Você está na página 1de 11

Universidade de Belas

Faculdade de ciências sociais e economicas


Trabalho de Informática

TEMA:

A delinquência Juvenil em Angola

Sala nº 09
Turma: A O Docente
1º Ano
Curso: Contabilidade e Gestão
Integrantes do grupo

Nº 18104 Gilberto Kiluange Muhongo


Problemática++: é a mola percursora de todo trabalho científico. Temos como o
seguinte: o que se deve fazer para combater a criminalidade em Angola
Índice
Introdução

A delinquência juvenil tem-se tornado num problema muito grave e com consequências
preocupantes na sociedade nos últimos anos. Talvez por existir cada vez mais
informação sobre as práticas destes jovens, na sua grande maioria inadaptados ou
simplesmente necessitados, aparecem agora vozes que tentam sensibilizar a opinião
pública para a solução desta questão, tarefa tremenda quando não existe vontade nem
sensibilidade por parte do Governo e das outras instituições competentes.Os tribunais
conhecem cada vez mais casos de furto, posse de armas e de drogas, agressão e abuso
sexual praticados por jovens que ainda não atingiram a idade adulta. À força de tanto
presenciarem comportamentos recrimináveis pela sociedade (tráfico de droga, resolução
de conflitos com recurso à agressão, furto, delinquência juvenil), os pré-adolescentes
oriundos de meios problemáticos têm grande dificuldade em falar do bem, ou de sequer
tentar seguir outro caminho que não o da criminalidade.
Surgimento da Delinquencia Juvenil em Angola
Angola tal como qualquer outra sociedade humana , esta sujeitar a se subter a este
fenomeno social que afecta todas as sociedades do mundo inteiro , pelo simples facto de
que enquanto houver familias , haverá sempre delinquencia juveil, só que com o passar
dos tempos este ,mal tem tendencia negativa sobre as sociedades subdesenvolvidas
como é o caso de angola .Porque os jovens em angola , querem ter a mesma liberdade
dos jovens europeus , e Americanos que veem na televisão e revistas , sem estarem
cienctes de que o nosso pais não oferece condições adequadas para lhes favorecer o
clima de libertinagem que os jovem europeus e Americanos de familias ricas .

Primeiro porque a maior parte das familias angolanas vive em condições não muito
precarias , ou luxuosas , mas na medida do possivel .É que os pais mal têm para
alimentar os seus filhos imagina ter que lhes fazer a vontade , atendendo aos seus vicios
( Como por exemplo atender ao pedido das grandes festas que estes realizam , que
sempre acabam em intrigas ferimentos e mortes ; embriagues e acidentes ) e desejos .

Porque os jovens angolanos hoje não querem nada com o estudo , querem todos ser
americanos e Brasileiros ,só tchilar e cair na noite.Desepcionando seus pais com estes
estilos de vida que eles estão hoje a levar .

CAUSAS DA DELINQUENCIA JUVENIL EM ANGOLA

A delinquencia juveil em angola tem as causas que as a maioria dos angolanos ja


conhece muito bem , a pobreza não é uma excepção .Sabemos que o país esteve
mergulhado num conflito armado que atrasou por completo o desenvolvimento tecnico ,
social , economico, e politico.Sabemos tambem que a guerra atrasou o que de bom seria
angola hoje.Mas com alguns anos de paz fomos empurrados de forma ventilosa para
esta correria da globalização , tardou mas conseguimos , estar par e passo com outros
países como Namibia e Africa do Sul num pe de igualdade em termos de
desenvolvimento social e economico ( sem esquecer o cultural .O que os jovens
aprendem de ruim nas televisões internacionais , e revistas não têm visto na TPA ,mas
sim nas televisões internacionais , como as parabolicas .Neste contexto o governo nada
pode fazer se não saber consciencializar os jovens , e capacitalos nas escolas e
instituições afins

A delinquencias juvenil em angola tem causas como :

 pobreza : A pobreza aflige 85% das familias em angola .Parece mentira mas
muitas familias em angola se têm distorcido por causa da pobreza , o cabeçalho
da familia não se contem com apenas uma mulher querendo sempre ter mais
uma e com ele a sombra de filhos se arrastando por esta angola a fora .deixando
algumas mulheres criando os filhos sozinhas , o que com o passar dos tempos ,
os filhos começam por odiar seus pais e mais tarde a sociedade em geral ,
provocendo conflitos miudos na escolas e mais tarde , quando crecido o
delinquente perfeito que a policia precisava para ganhar o dia e preencher mais
uma cela com um bastardo.

