Você está na página 1de 6

Universidade de Brasília

Faculdade de Medicina
Área de Clínica Cirúrgica

Disciplina: Oftalmologia
Código da disciplina: 172219
1o Semestre de 2019
Docente Responsável: Profa. Dra Maria Regina Chalita

EMENTA

A disciplina de Oftalmologia abrange o estudo do olho e anexos, bem como das visas ópticas. Nesta disciplina
iremos desenvolver nos alunos conhecimentos básicos sobre a rotina de atendimento oftalmológico, com ênfase na
anamnese específica e exames.
O estudante deverá conhecer a anatomia ocular e os processos fisiológicos relacionados à visão, integrar as
manifestações oculares com disfunções sistêmicas, reconhecer e orientar o paciente com as doenças oculares mais
frequentes.
A metodologia de ensino compreende aulas expositivas e aulas teórico-práticas, com realização de seminários
sobre tópicos importantes em Oftalmologia e participação prática nos ambulatórios de Oftalmologia..

Objetivos Educacionais

Objetivos Gerais

Capacitar o aluno para:


1. Reconhecer as patologias oculares mais freqüentes
2. Orientar os pacientes na conduta inicial nos problemas mais freqüentes e urgências
3. Realizar a oftalmoscopia direta
4. Reconhecer os equipamentos oftalmológicos e iniciar nas técnicas propedêuticas oftalmológicas.

Objetivos Específicos

1. Reconhecer a localização anatômica da lesão ocular


2. Aprender os sinais e sintomas oculares
3. Aprender o diagnóstico diferencial das patologias oculares mais freqüentes
4. Medir acuidade visual de diferentes métodos
5. Avaliar a motilidade ocular extrínseca
6. Avaliar os reflexos pupilares
7. Everter a pálpebra superior e avaliar o olho traumatizado
8. Avaliar a tensão óculo-digital
9. Retirar um corpo estranho da conjuntiva tarsal superior
10. Aprender a conduta em casos de queimaduras químicas e físicas
11. Diferenciar as conjuntivites bacterianas das alérgicas e virais
12. Reconhecer os principais detalhes da estrutura retiniana com a oftalmoscopia direta
13. Princípios gerais de saúde ocular e qualidade de vida
Organização Geral

As atividades teorico-práticas do Curso de Oftalmologia serão desenvolvidas no Ambulatório de Oftalmologia do


Hospital Universitário de Brasília (HUB). As aulas teóricas serão ministradas na sala de aula da Saúde Mental do HUB, ao
lado do Anfiteatro 1 do HUB, no térreo.
O curso funcionará no turno vespertino, quarta-feira das 14 às 15 horas (aula teórica). O curso teórico-prático
subdivirá os alunos em 3 turmas para as atividades com os pacientes (Turma A: terça-feira das 14 às 17h; Turma B: quarta-
feira das 15 às 18h; Turma C: quinta-feira das 14 às 17h) .

Nas aulas práticas os alunos deverão usar o uniforme, que consta de:
-Para os alunos: -calça, camisa ou avental brancos,
-calçado (sapato ou tênis) branco.
-Para as alunas: -calça comprida, vestido ou saia brancos
-blusa ou avental brancos
-calçado branco
-Uso obrigatório do crachá fornecido pela DRH/HUB.

Professores e/ou monitores estarão presentes neste horário no ambulatório, à disposição para esclarecimentos das
dúvidas quanto à anamnese e a exame oftalmológico.
Uma das atividades do 9º semestre do curso de medicina é o exame direto de pacientes com queixas agudas, que geralmente
são atendidos em unidades básicas de saúde. Abaixo destacamos as fases da consulta oftalmológica que serão fundamentais
para sua formação em oftalmologia. Embora outras informações sejam extremamente importantes, essas respostas e
habilidades serão cobradas e priorizadas ao término de seu curso.

ROTEIRO DE CONSULTA OFTALMOLÓGICA

Como na Consulta Geral:

Identificação:
Queixa e Duração:
HMA:
Antecedentes Pessoais de Importância Oftalmológica (inclusive Cirurgias Oculares):
Antecedentes Familiares de Importância Oftalmológica:
Medicação de uso Sistêmico:
Medicação de uso Ocular:
Alergias:

Exame Especifico Ocular (a ser realizado pelo aluno, logo após a anamnese, sem dilatação, com tabela de acuidade visual
impressa e luz externa - lanterna ou oftalmoscópio direto)

Acuidade Visual com Tabela de Snellen Impressa, Localizada a 4 metros


Para Longe com os Dois Olhos sem correção (P/L s/c AO):
Para Longe com Cada Olho Separado, com a Melhor Correção ou com Orifício Estenopêico de 2mm (P/L c/c OD e OE):

Pupilas (reflexo direto e consensual):


Mobilidade Ocular (nas 4 posições, teste de Cobertura e ponto próximo de convergência):
Campo Visual de Confrontação (comparação com o campo visual do examinador):
Inspecção das Pálpebras (posição, pele, cilios):
Brilho da Córnea e da Conjuntiva:
Lesões Macroscópicas da Superfície Ocular:

