Você está na página 1de 13

EDITORA JusPODIVM 

VADE MECUM JusPODIVM – 1º Semestre | 3ª Edição 

ATUALIZAÇÃO 02 
 De 01.07.2018 até 25.10.2018 
Diploma  Texto atualizado 
Código Civil  Art. 1.638. (...) 
Parágrafo único. Perderá também por ato judicial o poder familiar aquele 
que:  
I ‐ praticar contra outrem igualmente titular do mesmo poder familiar: 
a) homicídio, feminicídio ou lesão corporal de natureza grave ou seguida 
de  morte,  quando  se  tratar  de  crime  doloso  envolvendo  violência 
doméstica  e  familiar  ou  menosprezo  ou  discriminação  à  condição  de 
mulher;  
b)  estupro  ou  outro  crime  contra  a  dignidade  sexual  sujeito  à  pena  de 
reclusão; 
II ‐ praticar contra filho, filha ou outro descendente: 
a) homicídio, feminicídio ou lesão corporal de natureza grave ou seguida 
de  morte,  quando  se  tratar  de  crime  doloso  envolvendo  violência 
doméstica  e  familiar  ou  menosprezo  ou  discriminação  à  condição  de 
mulher;  
b)  estupro,  estupro  de  vulnerável  ou  outro  crime  contra  a  dignidade 
sexual sujeito à pena de reclusão. (Parágrafo único acrescido pela Lei nº 
13.715/2018) 
Diploma  Texto atualizado 
Código Penal  Importunação sexual 
Art.  215‐A.  Praticar  contra  alguém  e  sem  a  sua  anuência  ato  libidinoso 
com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro: 
Pena ‐ reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos, se o ato não constitui crime 
mais grave. (Artigo acrescido pela Lei nº 13.718/2018) 
  Art. 217‐A. (...) 
§  5º  As  penas  previstas  no  caput  e  nos  §§  1º,  3º  e  4º  deste  artigo 
aplicam‐se  independentemente  do  consentimento  da  vítima  ou  do  fato 
de  ela  ter  mantido  relações  sexuais  anteriormente  ao  crime.  (Parágrafo 
acrescido pela Lei nº 13.718/2018) 
  Divulgação de cena de estupro ou de cena de estupro de vulnerável, de 
cena de sexo ou de pornografia 
Art. 218‐C. Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à 
venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio ‐ inclusive por 
meio de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática 
‐,  fotografia,  vídeo  ou  outro  registro  audiovisual  que  contenha  cena  de 
estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua 
prática,  ou,  sem  o  consentimento  da  vítima,  cena  de  sexo,  nudez  ou 
pornografia: 
Pena ‐ reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos, se o fato não constitui crime 
mais grave. 
Aumento de pena 
§ 1º A pena é aumentada de 1/3 (um terço) a 2/3 (dois terços) se o crime 
é praticado por agente que mantém ou tenha mantido relação íntima de 
afeto com a vítima ou com o fim de vingança ou humilhação. 
Exclusão de ilicitude 
§  2º  Não  há  crime  quando  o  agente  pratica  as  condutas  descritas  no 


 
EDITORA JusPODIVM 
 

caput  deste  artigo  em  publicação  de  natureza  jornalística,  científica, 


cultural  ou  acadêmica  com  a  adoção  de  recurso  que  impossibilite  a 
identificação  da  vítima,  ressalvada  sua  prévia  autorização,  caso  seja 
maior de 18 (dezoito) anos. (Artigo acrescido pela Lei 13.718/2018) 
  Art. 225. Nos crimes definidos nos Capítulos I e II deste Título, procede‐se 
mediante  ação  penal  pública  incondicionada.  (Redação  dada  pela  Lei 
13.718/2018). 
Parágrafo único. (Revogado pela Lei 13.718/2018). 
  Art. 226. (...) 
II  ‐  de  metade,  se  o  agente  é  ascendente,  padrasto  ou  madrasta,  tio, 
irmão,  cônjuge,  companheiro,  tutor,  curador,  preceptor  ou  empregador 
da vítima ou por qualquer outro título tiver autoridade sobre ela; (Inciso 
com redação dada pela Lei 13.718/2018) 
(...) 
IV  ‐  de  1/3  (um  terço)  a  2/3  (dois  terços),  se  o  crime  é 
praticado:   (Incluído pela Lei 13.718/2018) 
Estupro coletivo   (Incluído pela Lei 13.718/2018) 
a)  mediante  concurso  de  2  (dois)  ou  mais  agentes;   (Incluído  pela  Lei 
13.718/2018) 
Estupro corretivo   (Incluído pela Lei 13.718/2018) 
(...) 
b) para controlar o comportamento social ou sexual da vítima.  (Incluído 
pela Lei 13.718/2018) 
  Art. 234‐A. (...) 
III  ‐  de  metade  a  2/3  (dois  terços),  se  do  crime  resulta 
gravidez;     (Redação dada pela Lei 13.718/2018) 
IV ‐ de 1/3 (um terço) a 2/3 (dois terços), se o agente transmite à vítima 
doença  sexualmente  transmissível  de  que  sabe  ou  deveria  saber  ser 
portador,  ou  se  a  vítima  é  idosa  ou  pessoa  com  deficiência.   (Redação 
dada pela Lei 13.718/2018) 
Diploma  Texto atualizado 
Código de  Parágrafo único. Dar‐se‐á prioridade à realização do exame de corpo de 
Processo Penal  delito quando se tratar de crime que envolva:  
I ‐ violência doméstica e familiar contra mulher;  
II  ‐  violência  contra  criança,  adolescente,  idoso  ou  pessoa  com 
deficiência. (Parágrafo único acrescido pela Lei nº 13.721/2018) 
Diploma  Texto atualizado 
Lei 8.069/1990  Art. 23. (...) 
§ 2º A condenação criminal do pai ou da mãe não implicará a destituição 
do  poder  familiar,  exceto  na  hipótese  de  condenação  por  crime  doloso 
sujeito  à  pena  de  reclusão  contra  outrem  igualmente  titular  do  mesmo 
poder familiar ou contra filho, filha ou outro descendente. (Redação dada 
pela Lei 13.715/2018)  
Lei 10.257/2001  Art. 2° (...) 
XIX  ‐  garantia  de  condições  condignas  de  acessibilidade,  utilização  e 
conforto  nas  dependências  internas  das  edificações  urbanas,  inclusive 
nas  destinadas  à  moradia  e  ao  serviço  dos  trabalhadores  domésticos, 
observados  requisitos  mínimos  de  dimensionamento,  ventilação, 
iluminação,  ergonomia,  privacidade  e  qualidade  dos  materiais 
empregados. (Acrescido pela Lei 13.699/2018) 
Lei 8.906/1994  Art. 22. (...) 


