Você está na página 1de 160

APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Quanto ao conteúdo: materiais e formais;


CONHECIMENTOS Quanto à forma: escritas e não escritas;
Quanto ao modo de elaboração: dogmáticas e
ESPECÍFICOS históricas;
Quanto à origem: populares (democráticas) ou
outorgadas;
Quanto à estabilidade: rígidas, flexíveis e
NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL semirrígidas.

I - DO DIREITO CONSTITUCIONAL E DA A constituição material em sentido amplo


CONSTITUIÇÃO identifica-se com a organização total do Estado, com
regime político; em sentido estrito, designa as normas
DIREITO CONSTITUCIONAL escritas ou costumeiras, inseridas ou não num documento
escrito, que regulam a estrutura do Estado, a organização
Direito Constitucional é o ramo do Direito Público de seus órgãos e os direitos fundamentais.
que expõe, interpreta e sistematiza os princípios e normas
fundamentais do Estado; é a ciência positiva das A constituição formal é o peculiar modo de existir
constituições; tem por Objeto a constituição política do do Estado, reduzido, sob forma escrita, a um documento
Estado, cabendo a ele o estudo sistemático das normas solenemente estabelecido pelo poder constituinte e
que integram a constituição. O conteúdo científico do Direito somente modificável por processos e formalidades
Constitucional abrange às seguintes disciplinas: especiais nela própria estabelecidos.

- Direito Constitucional Positivo ou A constituição escrita é considerada, quando


Particular: é o que tem por objeto o estudo dos princípios e codificada e sistematizada num texto único, elaborado por
normas de uma constituição concreta, de um Estado um órgão constituinte, encerrando todas as normas tidas
determinado; compreende a interpretação, sistematização e como fundamentais sobre a estrutura do Estado, a
crítica das normas jurídico-constitucionais desse Estado, organização dos poderes constituídos, seu modo de
configuradas na constituição vigente, nos seus legados exercício e limites de atuação e os direitos fundamentais.
históricos e sua conexão com a realidade sociocultural.
Não escrita, é a que cujas normas não constam
- Direito Constitucional Comparado: é o de um documento único e solene, baseando-se nos
estudo teórico das normas jurídico-constitucionais positivas costumes, na jurisprudência e em convenções e em textos
(não necessariamente vigentes) de vários Estados, constitucionais esparsos. Ex. constituição inglesa.
preocupando-se em destacar as singularidades e os
contrastes entre eles ou entre grupo deles. Constituição dogmática é a elaborada por um
órgão constituinte, e sistematiza os dogmas ou ideias
- Direito Constitucional Geral: delineia fundamentais da teoria política e do Direito dominante no
uma série de princípios, de conceitos e de instituições que momento.
se acham em vários direitos positivos ou em grupos deles
para classifica-los e sistematizá-los numa visão unitária; é Histórica ou costumeira: é a resultante de lenta
uma ciência, que visa generalizar os princípios teóricos do formação histórica, do lento evoluir das tradições, dos fatos
Direito Constitucional particular e, ao mesmo tempo, sócio-políticos, que se cristalizam como normas
constatar pontos de contato e independência do Direito fundamentais da organização de determinado Estado.
Constitucional Positivo dos vários Estados que adotam
formas semelhantes do Governo. São populares as que se originam de um órgão
constituinte composto de representantes do povo, eleitos
para o fim de elaborar e estabelecer a mesma. (Cfs de
DA CONSTITUIÇÃO 1891, 1934, 1946 e 1988).

1) Conceito: considerada sua lei fundamental, Outorgadas são as elaboradas e estabelecidas


seria, então, a organização dos seus elementos essenciais: sem a participação do povo, aquelas que o governante por
um sistema de normas jurídicas, escritas ou costumeiras, si ou por interposta pessoa ou instituição, outorga, impõe,
que regula a forma do Estado, a forma de seu governo, o concede ao povo. (Cfs 1824, 1937, 1967 e 1969).
modo de aquisição e o exercício do poder, o
estabelecimento de sus órgãos, os limites de sua ação, os Rígida é a somente alterável mediante processos,
direitos fundamentais do homem e as respectivas garantias; solenidades e exigências formais especiais, diferentes e
em síntese, é o conjunto de normas que organiza os mais difíceis que os de formação das leis ordinárias ou
elementos constitutivos do Estado. complementares.

A constituição é algo que tem, como forma, um Flexível é a que pode ser livremente modificada
complexo de normas; como conteúdo, a conduta humana pelo legislador segundo o mesmo processo de elaboração
motivada das relações sociais; como fim, a realização dos das leis ordinárias.
valores que apontam para o existir da comunidade; e,
finalmente, como causa criadora e recriadora, o poder que Semirrígida é a que contém uma parte rígida e
emana do povo; não podendo ser compreendida e uma flexível.
interpretada, se não tiver em mente essa estrutura,
considerada como conexão de sentido, como é tudo aquilo
que integra um conjunto de valores.
3) Objeto: estabelecer a estrutura do Estado, a
2) Classificação das Constituições: organização de seus órgãos, o modo de aquisição do poder
1
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

e a forma de seu exercício, limites de sua atuação, é que se chama de inconstitucionalidades da lei ou dos atos
assegurar os direitos e garantias dos indivíduos, fixar o do Poder Público;
regime político e disciplinar os fins socioeconômicos do
Estado, bem como os fundamentos dos direitos - Por omissão: verifica-se nos casos em que não
econômicos, sociais e culturais. sejam praticados atos requeridos pata tornar plenamente
aplicáveis normas constitucionais; não realizado um direito
por omissão do legislador, caracteriza-se como
4) Conteúdo: é variável no espaço e no tempo, inconstitucional; pressuposto para a propositura de uma
integrando a multiplicidade no “uno”das instituições ação de inconstitucionalidade por omissão.
econômicas, jurídicas, políticas e sociais na unidade
múltipla da lei fundamental do Estado.
9) Sistema de controle de constitucionalidade:
se estabelece, tecnicamente, para defender a supremacia
5) Elementos: por sua generalidade, revela em constitucional contra as inconstitucionalidades.
sua estrutura normativa as seguintes categorias:
a) Elementos orgânicos: que se contêm nas - Controle político: entrega a verificação de
normas que regulam a estrutura do Estado e do poder; inconstitucionalidade a órgãos de natureza política;
b) Limitativos: que se manifestam nas - Jurisdicional: é a faculdade no qual as
normas que consubstanciam o elenco dos direitos e constituições outorga ao Judiciário de declarar a
garantias fundamentais; limitam a ação dos poderes inconstitucionalidade de lei ou outros atos de Poder Público;
estatais e dão a tônica do Estado de Direito (individuais e Misto: realiza-se quando a constituição submete certas
suas garantias, de nacionalidade, políticos); categorias de lei ao controle político e outras ao controle
c) Sócio ideológico: consubstanciados nas jurisdicional.
normas sócio ideológicas, que revelam a caráter de
compromisso das constituições modernas entre o Estado
individualista e o social intervencionista; 10) Critérios e modos de exercício do controle
d) De estabilização constitucional: jurisdicional: são conhecidos dois critérios de controle:
consagrados nas normas destinadas a assegurar a solução Controle difuso: verifica-se quando se reconhece o seu
dos conflitos constitucionais, a defesa da constituição, do exercício a todos os componentes do Judiciário; controle
Estado e das instituições democráticas; concentrado: se só for deferido ao tribunal de cúpula do
e) Formais de aplicabilidade: são os que se Judiciário; subordina-se ao princípio geral de que não há
acham consubstanciados nas normas que estatuem regras juízo sem autor, rigorosamente seguido no sistema
de aplicação das constituições, assim, o preâmbulo, o brasileiro, como na maioria que possui controle difuso.
dispositivo que contém as clausulas de promulgação e as
disposições transitórias, assim, as normas definidoras dos
direitos e garantias fundamentais têm aplicação imediata. 11) Sistema brasileiro de controle de
constitucionalidade: é jurisdicional introduzido com a
Constituição de 1891, acolhendo o controle difuso por via
de exceção (cabe ao demandado arguir a
SUPREMACIA DA CONSTITUIÇÃO inconstitucionalidade, apresentando sua defesa num caso
concreto), perdurando até a vigente; em vista da atual
6) Rigidez e supremacia constitucional: A constituição, temos a inconstitucionalidade por ação ou
rigidez decorre da maior dificuldade para sua modificação omissão; o controle é jurisdicional, combinando os critérios
do que as demais; dela emana o princípio da supremacia difuso e concentrado, este de competência do STF;
da constituição, colocando-a no vértice do sistema jurídico. portanto, temos o exercício do controle por via de exceção
e por ação direta de inconstitucionalidade e ainda a ação
declaratória de constitucionalidade; a ação direta de
7) Supremacia da Constituição Federal: por ser inconstitucionalidade compreende três modalidades:
rígida, toda autoridade só nela encontra fundamento e só Interventiva, genérica e a supridora de omissão. A
ela confere poderes e competências governamentais; constituição mantém a regra segundo a qual somente pelo
exerce, suas atribuições nos termos dela; sendo que todas voto da maioria absoluta de seus membros ou dos
as normas que integram a ordenação jurídica nacional só membros do respectivo órgão especial poderão os tribunais
serão válidas se se conformarem com as normas declarar a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo do
constitucionais federais. Poder Público. (art. 97)

