Você está na página 1de 228

CX36B

Escavadeira Hidráulica Compacta

Manual do Operador

84543315
2ª Edição
Português 12/11
A CNH Latin America LTDA. reserva o direito de efetuar melhorias a qualquer momento no projeto, ou mudanças em
especificações sem incorrer qualquer obrigação para os instalar em unidades previamente vendidas.
Todo o conteúdo desta publicação está sujeito a variações de produção.
Dimensões e pesos são só aproximados.
Ilustrações não mostram necessariamente produtos em condição “standard”.
Para informações exatas sobre qualquer produto em particular, consulte seu revendedor.

ESCAVADEIRA HIDRÁULICA COMPACTA


CX36B
84543315
2ª Edição
Português 12/11

LEIA, ENTENDA E OBEDEÇA TODAS AS PRECAUÇÕES


E INTRUÇÕES DE SEGURANÇA CONTIDAS NESSE MANUAL
ANTES DE OPERAR A MÁQUINA.

É estritamente proibido qualquer uso do conteúdo editorial ou ilustrações sem permissão por escrito da
CNH Latin America LTDA. – Av. General David Sarnoff, 2237 - 32210-900 - Contagem - MG - Brasil.
ATENÇÃO: Este Símbolo de Alerta de Segurança Indica Importantes Mensagens de Se-
gurança contidos neste Manual. Sempre que encontrar este símbolo, leia com ATEN-
ÇÃO A MENSAGEM QUE SE SEGUE E ESTEJA ATENTO QUANTO À POSSIBILIDADE DE ACIDENTES
FATAIS OU COM FERIMENTOS GRAVES.

Os adesivos de segurança nesta máquina usam as palavras Perigo, Advertência ou Cuidado, definidas da
seguinte forma:
•• PERIGO: indica uma situação de perigo imediato que, se não evitada, resultará em morte ou em le-
sões graves. A cor associada a Perigo é VERMELHO.
•• ADVERTÊNCIA: indica uma situação de perigo potencial que, se não evitada, poderá resultar em
morte ou em graves ferimentos. A cor associada a Advertência é LARANJA.
•• CUIDADO: Indica uma situação de perigo potencial que, se não evitada, poderá resultar em feri-
mentos leves ou moderados. Também pode ser usado para alertar contra práticas inseguras. A cor
associada a Cuidado é AMARELO.
Se os Decalques de Segurança desta máquina forem do tipo de dois painés gráficos ISO, os decalques são
assim definidos:
•• A primeira placa indica a natureza do perigo.
•• A segunda placa indica a anulação adequada do perigo.
•• A cor de fundo é AMARELO.
•• Símbolos de proibição como e PARE se usados, estão em VERMELHO.

AdvertÊncia
A OPERAÇÃO INADEQUADA DESTA MÁQUINA PODE CAUSAR LESÕES GRAVES OU MORTE. AN-
TES DE USAR ESTA MÁQUINA, CERTIFICAR-SE DE QUE CADA OPERADOR:
•• Seja orientado sobre o uso seguro e adequado da máquina.
•• Leu e entendeu o manual ou os manuais da máquina.
•• Leu e entendeu TODOS os decalques de segurança da máquina.
•• Afastou outras pessoas da área.
•• Aprendeu e praticou o uso seguro dos controles da máquina em uma área segura e vazia antes
de operar esta máquina em um local de trabalho.
É responsabilidade do operador observar as leis e os regulamentos pertinentes e seguir as instruções da
CASE sobre a operação e manutenção da máquina.
CONTEÚDO

CAPÍTULO 1
INFORMAÇÕES GERAIS
Ao Proprietário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-1
Direita, Esquerda, Dianteira e Traseira da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-2
Componentes da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-3
PIN (Números de Identificação do Produto) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-4

CAPÍTULO 2
INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA
Conteúdo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-1
Normas de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-3
Segurança Pessoal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-4
Segurança nas Utilidades Públicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-5
Precauções do Operador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-6
Regras de Segurança e Definições de Palavras de Sinalização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-12
Decalques . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-13
Sinais de Mão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-29

CÁPITULO 3
INSTRUMENTOS E CONTROLES
Conteúdo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-1
Cabine e Assento do Operador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-3
Compartimentos e Portas de Acesso à Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-7
Controles e Acessórios do Compartimento do Operador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-8

CAPÍTULO 4
INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO
Conteúdo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-1
Antes de Operar a Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3
Operando a Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-4
Partida e Desligamento do Motor da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5
DeCalques de Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-8
Operação Básica dos Controles Hidráulicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-9
Práticas para Melhorar a Eficiência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-16
Operação da Máquina em Condições Climáticas Adversas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-18
Transporte da máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-21
Armazenagem da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-25
EquipAmento opcional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-26
Martelete Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-26
LÂMINA DE ÂNGULO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-35

CAPÍTULO 5
LUBRIFICAÇÃO, FILTROS, E FLUIDOS
Conteúdo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-1
Fluidos e Filtros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3
Especificações dos Lubrificantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-6
Utilize Óleos Biodegradáveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7

I
CAPÍTULO 6
MANUTENÇÃO E AJUSTES
Conteúdo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-1
informação geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-3
Liberando a Pressão do Sistema Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-6
Tabela de Lubrificação e Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-8
INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO DIÁRIAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-10
manutenção de 50 horas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-17
manutenção de 250 Horas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-26
manutenção de 500 horas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-32
manutenção de 1000 Horas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-36
manutenção de 1500 Horas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-39
manutenção de 2000 Horas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-40
MANUTENÇÃO DE 5000 HoRAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-48
PROCEDIMENTOS ESpeciaIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-49

CAPÍTULO 7
ELÉTRICO
Conteúdo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-1
Componentes Elétricos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-3

CAPÍTULO 8
ESPECIFICAÇÕES
Conteúdo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-1
ESPECIFICAÇÕES GERAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-3
Capacidades de Elevação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-11
Especificações de Torque de Aperto dos Parafusos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-12
Tabela de Densidade de Materiais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-15
Unidades de Conversão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-16

CAPÍTULO 9
ÍNDICE

CAPÍTULO 10
GARANTIA

II
CAPÍTULO 1 – INFORMAÇÕES GERAIS

INFORMAÇÕES GERAIS

AO PROPRIETÁRIO
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA COMPACTA CX27B
Esta escavadeira, com equipamento padrão e acessórios autorizados, destina-se ao uso para excavações abaixo
do nível do solo e para propósitos gerais de movimentação de terra, tais como abertura de valas, carregamento de
caminhões, manipulação de materiais e limpeza de valas. Se for utilizar a máquina para elevação de objetos,
assegure-se de que ela esteja adequadamente equipada e siga as instruções e precauções de segurança deste
manual.
NÃO utilize esta máquina para qualquer propósito, ou de qualquer maneira, que não os descritos no manual, nos
decalques ou em outra informação de segurança do produto fornecida com a máquina. Estes materiais definem o
uso pretendido da máquina.
Se esta máquina for para manipular uma carga (tubos, galerias, formas, etc.), assegure-se de que ela esteja
equipada para o desempenho deste tipo de trabalho. Para este tipo de aplicação, a máquina deve estar equipada
com válvulas de segurança, um quadro de manipulação de carga correspondente ao tipo de máquina e seu
acessório, e um ponto de fixação de carga. Todas as exigências legais devem também ser estritamente
observadas.
Não utilize esta máquina para qualquer aplicação ou propósito que não os descritos neste manual. Se for utilizar a
máquina para trabalhos envolvendo o uso de acessórios especiais. ou equipamentos, consulte seu Revendedor
CASE Construction para garantir que quaisquer adaptações ou modificações feitas estejam de acordo com as
especificações técnicas da máquina e com as exigências de segurança vigentes.
Leia este manual atentamente, prestando particular atenção às instruções sobre segurança, operação e
manutenção, para evitar o risco de ferimentos durante a operação ou manutenção da máquina.
A máquina deve passar por inspeções regulares, a frequência das mesmas varia conforme o tipo de uso. Consulte
seu Revendedor autorizado CASE Construction.
Não opere ou permita que alguém opere ou faça manutenção nesta máquina até que você ou esta outra pessoa
tenha lido e entendido as instruções de segurança, de operação e de manutenção contidas neste manual. Use
somente operadores treinados, que tenham demonstrado habilidade para operar e fazer a manutenção da
máquina corretamente e com segurança. Todas as pessoas que irão operar esta máquina deverão possuir uma
licença de operação de veículo local e válida e/ou outra licença local de trabalho aplicável.
Mantenha este manual sempre no compartimento do operador (na parte de trás do assento do operador).
Certifique-se de que ele esteja completo e em boas condições. Se desejar obter cópias extra, ou cópias em
idiomas diferentes daquele do país de uso, consulte seu Revendedor autorizado CASE Construction para
maiores informações. Ele também lhe prestará qualquer serviço pós-venda que possa necessitar, e peças de
reposição genuínas CASE, sua garantia de qualidade.
Qualquer modificação ou adaptação não aprovada pelo fabricante pode invalidar a conformidade inicial da
máquina com as exigências de segurança e a garantia.
A informação contida neste manual foi fornecida com base na informação disponível no momento em que este foi
escrito. Configurações, procedimentos, números de peças, software e outros itens podem mudar. Essas
mudanças podem afetar o serviço efetuado na máquina. Certifique-se de obter a informação completa e atual de
seu revendedor, antes de iniciar qualquer operação da máquina.
ATENÇÃO: O motor e o sistema de combustível de sua máquina foram projetados e construídos para os padrões
governamentais de emissões. A adulteração pelo revendedor, por clientes, operadores e usuários é estritamente
proibida por lei. A falha no cumprimento pode resultar em multas governmentais, cobranças de retrabalho, invali-
dação de garantia, ação legal e possível confisco da máquina até que o retrabalho para a condição original seja
concluído. Serviços e/ou reparos no motor devem ser feitos somente por um técnico certificado.

CASE CUSTOMER ASSISTANCE também está disponível.


Ligue para 0800 727 2273 ou envie um e-mail para casecustomerassistance.brasil@casece.com

1-1
CAPÍTULO 1 – INFORMAÇÕES GERAIS

DIREITA, ESQUERDA, DIANTEIRA E TRASEIRA DA MÁQUINA


Os termos, Direita, Esquerda, Dianteira e Traseira são usados neste manual para indicar os lados como vistos a
partir do assento do operador quando a cabine está sobre as rodas tensoras.
A ilustração abaixo mostra a máquina na posição normal de TRANSLAÇÃO. Nesta posição a cabine está sobre
as rodas tensoras. Os redutores de translação estão na traseira da estrutura superior.

6 6

4 3

5 5

2
DC03H142 Figura 1

1. DIANTEIRA 4. LADO ESQUERDO


2. TRASEIRA 5. REDUTORES DE TRANSLAÇÃO (MOTORES DE TRANSLAÇÃO)
3. LADO DIREITO 6. RODAS TENSORAS

1-2
CAPÍTULO 1 – INFORMAÇÕES GERAIS

COMPONENTES DA MÁQUINA

37

1 36
2
33 32
35 34
3 31
30 29
4 28
5
27

6 26 25
7
24
8 23
9
22
10
11
12
13
19 20
14
15 21
18
16
17
BS07M601 Figura 2

COMPONENTES DA MÁQUINA

1. CILINDRO DA CAÇAMBA 20. MOTOR DE GIRO


2. BRAÇO 21. FILTRO DE ÓLEO
3. ARTICULAÇÃO 22. MOTOR
4. CAÇAMBA 23. SILENCIOSO
5. ALAVANCAS DE TRANSLAÇÃO 24. RESERVATÓRIO DE RECUPERAÇÃO
6. ALAVANCA DE CANCELAMENTO DE FUNÇÕES 25. FILTRO DE AR
7. CILINDRO DE GIRO 26. RADIADOR
8. CILINDRO DA LÂMINA 27. PAINEL DOS INDICADORES
9. BATERIA 28. VÁLVULA DE CONTROLE
10. RESERVATÓRIO DE COMBUSTÍVEL 29. ALAVANCA DE ACELERAÇÃO
11. LÂMINA 30. RESRVATÓRIO DO FLUIDO HIDRÁULICO
12. ESTEIRA DE BORRACHA 31. ALAVANCA DE CONTROLE DA LÂMINA
13. CONJUNTO DA RODA TENSORA 32. ALAVANCA DE CONTROLE
14. ROLETES INFERIORES 33. ROPS - PROTEÇÃO CONTRA CAPOTAMENTO
15. ROLETES SUPERIORES 34. CILINDRO DA LANÇA
16. ROLAMENTO DE GIRO 35. LANÇA
17. MOTOR DE TRANSLAÇÃO 36. LUZES DE TRABALHO
18. BOMBA HIDRÁULICA 37. CILINDRO DO BRAÇO
19. JUNTA ROTATIVA

1-3
CAPÍTULO 1 – INFORMAÇÕES GERAIS

PIN (NÚMEROS DE IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO)


MODELO, NÚMERO DE SÉRIE E ANO DE MOTOR
FABRICAÇÃO
Ao solicitar peças, obter informações ou assistência,
sempre forneça ao seu Revendedor CASE Cons-
truction o número de série de sua máquina ou aces-
sórios.
Escreva o seguinte nos espação abaixo: o tipo, o
número de série e o ano de fabricação de sua
máquina, acessórios e os números de série dos
vários componentes hidráulicos e mecânicos.

BS07M603 Figura 4

MOTOR

Marca e Modelo

Número de Série

PIN DE COMPONENTES
BS07N400 Figura 3 NÚMEROS DE SÉRIES DOS COMPONENTES

PLACA DE IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO


Bomba Hidráulica

Modelo
Redutor de Giro

Número PIN
Redutores de Translação

Ano de Fabricação
Válvula de Controle de Translação

Válvula de Controle de Acessório

Válvula de Controle de Giro

1-4
CAPÍTULO 1 – INFORMAÇÕES GERAIS

CERTIFICAÇÃO FOPS, ROPS

BS07M603 Figura 5

FOPS (Proteção contra queda de objetos)

Marca e Modelo

Número de série

ROPS (Proteção contra capotamento)

Marca e Modelo

Número de série

1-5
CAPÍTULO 1 – INFORMAÇÕES GERAIS

INTERFERÊNCIA ELETROMAGNÉTICA (EMC)

Interferência Eletromagnética (EMC)


A interferência pode surgir como resultado de um equipamento complementar que pode não atender necessaria-
mente aos padrões requiridos.
Como tal interferência pode resultar em sério mau funcionamento da unidade e/ou criar situações sem segurança,
você deve observar o seguinte:
• A potência máxima do equipamento de emissão (rádio, telefones, etc.) não deve exceder os limites impostos
pelas autoridades nacionais do país.
• O campo eletromagnético gerado pelo sistema complementar não deve exceder 24 V/m a qualquer momento e
em qualquer local nas proximidades de componentes eletrônicos.
• O equipamento complementar não deve interferir no funcionamento dos componentes eletrônicos embarcados.
A falha no cumprimento destas regras implicará na nulidade e cancelamento da garantia.

1-6
CAPÍTULO 2
INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA
CONTEÚDO

NORMAS DE SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-3


SEGURANÇA PESSOAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-4
Área de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-4
SEGURANÇA NAS UTILIDADES PÚBLICAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-5
PRECAUÇÕES DO OPERADOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-6
Pessoal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-6
Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-6
Precauções ao Subir e Descer da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-6
Precauções na Partida e Parada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-6
Precauções na Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-7
Precauções na Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-8
Precauções no Manuseio de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-9
Precauções com Produtos Químicos Perigosos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-9
Prevenção Contra Queimaduras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-9
Precauções no Transporte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-9
Estrutura de Proteção Contra Capotamento (Se Equipado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-9
ROPS / FOPS (Sistemas de Proteção Contra Capotamento – Queda de Objetos) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-10
Precauções Quanto ao Cinto de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-11
Martelo para Saída de Emergência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-11
Extintor de Incêndio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-11
Prevenção de Incêndio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-11
Precauções Específicas para esta Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-11
REGRAS DE SEGURANÇA E DEFINIÇÕES DE PALAVRAS DE SINALIZAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-12
Segurança Pessoal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-12
Segurança da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-12
Informação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-12
DECALQUES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-13
Movimento da Lança e do Braço – Cuidado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-14
Fluído Hidráulico – Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-14
Segurança da Linha Elétrica– Perigo / Controles de Segurança – Advertência /
Alavanca de Cancelamentos de Funções – Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-15
Superfícies Quentes – Cuidado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-15
Fluídos e Lubrificantes Pressurizados – Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-16
Parada do Motor – Cuidado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-16
Área de Giro do Contrapeso – Perigo (Máquinas com Cabine) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-17
Área de Giro do Contrapeso – Perigo (Máquinas com ROPS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-17
Parada do Motor – Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-18
Cabo Auxiliar – Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-18
Ajustador de Tensão das Esteiras – Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-19
Mantenha-se Afastado da Área de Trabalho – Perigo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-19
Válvula Seletora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-20
Cinto de Segurança – Advertência (Máquinas com Cabine) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-20
Cinto de Segurança – Advertência (Máquinas com ROPS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-21
Trava da Janela – Cuidado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-21
Queda da Janela Dianteira – Cuidado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-22
Porta da Cabine – Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-22
Posição de Verificação do Fluido Hidráulico – Aviso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-23
Movimentação do Acessório (Máquina com Cabine) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-23
Movimentação do Acessório (Máquina com ROPS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-24
Não Opere Esta Máquina – Advertência (Máquina com Cabine) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-24
Não Opere Esta Máquina – Advertência (Máquina com ROPS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-25

2-1
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

Sistema de Segurança / Bloqueio da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-25


Controle de Multi Rotação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-26
Tabela de lubrificação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-26
Bateria – Perigo (MÁQUINAS COM ROPS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-27
SINAIS DE MÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-28
Levante a Carga Verticalmente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-28
Abaixe a Carga Verticalmente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-28
Mova a Carga Horizontalmente para Dentro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-28
Mova a Carga Horizontalmente para Fora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-28
Levante a Lança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-29
Abaixe a Lança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-29
Rotação à Esquerda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-29
Rotação à Direita . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-29
Braço Retraído . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-30
Braço Extendido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-30
Pivotamento à Esquerda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-30
Pivotamento à Direita . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-30
Translação para Frente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-31
Translação em Marcha a Ré . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-31
Fechar a Caçamba (Caçamba Retraída ou em Escavação) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-31
Abrir a Caçamba (Caçamba Estendida ou em Despejo) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-31
Vire à Esquerda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-32
Vire à Direita . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-32
Movimente esta Distância . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-32
Movimente Lentamente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-32
Pare . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-33
Parada de Emergência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-33
Desligue o Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2-33

2-2
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

NORMAS DE SEGURANÇA
LEIA ESTE MANUAL NA SUA TOTALIDADE e certi-
ADVERTÊNCIA fique-se que os controles foram bem compreendidos.
Todo equipamento tem um limite. Tenha certeza de
Evite ferimentos! ter entendido as características de velocidade, freios,
O símbolo de alerta de segurança é usado para aler- direção, estabilidade e carga desta máquina antes
tar sobre os perigos potenciais de ferimentos pesso- de iniciar a sua operação.
ais. Leia e observe cuidadosamente todos os avisos
de precaução contidos neste manual. A falha no NÃO remova este manual nem o manual de segu-
cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos rança da máquina. Procure o Revendedor para obter
graves. manuais adicionais. Leia também as informações
W0044A
nas páginas de títulos (primeira e segunda página na
frente do Índice) deste manual.
A maioria dos acidentes envolvendo a operação e a As informações de segurança fornecidas neste
manutenção da máquina pode ser evitada se as nor- manual não substituem os códigos de segurança, as
mas de segurança e as precauções básicas forem exigências dos seguros, ou as leis federais, estaduais
seguidas. Leia e entenda todas as mensagens de ou locais. Certifique-se que a máquina esteja equi-
segurança indicadas neste manual, no manual de pada com o equipamento adequado de acordo com
segurança e as sinalizações de segurança da essas normas ou leis.
máquina antes de operar ou reparar a mesma. Se
Mensagens de segurança adicionais são utilizadas
tiver dúvidas, entre em contato com o revendedor.
no texto do manual para indicar perigos específicos
contra a segurança.
NOTA: As mensagens de segurança neste capítulo
mostram as situações que podem ocorrer durante o
funcionamento normal e a manutenção da máquina.
Essas mensagens de segurança também fornecem
os meios para enfrentar essas situações
1

BS06H091 Figura 1

1. COMPARTIMENTO DE ARMAZENAMENTO DO MANUAL


DO OPERADOR

2-3
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

SEGURANÇA PESSOAL
Se os Decalques de Segurança desta máquina são ÁREA DE SEGURANÇA
ISO de dois painéis, os decalques são definidos
como segue:
• O primeiro painel indica a natureza do perigo.
• O segundo painel indica a maneira adequada 1
de evitar o perigo.
• A cor de fundo é AMARELO.
Símbolos de proibição, tais como e STOP se
usados, são VERMELHOS.

2
BC02N198 Figura 2

1. ÁREA DE TRABALHO
2. ÁREA DE SEGURANÇA

A área de segurança é o espaço necessário para a


máquina operar na faixa máxima da ferramenta num
total de 360 ° de rotação mais 2 metros (6 pés).

2-4
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

SEGURANÇA NAS UTILIDADES PÚBLICAS


As precauções de segurança DEVEM ser seguidas
quando trabalhar perto de Linhas de Utilidades
Públicas subterrâneas ou aéreas.
Durante a operação, é muito provável que você
estará trabalhando ao redor ou perto de linhas de uti-
lidades públicas subterrâneas ou aéreas que podem
incluir porém não serem limitadas a:
• Linha de Energia Elétrica
• Encanamento de Gás
• Encanamento de Água
• Linha de Comunicações –
Telefone ou Televisão a Cabo
• Telefone ou Televisão a Cabo
IMPORTANTE: Antes de iniciar qualquer operação
com a máquina, é de sua responsabilidade infor-
mar-se de todas essas utilidades subterrâneas ou
aéreas na área de trabalho e evitá-las. RH99G001 Figura 3
LIGUE PARA TODAS AS EMPRESAS DE UTILIDADES
Solicite SEMPRE que as empresas locais de forneci- PÚBLICAS LOCAIS ANTES DE REALIZAR QUALQUER
mento de utilidades públicas marquem o local de OPERAÇÃO COM A MÁQUINA
suas linhas.
Verifique junto às autoridades locais quanto às leis, ATENÇÃO: Esteja ciente do código de cores das
regulamentos e/ou demais penalidades que necessi- utilidades públicas:
tam que você localize e evite as utilidades públicas
Energia Elétrica Vermelho
existentes.
Gás, Óleo, ou Petróleo Amarelo
Comunicações, Telefone, Televisão Laranja
Água Azul
Esgoto Verde / Marrom
Escavação proposta Branco
Agrimensura Rosa
Água recuperadas Roxo

Após localizar as linhas de utilidades públicas sub-


terrâneas, cave manualmente um buraco e/ou utilize
um equipamento de vácuo automático para verificar
a localização e a profundidade dessas linhas.

2-5
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

PRECAUÇÕES DO OPERADOR
PESSOAL PRECAUÇÕES AO SUBIR E DESCER DA
MÁQUINA
• Esteja preparado para emergências. Tenha sem-
pre ao alcance da mão um kit de primeiros socor- • Utilize os corrimãos e os degraus com no mínimo
ros e um extintor e esteja familiarizado com o seu três pontos de suporte quando for subir ou descer
uso. da máquina. Mantenha os degraus e a plataforma
• Evite vestimenta solta, cabelos soltos e descober- limpos. Fique de frente ao sistema de acesso
tos, jóias e artigos pessoais soltos. quando for subir e descer.
• Esteja familiarizado e utilize o equipamento de • Não pule e não desça da máquina enquanto ela
proteção que dever ser utilizado quando operar estiver em movimento.
esta máquina. Capacetes, óculos de segurança, • Material estranho ou graxa nos degraus e nos cor-
botas de proteção, luvas e roupas do tipo com rimãos pode causar um acidente. Mantenha os
reflexo, máscaras respiratórias e protetores auri- degraus e os corrimãos limpos.
culares são exemplos do tipo de equipamento
necessário. PRECAUÇÕES NA PARTIDA E PARADA
• Algum equipamento de proteção deverá ser subs- • Antes de dar partida, ande ao redor da máquina e
tituído ou renovado dependendo do tempo de uso avise o pessoal que por ventura estiver realizando
e do desgaste. Capacetes antigos podem não ser- um serviço na máquina ou que esteja no trajeto da
vir para as finalidades do usuário. Vestimenta des- mesma. Não dê partida até que todas as pessoas
botada e manchada pode não estar tão visível estejam longe da máquina. Acione a buzina, se
quanto a nova. Veja as recomendações do fabri- equipada, antes de dar partida.
cante. • Ande ao redor da ferramenta, acessório da
• Não tenha pressa. Ande, não corra. máquina, ou até o ponto de contato para visualizar
• Esteja familiarizado e utilize as sinalizações manu- a área de perigo da operação a partir do ponto de
ais necessárias para trabalhos específicos e saiba vista e ângulo do pessoal do local de trabalho.
quem detém a responsabilidade pela sinalização. • Verifique se o dispositivo de estacionamento está
aplicado, coloque a transmissão em ponto neutro
GERAL ou estacione conforme especificado pelo fabri-
• É responsabilidade do operador ler e entender o cante e desengate a PTO (Tomada de Força), se
Manual do Operador e demais informações forne- equipado, antes de dar partida na máquina.
cidas bem como utilizar o procedimento correto • Ajuste, prenda e trave o banco, e aperte o cinto de
para a operação. As máquinas devem ser opera- segurança antes de dar partida no motor.
das apenas por operadores qualificados. • Dê partida no motor e opere a máquina apenas da
• NÃO OPERE a máquina ou realize trabalhos de estação do operador.
manutenção na mesma, caso não tenha recebido • Não faça reparos ou desative o sistema de partida
o treinamento adequado, lido e entendido por em neutro. O sistema de partida em neutro deve
completo as instruções e as advertências contidas ser reparado em caso de mau funcionamento.
neste manual. • Utilize cabos auxiliares apenas da maneira reco-
• Aperte o cinto de segurança a fim de aumentar ao mendada. A utilização errada pode resultar em
máximo as propriedades de proteção de uma explosão da bateria ou movimentação inesperada
ROPS (Estrutura de Proteção Contra Capota- da máquina. Ventile a área da bateria antes de uti-
mento) quando a máquina estiver equipada com lizar os cabos auxiliares. Certifique-se que ao utili-
uma. zar cabos auxiliares, esses não interfiram ou
• Inspecione diariamente a ROPS e os parafusos de prejudiquem o processamento eletrônico ou os
fixação do cinto de segurança para garantir a sua dispositivos de computador.
integridade. • NÃO OPERE o motor em uma área fechada sem
• Não permita a presença de caronas na máquina ventilação adequada.
se não há um lugar designado pelo fabricante para • Estacione a máquina em uma superfície nivelada
uma carona. sempre que for possível e aplique o freio de estacio-
• Certifique-se que todos os protetores, capotas, namento. Sobre rampas, estacione a máquina com
portas, etc, estejam no lugar e seguros. as rodas ou as esteiras firmemente bloqueadas.
• Remova todos os objetos soltos armazenados na • Antes de abandonar o posto do operador, abaixe o
máquina. Remova todos os objetos que não per- equipamento até o chão, desligue o motor e colo-
tencem no interior ou sobre a máquina e seu equi- que a alavanca de cancelamento de função na
pamento. posição de travada ou para cima.
• Remova a chave de partida ou desconecte o inter-
ruptor quando for deixar a máquina estacionada
ou se for abandoná-la.
2-6
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

PRECAUÇÕES NA OPERAÇÃO • Utilize os dispositivos de transporte recomenda-


• Antes de iniciar a operação verifique os freios, a dos quando trafegar com a máquina.
direção e demais dispositivos de controle da • Utilize a barra de tração e/ou o ponto de junção
máquina de acordo com as instruções do fabri- aprovados quando for utilizar a máquina para
cante. Observe todos os medidores e instrumen- reboque. Se for utilizar um cabo ou uma corrente,
tos de avisos para uma operação adequada. mantenha o pessoal à distância da linha de rebo-
Opere todos os controles para garantir uma opera- que.
ção correta. Se algum mau funcionamento for • Antes de uma operação noturna, certifique-se que
identificado, remova a chave de ignição ou desco- todas as luzes acendem.
necte o interruptor. Coloque um aviso não funci- • Se a máquina tem uma cabine, certifique-se que
one na máquina até reparar o defeito. todas as janelas estejam limpas e que os limpado-
• Se a falha que causa a perda de controle, tal como res de pára-brisas estejam funcionando correta-
na direção, nos freios de serviços ou no motor mente.
ocorrer, pare a máquina o mais rápido possível, • Os gases de escapamento podem causar a morte.
remova a chave de ignição ou desligue o interrup- Se a máquina for operada em área fechada, certi-
tor. Coloque um aviso não opere a máquina e fique-se que haja ventilação suficiente para substi-
mantenha-a estacionada com segurança até o tuir os vapores de escapamento por ar limpo.
defeito ser consertado ou a máquina poder ser • Verifique todos os controle em uma área clara e
rebocada sem problemas. certifique-se que a máquina esteja funcionando
• Esteja familiarizado com as limitações da máquina corretamente.
e mantenha-a sob controle. • Poeira, neblina, fumaça etc., podem prejudicar a
• Opere e dirija a máquina com cuidado e em veloci- sua visão e causar um acidente. Pare a máquina
dades compatíveis com as condições. Tome muito ou diminua a velocidade até poder enxergar
cuidado quando operar a máquina em terreno aci- melhor.
dentado, aclives, e durante o esterçamento. • Contato com linhas de alta tensão, cabos subter-
• Anote e evite todos os perigos e obstruções, tais râneos, etc., podem causar lesões graves ou
como, valas, linhas subterrâneas, árvores, morte devido à eletrocução.
penhascos, cabos elétricos aéreos ou áreas onde • Antes de conduzir ou operar em áreas com alta
há perigo de deslizamento. tensão, cabos, ou estação de força, informe a
• Transporte cargas nas posições recomendadas companhia de força ou de utilidade pública o que
para obter a máxima estabilidade. irá realizar. DEVERÁ DESCONECTAR A ENER-
• Nunca levante cargas acima da capacidade. GIA OU MANTER UMA DISTÂNCIA DE TRABA-
• Utilize o lastro e o contrapeso recomendados para LHO SEGURA das linhas, cabos ou estação de
a máquina. força. Mantenha todas as partes da máquina a
• Esteja familiarizado e entenda os padrões do fluxo uma distância segura da fonte de energia. Con-
de tráfego no local do trabalho e obedeça às sina- sulte o decalque na máquina. Você também deve
lizações dos controladores de tráfego, as placas estar familiarizado com os códigos de segurança
de sinalização e os sinalizadores. federais, estaduais / municipais ou locais ou com
os regulamentos que se aplicam ao local de traba-
• Esteja ciente de que as condições do local de tra-
lho.
balho podem mudar a qualquer momento. Montes
de sujeira, detritos ou obstruções podem crescer e • Se alguma parte da máquina entrar em contato
ser diferentes do momento em que você começou com a alta tensão:
a trabalhar. É de sua responsabilidade monitorar 1. Alerte os demais trabalhadores para NÃO
as mudanças e manter a máquina, as ferramentas TOCAR NA MÁQUINA e ficar longe da mesma.
e os acessórios, etc., a uma distância segura.
• Cuidado com os curiosos e nunca permita que 2. Se puder cortar o contato, inverta a operação
alguém esteja ao alcance da máquina e seus que causou o contato com a alta tensão e mova
acessórios durante a operação. a máquina para longe da área de perigo. Se não
• Selecione uma marcha que evitará uma veloci- puder cortar o contato, continue na máquina até
dade excessiva quando em declive. Não desça um a empresa de utilidade pública desenergizar a
declive desembreado. linha e informe que a energia foi desligada.
• Quando trafegar em uma estrada com a máquina, • Em caso de condições adversas, tais como, um
esteja familiarizado e utilize na máquina os dispo- incêndio etc., e se for forçado a deixar a máquina,
sitivos de sinalização necessários. Solicite escolta não utilize os degraus. Salte o mais longe possível
para trafegar quando e onde for necessário. com os dois pés juntos e não toque o solo com as
• Nas máquinas com freios de rodas operando inde- mãos.
pendentemente, trave os pedais de freios juntos • NÃO OPERE a máquina se não se sentir bem.
quando trafegar em estradas a fim de proporcionar Isto pode ser perigoso tanto para você como para
uma aplicação uniforme dos freios. o pessoal ao seu redor.

2-7
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

• Você deverá julgar se as condições climáticas, das • Evite a lubrificação ou ajustes mecânicos quando
estradas ou do solo permitirão uma operação a máquina estiver em movimento ou com o motor
segura em um aclive, rampa, ou solo acidentado. em funcionamento. Se o motor tiver que estar em
• Fique longe das áreas perigosas, tais como, vale- funcionamento para efetuar alguns ajustes, colo-
tas, saliências, etc. Dê uma volta ao redor da área que a transmissão em posição neutro, aplique o
de trabalho antes de iniciar o funcionamento e freio de estacionamento, pare o equipamento em
identifique perigos se houver. posição segura, calce firmemente as rodas e use
• Esteja alerta e saiba sempre o local de todos os de máxima cautela.
trabalhadores na sua área. Mantenha as demais • Antes de efetuar um trabalho na máquina ou em
pessoas completamente longe da máquina. qualquer componente que possa cair, trave-o fir-
Lesões ou morte podem ocorrer se essas instru- memente. Se possível, utilize também um disposi-
ções não forem seguidas. tivo de bloqueio secundário ou auxiliar.
• Desenvolva um modo e técnica de operação sua- • Para evitar um movimento acidental, trave firme-
ves. Mantenha as condições da superfície onde a mente os elementos de trabalho quando for repa-
máquina trafega, de forma a controlar as vibra- rar ou substituir peças de ferramentas de trabalho,
ções transmitidas ao operador. tais como, bordas cortantes.
• Nunca efetue reparos em componentes pressuri-
PRECAUÇÕES NA MANUTENÇÃO zados, fluido, gás ou mecânicos a menos que
tenha aliviado a pressão de acordo com as instru-
• Não tente realizar reparos a menos que tenha sido
ções do fabricante.
treinado. Consulte os manuais e obtenha ajuda de
• Muito cuidado quando for remover tampas de radi-
pessoal especializado em reparos.
adores, bujões de drenagem, graxeiras ou tampas
de pressão. Estacione a máquina e deixe-a esfriar
antes de abrir um reservatório pressurizado.
• Alivie toda a pressão antes de efetuar um trabalho
em sistemas equipados com acumulador. Para
NÃO REMOVA NÃO evitar que o fluido penetre na pele, utilize um
pedaço de papelão, jornal ou madeira para verifi-
ESTA ETIQUETA OPERAR
car quanto a vazamentos de pressão. Pressurize
os acumuladores com o gás apropriado de acordo
VER O com as recomendações do fabricante.
Razão:
• Quando for absolutamente necessário rebocar a
OUTRO LADO
máquina, não exceda a velocidade de reboque
recomendada. Certifique-se que a máquina rebo-
CASE BRASIL & CIA cadora tenha uma capacidade de frenagem sufici-
Código CASE:
ente para parar a carga rebocada. Se a máquina
Assinatura:
147783A1
rebocada não puder ser freada, uma barra para
reboque ou então duas máquinas de reboque
147783A1 Figura 4 deverão ser usadas – uma na frente puxando e
• Antes de iniciar qualquer procedimento de inspe- uma na parte traseira para atuar como freio. Evite
ção ou de manutenção, fixe uma etiqueta NÃO o reboque em distâncias muito longas.
OPERAR no console do operador para informar • Siga corretamente os procedimentos de manuten-
ao operador que a máquina está inoperante para ção.
inspeção e manutenção. Esta etiqueta evitará par- • Sempre que for efetuar a manutenção ou a substi-
tida acidental da máquina. tuição de pinos temperados, etc., use uma punção
• Use óculos de proteção e demais equipamentos de latão ou outro material adequado entre o mar-
de segurança quando for efetuar a manutenção ou telo e o pino.
reparos na máquina. • Mantenha os freios e os sistemas de direção em
• Use luvas para proteger suas mãos quando manu- boas condições de funcionamento.
sear cabos. • Substitua todas as sinalizações de segurança fal-
• Desconecte a bateria antes de trabalhar no sis- tantes, ilegíveis ou danificadas. Mantenha as sina-
tema elétrico. Esteja familiarizado com as conse- lizações de segurança limpas.
qüências relacionadas à desconexão de qualquer
dispositivo eletrônico ou do computador.

2-8
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO DE PREVENÇÃO CONTRA QUEIMADURAS


COMBUSTÍVEL
• Não fume nem permita chamas durante o abaste- ADVERTÊNCIA
cimento ou próximo às operações de abasteci-
mento de combustível. O ÁCIDO DA BATERIA CAUSA QUEIMADURAS
• Nunca remova a tampa do bocal de enchimento GRAVES. As baterias contêm ácido sulfúrico. Evite
de combustível ou reabasteça máquinas equipa- contato com a pele, olhos ou vestimenta.
das com motor a gasolina com o motor em funcio- Antídoto: EXTERNO – Lave com água.
namento ou quente. Nunca deixe que combustível Antídoto: INTERNO – Beba grandes quantidades de
seja derramado sobre componentes quentes da água ou leite.
máquina. Nunca derrame combustível no meio
NÃO induza o vômito. Procure imediatamente por
ambiente.
assistência médica.
• Para evitar o derramamento de combustível,
quando for abastecer o reservatório, controle o OLHOS – Enxágüe com água por 15 minutos e pro-
bico da mangueira de enchimento. cure imediatamente por assistência médica.
M111A
• Não encha completamente o reservatório de com-
bustível até o topo. Deixe espaço para a expansão.
• Limpe imediatamente o combustível derramado e ADVERTÊNCIA
descarte o material contaminado de maneira ade-
quada no meio ambiente. Gás explosivo!
• Aperte firmemente a tampa do reservatório de com- Baterias podem emitir gás hidrogênio explosivo e ou-
bustível. Se perder a tampa do bocal de combustível, tros vapores enquanto carregam. Ventile a área de
substitua-a somente por uma original que tenha sido carregamento. Mantenha a bateria longe de fagu-
aprovada pelos fabricantes. O uso de uma tampa lhas, chamas abertas e outras fontes de ignição.
não aprovada e sem a ventilação adequada poderá Nunca carregue uma bateria congelada.
resultar em pressurização do reservatório. A falha no cumprimento pode resultar em morte ou
• Nunca use combustível para finalidades de limpeza. em ferimentos graves.
• Use a classificação do combustível correta para a W005A
estação de funcionamento.
• Quando o eletrólito das baterias estiver conge-
PRECAUÇÕES COM PRODUTOS QUÍMICOS lado, elas podem explodir se tentar carregá-las ou
PERIGOSOS
se tentar dar partida com cabo auxiliar, ou dar par-
• Se estiver exposto a, ou em contato com, produtos tida no motor. Para impedir o congelamento do
químicos perigosos você poderá sofrer ferimentos eletrólito das baterias tente manter as mesmas em
graves. Os fluidos, lubrificantes, tintas, adesivos, carga total. Se essas instruções não forem segui-
líquidos de arrefecimento etc., utilizados na das, tanto você como as demais pessoas na área
máquina podem ser perigosos. podem ser feridas.
• As Folhas de Dados de Segurança do Material • Líquido de arrefecimento quente poderá escapar
(MSDS) indicam as substâncias químicas que
caso a tampa do radiador seja removida. Para
compõem o produto, os procedimentos para o remover a tampa do radiador, deixe o sistema de
manuseio seguro, os primeiros socorros e os pro- arrefecimento esfriar, gire até o primeiro estágio,
cedimentos a serem aplicados caso o produto seja
aguarde até aliviar a pressão, em seguida remova
derramado ou solto acidentalmente. As MSDS a tampa do radiador.
estão disponíveis no Revendedor.
• Antes de efetuar a manutenção da máquina, verifi- PRECAUÇÕES NO TRANSPORTE
que as MSDS de cada fluido, lubrificante etc., usa-
dos na máquina. Essas informações indicam os Esteja familiarizado com as regras, leis e equipa-
riscos e como efetuar a manutenção da máquina mento de segurança necessário para o transporte da
com segurança. Siga essas instruções quando for máquina em ruas ou estradas.
realizar a manutenção da máquina.
• Antes da manutenção desta máquina e antes de ESTRUTURA DE PROTEÇÃO CONTRA
descartar os fluidos e lubrificantes usados, lem- CAPOTAMENTO (SE EQUIPADO)
bre-se sempre do meio ambiente. NÃO derrame NÃO modifique o ROPS sob qualquer pretexto.
óleo ou fluidos no chão ou em recipientes que Modificações não autorizadas, tais como, solda, per-
possam apresentar vazamentos. furação, corte ou adição de acessórios podem enfra-
• Verifique junto ao centro local de reciclagem ou de quecer a estrutura e diminuir a sua proteção.
proteção ao meio ambiente ou junto ao seu Substitua a ROPS em caso de capotamento ou
Revendedor quanto às informações para um des- danos. Não tente reparar a mesma.
carte correto.

2-9
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

ROPS / FOPS (SISTEMAS DE PROTEÇÃO NÃO anexe qualquer dispositivo à Estrutura Prote-
CONTRA CAPOTAMENTO – QUEDA DE tora com o propósito de puxar. NÃO faça furos na
OBJETOS) Estrutura Protetora.
A Estrutura Protetora e os componentes de interco-
nexão são um sistema certificado. Qualquer dano,
fogo, corrosão ou modificação irão enfraquecer a
estrutura e reduzir sua proteção. Se isto ocorrer, a
Estrutura Protetora DEVE ser substituída, de
forma a fornecer a mesma proteção que a de uma
Estrutura Protetora nova. Entre em contato com seu
Revendedor para inspeção e substituição de Estru-
tura Protetora.
Após um acidente, fogo, tombamento ou capota-
mento, o serviço DEVE ser exeutado por um técnico
qualificado antes de retornar a máquina para o
campo ou operação no local do trabalho. A estrutura
protetora DEVE ser substituída.
A montagem ou fixação da Estrutura Protetora, a
suspensão e o assento do operador, os cintos de
segurança e componentes de montagem e fiação
dentro do sistem protetor do operador DEVEM ser
cuidadosamente inspecionados quanto a danos.
NOTA: Todas as peças danificadas DEVEM ser
substituídas.
BS07M603 Figura 5 NÃO SOLDE, PERFURE, TENTE ENDIREITAR OU
A Estrutura Protetora é um componente especial de REPARAR A ESTRUTURA PROTETORA. MODIFI-
segurança da máquina. CAÇÕES DE QUALQUER TIPO PODEM REDUZIR
A INTEGRIDADE ESTRUTURAL DA ESTRUTURA,
Utilize sempre o cinto de segurança ao operar a
O QUE PODERIA CAUSAR MORTE OU FERI-
máquina, a fim de utilizar totalmente os Sistemas de
MENTO GRAVE NO CASO DE UM INCÊNDIO,
Proteção ROPS / FOPS.
TOMBAMENTO, CAPOTAMENTO, COLISÃO OU
Um ROPS pode ser uma estrutura da cabine ou uma ACIDENTE.
estrutura de duas colunas ou quatro colunas usada
para proteção do operador para minimizar a possibi-
lidade de um ferimento grave. A estrutura de monta-
gem e os fixadores que for mam a conexão de
montagem com a máquina são parte da estrutura
protetora.

2-10
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

PRECAUÇÕES QUANTO AO CINTO DE MARTELO PARA SAÍDA DE EMERGÊNCIA


SEGURANÇA

2
DC04D572 Figura 7
BC02N375 Figura 6
Um martelo para saída de emergência é fornecido
1. CINTO DE SEGURANÇA LADO DIREITO no lado direito da cabine. Em caso de emergência,
2. MECANISMO DE TRAVAMENTO pegue o martelo de emergência, quebre o vidro da
cabine e saia da cabine. Além disso, o martelo de
1. Insira a extremidade de metal do cinto de segu- emergência está equipado com uma lâmina no lado
rança do lado direito no mecanismo de trava- da alavanca para cortar o cinto de segurança, etc.
mento no lado esquerdo do assento.
2. Aperte o cinto de segurança puxando a sua EXTINTOR DE INCÊNDIO
extremidade solta do lado direito. Recomenda-se ter um extintor de incêndio na
3. Para liberar o cinto de segurança, pressione o máquina. Entre em contato com o revendedor sobre
botão vermelho no lado esquerdo do mecanismo o tipo e localização de um extintor de incêndio nesta
de travamento. máquina.

PREVENÇÃO DE INCÊNDIO
ADVERTÊNCIA
Remova todo o lixo e entulho da máquina diaria-
Evite ferimentos! mente. Verifique a área do motor e o sistema de
Antes de dar partida ao motor, certifique-se que os escape.
cintos de segurança estejam firmemente afivelados.
O cinto de segurança destina-se a garantir a sua se- PRECAUÇÕES ESPECÍFICAS PARA ESTA
gurança caso seja usado e mantido em boas condi- MÁQUINA
ções. Nunca use um cinto de segurança frouxo ou • Mantenha a carga ou a ferramenta o mais baixo
com folga. Nunca use o cinto torcido ou preso entre possível quando for movimentar a máquina no
as peças estruturais do banco. local de trabalho.
O não cumprimento pode resultar em morte ou feri- • Nunca fume durante o reabastecimento de com-
mentos graves. bustível.
W0142A
• Não use a força de tração da máquina para carre-
gar o acessório da caçamba nem para empurrar
ou puxar qualquer objeto.
• Não use a força de giro da máquina para operações.
• Não execute a operação de “martelamento” com a
caçamba.
• Não use esta máquina para qualquer outra coisa
que não o seu propósito pretendido.
• NÃO OPERE os cilindros da caçamba e do braço
repetidamente até o fim de curso.
• Não exceda as capacidades da máquina.
• Nunca puxe objetos fixos em direção à máquina.
• Nunca utilize o acessório de longo alcance para
relaizar trabalhos gerais de construção.
2-11
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

REGRAS DE SEGURANÇA E DEFINIÇÕES DE PALAVRAS DE SINALIZAÇÃO


SEGURANÇA PESSOAL
Este é o símbolo de segurança. Ele é usado para alertar quanto a perigos potenciais de ferimen-
tos pessoais. Obedeça todas as mensagens de segurança mostradas após este símbolo para
evitar possível morte ou ferimentos.

Em todo este manual e nos decalques da máquina existem palavras de sinalização como PERIGO, ADVERTÊN-
CIA e CUIDADO seguidas por instruções especiais. Estas precauções destinam-se a sua segurança pessoal e de
todos que trabalham com você.
Leia e entenda todas as mensagens neste manual, antes de operar ou executar serviços na máquina.
A FALHA EM SEGUIR AS MENSAGENS DE PERIGO, ADVERTÊNCIA E CUIDADO PODE RESULTAR EM
MORTE OU FERIMENTOS SÉRIOS.

SEGURANÇA DA MÁQUINA
AVISO: Aviso indica uma situação que, se não for evitada, pode resultar em danos à máquina ou à propriedade. A
cor associada com Aviso é o AZUL.
Em todo este manual você encontrará a palavra AVISO seguida por instruções especiais para prevenir danos à
máquina ou à propriedade. A palavra Aviso é usada para endereçar práticas não relacionadas com segurança
pesoal.

INFORMAÇÃO
NOTA: Nota indica informação adicional que esclarece etapas ou outra informação neste manual.
Em todo este manual você encontrará a palavra NOTA seguida por informação adicional sobre uma etapa, proce-
dimento ou outra informação. A palavra Nota não se destina a tratar de segurança pessoal ou danos à proprie-
dade.

