Você está na página 1de 8

Angop

03-01-2011 9:59

Kwanza Norte
Dircy Sil lança primeiro CD em
Ndalatando
Ndalatando - A cantora angolana radicada na
Holonda, Dircy Sil, colocou neste domingo à
disposição do público, em Ndalatando (província do
Kwanza Norte), a sua primeira obra discográfica
intitulada "Sensual".
Cantora angolana Dircy Sil
Em entrevista à Angop, Dircy Sil disse ter escolhido
o Kwanza Norte como primeira província de Angola
para a apresentação do seu álbum a solo, tendo se manifestado satisfeita perante a aderência do
público para aquisição do CD.

A cantora diz ter gravado o disco a um ano e efectuou uma reedição visando a digressão a várias
províncias do país.

Dircy Sil revelou que a obra composta por 15 músicas foi gravada na Holanda e contou com a
participação de vários músicos, como Master Jak, Jhonny Ramos, Jaykay, Roger, abarcando os
estilos zouk e reggaetown.

Disse ainda que em virtude de ser uma cantora pouco conhecida por parte dos angolanos, por
residir no estrangeiro, tem em vista a realização de vários espectáculos para promover o álbum e
tornar-se conhecida perante o público do seu país de origem.

Ainda no quadro da apresentação do CD em Ndalatando, Dircy Sil realizou no fim-de-semana um


espectáculo numa casa de diversão.

Nascida a 4 de Janeiro de 1981,em Luanda, Dircy Sil iniciou a sua carreira musical na Holanda,
país onde reside desde 1996. O seu amor pela música e pela dança começou em Angola, onde
pertenceu ao grupo de dança Máquinas da Lambada.

03-01-2011 12:19

Malanje
Músico Ngunga MC lança disco 'Soldado da vida'

Malanje - O músico angolano Wilson Silva “Ngunga MC” colocou à disposição do público da
província de Malanje, no fim-de-semana, a sua primeira obra discográfica intitulada “Soldado da
Vida”.

A obra é comporta por 10 músicas tocadas no estilo de rap, que retratam a vivência do dia a dia
do angolano, nos vários domínios.
O disco foi produzido em Angola, editado e masterizado pela Angola Música, em Portugal, e contou
com a participação dos músicos Mandavela, Kid Mau, Noraldino, Chora Mel e Samara.

De acordo com o artista, a primeira tiragem foi de mil cópias, cujo lançamento oficial aconteceu a
17 de Dezembro de 2010, na província do Uíge.

Angop
07-01-2011 20:15

Literatura
Apresentado livro "Observatório
do Balão"
Luanda – O novo livro de crónicas do escritor
angolano Arnaldo Santos, intitulado "Observatório
do Balão", está disponível ao público desde hoje à
noite, com um conjunto de textos escritos pelo
autor, no período de 2007 a 2010.
O escritor Arnaldo Santos, autor do livro
Apresentada em Luanda, a obra tem trezentas e Observatório do Balão
quatro páginas, cerca de 120 crónicas e narra
diversos assuntos, como sociais, culturais, económico, político, desportivo e outras temáticas do
quotidiano.

O livro lançado sob á égide das Edições Novembro é o primeiro de um projecto daquela empresa,
que prevê a publicação de outros números de textos que fizeram parte das suas edições, com
destaque para o Jornal de Angola.

Segundo o autor, o livro é uma compilação do conjunto dos seus textos publicados no Jornal de
Angola, onde é assinante de um espaço desse género literário.

“Esse livro são crónicas que fiz com muito prazer e publiquei no Jornal de Angola, no qual ganhei
muita experiência, algumas bastantes marcantes”, confessou.

Apelou a direcção e aos funcionários das Edições Novembros a prosseguirem com o seu esforço,
dedicação e firmeza na sua missão, a fim de continuarem o trabalho de promoção e
desenvolvimento do jornalismo, da cultura e da literatura nacional.

