Você está na página 1de 42

Faculdade e Colégio Santa Rita

Tecnologia e Processos da Construção Civil

TÓPICO 06
Alvenaria Estrutural

Prof. Geraldo Silva


Tópico 06: Alvenaria Estrutural

A alvenaria estrutural é um processo construtivo em que as paredes de alvenaria e as lajes enrijecedoras funcionam
estruturalmente em substituição aos pilares e vigas utilizados nos processos construtivos tradicionais, sendo dimensionado
segundo métodos de cálculos racionais e de confiabilidade determinável.

Neste processo construtivo, as paredes constituem-se ao mesmo tempo nos subsistemas estrutura e vedação, fato que
proporciona uma maior simplicidade construtiva e conseqüentemente um maior nível de racionalização. A alvenaria
estrutural tem ganhado espaço no cenário mundial da construção devido à vantagens como flexibilidade construtiva,
economia e velocidade de construção. Mas sua maior notoriedade deve-se ao seu potencial de racionalização e
produtividade, que possibilita a produção de construções com bom desempenho tecnológico aliado a altos índices de
qualidade e economia.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Constituem-se seus principais materiais o bloco estrutural, a argamassa e o graute, que em conjunto e calculados
racionalmente dão às paredes, além da função convencional de uma alvenaria, como divisão de ambiente, vedação e
isolamento térmico, também a de elemento “portante” das cargas até a fundação, substituindo assim pilares e vigas.
Apesar de, para muitos, parecer novidade na construção civil, a alvenaria estrutural pode ser considerada um dos sistemas
construtivos mais tradicionais onde se há registros de sua utilização a partir de 4.000 a.C..

Pirâmides de Gizé, 2.000 anos a.C – Egito Muralha da China, 206 anos a.C – China; Coliseu, 82 anos d.C – Itália;
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

No Brasil, a alvenaria estrutural foi introduzida na década de 60 com a construção de alguns edifícios em São Paulo. Sua
disseminação se deu com a construção dos conjuntos habitacionais na década de 80 e surgimento das fábricas de blocos
sílico-calcários e cerâmicos.
Nas duas últimas décadas, com o surgimento de novos centros de pesquisa, a alvenaria estrutural vem se normalizando e
ampliando sua abrangência nos setores habitacional, comercial e industrial. Atualmente ela é tida como um processo
construtivo eficiente e racional.
 1966 - No Brasil o primeiro registro de construção em alvenaria estrutural,
com execução de habitação popular de 04 pavimentos;
 1972 - Foi executado 04 torres com 12 pavimentos no Central Parque – Lapa
- São Paulo;
 1990 - Tem–se início ao desenvolvimento tecnológico no Brasil, com formação de centros de pesquisa e disseminação na
produção de edifícios de padrão médio, há registro de construções com até 24 pavimentos, mas a corrente de calculistas
prefere como patamar edifícios de até 16 pavimentos.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

A alvenaria estrutural ganhou espaço nas construções na década 90 e hoje ela é amplamente utilizada em obras
residenciais. A alvenaria estrutural pode ser armada, ou seja, reforçada com armadura passiva ou até mesmo armadura
ativa (protendida) e a não-armada, encontrada em edificações de até 08 pavimentos.

Dupla Função nas Edificações:


1. Função Estrutural: a própria alvenaria da edificação é a estrutura da edificação (casa, prédio, loja, etc);
2. Função de vedação: típica função de separar os ambientes de acordo com a arquitetura.
Assim, a alvenaria estrutural é uma técnica construtiva que difere do sistema clássico pilar/viga/laje.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Blocos Estruturais
 Blocos cerâmicos com furos prismáticos e/ou
cilíndricos perpendiculares às faces que os contêm.
 Podem-se obter unidades de baixíssima resistência
(0,1 MPa) até de alta resistência (70,0 MPa).
 As características dos blocos cerâmicos determinam
importantes aspectos da produção:
- Peso e dimensões - influenciam a produtividade;
- Formato - influencia a técnica de execução;
- Precisão dimensional - influencia os revestimentos e
demais componentes.
 Principais características: resistência mecânica,
absorção total e inicial, dimensões reais e nominais,
área líquida, peso unitário, estabilidade dimensional,
isolamento termo-acústico e durabilidade.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

GRAUTE: é um concreto composto por cimento, areia e pedrisco e tem como característica a alta plasticidade.
 É utilizado para preencher vazios dos blocos (como canaletas) em pontos onde se quer aumentar a resistência localizada
da alvenaria;
 Possui alta fluidez, com slump entre 20 e 28cm;
 Deve-se incluir a cal em até 10% do volume de cimento para diminuir sua retração.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Vantagens da Alvenaria Estrutural: Desvantagens da Alvenaria Estrutural:


– Técnica executiva simplificada; – Condiciona a arquitetura (devido a paginação de
– Facilidade de treinamento de mão-de-obra; acordo com o tamanho dos blocos);
– Organização do processo de produção; – Restringe futuras mudanças e intervenções na
– Menor diversidade de mão-de-obra na fase de edificação;
estrutura (não é necessária equipe de carpintaria, – Inibe a mudança do uso dos edifícios (exemplo:
armação); de uso residencial para uso comercial).
– Integração com os sistemas de instalações elétricas
e hidrossanitárias;
– Redução nas formas, consumo de aço e concreto;
– Propicia obras limpas, rápidas e extremamente
seguras
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

O projeto de alvenaria estrutural é o desenho preciso de cada lâmina de parede que sustentará a edificação trabalhando
em conjunto com outras em todos os sentidos e nas 3 direções. É o projeto que substitui a estrutura de concreto formada

por pilares e vigas.


Tópico 06: Alvenaria Estrutural
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

 Projeto da 1ª fiada de alvenaria


 Execução da 1ª fiada de alvenaria
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Racionalização da Alvenaria Estrutural


“A racionalização construtiva é um processo composto pelo conjunto de todas as ações que tenham por objetivo
aperfeiçoar o uso de recursos materiais, humanos, organizacionais, energéticos, tecnológicos, temporais e financeiros
disponíveis na construção em todas as suas fases”.
Para atingir o efeito desejado, as medidas de racionalização devem ser adotadas inicialmente na etapa de projetos. O
projeto funcionando como idealizador do empreendimento, apresenta as condições ideais para a implementação da
estratégia construtiva, pois tem o potencial de agregar todos os condicionantes do processo produtivo.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Racionalização da Alvenaria Estrutural


 Para que as vantagens da alvenaria estrutural possam ser maximizadas, é importante que haja uma coordenação geral
dos projetos (fundação, estrutura, arquitetura, instalações e paisagismo);
 É na fase de concepção destes projetos que deverão ser indicadas as medidas de racionalização e de controle de
qualidade, que permitirão a execução planejada e eficiente da obra;
 A qualificação da mão-de-obra através de treinamentos, o controle dos materiais e a organização da produção são
também importantes medidas racionalizadoras do processo;
 A organização do processo produtivo racionalizado implica, entre outras coisas, na eliminação de interferências, na
simplificação das seqüências executivas, no atendimento ao planejamento e na utilização de equipamentos e
componentes que venham a simplificar o trabalho.

Algumas medidas racionalizadoras têm sido freqüentemente utilizadas nas construções em alvenaria estrutural, podendo-
se citar a modulação do projeto, a utilização de soluções de embutimento de instalações elétricas e hidráulicas que
dispensam o “quebra-quebra”, e a utilização de componentes pré-fabricados para resolução dos demais subsistemas que
interagem com a alvenaria.
O projeto racionalizado deve estabelecer uma visão global do empreendimento, onde todas as soluções construtivas dos
diversos subsistemas estejam integradas, permitindo a compatibilização entre as diversas interfaces que compõem o
projeto.
A boa construtibilidade aliada ao bom planejamento permitirão o alcance de bons índices de custo e qualidade.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

FUNDAÇÃO:

As fundações destinadas às construções em alvenaria estrutural devem estar preparadas para acomodar cargas
distribuídas linearmente;

Normalmente usa-se as sapatas corridas, radiers e estacas alinhadas ao longo da parede;

A viga baldrame apoiada sobre sapatas isoladas deverá ser evitada, uma vez que esta é mais recomendada para a
acomodação de cargas pontuais.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

ASSENTAMENTO:

 É previamente realizado um projeto de paginação que indique a posição de todos os blocos (fiadas ímpares e pares), e
que identifique com cores diferentes os blocos especiais e compensadores;
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

ASSENTAMENTO:
 No processo de assentamento necessita-se de uma mão-
de-obra bastante qualificada, pois é fundamental a atenção e
precisão durante a sua execução.
 Também é necessária atenção na execução, pois as
tubulações elétricas, hidráulicas, armações e os pontos de
graute “sobem” junto com a alvenaria.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

VERGAS E CONTRA-VERGAS:
 Vãos abertos, portas ou janelas em paredes de alvenaria exigem grandes esforços estruturais, e estes possuem as vergas
(quando sobre o vão) e contravergas (quando sob o vão). Esses elementos armados melhoram a distribuição da carga,
evitando as tricas e fissuras nas extremidades destas esquadrias.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

A passagem de tubos e eletrodutos nas paredes deve ser bem definida na fase de projeto, porque a utilização de rasgos
para as instalações é uma prática não condizente com os princípios básicos de racionalização, apesar de ser muito
empregada pelas construtoras, mesmo utilizando o sistema construtivo em alvenaria estrutural.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

