Você está na página 1de 6

ASSEMBLEIAS GERAIS

As Assembleias gerais podem ser ordinárias, quando convocadas para tratar de

assuntos ordinários, ou seja, previstos, já estabelecidos, determinados no

estatuto, ou podem ser extraordinárias, quando tratarem de assuntos outros, que

não os determinados no estatuto, ou ainda, concomitantemente, ordinárias e

extraordinárias, conforme o assunto a ser deliberado. O Estatuto disporá sobre

os assuntos a serem deliberados em Assembleia Geral Ordinária. Os demais

assuntos, que não precisam estar enumerados no estatuto, serão deliberados

em Assembleia Geral Extraordinária.

Assembleia Geral Ordinária

A Assembleia Geral Ordinária é realizada anualmente, nos 4 (quatro) primeiros

meses seguintes ao término do exercício social. Deverá haver 1 (uma)

assembleia geral para:

I - Tomar as contas dos administradores, examinar, discutir e votar as

demonstrações financeiras;

II - Deliberar sobre a destinação do lucro líquido do exercício e a distribuição de

dividendos;

III - Eleger os administradores e os membros do conselho fiscal, quando for o

caso;

IV - Aprovar a correção da expressão monetária do capital social (artigo 167).

É responsabilidade dos administradores comunicarem até 1 (um) mês antes da

data marcada para a realização da assembleia geral ordinária que se acham à

disposição dos acionistas:

I - O relatório da administração sobre os negócios sociais e os principais fatos administrativos do exercício findo;

II - A cópia das demonstrações financeiras;

IV

- O parecer do conselho fiscal, inclusive votos dissidentes, se houver;

e

(Incluído pela Lei nº 10.303, de 2001)

V

- Demais documentos pertinentes a assuntos incluídos na ordem do

dia. (Incluído pela Lei nº 10.303, de 2001).

Assembleia Geral Extraordinária

A assembleia geral extraordinária que tiver por objeto a reforma do estatuto

somente se instalará em primeira convocação com a presença de acionistas que

representem 2/3 (dois terços), no mínimo, do capital com direito a voto, mas

poderá instalar-se em segunda com qualquer número.

É necessária a aprovação de acionistas que representem metade, no mínimo,

das ações com direito a voto, se maior quórum não for exigido pelo estatuto da

companhia cujas ações não estejam admitidas à negociação em bolsa ou no

mercado de balcão, para deliberação sobre:

I - Criação de ações preferenciais ou aumento de classe de ações preferenciais

existentes, sem guardar proporção com as demais classes de ações

preferenciais, salvo se já previstos ou autorizados pelo estatuto;

II - Alteração nas preferências, vantagens e condições de resgate ou

amortização de uma ou mais classes de ações preferenciais, ou criação de

nova classe mais favorecida;

III - Redução do dividendo obrigatório;

IV - Fusão da companhia, ou sua incorporação em outra;

V - Participação em grupo de sociedades (art. 265);

VI - Mudança do objeto da companhia;

VII - Cessação do estado de liquidação da companhia;

VIII - Criação de partes beneficiárias;

IX - Cisão da companhia;

X - Dissolução da companhia.

Constituição

Deverá ser desenvolvida ATA de Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária.

1 - Deverão ser entregues no mínimo 2 (duas) e no máximo 4 (quatro) vias

originais da ATA da AGO e AGE (Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária;

2 - Podem ser incluídas vias adicionais;

3- As vias da ata devem conter, no fecho:

a) As assinaturas, de próprio punho, dos acionistas que subscreveram o original

lavrado no livro próprio e as do presidente e secretário da assembleia ou,

b) Os nomes de todos os que assinaram, com a declaração de que a mesma

confere com o original e a indicação do livro e folhas em que foi lavrada, devendo ser assinada pelo presidente, secretário da assembleia ou diretor.

