em que a
pesquisa será desenvolvida;
 Intercâmbio com instituições científicas nacionais e internacionais;

Página 7
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

 Programação de eventos científicos e participação em congressos, simpósios,


seminários e encontros.

Quanto às Políticas de Extensão, essas terão sempre o objetivo de retroalimentar as


atividades de ensino e pesquisa da Faculdade Interamericana de Porto Velho. Os projetos,
programas e cursos de extensão também serão aprovados pelo Conselho Superior de Ensino,
Pesquisa e Extensão - CONSEPE, e implantados e coordenados pelo Núcleo de Pós-
Graduação, Pesquisa e Extensão - NUPPEX.
A Faculdade Interamericana de Porto Velho seguirá normas e procedimentos para a
realização da extensão e atualização, considerando-se a necessidade de valorização da
extensão, identificação das atividades e o seu acompanhamento e avaliação.
O processo de extensão é um dinamizador do ensino e da pesquisa, por possibilitar o
contato de docentes e estudantes com questões presentes na realidade social e com o
cotidiano da ação profissional, tendo como perspectiva as necessidades sociais emergentes.
Representa uma forma de reunir e administrar os esforços, recursos e atividades para tornar o
conhecimento acessível à sociedade, através de programas, projetos e eventos, visando
construir uma sociedade justa e democrática.
As atividades de extensão têm se fortalecido como prática acadêmica e campo de
ação social, onde os conhecimentos produzidos na interface faculdade/comunidade
possibilitam transformações sociais e realimentam o processo ensino-aprendizagem, tornando-
se, dessa forma, indispensável à formação do aluno e atualização do professor.
Através de práticas extensionistas, a Faculdade pode aumentar sua presença junto a
variados segmentos da sociedade, onde os profissionais têm a oportunidade de traduzir para o
campo operativo os conhecimentos que vêm produzindo de forma a contribuir para a
autonomia das comunidades.
As políticas, diretrizes e fluxos de encaminhamentos estarão delineados no
Regulamento da Extensão UNIRON e Plano de Ação, organizado no início de cada ano letivo
pelo corpo docente e discente, caracterizando as ações de extensão na Faculdade.
A Faculdade Interamericana de Porto Velho possui como premissa básica seu
compromisso de Responsabilidade Social. Nesse aspecto vale dizer que a Instituição possui
uma Comissão especialmente instituída para atender acompanhar os projetos desenvolvidos,
como o UNIRON no BAIRRO realizado semestralmente que proporciona a integração dos
acadêmicos com as comunidades carentes no entorno da Faculdade. Em junho de 2011 o
projeto foi realizado na escola Jânio Quadros, no bairro Mariana, durante toda a manhã. O
projeto proporciona o acesso da comunidade a oficinas de reciclagem, atividades culturais e
educativas, e ainda acesso aos serviços de assessoria jurídica, programa horta orgânica e
saúde preventiva de forma totalmente gratuita, além de muita brincadeira para a garotada. É
uma forma de levar à comunidade alguns dos serviços que a faculdade oferece por meio dos
seus cursos e aproximar os acadêmicos da realidade da profissão escolhida na prática. O

Página 8
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Uniron no Bairro é uma marca da responsabilidade social da faculdade para melhorar a


qualidade de vida da população.
Com o projeto FACULDADE DA MELHOR IDADE concede descontos para que
pessoas com 50 anos ou mais possam retornar aos estudos. A UNIRON também oferece
Bolsas a alunos participantes do PROUNI e FIES.
Representando ainda o compromisso social da UNIRON temos ainda o projeto
UNIRON CRIANÇA e o programa BOLSA EDUCAÇÃO. O primeiro é realizado anualmente
em outubro na semana do Dia da Criança no Campus da Faculdade e reúne milhares de
crianças carentes da periferia de Porto Velho que, além de atividades recreativas também
recebem orientação e instruções de cidadania, saúde e educação por meio de professores e
alunos dos cursos oferecidos pela instituição. E o segundo concede Bolsas de Estudos de 20%
para que acadêmicos carentes façam graduação nos cursos de Licenciatura na UNIRON.
Além dessas ações sociais e comunitárias, a UNIRON ainda é parceira de outros
projetos comunitários importantes através de parcerias com o poder público municipal e
estadual, instituições privadas como o Sistema “S” e ONG’s como o projeto “Aluno Monitor” de
autoria do professor e policial civil Wagner Ferreira Marques. Desde 2009 a UNIRON entrou
nesse projeto por acreditar e confiar no PAM (Projeto Aluno Monitor) e selou um compromisso
com o projeto, disponibilizando dentro do Projeto Interno Jovem Talento 01 (uma) vaga com
Bolsa de estudo integral para cursos na instituição.

1.1.2 Mantenedora

Nome: UNIRON - União das Escolas Superiores de Rondônia Ltda.


CNPJ: 03.327.149/0001-78
End.: Avenida Mamoré n° 1.520 – Bairro Cascalheira
Cidade: Porto Velho UF: RO CEP: 78919-541
Fone: (69) 2181.5001 Fax: (69) 2181.5000
E-mail: uniron@uniron.edu.br

1.1.2.1 Dirigente da Mantenedora

Nome: ALTAMIRO BELO GALINDO e RODRIGO CALVO GALINDO


End.: Alameda Joaquim Eugênio de Lima nº 739, conjunto 51 e 52
Cidade: São Paulo UF: SP CEP: 01403-003
Fone: (11) 3266 - 3525 Fax: (11) 3266 - 3525
E-mail: rodrigo.galindo@iuni.com.br

Página 9
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

1.1.3 Mantida

Nome: Faculdade Interamericana de Porto Velho


CNPJ: 03.327.149/0001-78
End.: Avenida Mamoré n° 1.520 – Bairro Cascalheira
Cidade: Porto Velho UF: RO CEP: 78919-541
Fone: (69) 2181.5001 Fax: (69) 2181.5000
E-mail: uniron@uniron.edu.br

1.1.3.1 Corpo Dirigente da Mantida

Cargo: Diretor Executivo


Nome: AILTON MARTINS MELO
End.: Alameda Joaquim Eugênio de Lima nº 739, conjunto 51 e 52
Cidade: São Paulo UF: SP CEP: 01403-003
Fone: (11) 3266 - 3525 Fax: (11) 3266 - 3525
e-Mail: ailton.melo@uniron.edu.br
Cargo: Diretor Administrativo Financeiro
Nome: ALEXANDRE PORTO
End.: Avenida Mamoré n° 1.520 – Bairro Cascalheira
Cidade: Porto Velho UF: RO CEP: 78919-541
Fone: (69) 3733 - 5067 Fax: (69) 3733 - 5053
e-Mail: alexandre.porto@uniron.edu.br

Cargo: Diretora Acadêmico


Nome: Nelice Serbino
End.: Avenida Mamoré n° 1.520 – Bairro Cascalheira
Cidade: Porto Velho UF: RO CEP: 78919-541
Fone: (69) 3733 - 5063 Fax: (69) 3733 - 5053
e-Mail: diracademica@uniron.edu.br

Página 10
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

1.2 Curso
1.2.1 Forma de Acesso

A forma de acesso ao curso esta normatizada no regimento interno da UNIRON e


também pela comissão permanente de vestibular, instituída pelo conselho superior da
faculdade, que tem entre outras obrigações, a responsabilidade de preparar e divulgar o edital
do processo seletivo, que normatiza cada processo seletivo da UNIRON.
Além das formas previstas no regimento interno, também podem ingressar
acadêmicos no curso via:
 Transferência
 Ingresso de graduado (Portador de Diploma)
 Reingresso
 Reopção
 Processo Seletivo Simplificado.

1.2.2 Ato de Reconhecimento

O Curso de Comunicação Social, habilitação Jornalismo da Faculdade Interamericana


de Porto Velho – UNIRON – foi pela Portaria nº 266, de 19 de julho de 2011, pelo Decreto nº
7.480, de 16 de maio de 2011, tendo em vista o Decreto nº 5.773, de 9 de maio de 2006, e
suas alterações, e a Portaria Normativa nº 40, de 12 de dezembro de 2007, republicada em 29
de dezembro de 2010, do Ministério da Educação, resolve:
Art. 1º Reconhecer a habilitação Jornalismo, do curso de Comunicação Social, com
50 (cinqüenta) vagas totais anuais, no turno noturno, ministrada pela Faculdade Interamericana
de Porto Velho, na Avenida Mamoré, nº 1.520, Bairro Cascalheira, na cidade de Porto Velho,
no Estado de Rondônia, mantida pela União das Escolas Superiores de Rondônia Ltda, com
sede na cidade de Porto Velho, Estado de Rondônia.
Uma cópia da portaria encontra-se anexa a este projeto.

1.2.3 Implementação das políticas institucionais constantes do PDI, no âmbito


do curso

Hoje o conhecimento é um recurso indispensável para aquisição da empregabilidade.


Definimos conhecimento como: Saber, Fazer, Ser e Conviver. Este conceito foi adaptado dos
pilares da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI (EDUCAÇÃO: Um
tesouro a Descobrir, 1999) – organizado por Jacques Delors.
O Saber pressupõe o conhecimento teórico conceitual da área em que o aluno
escolheu. O Saber permite compreender melhor a área de conhecimento escolhida pelo aluno
e compreender o ambiente sob os seus diversos aspectos, deve despertar a curiosidade

Página 11
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

intelectual, estimular o sentido crítico e permitir compreender o real, mediante a aquisição de


autonomia na capacidade de discernir.
Entretanto, de nada adianta Saber se o egresso não consegue utilizar e aplicar os
conceitos e teorias adquiridas. Na busca da empregabilidade o Saber e o Fazer são
indissociáveis. A substituição do trabalho humano por máquinas tornou-se cada vez mais
imaterial, e acentua o caráter cognitivo das tarefas. Fazer, portanto, não pode mais ter o
significado simples de preparar nossos egressos para uma tarefa material determinada. Não
podemos trabalhar nossos alunos com o que Paulo Freire caracterizou como “ensino bancário”
no qual o estudante é visto como “depositário” de conteúdos petrificados e sem vida, passados
por um educador tido como “depositante”, ressaltando, assim, a mecanização e a
inconveniência do processo de ensino.
Como conseqüência de reflexões como essa, a aprendizagem evoluiu e não deve
mais ser considerada como simples transmissão de práticas mais ou menos rotineiras, mas
deve buscar o desenvolvimento de competências e habilidades procedimentais e atitudinais
que constituindo taxonomia orientadora certamente levarão o egresso ao sucesso profissional,
ou seja, a ter empregabilidade.
O Saber e o Fazer formam o profissional. Porém, não são suficientes, para garantir
empregabilidade para os egressos. É necessário o desenvolvimento do Ser e Conviver para
complementar a formação e adquirir a empregabilidade.
O Ser e o Conviver constituem a formação do cidadão que somado a formação do
profissional (Saber e Fazer), certamente o levará ao sucesso profissional, ou seja, à
empregabilidade. Nosso objetivo, portanto, é a formação do profissional-cidadão competente e
capacitado a entrar e manter-se no mercado e desenvolver-se com eficiência, eficácia e
efetividade na ocupação que escolheu.
Tendo como horizonte orientador sua missão, a UNIRON busca organizar-se em
torno dos quatro pilares citados pela UNESCO, e que, ao longo de toda vida representam para
cada indivíduo, os pilares do conhecimento: aprender a conhecer, isto é, adquirir os
instrumentos da compreensão; aprender a fazer, para poder agir sobre o meio que a cerca;
aprender a viver juntos, a fim de participar e cooperar com os outros em todas as atividades
humanas e aprender a ser, elo que integra os três pilares anteriormente citados.
O curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo defende que é
importante preparar os indivíduos para compreender a dinâmica da sociedade como um
processo complexo e contínuo, no qual valores e paradigmas estão sendo permanentemente
questionados. Faz-se necessário a preparação para o exercício profissional nos diversos
segmentos do mercado global e regional, através do domínio de diversas técnicas, tecnologias,
e linguagens dos diversos veículos de comunicação, uma vez também que é necessário
fortalecer o mercado local em expansão.
O papel do curso de Jornalismo é fundamental na realização de investigações que
atendam ao desafio do desenvolvimento sustentável do nosso país, corroborando com a

Página 12
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Instituição, que também parte do princípio de que, enquanto agência promotora de ensino
superior deva ser possuidora de uma política de graduação teoricamente consistente, sólida e
articulada organicamente a um projeto de educação e de sociedade pautado nos seus eixos
estruturantes: Saber, Conviver, Fazer e Ser.
As políticas institucionais da UNIRON estão comprometidas com a construção do
saber, com o ensino e a formação profissional que contemple conhecimentos, habilidades e
atitudes necessárias à atuação do cidadão. O curso de Comunicação Social com habilitação
em Jornalismo partilha de tais princípios e procura contribuir na superação das manifestações
da questão social através da formação intelectual, ética e política dos futuros egressos.
O curso apresenta sempre que possível o caráter multidisciplinar do ensino superior,
proporcionando ao acadêmico uma sólida formação geral. Para tanto adota a prática do estudo
independente, na perspectiva da autonomia intelectual, como requisito à autonomia profissional
e o fortalecimento da articulação da teoria com a prática.
A Uniron tem o objetivo derradeiro de tornar os seus alunos capazes de aprender.
Este conhecimento é o que possibilita ao aluno, que nos chega às salas de aula com sérios
problemas ao nível do nivelamento nas competências básicas de leitura, escrita e raciocínio
matemático, estruturar o seu ciclo de ensino-aprendizagem de forma a tornar-se responsável
pelo mesmo.
O aluno da Uniron deve ser autônomo e conhecedor das estruturas curriculares
responsáveis pela sua (re)educação ao longo do ciclo de estudos escolhido. Assim sendo,
deve ser capaz de se auto-avaliar no reconhecimento do que melhor aprendeu e do que falta
aprender.
O aluno da Uniron deve procurar a informação de forma ativa e produzir o seu próprio
conhecimento, não numa base construtivista do conhecimento, mas na multiplicidade de
cenários educacionais que o docente esclarecido da nossa instituição lhe proporciona; não
hesitando no uso de quaisquer teorias de aprendizagem que promovam, reconhecidamente, o
desafio na pluralidade de reforços cognitivos.
O aluno da Uniron deve, em suma, saber reconhecer no processo de ensino-
aprendizagem o trinômio:
Posição atual: Onde está o aluno neste momento, onde o mesmo se vê nas
exigências diárias de sala de aula em que os conteúdos são dialogados e propostos no início
de cada sessão? O aluno reconhece o seu espaço próprio de autonomia na relação de
responsabilidade que se constrói, pelo conhecimento que o mesmo possui do seu papel ativo
em sala de aula – o de quem aprende.
Posição desejada: Onde o professor quer o aluno? Qual o nível que a cada momento
é exigido e em que grau de proficiência o aluno deve estar em cada aula onde o primeiro item
exigível é a exposição do trabalho a desenvolver até ao final da aula? O conhecimento destes
critérios permitirá ao aluno desenvolver noções críticas de comparação entre o que pensa que
sabe e o que o professor espera que saiba. Permitirá ao professor também o desenvolvimento

Página 13
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

de indicadores que, constituindo atividades de diálogo em sala lhe permitam perceber onde o
aluno se posiciona e que reforço necessita a cada momento.
Como preencher o fosso: O aluno da Uniron, reconhecendo as diferenças entre a sua
performance e o que é dele esperado e exigido, saberá começar a adaptar-se a critérios de
rigor no estudo, na pesquisa e análise crítica de informação. O feedback bilateral que se terá
começado a estabelecer cuidará do resto do processo, em que a auto-avaliação de cada um
constituirá medida certa no apoio e reforço dialógico e conteudístico.

1.2.4 Autoavaliação do curso

Fica instituída na UNIRON, mantenedora da Faculdade Interamericana de Porto


Velho e da Faculdade de Educação de Porto Velho a Comissão Própria de Avaliação – CPA,
de acordo com o disposto no Art. 11 da Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004, que institui o
Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), com o objetivo de assegurar
a condução do processo de avaliação interna da Instituição, de sistematização e de prestação
das informações solicitadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais
Anísio Teixeira – INEP.
A auto-avaliação na UNIRON é um instrumento utilizado para a melhoria da qualidade
de ensino, pesquisa, extensão e gestão em nível institucional. Entendida como processo
permanente, a avaliação tem o objetivo de buscar meios para solução de problemas
detectados no processo de auto-avaliação e indicar as mudanças necessárias para a melhoria
das ações desenvolvidas pela IES. A auto-avaliação ou avaliação interna é um guia importante
para a tomada de decisões e dele resultará um relatório abrangente e detalhado, contendo
análise, críticas e sugestões realizadas pela CPA.
A auto-avaliação é participativa, crítica e transformadora. São objetivos da auto-
avaliação na Uniron: manter o processo de avaliação institucional sempre atualizado, em
cumprimento da Lei 10.861, de 14/04/2004, que regulamenta o artigo 9º, incisos VI, VII e IX da
lei 9.394 de 20/12/1996, e institui o Sistema Nacional da Avaliação da Educação Superior
(SINAES), como processo de autoconhecimento das dificuldades e potencialidades da IES;
disseminar a cultura de avaliação permanente, como meio de se construir um conjunto de
informações que servirão de base para se analisar e planejar constantemente o ensino, a
extensão, a pesquisa e a gestão administrativa; sugerir melhorias para a qualidade acadêmica
e administrativa da IES.
Nesse sentido, as estratégias de operacionalização do processo de avaliação estão
divididas em três etapas: etapa de preparação/sensibilização, etapa do desenvolvimento, etapa
da consolidação. Assim, o processo de avaliação da qualidade do curso de Comunicação
Social com habilitação em Jornalismo deverá seguir tais premissas e envolver todos os seus
segmentos, visando detectar possíveis deficiências e identificar formas estratégicas de superá-
las.

Página 14
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

A Auto-avaliação Institucional como avaliação processual na Uniron é realizada de


formas diferentes: qualitativa com a utilização de entrevistas e conversas informais realizadas
com os funcionários técnico-administrativos da instituição, e tem um foco quantitativo com a
aplicação de questionário via portal acadêmico. Esse processo acontece da seguinte forma:
uma vez por ano é disponibilizado via portal um questionário para acadêmicos, docentes e
coordenadores. Os avaliadores acessam o questionário, específico para cada tipo de
respondente, através de senhas individuais.
Os questionários são compostos por questões referentes à auto-avaliação do
respondente, avaliação docente, avaliação dos cursos e das coordenações, avaliação da
instituição e avaliação dos serviços terceirados. Quando há a necessidade, indicada pelos
gestores ou pelos membros da CPA, a aplicação dos questionários pode ocorrer mais de uma
vez ao ano, como acontece com a avaliação individual dos docentes de cada curso da
instituição. O objetivo da CPA neste processo, é utilizar as dez dimensões sugeridas pelo no
SINAES Roteiro de Auto-Avaliação Institucional (MEC/ INEP/ CONAES).
Com base nos resultados obtidos é realizada uma análise que visa à elaboração de
um diagnóstico compartilhado, de onde é gerado um relatório de recomendações e medidas
realizadas. Os resultados referentes aos setores administrativos, infra-estrutura da instituição e
estrutura dos cursos são analisados e discutidos com os gestores responsáveis por cada área.
A partir disso, são planejadas as ações de modificação ou manutenção a curto, médio e longo
prazo. Os resultados obtidos pelos professores em cada disciplina são utilizados como
subsídios para reuniões com o coordenador do curso. Dessas reuniões são geradas propostas
para o próximo semestre.
Os principais resultados, relatórios e qualquer situação detectada pela CPA também
são divulgados através do site da instituição, na página da própria CPA. Todo o ano é realizado
a sensibilização da comunidade acadêmica para participação no processo de avaliação,
através de campanha visual, divulgação no site da faculdade e reuniões específicas com
alunos, professores, coordenadores, funcionários. Após entrega do relatório final, são
realizadas forças tarefas, buscando a melhoria da qualidade do instrumento e dos
procedimentos internos na instituição.

1.2.5 Atuação do coordenador do curso

As atribuições e responsabilidades do Coordenador de Curso dividem-se em funções


sócio políticas, gerenciais, acadêmicas e institucionais.
No que se refere às funções políticas, a fim de contribuir com o desenvolvimento e
conhecimento do curso na faculdade e na sociedade, através de liderança e atitude
motivadora, mantendo articulação com organizações públicas, privadas e do terceiro setor.
No que se refere às funções gerenciais, cabe ao coordenador supervisionar
instalações físicas, selecionar indicações dos professores no tocante a bibliografia para

Página 15
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

atualização do acervo da Biblioteca da Faculdade, estimular e controlar a freqüência docente,


indicar a contratação e demissão de docentes e tomar decisões a respeito de processos
encaminhados ao mesmo e diretamente com os órgãos diretivos da IES.
No que se refere às funções acadêmicas, cabe ao coordenador:
 Elaborar, em consonância com o diretor acadêmico, o planejamento
estratégico do curso. Elaborar, implementar e acompanhar o
orçamento do curso.
 Gerenciar e se responsabilizar pela coordenação dos processos
operacionais, acadêmicos e de registro do curso.
 Manter o clima organizacional e motivacional do corpo docente e corpo
discente do curso.
 Gerenciar e manter padronizados os projetos pedagógicos do curso em
conformidade com os princípios institucionais. Coordenar o
planejamento, (re) elaboração e avaliação das atividades de
aprendizagem do curso.
 Buscar melhorias metodológicas de aprendizagem em sua área e
implementá-las em seu curso.
 Ser responsável pela coordenação das instalações físicas, laboratórios
e equipamentos do curso.
 Ser responsável pelo estímulo e controle da freqüência dos educadores
e discentes.
 Ser co-responsável pela fidelização de alunos bem como pelo retorno
de alunos evadidos.
 Ser co-responsável pela divulgação do curso.
 Estimular a produção intelectual, iniciação científica, na faculdade; e de
pesquisa, nos centros universitários e universidades.
 Estimular atividades complementares, eventos e cursos de extensão.
 Ser co-responsável pelos estágios supervisionados e não-
supervisionados realizados pelos discentes em conjunto com a
coordenação de estágio.
 Ser responsável pelo estímulo para o bom desempenho dos discentes
no ENADE.
 Ser co-responsável pela empregabilidade dos egressos.
 Ser co-responsável pela utilização do portal universitário.
 Ser co-responsável pelo reconhecimento do curso e renovação
periódica desse processo por parte do MEC.
 Estimular a participação dos alunos na avaliação institucional.

