Você está na página 1de 4

A organização comunitária ou organização local é a acção conjunta de cidadãos de uma

determinada região para obter melhorias para a população (comunidade) junto ao Estado e a
outros actores sociais. É uma forma de activismo político, com a identificação de necessidades
ou carências da comunidade, a mobilização de recursos e a formulação de estratégias de acção.
Importante referir que presença o líder comunitário e dos membros beneficiados por aquela
organização é de extrema importância, pois, condiciona a fiabilidade da informação e
impossibilita que os resultados sejam sempre limitados e de durabilidade incerta.

É necessário a demostração da capacidade do projecto em atingir resultados, para que o


envolvimento da comunidade não seja comprometido. Razao pela qual os responsáveis buscam
primeiro demonstrar capacidade, seriedade e compromissos, para que então os membros das
comunidades abram-se ao diálogo e mostrem-se interessados em cooperar.

Assim, o líder comunitário, ao definir o eixo de desenvolvimento da comunidade, é necessário


que estabeleça os planos de acções, delegue autoridade compatível com a responsabilidade que
será atribuída a cada membro, trace os mecanismos de acompanhamento de cada projecto,
estabeleça a periodicidade de reavaliação dos planos, procure sempre avaliar o impacto
ambiental de cada projecto e examine desde seus possíveis e efeitos ambientais até os impactos
económicos e socioculturais, obtenha programas que visem à melhoria de qualidade de vida da
população, além de propiciarem a geração de trabalho e renda para a comunidade.

2.1.2.Projectos comunitários e sua importância

Um projecto comunitário é uma ferramenta na qual a solução para um problema está definida ou
a satisfação de uma necessidade é sentida por uma comunidade. É um plano de acção detalhado
para resolver um ou vários problemas ou as necessidades colectivas de uma certa comunidade.

Instrumentos para elaboração de projecto

ODM (Objectivos e Desenvolvimento do Milénio) buscam sintetizar acordos internacionais


sobre o Meio ambiente e desenvolvimento, direito das mulheres, desenvolvimento social,
racismo, e mais.

AGENDA 2025 É um dos caminhos de reflexão e de indicação dos caminhos mais adequados e
apropriados, que os Moçambicanso deves seguir para reduzir a pobreza, o analfebetismo, a
doença, as desigualdades sociais e regionais e para construir o bem-estar material e espiritual de
todos os seus cidadãos.

PQG (Plano Quiquenal do Governo)focalizar a sua acção na busca de soluções aos desafios e
obstáculos que entravam o desenvolvimento económico e social bem como na apresentação das
prioridades do desenvolvimento económico e social do País nas diversas áreas de acção
governativas.
PEE (Plano Estratégico de Educação) define os objectivos, prioridades e as estrategias
principais desenvolvimento para o sector da educação, a partir da visão busca promover a
educação com um direito humano e um instrumento eficaz para afirmação e integração do
indivíduo na vida social, económica e política, indespensavel para o desenvolvimento do pais e
para o combate a pobreza.

CFMP (Cenário Fiscal de Médio Prazo) é um instrumento preparado anualmente para cada
ciclo de três anos e que serveo objectivo de alocação estratégicas de recursos aos estabelecer as
prioridades na realização da despesa pública no médio prazo.

PESOE (Plano Económico Social e Orçamento do Estado) é um instrumento de programação


e de gestão de acividades económicas e social que vai orientar a acção govenativa no processo
da materialização das prioridades do PQG. 2.3. Tecnicas para elaboração de projecto

Formação do Grupo técnico e do Fórum de consulta

O grupo responsável pelo início do processo de elaboração do plano deve realizar

Elaborar o Diagnóstico Participativo

Este passo visa aprofundar o conhecimento da realidade local em suas dimensões sociais,
ambientais, económicas, culturais e político-institucionais.
Definição da Missão-A missão traduz os ideais e orientações globais do instituição no presente e
no futuro, suas expectativas relativamento ao projecto.

Definição da Visão-A visão é um cenário desejável quanto ao que a instituição pretende ser no
futuro, que funciona como um factor de motivação.

Definição dos objectivos Estratégicos e Específicos-Os objectivos são um conjunto de


intenções quantitativas e/ou qualitativas que se pretende alcançar num determinado espaço de
tempo.

Definição das actividades estratégicas- Aqula cuja execução é condição suficiente para o
alcance dos objectivos específicos, tais como desenvolvimento de estudos, preparação dos
planos, definição de mecanismos institucionais ou financeiros, elaboração de instrumentos
normativos, desenho de estratégias, entre outras.

Definição dos Indicadores- Define parâmetros quantitativos ou qualitativos que darão suporte à
medição da diferença entre a situação actual e a situação futura que se espera atingir com a
implementação do PEM no futuro.

Definição de Metas, Responsabilidades e Prazos-definir medidas concretas em forma de


números, percentagem, rácios ou qualidades para medir o resultado a alcançar assim como as
responsabilidades e prazos para a execução das actividades previstas.
Elaboração do Orçamento Indicativo-Onde se estimam os custos das actividades inseridas no Plano
Estratégico.

Definição das Fontes de Financiamento (% fontes internas e % fontes externas)-deverá ser


identificada a fonte dos recursos necessários para o financiamento do plano, isto é, indicar se os recursos
serão internos (receitas próprias, as transferências fiscais do Estado) ou externos (Doadores e Parceiros de
Cooperação).

Definição da Estratégia de Mobilização de Fundos- Ajudar a planificar o futuro, a estratégia de


mobilização de fundos identifica acções, temporal e possíveis fontes de financiamento para a execução do
plano.

Execução do Plano- implementação das actividades.

Monitoria da execução do Plano-Para implementação do plano é necessário definir um processo e


calendário de monitoria.

Definição dos resultados esperados- descrever com detalhe, em função do objectivo específico em que
estiver a trabalhar, os benefícios, as mudanças ou os efeitos que irão acontecer em cada actividade.

Definição das actividades específicas por resultado esperado

Abordagens da Gestão de Projectos

É um conjunto de ferramentas gerenciais que permitem que a empresa desenvolva um conjunto de


habilidades, incluindo conhecimento e capacidades individuais, destinados ao controle de eventos não
repetitivos, únicos e complexos, dentro de um cenário de tempo, custo e qualidade predeterminados.
(VARGAS, 2009, p.6)

Combinação de pessoas, técnicas e sistemas necessários à administração dos recursos indispensáveis para
atingir com êxito o final do projecto.

Nesse aspecto, a gestão divide-se em cinco grupos de processos:

Processos de iniciação – reconhecem formalmente a existência de um projeto ou de início de uma fase e


compromete-se com a sua execução;

Processos de planejamento – planejam e mantém um esquema de trabalho viável para o alcance dos
objetivos que determinaram a existência do projeto;

Processos de execução – coordenam pessoas eoutros recursos para a realização do plano do projeto;

Processos de monitoramento ou controle – garantem que os objetivos do projeto estão sendo atingidos.
Isso envolve monitoração, avaliação de progresso e realização de ações corretivas quando pertinentes.

Processos de encerramento – organizam o encerramento e formalizam a aceitação do projeto.