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE 12) Efeitos da declaração de


inconstitucionalidade: depende da solução sobre a
8) Inconstitucionalidade: as conformidades com natureza do ato inconstitucional: se é inexistente, nulo ou
os ditames constitucionais não se satisfaz apenas com a anulável. A declaração de inconstitucionalidade, na via
atuação positiva; exige mais, pois omitir a aplicação das indireta, não anula a lei nem a revoga; teoricamente a lei
normas, quando a Constituição determina, também constitui continua em vigor, eficaz e aplicável, até que o Senado
conduta inconstitucional, sendo reconhecida as seguintes Federal suspenda sua executoriedade (art. 52, X). A
formas de inconstitucionalidade: declaração na via direta tem efeito diverso, importa suprimir
a eficácia e aplicabilidade da lei ou ato; distinções a seguir:
- Por ação: ocorre com a produção de atos
legislativos ou administrativos que contrariem normas ou - Qual a eficácia da sentença que decide a
princípios da constituição; seu fundamento resulta da inconstitucionalidade na via de exceção: se resolve
compatibilidade vertical das normas (as inferiores só valem pelos princípios processuais; a arguição de
se compatíveis com as superiores); essa incompatibilidade inconstitucionalidade é questão prejudicial e gera um
procedimento incidente tantum, que busca a simples
2
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

verificação da existência ou do vício alegado; a sentença é normativo federal impugnado em processos concretos; não
declaratória; faz coisa julgada somente no caso e entre as tem por objeto a verificação da constitucionalidade de lei ou
partes; no que tange ao caso concreto, a declaração surte ato estadual ou municipal, não há previsão dessa
efeitos ex tunc; no entanto a lei contínua eficaz e aplicável, possibilidade.
até que seja suspensa sua executoriedade pelo Senado;
ato que não revoga nem anula a lei, apenas lhe retira a
eficácia, daí por diante ex nunc. 14) Legitimação e competência para a ação:
segundo o art. 103,§ 4º, poderão propô-la o Presidente da
- Qual a eficácia da sentença proferida no República, a Mesa do Senado Federal, a Mesa da Câmara
processo de ação direta de inconstitucionalidade dos Deputados e o Procurador-Geral da República, e o STF
genérica?: Tem por objeto a própria questão de já decidiu que não cabe a intervenção do Advogado-Geral
inconstitucionalidade; qualquer decisão, que a decrete, da União no processo dessa ação.
deverá ter eficácia erga omnes (genérica) e obrigatória; a A competência para processar e julgar a ação
sentença aí faz coisa julgada material, que vincula as declaratória de constitucionalidade é exclusivamente do
autoridades aplicadoras da lei, que não poderão mais dar- STF.
lhe execução sob pena de arrostar a eficácia da coisa
julgada, uma vez que a declaração de inconstitucionalidade
em tese visa precisamente atingir o efeito imediato de 15) Efeitos da decisão da ação declaratória de
retirar a aplicabilidade da lei. constitucionalidade: segundo a art. 102, § 2º, as decisões
definitivas de mérito nessas ações, produzirão eficácia
- Efeito da sentença proferida no processo de contra todos e efeito vinculante aos demais órgãos do
ação de inconstitucionalidade interventiva: visa não Judiciário e do Executivo; terá efeito erga omnes, se
apenas obter a declaração de inconstitucionalidade, mas estendendo a todos os feitos em andamento, paralisando-
também restabelecer a ordem constitucional no Estado, ou os com o desfazimento dos efeitos das decisões neles
Município, mediante a intervenção; a sentença não será proferidas no primeiro caso ou a confirmação desses efeitos
meramente declaratória; não cabendo ao Senado à no segundo caso; o ato, dali por diante, é constitucional,
suspensão da execução do ato; a Constituição declara que sem possibilidade de qualquer outra declaração em
o decreto se limitará a suspender a execução do ato contrário; pelo efeito vinculante à função jurisdicional dos
impugnado, se essa medida bastar ao restabelecimento da demais órgãos do Judiciário, nenhum juízo ou Tribunal
normalidade; a decisão tem um efeito condenatório que poderá conhecer de ação ou processo em que se postule
fundamenta o decreto de intervenção; a condenação tem uma decisão contrária à declaração emitida no processo de
efeito constitutivo da sentença que faz coisa julgada ação declaratória de constitucionalidade pelo STF nem
material erga omnes. produzir validamente ato normativo em sentido contrário
àquela decisão.
- Efeito da declaração de inconstitucionalidade
por omissão: o efeito está no art. 103, § 2º da
Constituição, ao estatuir que, declarada a
inconstitucionalidade por omissão de medida para tornar EMENDA À CONSTITUIÇÃO
efetiva norma constitucional, será dada ciência ao Poder Emenda é o processo formal de mudanças das
competente para a adoção das providências necessárias e, constituições rígidas, por meio de atuação de certos órgãos,
em se tratando de órgão administrativo, p ara fazê-lo em 30 mediante determinadas formalidades, estabelecidas nas
dias; a sentença que reconhece a inconstitucionalidade por próprias constituições para o exercício do poder reformador;
omissão é declaratória, mas não meramente, porque dela é a modificação de certos pontos, cuja estabilidade o
decorre um efeito ulterior de natureza mandamental no legislador constituinte não considerou tão grande como
sentido de exigir a adoção das providências necessárias ao outros mais valiosos, se bem que submetida a obstáculos e
suprimento da omissão. formalidades mais difíceis que os exigidos para a alteração
das leis ordinárias; é o único sistema de mudança formal da
AÇÃO DECLARATÓRIA DE Constituição.
CONSTITUCIONALIDADE
É uma ação que tem a característica de um meio 16) Sistema brasileiro: Apresentada a proposta,
paralisante de debates em torno de questões jurídicas será ela discutida e votada em cada Casa do Congresso
fundamentais de interesse coletivo; terá como pressuposto Nacional, em dois turnos, considerando-se aprovada
fático a existência de decisões de constitucionalidade, em quando obtiver, em ambos, três quintos (3/5) dos votos dos
processos concretos, contrárias à posição governamental; membros de cada uma delas (art. 60, § 2º); uma vez
seu exercício gera um processo constitucional contencioso, aprovada, a emenda será promulgada pelas Mesas da
de fato, porque visa desfazer decisões proferidas entre as Câmara dos Deputados e do Senado Federal, com o
partes, mediante sua propositura por uma delas; tem respectivo número de ordem; acrescenta-se que a matéria
natureza de meio de impugnação antes que de ação, com o constante de proposta de emenda rejeitada ou havida por
mesmo objeto das contestações, sustentando a prejudicada não poderá ser objeto de nova proposta na
constitucionalidade da lei ou ato normativo. mesma sessão legislativa (art. 60, § 5º).