Página 16
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

A experiência profissional da coordenadora do curso colaborou para atender às


exigências do curso e da UNIRON:
- Cumprir e fazer cumprir a legislação de ensino e da IES.
- Administrar, coordenar e supervisionar todas as atividades do curso.
- Planejar, juntamente com o NDE – Núcleo Docente Estruturante, o projeto
pedagógico, extensão, eventos anuais, que devem ser encaminhados à direção.
- Realizar reuniões periódicas com os docentes.
- Supervisionar as atividades docentes, administrativas e acadêmicas
vinculadas ao curso.
- Aprovar a distribuição de disciplinas e carga horária do corpo docente para
homologação da direção.
- Emitir pareceres sobre o desempenho de membros do corpo docente,
administrativo e acadêmico sob sua jurisdição, quando solicitada.
- Deliberar sobre representações relativas ao ensino, pesquisa e extensão.
- Aprovar medidas destinadas a solucionar questões de natureza pedagógica,
técnica e didático-científica.
- Manifestar-se sobre os currículos e decidir sobre assuntos relativos à sua
compatibilidade, tendo em conta os perfis profissionais.
- Realizar atendimentos individuais e reuniões com o corpo discente.

Para uma efetiva atuação nas atividades necessárias à condução do curso, a


Coordenadora trabalha em regime parcial, no turno vespertino e noturno, sendo reservados
dois dias da semana (2ª e 3ª feira) para atendimento individual ao discente. Cada turma tem o
seu aluno líder e este tem livre acesso à coordenação para resolver quaisquer problemas
diariamente. O atendimento aos professores é realizado sempre que os mesmos o necessitam,
além dos horários que antecedem as aulas, de maneira a proporcionar integração e
conhecimento das ações.

1.2.6 Objetivos do curso

Por se tratar de um Estado novo e em notório desenvolvimento, Rondônia sempre


apareceu no contexto nacional como uma opção viável para implantação de cursos de
graduação, uma vez que, com o crescimento rápido e constante do número de indústrias e
empresas comerciais, profissionais qualificados são muito requisitados. Fator que faz com que
o ensino superior seja uma necessidade social.
Em 2007, o Estado ganhou as manchetes dos principais jornais do país por ser palco
do maior projeto de geração de energia do Brasil nos últimos anos. Este projeto consta do PAC
(Plano de Aceleração do Crescimento) do Governo Federal e disponibiliza recursos superiores
a 16 bilhões de reais na construção das duas Usinas Hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio no

Página 17
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Rio Madeira que, juntas, produzirão 6.450 MW e suprirão aproximadamente 10% de toda
energia elétrica consumida no Brasil. Segundo dados de FURNAS Centrais Elétricas, no pico
da construção, as obras das Usinas do Madeira vão criar cerca de 20 mil empregos diretos
somente na região de Porto Velho.
A construção das Usinas Hidrelétricas do Madeira está consolidando o já franco
crescimento da economia rondoniense e está trazendo novos investimentos para a região em
diversas áreas, entre elas, a indústria da comunicação. Com este desenvolvimento, nota-se a
crescente necessidade de profissionais da área para atender estas empresas que chegam e as
que aqui já atuam. Além disso, há constante demanda para cargos nos veículos de
comunicação do Estado: em Porto Velho existem 7 emissoras de televisão, 5 emissoras de
rádio, 4 jornais impressos e 2 revistas, além de jornais impressos sazonais e sites de notícias e
blogs de caráter jornalístico da cidade. Assim, faz-se necessária a oferta do curso de
Comunicação Social com habilitação em Jornalismo neste município para agregar qualidade e
eficiência.
Os objetivos do curso de Jornalismo são:
 Preparar o egresso para diagnosticar e interpretar os processos sociais para
aplicar aos objetivos e meios de comunicação;
 Fornecer ferramental teórico e prático para analisar as diferentes linguagens,
criar, orientar e julgar materiais de comunicação;
 Assimilar criticamente os conceitos que permitam a apreensão de teorias; Usar
tais conceitos e teorias em análises críticas da realidade;
 Posicionar-se segundo o ponto de vista ético-político;
 Deter um conjunto significativo de conhecimento e informações sobre a
atualidade;
 Experimentar e inovar no uso destas linguagens;
 Refletir criticamente sobre as políticas profissionais da comunicação;
 Tratar problemas teóricos da comunicação e problemas profissionais da área
de atuação, travando relações factuais e conceituais diante das questões concretas;
 Ter competência no uso da língua nacional para a escrita e a fala, na área da
comunicação em geral e das especializadas, interpretando seus textos;
 Coerência do Currículo com os Objetivos do Curso.Suprir a demanda no
Estado de Rondônia, por profissionais de comunicação que atendam às exigências do
mercado brasileiro do setor.

Estes objetivos são atingidos por meio da matriz curricular que insere a dinâmica de
disciplinas teóricas e práticas para preparar a formação humana, bem como as linguagens e
técnicas do jornalismo, assim como propicia o desenvolvimento de produtos da área de
comunicação que possibilita a vivência prática da profissão.

Página 18
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

O curso de Jornalismo da UNIRON prepara o discente para atuar profissionalmente


tanto no mercado local como no nacional, dotando-o de uma consciência crítica da própria
atividade profissional, tornando-o um agente potencial de mudança e transformação social.
De acordo com as Diretrizes Curriculares para a área de Comunicação Social e suas
habilitações, no qual encontra-se o Jornalismo (Parecer CNE/CES n.ºs 492/2001 e
1.363/2001), o projeto pedagógico do curso deve buscar estruturar o curso quanto as
variedades de circunstâncias geográficas, político-sociais e acadêmicas, conforme dinamismo
da área para obter qualidade na formação do profissional.
Dentro do conceito constante nas Diretrizes Curriculares da Área de Comunicação e
suas Habilitações temos, nos conteúdos básicos, matérias com conteúdo teórico-conceitual,
conteúdo analítico e informativo sobre a atualidade, conteúdo de linguagens, técnicas e
tecnologias midiáticas e de conteúdo ético-político. As disciplinas contemplam todos estes
conteúdos.
Como o Currículo segue uma lógica sócio-construtivista, que parte do perfil, elenca
áreas de atuação, define competências e habilidades, define as áreas do conhecimento e só
então estruturam-se as disciplinas, o currículo se mostra perfeitamente coerente com os
objetivos do curso. Frutos de constantes reuniões, o desenvolvimento do currículo é feito de
forma integrada e participativa, com espaço para discussões entre discentes, sugestões
docentes, e reuniões com a administração da IES. O currículo foi desenvolvido observando as
Diretrizes Curriculares, as características e necessidades regionais.
Como instrumento de estruturação curricular, partiu-se inicialmente do perfil
profissional desejado. Com base nesta definição, foram elencadas as áreas de atuação,
competências e habilidades desejadas de cada área para compor o perfil do egresso. Definidos
estes pontos, foram destacadas as áreas de conhecimento e aspectos temáticos necessários.
Só então foram definidos os conteúdos, e as disciplinas propriamente ditas. Desta maneira,
através das discussões e análises, chegamos a uma estrutura curricular atual, coerente com as
exigências legais e que atende a demanda regional. Para tanto, visando uma teoria que
englobe toda a estruturação acima descrita, foi definido como formato institucional o modelo
denominado BSC – Balanced Score Card.

1.2.7 Perfil do Egresso

O Curso de Jornalismo da UNIRON forma jornalistas críticos e criativos, capazes de


contribuir para o desenvolvimento e aperfeiçoamento das formas de comunicação que
respondam às demandas colocadas pela sociedade, apoiados em princípios de justiça social,
respeito às diferenças individuais e aos princípios éticos e morais. O egresso da UNIRON
apresenta o seguinte perfil:

Página 19
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

 Capacidade de criação, produção e difusão de notícias para os


meios de comunicação, bem como a busca de outras áreas do saber para
interpretação dos fatos;

 Conhecimento das diferentes linguagens midiáticas da


televisão, mídia impressa, Internet e do rádio;

 Conhecimento da realidade social, econômica, política e


cultural da sua região e país para exercer com responsabilidade o exercício do
jornalismo, de acordo com o Código de Ética dos Jornalistas e demais leis
vigentes no Brasil.

 Deve ser crítico e criativo. Utilizar o referencial teórico-prático


para analisar todas as questões que envolvem a prática jornalística, de forma
objetiva na apuração, interpretação, redação e divulgação dos fatos. No
sentido estritamente pedagógico, o egresso da Uniron aprendeu a aprender e
por isso cumpre o pré-requisito fundamental de autonomia intelectual e busca
incessante por aperfeiçoamento.

O perfil acadêmico e profissional do egresso inclui aspectos de atitudes em


atendimento às demandas da região, ao pluralismo e à diversidade cultural, em que os
conteúdos adquiridos devem assegurar o conhecimento das diversas áreas de atuação que
determinam a formação profissional generalista, humanista, crítica e reflexiva de acordo com
as seguintes competências: conhecer os processos sociais para diagnosticar e interpretar a
sociedade; conhecer as diferentes linguagens para criar materiais de comunicação; conhecer
instrumental teórico-prático para desenvolvimento da atividade profissional.
Este profissional tem como área de atuação: veículos de comunicação (emissoras de
televisão e de rádio, jornais, revistas, sites e blogs); departamentos de imprensa de empresas
comerciais e públicas, sindicatos, governos e organizações não-governamentais; agências de
notícias; Nestes ambientes poderá desenvolver várias funções, como: Editor-Chefe; Editor de
Jornalismo; Coordenador de Pauta; Produtor; Revisor; Coordenador de Imagens; Editor;
Coordenador de Pesquisa; Redator; Repórter; Comentarista; Editor de Opinião; Repórter-
fotográfico; Repórter-cinematográfico; Diagramador; Assessor de Comunicação; Ilustrador;
Editor de Conteúdo; Locutor.
O egresso da UNIRON deverá possuir habilidades procedimentais (capacidade de
análise, interpretação, comunicação, criatividade, inovação, gestão, raciocínio lógico,
argumentação, relacionamento interpessoal) e atitudinais (pró-atividade, compromisso,
liderança, responsabilidade, ética, capacidade de tomada de decisão, planejamento). Dessa
forma, tem facilitada sua inserção no mercado local conforme pesquisa realizada.
De 2008 a 2011 foram formados 82 jornalistas. Deste total 58 trabalham na área em
redações ou assessorias. Um percentual de mais de 70%. Entre os que trabalham 28,0% estão

Página 20
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

em assessorias públicas e privadas. 14,63% estão na TV Rondônia, afiliada da Rede Globo no


Estado, 7,31% na TV Candelária, afiliada Record, 6,0 % estão no jornal impresso Estadão do
Norte e 6,0% na emissora de rádio Caiari.
A partir destes números podemos considerar que os profissionais formados pela
instituição formam a maioria dos jornalistas nos principais veículos do estado, haja vista, que
de acordo com pesquisas do Ibope a TVRO detém a maior audiência entre as emissoras de
televisão; o Estadão mantém, de acordo com o IVC (Instituto de Verificação de Circulação)
IVC, a maior tiragem em Rondônia e a rádio Caiari é tradicionalmente a principal emissora de
radiojornalismo no Estado.
Também podemos constatar que a mídia que mais recruta jornalistas formados pela
Uniron é a TV com 25,60%. Depois vem o Impresso com 7,31% seguido pelo Rádio com 6,09%
e com apenas um equivalente a 1,21%, está na web. Importante lembrar que a assessoria
contrata 28,0% dos profissionais e a pesquisa científica outros 2,43%.
As atribuições destes profissionais, após quase dois anos de conclusão do curso,
também chama atenção. Os principais cargos como gerente de jornalismo e editor chefe,
respectivamente, da TVRO e do Estadão, são oriundos de turmas formadas pela Uniron, assim
como, editores e apresentadores de telejornais da Rede Globo, da Rede Record e de
programas da rádio Caiari.
Entre os assessores também é nítida a contribuição da instituição de ensino, pois os
profissionais estão espalhados pelas principais empresas de assessoria do estado, assim
como, compõem importantes assessorias públicas do estado como a prefeitura de Porto Velho,
do Governo do Estado, Assembleia Legislativa de Rondônia e de Tribunais de Justiça. A
inserção dos profissionais só não é maior pela falta de fiscalização do Sindicato dos Jornalistas
junto a empresas e órgãos públicos com a manutenção de redatores e assessores sem
formação adequada.
Entre os demais formados que trabalham na área, seis estão na TV Candelária
(Record), dois trabalham em outras emissoras de televisão, um compõe a equipe de jornalistas
do principal portal de Noticias do Estado Rondoniaovivo e outro se dedica a pesquisa e na
publicação de livros sobre o tema.
No período da pesquisa entre os 29,26% o equivalente a 24 pessoas que não
trabalham na área, quatro estão desempregadas, cinco não foram contatadas, uma está
aposentada e as outras 14 trabalham em outras áreas como empresários e servidores
públicos. A pesquisa levou em consideração o total de 82 alunos, formados a partir de 2008/02.

Levantamento dos egressos da UNIRON

Assessorias (23)
Adriana Mesquita (Sejus), Alberto Alves (TRT), Daiana Aparecida (Odebrecht), Giceli
Soupinski (Comunica), Quetila Ruiz (PT), Rosiane Vargas (PT – Fátima Cleide), Aline

Página 21
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Medeiros, Bruna Sardinha (Centro de Defesa da Criança e do Adolescente), Elaine dos Santos
(SEDAM), Helen Esteves (Seduc), Judite Oliveira (assessoria Júlio), Juliana Mascarenhas
(Faculdade São Lucas), Laila Luana (Faculdade São Lucas), Marcos Paulo (Jirau), Maria
Antonia (Sedam), Maria do Carmo (Associação de Produtores de Flores), Dalila Nogueira
(Porto Velho Shopping), Vania Beatriz (Embrapa), Négia Dandara (prefeitura), Geovani Berno
(Assembleia Legislativa de Rondônia), Marcos Antônio Gutzmacher (Eficaz), Cinthia Caldeira
Nogueira (Ulbra), André Souza Munhoz.

TVRO (12)
Ana Lídia, Almino Alves de Melo, Emanuela Palma, Laelho Barroso da Silva, Silas
Barbosa da Paixão, Roberto Dummer, Nonato Neves, Marcelo Winter, Juliana Chalita, Leiliane
Ribeiro (Leile), Milton Sérgio e José Gadelha.

Estadão do Norte (5)


Paulo Ricardo, Larissa Moreira, Zacarias de Souza, Antonio Francisco (Tony Francis)
Karlinni Porphirio (trabalha do TCE, mas escreve artigos),

Diário da Amazônia (1)


Vanessa Queiroz de Moura.

Caiari (5)
Arian Oliveira, João Matias, Luiz Sérgio, Cristiane Lopes e Taís de Souza Leite.

TV Candelária (Record) (6)


Renata Beccária, José Augusto, Luana Najara Aben Athar Silva, Geiberllanny
Fernandes de Lima Matos e Sângela Maria de Oliveira Silva.

TVs (2)
Nilton César (TV – Mossoró/RN), Emili Souza (Shop-Tour)

TV Amazon Sat (1)


Marina Espíndola de Souza

Rondoniaovivo (1)
Luiz Alves

Pesquisa (2)
José Monteiro, Claudia Ferreira da Costa (IBGE).

Página 22
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Desempregados (tem vontade de atuar na área) (4)


Danuzia Gomes, Dayany Gomes, Ronaldo Inácio (contador Imma), Thaina Aleide da
Silva Rodrigues.

Sem contato (5)


Monique Joner, Vanessa Kassandra, Cleber da Silva, Vera Lúcia Barreto e Políana
Silvestríni Zaníni.

Aposentado (1)
Vivaldo Garcia

Outras áreas (14)


Francisco Gilson (TRE), Paulo Bertoleza (Farmácia), Rosa Maria (Empresária), Cíntia
Cristina, Francisco de Assis (Enfermagem), Jeile Tavares (Iperon), Larissa Toledo (publicitária),
Luciano Menezes (artista plástico), Luana Baraúna (empresária), Taísa Silva Marinho
(empresária), Ludnéa de Oliveira Corrêa Lima (empresária), Gleiciane Meire da Silva Messias
Shockness (Comércio), Esion Geber Almeida Lacerda (Correio), Jane Carla Santana Silva.

1.2.8 Pós-graduação

A UNIRON, preocupada com a formação continuada, oferece a Pós-graduação (Lato


Sensu) em Gestão e Planejamento Estratégico de Comunicação que pretende proporcionar
uma especialização acadêmica aliada às necessidades do mercado, formando gestores em
comunicação. Estes, por sua vez, serão capacitados a gerenciar e planejar, de modo
estratégico, as ações comunicativas das organizações privadas ou órgãos públicos, além de
identificarem os problemas e tomarem decisões, a fim de determinar soluções planejadas,
otimizadas, objetivas, criativas e financeiramente viáveis.
Essa preocupação da instituição não vem de hoje, pois em 2003 foi realizado o
primeiro curso de pós-graduação voltado aos interesses da área da comunicação social,
contando com a participação de alguns dos mais experientes e renomados professores do
Brasil. Intitulado Jornalismo & Mídia, a especialização ofereceu ao público acadêmico a
oportunidade de possuir uma titulação lato sensu que objetivou a renovação intelectual dos
profissionais da região norte, bem como a capacitação docente de todos alunos, tanto que
alguns egressos do curso hoje são professores nas universidades do Norte do país.

Página 23
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

1.2.9 Número de Vagas

Semestralmente são oferecidas 25 (vinte e cinco) vagas, totalizando 50 vagas totais


anuais para a habilitação Jornalismo, no turno noturno, com reconhecimento do MEC Portaria
nº 266, de 19 de julho de 2011, pelo Decreto nº 7.480, de 16 de maio de 2011, tendo em vista o
Decreto nº 5.773, de 9 de maio de 2006, e suas alterações, e a Portaria Normativa nº 40, de 12
de dezembro de 2007, republicada em 29 de dezembro de 2010, do Ministério da Educação.

1.3 Conteúdos curriculares

Com o objetivo de formar um profissional embasado em conhecimentos teórico-


práticos, científicos e atuais, o curso adotou um currículo que responde estas necessidades
com disciplinas de acordo com as Diretrizes Curriculares do curso de Comunicação Social
(Parecer CNE/CES n.ºs 492/2001 e 1.363/2001), são dois tópicos de estudo. Os Conteúdos
Básicos, caracterizadores da formação geral e os Conteúdos Específicos, definidores da oferta
institucional como Curso, perfazendo um total de 2.700 horas, integralizadas num tempo
mínimo de 4 anos.
Os Conteúdos Básicos representam o plano geral da Comunicação e os espaços
específicos da habilitação, envolvendo conhecimentos teóricos, práticos e reflexões aplicadas
ao campo comunicacional: conteúdos teórico-conceituais desenvolvem o registro dos diversos
conhecimentos do saber, familiarizando conceitos e teorias, com vista à interpretação da
realidade; conteúdos analíticos e informativos da atualidade propiciam a proximidade com a
matéria-prima dos profissionais, que é a compreensão dos fatos; conteúdos de linguagens,
técnicas e tecnologias midiáticas oferecem o domínio dos processos comunicacionais,
assegurando uma reflexão rigorosa de suas aplicações e uma experimentação constante de
novas formas da tecnologia; conteúdos ético-políticos permitem o posicionamento profissional
coerente ao exercício do poder da Comunicação, dos constrangimentos, das repercussões e
das necessidades da sociedade contemporânea diante da mídia, fortalecendo, assim, a
cidadania e a pluralidade de seus agentes.
Os Conteúdos Específicos representam a proposta institucional para a reflexão das
práticas gerais e específicas dos perfis, competências e habilidades, segundo disciplinas,
atividades e suas articulações.

Carga Horária Total: 2700 horas


Carga Horária das disciplinas: 2250 horas
Atividades Complementares: 450 horas
Todas as disciplinas com carga horária: 60 h

Página 24
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Exceção de:
Disciplinas optativas: Libras ou Tópicos Especiais em Comunicação – 30h
Trabalho de Curso I: 180 h
Trabalho de Curso II: 120 h

A definição do currículo do curso teve como base o perfil desejado do egresso. As


disciplinas e seus conteúdos são resultados desta discussão, e perfeitamente alinhados com
as competências e habilidades desejadas para a formação do profissional em questão. Assim,
foram elencadas as habilidades e competências necessárias para cada área de conhecimento,
conforme apresentado no BSC – Balanced Score Card, a seguir. Para atingir tais objetivos são
trabalhados três eixos temáticos:
 Comunicação e Sociedade (600 horas, 22,22% da carga horária) – Para atuar
nos processos de reflexão da dinâmica social e suas influências nos modos de
comunicação da sociedade. Competências: Conhecer os processos sociais para
diagnosticar e interpretar a sociedade; Habilidades: Criticidade, Ética, Compreensão,
Raciocínio lógico, Análise, Síntese, Interpretação e Relações Interpessoais.
Com as disciplinas: Humanidades I - Homem, Cultura e Sociedade;
Humanidades II - Ética, Política e Sociedade; Teorias da Comunicação I; Teorias da
Comunicação II; Economia; Psicologia Aplicada à Comunicação; Legislação e Ética da
Comunicação; Estudos do Contemporâneo; Realidade Regional em Comunicação;
Realidade Sócio-econômica e Política Brasileira.
 Comunicação e Linguagens (600 horas, 22,22% da carga horária) - Atuar na
divulgação e adequação das formas de linguagem aos diferentes suportes comunicacionais;
Competências: Conhecer as diferentes linguagens para criar, orientar e julgar materiais de
comunicação; Habilidades: Comunicação, Compreensão, Criatividade, Domínio do
ferramental técnico, Argumentação, Análise / Síntese, Solução de Problemas, Relação
Interpessoal, Ética e Planejamento;
Com as disciplinas: Língua Portuguesa; Técnicas e Gêneros Jornalísticos I;
Computação Gráfica; Planejamento Visual; Fotografia; Radiojornalismo I; Telejornalismo I;
Trabalho de Curso – Parte Teórica.
 Práticas e Técnicas Jornalísticas (1020 horas, 37,78% da carga horária) –
Atuar no trabalho de criação, produção, planejamento, execução e administração de
campanhas de comunicação; Competências: Conhecer instrumental teórico-prático para
desenvolvimento da atividade profissional. Habilidades: Comunicação, Raciocínio Lógico,
Pontualidade, Análise/ Síntese, Argumentação, Capacidade de Julgamento, Trabalho em
Equipe, Relação Interpessoal e Ética;
Com as disciplinas: Sistemas de Comunicação Brasileira; Comunicação
Comparada; Assessoria de Imprensa e Comunicação Integrada; Técnicas e Gêneros
Jornalísticos II; Fotojornalismo; Técnicas de Reportagem e Entrevista; Planejamento

Página 25
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Gráfico; Webjornalismo; Jornalismo Impresso Aplicado; Jornalismo Especializado;


Radiojornalismo II; Telejornalismo II; Pesquisa em Comunicação; Produção Audiovisual;
Produção Mulitmídia; Trabalho de Curso – Parte Prática.

