Você está na página 1de 86

- DEFESA PESSOAL -

Edital Câmara 2014 (Polícia) – item 05

- Professor: Marcos Girão -

marcospascho@gmail.com
Marcos Girão
CONCEITOS
INICIAIS
O QUE É A DEFESA PESSOAL?

Assim, tais técnicas só devem ser aplicadas QUANDO ESGOTADAS AS


CHANCES DE PREVENÇÃO.
O bom profissional de segurança deve primeiramente procurar PREVENIR as
ações indesejáveis, por meio da atenção, da atitude correta, da postura
profissional e de procedimentos operacionais bem definidos e conhecidos por
toda a equipe, evitando, com isso, que na maioria das vezes o marginal chegue
às vias de fato.
O QUE É A DEFESA PESSOAL?
AÇÃO REATIVA – FUNDAMENTOS
FUNDAMENTOS
DA
DEFESA PESSOAL
FUNDAMENTOS DA DEFESA PESSOAL

 Só efetue a reação se acreditar que pode e se tiver


certeza que deve fazê-la.
 Controlar o medo não é eliminá-lo, mas fazer dele
seu aliado.
 O medo deve ser canalizado para utilizar uma
técnica que irá incapacitar o oponente, imobilizando-o.
FUNDAMENTOS DA DEFESA PESSOAL
FUNDAMENTOS DA DEFESA PESSOAL

 Para controlar o adversário, é necessário aplicar a


TÉCNICA ADEQUADA, no MOMENTO ADEQUADO.
 É moldar-se à situação conforme a proximidade, o
peso, a altura, a base de pernas, o posicionamento, o
olhar, o estado de alerta, a ansiedade e outros fatores
que exigem presteza do corpo e da mente.
FUNDAMENTOS DA DEFESA PESSOAL
PRINCÍPIOS

 Princípio da Repetição

 É necessário repetir tantas vezes quanto forem


necessárias para incorporar a técnica, fazendo que o
tempo entre você pensar e agir seja cada vez menor.

 O movimento deve ser o mais natural possível, a


reação deve ser imediata.
PRINCÍPIOS

 Princípio da Dor

 Podemos utilizar a dor para fazer o adversário:


 ficar paralisado,
 para destruir sua integridade física ou;
 para distraí-lo.
PRINCÍPIOS

 Princípio da Adaptação

 Não é o fator de domínio do adversário que se adapta à


técnica, mas A TÉCNICA É QUE SE MOLDA AO ADVERSÁRIO.
PRINCÍPIOS

 Princípio da Mudança

 Quando uma técnica não der resultado, MUDE


PARA OUTRA TÉCNICA!
PRINCÍPIOS

 Princípio da Versatilidade

 UMA TÉCNICA PARA VÁRIAS SITUAÇÕES, VÁRIAS


TÉCNICAS PARA UMA SITUAÇÃO.
 Quanto maior a VERSATILIDADE e CONHECIMENTOS do
lutador, maiores serão suas chances.
PRINCÍPIOS

 Princípio da Versatilidade

 UMA TÉCNICA PARA VÁRIAS SITUAÇÕES, VÁRIAS


TÉCNICAS PARA UMA SITUAÇÃO.
 Quanto maior a VERSATILIDADE e CONHECIMENTOS do
lutador, maiores serão suas chances.
FUNDAMENTOS DA DEFESA PESSOAL

 Você pode controlar a si mesmo, ter uma técnica perfeita para


controlar o adversário, mas isso não garante sua vida.
 Nas situações de perigo, é necessário AVALIAR
CORRETAMENTE O RISCO e estar apto a decidir se irá ou não
efetuar uma reação.
FUNDAMENTOS DA DEFESA PESSOAL

 A avaliação do risco:
O GRADIENTE
DE
FORÇA
GRADIENTE DE FORÇA

 As forças de segurança devem usar um GRADIENTE DE FORÇA que


mostra alternativas que seguem o preceito de USO PROPORCIONAL DA
FORÇA, estando dessa forma amparados nos aspectos moral e legal.
 O uso excessivo, indevido ou arbitrário de força que cause danos físicos
ou morais não deve ser permitido pela sociedade civil e precisa ser
fiscalizado pelos órgãos responsáveis pela manutenção da ordem e do
estado de direito que preservem os direitos individuais.
GRADIENTE DE FORÇA

 A força utilizada deve ser baseada na situação que o agente


de segurança enfrenta e deve ser IMEDIATA.
 O objetivo de utilizar a força é NEUTRALIZAR O INDIVIDUO
EM SUA AÇÃO que caracterize desrespeito as leis, ou que
possam causar mal de acordo com a sociedade que esse
indivíduo convive.
 A percepção da totalidade da situação é que proporciona a
ESCOLHA e a DOSAGEM do NÍVEL DE FORÇA que será utilizado
para conter o agressor.
GRADIENTE DE FORÇA
GRADIENTE DE FORÇA

 Os níveis de gradiente de força DEVEM SER


CONSTANTEMENTE TREINADOS para que em
uma situação de risco o agente de segurança
possa decidir imediatamente suas respostas de
maneira correta, diferenciando o bom do mal
profissional.
GRADIENTE DE FORÇA
TÉCNICAS
DE
IMOBILIZAÇÃO
E
DE
DEFESAL PESSOAL
JUDÔ
(“Caminho Suave”)
JUDÔ - OBJETIVOS
JUDÔ

DESEQUILÍBRIO

PRINCÍPIOS
DO USO DE ALAVANCAS
JUDÔ

USO DA FORÇA DO
ADVERSÁRIO CONTRA
ELE MESMO
JUDÔ - PRINCÍPIOS

 Também chamado “kuzushi” em japonês.


