Você está na página 1de 5

1

IGREJA EVANGÉLICA LUTERANA DO BRASIL


CEL Martinho Lutero e CEL Cristo Redentor
Pastor Cezar Squiavo Schuquel
Curso de Doutrina
Em nosso primeiro estudo, vimos que a única forma pela qual
podemos conhecer o Deus verdadeiro é a Bíblia. Vimos também como
podemos julgar uma doutrina se é Bíblica ou não. Hoje vamos estudar
uma das principais revelações de Deus: A Trindade.

QUEM É O DEUS VERDADEIRO?

A respeito de Deus, a Bíblia nos ensina (em resumo):


1 − que o único Deus verdadeiro é o Deus triúno: Pai, Filho e Espírito
Santo;
2 − que as três pessoas da Santíssima Trindade são inconfundíveis e
distintas entre si, mas iguais em poder, glória e majestade;
3 − que ao Pai é atribuída, especialmente, a obra da criação, ao Filho, a
obra da redenção, ao Espírito Santo, a obra da santificação;
4 − que somente este Deus deve ser cultuado, adorado e invocado.
➨ Mt 3.16-17: “Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe
abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba,
vindo sobre ele. E eis, que uma voz dizia: Este é o meu Filho amado,
em quem me comprazo.”
➨ Mt 28.19: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações,
batizando-os em nome doPai e do Filho e do Espírito Santo”.
➨ Dt 6.4: “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Deus”

COMO DEUS É?
1 - Deus é um Espírito e tem entidade.
➨ Jo 4.24:“Deus é espírito: e importa que os seus adoradores o
adorem em espírito e em verdade.” (Ex 3.14, Cl 1.16)

2 - Deus é invisível ao olho humano.


➨ Jo 1.18:“Ninguém jamais viu a Deus.”

3 - Deus é eterno e imutável. Não existe o fator tempo para ele,


embora ele habite conosco no tempo. Não podemos compreender a
eternidade ou Deus; não podemos compreender como pode alguém
não ter começo e ser sempre o mesmo, mas é isto o que a Escritura
nos ensina a crer. O fato de Deus ser eternamente o mesmo é
maravilhoso e confortador.
2
➨ Sl 90.1-2: “Senhor, tu tens sido o nosso refúgio, de geração em
geração. Antes que os montes nascessem e se formassem a terra e o
mundo, de eternidade a eternidade tu és Deus.” (Tg 1.17; Sl 102.27)

4 - Deus é todo-poderoso. Ele tem poder para fazer o que deseja.


Ele pode cumprir tanto as suas ameaças de punição como as suas
maravilhosas promessas de amor e bênçãos.
➨ Gn 17.1: “Eu sou o Deus Todo-Poderoso”; Mt 19.26: “Para Deus
tudo é possível” (Sl 115.3; Ef 3.20; Lc 1.37, Sl 33.9;Rm 1.16)

5 - Deus é onipresente. Está em toda a parte ao mesmo tempo,


não apenas em parte, mas totalmente. Isto é um alerta para aqueles
que são rebeldes e o negam, bem como um conforto para aqueles
que nele confiam e o buscam.
➨ Jr 23.24: “Ocultar-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu
não o veja? − diz o Senhor; porventura, não encho os céus e a terra? −
diz o Senhor.” (1Rs 8.27; (Sl 139.7-12; Gn 17.1; Is 41.10)

6 - Deus é onisciente. Ele conhece todas as coisas. Ele conhece


meus pecados secretos e conhece minhas tristezas também. Nada
está escondido. Minha vida é como um livro aberto para ele.
➨ Sl 139.1-4: “Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando
me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus
pensamentos. Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar, e conheces
todos os meus caminhos. Ainda a palavra não me chegou à língua, e
tu, Senhor, já a conheces toda.”i (1 Sm 2.3; 1Jo 3.20; Pv 15.3; Is 66.2)