2-12
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

DECALQUES

ADVERTÊNCIA
Um decalque ilegível ou faltando pode trazer consequência de longo alcance. Inspecione os decalque diaria-
mente. Limpe e substitua decalques danificados, conforme necessário. A falha no cumprimento pode resultar em
morte ou em ferimentos sérios.
CE-NA000

ADVERTÊNCIA
Certifique-se que os decalques estejam perfeitamente legíveis, limpe-os regularmente e substitua por novos
aqueles que estejam danificados, perdidos, com tinta ou ilegíveis. Quando peças que levam decalques são subs-
tituídas, lembre-se de colocar novos decalques em cada peça nova. O não cumprimento pode resultar em morte
ou ferimentos graves.
CE-NA000

AVISO: Quando limpar os decalques, utilize apenas um pano, água e sabão. Não utilize solventes, gasolina, etc.
AVISO: Este capítulo abrange apenas os decalques relacionados à segurança e à operação e manutenção da
máquina. Para obter informações sobre todos os decalques da máquina, consulte um Revendedor Autorizado
CASE Construction.
AVISO: Os decalques nesta máquina empregam as palavras Perigo, Advertência ou Cuidado, as quais estão
definidas abaixo:
• PERIGO: Indica uma situação de perigo imediato que, se não evitada, resultará em morte ou ferimento sério. A
cor associada a Perigo é o VERMELHO.
• ADVERTÊNCIA: Indica uma situação potenciamente perigosa que, se não evitada, pode resultar em morte ou
ferimento sério. A cor associada a Advertência é o LARANJA.
• CUIDADO: Indica uma situação potencialmente perigosa que, se não evitada, pode resultar em ferimentos
leves ou moderados. Também é usada para alertar contra práticas não seguras. A cor associada a Cuidado é o
AMARELO
Se os Decalques de Segurança desta máquina forem ISO de dois painéis, os decalques são definidos como
segue:
• O primeiro painel indica a natureza do perigo.
• O segundo painel indica a maneira adequada de evitar o perigo.
• A cor de fundo é AMARELO.
• Símbolos de proibição, tais como e STOP se utilizados, são VERMELHOS.

2-13
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

MOVIMENTO DA LANÇA E DO BRAÇO – CUIDADO


Localizado na cobertura do suporte do assento – Número de Peça 72170962

DCXALL2C / 72170962 Figura 8

FLUÍDO HIDRÁULICO – ADVERTÊNCIA


Localizado no tanque hidráulico – Número da Peça 72170961

DCX31B36B3A / 72170961 Figura 9

2-14
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

SEGURANÇA DA LINHA ELÉTRICA– PERIGO / CONTROLES DE SEGURANÇA – ADVERTÊNCIA /


ALAVANCA DE CANCELAMENTOS DE FUNÇÕES – ADVERTÊNCIA
Localizado na cobertura do suporte do assento – Número da Peça 72170960

DCXALL2C / 72170960 Figura 10

SUPERFÍCIES QUENTES – CUIDADO


Localizado na dobradiça da porta do motor – Número da Peça 72951622

DCX27B31B36B2B / 72951622 Figura 11

2-15
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

FLUÍDOS E LUBRIFICANTES PRESSURIZADOS – ADVERTÊNCIA


Localizado no duto do radiador – Número da Peça 72951620

DCX31B36B2A / 72951620 Figura 12

PARADA DO MOTOR – CUIDADO


Localizado no compartimento do motor – Número de Peça 72951625

DCX31B36B3C / 72951625 Figura 13

2-16
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

ÁREA DE GIRO DO CONTRAPESO – PERIGO (MÁQUINAS COM CABINE)


Localizado na porta traseira de acesso ao compartimento do motor – Número de Peça 72951624

DCX31B36B4B / 72951624 Figura 14

ÁREA DE GIRO DO CONTRAPESO – PERIGO (MÁQUINAS COM ROPS)


Localizado na porta traseira de acesso ao compartimento do motor – Número de Peça 72951624

DCX31B36B6B / 72951624 Figura 15

2-17
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

PARADA DO MOTOR – ADVERTÊNCIA


Localizado no compartimento do motor – Número de Peça 72170963

DCX31B36B3C / 72170963 Figura 16

CABO AUXILIAR – ADVERTÊNCIA


Localizado na tampa da caixa da bateria – Número da Peça 72170964

DCXALL5C / 72170964 Figura 17

2-18
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

AJUSTADOR DE TENSÃO DAS ESTEIRAS – ADVERTÊNCIA


Localizado na estrutura da esteira – Número de Peça 72170965

10

DCXALL2D / 72170965 Figura 18

MANTENHA-SE AFASTADO DA ÁREA DE TRABALHO – PERIGO


Localizado em ambas as laterais do braço – Número de Peça 72951627

11

DCX31B36B4A / 72951627 Figura 19

2-19
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

VÁLVULA SELETORA
Localizado na lateral do reservatório hidráulico – Número de Peça 84554066

13

DCX31B36B3B / 84554066 Figura 20

CINTO DE SEGURANÇA – ADVERTÊNCIA (MÁQUINAS COM CABINE)


Localizado na estrutura lateral da cabine – Número de Peça 386241A1

14

DCXALL5A / 386241A1 Figura 21

2-20
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

CINTO DE SEGURANÇA – ADVERTÊNCIA (MÁQUINAS COM ROPS)


Localizado na estrutura lateral do ROPS – Número de Peça 386241A1

14

DCXALL7A / 386241A1 Figura 22

TRAVA DA JANELA – CUIDADO


Localizado na parte interna da janela dianteira – Número de Peça 72273905

15

DCXALL5B / 72273905 Figura 23

2-21
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

QUEDA DA JANELA DIANTEIRA – CUIDADO


Localizado na parte interna da janela dianteira – Número de Peça 72170989

16

DCXALL5B / 72170989 Figura 24

PORTA DA CABINE – ADVERTÊNCIA


Localizado na parte interna da porta da cabine – Número de Peça 72170988

17

DCXALL5D / 72170988 Figura 25

2-22
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

POSIÇÃO DE VERIFICAÇÃO DO FLUIDO HIDRÁULICO – AVISO


Localizado no compartimento do reservatório hidráulico – Número de Peça YY20T01373P1

18

DCX31B36B3A / YY20T01373P1 Figura 26

MOVIMENTAÇÃO DO ACESSÓRIO (MÁQUINA COM CABINE)


Localizado na estrutura lateral da cabine, abaixo da janela (LD) – Número de Peça 84554070

19

DCXALL5A / 84554070 Figura 27

2-23
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

MOVIMENTAÇÃO DO ACESSÓRIO (MÁQUINA COM ROPS)


Localizado na parte interna do compartimento do operador (LD) no teto do ROPS – Número de Peça 84554070

19

DCXALL7A / 84554070 Figura 28

NÃO OPERE ESTA MÁQUINA – ADVERTÊNCIA (MÁQUINA COM CABINE)


Localizado na estrutura lateral da cabine – Número de Peça 87715063

20

DCXALL5A / 87715063 Figura 29

2-24
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

NÃO OPERE ESTA MÁQUINA – ADVERTÊNCIA (MÁQUINA COM ROPS)


Localizado na estrutura lateral do teto do ROPS – Número de Peça 87715063

20

DCXALL7A / 87715063 Figura 30

SISTEMA DE SEGURANÇA / BLOQUEIO DA MÁQUINA


Localizado no console lateral – Número de Peça PA20T01111P1

21

DCXALL3D / PA20T01111P1 Figura 31

2-25
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

CONTROLE DE MULTI ROTAÇÃO


Localizada dentro da porta de acesso à válvula rotativa multi controle – Número de Peça 84554071

22

DCX31B36B50B2E / 84554071 Figura 32

TABELA DE LUBRIFICAÇÃO
Localizada na cobertura do suporte do assento – Número de Peça 84554633

23

DCXALL2C / 84554633 Figura 33

2-26
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

BATERIA – PERIGO (MÁQUINAS COM ROPS)


Localizado na tampa da caixa da bateria – Número de Peça 72951551

27

DCXALL7C / 72951551 Figura 34

2-27
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

SINAIS DE MÃO
IMPORTANTE: Durante a operação da máquina nunca tente realizar as tarefas através do controle ou trabalhar
em áreas de pouca visibilidade ou prejudicada sem providenciar assistência de um sinalizador. Tenha absoluta
certeza de que tanto você como o sinalizador entendam os sinais a serem utilizados.
Abaixo está indicada uma compilação dos Sinais Manuais a serem utilizados quando o auxilio de sinalizador é
necessário na operação da escavadeira. Todo o pessoal associado à operação da escavadeira deve estar familia-
rizado com esses sinais e seu significado antes de tentar operar esta máquina.

LEVANTE A CARGA VERTICALMENTE MOVA A CARGA HORIZONTALMENTE PARA


DENTRO

DC04E038 Figura 35
DC04E040 Figura 37
De frente para o operador da máquina, levante o
antebraço direito na vertical, com o dedo indicador De frente para o operador da máquina, estenda o
apontando para cima e mova a mão em pequeno braço direito em direção ao operador com a palma
movimento circular. da mão de frente para o operador e mova a mão em
direção ao movimento necessário.
ABAIXE A CARGA VERTICALMENTE
MOVA A CARGA HORIZONTALMENTE PARA
FORA

DC04E039 Figura 36
De frente para o operador da máquina, estenda o DC04E041 Figura 38
braço direito para baixo, aponte o dedo indicador
para baixo e mova a mão em pequeno movimento De frente para o operador da máquina, estenda o
circular. braço direito em direção ao operador com a parte
traseira da mão de frente para o operador e mova a
mão em direção ao movimento necessário.

2-28
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

LEVANTE A LANÇA ROTAÇÃO À ESQUERDA

DC04E042 Figura 39 DC04E044 Figura 41


De frente para o operador da máquina, estenda para De frente para o operador da máquina, estenda para
fora o braço direito na horizontal do ombro, feche a fora o braço direito na horizontal do ombro, feche a
mão com o polegar para cima. mão com o dedo indicador apontando para a direção
de rotação.
ABAIXE A LANÇA
ROTAÇÃO À DIREITA

DC04E043 Figura 40
De frente para o operador da máquina, estenda para DC04E045 Figura 42
fora o braço direito na horizontal do ombro, feche a De frente para o operador da máquina, estenda para
mão com o polegar para baixo. fora o braço esquerdo na horizontal do ombro, feche
a mão com o dedo indicador apontando para a dire-
ção de rotação.

2-29
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

BRAÇO RETRAÍDO PIVOTAMENTO À ESQUERDA

DC04E046 Figura 43 DC04E048 Figura 45


De frente para o operador da máquina, dobre os De frente para o operador da máquina, coloque a
cotovelos com os braços de frente para o operador, mão direita na parte superior do capacete, dobre o
feche as mãos e aponte os polegares em direção um braço esquerdo na altura do cotovelo para a direita,
do outro. fecha a mão esquerda com o dedo indicador apon-
tando para fora e gire a mão em um movimento cir-
BRAÇO EXTENDIDO cular inverso.

PIVOTAMENTO À DIREITA

DC04E047 Figura 44
De frente para o operador da máquina, dobre os
cotovelos, feche as mãos e aponte os polegares DC04E049 Figura 46
para longe um do outro. De frente para o operador da máquina, coloque a
mão esquerda na parte superior do capacete, dobre
o b ra ç o d i r e i t o n a a l tu ra d o c o tove l o p a ra a
esquerda, fecha a mão direita com o dedo indicador
apontando para fora e gire a mão em um movimento
circular para frente.

2-30
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

TRANSLAÇÃO PARA FRENTE FECHAR A CAÇAMBA (CAÇAMBA RETRAÍDA


OU EM ESCAVAÇÃO)

DC04E050 Figura 47
DC04E052 Figura 49
De frente para o operador da máquina, dobre ambos
os cotovelos para dentro, feche as mãos e gire as De frente para o operador da máquina, mantenha a
mãos uma por cima da outra em um movimento cir- mão esquerda para dentro, fechada e imóvel, mante-
cular inverso. nha a mão direita para dentro, feche a mão com o
dedo indicador apontando para a mão esquerda e
TRANSLAÇÃO EM MARCHA A RÉ mova a mão direita em pequenos movimentos circu-
lar para frente.

ABRIR A CAÇAMBA (CAÇAMBA ESTENDIDA OU


EM DESPEJO)

DC04E051 Figura 48
De frente para o operador da máquina, dobre ambos
os cotovelos para dentro, feche as mãos e gire uma
sobre a outra em um movimento circular para frente. DC04E053 Figura 50
De frente para o operador da máquina, mantenha a
mão esquerda para dentro, aberta e imóvel, mante-
nha a mão direita para dentro, feche a mão com o
dedo indicador apontando para a mão esquerda e
mova a mão direita em pequenos movimentos circu-
lares para frente.

2-31
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

VIRE À ESQUERDA MOVIMENTE ESTA DISTÂNCIA

DC04E054 Figura 51 DC04E056 Figura 53


De frente para o operador da máquina, levante o De frente para o operador da máquina, levante
antebraço direito para cima, feche a mão direita e ambos os antebraços para cima, mãos abertas uma
mantenha-a imóvel, dobre para dentro o braço de frente para outra, mova as mãos para dentro late-
esquerdo, feche a mão esquerda e gire o punho ralmente indicando a distância a percorrer.
esquerdo em pequenos movimentos circulares inver-
sos. MOVIMENTE LENTAMENTE

VIRE À DIREITA

DC04E057 Figura 54
De frente para o operador da máquina, levante o
DE04E055 Figura 52 braço esquerdo para fora horizontalmente em dire-
De frente para o operador da máquina, levante o ção ao ombro direito com a mão aberta e virada para
antebraço esquerdo para cima, feche a mão baixo, aponte o dedo indicador direito para cima em
esquerda e mantenha-a imóvel, dobre para dentro o direção à mão esquerda aberta e gire a mão direita
braço direito, feche a mão direita e gire o punho em movimento circular inverso. (Levante a Carga
direito em pequenos movimentos circulares para Lentamente está ilustrado).
frente.

2-32
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

PARE DESLIGUE O MOTOR

DC04E058 Figura 55 DC04E060 Figura 57


De frente para o operador da máquina, levante para De frente para o operador da máquina, braço direito
fora o braço esquerdo em horizontal ao ombro com a de lado, leve o polegar esquerdo ou o indicador à
mão aberta e virada para baixo, mova o braço em altura do pescoço.
movimento horizontal para frente e para trás.

PARADA DE EMERGÊNCIA

DC04E059 Figura 56
De frente para o operador da máquina, levante para
fora ambos os braços horizontalmente aos ombros
com as mãos abertas e viradas para baixo, mova os
braços em movimento horizontal para frente e para
trás.

2-33
CAPÍTULO 2 – INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA

NOTAS

2-34
CÁPITULO 3
INSTRUMENTOS E CONTROLES
CONTEÚDO

CABINE E ASSENTO DO OPERADOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-3


Travamento / Destravamento da Porta da Cabine . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-3
Trinco DA PORTA DA CABINE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-3
Abertura e Fechamento do Pára-Brisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-4
Remoção e Armazenamento da Janela Dianteira Inferior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-4
Abertura do Vidro da Janela Direita . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-4
Luz do Teto da Cabine . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-5
Bolsa Porta Documento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-5
Ajustes no Assento do Operador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-5
Ajustes Dianteiro e Traseiro do Assento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-5
Cinto de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-6
COMPARTIMENTOS E PORTAS DE ACESSO À MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-7
Tampa da Porta do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-7
Reservatório do Lavador de Pára-Brisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-7
CONTROLES E ACESSÓRIOS DO COMPARTIMENTO DO OPERADOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-8
nomenclatura da cabine do operador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-9
Componentes e Controles . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-9
Horímetro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-9
Console e Monitor Direitos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-9
Indicadores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-11
Luzes de Advertência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-11
Interruptores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-14
Alavancas e Pedais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-18
Alavanca de controle de aceleração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-25
pedal de operação de giro da lança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-25

3-1
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

NOTAS

3-2
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

CABINE E ASSENTO DO OPERADOR


TRAVAMENTO / DESTRAVAMENTO DA PORTA TRINCO DA PORTA DA CABINE
DA CABINE

1
2
1
2

3
3

BS07M259 Figura 2
BS07M259 Figura 1
1. A porta da cabine pode ser travada em uma
1. FECHADURA DA PORTA posição aberta, abrindo-se até ser travada na
2. MAÇANETA posição pelo trinco da porta (1) localizado na
3. CHAVE cabine.
Use a chave de ignição para travar ou destravar a
porta da cabine. Insira a chave totalmente na trava ADVERTÊNCIA
da porta e gire para travar e destravar a porta da
Perigo de queda!
cabine. Use esta chave para abrir outros comparti-
mentos de travamento da máquina. Sempre entre e saia a máquina de forma segura.
Mantenha três pontos de contato com degraus,
escada e corrimões. Consulte "Precauções ao Subir
e Descer da Máquina" na página 2-6.
A falha no cumprimento pode resultar em ferimentos
leves ou moderados.
C007A

BS07M660 Figura 3
1. ALAVANCA DE LIBERAÇÃO DA PORTA

2. Libere o trinco da porta puxando a alavanca de


liberação para trás para soltar a porta do trinco.

3-3
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

ABERTURA E FECHAMENTO DO PÁRA-BRISA REMOÇÃO E ARMAZENAMENTO DA JANELA


DIANTEIRA INFERIOR
A janela dianteira (superior) pode ser armazenada
no teto.
NOTA: Lembre-se de travar corretamente a estrutura
da janela na posição, do contrário a trava do limpador
não funcionará e este poderá ser danificado pelo fato de
se movimentar quando o interruptor do motor for ligado. 1
1

DC04D662 Figura 6

1. JANELA DIANTEIRA INFERIOR

1. Após colocar a janela dianteira superior no teto,


e travá-la na posição, remova a janela dianteira
inferior com as mãos, levantando-a da estrutura
UPW00200038J01 Figura 4 da janela.
1. Puxe para baixo a alavanca de travamento (1) 2. Armazene firmemente a janela dianteira inferior
na parte superior da janela dianteira para destra- removida no suporte na parte traseira da cabine,
var a janela. atrás do assento do operador.
3. Para armazenar, insira os lados direito e
esquerdo do vidro no suporte em frente à janela
1 traseira e apoie-o nas abas na parte inferior da
estrutura da janela.

ABERTURA DO VIDRO DA JANELA DIREITA

BS07M661 Figura 5

1. ALAVANCA DE TRAVAMENTO 1

2. Segure as alças nos lados direito e esquerdo da


janela dianteira. Levante a janela e deslize-a sobre
o teto totalmente para trás. A janela travará auto-
maticamente quando atingir a posição correta. BS07M663 Figura 7

1. TRAVA
ADVERTÊNCIA
1. Abra a janela direita soltando a trava e desli-
Objeto em queda!
zando a janela.
Uma janela em queda pode causar ferimentos a
você e a outros. Sempre assegure que a trava da 2. Feche o vidro deslizando-o até a posição LOCK
janela dianteira esteja no lugar para evitar ferimen- (travar), e trave-o.
tos. A falha no cumprimento pode resultar em morte
ou ferimento grave.
M1709

3-4
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

LUZ DO TETO DA CABINE AJUSTES NO ASSENTO DO OPERADOR


O assento do operador incorpora vários mecanismos
de ajuste para assegurar conforto, facilitar a opera-
ção e garantir a segurança do operador.

AJUSTES DIANTEIRO E TRASEIRO DO


ASSENTO

BS06H100 Figura 8
2
LUZ DO TETO DA CABINE
1. Acenda a luz do teto da cabine empurrando o
seu interruptor para baixo. 3
2. Apague-a empurrando o interruptor totalmente 1
para cima. BS07666 Figura 10

1. ALAVANCA
BOLSA PORTA DOCUMENTO 2. AJUSTAR A POSIÇÃO
3. TRAVAR

ALAVANCA DE AJUSTE LONGITUDINAL


• Movimente a alavanca de ajuste do assento para
a direita. Ajuste o assento para frente ou para trás
até a posição desejada.
1
• Solte a alavanca para travar o assento na posição.

BS07M665-B Figura 9

1. ASSENTO DO OPERADOR

BOLSA PORTA-DOCUMENTO
O compartimento de armazenagem do Manual do
Operador é uma bolsa localizada na parte de trás do
assento do operador. Mantenha sempre o Manual do
Operador desta máquina neste local, para referência
rápida e fácil.

3-5
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

CINTO DE SEGURANÇA

1
DC04D529 Figura 11

1. FIVELA
2. BOTÃO VERMELHO

1. Sente no assento do operador e ajuste a posição


para que as costas do operador fiquem em con-
tato com o encosto do assento.
2. Estraia o cinto no lado direito e encaixe-o na
fivela localizada no lado esquerdo.
NOTA: Se o cinto parar enquanto o estiver puxando,
afrouxe a tensão e continue a puxar.
3. Puxe o cinto e insira na fivela até que esteja bem
firme no lugar. Solte as mãos e o comprimento
se ajustará automaticamente.
4. Após ser travado, o cinto pode ser ajustado
cerca de 25 mm (1 pol) para se encaixar confor-
tavelmente.
5. Pressione o botão vermelho na fivela e o cinto
será liberado.

ADVERTÊNCIA
Evite ferimentos!
Sempre utilize o cinto enquanto estiver sentado no
banco do operador. Sempre verifique as condições
do cinto e do dispositivo de montagem do cinto para
ter certeza de que o cinto esteja em boas condições
e adequadamente preso. A falha no cumprimento
pode resultar em morte ou ferimentos graves.
M422B

NOTA: Substitua o cinto de segurança a cada três


anos, independente da aparência. Anote a data de
substituição no suporte de montagem para referência.

3-6
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

COMPARTIMENTOS E PORTAS DE ACESSO À MÁQUINA


TAMPA DA PORTA DO MOTOR
5
2

3 7
1 BS07M668-B Figura 14
BS07M667-B Figura 12 5. TAMPA DO LADO DIREITO
6. PORTA DO MOTOR
1. TRAVAR
7. TAMPA DO LADO ESQUERDO
2. DESTRAVAR
3. LIBERAR
2. Prenda a tampa na posição aberta com a escora.
Uma trava é fornecida nas portas do motor. Use a 3. Para fechar, coloque de volta a escora na posição
chave de ignição para abrir e travar as portas do de armazenagem e feche a tampa. Trave o com-
motor. partimento girando a chave no sentido anti-horário.

ADVERTÊNCIA
Prenda as portas do motor na posição aberta com a
escora durante a manutenção. A falha no cumpri-
mento pode resultar em morte ou ferimento grave.
M1709

RESERVATÓRIO DO LAVADOR DE PÁRA-BRISA

2
4
BS07M668-B Figura 13

4. CILINDRO DA CHAVE

1. Após liberar a trava remova a chave e abra a


tampa.

3 1
BS07M670 Figura 15
1. RESERVATÓRIO DO LAVADOR
2. TAMPA
3. MOTOR

O reservatório do lavador de pára-brisa está locali-


zado na parte traseira esquerda da cabine. Quando
nível do líquido do lavador ficar baixo, remova a
tampa e encha com líquido lavador. Não opere os
lavadores de pára-brisa com o reservatório vazio, pois
isso pode danificar o motor do tanque do lavador.

3-7
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

CONTROLES E ACESSÓRIOS DO COMPARTIMENTO DO OPERADOR

2 7 9
20 5 10 4 21 6
8 1
3 15

16

14

13

11

18
19

12

17

BS07M671 Figura 16
COMPONENTES

1. ALAVANCA DE OPERAÇÃO DIREITA 12. INTERRUPTOR DAS LUZES DE TRABALHO


2. ALAVANCA DE OPERAÇÃO ESQUERDA 13. ALAVANCA DE ACELERAÇÃO
3. ALAVANCA DE CANCELAMENTO DE FUNÇÕES 14. INTERRUPTOR DE IGNIÇÃO
4. ALAVANCA DE TRANSLAÇÃO DIREITA 15. INTERRUPTOR DE DESACELERAÇÃO (OPCIONAL)
5. ALAVANCA DE TRANSLAÇÃO ESQUERDA 16. ALAVANCA DE OPERAÇÃO DA LÂMINA
6. PEDAL DE OPERAÇÃO DO GIRO DA LANÇA 17. BANCO DO OPERADOR
7. INTERRUPTOR DA BUZINA 18. INTERRUPTOR DO LAVADOR E LIMPADOR DO PARABRISAS
8. INTERRUPTOR DE OPERAÇÃO DO MARTELETE 19. INTERRUPTOR DO AQUECEDOR (OPCIONAL)
9. INTERRUPTOR OPCIONAL (CORTADOR E MARTELETE) 20. PEDAL DE TRANSLAÇÃO ESQUERDO
10. INTERRUPTOR DE SELEÇÃO DA VELOCIDADE DE TRANSLAÇÃO 21. PEDAL DE TRANSLAÇÃO DIREITO
11. PAINEL DOS INDICADORES

3-8
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

NOMENCLATURA DA CABINE DO OPERADOR CONSOLE E MONITOR DIREITOS


Este capítulo indica a localização de controles do CHAVE DE IGNIÇÃO
operador da máquina. Estude estas áreas e localize
os componentes na máquina. A informação especí-
fica sobre estes componentes está explicada nas
páginas seguintes deste capítulo.

ADVERTÊNCIA
Evite ferimentos!
Não tente operar esta máquina sem antes ter lido e
entendido as mensagens e instruções de segurança
que são mostradas neste manual. A falha no cum-
primento pode resultar em morte ou ferimento
grave.
M1087
BS07M672 Figura 18
CHAVE DE IGNIÇÃO
COMPONENTES E CONTROLES A chave de ignição está localizada no console direito
A informação seguinte fornece uma breve descrição do operador e possui 4 funções operacionais.
e função dos componentes e controles desta OFF – Quando a chave é colocada nesta
máquina. posição, o motor pára e a energia elétrica para o
Todo pessoal associado a esta máquina deve ler e sistema elétrico da máquina é interrompida após
entender esta informação ANTES de iniciar qualquer aproximadamente 3 segundos.
trabalho ou serviço neste equipamento. ON – Quando a chave está nesta posição, a
energia elétrica é fornecida para todos os
HORÍMETRO sistemas elétricos da máquina.
START – Coloque a chave nesta posição para
dar partida no motor e solte após o motor ligar. A
chave retornará automaticamente para a
posição ON.
HEAT – Quando a partida do motor for difícil
devido a temperaturas muito baixas, gire a
chave para esta posição para ativar o
preaquecimento. Segure a chave nesta posição
por cerca de 15 segundos e depois gire a chave
para a posição START para dar partida no motor.
Libere a chave após o motor funcionar.

BS07M792 Figura 17
O horímetro indica o tempo total que o motor funcio-
nou. Ele mede o tempo continuamente enquanto o
motor estiver funcionando. Use o horímetro como
referência para manutenção da máquina.

3-9
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

MONITOR

BS07M673 Figura 19

1. INDICADOR DE TEMPERATURA DO LÍQUIDO DE ARREECIMENTO DO MOTOR


2. INDICADOR DO NÍVEL DE COMBUSTÍVEL
3. LUZ INDICADORA DE PRESSÃO DO ÓLEO DO MOTOR (VERMELHA)
4. LUZ INDICADORA DE TEMPERATURA DO LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO (VERMELHA)
5. LUZ INDICADORA DE CARGA DA BATERIA (VERMELHA)
6. LUZ DE ADVERTÊNCIA DE NÍVEL BAIXO DE COMBUSTÍVEL (VERMELHA)
7. LUZ INDICADORA DO FILTRO DE AR (VERMELHA)
8. LUZ INDICADORA DE ALTA VELOCIDADE DE TRANSLAÇÃO – 2ª (AMARELA)

3-10
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

INDICADORES LUZES DE ADVERTÊNCIA


INDICADOR DE TEMPERATURA DO LÍQUIDO DE NOTA: Se as luzes de advertência acenderem,
ARREFECIMENTO mude imdiatamente o método de operação da
máquina. Se esta luz permanecer acesa, desligue o
motor e determine a causa do problema. Consulte a
"MANUTENÇÃO E AJUSTES" na página 7-1 neste
manual ou entre em contato com o revendedor.

LUZ INDICADORA DE PRESSÃO DO ÓLEO DO


MOTOR (VERMELHO)

BS07M674 Figura 20

1. AZUL: CONDIÇÃO FRIA


2. BRANCO: CONDIÇÃO OPERACIONAL
3. VERMELHO: SUPER AQUECIMENTO

Indica a temperatura do líquido de arrefecimento do


motor e opera quando a chave de ignição é colocada
na posição “ON”. A temperatura está normal dentro
do intervalo branco. Se o indicador entrar no inter- BS07M776 Figura 22
valo vermelho, deixe o motor em marcha lenta até A luz indicadora de pressão do óleo do motor (3)
que o indicador de temperatura do líquido de arrefe- acenderá se a pressão do óleo do motor cair de
cimento retorne para o intervalo branco. forma anormal enquanto o motor estiver funcio-
Se o indicador estiver no intervalo azul, aqueça o nando. Desligue o motor imediatamente e verifique o
motor e o fluído hidráulico. nível de óleo do motor.
Consulte "Nível de Óleo do Motor" na página 7-11,
para verificação do nível.
INDICADOR DE NÍVEL DE COMBUSTÍVEL

BS07M675 Figura 21

1. BRANCO: CONDIÇÃO OPERACIONAL


2. VERMELHO: ENCHER

Indica a quantidade de combustível no reservatório.


F: indica um tanque cheio. Reabasteça quando o
indicador se aproximar de vazio, com combustível
diesel somente. Não deixa a máquina ficar sem com-
bustível.

3-11
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

LUZ INDICADORA DE TEMPERATURA DO LUZ INDICADORA DE CARGA DA BATERIA


LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO (VERMELHA) (VERMELHA)

BS07M777 Figura 23 BS07M779 Figura 24


Se a temperatura do líquido de arrefecimento subir A luz indicadora de carga da bateria (5) acenderá se
de forma anormal, a luz indicadora (4) acenderá. o sistema de carregamento estiver apresentando
Coloque o motor em marcha lenta até que a tempe- mau funcionamento. Esta luz acenderá rapidamente
ratura do líquido de arrefecimento abaixe até o inter- quando o motor for ligado, e deve se apagar quando
valo normal. o motor começar a funcionar. Verifique o sistema de
carga da bateria se este indicador permanecer
Reduza a rotação do motor para marcha lenta e pare
aceso após o motor ter começado a funcionar.
a operação até que a temperatura do líquido de arre-
fecimento do motor atinja volte ao intervalo seguro
de temperatura operacional.
LUZ DE ADVERTÊNCIA DE NÍVEL BAIXO DE
Consulte "Nível do Líquido de Arrefecimento do COMBUSTÍVEL (VERMELHA)
Motor" na página 7-12, para verificação do nível.

ADVERTÊNCIA
Não execute qualquer manutenção em um motor
quente. Deixe o motor esfriar antes de uma inspe-
ção ou manutenção. A falha no cumprimento pode
resultar em morte ou ferimentos graves.
M1393

ADVERTÊNCIA
Serviços ou reparos inadequados podem causar
ferimentos ou morte. Se não entender os procedi-
BS07M780 Figura 25
mentos de serviço para esta máquina, consulte o
revendedor ou o manual de serviços para esta Se o nível de combustível estiver baixo uma luz de
máquina. A falha no cumprimento pode resultar em advertência acenderá. Desligue o motor e abasteça.
morte ou ferimentos graves. Não deixe a máquina funcionar sem combustível.
M84-102

3-12
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

LUZ INDICADORA DO FILTRO DE AR DO MOTOR LUZ INDICADORA DE ALTA VELOCIDADE DE


(VERMELHA) TRANSLAÇÃO (AMARELA)

BS07M778 Figura 26 BS07M781 Figura 27


A luz indicadora do filtro de ar do motor acenderá se A luz indicadora de velocidade alta acenderá quando
o filtro de ar estiver obstruído. Se a luz acender, pare for selecionada a velocidade alta (2ª) de translação. O
a máquina imediatamente e limpe o filtro de ar. interruptor de seleção da velocidade alta está locali-
zado na manopla da alavanca de translação direita. A
Consulte "Limpeza e Substituição do Filtro de Ar do
velocidade retornará automaticamente para a veloci-
Motor" na página 7-28, para obter informação adicio-
dade baixa (1ª) quando a chave de ignição for colo-
nal.
cada na posição OFF

3-13
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

INTERRUPTORES

2 9 8
4
3

7
6
5

8
BS08J525 Figura 28

1. CHAVE DE IGNIÇÃO 6. INTERRUPTOR DO AQUECEDOR


2. INTERRUPTOR DE SELEÇÃO DE VELOCIDADE DE TRANSLAÇÃO 7. INTERRUPTOR DO LIMPADOR E DO LAVADOR DO PÁRA-BRISA
3. INTERRUPTOR DA BUZINA 8. INTERRUPTOR DE OPERAÇÃO DO MARTELETE
4. INTERRUPTOR SELETOR DE DESACELERAÇÃO 9. INTERRUPTOR OPCIONAL (CORTADOR E MARTELETE)
5. INTERRUPTOR DE LUZ DE TRABALHO

3-14
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

CHAVE DE IGNIÇÃO INTERRUPTOR DA BUZINA

BS07M784 Figura 31
BS07M672 Figura 29
O interruptor da buzina (3) está localizado na parte
Use a chave de ignição (1) para dar a partida e desli-
superior do controle direito. Sempre acione a
gar o motor. Consulte "Chave de Ignição" na página
buzina antes de dar partida no motor ou movimen-
3-9 para informação adicional.
tar a máquina.

INTERRUPTOR DE SELEÇÃO DE VELOCIDADE


INTERRUPTOR SELETOR DE DESACELERAÇÃO
DE TRANSLAÇÃO
(OPCIONAL)

BS07M783 Figura 30 BS07M785 Figura 32


Use o interruptor de seleção de velocidade de transla- Pressione o interruptor de desaceleração (4) durante
ção (2) para mudar a velocidade de translação. o funcionamento do motor para passar o motor para
Quando a máquina é desligada, a velocidade de trans- baixa rotação. Pressione novamente para liberar a
lação é automaticamente ajustada para baixa (1ª). função de desaceleração. O consumo de combustí-
vel e a geração de ruído podem ser reduzidos pelo
ADVERTÊNCIA uso deste interruptor. Desligar a chave de ignição
automaticamente libera a função de desaceleração.
Use a velocidade baixa ao operar em terrenos incli-
nados ou ao carregar/descarregar a máquina de um
caminhão ou reboque. Mudança súbitas no nível do
solo podem causar acidentes. A falha no cumpri-
mento pode resultar em morte ou ferimentos graves.
SA130

Selecione a velocidade baixa durante translação em


terreno acidentado ou fofo, em espaços confinados,
no carregamento ou descarregamento da máquina
de um reboque ou quando for necessária mais força
de tração.
Selecione a velocidade alta na movimentação em
terreno plano e nivelado.

3-15
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

INTERRUPTOR DAS LUZES DE TRABALHO INTERRUPTOR DO LIMPADOR E DO LAVADOR


DO PÁRA-BRISA

BS07M786 Figura 33
Use o interruptor das luzes de trabalho (5) para BS07M778 Figura 35
acender e apagar as luzes de trabalho da lança e da
máquina. Use o interruptor do limpador/lavador do pára-brisa
(7) para aplicar o líquido de lavagem ou acionar o
limpador de pára-brisa. O interruptor tem quatro
INTERRUPTOR DO AQUECEDOR (OPCIONAL) posições.
Wash: (esquerda): Pulveriza o líquido de lavagem
OFF: Desliga
ON: Aciona somente o limpador do pára-brisa
Wash (direita) Pulveriza o líquido de lavagem e aci-
ona o limpador do pára-brisa
NOTA: Não use o lavador do pára-brisa por mais de
20 segundos continuamente ou sem o líquido de
lavagem, pois o motor do reservatório do lavador
pode ser danificado.

BS07M787 Figura 34
Use o interruptor do aquecedor (6) para ligar ou des-
ligar o aquecedor (opcional). O interruptor tem três
posições: OFF, (L) baixa rotação do ventilador e (H)
alta rotação do ventilador.

3-16
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

INTERRUPTOR DE OPERAÇÃO DO MARTELETE INTERRUPTOR OPCIONAL (MARTELETE E


CORTADOR)
2
1
2

BS08J519 Figura 36
O interruptor de operação do martelete (8) é usado BS08J524 Figura 37
para operar o martelete. Use o botão (1) e a manopla O interruptor opcional (9) para martelete e cortador
da alavanca de controle direita. está na manopla da alavanca de controle direita.
Este interruptor é usado para abrir e fechar o corta-
Certifique-se de que a válvula seletora esteja no
dor ao ser de slizado para a dire ita e para a
modo martelete. Trabalhar no modo incorreto pode
esquerda.
causar um mau funcionamento da máquina e/ou
danificá-la. Não toque no interruptor de operação do martelete
(1) (botão) enquanto estiver usando o cortador.
O martelete pode ser operado deslizando o interrup-
tor opcional (2) para a esquerda. Operação do interruptor opcional 2
Deslizar para a esquerda – o acessório gira para a
esquerda.
Deslizar para a direita – o acessório gira para a
direita.

3-17
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

ALAVANCAS E PEDAIS

2 3 6 2

BS08J525 Figura 38

1. ALAVANCA DE CANCELAMENTO DAS FUNÇÕES 4. ALAVANCA DE ACELERAÇÃO


2. ALAVANCAS DE CONTROLE DIREITA/ESQUERDA 5. ALAVANCA DE CONTROLE DA LÂMINA
3. ALAVANCAS DE TRANSLAÇÃO COM PEDAIS 6. PEDAL DE OPERAÇÃO DE GIRO DA LANÇA

3-18
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

ALAVANCA DE CANCELAMENTO DE ALAVANCAS DE CONTROLE OPERACIONAL


SEGURANÇA DAS FUNÇÕES HIDRÁULICAS

BS06H080 Figura 39

1. ALAVANCA DE CANCELAMENTO DE SEGURANÇA NA


POSIÇÃO TRAVADA (PARA CIMA)
2. ALAVANCA DE CANCELAMENTO DE SEGURANÇA NA
POSIÇÃO DESTRAVADA (PARA BAIXO)

Uma alavanca de cancelamento de segurança das


funções hidráulicas está disponível no console de
controle esquerdo para evitar a ativação de qualquer BS07N561 Figura 40
função hidráulica indesejada. Quando a alavanca de
cancelamento de segurança de função for colocada ALAVANCA DE ALAVANCA DE
na posição destravada (para baixo), o alarme soa CONTROLE ESQUERDA CONTROLE DIREITA
intermitentemente por 1 (um) segundo e o sistema Lança para
hidráulico se torna ativo. Antes de deixar a cabine, 2 E Braço estendido 1 A
baixo
desligue o motor e coloque sempre a alavanca de
Lança para
cancelamento de segurança na posição travada F Braço retraido B
cima
(para cima).
Giro para a Caçamba
4 G 3 C
esquerda retraida
ADVERTÊNCIA
Giro para a Caçamba
Sempre coloque a alavanca de cancelamento de H D
direita estendida
segurança de função hidráulica na posição travada
(para cima) antes de sair da cabine. Nunca aban-
done a máquina com o motor funcionando. A falha
no cumprimento pode resultar em morte ou ferimen-
tos graves.
M1710

3-19
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

ALAVANCA ESQUERDA DE CONTROLE DO PADRÃO BHL


OPERADOR (PADRÃO ISO / SAE)
BRAÇO
ESTENDIDO

GIRO PARA A
ESQUERDA
GIRO PARA A
DIREITA

BRAÇO
RETRAIDO

Alavanca Esquerda
de Controle do Operador
(Padrão ISO / SAE)
DC04D562-B Figura 41

ADVERTÊNCIA BS07N561 Figura 42


Se a máquina for configurada para o controle padrão
operacional BHL certifique-se de remover o decalque ALAVANCA DE ALAVANCA DE
de controle padrão de operação ISO/SAE e use o CONTROLE ESQUERDA CONTROLE DIREITA
decalque fornecido para o controle padrão BHL opci- Lança para
onal. Consulte "Mudança de Controle Padrão 1 E 2 A Braço estendido
baixo
(Padrão BHL)" na página 3-21 para obter informa-
Lança para
ções detalhadas sobre como operar o Controle de F B Braço retraido
cima
Mudança de Padrão. Assegure que o padrão opera-
cional das alavancas esteja de acordo com o decal- Giro para a Caçamba
4 G 3 C
esquerda retraída
que da alavanca da máquina. Um movimento
inesperado pode ocorrer se o decalque e o padrão da Giro para a Caçamba
H D
alavanca não corresponderem. A falha no cumpri- direita estendida
mento pode resultar em morte ou ferimentos graves.
M1716 • No controle múltiplo BHL as funções de lança e do
braço são opostas ao sistema ISO.
A Alavanca Esquerda de Controle do Operador está
.
localizada na parte superior dianteira do console
esquerdo do operador. Seu objetivo é permitir que o
operador controle operações de giro e do braço. A
velocidade operacional da função é variável de
parada até curso total, dependendo da distância em
que a alavanca seja movimentada durante a opera-
ção. A alavanca esquerda de controle do operador
apresenta as seguintes funções operacionais básicas.
• FORWARD – Velocidade variável de extensão do
BRAÇO.
• BACKWARD – Velocidade variável de retração do
BRAÇO.
• LEFT – Velocidade variável de GIRO para a
esquerda.
• RIGHT – Velocidade variável de GIRO para a
direita.
• CENTER – Posição Neutra.
3-20
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

ALAVANCA DIREITA DE CONTROLE DO MUDANÇA DE CONTROLE PADRÃO


OPERADOR (PADRÃO ISO / SAE) (PADRÃO BHL)
Para mudar o padrão de controle da máquina de ISO
LANÇA (SAE) para (BHL), proceda como segue:
PARA BAIXO
1. Posicione o acessório no solo, o controle de ace-
leração em marcha lenta, e gire a chave de igni-
ção para a posção OFF (desligada).
CAÇAMBA

CAÇAMBA
ESTENDIDA 1
RETRAÍDA

LANÇA
PARA CIMA

Alavanca Direita de
Controle do Operador
(Padrão ISO / SAE)

DC04D563-B Figura 43 DC04C344 Figura 44

A Alavanca Direita de Controle do Operador está 1. ALAVANCA DE CANCELAMENTO DE SEGURANÇA DE


localizada na parte superior dianteira do console FUNÇÃO HIDRÁULICA NA POSIÇÃO TRAVADA (PARA CIMA)
direito do operador. Seu objetivo é permitir que o ope-
rador controle operações da lança e da caçamba. A 2. Coloque a alavanca de cancelamento de segu-
velocidade operacional da função é variável de rança de função hidráulica na posição travada
parada até curso total, dependendo da distância em (PARA CIMA) antes de sair da cabine.
que a alavanca seja movida durante a operação. A
alavanca direita de controle do operador apresenta as ADVERTÊNCIA
seguintes funções operacionais básicas.
Se a máquina for configurada para o controle
• FORWARD – Velocidade variável de descida da padrão operacional BHL certifique-se de remover o
LANÇA. decalque de controle padrão de operação ISO/SAE
• BACKWARD – Velocidade variável de subida da e use o decalque fornecido para o controle padrão
LANÇA. BHL opcional. Consulte "Mudança de Controle
• LEFT - Velocidade variável de retração da Padrão (Padrão BHL)" na página 3-21 para obter
CAÇAMBA (Escavação). informações detalhadas sobre como operar o Con-
trole de Mudança de Padrão. Assegure que o
• RIGHT – Velocidade variável de extensão da padrão oepracional das alavancas esteja de acordo
CAÇAMBA (Despejo). com o decalque da alavanca da máquina. Um movi-
• CENTER – Posição Neutra. mento inesperado pode ocorrer se o decalque e o
padrão da alavanca não corresponderem. A falha
NOTA: Uma Válvula de Mudança de Controle
no cumprimento pode resultar em morte ou ferimen-
Padrão está disponível. Entre em contato com o
tos graves.
revendedor para maiores informações. Se sua
M1716
escavadeira já tiver esta válvula instalada use as
instruções seguintes (Padrão BHL) com relação sua
operação.

3-21
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

PADRÃO ISO / SAE


2

BS07N621 Figura 45 DC04D565-B Figura 47

1. VÁLVULA DE MUDANÇA DE PADRÃO CARTÃO DO DECALQUE DO PADRÃO ISO/SAE

3. Abra a porta do compartimento direito, localize a


alavanca de mudança de padrão (2).
PADRÃO BHL
3

DC04D566-B Figura 48
CARTÃO DO DECALQUE DO PADRÃO BHL

BS07N564 Figura 46
4. Solte o parafuso borboleta (3) e mude a posição
da alavanca para o padrão desejado.
5. Aperte firmemente o parafuso borboleta (3) com
as mãos. Não use ferramentas para apertar.
6. Feche a tampa do compartimento.
7. Opere cuidadosamente as alavancas de controle
para ter certeza de que as funções combinam
com o padrão selecionado. Pratique em uma
área aberta para se familiarizar com o novo
padrão.

3-22
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

ALAVANCA ESQUERDA DE CONTROLE DO ALAVANCA DIREITA DE CONTROLE DO


OPERADOR (PADRÃO BHL) OPERADOR (PADRÃO BHL)

LANÇA
PARA BAIXO BRAÇO
ESTENDIDO

CAÇAMBA
GIRO PARA ESTENDIDA
A ESQUERDA
GIRO PARA
A DIREITA
CAÇAMBA
RETRAIDA

BRAÇO
LANÇA
RETRAIDO
PARA CIMA

Alavanca Esquerda Alavanca Direita


de Controle do Operador de Controle do Operador
(Padrão BHL) (Padrão BHL)

DC04D567-B Figura 49 DC04D568-B Figura 50


Opere lentamente o controle Esquerdo para ter cer- Opere lentamente o controle Direito para ter certeza
teza de que ele combina com o padrão BHL e para de que combina com o padrão BHL e para se familia-
se familiarizar com o novo padrão de controle. rizar com o novo padrão de controle.

3-23
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

ALAVANCAS E PEDAIS DE TRANSLAÇÃO


DIREITO E ESQUERDO 1
2
3

BS07N624-B Figura 52

1. DIANTEIRA
2. TRASEIRA
3. ALAVANCA DE CONTROLE
4. TRANSLAÇÃO A FRENTE
5. TRANSLAÇÃO A RÉ

ADVERTÊNCIA
Sempre conheça a posição dos motores de transla-
ção da escavadora para evitar a movimentação ines-
perada da máquina. O posicionamento normal para
determinar a dianteira, traseira, para frente e para
trás é feito com os motores de translação localizados
atrás da cabine do operador. A falha no cumprimento
2 pode resultar em morte ou ferimentos graves.
M1726
1
BS07N623 Figura 51
1. Empurre ambas as alavancas para frente (ou
pressione a frente dos pedais) para translação
As alavancas e pedais de translação estão localiza- para frente.
das em frente ao banco do operador. Eles são usa- 2. Puxe ambas as alavancas em sua direção (ou
das para movimentar a esteira direita ou esquerda pressione a parte de trás dos pedais) para movi-
da máquina tanto para frente como para trás. mento em marcha a ré.
• FORWARD – Velocidade variável de movimento
3. Libere ambas as alavancas na posição central
da esteira para frente.
para parar o movimento e para colocar a
• BACKWARD – Velocidade variável de movimento máquina em neutro.
da esteira para trás.
• CENTER – Posição Neutra.
As funções de translação descritas são com o motor
de translação localizado atrás da cabine.

BS07N625 Figura 53
3-24
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

ALAVANCA DE CONTROLE DE ACELERAÇÃO PEDAL DE OPERAÇÃO DE GIRO DA LANÇA


A alavanca de controle de aceleração está locali-
zada à direita do banco do operador e é usada para
controlar a rotação do motor.
(A) LOW (marcha lenta) - Empurre a alavanca total-
mente para frente para colocar o motor em marcha 1
lenta.
(B) HIGH (rotação máxima sem carga) - Puxe a ala-
vanca totalmente para trás para colocar o motor em
rotação máxima sem carga.

ALAVANCA DE CONTROLE DA LÂMINA

BC08J113 Figura 55
Use este pedal para operar o movimento de giro da
lança.
Para usar o pedal, suspenda a tampa de travamento
do pedal (1).
Giro para a direita: empurre o lado direito do pedal
para baixo
Giro para a esquerda: empurre o lado esquerdo do
1 pedal para baixo.