Dilatação da Pupila com 1 gota de Midriacyl 1% e 1 Gota de Fenilefrina 10% (mistura)

Exame Armado com Iluminação Independente


Inspeccção Próxima e com Lente de Aumento dos Anexos Oculares (Pálpebras, Cilios) e da Superfície Ocular Externa e
Conjuntiva:

Exame da Córnea com Instilação de 1 gota de Fluoresceína 1% em cada Olho e Observação com Filtro de Cobalto Azul:
2
Exame da Transparência dos Meios Oculares com Observação do Reflexo Vermelho (Catarata, Córnea e Vítreo):
Exame da Retina ou do Polo posterior sob Midríase (fazer desenho)
Retina e Mácula:
Artérias e Veias:
Nervo Óptico:

Hipótese Diagnóstica:

Diagnósticos Diferenciais:

Conduta Terapêutica:

Tópicos a serem abordados durante as aulas Teórico-Práticas:


Visão
Refração, difração e dispersão da luz (causas de borramento da imagem)
Dioptros oculares (cornea e cristalino)
Acomodacao e vicios refracionais
Fisiologia da transformação da luz em estímulos eletro-químicos (regeneração da rodopsina)
Acuidade visual de resolucao
Campo visual e visao de cores
Principio da correção da visao com óculos, lentes de contato gelatinosas e cirurgia refrativa corneana

Estrabismo
Desenvolvimento da visão e como avaliar na fase pré-verbal (primeiro, 2, 3, 4, 6, 9 e 12 mes de vida)
Visão estereoscópica, sua importância e como medir
Alinhamento ocular. Como medir (hirschberg e prismas)
Forias e Tropias (teste da cobertura)
Noções e tratamento da ambliopia
Manifestações das paralisias de nervos craneanos específicos (III, IV e VI)
Orientação aos familiares de crianças estrábicas

Exame Normal
História oftalmológica (especificidades)
Antecedentes pessoais, patologicos e medicamentos de importância
Posição palpebral e de anexos
Reflexo corneano e conjuntival
Reflexos pupilares
Campimetria de confrontação
Fluoresceína e luz de cobalto

Fundoscopia
Características do oftalmoscópio direto (magnificação, campo de visão)
Funcionamento do oftalmoscópio direto (lentes, distância de uso)
Posicionamento em relação ao paciente (angulação, ergonomia)
Dilatação pupilar (restrições, mecanismo de ação, tipos de drogas, tempo de ação e posologia)
Reflexo vermelho (características, como obter, importância)
Localização e características da papila
Mácula e vasos sanguíneos

Olho Vermelho
Peculiaridades das inflamações oculares (reação conjuntival, de câmara anterior, vítreas e retinianas)
Localização preferencial (quadro corneano, conjuntival, de segmento anterior, posterior ou múltiplo)
Queixas clínicas específicas (duração, perda de visão, bilateralidade, epidemiologia)
Sinais clínicos de importância (secreção, dor, ardor, vermelhidão, prurido, sensação de corpo estranho)
Diagnósticos diferenciais (infeccioso, alérgico, tumoral)
Hemorragias sub-conjuntivais
Drogas utilizadas, funções e contra-indicações

3
Trauma e Emergencia
Trauma aberto (localização, exemplos, diagnóstico, conduta)
Trauma fechado ((localização, exemplos, sinais de diagnóstico, conduta)
Hifema
Descolamento de retina traumático
Quaimaduras químicas e físicas
Colírio anestésico e ceratite foto-elétrica
Oclusão vs. lente de contato terapêutica

Catarata
Fisiopatologia da Catarata
Anatomia do cristalino e o processo de acomodação
Incidência e idades de aparecimento
Diagnóstico: sinais (técnicas) e sintomas específicos
Tratamento clínico e Cirúrgico
Complicações de não tratar, do tratamento clínico e do tratamento cirúrgico
Custo de não tratar e custo do tratamento 9material envolvido, lentes intra-oculares, honorários médicos)

Glaucoma
Anatomia das fibras nervosas retinianas até a formação do nervo óptico
Anatomia da cabeça do nervo óptico
Definição e fatores de risco para Glaucoma
Tipos de Glaucoma
Campo visual e pressão intra-ocular
Tratamento medicamentoso do Glaucoma
Cirurgias e evolução temporal do Glaucoma com e sem tratamento

Uveites
O sistema imune ocular: imunoprevilégio e reações localizadas
Tipos de uveite: granulomatosa vs. não granulomatosa; anterior, posterior e pan-uveite
As cinco patologias mais comuns que cursam com uveíte em nosso meio
Complicações das uveítes
Diagnóstico clínico e laboratorial das uveítes
Tratamento clínico e ocular

Doenças Sistemicas
Artrite reumatóide: acometimento ocular, diagnóstico e tratamento
Lues e tuberculose: acometimento ocular, diagnóstico e tratamento
AIDS: acometimento ocular, diagnóstico e tratamento