4 - A ata não poderá conter emendas, rasuras e entrelinhas, admitidas, porém, nesses casos, ressalva expressa no próprio instrumento, com assinatura das partes;

5 - Nos instrumentos particulares, não deverá ser utilizado o verso das folhas da ata, cujo texto será grafado na cor preta, obedecidos os padrões técnicos de indelebilidade e nitidez para permitir sua reprografia ou digitalização;

6 - Para efeito de autenticação, quando for o caso, o verso poderá ser utilizado;

7 - A ata deverá ser assinada por todos os acionistas ou por quantos bastem à

validade

das

deliberações;

8 - As folhas não assinadas deverão ser rubricadas.

A Assembleia Geral Ordinária e a Assembleia Geral Extraordinária poderão ser,

cumulativamente, convocadas e realizadas no mesmo local, data e hora e instrumentadas em ata única. A documentação a ser apresentada à Junta Comercial para arquivamento da ata obedecerá à especificação própria de cada assembleia. Os requisitos de convocação, instalação, ordem do dia e “quórum” devem ser observados, de forma individualizada, em relação a cada assembleia.

Além da ATA, é necessário ter a capa e contracapa de processo da Junta Comercial, sendo que:

1) Deverá ser apresentada

em

1

(uma)

via

original;

2) A Capa de Processo deve conter a assinatura do administrador, acionista, diretor, procurador com poderes específicos, se houver, ou de terceiro interessado.

*O registro dos atos será requerido pela pessoa obrigada em lei, e, no caso de

omissão ou demora,

pelo

sócio

ou

qualquer

interessado.

3 - Incluir telefone para contato na capa do processo. Além disso deverá ser entregue via original do DARF e DBE, atendendo aos critérios estabelecidos nos sites da Junta Comercial de cada estado.

Procedimentos

Após instaladas, proceder-se-á, se requerida por qualquer acionista, à leitura dos documentos referidos e do parecer do conselho fiscal, se houver, os quais serão submetidos pela mesa à discussão e votação.

Deverão ser respeitados os aspectos presentes na lei 6.404/76:

§ 1° Os administradores da companhia, ou ao menos um deles, e o auditor

independente, se houver, deverão estar presentes à assembleia para atender a pedidos de esclarecimentos de acionistas, mas os administradores não poderão votar, como acionistas ou procuradores, os documentos referidos neste artigo.

§ 2º Se a Assembleia tiver necessidade de outros esclarecimentos, poderá adiar

a deliberação e ordenar diligências; também será adiada a deliberação, salvo dispensa dos acionistas presentes, na hipótese de não comparecimento de administrador, membro do conselho fiscal ou auditor independente.

§ 3º A aprovação, sem reserva, das demonstrações financeiras e das contas,

exonera de responsabilidade os administradores e fiscais, salvo erro, dolo, fraude ou simulação (artigo 286).

§ 4º Se a Assembleia aprovar as demonstrações financeiras com modificação

no montante do lucro do exercício ou no valor das obrigações da companhia, os administradores promoverão, dentro de 30 (trinta) dias, a republicação das demonstrações, com as retificações deliberadas pela assembleia; se a destinação dos lucros proposta pelos órgãos de administração não lograr aprovação (artigo 176, § 3º), as modificações introduzidas constarão da ata da assembleia.

§ 5º A ATA da Assembleia Geral Ordinária será arquivada no registro do comércio e publicada.

§ 6º As disposições do § 1º, segunda parte, não se aplicam quando, nas sociedades fechadas, os diretores forem os únicos acionistas.

As Assembleias não precisam obrigatoriamente serem presenciais, ficando a cargo da sociedade optar por realiza-las ou não de maneira virtual.

A convocação deverá mencionar o dia, a hora e o local da Assembleia assim

como, resumidamente, a ordem do dia.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

JUCEES. Manual de Registro SA. Disponível em

2018

IBP. Manual Assembleia Geral Ordinária. Disponível em

Normas Legais. Lei 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Disponível em

Acesso em 26 set 2018