 Disciplina Optativa: LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais ou Tópicos Especiais


em Comunicação (30 horas, 1,11% da carga horária).

 Atividades Complementares (450 horas, 16,66% da carga horária): Estudos


Dirigidos e Atividades independentes.

O perfil do profissional que se pretende formar une a liberdade de atuação


resultante de uma mente crítica, inovadora e criativa, aos conhecimentos específicos dos
sistemas de produção e difusão comunicacionais. O currículo do curso propõe atividades
pedagógicas visando desenvolver no aluno a capacidade de perceber, interpretar e interagir
com os meios de produção de produtos comunicacionais e prepará-lo para o desenvolvimento
e difusão de seu trabalho.

1.3.1 BSC Gerador

Com base nas definições anteriores, chegou-se ao BSC Gerador, um quadro que
apresenta o perfil do curso, as áreas de atuação, com seus respectivos perfis, habilidades e
competências,e as áreas do conhecimento que devem ser abordadas para se chegar ao perfil
desejado. A partir deste ponto foram definidos os conteúdos e as disciplinas que geraram a
matriz curricular.
Esta discussão vem sendo desenvolvida dentro desta metodologia há quatro anos, e
houve uma evolução na estrutura curricular. Os ajustes foram sendo feitos até o modelo que se
apresenta atualmente. Abaixo pode ser visualizado o BSC gerador, que apresenta
sinteticamente o processo descrito anteriormente para gerar a matriz curricular:

Comunicação Social Jornalismo

Perfil
Atuar na criação, produção e distribuição de conteúdo no âmbito dos meios de comunicação,
com a compreensão integrada da dinâmica de diversas modalidades comunicacionais e de
suas relações com os seus processos sociais originários e decorrentes.

Área de Atuação Área de Atuação Área de Atuação

Página 26
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Comunicação e Sociedade Comunicação e Linguagens Práticas e técnicas jornalísticas

Atuar nos processos de reflexão Atuar na divulgação e Atuar na codificação de


da dinâmica social e suas adequação das formas de informações nos padrões
influências nos modos de linguagem aos diferentes jornalísticos e aplicá-los aos
comunicação da sociedade suportes comunicacionais diferentes meios.

Competências Competências Competências

Conhecer os processos sociais Conhecer as diferentes Conhecer instrumental teórico-


para diagnosticar e interpretar a linguagens para criar, orientar e prático para desenvolvimento da
sociedade julgar materiais de comunicação atividade profissional.

Habilidades Habilidades Habilidades

Criticidade Ética Comunicação Comunicação


Compreensão Compreensão Raciocínio Lógico
Raciocínio lógico Criatividade Pontualidade
Análise Domínio do ferramental técnico Análise/ Síntese
Síntese Argumentação Análise Argumentação
Interpretação / Síntese Solução de Capacidade de Julgamento
Relações Interpessoais Problemas Relação Trabalho em Equipe
Interpessoal Ética Relação Interpessoal
Planejamento Ética

Área de Conhecimento Área de Conhecimento Área de Conhecimento


Ético-filosófico Linguagens Práticas Jornalísticas

Humanidades I e II Língua Portuguesa Sistema de Comunicação


Brasileira
Psicologia Computação Gráfica Comunicação Comparada
Realidade Sócio-Econômica e Fotografia Técnicas e Gêneros Jornalísticos
Política Brasileira II
Realidade Regional em Radiojornalismo I Técnicas de Reportagem e
Comunicação entrevista
Economia Planejamento Visual Jornalismo Especializado
Teorias da Comunicação I e II Telejornalismo I Assessoria de Imprensa e
Comunicação Integrada
Legislação e Ética da Técnicas e Gêneros Fotojornalismo
Comunicação Jornalísticos I
Estudos do Contemporâneo Trabalho de Curso I Webjornalismo

Página 27
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Radiojornalismo II
Planejamento Gráfico
Telejornalismo II
Pesquisa em Comunicação
Jornal Impresso Aplicado
Produção Audiovisual
Produção Multimídia
Trabalho de Curso II

1.3.2 Grade Curricular do curso de Comunicação Social: Jornalismo

1º Semestre
DISCIPLINA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA
TEÓRICA PRÁTICA COMPLEMENTAR
1438 Sistemas de Comunicação 60 0 0
Brasileira
2053 Computação Gráfica 0 60 0
2055 Humanidades I 60 0 0
1396 Língua Portuguesa 60 0 0
1440 Comunicação Comparada 60 0 0
1400 E.D.1 0 0 46
TOTAL 240 60 46
TOTAL GERAL 346

2º Semestre
DISCIPLINA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA
TEÓRICA PRÁTICA COMPLEMENTAR
1414 Teoria da Comunicação I 60 0 0
2111 Humanidades II 60 0 0
2066 Psicologia Aplicada à 60 0 0
Comunicação
2068 Fotografia 0 60 0
1443 Técnicas e Gêneros 60 0 0
Jornalísticos I
2070 Estudos Dirigidos II 0 0 46
TOTAL 240 60 46
TOTAL GERAL 346

Página 28
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

3º Semestre
DISCIPLINA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA
TEÓRICA PRÁTICA COMPLEMENTAR
1444 Teorias da Comunicação II 60 0 0
1445 Assessoria de Imprensa e 60 0 0
Comunicação Integrada
2077 Planejamento Visual 30 30 0
2079 Fotojornalismo 0 60 0
1446 Técnicas e Gêneros 60 0 0
Jornalísticos II
2081 Estudos Dirigidos III 0 0 46
TOTAL 210 90 46
TOTAL GERAL 346

4º Semestre
DISCIPLINA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA
TEÓRICA PRÁTICA COMPLEMENTAR
2083 Radiojornalismo I 30 30 0
2084 Técnica de Reportagem e 30 30 0
Entrevista
2086 Webjornalismo 0 60 0
2088 Jornalismo Especializado 60 0 0
1452 Estudos do Contemporâneo 60 0 0
3622 Atividades em Rede 4 0 0 46
TOTAL 180 120 46
TOTAL GERAL 346

5º Semestre
DISCIPLINA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA
TEÓRICA PRÁTICA COMPLEMENTAR
2093 Radiojornalismo II 30 30 0
2092 Telejornalismo I 30 30 0
1469 Realidade Regional em 60 0 0
Comunicação
1456 Economia 60 0 0
2973 Legislação e Ética da 60 0 0
Comunicação
3623 Atividades em Rede 5 0 0 46

Página 29
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

TOTAL 240 60 46
TOTAL GERAL 346

6º Semestre
DISCIPLINA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA CARGA
TEÓRICA PRÁTICA HORÁRIA
COMPLEMENTAR
2099 Telejornalismo II 0 60 0
1461 Pesquisa em Comunicação 60 0 0
1455 Planejamento Gráfico 60 0 0
1464 Realidade Sócio- 60 0 0
Econômica e Política Brasileira
2100 Jornalismo Impresso 0 60 0
Aplicado
3624 Atividades em Rede 6 0 0 46
TOTAL 180 120 46
TOTAL GERAL 346

7º Semestre
DISCIPLINA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA CARGA
TEÓRICA PRÁTICA HORÁRIA
COMPLEMENTAR
1468 Trabalho de Curso I 0 180 0
2102 Produção Audiovisual 0 60 0
2500 Optativa: LIBRAS ou 30 0 0
Tópicos Especiais em
Comunicação
3625 Atividades em Rede 7 0 0 46
TOTAL 30 240 46
TOTAL GERAL 316

8º Semestre
DISCIPLINA CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA CARGA
TEÓRICA PRÁTICA HORÁRIA
COMPLEMENTAR
1471 Trabalho de Curso II 0 120 0
2104 Produção Multimídia 0 60 0
3626 Atividades em Rede 8 0 0 46

Página 30
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

TOTAL 0 180 46
TOTAL GERAL 226

RESUMO CARGA HORÁRIA TEÓRICA: 1320


RESUMO CARGA HORÁRIA PRÁTICA: 930
ATIVIDADES COMPLEMENTARES: 368
ATIVIDADE COMPLEMENTAR (ESTUDO INDEPENDENTE): 82

1.3.3 Ementário das Disciplinas

I SEMESTRE

Sistemas de Comunicação Brasileira

Ementa: Análise dos sistemas de comunicação; formação e desenvolvimentos dos


sistemas brasileiros de comunicação.

Objetivo: Demonstrar como ocorreu a formação dos grupos de mídia do país e do


padrão hegemônico de poder que exercem na sociedade brasileira, além de mostrar
como as novas tecnologias disponíveis poderão alterar o quadro atual.

Bibliografia Básica:

GOULART, Jefferson O.; DOMINGOS, Adenil Alfeu; RUBIM, Antonio Albino Canelas; et
al(Org). Mídia e Democracia. São Paulo: Annablume, 2006.
MELO, José Marques de. Jornalismo brasileiro. Porto Alegre: Sulina, 2003.
ABREU, Alzira Alves de. Mídia e política no Brasil: Jornalismo e ficção. Rio de Janeiro: F.G.V,
2003.

Bibliografia Complementar:

SODRÉ, Nelson Werneck. A História da Imprensa no Brasil. São Paulo: Editora Mauad, 1999.
WAINER, Samuel. Minha razão de viver – Memórias de um repórter. Rio de Janeiro: Record,
1989.
FAORO, Raymundo. Os donos do poder: v.1: formação do patronado político brasileiro. São
Paulo: Globo, 2000.

Página 31
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

CARNEIRO, Maria Luiza Tucci(Org). Minorias silenciadas : historia da censura no Brasil. São
Paulo: EDUSP; FAPESP, 2002
DEBRAY, Régis. Manifestos midiológicos.

Computação Gráfica

Ementa: Fundamentos do Processamento de Imagem Digital, abordando conteúdos


práticos sobre tratamento de imagens e textos, ferramentas de manipulação (softwares),
criação e editoração de layouts aplicados ao jornalismo.

Objetivo: Possibilitar ao aluno o conhecimento das ferramentas e técnicas de


tratamento de imagem digital; produção e correção de imagens no computador; os princípios
direção de arte e estética aplicadas no contexto jornalístico. Capacitar o aluno a planejar e
executar o projeto gráfico utilizando os softwares Photoshop e Indesign. O aluno terá a
habilidade de utilizar os elementos específicos da linguagem visual gráfica, elementos para
elaboração de layout e artefinal.

Bibliografia Básica:

WILLIAMS, Robin. Design para quem não é design. 3ª ed. São Paulo: Callis, 1995.
CONCI, Aura; AZEVEDO, Eduardo; LETA, Fabiana R. Computação gráfica vol.2. Rio de
Janeiro: Campus, 2008.
COX, Joyce; MORAES, Atair Caldas Dias de; TORTELLO, Joâo; et al(Org). Microsoft office
system 2007 passo a passo. Porto Alegre: Bookman, 2008.

Bibliografia Complementar:

PEDROSA , Israel. Da cor à cor inexistente. Rio de Janeiro: Leo Cristiano/UnB, 1982.
HURLBURT, Allen. Layout: o design da página imprensa. São Paulo : Nobel, 2002.
SLIC K, Beth. Word para leigos; Rio de Janeiro: Editora Berley Brasil, 1993.
BANN, David. Novo manual de produção gráfica. Porto Alegre: Bookman, 2010.
RIBEIRO, Milton. Planejamento visual gráfico. Brasília: LGE, 2003.

Humanidades I

Ementa: Desenvolvimento histórico do pensamento social. O surgimento da


sociologia. O positivismo: Augusto Comte e Durkheim. Marx e a perspectiva do materialismo

Página 32
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

histórico. O surgimento das ciências humanas. Conceitos sociológicos básicos para a área de
comunicação social.

Objetivos: Posicionar o acadêmico, sua atividade profissional e a comunicação no


contexto das ciências humanas, relacionando o indivíduo e suas práticas comunicativas com a
organização social, com a consciência coletiva, com os motivos e os sentidos que orientam
socialmente as ações, com o modo de produção da vida material , com as funções e os papéis
estruturados, para identificar a relação da cultura com a sociedade, com as classes, com as
hierarquias e as estratificações, com as instituições e com a história.

Bibliografia Básica:

ARON, Raymon. As etapas do pensamento sociológico. RJ.: Martins Fontes, 1998.


FERREIRA, Delson. Manual de sociologia: dos clássicos à sociedade da informação. São
Paulo: Atlas, 2008.
GUARESCHI, Pedrinho A. Sociologia crítica: Alternativas de mudanças. 54ª.ed.

Bibliografia Complementar:

DURKHEIM, Émile. Lições de sociologia. São Paulo: Saraiva, 2002.


LAKATOS, Eva Maria. Sociologia Geral. Atlas, São Paulo, 7ª ed. 1999.
FREUD, Sigmund. O mal-estar na civilização. Rio de Janeiro: Imago, 1997.
SOUTO, C. e SOUTO. C. (orgs.) A explicação sociológica: uma introdução à sociologia.
SP.:E.P.U., 1999.
OS CLÁSSICOS DA POLÍTICA: Burke, Kant, Hegel, Tocqueville, Stuart Mill, Marx.

Língua Portuguesa

Ementa: A comunicação/ linguagens, língua e fala/ o signo/ a leitura/ os textos/ os


gêneros/ as funções da linguagem e os textos/ as gramáticas/ noções de discurso: ideologia/ o
ensino da língua portuguesa: aplicabilidade, objetivos e reflexão.

Objetivos: Analisar, descrever e explicar, diacrônica e sincronicamente, a estrutura e


funcionamento de uma língua, em particular da língua portuguesa;
- Dominar os conteúdos teórico e descritivo, no que use refere aos componentes morfológicos
e suas implicações nos demais níveis de análise lingüística (fonético e fonológico, sintático,
semântico e pragmático), relacionado aos diversos contextos do uso da língua;
- Exercitar a elaboração de correspondência e técnica para eficácia e proficiência em situações
que exigem confecções das mesmas.

Página 33
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Bibliografia Básica:

MARTINS, Dileta Silveira. Português Instrumental: de acordo com as atuais normas da ABNT.
Porto Alegre, RS: Sagra Luzzatto, 2003.
BLIKSTEIN, Izidoro. Técnicas de comunicação escrita. 20.ed.
CAMARA JR., J. Mattoso. Manual de expressão oral e escrita.

Bibliografia Complementar:

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BOAVENTURA,E. Como ordenar as idéias. São Paulo. Àtica. 2001.


CEREJA, Willian Roberto e Thereza Magalhães. Português: Linguagens - vol.único.
Atual Editora -2ª edição - São Paulo - 2005.
AZEVEDO, Heloísa Helena S. de. Português básico: gramática, redação e texto. São Paulo:
Atlas, 1999.
VANOYE, Francis. Usos da linguagem: problemas e técnicas na produção oral e escrita. São
Paulo: Martins Fontes, 2002.

Comunicação Comparada

Ementa: Processos sociais e processos de comunicação. A relação entre


comunicação e a democracia. As políticas que determinam e condicionam o processo de
comunicação. Formas de controle da informação. Fenômenos relacionados com os produtos
da indústria cultural e sua influência nos produtos da cultura.

Objetivos: Relacionar e utilizar os conceitos básicos de comunicação e sociedade na


ação sócio-cultural da comunicação. Comparar o uso de sistemas de comunicação Criticar os
efeitos da comunicação na sociedade e avaliar as possibilidades de mudança social.

Bibliografia Básica:

FIORIN, José Luis. Linguagem e ideologia: São Paulo: Ática, 2001.


MARCONDES FILHO, Ciro. O Capital da Notícia: jornalismo como produção social de segunda
natureza. São Paulo: Ática, 1986.
DORFMAN, Ariel; MATTELART, Armand. Para ler o pato Donald : comunicação de massa e
colonialismo. 2.ed Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

Página 34
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Bibliografia Complementar:

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. São Paulo: Contraponto, 1997.


SODRÉ, Muniz . Antropologia do espelho: Uma teoria da comunicação linear e em rede.
THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de
comunicação de massa. Petrópolis-RJ: Vozes, 1995.
KELLNER, Douglas. A cultura da mídia: estudos culturais identidade e política entre o moderno
e o pós-moderno. São Paulo: Edusc, 2001.
MALDONATO, Mauro. O desafio da comunicação: caminhos e perspectivas. São Paulo: Palas
Athena, São Paulo.

II SEMESTRE

Teoria da Comunicação I

Ementa: Compreensão da comunicação como um processo; os fenômenos que


envolvem a comunicação nos dias atuais; conceitos fundamentais da comunicação. Analisar o
desenvolvimento progressivo de formulações teóricas sobre a comunicação de massa,
associando-as com os avanços tecnológicos das principais mídias contemporâneos que
interagem no mercado de produtos culturais.

Objetivos: Compreender o desenvolvimento das principais teorias da comunicação,


relacionando-as com a prática profissional e com a realidade sócio-econômica vivida.
Proporcionar referencial teórico capaz de fornecer subsídios para análise crítica dos meios de
comunicação e sua mediação com a sociedade, propiciando aos acadêmicos momentos de
reflexão acerca dos fundamentos da comunicação social e do fazer jornalístico.

Bibliografia Básica:

HOHLFELDT, Antonio; MARTINO, Luiz; FRANÇA, Vera Veiga (orgs.).Teorias da comunicação:


conceitos, escolas e tendências. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.
WOLF, Mauro. Teorias da comunicação. Rio de Janeiro: Presença, 2003.
MATTELART, Armand. História das teorias da comunicação. São Paulo: Loyola, 2005.

Página 35
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Bibliografia Complementar:

GOMES, Pedro Gilberto. Tópicos de teoria da comunicação. São Leopoldo, RS: Unisinos,
2004.
POLISTCHUK, Ilana. Teorias da comunicação: o pensamento e a prática da comunicação
social. Rio de Janeiro: Campus, 2003.
ADORNO, Theodor; HORKHEIMER, Max. A Dialética do Esclarecimento – fragmentos
filosóficos. Trad. Guido de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.
ENZENSERGER, Hans Magnus. Elementos para uma teoria dos meios de comunicação.São
Paulo: Conrad, 2003.
RUDIGER, Francisco. Introdução à teoria da comunicação: problemas, correntes e autores

Humanidades II

Ementa: Ética, política e relações interétnicas; Etnoistória Regional. Influência


histórico-social; a sociedade capitalista; a sociedade global.

Conteúdo: Ações e reflexões humanas sobre a sociedade: Ética e Política; Origens da


humanidade; Etnoistória Regional; Relações interétnicas; A estratificação social, as classes e o
poder; Os fundamentos da sociedade capitalista; A construção da sociedade global nas
dimensões: econômica, política, social e cultural; Questões étnico-sociais, família, gênero e
violência.

Bibliografia Básica:

CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 2000. GIDDENS,


Anthony. Sociologia. 4 ed. Porto Alegre: Artmed, 2005. GEERTZ, Clifford.
Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro, Zahar, 1978.

Bibliografia Complementar:

QUINTANEIRO, T (et all). Um toque de clássicos: Marx, Durkheim e Weber. 2 ed., Belo
Horizonte, UFMG, 2005.
LAPLANTINE, François. Aprender Antropologia. São Paulo: Brasiliense. 1995.
COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia. S.P. : Editora Saraiva. 1996.
DURKHEIM, Émile. Lições de sociologia. São Paulo: Saraiva, 2002.
LAKATOS, Eva Maria. Sociologia Geral. Atlas, São Paulo, 7ª ed. 1999.

Página 36
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Fotografia

Ementa: A imagem. A linguagem fotográfica. Composição, enquadramento,


iluminação. Fotografia analógica e digital. Processos de revelação e retocagem. Efeitos digitais.

Objetivos: Compreender a evolução técnica e qualitativa da produção de imagens


fotográficas e aplicar os conhecimentos na prática.

Bibliografia Básica:

KUBRUSLY, Claudio Araujo. Que e fotografia, O . Sao Paulo: Brasiliense, 2006.

BUSSELLE, Michael. Tudo sobre fotografia . 7.ed Sao Paulo: Pioneira, 1996
DUBOIS, Philippe. Ato fotográfico e outros ensaios, O . 6.ed Campinas: Papirus, 2004

Bibliografia Complementar:

DONDIS, D. A. Sintaxe da linguagem visual. São Paulo: Martins Fontes, 2007.


HEDGECOE, John. Guia completo de fotografia: a técnica fotográfica explicada passo a passo
em mais de 400 fotografias e ilustrações em cores. 1.ed
MATOS, Luis(Org). Desvendando a fotografia digital. São Paulo: Digerati, 2004
ALVARENGA, André Luiz de. A arte da fotografia digital: explorando técnicas com o photoshop
cs. Rio de Janeiro: Moderna, 2005.
BARTHES, Roland. Câmara clara, A: nota sobre a fotografia

Técnicas e Gêneros Jornalísticos I

Ementa: A linguagem jornalística. Técnicas de redação jornalística. O assunto.


Regras básicas. Lead, sub-lead, texto corrido. Estilo. Manuais de estilo.

Objetivos: Possibilitar ao aluno o conhecimento das peculiaridades do texto jornalístico


em suas diversas manifestações.

Bibliografia Básica:

ERBOLATO, Mario L.. Técnicas de codificação em jornalismo : redação, captação e edição no


jornal diário. São Paulo: Ática, 2001.
PLATÃO, Francisco, FIORIN José. Para entender o texto. São Paulo: Ática, 2001.

Página 37
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

LAGE, Nilson. Linguagem jornalística . 3.ed Sao Paulo : Ática, 2001.

Bibliografia Complementar:

ASSUNPÇÃO, Maria Helena Ortiz, BOCCHINI, Maria Otilia. Para escrever bem. São Paulo:
Manole, 2002.
BOAVENTURA,E. Como ordenar as idéias. São Paulo. Ática. 2001.
SODRÉ, Muniz; FERRARI, Maria Helena. Técnica de reportagem: notas sobre a narrativa
jornalística. São Paulo: Summus, 1986.

GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna: aprenda a escrever, aprendendo a


pensar. Rio de Janeiro: F.G.V, 2001.
SERAFIN, Maria Teresa. Como escrever textos. São Paulo: Globo, 2000.

III SEMESTRE

Teorias da Comunicação II

Ementa: A comunicação e a Sociedade; Reflexo das teorias das escolas de


comunicação nos anos 80 e 90; Comunicação e Semiótica; O discurso através da imagem e do
texto; O poder da comunicação; A força dos meios e a sociedade mediática; A cultura da
informação e o consumo da notícia; Aspectos comunicacionais no jornalismo.

Objetivo: Os diversos referenciais teóricos aplicados à comunicação. Abordagens


contemporâneas da comunicação. Comunicação, cultura e consumo. Imaginário social e
subjetividade. Simulacro e pós-modernidade. A sociedade do espetáculo e a estetização da
realidade. Novas tecnologias, comunicação e globalização.

Bibliografia Básica:

THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de
comunicação de massa. Petrópolis-RJ: Vozes, 2009.
SANTAELLA, Lucia. A teoria geral dos signos: como as linguagens significam as coisas.
MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia.

Bibliografia Complementar:

COELH, Teixeira. O que é Indústria Cultural. São Paulo: Brasiliense, 1998

Página 38
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

LIMA, Luis C. teoria da Cultura de Massa. São Paulo: Paz e Terra, 2002
BELTRÃO, Luiz. Subsídios para uma teoria da comunicação de massa.
DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro:
Contraponto, 1997
MCLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação: como extensões do homem. São Paulo:
Cultrix, 1998.

Assessoria de Imprensa e Comunicação Integrada

Ementa: Assessoria de Imprensa e formação de opinião em prol das grandes


organizações. Assessoria a empresas e assessoria a pessoas. As assessorias e os serviços
prestados à comunidade. A estrutura de uma assessoria. Objetivos das Assessorias de
Imprensa. As coletivas de Imprensa. Produtos e Serviços de assessoria de imprensa. O
controle de informações. Prática laboratorial.

Objetivos: Fornecer noções básicas e elementares para a apuração de informações e


produção de textos noticiosos e interpretativos pela Assessoria de Imprensa de corporações
públicas ou privadas ou de personalidades; Preparar, nos planos conceitual, ético e técnico,
para o desempenho das tarefas práticas nas disciplinas de conteúdo técnico do curso;
Incentivar e desenvolver a visão crítica diante dos fatos jornalísticos sejam eles produzidos
dentro de uma redação jornalística ou de uma Assessoria de Imprensa, desde a coleta de
informações até o texto final. Incentivar a ampliação do universo cognitivo.

Bibliografia Básica:

CARVALHO, Claudia; REIS, Léa Maria Aarão; et al(Org). Manual prático de assessoria de
imprensa. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.
EID, Marco Antônio de Carvalho. Entre o poder e a mídia: assessoria de imprensa no governo.
1ª ed.
CHINEM, Rivaldo. Assessoria de imprensa: como fazer. São Paulo: Summus, 2003.

Bibliografia Complementar

DINES, Alberto. O Papel do Jornal: uma releitura. São Paulo: Summus Editorial, 1986.
SODRÉ, Nelson W. A História da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 1999.
KOPPLIN, Elisa e FERRARETTO, Luiz A. Assessoria de Imprensa; Teoria e Prática. Porto
Alegre, Sagra-DC Luzzatto Editores, 2001.
CARVALHO, Claudia; REIS, Léa Maria Aarão; et al(Org). Manual prático de assessoria de
imprensa. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

Página 39
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

KARAM, Francisco José. Jornalismo, ética e liberdade. São Paulo: Summus, 1997.

Planejamento Visual

Ementa: Relação entre palavras e sistemas gráficos. Estética, volume, equilíbrio, luz,
forma e movimento. Cores nas artes gráficas. O papel nas artes gráficas. Diagramação e
editoração eletrônica. Processos de produção de sentido a partir de imagens e layouts.
Abordagem estética para novas tecnologias. Técnicas para layouts de hipertexto.

Objetivos: Fornecer noções de editoração gráfica, aplicados a produtos editoriais.

Bibliografia Básica:

DONDIS, Donis A. Sintaxe de Linguagem Visual. Ed. Martins Fontes, 2007.


MUNARI, Bruno. Design e Comunicação Visual: contribuição para uma metodologia didática.
São Paulo: Martins Fontes, 2001.
BAER, Lorenzo. Produção gráfica. São Paulo: Senac, 2002.

Bibliografia Complementar:

FERRARA, Lucrucia D’alessio. Leitura sem palavra. Ed. Ática, 1997.


WILLIAMS, R. Design para quem não e designer: noções básicas de planejamento visual. 3
ed. Sao Paulo: Callis, 1995.
COLLARO, Antônio Celso. Produção gráfica: arte e técnica da mídia imprensa. São Paulo:
Pearson Prentice Hall, 2007.
FARINA, Modesto ; PEREZ, Clotilde; BASTOS, Dorinho. Psicodinâmica das cores em
comunicação. São Paulo: Blucher, 2001.
BANN, David. Novo manual de produção gráfica. Porto Alegre: Bookman, 2010.

Fotojornalismo

Ementa: Os princípios da fotografia. A utilização da imagem como mensagem. A


imagem enquanto notícia. O enquadramento da notícia. A composição. Elementos que
compõem a fotografia jornalística. Leitura fotográfica sob a ótica do jornalismo. Produção
fotográfica eventos jornalísticos. Relacionamento do repórter fotográfico com o fato e o veículo.
Princípios éticos da Fotojornalismo.

Página 40
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Objetivo: Aprofundar o conhecimento das técnicas fotográficas para aplicação


jornalística. Prática do fotojornalismo e análise de imagens fotojornalísticas.

Bibliografia Básica:

SOUZA, Jorge Pedro. Fotojornalismo. Uma Introdução à história, às técnicas e à linguagem da


fotografia impressa. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2004.

LIMA, Ivan. Fotojornalismo Brasileiro: realidade e linguagem. Rio de Janeiro: Fotografia


Brasileira, 1989.
BENTES, Duda - "Fotojornalismo: a fotografia como expressão técno-imaginária", in:
Comunicação: discursos, práticas e tendências. Brasília, Uniceub, 2001.

Bibliografia Complementar:

OLIVEIRA, Erivam Moraes de; VICENTINI, Ari. Fotojornalismo: uma viagem entre o analógico e
o digital. São Paulo: Cengage learning, 2009.
AUMONT, Jacques. A imagem. Campinas: Papirus, 1993.
MATOS, Luis(Org). Desvendando a fotografia digital. São Paulo: Digerati, 2004
DUBOIS, Philippe. O ato fotográfico e outros ensaios. Campinas - SP: Papirus, 2004.
EISENSTEIN, Sergei. A forma do filme. Rio de Janeiro : Jorge Zahar, 2002.

Técnicas e Gêneros Jornalísticos II

Ementa: A linguagem jornalística. Técnicas de redação jornalística. O assunto.


Regras básicas. Lead. Sub-lead, texto corrido. Estilo. Manual de estilo.

Objetivo: Proporcionar um aprofundamento no estudo e na compreensão do jornalismo,


enquanto discurso com características particulares; conceituar e discutir os gêneros desse
discurso, a partir de uma visão pragmática; exercitar técnicas de estruturação das várias
espécies de textos jornalísticos.

Bibliografia Básica:

LAGE, Nilson. A reportagem. Rio de Janeiro: Record, 2004


MEDINA, Cremilda. Notícia um produto à venda. São Paulo: Summus.1988.
ASSUMPÇÃO, Maria Helena Ortiz e BOCCHINI, Maria Otília. Para escrever bem. São Paulo:
Manole, 2002.

Página 41
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Bibliografia Complementar:

Calvino, Ítalo. O Visconde partido ao meio. São Paulo: Companhia das Letras, 2010
.COIMBRA, Osvaldo. O texto da reportagem imprensa: um curso sobre sua estrutura. São
Paulo: Ática, 1993.
KOTSCHO, Ricardo. A prática da reportagem. São Paulo: Ática, 2000.

RODRIGUES, Jacira Werle. Reportagem impressa, estilo e manuais de redação: A construção


da autoria nos textos do Jornalismo diário. Santa Maria: FACOS - UFSM, 2003.
Orwell, George. A Revolução dos Bichos, São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

IV SEMESTRE

Radiojornalismo I

Ementa: História do radiojornalismo no Brasil e em Rondônia. Técnicas de produção


de jornalismo de rádio.

Objetivos: Disponibilizar aos futuros profissionais de comunicação conteúdos teóricos e


práticos sobre o jornalismo radiofônico no país e no estado. Proporcionar conhecimento teórico
e formação técnica para o discente atuar nos diferentes segmentos do radiojornalismo.

Bibliografia Básica:

JUNG, Milton. Jornalismo de Rádio. São Paulo: Contexto, 2005.


BARBEIRO, Heródoto e Paulo Rodolfo de Lima. Manual de Radiojornalismo. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2003.
FERRARETTO, Luiz Artur. Rádio: o veículo, a história e a técnica. São Paulo: Sagra, 2001.

Bibliografia Complementar:

GRAMÁTICO, Dáurea. História de gente do rádio. São Paulo: Ibrasa, 2002.


HAUSSEN, Doris Fagundes. Rádio e política: tempos de vargas e Perón. Porto Alegre:
EDIPUCRS, 2001.
VANDERBECK. RÁDIO: a arte de falar e ouvir. São Paulo: Paulinas, 2003.
BARBOSA, André Filho. Gêneros radiofônicos: os formatos e os programas em áudio. São
Paulo: Paulinas, 2003.

Página 42
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

CYRO, César. Como falar no rádio prática de locução: AM/FM. São Paulo: Ibrasa, 2002.

Técnicas de Reportagem e Entrevista

Ementa: Técnicas de captação de informação. Pré-definição de assuntos, temas e


questões. Gravação de depoimentos. Sonoras em off. Entrevista gravada. Entrevista ao vivo.

Objetivos: Habilitar os estudantes a organizarem e executarem entrevistas com o


propósito de produzirem reportagens; habilitar os estudantes a identificar as diferentes formas
de entrevista: enquete, pingue-pongue, perfil; Discutir o caráter ético das entrevistas: a questão
do off.

Bibliografia Básica:

CAPUTO, Stela Guedes. Sobre entrevistas – Teoria, prática e experiências. Petrópolis, RJ:
Vozes, 2006.
LAGE, Nilson. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. Rio de
Janeiro: Record, 2002.
SODRÉ, Muniz e Ferrari, Maria Helena. Técnica de Reportagem: notas sobre a narrativa
jornalística. São Paulo: Summus, 1986.

Bibliografia Complementar:

KOTSCHO, Ricardo. A prática da reportagem. São Paulo: Ática, 2000.


MORAES, Fernando. Cem quilos de ouro – e outras histórias de um repórter. São Paulo:
Companhia das Letras, 2003.
COIMBRA, Osvaldo. O texto da reportagem imprensa: um curso sobre sua estrutura. São
Paulo: Ática, 1993.
ERBOLATO, Mário L. Técnicas de codificação em jornalismo: redação, captação e edição no
jornal diário. São Paulo: Ática, 2001
FORTES, Leandro. Jornalismo investigativo. São Paulo: Contexto, 2010.

Webjornalismo

Ementa: Tecnologia, redes e Internet. O real e o virtual. Hipertexto e multimídia.


Redação e design para web. O texto impresso e o texto eletrônico. Jornalismo tradicional e
jornalismo digital. A instantaneidade da matéria on-line; editoração da notícia; ferramentas
jornalísticas; noções de hardware para sistema on-line; programação visual de pages;
contagem; especialização.

Página 43
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Objetivos: Proporcionar ao aluno uma visão teórica, prática e técnica das


conseqüências da informática e da Internet na esfera do jornalismo. Capacitar o aluno à
preparação e à análise crítica de atividades e produtos jornalísticos diretamente relacionados à
Internet.

Bibliografia básica:

FERRARI, Pollyana. Jornalismo Digital. São Paulo: Contexto, 2004.


DIZARD JR., Wilson. Nova midia, A : a comunicação de massa na era da informação. Rio de
Janeiro: Jorge Zahar, 2000.
LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Loyola,
2000.

Bibliografia Complementar:

VIANNA, Ruth Penha Alves. A informatização da imprensa brasileira. São Paulo: Loyola, 1992.
PINHO, José Benedito. Jornalismo na internet: planejamento e produção. São Paulo: Summus,
2003.
SANTAELLA, Lucia. Culturas e artes do pós-humano: da cultura das midias à cibercultura. São
Paulo: Paulus, 2003.
KOCH, Ingedore G. Villaça. Desvendando os segredos do texto.
CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: a era da informação v.1. São Paulo: Paz e Terra,
2003.

Estudos do Contemporâneo

Ementa: Compreensão das designações que caracterizam o mundo contemporâneo,


bem como as reconfigurações dos espaços e identidades propostos nas na
contemporaneidade.

Objetivos: Criar um espaço efetivo de reflexão interdisciplinar, atendendo às demandas


científicas do tempo presente; Debater as atualizações críticas e conceituais sobre assuntos
próprios do período contemporâneo; Propiciar ao aluno capacidade crítica para entendimento
de um processo que conceitualmente ainda está em construção.

Página 44
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Bibliografia básica:

AUGÉ, Marc. Por uma antropologia dos mundos contemporâneos. Rio de Janeiro: Bertrand
Brasil, 1997.
HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP & A, 2006.
CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: a era da informação v.1. São Paulo: Paz e Terra,
2003.

Bibliografia Complementar:

SANTOS, Boaventura de Souza. Pela mão de Alice: O social e a política na pós-modernidade.


GIDDENS, Anthony. Política, sociologia e teoria social: encontros como o pensamento social
clássico e contemporâneo. São Paulo: UNESP, 2000.
GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: UNESP, 1991
BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade
FREUD, Sigmund. O mal-estar na civilização. Rio de Janeiro: Imago, 1997.

Jornalismo Especializado

Ementa: O assunto genérico e o assunto aprofundado. Público especializado.


Publicações segmentadas. Esportes; o futebol. Ciência, tecnologia, economia, informática,
internacional, política nacional e política regional. As fontes, a informação. Novos mercados.

Objetivos: Proporcionar referencial teórico para que os acadêmicos compreendem o


fundamento das diversas especializações e editoriais jornalísticas, suas características,
linguagens e práticas. Fornecer fundamentos teóricos e técnicos que auxiliem nos exercícios
de elaboração da notícia sobre esporte, cultura, informática, economia, política e internacional.

Bibliografia Básica:

FARIA, José Eduardo. Política e jornalismo: em busca da liberdade


MELO, José Marques de. Jornalismo brasileiro. Porto Alegre: Sulina, 2003.
CHINEM, Rivaldo. Imprensa alternativa: Jornalismo de oposição e inovação. São Paulo: Ática,
1995.

Bibliografia Complementar:

NATALI, João Batista. Jornalismo internacional. São Paulo: Contexto, 2007.


FORTES, Leandro. Jornalismo investigativo. São Paulo: Contexto, 2010.

Página 45
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

COELHO, Paulo Vinicius. Jornalismo esportivo. São Paulo: Contexto, 2009.


FERRARI, Pollyana. Jornalismo digital. São Paulo: Contexto, 2004.
CALDAS, Suely. Jornalismo econômico. São Paulo: Cultrix, 2008.

V SEMESTRE

Telejornalismo I

Ementa: Panorama histórico da televisão. Análise crítica sobre a televisão. História do


Telejornalismo. Conceito e elementos de construção da linguagem audiovisual. A redação de
textos para telejornal (a notícia, a reportagem, o script etc.). Produção de pautas e construção
de matérias. Análise de telejornais, reportagens especiais e documentários. Ética e
telejornalismo. Edição de som e imagem. Transmissões diretas e reportagens externas
gravadas. Roteiro de telejornais. noções técnicas: equipamento de externa, câmaras de
estúdio, gravação de som. Uhf e vhf. Microondas e satélite. Captação e edição digital.

Objetivos: Capacitar o aluno para elaborar entrevistas e produções jornalísticas


televisivas, com visão crítica do processo editorial e do meio televisivo.

Bibliografia Básica:

BARBEIRO, Herodoto / Lima, Paulo Rodolfo de. Manual de telejornalismo: os segredos da


noticia na TV. Rio de Janeiro, Elsevier: 2002.
PATERNOSTRO, Vera Iris. O texto na TV: manual de telejornalismo. Rio de Janeiro, Elsevier:
1999.
MARCONDES FILHO, Ciro. Televisão. São Paulo: Scipione, 1994.

Bibliografia Complementar:

BISTANE, Luciana; BACELLAR, Luciane. Jornalismo de tv. São Paulo: Contexto, 2008.
SILVA, Carlos Eduardo Lins da. Muito além do jardim botânico: um estudo sobre a audiência
do jornal nacional da globo entre trabalhadores. São Paulo, Summus: 1985.
REZENDE, Guilherme Jorge de. Telejornalismo no Brasil : um perfil editorial. São Paulo,
Summus: 2000.
MACIEL, Pedro. Guia para falar (e aparecer) bem na televisão. Porto Alegre: Sagra, 1994.
SQUIRRA, Sebastião Carlos de M. Aprender telejornalismo : produção e técnica. São Paulo,
Brasiliense: 2004.

Página 46
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Radiojornalismo II

Ementa: Técnicas de captação. Formatação de programas. Produção. Entrevistas ao


vivo. Programas esportivos. Rádio Convencional. Rádio Comunitária. Web Rádio.

Objetivo: Qualificar o discente teórica e tecnicamente para atuação nos diferentes


formatos do rádio, no contexto atual e suas tendências.

Bibliografia Básica:

JUNG, Milton. Jornalismo de Rádio. São Paulo: Contexto, 2005.


BARBEIRO, Heródoto e LIMA, Paulo Rodolfo de. Manual de Radiojornalismo. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2003.
BARBOSA, André Filho. Gêneros radiofônicos: os formatos e os programas em áudio. São
Paulo: Paulinas, 2003.

Bibliografia Complementar:

FERRARETTO, Luiz Artur. Rádio: o veículo, a história e a técnica. São Paulo: Sagra-Luzzatto,
2001.
HAUSSEN, Doris Fagundes. Rádio e politíca: tempos de vargas e Perón. Porto Alegre:
EDIPUCRS, 2001.
VANDERBECK. RÁDIO: a arte de falar e ouvir. São Paulo: Paulinas, 2003.
BARBOSA, André Filho. Gêneros radiofônicos: os formatos e os programas em áudio. São
Paulo: Paulinas, 2003.
CYRO, César. Como falar no rádio prática de locução: AM/FM. São Paulo: Ibrasa, 2002.

Economia

Ementa: As principais correntes econômicas. O sistema capitalista. A crítica ao


capital. Modelos de sistemas. O mercado. Informações econômicas. Mercado mundial.

Objetivos: Compreender o desenvolvimento das principais teorias da comunicação,


relacionando-as com a prática profissional e com a realidade sócio-econômica vivida.
Proporcionar referencial teórico capaz de fornecer subsídios para análise crítica dos meios de
comunicação e sua mediação com a sociedade, propiciando aos acadêmicos momentos de
reflexão acerca dos fundamentos da comunicação social e do fazer jornalístico.

Página 47
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Bibliografia Básica:

BRUM, J. Argemiro, Desenvolvimento Econômico Brasileiro, Editora Vozes, 2001


ROBINSON, Joan V.;EATWELL ,John. Introdução à economia. Rio de Janeiro: Livros Técnicos
e Científicos Editora S. A., 1979
MULLER, Antônio, Manual de Economia Básica, 1a ed., 2004

Bibliografia Complementar:

PEREIRA-BESSER, Luiz Carlos. Desenvolvimento e crise no Brasil : história, economia e


política de Getúlio Vargas a Lula. São Paulo: Editora 34, 2003.
WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva.
MARX, Karl. O capital. Rio de Janeiro: LTC, 1982.
MANKIW, N. Gregory. Introdução à economia: princípios de micro e macroeconomia. São
Paulo: Campus, 1999.
LACERDA, Antônio Corrêa. Impacto da Globalização na economia brasileira.

Legislação e Ética da comunicação

Ementa: Legislação jornalística; legislação em outros países; direitos do consumidor;


códigos de ética; a imparcialidade jornalística; jornalismo, sensacionalismo e show business.

Objetivos: Introduzir os alunos aos princípios da ética, sua aplicação na vida


profissional, as implicações de sua ausência, demonstrando a sua universalidade e a
impossibilidade de fragmentá-la em regiões particulares.

Bibliografia Básica:

VALLS, Alvaro . O que é ética. 5.ed. São Paulo, Brasiliense, 1994.


ANDRÉ, Alberto. Ética e códigos da comunicação social
KARAN, José Francisco. Jornalismo, Ética e Liberdade. São Paulo: Summus, 1997.

Bibliografia Complementar:

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Ética


HABERMAS, Jurgen. Consciência moral e agir comunicativo
OS CLÁSSICOS DA POLÍTICA: Burke, Kant, Hegel, Tocqueville, Stuart Mill, Marx
GOMES, Mayra Rodrigues. Ética e Jornalismo: uma cartografia dos valores. São Paulo:
Escrituras, 2002.

Página 48
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

COSTA, Caio Túlio. Ética, jornalismo e nova mídia: uma moral provisória. Rio de Janeiro: Jorge
Zahar, 2009.

Realidade Regional em Comunicação

Ementa: Características do Sistema de Comunicação Regional. Rádios e Jornais. A


primeira TV. Liberdade de Imprensa local. Independência financeira editorial. Portais. Produção
audiovisual local. Imprensa alternativa.

Objetivos: Analisar e compreender a estrutura da Comunicação Social no estado,


envolvendo aspectos históricos, culturais, políticos e econômicos de sua trajetória. Analisar e
compreender a produção, distribuição e consumo das mensagens por meio de diferentes
mídias, em distintos suportes tecnológicos; analisar o mercado de trabalho no campo da
Comunicação e do Jornalismo no estado, envolvendo as áreas de atuação tradicionais e as
possibilidades e tendências contemporâneas; analisar as possibilidades da produção
independente e das alternativas ao mercado de trabalho tradicional.

Bibliografia Básica:

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. São Paulo: DP A, 2005.