 
EDITORA JusPODIVM 
 

§  6º  O  disposto  neste  artigo  aplica‐se  aos  honorários  assistenciais, 


compreendidos  como  os  fixados  em  ações  coletivas  propostas  por 
entidades  de  classe  em  substituição  processual,  sem  prejuízo  aos 
honorários convencionais. (Acrescido pela Lei nº 13.725/2018) 
§  7º  Os  honorários  convencionados  com  entidades  de  classe  para 
atuação  em  substituição  processual  poderão  prever  a  faculdade  de 
indicar  os  beneficiários  que,  ao  optarem  por  adquirir  os  direitos, 
assumirão  as  obrigações  decorrentes  do  contrato  originário  a  partir  do 
momento  em  que  este  foi  celebrado,  sem  a  necessidade  de  mais 
formalidades. (Acrescido pela Lei nº 13.725/2018)  
Regulamento  Art. 24. (...) 
Geral do  §  3º  O  Conselho  Seccional  em  que  o  advogado  mantenha  inscrição 
Estatuto da  suplementar  deverá  registrar  a  punição  disciplinar  imposta  por  outra 
OAB  Seccional,  no  CNA,  em  até  24  (vinte  e  quatro)  horas,  a  contar  da 
comunicação de que trata o art. 70, § 2º, do EAOAB. (Redação dada pela 
Resolução 3/2018). 
Art. 131. São admitidas a registro apenas chapas completas, que deverão 
atender  ao  mínimo  de  30%  (trinta  por  cento)  e  ao  máximo  de  70% 
(setenta  por  cento)  para  candidaturas  de  cada  sexo,  com  indicação  dos 
candidatos  aos  cargos  de  diretoria  do  Conselho  Seccional,  de 
conselheiros seccionais, de conselheiros federais, de diretoria da Caixa de 
Assistência  dos  Advogados,  bem  como  do  Conselho  Federal  e  das 
Subseções,  sendo  vedadas  candidaturas  isoladas  ou  que  integrem  mais 
de uma chapa. (Redação dada pela Resolução 4/2018) 
§  1º  O  percentual  mínimo  previsto  no  caput  deste  artigo  aplicar‐se‐á 
quanto às diretorias dos Conselhos Seccionais, das Caixas de Assistência e 
do  Conselho  Federal  e  deverá  incidir  sobre  os  cargos  de  titulares  e  de 
suplentes, se houver. (Redação dada pela Resolução 4/2018) 
§ 2º Para o alcance do percentual mínimo previsto no caput deste artigo, 
far‐se‐á o arredondamento de fração para cima somente quando esta for 
superior a 0,5 (zero vírgula cinco). (Redação dada pela Resolução 4/2018) 
§ 3º As regras deste artigo aplicam‐se também à chapas das Subseções. 
(Redação dada pela Resolução 4/2018) 
(...) 
Diploma  Texto atualizado 
Decreto‐lei  Art. 61. (Revogado pela Lei 13.718/2018) 
3.688/1941 
Diploma  Texto atualizado 
Lei 5.584/1970  Art. 16. (Revogado pela Lei 13.725/2018) 
Diploma  Texto atualizado 
Lei 8.036/1990  Art. 9° (...) 
I – (...) 
n) consignação de recebíveis, exclusivamente para operações de crédito 
destinadas  às  entidades  hospitalares  filantrópicas  e  sem  fins  lucrativos 
que  participem  de  forma  complementar  do  Sistema  Único  de  Saúde  ‐ 
SUS,  em  percentual  máximo  a  ser  definido  pelo  Ministério  da  Saúde;  e 
(Redação dada pela MP 848/2018) 
o)  outras,  a  critério  do  Conselho  Curador  do  FGTS;  (Acrescida  pela  MP 
848/2018) 
(...) 
§  2º  Os  recursos  do  FGTS  deverão  ser  aplicados  em  habitação, 


