Você está na página 1de 1

Pediatria com 245 mortes por doenças respiratórias agudas

Chegada tardia ao hospital na base de muitos óbitos em 2014.

Por Agência Lusa.

0 Comentários

Hospital Pediátrico David Bernardino[ Ampe Rogério/RA ]


RELACIONADAS

Quatro suicídios registados este mês em Luanda•Papa defende a contracepção para evitar proliferação do vírus Zika•Ébola volta a
matar na Serra Leoa•Universidade Agostinho Neto terá doutoramento em medicina•Mais de quatro mil toneladas de lixo recolhidos•

As doenças respiratórias agudas causaram 245 mortes entre os 2.503 casos registados na pediatria de Luanda em 2014, mas
a anemia severa, com 6.786 pacientes, liderou a lista de internamentos na capital, informou ontem fonte daquela unidade
hospitalar.
Os dados foram avançados pela directora clínica do Hospital Pediátrico David Bernardino, Elsa Gomes, realçando que as
estatísticas são melhores do que as do ano anterior.
“Em 2013, internamos uma média de 70 crianças, ao contrário de 2014, em que foram apenas 50 crianças, tudo fruto da
instituição porque existe uma rede periférica que começou a funcionar melhor”, disse a directora clínica, citada pela Angop.
Elsa Gomes adiantou que no ano passado morreram na pediatria de Luanda 89 crianças com anemia severa e outras 194
faleceram por malária, em 2.610 casos notificados.
Segundo a responsável, uma média de três a quatro crianças morreram diariamente naquele hospital, considerando tratar-se
de “uma estatística muito alta”.
Sublinhou ainda que a chegada tardia ao hospital continua na base do elevado número de mortes, já que entre 50 a 60 por
cento das crianças morrem 48 horas após o atendimento.
A médica destacou que houve a redução em 260 casos de meningite comparativamente ao ano de 2013, fruto da introdução
da vacina Pneumo 13 no calendário nacional.
A responsável acrescentou que nos dois anos anteriores registava-se naquela unidade hospitalar uma média de 300 casos por
ano, número reduzido para 40 em 2014.