Você está na página 1de 5

INFLUÊNCIA DE DIFERENTES ÉPOCAS DE SEMEADURA, SOBRE ALGUNS

PARÂMETROS DE PLANTA E PRODUTIVIDADE DE SOJA RR (Glycine max (L.)


Merrill).1

PAGLIARINI, Natan Henrique Ferrari2; KLUGE, Elizandro Ricardo3;


SBARDELOTTO, Daniel³; MISSIO, Rogério³; BASSO, Claudir José4
1
Trabalho de Pesquisa - UFSM – Universidade Federal de Santa Maria
2
Estudante; Departamento de Agronomia; Universidade Federal de Santa Maria- Campus de
Frederico Westphalen, Linha Sete de Setembro, s/n, BR-386, km-40, Frederico Westphalen, RS,
CEP: 98400-000. E-mail: natanpagliarini@yahoo.com.br;
3
Estudante; Departamento de Agronomia; Universidade Federal de Santa Maria - Campus de
Frederico Westphalen. E-mail: elizandroklige@gmail.com; danielsbar@hotmail.com; rogerio-
missio@hotmail.com.
4
Professor; Departamento de Agronomia; Universidade Federal de Santa Maria Campus de Frederico
Westphalen, Linha Sete de Setembro, s/n, BR-386, km-40, Frederico Westphalen – RS.

RESUMO

A cultura da soja (Glycine max (L.) Merrill), possui um grande potencial produtivo, ocupando
posição de destaque no cenário mundial, justificando a busca por tecnologias que levem a cultura ao
seu máximo potencial. O experimento foi desenvolvido no ano agrícola 2010/2011, na Fazenda Vila
Morena município de Palmeiras das Missões - RS. Foi implantada cinco cultivares de soja RR: BMX
Apolo (superprecoce), BMX Impacto (precoce), BMX Urano (precoce), A 6411 (semiprecoce) e NA
5909 RG (semiprecoce), em três épocas de semeadura (27/11, 09/12 e 18/12/2010), esquema
bifatorial 5x3 e delineamento de blocos inteiramente casualizados (DBC), com três repetições. O
presente trabalho teve por objetivo, avaliar a influência de diferentes épocas de semeadura, sobre
alguns parâmetros de planta e produtividade de soja RR. Concluindo que a época de semeadura
afetou diretamente as variáveis avaliadas.

Palavras chaves: Soja, época, cultivares, altura de planta, produtividade e PMS.

1. INTRODUÇÃO

A soja (Glycine max (L.) Merrill), em função do seu potencial produtivo, ocupa
posição de destaque na economia brasileira, justificando a necessidade de pesquisas no
sentido de aperfeiçoar o seu cultivo e de reduzir os riscos de prejuízos (CARVALHO et al.,
2010).

1
As características quantitativas dos componentes do rendimento como: altura de
planta, número de vagens por planta, número de grãos por vagem, peso mil sementes,
duração do ciclo e produtividade, são as mais importantes na escolha das cultivares, sendo
as mais influenciadas pelo manejo (PEIXOTO et al., 2000). Para o mesmo autor, nenhuma
prática cultural por si só, é mais importante e de grande influência para a cultura, do que a
época de semeadura. A época de semeadura é a variável que produz maior impacto sobre a
produtividade da soja, afetando também de modo acentuado, a arquitetura e o
desenvolvimento da planta (PELÚZIO et al., 2006) e por isso o presente trabalho tem por
objetivo, avaliar a influência de diferentes épocas de semeadura, sobra alguns
parâmetros de planta e produtividade de soja RR.
.

