Você está na página 1de 32

RESOLUÇÃO SESA nº 0318, DE 31 DE JULHO DE 2002

O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso de suas atribuições, de acordo com
o disposto na Lei Federal n.º 8080/90, artigos 15, I e XI, 17, III e XI e na Lei Estadual
n.º 13.331, de 23 de novembro de 2001 e Decreto Estadual n.º 5.711, de 23 de maio de
2002, artigo 577, considerando:
- Que os serviços de interesse à saúde, artigos 444 e 445 do Código de Saúde do
Estado, são de relevância pública estando sujeitos a regulamentação, fiscalização e
controle pelo Poder Público;
- Que o Estado do Paraná possui dever constitucional de proteger a saúde de seus
cidadãos;
- A necessidade de manter os serviços de interesse à saúde em elevada qualidade,
isentando os usuários da propagação de patologias e de outros danos à saúde;
- Que o Sistema Único de Saúde consagrado constitucionalmente, atribui
competência legal para que o Estado do Paraná execute ações de Vigilância
Sanitária e Controle de Avaliação, quando tais atos forem necessários para
manutenção da qualidade dos serviços de saúde e de interesse à saúde prestados.

RESOLVE:

Artigo 1º - Aprovar a Norma Técnica, em anexo, que estabelece exigências sanitárias
para instituições de ensino fundamental, médio e superior, bem como cursos livres no
Estado do Paraná.

§ 1º - Definem-se por “Instituições de Ensino Fundamental, Médio e Superior, bem
como Cursos Livres”, escolas que preparam crianças, jovens e adultos:
- Ensino fundamental (1ª a 8ª séries);
- Ensino médio (antigo 2º grau);
- Ensino superior (antigo 3º grau);
- Cursos livres (cursos preparatórios para vestibular, cursos profissionalizantes, etc.).

Artigo 2º - A execução do presente instrumento será de competência do Sistema Único
de Saúde do Paraná – SUS/PR., por intermédio dos órgãos estaduais e municipais de
Vigilância Sanitária.

SECRETARIA DA SAÚDE
Gabinete do Secretário
Rua Piquiri, 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140
Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.gov.br

Artigo 3º - O não cumprimento dos dispositivos deste instrumento, implicará na
aplicação das penalidades previstas na Lei Federal n.º 6.437, de 20 de agosto de 1977,
Lei Estadual 13.331/01 e o Decreto Estadual 5.711/02, bem como em legislação
específica municipal.

Artigo 4º - Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação revogadas as
disposições em contrário.

Curitiba, 25 de julho de 2002.

Angelo Luiz Tesser
Secretário de Estado em Exercício

SECRETARIA DA SAÚDE
Gabinete do Secretário
Rua Piquiri, 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140
Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.gov.br

ANEXO DA RESOLUÇÃO SESA nº 0318/2002

NORMA TÉCNICA

A presente Norma Técnica tem por finalidade estabelecer as
exigências sanitárias para instituições de ensino fundamental, médio e superior,
bem como cursos livres no Estado do Paraná.

1. OBJETIVO GERAL

1.1. Normatizar a estrutura física e o funcionamento de forma padronizada das
instituições de ensino fundamental, médio e superior, bem como cursos livres no
Estado do Paraná.

2. COMPETÊNCIAS

2.1. Ao Nível Central cabe normatizar, implantar e controlar a execução da
presente Norma Técnica.
2.2. Aos Níveis Regionais e Municipais cabem implantar, executar e
supervisionar o cumprimento desta Norma Técnica.

3. PROCEDIMENTOS

3.1 Para edificações novas, sejam estabelecimentos completos ou partes a
serem ampliadas, é obrigatória a aplicação integral desta norma.
3.2 Para obras de reformas e adequações, quando esgotadas todas as
possibilidades, sem que existam condições de cumprimento integral desta norma,
devem-se privilegiar os fluxos de trabalho, adotando-se a seguinte documentação
complementar, que deverá ser analisada em conjunto com o projeto físico:
3.2.1 Planta baixa com o layout dos equipamentos não portáteis com as devidas
dimensões, em escala;
3.2.2 Declaração do projetista e do responsável pela instituição de que o projeto
atende parcialmente às normas vigentes para o desenvolvimento das atividades
educacionais e de apoio previstas, relacionando as exigências que não serão
atendidas e o modo como estão sendo supridas no projeto em análise.
3.3 Quando se tratar da adoção de uma nova tecnologia, diferente das usuais
e/ou não abordada pela norma, deverá ser adotado o mesmo procedimento das
reformas.

SECRETARIA DA SAÚDE 1
Gabinete do Secretário
Rua Piquiri, 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140
Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.gov.br

 Anexo III – Cozinhas e cantinas de escolas com preparo terceirizado de refeições. 4. Os ambientes devem atender aos anexos I.3.1 Caberá à gerência da instituição de ensino a guarda dos projetos aprovados. A LICENÇA SANITÁRIA será liberada somente mediante o cumprimento da legislação sanitária vigente. O responsável pelo estabelecimento deverá requerer a LICENÇA SANITÁRIA ao iniciar o seu funcionamento. ampliação ou instalação de qualquer instituição de ensino. 4.2 A obra concluída deverá corresponder ao projeto vistado pela autoridade sanitária. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. ESTRUTURA FÍSICA E AMBIENTAL 5. 4.gov.1. deverá ser comunicada aos órgãos de Vigilância Sanitária Municipal e avaliada segundo as normas vigentes.3. Os responsáveis pelos estabelecimentos devem manter a LICENÇA SANITÁRIA em local visível e de fácil acesso aos usuários e aos fiscais. II e III.5.  Anexo II – Cozinhas e cantinas de escolas com refeições preparadas no local. a Autoridade Sanitária responsável deverá ser consultada quanto a localização e projeto.4 Qualquer modificação na estrutura física do edifício ou incorporação de nova atividade. 5. 5. 4. 4. médio e superior. além das exigências sanitárias.4. previstos em legislação específica.  Anexo I – Estrutura Física Mínima.br . 3. Os estabelecimentos de ensino fundamental.1 Antes de iniciada a construção. reforma. também devem observar as exigências dos órgãos de educação. 3. DOCUMENTAÇÃO 4. O HABITE-SE será fornecido após a vistoria realizada pela Autoridade Sanitária.2. SECRETARIA DA SAÚDE 2 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. mantendo-os disponíveis para consulta por ocasião das vistorias ou fiscalizações.

40 m ( viga – piso )  2. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar. visto de frente 5 Iluminação Artificial  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992)  Protegida contra impactos e quedas 6 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação cruzada permanente e obrigatória localizada na parte superior de paredes opostas ou sistema mecânico de troca de ar.80 x 2. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca. junto ao quadro principal 9 Portas de Acesso  0.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Sala de Aula QUANTIDADE MÍNIMA: variável em função do projeto pedagógico N. contínuo. conforme NBR 14006 e 14007 SECRETARIA DA SAÚDE 3 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. devidamente aterradas 16 Mobiliário  Íntegro.20 m2 por aluno – incluindo circulação e área do professor 2 Dimensão (m)  distância da 1a fila ao quadro – 2. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.80 m ( piso – teto) 4 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso  à esquerda do quadro principal. antiderrapante. ANEXO I ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  1.br . material lavável 15 Instalações Elétricas  Íntegras.  Janelas máxim-ar. devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril para facilitar manobras de abertura e fechamento. resistente à limpeza  É proibido o uso de carpete e forração à base de fibra 13 Paredes – revestimento  Lisas. de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a faixa etária a que se destina.20 m de altura em relação ao nível do piso acabado 8 Acesso  Pela frente. (NBR6041 e Portaria 3523-MS) 7 Peitoris  Mínimo 1. isolante térmico. devem ter meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros  É proibido parede de vidro 11 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  É proibido o uso de maçaneta de bola 12 Pisos – revestimento  Íntegro.10 m – dimensão mínima  Apresentar visor 10 Janelas  Quando necessário. laváveis 14 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo.00 m 3 Pé-direito (m)  2.gov. no térreo. sem arestas ou cantos vivos.

deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril. (NBR6041 e Portaria 3523-MS) 6 Peitoris  1.80 x 2.10 m – dimensão mínima  Apresentar visor 8 Janelas  Quando necessário. impermeável. resistente à limpeza  É proibido o uso de carpete e forração à base de fibra 11 Paredes – revestimento  Lisas. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento. material lavável 13 Instalações Elétricas  Íntegras. lavável. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.gov.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Sala de Uso Múltiplo ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES N. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .º ITENS 1 Área (m2)  1. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca. material resistente  01 (um) tanque.20 m de altura em relação ao nível do piso acabado 7 Portas de Acesso  0.br .80 (um e oitenta) m2 por aluno. devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros  É proibido parede de vidro 9 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  É proibido o uso de maçaneta de bola 10 Pisos – revestimento  Íntegro. por turno de utilização 2 Pé-direito (m)  2. antiderrapante. material resistente  O sistema de coleta de esgoto deve ser ligado ao sistema ou à caixa de decantação de resíduos 15 Mobiliário  Íntegro.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso  Preferencialmente à esquerda do quadro principal.40 m ( viga – piso )  2. de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a faixa etária a que se destina. visto de frente 4 Iluminação Artificial  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992)  Protegida contra impactos e quedas 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação cruzada permanente e obrigatória localizada na parte superior de paredes opostas ou sistema mecânico de troca de ar. para facilitar manobras de abertura e fechamento. contínuo.  Janelas máxim-ar no térreo. sem arestas ou cantos vivos. devidamente aterradas 14 Instalações Hidro-Sanitárias  01 (uma) bancada com cuba. laváveis 12 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo. conforme NBR 14006 e 14007 SECRETARIA DA SAÚDE 4 Gabinete do Secretário Rua Piquiri.

 Janelas máxim-ar no térreo.40 m ( viga – piso )  2.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Laboratório de Informática N.20 m de altura em relação ao nível do piso acabado 7 Portas de Acesso  0. laváveis 12 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES . devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros  É proibido parede de vidro 9 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  É proibido o uso de maçaneta de bola 10 Pisos – revestimento  Íntegro. íntegras. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar. de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a faixa etária a que se destina. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. devem ter sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento.gov. conforme NBR 14006 e 14007  Compatível com a finalidade da sala SECRETARIA DA SAÚDE 5 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. sem arestas e cantos vivos.OBSERVAÇÕES º 1 Área (m2)  1. por turno de utilização 2 Pé-direito (m)  2. visto de frente 4 Iluminação Artificial  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992)  Protegida contra impactos e quedas 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação cruzada permanente e obrigatória localizada na parte superior de paredes Opostas ou sistema mecânico de troca de ar.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso  Preferencialmente à esquerda do quadro principal.80 x 2.10 m – dimensão mínima  Apresentar visor 8 Janelas  Quando necessário.br . É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca. antiderrapante. (NBR6041 e Portaria 3523-MS) 6 Peitoris  Mínimo1. ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS . isolante térmico. material lavável 13 Instalações Elétricas  Embutidas.80 (um e oitenta) m2 por aluno. resistente à limpeza  É proibido o uso de carpete e forração à base de fibra 11 Paredes – revestimento  Lisas. para facilitar manobras de abertura e fechamento. devidamente aterradas  Número de tomadas de acordo com o nº de equipamentos a serem instalados 14 Mobiliário  Íntegro. contínuo. devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril.

br .80 (um e oitenta) m2 por aluno. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar. laváveis  Impermeáveis até a altura do peitoril e onde existir bancada  Cores claras 12 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento.gov. visto de frente 4 Iluminação Artificial  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992)  Protegida contra impactos e quedas 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação cruzada permanente e obrigatória localizada na parte superior de paredes opostas ou sistema mecânico de troca de ar. material resistente. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES . devidamente aterradas 14 Instalações Especiais  01 (uma) bancada com cuba .10 m – dimensão mínima  Apresentar visor 8 Janelas  Quando necessário. (NBR6041 e Portaria 3523-MS) 6 Peitoris  1. impermeável. contínuo. antiderrapante. devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros  É proibido parede de vidro 9 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  É proibido o uso de maçaneta de bola 10 Pisos – revestimento  Íntegro. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca  Material lavável 13 Instalações Elétricas  Embutidas.20 m de altura em relação ao nível do piso acabado 7 Portas de Acesso  0. íntegras. material resistente. para os alunos  01 (um) armário fechado à chave para guarda dos animais de experiência. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. localização central para o professor  01 (uma) bancada com cuba .OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  1.80 x 2.  01 (um) tanque .40 m ( viga – piso )  2. para facilitar manobras de abertura e fechamento.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Laboratório de Ciências N.  Janelas máxim-ar no térreo.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso  À esquerda do quadro principal. devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril. resistente à limpeza 11 Paredes – revestimento  Lisas. lavável. (quando não for atendido por rede de gás) 15 Mobiliário  Íntegro. por turno de utilização 2 Pé-direito (m)  2. material resistente  01 (uma) caixa de decantação de resíduos externa  01 (um) registro de gás  01 ( um) abrigo de gás externo.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS . de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a finalidade do ambiente SECRETARIA DA SAÚDE 6 Gabinete do Secretário Rua Piquiri.

material resistente.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso  À esquerda do quadro principal.40 m ( viga – piso )  2. devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros  É proibido parede de vidro 9 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  É proibido o uso de maçaneta de bola 10 Pisos – revestimento  Íntegro. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento. para facilitar manobras de abertura e fechamento. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar. material resistente.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Laboratório de Química N. devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca  Material lavável 13 Instalações Elétricas  Íntegras. resistente à limpeza 11 Paredes – revestimento  Lisas.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS .br . no térreo.80 (um e oitenta) m2 por aluno. de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a finalidade do ambiente  Local fechado para guarda de produtos químicos SECRETARIA DA SAÚDE 7 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. lavável. material resistente  01 (uma) caixa de decantação de resíduos externa  01 (um) registro de gás  01 ( um ) abrigo de gás externo. visto de frente 4 Iluminação Artificial  Protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação cruzada permanente e obrigatória localizada na parte superior de paredes opostas ou sistema mecânico de troca de ar. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. antiderrapante.  Janelas máxim-ar.20 m de altura em relação ao nível do piso acabado 7 Portas de Acesso  0. por turno de utilização 2 Pé-direito (m)  2. (NBR6041 e Portaria 3523-MS) 6 Peitoris  1. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .gov. localização central para o professor  02 (duas) bancadas com cuba .OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  1.10 m – dimensão mínima  Apresentar visor 8 Janelas  Quando necessário.80 x 2. laváveis  Impermeáveis até a altura do peitoril e onde existir bancada 12 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo. (quando não for atendido por rede de gás)  01 (uma) capela com exaustão forçada  01 (um) chuveiro de emergência com lava olhos 15 Mobiliário  Íntegro. contínuo. resistentes. devidamente aterradas 14 Instalações Especiais  01 (uma) bancada (nível mais alto) com cuba . para os alunos  01 (um) tanque . impermeável.