ADVERTÊNCIA
Sempre trave o pedal se não estiver usando a fun-
ção de operação de giro da lança. A falha no cum-
primento pode resultar em morte ou ferimentos
BS07N626 Figura 54
graves.
M1491
Use a alavanca de controle da lâmina para movi-
mentar a lâmina para cima ou para baixo.
(C) Lâmina para cima - Puxe a alavanca para trás.
(D) Lâmina para baixo - Empurre a alavanca para
frente.
Durante a translação, suspenda a lâmina frontal até
sua altura máxima.

3-25
CAPÍTULO 3 – INSTRUMENTOS E CONTROLES

NOTAS

3-26
CAPÍTULO 4
INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO
CONTEÚDO

ANTES DE OPERAR A MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-3


OPERANDO A MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-4
PARTIDA E DESLIGAMENTO DO MOTOR DA MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5
Partida do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5
Desligamento de Emergência do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5
Aquecimento da máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-5
Aquecimento Manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-6
Ligando e Desligando a Máquina em Clima Frio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-6
Verificação do Painel de Monitoramento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-7
DECALQUES DE CONTROLE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-8
Padrão de Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-8
Decalque de Padrão de Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-8
OPERAÇÃO BÁSICA DOS CONTROLES HIDRÁULICOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-9
Alavanca de Cancelamento da Função . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-9
Máquinas com Alavanca de Cancelamento de Funções e com Pedal de Controle de Giro da Lança . . . . . 4-10
Controles de Translação da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-10
Operando as duas Alavancas de Translação juntas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-10
Interruptor de Seleção da Velocidade de Translação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-11
Virando a máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-11
Pivoteando a Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-12
Segurança na Translação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-12
Operando a máquina em um espaço estreito . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-13
Operando a Máquina na Água . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-13
Acessórios e giro da Máquina – Padrão ISO / SAE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-13
Operação da Lança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-13
Operação do Braço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-14
Operação de Giro – Pedal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-14
Operação da Caçamba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-15
PRÁTICAS PARA MELHORAR A EFICIÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-16
Utilize a Ação do Braço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-16
Opere a Lança Suavemente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-16
Limpeza de Areia e Terra da Caçamba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-16
Cavando Valas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-16
Usando a lâmina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-17
Carregando . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-17
Escavação com Deslocamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-17
OPERAÇÃO DA MÁQUINA EM CONDIÇÕES CLIMÁTICAS ADVERSAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-18
Operação em Clima Extremamente Frio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-18
Operação em Clima Extremamente Quente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-18
Operação em Grandes Altitudes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-19
Operação em Áreas Arenosas e empoeiradas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-19
Operação a Beira-Mar ou Maresia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-19
Operação em Clima Úmido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-19
Recomendação Para Uma Vida Útil Mais Longa da Estrutura Inferior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-19
Guia para Seleção de Caçambas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-20
TRANSPORTE DA MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-21
Transporte Terrestre . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-21
Levantando a Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-24

4-1
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

ARMAZENAGEM DA MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-25


Preparação da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-25
Cuidados Durante a Armazenagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-25
Removendo a Máquina da Armazenagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-25
EQUIPAMENTO OPCIONAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-26
Utilização de Acessórios Opcionais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-26
MARTELETE HIDRÁULICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-26
Martelete . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-27
Cortador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-27
Controle manual opcional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-28
Reduza os intervalos de serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-28
Ajuste da Válvula Seletora da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-29
Válvula de Fechamento do Fluído Hidráulico do Acessório . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-29
Obtendo o Melhor de seu Martelete . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-30
Precauções de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-32
LÂMINA DE ÂNGULO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-35
INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO DA LÂMINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4-35

4-2
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

ANTES DE OPERAR A MÁQUINA


8. Certifique-se de que o capuz do motor e as por-
ADVERTÊNCIA tas laterais estejam corretamente fechadas e tra-
vadas.
Não tente operar essa máquina a menos que tenha
lido e entendido perfeitamente antes as mensagens 9. Mantenha a porta da cabine na posição de com-
de segurança e as instruções contidas nesse pletamente fechada ou completamente aberta.
manual. O não cumprimento pode resultar em morte
10. Remova qualquer obstrução que possa prejudi-
ou ferimentos graves.
car a visibilidade. Limpe o pára-brisa, as janelas
CE-NA000
e os espelhos retrovisores.

Antes de operar a máquina, lembre-se de realizar o 11. Verifique se nenhuma ferramenta ou outros obje-
seguinte: tos foram abandonados na máquina (tanto na
estrutura inferior como na estrutura superior) ou
1. Verifique o nível de todos os fluidos (óleo do no compartimento do operador.
motor, fluido hidráulico, e liquido de arrefeci-
mento), e certifique-se de que os fluidos e os 12. Certifique-se de que não haja ninguém perto ou
lubrificantes estejam apropriados para as condi- debaixo da máquina. Somente o operador deve
ções prevalecentes. Consulte "Especificações estar na máquina.
dos Lubrificantes" na página 6-6. 13. Certifique-se de que ninguém esteja na área de
2. Realize as operações de manutenção diária. trabalho da máquina.

3. Inspecione a máquina, procure por sinais de 14. Descubra mais sobre as medidas de segurança
possíveis vazamentos e verifique as manguei- atuais em vigor no local do trabalho.
ras. Aperte ou substitua conforme necessário. 15. Desenvolva um meio conveniente para sair da
Consulte "MANUTENÇÃO E AJUSTES" na máquina (saída de emergência pelo pára-brisa,
página 7-1. pelo vidro da janela traseira) caso a porta da
4. Consulte o período de amaciamento se a máquina cabine esteja emperrada ou devido a tomba-
for nova ou o motor foi recondicionado. mento da máquina.

5. Verifique os conjuntos de esteiras. 16. Antes de assumir qualquer translação ou opera-


ções de trabalho durante horas de escuridão,
6. Limpe os degraus e os corrimãos. Graxa, óleo, certifique-se de que as luzes e o equipamento de
barro ou gelo (no inverno) nos degraus ou corri- sinalização estejam funcionando totalmente.
mãos podem causar acidentes. Certifique-se de
que os mesmos estejam sempre limpos.
7. Limpe ou substitua os decalques ilegíveis. Con-
sulte "Decalques" na página 2-13.

4-3
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERANDO A MÁQUINA
10. Opere gradualmente todos os controles para
ADVERTÊNCIA garantir uma operação suave da máquina.
Verifique todos os controles e dispositivos de segu- 11. Consulte "Operando a Máquina na Água" na
rança em uma área segura e aberta antes de come- página 4-13, se a máquina ficar na água durante
çar o trabalho. O não cumprimento pode resultar em a sua utilização.
morte ou ferimentos graves.
12. Consulte "Transporte da máquina" na página
CE-NA000
4-21 quanto a condução da máquina sobre um
reboque.
Antes de operar a máquina, lembre-se de realizar o
seguinte: 13. Consulte "Levantando a Máquina" na página
4-24 quando for necessário levantar a mesma.
1. Ao dar partida ao motor, lembre-se de utilizar o
procedimento correto de acordo com as condi- 14. Em algumas configurações, o alcance de traba-
ções de clima predominante. Consulte "Partida e lho do acessório permite a interferência da ferra-
Desligamento do Motor da Máquina" na página menta com a máquina. Mantenha sempre uma
4-5. distância mínima de segurança entre a ferra-
menta e a máquina.
2. Consulte regularmente o horímetro para ter cer-
teza de que todas as operações estejam realiza- 15. Nunca utilize o acessório para varrer o chão,
das pontualidade. Consulte "Horímetro" na nivelar cascalho ou empurrar objetos (tensão
página 3-9. transversal sobre o acessório).

3. Se utilizar a máquina especialmente em condi- 16. Evite funcionar o motor em espaço fechado. Se
ções severas (empoeiradas ou atmosfera corro- não houver alternativa, uma ventilação ade-
siva), os intervalos para manutenção devem ser quada deve ser providenciada sempre.
reduzidos de acordo. 17. Poeira, fumaça ou umidade pode reduzir a visibi-
4. Observe a localização de tubulações e cabos da lidade e causar um acidente. Reduza a veloci-
rede de água e esgoto antes de começar o tra- dade ou pare completamente até a visibilidade
balho. melhorar.

5. Não trabalhe próximo de linhas elétricas de alta 18. Em caso de um problema ou falha de operação,
tensão aéreas sem verificar antes se foram leve a máquina para um lugar seguro, abaixe o
tomadas todas as medidas necessárias quanto acessório ao chão, desligue o motor e remova a
as distâncias mais seguras. Consulte "Segu- chave de ignição. Localize o problema, notifi-
rança Pessoal" na página 2-4 e "Segurança nas que-o se necessário e tome as devidas provi-
Utilidades Públicas" na página 2-5 quanto as dis- dências para alertar os outros de não tentarem
tância de trabalho seguras. operar a máquina.

6. Quando estiver trabalhando em uma estrada 19. Não desligue o motor sem levar em considera-
pública, utilize a sinalização de trafego padrão e ção as condições do tempo. Consulte "Partida e
leve em consideração o limite de trabalho da Desligamento do Motor da Máquina" na página
estrutura superior e seus acessórios. Os regula- 4-5.
mentos locais estipulam o número, o tipo e o 20. Consulte Estacionando a Máquina quando for
local das tiras refletivas. estacionar a mesma após o trabalho.
7. Nunca opere os controles de trabalho ou de 21. Sempre que for realizar operações de manuseio
translação a menos que esteja sentado correta- de carga, é importante aderir rigorosamente às
mente no banco do operador e com o cinto de instruções apresentadas neste manual e a legis-
segurança corretamente afivelado. lação local. Consulte Manuseio de Carga.
8. Modifique a maneira de conduzir para se adaptar 22. Quando estiver trafegando com o martelete
ao tipo e às condições de trabalho. Consulte hidráulico (opcional), certifique-se de que não
"Práticas para Melhorar a Eficiência" na página esteja muito próximo nem apontando em direção
4-16. da cabine.
9. Não permita a permanência de ninguém dentro
do raio de operação da máquina. Interrompa
todas as operações até que todos tenham se
afastado.

4-4
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

PARTIDA E DESLIGAMENTO DO MOTOR DA MÁQUINA


PARTIDA DO MOTOR DESLIGAMENTO DE EMERGÊNCIA DO MOTOR
1. Sente confortavelmente no banco do operador, Somente em casos de emergência, quando a chave
certificando-se de alcançar os pedais e contro- de ignição falhar em desligar o motor, este método
les. Afivele o cinto de segurança. deverá ser utilizado.
2. Coloque o controle de aceleração na posição de
marcha lenta “LOW” (Baixa).
3. Insira a chave no interruptor de ignição e gire-a
para a posição “ON” (Ligado).
4. Acione a buzina para alertar o pessoal de que a
máquina está sendo colocada em operação.
5. Gire a chave para a posição “START” (Partida) e
solte-a assim que o motor funcionar. A chave
retornará automaticamente para a posição “ON”
(Ligado). 1
CUIDADO: Se o motor não funcionar logo, solte a DC04C344 Figura 2
chave após 20 segundos de tentativa. Aguarde no 1. CONTROLE DE DESLIGAMENTO
mínimo 2 minutos antes de tentar dar nova partida ao DE EMERGÊNCIA DO MOTOR
motor, permitindo assim que o motor de partida esfrie.
1. Puxe para fora o controle de desligamento de
AVISO: Se o motor não funcionar após 3 tentativas, emergência do motor localizado no lado direito
inspecione o sistema de combustível e repare qual- inferior do banco do operador até o Motor parar
quer problema identificado. de funcionar.
Durante a partida ao motor, a ausência de fumaça
“azul” ou “branca” do escapamento indica que o com- 2. Antes de dar nova partida no motor, empurre o
bustível não está chegando até os cilindros do motor. controle de desligamento de emergência do motor.

PARANDO A MÁQUINA AQUECIMENTO DA MÁQUINA

ADVERTÊNCIA
Durante a operação da máquina com fluido hidráulico
frio, o operador pode perceber um movimento lento ou
inesperado das funções.
Os componentes hidráulicos poderão danificar-se de-
vido ao fluido frio não lubrifica-los adequadamente.
O aquecimento automático deve ser utilizado sempre
que for iniciar a operação da máquina em temperatu-
ras abaixo de 10°C (50°F) a fim de estabilizar a res-
posta de controle da máquina. Fluido frio pode causar
uma operação errático da máquina. O não cumpri-
mento pode resultar em morte ou ferimentos graves.
BS07M794 Figura 1
M1715
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme
e nivelada e coloque o acessório na posição
mostrada pela figura.
2. Coloque o controle de aceleração na posição de
marcha lenta “LOW” (Baixa). Deixe o motor fun-
cionando em marcha lenta por 5 minutos.
3. Gire a chave de ignição para a posição “OFF”
(Desligado).
4. Coloque a alavanca de cancelamento da função
na posição TRAVADA.
4-5
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

AQUECIMENTO MANUAL
1. Aquecendo o Motor
a. Deixe o motor funcionando 5 minutos sob
condições de sem carga com o Controle de
Aceleração na posição de marcha lenta
“LOW” (Baixa).
b. Durante o aquecimento, inspecione visual e
audivelmente o motor quanto a condições
anormais tais como cor de fumaça do escapa-
mento incomum, excesso de vibrações e ruí-
dos excessivos e anormais.
Caso sejam identificadas áreas com problemas, des-
ligue o motor, localize e repare essas áreas antes de
dar nova partida ou operar a máquina.

LIGANDO E DESLIGANDO A MÁQUINA EM CLIMA FRIO


LIGANDO O MOTOR PARANDO A MÁQUINA
1. Coloque o controle de aceleração na posição
“LOW”.
2. Gire o interruptor de ignição para a posição “ON”
e preaqueça por 20 segundos para tornar a par-
tida mais fácil. O ícone “Preheat” (preaqueci-
mento) será mostrado. 1
2
3. Soe a buzina para alertar o pessoal de que a
máquina está sendo ligada.
4. Gire a chave para a posição “START” (partida) e
solte assim que o motor entrar em funciona-
mento. A chave retornará automaticamente para
a posição “ON”.
BS07M861 Figura 3

CUIDADO: Se o motor não funcionar logo, solte a 1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme
chave após 20 segundos de tentativa. Aguarde no e nivelada e coloque o acessório na posição de
mínimo 2 minutos antes de tentar dar nova partida verificação do fluido hidráulico.
ao motor, permitindo assim que o motor de partida 2. Coloque o controle de aceleração na posição de
esfrie. marcha lenta “LOW” (Baixa). Deixe o motor fun-
AVISO: Após a partida do motor, use o Sistema de cionando em marcha lenta por 5 minutos.
Aquecimento Automático descrito em Aquecimento 3. Gire a chave de ignição para a posição “OFF”
da Máquina neste capítulo. Aqueça o motor e o fluido (Desligado).
hidráulico.
• Se o motor não funcionar após 3 tentativas, inspe-
cione o sistema de combustível e repare qualquer
problema identificado.
• Durante a partida ao motor, a ausência de fumaça
“azul” ou “branca” do escapamento indica que o
combustível não está chegando até os cilindros do
motor.

4-6
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

VERIFICAÇÃO DO PAINEL DE MONITORAMENTO

1 2 3 4

BS07M798 Figura 4
Verifique todos os indicadores e luzes no monitor após dar a partida no motor. Certifique-se de que a temperatura
do líquido de arrefecimento (1) está no intervalo normal, que o combustível (2) está adequado e que outras luzes
indicadoras não estejam acesas ou indicando quaisquer anormalidades do motor.

AQUECIMENTO DO FLUIDO HIDRÁULICO


AVISO: Antes da operação verifique o espaço entre
a caçamba e a cabine. Cicle lentamente a caçamba,
verifique a interferência com o braço e a cabine, es-
pecificamente se um olhal de içamento estiver solda-
do na parte inferior da caçamba. Cuidado ao operar a
caçamba próximo à cabine.
a. Mova o Controle de Aceleração para a posi-
ção de rotação máxima sem carga “HI” (Alta).

DC04D474 Figura 6
d. Opere os controles da Lança e do Braço por 5
DC04D473 Figura 5
a 10 minutos cada.
b. Realize a operação de escavação com a
caçamba e segure sobre alívio por 10 a 15 ADVERTÊNCIA
segundos, em seguida opere a caçamba em
despejo e segure sobre alívio por 10 a 15 Durante a operação da máquina com fluido hidráulico
segundos. Repita essas operações por 5 a 10 frio, o operador pode perceber um movimento lento ou
minutos. inesperado das funções.
c. Mova o Controle de Aceleração para a posi- Os componentes hidráulicos poderão danificar-se de-
ção central. vido ao fluido frio não lubrifica-los adequadamente.
O aquecimento automático deve ser utilizado sempre
que for iniciar a operação da máquina em temperatu-
ras abaixo de 10°C (50°F) a fim de estabilizar a res-
posta de controle da máquina. Fluido frio pode causar
uma operação errático da máquina. O não cumpri-
mento pode resultar em morte ou ferimentos graves.
M1715

4-7
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

DECALQUES DE CONTROLE
PADRÃO DE OPERAÇÃO
Os controles de operação e de translação dessa
1 5
máquina são ajustados na fabrica em padrões de
operação ISO/SAE.

DECALQUE DE PADRÃO DE OPERAÇÃO 2


As ilustrações a seguir são uma representação dos
4
decalques de “CONTROLES” localizado por dentro
da janela direita da cabine do operador. Estude este
decalque e entenda as direções nas quais cada con-
trole deve ser operado e as funções associadas com
cada movimento de um controle específico. Instru- 3
ções detalhadas para cada controle e suas funções
são explicadas nas páginas a seguir deste Capítulo.
Caso este decalque se danifique ou falte, instale um
novo decalque. BS07M796-B Figura 7
MANOPLA DA ALAVANCA DE CONTROLE LE
(NO CASO DE PADRÃO ISO)
ADVERTÊNCIA
1. BOTÃO DE CONTROLE DE GIRO DA LANÇA
Verifique e certifique-se de que o controle padrão de 2. GIRAR A LANÇA PARA A ESQUERDA
operação coincide com o fornecido pelo lado de den- 3. RETRAIR O BRAÇO
tro da janela direita da cabine do operador. O não 4. GIRAR A LANÇA PARA A DIREITA
cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos 5. ESTENDER O BRAÇO
graves.
M1713

1 5
ADVERTÊNCIA
Se a máquina for configurada para o controle padrão
operacional BHL certifique-se de remover o decal- 2
que de controle padrão de operação ISO / SAE e use
o decalque fornecido para o controle padrão BHL op- 4
cional. Consulte "Mudança de Controle Padrão (Pa-
drão BHL)" na página 3-21 para obter informações
detalhadas sobre como operar o Controle de Mudan-
ça de Padrão. Assegure que o padrão oepracional 3
das alavancas esteja de acordo com o decalque da
alavanca da máquina. Um movimento inesperado
pode ocorrer se o decalque e o padrão da alavanca
não corresponderem. A falha no cumprimento pode BS07M797-B Figura 8
resultar em morte ou ferimentos graves. MANOPLA DA ALAVANCA DE CONTROLE LE
M1716 (NO CASO DE PADRÃO BHL)

1. BOTÃO DE CONTROLE DE GIRO DA LANÇA


2. GIRAR A LANÇA PARA A ESQUERDA
3. LEVANTAR A LANÇA
4. GIRAR A LANÇA PARA A DIREITA
5. ABAIXAR A LANÇA

4-8
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO BÁSICA DOS CONTROLES HIDRÁULICOS


As instruções a seguir destinam-se a proporcionar ao operador a função básica de cada controle hidráulico. O uso
dessas instruções e a prática com a máquina, permitirão a um determinado operador torna-se mais eficiente na
operação deste equipamento.

ADVERTÊNCIA
O posicionamento normal da máquina para determinar a Dianteira, Traseira, Para Frente, e Marcha a ré é com os
motores de translação localizados atrás da cabine do operador. Mantenha sempre os motores de translação po-
sicionados cerretamente. O não cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos graves.
M1726

ADVERTÊNCIA
Esteja sempre certo da localização dos motores de translação antes de operar quaisquer controles hidráulicos. O
não cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos graves.
M1727

ALAVANCA DE CANCELAMENTO DA FUNÇÃO POSIÇÃO TRAVADA


Antes de sair da cabine do operador, coloque a Ala-
vanca de Cancelamento da Função na posição
2 “LOCKED” (Travada) (up [acima]), puxando a ala-
vanca para cima. Com a alavanca de Cancelamento
da Função na posição “LOCKED” (Travada) (up
[acima]), nenhuma operação hidráulica será possí-
1 vel, o que permite fácil ocupação e abandono do
banco do operador.

BS06H080 Figura9

1. POSIÇÃO DESTRAVADA
2. POSIÇÃO TRAVADA

POSIÇÃO DESTRAVADA
Antes que qualquer Operação Hidráulica seja possí-
vel, a Alavanca de Cancelamento da Função deve
ser colocada na posição “UNLOCKED” (Destravada)
BC08J114 Figura 10
(down[abaixo]). Colocndo a Alavanca de Cancela-
mento da Função na posição “UNLOCKED” (Destra-
vada) (down[abaixo]), também posiciona o Console
do Operador LE na sua posição de operação e tra-
vada.

4-9
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

MÁQUINAS COM ALAVANCA DE OPERANDO AS DUAS ALAVANCAS DE


CANCELAMENTO DE FUNÇÕES E COM PEDAL TRANSLAÇÃO JUNTAS
DE CONTROLE DE GIRO DA LANÇA
Com o motor funcionando, ajuste a alavanca de can-
celamento de funções para a posição LOCKED (up)
[travada (para cima)].
Mova os seguintes controles:
• Alavanca de controle esquerda
• Alavanca de controle direita
• Pedal de giro da lança – esquerdo e direito
• Alavanca de contole de translação
As funções não devem se ativar quando a alavanca
de controle de segurança estiver na posição
LOCKED (up) [travada (para cima)]. Se qualquer DC04D477 Figura 11
operação estiver funcionando, entre em contato com Com os motores de translação posicionados
o revendedor autorizado para reparos, para evitar atrás da cabine:
movimentações inesperadas da máquina. a. Empurre ambas as alavancas de translação
ou pressione os pedais em direção à frente da
ADVERTÊNCIA máquina e a máquina irá deslocar-se para
“FRENTE”.
Coloque sempre a Alavanca de Cancelamento da
Função na posição travada (para cima) antes de
abandonar a cabine, a fim de evitar qualquer opera-
ção dos controles hidráulicos. O não cumprimento
pode resultar em morte ou ferimentos graves.

ADVERTÊNCIA
A função de controle da lâmina frontal está ativa
sempre, mesmo com a alavanca de cancelamento
de funções na posição travada. Tenha cuidado ao
operar uma máquina equipada com lâmina frontal. A
falha no cumprimento pode resultar em morte ou fe-
rimentos graves. DC04D478 Figura 12
b. Puxe ambas as alavancas de translação ou
CONTROLES DE TRANSLAÇÃO DA MÁQUINA pressione os pedais na direção do banco do
Esta máquina incorpora vários Controles de Transla- operador e a máquina irá deslocar-se em
ção para comodidade do operador. Cada esteira “MARCHA A RÉ”.
pode ser operada independentemente, para virar a c. Retorne ambas as alavancas de translação
máquina, ou simultaneamente, para virar a máquina para a posição “NEUTRAL” (Neutro [centro]) e
ao contrário, ou ainda trafegar em linha reta. a máquina irá parar.
AVISO: A distância na qual as alavancas de transla-
ção são empurradas ou puxadas determina a veloci-
dade de translação da máquina.
EXEMPLO:
As alavancas de translação são puxadas ou empur-
radas até o final do curso – a máquina trafegará à ve-
locidade máxima.
As alavancas de translação são puxadas ou empur-
rada para a posição do meio – a máquina trafegará à
1/2 velocidade.

4-10
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

INTERRUPTOR DE SELEÇÃO DA VELOCIDADE


DE TRANSLAÇÃO

1
DC04D480 Figura 15
b. Puxe de volta a alavanca de translação
BS07M800 Figura 13 esquerda em direção ao banco do operador
a. Para uma velocidade de translação mais alta, para virar a máquina para a ESQUERDA em
pressione e solte uma vez o interruptor de movimento de marcha a ré.
seleção da velocidade de translação antes de
operar os controles de translação. Isto coloca
os motores de translação em velocidade
“FAST” (Rápido), e a luz para “FAST”
(Rápido) no visor do conjunto de medidores
acenderá.
b. Para retornar para a velocidade de translação
“SLOW” (Lento), interrompa o translação e
pressione e solte uma vez o interruptor de
seleção de velocidade do translação.
AVISO: Use a velocidade de translação “FAST” (Rá-
pido) somente em superfícies firmes e niveladas. Não
trafegue continuamente por mais que duas horas. DC04D481 Figura 16
Pare por um período de 10 minutos em rotação de
c. Empurre a alavanca de translação direita em
marcha lenta antes de retomar a viagem.
direção à frente da máquina para virar a
máquina à ESQUERDA em movimento para
VIRANDO A MÁQUINA
frente.

DC04D479 Figura 14
DC04D482 Figura 17
a. Empurre a alavanca de translação esquerda
em direção à frente da máquina para virar a d. Puxe a alavanca de translação direita em dire-
máquina à DIREITA em movimento para ção ao banco do operador para virar a máquina
frente. à DIREITA em movimento de marcha a ré.

4-11
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

PIVOTEANDO A MÁQUINA CUIDADO:


a. A capacidade máxima de subida desta
máquina pode variar de acordo com o tipo de
sapata, lubrificação do motor, etc.
b. Ao aproximar-se ou ao descer uma ladeira,
opere o translação lentamente.
c. Para frear, retorne lentamente as alavancas
ou os pedais de translação para a posição
neutra (no centro). Os freios são aplicados
automaticamente.
d. A operação de translação por 2 horas ou mais
pode causar falha nos motores de translação
devido à elevação da temperatura de opera-
DC04D483 Figura 18 ção. Não trafegue continuamente por mais
a. Puxe a alavanca de translação esquerda para que 2 horas. Pare por 10 minutos em marcha
TRÁS e empurre a alavanca de translação lenta antes de retomar a viagem.
direita para FRENTE para pivotear a máquina e. Em condições de muito frio, abaixo de -20°C
para a ESQUERDA. (-4°F), o acionamento da alavanca ou pedal
de translação pode ser mais “pesado” que o
normal. Isto é devido à viscosidade do fluido
hidráulico em climas muito frios.

SEGURANÇA NA TRANSLAÇÃO
a. Tenha certeza de conhecer a localização dos
motores de translação antes de efetuar qual-
quer operação.
b. Sempre que for possível trafegue em superfí-
cies firmes e niveladas.
c. Ao trafegar por solos irregulares, faça-o em
velocidade LENTA com o motor em marcha
DC04D484 Figura 19 lenta.
b. Puxe a alavanca de translação direita para d. Para viagem de longa distância, trafegue com
TRÁS e empurre a alavanca de translação os motores de translação na parte traseira da
esquerda para FRENTE para pivotear a máquina.
máquina para a DIREITA.
e. Ao trafegar ou operar a máquina em superfí-
AVISO: Todas as funções executadas com o uso das cies cobertas de gelo ou neve, limpe freqüen-
alavancas de translação podem ser realizadas tam- temente as sapatas das esteiras para evitar
bém através do uso dos pedais de translação. acúmulo de sujeira.
f. Mantenha uma distância segura de objetos
parados e linhas de energia elétrica.
g. Esteja cientes de capacidades de carga, pon-
tes e acostamentos de estradas. Reforce se
necessário.
h. Utilize, sempre que for possível, proteções de
madeira ou pranchas para proteger as superfí-
cies de estrada. Cuidado ao virar ou girar ao
contrário a máquina em superfícies asfaltadas.
i. Evite que objetos de tamanho maior ou pesa-
dos baterem nos motores de translação.
j. Não passe por cima de objetos de grande
tamanho tais como pedras, rochas etc.
k. A máquina pode atolar em solos fofos ou com
barro. Evite essas áreas.

4-12
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERANDO A MÁQUINA EM UM ESPAÇO ACESSÓRIOS E GIRO DA MÁQUINA – PADRÃO


ESTREITO ISO / SAE
As instruções de operação a seguir devem ser utili-
zadas apenas com acessório de caçamba para retro-
escavadeira. Caso outros acessórios estejam sendo
utilizados, consulte o manual do operador daquele
acessório específico.

ADVERTÊNCIA
Antes de operar a máquina, leia, entenda e siga
todas as precauções de segurança durante todas as
operações dassa máquina e de seus acessórios. O
não cumprimento pode resultar em morte ou feri-
mentos graves.
BS07N682 Figura 20 M1416

LANÇA NA POSIÇÃO DOBRADA


A lança pode ser dobrada como mostrado na ilustra- OPERAÇÃO DA LANÇA
ção. Dobrar a lança reduzirá o raio de giro da A operação da Lança é realizada empurrando e
máquina. puxando a Alavanca de Controle Direita para frente e
Raio de giro da capota com a lança dobrada: para trás. A velocidade da lança é definida pela dis-
1690 m (66.5 in.) tância de ativação da alavanca.

Raio de giro da cabine com a lança dobrada:


2170 m (83 in.)

OPERANDO A MÁQUINA NA ÁGUA

3 2
4
DC04D485 Figura 22
a. Puxando para TRÁS a alavanca de controle
direita, a lança é levantada.
1
BS07M851 Figura 21
Se for necessário trafegar ou operar a máquina em
um rio ou em água, o leito deve ser firme e a cor-
rente da água lenta. A profundidade da água não
deve ser maior que a indicada na ilustração.
Se a máquina for operada com o rolamento de giro
submerso em água, então este, o pinhão de giro e a
junta articulada podem se desgastar prematura-
mente.
AVISO: Lave o rolamento de giro e substitua toda a
graxa de lubrificação. Consulte "Lubrificação do Ro- DC04D486 Figura 23
lamento de Giro" na página 7-26. b. Empurrando a alavanca de controle direita
para FRENTE a lança é abaixada.
c. Retornando a alavanca de controle direita
para a posição neutra (no centro) interrompe
a operação da lança.
4-13
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO DO BRAÇO OPERAÇÃO DE GIRO – PEDAL


A operação do Braço é realizada empurrando e A função de giro também pode ser acionada com o
puxando a Alavanca de Controle Esquerda para pedal de controle de giro da lança. Pratique com
frente e para trás. A velocidade do braço é definida este pedal em uma área aberta. Se o pedal não esti-
pela distância de ativação da alavanca. ver em uso, feche a tampa de proteção para evitar o
giro não intencional. Não use este pedal como um
descansa-pé.

DC04D487 Figura 24
a. Empurrando a alavanca de controle esquerda
para FRENTE o braço é estendido.
BC08J113 Figura 26
Use este pedal para operar o movimento de giro da
lança.
Para usar o pedal, levante a tampa de travamento do
pedal (1).
Giro para a direita: empurre para baixo o lado
direito do pedal – a lança fará o giro para a direita.
Giro para a esquerda: empurre para baixo o lado
esquerdo do pedal – a lança fará o giro para a
esquerda.

ADVERTÊNCIA
DC04D488 Figura 25
Sempre trave o pedal se não estiver usando a função
b. Puxando a alavanca de controle esquerda de operação de giro da lança. A falha no cumprimen-
para TRÁS o braço é retraído. to pode resultar em morte ou ferimentos sérios.
c. Retornando a alavanca de controle esquerda M1918
para a posição neutra (no centro) interromper
a operação do braço.

4-14
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO DA CAÇAMBA OPERAÇÃO DE GIRO – ALAVANCA


AVISO: Antes da operação verifique o espaço entre A operação de giro é realizada movendo a Alavanca
a caçamba e a cabine. Cicle lentamente a caçamba, de Controle Esquerda para a direita e para a
verifique a interferência com o braço e a cabine, es- esquerda. A velocidade da giro é determinada pela
pecificamente se um olhal de içamento estiver solda- distância na qual a alavanca é movida.
do na parte inferior da caçamba. Cuidado ao operar a
caçamba próximo à cabine.
ADVERTÊNCIA
A operação da Caçamba é realizada movimentando
a Alavanca de Controle Direita para a direita ou para Certifique-se de que a área esteja livre de obstáculos
a esquerda. e de pessoas antes de iniciar a operação de giro da
máquina. O não cumprimento pode resultar em mor-
te ou ferimentos graves.
M1088

AVISO: Utilize as luzes intermitentes de giro durante


as operações de giro.

DC04D489 Figura 27
a. Movendo a alavanca de controle direita para a
ESQUERDA a caçamba é recolhida (em
escavação).

DC04D491 Figura 29
a. Movendo a alavanca de controle esquerda
para a ESQUERDA, a máquina é girada para
a esquerda.

DC04D490 Figura 28
b. Movendo a alavanca de controle direita para a
DIREITA a caçamba é estendida (em des-
pejo).
c. Retornando a alavanca de controle direita
para a posição neutra (no centro) interrompe DC04D492 Figura 30
a operação da caçamba.
b. Movendo a alavanca de controle esquerda
para a DIREITA , a máquina é girada para a
direita.
c. Retornando a alavanca de controle para a
posição Neutra (no centro) interrompe o giro
da máquina.

4-15
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

PRÁTICAS PARA MELHORAR A EFICIÊNCIA


UTILIZE A AÇÃO DO BRAÇO LIMPEZA DE AREIA E TERRA DA CAÇAMBA

BS07M852-B Figura 31
BS07M854 Figura 33
1. RASO
2. DIREÇÃO DE ESCAVAÇÃO Opere o braço para a posição próxima ao solo e traga
a caçamba para a posição de despejo. Se a areia e a
Opere a caçamba em profundidades rasas e use a terra não cairem, movimente a alavanca da caçamba
ação do braço para encher a mesma. A colocação para a direita e para a esquerda algumas vezes.
da caçamba em grande profundidade irá reduzir a
AVISO: Evite sacudir a terra usando os batentes de
eficiência da máquina. Aponte sempre os dentes da
final de curso do cilindro da caçamba.
caçamba para a direção na qual a máquina estará
escavando para reduzir a resistência da escavação
e a possibilidade de danificar os dentes. CAVANDO VALAS

O acessório fornecerá uma força máxima de escava-


ção quando o braço e a lança estiverem a 90°-110°
um do outro.

OPERE A LANÇA SUAVEMENTE

BS07M855 Figura 34
Para uma escavação eficiente de valas, posicione a
máquina paralela à vala a ser escavada fazendo
movimentos suaves com a caçamba e o braço. Para
uma escavação vala mais ampla, escave ambos os
lados primeiro e depois a parte central.
DC04E075 Figura 32
A operação da lança dever ser sempre Iniciada e termi-
nada com movimentos cuidadosos e suaves da ala-
vanca de controle. Não realize partidas nem paradas
repentinas com a lança pois isto cria uma fadiga desne-
cessária na máquina e seus componentes.

4-16
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

USANDO A LÂMINA ESCAVAÇÃO COM DESLOCAMENTO

BS07M856 Figura 35
Para o trabalho de preenchimento e nivelamento após
a escavação, use a lâmina para empurrar a terra de
volta para dentro da vala ou para nivelar o piso.
Não empurre ou puxe material com a caçamba como
um “bulldozer” quando estiver usando a máquina
para nivelar o material.
1. Raspe a superfície do solo com a lâmina.
2. Use a lâmina para preencher novamente a vala.
BS07M858-B Figura 37
3. Ajuste a altura da lâmina com a alavanca de
controle da lâmina para evitar sobrecarga no 1. BOTÃO DE CONTROLE DE GIRO DA LANÇA
motor.
Para operar a função de giro de lança, pressione o
4. Nunca faça translação com o acessório dianteiro botão na parte superior da alavanca de controle
tocando o solo, pois podem ocorrer sérios danos esquerda. Opere a alavanca de contorle para a
estruturais. esquerda para o giro da lança para a esquerda, ou
para a direita, para o giro da lança para a direita.
CARREGANDO
AVISO: Enquanto a função de controle de giro da
lança estiver acionada a lança continuará a girar
quando o dedo for removido do botão de controle.
Para cancelar a função de giro da lança, retorne a
alavanca de controle esquerda para a posição neutro.

ADVERTÊNCIA
Verifique todos os controles e dispositivos de segu-
rança em uma área segura e aberta, antes de iniciar
o trabalho. A falha no cumprimento pode resultar em
ferimentos ou em morte.
M1088

BS07M857 Figura 36
1. A eficiência da operação pode ser otimizada
posicionando o caminhão basculante de forma
que a distância de giro seja mantida em um
mínimo. Tenha sempre um bom campo de visão.
2. Inicie pela parte dianteira da caçamba do cami-
nhão e trabalhe em direção à traseira.

4-17
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO DA MÁQUINA EM CONDIÇÕES CLIMÁTICAS ADVERSAS


OPERAÇÃO EM CLIMA EXTREMAMENTE FRIO OPERAÇÃO EM CLIMA EXTREMAMENTE
QUENTE
1. Siga os procedimentos no início deste Capítulo
pois a partida do motor pode ser difícil devido às 1. Use um óleo para motor, fluido hidráulico e com-
temperaturas extremamente baixas. bustível projetados para uso em climas quentes.
Consulte "MANUTENÇÃO E AJUSTES" na
2. Use um óleo para motor, fluido hidráulico e óleo página 7-1. Mantenha também as baterias com-
Diesel projetados para uso em climas frios. Con- pletamente carregada.
sulte "MANUTENÇÃO E AJUSTES" na página
7-1. Mantenha também as baterias completa- 2. Limpe freqüentemente o radiador, o arrefecedor
mente carregada. de óleo e a tela retentora de detritos para evitar
danos ou sobreaquecimento da máquina.
3. Lembre-se de realizar os procedimentos de
Aquecimento da Máquina conforme descrito no AVISO: Não deixe que sujeira e detritos se acumu-
inicio deste Capítulo para evitar desgaste prema- lem nas aletas do radiador, do arrefecedor de óleo ou
turo ou danos às bombas, motores e demais na tela retentora de detritos.
componentes. 3. Mantenha as correias corretamente tensionadas.
AVISO: Em climas extremamente frios, cobrir o radi- 4. Certifique-se de que a mistura do líquido de arre-
ador é um método para auxiliar o aquecimento da fecimento do motor seja suficiente para manter a
máquina. Se for necessário manter as temperaturas máquina protegida.
de operação, cubra as bordas externas do radiador,
deixando uma abertura no centro da cobertura evitan- 5. Se a máquina superaquecer, funcione-a em mar-
do assim a sobrecarga do ventilador. Durante a ope- cha lenta para ajudar no arrefecimento do motor,
ração, fique atento ao Conjunto de medidores quanto “DESLIGUE” o motor e verifique o nível de seu
aos ícones de advertência. Talvés seja necessário líquido de arrefecimento. Se após ter comple-
usar um aquecedor para o líquido de arrefecimento, tado ao nível correto a máquina continuar a
um aquecedor de combustível, ou uma cobertura superaquecer, desligue o motor, deixe-o a arre-
aquecedora para o motor, e/ou energia adicional de fecer, drene e lave o sistema de arrefecimento
bateria para auxiliar na partida do motor. inteiro e reabasteça-o com a mistura correta de
líquido novo e limpo.
4. Certifique-se de que a mistura do líquido de arre-
fecimento do motor seja suficiente para manter a
máquina protegida. Considere os fatores de ven- ADVERTÊNCIA
tos frios durante a realização da proporção da
Não drene o sistema de arrefecimento quando o
mistura do líquido de arrefecimento.
motor estiver quente. Espere o tempo suficiente
AVISO: Misture o liquido de arrefecimento para pro- para que todas as peças do motor se esfriem. O não
teção a uma temperatura de 5°C (9°F) inferior àquela cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos
na qual a máquina será operada, armazenada ou graves.
transportada. B121

5. Mantenha os terminais das baterias livre de gelo


e neve. O gelo e a neve podem causar um curto 6. Verifique freqüentemente o nível do eletrólito
circuito entre os terminais das baterias e danificar (ácido) das baterias e complete-o conforme
seriamente o sistema da máquina. Verifique fre- necessário com água destilada.
qüentemente o nível do eletrólito (ácido) das bate- 7. Fique atento ao conjunto de medidores quanto
rias e complete-o conforme necessário com água aos ícones de advertência. Evite o funciona-
destilada. Se a máquina for deixada ao relento mento desnecessário em baixa rotação do motor
durante a noite, recomendamos remover as bate- durante a operação.
rias e armazena-las em uma área aquecida.

4-18
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OPERAÇÃO EM GRANDES ALTITUDES RECOMENDAÇÃO PARA UMA VIDA ÚTIL MAIS


LONGA DA ESTRUTURA INFERIOR
1. Devido à baixa pressão atmosférica em grandes
altitudes, uma redução na potência do motor A vida útil da estrutura inferior varia de acordo com o
será percebida. Lembre-se deste fato quando for método de operação. Utilize a orientação abaixo
submeter a máquina sob carga pesada em para prolongar a vida útil da estrutura inferior da
locais de grandes altitudes. máquina.

2. Fique atento no indicador de temperatura do 1. Selecione as sapatas de esteira que melhor se


motor para impedir o superaquecimento do adaptam à aplicação da máquina. Se tiver
mesmo. dúvida, consulte o revendedor Case quando for
selecionar as sapatas de esteira.
OPERAÇÃO EM ÁREAS ARENOSAS E 2. Evite a derrapagem das esteiras durante a ope-
EMPOEIRADAS ração. Caso isso ocorra, reduza a carga até que
1. Verifique freqüentemente os elementos do filtro a derrapagem seja eliminada.
de ar em condições arenosas ou poeirentas.
3. Evite partidas, aceleração, e mudanças de velo-
2. Quando a luz de aviso de restrição do filtro de ar cidade bruscas, altas velocidades em terrenos
acende-se, substitua imediatamente os filtros irregulares, curvas fechadas e paradas bruscas.
independente dos intervalos de tempo.
4. Sempre que possível, opere a máquina em linha
3. Efetue freqüentemente a manutenção do filtro de reta. Evite raios curtos de curvas. Efetue curvas
combustível, do separador de água, do óleo e fil- com maior raio possível.
tros do motor, e de todos os filtros hidráulicos.
5. Antes de operar, livre-se de pedras grandes e de
4. Mantenha limpos o radiador, o arrefecedor de obstáculos a fim de evitar danos nas sapatas
óleo, o arrefecedor do ar de admissão, e o con- das esteiras.
densador de ar condicionado.
6. Opere sempre a máquina em paralelo à inclina-
ção dos declives. Operando a máquina atraves-
OPERAÇÃO A BEIRA-MAR OU MARESIA
sadamente à inclinação do declive, além de
1. Diariamente lave completamente a máquina encurtar a vida útil da subestrutura da máquina,
para evitar a corrosão das peças usinadas, dos a máquina pode derrapar inesperadamente
componentes elétricos e das hastes dos cilin- declive abaixo, e/ou capotar.
dros.
7. Nunca force a máquina a realizar um trabalho
2. Verifique freqüentemente todas as ferragens de que excede a sua capacidade de operação.
montagem quanto ao aperto corretos. Aperte ao
valor de torque recomendado para evitar a pene- 8. É muito importante que as inspeções e a manu-
tração do sal nos sistemas da máquina. tenção sejam realizadas em conformidade com
as mencionadas na Seção de Manutenção.
OPERAÇÃO EM CLIMA ÚMIDO 9. NUNCA OPERE uma máquina cujas sapatas de
1. Em clima com alto índice de umidade, lave com- esteiras estejam soltas, e mantenha sempre cor-
pletamente a máquina diariamente e aplique reta a tensão das esteiras durante a operação.
uma camada de lubrificante a base de óleo
sobre todas as superfícies descobertas para evi-
tar a corrosão.
2. Opere o A/C com as portas e as janelas da
cabine fechadas.

4-19
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

GUIA PARA SELEÇÃO DE CAÇAMBAS


A seleção da caçamba é extremamente importante
para a produtividade, durabilidade e estabilidade da
máquina.
A escolha de uma caçamba extremamente grande
pode reduzir a produtividade devido ao tempo de
ciclo muito mais baixo de que o normal.
Utilizando uma caçamba maior ou muito larga, em
condições severas, tais como a mineração, resultará
em problemas de durabilidade tanto para a máquina
quanto para a caçamba.
A estabilidade pode ser adversamente afetada pelo
uso de uma caçamba desnecessariamente grande.
Se as caçambas usadas localmente variam em peso
dessas caçambas amostradas, será necessário
ajustar a capacidade da caçamba de acordo. Uma
caçamba mais pesada deve corresponder a uma
capacidade reduzida.
Se a densidade do material (peso) exceder as espe-
cificações das diretrizes, então a capacidade da
caçamba deve ser reduzida.
Se a máquina for operar continuamente para esca-
vação de rocha, restos de xistos, pedregulho de rio,
ou outras aplicações severas, a caçamba mais
estreita deve ser utilizada. Isto permite a maior pene-
tração possível e menor torção do acessório (lança e
haste). A capacidade da caçamba NÃO DEVE ser a
consideração principal para as aplicações severas.
Se a máquina for utilizada exclusivamente para car-
regar caminhões em raio fechado, então as cargas
da caçamba pode ser ajustadas até 5% a 7% dos
valores relacionados na Tabela de Levantamento
indicada na Seção das Especificações, devido ao
pequeno raio de despejo.
Se a máquina for utilizada exclusivamente em opera-
ção de empilhar entulho, o que provoca um ciclo de
despejo de maior raio, as cargas aplicáveis devem
ser reduzidas em 5% dos valores relacionados na
Tabela de Levantamento na Seção das Especifica-
ções, caso contrário haverá problemas de estabili-
dade.

4-20
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

TRANSPORTE DA MÁQUINA
TRANSPORTE TERRESTRE
PREPARAÇÃO DA MÁQUINA
a. Saiba o peso total, comprimento, largura e altura da máquina que será transportada.
b. Saiba o trajeto a ser percorrido. Familiarize-se com as pontes, ultrapassagens, altura das sinalizações de
estrada do trajeto.
c. Obtenha as autorizações necessárias das entidades governamentais para o transporte da máquina.
d. Utilize somente um reboque com capacidade suficiente para transportar a máquina.
e. Certifique-se de que o reboque tenha rampas ou que uma rampa esteja disponível para carregar e descarregar
a máquina.

Máquina equipada com capota

Máquina equipada com cabine

BS08A059 / BS08A060 Figura 38

4-21
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

CARREGANDO A MÁQUINA
j. Não deixe os cilindros da caçamba e do braço
ADVERTÊNCIA completamente estendidos durante o trans-
porte, pois isso poderá danificá-los.
Nunca tente carregar ou descarregar a máquina
sem rampas. Nunca tente carregar ou descarregar a
máquina sem rampas. O não cumprimento pode
resultar em morte ou ferimentos graves.
B121

a. Acione o freio de estacionamento do trator e do


reboque, e calce as rodas do reboque antes de 1
tentar carregar ou descarregar a máquina.
b. Abaixe as rampas do reboque.
c. Dê partida no motor da máquina.
d. Ajuste a velocidade de translação para 1ª
marcha – LOW (Baixa).
e. Mova o controle de aceleração para a posição DC04C344 Figura 39
de marcha lenta. 1. ALAVANCA DE CANCELAMENTO DA FUNÇÃO
f. Levante o acessório e lentamente leve a
máquina para as rampas e sobre os eixos tra- k. Coloque a alavanca de cancelamento da fun-
seiros do reboque. ção hidráulica na posição “LOCKED” (up [Tra-
vada (para cima]).
g. Mova lentamente a máquina totalmente sobre
o reboque até a posição correta de transporte. l. DESLIGUE o motor da máquina, remova a
chave de ignição e trave todas as portas, tam-
h. Gire lentamente a máquina 180° até que o
pas de abastecimento e os painéis de acesso.
acessório esteja virado em direção à parte tra-
seira do reboque. NOTA: Coloque uma cobertura sobre o tubo de
i. Abaixe lentamente a lança até apoiar o aces- escapamento da máquina e prende-a para impedir a
sório na plataforma do reboque. penetração de água no motor.