MORAES, Denis de. Globalização, Mídia e Cultura Contemporânea. Campo Grande, MS: Ed.
Letra Livre, 1997.
GÓES, Hércules. Odisséia da ocupação amazônica: Rondônia terra de migrantes história de
sucessos. Porto Velho RO: Ecoturismo, 1997.

Bibliografia Complementar:

MATTELART, Armand. A globalização da Comunicação. Bauru: Edusc, 2002.


HAMBURGER, Esther e BUCCI, Eugênio (org). A TV aos 50: criticando a televisão brasileira no
seu cinquentenário São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, 2000.
MARQUES DE MELO, José. Jornalismo brasileiro. Porto Alegre: Sulina, 2003.
THOMPSON, John B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Petrópolis, RJ:
Vozes, 2001.
TEIXEIRA, Marco Antônio Domingues. Fragmentos da história de Rondônia

VI SEMESTRE

Página 49
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Telejornalismo II

Ementa: A redação de TV. Entrevistas, técnicas de locução e gravação. Produção de


programas especiais. Produção de documentários. Produção de web programas.

Objetivos: Habilitar os estudantes a redigirem textos para a TV, vídeo, documentários,


nas suas diferentes concepções e formatos; habilitar os estudantes a realizarem os diferentes
tipos de entrevistas característica do telejornalismo; habilitar os estudantes a produzirem
matérias especiais e documentários em vídeo; treinar os estudantes para a utilização das
novas tecnologias, como a produção de programas de telejornalismo on line.

Bibliografia Básica:

BISTANE, Luciana e BACELLAR, Luciane. Jornalismo de TV. São Paulo: Contexto, 2008.
SQUIRRA, Sebastião Carlos de M. Aprender telejornalismo : produção e técnica. São Paulo,
Brasiliense: 2004.
MACIEL, Pedro. Guia para falar (e aparecer) bem na televisão. Porto Alegre: Sagra, 1994.

Bibliografia Complementar:

SODRÉ, Muniz. Futebol, teatro e televisão. In O Monopólio da Fala, função e linguagem da


televisão no Brasil. Petrópolis (RJ): vozes, 1991.
WATTS, Harris. On câmera: o curso e produção de filme e vídeo da BBC. São Paulo:
Summus, 1990.
REZENDE, Guilherme Jorge de. Telejornalismo no Brasil : um perfil editorial. São Paulo,
Summus: 2000.
MARCONDES FILHO, Ciro. Televisão. São Paulo: Scipione, 1994.
PATERNOSTRO, Vera Iris. O texto na TV: manual de telejornalismo. Rio de Janeiro, Elsevier:
1999.

Planejamento Gráfico

Ementa: Fundamentos da produção gráfica e imagem digital, abordando conteúdos


práticos sobre arte-final, ferramentas de criação (softwares e instrumentos artísticos), peças
gráficas, emprego da cor, digitalização, tratamento de imagens e estudo dos elementos para o
planejamento gráfico.

Página 50
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Objetivos: Possibilitar ao aluno o conhecimento e a produção de artes gráfica no


computador, ferramentas e técnicas de tratamento de imagem digital; os princípios direção de
arte e estética aplicadas no contexto jornalístico; Capacitar o aluno a planejar e executar o
projeto gráfico utilizando o software Indesign e Photoshop. O aluno terá a habilidade de utilizar
os elementos específicos da linguagem visual gráfica, elementos para elaboração de layout e
arte-final.

Bibliografia Básica:

BAER, Lorenzo. Produção Gráfica. São Paulo: Senac, 2002.


HURLBURT, Allen. Layout: o design da página imprensa. São Paulo : Nobel, 2002.
MUTHER, Richard; WHEELER, John D. Planejamento simplificado de layout. São Paulo:
IMAM, 2000.

Bibliografia Complementar:

RIBEIRO, Milton. Planejamento Visual Gráfico. Brasília, Linha Gráfica Editora, 1998.
SILVA, Rafael Souza. Diagramação: o planejamento visual gráfico na comunicação impressa.
São Paulo: Summus, 1985
COLLARO, Antonio Celso. Projeto gráfico: teoria e prática da diagramação.
FIDALGO, João. Diagramação com InDesign CS3. São Paulo: Érica, 2008.
WILLIAMS, R. Design para quem não e designer: noções básicas de planejamento visual. 3
ed. Sao Paulo: Callis, 1995.

Pesquisa em Comunicação

Ementas: Metodologia do trabalho científico. Teorias e métodos de investigação


científica aplicada à comunicação social. Elaboração de projeto de pesquisa em Comunicação
Social.

Objetivos: Aplicação dos conhecimentos teóricos da Comunicação na elaboração de


um projeto de pesquisa. Distinguir os critérios para a escolha de um tema de pesquisa.

Bibliografia Básica:

Página 51
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

MARCONDES FILHO, Ciro. Até que ponto,de fato, nos comunicamos? São Paulo, Ed. Paulus,
2004.
SANTAELLA, Lucia. Comunicação e Pesquisa: Projetos para Mestrado e Doutorado . São
Paulo. Hacker Editores, 2001.
LOPES, Maria Immacolata Vassallo de. Pesquisa em comunicação. São Paulo: Loyola, 2003.

Bibliografia Complementar:

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2000.
SALOMON, Delcio Vieira, Como fazer uma monografia. 9ª ed. São Paulo : Martins Fontes,
2001.

DURARTE, Jorge; BARROS, Antonio; et al(Org). Métodos e técnicas de pesquisa em


comunicação. São Paulo: Atlas, 2010.
MAZZOTTI, Alda Judith. O método nas ciências naturais e sociais: Pesquisa quantitativa e
qualitativa
TRUJILLO, Victor. Pesquisa de mercado qualitativa & quantitativa.

Realidade Sócio-Econômica e Política Brasileira

Ementas: Conceitos básicos: comunicação, jornalismo e realidade; estrutura,


conjuntura, fatos jornalísticos. A estrutura socioeconômica e política brasileira nos últimos 70
anos: mudanças, questões e problemas. A realidade brasileira contemporânea e a cobertura
dos media.

Objetivos: Proporcionar uma visão global dos problemas sociais e econômicos mais
significativos do mundo contemporâneo, com especial enfoque para o caso brasileiro sem
preterição dos condicionantes conjunturais a que estão vinculados. Tais conhecimentos
deverão possibilitar ao estudante uma compreensão ampla e estruturada do contexto onde os
fenômenos comunicação e arte se desenvolvem, permitindo ao comunicador social situá-los
sistematicamente.

Bibliografia Básica:
BRUM, J. Argemiro. Desenvolvimento Econômico Brasileiro. Petrópolis: Editora Vozes,
2000
FIORI, Luis José. Brasil no espaço. Petrópolis: Editora Vozes, 2001
WAINBERG, Jacques A. Casa-grande e senzala com Antena Parabólica: telecomunicação e o
Brasil. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2001.

Página 52
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Bibliografia Complementar:

DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.


DAMATTA, Roberto. Relativizando: uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro:
Rocco, 1987.
FAORO, Raymundo. Os donos do poder: v.1: formação do patronado político brasileiro. São
Paulo: Globo, 2000.
FAORO, Raymundo. Os donos do poder: v.2: formação do patronado político brasileiro. São
Paulo: Globo, 2000.
IANNI, Octávio. A Era do Globalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999

Jornalismo Impresso Aplicado

Ementa: Produção e edição de jornal em versão impressa. Conceitos e contextos.


Organização e método no jornalismo. Gestão em empresas de comunicação. Comunicação e
mercado editorial. Pauta. Métodos de apuração. Logística de produção e de distribuição.
Práticas de jornalismo e de produção em jornalismo.

Objetivos: Proporcionar aos alunos atividades práticas de pautas, reportagens,


cobertura de noticiário e matérias analíticas sobre temas diversos do jornalismo diário.
Reflexões sobre o fazer jornalístico e avaliação das matérias e da edição jornalística.

Bibliografia Básica:

LAGE, Nilson. Linguagem jornalística ( 5ª edição ). São Paulo: Editora Ática, 2001.
LAGE, Nilson. Estrutura da notícia ( 4ª edição ). São Paulo: Editora Ática, 2001
ERBOLATO, Mário. Técnicas de codificação em Jornalismo ( 5ª edição ). São Paulo: Editora
Ática, 2001.

Bibliografia Complementar:

NOBLAT, Ricardo. Arte de fazer um jornal diário, A . 4.ed Sao Paulo: Contexto, 2006.
FORTES, Leandro. Jornalismo investigativo. São Paulo: Contexto, 2010.
Jornal impresso: da forma ao discurso laboratório. São Paulo: Paulinas, 2003.
SOUSA, Jorge Pedro. Fotojornalismo: introdução à história, às técnicas e à linguagem da
fotografia na imprensa. Florianópolis SC: Letras Contemporâneas, 2004.
WILLIAMS, R. Design para quem não e designer: noções básicas de planejamento visual. 3
ed. Sao Paulo: Callis, 1995.

Página 53
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

VII SEMESTRE

Trabalho de Curso I

Ementa: Processo de organização dos estudos do universitário: leitura, normas da


ABNT, análise, interpretação, fichamentos, esquema, resumo, resenha, relatórios,
conhecimento, origem e desenvolvimento da ciência, métodos, elaboração de projetos de
pesquisa, estrutura dos trabalhos acadêmicos citação, monografia. Compilação teórica e
desenvolvimento de defesa teórica.

Objetivos: Apresentar ao aluno as normas e procedimentos do trabalho científico e oferecer


acompanhamento de orientador na elaboração final do trabalho de conclusão de curso.

Bibliografia Básica:

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia cientifica: ciência e


conhecimento científico: métodos científicos - teoria, hipóteses e variáveis. São Paulo: Atlas,
2008.
BARROS, Aidil Jesus Paes de. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas.
SALOMON, Delcio Vieira, Como fazer uma monografia. 9ª ed. São Paulo : Martins Fontes,
2001.

Bibliografia Complementar:

LOPES, M. I. V. Pesquisa em Comunicação. São Paulo: Loyola, 2003.


LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Técnicas de Pesquisa. São Paulo:
Atlas, 2008.
DURARTE, Jorge; BARROS, Antonio; et al(Org). Métodos e técnicas de pesquisa em
comunicação. São Paulo: Atlas, 2010.
MAZZOTTI, Alda Judith. O método nas ciências naturais e sociais: Pesquisa quantitativa e
qualitativa
TRUJILLO, Victor. Pesquisa de mercado qualitativa & quantitativa.

Produção Audiovisual

Página 54
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Ementa: Processos para produção de programas jornalísticos e culturais; elaboração


de projetos e roteiros; execução e viabilização de projetos.

Objetivos: Esta disciplina visa oferecer aos alunos conteúdos aprofundados sobre o
processo de produção audiovisual através de uma experiência prática de produção.

Bibliografia Básica:

WATTS, Harris. On camera : o curso de produção de filme e vídeo da BBC. São Paulo:
Summus, 1990
MACIEL, Pedro. Guia para falar (e aparecer) bem na televisão. Porto Alegre: Sagra, 1994.
NILCHOLS, Bill; tradição Mônica Saddy Martins. Introdução ao documentário. Campinas SP:
Papirus, 2005

Bibliografia Complementar:

MCLUHAN, Marshall. Os Meios de Comunicação: Como extensões do homem. 10 ed. São


Paulo: Cultrix, 1998.
KOTSCHO, Ricardo. A prática da reportagem. São Paulo: Ática, 2000.
RODRIGUES, Jacira Werle. Reportagem impressa, estilo e manuais de redação: A construção
da autoria nos textos do Jornalismo diário. Santa Maria: FACOS - UFSM, 2003.
VILLETE, Jerome. Cinema como prática social. São Paulo: Summus, 1997.
LAGE, Nilson. Estrutura da notícia . São Paulo: Ática, 2001.

VIII SEMESTRE

Trabalho de Curso II

Ementa: Elaboração de Plano de Comunicação e aplicação prática em empresa


jornalística com base no trabalho do TCC I

Objetivos: Essa disciplina tem como objetivo o acompanhamento do aluno por


orientador na elaboração final do trabalho de conclusão de curso.

Bibliografia Básica:

Página 55
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Técnicas de Pesquisa. São Paulo:
Atlas, 2008.
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia cientifica: ciência e
conhecimento científico: métodos científicos - teoria, hipóteses e variáveis. São Paulo: Atlas,
2008.
BARROS, Aidil Jesus Paes de. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas.

Bibliografia Complementar:

LOPES, M. I. V. Pesquisa em Comunicação. São Paulo: Loyola, 2003.


DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio; et al(Org). Métodos e técnicas de pesquisa em
comunicação. São Paulo: Atlas, 2010.
MAZZOTTI, Alda Judith. O método nas ciências naturais e sociais: Pesquisa quantitativa e
qualitativa
TRUJILLO, Victor. Pesquisa de mercado qualitativa & quantitativa.

Produção Multimídia

Ementa: Desenvolvimento de Projetos envolvendo diversos meios de comunicação


de maneira integrada.

Objetivos: Proporcionar ao acadêmico a qualificação experimental e crítica sobre


mídias eletrônicas e informáticas, focando uma perspectiva multimídia.

Bibliografia Básica:

BARBOSA, André Filho. Gêneros radiofônicos: os formatos e os programas em áudio. São


Paulo: Paulinas, 2003.
MACIEL, Pedro. Guia para falar (e aparecer) bem na televisão. Porto Alegre: Sagra, 1994.
RODRIGUES, Jacira Werle. Reportagem impressa, estilo e manuais de redação: A construção
da autoria nos textos do Jornalismo diário. Santa Maria: FACOS - UFSM,

Bibliografia Complementar:

COX, Joyce; MORAES, Atair Caldas Dias de; TORTELLO, Joâo; et al(Org). Microsoft office
system 2007 passo a passo. Porto Alegre: Bookman, 2008.
MACIEL, Pedro. Guia para falar (e aparecer) bem na televisão. Porto Alegre: Sagra, 1994.

Página 56
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

ERBOLATO, Mário. Técnicas de codificação em Jornalismo ( 5ª edição ). São Paulo: Editora


Ática, 2001.
KOTSCHO, Ricardo. A prática da reportagem. São Paulo: Ática, 2000.
FERRARI, Pollyana. Jornalismo Digital. São Paulo: Contexto, 2004.

CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS


Todas as disciplinas com carga horária: 60 h
Exceção de:
Disciplinas optativas: Libras ou Tópicos Especiais em Comunicação – 30h
Trabalho de Curso I: 180 h
Trabalho de Curso II: 120 h

1.3.4 Pré-requisitos curriculares

Disciplina Período Pré-requisito Período


Teoria da Teoria da
3º 2º
Comunicação II Comunicação I
Técnicas e Gêneros Técnicas e Gêneros
3º 2º
Jornalísticos II Jornalísticos I
Radiojornalismo II 5º Radiojornalismo I 4º
Telejornalismo II 6º Telejornalismo I 5º
Pesquisa em
Trabalho de Curso I 7º 6º
Comunicação

Trabalho de Curso II 8º 7º
Trabalho de Curso I

1.3.5 Metodologia de Ensino Aprendizagem

Estão previstas as seguintes metodologias de ensino aprendizado que serão


adotadas pelos professores nas suas respectivas disciplinas, uma vez que descritas no seu
plano de ensino que deverá ser aprovado pelo conselho do curso.
 Aulas expositivas com auxílio de quadro e projetor multimídia.
 Organização e apresentação de seminários.
 Organização e apresentação de atividades e trabalhos em grupo.
 Aprendizagem baseada em análise de estudos de caso.
 Aula prática em laboratórios de informática e especializados.

Página 57
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

 Pesquisa bibliográfica e na internet.


 Leitura e interpretação de textos.
 Elaboração e apresentação de trabalhos técnicos.
 Atividades

1.3.6 Sistema de Avaliação do Acadêmico

O sistema de avaliação do processo de ensino aprendizagem no curso de


Comunicação Social: Jornalismo é feito por disciplina, sobre a freqüência e o aproveitamento
do aluno.
A frequência de no mínimo 75% às aulas e atividades programadas, é
OBRIGATÓRIA, sob pena de reprovação por falta (§ 3º, do art. 47, da Lei das Diretrizes e
Bases de Educação Nacional (LDB) nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 e Regimento Interno
da Faculdade Interamericana de Porto Velho).
Atendida a freqüência mínima às aulas e demais atividades escolares, é APROVADO
o aluno que independente de Exame Final, obtiver nota de aproveitamento igual ou superior a
7,0 (sete) pontos em Média Semestral ((nota do 1º bimestre + nota do 2º bimestre) ÷ 2) ou, no
exame final, obtiver média aritmética igual ou superior a 5,0 (cinco) ((Média Final + Nota do
Exame) ÷ 2 ≥ 5,0 (cinco)) - se a média semestral for igual ou superior a 7,0(sete), o aluno
estará ISENTO do exame final, se a média semestral for inferior a 4,0 não é admitido que o
aluno faça exame final.
As médias são apuradas até a primeira decimal, sem arredondamento.
O EXAME FINAL é uma prova após o encerramento do semestre letivo, abrangendo
todo o conteúdo programático da disciplina.
Ao aluno que deixar de comparecer às avaliações do aproveitamento escolar é
concedida uma segunda oportunidade, desde que requerida, na Secretaria da Faculdade, no
prazo de 03 (três) dias úteis, a partir de sua aplicação, comprovado impedimento legal ou
motivo de doença, atestado por um médico.
O aluno pode solicitar revisão de avaliações de exame final, desde que requerida na
Secretaria da Faculdade, num prazo 05(cinco) dias úteis após a divulgação de notas da
disciplina.
O professor tem total liberdade de planejamento das avaliações, desde que
obedeçam as normas do projeto do curso e que esteja publicada no plano de ensino da
disciplina.

1.3.7 Flexibilidade Curricular

Página 58
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

A fim de proporcionar aos acadêmicos do curso uma flexibilidade curricular, estão


previstos os seguintes dispositivos.

1.3.8 Turma Especial

O Regimento da Faculdade Interamericana de Porto Velho – UNIRON preconiza em


seu Capítulo IV, artigo 61 que “podem ser ministradas aulas de dependência e de adaptação
de cada disciplina, em horário ou período especial, a critério da coordenadoria de cada curso”.
O oferecimento de turma especial foi regulamentado pela resolução 01/2007 do
CEPE, que encontra-se a parte deste projeto, uma cópia deste Regulamento.
Uma turma especial é uma oportunidade dada ao acadêmico de cursar uma disciplina
fora do horário normal do curso. A disciplina ministrada na turma especial tem as mesmas
características da disciplina ministrada no horário normal do curso.
A turma especial é destinada a alunos que necessitam cursar disciplinas que já
tenham cursado e reprovado anteriormente ou que estiverem com dificuldades curriculares por
transferência ou reprovação.
A decisão da oferta desse tipo de curso fica a critério de cada coordenação de curso
em consonância com as diretrizes adotadas pela Diretoria Acadêmica e Financeira da
Instituição.
Serão mantidos o plano de curso, a carga horária, e o processo de avaliação de
aprendizagem, previstos para o ensino da disciplina em período regular, bem como as
exigências de pré-requisitos.
Excepcionalmente, a critério da coordenação de curso, a turma especial poderá ser
realizada aos finais de semana, desde que não conflite com o horário das disciplinas regulares,
e respeite todas as normas definidas neste documento.

1.3.9 Disciplinas por acompanhamento

Poderão ser oferecidas disciplinas por acompanhamento quando caracterizadas as


seguintes situações:
 Disciplina de currículo em extinção, que não tenha equivalência com outra do novo
currículo ou no currículo de outro curso da IES;
 Aluno nos dois últimos semestres do curso, apto a integralização curricular para a
formatura neste prazo sendo também permitido aos cursos com ingresso anual,
quando será permitido ao longo do ano em que for concluinte.
A oferta destas disciplinas está normatizada na resolução CEPE N. 01 / 2007, que
encontra-se a parte deste projeto, uma cópia deste documento.

Página 59
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

1.4 Metodologia

Os procedimentos metodológicos que envolvem o desenvolvimento das atividades do


curso de Jornalismo aliam teoria e prática. Há a valorização da pesquisa experimental calçada
na pesquisa bibliográfica, com estímulo do aluno para esta aliança. Os métodos de ensino-
aprendizagem que também possam envolver os alunos em uma corrente prática com a
sociedade, facilitam a iminente compreensão do universo em que o egresso encontrará ao sair
da IES e enfrentar o mercado de trabalho. Por conta disso, aulas expositivas, participativas,
discursivas e as habilidades de observação do campo profissional pretendido e suas vertentes
científicas fazem-se necessárias dentro e fora de sala de aula, e principalmente nos
laboratórios do curso.
As atividades do curso são orientadas em dois sentidos paralelos, Ciência e
Cidadania, e convergentes na formação de um profissional apto a operar as ferramentas da
comunicação.
Na Ciência o curso é referência nacional na produção de conteúdo científico. Na
última edição do INTERCOM NORTE (2009), a UNIRON foi a IES que mais concorreu com
trabalhos e que, diante da qualidade, teve o maior número de premiações. Em 2010, o curso
de Comunicação Social conquistou 05 prêmios no INTERCOM NORTE. Na esfera de Trabalho
de Conclusão de Curso os resultados também são surpreendentes. O trabalho “Pacaás: Entre
o Sonho e a Realidade” foi apresentado durante a Conferência do Clima realizada em
Copenhagen na Dinamarca.
Na Cidadania o curso participa do programa “Uniron no Bairro” que executa ações
sociais em bairros periféricos da capital. Nesta atividade os acadêmicos realizam a divulgação
do evento, além de registrar todo o processo no aspecto jornalístico. Os trabalhos de conclusão
de curso também registram essa faceta social. Movimentos marginais como o “Hip Hop” e
“Literatura de Cordel”, assim como, de minorias como a Tribo Karitiana foram objetos de
estudo.
Neste sentido, as linhas mestras que devem nortear a metodologia de
ensino/aprendizagem dos cursos de Comunicação Social da UNIRON são:
- Aluno como sujeito - tornar o aluno capaz de aprender a aprender, para
reconhecer a transitoriedade do conhecimento científico e identificar as lacunas do seu
conhecimento e saber buscar ativamente informações para resolver os problemas colocados;
- Articulação teoria/prática – equilíbrio entre teoria e prática para construir
competências. A necessidade de dar respostas aos problemas colocados pela prática instiga
alunos e docentes à busca de conhecimentos;
- Diversificação dos cenários de aprendizagem - significa incluir como locus do
processo ensino-aprendizagem os vários espaços do exercício profissional;

Página 60
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

- Pesquisa integrada ao ensino - incorporar a pesquisa atitude para desenvolver a


capacidade de estabelecer o questionamento reconstrutivo como competência diária e da vida
como tal;
- Metodologias ativas para o processo ensino-aprendizagem - é priorizada a
adoção de metodologias centradas nos alunos, vistos como sujeitos do processo ensino-
aprendizagem e como cidadãos;
-Educação orientada aos problemas mais relevantes da sociedade - é
considerada realidade concreta e os reais problemas como substrato essencial para o
processo ensino-aprendizagem, como forma de possibilitar a compreensão dos múltiplos
determinantes das condições de vida, de educação, saúde e economia;

Assim, no início de cada período letivo, realizam-se reuniões com o corpo docente
para rever e definir as atividades a serem trabalhados em todas as disciplinas. Esse processo
tem momentos individuais e coletivos. Os individuais referem-se à sistematização da proposta
de trabalho de cada professor. Os momentos coletivos se caracterizam pela discussão e
análise conjunta com vistas ao atendimento da interdisciplinaridade e da integração
teoria/prática.
Interdisciplinaridade aqui entendida como o esforço de busca da visão global da
realidade, como superação do pensar simplificador e fragmentador da realidade, como forma
de admitir a ótica pluralista das concepções de ensino e estabelecer o diálogo entre as
mesmas e a realidade da Instituição para superar suas limitações.
No decorrer do semestre, tanto a coordenação do curso, como o seu colegiado
acompanharão sistematicamente o desenvolvimento do ensino e da aprendizagem, buscando
garantir o cumprimento efetivo dos conteúdos programáticos e a construção do conhecimento
tendo em vista as competências, as habilidades e atitudes previstas neste Projeto Pedagógico.