br .20 m de altura em relação ao nível do piso acabado 7 Portas de Acesso  0. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES – ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Biblioteca N. (NBR6041 e Portaria 3523-MS) 6 Peitoris (proteção)  1.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação cruzada permanente e obrigatória localizada na parte superior de paredes opostas ou sistema mecânico de troca de ar.10 m – dimensão mínima  Apresentar visor 8 Janelas  Quando necessário. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca. por turno de utilização  Dimensão mínima 75. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.80 (um e oitenta) m2 por aluno. devidamente aterradas 14 Mobiliário  Íntegro. para facilitar manobras de abertura e fechamento.OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  1. contínuo.80 x 2. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento. resistente à limpeza  É proibido o uso de carpete e forração à base de fibra 11 Paredes – revestimento  Lisas.  Janelas máxim-ar.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS . sem arestas ou cantos vivos. no térreo. laváveis. íntegras.gov. material lavável 13 Instalações Elétricas  Embutidas. antiderrapante.00 m2 2 Pé-direito (m)  2. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril. isolante térmico. devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros 9 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  É proibido o uso de maçaneta de bola 10 Pisos – revestimento  Íntegro.40 m ( viga – piso )  2. de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a faixa etária a que se destina SECRETARIA DA SAÚDE 8 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. em cores claras 12 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo.

resistente à limpeza  Com declividade que permita o escoamento de águas de lavagem 11 Paredes – revestimento  Lisas.10 m.gov. 14 Pilares  Garantir vão livre de 6. contínuo.OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  0. laváveis 12 Instalações Hidro – Sanitárias  Ralos sifonados. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES . 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. em duas folhas de 0.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Pátio coberto N.80 m – dimensão mínima  Deverão obrigatoriamente abrir para fora  Apresentar visor  Dispositivo de travamento que permita manter as folhas abertas a 180o 8 Janelas  Se houver. para coleta de água de lavagem. impermeável.40 m ( viga – piso )  2. antiderrapante.br .50 (meio) m2 por aluno por turno de utilização 2 Pé-direito (m)  2. 13 Instalações Especiais  01 (um) bebedouro para cada 100 alunos por turno. devidamente protegidas contra impactos 9 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  É proibido o uso de maçaneta de bola 10 Pisos – revestimento  Íntegro.00 (seis) m entre pilares 15 Proteção Acústica  Os ruídos produzidos no pátio coberto não deverão interferir nas atividades pedagógicas e administrativas desenvolvidas nos demais ambientes do estabelecimento de ensino SECRETARIA DA SAÚDE 9 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. A quantidade de bancos deverá ser proporcional ao tamanho do pátio.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  Apresentar 1 / 20 da área do piso  Apresentar pelo menos duas laterais completamente livres  Dispositivo de proteção ou fechamento contra chuvas e ventos fortes 6 Peitoris  1.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS .20 m de altura em relação ao nível do piso acabado 7 Porta de Acesso  1.  Bancos no pátio.60 x 2.

por turno de utilização 2 Pé-direito (m)  2.OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  1.00 (um) m2 por comensal.50 (meio) m2 por aluno por turno de utilização (dimensão mínima)  Variável para maior. A quantidade de bancos deverá ser proporcional ao tamanho do pátio. impermeável.60 x 2. 13 Instalações Especiais  01 (um) lavatório para cada 80 comensais  Mesas e cadeiras 15 Proteção Acústica  Os ruídos produzidos no pátio coberto não deverão interferir nas atividades pedagógicas e administrativas desenvolvidas nos demais ambientes do estabelecimento de ensino ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .  Janelas máxim-ar no térreo. em função do projeto pedagógico 2 Pisos – revestimento  Drenado e com declividade que permita o escoamento de águas de chuva 3 Áreas de sombreamento  Prever arborização ou quiosques para sombreamento natural 4 Proteção Acústica  Os ruídos produzidos no pátio descoberto não deverão interferir nas atividades pedagógicas e administrativas desenvolvidas nos demais ambientes do estabelecimento de ensino 5 Instalações Especiais  Bancos no pátio. antiderrapante. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  No 1o pavimento. para coleta de águas residuais.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS . resistente à limpeza  Com declividade que permita o escoamento de águas residuais 11 Paredes – revestimento  Lisas.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  0. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. para facilitar manobras de abertura e fechamento.10 m.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Refeitório – obrigatório quando há período integral N.20 m de altura em relação ao nível do piso acabado 7 Porta de Acesso  1.80 m – dimensão mínima  Deverão obrigatoriamente abrir para fora  Apresentar visor 8 Janelas  Caso seja basculante ou máxim-ar devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril.br . SECRETARIA DA SAÚDE 10 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES . em duas folhas de 0. laváveis 12 Instalações Hidro – Sanitárias  Ralos sifonados. devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros 9 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  É proibido o uso de maçaneta de bola 10 Pisos – revestimento  Íntegro. contínuo.gov.40 m ( viga – piso )  2.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 20 da área do piso 6 Peitoris  1.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Pátio Descoberto N.

de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a atividade a que se destina SECRETARIA DA SAÚDE 11 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. para facilitar manobras de abertura e fechamento. integras.br . ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  compatível com a proposta pedagógica da instituição 2 Pé-direito (m)  2.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Diretoria Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS . antiderrapante. devem ter sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento.40 m ( viga – piso )  2.  Janelas máxim-ar.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso 4 Iluminação Artificial  quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação .80 x 2. resistente à limpeza 10 Paredes – revestimento  Lisas. contínuo. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.gov. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar – ferragem de acionamento na altura do peitoril. devidamente aterradas 13 Mobiliário  Íntegro. no térreo. material lavável 12 Instalações Elétricas  Embutidas. laváveis 11 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo – é proibido o uso de forro treliçado  Cor branca. isolante térmico. Exaustão Mecânica e Ar Condicionado conforme ABNT (NBR 5041) 6 Porta de Acesso  0.10 m – dimensão mínima 7 Janelas  Quando necessário. devem ter meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros 8 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  Proibido o uso de maçaneta de bola 9 Pisos – revestimento  Íntegro.

devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros 8 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  É proibido o uso de maçaneta de bola 9 Pisos – revestimento  Íntegro. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992)  Protegida contra impactos e quedas 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação . isolante térmico.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  1.gov. devidamente aterradas 13 Mobiliário  Íntegro.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES SECRETARIA DA SAÚDE 12 Gabinete do Secretário Rua Piquiri.40 m ( viga – piso )  2.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Secretaria N. para facilitar manobras de abertura e fechamento. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril. material lavável 12 Instalações Elétricas  Embutidas. laváveis 11 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo.10 m – dimensão mínima 7 Janelas  Quando necessário. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. contínuo. Exaustão Mecânica e Ar Condicionado conforme ABNT (NBR 5041) 6 Porta de Acesso  0. resistente à limpeza 10 Paredes – revestimento  Lisas. antiderrapante.00 m2 2 Pé-direito (m)  2.5 (meio) m2 por sala de aula  Poderá funcionar junto com a secretaria ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Orientação N.50 (um e meio) m2 por sala de aula  Dimensão mínima 15.  Janelas máxim-ar no térreo. de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a atividade a que se destina 14 Arquivo inativo  0. íntegras.br .80 x 2.