4-22
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

FIXANDO A MÁQUINA AO REBOQUE

BS07N631 Figura 40
Após a máquina ser carregada e presa ao reboque,
certifique-se de prender os cabos/tiras com força
suficiente para segurar a máquina. Assegure-se de
que sejam cumpridas as regulamentações de altura 2
e peso.

DC04D581-B Figura 41

1. FIXE A DIANTEIRA E A TRASEIRA


2. FIXE O IMPLEMENTO

a. Utilize cabos de aço com capacidade sufici-


ente para prender as partes dianteira e tra-
seira da máquina ao reboque. Calce as
esteiras, utilize os suportes dianteiros e trasei-
ros da estrutura inferior para prender a
máquina ao reboque. Também, não esqueça
de prender as partes dianteira e traseira de
cada esteira.
b. Prenda firmemente todas as peças soltas,
bem como as peças removidas da máquina
ao reboque ou à plataforma de transporte.

4-23
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

LEVANTANDO A MÁQUINA
CAPOTA
Esteira de borracha 3.610 kg (7,960 lbs)
AVISO: Mantenha todo pessoal não autoriza- Esteira de ferro 3.730 kg (8,220 lbs)
do fora da área. Não içe a máquina sobre
pessoas ou equipamentos. A falha no cum- CABO
CABO
primento pode resultar em danos à máquina, ø 14 x 2000 mm ø 14 x 4200 mm
ferimentos ou morte. (ø 0.6’’ x 6’7’’) (x 1 Qtde) (ø 0.6’’ x 13’9’’)
(x 2 Qtde)
Os procedimentos a seguir são para levantar a
máquina. Este procedimento não leva em considera-
ção as modificações efetuadas à máquina que afe-
tam o peso ou o centro de gravidade da mesma.
LEVANTAMENTO DA MÁQUINA COM O
ACESSÓRIO INSTALADO

a. Instale olhais de içamento/algemas nos orifí-


cios localizados nas extremidades da lâmina.
Localize os pontos de levantamento.
b. Prenda os cabos ou cordas de aço com capa-
cidade suficiente para levantar a máquina,
nos pontos de levantamento.

BS08K220-B Figura 43

CABINE
Esteira de borracha 3.750 kg (8,270 lbs)
Esteira de ferro 3.870 kg (8,530 lbs)

CABO
CABO ø 14 x 4200 mm
ø 14 x 2100 mm (ø 0.6’’ x 13’9’’)
(ø 0.6’’ x 6’11’’) (x 1 Qtde) (x 2 Qtde)

DC04D582 Figura 42

1. BLOCO DE MADEIRA DE LEI OU DE AÇO

NOTA: Coloque um bloco de madeira de lei ou de


aço entre os cabos e a estrutura da escavadeira
para evitar danos às esteiras, causados pelos cabos
durante o içamento.
c. Suspenda lentamente o aparato de içamento
para verificar o contato com a máquina, a
segurança e o equilíbrio. Não faça o içamento
da máquina sobre quaisquer pessoas.
d. Suspenda a máquina cuidadosamente, man-
BS08K221-B Figura 44
tendo a oscilação em um mínimo. Posicione a
máquina no local desejado.

ADVERTÊNCIA
Esta máquina é pesada. Use um dispositivo adequado de içamento e/ou suporte ao suspender, movimentar e
apoiar a máquina/componente. Não suspenda a máquina/componente mais alto que o necessário. Assegure-se
de que todas as pessoas e animais estejam a uma distância segura da máquina/componente durante sua eleva-
ção ou movimentação. A falha no cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos graves.
CM113A

4-24
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

ARMAZENAGEM DA MÁQUINA

BS07M870 Figura 45
MÁQUINA EM POSIÇÃO DE ARMAZENAGEM

PREPARAÇÃO DA MÁQUINA
Realize o procedimento abaixo a fim de preparar a ADVERTÊNCIA
máquina para armazenagem prolongada: Não tente operar ou executar serviços nesta máqui-
1. Realize todas as inspeções e os procedimentos na, antes de ler as mensagens e instruções de segu-
de manutenção conforme descrito na Seção de rança que aparecem neste manual. A falha no
Manutenção. Certifique-se de que os fluidos cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos
estejam nos níveis corretos. graves.
M1087
2. Limpe totalmente a máquina, inspecione quanto
a peças e componentes danificados ou desgas- CUIDADOS DURANTE A ARMAZENAGEM
tados e substitua ou repare todas as peças e
A cada 30 dias durante a armazenagem, haverá
componentes danificados ou desgastados.
necessidade de dar partida no motor da máquina e
NOTA: Proteja a CPU e todos os componentes funciona-lo a fim de circular os fluidos através dos
elétricos da água e vapor durante a limpeza da sistemas. Antes de dar a partida, limpe as hastes
máquina. dos cilindros e após o funcionamento lubrifica-las
novamente com graxa.
3. Encha completamente o reservatório de com- NOTA: Funcione e opere a máquina por aproximada-
bustível com combustível novo e limpo a fim de mente 1 hora a fim de permitir que todos os fluidos cir-
ajudar na prevenção contra a condensação de culem bem e atinjam as temperaturas normais de
umidade no reservatório. Não esqueça de utili- operação.
zar um aditivo anti-algas no reservatório de com-
bustível. REMOVENDO A MÁQUINA DA ARMAZENAGEM
4. Coloque a máquina em local fechado para arma- 1. Realize todas as inspeções e os procedimentos
zenagem. de manutenção conforme descrito na Seção de
5. Estacione a máquina com as esteiras sobre uma Manutenção antes de retirar a máquina da arma-
tora de madeira, se possível com as hastes dos zenagem para operação normal.
pistões dos cilindors expostos retraídas o 2. Remova os bujões de drenagem dos motores de
máximo possível. translação e do redutor de giro para escoar qual-
6. Repouse a caçamba sobre um bloco de madeira quer umidade que tenha se acumulado durante
estável. a armazenagem.
7. Cubra as hastes dos cilindros com uma forte 3. Cuidadosa e rigorosamente, inspecione todas as
camada de graxa para evitar a corrosão durante mangueiras hidráulicas após longos períodos de
a armazenagem. armazenagem quanto a sinais de deterioração.
Substitua todas as mangueiras que apresentam
8. Remova as baterias e armazene-as em local
estes sinais.
bem ventilado e quente.
NOTA: Complete os fluidos ao nível recomendado e
lubrifique os componentes da máquina conforme a
necessidade.

4-25
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

EQUIPAMENTO OPCIONAL
UTILIZAÇÃO DE ACESSÓRIOS OPCIONAIS
Se a máquina for equipada com acessórios opcionais tais como uma caçamba com acoplador de engate rápido,
e/ou garras (tanto mecânicas ou hidráulicas), os tamanhos aplicáveis de caçamba e cargas suspensas devem ser
reduzidos em proporção direta com o peso ou peso combinado desses acessórios. A não consideração do peso
adicional desses acessórios resultará em problemas de estabilidade. Além disso, os pesos desses acessórios
deve ser considerado ao consultar a Tabela de Levantamento, antes de levantar uma carga. Consulte "Capacida-
des de Elevação" na página 9-10.
NOTA: O operador deve considerar o peso qualquer dispositivo utilizado para levantamento calcular corretamente
a capacidade total de levantamento da máquina.

MARTELETE HIDRÁULICO
1. Seleção do Martelete Hidráulico 3. Verificação do Nível de Fluido Hidráulico e
Prevenção Contra Contaminação
Ao instalar um Martelete na Escavadeira Hidráulica,
será necessário compatibilizar a estabilidade, a pres- Quando o martelete hidráulico não estiver instalado
são hidráulica e o fluxo de fluido para cada Marte- na máquina, instale bujões sem roscas no tubo na
lete. Para selecionar os Marteletees Hidráulicos, extremidade do Braço-Caçamba e na extremidade da
entre em contato com o Revendedor ou a fonte ven- mangueira no lado do martelete hidráulico a fim de
dedora. impedir a penetração de poeira e água na tubulação.
2. Antes de Operar um Martelete Hidráulico Antes de iniciar a operação, verifique os parafusos
Consulte o revendedor quanto à tubulação necessá- nas braçadeiras de fixação do tubo quanto ao afrou-
ria para a Lança e o Braço quando for instalar um xamento, e as conexões dos tubos e mangueiras
martelete hidráulico. Substitua o filtro de retorno quanto a vazamento de fluido.
hidráulico de acordo com a tabela de programação 4. Operação Básica
para substituições relacionada em MANUTENÇÃO
PARA CORTADOR/MARTELETE na Seção de
MANUTENÇÃO E AJUSTAGENS Leia totalmente o
ADVERTÊNCIA
Manual de Operação do Martelete Hidráulico e as Leia, entenda e siga todas as precauções de segu-
PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA nesta Seção, rança e os procedimentos de operação encontrados
bem como a Seção de Precauções de Segurança neste manual antes de operar a máquina ou qual-
desse Manual a fim de evitar danos à máquina ou ao quer acessório. O não cumprimento pode resultar
martelete hidráulico durante a operação. Selecione o em morte ou ferimentos graves.
fluxo hidráu lico apropriado para o martelete M1087
seguindo as instruções detalhadas em OPERAÇÃO
BÁSICA DA MÁQUINA PARA CORTADOR/MARTE-
LETE nessa seção.

BS06H080 Figura 46

1. ALAVANCA DE CANCELAMENTO DA FUNÇÃO

Dê a partida no motor da máquina e coloque a ala-


vanca de cancelamento da função hidráulica na
posição “UNLOCKED” (Destravada (down [abaixo]).

4-26
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

MARTELETE CORTADOR

BC08J116-B Figura 47 BC08J116-B Figura 48

1. INTERRUPTOR DE OPERAÇÃO DO MARTELETE (BOTÃO) 1. INTERRUPTOR DE OPERAÇÃO DO MARTELETE (BOTÃO)


2. INTERRUPTOR OPCIONAL (CORTADOR E MARTELETE) 2. INTERRUPTOR OPCIONAL (CORTADOR E MARTELETE)

Os interruptores estão localizados na manopla da Os interruptores estão localizados na manopla da


alavanca de controle direita. Verifique a função dos alavanca de controle direita. Verifique a função dos
interruptores da alavanca de contorle direita antes botões da alavanca direita de controle antes de ope-
de operar a máquina. rar a máquina.
a. Movimente o controle de aceleração para a a. Movimente o controle de aceleração para a
posição “HI” (rotação máxima sem carga). posição “HI” (rotação máxima sem carga).
b. Use os controles da lança, do braço e da b. Use os controles da lança, do braço e da
caçamba para colocar o cortador ou o marte- caçamba para colocar o cortador na posição
lete na posição desejada. desejada.
c. Libere a haste de travamento do pedal de c. Libere a haste de travamento do pedal de
controle. controle.
d. Assegure-se que o martelete esteja na posi- d. Assegure-se que o cortador esteja na posição
ção desejada e contra o material a ser que- desejada e contra o material.
brado. e. Para operar o cortador, deslize o interruptor
e. Para operar o martelete, pressione o interrup- (2) para a esquerda ou para a direita.
tor (1).
Seção do botão Operação
f. Libere a operação de parada.
Deslizado para a esquerda O cortador fecha
g. Opere o martelete em intervalos de 30 segun-
dos. Deslizado para a direita O cortador abre

AVISO: O martelete pode ser operado deslizando o AVISO: Não toque o interruptor (botão) de operação
interruptor opcional (2) para a esquerda. Ao operar o do martelete quando estiver operandor o cortador.
martelete, é recomendado que o botão do interruptor
do martelete (1) seja usado o máximo possível.

Seção do botão Operação


OFF O martelete para de operar
Pressione o Botão B O martelete inicia a operação

4-27
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

CONTROLE MANUAL OPCIONAL


ADVERTÊNCIA
Não tente operar ou fazer manutenção nesta
máquina, a menos que primeiro leia e entenda per-
feitamente as mensagens e instruções de segu-
rança deste manual. A falha no cumprimento pode
resultar em morte ou ferimentos graves.
M1087

AVISO: A operação do Martelete ou do Cortador em


intervalos maiores que 1 (um) minuto pode causar
desgaste prematuro ou danos ao acessório e à má-
quina. Se o material não estiver quebrando, reposici-
one o martelet ou o cortador e repita a operação em
intervalos de 1 (um) minuto.

REDUZA OS INTERVALOS DE SERVIÇO


A contaminação e a deterioração do fluído hidráulico
podem causar problemas de funcionamento com as
válvulas de controle, desgaste prematuro e possível
quebra da bomba hidráulica. A operação de martele-
tes e/ou cortadores acelera a deterioração do fluído
BS08J521-B Figura 49 hidráulico em comparação a operações normais de
1. INTERRUPTOR DESLIZANTE (GIRA O ACESSÓRIO)
movimentação de terra com uma caçamba. Substi-
2. BUZINA tua filtros e fluído hidráulico com maior frequência.

Os interruptores estão localizados na manopla da


alavanca de controle esquerda como um recurso
opcional. Verifique a função dos botões da alavanca
de controle esquerda antes de operar a máquina.
a. Movimente o controle de aceleração para a
posição “HI” (rotação máxima sem carga).
b. Use os controles da lança, do braço e da
caçamba para ajustar o martelete ou o corta-
dor para a posição desejada.
c. Use os controles da lança, do braço e da
caçamba para posicionar o acessório.
d. O interruptor deslizante (1) irá girar o acessó-
rio para a direita ou para a esquerda.
• Deslizar para a esquerda – o acessório gira
para a esquerda
• Deslizar para a direita – o acessório gira
para a direita
AVISO: A vazão hidráulica aumentará conforme a
distância de deslizamento do interruptor (1).

ADVERTÊNCIA
Para ajudar a prevenir ferimentos durante a opeação
e manutenção, use sapatos de segurança, um capa-
cete, óculos e roupas de segurança. A falha no cum-
primento pode resultar em morte ou ferimentos
graves.
M110B

4-28
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

AJUSTE DA VÁLVULA SELETORA DA MÁQUINA

3 2
1

4
1
2
BS07M864 Figura 52
a. Use uma chave Allen 24mm para soltar o para-
BS07N621 Figura 50 fuso (3).
1. VÁLVULA SELETORA b. Use a chave (4) para girar a válvula seletora (1)
2. TAMPA para a posição desejada.
Máquinas equipadas com um acessório cortador ou c. Com a válvula na posição, aperte o parafuso (3).
martele devem ter a válvula seletora (1) ajustada na
posição correta para a operação do martelete ou cor- 2
tador.

AVISO: Assegure-se de aliviar o sistema hidráulico


e a pressão do tanque, como instruído em "Liberan-
do a Pressão do Sistema Hidráulico" na página 7-6.
Abaixe o acessório até o solo e desligue o motor. 1 2
Ajuste a alavanca de cancelamento de função na
posição travada.

Posições da válvula de controle

2 2

1 BS07M865 Figura 53
1 3 3
1. BRAÇO ESCAVADOR
2. BUJÃO

POSIÇÕES DA VÁLVULA DE FLUÍDO HIDRÁULICO


B. Usar Martelete N. Usar Cortador
A. FECHADA
UPM00700003ES1-B Figura 51 B. ABERTA

1. VÁLVULA DE CONTROLE
VÁLVULA DE FECHAMENTO DO FLUÍDO
2. RESERVATÓRIO
HIDRÁULICO DO ACESSÓRIO
3. ACESSÓRIO
AVISO: Assegure-se de trocar a posição das válvu-
las de parada para a posição CLOSED (fechada) an-
tes de remover o acessório.
A válvula é usada para interromper o fluxo de fluído
hidráulico na troca de acessórios. Use uma chave
sextavada de 19mm para abrir e fechar válvulas.

4-29
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

OBTENDO O MELHOR DE SEU MARTELETE

ADVERTÊNCIA
Leia, entenda e siga todas as precauções de segurança e os procedimentos de operação encontrados neste
manual antes de operar a máquina ou qualquer acessório. O não cumprimento pode resultar em morte ou feri-
mentos graves.
M1087

A. POSICIONAMENTO CORRETO DO C. QUEBRA DE ROCHAS GRANDES


MARTELETE

NÃO

DC03M065 Figura 54
Posicione sempre o Martelete perpendicularmente
ao material que pretende quebrar. O Martelete pode
ser vertical, horizontal ou em qualquer lugar no meio,
SIM
desde que a ferramenta esteja em perpendicular à
superfície e a pressão aplicada esteja na mesma DC03M066-B Figura 55
direção da ferramenta.
Não tente quebrar rochas de grande tamanho pelo
B. PRESSÃO APLICADA NO MARTELETE seu centro. É muito mais eficiente quebrar este tipo
de rochas pelas bordas. Também, não quebre em
O Martelete deve ter uma pressão suficiente entre a pedaços menores de que o necessário. Há uma rela-
ferramenta e a superfície do material a ser quebrado ção direta entre o tamanho das rochas e o tamanho
para permitir que a onda de choque flua através da do martelete. É ineficiente quebrar rochas de tama-
ferramenta e para o material que está sendo que- nho maior com marteletees pequenos e vice-versa.
brado. A pressão aplicada deve ser continuamente
ajustada combinando as funções da lança, braço e
caçamba de modo que o martelete siga sempre a
ferramenta durante a sua operação.
Quando a lança da escavadeira é abaixada, normal-
mente segue uma trajetória curva, a qual altera a
posição perpendicular original do martelete, portanto,
é muito importante continuar ajustando os controles
do operador a fim de manter perpendicularidade
constante entre o martelete e a superfície do material
que está sendo quebrado. Além disso, a pressão apli-
cada deve ser suficiente para impedir que o martelete
balance sobre a rocha ao invés de transmitir a ruptura
do ar por compressão na mesma. A pressão aplicada
não deve levantar muito a máquina do solo, pois a
escavadeira pode cair repentinamente, assim que o
martelete quebra o material e cargas de impacto pre-
judiciais podem ser transmitidas por toda a máquina.
4-30
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

D. DEMOLIÇÃO DE ROCHA SUPERFICIAL F. REGRAS A SEREM LEMBRADAS


Use as regras a seguir para uma operação correta
do martelete:
1. Certifique-se Lembre-se de ajustar o fluxo hidrá-
ulico correto de acordo com as especificações
do martelete.
2. Coloque a ferramenta contra o material a ser
quebrado em ângulo de 90° com a superfície de
trabalho.
3. Use os controles da lança, braço e caçamba
para pressionar firmemente contra a superfície,
mantendo a perpendicularidade durante a opera-
ção do martelete.
DC03M067 Figura 56 4. Conforme o material quebra, pare o martelete
Utilize o martelete apenas como se fosse um marte- rapidamente para evitar pancadas inúteis.
lete manual, ou um martelo e talhadeira. Ajuste a 5. Substitua o martelete se o material não quebrar
posição do martelete de acordo com o trabalho a ser após 15 segundos de operação.
realizado e quebre pequenos pedaços por vez. A 6. Não dobre nem faça alavanca com o martelete
única diferencia entre um martelete manual e o mar- durante a operação.
telete hidráulico de escavadeira é o tamanho das
rochas que podem ser quebradas. Não tente quebrar 7. NÃO OPERE o martelete com os cilindros do
muito de uma só vez. acessório totalmente estendidos.
8. NÃO OPERE o martelete se estiver submerso
E. ESCAVAÇÃO E ABERTURA DE VALAS em água.
9. NÃO OPERE o martelete por mais de um minuto
por vez.
10. Lubrifique o martelete a cada 30 minutos . Man-
tenha a ferramenta sempre lubrificada.

SIM

NÃO

DC03M068-B Figura 57
Incline as paredes laterais um pouco por vez de
modo que essas não interferem com a carcaça do
martelete. Para diminuir o risco de queda lateral,
aproxime-se de cada parede pelo lado oposto posici-
onando a escavadeira perpendicular à vala.

4-31
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA
As precauções de segurança abaixo devem ser aplicada junto com todas as demais precauções incluídas nesse
manual.

ADVERTÊNCIA
Leia, entenda e siga todas as precauções de segurança e os procedimentos de operação encontrados neste
manual antes de operar a máquina ou qualquer acessório. O não cumprimento pode resultar em morte ou feri-
mentos graves.
M1087

A. USE APENAS PARA A FINALIDADE C. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO


PRETENDIDA

DC04E062-B Figura 59
DC04E061 Figura 58
1. INSTALE A PROTEÇÃO E FECHE OS VIDROS
Use o acessório apenas para a finalidade preten-
dida. Se não utilizado de acordo com as instruções Quando operar acessórios que espalham detritos no
do fabricante, a pressão excessiva empregada sobre ar, recomenda-se veemente de procurar e instalar pro-
a lança, o braço e a estrutura da máquina causará tetores na máquina e fechar as janelas a fim de prote-
defeitos prematuros aos componentes. ger o operador deste detritos. O operador e todo o
pessoal nos arredores da máquina deve utilizar equipa-
B. PASSAGEIROS mento de proteção tal como botas de segurança, capa-
Nunca permita passageiros no acessório nem na cete, luva e protetor de face ou óculos de segurança.
máquina.
D. CILINDROS

DC04E063 Figura 60
NÃO OPERE os cilindros da lança, do braço ou da
caçamba até o final de seus cursos quando estiver
utilizando um acessório martelete. Isto pode causar
uma fatiga desnecessária nas hastes dos cilindros e
resultar em danos.

4-32
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

E. EVITE OPERAÇÕES CONTÍNUAS G. NÃO UTILIZE A FORÇA DE QUEDA

DC04E066 Figura 63
DC04E064-B Figura 61
Nunca utilize a força de queda do acessório para
1. OPERAR NO MÁXIMO POR 1 MINUTO quebrar ou conduzir objetos. Isso causará grandes
danos ao acessório e estrutura da máquina.
Opere o Cortador / Martelete em intervalos de 1
minuto. A operação por períodos acima de um 1 H. NÃO UTILIZE A FORÇA DE GIRO
minuto por vez pode causar aumento considerável
na temperatura do fluido e consequentemente danifi-
car os acumuladores, vedadores dos cilindros e pos-
sível dano às bombas.

F. SOBREPRESSÃO NAS MANGUEIRAS

DC04E067 Figura 64
Nunca utilize a força de giro da máquina para empur-
rar ou deslizar objetos. Isso causará falha prematura
do acessório e dos demais componentes da máquina.

DC04E065 Figura 62
Caso as mangueiras hidráulicas apresentem sobre-
pressão ou comecem a vibrar anormalmente,
durante a operação de um Martelete ou Cortador,
interrompa a operação imediatamente e procure
assistência de um revendedor autorizado. Frequen-
temente, o problema é o resultado de acumuladores
danificados e que pode também resultar em falha da
válvula.

4-33
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

I. NÃO LEVANTE J. ALCANCES DE TRABALHO

2 2

1
DC04E068 Figura 65 DC04E069-B Figura 66
Nunca utilize o acessório opcional para levantar ou 1. REGIÃO NÃO ACEITÁVEL PARA TRABALHO
transportar objetos ou materiais. Fazendo isso pode 2. REGIÃO ACEITÁVEL PARA TRABALHO
causar grandes danos ao acessório, à estrutura da
máquina, lesões ou morte por deslizamento ou Nunca opere um acessório opcional nas laterais da
queda da carga devido ao acessório inadequado. máquina. Opere sempre pela parte dianteira ou tra-
seira das esteiras.

4-34
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

LÂMINA DE ÂNGULO
UTILIZAÇÃO DO INTERRUPTOR DE ÂNGULO

Angulação para Angulação para


a esquerda a direita

BC08J118 Figura 68
Ao colocar o interruptor de angulação (2) na posição
ON a operação de angulação para a direita (RH) ou
para a esquerda (LH) estará disponível. Segure o
interruptor na posição para ajustar a posição angular
desejada da lâmina.

INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO DA LÂMINA


Diariamente, ou a cada turno de oito horas:
• Aperte todos os parafusos da lâmina.
BC08J117 Figura 67 • Verifique a mangueira hidráulica, a válvula de con-
O recurso de angulação da lâmina permite a movi- trole e o cilindro quanto a vazamento de fluido.
mentação para cima e para baixo, bem como a • Verifique a borda cortante da lâmina quanto a des-
angulação da lâmina dozer para a direita e para a gaste ou danos.
esquerda.
Verifique a estrutura de angulação e inclinação
A alavanca de controle da lâmina está localizada no quanto a desgaste ou danos.
console direito. Mover a alavanca (1) permite movi-
mentar a lâmina para cima ou para baixo. O interrup-
tor (2) na manopla da alavanca ativa e desativa o
recurso de angulação. Ao ligar o controle de angula-
ção, a lâmina pode ser angulada para a esquerda ou
para a direita.

Posição da alavanca
Velocidade variável para
Para frente
abaixamento da lâmina
Velocidade variável para
Para trás elevação da lâmina
Pressionando o botão
Angulação do lado direito
e alavanca para a
da lâmina
direita
Pressionando o botão
Angulação do lado esquerdo
e alavanca para a
da lâmina
esquerda
Centralizada Mantém a posição

4-35
CAPÍTULO 4 – INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

NOTAS

4-36
CAPÍTULO 5
LUBRIFICAÇÃO, FILTROS, E FLUIDOS
CONTEÚDO

FLUIDOS E FILTROS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3


Fluidos / Lubrificantes Necessários e Capacidades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-3
filtros necessários . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-5
ESPECIFICAÇÕES DOS LUBRIFICANTES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-6
UTILIZE ÓLEOS BIODEGRADÁVEIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
Líquido de Arrefecimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
Anti-Congelamento / Anti-Corrosão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
Fluido Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
Óleo dos Componentes da Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
Graxa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
Óleo do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
Uso de Óleos Biodegradáveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-7
Meio Ambiente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-8
Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-8
Armazenagem de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-8
Combustível Biodiesel . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-8
Armazenamento de Biodiesel . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-9

5-1
CAPÍTULO 5 – LUBRIFICAÇÃO, FILTROS E FLUIDOS

NOTAS

5-2
CAPÍTULO 5 – LUBRIFICAÇÃO, FILTROS E FLUIDOS

FLUIDOS E FILTROS
FLUIDOS / LUBRIFICANTES NECESSÁRIOS E CAPACIDADES

MOTOR
Tipo de Óleo .................. Akcela N° 1 Engine Oil SAE 15W40 API CI-4 (1030190), ver Observação na página 5-4
Capacidade
Óleo do motor e troca de filtro ................................................................................................... 6,7 litros (1.8 gal)
NOTA: Consulte "Substituição do Óleo do Motor (Inicial)" na página 7-17 quanto ao abastecimento de óleo correto
e/ou verificação do nível de óleo do motor.

SISTEMA HIDRÁULICO
Tipo de Fluido ................................................................................. Akcela Hydraulic Excavator Fluid 46 (1050128)
Capacidade
Reservatório Hidráulico ............................................................................................................ 38 litros (10.0 gal)
Sistema Hidráulico ................................................................................................................... 48 litros (12.7 gal)
NOTA: Consulte "Nível de Fluido Hidráulico" na página 7-14 quanto ao abastecimento correto e/ou verificação do
nível de fluido.

REDUTOR DO MOTOR DE TRANSLAÇÃO


Tipo de Óleo .................................................................................. Akcela Gear 135 H EP SAE 80W-90 (1050135)
Capacidade ........................................................................................................................ 0.7 litros (0.18 gal) cada
NOTA: Consulte "Substituição do Óleo do Redutor de Translação" na página 7-32 quanto ao abastecimento cor-
reto e/ou verificação do nível de óleo.

ROLETES SUPERIORES DAS ESTEIRAS


Tipo de Óleo .................................................................................. Akcela Gear 135 H EP SAE 80W-90 (1050135),
Capacidade ............................................................................................................................. 45 ml (2.7 pol3) cada

ROLETES INFERIORES DAS ESTEIRAS


Tipo de Óleo .................. Akcela N° 1 Engine Oil SAE 15W40 API CI-4 (1030190), ver Observação na página 5-4
Capacidade ............................................................................................................................. 35 ml (2.1 pol3) cada

RODAS TENSORAS DAS ESTEIRAS


Tipo de Óleo .................................................................................. Akcela Gear 135 H EP SAE 80W-90 (1050135)
Capacidade ............................................................................................................................. 79 ml (4.8 pol3) cada

JUNTA DA ALAVANCA DE OPERAÇÃO


Tipo de Lubrificante .......................................................................Akcela Multi-Purpose Grease 251 EP (1070172)
Capacidade ................................................................................................... Conforme necessário para cada junta

PINOS DO ACESSÓRIO SUPERIOR


Tipo de Lubrificante ...................................................................... Akcela Multi-Purpose Grease 251 EP (1070172)
Capacidade .................................................................................................... Conforme necessário para cada pino
NOTA: Consulte "Pontos de Lubrificação da Lança, Braço e Acessório" na página 7-27 quanto a lubrificação cor-
reta.

ROLAMENTO DE GIRO
Tipo de Lubrificante ...................................................................... Akcela Multi-Purpose Grease 251 EP (1070172)
Capacidade ......................................................................................... Conforme necessário (1 lugar - giro 90° x 4)
NOTA: Consulte "Lubrificação do Rolamento de Giro" na página 7-26 quanto a lubrificação correta.

5-3
CAPÍTULO 5 – LUBRIFICAÇÃO, FILTROS E FLUIDOS

AJUSTE DE TENSÃO DA ESTEIRA


Tipo de Lubrificante ...................................................................... Akcela Multi-Purpose Grease 251 EP (1070172)
Capacidade ............................................................................................................ Conforme necessário (2 lugares)
NOTA: Consulte "Ajuste para Tensão Menor da Esteira" na página 7-20 quanto aos procedimentos corretos de
injeção de graxa.

RADIADOR
Líquido de arrefecimento ............................................... 50% Água + 50% Akcela Premium Anti-Freeze (1070172)
Para o Brasil recomenda-se abastecer a capacidade total do sistema de arrefecimento com 50% Água + 50%
Akcela Premium Anti-Freeze (1070172) o ano todo. Alterar a concentração se necessário conforme tabela abaixo.

MISTURA DO LIQUIDO DE ARREFECIMENTO DO MOTOR


Temperatura Mínima Prevista Líquido de Arrefecimento Longa Vida
-14.5°C (5.9°F) mistura 30%
-34°C (-29.2°F) mistura 50%
Capacidade
Radiador .................................................................................................................................. 1,6 litros (0.42 gal)
Sistema de Arrefecimento ....................................................................................................... 4,6 litros (1.22 gal)
NOTA: Consulte "Substituição do Líquido de Arrefecimento do Motor" na página 7-33 quanto ao abastecimento
correto de liquido de arrefecimento e/ou a verificação do nível do liquido de arrefecimento.

RESERVATÓRIO DE COMBUSTÍVEL
Tipo de combustível .............................................................................................................. Diesel Fuel grade Nº 2
Capacidade do Reservatório ........................................................................................................... 38 litros (10 gal)
NOTA: Consulte "Nível de Combustível" na página 7-13 quanto ao abastecimento correto e/ou verificação do nível
de combustível.

OBSERVAÇÃO: Se a máquina for nova e ainda não tiver sido feita a primeira troca de óleo, e for necessário com-
pletar os níveis de óleo por motivo de vazamento ou manutenção, deve-se drenar todo o sistema e abastecer
somente com os novos óleos especificados neste manual.

5-4
CAPÍTULO 5 – LUBRIFICAÇÃO, FILTROS E FLUIDOS

FILTROS NECESSÁRIOS
NOTA: Consulte o Catálogo de Peças quanto aos números de peça corretos para o pedido.

HIDRÁULICO
• Elemento do Filtro de Retorno para máquina padrão
• Elemento do Filtro de Retorno para Martelete e Cortador / Martelete
• Tela de Sucção do Reservatório
• Elemento Filtrante do Respiro do Reservatório
• Filtro de LInha Piloto

MOTOR
• Filtro de Óleo do Motor
• Elemento Interno do Filtro de Ar
• Elemento Externo do Filtro de Ar

COMBUSTÍVEL
• Filtro de Combustível do Motor

CABINE DO OPERADOR
• Filtro do Ar Fresco do Ar Condicionado
• Filtro do Ar de Recirculação do Ar Condicionado
NOTA: Consulte "MANUTENÇÃO E AJUSTES" na página 7-1 quanto às localizações e procedimentos adequa-
dos para substituição de filtros.

5-5
CAPÍTULO 5 – LUBRIFICAÇÃO, FILTROS E FLUIDOS

ESPECIFICAÇÕES DOS LUBRIFICANTES


As especificações abaixo foram projetadas para a utilização dos óleos, graxas, combustíveis, fluidos e líquidos de
arrefecimento corretos em diversos climas e certas condições.

LUBRIFICANTE ZONA CLIMÁTICA


FRIO FRIO FRIO-AQUECIDO AQUECIDO MUITO QUENTE
FLUIDO HIDRÁULICO -30ºC~15ºC -20°C~30°C -25°C~40°C -5°C~40°C 5°C~55°C
(ANTI-DESGASTE, ANTIOXIDANTE, (-22ºF~59ºF) (-4°F~86°F) (-13°F~104°F) (23°F~104°F) (41°F~131°F)
E ANTI-ESPUMANTE)
ISOVG22 ISOVG32 ISOVG32S ISOVG46* ISOVG68

LUBRIFICANTE ZONA CLIMÁTICA


FRIO AQUECIDO MUITO QUENTE
ÓLEO DO MOTOR -30°C~30°C -5°C~40°C 30°C e Acima
(A.P.I. CLASSIFICAÇÃO (-22°F~86°F) (23°F~104°F) (86°F e Acima)
PARA SERVIÇO CI-4)
SAE10W30 SAE15W40* SAE15W50

NOTA: * Todos os motores são despachados da fábrica com óleo para motor SAE15W40.

LUBRIFICANTE ZONA CLIMÁTICA


FRIO AQUECIDO MUITO QUENTE
-15°C ~ -25°C -5°C ~ -15°C -5°C e Acima
(5°F ~ -13°F) (23°F ~ 5°F) (23°F e Acima)
COMBUSTÍVEL
ADAPTADO PARA INVERNO
ASTM D975 No.1 ASTM D975 No.2 ASTM D975 No.2

LUBRIFICANTE
Para Redutores dos Motores de Giro e Redutores dos Motores de Translação
ÓLEO DE MOTOR A.P.I. Classificação para Serviço CI-4 – SAE15W40
(Para Lubrificação Multiuso Geral)

CÁRTER DO REDUTOR
LUBRIFICANTE LUBRIFICAÇÃO GERAL
DE GIRO (BANHO)
Multi-Uso de Pressão Extrema Graxa a base de Lítio
GRAXA Graxa No.2 N.L.G.I. No. 2
Graxa Tipo EP com MoS2

FLUIDO ANTICONGELANTE (LLC)


-34°C (-29.2°F)
LIQUIDO A proporção da mistura deve proteger o sistema a uma temperatura 5°C (9°F) inferior a
DE ARREFECIMENTO DO MOTOR temperatura mais baixa enfrentada pela máquina.
(Mistura 50%) Levar em consideração o fatorde esfriamento devido aos ventos.

5-6
CAPÍTULO 5 – LUBRIFICAÇÃO, FILTROS E FLUIDOS

UTILIZE ÓLEOS BIODEGRADÁVEIS


Quando utilizar Óleo Biodegradável (BIO OIL), consulte as informações abaixo:
1. Existem dois tipos de óleos Biodegradáveis (BIO OIL) disponíveis, de base vegetal e de base sintética.
Recomendamos a utilização do tipo de base sintética, pois o óleo de base vegetal tem temperatura de uso
máxima de 80ºC (176ºF). Por causa disso, a degradação do óleo de base vegetal ocorre mais rapidamente,
causando vida de serviço reduzida.
2. Não misture qualquer tipo de óleo Biodegradável (BIO OIL) com o óleo mineral original abastecido na fábrica.
Caso queira utilizar óleo Biodegradável (BIO OIL), pede-se que o sistema hidráulico que foi abastecido com
óleo mineral seja lavado duas vezes, antes de ser abastecido com óleo Biodegradável (BIO OIL).
3. Se usar óleo BIO OIL, o desempenho satisfatório de giro e do freio de estacionamento será reduzido, devido
ao atrito inferior do óleo BIO OIL comparado ao óleo mineral.
4. Para informações adicionais sobre o Óleo Biodegradável recomendado, consulte um revendedor local.

LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO GRAXA


Coloque somente aditivo a base de etilenoglicol no O tipo de graxa depende da temperatura ambiente.
sistema de arrefecimento. Use um aditivo a base de Use uma graxa de qualidade multipropósito Nº 2
etilenoglicol de boa qualidade, que tenha um ponto para pressão extrema.
de ebulição alto sem aditivos para evitar vazamen-
tos. Não utilize aditivos anti-ferrguem não aprova- ÓLEO DO MOTOR
dos. Os aditivos anti-ferrugem e a solução de O óleo de classificação para serviço CI-4 é rocomen-
etilenoglicol podem se misturar e trabalhar um contra dado para o seu motor. Este óleo garante a lubrifica-
o outro, reduzindo a proteção anti-corrosão, for- ção correta do motor em todas as condições de
mando depósitos no sistema de arrefecimento e cau- trabalho.
sando danos ao sistema e ao radiador. Entre em
contato com o revendedor, que poderá lhe fornecer a NOTA: Não adicione qualquer Aditivo de Desempe-
solução de arrefecimento adequada. nho ou outro aditivo ao cárter do motor. Os intervalos
de troca de óleo mostrados neste manual são basea-
ANTI-CONGELAMENTO / ANTI-CORROSÃO dos em testes executados com lubrificantes aprova-
dos.
Use anti-congelante em todas as estações do ano
para proteção do sistema de arrefecimento contra
USO DE ÓLEOS BIODEGRADÁVEIS
corrosão e risco de congelamento.
Ao utilizar Óleo Biodegradável (BIO ÓLEO), consulte
Para áreas onde a temperatura ambiente seja supe-
a informação seguinte:
rior -36°C (-34°F), use uma mistura de 50% de
anti-congelante a base de etilenoglicol. 1. Existem dois tipos de BIO ÓLEO disponíveis;
vegetal e sintético. O tipo sintético é recomen-
Para áreas onde a temperatura seja inferior a -36°C
dado, uma vez que o óleo vegetal possue uma
(-34°F), é aconselhável usar uma mistura de 40% de
temperatura de uso máxima de 80°C (176°F). A
água e 60% de anti-congelante.
degradação do óleo vegetal ocorre mais rapida-
mente e reduz a vida de serviço.
FLUIDO HIDRÁULICO
2. Não misture qualquer tipo de BIO ÓLEO com o
Use fluido hidráulico formulado especificamente para
óleo mineral original de fábrica. Se for usar o
aplicações de alta pressão. Seu revendedor pode
BIO ÓLEO, enxague o sistema hidráulico que foi
fornecer o fluido hidráulico adequado para diferentes
abastecido com óleo mineral duas vezes, antes
condições de clima/temperatura.
de adicionar o bio óleo.
ÓLEO DOS COMPONENTES DA TRANSMISSÃO 3. Na utilização de BIO ÓLEO o desempenho de
giro e do freio de estacionamento será reduzido
Deve ser usado óleo para pressões extremas nos
por causa do menor atrito proporcionado pelo
componentes internos da transmissão. Escolha um
BIO ÓLEO em comparação ao óleo mineral.
óleo que seja fabricado para as suas condições de
clima/temperatura. 4. Consulte o revendedor local para informações
sobre o óleo biodegradável recomendado.

5-7
CAPÍTULO 5 – LUBRIFICAÇÃO, FILTROS E FLUIDOS

MEIO AMBIENTE COMBUSTÍVEL BIODIESEL


Antes de qualquer serviço nesta máquina e da dispo- O Éster Metil de Ácido Graxo (Combustível Biodie-
sição de óleo, fluidos e lubrificantes, lembre-se sem- sel) consiste em uma família de combustíveis deriva-
pre do meio ambiente. Não drene óleo ou fluidos no dos de óleos vegetais tratados com ésteres metil.
solo ou em recipeintes que vazem. Verifique junto à
AVISO: As misturas de combustível biodiesel são
agência ambiental local, ao centro de reciclagem ou
aprovadas para o seu motor somente se cumprirem
ao revendedor quanto às informações sobre a dispo-
com os Padrões de Especificação EN 14214 ou
sição correta.
ASTM D6751. Não use biodiesel, a menos que seja
aprovado para o seu motor. Verifique a informação
COMBUSTÍVEL
com seu revendedor.
Use diesel adequado às condições da temperatura
ambiente (ASTM-D-975). É imperativo verificar com seu revendor qual mistura
está aprovada para o seu motor. Saiba que o uso de
Use combustível que atenda ao padrão D975 da combustível Biodiesel que não atenta aos Padrões
ASTM (American Society for Testing and Materials). EN14214 ou ASTM D6751 pode levar a danos seve-
Use combustível grau No. 2. O uso de outros tipos ros no motor e no sistema de combustível de sua
de combustível pode resultar em perda de potência máquina. O uso de combustíveis não aprovados
do motor e pode causar elevação no consumo. pode cancelar a cobertura da garantia.
Em clima frio, está provisoriamente autorizado o uso Condições de Uso de Combustível Biodiesel
de uma mistura de combustíveis No. 1 e No. 2. Con-
AVISO: O Combustível Biodiesel deve atender a
sulte seu fornecedor de combustível.
especificação mencionada acima.
Se a temperatura cair abaixo do ponto de névoa do
combustível (ponto no qual começa a formar cera), O combustível Biodiesel deve ser comprado de um
os cristais de cera causarão perda de potência e fornecedor confiável que entenda do produto e man-
impedirão a partida do motor. tenha a qualidade. O combustível Biodiesel deve ser
previamente misturado pelo fornecedor. Misturar com-
Em clima frio, abasteça o reservatório de combustí- bustíveis Biodiesel no local pode levar a problemas
vel no final do dia de trabalho para evitar a formação tanto no motor quanto no sistema de combustível.
de condensação.
O desempenho do motor é afetado pelo uso de com-
ARMAZENAGEM DE COMBUSTÍVEL bustível biodiesel. Pode haver até 12% de redução
na potência ou torque, dependendo da mistura
A armazenagem prolongada de combustível pode usada.
levar ao acúmulo de impurezas e condensação no
combustível. Problemas no motor geralmente estão AVISO: NÃO modifique o motor e/ou as configura-
ligados à presença de água no combustível. ções da bomba de injeção de combustível para recu-
perar o desempenho reduzido.
O reservatório de armazengem deve ser colocado
do lado de fora e a temperatura do combustível deve A potência reduzida deve ser aceita com o uso de
ser mantida o mais baixa possível. Drene água e qualquer mistura de combustível biodiesel.
impurezas regularmente. Alguma modificação pode ser necessária para per-
mitir que a utilização de combustível biodiesel no
motor. Consulte o revendedor sobre a informação
completa com respeito a modificações aprovadas.
O Biodiesel possui um ponto de névoa (ou turbidez)
mais alto que o do diesel.
AVISO: O uso de misturas combustíveis com alto
teor de biodiesel não é recomendado em condições
de clima frio.

5-8
CAPÍTULO 5 – LUBRIFICAÇÃO, FILTROS E FLUIDOS

Com combustíveis biodiesel pode ser necessário tro- ARMAZENAMENTO DE BIODIESEL


car o óleo do motor, os filtros de óleo do motor e os AVISO: NÃO armazene máquinas por mais de três
elementos do filtro de combustível com maior frequ- meses com misturas de biodiesel no sistema de
ência do que com o combustível diesel. O Biodiesel
combustível. NÃO armazene combustível biodiesel
pode remover ferrugem e outras partículas que ade-
em reservatórios no local por mais de três meses.
rem no interior do reservatório de combustível. Estas
partículas são então retidas pelos filtros do veículo e Se forem necessários longos períodos de armazena-
podem reduzir a vida útil do filtro e/ou causar bloque- gem, deixe a máquina funcionar por 20 horas
ios nos filtros. Isso tem maior possibilidade de ocor- usando combustível diesel regular, a fim de descar-
rer em clima frio. Consulte o revendedor sobre a regar o combustível biodiesel do sistema de com-
informação para operação em clima frio e os interva- bustível do motor.
los adequados de manutenção com o uso de qual-
AVISO: O combustível biodiesel não deve ser arma-
quer mistura de combustível biodiesel.
zenado em reservatórios de armazenagem no local
Ao manipular combustível biodiesel, deve-se tomar por mais de 3 meses.
cuidado para não deixar entrar água no abasteci- Qualquer derramamento de combustível biodiesel
mento de combustível. O Biodiesel atrairá a umidade deve ser limpo imediatamente, antes que possa cau-
da atmosfera. Os reservatórios de combustível sar danos ao meio-ambiente e/ou ao acabamento da
devem ser mantidos cheios o máximo possível para pintura da máquina.
limitar o volume de ar e vapores de água neles. Pode
Antes de usar misturas de combustível biodiesel con-
ser necessário drenar o bujão de água do filtro de
sulte o revendedor para receber as informações com-
combustível com maior frequência.
pletas sobre a mistura aprovada para sua máquina e
A potencial oxidação e a estabilidade podem ser um quaisquer condições detalhadas de seu uso.
problema com a armazenagem de combustível na
máquina. Esteja ciente de que o não cumprimento das exigên-
cias e condições de uso de biodiesel cancelarão a
O combustível Biodiesel pode degradar juntas e garantia da máquina.
mangueiras de borracha natural, uma vez que é
mais solvente que o diesel de petróleo. Verifique
mangueiras e outros componentes do motor com
maior frequência quando utilizar combustível biodie-
sel.
NÃO permita a coleta de água nos reservatórios de
combustível ou de armazenagem. Mantenha-os o
mais completos possível para limitar o volume de ar
e de vapores de água. Pode ser necessário drenar
com mais frequência o filtro de combustível da
máquina. A potencial oxidação e estabilidade podem
criar um problema com o combustível armazenado
na máquina.