 
EDITORA JusPODIVM 
 

saneamento  básico,  infraestrutura  urbana  e  em  operações  de  crédito 


destinadas  às  entidades  hospitalares  filantrópicas  e  sem  fins  lucrativos 
que  participem  de  forma  complementar  do  SUS,  desde  que  as 
disponibilidades financeiras sejam mantidas em volume que satisfaça as 
condições  de  liquidez  e  de  remuneração  mínima  necessária  à 
preservação  do  poder  aquisitivo  da  moeda.  (Redação  dada  pela  MP 
848/2018) 
§ 3º O programa de aplicações deverá destinar, no mínimo, sessenta por 
cento  para  investimentos  em  habitação  popular  e  cinco  por  cento  para 
operações de crédito destinadas às entidades hospitalares filantrópicas e 
sem  fins  lucrativos  que  participem  de  forma  complementar  do  SUS. 
(Redação dada pela MP 848/2018) 
(...) 
§ 9º A Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil S.A. e o Banco Nacional 
de  Desenvolvimento  Econômico  e  Social  ‐  BNDES  poderão  atuar  como 
agentes financeiros autorizados para aplicação dos recursos do FGTS em 
operações de crédito destinadas às entidades hospitalares filantrópicas e 
sem  fins  lucrativos  que  participem  de  forma  complementar  do  SUS. 
(Acrescido pela MP 848/2018) 
§ 10. (...) 
III  ‐  o  risco  das  operações  de  crédito  ficará  a  cargo  dos  agentes 
financeiros de que trata o § 9º. (Parágrafo acrescido pela MP 848/2018) 
Diploma  Texto atualizado 
Lei 9.394/1996  Art.  4º‐A.  É  assegurado  atendimento  educacional,  durante  o 
período de internação, ao aluno da educação básica internado para 
tratamento  de  saúde  em  regime  hospitalar  ou  domiciliar  por 
tempo  prolongado,  conforme  dispuser  o  Poder  Público  em 
regulamento, na esfera de sua competência federativa. (Acrescido 
pela Lei nº 13.716/2018) 
Diploma  Texto atualizado 
Lei 9.636/1998  Art. 7° (...) 
§ 7º Para fins de regularização nos registros cadastrais da Secretaria do 
Patrimônio da União do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e 
Gestão  das  ocupações  ocorridas  até  10  de  junho  de  2014,  as 
transferências  de  posse  na  cadeia  sucessória  do  imóvel  serão  anotadas 
no  cadastro  dos  bens  dominiais  da  União  para  o  fim  de  cobrança  de 
receitas  patrimoniais  dos  responsáveis,  não  dependendo  do  prévio 
recolhimento do laudêmio.  (Redação dada pela MP 852/2018) 
Art. 13 (...) 
§ 6º Para fins de regularização nos registros cadastrais da Secretaria do 
Patrimônio da União do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e 
Gestão  dos  aforamentos  ocorridos  até  10  de  junho  de  2014,  as 
transferências  de  posse  na  cadeia  sucessória  do  imóvel  serão  anotadas 
no  cadastro  dos  bens  dominiais  da  União  para  o  fim  de  cobrança  de 
receitas  patrimoniais  dos  respectivos  responsáveis,  não  dependendo  do 
prévio recolhimento do laudêmio. (Acrescido pela MP 852/2018) 
(...) 
Art. 16‐D. O adquirente receberá desconto de vinte e cinco por cento na 
aquisição à vista, com fundamento no art. 16‐A, desde que atendidas as 
seguintes  condições,  cumulativamente:  (Redação  dada  pela  MP 
852/2018) 