40 m ( viga – piso )  2. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento. material lavável 12 Instalações Elétricas  Íntegras.10 m – dimensão mínima 7 Janelas  Quando necessário. devidamente aterradas 13 Mobiliário  Íntegro. resistente à limpeza 10 Paredes – revestimento  Lisas.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Coordenação N.00 (nove) m2 2 Pé-direito (m)  2. devidamente aterradas 13 Mobiliário  Íntegro. Exaustão Mecânica e Ar Condicionado conforme ABNT (NBR 5041) 6 Porta de Acesso  0. de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a atividade a que se destina ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .gov. material lavável 12 Instalações Elétricas  Íntegras.  Janelas máxim-ar no térreo. Exaustão Mecânica e Ar Condicionado conforme ABNT (NBR 5041) 6 Porta de Acesso  0. laváveis 11 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA SECRETARIA DA SAÚDE 13 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. para facilitar manobras de abertura e fechamento.40 m ( viga – piso )  2. contínuo. para facilitar manobras de abertura e fechamento. devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros 8 Ferragens de Portas e Janelas  A maçaneta deve permitir acionamento seguro  É proibido o uso de maçaneta de bola 9 Pisos – revestimento  Íntegro. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril. isolante térmico. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992)  Protegida contra impactos e quedas 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação .80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992)  Protegida contra impactos e quedas 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação . É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca. devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril. de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a atividade a que se destina ESTABELECIMENTOS ESCOLARES . resistente à limpeza 10 Paredes – revestimento  Lisas.OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  9.1 Área (m2)  Compatível com a proposta pedagógica da instituição 2 Pé-direito (m)  2.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS .80 x 2. antiderrapante. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.80 x 2. laváveis 11 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo. isolante térmico. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar. contínuo.  Janelas máxim-ar no térreo. antiderrapante. devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros 8 Ferragens de Portas e Janelas  Acionamento feito através de maçaneta 9 Pisos – revestimento  Íntegro. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento.10 m – dimensão mínima 7 Janelas  Quando necessário.br .

 Janelas máxim-ar no térreo. laváveis 11 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo. ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES º 1 Área (m2)  3. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.10 m – dimensão mínima 7 Janelas  Quando necessário. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento. Exaustão Mecânica e Ar Condicionado conforme ABNT (NBR 5041) 6 Portas de Acesso  0. antiderrapante.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA SECRETARIA DA SAÚDE 14 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros 8 Ferragens de Portas e Janelas  Acionamento feito através maçaneta tipo alavanca 9 Pisos – revestimento  Íntegro.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992)  Protegida contra impactos e quedas 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação . contínuo. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca. de fácil limpeza e manutenção  Pia para higiene das mãos  Compatível com a atividade a que se destina ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .gov. devidamente aterradas 13 Mobiliário  Íntegro.br .00 m2) 2 Pé-direito (m)  2. isolante térmico. para facilitar manobras de abertura e fechamento.40 m ( viga – piso )  2. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril. material lavável 12 Instalações Elétricas  Íntegras.80 x 2. AMBIENTE: Sala de Professores N. resistente à limpeza 10 Paredes – revestimento  Lisas.00 (três) m2 por sala de aula (dimensão mínima – 24.

 Janelas máxim-ar no térreo. . isolante térmico. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES . É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca.00 m2 2 Pé-direito (m)  2.br . *serão permitidos medicamentos de uso contínuo.limpeza e desinfecção de máscaras e equipamentos.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação . material lavável 12 Instalações Elétricas  Íntegras. de fácil limpeza e manutenção  Armário fechado para medicamentos * deve-se manter auxiliar de enfermagem.10 m – dimensão mínima 7 Janelas  Deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento. antiderrapante. auxiliar de enfermagem. deverá administrar os medicamentos aos alunos. contínuo. resistente à limpeza 10 Paredes – revestimento  Lisas.80 x 2. responsável pela sala de observação. devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros 8 Ferragens de Portas e Janelas  Acionamento feito através maçaneta tipo alavanca 9 Pisos – revestimento  Íntegro. * no caso de realização de inalação. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES º 1 Área (m2)  6. lavável. rotinas escritas para: . * apenas o responsável pela sala de observação. Exaustão Mecânica e Ar Condicionado conforme ABNT (NBR 5041) 6 Portas de Acesso  0. . devidamente aterradas 13 Instalações Hidráulicas  Lavatório 14 Mobiliário  Íntegro. com nome do aluno e posologia. cuba específica para lavagem de material. para facilitar manobras de abertura e fechamento.gov. ou pelo menos professor ou funcionário com curso de primeiros socorros. laváveis 11 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo. . .preparo e administração da medicação. AMBIENTE: Sala de Observação N.40 m ( viga – piso )   2.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Reprografia SECRETARIA DA SAÚDE 15 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. xerox da prescrição médica. desde que autorizados e entregues pelos pais ou responsáveis e identificados. serão exigidos: .

devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros 9 Ferragens de Portas e Janelas  Acionamento feito através de maçaneta 10 Pisos – revestimento  Íntegro. ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS . antiderrapante.: poderá ser compartilhado AMBIENTE: Depósito de Material de Educação Física OBS.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Arquivo – Almoxarifado de Material Pedagógico OBS. isolante térmico. de fácil limpeza e manutenção  Compatível com a atividade a que se destina ESTABELECIMENTOS ESCOLARES . deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação e Exaustão Mecânica quando necessário e/ou Ar Condicionado conforme ABNT (NBR 5041) 6 Acesso  Variável em função da planta física 7 Porta de Acesso  0.10 m – dimensão mínima 8 Janelas  Quando necessário.: poderá ser compartilhado ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .40 m ( viga – piso )  2. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. devidamente aterradas 14 Mobiliário  Íntegro.N. para facilitar manobras de abertura e fechamento. em cores claras 12 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo.OBSERVAÇÕES º 1 Área (m2)  Variável em função dos equipamentos 2 Pé-direito (m)  2. material lavável 13 Instalações Elétricas  Íntegras.  Janelas máxim-ar no térreo. devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril.br . laváveis.gov.80 x 2. contínuo. resistente à limpeza 11 Paredes – revestimento  Lisas. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Abrigo de Resíduos SECRETARIA DA SAÚDE 16 Gabinete do Secretário Rua Piquiri.

QUANTIDADE MÍNIMA: 01 (uma) sala. lavável. resistente à limpeza 8 Paredes – revestimento  Lisas.80 m ( piso – teto) 3 Iluminação Artificial  1 ponto de luz por abrigo (ambiente)  Protegida contra impactos e quedas 4 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação cruzada permanente obrigatória através de aberturas  Todas as janelas /portas devem ser à prova de passagem de insetos 5 Acesso  Facilitado para a coleta externa 6 Portas de Acesso  0. impermeável. ligado ao sistema de esgoto ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Depósito de Material de Limpeza QUANTIDADE MÍNIMA: 01 (uma ) unidade por estabelecimento escolar SECRETARIA DA SAÚDE 17 Gabinete do Secretário Rua Piquiri.80 x 2.gov. laváveis 9 Instalações Elétricas  Íntegras. contínuo. em função do processo de tratamento estabelecido pelo município. resistentes. devidamente aterradas 10 Instalações Hidro-Sanitárias  01 (um) ponto de água  01 ralo sifonado por ambiente.10 m – dimensão mínima  Deverão abrir para fora 7 Pisos – revestimento  Íntegro. podem ser separados por categoria – reciclável e não reciclável. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.br . ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES Nº ITENS 1 Área (m2)  Capaz de armazenar o volume gerado entre duas coletas – produção estimada 1 kg por carteira escolar 2 Pé-direito (m)  2.

