Você está na página 1de 10

Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Instituto de Física - Dep. de Eletrônica Quântica


Física Teórica e Experimental III
Relatório de Experimento: Aula 07

Associação de
Resistores

Aluno: José Rodrigues Filho Matrícula: 201520545911


Aluno: Josiane Castro Azevedo Matrícula: 201520537911
Aluno: Luiz Claudio Sena Matrícula: 201520536311
Aluno: Robério da Rocha Barboza Matrícula: 201520544111

Professor: José Carlos Xavier Turma: 14

Associação de Resistores
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Física - Dep. de Eletrônica Quântica
Física Teórica e Experimental III
Relatório de Experimento: Aula 07

Experimento Associação de Resistores


Introdução Teórica

No experimento realizado utilizamos o multímetro com a função ohmímetro


que é um instrumento de medição que tem a função de medir a resistência elétrica de
um componente ou circuito eletrônico. Para medir uma resistência faz-se por
intermédio de duas pontas de medição aplica-se uma tensão nesta resistência de tal
maneira que uma corrente seja forçada a circular. Pela intensidade desta corrente
podemos ter uma ideia da sua resistência: se a corrente for intensa é porque a
resistência é pequena e se a corrente for pequena é porque a resistência é elevada. O
resultado da corrente elétrica que passou através da resistência é medida por um
galvanômetro.

Em vários circuitos elétricos é muito comum a associação de resistores em


paralelo e em série.

Resistores em série tem a mesma corrente, mas tensões diferentes. A diferença


de potencial (ddp) total aplicada entre os pontos A e B é igual a soma das ddps de cada
resistor. E a resistência equivalente, para esse tipo de associação, é dada pela soma de
todas as resistências que fazem parte do circuito, logo:

Resistores em paralelo tem o mesmo potencial entre suas extremidades, mas


são percorridos por correntes diferentes, e a corrente total é a soma das correntes
individuais. O valor da resistência equivalente desse tipo de circuito elétrico pode-se
calcular através da equação matemática:

Associação de Resistores
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Física - Dep. de Eletrônica Quântica
Física Teórica e Experimental III
Relatório de Experimento: Aula 07

Existe também a associação mista que há a mistura de associação em série e


em paralelo Para calcular a resistência equivalente desse tipo de associação devem-se
analisar os tipos de associação de forma separada.

Objetivo do Experimento

Verificar com o uso direto do voltímetro, se as expressões teóricas de


associação de resistores em série e paralelo são verdadeiras.

Material Utilizado

 Chassis
 Resistores (47, 100, 100, 153, 375 e 457) ohms.
 Voltímetro na opção homímetro.
 Cabos com pinos banana

Associação de Resistores
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Física - Dep. de Eletrônica Quântica
Física Teórica e Experimental III
Relatório de Experimento: Aula 07

Procedimento Experimental

Na primeira parte para medir a resistência equivalente em série, pegamos um


resistor de 100 Ω e o fixamos e ficamos variando outros cinco resistores de resistência
variante como mostrado na tabela 1, o esquema experimental esta expresso na figura
1. Conectamos os dois resistores em série como mostrado, ligamos os cabos com
bananas no voltímetro na função homímetro, e verificamos a resistência equivalente
dessa associação.

Figura1: Esquema de associação em série.

Na segunda parte para medir a resistência equivalente em paralelo, pegamos


um resistor de 100 Ω e o fixamos e ficamos variando outros cinco resistores de
resistência variante como mostrado na tabela 2, o esquema experimental esta
expresso na figura 2. Conectamos os dois resistores em paralelo como mostrado,
ligamos os cabos com bananas no voltímetro na função homímetro, e verificamos a
resistência equivalente dessa associação.

Figura 2: Esquema de associação em paralelo.