13) Finalidade o objeto da ação declaratória de


constitucionalidade: essa ação pressupõe controvérsia a 17) Poder constituinte e poder reformador: a
respeito da constitucionalidade da lei, o que é aferido diante Constituição conferiu ao Congresso Nacional a
da existência de um grande número de ações onde a competência para elaborar emendas a ela; o próprio poder
constitucionalidade da lei é impugnada, sua finalidade constituinte originário, ao estabelecer a CF, instituiu um
imediata consiste na rápida solução dessas pendências; poder constituinte reformador; no fundo, o agente ou sujeito
visa solucionar isso, por via de coisa julgada vinculante, que da reforma, é o poder constituinte originário, que, por esse
declara ou não a constitucionalidade da lei. O objeto da método, atua em segundo grau, de modo indireto, pela
ação é a verificação da constitucionalidade da lei ou ato outorga de competência a um órgão constituído para, em
3
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

seu lugar, proceder às modificações na Constituição, que a Art. 2º São Poderes da União, independentes e
realidade exige; segundo o Prof. Manoel G. Ferreira Filho, harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o
poder constituinte de revisão “é aquele poder, inerente à Judiciário.
Constituição rígida que se destina a modificá-la, segundo o Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da
que a mesma estabelece; visa permitir a mudança da República Federativa do Brasil:
Constituição, adaptação da Constituição a novas I - construir uma sociedade livre, justa e solidária;
necessidades, a novos impulsos, a novas forças, sem que II - garantir o desenvolvimento nacional;
para tanto seja preciso recorrer à revolução, sem que seja III - erradicar a pobreza e a marginalização e
preciso recorrer ao poder constituinte originário”. reduzir as desigualdades sociais e regionais;
IV - promover o bem de todos, sem preconceitos
de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas
de discriminação.
18) Limitações ao poder de reforma Art. 4º A República Federativa do Brasil rege-se
constitucional: é limitado, porque a própria norma nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios:
constitucional lhe impõe procedimento e modo de agir, dos I - independência nacional;
quais não pode arredar sob pena de sua obra sair viciada, II - prevalência dos direitos humanos;
ficando sujeita ao sistema de controle de III - autodeterminação dos povos;
constitucionalidade, configura as limitações formais. IV - não intervenção;
V - igualdade entre os Estados;
A doutrina distribui as limitações em: VI - defesa da paz;
VII - solução pacífica dos conflitos;
Limitações temporais: não são comumente VIII - repúdio ao terrorismo e ao racismo;
encontráveis na história constitucional brasileira; só a do IX - cooperação entre os povos para o progresso
Império estabeleceu esse tipo de limitação; visto que previa, da humanidade;
que somente após um certo tempo estabelecido, é que ela X - concessão de asilo político.
poderia ser reformada ( no caso 4 anos). Parágrafo único. A República Federativa do Brasil
buscará a integração econômica, política, social e cultural
Limitações circunstanciais: desde 1934 estatui- dos povos da América Latina, visando à formação de uma
se um tipo de limitação ao poder de reforma, qual seja a de comunidade latino-americana de nações.
que não se procederá à reforma na vigência do estado de TÍTULO II
sítio; a Cf vigente veda emendas na vigência de intervenção Dos Direitos e Garantias Fundamentais
federal, de estado de defesa ou estado de sítio (art. 60, § CAPÍTULO I
1º). DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem
Limitações materiais: distingue, materiais distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos
explícitas (compreende-se que o constituinte originário brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a
poderá, expressamente, excluir determinadas matérias ou inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à
conteúdos da incidência do poder de reforma) e implícitas segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
(ocorre quando são enumeradas matérias de direitos I - homens e mulheres são iguais em direitos e
fundamentais, insuscetíveis de emendas) obrigações, nos termos desta Constituição;
II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de
fazer alguma coisa senão em virtude de lei;
19) Controle de constitucionalidade da reforma III - ninguém será submetido à tortura nem a
constitucional: toda modificação, feita com desrespeito de tratamento desumano ou degradante;
procedimento especial estabelecido ou de preceito que não IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo
possa ser objeto de emenda, padecerá de vício de vedado o anonimato;
inconstitucionalidade formal ou material, e assim ficará V - é assegurado o direito de resposta,
sujeita ao controle de constitucionalidade pelo Judiciário, tal proporcional ao agravo, além da indenização por dano
como se dá com as leis ordinárias. material, moral ou à imagem;
VI - é inviolável a liberdade de consciência e de
crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos
CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais
BRASIL DE 1988 de culto e a suas liturgias;
VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação
TÍTULO I de assistência religiosa nas entidades civis e militares de
Dos Princípios Fundamentais internação coletiva;
Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada VIII - ninguém será privado de direitos por motivo
pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política,
Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a
Direito e tem como fundamentos: todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa,
I - a soberania; fixada em lei;
II - a cidadania IX - é livre a expressão da atividade intelectual,
III - a dignidade da pessoa humana; artística, científica e de comunicação, independentemente
IV - os valores sociais do trabalho e da livre de censura ou licença;
iniciativa; X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a
V - o pluralismo político. honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a
Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua
que o exerce por meio de representantes eleitos ou violação;
diretamente, nos termos desta Constituição. XI - a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém
nela podendo penetrar sem consentimento do morador,
4
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para XXXI - a sucessão de bens de estrangeiros
prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação situados no País será regulada pela lei brasileira em
judicial; benefício do cônjuge ou dos filhos brasileiros, sempre que
XII - é inviolável o sigilo da correspondência e das não lhes seja mais favorável à lei pessoal do "de cujus";
comunicações telegráficas, de dados e das comunicações XXXII - o Estado promoverá, na forma da lei, a
telefônicas, salvo, no último caso, por ordem judicial, nas defesa do consumidor;
hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins de XXXIII - todos têm direito a receber dos órgãos
investigação criminal ou instrução processual penal; públicos informações de seu interesse particular, ou de
XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, interesse coletivo ou geral, que serão prestadas no prazo
ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais da lei, sob pena de responsabilidade, ressalvadas aquelas
que a lei estabelecer; cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e
XIV - é assegurado a todos o acesso à informação do Estado;
e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao XXXIV - são a todos assegurados,
exercício profissional; independentemente do pagamento de taxas:
XV - é livre a locomoção no território nacional em a) o direito de petição aos Poderes Públicos em
tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, defesa de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder;
nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens; b) a obtenção de certidões em repartições
XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem públicas, para defesa de direitos e esclarecimento de
armas, em locais abertos ao público, independentemente situações de interesse pessoal;
de autorização, desde que não frustrem outra reunião XXXV - a lei não excluirá da apreciação do Poder
anteriormente convocada para o mesmo local, sendo Judiciário lesão ou ameaça a direito;
apenas exigido prévio aviso à autoridade competente; XXXVI - a lei não prejudicará o direito adquirido, o
XVII - é plena a liberdade de associação para fins ato jurídico perfeito e a coisa julgada;
lícitos, vedada a de caráter paramilitar; XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção;
XVIII - a criação de associações e, na forma da lei, XXXVIII - é reconhecida a instituição do júri, com a
a de cooperativas independem de autorização, sendo organização que lhe der a lei, assegurados:
vedada a interferência estatal em seu funcionamento; a) a plenitude de defesa;
XIX - as associações só poderão ser b) o sigilo das votações;
compulsoriamente dissolvidas ou ter suas atividades c) a soberania dos veredictos;
suspensas por decisão judicial, exigindo-se, no primeiro d) a competência para o julgamento dos crimes
caso, o trânsito em julgado; dolosos contra a vida;
XX - ninguém poderá ser compelido a associar-se XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina,
ou a permanecer associado; nem pena sem prévia cominação legal;
XXI - as entidades associativas, quando XL - a lei penal não retroagirá, salvo para
expressamente autorizadas, têm legitimidade para beneficiar o réu;
representar seus filiados judicial ou extrajudicialmente; XLI - a lei punirá qualquer discriminação
XXII - é garantido o direito de propriedade; atentatória dos direitos e liberdades fundamentais;
XXIII - a propriedade atenderá a sua função XLII - a prática do racismo constitui crime
social; inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos
XXIV - a lei estabelecerá o procedimento para termos da lei;
desapropriação por necessidade ou utilidade pública, ou por XLIII - a lei considerará crimes inafiançáveis e
interesse social, mediante justa e prévia indenização em insuscetíveis de graça ou anistia a prática da tortura , o
dinheiro, ressalvados os casos previstos nesta Constituição; tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o terrorismo e
XXV - no caso de iminente perigo público, a os definidos como crimes hediondos, por eles respondendo
autoridade competente poderá usar de propriedade os mandantes, os executores e os que, podendo evitá-los,
particular, assegurada ao proprietário indenização ulterior, se omitirem; (Regulamento)
se houver dano; XLIV - constitui crime inafiançável e imprescritível
XXVI - a pequena propriedade rural, assim definida a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a
em lei, desde que trabalhada pela família, não será objeto ordem constitucional e o Estado Democrático;
de penhora para pagamento de débitos decorrentes de sua XLV - nenhuma pena passará da pessoa do
atividade produtiva, dispondo a lei sobre os meios de condenado, podendo a obrigação de reparar o dano e a
financiar o seu desenvolvimento; decretação do perdimento de bens ser, nos termos da lei,
XXVII - aos autores pertence o direito exclusivo de estendidas aos sucessores e contra eles executadas, até o
utilização, publicação ou reprodução de suas obras, limite do valor do patrimônio transferido;
transmissível aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar; XLVI - a lei regulará a individualização da pena e
XXVIII - são assegurados, nos termos da lei: adotará, entre outras, as seguintes:
a) a proteção às participações individuais em obras a) privação ou restrição da liberdade;
coletivas e à reprodução da imagem e voz humanas, b) perda de bens;
inclusive nas atividades desportivas; c) multa;
b) o direito de fiscalização do aproveitamento d) prestação social alternativa;
econômico das obras que criarem ou de que participarem e) suspensão ou interdição de direitos;
aos criadores, aos intérpretes e às respectivas XLVII - não haverá penas:
representações sindicais e associativas; a) de morte, salvo em caso de guerra declarada,
XXIX - a lei assegurará aos autores de inventos nos termos do art. 84, XIX;
industriais privilégio temporário para sua utilização, bem b) de caráter perpétuo;
como proteção às criações industriais, à propriedade das c) de trabalhos forçados;
marcas, aos nomes de empresas e a outros signos d) de banimento;
distintivos, tendo em vista o interesse social e o e) cruéis;
desenvolvimento tecnológico e econômico do País;
XXX - é garantido o direito de herança;
5
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