antiderrapante. ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS .gov.N. contínuo. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.br . É proibido o uso de forro treliçado  Material lavável 14 Instalações Elétricas  Íntegras.40 m ( viga – piso )  2. resistente à limpeza  Com declividade que permita o escoamento das águas 12 Paredes – revestimento  Lisas. laváveis.70 x 2. devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril.10 m – dimensão mínima – acesso restrito aos funcionários 9 Janelas  Caso seja basculante ou máxim-ar.OBSERVAÇÕES º 1 Área (m2)  Variável em função dos equipamentos e rotinas utilizadas 2 Pé-direito (m)  2. em cores claras 13 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo. para facilitar manobras de abertura e fechamento.  Janelas máxim-ar no térreo. de fácil limpeza e manutenção SECRETARIA DA SAÚDE 18 Gabinete do Secretário Rua Piquiri.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 20 da área do piso 8 Porta de Acesso  0. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  Vidros íntegros 10 Ferragens de Portas e Janelas  Acionamento feito através de maçaneta 11 Pisos – revestimento  Íntegro. devidamente aterradas 15 Instalações Hidro – Sanitárias  01 (uma) torneira para tanque com adaptador para mangueira  01 (um) ralo sifonado 17 Equipamentos Fixos  01 (um ) tanque 18 Mobiliário  Íntegro. impermeável.

80 m de altura em relação ao nível do piso acabado 8 Portas  Porta de Acesso: 0. quando houver (não obrigatório) 2 Pé-direito (m)  2. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca.  Janelas máxim-ar no térreo. contínuo. resistente à limpeza  Com declividade que permita o escoamento das águas 12 Paredes – revestimento  Lisas. sempre que possível 6 Peitoris  1.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS .01 (um) para cada 40 alunos  Vaso Sanitário Sifonado – 01 (um) para cada 40 alunos  01 (um) ralo sifonado 16 Instalações Especiais  01 (um) porta sabonete líquido para cada 03 (três) lavatórios  01 (um) porta toalha de papel descartável para cada 03 (três) lavatórios  prever instalação sanitária para pessoas portadoras de incapacidade física NBR 9050 ( 1 no mínimo)  prever instalação de 1 (um) chuveiro para higienização de alunos  será permitido a substituição de 1/3 dos vasos sanitários por mictórios SECRETARIA DA SAÚDE 19 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. laváveis  Altura das divisórias entre boxes sanitários : 1. deverá ser previsto meio de proteção contra excesso de luz solar  Caso seja basculante ou máxim-ar devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril.ISM QUANTIDADE MÍNIMA: 01 (um ) conjunto completo para cada 40 alunos N.10 m  Portas dos boxes sanitários: 0. para facilitar manobras de abertura e fechamento.OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  Box Sanitário ( vaso sanitário): 0.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 8 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 16 da área do piso  Prever ventilação cruzada. devidamente aterradas  Tomada de força para chuveiro elétrico.65 m . ou permitir a retirada da folha pelo lado externo 9 Janelas  Quando necessário.60 x 1. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .15 m do piso  As portas deverão abrir para fora. material lavável 14 Instalações Elétricas  Íntegras.gov.00 m .80 x 1.40 m ( viga – piso )  2.80 m 13 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo.10 m  Box de Chuveiro: 0. se for o caso 15 Instalações Hidro – Sanitárias  Lavatório com torneira .ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Instalações Sanitárias Masculinas ( Alunos) . 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.80 x 1. devem apresentar sistemas de proteção contra acidentes  A partir do 1o pavimento devem apresentar meios de proteção contra quedas  Vidros íntegros 10 Ferragens de Portas e Janelas  Acionamento feito através de maçaneta 11 Pisos – revestimento  Íntegro. impermeável. fixadas a 0.br . antiderrapante.80 x 2.

 Vidros íntegros 10 Ferragens de Portas e Janelas  Acionamento feito através de maçaneta 11 Pisos – revestimento  Íntegro. fixadas a 0.10 m  Portas dos boxes sanitários: 0. ou permitir a retirada da folha pelo lado externo 9 Janelas  Caso seja basculante ou máxim-ar.br .01 (um) para cada 40 alunas  Vaso Sanitário Sifonado – 01 (um) para cada 40 alunas  01 (um) ralo sifonado 16 Instalações Especiais  01 (um) porta sabonete líquido para cada 03 (três) lavatórios  01 (um) porta toalha de papel descartável para cada 03 (três) lavatórios  prever instalação sanitária para pessoas portadoras de incapacidade física NBR 9050 ( 1 no mínimo)  prever instalação de 1 (um) chuveiro para higienização das alunas SECRETARIA DA SAÚDE 20 Gabinete do Secretário Rua Piquiri.80 m de altura em relação ao nível do piso acabado 7 Acesso  Variável em função da planta física 8 Portas  Porta de Acesso: 0.00 m . sempre que possível 6 Peitoris  1.80 m ( peitoris )  Altura das divisórias entre gabinetes sanitários : 1. quando houver (não obrigatório) 2 Pé-direito (m)  2.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Instalações Sanitárias Femininas ( Alunas) .15 m do piso  As portas dos gabinetes sanitários deverão obrigatoriamente abrir para fora.40 m ( viga – piso )  2. resistente à limpeza  Com declividade que permita o escoamento das águas 12 Paredes – revestimento  Lisas. devidamente aterradas 15 Instalações Hidro – Sanitárias  Lavatório com torneira . contínuo.80 x 1. material lavável 14 Instalações Elétricas  Íntegras.65 m .10 m  Box de Chuveiro: 0. laváveis.80 x 2. para facilitar manobras de abertura e fechamento. impermeável. É proibido o uso de forro treliçado  Cor branca.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 8 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Devidamente protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 16 da área do piso  Prever ventilação cruzada.gov.60 x 1.80 m 13 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES . barra impermeável até a altura de 1. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.80 x 1.ISF QUANTIDADE MÍNIMA: 01 (um ) conjunto completo para cada 40 alunas Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  Box Sanitário ( vaso sanitário): 0. devem apresentar ferragem de acionamento em altura conveniente. antiderrapante.

80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 8 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Devidamente protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 16 da área do piso 6 Peitoris  1. antiderrapante.10 m 2 Pé-direito (m)  2.  Vidros íntegros 10 Ferragens de Portas e Janelas  Acionamento feito através de maçaneta 11 Pisos – revestimento  Íntegro. impermeável.80 x 2. material lavável 14 Instalações Elétricas  Íntegras. resistente à limpeza  Com declividade que permita o escoamento de águas de lavagem 12 Paredes – revestimento  Lisas. para facilitar manobras de abertura e fechamento. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .60 x 1. fixadas a 0. devidamente aterradas 15 Instalações Hidro – Sanitárias  Lavatório com torneira . barra impermeável até a altura de 1.80 x 1.br .gov. devem apresentar ferragem de acionamento em altura conveniente.65 m .15 m do piso  As portas dos gabinetes sanitários deverão abrir para fora. ou permitir a retirada da folha pelo lado externo 9 Janelas  Caso seja basculante ou máxim-ar.40 m ( viga – piso )  2.80 m de altura em relação ao nível do piso acabado 8 Portas  Porta de Acesso: 0.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Instalações Sanitárias – Professores separado por sexo Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  Box Sanitário ( vaso sanitário): 0.10 m  Portas dos boxes sanitários: 0. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.01 (um) para cada 40 professores/funcionários  Vaso Sanitário Sifonado – 01 (um) para cada 40 professores/funcionários  Mictório permitido na instalação sanitária masculina  01 (um) ralo sifonado 16 Instalações Especiais  01 (um) porta sabonete líquido para cada 03 (três) lavatórios  01 (um) porta toalha de papel descartável para cada 03 (três) lavatórios SECRETARIA DA SAÚDE 21 Gabinete do Secretário Rua Piquiri.80 m ( peitoris ) 13 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo – é proibido o uso de forro treliçado  Cor branca. contínuo. laváveis.

