Você está na página 1de 4

Cartilha do Projeto de Graduação

V0 V1 Vr

decol cruze

vôo

chega aprox

bagag desemb pouso

ECA
Cartilha do Projeto de Graduação
para a ECA

Esta cartilha apresenta, de maneira cronológica e simples, as etapas necessárias


para alunos e alunas da ECA lidarem com o Projeto de Graduação, o PG, um requisito
curricular complementar — RCC — obrigatório.
Para informações adicionais sobre o projeto, com justificativas mais detalhadas
para os aspectos aqui abordados, recomenda-se a leitura dos documentos normasPOLI,
normasPOLIElaboraç~ aoGráfica e normasECA anexados. Esta cartilha deve ser usada
para suavizar a primeira leitura, talvez árida, dessas normas, e evidenciar seus pontos
mais importantes.

1 Etapas
Alunos(as) da ECA deverão percorrer algumas etapas, ilustradas na página de rosto.
Estas etapas, e as fases de cada uma, são listadas, com explicações suscintas, a seguir.
Para maiores detalhes, a qualquer momento: normas mencionadas acima. Boa sorte, e
boa viagem, pessoal!

2 Preparação — decol
Encarando o processo completo do PG como uma viagem aérea, esta primeira etapa
seria a decolagem. Há três fases simples nesta etapa.

2.1 V0 , comecinho
Um pouco antes de alcançar 164 créditos, o número mı́nimo equivalente à integra-
lização do sétimo perı́odo na ECA, o(a) estudante deve começar a pensar em seu PG.
Isto inclui escolher assunto, orientador(a), local, ou laboratório, um(a) possı́vel par-
ceiro(a). Muitas conversas e consultas podem ser necessárias nesta fase.

2.2 V1 , primeiros atos


Uma proposta de projeto de graduação — PPG — deve ser feita, no formulário es-
pecı́fico encontrado no arquivo formulariosProjGradECA anexado. Esta proposta será
encaminhada, via coordenador, para análise pela comissão de Projeto de Graduação
— CPG — da ECA.

2.3 Vr , definido coisas


Aprovada a PPG, e após a obtenção dos 164 créditos mencionados na subseção 2.1, a
inscrição na disciplina EEWX00 Projeto de Graduação da ECA é obrigatória.

1
Hora de aprender umas coisinhas, que justificarão os tı́tulos acima. Na decolagem de
jatos de passageiros, há três momentos marcantes, sempre acompanhados com atenção
pelos pilotos: as velocidades V0 , V1 e Vr . A última destas é a velocidade de rolamento
Vr , quando o avião rola, ou seja, empina o nariz para cima e começa realmente a voar,
terminando a decolagem.
Antes de chegar a isto, a aeronave passou pela velocidade de decisão, a V1 . Qualquer
pane, qualquer problema, qualquer dúvida que aconteça antes de o avião atingir a V1 ,
os pilotos devem abortar a decolagem. Após a V1 , os pilotos devem decolar mesmo
se acontecerem esses galhos, é melhor do que permanecer na pista. E a V0 , bem, esta
pode ser considerada a velocidade inicial tão conhecida, o começo de tudo.

3 Viagem — vôo
A viagem, ou seja, o trabalho propriamente dito, começa agora. Note-se que esta é
uma atividade com prazo limitado: a inscrição mencionada na subseção 2.3 vale até no
máximo 03 (três) perı́odos letivos consecutivos. Pela analogia da viagem, a autonomia
de vôo é de três perı́odos apenas.

3.1 Cruzeiro — cruze


Hora de trabalhar, lidar com bibliografias, pesquisas, simulações, execuções, etc. É
bom pensar, desde o começo, em colocar no papel as coisas já feitas; bom também ir
lendo as normasPOLIElaboraç~aoGráfica, cujo nome explica o conteúdo.

3.2 Aproximação — aprox


Perto do fim do trabalho, deve-se escolher uma banca examinadora e uma data para
defesa. Uma solicitação de banca examinadora, no formulário especı́fico encontrado no
arquivo formulariosProjGradECA anexado, deve ser submetida à CPG da ECA.

4 Chegada
Há várias fases nesta etapa final. Pensando na analogia aérea: pouso, desembarque,
retirada de bagagens, etc.

4.1 Até uma semana antes. . .


. . . da data prevista para defesa, a CPG da ECA deverá

1. ter aprovado o pedido de banca mencionado na subseção 3.2,

2. ter recebido a versão final do projeto.

2
Além disto, o(a) orientador(a) deverá ter providenciado uma sala para a defesa,
com os recursos necessários. A divulgação da defesa também será feita, por meios
eletrônicos, em listas ou foruns facilmente acessados pela comunidade interessada,
ou preenchendo o impresso presente no arquivo formulariosProjGradECA anexado,
e afixando-o em quadros de aviso, murais, locais de passagem, etc.

4.2 A defesa
Para a cerimônia, o(a) orientador(a) deve levar o Livro de Atas da ECA. Normalmente,
este livro fica depositado em um local de fácil acesso a docentes da UFRJ; a coordenação
da ECA certamente saberá indicar a sua localização.
Os dados da defesa deverão ser transcritos na primeira folha em branco do livro de
atas. Logo em seguida, no caso de aprovação sem exigências, ou após a verificação de
eventuais exigências, o formulário de RCS deverá ser preenchido pelo(a) orientador(a).
Este formulário pode ser impresso a partir do arquivo RCS anexado. No livro de atas,
geralmente, há algumas cópias soltas e em branco deste formulário.

4.3 Procedimentos finais


A ECA deverá enviar à secretaria acadêmica da POLI o formulário RCS preenchido,
acompanhado de cópia do trabalho em meio digital.
Cópias da versão final do PG serão entregues à CPG da ECA. Cai bem agora a
leitura dos itens III e IV das normas da POLI sobre o PG, no arquivo normasPOLI.

5 O fim da jornada. . .
. . . está bem próximo: colação de grau, festas, vida nova. Apenas uma nova viagem
começando, muito boa sorte nesta também!

Documentos anexados
No pacote zipado em anexo, encontram-se os seguintes documentos:
formulariosProjGradECA.doc . . . . . . . . . . . formulários para PPG, banca e divulgação
formulariosProjGradECA.pdf . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . como acima, em pdf
normasECA.doc . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . normas para PG da ECA
normasECA.pdf . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . como acima, em pdf
normasPOLI.doc . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . normas para PG da POLI
normasPOLI.pdf . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . como acima, em pdf
normasPOLIElaboraçãoGráfica.pdf . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . nome explica, em pdf
RCS.pdf . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . formulário RCS, em pdf

ACDNG — abril/2015