XLVIII - a pena será cumprida em a) partido político com representação no


estabelecimentos distintos, de acordo com a natureza do Congresso Nacional;
delito, a idade e o sexo do apenado; b) organização sindical, entidade de classe ou
XLIX - é assegurado aos presos o respeito à associação legalmente constituída e em funcionamento há
integridade física e moral; pelo menos um ano, em defesa dos interesses de seus
L - às presidiárias serão asseguradas condições membros ou associados;
para que possam permanecer com seus filhos durante o LXXI - conceder-se-á mandado de injunção
período de amamentação; sempre que a falta de norma regulamentadora torne
LI - nenhum brasileiro será extraditado, salvo o inviável o exercício dos direitos e liberdades constitucionais
naturalizado, em caso de crime comum, praticado antes da e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania
naturalização, ou de comprovado envolvimento em tráfico e à cidadania;
ilícito de entorpecentes e drogas afins, na forma da lei; LXXII - conceder-se-á habeas data:
LII - não será concedida extradição de estrangeiro a) para assegurar o conhecimento de informações
por crime político ou de opinião; relativas à pessoa do impetrante, constantes de registros ou
LIII - ninguém será processado nem sentenciado bancos de dados de entidades governamentais ou de
senão pela autoridade competente; caráter público;
LIV - ninguém será privado da liberdade ou de b) para a retificação de dados, quando não se
seus bens sem o devido processo legal; prefira fazê-lo por processo sigiloso, judicial ou
LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo;
administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o LXXIII - qualquer cidadão é parte legítima para
contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela propor ação popular que vise a anular ato lesivo ao
inerentes; patrimônio público ou de entidade de que o Estado
LVI - são inadmissíveis, no processo, as provas participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e
obtidas por meios ilícitos; ao patrimônio histórico e cultural, ficando o autor, salvo
LVII - ninguém será considerado culpado até o comprovada má-fé, isento de custas judiciais e do ônus da
trânsito em julgado de sentença penal condenatória; sucumbência;
LVIII - o civilmente identificado não será submetido LXXIV - o Estado prestará assistência jurídica
à identificação criminal, salvo nas hipóteses previstas em integral e gratuita aos que comprovarem insuficiência de
lei; (Regulamento). recursos;
LIX - será admitida ação privada nos crimes de LXXV - o Estado indenizará o condenado por erro
ação pública, se esta não for intentada no prazo legal; judiciário, assim como o que ficar preso além do tempo
LX - a lei só poderá restringir a publicidade dos fixado na sentença;
atos processuais quando a defesa da intimidade ou o LXXVI - são gratuitos para os reconhecidamente
interesse social o exigirem; pobres, na forma da lei: (Vide Lei nº 7.844, de 1989)
LXI - ninguém será preso senão em flagrante delito a) o registro civil de nascimento;
ou por ordem escrita e fundamentada de autoridade b) a certidão de óbito;
judiciária competente, salvo nos casos de transgressão LXXVII - são gratuitas as ações de habeas corpus
militar ou crime propriamente militar, definidos em lei; e habeas data, e, na forma da lei, os atos necessários ao
LXII - a prisão de qualquer pessoa e o local onde exercício da cidadania.
se encontre serão comunicados imediatamente ao juiz LXXVIII a todos, no âmbito judicial e administrativo,
competente e à família do preso ou à pessoa por ele são assegurados a razoável duração do processo e os
indicada; meios que garantam a celeridade de sua tramitação.
LXIII - o preso será informado de seus direitos, (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
entre os quais o de permanecer calado, sendo-lhe § 1º As normas definidoras dos direitos e garantias
assegurada a assistência da família e de advogado; fundamentais têm aplicação imediata.
LXIV - o preso tem direito à identificação dos § 2º Os direitos e garantias expressos nesta
responsáveis por sua prisão ou por seu interrogatório Constituição não excluem outros decorrentes do regime e
policial; dos princípios por ela adotados, ou dos tratados
LXV - a prisão ilegal será imediatamente relaxada internacionais em que a República Federativa do Brasil seja
pela autoridade judiciária; parte.
LXVI - ninguém será levado à prisão ou nela § 3º Os tratados e convenções internacionais
mantido, quando a lei admitir a liberdade provisória, com ou sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada
sem fiança; Casa do Congresso Nacional, em dois turnos, por três
LXVII - não haverá prisão civil por dívida, salvo a quintos dos votos dos respectivos membros, serão
do responsável pelo inadimplemento voluntário e equivalentes às emendas constitucionais. (Incluído pela
inescusável de obrigação alimentícia e a do depositário Emenda Constitucional nº 45, de 2004) (Atos aprovados na
infiel; forma deste parágrafo)
LXVIII - conceder-se-á habeas corpus sempre que § 4º O Brasil se submete à jurisdição de Tribunal
alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou Penal Internacional a cuja criação tenha manifestado
coação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou adesão. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de
abuso de poder; 2004)
LXIX - conceder-se-á mandado de segurança para CAPÍTULO II
proteger direito líquido e certo, não amparado por habeas DOS DIREITOS SOCIAIS
corpus ou habeas data, quando o responsável pela Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a
ilegalidade ou abuso de poder for autoridade pública ou alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a
agente de pessoa jurídica no exercício de atribuições do segurança, a previdência social, a proteção à maternidade
Poder Público; e à infância, a assistência aos desamparados, na forma
LXX - o mandado de segurança coletivo pode ser desta Constituição. (Redação dada pela Emenda
impetrado por: Constitucional nº 90, de 2015)