A passagem da prumada vertical de tubos hidráulicos e


sanitários nas paredes tem que constar nas plantas de elevação
das paredes (paginação). Segundo a NBR-10837 é proibida a
passagem de tubulações que conduzam fluidos dentro das
paredes com função estrutural.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

As lajes desempenham um importante papel em uma edificação em alvenaria estrutural, sendo que nelas as cargas são
uniformizadas e transferidas às paredes portantes da edificação. Com isso, o ideal seria a execução de lajes maciças, pois
garantem uma melhor transmissão e uniformização de cargas, podendo ser moldadas in loco ou pré-fabricadas, podendo
ser armadas em uma ou duas direções.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Normalmente, as principais patologias em alvenaria estrutural são as fissuras, que são originadas quando as cargas
atuantes excedem a capacidade resistente da estrutura solicitada.
 Fissuras por variação de temperatura;
 Fissuras decorrentes de excessivo carregamento de compressão;
 Fissuras provenientes de recalques nas fundações;
 Fissuras provenientes de reação química;
 Falhas no planejamento (projeto, materiais, execução).
Tópico 06: Alvenaria Estrutural
Tópico 06: Alvenaria Estrutural
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

O Steel Frame é um sistema de construção a seco constituído por uma estrutura leve de perfis de aço galvanizado que
formam um esqueleto estrutural autoportante, composto de painéis, vigas, tesouras de telhado e outros elementos,
projetados para suportar as cargas da edificação.
Sobre este esqueleto estrutural são fixadas placas de fechamento internas e externas, isolamentos termo-acústicos e
barreiras, gerando uma construção com aspecto final semelhante ao da construção convencional e qualidade superior.

Em 1998 começou a ser implantado no Brasil, as primeiras


construções no processo “Steel Framing”, dando prosseguimento à
necessidade de um produto industrializado e as vantagens intrínsecas
desse processo construtivo frente ao sistema tradicional; portanto,
podemos considerar que é um produto tecnológico novo no país.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Vantagens:
• Construção Sustentável: baixa utilização de água, economia de energia, utilização material reciclável e baixo volume de
resíduos gerados (baixo desperdício) OBRA LIMPA
• Menor tempo de construção: prazo de obra em torno de 1/3 do prazo da obra em alvenaria;
• Versatilidade: permite executar variados projetos arquitetônicos;
• O alívio nas fundações, devido ao reduzido peso e uniforme distribuição dos esforços através de paredes leves e
portantes, proporciona custo de 20% a 30% por metro quadrado inferior ao convencional;
• Previsibilidade de custos;
• Precisão construtiva: obra com esquadro e prumo impecáveis, obedecendo rigorosamente as medidas de projeto
arquitetônico;
• Desempenho acústico e térmico superior (da instalação da lã de rocha e lã de vidro entre as paredes e forro);
• Facilidade de execução e manutenção das instalações;
• Melhor controle do canteiro de obras com mão de obra altamente qualificada e em menor volume.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

No sistema steel frame utiliza-se o conceito de cargas distribuídas para


distribuição dos esforços gerados pelas edificações.

Os perfis leves de aço galvanizados denominados


de montantes e guias que formam os painéis auto-
portantes das paredes e a estrutura de telhado
que constituem no final um conjunto monolítico
leve e resistente.

Os perfis compõem as vigas de piso, servindo de


estrutura de apoio aos materiais que formam a
superfície do contra-piso. As vigas de piso estão
apoiadas nos montantes de forma a permitir que
suas almas estejam em coincidência com as almas
dos montantes, dando origem ao conceito de
estrutura alinhada ou “in-line framing”.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

A construção em Steel Frame possui peso próprio muito menor que a construção convencional de alvenaria. Isso reduz
consideravelmente as cargas na fundação, gerando economia nesta etapa da obra, que pode chegar a 75%. A fundação
mais comum é a do tipo Radier, uma laje em concreto armado leve e simples de executar, aplicável na maioria dos solos.
Para terrenos com topografia mais acidentada, a fundação utiliza técnicas convencionais de engenharia, como muros de
arrimo e estacas, que têm sua dimensão reduzida em função da leveza da edificação.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Nas fundações que não sejam o radier existe a necessidade de execução de baldrames.
No concreto são colocados chumbadores metálicos
com rosca onde os pilares de aço serão aparafusados
através de chapas de base.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

A participação do aço no sistema é significativa, a superestrutura (paredes e estrutura de telhado) da obra em steel framing
é composta de perfis leves de aço galvanizado. Os demais componentes do sistema como:
• elementos de fixação - parafusos e conectores;
• fechamentos – chapas de gesso acartonado, chapas cimentícias;
• isolantes termo acústicos e impermeáveis – mantas e filmes;
• sistemas hidráulicos e elétricos;
• revestimentos.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Existem três métodos construtivos para a implantação do sistema Light Steel Frame.
• Método Stick
Os perfis são cortados no canteiro da obra, e painéis, lajes, coluna, contraventamentos e
tesouras de telhados são montados no local. Os perfis podem vir perfurados para a passagem
das instalações elétricas e hidráulicas e os demais sub-sistemas são instalados posteriormente à
montagem da estrutura. Esta técnica é usada quando a pré-fabricação não é viável.