5-9
CAPÍTULO 5 – LUBRIFICAÇÃO, FILTROS E FLUIDOS

NOTAS

5-10
CAPÍTULO 6
MANUTENÇÃO E AJUSTES
CONTEÚDO

INFORMAÇÃO GERAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-3


Descarte de Resíduos Perigosos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-3
Mantenha a Máquina Limpa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-3
Superfícies e Fluidos Quentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-3
aQUECIMENTO DO Óleo do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
Etiquetar a Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
Inspeção do Óleo Usado e Filtros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
Evite Contaminação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
Vedações e Anéis-O . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
Desligue o Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
Utilize Equipamento de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
Limpeza de Peças . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-4
Segurança para Soldagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-5
Chassi da Estrutura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-5
Degraus e Corrimãos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-5
COMPARTIMENTOS DAS PORTAS DE ACESSO À MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-5
LIBERANDO A PRESSÃO DO SISTEMA HIDRÁULICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-6
Diretrizes para a Substituição de Ferramentas de Solo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-7
Diretrizes para Lubrificação do Acessório . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-7
TABELA DE LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-8
INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO DIÁRIAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-10
Lubrificação da Máquina e Acessórios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-10
Pontos de Lubrificação do Pino da Lâmina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-10
Pontos de Lubrificação da Lança, Braço e Acessório . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-11
Nível de Óleo do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-11
Nível do Líquido de Arrefecimento do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-12
Parte Elétrica do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-12
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-12
Nível de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-13
Drenagem do Separador de Água . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-13
Nível de Fluido Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-14
Vazamentos de Fluido Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-15
Verifique as Esteira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-15
Inspecione a Correia do Alternador e Ventilador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-16
MANUTENÇÃO DE 50 HORAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-17
Lubrificação do Acessório . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-17
LUBRIFICAÇÃO DA LÂMINA ÂNGULar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-17
LubriFIcaÇÃO DA LÂMINA E pinos DO CILINDRO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-17
Drenagem de Sedimento do Reservatório de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-18
Substituição do Óleo do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-19
Esteiras e Componentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-20
Ajuste para Tensão Menor da Esteira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-22
Removendo a Esteira de Borracha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-22
Substituição da Esteira de Borracha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-23
Inspecione as condições da correia do alternador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-24
Ajustando a Correia do Ventilador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-24
Filtro de Retorno Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-25

6-1
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

MANUTENÇÃO DE 250 HORAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-26


Substituição do Óleo do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-26
Inspeção e Ajuste da Correia do Ventilador e Alternador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-27
Ajuste da Correia do Ventilador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-28
torque dos parafusos e porcas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-28
Pontos de Lubrificação dos Pinos da Lâmina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-28
Lubrificação do Rolamento de Giro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-29
Pontos de Lubrificação da Lança, Braço e Acessório . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-29
Pontos de Lubrificação do Giro da Lança, . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-29
Limpeza e Substituição do Filtro de Ar do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-30
Substituição do Filtro de Retorno Hidráulico (uso do martelete) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-31
MANUTENÇÃO DE 500 HORAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-32
Limpe e Drene o Separador de Água . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-32
Substituição do Filtro de Combustível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-33
Limpeza e Substituição do Filtro de Ar do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-34
Substituição do Óleo do Redutor de Translação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-35
MANUTENÇÃO DE 1000 HORAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-36
Substituição do Líquido de Arrefecimento do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-36
Verificação da Folga das Válvulas do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-37
Verificação do Motor de Arranque e o Alternador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-37
Substituição do Filtro de Retorno Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-38
MANUTENÇÃO DE 1500 HORAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-39
Verificar Sincronismo de Injeção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-39
MANUTENÇÃO DE 2000 HORAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-40
Limpeza da Peneira de Sucção Hidráulica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-40
Limpeza do Filtro da Válvula Piloto e Válvula Solenóide . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-42
Substituição do Óleo do Redutor de Translação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-44
Substituição do Óleo dos Roletes Superiores e Inferiores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-45
Substituição do Óleo da Roda Tensora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-46
Substituição do Óleo dos Roletes Superiores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-47
Substituição da Graxa da Engrenagem de Giro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-47
Verificação da Vedação das Válvulas de Admissão e de Escape do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-47
MANUTENÇÃO DE 5000 HORAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-48
Substituição do Fluido Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-48
PROCEDIMENTOS ESPECIAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-49
Caçamba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-49
Esteira de Borracha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-51
Movimentando uma Máquina Inoperante . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-55
Remoção das Engrenagens do Redutor de Translação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-56
montagem do motor de translação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-57
Abaixando a Caçamba ou o Acessório em uma Máquina Inoperante . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6-58

6-2
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

INFORMAÇÃO GERAL
DESCARTE DE RESÍDUOS PERIGOSOS
ADVERTÊNCIA Descarte adequadamente os restos de óleos, fluidos, lubri-
Leia, entenda e siga todas as precauções de segu- ficantes, filtros e outros resíduos perigosos.
rança contidas neste manual antes de executar NOTA: Descarte todo resíduo perigoso de acordo
quaisquer procedimentos de inspeção ou manuten- com as regulamentações, leis e códigos governa-
ção nesta máquina, em seus sistemas ou compo- mentais ambientais.
nentes. A falha no cumprimento pode resultar em
morte ou ferimentos graves. MANTENHA A MÁQUINA LIMPA
M1087

ADVERTÊNCIA
Use óculos e sapatos de segurança, capacete, rou-
pas e luvas de trabalho para executar a inspeção ou
manutenção nesta máquina. A falha no cumpri-
mento pode resultar em morte ou ferimentos graves.
M1070

DC04B669 Figura 2
Limpe completamente a máquina antes de executar
procedimentos de inspeção e manutenção. É mais
fácil e seguro localizar problemas, executar manu-
tenções e também reduzir o risco de contaminação
do sistema hidráulico quando a máquina está limpa.

SUPERFÍCIES E FLUIDOS QUENTES


DC04B668 Figura 1
1. Recomenda-se que seja desenvolvido e seguido
regularmente um cronograma de inspeção e
manutenção para esta máquina. Desenvolver e
m a n t e r ta l c r o n o g r am a a j u d a a m a n t e r a
máquina em ótimas condições de operação.
2. A informação contida nesta seção fornece os
procedimentos adequados para execução das
funções de inspeção e manutenção para esta
máquina. Use estes procedimentos como guia
ao executar a inspeção e a manutenção. E
ainda, consulte "Tabela de Lubrificação e Manu-
tenção" na página 6-8 sobre as recomendações
dos intervalos de serviços gerais. Se tiver dúvi-
das sobre sua habilidade para executar estas DC04B670 Figura 3
tarefas, entre em contato com o revendedor para Tenha cuidado e use equipamento de segurança
assistência. apropriado ao trabalhar ao redor de áreas quentes.
NOTA: Os quadros de inspeção e manutenção forne- Nunca substitua óleos, líquido de arrefecimento do
cidos nesta seção indicam apenas intervalos gerais. motor ou filtros imediatamente após a máquina ter
Pode ser neessário um cronograma personalizado sido parada. Permita que a máquina esfrie antes de
para executar a manutenção da máquina em interva- executar os procedimentos de manutenção.
los menores com base nas condições de trabalho.
3. Use somente óleos, fluidos, lubrificantes, filtros e
peças de reposição fornecidas por seu revende-
dor autorizado para manter a máquina em óti-
mas condições de operação.
6-3
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

AQUECIMENTO DO ÓLEO DO MOTOR EVITE CONTAMINAÇÃO


O motor deve estar a uma temperatura entre 20°C –
40°C (68°F – 104°F) antes do óleo ser substituído.
Se necessário, deixe o motor funcionar até que o
óleo esteja aquecido dentro do intervalo de tempera-
tura recomendado para substituição do óleo.

ETIQUETAR A MÁQUINA

NÃO REMOVA NÃO


ESTA ETIQUETA OPERAR DC04B673 Figura 6
Sempre tampe as linhas quando os componentes
VER O
Razão:
hidráulicos são removidos, para ajudar a evitar con-
OUTRO LADO taminação do sistema hidráulico, que pode ser cau-
sada por sujeira, poeira e detritos que entrem na
linha ou porta.
CASE BRASIL & CIA
NOTA: Nunca permita que uma linha ou componente
hidráulico seja contaminado. Sempre use tampas
Código CASE:
147783A1 Assinatura:

adequadas.
147783A1 Figura 4
Antes de iniciar quaisquer procedimentos de inspe- VEDAÇÕES E ANÉIS-O
ção ou manutenção, afixe uma etiqueta NÃO OPE- Sempre substitua vedações e anéis-O por peças
RAR no console do operador, para informá-lo que a novas. Nunca reutilize uma vedação ou anel-O
máquina estará inoperante para inspeção e manu- durante a remontagem de componentes. Certifi-
tenção. Esta etiqueta ajudará a evitar uma partida que-se de lubrificar todas as vedações novas com
acidental da máquina. óleo apropriado antes da instalação.

INSPEÇÃO DO ÓLEO USADO E FILTROS DESLIGUE O MOTOR


NÃO tente fazer qualquer manutenção com o motor
funcionando. Sempre desligue o motor e deixe a
máquina esfriar.

UTILIZE EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA


Utilize capacete, óculos de segurança ou proteção
facial, luvas de trabalho, sapatos de segurança e
roupas adequadas de trabalho ao executar procedi-
mentos de inspeção e manutenção nesta máquina.

LIMPEZA DE PEÇAS
Use somente solventes de limpeza aprovados e
equipamento apropriado para limpar peças.
DC04B672 Figura 5
Antes do descarte, inspecione todos os óleos e flui-
ADVERTÊNCIA
dos usados, assim como os filtros, quanto a detritos
e material estranho. Corte os filtros de óleo para veri- Nunca use gasolina, diesel combustível ou outros
ficar qualquer desgaste anormal. solventes inflamáveis para limpar peças. Sempre
limpe peças em uma área bem ventilada. A falha no
cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos
graves.
M138A

6-4
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SEGURANÇA PARA SOLDAGEM CHASSI DA ESTRUTURA


1. Gire a chave de ignição para a posição “OFF”. 1. Inspecione cuidadosamente o chassi da estru-
tura quanto a danos, soldas quebradas, etc.
2. Remova o cabo negativo (-) do terminal da bate-
ria. NOTA: Remova qualquer excesso de graxa do pino
das áreas de conexão do acessório para inspecionar
3. Anexe o cabo terra do soldador a menos de 1 m
a solda.
(39 in.) do componente que estiver sendo sol-
dado. 2. Repare ou substitua todos os componentes da
estrutura onde foram encontrados danos, antes
4. Não prenda o cabo terra do soldador perto ou
de permitir qualquer operação da máquina.
em local onde o terra possa se separado por
rolamentos ou vedações. 3. Em casos onde seja necessária a soldagem,
consulte um revendedor autorizado quanto aos
procedimentos apropriados. Use apenas solda-
ADVERTÊNCIA
dores certificados familiarizados com métodos
Desconecte ambos os cabos positivo (+) e negativo de soldagem estruturais para executar reparos
(-) da bateria antes soldar na máquina. Anexe o cabo que precisem de solda. Nunca permita que
terra do soldador a não mais de 0,61 m (2 ft) da peça passe corrente elétrica através de uma junta, tal
a ser soldada. Não conecte o cabo terra do soldador como um pino, bucha, mancal, vedação e / ou
na placa de arrefecimento do módulo de controle do entre as estruturas superior e inferior.
motor (ECM) ou ao próprio módulo de controle do
motor. Não é recomendado soldar sobre o motor ou DEGRAUS E CORRIMÃOS
componentes montados no motor, pois isso poderá 1. Inspecione diariamente todos os degraus e corri-
resultar em danos ao motor ou componentes. A falha mão na máquina para assegurar que estejam
no cumprimento pode resultar em morte ou ferimen- limpos e em condições seguras de trabalho.
tos graves.
M1067 2. Repare ou substitua todas as peças ou compo-
nentes danificados, antes de operar a máquina.
NOTA: Use degraus e corrimãos ao subir ou descer
da máquina. Mantenha degraus, corrimão e trilhos de
degraus limpos e em condições seguras de trabalho,
livres de graxa, óleo, lama, gelo e neve.

COMPARTIMENTOS DAS PORTAS DE ACESSO À


MÁQUINA
A máquina possui vários compartimentos nas portas.
Use a chave de ignição para travar e destravar esses
compartimentos.
Sempre utilize escoras para manter as portas aber-
tas. Ao fechar as portas, certifique-se de que este-
jam bem fechadas e que nenhuma ferramenta ou
outros objetos sejam deixados nos compartimentos
das portas.

6-5
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

LIBERANDO A PRESSÃO DO SISTEMA HIDRÁULICO


NOTA: Antes de executar qualquer trabalho no siste-
ma hidráulico não deve existir pressão em nenhum ADVERTÊNCIA
dos circuitos.
Assegure que não exista pressão nas linhas hidráu-
licas antes de inspeção ou reparo. Não use manguei-
ADVERTÊNCIA ras ou conexões defeituosas. Sempre substitua
mangueiras e conexões gastas ou defeituosas. A fa-
Tocar superfícies quentes pode causar queimadu-
lha no cumprimento pode resultar em morte ou feri-
ras. O motor e os componentes estarão quentes
mentos graves.
após o funcionamento da máquina. Aguarde o
M1502
motor e os componentes esfriarem antes de qual-
quer serviço na máquina. A falha no cumprimento
pode resultar em morte ou ferimentos graves.
M1333
1
2
1. Mantenha todo pessoal não autorizado longe da
máquina. Estacione a máquina em solo firme e
nivelado, baixe a caçamba / acessório até o solo
e desligue o motor.

1 2
BS07M871 Figura 8
5. Certifique-se de que a temperatura do fluido
hidráulico esteja abaixo de 40°C (104°F).
6. Abra a porta do reservatório hidráulico (1) e
BS07M861 Figura 7 prenda no lugar com uma escora.
2. Gire a chave de ignição para a posição ON. O 7. Pressione a tampa de borracha (2) no alto do
interruptor de controle piloto deve estar ligado. reservatório hidráulico de 5 a 7 vezes.

3. Opere as alavancas de controle da direita para a ADVERTÊNCIA


esquerda e da dianteira para a traseira uma
dúzia de vezes. Gire a chave de ignição para a Ao substituir qualquer mangueira ou vedação, certi-
posição “OFF”. fique-se de que o acessório esteja bem preso para
evitar movimentos repentinos. Remova lentamente
4. Coloque a alavanca de cancelamento de função os parafusos para liberar qualquer pressão hidráu-
na posição LOCKED (travada). lica residual durante a desmontagem. A falha no
cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos
ADVERTÊNCIA graves.

Fluido hidráulico ou graxa injetados na pele podem


causar ferimentos graves ou morte. Mantenha suas
mãos e corpo longe de qualquer vazamento pressu-
rizado. Se for injetado fluido em sua pele, procure
um médico imediatamente para remoção do fluido.
A falha no cumprimento pode resultar em morte ou
ferimentos graves.
M149C

6-6
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

DIRETRIZES PARA A SUBSTITUIÇÃO DE DIRETRIZES PARA LUBRIFICAÇÃO DO


FERRAMENTAS DE SOLO ACESSÓRIO
É muito importante manter os dentes e os cortadores Lubrifique os pinos do acessório de acordo com os
laterais da caçamba adequadamente apertados. intervalos indicados na Tabela de Manutenção. Uti-
Parafusos frouxos ou faltando aumentarão cargas e lize uma graxa multiuso de pressão extrema do tipo
eventualmente causarão a falha da ferramenta. Uma Nº2 EP. Lubrifique todos os pontos até a graxa vazar.
operação prolongada com ferragem soltas pode cau- Os intervalos de lubrificação são baseados em uma
sar o alargamento e desgaste nos furos de monta- escavadeira padrão (consulte "ESPECIFICAÇÕES"
gem no suporte. O aquecimento da ferragem e dos na página 9-1 sobre a definição de Escavadeira
furos de montagem causará o mesmo efeito. Siga Padrão), trabalhando em um ciclo de trabalho
estas diretrizes gerais para assegurar o aperto ade- médio. O ciclo de trabalho médio é definido como
quado nos dentes e cortadores laterais da caçamba. “Aplicação de escavação mais típica, construção de
• Ao instalar novas bordas cortantes, bits de extre- estrada em argila de leito natural, escavação de 50%
midade, lâminas de corte laterais e dentes de – 60% do cronograma de trabalho diário”..
caçamba novos, certifique-se que todas as super- Novos pinos e buchas, inclusive máquinas novas e
fícies de sustentação estejam livres de sujeira, reparos exigem procedimentos especiais de amacia-
pintura, detritos, ferrugem, escamas e respingos mento. Embora os pinos e buchas tenham um aca-
de solda. Todas as superfícies de contato devem bamento de retifica especial, ainda precisam ser
ser limpas e planas para garantir a obtenção de encaixados um ao outro, a fim de eliminar os pontos
força máxima de retenção. altos de usinagem.
• Certifique-se que todas as roscas dos parafusos e Por causa desses pontos altos, recomenda-se que o
das porcas estejam limpas e secas. NÃO APLI- acessório dianteiro, ou a área reparada, seja lubrifi-
QUE QUALQUER TIPO DE LUBRIFICANTE. cado no mínimo uma vez a cada 8 (oito) horas
• Ao instalar bits de extremidade, comece pelo cen- durante as primeiras 100 (cem) horas de trabalho
tro e trabalhe em direção às bordas externas. padrão da máquina em um ciclo de atividade médio.
O restante da máquina deve ser lubrificado a cada 4
• Sempre aperte os parafusos de acordo com as (quatro) horas durante as primeiras 20 (vinte) horas,
espeficações. e a cada 8 (oito) horas durante as 80 (oitenta) horas
• Para melhores resultados, bata na cabeça de todos seguintes de operação. Esse procedimento de lubri-
os parafusos com um martelo pesado, a fimd de ficação reduzirá um possível defeito prematuro dos
assentá-los corretamente antes do torque final. pinos ou buchas durante o período de amaciamento.
Embora as cavidades de lubrificação internas das
ADVERTÊNCIA buchas permitam que a graxa se desloque em volta
da bucha, não garantem que a graxa alcance todas
Evite ferimentos nos olhos ao usar broca, martelo, as superfícies das mesmas. Qualquer carga sobre a
serra ou outras ferramentas que possam fazer voar junção evitará que a graxa alcance as superfícies de
cavacos. Use sempre óculos de segurança durante desgaste na área de carga. Pelo fato de uma pistola
o trabalho. A falha no cumprimento pode resultar em de graxa manual não fornecer o volume de graxa
morte ou ferimentos graves. que um sistema automárico oferece, existe uma
M428B maior possibilidade de colamento de bucha, a
menos que o procedimento de lubrificação padrão
• Quando utilizadas peças novas, as superfícies de seja modificado. Não importa quanta graxa seja
contato se assentarão uniformemente e o torque bombeada na cavidade da bucha do pino com uma
de aperto dos parafusos será inferior ao valor pistola de graxa manual, a tendência é a graxa esca-
padrão após um curto período de operação. Certi- par para fora antes de preencher a cavidade de lubri-
fique-se de verificar todos os parafusos quanto ao ficação. Portanto, para evitar essa situação, o
aperto correto das peças novas, após as primeiras acessório dianteiro deve ser reposicionado durante o
8 (oito) horas de operação. processo de lubrificação para movimentar a área de
• Reduza os custos de manutenção substituindo, carga e permitir que a graxa cubra a cavidade de
alternando ou efetuando rodízio das bordas cor- lubrificação inteira entre o pino e a bucha.
tantes antes que atinjam seus limites de desgaste.
• Ao encontrar parafusos frouxos, verifique-os
quanto a alongamento, e os furos de montagem
no suporte quanto a desgate. Substitua os parafu-
sos e repare qualquer desgaste nos furos de mon-
tagem no suporte, se necessário. Aperte os
parafusos de acordo com as especificações.

6-7
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

TABELA DE LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO

Intervalos em horas

Máquina Nova
Inicial para
Página
Intervalos de

Substituir

Lubrificar
Pontos de Manutenção

Verificar
manutenção

Limpar

Drenar
6-24 Correia de acionamento do ventilador e do AC X X
6-30 Filtro de ar X
Conforme Necessário
9-11 Torque de parafusos e porcas X
6-15 Esteira de borracha (se equipada) X
6-11 Engraxar caçamba, lança, braço, cilindro, lâmina AM X
6-11 Nível do óleo do motor X
6-12 Nível do líquido de arrefecimento X
6-12 Radiador X
6-12 Conexões elétricas do motor X
A cada 8 horas 6-13 Separador de água X
6-13 Nível do Reservatório de combustível X
6-14 Nível do reservatório hidráulico X
6-15 Linhas hidráulicas X
6-16 Tensão da correia do ventilador / alternador X
6-15 Esteira de borracha X
6-17 Acessório X
6-19 Lâmina angular X
6-18 Drenagem de sedimentos do reservatório de combustível X
6-19 Filtro e óleo do motor AM X
A cada 50 horas
6-20 Esteira de borracha AM X
6-24 Tensão da correia do ventilador / alternador X
8-4 Verificação das baterias X
6-25 Filtro de retorno hidráulico AM X
6-26 Filtro e óleo do motor X
6-27 Tensão da correia do ventilador / alternador X
6-29 Redutor de giro AM X
A cada 250 horas 6-29 Lança, cilindro do braço, lâmina X
6-30 Elementos do filtro de ar do motor X
6-31 Filtro de retorno hidráulico (acessório Martelete) X
9-11 Torque de parafusos e porcas X
6-32 Separador de água do combustível X X
6-33 Filtro de combustível X
A cada 500 horas
6-34 Elementos do filtro de ar do motor X
6-35 Redutor de translação AM X

AVISO: Devido a diferentes condições de operação da máquina, como operação severa ou em ambiente com
muita poeira ou água, os períodos de manutenção acima especificados devem ser reduzidos a fim de proporcionar
o máximo desempenho e proteção para sua máquina.
AVISO: MR = Consulte o Manual de Reparação ou o revendedor autorizado.
AVISO: AM = Período de Amaciamento. A indicação "AM" na primeira coluna especifica as intervenções neces-
sárias no período de amaciamento (máquina nova). Esteja atento e proceda rigorosamente com os serviços re-
queridos no respectivo período (indicado com "X") .

6-8
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

Intervalos em horas

Máquina Nova
Inicial para
Página
Intervalos de

Substituir

Lubrificar
Pontos de Manutenção

Verificar
manutenção

Limpar

Drenar
6-36 Líquido de arrefecimento do radiador X
6-38 Filtros de retorno hidráulico X
A cada 1000 horas
MR Folgas das válvulas X
MR Motor de arranque / alternador X
A cada 1500 horas MR Ponto de injeção X
6-40 Tela de sucção do reservatório hidráulico X
6-42 Válvula piloto X
6-42 Filtro em linha da válvula solenóide X
A cada 2000 horas 6-44 Redutores de translação X
6-46 Substituição de óleo da roda tensora X
RM Graxa da cremalheira de giro X
RM Coletores de admissão e escape X
A cada 5000 horas 6-48 Fluido hidráulico X

AVISO: Devido a diferentes condições de operação da máquina, como operação severa ou em ambiente com
muita poeira ou água, os períodos de manutenção acima especificados devem ser reduzidos a fim de proporcionar
o máximo desempenho e proteção para sua máquina.
AVISO: MR = Consulte o Manual de Reparação ou o revendedor autorizado.
AVISO: AM = Período de Amaciamento. A indicação "AM" na primeira coluna especifica as intervenções neces-
sárias no período de amaciamento (máquina nova). Esteja atento e proceda rigorosamente com os serviços re-
queridos no respectivo período (indicado com "X") .

6-9
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO DIÁRIAS


Os procedimentos seguintes devem ser executados a cada 8 horas ou diariamente antes de dar partida na máquina.

ADVERTÊNCIA
Para evitar ferimentos durante a operação e a manutenção use calçados de segurança, capacete, óculos de
segurança e roupas de trabalho. A falha no cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos graves.
M110B

LUBRIFICAÇÃO DA MÁQUINA E ACESSÓRIOS PONTOS DE LUBRIFICAÇÃO DO PINO DA


LÂMINA

3
1
1 2
2
3

BS07M861 Figura 9
Durante as 50 horas iniciais de operação durante o
período de amaciamento, engraxe a caçamba, a BS07N035 Figura 11
lança, o cilindro do braço e a lâmina a cada 8 horas. 1. PINO DA HASTE DO CILINDRO DA LÂMINA (1)
Após o período inicial de amaciamento, engraxe a 2. PINO DA BASE DO CILINDRO DA LÂMINA (1)
cada 50 horas. 3. PINO DA BASE DA LÂMINA (2)
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme
e nivelada, com ambos os acessórios sobre o
solo. Desligue o motor. Coloque a alavanca de
cancelamento de funções na posição travada.

3 4
1
2

BS07N028 Figura 10

1. PINO DA HASTE DO CILINDRO DA CAÇAMBA


2. PINO DE ARTICULAÇÃO DO BRAÇO / LINK INTERMEDIÁRIO
3. PINO DE ARTICULAÇÃO DA CAÇAMBA
4. PINO DE ARTICULARÇÃO DA CAÇAMBA / BRAÇO

2. Limpe a graxeira antes de aplicar graxa. Substi-


tua qualquer graxeira danificada.
3. Lubrifique com uma pistola de graxa a graxeira
mostrada. Limpe o excesso de graxa que esteja
vazando da conexão do pino.

6-10
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

PONTOS DE LUBRIFICAÇÃO DA LANÇA, BRAÇO NÍVEL DE ÓLEO DO MOTOR


E ACESSÓRIO

1 4
5
7

8
3 2
2
6

BS07N033 Figura 12

1. PINO DA BASE DA LANÇA (1)


2. PINO DA BASE DO CILINDRO DA LANÇA (3)
3. PINO DA HASTE DO CILINDRO DA LANÇA (1) 1
4. PINO DA BASE DO CILINDRO DO BRAÇO (1)
5. PINO DA HAESTE DO CILINDRO DO BRAÇO (1)
6. PINO DE ARTICULAÇÃO LANÇA / BRAÇO (2)
7. PINO DA BASE DO CILINDRO DA CAÇAMBA (1)
8. PINO DA HASTE DO CILINDRO DA CAÇAMBA (1)

12

BS07N039 Figura 14

1. VARETA DE MEDIÇÃO DO NÍVEL DO ÓLEO


2. TAMPA DO BOCAL DE ENCHIMENTO
5
14 1. Verifique o nível do óleo diariamente ou a cada
turno de 8 horas. O óleo deve ser substituído
após 50 horas de amaciamento e a cada 250
horas a partir daí.
2. Levante o capuz do motor.
13
BS07N634 Figura 13
3. Puxe a vareta de medição do nível de óleo,
(5) PINO DA BASE DO CILINDRO DA LANÇA limpe-a com um pano limpo e sem fiapos. Intro-
(12) PINO DA BASE DO CILINDRO DE GIRO
duza-a no motor. Puxe-a novamente para verificar
visualmente o nível de óleo do motor na vareta.
(13) PINO DA HASTE DO CILINDRO DE GIRO
(14) PINO DE CONEXÃO DO SUPORTE/ESTRUTURA DE GIRO 4. Se necessário, remova a tampa do bocal de
enchimento e complete o óleo até o nível ade-
AVISO: Descarte todos os detritos de acordo com as
quado.
regulamentações ambientais.
NOTA: Após adicionar o óleo, verifique o nível mais
ADVERTÊNCIA uma vez, reinstale a tampa do bocal de enchimento e
a vareta de medição e feche o capuz.
A máquina e o acessório não devem ser movimenta-
dos durante a lubrificação. Se for necessária uma
posição diferente: limpe a área, movimente o aces-
sório, desligue o motor e lubrifique o acessório. Re-
pita este procedimento até que o acessório esteja
completamente lubrificado. A falha no cumprimento
pode resultar em morte ou ferimentos graves.
M1719

6-11
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

NÍVEL DO LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO DO


MOTOR ADVERTÊNCIA
Líquido de arrefecimento quente pode espirrar para
fora se o radiador ou a tampa do reservatório de de-
saeração for removida enquanto o sistema estiver
quente. Para remover a tampa, deixe o sistema es-
1 friar, gire até o primeiro entalhe, depois AGUARDE
2 até TODA pressão ser descarregada. A falha no
cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos
graves.
3 M646

PARTE ELÉTRICA DO MOTOR


BS07M477-B Figura 15

1. RESERVATÓRIO DO LÍQUIDO
DE ARREFECIMENTO DO MOTOR
2. FULL (CHEIO)
3. LOW (BAIXO)

1. Verifique o nível do líquido de arrefecimento a


cada 8 horas. O líquido de arrefecimento deve
ser substituído a cada 1000 horas. O reservató-
rio do líquido de arrefecimento está localizado no
lado direito do compartimento do motor.
2. O nível adequado do líquido de arrefecimento é
entre as marcas FULL (cheio) e LOW (baixo).
DC04C292 Figura 17
3. Se necessário adicionar líquido de arrefeci-
mento, remova a tampa do reservatório e com- 1. Inspecione visual e manualmente toda fiação,
plete até o nível adequado com mistura nova de conectores e componentes elétricos do motor
líquido de arrefecimento. quanto a sinais de danos ou mau funciona-
mento.

2 2. Repare ou substitua todos os fios, conectores e


componentes danificados ou com falha no funci-
onamento antes de recomeçar a operação da
3
máquina.

ADVERTÊNCIA
1
Operar a máquina com componentes elétricos dani-
ficados ou com mau funcionamento pode causar
4 sérios danos à máquina e ferimentos graves às pes-
soas. A falha no cumprimento pode resultar em
morte ou ferimentos graves.
M1725
BS07M872 Figura 16

1. TAMPA DO RESERVATÓRIO
2. TAMPA DO RADIADOR
3. RADIADOR
4. RESERVATÓRIO

4. Se nenhum líquido for mostrado no reservatório,


verifique o nível de líquido de arrefecimento no
radiador. Complete o radiador com mistura apro-
priada e recoloque a tampa. Reabasteça o reser-
vatório até o nível adequado. Inspecione
mangueiras e conexões quanto a vazamentos.

6-12
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

NÍVEL DE COMBUSTÍVEL DRENAGEM DO SEPARADOR DE ÁGUA

2
BS07N030 Figura 19
BS07M675 Figura 18
1. Inspecione o separador de água a cada 8 horas.
1. INDICADOR DE NÍVEL DE COMBUSTÍVEL Drene e limpe com 500 horas.
1. Coloque a chave de ignição na posição “ON” 2. Inspecione visualmente o separador. Se o anel
(ligada) e o indicador de combutível no painel vermelho (1) afundar até o fundo do receptáculo,
indicará o nível de combustível no reservatório. não há água.
2. Para reabastecer a máquina, remova a tampa do 3. Quando o anel flutuar, drene a água e sedimen-
reservatório de combustível. Não remova a tela tos.
de combustível para reabastecer. Reabasteça 4. Abra a válvula (2) e drene até que seja descarre-
até a marca de cheio para reduzir o volume de ar gado combustível limpo.
(condensação). Caso contrário, poderão surgir 5. Repare ou substitua mangueiras e linhas danifi-
problemas, tais como oxidação ou congelamento cadas, antes de qualquer operação.
de combustível, bem como outros problemas
associados.

6-13
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

NÍVEL DE FLUIDO HIDRÁULICO


A. Descarregue toda pressão do reservatório
hidráulico. Pressione o botão de liberação de
ar várias vezes para descarregar a pressão do
reservatório hidráulico. Consulte "Liberando a
Pressão do Sistema Hidráulico" na página
1 2
6-6.

1
2

3
BS07M861 Figura 20

ADVERTÊNCIA
Para operação segura em inclinações, o nível de
fluido hidráulico deve ser mantido entre o nível apro-
priado e a marca de limite superior. NÃO OPERE
máquinas em superfícies com inclinação superior a
35°. A falha no cumprimento pode resultar em morte
ou ferimentos graves.
M1718
4

1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme


e nivelada, com ambos os acessórios sobre o
solo. Desligue o motor. Coloque a alavanca de BS07M873 Figura 22
cancelamento de funções na posição travada.
1. PARAFUSO E ARRUELA
2. Verifique o indicador de nível localizado na late- 2. PLACA DA TAMPA
ral do reservatório hidráulico. O nível de fluido 3. ANEL-O
deve estar entre H (alto) e L (baixo). 4. INDICADOR DE NÍVEL
NOTA: O nível de fluido dependerá da sua tempera-
B. Remova lentamente os parafusos de
tura. Frio: nível L (baixo) (temperatura do fluido
montagem (1) da placa da tampa.
10-30° C [50-80° F]). Quente: nível H (temperatura
do fluido 50-80° C [122-176° F]) C. Adicione fluido hidráulico, completando o
3. Reabasteça se o nível de fluido estiver abaixo de reservatório até o nível adequado.
L (baixo). D. Limpe e inspecione o Anel-O. Substitua o
4. Para adicionar fluido hidráulico, abra a tampa do anel-O se estiver danificado. Lubrifique o
lado direito e apoie com um suporte. anel-O com fluido hidráulico e instale-o.
E. Instale a placa da tampa, os parafusos e
1 arruelas. Aperte os parafusos da tampa com o
2 torque especificado. Consulte "Especificações
de Torque de Aperto dos Parafusos" na
página 9-11.
F. Verifique todos os controle hidráulicos quanto
a funcionalidade adequada antes de operar a
máquina.
NOTA: Sempre use fluido hidráulico limpo. Tenha
cuidado para evitar contaminação durante o enchi-
mento.

BS07M871 Figura 21

1. TAMPA
2. BOTÃO DE LIBERAÇÃO DE AR

6-14
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

VAZAMENTOS DE FLUIDO HIDRÁULICO VERIFIQUE AS ESTEIRA

DC04C300 Figura 24

DC04C287 Figura 23
Mantenha as esteiras livres de sujeira e pedras para
a máxima tração. Verifique visualmente quanto a fis-
ADVERTÊNCIA suras, separação, núcleo exposto ou outro dano.
Verifique a tensão após as primeiras 50 horas de
Ao manipular lubrificantes (óleo, graxa, etc.) e operação inicial.
outros produtos químicos sempre siga as instruções
para seu uso adequado. Utilize recipientes apropria-
dos para coletar fluido. Descarte fluidos e filtros de
modo a proteger o meio ambiente e conforme a lei.
NÃO fume ou use chama aberta durante os procedi-
mentos de serviço. A falha no cumprimento pode
resultar em morte ou ferimentos graves.
M1303A

1. Verifique todo o sistema hidráulico quanto a


vazamentos. Use um pedaço pequeno de pape-
lão ao verificar áreas com alta pressão.
2. Verifique todas as mangueiras e linhas quanto a
sinais de danos.
3. Repare ou substitua mangueiras e linhas danifi-
cadas, antes de qualquer operação.

ADVERTÊNCIA
Vazamento de fluido hidráulico sob pressão pode
penetrar na pele e causar infecção ou outro feri-
mento. Para evitar ferimentos: descarregue toda
pressão hidráulica antes de desconectar as linhas
de fluido. Antes de aplicar pressão, certifique-se de
que todas as conexões estejam firmes e os compo-
nentes em boas condições. Nunca use as mãos
para verificar suspeitas de vazamentos sob pres-
são. Use um pedaço de papelão ou madeira para
este propósito. Se for ferido por vazamento de
fluido, busque assistência médica imediatamente. A
falha no cumprimento pode resultar em morte ou
ferimentos graves.
M587A

6-15
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

INSPECIONE A CORREIA DO ALTERNADOR E


VENTILADOR
Inspecione visualmente a correia diariamente. A ten-
são da correia deve ser verificada após as primeiras
50 horas do tempo de amaciamento, e a cada 250
horas a partir daí.

BS07N031 Figura 25

1. PARAFUSO DE FIXAÇÃO
2. PARAFUSO DE AJUSTE
3. PARAFUSO DE AJUSTE

ADVERTÊNCIA
Mantenha-se longe de peças giratórias da máquina
e instale anteparos para proteção contra o enreda-
mento de roupas e ferimentos. Vista roupas de tra-
balho apropriadas. A falha no cumprimento pode
resultar em morte ou ferimentos graves.
M223A

Verifique a correia quanto a tensão insuficiente, des-


gaste ou danos. Uma correira frouxa pode causar
falha na carga das baterias, superaquecimento do
motor ou desgaste anormal da correia. Se for apli-
cada muita tensão à correia, os rolamentos ou a cor-
reia podem ser prematuramente danificados.
Uma correia é considerada usada quando esteve em
um motor em funcionamento por 5 minutos ou mais.
Para verificar a tensão aplique uma força de 98 N
(22 lb) no centro da correia e meça o desvio.

Tensão de correia nova Tensão de correia usada


8 - 12 mm 10-14 mm
(5/16 - 7/16 in) (3/8 - 1/2 in)

6-16
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

MANUTENÇÃO DE 50 HORAS
LUBRIFICAÇÃO DO ACESSÓRIO LUBRIFICAÇÃO DA LÂMINA ÂNGULAR
A lâmina ângular (opcional) deve ser lubrificada a
cada 50 horas.

LUBRIFICAÇÃO DA LÂMINA E PINOS DO


CILINDRO
A cada 50 horas de operação do motor lubrifique os
pinos da lâmina usando graxa multiuso para extrema
3 4 pressão (graxa No. 2 EP). Lubrifique todos os pontos
1 de graxa até que a graxa vaze das graxeiras.
2

BS07N028 Figura 26

1. PINO DA HASTE DO CILINDRO DA CAÇAMBA (1)


2. PINO DE ARTICULAÇÃO DO BRAÇO / LINK INTERMEDIÁRIO (1)
3. PINO DE ARTICULAÇÃO DA CAÇAMBA (1)
4. PINO DE ARTICULAÇÃO DA CAÇAMBA / BRAÇO (1)

Durante as primeiras 50 horas de operação, lubrifi-


que o acessório a cada 8 horas. Após o período ini-
cial de amaciamento, lubrifique a cada 50 horas.
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme
e nivelada, com ambos os acessórios sobre o
solo. Desligue o motor. Coloque a alavanca de
cancelamento de funções na posição travada.
Mantenha o pessoal não autorizado fora da
área.
2. Limpe a graxeira antes de lubrificar. Substitua
qualquer graxeira danificada.
3. Lubrifique com uma pistola de graxa todas as
graxeiras mostradas. Limpe a graxa que vazar
para fora da conexão do pino.
NOTA: Descarte todo detrito, de acordo com as re-
gulamentações ambientais. BC08J119 Figura 27

1. CILINDRO DA LÂMINA
ADVERTÊNCIA 2. PINO DA BASE DA LÂMINA
3. CILINDRO DE ÂNGULO
A máquina e o acessório não devem ser movimenta- 4. CONEXÃO DA LÂMINA E DA ESTRUTURA
dos durante a lubrificação. Se uma posição diferente
for necessária: limpe a área, movimente o acessório,
desligue o motor e lubrifique o acessório. Repita este
procedimento até que o acessório seja completa-
mente lubrificado. A falha no cumprimento pode re-
sultar em morte ou ferimentos graves.
M1719

6-17
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

LUBRIFICAÇÃO DRENAGEM DE SEDIMENTO DO


RESERVATÓRIO DE COMBUSTÍVEL
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme
e nivelada com ambos os acessórios sobre o
solo. Desligue o motor. Coloque a alavanca de
cancelamento de funções na posição travada.
Mantenha o pessoal não autorizado fora da 2
área.
2. Limpe todas as graxeiras. Substitua os bocais se
estiverem danificados.
3. Aplique graxa nos bocais com uma pistola de
graxa.
4. Aplique graxa até vazar das graxeiras. Limpe a
área do excesso de graxa.
Operação da máquina na água
Se estiver operando a máquina na água, lubrifique a
máquina antes e depois da operação.
Armazenagem da máquina
Se a máquina tiver ficado fora de uso por um mês ou 1
mais, lubrifique-a antes de iniciar as operações.

BS07N128-B Figura 28

1. RESERVATÓRIO DE COMBUSTÍVEL
2. BUJÃO DE DRENAGEM

ADVERTÊNCIA
Vapores de combustível são explosivos e inflamá-
veis. Não fume enquanto manipula combustível.
Mantenha o combustível longe de chamas ou fagu-
lhas. Desligue o motor e remova a chave antes de
executar serviços. Sempre trabalhe em área bem
ventilada. A falha no cumprimento pode resultar em
morte ou ferimentos graves.
M1394

1. A drenagem de água e sedimentos é mais efici-


ente se executada pela manhã. Vire a estrutura
superior da máquina de modo que o bujão de dre-
nagem (2) esteja centralizado entre as esteiras.
2. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e
nivelada com ambos os acessórios sobre o solo.
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance-
lamento de funções na posição travada. Mante-
nha o pessoal não autorizado fora da área.
3. Coloque um recipiente sob o bujão de drenagem
(2) para recolher o combustível descartado.
4. Solte lentamente o bujão de drenagem (2) para
drenar água e sedimento. Quando começar a
fluir combustível limpo, aperte o bujão.
5. Verifique vazamento de combustível após aper-
tar o bujão de drenagem. Se houver vazamento,
desligue o motor e consulte o revendedor autori-
zado para reparo.
6-18
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DO ÓLEO DO MOTOR


5. Remova o bujão de drenagem de óleo do motor
e deixe o motor drenar completamente.
3
6. Após drenar o óleo, remova a mangueira de dre-
nagem e aperte a tampa de drenagem (1) firme-
4 mente. Remova qualquer resíduo de óleo
derramado.

1
1
2

BS07N032 Figura 30
3
5 1. FILTRO DE ÓLEO
2. CHAVE PARA FILTRO

7. Use a chave para filtros fornecida com a máquina


e gire no sentido anti-horário para remover o filtro
de óleo.

BS07N029 Figura 29

1. TAMPA DE DRENAGEM
2. TAMPA
3. VARETA DE NÍVEL
4. TAMPA DO BOCAL DE ENCHIMENTO
5. MANGUEIRA DE DRENAGEM

Substitua o óleo e o filtro de óleo com 50 horas no


período de amaciamento para uma máquina nova,
depois, a cada 250 horas. BS07N040 Figura 31
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme 8. Para instalar o filtro de óleo, aplique uma fina
e nivelada com ambos os acessórios sobre o camada de óleo do motor na junta (A) do novo
solo. Desligue o motor. Coloque a alavanca de filtro de óleo, encha parcialmente o filtro com
cancelamento de funções na posição travada. óleo do motor e depois, prenda o filtro apertando
Mantenha o pessoal não autorizado fora da 2/3 de uma volta completa com as mãos depois
área. que a junta estiver em contato com a cabeça do
2. Suspenda o capuz do motor. Remova a vareta filtro de óleo.
para permitir que o óleo escoe mais livremente.
NOTA: Verifique o óleo escoado. Se existir resíduos
3. Remova os parafusos e as tampas inferiores do de metal no óleo, entre em contato com o revendedor
cárter. autorizado. Não reutilize o filtro de óleo.
4. Localize o bujão de drenagem de óleo do motor e 9. Limpe o bujão de drenagem de óleo e instale-o.
coloque um recipiente de óleo [capacidade para Aperte firmemente.
7L (2 gal)] sob o bujão. Anexe a mangueira de
drenagem rápida (5) e drene o óleo no recipiente.

6-19
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

10. Verifique o óleo drenado quanto a qualquer 2. Movimente a esteira de borracha de modo que
depósito de metal ou partículas. Se encontrar as extremidades de junção (marca M) alcancem
detritos entre em contato com o revendedor. a posição superior central.
11. Encha com o volume especificado de óleo, atra-
vés do bocal de enchimento (4) e instale a tampa
do bocal.
12. Antes de dar partida no motor, verifique o nível
de óleo usando a vareta de medição (3). O nível
deve estar entre as marcas L (baixo) e H (alto),
como mostrado. Dê a partida e deixe o motor 1
funcionar por cinco minutos. Desligue o motor e
verifique novamente o nível de óleo após 30
minutos. Adicione óleo, se necessário.
13. Instale a tampa inferior (2) em sua posição origi-
nal.
BS07N042 Figura 34
ESTEIRAS E COMPONENTES 3. Movimente a estrutura superior a 90° da estrutura
Verifique a tensão da esteira de borracha a cada 50 da esteira. Opere o acessório posicionando-o no
horas. chão, como ilustrado, e gradualmente abaixe a
lança para levantar um lado da máquina. Apoie a
estrutura inferior de translação com um suporte
seguro (1).

2
1

DC04C300 Figura 32
A abrasão na esteira de borracha varia dependendo
das condições de trabalho. Verifique frequentemente
quanto a desgaste e tensão, particularmente com rela- 3 4
ção a uma esteira nova, uma vez que haverá um esti- BS07N043 Figura 35
camento inicial durante as primeiras 30 horas de
operação. 1. ESTRUTURA DA ESTEIRA
2. ROLETE INFERIOR
1. Inspecione visualmente as sapatas da esteira 3. ESTEIRA DE BORRACHA
quanto a sinais de desgaste excessivo ou danos. 4. SAPATA DE FERRO

4. Meça a folga no centro da esteira, entre a base


da estrutura da esteira e a superfície da sapata
da esteira.
Medição de Folga (A)
Esteira de borracha 70 – 80 mm (2.76 – 3.15 in.)
Sapata de ferro: 115 – 130 mm (4,53 – 5,12 in.)
Se a tensão da esteira não estiver dentro das espe-
cificações, faça os ajustes na esteira.
NOTA: Se estiver trabalhando em solo firme, duro, é
recomendado ter maior tensão na esteira. Se o traba-
lho for em cascalho solto ou pedra, é recomendado
BS07N041 Figura 33 uma menor tensão na esteira.

6-20
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

2
DC04C307 Figura 36 1

ADVERTÊNCIA
A graxa no mecanismo de tensionamento da esteira BS07N045 Figura 38
está sob extrema pressão e pode penetrar na pele
causando ferimentos graves. Mantenha o rosto e o 1. GRAXEIRA
corpo sempre longe da área da graxeira. Nunca solte 2. CILINDRO DE GRAXA
a graxeira mais de 1 (uma) volta completa. Se a gra-
A. ENCHIMENTO COM GRAXA
xa não liberar após dar 1 (uma) volta na graxeira, en-
B. PRESSÃO
tre em contato com o revendedor autorizado para
assistência. A falha no cumprimento pode resultar
AJUSTE PARA MAIOR TENSÃO DA ESTEIRA
em morte ou ferimentos graves.
M1720

BS07N048 Figura 39
1. Para aumentar a tensão da esteira, injete graxa
BS07N044 Figura 37
para extrema pressão Nº2 na graxeira de ajuste
5. A graxa no mecanismo de tensionamento da
da roda tensora (1) com uma pistola de graxa,
esteira está sob extrema pressão e pode pene-
até que a tensão adequada seja alcançada.
trar na pele causando ferimentos graves. Mante-
nha o rosto e o corpo sempre longe da área da NOTA: Se o ajuste na esteira não puder ser mantido,
graxeira. Nunca solte a graxeira mais de 1 (uma) o cilindro de graxa pode precisar de reparo. Entre em
volta completa. Se a graxa não liberar após dar 1 contato com o Revendedor Autorizado.
(uma) volta na graxeira, entre em contato com o
revendedor autorizado para assistência.

6-21
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

AJUSTE PARA TENSÃO MENOR DA ESTEIRA REMOVENDO A ESTEIRA DE BORRACHA

1
1

BS07N046 Figura 40 BS07N042 Figura 42


1. Solte gradualmente a graxeira para descarregar 1. Matenha todo pessoal não autorizado fora da
graxa sob pressão. Não solte a graxeira mais do área. Estacione a máquina sobre superfície firme
que 1 (uma) volta. e nivelada. Movimente a estrutura superior a 90°
2. Se a graxa não descarregar adequadamente, da estrutura da esteira. Opere o acessório posi-
movimente a máquina para frente e para trás. cionando-o no chão, como ilustrado, e gradual-
mente abaixe a lança para levantar um lado da
máquina. Apoie a estrutura inferior de translação
1 com um suporte seguro (1).

BS07N047 Figura 41
3. Após a graxa ter sido descarregada, aperte a BS07N046 Figura 43
graxeira.
2. Solte gradualmente a graxeira para descarregar
Torque: 73,5 ± 14,7 Nm (54,2 ± 10,8 lbf.ft). Movi-
graxa sob pressão. Solte a graxeira menos de 1
mente a máquina para frente e para trás para
(uma) volta. A graxa escoará da graxeira (2).
confirmar a tensão correta da esteira. Se neces-
sário, ajuste novamente.

BS07N049 Figura 44
3. Insira três tubos de aço na esteira de borracha
dianteira inferior, depois, lentamente gire a roda
dentada para trás movimentando a esteira.
4. Pare a rotação quando a esteira de borracha se
separar da roda tensora. Desligue o motor.
5. Deslize a esteira sobre os tubos de açõ para
removê-la.
6-22
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DA ESTEIRA DE BORRACHA

2 6
1
5

BS07N042 Figura 45
1. Estacione a máquina sobre superfície dura e nive-
lada. Movimente a estrutura superior a 90° da
estrutura da esteira. Opere o acessório posicio-
nando-o no chão, como ilustrado, e gradualmente
abaixe a lança para levantar um lado da máquina.
Desligue o motor. Apoie a estrutura inferior de 7
translação com um suporte seguro (1).
3

BS07N050 Figura 47

1. ROLETE INFERIOR
2. ESTEIRA DE BORRACHA
3. RODA DENTADA
1 4. RODA TENSORA
5. ALTURA DOS LÓBULOS DE BORRACHA
6. NÚCLEO DE METAL
BS07N049 Figura 46
7. MOTOR DE TRANSLAÇÃO
2. Encaixe a esteira de borracha com a roda den-
tada e pendure-a sobre a roda tensora. 5. Pare a rotação da roda dentada para confirmar
3. Insira três tubos de aço na parte dianteira inferior se a esteira de borracha está firmemente encai-
da esteira de borracha, depois, lentamente gire a xada na roda dentada, na roda tensora e nos
roda dentada para trás. Quando a esteira de bor- roletes inferiores. Veja a ilustração.
racha se separar da roda tensora, pare a rota- 6. Verifique a tensão da esteira e faça qualquer
ção. Desligue o motor. ajuste necessário.
4. Deslize a esteira de borracha sobre os tubos de 7. Se a tensão estiver correta, abixe a máquina até
aço para instalar. o chão.