6
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e XXVI - reconhecimento das convenções e acordos
rurais, além de outros que visem à melhoria de sua coletivos de trabalho;
condição social: XXVII - proteção em face da automação, na forma
I - relação de emprego protegida contra despedida da lei;
arbitrária ou sem justa causa, nos termos de lei XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a
complementar, que preverá indenização compensatória, cargo do empregador, sem excluir a indenização a que este
dentre outros direitos; está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa;
II - seguro-desemprego, em caso de desemprego XXIX - ação, quanto aos créditos resultantes das
involuntário; relações de trabalho, com prazo prescricional de cinco anos
III - fundo de garantia do tempo de serviço; para os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de dois
IV - salário mínimo , fixado em lei, nacionalmente anos após a extinção do contrato de trabalho; (Redação
unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais dada pela Emenda Constitucional nº 28, de 25/05/2000)
básicas e às de sua família com moradia, alimentação, a) (Revogada). (Redação dada pela Emenda
educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e Constitucional nº 28, de 25/05/2000)
previdência social, com reajustes periódicos que lhe b) (Revogada). (Redação dada pela Emenda
preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação Constitucional nº 28, de 25/05/2000)
para qualquer fim; XXX - proibição de diferença de salários, de
V - piso salarial proporcional à extensão e à exercício de funções e de critério de admissão por motivo
complexidade do trabalho; de sexo, idade, cor ou estado civil;
VI - irredutibilidade do salário, salvo o disposto em XXXI - proibição de qualquer discriminação no
convenção ou acordo coletivo; tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador
VII - garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, portador de deficiência;
para os que percebem remuneração variável; XXXII - proibição de distinção entre trabalho
VIII - décimo terceiro salário com base na manual, técnico e intelectual ou entre os profissionais
remuneração integral ou no valor da aposentadoria; respectivos;
IX – remuneração do trabalho noturno superior à XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou
do diurno; insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a
X - proteção do salário na forma da lei, menores de dezesseis anos, salvo na condição de
constituindo crime sua retenção dolosa; aprendiz, a partir de quatorze anos; (Redação dada pela
XI – participação nos lucros, ou resultados, Emenda Constitucional nº 20, de 1998)
desvinculada da remuneração, e, excepcionalmente, XXXIV - igualdade de direitos entre o trabalhador
participação na gestão da empresa, conforme definido em com vínculo empregatício permanente e o trabalhador
lei; avulso.
XII - salário-família pago em razão do dependente Parágrafo único. São assegurados à categoria dos
do trabalhador de baixa renda nos termos da lei; (Redação trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos
dada pela Emenda Constitucional nº 20, de 1998) IV, VI, VII, VIII, X, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXI, XXII,
XIII - duração do trabalho normal não superior a XXIV, XXVI, XXX, XXXI e XXXIII e, atendidas as condições
oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a estabelecidas em lei e observada a simplificação do
compensação de horários e a redução da jornada, mediante cumprimento das obrigações tributárias, principais e
acordo ou convenção coletiva de trabalho; (vide Decreto-Lei acessórias, decorrentes da relação de trabalho e suas
nº 5.452, de 1943) peculiaridades, os previstos nos incisos I, II, III, IX, XII, XXV
XIV - jornada de seis horas para o trabalho e XXVIII, bem como a sua integração à previdência
realizado em turnos ininterruptos de revezamento, salvo social. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 72,
negociação coletiva; de 2013)
XV - repouso semanal remunerado, Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical,
preferencialmente aos domingos; observado o seguinte:
XVI - remuneração do serviço extraordinário I - a lei não poderá exigir autorização do Estado
superior, no mínimo, em cinquenta por cento à do normal; para a fundação de sindicato, ressalvado o registro no
(Vide Del 5.452, art. 59 § 1º) órgão competente, vedadas ao Poder Público a
XVII - gozo de férias anuais remuneradas com, interferência e a intervenção na organização sindical;
pelo menos, um terço a mais do que o salário normal; II - é vedada a criação de mais de uma
XVIII - licença à gestante, sem prejuízo do organização sindical, em qualquer grau, representativa de
emprego e do salário, com a duração de cento e vinte dias; categoria profissional ou econômica, na mesma base
XIX - licença-paternidade, nos termos fixados em territorial, que será definida pelos trabalhadores ou
lei; empregadores interessados, não podendo ser inferior à
XX - proteção do mercado de trabalho da mulher, área de um Município;
mediante incentivos específicos, nos termos da lei; III - ao sindicato cabe a defesa dos direitos e
XXI - aviso prévio proporcional ao tempo de interesses coletivos ou individuais da categoria, inclusive
serviço, sendo no mínimo de trinta dias, nos termos da lei; em questões judiciais ou administrativas;
XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, IV - a assembleia geral fixará a contribuição que,
por meio de normas de saúde, higiene e segurança; em se tratando de categoria profissional, será descontada
XXIII - adicional de remuneração para as em folha, para custeio do sistema confederativo da
atividades penosas, insalubres ou perigosas, na forma da representação sindical respectiva, independentemente da
lei; contribuição prevista em lei;
XXIV - aposentadoria; V - ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-
XXV - assistência gratuita aos filhos e se filiado a sindicato;
dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos de VI - é obrigatória a participação dos sindicatos nas
idade em creches e pré-escolas; (Redação dada pela negociações coletivas de trabalho;
Emenda Constitucional nº 53, de 2006) VII - o aposentado filiado tem direito a votar e ser
votado nas organizações sindicais;
7
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

VIII - é vedada a dispensa do empregado § 4º - Será declarada a perda da nacionalidade do