 Um dos objetivos do Judô é a QUEDA PERFEITA, em
que se procura DESEQUILIBRAR O ADVERSÁRIO para
aplicar mais facilmente esse golpe.
JUDÔ - PRINCÍPIOS

 Com a utilização de ALAVANCAS, que trabalham


com centro de gravidade do ser humano, CONSEGUE-
SE ERGUER ADVERSÁRIOS MAIORES COM EXTREMA
FACILIDADE.
JUDÔ - PRINCÍPIOS

“Se o adversário o empurra, você o puxa; se o


adversário o puxa, você o empurra”.

IMPORTANTÍSSIMO
JUDÔ - QUEDAS

 QUEDA DE FRENTE
JUDÔ - QUEDAS

 QUEDA DE LATERAL
JUDÔ - QUEDAS

 QUEDA DE COSTAS
JUDÔ - ROLAMENTOS

 OBJETIVOS
JUDÔ - ROLAMENTOS

 OBJETIVOS
JUDÔ – TÉCNICAS DE PROJEÇÃO

 FINALIDADES
JUDÔ – TÉCNICAS DE PROJEÇÃO

 GOSHI - (Grande Golpe dos Quadris)

1
JUDÔ – TÉCNICAS DE PROJEÇÃO

 O-SOTO-GARI – (Grande Varrida Externa)

2
JUDÔ – ESTRANGULAMENTO

 HADAKAJIME

“CADEADO” “MATA-LEÃO”
JUDÔ – ESTRANGULAMENTO

 HADAKAJIME (Cadeado)

Um braço envolve o pescoço


do adversário e a mão oposta
mantém a pressão para
melhor controlá-lo.

“CADEADO”
1
JUDÔ – ESTRANGULAMENTO

 HADAKAJIME (Mata-Leão)

Além de envolver o pescoço do


adversário, o defensor mantém
uma pressão na cervical e uma
alavanca segurando em seu
próprio braço.

Muito cuidado com a traqueia


do adversário!!

“MATA-LEÃO”
JUDÔ – ESTRANGULAMENTO

 HADAKAJIME (Mata-Leão)

“MATA-LEÃO”

4
JUDÔ – CHAVES DE BRAÇO

 Regras Básicas
JUDÔ – CHAVES DE BRAÇO

 Técnica UDE-GARAME
JUDÔ – CHAVES DE BRAÇO

 Técnica UDE-GARAME – (Variação)

5-6
JUDÔ – CHAVES DE BRAÇO

 Técnica WAKIGATAME
JUDÔ – CHAVES DE BRAÇO

 Técnica WAKIGATAME
JUDÔ – DEFESA CONTRA PEGADAS

 A pegada PELAS COSTAS e POR BAIXO DOS BRAÇOS


DEFESA CONTRA AGRESSÃO ARMADA

 CONDUÇÃO DE DETIDOS

CHAVE EM “L”

 A condução de pessoas detidas muitas vezes se faz necessária com o


auxílio de chaves de braço, punho ou dedo, a fim de controlar
qualquer eventual reação por parte do conduzido.
1
JUDÔ – DEFESA CONTRA PEGADAS

 A pegada PELAS COSTAS e POR BAIXO DOS BRAÇOS


JUDÔ – DEFESA CONTRA PEGADAS

 TAI-OTOCHI (Defesa contra Pegada por Trás)

 O agente cai em base, segurando os braços do agressor com os seus braços, com os
punhos cerrados, move o quadril para o lado e passa uma das pernas por trás do
agressor, agarrando-o na altura do quadril, projetando-o para FRENTE em direção ao
solo.
7
DEFESA CONTRA

SOCOS
NO
ROSTO
DEFESA CONTRA SOCO NO ROSTO

Bloqueio Esquiva

Soco
no
Rosto

1
DEFESA CONTRA SOCO NO ROSTO

1
DEFESA CONTRA SOCO NO ROSTO

 ESQUIVA

MOVIMENTAR O CORPO P/ A ESQUERDA E P/ A DIREITA


SEM TIRÁ-LO DA BASE

 DESVIO

ESQUIVAR-SE TIRANDO O CORPO DA BASE

8
DEFESA CONTRA SOCO NO ROSTO

8
DEFESA CONTRA

CHUTES
DEFESA CONTRA CHUTES

 CHUTE LATERAL e nos ÓRGÃOS GENITAIS


DEFESA CONTRA CHUTES

 CHUTE LATERAL
DEFESA CONTRA CHUTES

 CHUTE nos ÓRGÃOS GENITAIS

TÉCNICA “X” – A mais comum

Este movimento, embora simples, deixa o agente de segurança muito


exposto se o adversário tiver uma boa técnica.
DEFESA CONTRA CHUTES

 CHUTE nos ÓRGÃOS GENITAIS

 Recomenda-se que você encurte a


distância.
 Assim, o chute do adversário perde
totalmente sua eficiência, ao mesmo
tempo em que se executa um contra-
ataque simultâneo, surpreendendo o
adversário.
DEFESA CONTRA