Associação de Resistores
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Física - Dep. de Eletrônica Quântica
Física Teórica e Experimental III
Relatório de Experimento: Aula 07

Resultados e Cálculos Efetuados

R1 (Ω) R2 (Ω) RT (Ω)


457 561
375 449
100
47 148
100 199
153 251

Tabela 1: Medidas experimentais da associação em série

R1 (Ω) R2 (Ω) RT (Ω) 1/R2 (Ω) 1/RT (Ω)


457 84 1/457 1/84
375 78 1/375 1/78
100 47 32 1/47 1/32
100 50 1/100 1/50
153 60 1/153 1/60

Tabela 2: Medidas experimentais da associação em paralelo

Determinar os valores de x e y para calcular a 𝑻𝒈𝜽:

5
𝑥𝑖 561 + 449 + 148 + 199 + 251 1608
𝑥=∑ = = = 321,6
5 5 5
𝑖=1

5
𝑦𝑖 457 + 375 + 47 + 100 + 153 1132
𝑦=∑ = = = 259,4
5 5 5
𝑖=1
𝑦 259,4
𝑡𝑔𝜃 = = = 0,80
𝑥 321,6

GRÁFICO RTxR2
600
RESISTÊNCIA TOTAL (RT)

500
400
300
200
100
0
0 100 200 300 400 500
RESISTÊNCIAS MÓVEIS (R2)

Associação de Resistores
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Física - Dep. de Eletrônica Quântica
Física Teórica e Experimental III
Relatório de Experimento: Aula 07

Cálculo do Erro Experimental


Usaremos a seguinte equação para determinar o Erro Experimental:

|𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑇𝑒ó𝑟𝑖𝑐𝑜 − 𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝐸𝑥𝑝𝑒𝑟𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑎𝑙|


𝐸% = 𝑥 100%
𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑇𝑒ó𝑟𝑖𝑐𝑜

Para o valor experimental usamos o resultado obtido através da 𝑡𝑔𝜃

𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝐸𝑥𝑝 = 𝑡𝑔𝜃

𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝐸𝑥𝑝 = 0,80

Sabendo que o Valor Teórico é:

𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑇𝑒ó𝑟𝑖𝑐𝑜 = 1

Sabendo os valore Teórico e Experimental, podemos substituir na equação do Erro.

|1,0 − 0,80|
𝐸% = 𝑥 100%
1

0,20
𝐸% = 𝑥 100% → 𝐸% = 0,20 𝑥 100%
1

𝑬% = 𝟐𝟎%

Obs: Devemos observar que esse erro pode ter sido propagado a partir das
aproximações feitas em contas, dos erros do instrumento.

Determinar os valores de x e y para calcular a 𝑻𝒈𝜽:

15 1 1 1 1
𝑥𝑖 + 78 + 32 + + 60 0,092
𝑥=∑ = 84 50 = = 0,018
5 5 5
𝑖=1

5 1 1 1 1 1
𝑦𝑖 + + 47 + 100 + 0,126
𝑦=∑ = 457 357 153 = = 0,025
5 5 5
𝑖=1

𝑦 0,025
𝑡𝑔𝜃 = = = 1,38
𝑥 0,018

Associação de Resistores
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Física - Dep. de Eletrônica Quântica
Física Teórica e Experimental III
Relatório de Experimento: Aula 07

GRÁFICO 1/RT x 1/R2


0.035

RESISTÊNCIA TOTAL (1/RT)


0.03
0.025
0.02
0.015
0.01
0.005
0
0 0.005 0.01 0.015 0.02 0.025
RESISTÊNCIAS MÓVEIS (1/R2)

Cálculo do Erro Experimental


Usaremos a seguinte equação para determinar o Erro Experimental:

|𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑇𝑒ó𝑟𝑖𝑐𝑜 − 𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝐸𝑥𝑝𝑒𝑟𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑎𝑙|


𝐸% = 𝑥 100%
𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑇𝑒ó𝑟𝑖𝑐𝑜

Para o valor experimental usamos o resultado obtido através da 𝑡𝑔𝜃

𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝐸𝑥𝑝 = 𝑡𝑔𝜃

𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝐸𝑥𝑝 = 1,38

Sabendo que o Valor Teórico é:

𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑇𝑒ó𝑟𝑖𝑐𝑜 = 1

Sabendo os valore Teórico e Experimental, podemos substituir na equação do Erro.

|1,0 − 1,38|
𝐸% = 𝑥 100%
1

0,38
𝐸% = 𝑥 100% → 𝐸% = 0,38 𝑥 100%
1

𝑬% = 𝟑𝟖%

Obs: Devemos observar que esse erro pode ter sido propagado a partir das
aproximações feitas em contas, dos erros do instrumento.