sindicalizado a partir do registro da candidatura a cargo de brasileiro que:
direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que I - tiver cancelada sua naturalização, por sentença
suplente, até um ano após o final do mandato, salvo se judicial, em virtude de atividade nociva ao interesse
cometer falta grave nos termos da lei. nacional;
Parágrafo único. As disposições deste artigo II - adquirir outra nacionalidade, salvo nos casos:
aplicam-se à organização de sindicatos rurais e de colônias (Redação dada pela Emenda Constitucional de Revisão nº
de pescadores, atendidas as condições que a lei 3, de 1994)
estabelecer. a) de reconhecimento de nacionalidade originária
Art. 9º É assegurado o direito de greve, pela lei estrangeira; (Incluído pela Emenda Constitucional
competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de Revisão nº 3, de 1994)
de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio b) de imposição de naturalização, pela norma
dele defender. estrangeira, ao brasileiro residente em estado estrangeiro,
§ 1º A lei definirá os serviços ou atividades como condição para permanência em seu território ou para
essenciais e disporá sobre o atendimento das necessidades o exercício de direitos civis; (Incluído pela Emenda
inadiáveis da comunidade. Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)
§ 2º Os abusos cometidos sujeitam os Art. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da
responsáveis às penas da lei. República Federativa do Brasil.
Art. 10. É assegurada a participação dos § 1º São símbolos da República Federativa do
trabalhadores e empregadores nos colegiados dos órgãos Brasil a bandeira, o hino, as armas e o selo nacionais.
públicos em que seus interesses profissionais ou § 2º Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios
previdenciários sejam objeto de discussão e deliberação. poderão ter símbolos próprios.
Art. 11. Nas empresas de mais de duzentos CAPÍTULO IV
empregados, é assegurada a eleição de um representante DOS DIREITOS POLÍTICOS
destes com a finalidade exclusiva de promover-lhes o Art. 14. A soberania popular será exercida pelo
entendimento direto com os empregadores. sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor
CAPÍTULO III igual para todos, e, nos termos da lei, mediante:
DA NACIONALIDADE I - plebiscito;
Art. 12. São brasileiros: II - referendo;
I - natos: III - iniciativa popular.
a) os nascidos na República Federativa do Brasil, § 1º O alistamento eleitoral e o voto são:
ainda que de pais estrangeiros, desde que estes não I - obrigatórios para os maiores de dezoito anos;
estejam a serviço de seu país; II - facultativos para:
b) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou a) os analfabetos;
mãe brasileira, desde que qualquer deles esteja a serviço b) os maiores de setenta anos;
da República Federativa do Brasil; c) os maiores de dezesseis e menores de dezoito
c) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou anos.
de mãe brasileira, desde que sejam registrados em § 2º Não podem alistar-se como eleitores os
repartição brasileira competente ou venham a residir na estrangeiros e, durante o período do serviço militar
República Federativa do Brasil e optem, em qualquer obrigatório, os conscritos.
tempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade § 3º São condições de elegibilidade, na forma da
brasileira; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº lei:
54, de 2007) I - a nacionalidade brasileira;
II - naturalizados: II - o pleno exercício dos direitos políticos;
a) os que, na forma da lei, adquiram a III - o alistamento eleitoral;
nacionalidade brasileira, exigidas aos originários de países IV - o domicílio eleitoral na circunscrição;
de língua portuguesa apenas residência por um ano V - a filiação partidária; Regulamento
ininterrupto e idoneidade moral; VI - a idade mínima de:
b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade, a) trinta e cinco anos para Presidente e Vice-
residentes na República Federativa do Brasil há mais de Presidente da República e Senador;
quinze anos ininterruptos e sem condenação penal, desde b) trinta anos para Governador e Vice-Governador
que requeiram a nacionalidade brasileira. (Redação dada de Estado e do Distrito Federal;
pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994) c) vinte e um anos para Deputado Federal,
§ 1º Aos portugueses com residência permanente Deputado Estadual ou Distrital, Prefeito, Vice-Prefeito e juiz
no País, se houver reciprocidade em favor de brasileiros, de paz;
serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro, salvo os d) dezoito anos para Vereador.
casos previstos nesta Constituição. (Redação dada pela § 4º São inelegíveis os inalistáveis e os
Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994) analfabetos.
§ 2º A lei não poderá estabelecer distinção entre § 5º O Presidente da República, os Governadores
brasileiros natos e naturalizados, salvo nos casos previstos de Estado e do Distrito Federal, os Prefeitos e quem os
nesta Constituição. houver sucedido, ou substituído no curso dos mandatos
§ 3º São privativos de brasileiro nato os cargos: poderão ser reeleitos para um único período subsequente.
I - de Presidente e Vice-Presidente da República; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16, de 1997)
II - de Presidente da Câmara dos Deputados; § 6º Para concorrerem a outros cargos, o
III - de Presidente do Senado Federal; Presidente da República, os Governadores de Estado e do
IV - de Ministro do Supremo Tribunal Federal; Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos
V - da carreira diplomática; respectivos mandatos até seis meses antes do pleito.
VI - de oficial das Forças Armadas. § 7º São inelegíveis, no território de jurisdição do
VII - de Ministro de Estado da Defesa (Incluído titular, o cônjuge e os parentes consanguíneos ou afins, até
pela Emenda Constitucional nº 23, de 1999) o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República,
8
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, § 3º Os partidos políticos têm direito a recursos do
de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos seis fundo partidário e acesso gratuito ao rádio e à televisão, na
meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato forma da lei.
eletivo e candidato à reeleição. § 4º É vedada a utilização pelos partidos políticos
§ 8º O militar alistável é elegível, atendidas as de organização paramilitar.
seguintes condições: TÍTULO III
I - se contar menos de dez anos de serviço, deverá Da Organização do Estado
afastar-se da atividade; CAPÍTULO I
II - se contar mais de dez anos de serviço, será DA ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA
agregado pela autoridade superior e, se eleito, passará Art. 18. A organização político-administrativa da
automaticamente, no ato da diplomação, para a inatividade. República Federativa do Brasil compreende a União, os
§ 9º Lei complementar estabelecerá outros casos Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos
de inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de autônomos, nos termos desta Constituição.
proteger a probidade administrativa, a moralidade para § 1º Brasília é a Capital Federal.
exercício de mandato considerada vida pregressa do § 2º Os Territórios Federais integram a União, e
candidato, e a normalidade e legitimidade das eleições sua criação, transformação em Estado ou reintegração ao
contra a influência do poder econômico ou o abuso do Estado de origem serão reguladas em lei complementar.
exercício de função, cargo ou emprego na administração § 3º Os Estados podem incorporar-se entre si,
direta ou indireta. (Redação dada pela Emenda subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem a
Constitucional de Revisão nº 4, de 1994) outros, ou formarem novos Estados ou Territórios Federais,
§ 10. O mandato eletivo poderá ser impugnado mediante aprovação da população diretamente interessada,
ante a Justiça Eleitoral no prazo de quinze dias contados da através de plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei
diplomação, instruída a ação com provas de abuso do complementar.
poder econômico, corrupção ou fraude. § 4º A criação, a incorporação, a fusão e o
§ 11. A ação de impugnação de mandato tramitará desmembramento de Municípios, far-se-ão por lei estadual,
em segredo de justiça, respondendo o autor, na forma da dentro do período determinado por Lei Complementar
lei, se temerária ou de manifesta má-fé. Federal, e dependerão de consulta prévia, mediante
Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, plebiscito, às populações dos Municípios envolvidos, após
cuja perda ou suspensão só se dará nos casos de: divulgação dos Estudos de Viabilidade Municipal,
I - cancelamento da naturalização por sentença apresentados e publicados na forma da lei. (Redação dada
transitada em julgado; pela Emenda Constitucional nº 15, de 1996)
II - incapacidade civil absoluta; Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito
III - condenação criminal transitada em julgado, Federal e aos Municípios:
enquanto durarem seus efeitos; I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas,
IV - recusa de cumprir obrigação a todos imposta subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou
ou prestação alternativa, nos termos do art. 5º, VIII; manter com eles ou seus representantes relações de
V - improbidade administrativa, nos termos do art. dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a
37, § 4º. colaboração de interesse público;
Art. 16. A lei que alterar o processo eleitoral II - recusar fé aos documentos públicos;
entrará em vigor na data de sua publicação, não se III - criar distinções entre brasileiros ou
aplicando à eleição que ocorra até um ano da data de sua preferências entre si.
vigência. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 4, CAPÍTULO II
de 1993) DA UNIÃO
CAPÍTULO V Art. 20. São bens da União:
DOS PARTIDOS POLÍTICOS I - os que atualmente lhe pertencem e os que lhe
Art. 17. É livre a criação, fusão, incorporação e vierem a ser atribuídos;
extinção de partidos políticos, resguardados a soberania II - as terras devolutas indispensáveis à defesa das
nacional, o regime democrático, o pluripartidarismo, os fronteiras, das fortificações e construções militares, das vias
direitos fundamentais da pessoa humana e observados os federais de comunicação e à preservação ambiental,
seguintes preceitos: Regulamento definidas em lei;
I - caráter nacional; III - os lagos, rios e quaisquer correntes de água
II - proibição de recebimento de recursos em terrenos de seu domínio, ou que banhem mais de um
financeiros de entidade ou governo estrangeiros ou de Estado, sirvam de limites com outros países, ou se
subordinação a estes; estendam a território estrangeiro ou dele provenham, bem
III - prestação de contas à Justiça Eleitoral; como os terrenos marginais e as praias fluviais;
IV - funcionamento parlamentar de acordo com a IV as ilhas fluviais e lacustres nas zonas limítrofes
lei. com outros países; as praias marítimas; as ilhas oceânicas
§ 1º É assegurada aos partidos políticos autonomia e as costeiras, excluídas, destas, as que contenham a sede
para definir sua estrutura interna, organização e de Municípios, exceto aquelas áreas afetadas ao serviço
funcionamento e para adotar os critérios de escolha e o público e a unidade ambiental federal, e as referidas no art.
regime de suas coligações eleitorais, sem obrigatoriedade 26, II; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 46, de
de vinculação entre as candidaturas em âmbito nacional, 2005)
estadual, distrital ou municipal, devendo seus estatutos V - os recursos naturais da plataforma continental
estabelecer normas de disciplina e fidelidade partidária. e da zona econômica exclusiva;
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 52, de 2006) VI - o mar territorial;
§ 2º Os partidos políticos, após adquirirem VII - os terrenos de marinha e seus acrescidos;
personalidade jurídica, na forma da lei civil, registrarão seus VIII - os potenciais de energia hidráulica;
estatutos no Tribunal Superior Eleitoral. IX - os recursos minerais, inclusive os do subsolo;
X - as cavidades naturais subterrâneas e os sítios
arqueológicos e pré-históricos;
9
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