1.4.1 Pesquisa e Produção Científica

Produções envolvendo disciplinas, atividades extra-classes técnicas e participação


em congressos:
O curso de Comunicação Social: Jornalismo da Uniron dispõe de docentes que
realizam atividades em classe e extra-classe semestralmente. A participação dos acadêmicos
em projetos voltados às disciplinas dos cursos, embasados em conteúdos teóricos é reflexo do
incentivo do corpo docente e de estímulo ao discente.
Nos últimos três anos, as atividades desenvolvidas pelos acadêmicos, sob orientação
dos docentes da instituição, versam sobre a aliança teoria e prática em diversos segmentos:
comunicação para cidadania, utilização de ferramentas de comunicação, infotenimento,
planejamento de comunicação e análise comportamentais midiáticas e crítica social.

Página 61
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

A pesquisa no curso é dividida em duas vertentes: Trabalho de Conclusão de Curso,


como prática obrigatória e parte da grade curricular e projeto experimental.

1.4.2 Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Os TCCs são desenvolvidos com base em grades diferentes nos últimos quatro
anos, sendo três semestres (2008/02; 2009/01; 2009/02) praticado no último semestre do
curso; e nos últimos semestre (2010/01, 2010/02, 2011/01 e 2011/02), com base na grade com
a disposição de estudos em dois semestres, em TCC I no sétimo e TCC II, no seguinte.
Os trabalhos são desenvolvidos com orientação permanente de docentes
especializados na área temática escolhida pelo(s) acadêmico(s). As modalidades praticadas na
Uniron são Monografia, com trabalho teórico e individual; e Projeto Experimental, com o estudo
teórico e também aplicativo, com algum recurso midiático selecionado ao TCC, podendo ser
produzido por até três acadêmicos.
Os TCCs devem ser produzidos a partir de um rigor determinado pelo NDE,
embasado em documentos elaborados para o auxílio do orientador e orientando no processo.
Os documentos dispostos pela Coordenação de Cursos de Comunicação Social versam sobre
as Normas e Manual de Elaboração de TCCs personalizando, com informação sobre prazos
vigentes, normativas técnicas (ABNT), ferramentas da comunicação para aplicação em projetos
experimentais (eletrônicos e impressos), direitos e deveres de orientandos e orientadores,
modelo de pré-projetos e projetos finais, além de critérios de avaliação em duas etapas: pré-
banca e banca final.
Destacam-se entre os TCCs de Jornalismo da UNIRON os seguintes trabalhos, que
foram premiados no INTERCOM NORTE 2010 e 2011:
- Da Amazônia ao Pacífico – Documentário sobre a Rodovia Interoceânica
- Pacaás: entre o sonho e a realidade – Documentário de Educomunicação
- Revista Mais Justiça – Revista Impressa
- Livro-Reportagem dos 20 anos do Futebol Profissional de Rondônia – Livro-
reportagem
- Revoada de Mutum-Paraná – Documentário em Vídeo
O NDE está em permanente discussão para verificar a melhor forma de condução e
ensino-aprendizagem para os TCCs.
A cópia do manual de TCC encontra-se anexa a este Projeto Pedagógico.

1.4.3 Agência Experimental de Comunicação

A Agência Júnior de COMUNICAÇÃO SOCIAL DA FACULDADE INTERAMERICANA


DE PORTO VELHO – UCOM – é uma associação civil, sem fins lucrativos e com finalidades
educacionais, constituída exclusivamente por alunos de graduação do curso em questão. Atua

Página 62
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

como instrumento pedagógico com o intuito de realizar projetos e serviços que contribuam para
o desenvolvimento de Porto Velho, bem como do Estado de Rondônia e de formar profissionais
capacitados e comprometidos com esse objetivo.
Foi criada para estimular atividades práticas que se estendem à sala de aula aos
alunos dos Cursos de Comunicação Social: Jornalismo / Publicidade e Propaganda, e ao
mesmo tempo, servir como instrumento de promoção e integração entre os conhecimentos
teóricos e as práticas profissionais destes acadêmicos, levando-se em conta os princípios
didático-pedagógicos que norteiam os referidos cursos. Serve ainda como local de prática
profissional para futuras colocações no mercado.
A Agência Experimental tem acompanhamento do corpo docente que orienta os
acadêmicos nas atividades desenvolvidas. Como exemplo dos últimos trabalhos podemos citar
a assessoria de comunicação do evento Feira das Profissões em 2010, evento organizado pela
IES, a organização do “MATA-MATA”, nome dado pelos alunos à etapa de seletiva local para
escolha dos trabalhos a serem inscritos no prêmio Expocom e a organização e divulgação da
Jornada de Comunicação, evento ocorrido de 04 a 06 de maio de 2011. Esta atividade
envolveu, além de toda a organização do evento, a criação das peças: cartazes, vídeo, criação
de blog, perfil no twitter e alimentação das informações no site da UCOM sobre o evento, etc.
A título de observação, a Agência Junior de Comunicação da UNIRON era intitulada:
SINAPSE, entretanto, com as mudanças pedagógicas do curso, passou a ser chamada UCOM.

1.4.4 Trabalhos práticos

Entre todas as disciplinas ministradas nos cursos de Comunicação Social: Jornalismo


da UNIRON, os docentes têm total liberdade e estímulo para o desenvolvimento de atividades
que envolvam a prática, embasados nas teorias de cada disciplina. Entre os projetos
desenvolvidos com finalidade de publicação e com conteúdo nos últimos três anos estão:

1.4.5 Revista

A Revista Expedição foi uma atividade proposta à disciplina de Realidade Regional


em Comunicação, curso de Jornalismo, com objetivo de possibilitar aos acadêmicos, a
interpretação de aspectos socioeconômica e comunicacional, de Rondônia.
Assim, foi possível colocar em prática os conhecimentos teóricos e práticos
adquiridos, além de registrar, parte significativa da passagem de Marechal Rondon, por
Rondônia.
Produzida em 2008, pelos acadêmicos do oitavo período curso de Jornalismo, o
processo de produção da revista seguiu as seguintes etapas: pesquisa bibliográfica,
entrevistas, análise de produções audiovisuais e viagem ao município de Ji-Paraná, onde para
a realização de entrevistas.

Página 63
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Todos os textos e infográficos utilizados na revista foram produzidos pelos


acadêmicos. As fotos foram cedidas por pesquisadores regionais e obtidas através da Internet.

1.4.6 Jornal Impresso

Nas disciplinas de Planejamento Gráfico e Planejamento Visual são discutidas


habilidades para que os alunos possam desenvolver, a partir do conhecimento inicial dos
processos gráficos, o raciocínio crítico em relação ao discurso gráfico aplicado pelos veículos
de comunicação.
No decorrer do semestre são estudados os conhecimentos teóricos necessários para
avaliar e criar um projeto gráfico para um veículo de comunicação impressa. E posteriormente
os alunos desenvolvem a prática nos laboratórios de informática da faculdade. Os softwares
utilizados são: Corel Draw e Indesign. São elaborados pelos alunos jornais com todos os
elementos necessários para a produção de uma mídia impressa.
Ao finalizar a disciplina os alunos são conhecedores da teoria e de como desenvolver
um planejamento gráfico, o que amplia suas possibilidades profissionais.

1.4.7 Blog

Em Webjornalismo os acadêmicos produzem blogs como produto final da disciplina.


Destacam-se os seguintes blogs criados entre 2009 e 2010:
http://bastidoresuniron.blogspot.com/
http://quatrolados.blogspot.com/
http://culturaporto.blogspot.com/
http://www.osmegafones.blogspot.com/ (TCC)
http://www.unironprofissoes.blogspot.com/

1.4.8 Rádio

- Programetes radiofônicos cidadãos: atividades proposta à disciplina de


Radiojornalismo I – curso de Jornalismo, com temáticas sociais (cultura, saúde, educação,
política, etc) envolvimento dos acadêmicos com a comunidade da cidade. Nos projetos, são
desenvolvidas as habilidades técnicas sobre os formatos de redação/produção/transmissão
radiofônica, bem como a importância da aplicação das teorias relacionadas as características,
formatos e recepção da informação radiofônica. Os produtos são veiculados em cadeia local de
rádio para estimular a prática radiofônica com responsabilidade social.

- Documentários radiofônicos: atividades propostas à disciplina de Radiojornalismo II


– curso de Jornalismo, com participação dos acadêmicos na produção que envolva elementos

Página 64
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

de produção e investigação apuradas para jornalismo de rádio. Os produtos são veiculados em


cadeia local de rádio para estimular a prática radiofônica com responsabilidade social.

- Repórter Uniron: produção técnica de radiojornalismo, extra-classe, de grandes


reportagem diferidas, com pautas relacionadas às temáticas social, cidadania, juventude,
saúde, trabalho, direitos humanos e educação. Dois acadêmicos eram envolvidos
semestralmente para a construção do produto jornalística, com base nas teorias do rádio e
aplicações técnicas pertinentes ao veículo. A execução do material passava pelo processo de
produção de pauta, pesquisa e checagem de informações, reportagem de rua com gravação de
entrevistas, produção de texto em lauda e estruturação radiofônico, locução e edição do
produto no formato de 8 a 10 minutos. O projeto foi realizado pelas acadêmicas Vanessa
Queiroz e Marna Fonseca, do período de setembro de 2008 a junho de 2009 e veiculado
semanalmente no projeto radiofônico Sinapse Áudio Uniron, na rádio educativa Cultura
107,9FM ;

- Intervalo cultural: produção técnica de radiojornalismo, extra-classe, de boletins


informativos sobre dicas culturais, bibliografias clássicas ou contemporâneas, atividades de
lazer em Porto Velho, sinopses de filmes, e qualquer ação envolvendo cultura. Produzido por
Danilo Miranda, e depois por Assis Lopes, no período de setembro de 2008 a abril de 2009 e
veiculado semanalmente no projeto radiofônico Sinapse Áudio Uniron, na rádio educativa
Cultura 107,9FM;

- Cultura Musical: produção técnica de áudio produção, extra-classe, como


informativo de entretenimento musical. Produzido pelos acadêmicos Dandara Simão e Maurício
Vasconcelos, de setembro de 2008 a dezembro de 2008; depois somente pela acadêmica
Dandara Simão, que produzia a apresentava o quadro, com inserção ao final de cada bloco de
programação do Sinapse Áudio, com tinha duração total de 25 minutos. Atualmente o produto é
veiculado no projeto radiofônico semanal Info.Cult, ambos projetos na rádio educativa Cultura
107,9FM.

- Vestibular 103: produção técnica de áudio, extra-classe de programete com


entrevistas sobre questões de concursos vestibulares e suas resoluções com dicas, reflexões,
discussões entre o acadêmico-apresentador, Luís Carlos Pereira, e o convidado da semana –
algum especialista de disciplinas e vestbulares - sobre as dificuldades em questões de história,
literatura, física, matemática e língua portuguesa. Produção veiculada semanalmente no
projeto radiofônico Sinapse Áudio Uniron, no período de setembro de 2008 a dezembro de
2008, na rádio educativa Cultura 107,9FM;

Página 65
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

- Top Trio: produção técnica de Áudio Produção, extra-classe, com informativo de


infotenimento elaborado pela acadêmica Érica Pascoal, com informações sobre o resultado de
pesquisas semanais com classificação tríade de informações mais atípicas divulgadas na rede
mundial de computadores sobre os mais variados assuntos. Produção veiculada
semanalmente no projeto radiofônico Sinapse Áudio Uniron, no período de fevereiro de 2009 a
abril de 2009, na rádio educativa Cultura 107,9FM;

- Spots cidadãos publicitários: produção técnica de Áudio Produção, com conteúdo de


cidadania, envolvendo a produção de áudio de acadêmicos do curso de Publicidade e
Propaganda com mensagens de atenção sobre assuntos referentes a trânsito, saúde, sexo,
moda e educação. Produção veiculada semanalmente no projeto radiofônico Sinapse Áudio
Uniron, no período de setembro de 2008 a junho de 2009, na rádio educativa Cultura 107,9FM;

- Por aí: produção técnica de Áudio Produção, extra-classe com boletins informativos
radiofônicos, com divulgação cultural sobre cidades turísticas e dicas de como chegar em
locais para viagens, com pesquisa semanal de localidades do estado de Rondônia e
proximidades. Produção elaborada pela acadêmica Érica Pascoal e veiculado semanalmente
no projeto radiofônico Sinapse Áudio Uniron, no período de novembro de 2008 a abril de 2009,
na rádio educativa Cultura 107,9FM;

- Sem contra indicação: produção técnica de Áudio Produção, extra-classe, em


formato de radionovela com perfomance vocal teatral e conteúdo informativo de cidadania e
demais temáticas voltadas à sociedade e cultura. O produto tem aplicações de comunicação
popular, infotenimento, aplicando comunicação de cidadania com assuntos voltados para
violência no trânsito, educação sexual, eleições, alimentação, entre outros assuntos de
interesse social e educativo. Produção elaborada pelos acadêmicos Géssica Nunes, Gentil
Caetano e José Júnior, e veiculado semanalmente no projeto radiofônico Sinapse Áudio
Uniron, no período de março a junho de 2009; e atualmente veiculado semanalmente no
projeto radiofônico Info.Cult, na rádio educativa Cultura 107,9FM;

- Onda esportiva: produção técnica de Áudio Produção, extra-classe, com elaboração


de boletins informativo com o resumo das notícias esportivas e o anúncio dos jogos da rodada
de domingo em campeonatos estadual e nacional de várias modalidades esportivas. Assim,
utilizando outros recursos do jornalismo especializado, como o esportivo e sua linguagem
diferenciada, com comparações e jargões específicos do segmento. Produção elaborada pelo
acadêmico Juliano Araújo e veiculado semanalmente no projeto radiofônico Sinapse Áudio
Uniron, no período de setembro a dezembro de 2009; e atualmente veiculado semanalmente
no projeto radiofônico Info.Cult, na rádio educativa Cultura 107,9FM;

Página 66
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

- Especial MPF contra Corrupção: produção técnica de Radiojornalismo, extra-classe,


com elaboração de uma reportagem especial sobre casos de corrupção no Estado de
Rondônia, produzida pela acadêmica Emanuela Palma. O trabalho, de cunho investigativo foi
indicado para avaliação ao prêmio MPU de Jornalismo Acadêmico. Produção veiculada em
dezembro de 2009, no projeto radiofônico Sinapse Áudio Uniron, na rádio educativa Cultura
107,9FM.

1.4.9 Estímulo a atividades acadêmicas

A Coordenação de Comunicação Social desta IES sempre se atenta aos principais


congressos e eventos relacionados à Comunicação e áreas afins, com o objetivo de inserir o
acadêmico nestas atividades. Todos os anos, os acadêmicos são estimulados a participarem
do principal evento científico de Comunicação Social – Intercom, em suas versões regional e
nacional, com a exposição de trabalhos empíricos e/ou experimentais, a fim de trocar
experiências com demais estudantes de outras IES pelo país.

Quanto à valorização do corpo docente e administrativo o estímulo à participação em


congressos e seminários é vital para o crescimento profissional e captação de novas
tendências e debates na área da comunicação. Nos dois últimos anos foram registradas
participações de docentes e discentes em eventos como Congresso Brasileiro de Comunicação
– INTERCOM, além da participação de nossos acadêmicos, com apresentação de trabalhos na
EXPOCOM – Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação, conquistando também
prêmios em nível regional.

A UNIRON sediou o Intercom Norte 2009 e contou com a participação de mais de


300 congressistas: estudantes de Comunicação, professores e profissionais da região Norte.
Ganhou 4 prêmios regionais. No Intercom Norte 2010, que aconteceu no Acre, a Uniron indicou
18 trabalhos no Expocom, o dobro de 2009. No último congresso, os acadêmicos de jornalismo
desta IES ganharam 3 prêmios regionais.

O Ineo Seminários do Conhecimento aconteceu no dia 22 de outubro de 2009 com o


tema: Mídias Digitais e Redes Sociais e debateu a revolução no comportamento e no consumo
das pessoas, o impacto das novas mídias e das redes sociais na vida e no trabalho,
oportunidades de negócios, dentre outros. Os acadêmicos de Comunicação da Uniron
participaram efetivamente de toda a programação do evento que teve a presença da
coordenadora dos cursos de comunicação social da Uniron, Aline Néto, com o painel “a
comunicação social e o desafio das novas mídias”, do jornalista Marcelo Tas da Band, com o
painel “as oportunidades de negócios nas redes sociais” e participação de outros profissionais
da área de comunicação de Rondônia e do Acre.

Página 67
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Outras ações sociais desenvolvidas pela Uniron, da qual estiveram envolvidos


acadêmicos do curso de jornalismo são: Prêmio Jovem Talento (esta ação selecionava
acadêmicos que depois passavam a ser bolsistas) e UNIRON no Bairro.
O curso de Jornalismo da Uniron recebeu 03 (três) estrelas na avaliação de cursos
superiores realizada pelo Guia do Estudante da Editora Abril. A classificação constará na
publicação do Guia de Estudante Profissões Vestibular 2011, que passa a circular nas bancas
a partir do dia 5 de outubro de 2010. O Guia do Estudante existe desde 1984, com o objetivo
de orientar o vestibulando sobre o que e onde estudar, com informações a respeito do mercado
de trabalho, cursos de graduação e pós-graduação e Instituições de Ensino Superior. A
avaliação dos cursos é feita por um corpo de consultores que classifica os cursos que recebe
conforme os conceitos: excelente (cinco estrelas), muito bom (quatro estrelas), bom (três
estrelas), regular, ruim e "prefiro não opinar".
Concursos locais, regionais e nacionais também são alvo para estímulo de
representações, como é o caso de participações em prêmios promovidos por entidades
sindicais, órgãos governamentais e não governamentais com diversas temáticas. As palestras
promovidas pelo curso sempre se atentam aos fatos mais relevantes e atuais, para a promoção
de debates construtivos no âmbito acadêmico-profissional. A participação dos acadêmicos em
promoção de eventos e quaisquer atividades de natureza estudantil e que visa o acúmulo de
códigos favoráveis à intelectualidade e também cidadania são valorizados por esta
Coordenação. Como exemplo, há o programa experimental radiofônico Sinapse Uniron, que
semanalmente envolve diversos acadêmicos de Comunicação Social para a divulgação de
informações com foco em serviço e cidadania, utilizando teoria e a prática da comunicação a
serviço da comunidade.

1.5 Estágio supervisionado e prática profissional

A FENAJ – Federação Nacional dos Jornalistas, em 2009, após a nova Lei de


Estágio, autorizou o mesmo a partir do quinto semestre do curso de Jornalismo. O estágio não
é obrigatório ao curso de Jornalismo, mas apoiamos esta prática por sabermos que é um fator
que acrescenta conhecimento ao aluno e o integra com maior facilidade no mercado de
trabalho, ao mesmo tempo que o protege e orienta nos primeiros passos da sua vida
profissional. As horas podem ser contabilizadas para as atividades extracurriculares do aluno.
Os estágios seguirão as normas legais, são feitos através de agentes, como CIEE e
em consonância com a orientação da FENAJ. O aluno tem chance de ter estágio e depois fazer
o Projeto Experimental ao desenvolver seu TCC – Trabalho de Conclusão de Curso.

Página 68
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

1.6 Atividades Complementares

As atividades complementares do curso de Comunicação Social totalizam 450 horas


(16,66% da carga horária) e atendem as Diretrizes Curriculares para o curso de Comunicação
Social (Parecer CNE/CES n.ºs 492/2001 e 1.363/2001), que indica que estas não podem
ultrapassar 20% do total do curso.
As atividades complementares previstas na matriz curricular são obrigatórias e
compreendem:
Participação em projetos e programas de ensino
1
Participação em Programas de Estudos Dirigidos (ED´s) e nas Atividades em Rede ,
com carga horária prevista nas estruturas curriculares de cada curso
Participação em projetos e programas de pesquisa
Participação em projetos e programas de extensão
Participação em eventos técnico-científicos, (seminários, simpósios, conferências,
congressos, jornadas e outros da natureza)
Atividades de monitoria em disciplinas do curso,
Assistência a defesa de monografias, dissertações e teses
Participação em órgãos de representação colegiada
Disciplinas cursadas em outros cursos e não integrantes do currículo do curso de
origem.
Práticas supervisionadas (estágio) em Empresas de Comunicação

As Atividades em Rede são uma modalidade não presencial de Atividades


Complementares de ensino, obrigatórias e aplicadas semestralmente. São respaldadas pelo
Parecer nº 67 do CNE/CES, que estabelece um Referencial para as Diretrizes Curriculares
Nacionais dos Cursos de Graduação e pela Resolução CNE/CES nº 2/2007, que dispõe sobre
a carga horária e os procedimentos relativos à integralização e duração dos cursos de
graduação e bacharelados.
Essas atividades são conduzidas com conteúdos gerais e correspondem a um objeto
de aprendizagem desenvolvido pela equipe da ProEducare e compartilhado por todos os
cursos da UNIRON. As Atividades em Rede, antes de valorizarem somente o conteúdo,
buscam o desenvolvimento de competências e habilidades cruciais visando a formação do
profissional preparado para a vida e para o mercado de trabalho.
Os objetivos principais dessas Atividades são os acadêmicos desenvolverem a
capacidade de:
 Ler e interpretar textos;

1
A partir de outubro de 2010 as Atividades em Rede substituíram os programas de Estudos
Dirigidos (ED’s), com atividades inovadoras e novas ferramentas para facilitar a interação
entre coordenadores, professores e alunos em um ambiente virtual.