2. MATERIAL E MÉTODOS

O experimento foi desenvolvido no ano agrícola 2010/2011, na Fazenda Vila Morena


município de Palmeiras das Missões - RS.
O solo do local é caracterizado como Latossolo vermelho distrófico típico e com a
seguinte análise química: Argila 64%; pH em H2O:5.8; P (mg/L): 8.4; K (mg/L) 128; Matéria
orgânica 2.9%; Alumínio (cmolc/L): 0; Ca(cmolc/L): 6.234; Mg (cmolc/L): 2.137; H+Al
(cmolc/L): 2,8; CTC pH7,0: 11,5; Saturação de bases 75.6%; Saturação por alumínio: 0%;
Relação Ca/Mg: 2.9; B (mg/L): 0.3 e Mn (mg/L): 4,355.
Foram implantadas cinco cultivares de soja RR: BMX Apolo (superprecoce), BMX
Impacto (precoce), BMX Urano (precoce), A 6411 (semiprecoce) e NA 5909 RG
(semiprecoce), em três épocas de semeadura (27/11, 09/12 e 18/12/2010), num esquema
bifatorial 5x3, num delineamento de blocos inteiramente casualizados (DBC), com três
repetições.
As parcelas experimentais foram constituídas de onze linhas, com cinco metros de
comprimento, espaçadas a 0,56 metros. A densidade de sementes foi de 12.5 sementes por
metro linear, perfazendo uma população final de 214.285 plantas/ha.
Todo o manejo na cultura da soja referente ao controle de plantas daninhas, pragas
e doenças, seguiu-se o descrito nas recomendações para a cultura da soja no Estado do
Rio Grande do Sul (REUNIÃO, 2010). Por ocasião da colheita foram coletadas dez plantas
fora da área útil para as seguintes avaliações: altura de planta, número total de nós, nº de
nós nos ramos laterais e na haste principal, além do nº de nós viáveis, nº de vagens fixadas
por planta, nº de grãos por vagem e Peso de Mil Sementes (PMS).
Já para avaliação da produtividade, foram coletadas as quatro linhas centrais,
respeitando-se 0,5 metros de cada lado da parcela (bordadura), totalizando ao final uma

2
área útil de 5,4 m2. A trilha foi realizada mecanicamente e a produtividade final corrigida para
13% de umidade.

3. RESULTADOS E DISCUSSÕES

Todas as cultivares semeadas na 1ª época tiveram os maiores índices de altura de


plantas, esses dados vêm a corroborar com Pelúzio et al. (2006), os quais observaram que
a época de semeadura, além do rendimento, afeta a arquitetura e o desenvolvimento das
plantas. Dentro da época de semeadura a cultivar Nidera 5909, foi a que apresentou a maior
altura de planta (Tabela 1), o que também pode ser observado nas outras épocas de
semeadura, o que se justifica pelo hábito de crescimento indeterminado. Para as diferentes
cultivares de soja a média de altura final foi de 76.6, 72.3 e 66.8 cm, para a 1ª, 2ª e 3ª
época, respectivamente mostrando uma redução na altura de planta à medida que ocorre
atraso na época de semeadura.
Semelhante ao observado para a altura de planta o mesmo pode ser observado para
o número de nós na haste principal, o que se justifica em parte pelo discutido anteriormente
com relação à altura de planta.
O peso de mil sementes (PMS) é um dos fatores determinante para alcançar boas
produtividades, visto que essa variável está diretamente correlacionada com a
produtividade. Essa variável pode se utilizada para estimar se houve uma boa eficiência
durante o processo de enchimento de grãos, além de expressar de forma indireta o tamanho
dessas sementes e seu bom estado fisiológico, conforme abordado por Marques (2008).
Independente da época de semeadura o maior PMS foi observado na cultivar Nidera
6411, não diferindo estatisticamente da cultivar BMX Apolo na segunda época de
semeadura (Tabela 1).
Quanto à produtividade na primeira época de semeadura, com exceção da cultivar
BMX Impacto que diferiu significativamente das demais, não houve diferença significativa
entre a produtividade para as demais cultivares estudadas e na média para essas cultivares
a produtividade foi de 3839,0 Kg/ha (63,9 sacas/ha). Semelhante ao observado para a
primeira época, a cultivar BMX Impacto (Tabela 1) foi a que apresentou menor produtividade
na primeira e segunda época de semeadura, com exceção da BMX Urano, que obteve a
menor produtividade na terceira época (3.272 Kg/ha), não diferindo estatisticamente da BMX
Impacto. As cultivares BMX Apolo, 6411 e 5909 mostraram alto potencial produtivo nas
diferentes épocas de semeadura mostrando serem materiais com potencial para abertura e
fechamento de plantio dentro do zoneamento da cultura.