Diabetes
Fisiopatologia vascular
Tempo, severidade e localização do acometimento ocular
Achados fundoscópicos
Fisiopatologia das complicações oculares (glaucoma. catarata, retinopatia, estrabismo)
Tratamento sistêmico e ocular com laser
Estratégias de prevenção
Novas drogas

Hipertensão
Fisiopatologia vascular
Oclusão de arteria e veia central da retina
Características fundoscópicas
Seguimento clínico com fundoscopia
Acompanhamento e orientação dos pacientes

4
Prevenção
Definição de cegueira
Causas globais e nacionais de cegueira: história natural da doença, prevalência, incidência, programas de saúde pública das
causas curáveis (Tracoma), das causas preveníveis (Retinopatia da prematuridade) e das doenças degenerativas
(Degeneração macular relacionada a idade - DMRI)
Ações de atenção primária para prevenção da cegueira
Habilitação e reabilitação do deficiente visual
Impacto econômico da cegueira

Transplante de Córnea
Causas mais comuns de transplante de córnea
Bancos de olhos e captação de córneas
Distribuição de córneas e cobertura regional dos bancos de olhos
Técnica simplificada de cirurgia penetrante e lamelar
Compliações mais frequentes e seu manuseio
Como orientar possiveis doadores

Faltas

O número de faltas nas AULAS TEÓRICAS E TEÓRICO-PRÁTICAS não deverá exceder 25% por módulo.
Caso seja verificado que o número de faltas foi superior a 25% em um módulo, sem justificativa prévia apropriada e
aceita pelo coordenador, o aluno será reprovado nesse módulo.
Mais de 25% de faltas no total das atividades práticas acarretará em reprovação automática no curso, a
menos que haja justificativa comprovada aceitável e que seja possível reposição proporcional das atividades
perdidas.

Avaliação

Serão realizadas duas provas de múltipla escolha, cada uma com peso 4. Os assuntos das provas serão cumulativos,
incluindo as unidades já lecionadas e a matéria das aulas teóricas já proferidas. O aluno que faltar ou perder qualquer uma
das provas irá realizar uma prova ao final do curso, substitutiva, discursiva, com toda a matéria da disciplina. Haverá apenas
uma única prova substitutiva, ao final do curso. A avaliação teórico-prática será feita através da participação e observação
do desempenho do aluno nos ambulatórios ao longo do curso. A nota final será a média das notas das duas provas (peso 4
cada) mais a avaliação teórico-prática (peso 2).
A avaliação teórico-prática será baseada na discussão de casos, bem como na pontualidade, interesse e participação
ativa do aluno nos ambulatórios.

CALENDÁRIO DE PROVAS E PESOS RESPECTIVOS


Data provável Avaliação Peso
Ver programa Prova Escrita I 4
Ver programa Prova Escrita II 4
Durante todo o curso Avaliação Teórico-Prática 2

5
BIBLIOGRÁFIAS:

Indicadas:
LIVROS:

1. Cintra do Prado F, Ramos J, Ribeiro do Valle J Atualização Terapêutica 23a Edição. Livraria Artes Médicas, 2007.

2. Coleção do Conselho Brasileiro de Oftalmologia


Livro 1 - Banco de Olhos, Transplante de Córnea
Livro 2 - Cristalino e Catarata
Livro 3 - Cirurgia Refrativa
Livro 4 - Doenças Externas Oculares e Córnea
Livro 5 - Estrabismo
Livro 6 - Lentes de Contato
Livro 7 - Bases da Oftalmologia - Volume 1
Livro 8 - Bases da Oftalmologia - Volume 2
Livro 9 - Neuroftalmologia
Livro 10 - Óptica, Refração e Visão Subnoraml
Livro 11 - Órbita, Sistema Lacrimal e Oculoplástica
Livro 12 - Retina e Vítreo
Livro 13 - Semiologia Básica em Oftalmologia
Livro 14 - Uveítes e Oncologia Ocular
Livro 15 - Glaucoma
Livro 16 - Iatrogenias e Manifestações Oculares das Doenças Sistêmicas
Livro 17 - Prova Nacional de Oftalmologia e Cirurgias Comentadas

3. Kansky J J. Clinical Ophthalmology: A systematic Approach 6th Eddition. Butterworth-Heinemann, 2007.

4. Duarte, ACB; Naiditch, A. Refração. In: Esteves, JF; Telichevesky, N; Kwitko, S: Rotinas em Oftalmologia. Porto
Alegre: Artes Médicas, 1995, pp 26-44

Internet:

http://www.mrcophth.com/retinaatlas/
http://www.eyeatlas.com/
http://www.mrcophth.com/retinaatlas/
http://www.redatlas.org/main.htm
http://arapaho.nsuok.edu/~fulk/kanski.html
http://www.atlas-of-ophthalmology.com/
http://www.eyepathologist.com/Index.asp