 
EDITORA JusPODIVM 
 

I ‐ tenha sido apresentada manifestação de interesse para a aquisição à 
vista com o desconto que trata o caput no prazo de trinta dias, contado a 
partir da data do recebimento da notificação que informar a inclusão do 
imóvel  na  portaria  de  que  trata  o  art.  16‐C;  e  (Acrescido  pela  MP 
852/2018) 
II  ‐  tenha  sido  efetuado  o  pagamento  à  vista  do  valor  da  alienação  no 
prazo  de  sessenta  dias,  contado  a  partir  da  data  da  manifestação  de 
interesse do adquirente. (Acrescido pela MP 852/2018) 
Art. 18. (...) 
§  5º  Na  hipótese  de  destinação  à  execução  de  empreendimento  de  fim 
lucrativo,  a  cessão  será  onerosa  e,  sempre  que  houver  condições  de 
competitividade,  serão  observados  os  procedimentos  licitatórios 
previstos  em  lei  e  o  disposto  no  art.  18‐B.  (Redação  dada  pela  MP 
852/2018) 
(...) 
Art. 18‐B. (...) 
§  4º  O  desconto  de  que  trata  o  §  3º  somente  será  concedido  aos 
interessados  que  requererem  a  regularização  até  31  de  dezembro  de 
2019  e  fica  condicionado  ao  deferimento  do  pedido  pela  Secretaria  do 
Patrimônio da União do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e 
Gestão. (Acrescido pela MP 852/2018) 
Art.  24‐A.  Na  hipótese  de  concorrência  ou  leilão  público  deserto  ou 
fracassado  na  venda  de  bens  imóveis  da  União,  os  imóveis  poderão  ser 
disponibilizados para venda direta. (Redação dada pela MP 852/2018) 
Parágrafo único. Fica a Secretaria do Patrimônio da União do Ministério 
do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão autorizada a conceder 
desconto de até dez por cento sobre o valor estabelecido em avaliação 
vigente na hipótese de concorrência ou leilão público deserto ou 
fracassado por duas vezes consecutivas, referente a imóvel cujo valor de 
avaliação seja de até R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais). (Redação 
dada pela MP 852/2018) 
Art. 31. (...) 
IV ‐ sociedades de economia mista voltadas à execução de programas de 
provisão  habitacional  ou  de  regularização  fundiária  de  interesse  social; 
(Redação dada pela MP 852/2018) 
V  ‐  beneficiários,  pessoas  físicas  ou  jurídicas,  de  programas  de  provisão 
habitacional  ou  de  regularização  fundiária  de  interesse  social 
desenvolvidos  por  órgãos  ou  entidades  da  administração  pública,  para 
cuja  execução  seja  efetivada  a  doação;  ou  (Redação  dada  pela  MP 
852/2018) 
VI ‐ instituições filantrópicas, devidamente comprovadas como entidades 
beneficentes de assistência social, e organizações religiosas. (Acrescido 
pela MP 852/2018) 
(...) 
§  6º  Na  hipótese  de  que  trata  o  inciso  VI  do  caput,  a  escolha  da 
instituição será precedida de chamamento público, na forma prevista em 
regulamento. (Acrescido pela MP 852/2018) 
Art. 42. (...) 
Parágrafo único. (Revogado pela MP 852/2018) 
§ 1º  Na  hipótese  de o  empreendimento envolver áreas originariamente 
de uso comum do povo, poderá ser autorizada a utilização dessas áreas, 
mediante cessão de uso na forma do disposto no art. 18, condicionada, 


 
EDITORA JusPODIVM 
 

quando  necessário,  à  apresentação  de  licença  ambiental,  que  ateste  a 


viabilidade do empreendimento, observadas as demais disposições legais 
pertinentes. (Acrescido pela MP 852/2018) 
§  2º  A  regularidade  ambiental  é  condicionante  de  contratos  de 
destinação  de  áreas  da  União  e,  comprovada  a  existência  de 
comprometimento  da  integridade  da  área  pelo  órgão  ambiental 
competente,  o  contrato  será  rescindido  sem  ônus  para  a  União,  sem 
prejuízo das demais sanções cabíveis. (Acrescido pela MP 852/2018) 
Diploma  Texto atualizado 
Lei 9.637/1998  Art. 14. (...) 
§ 3º O servidor cedido que não atua diretamente na unidade que exerce 
a  atividade  publicizada  perceberá  as  vantagens  do  cargo  a  que  fizer  jus 
no  órgão  de  origem  quando  for  ocupante  de  primeiro  ou  segundo 
escalão na organização social. (Redação dada pela MP 850/2018) 
Diploma  Texto atualizado 
Lei 12.965/2014  Art. 7° (...) 
X  ‐  exclusão  definitiva  dos  dados  pessoais  que  tiver  fornecido  a 
determinada  aplicação  de  internet,  a  seu  requerimento,  ao  término  da 
relação  entre  as  partes,  ressalvadas  as  hipóteses  de  guarda  obrigatória 
de  registros  previstas  nesta  Lei  e  na  que  dispõe  sobre  a  proteção  de 
dados  pessoais;  (Redação  dada  pela  Lei  13.709/2018,  em  vigor  após 
decorridos  18  (dezoito)  meses  de  sua  publicação  oficial  –  DOU 
15.08.2018 
Diploma  Texto atualizado 
Lei 13.103/2015  Art. 17. Em todo o território nacional, os veículos de transporte de cargas 
que  circularem  vazios  ficarão  isentos  da  cobrança  de  pedágio  sobre  os 
eixos  que  mantiverem  suspensos.  (Redação  dada  pela  Lei  nº 
13.711/2018) 
§ 1º O disposto no caput deste artigo abrange as vias terrestres federais, 
estaduais, distritais e municipais, inclusive as concedidas. (Acrescido pela 
Lei nº 13.711/2018) 
§  2º  Os  órgãos  e  as  entidades  competentes  da  União,  dos  Estados,  do 
Distrito  Federal  e  dos  Municípios  disporão  sobre  as  medidas  técnicas  e 
operacionais para viabilizar a isenção de que trata o caput deste artigo. 
(Acrescido pela Lei nº 13.711/2018) 
§  3º  Até  a  implementação  das  medidas  a  que  se  refere  o  §  2º  deste 
artigo,  considerar‐se‐ão  vazios  os  veículos  de  transporte  de  carga  que 
transpuserem  as  praças  de  pedágio  com  um  ou  mais  eixos  mantidos 
suspensos, assegurada a fiscalização dessa condição pela autoridade com 
circunscrição sobre a via ou pelo agente designado na forma prevista no 
§ 4º do art. 280 da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997 (Código de 
Trânsito Brasileiro). (Acrescido pela Lei nº 13.711/2018) 
§  4º  Para  as  vias  rodoviárias  federais  concedidas  ou  delegadas,  será 
adotada  a  regulamentação  da  Agência  Nacional  de  Transportes 
Terrestres (ANTT). (Acrescido pela Lei nº 13.711, de 24/8/2018) 
§ 5º Ficam sujeitos à penalidade prevista no art. 209 da Lei nº 9.503, de 
23  de  setembro  de  1997  (Código  de  Trânsito  Brasileiro),  os  veículos  de 
transporte  de  cargas  que  circularem  com  eixos  indevidamente 
suspensos. (Acrescido pela Lei nº 13.711/2018) 
§ 6º O aumento do valor do pedágio para os usuários da rodovia a fim de 
compensar  a  isenção  de  que  trata  o  caput  deste  artigo  somente  será 