7 - Deus é santo, absolutamente puro, sem pecado. Nada que é


mau pode chegar diante dele. Mas eu posso chegar quando
purificado do meu pecado no sangue do Cordeiro − Jesus Cristo.
➨ Is 6.3: “Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos.” (Ex 15.11; Lv
19.2; Sl 5.4)

8 - Deus é honesto e justo. Não demonstra favoritismo e faz o


que é direito.
➨ Dt 32.4: “Deus é fidelidade e não há nele injustiça: é justo e reto.”
(Sl 92.15; Gl 3.10)

9 - Deus é misericordioso, gracioso e perdoador. Ele tem


paciência com aqueles que pecam contra ele e mostra sua
misericórdia perdoando todos aqueles que pedem perdão em nome
de Cristo.
3
➨ Êx 34.6-7: “Senhor, Senhor Deus compassivo, clemente e
longânimo, e grande em misericórdia e fidelidade; que guarda a
misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniqüidade, a
transgressão e o pecado.” (Mt 19.17; Sl 145.9; Rm 11.6; Ne 9.17; 2Pe
3.9)

10 - Deus é amor. Ele amou tanto a cada um de nós seres


humanos, que deu o seu único Filho como Salvador de todos. Seu
amor por mim é mais alto que os céus, mais profundo que o mar e
permanece para toda a eternidade. Deus realmente me ama.
➨ 1 Jo 4.8: “Deus é amor.” (Jo 3.16; Jr 31.3)

COMO DEUS SE REVELA


Como já observamos, a Bíblia nos ensina que Deus é um só,
único; mas também, ela nos diz que Deus é três pessoas ao mesmo
tempo: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo. Esta doutrina
bíblica foi chamada pelo cristianismo de Trindade. Não há três
deuses, mas um só Deus, uma só essência e natureza divina
constituída de três pessoas distintas entre si.
Para ilustrar esta verdade, foram criados diversos símbolos que
tentam representar diversos aspectos diferentes da Trindade.
Vejamos alguns deles:

Triângulo Círculos Triqueta


Círculo
entrelaçado
s

Vamos agora ver nas páginas da Bíblia, trechos que nos falam a
respeito da Trindade: Agora vamos fazer os seres humanos, que
serão como nós, que se parecerão conosco. Eles terão poder sobre os
peixes, sobre as aves, sobre os animais domésticos e selvagens e
sobre os animais que se arrastam pelo chão. (Gn 1.26); (Mt 28.19); Mt
3.16-17; 2 Co 13.13; Nm 6.24-26)
Há, porém, outras passagens que nos ensinam que há um só e
único Deus: “E sabemos que existe somente um Deus. Pois existem
os que são chamados de "deuses", tanto no céu como na terra, como
também existem muitos "deuses" e muitos "senhores". Porém para
nós existe somente um Deus, o Pai e Criador de todas as coisas, para
quem nós vivemos.”(1 Co 8:4-6); (Dt 6.4; Mc 12.29-30; Tg 2.19)
Embora a palavra Trindade não apareça na Bíblia, o seu
conteúdo está claramente exposto no Livro de Deus, como o
4
demonstram as passagens que vimos acima (“Tri” + “Unidade” =
“Trindade”).
Vejamos agora versículos que provam que cada uma das
pessoas da Trindade não se misturam com a outra, sendo, porém,
cada uma é verdadeiro Deus.

O Pai é verdadeiro Deus: “Que te conheçam a ti, o único Deus


verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”(Jo 17.); (Jo 3.16; Mt
5.48; Jo 15.26; Gl 4.6; Jo 20.17; Ml 2.10; Ef 3.14-15; 31 Co 8.6)
Ele é distinto do Filho: Deus deu “o seu Filho unigênito (Jo 3.16).
É também distinto do Espírito, já que ungiu Jesus de Nazaré com o
Espírito Santo e com poder (At 10.38). Em Gálatas 4.6 Deus se mostra
distinto do Filho e do Espírito: “Enviou Deus aos nossos corações o
Espírito de seu Filho”.