80 x 1.10 m  Box de Chuveiro: 0.40 m ( viga – piso )  2. contínuo.01 (um) para cada 40 professores/funcionários  Vaso Sanitário Sifonado – 01 (um) para cada 40 professores/funcionários  Mictório permitido na instalação sanitária masculina  Chuveiro com água quente – 01 (um) para cada 20 funcionários que manipulam alimentos ( funcionários de cozinha.65 m . cantina.80 x 1.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 8 da área do piso 4 Iluminação Artificial  Protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 16 da área do piso 6 Peitoris  1. É obrigatório quando existir manipulação de alimentos (cozinha. laváveis.80 m de altura em relação ao nível do piso acabado 7 Portas  Porta de Acesso: 0. impermeável. cantina.  Vidros íntegros 9 Ferragens de Portas e Janelas  Acionamento feito através de maçaneta 10 Pisos – revestimento  Íntegro. antiderrapante. material lavável 13 Instalações Elétricas  Íntegras.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Instalações Sanitárias – Funcionários QUANTIDADE MÍNIMA: 01 (um) conjunto completo para cada 40 funcionários. etc) 2 Pé-direito (m)  2. devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril.80 x 2.60 x 1.00 m.80 m ( peitoris ) 12 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo.º ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS . etc)  01 (um) ralo sifonado 15 Instalações Especiais  01 (um) porta sabonete líquido para cada 03 (três) lavatórios  01 (um) porta toalha de papel descartável para cada 03 (três) lavatórios  Prever armários para guarda de pertences de funcionários SECRETARIA DA SAÚDE 22 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.10 m  Portas dos boxes sanitários: 0. resistente à limpeza  Com declividade que permita o escoamento de águas de lavagem 11 Paredes – revestimento  Lisas.OBSERVAÇÕES 1 Área (m2)  Box Sanitário ( vaso sanitário): 0.br . ESTABELECIMENTOS ESCOLARES . separado por sexo N. ou permitir a retirada da folha pelo lado externo 8 Janelas  Caso seja basculante ou máxim-ar.gov. fixadas a 0. devidamente aterradas 14 Instalações Hidro – Sanitárias  Lavatório com torneira . barra impermeável até a altura de 1. E proibido o uso de forro treliçado  Cor branca.15 m do piso  As portas dos gabinetes sanitários deverão abrir para fora. para facilitar manobras de abertura e fechamento.

10 m – dimensão mínima  Deverão abrir para fora  Apresentar visor 8 Janelas  Deverá ser previsto sistema de proteção contra luz solar – cortinas  Caso seja basculante ou máxim-ar.20 m de altura em relação ao nível do piso acabado 7 Portas de Acesso  0.20 m (mínima)  Piso antiderrapante  Guarda-corpo e corrimão nos 2 (dois) lados  Patamar a cada 2.70 m2 por aluno 2 Pé-direito (m)  2.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Auditório N.  Vidros íntegros – lisos ou tipo fantasia 9 Ferragens de Portas e Janelas  Acionamento feito através de maçaneta 10 Pisos – revestimento  Íntegro. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .20 m (mínima)  Piso antiderrapante  Guarda-corpo e corrimão nos 2 (dois) lados 3 Escada  Largura 1.40 m ( viga – piso )  2. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. devem apresentar ferragem de acionamento na altura do peitoril.ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: Circulação Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES 1 Corredor  Largura 1. laváveis 12 Tetos – estrutura e revestimento  Laje ou forro contínuo. material lavável 13 Instalações Elétricas  Íntegras.80 x 2. para facilitar manobras de abertura e fechamento. visto de frente 4 Iluminação Artificial  Protegida contra impactos e quedas  Quantidade de lux conforme ABNT (NBR 5413/1992) 5 Área de Ventilação Natural (m2)  1 / 10 da área do piso  Ventilação cruzada permanente e obrigatória localizada na parte superior de paredes opostas ou sistema mecânico de troca de ar. resistente à limpeza 11 Paredes – revestimento  Lisas.80 m ( piso – teto) 3 Área de Iluminação Natural (m2)  1 / 5 da área do piso  À esquerda do quadro principal. contínuo. antiderrapante. (NBR6041 e Portaria 3523-MS) 6 Peitoris  Mínimo 1.50 m (mínima)  Piso antiderrapante  Os ruídos produzidos no corredor não deverão interferir nas atividades pedagógicas e administrativas desenvolvidas nos demais ambientes do estabelecimento de ensino 2 Rampa  Largura 1. isolante térmico. devidamente aterradas 14 Mobiliário  Íntegro.00 m de desnível SECRETARIA DA SAÚDE 23 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES º 1 Área (m2)  0.br .gov. É proibido o uso de forro treliçado  Cores claras. de fácil limpeza e manutenção ESTABELECIMENTOS ESCOLARES .

º 53/82/SESA.br .ESTRUTURA FÍSICA MÍNIMA AMBIENTE: INFRA-ESTRUTURA AMBIENTAL N. a água deve ser clorada  Teor de cloro conforme Portaria 1469/MS. em 22/02/2001  Evitar reservatórios de fibrocimento  Limpeza semestral 2 Esgoto  Ligação à rede pública de coleta  Onde não existe rede pública instalar sistema individual de tratamento e destino final.U. ITENS ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS – OBSERVAÇÕES º 1 Água Potável  Ligação à rede pública de abastecimento  Volume do reservatório suficiente para 2 (dois) dias de consumo  Tampas dos reservatórios de material impermeável. não corrosivo  Acesso aos reservatórios restrito para à limpeza e manutenção  Onde não existe rede pública. ANEXO II SECRETARIA DA SAÚDE 24 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. ESTABELECIMENTOS ESCOLARES . D. as fontes (poços) devem ser sanitariamente protegidos. complementado pela Resolução n.º 5. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr.711/02.O. com dispensador de copos descartáveis  higienização de filtros conforme orientação do fabricante 4 Instalação Elétrica  Sistema de iluminação à prova de impactos e quedas 5 Combate a Incêndios  Sistema aprovado pelo Corpo de bombeiros 6 Piscinas  Atender ao artigo 233 e seguintes do Decreto Estadual n. autorizado pelo IAP e VISA local 3 Bebedouros  1 (um) bebedouro para 100 alunos.gov.