 
EDITORA JusPODIVM 
 

adotado  após  esgotadas  as  demais  alternativas  de  reequilíbrio 


econômico‐financeiro dos contratos. (Acrescido pela Lei nº 13.711/2018) 
Diploma  Texto atualizado 
Decreto  Art. 11. Os Estados e os Municípios das capitais que firmarem Programa 
8.616/2015  de Acompanhamento Fiscal nos termos do art. 5º da Lei Complementar 
nº  148,  de  2014,  estabelecerão  metas  ou  compromissos  anuais  para  o 
exercício  financeiro  de  referência  e  estimativas  para  os  dois  exercícios 
financeiros subsequentes. (Redação dada pelo Decreto nº 9.511/2018) 
(...) 
§  3º  O  ente  federativo  apresentará  proposta  preliminar  de  metas 
ou  de  compromissos  para  o  exercício  financeiro  de  referência  e 
projeções  para  os  dois  exercícios  financeiros  subsequentes  na 
forma e no prazo definidos pela Secretaria do Tesouro Nacional do 
Ministério da Fazenda. (Redação dada pelo Decreto nº 9.511/2018) 
§  4º  A  revisão  do  Programa  de  Acompanhamento  Fiscal  a  que  se 
refere  o  caput  ocorrerá  até  31  de  outubro  de  cada  exercício 
financeiro. (Redação dada pelo Decreto nº 9.511/2018)  
(...) 
§ 7º (Revogado pelo Decreto nº 9.511, de 26/9/2018) 
Art. 12‐A. (...) 
§ 4º (Revogado pelo Decreto nº 9.511/2018) 
Art.  15.  Os  Estados  e  o  Distrito  Federal  que  tenham  firmado 
Programa de Reestruturação e de Ajuste Fiscal nos termos do § 3º 
do  art.  1º  da  Lei  nº  9.496,  de  1997,  estabelecerão  metas  ou 
compromissos  anuais  para  o  exercício  financeiro  de  referência  e 
estimativas  para  os  dois  exercícios  financeiros  subsequentes. 
(Redação dada pelo Decreto nº 9.511/2018) 
(...) 
§  3º  O  ente  federativo  apresentará  proposta  preliminar  de  metas 
ou  de  compromissos  para  o  exercício  financeiro  de  referência  e 
projeções  para  os  dois  exercícios  financeiros  subsequentes  na 
forma e no prazo definidos pela Secretaria do Tesouro Nacional do 
Ministério da Fazenda. (Redação dada pelo Decreto nº 9.511/2018) 
§ 4º A revisão do Programa de Reestruturação e de Ajuste Fiscal a 
que se refere o caput ocorrerá até 31 de outubro de cada exercício 
financeiro. (Redação dada pelo Decreto nº 9.511/2018) 
(...) 
§ 7º (Revogado pelo Decreto nº 9.511/2018) 
Art. 16. (...) 
§  5º  A  Secretaria  do  Tesouro  Nacional  do  Ministério  da  Fazenda 
avaliará  preliminarmente,  até  31  de  julho  do  exercício  financeiro 
subsequente  ao  exercício  avaliado,  a  execução  das  metas  ou  dos 
compromissos  no  âmbito  do  Programa  de  Reestruturação  e  de 
Ajuste Fiscal. (Redação dada pelo Decreto nº 9.511/2018) 
(...) 
Art. 17‐A. (...) 
§ 4º (Revogado pelo Decreto nº 9.511/2018) 
(...) 