“Há cerca de 30 anos recebi um telefonema para dirigir a empresa Edições Novembros, na qual fui
o seu primeiro director geral. Traçamos várias estratégias para o seu desenvolvimento, que na
altura não foram todos alcançados. Depois deste tempo todo, vejo que actualmente os objectivos
e metas preconizados estão a ser concretizado actualmente”, reconheceu.

Estiveram presentes na cerimónia, realizada no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, o vice-


ministro da Comunicação Social, Manuel Miguel de Carvalho “Wadijimbi”, além dos presidentes
dos conselhos de administrações das empresas públicas do sector, bem como jornalistas,
escritores, entidades religiosas, académicos, entre outras individualidades convidadas.

07-01-2011 23:01

Literatura
Edições Novembros lança primeira obra do seu projecto literário
Angop

Luanda – O livro de crónicas “Observatório do


Balão”, com texto publicados entre 2007 e 2010 no
Jornal de Angola, de autoria do escritor Arnaldo
Santo, lançado nesta sexta-feira, em Luanda,
constitui a primeira obra de um projecto literário
das Edições Novembro.
Exemplares do livro de crónicas
Ao falar na cerimónia do lançamento do livro,
Observatório do Balão, de Arnaldo Santos
presidente do Conselho de Administração das
Edições Novembro, José Ribeiro, frisou que a obra
“Observatório do Balão” inaugura o projecto literário da instituição que dirige, um acto enquadro
nas comemorações dos 35 anos da independência nacional, assinalado dia 11 de Novembro de
2010.

Explicou que o livro devia ser já apresentado ao público em Novembro de 2010, mas devido
alguns atrasos, só agora foi possível fazer o lançamento inaugural do projecto.

Segundo o responsável, as Edições Novembro vão continuar a publicar outros conteúdos


produzidos, ao longo dos anos, nas diferentes instituições da empresa, como Jornal de Angola,
Jornal dos Desportos e Jornal de Economia e Finanças.

Reafirmou que o projecto prevê reunir em livros as principais reportagens, crónicas, textos de
opiniões e entrevistas, saída de várias publicações da empresa Edições Novembro.

“As Edições Novembro irão, doravante, editar livros produzidos a partir de conteúdos publicados
no jornal de Angola, que é uma ideia deixada pelo falecido escritor Costa Andrade “Ndumduma”, a
nossa direcção”, revelou.

A par destas realizações, anunciou que as Edições Novembro vão editar também um livro de
estilos do Jornal de Angola, que será um manual de técnicas de jornalismo.

“O manual, que será vendido ao público, será bastante útil aos estudantes de jornalismo e aos
profissionais da classe que estão a iniciar a actividade”, argumentou.

Quanto a escolha das crónicas de Arnaldo Santos para a edição inaugural do projecto, justificou
que o facto se deve a qualidade apresentada pelo escritor que é um exímio poeta, romancista,
cronista há mais de meio século.

Reafirmou que a escolha de Arnaldo Santos não foi por acaso, mas por ser é um homem das artes
e um património cultural, cujas crónicas “Observatório do Balão” são publicadas há mais de três
anos, na última página do Jornal de Angola.

“Aprendemos que os grandes jornais só se fazem com grandes jornalistas e excelentes


colaboradores, neste âmbito, Arnaldo Santos entrou no projecto de relançamento de um jornal
que quer dignificar o país e o jornalismo nacional, no qual contamos sempre nestas acções com o
apoio do Executivo, em especial com Presidente da República, José Eduardo dos Santos”, frisou.

Estiveram presentes na cerimónia, realizada no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, o vice-


ministro da Comunicação Social, Manuel Miguel de Carvalho “Wadijimbi”, além dos presidentes
dos conselhos de administrações das empresas públicas do sector, bem como jornalistas,
escritores, entidades religiosas, académicos, entre outras individualidades convidadas.