PAULADAS
DEFESA CONTRA PAULADAS

 PAULADA NA CABEÇA À LONGA DISTÂNCIA

TÉCNICA “X” – A mais comum


DEFESA CONTRA PAULADAS

 PAULADA NA CABEÇA À LONGA DISTÂNCIA

 Recomenda-se evitar ao máximo a Técnica “X”.


 Prefira encurtar a distância segurando os braços e aplicando um
contra-ataque simultâneo.
9
DEFESA CONTRA

FACADAS
DEFESA CONTRA FACADAS

 FACA NA BARRIGA POR BAIXO

Melhor Defesa?

CORRA!!!

1
DEFESA CONTRA FACADAS

 FACA NA BARRIGA POR BAIXO

1
DEFESA CONTRA FACADAS

 FACA NA BARRIGA POR BAIXO

10
DEFESA CONTRA

AGRESSÃO
ARMADA
DEFESA CONTRA AGRESSÃO ARMADA

 ARMA APONTADA P/ BARRIGA

 Antes de aplicar essa técnica,


aconselha-se também A NÃO SE
APROXIMAR MUITO DO
ADVERSÁRIO quando
ameaçado por arma de fogo.
A POSIÇÃO

MONTADA
A POSIÇÃO MONTADA

 Por melhor que seja sua postura, a montada é uma posição dinâmica e instável.
 Você sempre terá que se adaptar a movimentação de quem está por baixo.
Por mais correta que seja sua postura inicial é fundamental se mover também e não
deixar espaços.
A POSIÇÃO MONTADA

 Evita-se ficar muito próximo do quadril (onde o


adversário poderia dar uma barrigada) ou muito longe do
quadril (o que facilita escapar via saída de quadril).
A POSIÇÃO MONTADA

 Se observar na imagem da esquerda, existe um espaço entre os


joelhos e o tórax do lutador. Isso facilita a movimentação de quem está
por baixo e sua saída.

Os joelhos devem ESTAR JUNTOS DO TÓRAX A TODO O MOMENTO.


Qualquer movimento de quem está por baixo, deve levá-lo a sempre
buscar corrigir a distância e manter os joelhos o mais próximo possível.
1
ARMAS

NÃO LETAIS
ZONAS DO CORPO

1
ARMAS NÃO LETAIS

 São recursos especificamente projetados e empregados


para incapacitar pessoas ou material, ao mesmo tempo em
que evitam mortes, ferimentos permanentes em pessoas,
danos indesejáveis à propriedade e comprometimento do
meio-ambiente.
ARMAS NÃO LETAIS

 "BALA DE BORRACHA" (elastômero)

 Cápsula com pólvora, com projétil único ou com vários projéteis de


borracha (elastômero) que quando acionadas por uma arma, normalmente
Espingarda calibre 12, dão forte impacto no alvo, causando dor e ferimentos
leves.
 Pode ser fatal em regiões nobres do corpo, como garganta e olhos.
ARMAS NÃO LETAIS

 SPRAY DE PIMENTA

 Composto químico que causa ARDÊNCIA NOS OLHOS E CEGUEIRA


TEMPORÁRIA, combinada com a irritação nas mucosas da garganta e nariz.
 Pode ser fatal se usada em excesso contra pessoas com problemas
respiratórios.
ARMAS NÃO LETAIS

 GÁS LACRIMOGÊNEO

 Assim como o Spray de Pimenta, causa ARDÊNCIA NA PELE E NAS VIAS


RESPIRATÓRIAS.
 Nos olhos, pode causar cegueira temporária.
Normalmente usado para dispersar multidões, geralmente por meio de granadas.
ARMAS NÃO LETAIS

 CANHÕES DE ÁGUA

 Caminhões pipas com mangueiras instaladas na parte


superior dispersam a multidão com jatos fortes de água.
ARMAS NÃO LETAIS

 CASSETETES

 Bastões de borracha com pouca flexibilidade causam muita


dor se utilizadas em algumas regiões do corpo.
ARMAS NÃO LETAIS

 ARMAS TEASER

 Armas que disparam eletrodos com cargas de choque elétrico, que são acionados
pelo policial da mesma forma que se acionam as armas de fogo.
 Seu funcionamento se dá quando estes eletrodos atingem o alvo, disparando pulsos
elétricos por 1,5 segundos.
Paralisa o alvo e o deixa inerte para a ação policial, evitando assim, o uso
desnecessário da arma de fogo.
Obrigado
Grande abraço e bons estudos!

- Professor: Marcos Girão -

marcospascho@gmail.com
Marcos Girão