Página 69
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

 Analisar e criticar informações;


 Extrair conclusões por indução e/ou dedução;
 Estabelecer relações, comparações e contrastes em diferentes situações;
 Detectar contradições;
 Fazer escolhas valorativas, avaliando conseqüências;
 Questionar a realidade;
 Argumentar coerentemente.

Além disso, as Atividades em Rede objetivam:


 Impulsionar a autoaprendizagem;
 Estimular uma nova forma de aprender e desenvolver a criatividade;
 Possibilitar o acesso à Internet, multimídias, pesquisas e diferentes formas de
aprendizado;
 Incentivar a autonomia e o aprimoramento do pensamento crítico.

Esses conteúdos são elaborados para desenvolver o domínio de conhecimentos e de


níveis diversificados de habilidades e competências que tornem os acadêmicos capazes de:
 Propor ações de intervenção;
 Propor soluções para situações-problema;
 Elaborar perspectivas integradoras;
 Elaborar sínteses;
 Administrar conflitos.

A Atividade em Rede será composta por:


 Atividades multimídias com no máximo 15 minutos de duração e com questões ao
final ou intercaladas na apresentação.
 Materiais Complementares que serão indicações de materiais textuais ou
audiovisuais complementares com ligações a partir das Atividades Multimídias.
 Fóruns de discussões sobre as temáticas das atividades com a provocação dos
tutores e avaliação mútua.
 Teste para o aluno avaliar seu potencial, são 10 questões de múltipla escolha
preparatórias para o ENADE.
Além dessas opções de atividades e interações, estão disponíveis outras
ferramentas para facilitar o aprendizado do aluno:
 Bate-Papo: discussão síncrona realizada para discutir tópicos relacionados às
atividades, aumentando a proximidade entre os participantes da atividade, contribuindo
para aumentar a colaboração.
 Biblioteca: local onde estarão disponíveis bibliografias, textos e artigos, além de
indicações de sites que tratam das diferentes temáticas abordadas.

Página 70
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

 Agenda: todas as atividades propostas serão disponibilizadas nesta seção do


ambiente.
 Avaliações online: mensuração do conhecimento discente por geração automatizada
e correção de prova com base em banco de questões.
 Portfólio eletrônico: uma apresentação multimídia realizada pelo aluno e com
materiais selecionados por este que mostra uma visão enriquecida e estruturada do
processo de desenvolvimento e aprendizagem do aluno.

O trabalho da orientação acadêmica (tutoria) é possivelmente o ponto mais


importante do processo, sendo constituído pelas dimensões: acadêmica, motivacional, gestão
e de avaliação. O tutor possibilitará situações teóricas e metodológicas ao estudante de
organizar, selecionar, compreender e refletir criticamente sobre os estudos realizados.
A Avaliação deve prover suporte ao acompanhamento contínuo das participações
nestas atividades contribuindo na análise de indicadores e identificação de possíveis
problemas em tempo hábil para uma remediação efetiva. A dimensão de avaliação se
desenvolve com base na produção do estudante por meio de:
 Rastreamento do aluno (páginas acessadas, data e hora);
 Controle de fluxo de informações, que identifica e registra a participação dos alunos em
ferramentas de comunicação;
 Ponto de vista do aluno, por meio da qual o professor pode apresentar uma questão e,
através das respostas de cada aluno e posterior avaliação por pares das respostas
apresentadas, pode obter as melhores participações.
 Votação, que provê uma realimentação rápida dos aprendizes para o professor sobre
um determinado assunto.
 Avaliação online, que permite, com data, hora, aleatorização de questões em tempo
real, e correção automatizada, avaliar o conhecimento apreendido.

As atividades em rede serão realizadas em um ambiente virtual próprio, o Canal do


Norte, que propicia os seguintes módulos:

 Módulo Conteúdo Principal


• Recursos para exibição dos conteúdos em formato multimídia;
• Controle de acesso (login e senha).
 Módulo Atividades Interativas
• Recursos para estabelecimento de redes sociais;
• Recursos para construção colaborativa de conhecimento (Wiki);
• Recursos para gestão do processo de aprendizagem (Agenda);
• Recursos para registro pessoal do processo de aprendizagem (blogs e eportfólios);
• Ferramentas para a configuração de atividades de aprendizagem e avaliações;

Página 71
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

• Controle de acesso (login e senha).


 Módulo Conteúdo Complementar
• Biblioteca virtual com recursos para publicação de artigos, vídeo, áudio e outros
formatos de mídia;
• Controle de acesso (login e senha).
 Módulo Informação Externa
• Recursos para a publicação de notícias;
• Recursos para comentários sobre as notícias.
 Módulo Interação Externa
• Recursos para a publicação de enquetes e pesquisas.
 Módulo Rede/Perfil
• Recursos para a publicação de perfis, formação de vínculos e interação informal
entre os estudantes;
• Controle de acesso (login e senha).

Vale ressaltar que:

I. O curso de Jornalismo passa por reestruturação e busca a implementação do


NUPECOM (Núcleo de Pesquisa e Extensão em Comunicação) que atuará como
promotor e captador de recursos para atividades de Pesquisa e Extensão em
Comunicação.
II. A carga horária total das atividades complementares corresponde à mesma carga
horária estipulada na matriz curricular do curso e deverá obedecer aos seguintes
limites por atividade, de forma a estimular a pluralidade, além das Atividades em Rede,
com carga horária estipulada nas matrizes curriculares do curso:

As atividades complementares obrigatórias para os discentes somam 450 horas,


sendo que os ED´s e as Atividades em Rede totalizam 368 horas de carga horária aos
discentes e é oferecido semestralmente em módulos de 46 horas (em 8 semestres).
O restante da carga horária a ser preenchida (82 horas), é realizada pelos alunos
com atividades como congressos científicos, seminários, palestras, publicações de artigos,
cursos de informática, estágios, enfim, qualquer atividade que seja feita fora da faculdade e
que tenha relação direta com o curso, todas comprovadas através de certificado.

1.7 Atendimento ao discente

A UNIRON divide-se em órgãos administrativos e acadêmicos, cada um com funções


específicas para atender aos objetivos propostos. A seguir destacam-se os órgãos que
possuem como uma de suas atribuições o atendimento ao discente.

Página 72
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

1.7.1 Secretaria Acadêmica

Órgão responsável pelo controle e gerenciamento das atividades de registro,


acompanhamento dos cursos e atendimento aos estudantes. Utiliza um sistema informatizado
de ultima geração contendo todas as operações necessárias de registro acadêmico: registro
inicial do estudante; matrícula; renovação de matrícula; aproveitamento de disciplinas;
solicitação de transferências; trancamento de matrícula; programas de disciplinas cursadas;
registro de notas; declarações; históricos escolares; diários de classe; mapas de
acompanhamento financeiro e acadêmico; dados para o censo da educação superior; etc.
Os registros acadêmicos da UNIRON são feitos através de software específico
denominado Olimpo, com módulos de cadastro, controle de especialidade ou curso, grades
curriculares turmas codificadas por curso e semestre letivo e os módulos de controle
financeiros. O sistema é integrado e permite além do registro e controle dos dados, a emissão
de relatórios para a coordenação professores e acadêmicos. O sistema é integrado com portais
de acesso online que permitem ao aluno acompanhar a freqüência, as notas e as disciplinas
cursadas por semestre.
A Secretaria Acadêmica também é o setor responsável pela colação de grau de
alunos que concluíram todo o currículo do curso. As informações sobre colação de grau
constam de Edital fixado na Sala Integrada do Campus Mamoré.
São setores da Secretaria Acadêmica, que atendem os serviços e processos acima
descritos.

1.7.2 Atendimento extraclasse

Acompanhamento especial para acadêmicos oriundos de outras IES.


Turmas especiais de nivelamento em áreas como Língua Portuguesa, Matemática e
Informática.
Orientação individual em projetos de pesquisa.

1.7.3 Sala Integrada

A Sala Integrada de Coordenadores e Professores – SICP é o setor que realiza a


recepção dos alunos que desejam ser atendidos pelos Coordenadores de Curso.
Neste mesmo setor os alunos podem preencher requerimentos solicitando
autorizações para cursar disciplinas ou incluir disciplinas fora do período semestralizado.
É o setor responsável pelo cadastro de horário de aulas das turmas. As confirmações
ou mudanças de horário das aulas são feitas também pela Sala Integrada.

Página 73
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Tem como missão solucionar problemas que demandem suporte e atendimento ao


aluno de forma proativa e ágil. Este setor auxiliar coordenadores, professores e acadêmicos
em todos os processos como: listas de freqüência, acompanhamento nos processos de
transferências, aproveitamento de estudos, ENADE, segunda chamada. Orienta e organiza o
quadro de horário dos discentes, recebimento de monografias, monitorias, troca de turma,
escolha das optativas, agendamento de revisão de provas e bancas examinadoras. Nestes
setores, 08 funcionários realizam o atendimento técnico-administrativo nos três turnos
(matutino, vespertino e noturno).

1.7.4 Setor de Atendimento ao Acadêmico (SAA)

Neste setor, será complementado todo o cadastro do aluno, emitido o Contrato de


Prestação de Serviços e a geração de boletos de pagamentos referentes ao semestre que está
cursando.
O SAA também é responsável pelo atendimento ao aluno na solicitação e entrega dos
seguintes documentos :
 Atestado ou Declaração de Matrícula
 Certidão de Estudos
 Histórico Escolar
 Declaração com a Portaria do MEC
 Declaração de Conduta Escolar
 Grade Curricular
 Ementas/ Conteúdo Programático por unidade ou semestre
 Processo para Aproveitamento de Disciplinas
 Trancamento de Disciplina
 Prova de 2ª Chamada (não é necessário solicitar), basta comparecer.
 Revisão de Provas (prazo de cinco dias úteis)
 Boletim Escolar
 Trancamento de Curso e Transferência da faculdade
 Mudança de turno/turma
 Declaração de Conclusão de Curso
 Diploma de Graduação a partir da Colação de Grau e cumprimento de
exigências legais de documentação necessária
 Solicitação de Bolsa de Estudos
 Processos – diversos
 Pagamentos

Página 74
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

1.7.5 Setor de Registro Acadêmico – SRA

A equipe do setor de registro acadêmico é responsável pela gestão das informações


da vida acadêmica dos alunos e preparação do sistema Olimpo para a gestão da virada de
período. A emissão de Históricos Escolares, Ementas e Transferências solicitadas ao SAA são
confeccionadas pelo SRA. O SRA também é o responsável pelos arquivos de documentos dos
alunos e dos diários dos professores. A preparação de todos os documentos necessários para
a Colação de Grau no final de Curso são feitos pelo SRA.

1.7.6 Setor de Registro de Diploma – SRD

É o setor que organiza os documentos necessários e solicita o registro de diploma


dos alunos. Este processo pressupõe uma conferência completa das informações de cadastro ,
da vida acadêmica do aluno até a colação de grau e a confecção de diploma e registro em
órgão próprio.

1.7.7 A Coordenação do Curso

Responde pelo gerenciamento pedagógico e acadêmico, buscando o cumprimento do


projeto pedagógico e o alcance dos objetivos definidos para o período letivo. Dentre outras
responsabilidades, o atendimento aos alunos, estando sob sua responsabilidade análise e
parecer dos pleitos estudantis de natureza acadêmica.

1.7.8 Centro de Apoio ao Professor (CEAP)

Disponibiliza computadores na sala dos professores e ainda um laboratório de


atendimento aos alunos com computadores com acesso ao Portal Universitário. Para dar
assistência aos docentes no uso do Portal criou-se O CEAP (Centro de Apoio ao Professor)
que disponibiliza seis funcionários que se revezam no atendimento.
O CEAP atende três públicos distintos: professores, coordenadores e acadêmicos.
Em relação aos acadêmicos o atendimento do CEAP resolve dúvidas de acesso ao Portal
Universitário. Os professores e coordenadores, entretanto, são os principais usuários do setor.
A equipe do CEAP atende aos usuários no que se refere à gravação de mídias, editoração,
digitação, planejamento de aulas via mídia eletrônica e capacitação docente; este último visa o
repasse de conhecimentos técnicos e tecnológicos. Cada treinamento é realizado pela Equipe
do CEAP, resultado de verificação de uma necessidade em comum de vários professores. O
CEAP presta atendimento nos três turnos (matutino, vespertino e noturno).

Página 75
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

2. CORPO DOCENTE

2.1. Composição do NDE

O NDE do curso de Jornalismo da Uniron é composto por 5 docentes e todos


dividem as seguintes atribuições:

a) Elaborar o Projeto Pedagógico do Curso definindo sua concepção e


fundamentos;
b) Estabelecer o perfil profissional do egresso do curso;
c) Atualizar periodicamente o Projeto Pedagógico do curso;
d) Conduzir os trabalhos de reestruturação curricular, para aprovação do
Colegiado de Curso, sempre que necessário;
e) Supervisionar as formas de avaliação e acompanhamento do Curso
definidas pelo Colegiado;
f) Analisar e avaliar os Planos de Ensino dos componentes curriculares;
g) Promover a integração horizontal e vertical do Curso, respeitando os
eixos estabelecidos pelo projeto pedagógico;
h) Acompanhar as atividades do corpo docente.

Os docentes que compõem o NDE são:

Nome Formação na área


Andreia Pinheiro Gonzalez Sim
Francivan Souza da Silva Nâo
Cléonice Subtil Sim
Jackson Robles Não

2.2. Titulação e formação acadêmica do NDE

Nome Titulação Formação Acadêmica


Andreia Pinheiro Gonzalez Especialista Bacharel em Comunicação
Social com habilitação em
Jornalismo
Francivan Souza da Silva Especialista Comunicação Social com
habilitação em Publicidade
e Propaganda
Cléonice Subtil Especialista Bacharel em Comunicação

Página 76
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Social com habilitação em


Jornalismo
Jackson Robles Especialista Bacharel em Ed. Artística
com ênfase em
Computação Gráfica.

2.3. Regime de trabalho do NDE

Nome Horas NDE Horas aula


Andreia Pinheiro Gonzalez 15h 15h
Francivan Souza 6h* 9h
Cléonice Subtil 3h 3h
Jackson Robles 6h* 9h
*sendo 3h no NDE do curso de publicidade e propaganda

Todos os membros do NDE trabalham em regime parcial.

2.4. Titulação e formação do coordenador do curso

A coordenadora do curso de Jornalismo, Andreia Pinheiro Gonzalez, possui


graduação em Comunicação Social: Publicidade e Propaganda pela FARO - Faculdades de
Ciências Exatas, Humanas e Letras de Rondônia – Porto Velho - (2007), Comunicação Social:
Jornalismo pela FARO - Faculdades de Ciências Exatas, Humanas e Letras de Rondônia –
Porto Velho - RO (2008) e Especialização em Metodologia do Ensino Superior com Inovações
Curriculares pela FARO - Faculdades de Ciências Exatas, Humanas e Letras de Rondônia –
Porto Velho - RO (2010) . Possui nove anos de experiência em comunicação, atuando em
jornalismo e publicidade e propaganda em agências, empresas gráficas, emissora de TV e
prestando serviço de assessoria de comunicação em diversas empresas. Iniciou sua carreira
na docência como professora do curso técnico de Rádio e TV da Fundação Rede Amazônica.
Atua como professora universitária há dois anos. É também Professora do curso de
Publicidade e Propaganda da Faculdade Interamericana de Porto Velho - UNIRON.
Atualmente é responsável pelo departamento de marketing da TV Rondônia – Afiliada
Rede Globo, onde já acumula mais de seis anos de experiência, atuando diretamente na área
comercial, elaborando estratégia de negociação, ampliação de visibilidade da marca e outras
ações para todas as emissoras do Estado de Rondônia. Desenvolve diversos trabalhos como
assessora de impressa para empresas locais, desenvolvendo atividades como Jornalista,
professora e coordenadora de comunicação.

Página 77
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

2.5. Regime de trabalho do coordenador do curso

O regime de trabalho do coordenador do curso é PARCIAL, sendo 15 horas


destinadas à atividade de gestão do curso. Sua carga horária é distribuída em atividades
administrativas, de gestão do corpo docente, referentes à discussão, acompanhamento,
avaliação das atividades pedagógicas, contatos institucionais e relacionamento com o corpo
discente. É realizado atendimento individualizado ao corpo discente ou através de grupos de
alunos ou com representantes de classe. O atendimento pode ser realizado nos turnos das
aulas ou no final do turno vespertino. Caso o aluno prefira, ele pode também fazer o
agendamento através do e-mail.

2.6. Composição e Funcionamento do colegiado de curso ou


equivalente

O colegiado do curso, órgão deliberativo em matéria de natureza acadêmica


operacional, administrativa, e disciplinar, é constituído pelo Coordenador de curso e pelos
membros do NDE, bem como um membro discente representado pela aluna do 6º período de
Jornalismo, Larissa Tezzari.
Compete ao Colegiado de Curso elaborar o Projeto Pedagógico do Curso definindo
sua concepção e fundamentos; estabelecer o perfil profissional do egresso do curso; atualizar
periodicamente o Projeto Pedagógico do curso; conduzir os trabalhos de reestruturação
curricular, para aprovação do Colegiado de Curso, sempre que necessário; supervisionar as
formas de avaliação e acompanhamento do Curso definidas pelo Colegiado; analisar e avaliar
os Planos de Ensino dos componentes curriculares; promover a integração horizontal e vertical
do Curso, respeitando os eixos estabelecidos pelo projeto pedagógico e acompanhar as
atividades do corpo docente.
O Colegiado de Curso é presidido pelo Coordenador(a) do Curso e em sua ausência
ou impedimento por um dos professores por ordem de tempo de docência na Faculdade.
Reúne-se, duas vezes por semestre, e, extraordinariamente, quando convocado pelo
Coordenador de Curso ou pelo Diretor Acadêmico.

Compõem o NDE:

 Andreia Pinheiro Gonzalez


 Francivan Souza
 Cléonice Subtil
 Jackson Robles

Página 78
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

2.7. Titulação do corpo docente

O quadro de docentes do curso de Comunicação Social, com habilitação em


Jornalismo, da Uniron, divide-se em mestres e especialistas, somando 13 docentes:

Professores Formação Titulação


Acadêmica
Irma dos Santos Guimarães Doutor Graduação em Letras
(Português/Inglês), Extensão
Universitária em Programa,
Diagnóstico e avaliação educativa;
especialização em gestão escolar;
Doutora em ciência da educação;
Andreia Pinheiro Gonzalez Especialista Bacharel em Comunicação Social:
Habilitação Publicidade e
Propaganda; Bacharel em
Comunicação Social: Habilitação em
jornalismo; Especialização em
metodologia ens. superior e inovações
curriculares.
Benedito Pereira Teles Especialista Graduação em Comunicação Social:
Júnior Jornalismo; Graduação em Direito;
Especialização em Metodologia do
Ensino Superior
Maria Angela de Lima Mestre Bacharel em Comunicação Social:
Dummel Habilitação Publicidade e
Propaganda; Especialização em
Marketing (MBA); Mestre em Estudos
de Linguagem;
Francivan Souza da Silva Especialista Graduação em comunicação social -
publicidade e propaganda;
especialização em metodologia ens.
superior e inovações curriculares
Adriana Cordenonsi Especialista Bacharel em Comunicação Social:
Habilitação Publicidade e
Propaganda; Especialização em
marketing (MBA)
Cléonice Subtil de Oliveira Especialista Bacharel em Comunicação

Página 79
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Social: Habilitação Jornalismo;


Especialização em Metodologia do
Ensino Superior Língua Portuguesa e
História.
Walace Soares de Oliveira Mestre Graduação em Ciências Sociais,
Especialização em Metodologia da
Ação Docente, Mestre em Educação
Pedro Lino Gonçalves De Especialista Licenciatura em Pedagogia;
Oliveira Especialização em Metodologia do
Ensino Superior
Erika Crisóstomo Mestre Bacharel em Psicologia; Mestrado em
Albuquerque Tecnologia em Saúde
Jackson Robles de Andrade Especialista Graduação em Ed. Artística com
Ênfase em Computação Gráfica;
Especialização em Comunicação
Visual em Mídias Interativas
Santiago Roa Especialista Bacharel em Comunicação Social:
Habilitação Jornalismo;
Especialização em docência do
ensino superior; registro como
radialista profissional;
Júlio Sérgio Aires de Especialista Bacharel em Comunicação Social:
Almeida Habilitação Jornalismo;
Especialização em Jornalismo & Mídia

Quantitativo titulação
Doutores Mestres Especialistas Total
01 3 09 13
8% 23% 69% 100%

2.8. Regime de trabalho do corpo docente

Regime Parcial Horistas


2 11
15% 85%

A carreira de docente, tão peculiar e complexa na sua análise tem na Uniron a


particularidade da diversidade, quer na técnica tendo em conta o grande número de cursos

Página 80
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

existentes, quer no regional, tendo em conta que na tentativa de ter em seus quadros os mais
competentes profissionais, a Instituição recebe especialistas, mestres e doutores qualificados,
dos mais diversos locais do país.
O docente da Uniron deve, através deste PPC, do PDI,do PPI dos mecanismos de
crescimento e formação profissional existentes na Uniron e do diálogo permanente com a
Coordenação, evoluir em dimensões específicas e características da práxis educativa.
Estas dimensões devem ser tão claras quanto possível e apoiadas através de
constante diálogo, monitoramento, registro e capacitação pedagógica.
O docente da Uniron é um profissional humanista, altamente qualificado na sua área
específica de ação, consciente dos desafios da modernidade educacional e um ser humano
dotado da capacidade e vontade de ser eterno aprendiz.
De acordo com Glickman (1985), os docentes dividem-se em três subgrupos de
competências, cuja compreensão se mostra imprescindível para o entendimento de cada
passo, rumo ao perfil do profissional docente que pretendemos.
As características de cada um dividem-se em subgrupos de atitudes,
comportamentos e conhecimentos face à práxis docente e permitem-nos compreender a
complexidade e a necessidade de um rumo coerente, determinado e apoiado em pesquisa
atual e credível.
O professor é entendido como um profissional que evolui de um pensamento concreto
com motivação egocêntrica, para um pensamento abstrato com motivação altruísta. Num
contexto onde as inter-relações profissionais e os contextos institucionais e relacionamento de
grupo condicionam os tempos de crescimentos e as convicções e atitudes ao longo desse
tempo de maturação.
A Uniron parte de uma base crítica e epistemológica firme e credível, com total
conhecimento das suas realidades próprias e aposta numa formação docente fortemente
condicionada pelos conhecimentos de método e avaliação indissociados pela condição de
Ensino e Aprendizagem atuais não mais se distinguirem na práxis educativa.
A Uniron tem perfeita consciência da necessidade de refletir sobre as dimensões
técnicas que viabilizam o perfil docente almejado, assim como das necessidades
epistemológicas e profissionais que o sustentam, para as quais o NDE contribui sustentando o
diálogo permanente com a Coordenação do Curso e Direção da IES, assim como pela interface
essencial entre os propósitos da Uniron e os anseios da sociedade representada pelos alunos
do nosso Curso.