09-01-2011 15:43

Malanje
Jornalista apresenta obra sobre legislação e normas sobre a
comunicação social em Angola
Malanje – O jornalista da Agência Angola Press (Angop), Paulo António Maria, apresentou sábado
nesta cidade, a sua primeira obra literária intitulada legislação e normas sobre a comunicação
social em Angola.

A apresentação do livro enquadra-se nas comemorações do 8 de Janeiro, dia da cultura nacional.

O livro conta com 665 páginas que retratam um breve historial sobre a comunicação social desde
1974 aos dias de hoje, e tem uma galeria de ministros para que os jornalistas, sobretudo da nova
geração conheçam quem foram os titulares do piro da comunicação social ao longo destes anos.

O trabalho descreve ainda alguma particularidade sobre as normas adjectivas e substantivas sobre
calúnias, injuria e difamação, que são que em muitos casos são apontados aos jornalistas.

Ao debruçar-se sobre o trabalho, o autor disse ser necessário que os jornalistas conheçam as
normas e as formas de actuação perante casos que ferem sensibilidades, para que possam ter
fundamentos de autodefesa, daí que é imperioso o estudo dos conteúdos inseridos no livro.

“Este livro tem como objectivo elevar a consciência jurídica dos jornalistas para que no seu dia a
dia possam acautelar o seu trabalho, fazendo um jornalismo responsável e sobretudo virado ao
interesse público”, enfatizou.

Esta é a segunda apresentação do livro sobre “Legislação e normas sobre a comunicação social em
Angola”, a primeira aconteceu a 4 de Janeiro último, na localidade de Teka-Dia Kinda (município
do Quela), por ocasião das celebrações do 50º aniversário do dia dos mártires da Baixa de
Cassenje.

A obra, editada em 2010 em Portugal pela editora casas das ideias, com uma tiragem de dois mil
exemplares, está a ser comercializado a preço de 3 mil kuanzas.

O livro já foi vendido nas províncias do Huambo, Luanda, Benguela.

Paulo António Maria é Jornalista da Angop desde 1983 e membro do conselho nacional da
comunicação social.

09-01-2011 18:20

Música
Lançado hoje segundo disco gospel do Cantor 'Bambila'

Luanda – “Há 1 Deus” é o título da segunda obra discográfica (gospel) do artista angolano, Manuel
Simão "Bambila", lançado hoje (domingo) no mercando nacional, no Largo de independência em
Luanda.
Ao falar à Angop, durante a sessão de vendas e assinaturas de autógrafos, o autor referiu que o
disco comporta músicas espirituais, com mensagens de consolo e esperança, bem como palavras
de Deus, prevendo um mundo melhor para todos.

“Este disco traz várias mensagens com palavras de Deus para iluminar o caminho da humanidade,
são louvores que fazem bem à alma e ao espírito das pessoas”, sublinhou.

Foram produzidas 15 mil exemplares do CDcópias que serão vendidos em Angola e no


estrangeiro.

“Já tenho convites para apresentar esse trabalho em alguns país estrangeiros como na África do
Sul, Brasil e Estados Unidos da América (EUA)”, realçou.

Quanto à afluência do público, Bambila considerou uma “bênção divina”, pelo elevado número de
pessoas que ocorreram ao local de vendas, para adquirirem o seu disco.

Produzido pela produtora Tamar Eventos, o álbum tem catorze faixas musicais e conta com as
participações dos cantores Gui Destino, Vado Azulai, Prince Muamba, Dodó Miranda, Irmã Sofia,
Mestre Elefante, entre outros artistas do estilo gospel.

Por outro lado, hoje o Parque da Independência registou também a venda do DVD do filme “Todos
os homens têm 14 anos e as mulheres 28”, do produtor e realizador angolano Bijú Garizim.

O filme, que já teve a sua estrea nas salas de cinema do país, foi lançado pela Angollywood
Production.

Bijú Garizim tem no mercado algumas obras como “A Única Filha”, “Desgraça da Vida”, “Crianças
Futuro”, “Primeiro Homem da Minha Vida”, e a saga “Também Vou lhe Trair I, II e III”.