• Método por Painéis


Painéis estruturais ou não, contraventamentos,
lajes e tesouras de telhado podem ser pré-
fabricados fora do canteiro de montados no
local.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

• Método Construção Modular


São unidades completamente pré-fabricadas e podem ser entregues no local da obra com todos os acabamentos internos
como revestimentos, louças sanitárias, bancadas, mobiliários fixos, metais, instalações elétricas e hidráulicas, etc. As
unidades podem ser estocadas lado a lado, ou uma sobre as outras já na forma da construção final.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

O revestimento externo da estrutura em Steel Frame pode ser feito com placas cimentícias parafusadas
diretamente nos perfis da estrutura, com tratamento das juntas com massa elastomérica e tela. As placas são instaladas
sobre uma barreira de vapor (membrana) que impede a entrada de água, mas deixa a parede respirar, evitando
condensação de água em seu interior.
Outro sistema de revestimento externo para o Steel Frame é o sistema EIFS (Exterior Insulation and Finish
System), que é um agregado de elementos (OSB, barreira de vapor, EPS, tela em fibra de vidro e argamassa elastomérica),
que possui alto desempenho térmico e acústico e acabamento final monolítico, liso e sem trincas.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

O revestimento interno das construções com Steel Frame é feito com placas de gesso acartonado (drywall)
parafusado sobre os perfis das paredes ou em forros estruturados e recebem tratamento nas juntas, gerando aspecto final
liso e sem emendas. As placas de gesso acartonado possuem composição adequada para cada aplicação da residência:
Standard (ST) para áreas secas e Resistente à Umidade (RU) para áreas úmidas, como banheiros e cozinhas.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

 DRY WALL
São chapas fabricadas industrialmente mediante um processo de laminação contínua de uma mistura de gesso, água e
aditivos entre duas lâminas de cartão, onde uma é virada nas bordas longitudinais e colada sobre a outra.

• Revestidas externamente por duas lâminas de papel kraft;

• O papel kraft:
 reforço para os esforços de manuseio e serviço;
 chapas representam alta produtividade na montagem;
 Execução com baixo consumo de material e baixa geração de
resíduos (construção racionalizada);

• Combinação papel e gesso...


 sensibilidade a ambientes úmidos;
 biodeterioração da superfície;
 aplicação em ambientes úmidos...
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Tipos de Chapas:

 Standard (ST) – Chapa branca/cinza


• Para aplicação em áreas secas;

 Resistente à Umidade (RU) – Chapa Verde;


• Para aplicação em áreas sujeitas à umidade por tempo limitado de forma
intermitente;

 Resistente ao Fogo (RF) – Chapa rosa


• Aplicação em áreas secas necessitando de um maior desempenho em
relação ao fogo.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Isolamento Acústico:
Uma das várias vantagens propiciadas pela construção em Steel Frame é o seu desempenho térmico e acústico,
que propicia conforto e qualidade no ambiente. Um dos fatores responsáveis por este desempenho superior são as mantas
de lã de vidro ou de poliéster instaladas no interior das paredes e no forro de toda a edificação. Estas mantas são fabricadas
em material poroso, dotado de grande capacidade de absorção, que reduz grandemente a transição de som e calor entre
ambientes.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Isolamento:
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Isolamento:
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

Instalações Elétricas e Hidráulicas:


As instalações elétricas e hidráulicas no sistema Steel Frame são projetadas e executadas seguindo os mesmos
princípios e materiais utilizados na construção convencional. A grande vantagem oferecida pelo sistema é a facilidade de
execução dessas instalações, pois, devido ao vazio interno de paredes e forros e a presença de furos nos montantes, é
possível uma execução rápida e sem quebra-quebra.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural

CONSTRUÇÃO ACABADA
As obras executadas utilizando o sistema Steel Frame resultam em edificações com aspecto similar aos sistemas
tradicionais, porém com acabamento final superior, maior conforto térmico e acústico, canteiro de obras limpo e prazo de
execução reduzido. O sistema integra tecnologia, resistência, sustentabilidade, durabilidade e agilidade, sendo por isso uma
excelente opção para execução de residências que vem cada vez mais conquistando o mercado brasileiro.
Tópico 06: Alvenaria Estrutural
Tópico 06: Alvenaria Estrutural