Você está na página 1de 3

Ministério da Educação

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso


Pró-Reitoria de Ensino
Departamento de Educação a Distância
Programa Universidade Aberta do Brasil

ESTÁGIO SUPERVISIONADO I
PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

1 – DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA UAB/IFMT

2- TÍTULO DO PROJETO
A química dos extintores de CO2

3 – ESTAGIÁRIO
Gysellen Ferreira Vieira Lima

4 - PÚBLICO ALVO
Ensino Fundamental (9ºano)

5 – CARGA HORÁRIA
4 horas

6– JUSTIFICATIVA
A química é vista por muitos alunos como uma disciplina “difícil” e/ou
“desinteressante”. Para contornar essas e outras dificuldades no ensino de Química,
devemos buscar ferramentas extras para utilizar em sala de aula. O uso das atividades
experimentais em sala de aula é uma das ferramentas didáticas mais recomendadas
para contribuir para a aprendizagem dos conceitos e das transformações dos
fenômenos da natureza. As Diretrizes Curriculares Nacionais defendem a necessidade
de se contextualizar os conteúdos na realidade vivenciada pelos alunos, a fim de
atribuir-lhes sentido e, assim, contribuir para a aprendizagem (BRASIL, 1999). Neste
sentido, a abordagem da temática “A Química dos extintores de CO2”, com a proposta
da construção de um extintor de incêndio caseiro com materiais simples e de baixo
custo, tem como finalidade estimular a visão crítica dos alunos, destacando aos
estudantes a importância da Química em sua vida prática. Além disso, o experimento
permite a discussão de conceitos sobre reações químicas entre ácidos e bases, com
reagentes de fácil acesso.

7 - BASE TEÓRICA
Em nossa vida prática temos muitos exemplos de ácidos e bases. No próprio corpo
humano, no estômago, temos o suco gástrico que contém ácido clorídrico (HCl),
eficiente para o processo de digestão e controle de bactérias. Também fazemos uso de
bases, como por exemplo, na higiene bucal, para eliminar resíduos ácidos presente na
saliva, utilizamos creme dental, que pode conter hidróxido de magnésio ou
bicarbonato de sódio. Além disso, ao consumir certos alimentos também ingerimos
substâncias ácidas ou básicas, como refrigerantes, frutas cítricas, castanhas entre
outros. Ácidas são substâncias que em água perdem elétrons para formar íons
hidrogênio, aumentando a concentração de H+ (aq), por exemplo, os ácidos HCl, HNO3
e H2SO4. Base são substâncias que reagem com íons H+ e forma íons hidróxido (OH-)
em água, como NaOH e KOH. Quando uma solução de um ácido e a de uma base é
misturada, ocorre uma reação de neutralização, que produz água e um sal. Por
exemplo, quando o ácido clorídrico é misturado a uma solução de hidróxido de sódio
ocorre à seguinte reação:
HCl (aq) + NaOH (aq)  H2O (l) + NaCl (aq)
(ácido) (base) (água) (sal)
A reação de neutralização também ocorre no extintor caseiro de CO2 proposto, onde
ocorre uma reação química entre ácido e uma base, ácido acético (CH3COOH) e
bicarbonato de sódio (NaHCO3), respectivamente. A reação entre o vinagre e o
bicarbonato produz um sal, acetato de sódio (CH3COONa+), e ácido carbônico (H2CO3),
que é rapidamente decomposto em água e gás carbônico (CO2), conforme a reação:
H3COOH(aq) + NaHCO3(s)  H3COONa(s) + H2CO3(aq)
H2CO3(aq)  H2O(l) + CO2(g)
O gás carbônico produzido na reação aumenta a pressão interna do extintor e, sendo
esta maior do que a pressão externa, a água e o sal formados na reação são expelidos
para fora do extintor. Cabe destacar que o tipo de extintor proposto é indicado para
incêndio de classe B (líquidos que queimam na superfície, como gasolina, álcool, etc.) e
C (aparelhos elétricos como computadores, etc.) desde que os aparelhos incendiados
não estejam ligados à rede elétrica.

8– OBJETIVOS
Orientar sobre os tipos de extintores;
Construir um extintor de incêndio caseiro;
Identificar as reações químicas presente no extintor de incêndio.

9 – METODOLOGIA
A aula será expositiva, com auxílio de multimídia, buscando-se a interdisciplinaridade e
a contextualização do tema. A aula consistirá em introdução sobre o tema, uma breve
orientação quanto à importância da prevenção de incêndios, e recomendações quanto
aos cuidados sobre a evacuação de locais fechados em casos de incêndios. No
desenvolvimento da aula, serão abordados os tipos extintores de incêndio e a
finalidade de cada um e será proposta a construção de um extintor de incêndio caseiro
do tipo CO2. Também serão introduzidos os conceitos de reações químicas para
esclarecer as observações do experimento. No encerramento, serão recordados os
pontos relevantes estudados e os alunos responderam alguns questionamentos para
verificar se os objetivos da aula foram alcançados.
10 – RECURSOS
Data show;
Quadro branco;
Materiais para a elaboração dos experimentos (1 frasco de refrigerante de 600 mL; 1
tubo de conta-gotas; 1 tubo de ensaio de 35 mL; 450 mL de vinagre e bicarbonato de
sódio (NaHCO3)

11– LOCAL DE REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES


Escola Estadual Mariana Luiza Moreira

12 – CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO
0,5 h – Orientação sobre o uso de extintores de incêndio;
1,5 h – Explanação da temática – Reação de ácido e bases;
1,5 h – Desenvolvimento do extintor de incêndio;
0,5 h – Pontos relevantes e Questionamentos para avaliação se os objetivos foram
alcançados;

13 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: ciências naturais. Brasília: MEC/Secretaria
de Educação Fundamental, 1998.
BROWN, Theodore; LEMAY, H. Eugene; BURSTEN, Bruce E. Química: a ciência central.
9 ed. Prentice-Hall, 2005.
PINTO, A. C.; SILVA, B. V. A Química Perto de Você: Experimentos de Baixo Custo para
a Sala de Aula do Ensino Fundamental e Médio. 1º edição. Sociedade Brasileira de
Química - SBQ. São Paulo. 2010.

14 – PARECER DO COORDENADOR DA ESCOLA *

Data: / /

Assinatura:

* O item 14, deve constar a assinatura do Coordenador Pedagógico da unidade escolhida, após a
execução do Projeto na disciplina de Estágio Supervisionado II - 5º Semestre.