6-23
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

INSPECIONE AS CONDIÇÕES DA CORREIA DO AJUSTANDO A CORREIA DO VENTILADOR


ALTERNADOR
1. Solte levemente o parafuso de fixação (1) e o
Faça a inspeção visual da correia dirariamente. A parafuso de ajuste (2).
tensão da correia deve ser verificada após as primei-
ras 50 horas do tempo de amaciamento, e depois a 2. Solte o parafuso de ajuste (3), ajuste a correia
cada 250 horas. do ventilador na tensão correta, e aperte os
parafusos (1) e (2).
3. Após o ajuste, deixe o motor funcionar em mar-
3 cha lenta por aproximadamente 5 minutos,
então, verifique novamente a tensão da correia.
2 Tensão Tensão
de Correia Nova de Correia Usada
8 – 12 mm 10 – 14 mm
(5/16 – 7/16 inch) (3/8 – 1/2 inch)
1
NOTA: Uma correia usada é aquela que tenha funci-
onado por 5 minutos ou mais.
BS07N031 Figura 48

1. PARAFUSO DE FIXAÇÃO
2. PARAFUSO DE AJUSTE
3. PARAFUSO DE AJUSTE

ADVERTÊNCIA
Perigo de Enredamento – Fique longe! Peças gira-
tórias da máquina. Mantenha anteparos instalados
para ajudar a proteger contra o enredamento de
roupas e ferimentos. Vista roupas justas. A falha no
cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos
graves.
M124B

Verifique a correia quanto a tensão insuficiente, des-


gaste ou danos. Uma correia frouxa pode causar
falha de carga nas baterias, superaquecimento do
motor ou desgaste anormal da correia. Se for apli-
cada muita tensão, os rolamentos ou a correia
podem ser prematuramente danificados.

6-24
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

FILTRO DE RETORNO HIDRÁULICO

1
2

1 3
2
6 7

4
8
5
BS07M861 Figura 49
Substitua o filtro de retorno hidráulico com 50 horas
durante o período de amaciamento para máquina
nova, e depois, a cada 1000 horas. Se estiver
usando um martelete ou cortador substitua o filtro de
retorno a cada 250 horas a partir da primeira substi-
tuição.
1. Coloque a máquina na posição de verificação do
fluido hidráulico sobre uma superfície firme e
nivelada.
2. Certifique-se de remover toda pressão hidráulica
do sistema.

ADVERTÊNCIA
O fluido hidráulico está sob pressão extrema. Certifi-
que-se de descarregar toda pressão no sistema BS07N129 Figura 50
hidráulico. A falha no cumprimento pode resultar em
morte ou ferimentos graves. 5. Pressione a válvula (várias vezes: 5 a 7 vezes)
M1295 junto com a tampa do respiro (8) e drene o reser-
vatório de fluido da pressão restante.
3. Abra a tampa to reservatório hidráulico e prenda-a
com o suporte. 6. Remova o parafuso (1), a arruela da mola (2) e a
tampa (3) da superfície superior do reservatório.
4. Limpe qualquer sujeira da área do filtro para evi-
tar contaminação no sistema hidráulico. 7. Remova a mola (4), a válvula (5) e o elemento
(6) para fora do reservatório.
8. Substitua o anel-O (7) encaixado na tampa (3).
9. Limpe as peças removidas com óleo.
10. Instale o elemento usando a sequência inversa
do procedimento de desmontagem.
11. Instale a tampa (3).
Torque de aperto: 23,5±2 Nm {17±1,4 lbf.ft}
12. Dê a partida e deixe o motor em marcha lenta.
Movimente os controles da máquina para remo-
ver o ar do sistema. Depois, coloque a máquina
em posição para verificação do nível de fluido.
Desligue o motor e verifique o nível de fluido adi-
cionando fluido, se necessário.
13. Feche a tampa do reservatório de fluido hidráu-
lico e trave.

6-25
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

MANUTENÇÃO DE 250 HORAS


SUBSTITUIÇÃO DO ÓLEO DO MOTOR 5. Remova o bujão de drenagem de óleo do motor
e deixe o óleo escoar completamente.

3 6. Após a drenagem do óleo, remova a mangueira


de drenagem e aperte firmemente a tampa de
drenagem (1). Remova qualquer resíduo de óleo
4 derramado.

1 1
2

2
BS07N032 Figura 52

3 1. FILTRO DE ÓLEO
5 2. CHAVE PARA FILTRO

7. Use a chave para filtros fornecida com a


máquina e gire no sentido anti-horário para
remover o filtro de óleo.

BS07N029 Figura 51

1. TAMPA DE DRENAGEM
2. TAMPA
3. VARETA DE NÍVEL
4. TAMPA DO BOCAL DE ENCHIMENTO
5. MANGUEIRA DE DRENAGEM

1. Substitua o óleo e o filtro de óleo com 50 horas


no período de amaciamento de uma máquina
nova, e depois, a cada 250 horas. BS07N040 Figura 53

2. Coloque a máquina sobre superfície firme e 8. Para instalar o filtro de óleo, aplique uma fina
nivelada e posicione a caçamba / acessório no camada de óleo do motor na junta (A) do novo
chão. Desligue o motor. Suspenda o capuz do filtro de óleo, encha parcialmente o filtro com
motor. Remova a vareta de nível para deixar o óleo do motor e depois, prenda o filtro apertando
óleo escoar mais livremente. 2/3 de uma volta completa com as mãos depois
que a junta estiver em contato com o cabeote do
3. Remova os parafusos e as tampas inferiores do filtro de óleo.
cárter
NOTA: Não reutilize o filtro de óleo usado.
4. Localize o bujão de drenagem de óleo do motor
e coloque um recipiente vazio com capacidade 9. Limpe o bujão de drenagem de óleo e instale.
para 7 L (2 gal) sob o bujão. Anexe a mangueira Aperte firmemente.
de drenagem rápida (5) e drene o óleo no recipi-
ente.

6-26
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

10. Verifique o óleo drenado quanto a depósitos de INSPEÇÃO E AJUSTE DA CORREIA DO


metal ou partículas. Entre em contato com o VENTILADOR E ALTERNADOR
revendedor se encontrar qualquer detrito. Verifique e ajuste a correia do ventilador e alternador
11. Encha com o volume especificado de óleo, atra- a cada 250 horas.
vés do bocal de enchimento (4) e instale a tampa
do bocal de enchimento.
3
12. Antes de dar partida no motor, verifique o nível
de óleo usando a vareta de medição (3). O nível
deve estar entre os limites L (baixo) e H (alto), 2
como mostrado. Dê partida e deixe o motor em
funcionamento por cinco minutos. Desligue o
motor e verifique novamente o nível de óleo
após 30 minutos. Adicione óleo se necessário. 1
13. Instale a tampa (2) em sua posição original.
BS07N031 Figura 54

1. PARAFUSO DE FIXAÇÃO
2. PARAFUSO DE AJUSTE
3. PARAFUSO DE AJUSTE

ADVERTÊNCIA
Perigo de Enredamento – Fique longe! Peças gira-
tórias da máquina. Mantenha anteparos instalados
para ajudar a proteger contra o enredamento de
roupas e ferimentos. Vista roupas justas. A falha no
cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos
graves.
M124B

Verifique a correia quanto a tensão insuficiente, des-


gaste ou danos. Uma correia frouxa pode causar
falha de carga nas baterias, superaquecimento do
motor ou desgaste anormal da correia. Se for apli-
cada muita tensão à correia, os rolamentos ou a cor-
reia podem ser prematuramente danificados.

6-27
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

AJUSTE DA CORREIA DO VENTILADOR PONTOS DE LUBRIFICAÇÃO DOS PINOS DA


LÂMINA
1. Solte levemente o parafuso de fixação (1) e o
parafuso de ajuste (2).
ADVERTÊNCIA
2. Solte o parafuso de ajuste (3) e ajuste a correia
do ventilador para corrigir a tensão, e ajuste os A máquina e o acessório não devem ser movimen-
parafusos (1) e (2). tados durante a lubrificação. Se uma posição dife-
rente for necessária: limpe a área, movimente o
3. Após o ajuste, deixe o motor em marcha lenta
acessório, desligue o motor e lubrifique o acessório.
por aproximadamente 5 minutos, depois, verifi-
Repita este procedimento até que o acessório seja
que novamente a tensão da correia.
completamente lubrificado. A falha no cumprimento
pode resultar em morte ou ferimentos graves.
Tensão Tensão
M1719
de Correia Nova de Correia Usada
8 – 12 mm 10 – 14 mm
(5/16 – 7/16 inch) (3/8 – 1/2 inch) 3

NOTA: Uma correia usada corresponde a uma cor-


1
reia que tenha funcionado por 5 minutos ou mais. 2
3
TORQUE DOS PARAFUSOS E PORCAS
Quando o horímetro registrar 250 horas, verifique
todos os parafusos e porcas quanto ao torque espe-
cificado. Veja "Especificações de Torque de Aperto
dos Parafusos" na página 9-11.

BS07N035 Figura 55

1. PINO DA HASTE DO CILINDRO DA LÂMINA (1)


2. PINO DA BASE DO CILINDRO DA LÂMINA (1)
3. PINO DA BASE DA LÂMINA (2)

Quando a máquina é nova, durante as primeiras 50


horas de operação, lubrifique o acessório, a lança, o
braço e o giro da lança a cada 8 horas. Após o perí-
odo inicial de amaciamento, lubrifique a cada 250
horas.
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme
e nivelada, com ambos os acessórios sobre o
solo. Desligue o motor. Coloque a alavanca de
cancelamento de funções na posição travada.
Mantenha o pessoal não autorizado fora da
área.
2. Limpe a graxeira antes de lubrificar. Substitua
qualquer graxeira danificada.
3. Lubrifique com uma pistola de graxa todas as
graxeiras mostradas. Limpe qualquer vazamento
de graxa da conexão do pino.
NOTA: Descarte todo detrito, conforme as regula-
mentações ambientais.

6-28
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

LUBRIFICAÇÃO DO ROLAMENTO DE GIRO PONTOS DE LUBRIFICAÇÃO DO GIRO DA


LANÇA,

BS07N130 Figura 56
2
Lubrifique o rolamento de giro adicionando graxa em BS07N034 Figura 58
cada graxeira (4 locais) até que a graxa saia das gra- 1. PINO DA BASE DO CILINDRO DE GIRO (1)
xeiras. 2. PINO DA HASTE DO CILINDRO DE GIRO (1)
3. PINO DE ARTICULAÇÃO DA
ESTRUTURA / SUPORTE DE GIRO (2)
PONTOS DE LUBRIFICAÇÃO DA LANÇA, BRAÇO 4. ENGRENAGEM DE GIRO (1)
E ACESSÓRIO
1. Movimente a máquina para uma superfície firme
4 e nivelada e posicione a caçamba / acessório no
1 5 chão. Desligue o motor.

7 2. Limpe a graxeira antes de lubrificar. Substitua


qualquer graxeira danificada.
8 3. Lubrifique com uma pistola de graxa todas as
graxeiras mostradas. Limpe qualquer graxa que
3 vaze para fora da conexão do pino.
2 NOTA: Descarte todo detrito conforme as regula-
6 mentações ambientais.

BS07N033 Figura 57

1. PINO DA BASE DA LANÇA (1)


2. PINO DA BASE DO CILINDRO DA LANÇA (3)
3. PINO DA HASTE DO CILINDRO DA LANÇA (1)
4. PINO DA BASE DO CILINDRO DO BRAÇO (1)
5. PINO DA HAESTE DO CILINDRO DO BRAÇO (1)
6. PINO DE ARTICULAÇÃO LANÇA / BRAÇO (2)
7. PINO DA BASE DO CILINDRO DA CAÇAMBA (1)
8. PINO DA HASTE DO CILINDRO DA CAÇAMBA (1)

6-29
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

LIMPEZA E SUBSTITUIÇÃO DO FILTRO DE AR 6. Para limpar o elemento externo (1), aplique ar


DO MOTOR comprimido (menos de 0,3 MPa [43 psi]) para
Limpe o elemento do filtro de ar a cada 250 horas. cima e para baixo ao longo das dobras do ele-
Após ter limpado seis vezes, ou em intervalos de mento do filtro para remover poeira e outros con-
seis meses, o elemento deve ser substituido em 500 taminantes.
horas. Se algum dano for visível no filtro, substitua-o 7. Após a limpeza, use uma luz para verificar o
independente das horas de trabalho da máquina ou interior do elemento quanto a rasgos, furos ou
da manutenção programada. danos nas vedações. Substitua por um novo, se
necessário.
3 1 2 8. Encaixe o elemento externo (1) na carcaça.
9. Instale a tampa sobre as presilhas (2), dirigindo
a marca “TOP” na tampa para lado de entrada
10. A marca de posição TOP deve estar voltada
para cima. Certifique-se de evitar interferência
com a mangueira do ar de admissão. Incline a
carcaça do filtro de ar aproximadamente 15°
para o lado do motor.

SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO INTERNO


(SE EQUIPADO)
BS07N131 Figura 59
NOTA: Ao limpar o elemento externo, não remova o 3 1 2
elemento interno, para evitar que entre poeira no co-
letor de admissão.
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e
nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo.
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cancela-
mento de funções na posição travada. Mantenha o
pessoal não autorizado fora da área.
2. Solte as duas presilhas (2) da tampa do filtro de
ar.
3. Remova da carcaça o elemento externo (1) do
filtro de ar. BS07N131 Figura 61
11. O elemento interno é uma peça opcional. Para
4. Limpe o interior da carcaça do filtro de ar.
substitui-lo, remova o elemento interno (3).
5. Limpe o interior do filtro de ar com um pano seco
12. Instale o novo elemento interno (3) e o elemento
e livre de fiapos.
externo (1). Recoloque a tampa. Certifique-se de
que o anel-O vedador esteja corretamente posi-
cionado.
NOTA: Para máquinas equipadas com elemento du-
plo, o elemento interno deve ser substituido junta-
mente com o elemento externo. Não limpe o
elemento interno. Substitua apenas por um elemento
novo.

BS07N132 Figura 60

6-30
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DO FILTRO DE RETORNO HIDRÁULICO (USO DO MARTELETE)

1
2

1 3
2
6 7

4
8
5
BS07M861 Figura 62
Substitua o filtro de retorno hidráulico em 250 horas,
se estiver usando um acessório martelete / cortador.
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e
nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo.
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance-
lamento de funções na posição travada. Mante-
nha o pessoal não autorizado fora da área.

ADVERTÊNCIA
O fluido hidráulico está sob extrema pressão. Certifi-
que-se de descarregar toda pressão no sistema
hidráulico. A falha no cumprimento pode resultar em
morte ou ferimentos graves.
M1295

2. Remova a pressão do sistema hidráulico. BS07N129 Figura 63

3. Pressione a válvula (várias vezes: 5 a 7 vezes) 9. Limpe com óleo as peças removidas.
junto com a tampa do respiro (8) e descarregue
10. Instale o elemento seguindo o procedimento de
o reservatório de fluido hidráulico de qualquer
desmontagem na ordem inversa.
pressão restante.
11. Instale a tampa (3).
4. Abra a tampa do reservatório de fluido hidráulico
Torque de aperto: 23,5±2 Nm {17±1,4 lbf.ft}
e prenda-a com o suporte.
12. Dê partida e deixe o motor funcionar em marcha
5. Limpe qualquer sujeira da área do filtro para evi-
lenta. Movimente os controle da máquina para
tar contaminar o sistema hidráulico.
remover o ar do sistema. Depois, coloque a
6. Remova o parafuso (1), a arruela da mola (2) e a máquina em posição de verificação do nível de
tampa (3) da superfície superior do reservatório. fluido. Desligueo motor e verifique o nível de
7. Remova a mola (4), a válvula (5) e o elemento fluido, adicionando fluido, se necessário.
(6) para fora do reservatório. 13. Feche a tampa do reservatório de fluido hidráu-
8. Substitua o anel-O (7) encaixado na superfíce da lico e trave.
tampa (3).

6-31
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

MANUTENÇÃO DE 500 HORAS


LIMPE E DRENE O SEPARADOR DE ÁGUA
Verifique o separador de água a cada 8 horas. Limpe 1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme
e drene o separador de água do motor a cada 500 e nivelada, com ambos os acessórios sobre o
horas. solo. Desligue o motor. Coloque a alavanca de
cancelamento de funções na posição travada.
Mantenha o pessoal não autorizado fora da área
2. Inspecione visualmente o separador. Se o anel
vermelho (1) afundar atá a base da carcaça, não
há água presente.
3. Quando o anel flutuar, drene a água e os sedi-
mentos.
4. Abra a válvula (2) e drene até que seja descarre-
1 gado combustível limpo.
5. Os componentes do separador de água devem
ser removidos para limpeza. Tenha cuidado para
não perder o anel vermelho e a mola. Não use
gasolina para limpar os elementos do filtro.
2 Limpe qualquer combustível derramado.
4

5
8
6
3
BS07N135 Figura 64

7
4 BS07N137 Figura 66
6. Deixe a máquina esfriar. Abra a porta do motor,
8 empurre a manopla (2) do separador de água
5 para cima para a posição “CLOSE” (fechada) (C).
7. Solte o anel (9) para remover a carcaça (8) e
6 9 drene a água.
8. Após drenar a água, limpe o elemento (4) por
BS07N136 Figura 65 dentro e por fora. Substitua o anel-O.
1. BUJÃO DO RESPIRO DE AR 9. Instale o elemento (4) no corpo do separador de
2. MANOPLA (VÁLVULA DE COMBUSTÍVEL) água. Encaixe o anel-O (7) na carcaça (8) e
3. VÁLVULA DE DRENAGEM aperte.
4. ELEMENTO
5. ANEL (VERMELHO) 10. Empurre a manopla (2) para baixo para colocá-la
6. MOLA na posção “OPEN” (aberta).
7. ANEL-O 11. Após drenar a água e limpar, remova o ar do sis-
8. CARCAÇA tema de combustível.
9. ANEL

A. ENTRADA
B. SAÍDA
C. VÁLVULA DE COMBUSTÍVEL FECHADA
D. VÁLVULA DE COMBUSTÍVEL ABERTA

6-32
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DO FILTRO DE COMBUSTÍVEL


O filtro de combustível deve ser susbtituído a cada
500 horas. O filtro de combustível não deve ser reuti-
lizado. Deve ser substituído.

BD07N040 Figura 68
5. Aplique uma fina camada de graxa na vedação
do novo filtro de óleo. Instale e aperte com as
mãos, girando cerca de 2/3 de uma volta após a
vedação entrar em contato com o motor.
BS07N398 Figura 67
6. Dê partida e deixe o motor em marcha lenta por
ADVERTÊNCIA 5 minutos para verificar vazamentos.
7. Feche a porta do motor e instale a tampa locali-
Óleo e/ou componentes quentes podem causar
zada sob o motor.
queimaduras. O óleo deve estar na temperatura de
operação ao ser drenado. Evite contato com óleo e NOTA: Descarte todo detrito perigoso adequada-
componentes. A falha no cumprimento pode resul- mente, de acordo com as regulamentações ambien-
tar em morte ou ferimentos graves. tais locais.
M623

1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e


nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo.
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance-
lamento de funções na posição travada. Mante-
nha o pessoal não autorizado fora da área.
2. Desligue o motor e aguarde a máquina esfriar.
Abra a porta do motor e remova a tampa inferior.
3. Posicione a chave de filtros no cartucho do filtro
(1) e remova-o.
4. Limpe qualquer sujeira da face da vedação da
base do filtro para evitar contaminação.

6-33
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

LIMPEZA E SUBSTITUIÇÃO DO FILTRO DE AR 6. Para limpar o elemento externo (1), aplique ar


DO MOTOR comprimido (menos de 0,3 MPa [43 psi]) para
Limpe o elemento do filtro de ar a cada 250 horas. cima e para baixo ao longo das dobras do ele-
Após ter limpado seis vezes, ou em intervalos de mento do filtro para remover poeira e outros con-
seis meses, o elemento deve ser substituido em 500 taminantes.
horas. Se algum dano for visível no filtro, substitua-o 7. Após a limpeza, use uma luz para verificar o
independente das horas de trabalho da máquina ou interior do elemento quanto a rasgos, furos ou
da manutenção programada. danos nas vedações. Substitua por um novo, se
necessário.
3 1 2 8. Encaixe o elemento externo (1) na carcaça.
9. Instale a tampa sobre as presilhas (2), dirigindo
a marca “TOP” na tampa para lado de entrada
10. A marca de posição TOP deve estar voltada
para cima. Certifique-se de evitar interferência
com a mangueira do ar de admissão. Incline a
carcaça do filtro de ar aproximadamente 15°
para o lado do motor.

SUBSTITUIÇÃO DO ELEMENTO INTERNO


(SE EQUIPADO)
BS07N131 Figura 69
NOTA: Ao limpar o elemento externo, não remova o 3 1 2
elemento interno, para evitar que entre poeira no co-
letor de admissão.
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e
nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo.
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cancela-
mento de funções na posição travada. Mantenha o
pessoal não autorizado fora da área.
2. Solte as duas presilhas (2) da tampa do filtro de ar.
3. Remova da carcaça o elemento externo (1) do
filtro de ar.
BS07N131 Figura 71
4. Limpe o interior da carcaça do filtro de ar. 1. O elemento interno é uma peça opcional. Para
5. Limpe o interior do filtro de ar com um pano seco substitui-lo, remova o elemento interno (3).
e livre de fiapos. 2. Instale o novo elemento interno (3) e o elemento
externo (1). Recoloque a tampa. Certifique-se de
que o anel-O vedador esteja corretamente posi-
cionado.
NOTA: Para máquinas equipadas com elemento du-
plo, o elemento interno deve ser substituido juntamen-
te com o elemento externo. Não limpe o elemento
interno. Substitua apenas por um elemento novo.

BS07N132 Figura 70

6-34
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DO ÓLEO DO REDUTOR DE TRANSLAÇÃO


O óleo do redutor de translação deve ser substituido
em 500 horas para uma máquina nova. Depois
disso, substitua o óleo a cada 2000 horas.

2
3

BS07N670 Figura 74
1
5. Após drenar completamente o óleo, limpe o
bujão DRAIN (drenar). Use fita teflon no bujão
BS07N668 Figura 72
DRAIN para vedação adicional e instale-o.
1. ORIFÍCIO DE DRENAGEM Aperte firmemente.
2. ORIFÍCIO DE ENCHIMENTO
6. Adicione óleo do motor através da abertura FILL
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e (2) (encher) até que o óleo comece a fluir para
nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo. fora do orifício (3).
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance- 7. Limpe o bujão de óleo FILL (encher). Use fita
lamento de funções na posição travada. Mante- teflon no bujão para vedação adicional e ins-
nha o pessoal não autorizado fora da área. tale-o. Aperte firmemente o bujão.
2. Ao estacionar a máquina, certifique de que o ori- 8. Verifique o óleo drenado quanto a qualquer partí-
fício de drenagem (1) esteja para baixo. cula de metal. Se encontrar contaminantes entre
em contato com o revendedor.

ADVERTÊNCIA
O redutor de translação está sob pressão. Mante-
nha a face e o corpo longe do dreno. Nunca tente
fazer manutenção em uma máquina quente. Deixe a
máquina esfriar antes de qualquer manutenção. O
calor aumenta a pressão do óleo do redutor de
translação. Solte o bujão lentamente e utilize prote-
ção facial. A falha no cumprimento pode resultar em
morte ou ferimentos graves.
M1721

BS07N669 Figura 73
3. Desligue o motor e coloque um recipiente vazio
sob o bujão de drenagem.
4. Remova os bujões FILL (encher) e DRAIN (dre-
nar) de óleo, para drenar o óleo no recipiente.

6-35
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

MANUTENÇÃO DE 1000 HORAS


SUBSTITUIÇÃO DO LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO DO MOTOR
O líquido de arrefecimento do motor deve ser substi-
tuído a cada 1000 horas. Verifique o nível do líquido ADVERTÊNCIA
de arrefecimento do motor a cada 8 horas, como
O sistema de arrefecimento do motor opera sob
parte da mantuenção diária.
pressão controlada pela tampa de pressão do radia-
dor. É perigoso remover a tampa de pressão
enquanto o sistema estiver quente. Quando estiver
11 frio, use um tecido grosso e gire a tampa lentamente
até a primeira parada e deixe a pressão escapar
antes de removê-la totalmente. O líquido de arrefe-
cimento deve ser mantido longe da pele. Siga as
precauções apresentadas nas embalagens de
anti-congelante e inibidor de corrosão, onde utiliza-
dos. A falha no cumprimento pode resultar em morte
ou ferimentos graves.
B097

5. Substitua qualquer mangueira danificada. Con-


sulte "Substituição das Mangueiras do Radiador"
na página 6-37 para maiores informações.
6. Para drenar o radiador, coloque um pano grosso
3
3
na tampa do radiador e lentamente remova-a
para aliviar a pressão.
4
4
7. Drene o radiador pela mangueira de drenagem.
8. Após a drenagem, instale o bujão de drenagem
(2). Encha o sistema de arrefecimento com
líquido de limpeza do sistema, conforme instru-
ções da embalagem do líquido de limpeza.
22

5
UPW00400091J01 Figura 75
1. BRAÇADEIRA DA MANGUEIRA DO RADIADOR
2. TAMPA DO RADIADOR
3. MANGUEIRA DO RADIADOR

1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e


nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo.
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance-
lamento de funções na posição travada. Mante-
nha o pessoal não autorizado fora da área. TEMP ÁGUA

2. Abra o capuz do motor e prenda-o com o BS07N142 Figura 76


suporte. 9. Opere o motor a uma rotação ligeiramente mais
3. Verifique as mangueiras quanto a vazamentos alta que a de marcha lenta (5) para subir a tem-
devido a braçadeiras frouxas, ou mangueiras peratura do líquido de arrefecimento para 80°C
rachadas ou desgastadas. (176°F) ou para dentro do intervalo branco no
indicador de temperatura do líquido de arrefeci-
4. Aperte qualquer braçadeira frouxa. mento. Opere o motor por aproximadamente 10
minutos.

6-36
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

10. Desligue o motor. Deixe o sistema esfriar. Solte VERIFICAÇÃO DA FOLGA DAS VÁLVULAS DO
a tampa do radiador lentamente. Após ter cer- MOTOR
teza de que a pressão foi aliviada, empurre a Verifique e ajuste a folga das válvulas do motor a cada
tampa para baixo e segure enquanto gira para 1000 horas de operação do motor. Entre em contato
removê-la. Solte o bujão de drenagem do radia- com o revendedor autorizado para assistência.
dor (2). Lave o radiador (3) com água limpa até
que a água escoe limpa. VERIFICAÇÃO DO MOTOR DE ARRANQUE E O
11. Instale o bujão de drenagem do radiador (2). ALTERNADOR
Encha o radiador com uma mistura de 50% água Verifique o motor de arranque e o alternador a cada
limpa e 50% aditivo a base de etileno-glicol 1000 horas de operação do motor. Entre em contato
(Akcela Premium Anti-freeze – líquido de arrefe- com o revendedor autorizado para assistência.
cimento de longa vida). Dê partida e deixe o
motor funcionar para liberar totalmente o ar do
sistema de arrefecimento.
12. Desligue o motor. Deixe o motor esfriar. Verifique
o nível do líquido de arrefecimento. O nível de
líquido do reservatório (4) deve estar entre FULL
(cheio) e LOW (baixo). Ajuste o nível de acordo
com as especificações.
13. Verifique o sistema quanto a vazamentos e
repare se necessário. Feche a porta do motor.

SUBSTITUIÇÃO DAS MANGUEIRAS DO


RADIADOR
1. Drene o líquido de arrefecimento no recipiente
limpo para reutilização, se não for substituir o
líquido de arrefecimento.
2. Limpe as áreas onde a nova mangueira será
conectada.
3. Remova as braçadeiras (se for reutilizar braça-
deiras velhas) da mangueira velha e instale-as
na mangueira nova.
4. Cubra as extremidades internas da nova man-
gueira do radiador com graxa e instale-a. Aperte
as braçadeiras adequadamente.
5. Encha o radiador com líquido de arrefecimento.
6. Instale a tampa do radiador, dê partida no motor,
e traga a temperatura do motor para cerca de
90°C (194°F).
7. Funcione o motor em marcha lenta, verifique
quanto a vazamentos e repare, se necessário.
8. Instale a tampa inferior do radiador e feche o
capuz do motor.
NOTA: Consulte "LUBRIFICAÇÃO, FILTROS E
FLUIDOS" na página 6-1 sobre o líquido de arrefeci-
mento correto e capacidade do motor.
9. Inspecione a tampa do radiador quanto ao
encaixe e pressão corretos, e substitua se
necessário.

6-37
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DO FILTRO DE RETORNO HIDRÁULICO

1
2

1 3
2
6 7

4
8
5
BS07M861 Figura 77
Substitua o filtro de retorno hidráulico em 50 horas
no período de amaciamento quando a máquina for
nova. A partir daí, o filtro de retorno hidráulico deve
ser susbtituído a cada 1000 horas. Se estiver usando
um martelete ou cortador substitua o filtro de retorno
a cada 250 horas a partir da primeira substituição.
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e
nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo.
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance-
lamento de funções na posição travada. Mante-
nha o pessoal não autorizado fora da área.

ADVERTÊNCIA
O fluido hidráulico está sob extrema pressão. Certifi-
que-se de aliviar toda pressão no sistema hidráu-
lico. A falha no cumprimento pode resultar em morte BS07N129 Figura 78
ou ferimentos graves.
M1295
4. Pressione a válvula (várias vezes: 5 a 7 vezes)
junto com a tampa do respiro (8) e descarregue
2. Alivie a pressão no sistema hidráulico. Abra a o reservatório de fluido hidráulico de qualquer
tampa do reservatório de fluido hidráulico e pressão restante.
prenda-o com suporte. 5. Remova o parafuso (1), a arruela da mola (2) e a
3. Limpe qualquer sujeira na área do filtro para evi- tampa (3) da superfície superior do reservatório.
tar contaminação no sistema hidráulico. 6. Remova a mola (4), a válvula (5) e o elemento
(6) para fora do reservatório.
7. Substitua o anel-O (7) encaixado na superfíce da
tampa (3).
8. Limpe com óleo as peças removidas.
9. Instale o elemento seguindo o procedimento de
desmontagem na ordem inversa.
10. Instale a tampa (3).
Torque de aperto: 23,5±2 Nm {17±1,4 lbf.ft}
11. Dê partida e deixe o motor funcionando em mar-
cha lenta. Movimente os controle da máquina
para remover o ar do sistema. Depois, coloque a
máquina em posição de verificação do nível de
fluido. Desligue o motor e verifique o nível de
fluido, adicionando fluido, se necessário.
12. Feche a tampa do reservatório de fluido hidráu-
lico e trave.
6-38
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

MANUTENÇÃO DE 1500 HORAS


VERIFICAR SINCRONISMO DE INJEÇÃO
Verifique o sincronismo de injeção a cada 1500
horas de operação do motor. Entre em contato com
o revendedor autorizado para assistência.

6-39
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

MANUTENÇÃO DE 2000 HORAS


LIMPEZA DA PENEIRA DE SUCÇÃO
HIDRÁULICA 2
A peneira de sucção do reservatório hidráulico deve
3
ser limpa quando o horímetro do motor registrar
2000 horas e a cada 2000 horas depois disso. 4

1 2

BS07M861 Figura 79
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e
nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo.
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance-
lamento de funções na posição travada. Mante- BS07N143 Figura 81
nha o pessoal não autorizado fora da área.
5. Solte os quatro parafusos (2) e arruelas de trava-
ADVERTÊNCIA mento (3). Remova a tampa (4). Tenha cuidado
para não derrubar acidentalmente os parafusos
O fluido hidráulico está sob extrema pressão. Certifi- e porcas no reservatório durante este procedi-
que-se de aliviar toda pressão no sistema hidráu- mento.
lico. A falha no cumprimento pode resultar em morte
ou ferimentos graves.
M1295

2. Abra a tampa do reservatório de fluido hidráulico


e prenda-a com suporte.
7

BS07N144 Figura 82
6. Remova o tensor (5) e limpe com óleo ou
lavando-o. Se danificado, substitua.
7. Verifique os anéis-O (6) e (7) quanto a desgaste
ou dano. Se danificados, substitua-os.
BS07N146 Figura 80
3. Libere toda pressão do sistema hidráulico. Pres-
sione a válvula de 5 a 7 vezes junto com a tampa
do respiro (1).
4. Limpe qualquer sujeira da área do filtro para evi-
tar contaminação no sistema hidráulico.

6-40
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

2
3
4
5

BS07N145 Figura 83
8. Insira a peneira (5) no tubo de sucção. Instale a
tampa (4) com os parafusos (2) e as arruelas de
travamento (3). Aperte com um torque de
23,5±1,98 Nm (17±1,4 lbf.ft).
9. Dê partida no motor e opere am marcha lenta
por 5 a 7 minutos. Opere cada um dos cilindros e
giro. Retorne a máquina para a posição de veri-
ficção de nível de fluido hidráulico. Desligue o
motor e verifique o fluido hidráulico. Se o nível
estiver baixo, adicione fluido.

6-41
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

LIMPEZA DO FILTRO DA VÁLVULA PILOTO E VÁLVULA SOLENÓIDE


Limpe o filtro da válvula piloto e da válvula solenóide
quando o horímetro registrar 2000 horas.
O orifcio P das válvulas piloto direita e esquerda 4
(para operação e translação) e a válvula solenóide 5
estão equipadas com um conector com um filtro. A
sujeira que aderir ao filtro reduzirá a vazão de óleo.
2

1
3
3
1 2
BS07N147-B Figura 85
3. Solte os 2 parafusos (3) na caixa operacional
para remover a tampa.
4. Desconecte a mangueira (1) conectada ao orifício
P na válvula piloto (4), depois, remova o conector
BS07M861 Figura 84 com filtro (2).

ADVERTÊNCIA 5. Após a remoção, coloque um bujão no furo para


evitar a entrada de material estranho.
Óleo e/ou componentes quentes podem causar
6. Use proteção facial, lave o filtro com solvente de
queimaduras. O óleo deve estar na temperatura de
limpeza. Use ar comprimido para remover qual-
operação ao ser drenado. Evite contato com óleo e
quer material.
componentes. A falha no cumprimento pode resul-
tar em morte ou ferimentos graves.
M623

1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e


nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo.
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance-
lamento de funções na posição travada. Mante-
nha o pessoal não autorizado fora da área.

ADVERTÊNCIA
8
O fluido hidráulico está sob pressão extrema. Certifi-
que-se de que toda pressão seja liberada no sis- 7
tema hidráulico. A falha no cumprimento pode
resultar em morte ou ferimentos graves.
M1295 6

2. Alivie toda pressão no sistema hidráulico.

BS07N148 Figura 86
7. Verifique o anel-O (5) quanto a danos e substitua
se necessário.
8. Após limpar, instale-o na posição original na
ordem inversa. Consulte "Especificações de Tor-
que de Aperto dos Parafusos" na página 9-11.
9. Remova o filtro em linha (7) da válvula solenóide
(6) para limpeza.

6-42
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

10. Remova a proteção direita (8).


11. Após remover a mangueira, remova o conjunto 12
12
do filtro interno (7) do tubo instalado na válvula 99
solenóide (6). Após a remoção, os furos do tubo
e da mangueira de óleo devem ser conectados. 11
11 P

10
10

7a 7b 7c 7d 7e

BS07N149 Figura 87

7A.CARCAÇA
7B.PENEIRA
7C.ETIQUETA
UPW00400107J01 Figura 88
7D.ANEL-O 16. Remova o cotovelo com filtro (9) da válvula
7E.CONEXÃO piloto (10) para limpeza.
17. Remova o tapete do piso e a placa do piso. Des-
12. Remova a carcaça (7a) e a conexão (7e), e
conecte a mangueira (11) conectada no orifício P
então, remova a peneira (7b) com chave de
na válvula piloto (10). Remova o cotovelo (9).
fenda.
Após a remoção, coloque um bujão no furo para
13. Pulverize óleo ou ar na peneira (7b) para limpar. previnir a entrada de material estranho.
Limpe o interior da carcaça (7a). Verifique o
anel-O (7d) quanto a danos, e se estiver danifi-
cado, substitua por um novo.
14. Instale a peneira (7b) na conexão (7e) com a
chave de fenda e encaixe a carcaça do filtro 12
interno (7a).
Torque de aperto: 59 a 79 Nm {43 a 58 lbf.ft} 13
15. Remova o bujão, instale o conjunto do filtro
interno (7) na válvula solenóide (6) e, depois,
instale a mangueira (1).

9
BS07N150 Figura 89
18. A poeira tende a se acumular na parte interna do
cotovelo (9) (porção dentada). Limpe as peças
para evitar contaminação (porção projetada).
19. Verifique o anel-O (12) quanto a danos, e substi-
tua se estiver danificado.
20. Após a limpeza, instale na posição original na
ordem inversa de desmontagem. Consulte "Espe-
cificações de Torque de Aperto dos Parafusos" na
página 9-11 para apertar a mangueira (11).
21. Reinstale a placa e o tapete do piso.

6-43
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DO ÓLEO DO REDUTOR DE TRANSLAÇÃO


O óleo do redutor de translação deve ser substituido
em 500 horas para uma máquina nova. Depois
disso, substitua o óleo a cada 2000 horas.

2
3

BS07N670 Figura 92
1
5. Após drenar completamente o óleo, limpe o
bujão DRAIN (drenar). Use fita teflon no bujão
BS07N668 Figura 90
DRAIN para vedação adicional e instale-o.
1. ORIFÍCIO DE DRENAGEM Aperte firmemente.
2. ORIFÍCIO DE ENCHIMENTO
6. Adicione óleo do motor através da abertura FILL
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme (2) (encher) até que o óleo comece a fluir para
e nivelada, com ambos os acessórios sobre o fora do orifício (3).
solo. Desligue o motor. Coloque a alavanca de 7. Limpe o bujão de óleo FILL (encher). Use fita
cancelamento de funções na posição travada. teflon no bujão para vedação adicional e ins-
Mantenha o pessoal não autorizado fora da tale-o. Aperte firmemente o bujão.
área.
8. Verifique o óleo drenado quanto a qualquer partí-
2. Ao estacionar a máquina, certifique de que o ori- cula de metal. Se encontrar contaminantes entre
fício de drenagem (1) esteja para baixo. em contato com o revendedor.

ADVERTÊNCIA
O redutor de translação está sob pressão. Mante-
nha a face e o corpo longe do dreno. Nunca tente
fazer manutenção em uma máquina quente. Deixe a
máquina esfriar antes de qualquer manutenção. O
calor aumenta a pressão do óleo do redutor de
translação. Solte o bujão lentamente e utilize prote-
ção facial. A falha no cumprimento pode resultar em
morte ou ferimentos graves.
M1721

BS07N669 Figura 91
3. Desligue o motor e coloque um recipiente vazio
sob o bujão de drenagem.
4. Remova os bujões FILL (encher) e DRAIN (dre-
nar) de óleo, para drenar o óleo no recipiente.

6-44
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DO ÓLEO DOS ROLETES SUPERIORES E INFERIORES

5
1
2
3
4
6 5
BS07N260 Figura 94
2. Solte a esteira de borracha. Solte os parafusos
BS07N259 Figura 93 (1) do rolete inferior cerca de uma volta.
1. MOTOR DE TRANSLAÇÃO 3. Dê partida no motor e suspenda o lado da
2. RODA DENTADA máquina com a lança e o braço.
3. ROLETE INFERIOR 4. Apoie a máquina com um suporte de segurança
4. ESTEIRA
(5). Desligue o motor.
5. ROLETE SUPERIOR
6. RODA TENSORA

As rodas tensoras devem ser removidas da estrutura 3 4


da esteira para substituição do óleo. Consulte "Espe-
cificações dos Lubrificantes" na página 6-6 quanto
ao volume necessário. 1 1

ADVERTÊNCIA 2 2
Tocar superfícies quentes pode causar queimadu-
ras. O motor e os componentes estarão quentes
após a máquina ter sido operada. Aguarde o motor
e os componentes esfriarem antes de executar BS07N261 Figura 95
qualquer serviço na máquina. A falha no cumpri-
mento pode resultar em morte ou ferimentos graves. 5. Remova os parafusos (1) com arruelas (2) que
M1393 instalam o rolete inferior na estrutura da esteira
em duas posições. Remova o rolete inferior (3).
ADVERTÊNCIA 6. Remova o bujão do orifício de alimentação (4)
com uma chave allen, e drene o óleo usado.
A graxa no mecanismo de tensinamento da esteira 7. Encha com o volume especificado (35 cm3 ou
está sob extrema pressão e pode penetrar a pele 2,1 in3) de óleo para motor através do orifício de
causando ferimentos graves. Mantenha o rosto e o alimentação.
corpo longe da área da graxeira. Nunca solte a gra-
8. Aplique fita de vedação (teflon) na rosca do
xeira mais de 1 (uma) volta completa. Se a graxa não
bujão (4) e aperte-o firmemente. Limpe bem o
escoar após 1 (uma) volta completa, entre em conta-
óleo aderido nos contornos externos.
to com o revendedor autorizado para assistência.
M1720 9. Aplique Loctite #262 na rosca dos parafusos (1)
e instale temporariamente o rolete inferior (3) na
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e estrutura da esteira.
nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo. 10. Remova o suporte de segurança que apoia a
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance- máquina, e depois, aperte o parafuso (1).
lamento de funções na posição travada. Mante- Torque de aperto: 208 ± 21 Nm {153 ± 15 lbf.ft}
nha o pessoal não autorizado fora da área. 11. Suspenda a máquina para ajustar a tensão da
esteira. Consulte "Ajuste para Tensão Menor da
Esteira" na página 6-22.

6-45
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DO ÓLEO DA RODA TENSORA

3
2
1

6
5
4
3

BD07N262 Figura 96

ADVERTÊNCIA BS07N263 Figura 97

A verificação e o ajuste da tensão da esteira requer NOTA: Verifique o óleo usado drenado. Se houver
que a máquina seja suspensa do chão uma esteira partículas de metal no óleo, entre em contato com o
de cada vez. O abaixamento inesperado da máquina revendedor autorizado. NÃO reutilize o filtro de óleo.
pode causar ferimentos ou morte. Não opere a lança 6. Aplique fita de vedação (teflon) nas roscas do
enquanto estiver ajustando a esteira. A falha no cum- bujão (3) e aperte-o firmemente. Limpe qualquer
primento pode resultar em ferimentos ou morte. óleo restante.
M1720
7. Aplique graxa na face deslizante (A) no pistão (4)
1. Este é um procedimento que requer duas pes- e no cilindro (5) do ajustador da roda tensora (2).
soas. Consulte "Removendo a Esteira de Borra- 8. Instale a roda tensora de forma que o bujão de
cha" na página 6-22 e "Substituição da Esteira drenagem / enchimento (3) da roda tensora e a
de Borracha" na página 6-23. graxeira (6) do ajustador da roda tensora (2)
2. Remova a esteira de borracha. Coloque um estejam voltados para fora.
suporte de segurança sob a máquina. 9. Instale a esteira de borracha.
3. Remova a roda tensora (1) e o ajustador (2) da 10. Ajuste a tensão da esteira de borracha. Consulte
estrutura da esteira. "Ajuste para Tensão Menor da Esteira" na
Peso da roda tensora + Ajustador da roda ten- página 6-22. Suspenda a máquina para fora do
sora = aproximadamente 40 kg (88 lb) suporte de segurança e lentamente abaixe a
4. Remova o bujão de drenagem / enchimento (3) máquina até o chão.
com uma chave Allen para drenar o óleo usado.
5. Encha a roda tensora com (80 cm3 [4,8 in3]) com
o óleo especificado, através do orifício de drena-
gem / enchimento.

6-46
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DO ÓLEO DOS ROLETES 9. Instale o rolete na ordem inversa da desmonta-


SUPERIORES gem. Aplique selante de travamento de rosca
(Three Bond #1324) na rosca dos parafusos (3),
6 e aperte os parafusos.
Torque de aperto: 66±7 Nm {48±5 lbf.ft}

SUBSTITUIÇÃO DA GRAXA DA ENGRENAGEM


DE GIRO
Se a máquina for operada em uma profundidade de
água próxima à graxa da engrenagem do rolamento
de giro, a água pode se misturar com a graxa e cau-
1 2 3 sar sua deterioração. A operação continuada com
graxa deteriorada causará danos às engrenagens e
5 ao rolamento. Entre em contato com o revendedor
para manutenção e inspeção.
BS07N264 Figura 98
Este procedimento deve ser concluído por um profis-
1. As esteiras devem ser removidas para execução sional de serviço qualificado.
de serviços nas rodas tensoras. Consulte
"Removendo a Esteira de Borracha" na página VERIFICAÇÃO DA VEDAÇÃO DAS VÁLVULAS DE
6-22 e "Substituição da Esteira de Borracha" na ADMISSÃO E DE ESCAPE DO MOTOR
página 6-23. Para assegurar a vedação das válvulas de escape e
2. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e de admissão do motor, entre em contato com o
nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo. revendedor para serviços e inspeção. Este procedi-
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance- mento deve ser executado por um profissional de
lamento de funções na posição travada. Mante- serviço qualificado.
nha o pessoal não autorizado fora da área.
3. Solte a esteira de borracha (6).
4. Suspenda a esteira de borracha com um
macaco hidráulico (5).

1 2 3

BS07N265 Figura 99

5. Solte as porcas (2) e os parafusos (3) usados na


montagem do rolete superior (1) na máquina e
remova-o.
6. Remova o bujão do orifício de drenagem / enchi-
mento de óleo (4) com uma chave Allen, e drene
o óleo usado.
7. Encha o rolete superior com 45 cm3 [2,7 in3] com
o óleo especificado, através do orifício de drena-
gem / enchimento.
8. Aplique fita de vedação (teflon) nas roscas no
bujão (4) e aperte-o firmemente. Limpe comple-
tamente qualquer óleo restante.

6-47
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

MANUTENÇÃO DE 5000 HORAS


SUBSTITUIÇÃO DO FLUIDO HIDRÁULICO

2
3
4
5

BS07N268 Figura 100


BS07N269

ADVERTÊNCIA 8. Aperte o bujão de drenagem (1).


Torque de aperto 73,5 ± 5 Nm (54,2 ± 3,7 lbf.ft)
O fluido hidráulico está sob extrema pressão. Certifi-
que-se de que toda pressão tenha sido liberada no 9. Solte os quatro parafusos (2) e arruelas de trava-
sistema hidráulico. A falha no cumprimento pode mento (3). Remova a tampa (4).
resultar em morte ou ferimentos graves.
M1295
10. Verifique o anel-O quanto a danos e substitua se
necessário.
1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme e
nivelada, com ambos os acessórios sobre o solo. NOTE: Tenha cuidado para não derrubar os
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance- parafusos e as porcas dentro do reservatório de
lamento de funções na posição travada. Mante- fluido hidráulico. Não permita que o fluido entre em
nha o pessoal não autorizado fora da área. contato com a pele.
2. Estacione a máquina de forma que o bujão de 11. Encha o reservatório de fluido hidráulico com
drenagem (1) no reservatório de fluido hidráulico fluido através do orifício de enchimento (F), con-
fique a meio caminho entre ambas as esteiras. forme especificações da máquina.
Certifique-se de que toda pressão seja removida 12. Instale a tampa (4) com os parafusos (2) e as
do sistema hidráulico. arruelas de travamento (3).
3. Remova a guarda do lado direito. Torque de aperto:23,5 ± 2 Nm (17 ± 1.4 lbf ft)
4. Abra a tampa do reservatório de fluido hidráulico 13. Instale a guarda do lado direito.
com a chave do motor e mantenha-a aberta com
o suporte. 14. Após dar partida no motor, deixe-o funcionar em
marcha lenta. Movimente cada cilindro e o sis-
5. Limpe a sujeira do filtro para evitar contaminação
tema de giro. Retorne a máquina para a posição
do sistema hidráulico.
de verificação de nível de fluido e verifique o
6. Pressione a válvula 5 a 7 vezes junto com a nível do fluido.
tampa do respiro (8), e alivie a pressão restante
do reservatório de fluido hidráulico.
7. Coloque um recipiente (40 L [11 gal]) sob o bujão
de drenagem (1). Remova o bujão (1) com uma
chave de 27 mm e drene o óleo restante.