09-01-2011 18:42

Lançamento
Cantor reconhece expansão da música gospel no país

Luanda – A expansão e o crescimento da música gospel no país foi reconhecida, hoje (domingo),
em Luanda, pelo cantor angolano Manuel Simão Bambila, conhecido do meio artístico como
“Bambila”, que lançou o seu segundo CD neste género musical, intitulado “Há 1 Deus”.

Em declarações à Angop, durante a sessão de vendas e assinaturas de autógrafos, o autor realçou


que a música religiosa está a ganhar cada vez mais espaço no mercado nacional.

Referiu que nos últimos tempos já se nota o interesse do público na compra de discos de música
gospel ou assistir espectáculos deste género artístico “facto que não era muito comum antes”.
“Só no meu caso, editei 15 mil cópias, mas já penso na reedição do CD, visto que tenho muitos
convites para apresentar esse trabalho nas restantes províncias do país, bem como no
estrangeiro. Isso demonstra bem a importância que a população está a dar a esse estilo de música
espiritual”, argumentou.

Justificou que o crescimento do movimento da música gospel no país é fruto do aumento da


qualidade dos próprios cantores, bem como um maior investimento neste segmento artístico.

Sublinhou que é a partir do estilo gospel que derivam a maioria de parte de géneros musicais
como o jazz, o blue, o rock, o pop, reggae, entre outros ritmos.

A Música gospel é uma composição escrita para expressar a crença individual ou de uma
comunidade com respeito a vida cristã.

O tema principal na maioria das músicas gospel é o louvor e adoração a Deus, a Jesus Cristo, e ao
Espírito Santo.

12-01-2011 19:45

Literatura
Apresentada obra "Poligrafia das páginas de jornais angolanos"
Luanda - O jornalista angolano António Tomás apresentou hoje, em Luanda, a sua segunda obra

literária intitulada “Poligrafia das Páginas de Jornais Angolanos”, uma colectânea de textos escritos
ao longo de três anos em vários jornais nacionais e internacionais.

De acordo com o autor, nas 255 páginas do livro, editado pela Casa das Ideias, procura abordar
diferentes questões versadas sobre política, tecnologia, amor, literatura, cinema, imagens, sons,
mundo, raça, e de outra índole.

“Este livro é, na verdade, um romance de ideias, um romance de crónicas escritas sobre o modo
de pensar a sociedade angolana, pensar política e poética”, considerou o autor, que apresenta um
estilo de escrita que procura descortinar crenças e convicções, de um mundo real ou que se quer
tornar real.

António Tomás nasceu em Luanda, em 1973. Nos anos noventa trabalhou como jornalista na
Rádio Nacional de Angola (RNA) e na Agência Angola Press (Angop). Licenciou-se em
Comunicação Social, pela Universidade Católica Portuguesa (Lisboa), onde trabalhou e colaborou
em várias publicações como o Jornal Público. Ali assinou textos críticos sobre literatura africana.

Tem também um mestrado em jornalismo.


Dia 14
Angop

Huambo
Penelas Santana vende 300
exemplares de sua obra literária
Huambo – Trezentos exemplares do livro “Algumas
razões que fazem o MPLA e Dos Santos ganharem
eleições” foram vendidos na noite de sexta-feira, na
cidade do Huambo, pelo autor da obra Penelas
Santana.
O escritor Penelas Santana
O escritor angolano manifestou-se satisfeito com a
aderência da população à cerimónia de
apresentação e venda da obra, que
decorreu no auditório da emissora provincial da Rádio Nacional de Angola.

Debruçando-se sobre a história de Angola, nos aspectos militares, sociais e democráticos ocorridos
ao longo dos anos, o livro tem 238 páginas e está a ser comercializado no valor de quatro mil
kwanzas.

No dizer do autor, "esta obra retrata os factos que aconteceram em Angola, que ainda ninguém
escreveu mais que são importantes para o povo, quer angolano ou estrangeiro, interessado em
saber a história de Angola e do MPLA".

