Você está na página 1de 32

Prof.

Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
É um sentimento que proporciona um
estado de alerta demonstrado pelo receio
de fazer alguma coisa, geralmente por se
sentir ameaçado, tanto fisicamente como
psicologicamente.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
Porque traz a exposição das pessoas a um
público desconhecido. É o medo do
julgamento alheio.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
É a arte de falar em público.
(Dicionário Aurélio)

Alguns questionamentos:

E o que é falar?

Falamos apenas com a voz?

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
93% da comunicação de um orador é não
-verbal. Então, falar é muito mais do que
dizer com a voz. Falar é se expressar
através do corpo.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
As palavras podem mentir, mas o corpo
não. O corpo é o retrato fiel de tudo o
que pensamos. Então, atente para o seu
corpo. Atente para a sua postura
corporal.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
Fale do assunto que você tenha
conhecimento. Tenha domínio sobre o
tema. Fale de forma objetiva. Não queira
impressionar a platéia e nem subestime
a capacidade do seu público. Para isso,
conheça a audiência para quem você vai
falar. Conheça o seu público.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
A plateia não perdoa. O ser humano julga
a todo instante o próximo. Procure
conquistar a platéia. O seu público julgará
você nos quatro primeiros minutos da sua
apresentação.

Observação: não esqueça: a primeira


impressão é a que fica.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
Percepção é a interpretação dos
sentidos. É individual. Muitas vezes
subjetiva e não condizente com a
verdade.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
O orador, no primeiro momento, retira
a platéia da sua zona de conforto.
Isso é resultado do não
conhecimento que se tem em relação
ao orador. O mesmo pode-se dizer da
plateia.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
É como se dará o retorno da platéia a sua
zona de conforto. Esta responsabilidade
cabe ao orador.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
Eis aqui o maior desafio do orador. Em
todo o processo da oratória, está na
credibilidade o seu sucesso ou não.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
A voz do orador é a sua impressão
digital.

“ A voz é o espelho da alma”


(Galeno, médico da antiguidade)

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Nunca atrase o início da sua apresentação.

 O mesmo equivale para a parte final: não se


estenda demais.

 Respeite o tempo de sua apresentação.

 Quebre o gelo

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Fale com as mãos em oblação.

 Dedos soltos.

 Interaja com o seu corpo e se movimente pela


área disponível.

 Quando não estiver em movimento, esteja fixo


em diagonal para sua audiência.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Faça um roteiro.

 Treine no espelho.

 Conheça o seu perfil.

 Prepare-se para possíveis improvisações.

 Chegue pelo menos uma hora antes do início da


apresentação e teste os recursos.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Avalie o volume da sua voz no ambiente. Sendo
preciso, faça uso do microfone.

 Evite vícios de linguagem.

 Homens não colocar mãos no bolso.

 Mulheres cuidados com movimento do cabelo


(sensualidade).

 Atente para a adequação da roupa.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
Seja eloqüente, persuasivo.

Olhe para toda a platéia.

Olhe nos olhos da platéia.

Nunca fale mais do que 7 minutos de improviso.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
Quadro geral
Domine o tema. Fale sobre o que você Verifique a disposição das cadeiras e
sabe e que seja de interesse do como a plateia estará arrumada.
público.

Esteja preparado para possíveis Ensaie e atente para o tempo. Não


imprevistos. Não improvise mais do canse a pateia e não tenha um
que 7 minutos. desempenho inferior às expectativas
do público.

Atente para os recursos. Teste antes. Procure quebrar o gelo logo nos
Use um laser point. minutos iniciais.

Atente para a formatação do material, Você tem 4 minutos para criar empatia
conteúdo que será exposto. com a plateia.

Tenha uma noção do perfil da sua Atente para a finalização. Procure


plateia. Atente para a linguagem. encerrar com chave de ouro.

Atente também para a linguagem não


verbal. Cuidado com a roupa. Cuidado Não tenha medo. Faça do medo a sua
com os gestos e a disposição das motivação.
mãos e do corpo.

Conheça previamente o espaço. Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
Prof. Alan Victor - Relações
Públicas & Marketing
 Não faça uso de material para leitura.

 Não leia seu material mesmo que em slides ou em


transparências.

 Lembre: o saber está em você e não no recurso.

Treine e veja quanto tempo cada slide necessita


para ser visto pela plateia.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Atente para a formatação da fonte.

 Avalie o ambiente com o tamanho da fonte.

 Normalmente a fonte número 24 atende.

 Utilize fonte tipo verdana.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Não utilize mais do que 3 cores na
formatação do material.

 Atente para o tom dégradé das cores.

 As cores precisam se fundir.

 Lembre: o que tem que chamar atenção é o


conhecimento e não o material em si.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Apenas exponha a ideia central do que será
falado.

 Exponha somente tópicos.

 Não escreva mais do que 5 linhas por


slides.

 Por linha não escreva mais do que 7


palavras.
Prof. Alan Victor - Relações
Públicas & Marketing
 Cuidado com erros de português.

 Cuidado para o uso excessivo de figuras.

 É interessante que se tenha algum tipo de


desenho nos slides desde que não canse
visualmente.

 Atente para a sintonia da figura com o que


estará sendo exposto.
Prof. Alan Victor - Relações
Públicas & Marketing
 Na dúvida sobre o uso de figuras, não faça.

 Atente para a formatação do plano de fundo


do material.

 Cuidado ao fazer uso de animações no


material.

 Quanto mais objetivo, melhor.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
Prof. Alan Victor - Relações
Públicas & Marketing
 Não há necessidade de todos falarem.

 Centralizar a apresentação no componente


que mais tem facilidade de falar em público.

 Todos precisam estar uniformizados. Ideia


de homogeneidade.

 O componente ao abrir apresentação deve


também finalizar. Ideia de fechamento.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Quem abrir a apresentação deve apresentar
a equipe e dar uma ideia geral do que será
exposto.

 O espaço de apresentação (a bancada)


nunca deve ficar vazio.

 Cada componente espera o outro e somente


se retira quando o colega já estiver na
bancada.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Cada componente deve encaminhar a
apresentação dizendo: “A apresentação
continua com Fulano da Silva, que irá falar
sobre...”

 É preciso que um componente da equipe


esteja no comando dos slides.

 É preciso haver sintonia entre quem estiver


no comando dos slides com o colega que
estiver apresentando.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Todos da equipe devem estar atentos à
apresentação.

 Caso algum componente não tenha


condições de continuar, o colega que fez a
abertura deve dar continuidade.

 Todos os demais componentes devem estar


sentados em cadeiras perto da bancada.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing
 Todos da equipe devem ter o seu próprio
laser point.

 Nunca discordar de algum colega ou se


contradizer com falas anteriores.

 Ninguém da equipe deve se posicionar em


frente ao recurso.

Prof. Alan Victor - Relações


Públicas & Marketing

Interesses relacionados