 Educação : Numa sociedade marcada por uma crescente crise de valores ,


como é o caso da nossa sociedade angolana , tendo em conta as perspectivas
acima abordada gostaríamos de relfetir sobre o papel da educação num projecto
de construção de uma nova sociedade .A educação senhores é a pedra basilar de
desenvolvimento de qualquer nação, através do qual o presente é edificado e o
futuro é garantido, é acima de tudo , através dela, numa sociedade democrática
emergente que vivemos , que criamos as condições para formação de um povo
consciente de seus deveres, direitos e obrigações, pois somente projetando bons
educando e educadores visualizaremos perspectivas e horizontes positivos e
benéficos num amanhã vindouro, até porque não é por acaso que se costuma
dizer "" o futuro de uma mora numa boa educação"" e neste mundo globalizado
a formação de quadros capacitados é o grande sustentáculo para o progresso e
para maior compreensão dos fenómenos socio-econômicos , psicotécnicos e
principalmente para nos angolanos entender melhor os fenómenos naturais e
sobretudo culturais que abundam em nosso país( etnias, tradições, línguas,
hábitos, usos e costumes ).

 A falta de Apoio Adequada : A falta de asistencia adequada por parte dos pais
, amigos do estado e da sociedade em geral , distraidamente os pais vivem a sua
vida sem saber o que seus filhos tem aprontado durante a noite .Os professores ,
só querem saber em despejar materia para os alunos nas escolas , não se
preocupam com seu discentes , o importantes para eles é chegar cedo dar sua
aula e esperar no fim do mesmo seu salário .Os professores devem insentivar as
actividades estra-escolares , como o desporto ,prática de actividades que
ocupem os alunos mais tempo nas escolas do que na rua , façam feiras ,
realizem algo que prenda o aluno a uma aprendizagem como é o caso dos
jovens japoneses e chineses , icentivam actidades culturais como teatro ,aulas
gratis de musica, escola gratuita de teatro e formação de actores como sabem
nem todos têm dinheiro para pagar tais cursos , antes gastar o dinheiro num
telefone roubado ou numas peças de roupas ou ate mesmo numas cervejas .Por
isso o estado deve ter mas atenção assim como o corpo docente das escolas
públicas e privadas , facilitar de forma gratuíta estas actividades gratuitas aos
jovens dos 12-18 anos e dos 20 - 38 anos de idade .

 A policia : A policia não deve querer somente prender , maltratar .A policia


deve ser a primeira entidade educadora e antecipadora formadora ,e mentora
dos jovens , propondo uma educação policial, dando nas escolas palestras sobre
como os jovens devem ou podem ser livres do mundo do crime já que na escola
nem sempre aprendemos tudo o que precisamos para sermos sere
completamente acabados ,prontos para viver .A policia deve e pode tentar criar
programas educativos nas escolas , de forma a formar o jovens e alerta-los dos
perigos que a vida social apresenta , assim como as consequência que advem
dos males que estes cometem e deve ser uma actividade vitalicia , realizadas por
pessoas e jovens competentes que passaram por experiências de géneros , e
saber cativar os mesmos , se for possivel projecção de filmes e outros atrativos
educativos de formas a mante-los cientes de que a vida não é só liberdade ,
bebedeiras , roubos , violência , soberba, a vida é tambem , justiça respeito e
tolerância , paciência acima de tudo.