XI - as terras tradicionalmente ocupadas pelos próprio; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19,
índios. de 1998)
§ 1º É assegurada, nos termos da lei, aos Estados, XV - organizar e manter os serviços oficiais de
ao Distrito Federal e aos Municípios, bem como a órgãos da estatística, geografia, geologia e cartografia de âmbito
administração direta da União, participação no resultado da nacional;
exploração de petróleo ou gás natural, de recursos hídricos XVI - exercer a classificação, para efeito indicativo,
para fins de geração de energia elétrica e de outros de diversões públicas e de programas de rádio e televisão;
recursos minerais no respectivo território, plataforma XVII - conceder anistia;
continental, mar territorial ou zona econômica exclusiva, ou XVIII - planejar e promover a defesa permanente
compensação financeira por essa exploração. contra as calamidades públicas, especialmente as secas e
§ 2º A faixa de até cento e cinquenta quilômetros as inundações;
de largura, ao longo das fronteiras terrestres, designada XIX - instituir sistema nacional de gerenciamento
como faixa de fronteira, é considerada fundamental para de recursos hídricos e definir critérios de outorga de direitos
defesa do território nacional, e sua ocupação e utilização de seu uso; (Regulamento)
serão reguladas em lei. XX - instituir diretrizes para o desenvolvimento
Art. 21. Compete à União: urbano, inclusive habitação, saneamento básico e
I - manter relações com Estados estrangeiros e transportes urbanos;
participar de organizações internacionais; XXI - estabelecer princípios e diretrizes para o
II - declarar a guerra e celebrar a paz; sistema nacional de viação;
III - assegurar a defesa nacional; XXII - executar os serviços de polícia marítima,
IV - permitir, nos casos previstos em lei aeroportuária e de fronteiras; (Redação dada pela Emenda
complementar, que forças estrangeiras transitem pelo Constitucional nº 19, de 1998)
território nacional ou nele permaneçam temporariamente; XXIII - explorar os serviços e instalações nucleares
V - decretar o estado de sítio, o estado de defesa e de qualquer natureza e exercer monopólio estatal sobre a
a intervenção federal; pesquisa, a lavra, o enriquecimento e reprocessamento, a
VI - autorizar e fiscalizar a produção e o comércio industrialização e o comércio de minérios nucleares e seus
de material bélico; derivados, atendidos os seguintes princípios e condições:
VII - emitir moeda; a) toda atividade nuclear em território nacional
VIII - administrar as reservas cambiais do País e somente será admitida para fins pacíficos e mediante
fiscalizar as operações de natureza financeira, aprovação do Congresso Nacional;
especialmente as de crédito, câmbio e capitalização, bem b) sob-regime de permissão, são autorizadas a
como as de seguros e de previdência privada; comercialização e a utilização de radioisótopos para a
IX - elaborar e executar planos nacionais e pesquisa e usos médicos, agrícolas e industriais; (Redação
regionais de ordenação do território e de desenvolvimento dada pela Emenda Constitucional nº 49, de 2006)
econômico e social; c) sob-regime de permissão, são autorizadas a
X - manter o serviço postal e o correio aéreo produção, comercialização e utilização de radioisótopos de
nacional; meia-vida igual ou inferior a duas horas; (Redação dada
XI - explorar, diretamente ou mediante autorização, pela Emenda Constitucional nº 49, de 2006)
concessão ou permissão, os serviços de telecomunicações, d) a responsabilidade civil por danos nucleares
nos termos da lei, que disporá sobre a organização dos independe da existência de culpa; (Redação dada pela
serviços, a criação de um órgão regulador e outros Emenda Constitucional nº 49, de 2006)
aspectos institucionais; (Redação dada pela Emenda XXIV - organizar, manter e executar a inspeção do
Constitucional nº 8, de 15/08/95:) trabalho;
XII - explorar, diretamente ou mediante XXV - estabelecer as áreas e as condições para o
autorização, concessão ou permissão: exercício da atividade de garimpagem, em forma
a) os serviços de radiodifusão sonora, e de sons e associativa.
imagens; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 8, Art. 22. Compete privativamente à União legislar
de 15/08/95:) sobre:
b) os serviços e instalações de energia elétrica e o I - direito civil, comercial, penal, processual,
aproveitamento energético dos cursos de água, em eleitoral, agrário, marítimo, aeronáutico, espacial e do
articulação com os Estados onde se situam os potenciais trabalho;
hidro energéticos; II - desapropriação;
c) a navegação aérea, aeroespacial e a III - requisições civis e militares, em caso de
infraestrutura aeroportuária; iminente perigo e em tempo de guerra;
d) os serviços de transporte ferroviário e aquaviário IV - águas, energia, informática, telecomunicações
entre portos brasileiros e fronteiras nacionais, ou que e radiodifusão;
transponham os limites de Estado ou Território; V - serviço postal;
e) os serviços de transporte rodoviário VI - sistema monetário e de medidas, títulos e
interestadual e internacional de passageiros; garantias dos metais;
f) os portos marítimos, fluviais e lacustres; VII - política de crédito, câmbio, seguros e
XIII - organizar e manter o Poder Judiciário, o transferência de valores;
Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios e a VIII - comércio exterior e interestadual;
Defensoria Pública dos Territórios; (Redação dada pela IX - diretrizes da política nacional de transportes;
Emenda Constitucional nº 69, de 2012) (Produção de X - regime dos portos, navegação lacustre, fluvial,
efeito) marítima, aérea e aeroespacial;
XIV - organizar e manter a polícia civil, a polícia XI - trânsito e transporte;
militar e o corpo de bombeiros militar do Distrito Federal, XII - jazidas, minas, outros recursos minerais e
bem como prestar assistência financeira ao Distrito Federal metalurgia;
para a execução de serviços públicos, por meio de fundo XIII - nacionalidade, cidadania e naturalização;
XIV - populações indígenas;
10
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