2.9 Política de Atualização do corpo docente

A UNIRON oferece freqüentemente oportunidades para que os professores se


atualizem com relação a sua profissão.

Página 81
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

2.10 Seminários Pedagógicos

Todo início de semestre a UNIRON oferece um seminário de atualização pedagógica


para todos os professores.
Nestes seminários são apresentadas palestra de cunho pedagógico e são
desenvolvidos trabalhos em grupo visando o desenvolvimento e a compreensão dos aspectos
pedagógicos de cada curso.

2.11 Tempo de experiência de magistério superior ou experiência do corpo


docente

Professor Experiência no mercado Experiência


magistério superior
Irma dos Santos Guimarães 33 25
Andreia PInheiro Gonzalez 09 02
Adriana Cordenonsi 16 01
Cléonice Subtil de Oliveira 21 03
Benedito Pereira Teles Júnior 13 06
Maria Angela de Lima Dummel 12 08
Walace Soares de Oliveira 10 10
Erika Crisóstomo Albuquerque 14 09
Pedro Lino Gonçalves De Oliveira 15 13
Jackson Robles de Andrade 14 09
Júlio Sérgio Aires de Almeida 20 08
Francivan Souza da Silva 15 02
Santiago Roa 20 09

2.12 Número de vagas anuais autorizadas por docente equivalente em tempo


integral
Atualmente, não contamos com docente em tempo integral e temos 2 professoras em
tempo parcial. Nesta nova fase, a Instituição tem procurado ampliar o número de professores
em tempo parcial, que no nosso caso preenche 15% do quadro de professores neste regime,
visando ainda a implantação de professores em tempo integral à medida que o curso vai
crescendo.

Página 82
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

2.13 Alunos por turma em disciplina teórica

A UNIRON tem como política a unificação das habilitações do curso de Comunicação


Social (jornalismo e publicidade e propaganda) até o 3º período para cursarem as disciplinas
de tronco comum com turma de, no máximo, 50 alunos. A partir do 4º período há a divisão de
turmas entre as habilitações formando turmas em média de 25 acadêmicos.

2.14 Número médio de disciplinas por docente

O curso de Comunicação Social com habilitação em jornalismo da Uniron, apresenta


atualmente 4 turmas em funcionamento no período noturno, com o total de 34 disciplinas,
contando com 13 docentes no curso, o que dá uma média de 2,61 disciplinas por docente.

3. Instalações físicas

Atualmente a Faculdade Interamericana de Porto Velho é considerada pelo mercado,


como uma das maiores Instituições de Ensino Superior Privado do Estado. A instituição é uma
organização sólida, reconhecida pelo seu fazer acadêmico e pelo equilíbrio e vigor econômico-
financeiro. É proprietária de todos os imóveis onde funciona a Faculdade, numa área total de
72.000 m². Parte integrante do seu projeto de expansão e investimentos a Instituição inaugurou
em março de 2009, um novo campus, com mais de 5.000 m², no Porto Velho Shopping.

3.1. Sala de professores e sala de reuniões

A sala de professores dos cursos de Comunicação Social é integrada aos demais


cursos com a finalidade de integração de todos os docentes desta IES. O local amplo, limpo,
refrigerado, com condições de conexão à rede mundial de computadores e comodidade quanto
à instalação dos docentes no local, com sofás, cadeiras e amplo acesso a banheiros separados
por sexo e cozinha com disposição de bebidas como água e café. Há uma mesa de reunião
aos docentes e uma bancada com computadores conectados à rede para acesso com restrição
de usuário e senha somente aos docentes.

3.2. Gabinete de trabalho para professores

A instalação da Coordenação de curso atende as necessidades de competência do


Coordenador, como acesso à internet e com arquivo de documentos necessários para consulta
de assuntos pertinentes ao curso. Refrigeração adequada, mas sem ventilação na mesma.
Iluminação padrão e individual, causando independência ao acesso da iluminação artificial e
assim, diminuindo gastos com a utilização inadequada aos demais espaços ociosos na ala das

Página 83
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

coordenações da IES. O local é utilizado em dias alternados por professores participantes do


NDE e da coordenação de TCC do curso, com dias previamente organizados para melhor
utilização do ambiente.

3.3. Salas de aula

O curso utiliza o total de 5 salas de aula, no Bloco D:, sendo D 09, D 11, D 12, D 14 e
D 15, que conta com 42 cadeiras, quadro branco e ar-condicionado, além de utilizar também os
laboratórios de informática e de Som e Imagem.
As salas de aula são espaçosas, com iluminação adequada e acústica favorável. A
limpeza sempre é realizada no local, por profissionais que todos os dias o fazem. O local
também possui pontos de eletricidade para eventual utilização de recursos tecnológicos às
aulas expositivas e/ou utilização de equipamentos eletrônicos por parte dos docentes e/ou
discentes, como computadores, datashow, slideshow entre outros.

3.4. Acesso dos alunos a equipamentos de informática

A faculdade Interamericana de Porto Velho possui atualmente 13 laboratórios de


Informática com um total de 385 computadores em mais de 800 metros quadrados.

3.5. Registros Acadêmicos

Sobre a mecânica de atualização de dados do Portal Universitário: as informações


dos alunos e professores são geradas a partir do sistema Olimpo para um arquivo de texto, que
é enviado por email para equipe de cadastro do Ilang. Esse arquivo é importado na base de
dados do Portal Universitário. A equipe do Ilang garante a importação dos dados em até 72
horas. Para realizar este processo foram desenvolvidos vários procedimentos no banco de
dados da UNIRON e criado um sistema para geração dos arquivos e importação do espelho da
base. O sistema realiza gerações incrementais comparando os dados com o espelho da base
importado, além de gerações individuais. O sistema é utilizado pelos educadores do CEAP.
É possível, pelo sistema, obter toda a vida acadêmica de cada aluno: situação de
matrícula; relatório de ausências, de notas; disciplinas cursadas e cursando; grade curricular;
histórico escolar; etc.
Tanto o professor, quanto o aluno podem usufruir do Portal Universitário de várias
maneiras úteis, como: o professor lança o plano de ensino e atividade que podem ser
acompanhados pelo aluno via portal. O aluno também visualiza sua situação no semestre
pesquisando notas, ausências, atividades, etc.
O Portal do Professor, onde ele lança as notas, freqüência e relatório de aulas. O
aluno pode acompanhar pelo Portal Universitário.

Página 84
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

Além do Canal do Norte, uma nova ferramenta em que os alunos fazem as atividades
de Programas de Estudos Dirigidos e onde também foi criada uma rede social para interação
on-line entre acadêmicos, professores, funcionários e colaboradores da UNIRON.

3.6 Biblioteca

A Biblioteca da UNIRON dispõe de um acervo bibliográfico constituído por livros,


periódicos, teses e dissertações e multimeios (fitas de vídeo, CD-Rom, TV, Vídeo) nas áreas
dos cursos oferecidos pela Faculdade, totalizando aproximadamente 41.726 volumes, 39.102
unidades no Campus I e 2.624 no Campus III. Além de possuir terminais fixos para consulta On
Line, possui também cobertura WIFI em todas as dependências.
A biblioteca do campus I da UNIRON tem uma área total de 386,32 Metros
quadrados, sendo uma área útil para os usuários de 278,23 metros quadrados, podendo
atender até 144 usuários simultaneamente.
Conta com ambiente de informática com 14 computadores com acesso a internet, 2
terminais para consulta ao acervo, e 4 salas de estudo reservadas.
A biblioteca do campus I da UNIRON, onde funciona o curso de Comunicação Social:
Jornalismo funciona em 2 turnos sendo:
 Primeiro turno das 08h00 às 12h00
 Segundo turno das 14h00 às 22h00
O empréstimo do acervo do sistema só poderá ser efetivado para usuários
cadastrados, mediante a apresentação do cartão de identificação da biblioteca.

 Consulta local:
A consulta ao acervo é livre, aberta tanto à comunidade acadêmica, como ao público
em geral. Para auxiliar a pesquisa, o usuário tem disponível a base de dados winisis
que permite localizar a obra por autor, título e assunto.
 Empréstimo domiciliar:
Restrito à comunidade acadêmica, regularmente registrada e inscrita na biblioteca, já
que para ter acesso à aplicação de reserva de livros da Biblioteca Juarez Américo do
Prado será necessário informar o login e senha no portal do acadêmico UNIRON. Na
sequencia o acadêmico UNIRON deverá escolher na tela inicial a opção "Reserve um
Livro na Biblioteca" e seguir com o procedimento.
 Limite Máximo de Obras para Empréstimo:
5 para professores;
3 para alunos de graduação ;
3 para alunos de pós-graduação;
 Renovação:

Página 85
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

O empréstimo poderá ser renovado por igual prazo, desde que o material não esteja
reservado.

3.7 Livros da bibliografia básica

Para a informatização do acervo, a Biblioteca utiliza o sistema denominado Olimpo. As


planilhas com campos de dados para Catalogação dos acervos da Biblioteca permite a
formação do catálogo automatizado para acesso local e remoto: por autor, título, assuntos e
tipo/forma de documento. Para a realização dos empréstimos dos acervos, o sistema
operacionaliza as transações utilizando dados do Cadastro de alunos e professores da
Secretaria Acadêmica da Instituição e dados de identificação do material bibliográfico, a ser
emprestado, da Base de Dados da Biblioteca, ambos identificados através de código de barras.
Com a Carteira, os usuários utilizam os serviços da Biblioteca.
Para cada disciplina foram associados 3 títulos para bibliografia básica. Cada título da
bibliografia básica conta em média com dois (02) exemplares na biblioteca da instituição, o que
possibilita o atendimento de 20 acadêmicos por turma em uma relação de um (1) exemplar
para cada dez (10) acadêmicos.
A bibliografia do curso tem sido atualizada periodicamente, de forma a poder oferecer o
que há de mais novo na área de Comunicação e Jornalismo, com processos de compras
semestrais de acordo com a listagem constante no projeto pedagógico.
A relação completa de todos os títulos consta no Projeto Pedagógico do Curso e não podemos
inseri-la nesse espaço por insuficiência de caracteres.

3.8 Livros da bibliografia complementar

Para a bibliografia complementar foram associados 5 títulos. Cada título da bibliografia


complementar conta em média com dois (02) exemplares na biblioteca da instituição o que
possibilita o atendimento de 20 acadêmicos por turma em uma relação de um (1) exemplar
para cada dez (10) acadêmicos.
A bibliografia do curso tem sido atualizada periodicamente, de forma a poder oferecer o
que há de mais novo na área de Comunicação e Jornalismo, com processos de compras
semestrais de acordo com a listagem constante no projeto pedagógico.
A relação completa de todos os títulos consta no Projeto Pedagógico do Curso e não
podemos inseri-la nesse espaço por insuficiência de caracteres.

Página 86
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

3.9 Periódicos especializados, indexados e correntes

TÍTULO EDITORA RENOVAÇÃO PERIODICIDADE


ABOUT VERSART ANUAL QUINZENAL
CAROS AMIGOS CASA AMARELA ANUAL MENSAL
CARTA CAPITAL CONFIANÇA ANUAL SEMANAL
ESPM-MARKETING ESPM ANUAL BIMESTRAL
FAMECOS EDIPUCRS ANUAL QUADRIMESTRAL
IMPRENSA IMPRENSA ANUAL MENSAL
JORNAL PROPAGANDA &
MARKETING REFERÊNCIA ANUAL SEMANAL
MANAGEMENT HSM-MANAGENT ANUAL BIMESTRAL
MARKETING REFERÊNCIA ANUAL MENSAL
MEIO & MENSAGEM MEIO & MENSAGEM ANUAL SEMANAL

NEWSWEEK NEWS INTERNAT ANUAL SEMANAL


PRODUÇÃO PROFISSIONAL BOLINA BIENAL MENSAL
PROPAGANDA REFERÊNCIA ANUAL MENSAL

3.10 Laboratórios especializados

Os cursos de Comunicação Social desta IES possuem três laboratórios de


comunicação voltados para as áreas de áudio, visual e audiovisual, sendo respectivamente, um
laboratório para práticas de radiojornalismo, laboratório de fotografia e um laboratório de vídeo
para produção jornalística em vídeo (reportagens, apresentação, documentários).
Todas as disciplinas específicas de cada área utilizam as dependências dos
laboratórios para aulas práticas e o reconhecimento das técnicas pertinentes a cada ação no
contexto da comunicação e os recursos técnicos disponíveis para atuação no mercado de
trabalho. A utilização dos laboratórios segue a ordem de dias específicos das disciplinas, como
disposto no calendário organizado todo início de semestre pela Coordenação dos Cursos de
Comunicação, sendo assim, nos dias referentes à prática jornalística (TV, foto e rádio) o local é
utilizado para tal, respeitando o dia referente a tal disciplina.
Os discentes dispõem de um profissional técnico em horário vespertino e noturno
para a utilização dos laboratórios para práticas extra-classes orientadas em atividades
complementares pelos respectivos docentes de cada disciplina. A divulgação de tal utilização é
ordenada pelo próprio docente, através de seu plano de aulas no decorrer do semestre, para
não haver choque de utilização entre outras disciplinas que fazem tal utilização no mesmo

Página 87
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

semestre. A discussão da divisão de disciplinas e dias de utilização, que depende do dia que
será ministrada a disciplina, é em consenso entre os docentes de tais cadeiras.
Os laboratórios de informática contam com softwares Indesign, Coreldraw, Photoshop
para diagramação de produtos impressos, como jornais, revistas, folhetos, folders, painéis,
pertinentes aos cursos de Jornalismo. A divulgação e organização se dá da mesma maneira
como com as disciplinas eletrônicas de TV e rádio, organizadas com dias específicos de aulas
práticas no planejamento semestral devidamente comunicado aos responsáveis dos
laboratórios para o agendamento das respectivas aulas.
Quanto aos laboratórios de informática, eles dão suporte às disciplinas de
diagramação, planejamento gráfico e visual.

3.11 Infraestrutura e serviços dos laboratórios especializados

Os laboratórios de áudio e vídeo utilizam processos de edição em sistema não-linear,


com softwares de edição utilizados em grandes empresas de comunicação no mercado e
também softwares livres para prática de edição alternativa e sem custos. O estúdio de
gravações de áudio dispõe de espaço minimamente adequado em tamanho estrutura, com
satisfação razoável dos discentes dos cursos para as práticas básicas exigidas pelas
disciplinas que envolvem tais técnicas, isso vale para os estúdios de áudio e também gravação
para vídeo. Os equipamentos para gravação de áudio são básicos e funcionam de acordo com
o que é solicitado para execução de disciplinas como radiojornalismo. O estúdio possui
microfone para gravação, mesa de modulação de áudio e equalização, computador para
captação de áudio e devida edição, equipamento de regulação sonora e também a
disponibilização de uma rede de comunicação radiofônica web, com a plataforma digital
Infouniron, que dispõe de equipamentos necessários para a produção de programas veiculados
ao vivo pelos discentes, na disciplina de radiojornalismo II, sendo este um quesito importante
em face ao desenvolvimento e utilização das novas tecnologias de comunicação.
O laboratório de vídeo possui iluminação básica para produção de vídeos, recorrentes
de disciplinas de produção audiovisual e, também para gravações em bancadas e entrevistas,
técnicas de telejornalismo. Há estrutura separada para uma ilha de edição, com equipamentos
de VT e clipagem/edição, há bancada de telejornalismo e/ou para utilização publicitária, além
do fundo infinito para a prática de técnicas como croma-key. Há disposição de iluminação
mínima para análise de utilização mínima das cores como elementos de diversificação em
práticas publicitárias.
O laboratório de fotojornalismo compreende em equipamentos que mostram os
elementos de revelação analógica para fins teóricos, pois a utilização de recursos tecnológicos
avançados já faz parte do contexto do curso, com utilização de softwares e manipulação de
imagens, como Photoshop ou Photoimage para atualizar o discente e adaptá-lo ao mercado de
trabalho contemporâneo. Para isso, são utilizados os laboratórios de informática, com tais

Página 88
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

programas previamente instalados, a pedido do docente, de acordo com seu planejamento de


aula no decorrer do semestre. Os laboratórios de informática contam ainda com a disposição
de softwares Indesign, Coreldraw, Photoshop. para diagramação de produtos impressos, como
jornais, folhetos, folders, painéis, pertinentes à disciplinas de diagramação, produção gráfica,
design de marca e desenvolvimento web, pertinentes ao curso de Jornalismo.
Abaixo apresentamos uma relação dos equipamentos de cada laboratório.

LABORATÓRIO DE TELEVISÃO

HVRA1U 1 CAMERA DE VIDEO HDV 1/3 SONY


HVRHD1000U 1 CAMCORDER DIGITAL HDV ALTA DEFINICAO SONY
Alta Definição em Fitas MiniDV com HDV Resolução
Horizontal: 1080 Linhas Sensibilidade: 11 lux.Visor: 132.000
Pixels, Formato 16:9 Iluminação Mínima: 4 Lux f1.6 a 18 dB
EW100ENGG3 1 SISTEMA DE MIC S/ F LAPELA E PLUG ON SENNHEISER
Composto: receptor portátil EK100G + transmissor bodypack
SK100G3 + microfone de lapela ME2 + transmissor plug-on
SKP100G3 + cabo de conexão à camcorder CL1 + cabo XLR
CL100 + adaptador de camera CA2 + 6 baterias AA
PG188PG185 1 SISTEMA DE MICROFONE S/F LAPELA DUPLO SHURE
VIDEOSCOPE U$ 450,00 06/04/2010 Anna PROAVY U$
449,00 06/04/2010 By: Anna PRIDE - $452,94 29.04.2010
BR15VGA 1 TELEPROMPTER DE 15 POLEGADAS PROMPTV
PARA TODA A LINHA DE CAMERAS DV E HDV COM
MONITOR VGA
FONE DE OUVIDO PROFISSIONAL SONY
OPERA EM UMA GRANDE FAIXA DE FREQUÊNCIA DE
MDR7506 2 10HZ A 20KHZ, PERFEITAMENTE ACOMODADO AOS
OUVIDOS PARA MÁXIMO ISOLAMENTO DE SONS
EXTERNOS, É DOBRÁVEL, MINI PLUGUE COM
ADAPTADOR DE 1/4 IMPEDÂNCIA DE 24 OHMS.
NOAR-D- AVISO LUMINOSO NO AR (FACE DUPLA)TETO MGR
TETO 1 TETO OU PAREDE
FLAG 2 FLAG (CANOPLA) BRANCO P/ MICROFONE MGR
BRANCO Q 5,5 CM X 5,5 CM

Iluminação 2 Master Flo 04 lamp. 55W ND c/ porta-gel, bandeira


intensificadora 08 folhas e lampadas 55W/3200° ou

Página 89
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

5600°.

Iluminação 2 Fresnel 650W c/ bandor, porta-gel, tela de proteção


e lampada 650W/220V.

Iluminação 4 Garra "C Light"


Iluminação 4 Cabo de Segurança
Iluminação 1 Kit Iluminação c/ (02) Mini Light c/ cubo adaptador,
presilhas p/gel. e lampada 1000W/220V. e (02)
Tripé Kit. (altura máxima 2,46 m e mínima 0,90 m)
s/ case.
Iluminação 1 Kit Tota c/ (04) Refletor 1000W com suporte p/ gel
e lampada 1000W/220V., (04) Tripé Tota e (04)
Cubo Adaptador s/ Case.
Iluminação 4 Folha Gel (02 1/2 CTO - 02 1/2 CTB) Rosco

LABORATÓRIO DE RÁDIO

Mesa de áudio 1 Behringer 12 canais


Placa de áudio 1 M-audio Delta 10/10
Microfones 2 Behringer B 2
Fone de 4 Behringer
gravação
Computador 1 Corel 2 Duo. 2.80GHZ; Memória 2 GB; HD 300 GB; Monitor
19 PL
Ilha de edição 1 KRK – ROKIT – 81/40
6x5
Ilha de edição 1 P/D 2.50
3x5

LABORATÓRIO DE FOTOGRAFIA

AT-999D 1 Studio dig. photobook - 1 cj 200 at-247d, 1 cj. 160 cab. at-
245c, 1 cj. 160 fundo at-245fbl, 1 kit fundo móvel at-146 e 1
tela 2 x 3 at-352
AT-371 1 lightingform alt. 1,50 x larg. 1,00m. rebatedor retangular
desmontável com pé e tecidos prata / branco, difusor e

Página 90
UNIÃO DAS ESCOLAS SUPERIORES DE RONDÔNIA
FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

Projeto Pedagógico do Curso de Jornalismo – UNIRON

preto.
AT-498-H-110 1 mini mesa still ii h compl. 110v c/ 4 ilum. p/ lâmp. pal. 78mm,
4 dif, 4 mini braços, 4 lamp. 200w (luz halôgena).
Máquina 4 Sony Alfa 200
Fotográfica

Encontra-se a parte deste projeto, uma cópia do Regulamento dos Laboratórios de


Som e Imagem.

Página 91