 
EDITORA JusPODIVM 
 

Diploma  Texto atualizado 
Lei 13.240/2015  Art.  11.  O  adquirente  receberá  desconto  de  vinte  e  cinco  por  cento  na 
aquisição  à  vista,  com  fundamento  no  art.  4º,  desde  que  atendidas  as 
seguintes  condições,  cumulativamente:  (Redação  dada  pela  Medida 
Provisória nº 852/2018) 
I ‐ tenha sido apresentada manifestação de interesse para a aquisição à 
vista com o desconto que trata o caput no prazo de trinta dias, contado a 
partir da data do recebimento da notificação que informar a inclusão do 
imóvel  na  portaria  de  que  trata  o  art.  8º;  e  (Acrescido  pela  Medida 
Provisória nº 852/2018) 
II  ‐  tenha  sido  efetuado  o  pagamento  à  vista  do  valor  da  alienação  no 
prazo  de  sessenta  dias,  contado  a  partir  da  data  da  manifestação  de 
interesse do adquirente. (Acrescido pela Medida Provisória nº 852/2018) 
(...) 
Art. 14. Fica a União autorizada a transferir aos Municípios a gestão das 
orlas e praias marítimas, estuarinas, lacustres e fluviais federais, inclusive 
as  áreas  de  bens  de  uso  comum  com  exploração  econômica,  tais  como 
calçadões,  praças  e  parques  públicos,  excetuados:  (Redação  dada  pela 
Medida Provisória nº 852/2018) 
Art. 20. (...) 
§  3º  A  União  poderá  contratar,  por  meio  de  processo  licitatório, 
prestação de serviços de constituição, de estruturação, de administração 
e de gestão de fundo de investimento, para os fins de que trata o caput, 
dispensada  a  licitação  para  a  contratação  de  instituições  financeiras 
oficiais federais. (Redação dada pela Medida Provisória nº 852/2018) 
 
Art.  20‐A.  Para  os  fins  do  disposto  no  art.  20,  a  União  fica  autorizada  a 
prever  no  instrumento  convocatório  a  hipótese  de  realização  das 
despesas iniciais de estruturação do fundo de investimento, observada a 
disponibilidade financeira e orçamentária. 
Parágrafo único. As despesas de que trata o caput serão amortizadas por 
meio  do  recebimento  de  cotas  equivalentes  aos  valores  despendidos. 
(Artigo acrescido pela Medida Provisória nº 852/2018) 
Art. 22. Os imóveis que constituem o patrimônio imobiliário do Fundo do 
Regime  Geral  de  Previdência  Social  poderão  ser  transferidos  para  o 
patrimônio  da  União,  que  lhes  dará  destinação,  assegurada  a 
compensação  financeira,  na  forma  estabelecida  em  regulamento. 
(Acrescido pela Medida Provisória nº 852/2018) 
§  1º  Os  atos  necessários  à  avaliação  dos  imóveis,  à  operacionalização 
física,  documental,  contábil  e  financeira  da  transferência  indicada  no 
caput serão objeto de ato conjunto da Secretaria do Patrimônio da União 
do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, da Secretaria 
do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda e do Instituto Nacional do 
Seguro Social. (Acrescido pela Medida Provisória nº 852/2018) 
§ 2º A compensação financeira corresponderá ao valor de avaliação dos 
imóveis,  acrescido,  quando  for  o  caso,  da  taxa  de  ocupação  prevista  no 
art.  7º  da  Lei  nº  9.702,  de  17  de  novembro  de  1998,  calculada  após  o 
decurso do prazo para desocupação dos imóveis. (Acrescido pela Medida 
Provisória nº 852/2018) 
Texto atualizado 
Súmulas STJ 


 
EDITORA JusPODIVM 
 

611.  Desde  que  devidamente  motivada  e  com  amparo  em  investigação  ou  sindicância,  é 
permitida  a  instauração  de  processo  administrativo  disciplinar  com  base  em  denúncia 
anônima, em face do poder‐dever de autotutela imposto à Administração. 
612.  O  certificado  de  entidade  beneficente  de  assistência  social  (CEBAS),  no  prazo  de  sua 
validade, possui natureza declaratória para fins tributários, retroagindo seus efeitos à data 
em  que  demonstrado  o  cumprimento  dos  requisitos  estabelecidos  por  lei  complementar 
para a fruição da imunidade. 
613. Não se admite a aplicação da teoria do fato consumado em tema de Direito Ambiental. 
614.  O  locatário  não  possui  legitimidade  ativa  para  discutir  a  relação  jurídico‐tributária  de 
IPTU e de taxas referentes ao imóvel alugado nem para repetir indébito desses tributos. 
615.  Não  pode  ocorrer  ou  permanecer  a  inscrição  do  município  em  cadastros  restritivos 
fundada em irregularidades na gestão anterior quando, na gestão sucessora, são tomadas as 
providências cabíveis à reparação dos danos eventualmente cometidos. 
616. A indenização securitária é devida quando ausente a comunicação prévia do segurado 
acerca  do  atraso  no  pagamento  do  prêmio,  por  constituir  requisito  essencial  para  a 
suspensão ou resolução do contrato de seguro. 
617. A ausência de suspensão ou revogação do livramento condicional antes do término do 
período de prova enseja a extinção da punibilidade pelo integral cumprimento da pena. 
 