6-48
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

PROCEDIMENTOS ESPECIAIS
CAÇAMBA

ADVERTÊNCIA
Para ajudar a evitar ferimentos pessoais durante a operação e a manutenção, use saptos de segurança, capa-
cete, óculos de proteção e roupas de trabalho adequadas. A falha no cumprimento pode resultar em morte ou
ferimentos graves.
M110B

ABRASÃO OU DANO NAS PONTAS DOS


DENTES E CORTADORES LATERAIS
Verifique o desgaste e / ou folga nos dentes da
7
caçamba. A vida dos dentes não pode ser determi-
nada somente pelo número de horas de operação.

6
2
BS07N272-B Figura 103

6. BLOCO DE SEGURANÇA
7. MARTELO
8. PUNÇÃO

1. Usando um martelo e uma ferramenta de pun-


BS07N270 Figura 101
ção, martele para fora o pino de travamento.
Ao substituir um dente da caçamba ou cortadores
Tecnha cuidado para não danificar o pino de tra-
laterais, bloqueie a caçamba de forma segura para
vamento de borracha (3).
evitar ferimentos.
Substitua o dente da caçamba se pequenos furos
aparecerem na ponta ou quando as linhas da borda
da ponta estiverem desgastadas.

3 4

1
2 BS07N273 Figura 104

2. Inspecione o pino de travamento (4) e o pino


trava de borracha (3). Substitua-os se o pino de
5 travamento (4) estiver muito curto ou o pino
trava de borracha (3) estiver em más condições.
BS07N271 Figura 102 3. Limpe a superfície do nariz adaptador (1) com
uma espátula para remover qualquer resíduo de
1. ADAPTADOR
solo aderido.
2. PONTA DO DENTE
3. PINO DE TRAVAMENTO DE BORRACHA 4. Encaixe a ponta dentada (2) no nariz do adapta-
4. PINO DE TRAVAMENTO dor (1).
5. NARIZ DO ADAPTADOR 5. Empurre o pino trava de borracha (3) no furo do
nariz do adaptador (1).
6. Direcione o pino de travamento (4) até que ele
esteja alinhado com a face da ponta.
6-49
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DOS CORTADORES LATERAIS SUBSTITUIÇÃO DA CAÇAMBA

1
BS07N274 Figura 105
1. Remova toda areia e solo aderido ao redor dos
parafusos. Use um maçarico de acetileno para cor-
tar os parafusos, depois, remova o cortador lateral.
2. Limpe a face de montagem e instale um novo
cortador lateral. Ao substituir o cortador lateral,
substitua os parafusos e porcas por novos.
3. Torque de aperto: 115±12 Nm {84,6±8,7 lbf.ft}
4. Após apertar as porcas, aplique um ponto de
solda sobre elas.
3
2 2 9 4 5
BS07N276 Figura 107

2 ADVERTÊNCIA
Sempre use ferramentas apropriadas para alinhar
orifícios. NÃO USE AS MÃOS OU OS DEDOS. A
1 4 falha no cumprimento pode resultar em morte ou
ferimentos graves.
B020A

3
1. Opere cuidadosamente a lança e o braço para
DC04C362 Figura 106
remover a carga dos pinos.
1. PORCAS
2. Role os anéis-O (1) sobre o cubo da caçamba.
2. CORTADOR LATERAL
3. PARAFUSO
Após remover os pinos, coloque-os de volta para
4. PONTA DO DENTE a posição original.
3. Remova o anel de travamento (2) e o pino trava
(3), remova os pinos (4) e (5) para remover a
ADVERTÊNCIA caçamba (6).
Ao susbtituir o dente ou os cortadores laterais de NOTA: Mantenha os pinos livres de areia, sujeira ou
uma caçamba, apoie-a de forma segura para evitar outros contaminantes quando removidos. Não danifi-
ferimentos. A falha no cumprimento pode resultar que os vedadores antipoeira (9) em ambas as extre-
em morte ou ferimentos graves midades do braço.
B021A

6-50
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

INSTALAÇÃO DA CAÇAMBA ESTEIRA DE BORRACHA


A esteira de borracha oferece muitos benefício em
relação à esteira de metal, mas deve ser usada de
7 acordo com as especificações do fabricante. A
garantia da máquina não cobre operações inadequa-
8 das nos canteiros de obras. Não opere a máquina
sobre objetos, tais como placa de aço, tubos de aço,
5 haste de concreto, pedras e rochas com bordas afia-
4 das. Observe as condições de operação e as carac-
terísticas da esteira de borracha para obter o melhor
desempenho.

6 6 OPERAÇÃO DE ESTEIRA DE BORRACHA

BS07N277 Figura 108 COMPARAÇÃO ENTRE ESTEIRAS


1. Limpe cada pino e furo de pino e engraxe ade- Borracha Ferro
quadamente.
Menor vibração
2. Movimente o cilindro da caçamba para encaixar
Rolar macio
os furos dos pinos ou a caçamba (6) e a articula-
ção da caçamba (8) uma com a outra, depois, Baixo nível de ruído
insira o pino (4). Não estraga as vias
3. Suspenda a lança e suspenda levemente a Fácil manuseio
caçamba do chão. Não danificável
Alta força de tração
9 : Excelente : Bom : Normal
2

3 9

4
5
BS07N278

4. Alinhe a caçamba (6) com o furo do pino do braço


(7) movimentando o braço (7) e insira o pino (5).
BS07N286 Figura 109
5. Insira o pino (3) e encaixe o anel trava (2). Colo-
NÃO opere em solo misto de cascalho, leito de rocha
que o anel-O (1) na posição normal.
resistente e sólido, sobre sucatas de ferro, ou bordas
6. Aplique graxa nas graxeiras para o pino respec- de placas de ferro, tais como vergalhões de con-
tivo até que a graxa saia através do espaço creto.
entre os pinos e o furo.

ADVERTÊNCIA
Sempre use ferramentas apropriadas para alinhar
orifícios. NÃO USE AS MÃOS OU OS DEDOS. A
falha no cumprimento pode resultar em morte ou
ferimentos graves.
B020A

6-51
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

BS07N287 Figura 110 BS07N290-B Figura 113


NÃO opere ou faça translação sobre leitos de rios 1. TRANSLAÇÃO
com pedras de tamanhos irregulares. As esteiras de
borracha podem ser danificadas ou sair dos roletes. NÃO opere a esteira no solo se a outra esteira tiver
O tempo de manutenção das esteiras de borracha sido supensa. O peso adicional pode danificar a
será reduzido se a esteira não for mantida com a esteira ou fazer com ela se desencaixe.
tensão correta.

BS07N291 Figura 114


BS07N288 Figura 111 Tenha cuidado ao operar sobre o gelo ou neve. As
NÃO opere em superfícies contaminadas com óleo. esteiras de borracha podem deslizar facilmente.
O óleo pode danificar as esteiras de borracha. Evite fazer giros repentinos no concreto. Evite
mudanças repentinas de direção, já que isto pode
causar desgaste prematuro nas esteiras.

BS07N287 Figura 112


NÃO opere próximo a chamas abertas ou sobre pla-
cas de aço expostas ao sol ou usadas em nivela- BS07N294 Figura 115
mento de asfalto. O calor irá danificar as esteiras de Tenha cuidado para não danificar a esteira com o
borracha. acessório da máquina.
Ao armazenar a máquina por longos períodos é Não aplique força de carga lateral ou impacto lateral
recomendado o armazenamento dentro de um arma- na caçamba ou acessório durante a operação.
zém. As esteiras de borracha podem ser danificadas
Se a máquina for suspensa com a caçamba, abaixe
se expostas por longos períodos em ambientes
a máquina lentamente.
severos em um modo não operacional.

6-52
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

BS07N295 Figura 116 BS07N298-B Figura 119


Se a máquina for operada em lugares com muito sal 1. 10° (GRAUS) OU MAIS
ou em condições corrosivas, a colagem da borracha
com o núcleo de metal pode ser danificada. Limpe Não faça translação em uma ladeira com um lado da
as esteiras após o uso. O intervalo normal de tempe- máquina suspenso. Sempre faça translação com
ratura operacional para as esteiras de borracha está ambos os lados nivelados, para evitar danos à
entre -25° a 55°C (-13 a 131°F). esteira.

BS07N296 Figura 117 BS07N299 Figura 120


Evite mudar a direção da máquina sobre solo com uma Não mude a direção da máquina com a esteira de
diferença de 20 cm (8 in) ou mais no nivelamento. Faça borracha sobre picos elevados, como ilustrado. Isto
a translação em ângulos retos sobre o solo quando pode danificar a esteira de borracha ou causar seu
existir uma diferença de nível significativa. desencaixe.

BS07N297 Figura 118


Ao subir uma ladeira, evite mudar a direção da
máquina quando ela estiver entre o solo nivelado e a
ladeira.

6-53
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

INSPEÇÃO DA ESTEIRA DE BORRACHA DANO NAS CORDAS DE AÇO

2 5

4
BS07N280 Figura 121 BS07N282 Figura 123

1. ROLETE INFERIOR Se mais da metade das cordas de aço (B) estiverem


2. ESTEIRA DE BORRACHA quebradas em uma mesma fileira, substitua a
3. RESSALTO esteira.
4. CORDAS DE AÇO
5. NÚCLEO METÁLICO ESTEIRA RACHADA

Repare ou substitua a esteira de borracha se ela


estiver danificada. Entre em contato com o revende-
dor para assistência na substituição das esteiras ou
consulte o Manual de Reparação da máquina.

ALTURA DO RESSALTO 4

BS07N283 Figura 124


Repare a esteira se uma rachadura de aproximada-
mente 60 mm (2.4 in) for vista entre os ressaltos da
esteira de borracha. Repare imediatamente se as
cordas de aço (4) estiverem expostas, mesmo que a
4 rachadura seja mínima.
BS07N281 Figura 122
Substitua a esteira por uma nova se a altura do res-
salto (A) estiver abaixo de 5 mm (0.2 in.). A baixa
altura do ressalto reduzirá a tração.
Se o ressalto se desgastar e as cordas de aço (4) na
esteira ficarão expostas sobre dois elos, substitua a
esteira.

6-54
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

NÚCLEO METÁLICO DA ESTEIRA DE MOVIMENTANDO UMA MÁQUINA INOPERANTE


BORRACHA
ADVERTÊNCIA
1 Leia e entenda todas as precauções e procedimen-
tos de segurança antes de tentar qualquer opera-
ção, inspeção, manutenção ou reparo desta
2 máquina, de qualquer acessório ou qualquer de
seus sistemas. A falha no cumprimento pode resul-
4 tar em morte ou ferimentos graves.
M1087

AVISO: Os procedimentos seguintes devem ser exe-


cutados somente por um técnico de serviços experi-
5
ente familiarizado com esta máquina.
3
BS07N284 Figura 125 LIBERANDO A TRAVA NO MOTOR DE
1. ROLETE INFERIOR TRANSLAÇÃO
2. NÚCLEO METÁLICO
3. BORRACHA
4. CORDAS DE AÇO

A. INTERFERÊNCIA COM O ROLETE

Dependendo do uso da esteira de borracha, pode


ocorrer ocasionalmente a descamação do núcleo
metálico (2). Descamações ocorrem no lado interno 1 2
devido ao contato com os roletes (1), as rodas tenso-
ras e as rodas dentadas. O lado do ressalto (exterior
da esteira) pode parecer não estar danificado.
NOTA: Operações não aprovadas ou proibidas da
máquina podem causar danos à esteira de borracha. BS07N300-B Figura 127
A garantia não se aplica a qualquer dano causado
1. SUPORTE
pelo uso proibido ou não aprovado da esteira de bor-
2. BLOCOS
racha ou ao seu uso com tensão inadequada.
Os motores de translação de uma máquina inope-
rante estão travados pela válvula de controle hidráu-
lico e pelo sistema de freio mecânico. Se a máquina
2 estiver travada e impossibilitada de funcionar, ela
pode ser movimentada liberando a trava do motor de
translação através de um dos seguintes métodos.

BS07N285 Figura 126


Esteiras de borracha rachadas expondo o núcleo
metálico (2) devem ser substituídas por novas.
Rachaduras mínimas não afetarão o desempenho e
não é necessário substituir a esteira.

6-55
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

REMOÇÃO DAS ENGRENAGENS DO REDUTOR DE TRANSLAÇÃO

1 ADVERTÊNCIA
O redutor de translação está sob pressão. Mante-
nha o rosto e o corpo longe dos drenos. O calor
aumenta a pressão do óleo do redutor de transla-
ção. Solte os bujões lentamente e use proteção
facial. Nunca tente executar um serviço em uma
máquina quente. Deixe a máquina esfriar antes de
5 executar qualquer serviço. A falha no cumprimento
pode resultar em morte ou ferimentos graves.
6 M1721

2 2 5

4 1
14 3
3
BS07N674 Figura 128
1. Coloque blocos na parte dianteira e traseira das
esteiras para evitar que a máquina se movi-
mente quando os freios forem liberados.
2. Abaixe o acessório até o chão.
6

ADVERTÊNCIA
Certifique-se de que os blocos estejam firmes na BXPX00900004E01 Figura 130
dianteira e traseira de cada esteira antes de tentar 4. Insira uma chave de fenda no espaço entre a
soltar os freios. Nunca fique na direção das esteiras carcaça (1) e o anel trava (3) e remova-o.
ao liberar os freios. A falha no cumprimento pode
5. Remova a tampa (2).
resultar em morte ou ferimentos graves.
M1723 6. Tenha cuidado ao remover a tampa, pois a
esfera (5) irá cair. LImpe a esfera se ela for con-
taminada.

5
6
BS07N669 Figura 129
3. Coloque um recipiente sob o motor de transla- 2
ção para drenar o óleo. Remova lentamente o
bujão superior, e depois, remova o bujão de dre- 4
nagem para drenar o óleo da unidade de redu- 14 3
ção. Bujão (1) chave para quadrado de 6 mm
(0.24 in). BS07N674 Figura 131
NOTA: Agora a esteira está livre para girar.

6-56
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

7. Instale o bujão de drenagem (4) e reabasteça a MONTAGEM DO MOTOR DE TRANSLAÇÃO


unidade com o óleo previamente drenado.
Certifique-se de que não haja contaminantes no 1
óleo drenado, antes de reabastecê-lo. Reboque
a máquina até o local desejado para outros
serviços.
NOTA: Evite derramamentos. Descarte todo detrito
perigoso conforme as leis e regulamentações gover-
namentais.
5
6
2
4
14 3
BS07N674 Figura 132
1. Após a conclusão dos reparos, monte as unida-
des do motor de translação.
2

XPX00900005E01 Figura 133


2. Para evitar que a esfera (5) caia da engrenagem
solar (6), passe graxa na esfera (5).
3. Lubrifique o anel-O (14) com graxa e encaixe no
entalhe da tampa (2). Instale a tampa (4).
4. Tenha cuidado para não danificar o anel-O.
5. Substitua o anel-O no bujão de drenagem (4) por
um novo. Instale o bujão de drenagem (4).
6. Adicione o óleo especificado para engrenagem
através do bujão de enchimento de óleo, até que
o óleo comece a escoar para fora do bujão de
nível de óleo.

6-57
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

ABAIXANDO A CAÇAMBA OU O ACESSÓRIO EM UMA MÁQUINA INOPERANTE

2
1

BS07N380 Figura 134 BS07N384-B Figura 135


Mantenha todo pessoal não autorizado longe da 1. CAÇAMBA (H)
caçamba/acessório e da lança de excavação. 2. CAÇAMBA (R)
NOTA: O peso da caçamba, ou do acessório, pode
Para abaixar a posição da caçamba, proceda cuida-
causar um movimento inesperado da caçamba / aces-
dosamente como segue: Quando a caçamba estiver
sório, do braço e da lança durante o procedimento.
na posição de escavação (A) (cilindro da caçamba
Trave a caçamba / acessório para evitar um movi-
completamente estendido), (vide figura) desconecte
mento inesperado. Descarregue a pressão nas linhas
o lado da cabeçote da mangueira (H). Quando a
hidráulicas lentamente, até que a pressão seja com-
caçamba estiver na posição de despejo (B) (cilindro
pletamente descarregada. Controle o movimento da
da caçamba completamente retraído), desconecte o
caçamba / acessório removendo a trava lentamente.
lado da haste da mangueira (R)
Não entre na área sob a caçamba / acessório en-
quanto estiver baixando. NOTA: Não permita que a linha hidráulica ou os
componentes sejam contaminados. Isto pode causar
ADVERTÊNCIA sérios danos aos sistema hidráulico. Enttre em conta-
to com o revendedor para obter as tampas e bujões
Certifique-se que a área ao redor da máquina esteja adequados para uso.
livre de pessoas e objetos antes de tentar estes pro-
cedimentos. A falha no cumprimento pode resultar NOTA: Limpe todo óleo derramado. Descarte qual-
em morte ou ferimentos graves. quer detrito perigoso de acordo com as regulamenta-
M103B ções ambientais.

O procedimento seguinte é para ser usado somente


em uma emergência se a máquina estiver inope-
rante. Proceda com extremo cuidado. Mantenha as
pessoas afastadas da caçamba / acessório e da
lança.
Trave a caçamba / acessório para evitar o movi-
mento inesperado. Descarregue a pressão nas
linhas hidráulicas lentamente, até que toda pressão
seja descarregada.
Controle o movimento da caçamba / acessório remo-
vendo a trava lentamente.

6-58
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

ABAIXANDO O BRAÇO ABAIXANDO A LANÇA


Gradualmente solte a mangueira do lado do cabe-
çote (H) conectado ao cilindro da lança.
NOTA: Pare de abaixar o acessório a 30 – 40 cm
(12 – 16 in) acima do nível do chão para permitir a
movimentação da máquina.
1. Aperte a conexão da mangueira.
2. Após movimentar a máquina para a área de ser-
viço, solte lentamente a conexão da mangueira
para abaixar o acessório até o chão.
3. Entre em contato com o revendedor para repa-
ros na máquina.
BS07N385-B Figura 136

ADVERTÊNCIA
Mantenha todo pessoal não autorizado longe da
caçamba/acessório e da lança de excavação.
O peso da caçamba ou do acessório pode causar a
movimentação inesperada da caçamba/acessório,
do braço e da lança durante o procedimento.
Trave a caçamba/acessório para evitar o movimento
inesperado. Libere a pressão nas linhas hidráulicas
lentamente, até que a pressão seja completamente
descarregada.
Controle o movimento da caçamba/acessório remo-
vendo lentamente a trava.
Não entre na área sob a caçamba / acessório
enquanto ela estiver sendo abaixada. A falha no
cumprimento pode resultar em morte ou ferimentos
graves.
M609

Gradualmente solte a mangueira do lado da haste


conectada ao braço (4).

2
1

BS07N386-B Figura 137

1. LANÇA (H)
2. BRAÇO (R)

6-59
CAPÍTULO 6 – MANUTENÇÃO E AJUSTES

NOTAS

6-60
CAPÍTULO 7
ELÉTRICO
CONTEÚDO

COMPONENTES ELÉTRICOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-3


Fusíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-3
Conector Fusível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-3
Baterias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-4
Partida no Motor da Máquina com Cabos Auxiliares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-6
Conexão do Cabo Auxiliar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-6
Partida no Motor da Máquina Auxiliar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-6
Partida no Motor da Máquina com Bateria Descarregada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-6
Luzes de Trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-7

7-1
CAPÍTULO 7 – ELÉTRICO

NOTES

7-2
CAPÍTULO 7 – ELÉTRICO

COMPONENTES ELÉTRICOS
FUSÍVEIS CONECTOR FUSÍVEL
. .

BS07N387 Figura 1
AVISO: Assegure-se de colocar a chave de ignição BS07N388 Figura 2
na posição “OFF” (desligada) antes de substituir qual- Se a energia elétrica não chegar quando a chave de
quer fusível. ignição estiver na posição “ON” (ligada), a causa
Os fusíveis protegem os circuitos elétricos do pode ser o conector fusível. Inspecione e substitua o
excesso de corrente. Substitua um fusível queimado conector fusível vermelho (1).
ou qualquer fusível que estiver gerando pó branco O conector fusível protege o sistema elétrico de
nele. sobrecarga. Ele funciona como um fusível.
Sempre substitua os fusíveis por outro de mesma
amperagem. Os fusíveis sobressalentes estão arma- ADVERTÊNCIA
zenados na parte de trás da tampa da caixa de fusí-
veis. Nunca substituta um fusível defeituoso por outro de
maior amperagem. Nunca use um cabo auxiliar no
NO. AMPS FUNCÃO lugar de um fusível. Nunca emende acessórios dire-
1 30A LIMPADOR DE PARA-BRISA, AQUECEDOR tamente nos terminais de fusível. A falha no cumpri-
mento pode resultar em morte ou ferimentos graves.
2 30A RELÉ, SOLENÓIDE
M1728
3 30A LUZ DE TRABALHO
4 10A BUZINA, LUZ DA CABINE
5 30A SOLENÓIDE DE PARADA DO MOTOR
6 10A RELÉ DA BATERIA, PAINEL DE INSTRUMENTOS

7-3
CAPÍTULO 7 – ELÉTRICO

BATERIAS
Execute a manutenção completa da bateria em uma
máquina nova após 50 horas de operação do motor.
Depois, verifique o eletrólito (ácido) a cada 50 horas.

ADVERTÊNCIA
Use roupas de segurança, óculos ou protetor facial,
luvas e sapatos de segurança para trabalhar com ba-
terias.
Trabalhe em uma área bem ventilada.
O eletrólito (ácido) da bateria é corrosivo. Se entrar
em contato com a pele, os olhos ou com as roupas,
lave com grande quantidade de água e procure as-
sistência médica imediatamente.
O eletrólito (ácido) da bateria produz hidrogênio que
é altamente explosivo. Mantenha fagulhas, fogo ou
chamas longe e não fume quando estiver traba-
lhando com baterias. A falha no cumprimento pode BS07N390 Figura 3
resultar em morte ou ferimentos graves. 1. TAMPA
M144C 2. TERMINAL
3. TAMPA DO TERMINAL

1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme A. INDICADOR


e nivelada, colocando os acessórios sobre o B. ORIFÍCIO DE VENTILAÇÃO DE AR
solo. Desligue o motor. Coloque a alavanca de C. AZUL
cancelamento de funções na posição “LOCKED” D. VERMELHO
(travada). E. BRANCO
F. LIMITE SUPERIOR
2. A bateria está localizada sob a placa do piso. G. LIMITE INFERIOR
Remova o tapete e a tampa da bateria. H. BOAS CONDIÇÕES
I. ENCHIMENTO NECESSÁRIO
J. CARGA NECESSÁRIA

2 1
2 1
F
G

UPW0040008JS1 Figura 4
3. Remova as tampas (1) da célula e inspecione
visualmente o nível do eletrólito (ácido). O nível
adequado é de 10 - 15 mm (0,4” - 0,6”) acima
das placas da célula.
4. Se necessário, encha cada célula até o nível
adequado com ÁGUA DESTILADA SOMENTE.

7-4
CAPÍTULO 7 – ELÉTRICO

5. Remova os cabos dos terminais e limpe com


água quente. Cubra cada terminal com uma fina TEMPERATURA AMBIENTE
CARGA
camada de graxa. Limpe os cabos da mesma 20°C (68°F) 0°C (32°F) -10°C (14°F)
forma e reinstale na bateria.
100% 1.26 1.27 1.28
6. Se os cabos estiverem em más condições, subs-
titua imediatamente por novos. 90% 1.24 1.25 1.26

80% 1.22 1.23 1.24


ADVERTÊNCIA
75% 1.21 1.22 1.23
Fagulhas ou chamas podem fazer o gás hidrogênio
de uma bateria explodir. Para evitar uma explosão,
faça o seguinte: 1. Quando desconectar os cabos 8. Ao desconectar baterias, remova o cabo nega-
da bateria, sempre desconecte primeiro o cabo tivo (-) primeiro. Ao conectar baterias, conecte o
negativo (-). 2. Quando conectar os cabos da bate- cabo negativo (-) por último.
ria, conecte sempre o cabo negativo (-) por último.
9. Quando a bateria precisar ser carregada:
3. Não efetue curto circuito nos terminais da bateria
com peças de metal. 4. Não solde, esmerilhe ou a. Desconecte os cabos da bateria de seus ter-
fume perto de uma bateria. minais.
84-109
b. Remova todas as tampas das células.
NOTA: A vida da bateria pode ser reduzida por so- c. Verifique o nível adequado do eletrólito
brecarga e descarga completa da mesma. Substitua (ácido).
qualquer bateria que não retenha carga ou esteja di-
d. Conecte os condutores de carga nos termi-
fícil de carregar.
nais adequados da bateria.
7. Use um densímetro para verificar a densidade
NOTA: Assegure-se de não cruzar os terminais posi-
específica de cada célula. Compare as leituras
tivo (+) e negativo (-) ao conectar o carregador.
com o quadro abaixo.
e. Pare a carga se a bateria superaquecer.
NOTA: Use o densímetro conforme as instruções do
fabricante. f. Verifique periodicamente a densidade do ele-
trólito das baterias com um densímetro. Inter-
rompa o carregamento da bateria quando ela
estiver 100% carregada.

7-5
CAPÍTULO 7 – ELÉTRICO

PARTIDA NO MOTOR DA MÁQUINA COM CABOS AUXILIARES

CONEXÃO DO CABO AUXILIAR

3
ADVERTÊNCIA 1
2
Conexões inadequadas de cabos auxiliares podem
causar uma explosão resultando em ferimentos pes-
soais.
Siga sempre os procedimentos ao conectar e desco-
nectar os cabos auxiliares. A falha no cumprimento
pode resultar em ferimentos ou morte.
M146B
4

1. Movimente a máquina, a ser usada para auxílio, 1 2 3 4


o mais próximo possível da caixa da bateria da DC04D588 Figura 5
máquina descarregada.
1. TERMINAL POSITIVO (+) DA MÁQUINA DESCARREGADA
NOTA: Não deixe que a máquina usada para auxiliar 2. TERMINAL POSITIVO (+) DA BATERIA USADA PARA AUXILIAR
toque metal com metal na máquina com bateria des- 3. TERMINAL NEGATIVO (-) DA BATERIA USADA PARA AUXILIAR
carregada. Isto pode causar um curto circuito nos sis- 4. CHASSI SUPERIOR DA MÁQUINA DESCARREGADA
temas elétricos e extensos danos à CPU e a outros
componentes. 3. Localize e conecte uma extremidade do cabo
auxiliar ao terminal positivo (+) da bateria des-
NOTA: Use somente veículos ou máquinas com sis- carregada.
tema elétrico de 24V DC para auxiliar na partida des-
ta máquina. 4. Conecte a outra extremidade do cabo auxiliar
positivo ao terminal positivo (+) da bateria sendo
2. Certifique-se de que a chave de ignição da usada como auxiliar.
máquina descarregada esteja na posição “OFF” 5. Localize e conecte o segundo cabo ao terminal
antes de proceder com a conexão do cabo auxiliar. negativo (-) da bateria sendo usada como auxi-
liar.
ADVERTÊNCIA
6. Conecte a outra extremidade do cabo negativo
O eletrólito da bateria é um ácido e pode causar feri- (-) no chassi superior da máquina com bateria
mentos ou cegueira se entrar em contato com a pele descarregada o mais longe possível da bateria.
ou os olhos.
Use óculos e roupas de segurança ao manusear ou PARTIDA NO MOTOR DA MÁQUINA AUXILIAR
efetuar manutenção em baterias. 1. Dê partida no motor da máquina de forma nor-
Caso o eletrólito entre em contato com a pele ou os mal, conforme as condições climáticas.
olhos, lave imediatamente as áreas afetadas com 2. Aguarde 5 minutos ou mais para fornecer uma
água limpa e procure assistência médica. A falha no carga parcial para as baterias descarregadas.
cumprimento pode resultar em ferimentos ou morte.
M4655 PARTIDA NO MOTOR DA MÁQUINA COM
BATERIA DESCARREGADA
ADVERTÊNCIA 1. Dê partida normalmente no motor da máquina
com bateria descarregada, conforme as condi-
Conexões inadequadas de cabos auxiliares podem ções climáticas.
causar uma explosão resultando em ferimentos pes-
soais.
Siga sempre os procedimentos ao conectar e desco-
nectar os cabos auxiliares. A falha no cumprimento
pode resultar em ferimentos ou morte.
M146B

7-6
CAPÍTULO 7 – ELÉTRICO

LUZES DE TRABALHO
. .

1
4
3 2
5

6 7

BS07N392 Figura 6 BS07N393 Figura 7


Uma lâmpada de 55W é usada para as luzes de tra- 1. Estacione a máquina sobre uma superfície firme
balho. e nivelada, coloque os acessórios sobre o solo.
Desligue o motor. Coloque a alavanca de cance-
ADVERTÊNCIA lamento de funções na posição “LOCKED” (tra-
vada). Mantenha as pessoas não autorizadas
Não toque numa lâmpada acesa. Desligue a luz e afastadas.
espere esfriar. Assegure-se de que o interruptor da 2. Desconecte o conector elétrico, remova a luz de
luz de trabalho esteja na posição “OFF” (desligado). trabalho da máquina usando uma chave inglesa.
A falha no cumprimento pode resultar em morte ou
ferimentos graves. 3. Remova o parafuso (1), depois remova o aro (2)
M1223 e as lentes (3) da carcaça (4).
4. Remova a mola (6) que prende o soquete (5).
NOTA: A vida útil de uma lâmpada é reduzida se 5. Remova a lâmpada (7) do soquete (5) e substi-
existir óleo ou graxa no bulbo da lâmpada no momen- tua por uma nova.
to da instalação. Ao trocar uma lâmpada, segure-a na
6. Monte a luz de trabalho usando a ordem inversa.
parte da flange. Não toque no bulbo de vidro da lâm-
pada com seus dedos. Limpe a lâmpada com tecido NOTA: Se a lâmpada substituida não acender, verifi-
limpo após a instalação. que o fusível.

7-7
CAPÍTULO 7 – ELÉTRICO

NOTAS

7-8
CAPÍTULO 8
ESPECIFICAÇÕES
CONTEÚDO

ESPECIFICAÇÕES GERAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-3


Dimensões da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-3
Velocidade e Capacidade de Rampa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-5
Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-5
Componentes Hidráulicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-5
Oscilação da Lança e da Lâmina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-5
Tipo de Esteira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-6
Tipo de Caçamba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-6
Pesos da Máquina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-6
Capacidades de Elevação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-7
Modelo com Cabine . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-8
Alcances de Trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-9
CAPACIDADES DE ELEVAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-11
ESPECIFICAÇÕES DE TORQUE DE APERTO DOS PARAFUSOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-12
Parafusos e Porcas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-12
Conexão ORS (Vedação tipo anel-O) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-13
porcas e anilhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-14
Conexões do tipo Flange Expandida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-14
Conexões de Tubo tipo Luva N2 (Nylon) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-14
tabela de densidade de mteriais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-15
TABELA DE DENSIDADE DE MATERIAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-16
UNIDADES DE CONVERSÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-17

8-1
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

NOTAS

8-2
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

ESPECIFICAÇÕES GERAIS
DIMENSÕES DA MÁQUINA
MODELO COM CAPOTA

BS08A063 Figura 1
MODELO COM CABINE

BS08A064 Figura 2

8-3
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

MODELO COM CABINE LÂMINA DOZER

BS08J522 Figura 3
Comprimento total com lâmina Dozer ....................................................................................... 5340 mm (17 ft 6 in)
Largura total ................................................................................................................................ 1700 mm (5 ft 7 in)
Altura da lâmina .............................................................................................................................. 345 mm (13.5 in)
Ângulo de operação da lâmina ................................................................................................................... 25° x 25°
Curso de elevação da lâmina ......................................................................................................... 590 mm (23.2 in)
Curso de abaixamento da lâmina ................................................................................................... 485 mm (19.1 in)

8-4
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

VELOCIDADE E CAPACIDADE DE RAMPA

Esteira de borracha Esteira de aço


-1
Velocidade de giro 8,7 min (8,7 RPM)
Baixa Alta Baixa Alta
(1ª) (2ª) (1ª) (2ª)
Velocidade de translação
2.5 km/h 4.5 km/h 2.5 km/h 4.5 km/h
(1.6 mph) (2.8 mph) (1.6 mph) (2.8 mph)
Capacidade de rampa 58% (30°)

MOTOR

Modelo YANMAR 3TNV88-BPYB


Arrefecido a água,
Tipo diesel 4 tempos com câmera de combustão turbulenta
Número de cilindros – Diâmetro x Curso 3 – 88 mm x 90 mm (3 – 3.46 pol X 3.54 pol)
Cilindradal 1,642 litros (100.2 pol3)
Potência máxima 21.2 kW (2400 min1) 29 HP (2400 RPM)
Torque máximo 98,4 Nm (1440 min1) 72,3 lbf ft (1440 RPM)
Motor de arranque 12 V (1,7 kW)
Alternador 12 V (55 A)

COMPONENTES HIDRÁULICOS

Bomba Hidráulica Deslocamento variável, êmbolo axial com bomba de engrenagem


Motor Hidráulico Êmbolo axial
Motor Hidráulico com Redutor (Translação) 2 – Êmbolo axial duplo, duas velocidades
Válvula de controle 1 – Válvula de controle múltiplo de carretéis
Cilindro (Lança, Braço, Giro, Caçamba, Lâmina) Cilindro de ação dupla
Filtro de Retorno Filtro com válvula de desvio (30)

OSCILAÇÃO DA LANÇA E DA LÂMINA

Tipo Oscilação da Lança por cilindro hidráulico


Ângulo de Giro da Lança para a direita 60°
Ângulo de Giro da Lança para a esquerda 70°
Curso da Lâmina Frontal (para cima/para baixo) 540/440 mm (21.3/17.3 pol)

8-5
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

TIPO DE ESTEIRA

Comprimento entre o Pressão sobre o solo


centro da roda tensora
Tipo Largura
e o centro do motor de Capota Cabine
translação
Esteira de borracha 300 mm (11.8 pol) 1700 mm (67 pol) 32 kPa (4.6 psi) 33 kPa (4.8 psi)
Esteira de açot 300 mm (11.8 pol) 1700 mm (67 pol) 33 kPa (4.8 psi) 34 kPa (4.9 psi)

TIPO DE CAÇAMBA

Capacidade Largura externa Largura externa Peso


Caçamba Coroada com cortador sem cortador Número de dentes kg (lbs)
m3 (jd3) lateral lateral
0.11 (0.144) 600 mm (23.6 pol) 554 mm (21.8 pol) 3 89 (196)

PESOS DA MÁQUINA

Esteira de borracha Esteira de aço


Capota Cabine Capota Cabine
3580 kg (7890 lb) 3720 kg (8200 lb) 3700 kg (8160 lb) 3840 kg (8470 lb)

* Com operador com peso de 165 lb (75 kg), caçamba de 137 lb (62 kg), tanque de combustível cheio e equipa-
mento padrão.

8-6
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

CAPACIDADES DE ELEVAÇÃO
MODELO COM CAPOTA
Braço de 1,32 m (4 ft 4 in)
As capacidade de elevação são calculadas usando sapatas de 11.8 pol (300 mm) caçamba de 196 lb (89 kg),
lâmina para baixo.

5 ft (1,5 m) 7,5 ft (2,3 m) 10 ft (3,0 m) 12,5 ft (3,8 m) 15 ft (4,6 m)


Carga no ponto de
EXTREMO – EXTREMO – EXTREMO – EXTREMO – EXTREMO –
elevação – Altura
LATERAL LATERAL LATERAL LATERAL LATERAL
+10 ft 1190 lb 1120 lb
(3,0 m) 540 kg 510 kg
+7.5 ft 1380 lb 1380 lb 1280 lb 1100 lb
(2,3 m) 620 kg 620 kg 580 kg 500 kg
+5 ft 2760 lb 2380 lb 1830 lb 1510 lb 1480 lb 1050 lb
(1,52 m) 1250 kg 1080 kg 830 kg 680 kg 670 kg 470 kg
+2.5 ft 3760 lb 2180 lb 2270 lb 1420 lb 1690 lb 1000 lb 1390 lb 750 lb
(0,8 m) 1700 kg 990 kg 1030 kg 640 kg 760 kg 450 kg 630 kg 340 kg
2550 lb 2550 lb 4020 lb 2120 lb 2520 lb 1360 lb 1820 lb 970 lb
Nível do solo
1150 kg 1150 kg 1820 kg 960 kg 1140 kg 610 kg 820 kg 440 kg
-2.5 ft 4080 lb 4080 lb 3830 lb 2120 lb 2520 lb 1340 lb 1800 lb 960 lb
(-0.8 m) 1850 kg 1850 kg 1740 kg 960 kg 1140 kg 610 kg 810 kg 430 kg
-5.0 ft 5790 lb 4550 lb 3290 lb 2150 lb 2210 lb 1360 lb
(-1.52 m) 2620 kg 2060 kg 1490 kg 970 kg 1000 kg 620 kg
-7.5 ft 3470 lb 3470 lb 2110 lb 2110 lb
(-2.3 m) 1570 kg 1570 kg 950 kg 950 kg

* As cargas nominais marcadas com um asterisco são limites hidráulicos, em vez de limites de carga de tomba-
mento.

8-7
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

MODELO COM CABINE


Braço de 1,32 m (4 ft 4 in)
As capacidade de elevação são calculadas usando sapatas de 11.8 in (300 mm) caçamba de 196 lb (89 kg),
lâmina para baixo.

5 ft (1,5 m) 7,5 ft (2,3 m) 10 ft (3,0 m) 12,5 ft (3,8 m) 15 ft (4,6 m)


Carga no ponto de
EXTREMO – EXTREMO – EXTREMO – EXTREMO – EXTREMO –
elevação – Altura
LATERAL LATERAL LATERAL LATERAL LATERAL
+10 ft 1190 lb 1190 lb
(3,0 m) 540 kg 540 kg
+7,5 ft 1280 lb 1160 lb
(2,3 m) 580 kg 530 kg
+5 ft 2760 lb 2510 lb 1830 lb 1600 lb 1480 lb 1120 lb
(1,52 m) 1250 kg 1140 kg 830 kg 720 kg 670 kg 500 kg
+2,5 ft 3760 lb 2310 lb 2270 lb 1500 lb 1690 lb 1070 lb 1390 lb 800 lb
(0,8 m) 1700 kg 1050 kg 1030 kg 680 kg 760 kg 480 kg 630 kg 360 kg
2550 lb 2550 lb 4020 lb 2250 lb 2520 lb 1450 lb 1820 lb 1040 lb
Nível do solo
1150 kg 1150 kg 1820 kg 1020 kg 1140 kg 650 kg 820 kg 470 kg
-2,5 ft 4080 lb 4080 lb 3830 lb 2250 lb 2520 lb 1430 lb 1800 lb 1030 lb
(-0,8 m) 1850 kg 1850 kg 1740 kg 1020 kg 1140 kg 650 kg 810 kg 460 kg
-5,0 ft 5790 lb 4800 lb 3290 lb 2280 lb 2210 lb 1450 lb
(-1,52 m) 2620 kg 2180 kg 1490 kg 1030 kg 1000 kg 660 kg
-7.5 ft 3470 lb 3470 lb 2110 lb 2110 lb
(-2.3 m) 1570 kg 1570 kg 950 kg 950 kg

* As cargas nominais marcadas com um asterisco são limites hidráulicos, em vez de limites de carga de tomba-
mento.
Braço de 1,2 m (3 ft. 11 in)
As capacidade de elevação são calculadas usando sapatas de 11.8 in (300 mm) caçamba de (196 lb (89 kg),
lâmina para baixo, contrapeso adicional de 551 lb (250 kg).

5 ft (1,5 m) 7,5 ft (2,3 m) 10 ft (3,0 m) 12,5 ft (3,8 m) 15 ft (4,6 m)


Carga no ponto de
EXTREMO – EXTREMO – EXTREMO – EXTREMO – EXTREMO –
elevação – Altura
LATERAL LATERAL LATERAL LATERAL LATERAL
+10 ft 1190 lb 1190 lb
(3,0 m) 540 kg 540 kg
+7,5 ft 1280 lb 1280 lb
(2,3 m) 580 kg 580 kg
+5 ft 2760 lb 2760 lb 1830 lb 1830 lb 1480 lb 1320 lb
(1,52 m) 1250 kg 1250 kg 830 kg 830 kg 670 kg 600 kg
+2,5 ft 3760 lb 2710 lb 2270 lb 1780 lb 1690 lb 1270 lb 1390 lb 960 lb
(0,8 m) 1700 kg 1230 kg 1030 kg 800 kg 760 kg 580 kg 630 kg 430 kg
2550 lb 2550 lb 4020 lb 2650 lb 2520 lb 1720 lb 1820 lb 1240 lb
Nível do solo
1150 kg 1150 kg 1820 kg 1200 kg 1140 kg 780 kg 820 kg 560 kg
-2,5 ft 4080 lb 4080 lb 3830 lb 2650 lb 2520 lb 1700 lb 1800 lb 1230 lb
(-0,8 m) 1850 kg 1850 kg 1740 kg 1200 kg 1140 kg 770 kg 810 kg 560 kg
-5,0 ft 5790 lb 5590 lb 3290 lb 2690 lb 2210 lb 1720 lb
(-1,52 m) 2620 kg 2530 kg 1490 kg 1220 kg 1000 kg 780 kg
-7.5 ft 3470 lb 3470 lb 2110 lb 2110 lb
(-2.3 m) 1570 kg 1570 kg 950 kg 950 kg

* As cargas nominais marcadas com um asterisco são limites hidráulicos, em vez de limites de carga de tomba-
mento.

8-8
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

ALCANCES DE TRABALHO
MODELO COM CAPOTA

A
A’

C
H
D
E

X
Y
K L
J
F
B

UPV00600003ES1 Figura 4

Braço padrão Braço longo


Unidades: m (ft-pol) 1.32 m (51.9 pol) 1.59 m (62.6 pol)
Máquina equipada com caçamba de 0,11 m3 (0.144 yd3)
Caçamba Caçamba
ALCANCES DE TRABALHO
0.11 m3 (0.144 yd3) 0.11 m3 (0.144 yd3)
A Alcance máximo de escavação 5240 mm (17 ft. 2 pol) 5500 mm (18 ft. 1 pol)
A’ Alcance máximo de escavação ao nível do solo 5110 mm (16 ft. 9 pol) 5370 mm (17 ft. 7pol)
B Profundidade máxima de escavação 3080 mm (10 ft. 1 pol) 3350 mm (11 ft. 0 pol)
C Altura máxima de escavação 4980 mm (16 ft. 4 pol) 5160 mm (16 ft. 11 pol)
D Altura máxima de descarga 3580 mm (11 ft. 9 pol) 3760 mm (12 ft. 4 pol)
E Altura mínima de descarga 1410 mm (4 ft. 8 pol) 1150 mm (3 ft. 9 pol)
F Profundidade máxima de escavação - parede vertical 2390 mm (7 ft. 10 pol) 2650 mm (8 ft. 8 pol)
G Raio mínimo de giro 2040 mm (6 ft. 8 pol) 2070 mm (6 ft. 10 pol)
H Altura no raio mínimo de giro 3780 mm (12 ft. 5 pol) 3780 mm (12 ft. 5 pol)
J Profundidade de escavação a nível de 8-ft. 2600 mm (8 ft. 6 pol) 2920 mm (9 ft. 7 pol)
K Curso de escavação horizontal ao nível do solo - curso 2370 mm (7 ft. 9 pol) 2770 mm (9 ft. 1 pol)
L Curso de escavação horizontal ao nível do solo - mínimo 1670 mm (5 ft. 6 pol) 1530 mm (5 ft. 0 pol)
X Lâmina frontal - Acima 540 mm (1 ft. 9 pol) 540 mm (1 ft. 9 pol)
Y Lâmina frontal - Abaixo 440 mm (1 ft. 5 pol) 440 mm (1 ft. 5 pol)

8-9
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

MODELO COM CABINE

A
A’

G
C
H
D
E

X
Y
K L
F
J
B

UPV00600004ES1 Figura 5

Braço padrão Braço longo


Unidades: m (ft-pol) 1.32 m (51.9 pol) 1.59 m (62.6 pol)
Máqupola equipada com caçamba de 0,11 m3 (0.144 yd3)
Caçamba Caçamba
ALCANCES DE TRABALHO
0.11 m3 (0.144 yd3) 0.11 m3 (0.144 yd3)
A Alcance máximo de escavação 5240 mm (17 ft. 2 pol) 5500 mm (18 ft. 1 pol)
A’ Alcance máximo de escavação ao nível do solo 5110 mm (16 ft. 9 pol) 5370 mm (17 ft. 7 pol)
B Profundidade máxima de escavação 3080 mm (10 ft. 1 pol) 3350 mm (11 ft. 0 pol)
C Altura máxima de escavação 4660 mm (15 ft. 3 pol) 4800 mm (15 ft. 9 pol)
D Altura máxima de descarga 3290 mm (10 ft. 10 pol) 3430 mm (11 ft. 3 pol)
E Altura mínima de descarga 1270 mm (4 ft. 2pol) 1000 mm (3 ft. 3 pol)
F Profundidade máxima de escavação - parede vertical 2390 mm (7 ft. 10 pol) 2650 mm (8 ft. 8 pol)
G Raio mínimo de giro 2560 mm (8 ft. 5 pol) 2340 mm (7 ft. 8 pol)
H Altura no raio mínimo de giro 3620 mm (11 ft. 11 pol) 3620 mm (11 ft. 11 pol)
J Profundidade de escavação a nível de 8-ft. 2600 mm (8 ft. 6 pol) 2920 mm (9 ft. 7 pol)
K Curso de escavação horizontal ao nível do solo - curso 2370 mm (7 ft. 9 pol) 2770 mm (9 ft. 1 pol)
L Curso de escavação horizontal ao nível do solo - mínimo 1670 mm (5 ft. 6 pol) 1530 mm (5 ft. 0 pol)
X Lâmina frontal – Acima 540 mm (1 ft. 9 pol) 540 mm (1 ft. 9 pol)
Y Lâmina frontal – Abaixo 440 mm (1 ft. 5 pol) 440 mm (1 ft. 5 pol)

8-10
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

CAPACIDADES DE ELEVAÇÃO
1. Não tente suspender qualquer carga que exceda 6. Se a escavadeira usar o mesmo tamanho de
os valores nominais de carga específicos para caçamba indicado nas Tabelas de Elevação, e
cada raio e altura de elevação. um cabo de içamento, etc. pesando 100 kg (220
2. As capacidades de elevação assumem uma lbs) for usado para içamento, então, subtraia
máquina sobre uma superfície de sustentação estes 100 kg (220 lbs) adicionais de cada valor
nivelada, firme e uniforme. O operador deve con- indicado nas tabelas.
siderar tolerânicas conforme as condições de 7. Se uma caçamba for mudada para uma
trabalho, tais como solo fofo ou desnivelado, car- caçamba maior, cujo peso seja 350 kg (770 lbs)
gas laterais, paradas repentinas de cargas, con- a mais que o da caçamba indicada nas Tabelas
dições perigosas, pessoal inesperiente, peso de de Elevação, então, subtraia este peso adicional
várias outras caçambas, correias de içamento, de cada valor indicado nas tabelas.
acessório, etc.
8. Se uma caçamba for mudada para uma
3. Os valores são calculados no gancho de iça- caçamba menor, cujo peso seja 350 kg (770 lbs)
mento da caçamba. a menos que o da caçamba indicada nas Tabe-
4. As cargas nominais estão em conformidade com las de Elevação, então, você pode acrescentar
o Padrão de Capacidade de Elevação de Esca- 350 kg (770 lbs) a cada valor indicado nas tabelas.
vadora Hidráulica SAE J1097. Elas não exce-
dem 87% da capacidade hidráulica de elevação
ou 75% de carga de tombamento. As cargas
nominais marcadas com asterisco (*) são limita-
das pela capacidade hidráulica em vez da carga
de tombamento.
5. As capacidades se aplicam a máquina como ori-
ginalmente fabricada e normalmente equipada
pelo fabricante.
NOTA: O operador deve considerar o peso de qual-
quer dispositivo usado para içamento, para calcular
adequadamente a capacidade total de içamento da
máquina. Exemplo:

8-11
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

ESPECIFICAÇÕES DE TORQUE DE APERTO DOS PARAFUSOS


As seguintes Especificações de Torque são fornecidas para uso quando o valor real de torque for desconhecido.