duchas com água fria e quente. Portas e janelas que ajustem perfeitamente em seus batentes. equipamento de ventilação e de exaustão em bom estado de funcionamento e limpos. com localização prevenindo contaminação dos 12 Acondicionamento do Lixo manipuladores e ambiente. com tampa. sem comunicação 13 Instalações Sanitárias para Funcionários direta com as áreas de processamento. insetos e outros vetores). Tetos lisos. permitindo um fluxo único do produto. Vestiário independente para cada sexo e contíguo. fumaças e condensação de vapores. sem frestas e rachaduras. permitindo a eliminação dos mesmos sem causar danos 09 Ventilação ou incomodo a vizinhança. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. Instalações sanitárias para os manipuladores de alimentos bem ventiladas. SECRETARIA DA SAÚDE 25 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. sem comunicação com outras dependências que 02 Acesso não façam parte da cozinha/cantina. Abastecimento de água potável se dará por rede pública. impermeabilizáveis. laváveis. elaboração e armazenamento de produtos. Guichês de Distribuição que se ajustem perfeitamente em seus batentes. lavável. fontes luminosas limpas. sabão líquido.gov. Pisos em material liso. ausência de animais domésticos. Paredes lisas . com 03 Dependências linha racional. com armários individuais fechados. encanamentos em bom estado de conservação. escovas para 14 Lavatório limpeza das unhas e toalha descartáveis. bolores. Iluminação suficiente para permitir uma boa visibilidade. caixas de gordura 11 Eliminação de Águas Servidas em bom estado de conservação e funcionamento * FICA PROIBIDO O DESPEJO DE ÁGUAS SERVIDAS PARA ÁREAS EXTERNAS E PÁTIOS INTERNOS*. contínuo. limpos e em bom estado de 06 Forros conservação. com ralos sifonados e declividade satisfatória. ou poço profundo. laváveis. Distribuição das As dependências devem permitir espaço adequado para o desenvolvimento do trabalho. impermeabilizáveis. NBR. caixa d'água com limpeza e 10 Abastecimento de Água desinfecção realizadas a cada 6 meses. gases. limpas e em bom estado de conservação. com sistema de tratamento e monitoramento da potabilidade da água. com ausência de infiltrações e interconexões. de fácil limpeza. isentos de fungos. preferencialmente com pedaleira. Ventilação: local ventilado natural e artificialmente. de tonalidade clara. limpas e bem 05 Paredes conservadas. O acesso deve ser direto e independente. impermeável. ausência de objetos em desuso. teladas nas aberturas 07 Portas e Janelas externas. Acondicionamento do lixo em recipiente lavável. comprovada através de documentação. com uso de sacos de lixo. local e dependências anexas limpas. presença de papel higiênico . sem cruzamento das áreas. Eliminação de águas servidas através de fossas. limpos e bem 04 Pisos conservados. até 2 metros de altura. Lavatório dentro da área de manipulação de alimentos com pias. sem zonas de sombras e contrastes 08 Iluminação excessivos. toalha descartável. em bom estado de funcionamento. dentro das Normas da ABNT.br . abertos no 16 Guichês de Distribuição momento da distribuição. rede pública de esgoto. em número e tamanho suficiente para atender a necessidade de armazenamento e coleta pública de resíduos. portas providas de fechamento automático. 15 Vestiário adequado ao número de funcionários. sabão líquido. COZINHAS E CANTINAS DE ESCOLAS COM REFEIÇÕES PREPARADAS NO LOCAL CARACTERÍSTICAS FÍSICAS Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES As cozinhas e cantinas de escolas devem estar distantes de focos de insalubridade 01 Localização (imediações.

de material não contaminante. armazenados ordenadamente e protegidos contra a contaminação. Os alimentos devem estar protegidos contra a contaminação pelo pó. EQUIPAMENTOS E UTENSÍLIOS Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES Máquinas e Equipamentos com modelo e número adequados ao ramo. estrados. câmaras frigoríficas. Uso preferencial de lavagem mecânica (máquina de lavar a 65º C ). como refrigeradores.gov. estantes. superfície 01 Maquinarias de contato com os alimentos lisas. adequados ao ramo. saliva. 03 Móveis superfícies de contato com os alimentos lisas. De cada sessão de manipulação. bem iluminada. laváveis e impermeáveis. detergentes e desinfetantes. água quente. devem ser reservadas amostras (100gr) dos alimentos preparados e conservados sob refrigeração ( 2 a 10º C) durante 72 horas. MANIPULADORES SECRETARIA DA SAÚDE 26 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. para eventual 06 Amostra de Controle encaminhamento para análise laboratorial. superfícies lisas. 04 Manipulação dos Alimentos Manipulação dos alimentos com operação manual mínima e higiênica.br . ou outras formas de contaminação. exposição e conservação dos alimentos de forma higiênica. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. balcão térmico. com embalagens e rotulagens e explicações regulamentares de acordo com as normas sanitárias em vigor. Utensílios lisos. panos limpos. laváveis e impermeáveis. Limpeza diária. insetos e roedores. resistente à ação do produtos químicos. em bom estado de conservação. Identificar com o nome do produto e a data de produção. tamanho e forma que permita uma fácil 02 Utensílios limpeza. como inseticidas. refrigeração (4 a 10ºC. ALIMENTOS Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES Matérias primas e produtos com características organolépticas normais provenientes de 01 Matérias-Primas estabelecimentos autorizados pela Vigilância Sanitária. Área específica para a perfeita estocagem dos alimentos semi-perecíveis. em bom estado de conservação e limpeza. estufas. em bom estado de conservação e limpeza. com desenho que permita uma fácil limpeza. arejada. freezeres. armazenados distante de substâncias perigosas. funcionamento e limpeza. com proteção nas janelas e portas para evitar a entrada de insetos e roedores. aos tipos de alimentos e à 04 Instalações para Proteção e Conservação capacidade de produção e distribuição. 05 Sobras de Alimentos Eliminação imediata de sobras de alimentos. 06 Despensa prateleiras de fácil limpeza. armazenados de maneira a evitar a contaminação dos mesmos por poeira. com estrado. insetos e 02 Proteção contra a Contaminação roedores. sendo armazenados à temperatura de congelamento (-18ºC). limpos em bom estado de conservação e funcionamento. laváveis e impermeáveis. armazenamento. Instalações para a proteção e conservação de alimentos. armários em quantidade e capacidade suficiente para a guarda de utensílios e matéria prima. utensílios higienizados por 05 Instalações para a Limpeza do Ambiente escorrimento. conforme o produto) ou acima de 65ºC 03 Proteção contra a Contaminação quando pronto para o consumo. Móveis. inoxidável. Presença e uso adequado de detergentes e desinfetantes. mesas. Os alimentos devem estar protegidos contra a alteração.

gov. supurações). 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. com bolsos somente na linha da cintura. não executar durante o serviço qualquer outro ato físico que possa contaminar os alimentos. daqueles que já sofreram cocção ou desinfecção ANEXO III COZINHAS E CANTINAS DE ESCOLAS COM PREPARO DE REFEIÇÕES TERCEIRIZADAS SECRETARIA DA SAÚDE 27 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. Ausência de lesões cutâneas (feridas. unhas curtas. sem adorno nos dedos ou pulsos) Uso de uniforme de trabalho completo (touca. preservando a qualidade dos alimentos ainda sem manipulação. sem esmalte.Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES Não devem desenvolver outras atividades além da manipulação dos alimentos. máscara). sapato antiderrapante e 02 Hábitos higiênicos impermeável quando necessário) de tonalidade clara. em bom estado de conservação e limpos. ou ficar afastado da atividade de manipulação enquanto persistir o problema. guarda pó. devem 01 Asseio Pessoal manter asseio corporal (mãos limpas. Treinamento em Boas Práticas de Treinamento aos manipuladores de alimentos no ato da admissão dos mesmos e previsão de 05 Manipulação reciclagem periódica. para separar a área limpa da área suja. ausência de sintomas de afecções respiratórias e intestinais. o mesmo deverá utilizar equipamentos de proteção individual para evitar a contaminação dos alimentos (luvas . Quando o manipulador apresentar algum dos sinais e sintomas 03 Estado de Saúde descritos acima. Proceder lavagem cuidadosa das mãos antes de manipular os alimentos e após a lavagem 04 Higienização das Mãos de hortaliças.br . MANUAL DE BOAS PRÁTICAS Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES 01 Aplicação Existência e aplicação do Manual de Boas Práticas 02 Separação de áreas Deverá ser prevista barreira física ou imaginária na área da cozinha.

