Você está na página 1de 3

Parte 01: HABITAT E NICHO ECOLÓGICO

Ecossistema designa o conjunto formado por todos os fatores bióticos e abióticos que atuam simultaneamente sobre
determinada região.

Considerando como fatores bióticos as diversas populações de animais, plantas e bactérias e os abióticos os fatores
externos como a água, o solo , o ar e o calor.

Agora, vamos entender o que é Habitat e Nicho Ecológico?

O Habitat => é o lugar onde encontramos um ser vivo.

Por exemplo: habitat da planta vitória régia são os lagos e as matas alagadas da Amazônia, enquanto o habitat do panda
são as florestas de bambu das regiões montanhosas na China e no Vietnã.

Nicho Ecológico => é o modo de vida deste ser vivo. O que ele come, quando dorme (de dia ou de noite), como se
reproduz.

Para simplificar:

Habitat é o endereço do ser vivo. Por exemplo, no caso do Camelo o seu Habitat é o deserto.

Nicho ecológico é a profissão do ser vivo. No caso do Camelo é ser herbívoro (se alimentar de plantas), toma pouca
água e é um ser diurno (dorme a noite e faz suas atividades de dia).

Exercício proposto!!!!

Parte 02: CADEIA ALIMENTAR

Cadeia Alimentar, ou cadeia trófica é uma sequência de seres vivos na qual uns comem aqueles que os
antecedem na cadeia, antes de serem comidos por aqueles que os seguem. A cadeia mostra a transferência
de matéria e energia através de uma série de organismo.

Níveis Tróficos

Na cadeia alimentar, distinguem-se os seguintes níveis tróficos ou alimentares.

Produtos

São os vegetais autótrofos, clorofilados que, através da fotossíntese, fixam a energia luminosa, utilizam
substâncias inorgânicas simples (água e gás carbônico), e substâncias orgânicas complexas (glicose, amido),
para produzir seu próprio alimento.

No meio terrestre, os principais produtores são os vegetais, no meio aquático marinho e doce, são as algas e
vegetais.

Consumidores primários ou de primeira ordem


São os organismos que comem os produtores; são heterótrofos e geralmente herbívoros. Os parasitas
vegetais também são consumidores primários.

Os principais herbívoros no meio terrestre são os insetos, os roedores e os ungulados (animais mamíferos com
casco, por exemplo, rinoceronte).

Consumidores secundários ou de segunda ordem


Representados pelos carnívoros. Acham-se nos mais variados grupos.

Consumidores terciários ou de terceira ordem

São os carnívoros maiores que se alimentam de carnívoros menores, como é o caso de um gavião que come
uma cobra.

De maneira idêntica poderíamos definir consumidores de quarta ordem, quinta ordem e etc.

Decompositores

Finalizando a cadeia trófica, aparecem os decompositores, biorredutores ou sapróficas, microorganismos


representados por bactérias e fungos.

Tais organismos atacam os cadáveres e os excrementos, decompondo-os.

São muitos importantes, visto que realizam a reciclagem matéria, devolvendo os elementos químicos ao meio
ambiente.

Teias alimentares

Em um ecossistema, as cadeias alimentares interagem formandos redes alimentares.

Na teia, representamos o máximo de relações tróficos existentes entre os diversos seres vivos do ecossistema
e observamos que um animal, por exemplo, pode pertencer a níveis tróficos deferentes (aquático ou
terrestre). É o caso dos onívoros, que atacam várias presas.

Exercício proposto!!!

Parte 03: RELAÇÕES ECOLÓGICAS

O que são

São as relações existentes entre os seres vivos ou entre estes e o meio ambiente.
Estas relações podem ser harmônicas, quando não ocorre prejuízo entre as espécies envolvidas ou desarmônicas,
quando uma espécie sai em vantagem em detrimento da outra.

Principais relações ecológicas

Comensalismo

É uma relação ecológica entre seres vivos de espécies diferentes onde uma espécie se beneficia no aspecto
alimentar sem prejudicar a outra.

Exemplos:

- O urubu come os restos de um animal caçado e já comido por leões.

- O peixe-piloto fica preso no tubarão, alimentando-se dos restos de alimentos abandonados pelo tubarão.

Inquilinismo

É uma relação ecológica harmônica entre seres vivos de espécies diferentes, onde uma espécie se beneficia nos
aspectos de suporte e proteção, sendo que a outra espécie não sai prejudicada.

Exemplo:

- Plantas conhecidas como “trepadeiras” se envolvem e sobre pelo tronco e galhos de árvores para obter proteção e
luminosidade. Porém as árvores não são prejudicadas nesta relação.
Mutualismo

É uma relação ecológica harmônica entre seres vivos de espécies diferentes onde ambas são beneficiadas na
relação. Mais do que isso, as espécies necessitam uma da outra para sobreviver, ou seja, estabelecem uma relação
de dependência.

Exemplos:

- O cupim e o protozoário que vivem em seu sistema digestivo. O cupim necessita deste protozoário para fazer a
digestão da celulose. Por outro lado, este protozoário necessita da celulose consumida pelo cupim para pode se
alimentar e viver.

- A relação entre algas e fungos, formando os líquens. Os fungos fornecem às algas proteção, minerais e nitrogênio.
Por outro lado, recebem das algas matéria orgânica para se alimentarem.

Predatismo

Relação ecológica, de caráter alimentar, desarmônica onde uma espécie se beneficia em detrimento da outra. A
espécie predadora é a que se beneficia, se alimentando da presa (prejudicada).

Exemplos:

- A relação entre o leão e a zebra. O leão caça, mata e se alimenta da carne da zebra.

- A relação entre um gato selvagem e um roedor.

Cooperação ou protocooperação

Relação ecológica harmônica entre seres vivos de espécies diferentes onde ambas se beneficiam, porém, ao
contrário do que ocorre no mutualismo, elas não necessitam uma da outra para sobreviverem.

Exemplos:

- Relação entre abelhas e algumas espécies de vegetais. As abelhas se alimentam do néctar destas plantas, que
não ficam prejudicadas, pelo contrário, se beneficiam da polinização feita pelas abelhas.

- Algumas espécies de pássaros que comem carrapatos de bois e cavalos.

Parasitismo

Relação ecológica desarmônica entre seres vivos de espécies diferentes onde uma se beneficia, enquanto a outra
sai prejudicada sem morrer. A espécie que se beneficia é chamada de parasita, enquanto a outra é a hospedeira.

Exemplos:

- A relação entre carrapatos e uma capivara. Os carrapatos se alimentam do sangue da capivara. A hospedeira não
morre, porém sai prejudicada ao perder sangue.

- Vermes parasitas que vivem nos intestinos de porcos.

Amensalismo

Relação ecológica desarmônica onde ocorre uma competição por recursos. Nesta relação, as duas espécies de
seres vivos saem prejudicadas, pois uma acaba prejudicando o desenvolvimento da outra.

Exemplo:

- Raízes de uma árvore que podem prejudicar a germinação de outras plantas. Porém, ao conseguir germinarem e
se desenvolverem, estas plantas podem retirar recursos minerais do solo, prejudicando o desenvolvimento da árvore.

Exercício proposto!!!!