A delinquência juvenil tem-se tornado num problema muito grave e com


consequências preocupantes na sociedade Angolana nos últimos anos

Talvez por existir cada vez mais informação sobre as práticas destes jovens, na sua
grande maioria inadaptados ou simplesmente necessitados, aparecem agora vozes que
tentam sensibilizar a opinião pública para a solução desta questão, tarefa tremenda
quando não existe vontade nem sensibilidade por parte do Governo e das outras
instituições competentes.Os tribunais conhecem cada vez mais casos de furto, posse de
armas e de drogas, agressão e abuso sexual praticados por jovens que ainda não
atingiram a idade adulta. À força de tanto presenciarem comportamentos recrimináveis
pela sociedade (tráfico de droga, resolução de conflitos com recurso à agressão, furto,
delinquência juvenil), os pré-adolescentes oriundos de meios problemáticos têm grande
dificuldade em falar do bem, ou de sequer tentar seguir outro caminho que não o da
criminalidade.

Na sua grande maioria provenientes de bairros degradados e de famílias não


acompanhantes, os jovens delinquentes vão formando ideias e adquirindo
comportamentos agressivos e condenáveis do ponto de vista sócio-moral.

O combate a delinquência juvenil

O combate a estes problemas devia começar na escola, na idade em que ainda se


consegue educar uma criança de modo a esta poder distinguir o bem do mal, o certo do
errado. Parece simples e demasiado fácil, mas temos que começar por algum lado. Se
conseguirmos que uma criança, habituada no seu dia-a-dia a assistir a situações ilícitas e
moralmente condenáveis, adquira essa percepção básica do que é viver em sociedade, é
o princípio para se poder reduzir drasticamente a delinquência juvenil. A escola pode, e
deve, desempenhar um papel importante, não só na formação cultural dos alunos, como
também na formação do seu próprio comportamento moral e social.Quando se chega ao
ponto de ouvir de uma pequenita com apenas 10 anos, moradora num bairro degradado,
que “Eu cá quero ser traficante, porque dá muito dinheiro”, ou então de um rapaz de 14
anos que, todo orgulhoso, afirma que “até a bófia tem medo de nós. Aqui só entra de
caçadeira.”, é sinal de que algo vai mal neste país.

No entanto, não devemos remeter estes jovens para um estatuto de incapazes, vendo-os
como uns coitadinhos. Temos é de compreender o meio que os envolve e o modo como
vivem. A maioria deles reside em locais fechados, onde não há mistura social e onde se
concentram referências negativas. Jovens que têm, na sua grande maioria, insucesso
escolar garantido, que faltam às aulas sistematicamente, mantendo-se matriculados até
aos 16 anos (porque é obrigatório) para saírem, depois, sem qualquer preparação para
enfrentar a vida real. “Já sei ler e escrever, e isso já é suficiente para viver”, dizem
muitos deles quando se lhes pergunta porque razão não querem continuar na escola, ou
porque faltam tanto às aulas.

Esta é uma realidade preocupante que em vez de estar a ser combatida e prevenida, está,
pelo contrário, a ser desvalorizada pelos responsáveis institucionais, apenas por não
quererem admitir o que já se tornou óbvio. A delinquência juvenil em Portugal tem de
ser combatida, não apenas através de meios de repressão, mas também, e acima de tudo,
por medidas preventivas eficazes no combate à pobreza, à exclusão social e ao
analfabetismo.Não é reduzindo cada vez mais a idade em que um jovem pode ser
responsável criminalmente pelos seus actos que se vai solucionar este problema. Veja-se
o exemplo dos Estados Unidos da América em que, apesar de crianças com 14 anos
serem julgadas como adultos, todas as semanas assistimos a casos de assassínios
perpetrados por jovens adolescentes, muitas vezes nas escolas onde estudam.É
indiscutível que precisamos de leis mais eficazes e de tribunais mais duros, no entanto a
repressão não é o caminho ideal. Se assim fosse era sinal que já não havia esperança
para Portugal. Estaríamos numa sociedade onde a prevenção já não obtinha qualquer
efeito, apenas a repressão contava. Mas, como ainda nos falta muito para chegar a esse
ponto de não retorno, lá diz o povo “mais vale prevenir que remediar

Conclusão
Feita a análise minuciosa do trabalho que tem como tema a delinquência juvenil
concluimos que são muitos factores que influeciam na organização de jovens para
aderir a delinquência temos a salientar a desagregação dos familiares, o
desemprego, o não acompanhamento dos filhos na fase da adolescência, o mal
ambiente que os jovens levam, a integração dos jovens nos grupos anti sociais, a
influência de bebidas álcoolicas bem com drogas.