ATUALIZAÇÃO DO CONTEÚDO ON‐LINE 
Norma  Dispositivo  Texto atualizado 
    VIII JORNADA DE DIREITO CIVIL.
26 E 27 DE ABRIL DE 2018 

PARTE GERAL
ENUNCIADO 613 – Art. 12: A liberdade de
expressão não goza de posição preferencial em
relação aos direitos da personalidade no
ordenamento jurídico brasileiro.

ENUNCIADO 614 – Art. 39: Os efeitos


patrimoniais da presunção de morte posterior à
declaração da ausência são aplicáveis aos casos do
art. 7º, de modo que, se o presumivelmente morto
reaparecer nos dez anos seguintes à abertura da
sucessão, receberá igualmente os bens existentes no
estado em que se acharem.

ENUNCIADO 615 – Art. 53: As associações civis


podem sofrer transformação, fusão, incorporação ou


 
EDITORA JusPODIVM 
 

cisão.

ENUNCIADO 616 – Art. 166: Os requisitos de


validade previstos no Código Civil são aplicáveis
aos negócios jurídicos processuais, observadas as
regras processuais pertinentes.

ENUNCIADO 617 – Art. 187: O abuso do direito


impede a produção de efeitos do ato abusivo de
exercício, na extensão necessária a evitar sua
manifesta contrariedade à boa-fé, aos bons
costumes, à função econômica ou social do direito
exercido.

OBRIGAÇÕES
ENUNCIADO 618 – Art. 288: O devedor não é
terceiro para fins de aplicação do art. 288 do Código
Civil, bastando a notificação prevista no art. 290
para que a cessão de crédito seja eficaz perante ele.
ENUNCIADO 619 – Art. 397: A interpelação
extrajudicial de que trata o parágrafo único do art.
397 do Código Civil admite meios eletrônicos como
e-mail ou aplicativos de conversa on-line, desde que
demonstrada a ciência inequívoca do interpelado,
salvo disposição em contrário no contrato.
ENUNCIADO 620 – Art. 884: A obrigação de
restituir o lucro da intervenção, entendido como a
vantagem patrimonial auferida a partir da
exploração não autorizada de bem ou direito alheio,
fundamenta-se na vedação do enriquecimento sem
causa.

CONTRATOS
ENUNCIADO 621 – Art. 421: Os contratos
coligados devem ser interpretados a partir do exame
do conjunto das cláusulas contratuais, de forma a
privilegiar a finalidade negocial que lhes é comum.
ENUNCIADO 622 – Art. 541: Para a análise do
que seja bem de pequeno valor, nos termos do que
consta do art. 541, parágrafo único, do Código
Civil, deve-se levar em conta o patrimônio do
doador.

DIREITO DAS COISAS


ENUNCIADO 623 – Art. 504: Ainda que sejam
muitos os condôminos, não há direito de preferência
na venda da fração de um bem entre dois
coproprietários, pois a regra prevista no art. 504,
parágrafo único, do Código Civil, visa somente a
resolver eventual concorrência entre condôminos na

10 
 
EDITORA JusPODIVM 
 

alienação da fração a estranhos ao condomínio.


ENUNCIADO 624 – Art. 1.247: A anulação do
registro, prevista no art. 1.247 do Código Civil, não
autoriza a exclusão dos dados invalidados do teor da
matrícula.
ENUNCIADO 625 – Art. 1.358: A incorporação
imobiliária que tenha por objeto o condomínio de
lotes poderá ser submetida ao regime do patrimônio
de afetação, na forma da lei especial.
ENUNCIADO 626 – Art. 1.428: Não afronta o art.
1.428 do Código Civil, em relações paritárias, o
pacto marciano, cláusula contratual que autoriza que
o credor se torne proprietário da coisa objeto da
garantia mediante aferição de seu justo valor e
restituição do supérfluo (valor do bem em garantia
que excede o da dívida).
ENUNCIADO 627 – Art. 1.510: O direito real de
laje é passível de usucapião.
ENUNCIADO 628 – Art. 1.711: Os patrimônios de
afetação não se submetem aos efeitos de
recuperação judicial da sociedade instituidora e
prosseguirão sua atividade com autonomia e
incomunicáveis em relação ao seu patrimônio geral,
aos demais patrimônios de afetação por ela
constituídos e ao plano de recuperação até que
extintos, nos termos da legislação respectiva,
quando seu resultado patrimonial, positivo ou
negativo, será incorporado ao patrimônio geral da
sociedade instituidora.