bem iluminada. para garantir a qualidade e diminuir a possibilidade de multiplicação de microrganismos. o mesmo deverá ser mantido em 02 Conservação dos Alimentos temperatura adequada (até 10º C e acima de 65º C. levar à temperatura de 74ºC por no 01 Conservação dos Alimentos mínimo 2 minutos e servir imediatamente. presença de estrados impermeáveis e de fácil limpeza. Caso o alimento não seja consumido imediatamente . SECRETARIA DA SAÚDE 28 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. Os pratos prontos para o consumo deverão ser mantidos em equipamentos de conservação 02 Conservação dos Alimentos que garantam a temperatura quente ou fria. O tempo de distribuição deverá ser o mais breve possível entre o final do preparo e o consumo. para a conservação dos mesmos. com estrado. CONTROLE DE QUALIDADE Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES A prestadora de serviços deverá apresentar a licença sanitária atualizada à escola. TRANSPORTE Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES Veículos adequados ao ramo. os recipientes devem estar limpos e bem conservados. DISTRIBUIÇÃO Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES No caso da necessidade de reaquecer os alimentos. Os pratos quentes transportados em hot box ( container isotérmico) não devem permanecer 04 Conservação dos Alimentos abaixo de 65ºC por mais de uma hora. conforme o caso). 03 Despensa prateleiras de fácil limpeza. deverão ser rejeitados.gov. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. que 01 Licença Sanitária deverá mantê-la em local de fácil acesso para fins de fiscalização. com fechamento adequado para 02 Transporte proteger os alimentos de contaminação.br . dotadas de água quente e fria. O sistema de transporte e distribuição das refeições até o local de consumo deverá manter o alimento em temperatura adequada à sua utilização (pratos quentes e pratos frios). Área específica para a perfeita estocagem dos alimentos semi-perecíveis. RECEPÇÃO E ARMAZENAMENTO Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES Deverá ser verificada a temperatura dos alimentos (refrigerados até 10ºC e quentes mínimo 01 Temperatura dos Alimentos de 65ºC) na recepção dos mesmos pela escola. com proteção nas janelas e portas para evitar a entrada de insetos e roedores. Alimentos prontos e embalados são de uso único e devem ser armazenados adequadamente 05 Conservação dos Alimentos para não serem contaminados antes do uso. HIGIENIZAÇÃO Nº ITEM ESPECIFICAÇÕES Quando a higienização dos utensílios ocorrer na própria escola. arejada. Uso exclusivo para o 01 Veículo transporte de alimentos. 03 Conservação dos Alimentos Os alimentos perecíveis não podem ficar fora de refrigeração por mais de 2 horas. limpos e em bom estado de conservação. esta deverá dispor de 01 Higienização dos Utensílios instalações adequadas. Caso os alimentos estejam fora dessas temperaturas. Limpeza diária. detergentes e desinfetantes ou máquina de lavar a quente.

devem ser reservadas amostras (100gr) dos alimentos preparados e conservados sob refrigeração ( 2 a 10º C) durante 72 02 Amostra de Controle horas. Treinamento em Boas Práticas de Treinamento aos manipuladores de alimentos no ato da admissão dos mesmos e previsão de 05 Manipulação reciclagem periódica. de Estado da Saúde Liane de Macedo Milward Arquiteta Sec. Identificar com o nome do produto e a data de produção. para separar a área limpa da área suja. com bolsos somente na linha da cintura. de Estado da Saúde M. Proceder lavagem cuidadosa das mãos antes de manipular os alimentos e após a lavagem 04 Higienização das Mãos de hortaliças.gov. não executar durante o serviço. Quando o manipulador apresentar algum dos sinais e sintomas 03 Estado de Saúde descritos acima. guarda pó. MANUAL DE BOAS PRÁTICAS Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES 01 Aplicação Existência e aplicação do Manual de Boas Práticas 02 Separação de áreas Deverá ser prevista barreira física ou imaginária na área da cozinha. de tonalidade clara. unhas curtas. Veterinário Sec. máscara).ª Ap. sem esmalte. para eventual encaminhamento para análise laboratorial. podendo ser monitorado sempre que necessário pela escola. ou ficar afastado da atividade de manipulação enquanto persistir o problema. preservando a qualidade dos alimentos ainda sem manipulação.º Civil Sec. ausência de sintomas de afecções respiratórias e intestinais. sem adorno nos dedos ou pulsos) Uso de uniforme de trabalho completo (touca. qualquer outro ato físico que possa contaminar os alimentos. Social Sec. de Estado da Saúde Celso Rubio Tec. De cada sessão de manipulação no local de produção. de Estado da Saúde SECRETARIA DA SAÚDE 29 Gabinete do Secretário Rua Piquiri. em Sanea/o Sec.br . sapato antiderrapante e 02 Hábitos higiênicos impermeável quando necessário). Ausência de lesões cutâneas (feridas. de Estado da Saúde Ronaldo Wanderlei Pizzo Méd. devem 01 Asseio Pessoal manter asseio corporal (mãos limpas. daqueles que já sofreram cocção ou desinfecção Equipe Elaboradora Carlos Roberto Patza Eng.ª Paleari Silva Assist. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. supurações). O controle de qualidade das matérias primas e dos ingredientes utilizados pela unidade de Controle de Qualidade de Matérias Primas 03 e Ingredientes preparação das refeições e lanches é de responsabilidade do local e/ou empresa produtora. o mesmo deverá utilizar equipamentos de proteção individual para evitar a contaminação dos alimentos (luvas . MANIPULADORES Nº ITENS ESPECIFICAÇÕES Não devem desenvolver outras atividades além da manipulação dos alimentos. em bom estado de conservação e limpos.

Mun. Mun. de Curitiba Cristiane de Assis Machado Nutricionista Sec. Luiz Carlos Sobania Diretoria de Gerenciamento em Saúde Janete Argenton Departamento da Qualidade em Saúde Maria Aída Meda Rezende Divisão de Vigilância Sanitária de Serviços Walter Henrique Trevisan Coordenação dos Trabalhos Maria Aparecida Paleari Silva Digitação Luciana Corrêa de Oliveira SECRETARIA DA SAÚDE 30 Gabinete do Secretário Rua Piquiri.ª Civil Sec.Olívia Martins Murara Arquiteta FUNDEPAR Karin Obladen Piragine Eng. Física Sec.ª Alimentos FUNDEPAR Mariza Andrade Silva Pedagoga Sec.br . de Estado da Educação Anna M.ª Cristina Brandalize Psicóloga Sec. da Criança de Curitiba Ângela Portugal Clarisso Nutricionista Sec. Veterinária Sec. Mun. 170 Curitiba Paraná CEP 80230 140 Fone (41) 330-4400 Fax (41) 330-4407 e-mail: sesa@pr. da Criança de Curitiba Secretaria de Estado da Saúde Dr.gov. Mun. Mun. de Saúde de Curitiba Neuza Kazue Ogama Arquiteta IPPUC Célia Regina Bim Arquiteta IPPUC Elci Dulce Sfredo Pedagoga Sec.ª Inês Damasceno Educ. de Educ. de Curitiba M. Mun. de Saúde de Curitiba Elvira Brandão Benedito Méd. de Estado da Educação M. de Educ.ª Boitzuk Rego Eng.