Associação de Resistores
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Física - Dep. de Eletrônica Quântica
Física Teórica e Experimental III
Relatório de Experimento: Aula 07

Conclusão

A partir dos dados obtidos nesse experimento e com a base teórica, pudemos
comprovar na primeira parte que a resistência em série, matematicamente é expressa
por Req = R1+R2. Já na segunda parte, verificamos que em paralelo, o inverso da
resistência equivalente é igual à soma dos inversos da resistência de cada resistor, ou
seja, 1/Req = 1/R1 + 1/R2.
Além disso, com base nos gráficos verificamos que os valores se aproximam do
valor esperado na teoria tendo um erro de 20% na associação em série e de 38% na
associação em paralelo.

Questões Complementares do Experimento

1. No gráfico (retilíneo) do item 3, qual é a relação funcional


representada?
Resp: A relação funcional representada no gráfico do item 3 é uma reta linear,
onde temos um coeficiente linear(R1) e um coeficiente angular, o qual é
representado pela constante que multiplica o RX.

2. Que grandeza do conjunto representa o coeficiente linear do gráfico?


Compare este coeficiente com o medido diretamente.
Resp O coeficiente linear do gráfico é representado pelo R1.
Para o gráfico de associação em série: Ao compararmos os valores, verificamos
que no gráfico o valor que obtemos é de 100 Ohm, o qual é igual ao valor do
coeficiente.
Para o gráfico de associação em paralelo: Ao compararmos os valores,
verificamos que no gráfico obtemos os valor de 1x10ֿ² Ohm, o qual é igual ao
valor do coeficiente.

3. Que grandeza do conjunto representa o coeficiente angular do gráfico?


Compare este coeficiente com o medido diretamente.
Resp: O coeficiente angular é representado pela constante que multiplica o
Rx. Para o gráfico de associação em série: Ao compararmos os valores,
verificamos que no gráfico o valor que obtemos é 1,009, onde o medido é igual
a 1(a tangente do ângulo formado pela reta).Para o gráfico de associação em
paralelo: Ao compararmos os valores, verificamos que no gráfico o valor que
obtemos é 1, onde o medido é igual a 1(a tangente do ângulo formado pela
reta).

4. Com base nas suas respostas anteriores, escreva a expressão de Rt para


associação em série de dois resistores.
Resp: Quando uma ddp V é aplicada a resistências em série, a corrente se
mantém a mesma, mas a soma das ddp’s das resistências é igual à ddp

Associação de Resistores
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Física - Dep. de Eletrônica Quântica
Física Teórica e Experimental III
Relatório de Experimento: Aula 07

aplicada em V. Assim, aplicando a regra das malhas para um circuito com, por
exemplo, 3 resistências:

E – i.R1 – i.R2 – i.R3 = 0 → i = E / R1 + R2 + R3

Poderíamos substituir as resistências por uma resistência equivalente. Assim:

E – i.Req = 0 → i = E / Req

Igualando as equações acima, obtemos:

Req = R1 + R2 + R3

Para n resistores ligados em série, a resistência equivalente Req é:

5. Repita as perguntas anteriores, em relação ao gráfico do item 4,


concluindo sobre a associação em paralelo de dois resistores.
Resp:Agora, em paralelo, quand temos uma ddp V aplicada, todas as
resistências do circuito são submetidas a uma mesma ddp V. Neste caso, a
equação é:

1 1 1
=( + )
𝑅𝑒𝑞 𝑅𝑥 𝑅1

Novamente colocando como exemplo um circuito com 3 resistências, temos


que os 3 resistores são percorridos por correntes diferentes e a corrente total
é a soma de cada corrente.
Assim:
𝑖 = 𝑖1 + 𝑖2 + 𝑖3

1 1 1 1
= 𝑉( + + )
𝑅𝑒𝑞 𝑅1 𝑅2 𝑅3

𝑉
𝑖=
𝑅𝑒𝑞

1 1
= ∑( )
𝑅𝑒𝑞 𝑅𝑖

Associação de Resistores
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Física - Dep. de Eletrônica Quântica
Física Teórica e Experimental III
Relatório de Experimento: Aula 07

Bibliografia
Fundamentos da Física volume 3 – 8/E – Halliday – LTC
Roteiro de Aula do Laboratório de Física III – UERJ

Associação de Resistores