O Filho (Jesus Cristo) é verdadeiro Deus: ”Sabemos também que


o Filho de Deus já veio e nos deu entendimento para conhecermos o
Deus verdadeiro. A nossa vida está unida com o Deus verdadeiro,
unida com o seu Filho Jesus Cristo. Este é o Deus verdadeiro, e esta é
a vida eterna.” (1 Jo 5.20); (Rm 9.5; Jo 5.23; Jo 10.30; Cl 2.9; Jo 1.14;
Mt 28.18-20)

O Espírito Santo é verdadeiro Deus: “Então Pedro disse a


Ananias: -Por que você deixou Satanás dominar o seu coração? Por
que mentiu para o Espírito Santo? Por que você ficou com uma parte
do dinheiro que recebeu pela venda daquele terreno? Antes de você
vendê-lo, ele era seu; e, depois de vender, o dinheiro também era
seu. Então por que resolveu fazer isso? Você não mentiu para seres
humanos mentiu para Deus!” (At 5.3-4); (1 Co 3.16; Jo 14.16; Jo
15.26; 1 Co 6.11; 1 Co 2.10)
A compreensão racional desta doutrina vai além da fraca
capacidade humana de pensamento: é supra-racional, isto é, está
acima da razão. Por isso, a Trindade é assunto de FÉ. É preciso
aceitar a revelação de Deus e humildemente confessar: “Senhor, não
posso compreender como tu és um só Deus em três pessoas
distintas, mas CREIO que é assim tão somente porque tu o disseste!”.
Todas as tentativas de explicar, racionalmente essa doutrina levaram
à divisão da igreja e muitos se desviaram da fé verdadeira.
Por causa disto, surgiram no início da Igreja Cristã os chamados
“Credos” que, como o próprio nome o diz, eram breves formulações
que continham um resumo da fé cristã; os Credos eram aceitos e
professados por todos os cristãos, isto é, que criam, tinham fé,
naquilo que ensinavam.
5
Existem três Credos considerados Ecumênicos ou Gerais que
são:
1º - O Credo Apostólico teve origem no tempo dos apóstolos e é,
portanto, o mais antigo. 2º - O Credo Niceno foi elaborado no Concílio
da Igreja Cristã realizado na cidade de Nicéia, no ano 325 dC.; esta é
a razão pela qual se chama “Niceno”. 3º - O Credo Atanasiano tem
este nome por ser atribuída ao pai eclesiástico Atanásio a sua autoria;
não se sabe bem quando foi escrito, mas calcula-se que tenha sido
entre os séculos sexto e sétimo (600-700 dC.)
Por serem expressões da doutrina bíblica cristã, os Credos
sempre foram e são preservados, confessados e estudados entre os
cristãos. Veja, por exemplo, que a confissão do Credo está presente
em nosso culto.

A IMPORTANCIA DO ESTUDO DA TRINDADE


Algumas pessoas afirmam que “o importante é acreditar em
Deus”. Pensando assim, defendem a idéia de que não há necessidade
de se estudar as doutrinas bíblicas e, principalmente, a Trindade. No
entanto, essa doutrina é clara e é importante para nossa vida. Pois ao
ignorarmos essa revelação de Deus nos desviamos do caminho de
Deus.
Muitos negam Jesus como Deus, o aceitam apenas como o
Arcanjo Miguel ou como uma forma de manifestação de Deus. Outros
negam o Espírito Santo e o confundem com o Pai. Isso revela a
confusão que a ignorância sobre a Trindade pode causar. A Bíblia
adverte: “Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai” (1 Jo
2.23) e “Aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1 Jo
5.12), além disso Jesus afirma: “Que todos honrem o Filho de modo
que honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que o
enviou”.
A Trindade também é importante no nosso relacionamento com
Deus no dia-a-dia. Ela nos revela que Deus não é um ser solitário,
mas um Deus de comunhão que compartilha consigo mesmo (dentro
da Trindade). Por isso, Deus nos criou e que interagir conosco e
compartilhar do Seu amor para conosco.