3
Tabela 1 - Peso de mil sementes, produtividade e altura de plantas de diferentes cultivares de soja
RR, submetidas a três épocas de semeadura. Boa Vista das Missões, RS. Ano Agrícola 2010/11.

CULTIVARES 27/11/10 09/12/10 18/12/10


Peso de Mil Sementes (PMS) - gr
BMX Apolo A 162,6 a A 159,4 b A 159,5 a
BMX Impacto B 137,7 c A 142,9 c AB 141,5 c
BMX Urano B 142,9 c B 141,4 c A 152,0 b
A 6411 (Nidera) A 162,8 a A 166,2 a A 164,7 a
NA 5909 RG (Nidera) B 153,7 b A 158,8 b B 149,2 b
Produtividade - Kg/ha-1
BMX Apolo A 3.899,9 a A 4.029,8 a A 3.792,9 a
BMX Impacto B 3.269,3 b A 3.630,0 b AB 3.497,1 ab
BMX Urano A 3.844,6 a A 3.664,3 b B 3.272,9 b
A 6411 (Nidera) A 3.697,5 a A 3.807,1 ab A 3.740,4 a
NA 5909 RG (Nidera) A 3.916,8 a A 3.808,1 ab A 3.740,4 a
Altura de Plantas - cm
BMX Apolo A 76,2 b B 69,4 c B 68,3 b
BMX Impacto A 78,8 b A 77,8 a B 67,0 b
BMX Urano A 67,2 c B 62,3 d C 57,7 d
A 6411 (Nidera) A 77,2 b B 73,3 b C 62,7 c
NA 5909 RG (Nidera) A 83,9 a B 78,9 a B 78,6 a

4. CONCLUSÃO

Com isso, conclui-se que a época de semeadura afetou diretamente as variáveis


avaliadas.
Por ocasião da produtividade (Kg/ha-1), as cultivares BMX Apolo, 6411 e 5909,
tiverem grande destaque, obtendo as maiores produtividades independentemente da época
de semeadura mostrando serem materiais com potencial para abertura e fechamento de
plantio dentro do zoneamento da cultura.

5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CARVALHO, E. R.; REZENDE, P. M. de ; OGOSHI, F. G. A. ; BOTREL, E.


P. ; ALCANTARA, H. P. ; SANTOS, J. P. Desempenho de cultivares de soja [Glycine max
(L.) Merrill] em cultivo de verão no sul de Minas Gerais. Ciência e Agrotecnologia
(UFLA), v. 34, p. 892-899, 2010.

4
MARQUES, M. C.; BUENO, M. R.; FREITAS, M. C. M.; HAMAWAKI, O. T. Competição
intergenotípica de soja em três épocas de semeadura em Uberlândia - MG. In: V
Semana acadêmica, 2008, Uberlândia. VIII Encontro interno e XII Seminário de iniciação
científica, 2008. p. 199-199.

PEIXOTO, C. P. ; CÃMARA, G. M. S. ; MARTIN, M. C. ; MARCHIORI, L. F. S. ;


GUARZONI, R. A. ; MATIAZZI, P. Épocas de Semeadura e densidade de plantas de
soja: componentes da produção e rendimento de grãos. Scientia Agricola, Piracicaba-
SP, v. 57, n. 1, p. 89-96, 2000.

PELÚZIO, J.M.; FIDELIS, R.R.; ALMEIDA JÚNIOR, D.;BARBOSA, V.S.; RICHTER,


L.H.M.; SILVA, R.R. da; AFFÉRRI, F.S. Desempenho de cultivares de soja, em duas
épocas de semeadura, no sul do estado do Tocantins. Bioscience Journal, Uberlândia,
v.22, n.2, p.69-74, 2006.

REUNIÃO DE PESQUISA DE SOJA DA REGIÃO SUL (38: 2010, Cruz Alta.. Indicações
Técnicas para a Cultura da Soja no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina
2011/2012. Cruz alta: Fundacep Fecotrigo, 2010, 168p.