PARAFUSOS E PORCAS
VALORES DE TORQUE DE APERTO PADRÃO PARA ROSCAS MÉTRICAS GROSSAS
Certifique-se de apertar todos os Parafusos e Porcas nos valores especificados de torque.

Valores de Torque de Aperto Padrão para Roscas Métricas Grossas


Classificação 4,8 T 7T 10,9 T
TAMANHO SEM LUBRIFICADO SEM LUBRIFICADO SEM LUBRIFICADO
NOMINAL LUBRIFICAÇÃO COM ÓLEO LUBRIFICAÇÃO COM ÓLEO LUBRIFICAÇÃO COM ÓLEO
0,45 ± 0,05 0,38 ± 0,04 0,98 ± 0,1 0,83 ± 0,08 1,77 ± 0,18 1,5 ± 0,15
M6 P=1
(3,2 ± 0,4) (2,7 ± 0,3) (7,1 ± 0,7) (6,0 ± 0,6) (12,8 ± 1,3) (10,8 ± 1,1)
1,09 ± 0,11 0,92 ± 0,09 2,4 ± 0,2 2,0 ± 0,2 4,3 ± 0,4 3,6 ± 0,4
M8 P=1,25
(7,9 ± 0,8) (6,6 ± 0,7) (17,3 ± 1,4) (14,4 ± 1,4) (31,0 ± 2,9) (26,0 ± 2,9)
2,2 ± 0,2 1,83 ± 0,18 4,7 ± 0,5 4,0 ± 0,4 8,5 ± 0,9 7,2 ± 0,7
M10 P=1,5
(15,9 ± 1,4) (13,2 ± 1,3) (33,9 ± 3,6) (28,9 ± 2,9) (61,3 ± 6,5) (52,0 ± 5,1)
3,7 ± 0,4 3,2 ± 0,3 8,1 ± 0,8 6,8 ± 0,7 14,6 ± 1,5 12,3 ± 1,2
M12 P=1,75
(26,7 ± 2,9) (23,1 ± 2,2) (58,5 ± 5,8) (49,1 ± 5,1) (105 ± 10,8) (88,8 ± 8,7)
5,9 ± 0,6 5,0 ± 0,5 12,8 ± 1,3 10,8 ± 1,1 23 ± 2 19,5 ± 1,9
M14 P=2
(42,6 ± 4,3) (36,1 ± 3,6) (92,5 ± 9,4) (78,0 ± 7,9) (166 14) (140 ± 14)
9,0 ± 0,9 7,6 ± 0,7 19,5 ± 2,0 16,4 ± 1,6 35 ± 4 29 ± 3
M16 P=2
(64,9 ± 6,5) (54,8 ± 5,1) (140 ± 14,4) (118 ± 11,5) (252 ± 28,9) (209 ± 21,6)
12,4 ± 1,2 10,5 ± 1,0 27 ± 3 23 ± 2 49 ± 5 41 ± 4
M18 P=2,5
(89,6 ± 8,7) (75,8 ± 7,2) (195 ± 22) (166 ± 14) (354 ± 36) (296 ± 29)
17,5 ± 1,7 14,7 ± 1,4 38 ± 4 32 ± 3 68 ± 7 57 ± 6
M20 P=2,5
(126 ± 12,3) (106 ± 10,1) (274 ± 29) (231 ± 22) (491 ± 51) (412 ± 43)
23 ± 2 19,6 ± 2 51 ± 5 43 ± 4 92 ± 9 77 ± 7
M22 P=2,5
(166 ± 14) (142 ± 14) (368 ± 36) 310 ± 29) (663 ± 65) (555 ± 58)
30 ± 3 24 ± 3 65 ± 7 53 ± 5 118 ± 12 96 ± 10
M24 P=3
(217 ± 22) (173 ± 22) (469 ± 51) (383 ± 36) (852 ± 87) (693 ± 72)
44 ± 4 36 ± 3 96 ± 10 78 ± 8 173 ± 17 140 ± 14
M27 P=3
(318 ± 29) (260 ± 22) (693 ± 72) (563 ± 58) (1250 ± 120) (1010 ± 100)
60 ± 6 50,5 ± 5 131 ± 13 110 ± 11 235 ± 24 198 ± 20
M30 P=3,5
(433 ± 43) (361 ± 36) (946 ± 94) (794 ± 79) (1700 ± 170) (1430 ± 140)
81 ± 8 68 ± 7 176 ± 18 148 ± 15 317 ± 32 266 ± 27
M33 P=3,5
(585 ± 58) (491 ± 51) (1270 ± 130) (1070 ± 110) (2290 ± 200) (1920 ± 200)
105 ± 10 88 ± 9 227 ± 23 190 ± 19 409 ± 41 343 ± 34
M36 P=4
(758 ± 72) (636 ± 65) (1640 ± 170) (1370 ± 140) (2960 ± 300) (2480 ± 250)
UNIDADE DE VALOR DE TORQUE: kgf (lbf.ft)

8-12
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

VALORES DE TORQUE DE APERTO PADRÃO PARA ROSCAS MÉTRICAS FINAS


Aperte todos os Parafusos e Porcas nos valores especificados de torque.

Valores de Torque de Aperto Padrão de Rosca Métrica Fina


Classificação 4,8 T 7T 10,9 T
TAMANHO SEM LUBRIFICADO SEM LUBRIFICADO SEM LUBRIFICADO
NOMINAL LUBRIFICAÇÃO COM ÓLEO LUBRIFICAÇÃO COM ÓLEO LUBRIFICAÇÃO COM ÓLEO
1,15 0,11 0,97 ± 0,1 2,5 ± 0,2 2,1 ± 0,2 4,5 ± 0,4 3,8 ± 0,4
M8 P=1
(8,3 ± 0,8) (7,0 ± 0,7) (18,0 ± 1,4) (15,2 ± 1,4) (32,5 ± 2,9) (27,4 ± 2,9)
2,3 ± 0,2 1,91 ± 0,19 4,9 ± 0,5 4,2 ± 0,4 8,9 ± 0,9 7,5 ± 0,7
M10 P=1,25
(16,6 ± 1,4) (13,8 ± 1,4) (35,4 ± 3,6) (30,3 ± 2,9) (64,2 ± 6,5) (54,2 ± 5,1)
4,0 ± 0,4 3,4 ± 0,3 8,7 ± 0,9 7,3 ± 0,7 15,7 ± 1,6 13,2 ± 1,3
M12 P=1,25
(28,9 ± 2,9) (24,5 ± 2,2) (62,8 ± 6,5) (52,7 ± 5,1) (113 ± 13) (95,3 ± 9,4)
9,4 ± 0,9 7,9 ± 0,8 20 ± 2 17,2 ± 1,7 37 ± 4 31 ± 3
M16 P=1,5
(67,9 ± 6,5) (57,0 ± 5,8) (144 ± 14) (124 ± 12) (267 ± 29) (224 ± 22)
19 ± 9 15,8 ± 1,6 41 ± 4 34 ± 3 74 ± 7 62 ± 6
M20 P=1,5
(137 ± 14) (114 ± 14) (296 ± 29) (246 ± 22) (535 ± 51) (448 ± 43)
32 ± 3 27 ± 3 70 ± 7 58 ± 6 126 ± 12 105 ± 10
M24 P=2
(231 ± 22) (195 ± 22) (506 ± 51) (419 ± 43) (910 ± 87) (758 ± 72)
65 ± 6 54 ± 5 142 ± 14 118 ± 12 255 ± 26 212 ± 21
M30 P=2
(469 ± 43) (390 ± 36) (1030 ± 100) (852 ± 87) (1840 ± 190) (1530 ± 150)
109 ± 11 91 ± 9 238 ± 23 198 ± 20 428 ±43 357 ± 36
M36 P=3
(787 ± 79) (657 ± 65) (1720 ± 170) (1430 ± 140) (3090 ± 310) (2580 ± 260)
UNIDADE DE VALOR DE TORQUE: kgf (lbf.ft)

CONEXÃO ORS (VEDAÇÃO TIPO ANEL-O)

Conexão ORS (Vedação tipo Anel-O)

CONEXÃO ANEL-O NIPPLE

PORCA

PRESSÃO
TAMANHO Sextavado TORQUE
TRABALHO
NOMINAL mm kgfm (lbf.ft)
kgf/cm2 (psi)

Anel de bocal 1 – 14 UNS 30 – 32 14 ± 1,4 (101 ± 10) 350 (4980)


de mangueira e 1 – 3/16 12 UN 36 – 41 18 ± 1,8 (130 ± 13) 385 (5475) Aumento de
Acoplamento 1 – 7/16 12 UN 41 – 46 21 ± 2,1 (152 ± 15) potência (Boost)

8-13
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

PORCAS E ANILHAS

PORCAS E ANILHAS

ANILHA PORCA

Dia. ext Dia. ext

Dimensão Tubo Sextavado


NOME DO PRESSÃO TRABALHO TORQUE
O.D. x ESPESSURA mm
FABRICANTE kgf/cm2 (psi) kgfm (ft-lbs)
mm (in) Dimensão B
10 x 1,5
19 4,5 ± 0,5 (33 ± 4)
(0,394 x 0,059)
15 x 2,0
27 15 ± 2 (108 ± 14)
(0,591 x 0,079)
350 (4980) 18 x 2,5
NIPPON A.M.C. 32 18 ± 2 (130 ± 14)
Somente linha de translação (0,709 x 0,098)
22 x 3,0
36 22 ± 2 (159 ± 14)
(0,866 x 0,118)
28 x 4,0
41 28 ± 3 (203 ± 22)
(1,10 x 0,157)
350 (4980) 35 x 5,0
IHARA KOATSU 55 35 ± 4,5 (253 ± 29)
Somente linha de translação (1,38 x 0,20)

CONEXÕES DO TIPO FLANGE EXPANDIDA CONEXÕES DE TUBO TIPO LUVA N2 (NYLON)

Conexões do Tipo Flange Expandida Conexões do Tipo Tubo Luva N2 (Nylon)


O torque excessivo nas conexões de metal do tipo flange LUVA PLÁSTICA
expandida (Union Nut Type) pode danificar porcas, su-
perfícies de assento e impedir uma perfeita vedação re-
sultando em vazamentos de óleo.
Dimensão Nominal
TORQUE
(ROSCA DO TUBO)
1/4” 2,5 ± 0,3 (18,1 ± 1,8)
CORPO PORCA TUBO DE
3/8” 5 ± 0,5 (36,2 ± 3,6)
NYLON
1/2” 6 ± 0,6 (43,4 ± 4,3)
1. Limpe o tubo e certifique de que sua extremidade
3/4” 12 ± 1,2 (86,8 ± 8,7)
esteja cortada reta.
1” 14 ± 1,4 (101 ± 10) 2. Insira o tubo na conexão até que a extremidade do
1-1/4” 17 ± 1,7 (123 ± 12) tubo esteja firmemente assentada no corpo da cone-
xão.
1-1/2” 21 ± 2,1 (152 ± 15) 3. Aperte a porca com a mão.
2” 42 ± 4,2 (304 ± 30) 4. Use uma chave de boca fixa, aperte a porca com
Unidade: kgf.m (lbf.ft) 1-1/4 volta da chave.

8-14
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

TABELA DE DENSIDADE DE MATERIAIS

Material lb/jd3 kg/m3


Lascas de madeira 700 420
Turfa, seca 750 440
Cinzas 950 560
Turfa, úmida 1170 690
Solo superficial 1600 950
Carvão 1780 1050
Caliche (Carbonato de Cálcio) 2100 1250
Terra, barro 2100 1250
Xisto 2250 1330
Areia, seca 2400 1420
Argila, seca 2500 1480
Terra, seca 2550 1510
Calcário, quebrado ou moído 2600 1540
Terra, úmida 2700 1600
Argila, úmida 2800 1660
Pedra, granito, dinamitado ou britado 2800 1660
Areia, úmida 2850 1690
Areia e cascalho, secos 2900 1720
Areia, úmida 3100 1840
Areia e cascalho, úmidos 3400 2020

8-15
CAPÍTULO 8 – ESPECIFICAÇÕES

UNIDADES DE CONVERSÃO
UNIDADES DE MASSA UNIDADES DE PRESSÃO

Unidades de Massa Unidades de Pressão


De Para Multiplicar De Para Multiplicar
kg lbm 2,205 psi 14,223
lbm kg 0,454 kgf/cm2 Pa
9,807
(Pascal)
UNIDADES DE COMPRIMENTO Atm 0,06805
Bar 0,06895
Unidades de Comprimento
psi kgf/cm2 0,0703
De Para Multiplicar Dividir
Pa
metros pés (ft) 3,28 - 6894,76
(Pascal)
mm pol (inch) - 25,4
MPa
pol (inch) mm 25,4 - psi 145,04
(MegaPascal)

UNIDADES DE POTÊNCIA UNIDADES DE VOLUME

Unidades de Potência Unidades de Volume


De Para Multiplicar De Para Multiplicar
HP kW 0.7457 Gal
0,264
kW HP 1.341 (US Liquid)
in3 61,02
UNIDADES DE VAZÃO Litros jd 3
0,00131

Unidades de Vazão quarts 1,0567

De Para Multiplicar ounces


33,81
(US)
L/min 3,79
m3 0,765
Gal/min L/seg 0,0631 3
jd3 in 46656
(US liquid) cm3/min 3785,4 3
(Jardas ft 27
ft3/min 0,1337 cúbicas) 3
cm 764554,9
ft3/min 0,0353
liters 764,555
Gal/min 0,264
Litro/min
Gal/seg 0,004403
3/min
jd 0,001308

UNIDADES DE TORQUE

Unidades de Torque
De Para Multiplicar
lbf.ft 0,738
kgf.m 0,1019716
N·m
lbf.ft 0,737561
lbf.in 8,85075
kgf.m 0,1382552
lbf-ft Nm 1,35582
lbf.in 12

8-16
CAPÍTULO 9
ÍNDICE
A C
Acessórios Cabine e Assento do Operador ............................................ 3-3
Compartimento do Operador ............................................ 3-8 Cabos Auxiliares
Lubrificação ................................................................... 6-17 Conexão do Cabo ............................................................ 7-6
Acessórios Opcionais (Utilização) ...................................... 4-26 Partida no Motor .............................................................. 7-6
Alavancas Caçamba ........................................................................... 6-49
Cancelamento das Funções Hidráulicas ......................... 3-19 Carregamento ................................................................ 4-17
Controle da Lâmina ........................................................ 3-25 Especificações de Tipo ..................................................... 8-6
Controle de Aceleração .................................................. 3-25 Guia para Seleção ......................................................... 4-20
Controle Operacional ..................................................... 3-19 Instalação ...................................................................... 6-51
de Giro (Operação) ........................................................ 4-15 Operação ....................................................................... 4-15
Direita de Controle do Operador (BHL) ........................... 3-23 Substituição ................................................................... 6-50
Direita de Controle do Operador (ISO / SAE) .................. 3-21 Capacidades de Elevação .................................................. 8-11
Esquerda de Controle do Operador (BHL) ...................... 3-23 Modelo com Cabine ......................................................... 8-8
Esquerda de Controle do Operador (ISO / SAE) .............. 3-20 Modelo com Capota ......................................................... 8-7
Padrão BHL ................................................................... 3-20 Chassi da Estrutura ............................................................. 6-5
Translação - Operação das Duas Juntas ........................ 4-10 Chave de Ignição ................................................................. 3-9
Alavancas e Pedais ........................................................... 3-18 Cinto de Segurança ............................................................. 3-6
Translação Direito e Esquerdo ....................................... 3-24 Precauções .................................................................... 2-11
Alcances de Trabalho Combustível ........................................................................ 5-8
Modelo com Cabine ....................................................... 8-10 Armazenagem .................................................................. 5-8
Modelo com Capota ......................................................... 8-9 Biodiesel .......................................................................... 5-8
Alternador Nível .............................................................................. 6-13
Verificação ..................................................................... 6-37 Precauções no Manuseio ................................................. 2-9
Antes de Operar a Máquina ................................................. 4-3 Compartimentos e Portas de Acesso à Máquina ................... 3-7
Antes de Operar um Martelete Hidráulico ........................... 4-26 Componentes e Controles da Máquina ................................. 3-9
Aquecimento Componentes Elétricos ........................................................ 7-3
Fluido Hidráulico .............................................................. 4-7 Componentes Hidráulicos (Especificações) .......................... 8-5
Manual ............................................................................ 4-6 Conector Fusível ................................................................. 7-3
Motor ............................................................................... 4-6 Conexão do Cabo Auxiliar .................................................... 7-6
Aquecimento do Óleo do Motor ............................................ 6-4 Conexôes
Área de Segurança .............................................................. 2-4 Flange Expandida (Torque de Aperto) ............................ 8-14
Armazenagem da Máquina ................................................ 4-25 ORS – Vedação tipo anel-O (Torque de Aperto) .............. 8-13
Armazenagem de Combustível ............................................ 5-8 Tubo Tipo Luva N2 (Torque de Aperto) ........................... 8-14
Armazenamento de Biodiesel ............................................... 5-9 Contaminação (Prevenção) .................................................. 6-4
Controles
B Compartimento do Operador ............................................ 3-8
Hidráulicos (Operação Básica) ......................................... 4-9
Biodiesel ............................................................................. 5-8
Manual Opcional ............................................................ 4-28
Armazanamento ............................................................... 5-9
Translação da Máquina .................................................. 4-10
Bolsa Porta Documento ....................................................... 3-5
Correia do Ventilador e Alternador
Braço (Operação) ..................................................... 4-14, 4-16
Ajuste ..........................................................6-24, 6-27, 6-28
Inspeção ......................................................6-16, 6-24, 6-27
Cortador ............................................................................ 4-27

9-1
CAPÍTULO 9 – ÍNDICE

D H
Decalques ......................................................................... 2-13 Horímetro ............................................................................ 3-9
de Controle ...................................................................... 4-8
Padrão de Operação ........................................................ 4-8 I
Descarte de Resíduos Perigosos ......................................... 6-3
Indicador de Nível de Combustível ..................................... 3-11
Desligamento de Emergência do Motor ................................ 4-5
Indicador de Temperatura do Líquido de Arrefecimento ...... 3-11
Dimensões da Máquina
Informações Gerais .............................................................. 1-1
Modelo com Cabine ......................................................... 8-3
Injeção (Verificar Sincronismo) ........................................... 6-39
Modelo com Cabine Lâmina Dozer ................................... 8-4
Inspeção .............................................................................. 6-4
Modelo com Capota ......................................................... 8-3
Interruptores ...................................................................... 3-14
Drenagem
Aquecedor (Opcional) ..................................................... 3-16
Sedimento do Reservatório de Combustível .................... 6-18
Buzina ........................................................................... 3-15
Separador de Água ........................................................ 6-13
Chave de Ignição ........................................................... 3-15
Limpador e Lavador do Pára-Brisa .................................. 3-16
E Luzes de Trabalho .......................................................... 3-16
Elevação Operação do Martelete ................................................... 3-17
Modelo com Cabine ......................................................... 8-8 Seleção da Velocidade de Translação ...................3-15, 4-11
Modelo com Capota ......................................................... 8-7 Seletor de Desaceleração (Opcional) .............................. 3-15
Engrenagem de Giro (Substituição da Graxa) ..................... 6-47
Equipmento Opcional ......................................................... 4-26 L
Escavação de Valas .......................................................... 4-16
Lâmina
Especificações de Torque de Aperto .................................. 8-12
Especificações de Oscilação ............................................ 8-5
Especificações dos Lubrificantes .......................................... 5-6
Lubrificação dos Pinos ...........................................6-10, 6-28
Esteira
Utilização ....................................................................... 4-17
Especificações de Tipo ..................................................... 8-6
Lança
Verificação ..................................................................... 6-15
Especificações de Oscilação ............................................ 8-5
Esteira de Borracha ........................................................... 6-51
Operação ..............................................................4-13, 4-16
Ajuste para maiorTensão da Esteira ............................... 6-21
Operação de Giro ........................................................... 4-17
Ajuste para Tensão Menor da Correia ............................. 6-22
Levantamento da Máquina com o Acessório Instalado ........ 4-24
Cordas de Aço ............................................................... 6-54
Levantando a Máquina ....................................................... 4-24
Inspeção ........................................................................ 6-54
Ligando e Desligando a Máquina em Clima Frio ................... 4-6
Remoção ....................................................................... 6-22
Limpeza da Máquina ............................................................ 6-3
Substituição ................................................................... 6-23
Limpeza de Peças ............................................................... 6-4
Esteiras e Componentes .................................................... 6-20
Líquidos
Extintor de Incêndio ........................................................... 2-11
Anti-Congelamento ........................................................... 5-7
Anti-Corrosão ................................................................... 5-7
F Arrefecimento do Motor .................................................... 5-7
Filtros Arrefecimento do Motor (Nível) ....................................... 6-12
Ar do Motor (Limpeza e Substituição) ............................. 6-34 Arrefecimento do Motor (Substituição) ............................ 6-36
Ar do Motor (Limpeza) .................................................... 6-30 Lubrificação
Ar do Motor (Substituição) .............................................. 6-30 Giro da Lança ................................................................ 6-29
Combustível (Substituição) ............................................. 6-33 Lança, Braço e Acessório ......................................6-11, 6-29
Inspeção .......................................................................... 6-4 Máquina e Acessórios .................................................... 6-10
Retorno Hidráulico ......................................................... 6-25 Pinos da Lâmina ...................................................6-10, 6-28
Retorno Hidráulico (Substituição) ........................... 6-31, 6-38 Rolamento de Giro ......................................................... 6-29
Válvula Piloto (Limpeza) ................................................. 6-42 Lubrificantes (Especificações) .............................................. 5-6
Válvula Solenóide (Limpeza) .......................................... 6-42 Luzes de Advertência ......................................................... 3-11
Fixando a Máquina ao Reboque ......................................... 4-23 Alta Velocidade de Translação ........................................ 3-13
Fluidos Carga da Bateria ............................................................ 3-12
Hidráulico ......................................................................... 5-7 Filtro de Ar do Motor ....................................................... 3-13
Hidráulico (Nível) ............................................................ 6-14 Nível Baixo de Combustível (Vermelha) .......................... 3-12
Hidráulico (Substituição) ................................................. 6-48 Pressão do Óleo do Motor .............................................. 3-11
Hidráulico (Vazamentos) ................................................ 6-15 Temperatura do Líquido de Arrefecimento ....................... 3-12
Fluidos e Filtros ................................................................... 5-3 Luzes de Trabalho ............................................................... 7-7
Fluidos Quentes .................................................................. 6-3
Fluidos/Lubrificantes Necessários e Capacidades ................. 5-3
Fusíveis ............................................................................... 7-3

G
Graxa .................................................................................. 5-7
Engrenagem de Giro (Substituição) ................................ 6-47

9-2
CAPÍTULO 9 – ÍNDICE

M P
Máquina Padrão de Operação ............................................................ 4-8
Especificações de Peso ................................................... 8-6 Painel de Monitoramento ..................................................... 4-7
Martelete Hidráulico .................................................. 4-26, 4-27 Palavras de Sinalização ..................................................... 2-12
Utilização ....................................................................... 4-30 Parafusos e Porcas (Torque de Aperto) .............................. 8-12
Martelo para Saída de Emergência .................................... 2-11 Parando a Máquina .............................................................. 4-5
Monitor .............................................................................. 3-10 Parte Elétrica do Motor ...................................................... 6-12
Motor Partida do Motor .................................................................. 4-5
Desligar ........................................................................... 6-4 com Bateria Descarregada ............................................... 7-6
Especificações ................................................................. 8-5 da Máquina Auxiliar .......................................................... 7-6
Parte Elétrica ................................................................. 6-12 Partida e Desligamento do Motor ......................................... 4-5
Motor de Arranque Partida no Motor com Cabos Auxiliares ................................ 7-6
Verificação ..................................................................... 6-37 Pedais (Operação de Giro da Lança) .................................. 3-25
Peneira de Sucção Hidráulica (Limpeza) ............................ 6-40
N Pesos da Máquina ............................................................... 8-6
Pinos da Lâmina (Lubrificação) ................................. 6-10, 6-28
Nível ................................................................................. 6-11
Pivoteando a Máquina ....................................................... 4-12
Combustível ................................................................... 6-13
Porta da Cabine (Trinco) ...................................................... 3-3
Fluido Hidráulico ............................................................ 6-14
Práticas para Melhorar a Eficiência .................................... 4-16
Líquido de Arrefecimento do Motor ................................. 6-12
Precauções
Óleo do Motor ................................................................ 6-11
Cinto de Segurança ........................................................ 2-11
Normas de Segurança ......................................................... 2-3
Específicas para esta Máquina ....................................... 2-11
Manuseio de Combustível ................................................ 2-9
O Manutenção ..................................................................... 2-8
Óleos Operação da Máquina ...................................................... 2-7
Biodegradáveis ................................................................ 5-7 Partida e Parada da Máquina ........................................... 2-6
Inspeção de Óleo Usado .................................................. 6-4 Produtos Químicos Perigosos ........................................... 2-9
Motor ............................................................................... 5-7 Segurança do Operador ................................................... 2-6
Motor (Nível) .................................................................. 6-11 Precauções de Segurança ................................................. 4-32
Motor (Substituição) .............................................. 6-19, 6-26 Prevenção
Redutor de Translação (Substituição) .................... 6-35, 6-44 Contra Incêndio .............................................................. 2-11
Roda Tensora (Substituição) .......................................... 6-46 Contra Queimaduras ........................................................ 2-9
Roletes Superiores (Substituição) ................................... 6-47
Roletes Superiores e Inferiores (Substituição) ................. 6-45 R
Transmissão .................................................................... 5-7
Radiador (Substituição das Mangueiras) ............................ 6-37
Operação da Máquina ......................................................... 4-4
Redutor de Translação (Substituição do Óleo) .................... 6-44
Água .............................................................................. 4-13
Regras de Segurança ........................................................ 2-12
Áreas Arenosas e Empoeiradas ..................................... 4-19
Removendo a Máquina da Armazenagem .......................... 4-25
Beira-Mar ou Maresia ..................................................... 4-19
Reservatório de Combustível (Drenagem de Sedimento) .... 6-18
Clima Extremamente Frio ............................................... 4-18
Reservatório do Lavador de Pára-Brisa ................................ 3-7
Clima Extremamente Quente .......................................... 4-18
Roda Tensora (Substituição do Óleo) ................................. 6-46
Clima Úmido .................................................................. 4-19
Roletes Superiores (Substituição do Óleo) .......................... 6-47
Condições Climáticas Adversas ...................................... 4-18
Roletes Superiores e Inferiores (Substituição do Óleo) ........ 6-45
Grandes Altitudes .......................................................... 4-19
Vida Útil Mais Longa da Estrutura Inferior ....................... 4-19
S
Segurança
Martelo para Saída de Emergência ................................. 2-11
Pessoal ............................................................................ 2-4
Precauções .................................................................... 4-32
Regras e Definições de Palavras de Sinalização ............. 2-12
Soldagem ........................................................................ 6-5
Utilidades Públicas ........................................................... 2-5
Utilização de Equipamento ............................................... 6-4
Segurança de Translação .................................................. 4-12
Separador de Água
Drenagem ...................................................................... 6-13
Limpeza e Drenagem ..................................................... 6-32
Sinais de Mão .................................................................... 2-29
Sistema Hidráulico (Liberação da Pressão) .......................... 6-6
Superfícies Quentes ............................................................ 6-3

9-3
CAPÍTULO 9 – ÍNDICE

T
Tampa da Porta do Motor .................................................... 3-7
Torque de Aperto ............................................................... 8-12
Transporte da Máquina ...................................................... 4-21
Transporte Terrestre .......................................................... 4-21
Trinco da Porta da Cabine .................................................... 3-3

V
Válvulas
Admissão e Escape do Motor (Verificação da Vedação) .. 6-47
Fechamento do Fluído Hidráulico do Acessório ............... 4-29
Motor (Verificação da Folga) ........................................... 6-37
Seletora da Máquina (Ajuste) .......................................... 4-29
Vazamentos de Fluido Hidráulico ....................................... 6-15
Vedações e Anéis-O ............................................................ 6-4
Velocidade e Capacidade de Rampa .................................... 8-5

9-4
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

TERMO DE GARANTIA
Produtos CASE – Linha Construção

A CNH – LATIN AMERICA LTDA., fabricante dos equipamentos marca CASE, garante os produtos­novos de sua fabricação contra
defeitos de mão-de-obra e materiais através do seu Serviço Técnico Autorizado.
O SERVIÇO TÉCNICO AUTORIZADO consertará ou reparará em seu próprio estabelecimento cada peça do produto, a qual de
acordo com a análise técnica, apresente falha e/ou defeito de material ou fabricação, provendo ainda, a mão de obra para a ins-
talação da peça em questão, sem qualquer ônus para o usuário, por um período de 12 (doze) meses a contar da data de entrega
do produto novo ao usuário final.
Não se inclui entretanto na Garantia as despesas relativas ao transporte do equipamento ou de seus componentes ao estabeleci-
mento dos distribuidores, bem como despesas de estadia e viagem caso o usuário opte pela intervenção fora de tais estabeleci-
mentos. Nesta hipótese o SERVIÇO TÉCNICO AUTORIZADO­deverá apresentar ao consumidor o ORÇAMENTO por escrito para
ser PREVIAMENTE APROVADO PELO CONSUMIDOR.
A Garantia contratual do equipamento está condicionada à execução de todas as revisões programadas, definidas no manual de
operação e manutenção e realizadas pelo serviço técnico autorizado da CASE, incluindo a entrega técnica.
As peças aplicadas em substituição estarão cobertas pelo restante do período de garantia do produto.
As peças genuínas também estão cobertas por Garantia de 90 (noventa) dias, a partir da emissão da Nota Fiscal, desde que
sejam aplicadas de acordo com as normas técnicas da CASE. Caso as peças genuínas sejam aplicadas por representante do
SERVIÇO TÉCNICO AUTORIZADO, a cobertura de Garantia das mesmas passa a ser de 180 (cento e oitenta) dias.
ESTA É A ÚNICA GARANTIA OFERECIDA E SUBSTITUI QUAISQUER OUTRAS EXPRESSAS OU IMPLÍCITAS. NÃO EXISTEM
OUTRAS GARANTIAS DA CNH QUE ULTRAPASSEM ESTAS AQUI EXPRESSAS­.

CLÁUSULAS EXCLUDENTES – Esta GARANTIA não se aplica nos casos em que:


•• Constate-se, pelas análises técnicas, O USO OU MANUTENÇÃO INADEQUADO, NEGLIGÊNCIA, IMPERÍCIA OU ACIDENTE,
ALÉM DE IMPLEMENTOS E/OU PEÇAS NÃO HOMOLOGADAS PELA CNH, E/OU USO DE LUBRIFICANTES E ÓLEOS NÃO
INDICADOS;
•• Os produtos novos forem submetidos a utilização acima da capacidade recomendada, usados para fins não recomendados;
•• Os produtos forem alterados ou reparados de maneira não autorizada pela CNH, fabricante dos produtos­CASE;
•• Os produtos cuja manutenção preventiva e inspeções não forem executadas de acordo com as especificações dos produtos
marca CASE;
•• Componentes que possuem coberturas de seus respectivos fabricantes, como pneus e componentes do sistema de injeção
de combustível;
•• Defeitos devido à modificação de produto ou ao uso de peças e componentes instalados que não sejam autorizados pela CNH,
fabricante dos produtos CASE;
•• Haja perdas econômicas incluindo despesas com equipamentos alugados;
•• Sejam itens de desgaste normal como discos de freio, embreagem, barras de corte, facas, pinos, junções lubrificadas (pinos
e buchas), e qualquer peça que se desgaste devido ao contato com o solo, óleos, lubrificantes, filtros, escapamentos e peças
associadas, bicos injetores, ajustadores, correias, lentes, lâmpadas, bulbos e fusíveis;
•• A RESPONSABILIDADE DA CNH OU DO SERVIÇO TÉCNICO AUTORIZADO, quer por contrato civil ou resultante de garan-
tias, declarações, instruções ou efeitos de qualquer natureza, será limitada ao conserto ou entrega de peças, novas ou recon-
dicionadas, sob as condições anteriormente mencionadas­.

CNH – LATIN AMERICA LTDA.

A CNH reserva-se no direito de, a qualquer momento, revisar, modificar ou descontinuar qualquer de seus produtos sem que isso
implique em efetuar o mesmo em modelos já comercializados.

10-1
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Inspeção Pós-Entrega
Cópia do Concessionário
PRIMEIRA FOLHA MANUTENÇÃO – VERIFICAR E AJUSTAR, CONFORME NECESSÁRIO
Nº da O.S. Nº de horas Data

Nome do Proprietário

Endereço

Nome do Concessionário

Endereço

Nº do Modelo da Máquina Indicação do Horímetro Nº de Identificação do Produto (PIN)

Itens a inspecionar

SISTEMA DE ARREFECIMENTO SISTEMA HIDRÁULICO


Verifique o nível de líquido de arrefecimento. Verificar o nível de fluido no reservatório.
Verifique se há vazamentos. Verifique a pressão da válvula de alívio principal.
Verifique o filtro do óleo hidráulico.
SISTEMA DE COMBUSTÍVEL Verifique se há vazamentos.
Drene a água e sedimentos do reservatório de combustível.
Verifique se há vazamentos. INFORMAÇÕES GERAIS
Verifique a existência de vazamentos e peças soltas.
SISTEMA ELÉTRICO Verifique a tensão das correntes e esteiras.
Verifique o nível do eletrólito da bateria e a densidade. Aperte todas as braçadeiras das mangueiras.
Verifique o funcionamento do alternador, motor de partida, instrumentos e Verifique a operação da escavadeira.
luzes de advertência. Verifique o funcionamento dos freios de serviço e de estacionamento.
Verifique o funcionamento de todas as lâmpadas. Verifique o funcionamento do assento do operador.
Verifique o funcionamento das alavancas de controle.
LUBRIFICAÇÃO
Lubrifique todos os pontos de articulação. SEGURANÇA
Verifique o óleo do redutor de giro. Verifique o torque de aperto dos parafusos de fixação do cinto de
Verifique o óleo dos redutores finais. segurança.
Verifique os adesivos de segurança e substitua-os, se necessário.
MOTOR Certifique-se de que a máquina tenha o manual do operador no
Verifique as condições da correia. compartimento de armazenamento do manual.
Verifique o nível de óleo do motor. Verifique o funcionamento do freio de giro.
Verifique a rotação do motor em marcha lenta e em aceleração máxima sem
carga.
Verifique o estado dos elementos filtrantes do filtro de ar.

CONCESSIONÁRIO: certifique-se de que o proprietário e/ou operador entenda todos os adesivos de segurança e de informações, as informações de serviço
e os procedimentos de serviço deste manual.
Assinatura do Técnico

Assinatura do Concessionário

Assinatura do Proprietário

Cópia do Concessionário
#

10-3
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Inspeção Pós-Entrega
Cópia do Proprietário
PRIMEIRA FOLHA MANUTENÇÃO – VERIFICAR E AJUSTAR, CONFORME NECESSÁRIO
Nº da O.S. Nº de horas Data

Nome do Proprietário

Endereço

Nome do Concessionário

Endereço

Nº do Modelo da Máquina Indicação do Horímetro Nº de Identificação do Produto (PIN)

Itens a inspecionar

SISTEMA DE ARREFECIMENTO SISTEMA HIDRÁULICO


Verifique o nível de líquido de arrefecimento. Verificar o nível de fluido no reservatório.
Verifique se há vazamentos. Verifique a pressão da válvula de alívio principal.
Verifique o filtro do óleo hidráulico.
SISTEMA DE COMBUSTÍVEL Verifique se há vazamentos.
Drene a água e sedimentos do reservatório de combustível.
Verifique se há vazamentos. INFORMAÇÕES GERAIS
Verifique a existência de vazamentos e peças soltas.
SISTEMA ELÉTRICO Verifique a tensão das correntes e esteiras.
Verifique o nível do eletrólito da bateria e a densidade. Aperte todas as braçadeiras das mangueiras.
Verifique o funcionamento do alternador, motor de partida, instrumentos e Verifique a operação da escavadeira.
luzes de advertência. Verifique o funcionamento dos freios de serviço e de estacionamento.
Verifique o funcionamento de todas as lâmpadas. Verifique o funcionamento do assento do operador.
Verifique o funcionamento das alavancas de controle.
LUBRIFICAÇÃO
Lubrifique todos os pontos de articulação. SEGURANÇA
Verifique o óleo do redutor de giro. Verifique o torque de aperto dos parafusos de fixação do cinto de
Verifique o óleo dos redutores finais. segurança.
Verifique os adesivos de segurança e substitua-os, se necessário.
MOTOR Certifique-se de que a máquina tenha o manual do operador no
Verifique as condições da correia. compartimento de armazenamento do manual.
Verifique o nível de óleo do motor. Verifique o funcionamento do freio de giro.
Verifique a rotação do motor em marcha lenta e em aceleração máxima sem
carga.
Verifique o estado dos elementos filtrantes do filtro de ar.

CONCESSIONÁRIO: certifique-se de que o proprietário e/ou operador entenda todos os adesivos de segurança e de informações, as informações de serviço
e os procedimentos de serviço deste manual.
Assinatura do Técnico

Assinatura do Concessionário

Assinatura do Proprietário

Cópia do Proprietário
#

10-5
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Registro de Manutenção Periódica

1ª Revisão 4ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

2ª Revisão 5ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

3ª Revisão 6ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

10-7
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Registro de Manutenção Periódica

7ª Revisão 10ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

8ª Revisão 11ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

9ª Revisão 12ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

10-8
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Registro de Manutenção Periódica

13ª Revisão 16ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

14ª Revisão 17ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

15ª Revisão 18ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

10-9
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Registro de Manutenção Periódica

19ª Revisão 22ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

20ª Revisão 23ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

21ª Revisão 24ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

10-10
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Registro de Manutenção Periódica

25ª Revisão 28ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

26ª Revisão 29ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

27ª Revisão 30ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

10-11
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Registro de Manutenção Periódica

31ª Revisão 34ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

32ª Revisão 35ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

33ª Revisão 36ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

10-12
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Registro de Manutenção Periódica

37ª Revisão 40ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

38ª Revisão 41ª Revisão

Distribuidor: Distribuidor:

Horímetro: Data: Horímetro: Data:

Ordem de Serviço: Ordem de Serviço:

Observação: Observação:

Carimbo e Assinatura Carimbo e Assinatura

39ª Revisão

Distribuidor:

Horímetro: Data:

Ordem de Serviço:

Observação:

Carimbo e Assinatura

10-13
#

Registro de Garantia do Proprietário

Série da Máquina Distribuidor


Início da Fim da
Garantia Garantia

D M A D M A
Nº de Horas Marca / Modelo do Motor Endereço

Série do Motor Série da Transmissão

Modelo Cidade Estado País

IMPLEMENTOS Código do Distribuidor

Modelo Série Uso da Fábrica

INFORMAÇÕES DO PROPRIETÁRIO
Razão Social

CGC – MF CPF

Endereço

Cidade Estado CEP País


CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Contato DDD Telefone

PROPRIETÁRIO RESPONSÁVEL DE ENTREGA

Assinatura Assinatura

Nome Nome

Carteira de Identidade Carteira de Identidade

Via – PROPRIETÁRIO

“ESTE FORMULÁRIO REGISTRA O PROPRIETÁRIO E O INÍCIO DE COBERTURA DA GARANTIA”

10-15
Esta máquina foi devidamente regulada e Recebi e revi o Manual do Operador da máquina e
inspecionada antes de ser entregue, conforme Folha entendo a operação adequada e segura, assim como
de Revisão de Pré-Entrega. as exigências de manutenção desta máquina.
Os itens abaixo foram explicados ao comprador: A máquina foi-me entregue em condições satisfatórias
e entendo que a política de garantia está descrita na
a. Procedimentos adequados de operação e página “TERMO DE GARANTIA – Produtos CASE –
instruções do Manual do Operador. Linha Construção”, integrante deste manual.
b. A importância das medidas de segurança, Recebi:
equipamentos de segurança e manutenção
preventiva.
c. Condições e tipo de cobertura de Garantia. Manual do Operador
Catálogo de Peças
Ferramentas
/ / / /
ASSINATURA E CARIMBO DO DISTRIBUIDOR DATA ASSINATURA DO COMPRADOR DATA
#

Registro de Garantia do Proprietário

Série da Máquina Distribuidor


Início da Fim da
Garantia Garantia

D M A D M A
Nº de Horas Marca / Modelo do Motor Endereço

Série do Motor Série da Transmissão

Modelo Cidade Estado País

IMPLEMENTOS Código do Distribuidor

Modelo Série Uso da Fábrica

INFORMAÇÕES DO PROPRIETÁRIO
Razão Social

CGC – MF CPF

Endereço

Cidade Estado CEP País


CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Contato DDD Telefone

PROPRIETÁRIO RESPONSÁVEL DE ENTREGA

Assinatura Assinatura

Nome Nome

Carteira de Identidade Carteira de Identidade

Via – CONCESSIONÁRIA

“ESTE FORMULÁRIO REGISTRA O PROPRIETÁRIO E O INÍCIO DE COBERTURA DA GARANTIA”

10-17
Esta máquina foi devidamente regulada e Recebi e revi o Manual do Operador da máquina e
inspecionada antes de ser entregue, conforme Folha entendo a operação adequada e segura, assim como
de Revisão de Pré-Entrega. as exigências de manutenção desta máquina.
Os itens abaixo foram explicados ao comprador: A máquina foi-me entregue em condições satisfatórias
e entendo que a política de garantia está descrita na
a. Procedimentos adequados de operação e página “TERMO DE GARANTIA – Produtos CASE –
instruções do Manual do Operador. Linha Construção”, integrante deste manual.
b. A importância das medidas de segurança, Recebi:
equipamentos de segurança e manutenção
preventiva.
c. Condições e tipo de cobertura de Garantia. Manual do Operador
Catálogo de Peças
Ferramentas
/ / / /
ASSINATURA E CARIMBO DO DISTRIBUIDOR DATA ASSINATURA DO COMPRADOR DATA
#

Registro de Garantia do Proprietário

Série da Máquina Distribuidor


Início da Fim da
Garantia Garantia

D M A D M A
Nº de Horas Marca / Modelo do Motor Endereço

Série do Motor Série da Transmissão

Modelo Cidade Estado País

IMPLEMENTOS Código do Distribuidor

Modelo Série Uso da Fábrica

INFORMAÇÕES DO PROPRIETÁRIO
Razão Social

CGC – MF CPF

Endereço

Cidade Estado CEP País


CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Contato DDD Telefone

PROPRIETÁRIO RESPONSÁVEL DE ENTREGA

Assinatura Assinatura

Nome Nome

Carteira de Identidade Carteira de Identidade

Via – CASE

“ESTE FORMULÁRIO REGISTRA O PROPRIETÁRIO E O INÍCIO DE COBERTURA DA GARANTIA”

10-19
Esta máquina foi devidamente regulada e Recebi e revi o Manual do Operador da máquina e
inspecionada antes de ser entregue, conforme Folha entendo a operação adequada e segura, assim como
de Revisão de Pré-Entrega. as exigências de manutenção desta máquina.
Os itens abaixo foram explicados ao comprador: A máquina foi-me entregue em condições satisfatórias
e entendo que a política de garantia está descrita na
a. Procedimentos adequados de operação e página “TERMO DE GARANTIA – Produtos CASE –
instruções do Manual do Operador. Linha Construção”, integrante deste manual.
b. A importância das medidas de segurança, Recebi:
equipamentos de segurança e manutenção
preventiva.
c. Condições e tipo de cobertura de Garantia. Manual do Operador
Catálogo de Peças
Ferramentas
/ / / /
ASSINATURA E CARIMBO DO DISTRIBUIDOR DATA ASSINATURA DO COMPRADOR DATA
CAPÍTULO 10 – GARANTIA

Rede de Distribuidores CASE Brasil


ESTADO / CIDADE ENDEREÇO TELEFONE FAX

BRASIF S/A EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO


MG Belo Horizonte R. Margarida Assis Fonseca, 171 – Bairro Califórnia (31) 2129-3800 (31) 2129-3883
GO Goiania Av.Vereador José Monteiro, 2206 – Bairro St. Negrão de Lima (62) 4005-5858 (62) 4005-5800
RJ Rio de Janeiro R. da Regeneração, 853 – Bairro Bonsucesso (21) 2123-3000 (21) 2123-3028
RJ Macaé Av. Prefeito Aristel ferreira da Silva, 330 – Bairro Novo Cavaleiro (22) 2105-4208 (22) 2105-4201
ES Serra Av João Palácio, 280 – Bairro Carapina (27) 2121-3311 (27) 2121-3354
SP Jundiaí Av. Dr. Adilson Rodrigues, 77 – Bairro Jardim das Samambaias (11) 2136-8300 (11) 2136-8300
SP Ribeirão Preto Av. Castelo Branco, 930 – Nova Riberânia (16) 2102-2300 (16) 2102-2300
DF Brasília Bairro SAAN Quadra 02, Lote 1200 (61) 2102-3400 (61) 2102-3420

FORNECEDORA MAQUINAS E EQUIPAMENTOS LTDA


CE Fortaleza Av. Frei Cirilo, 2524 (BR 116 KM 6) – Bairro Cajazeiras (85) 3366-1222 (85) 3229-3708
(85) 3366-1223
PI Teresina Av. Barão de Gurgueia, 2715 – Bairro Vermelha (86) 3229-2255 (86) 3229-2255
PB Bayuex BR 101 KM 32, 697, Loja-D – Bairro Maguinhos (83) 3232-3280 (83) 3232-0602
RN Parnamirim R. Jose Raimundo Monteiro, 500 – Emaús (84) 3643-3361
(84) 3643-3294

MOTORMAC DISTRIBUIDORA DE MÁQUINAS E MOTORES S/A


SC São José Rod. BR 101 KM 212 – Bairro Area Industrial (48) 3271-0100 (48) 3271-0100

PROTEC - PRODUTOS E SERV. TÉCNICOS LTDA


PA Ananindeua Rod. BR 316 KM 3 – Bairro Atalaia (91) 4008-9700 (91) 4008-9740
MA São Luiz Rod. BR 135 KM 4, S/N – Vila Tibiri (98) 3258-2007 (98) 3258-2007

TECHNICO COMERCIAL DE EQUIPAMENTOS S/A


BA Salvador R. Antonio de Andrade, 489 – Porto Seco Pirajá (71) 3246-2400 (71) 3246-8542
(71) 3391-0600 (71) 3246-2454
SE Aracaju Av. Heracliton Rollemberg, 1800 – Centro Comercial Palmae (79) 4009-0284

TECHNICO NORTE LTDA


PE Jaboatão Guararapes Rod. BR 101 Sul KM 17, S/N – Bairro Prazeres (81) 3378-1500 (81) 3378-0805

TORK SUL COMÉRCIO DE PEÇAS E MÁQUINAS LTDA


MS Campo Grande R. Cayová, 1018 – Bairro São Lourenço (67) 3341-4300 (67) 3341-4300
MT Varzea Grande Av. Gov. Julio Campos, 3981 – Jd.Paula I (65) 3688-2121 (65) 3688-2108
ES Vila Velha R. Cesar Alcure, 890 – Bairro Alvorada (27) 3369-4138 (27) 3369-4138
RO Ariquemes Av. Capitão Sílvio, 1413 – Bairro Apoio Rodoviário (69) 3535-2022 (69) 3536-6378
AC Rio Branco Estr. do Amapá, sala A, 2297 – Bairro Amapá (68) 3221-0527 (68) 3221-1355
AM Manaus Av. Max Teixeira, 3631 – Cidade Nova (92) 3581-3668 (92) 3581-3680

10-21
Impresso no Brasil
Copyright © 2011 – CNH Latin America LTDA. – Todos os Direitos Reservados.