Você está na página 1de 6
DENOTAGAO E A CONOTACAO Leia este pooma: ‘Avvida 6 uma cereja ‘A morte um earogo 0 amor uma cerejire. cae rt Pama ese. Newtonars 2000 665) 1. Compare estas frases: “Avida 6 uma cores” [A 6poca do Natal, 6 comum encontrar- ‘mos cores freseas para comprar, a) Em qual dela a plavra cere foi empregaéa _€) Qua é esse sentido Fgurado? fem seu sentido comum, que € “rato da cere- nt bs pe: ns reap rca era? Yon 2. Que outraspalavas, no poema, esto empregi- ty Em qua delas a plea cari ganha um sentido das em sertido figura? rserscenoesen figurado, diferente do seu sentido comun? ere a Como voc® observou a0 ler 0 poema, em determinados contextos as palavras ganham um novo, figurado, diferente daquele encontrado nos dicionérios. Esse novo sentido 6. geralmente, ado de valores afetivos, ideolégicos ou socias. (Quando a palavra ¢ utlizada no seu sentido usual, dizemos que est empregada denotat ‘Quando € utilizada em um sentido diferente daquele que lhe & comum, dizemos que ela ests ‘ada conotativamente A palavra cerejo, por exemplo, além de significar um tipo de fruta, tem no poema também ‘ldo conotativo de frescor, pando, prazer Apesar de seu uso constante na linquagem poética, a conctacio nio é exclusiva da t Ela costuma estar presente nas conversas do cia a dia, em andncios pubictries, na lingu (uadrinhos, nas letras de masica, etc | principals diferencas entre denotagio e conctagia podem ser assim sintetizadas: DENOTAGAO + Pala com sgnfeago restrita, no darsre. Lela poema a seguir, de Carlos Drummond de Andrade, e responds Se questhes de 1 a 4 Passagem da noite E noite. Simo que é noite no porque a soma desoesse (bem mo importa a fe negra) ‘mas porque dentro de mim, no fundo de mim, 0 grito se calou, fer-se destnimo, ‘tito que nés somos noite, ‘que palptamos no escuro © em noite dissolves. Sinto que é note no vento, noite nas dguas, na pedra 76 + Paava com sertido comm, squleencontre- 1 Paawrawtlada de modo objeto + Unguagem ext, prec D.conoTacéo lara com sca empl da pc “Pala com sentido caresedos ce valores ‘hos, delges ou soc. Pla tiada de modo catvo aso, * Lnguagenexpesva, ea em sentos que adianta uma limpada? F que adianta uma vor? E noite no meu amigo, E noite no submarino, E noite na roga grande. E noite, nfo 6 mort, 6 noite de sono espesso e som praia [Nao é dor nem paz, 6 noite, 6 perfetamente a nolo ‘Mas, salve, olhar de alegriat salve, dia que surge! (0s eorpos saltam do sono, ‘9 mundo se recompoe. Que gozo na biccleta! Existr soja como for. A fraterna entroga do pao, ‘Amar: mesmo nas eangies, De novo andar: as dstincias, a cores, posse das ruas. 3: Leia tira abl, coma persoragem Aturzinho, de A urma do Xara, eresponda ds qustOes. 4) Quat 3 provével ntengdo de Artrzino com sua fala no primelro quadrinho? ®) No segundo quadrnho, ha palavas que nfo esto escritas de acordo com as normas or togréicas da lingua portuguesa. Quals si ess palavras? «) Por que as palavras idenificadas no item anterior fram escritas dessa forma? 4 Porque, na situag de uso apresentade na tia, esa forma de grafar as palaras nao & ansierada um ero ortoraica? USINA LITERARIA, Leia trecho de um poema do cordelistaPattiva do Assaré em que elricocomenta sua ‘experts com dos os alsticas do professor Felsberto de Carvalho ‘os poetasclissicos Poeasniverstr, Sones felicidad, Poetas de adem, De reo voabulre Chri de lost, Ses gente canta oque sents a quero pedir cen, Pots mesmo sem portaguts, Neves vero euapreseno, O prazer eo safiment, ‘Deu poeta camponts ‘Bu nae aqul no mato, Viet sempee a bal, Neste mea pobre eat Bunada pd etuds, [No erdor da minha dade, De dum pequens isa, Indotslive doer, famoao profes, Filisberto de Caro. Foto lio deval, Mais aio que no mundo, ‘Apenas daguele aut, Lopremaro eosegundo, ‘Mas, port, ea letra Metie datueva acura, ‘Morttando im cainho certo, Bustante me protege. jaro que Jesus des, Sarvaio a ilabert, a Dhrmere ie de see poke 4. Que importanciao livros do professor Felsberta de Carvalho tiveram para eu Iria? 2. Dulin pede lcenga par, “mesmo sem portuguts" fla sobre sua experiéncia de posta camponds, Comente esa afirmagdo do porto de vista da varaczolingusia, 13.0 poems registra caracteritcas da varedade lingusica dos falantes da cidade de ‘AstaréE posivel identifica regulridades nessas marcas, ou seja, hd um padrdo de ‘raf para represetardeterminados sons 6 fla? Se sim, comprove com exemplos. 4, Ao longo deste captulo, estudames diversas caractrstcas da lingua faladae da tin iu escrita,demonstrando que eas nBo se per, esim fazem parte de um continuum Be que maneira a poema dePattiva do Assar lustre essa aiemaca0?