De acordo com ele, o livro, escrito de forma clara e documentada, directa e sem ambiguidades,
apresenta o papel dos partidos políticos após a Independência Nacional, não fugindo às questões
polémicas, como a “colaboração do MPLA com Pierre Falcone” e a “queima das bruxas levada a
cabo por Jonas Savimbi”.

Por outro lado, disse que a obra para além de retratar a historia de Angola, homenagea o primeiro
presidente de Angola, António
Agostinho Neto.

Deu a conhecer que a obra tem a contribuição dos deputados Luís Falcão Pinto de Andrade,
Cristóvão Domingos Francisco da Cunha,
Mário Pinto de Andrade, João Pinto e de Eduardo Chingunji.

O também autor das obras literária "Crónicas da nossa gente", "Dikwatu, Mortes na sanzala",
"Quando o adultério é sinónimo de
amor" e o "O mundo não acaba quando termina uma relação", António da Rocha Penelas Santana
nasceu a 1 de Julho de 1981, em
Ndalatando, província do Kwanza Norte.

No Huambo, a cerimónia contou com a presença do vice-governador do para o sector económico e


social, David Barbosa, de membros do MPLA, do governo provincial local, jornalistas, docentes e
discentes universitários, escritores e outros convidados.

15-01-2011 16:26

Huíla
Ângelo Boss reconhece melhorias na música nacional
Lubango - O músico e compositor angolano Ângelo Boss reconheceu hoje, na cidade do Lubango,

província da Huíla, haver


melhorias significativas na maneira como os artistas nacionais interpretam as composições, o que
se traduz na qualidade musical nos seus mais variados estilos.

Falando hoje à Angop, nesta cidade, onde está hoje a vender o seu quinto trabalho discográfico
intitulado "Kizomba Muangolé", com dez faixas musicais, o artista afirmou que há dez anos que o
país vem registando uma evolução e crescimento desta tão importante disciplina, qualificação
notável não só na mensagem, mas também na instrumentalização, melodia e voz.

De acordo com ele, outro aspecto positivo tem sido a aquisição de vários equipamentos de alta
tecnologia, que se vai registando em todos estúdios amadores e profissionais, classificados e
espalhados pelo país.

Defendeu, por outro lado, mais abertura de espaços de gravação e masterização de CD, para que
não seja necessário ir aos estrangeiro, fazendo que os artistas tenham mais possibilidades de
divulgar a cultura nacional através da música.

"A música é um elemento fundamental e indispensável para o fortalecimento e desenvolvimento


da nossa cultura nacional, que através dela exprimimos o nosso sentimento em cada estilo e
língua", considerou o músico.

O novo CD de Ângelo Boss traz tema como "Dá valor no meu amor", "Xé coração", "kizomba
Muangolé", "Minas de diamantes", "Calumba muxima", "História do Semba" e "Quem sou eu",
interpretados nos estilos de Zouk e Kilapanga.

DIA 23
23-01-2011 20:53

Música
DJI Tafinha lança terceiro CD em Luanda

Luanda – O cantor angolano Carvalho Júnior ”DJI Tafinha” lançou hoje, domingo, em Luanda, o
seu terceiro disco intitulado Independente, com 11 faixas.

O disco foi editado pela empresa angolana Freakshino, num total de 15 mil exemplares, dos quais
seis mil começaram a ser vendidos hoje na Praça da Independência, onde se registou uma grande
moldura humana.

O disco contou com as participações dos músicos Matias Damásio, Punidor, Saiem, entre outros.

Segundo o autor, todas as províncias do país serão contempladas com as vendas do disco, sendo
a Huíla a primeira a beneficiar.

Natural da Lunda Norte, DJI Tafinha nasceu a 5 de Maio de 1986, e é estudante de Ciências
Humanas na Universidade Católica.

Em 2008 lançou o seu primeiro álbum intitulado “Preto no Branco”, e no mesmo ano voltou a
editar o segundo, com o titulo “Hard Core”.