RESPONSABILIDADE CIVIL
ENUNCIADO 629 – Art. 944: A indenização não
inclui os prejuízos agravados, nem os que poderiam
ser evitados ou reduzidos mediante esforço razoável
da vítima. Os custos da mitigação devem ser
considerados no cálculo da indenização.
ENUNCIADO 630 – Art. 945: Culpas não se
compensam. Para os efeitos do art. 945 do Código
Civil, cabe observar os seguintes critérios: (i) há
diminuição do quantum da reparação do dano
causado quando, ao lado da conduta do lesante,
verifica-se ação ou omissão do próprio lesado da
qual resulta o dano, ou o seu agravamento, desde
que (ii) reportadas ambas as condutas a um mesmo
fato, ou ao mesmo fundamento de imputação,
conquanto possam ser simultâneas ou sucessivas,
devendo-se considerar o percentual causal do agir
de cada um.
ENUNCIADO 631 – Art. 946: Como instrumento
de gestão de riscos na prática negocial paritária, é

11 
 
EDITORA JusPODIVM 
 

lícita a estipulação de cláusula que exclui a


reparação por perdas e danos decorrentes do
inadimplemento (cláusula excludente do dever de
indenizar) e de cláusula que fixa valor máximo de
indenização (cláusula limitativa do dever de
indenizar).

FAMÍLIA E SUCESSÕES
ENUNCIADO 632 – Art. 1.596: Nos casos de
reconhecimento de multiparentalidade paterna ou
materna, o filho terá direito à participação na
herança de todos os ascendentes reconhecidos.
ENUNCIADO 633 – Art. 1.597: É possível ao
viúvo ou ao companheiro sobrevivente, o acesso à
técnica de reprodução assistida póstuma – por meio
da maternidade de substituição, desde que haja
expresso consentimento manifestado em vida pela
sua esposa ou companheira.
ENUNCIADO 634 – Art. 1.641: É lícito aos que se
enquadrem no rol de pessoas sujeitas ao regime da
separação obrigatória de bens (art. 1.641 do Código
Civil) estipular, por pacto antenupcial ou contrato
de convivência, o regime da separação de bens, a
fim de assegurar os efeitos de tal regime e afastar a
incidência da Súmula 377 do STF.
ENUNCIADO 635 – Art. 1.655: O pacto
antenupcial e o contrato de convivência podem
conter cláusulas existenciais, desde que estas não
violem os princípios da dignidade da pessoa
humana, da igualdade entre os cônjuges e da
solidariedade familiar.
ENUNCIADO 636 – Art. 1.735: O impedimento
para o exercício da tutela do inc. IV do art. 1.735 do
Código Civil pode ser mitigado para atender ao
princípio do melhor interesse da criança.
ENUNCIADO 637 – Art. 1.767: Admite-se a
possibilidade de outorga ao curador de poderes de
representação para alguns atos da vida civil,
inclusive de natureza existencial, a serem
especificados na sentença, desde que
comprovadamente necessários para proteção do
curatelado em sua dignidade.
ENUNCIADO 638 – Art. 1.775: A ordem de
preferência de nomeação do curador do art. 1.775
do Código Civil deve ser observada quando atender
ao melhor interesse do curatelado, considerando
suas vontades e preferências, nos termos do art.
755, II, e § 1º, do CPC.
ENUNCIADO 639 – Art. 1.783-A:
• A opção pela tomada de decisão apoiada é de

12 
 
EDITORA JusPODIVM 
 

legitimidade exclusiva da pessoa com deficiência.


• A pessoa que requer o apoio pode manifestar,
antecipadamente, sua vontade de que um ou ambos
os apoiadores se tornem, em caso de curatela, seus
curadores.
ENUNCIADO 640 – Art. 1.783-A: A tomada de
decisão apoiada não é cabível, se a condição da
pessoa exigir aplicação da curatela.
ENUNCIADO 641 – Art. 1.790: A decisão do
Supremo Tribunal Federal que declarou a
inconstitucionalidade do art. 1.790 do Código Civil
não importa equiparação absoluta entre o casamento
e a união estável. Estendem-se à união estável
apenas as regras aplicáveis ao casamento que
tenham por fundamento a solidariedade familiar.
Por outro lado, é constitucional a distinção entre os
regimes, quando baseada na solenidade do ato
jurídico que funda o casamento, ausente na união
estável.
ENUNCIADO 642 – Art. 1.836: Nas hipóteses de
multiparentalidade, havendo o falecimento do
descendente com o chamamento de seus
ascendentes à sucessão legítima, se houver
igualdade em grau e diversidade em linha entre os
ascendentes convocados a herdar, a herança deverá
ser dividida em tantas linhas quantos sejam os
genitores.
ENUNCIADO 643 – Art. 1.973: O rompimento do
testamento (art. 1.973 do Código Civil) se refere
exclusivamente às disposições de caráter
patrimonial, mantendo-se válidas e eficazes as de
caráter extrapatrimonial, como o reconhecimento de
filho e o perdão ao indigno.
ENUNCIADO 644 – Art. 2.003:
• Os arts. 2.003 e 2.004 do Código Civil e o art. 639
do CPC devem ser interpretados de modo a garantir
a igualdade das legítimas e a coerência do
ordenamento.
• O bem doado, em adiantamento de legítima, será
colacionado de acordo com seu valor atual na data
da abertura da sucessão, se ainda integrar o
patrimônio do donatário.
• Se o donatário já não possuir o bem doado, este
será colacionado pelo valor do tempo de sua
alienação, atualizado monetariamente.
 

13