XV - emigração e imigração, entrada, extradição e Distrito Federal e os Municípios, tendo em vista o equilíbrio
expulsão de estrangeiros; do desenvolvimento e do bem-estar em âmbito nacional.
XVI - organização do sistema nacional de emprego (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006)
e condições para o exercício de profissões; Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao
XVII - organização judiciária, do Ministério Público Distrito Federal legislar concorrentemente sobre:
do Distrito Federal e dos Territórios e da Defensoria Pública I - direito tributário, financeiro, penitenciário,
dos Territórios, bem como organização administrativa econômico e urbanístico;
destes; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 69, II - orçamento;
de 2012) (Produção de efeito) III - juntas comerciais;
XVIII - sistema estatístico, sistema cartográfico e IV - custas dos serviços forenses;
de geologia nacionais; V - produção e consumo;
XIX - sistemas de poupança, captação e garantia VI - florestas, caça, pesca, fauna, conservação da
da poupança popular; natureza, defesa do solo e dos recursos naturais, proteção
XX - sistemas de consórcios e sorteios; do meio ambiente e controle da poluição;
XXI - normas gerais de organização, efetivos, VII - proteção ao patrimônio histórico, cultural,
material bélico, garantias, convocação e mobilização das artístico, turístico e paisagístico;
polícias militares e corpos de bombeiros militares; VIII - responsabilidade por dano ao meio ambiente,
XXII - competência da polícia federal e das polícias ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético,
rodoviária e ferroviária federais; histórico, turístico e paisagístico;
XXIII - seguridade social; IX - educação, cultura, ensino, desporto, ciência,
XXIV - diretrizes e bases da educação nacional; tecnologia, pesquisa, desenvolvimento e
XXV - registros públicos; inovação; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº
XXVI - atividades nucleares de qualquer natureza; 85, de 2015)
XXVII – normas gerais de licitação e contratação, X - criação, funcionamento e processo do juizado
em todas as modalidades, para as administrações públicas de pequenas causas;
diretas, autárquicas e fundacionais da União, Estados, XI - procedimentos em matéria processual;
Distrito Federal e Municípios, obedecido o disposto no art. XII - previdência social, proteção e defesa da
37, XXI, e para as empresas públicas e sociedades de saúde;
economia mista, nos termos do art. 173, § 1°, III; (Redação XIII - assistência jurídica e Defensoria pública;
dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) XIV - proteção e integração social das pessoas
XXVIII - defesa territorial, defesa aeroespacial, portadoras de deficiência;
defesa marítima, defesa civil e mobilização nacional; XV - proteção à infância e à juventude;
XXIX - propaganda comercial. XVI - organização, garantias, direitos e deveres
Parágrafo único. Lei complementar poderá das polícias civis.
autorizar os Estados a legislar sobre questões específicas § 1º No âmbito da legislação concorrente, a
das matérias relacionadas neste artigo. competência da União limitar-se-á a estabelecer normas
Art. 23. É competência comum da União, dos gerais.
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios: § 2º A competência da União para legislar sobre
I - zelar pela guarda da Constituição, das leis e das normas gerais não exclui a competência suplementar dos
instituições democráticas e conservar o patrimônio público; Estados.
II - cuidar da saúde e assistência pública, da § 3º Inexistindo lei federal sobre normas gerais, os
proteção e garantia das pessoas portadoras de deficiência; Estados exercerão a competência legislativa plena, para
III - proteger os documentos, as obras e outros atender a suas peculiaridades.
bens de valor histórico, artístico e cultural, os monumentos, § 4º A superveniência de lei federal sobre normas
as paisagens naturais notáveis e os sítios arqueológicos; gerais suspende a eficácia da lei estadual, no que lhe for
IV - impedir a evasão, a destruição e a contrário.
descaracterização de obras de arte e de outros bens de CAPÍTULO III
valor histórico, artístico ou cultural; DOS ESTADOS FEDERADOS
V - proporcionar os meios de acesso à cultura, à Art. 25. Os Estados organizam-se e regem-se
educação, à ciência, à tecnologia, à pesquisa e à pelas Constituições e leis que adotarem, observados os
inovação; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº princípios desta Constituição.
85, de 2015) § 1º São reservadas aos Estados as competências
VI - proteger o meio ambiente e combater a que não lhes sejam vedadas por esta Constituição.
poluição em qualquer de suas formas; § 2º Cabe aos Estados explorar diretamente, ou
VII - preservar as florestas, a fauna e a flora; mediante concessão, os serviços locais de gás canalizado,
VIII - fomentar a produção agropecuária e na forma da lei, vedada a edição de medida provisória para
organizar o abastecimento alimentar; a sua regulamentação. (Redação dada pela Emenda
IX - promover programas de construção de Constitucional nº 5, de 1995)
moradias e a melhoria das condições habitacionais e de § 3º Os Estados poderão, mediante lei
saneamento básico; complementar, instituir regiões metropolitanas,
X - combater as causas da pobreza e os fatores de aglomerações urbanas e microrregiões, constituídas por
marginalização, promovendo a integração social dos agrupamentos de municípios limítrofes, para integrar a
setores desfavorecidos; organização, o planejamento e a execução de funções
XI - registrar, acompanhar e fiscalizar as públicas de interesse comum.
concessões de direitos de pesquisa e exploração de Art. 26. Incluem-se entre os bens dos Estados:
recursos hídricos e minerais em seus territórios; I - as águas superficiais ou subterrâneas, fluentes,
XII - estabelecer e implantar política de educação emergentes e em depósito, ressalvadas, neste caso, na
para a segurança do trânsito. forma da lei, as decorrentes de obras da União;
Parágrafo único. Leis complementares fixarão
normas para a cooperação entre a União e os Estados, o
11
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

II - as áreas, nas ilhas oceânicas e costeiras, que IV - para a composição das Câmaras Municipais,
estiverem no seu domínio, excluídas aquelas sob domínio será observado o limite máximo de: (Redação dada pela
da União, Municípios ou terceiros; Emenda Constitucional nº 58, de 2009) (Produção de
III - as ilhas fluviais e lacustres não pertencentes à efeito) (Vide ADIN 4307)
União; a) 9 (nove) Vereadores, nos Municípios de até
IV - as terras devolutas não compreendidas entre 15.000 (quinze mil) habitantes; (Redação dada pela
as da União. Emenda Constitucional nº 58, de 2009)
Art. 27. O número de Deputados à Assembleia b) 11 (onze) Vereadores, nos Municípios de mais
Legislativa corresponderá ao triplo da representação do de 15.000 (quinze mil) habitantes e de até 30.000 (trinta mil)
Estado na Câmara dos Deputados e, atingido o número de habitantes; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº
trinta e seis, será acrescido de tantos quantos forem os 58, de 2009)
Deputados Federais acima de doze. c) 13 (treze) Vereadores, nos Municípios com mais
§ 1º Será de quatro anos o mandato dos de 30.000 (trinta mil) habitantes e de até 50.000 (cinquenta
Deputados Estaduais, aplicando- sê-lhes as regras desta mil) habitantes; (Redação dada pela Emenda Constitucional
Constituição sobre sistema eleitoral, inviolabilidade, nº 58, de 2009)
imunidades, remuneração, perda de mandato, licença, d) 15 (quinze) Vereadores, nos Municípios de mais
impedimentos e incorporação às Forças Armadas. de 50.000 (cinquenta mil) habitantes e de até 80.000
§ 2º O subsídio dos Deputados Estaduais será (oitenta mil) habitantes; (Incluída pela Emenda
fixado por lei de iniciativa da Assembleia Legislativa, na Constitucional nº 58, de 2009)
razão de, no máximo, setenta e cinco por cento daquele e) 17 (dezessete) Vereadores, nos Municípios de
estabelecido, em espécie, para os Deputados Federais, mais de 80.000 (oitenta mil) habitantes e de até 120.000
observado o que dispõem os arts. 39, § 4º, 57, § 7º, 150, II, (cento e vinte mil) habitantes; (Incluída pela Emenda
153, III, e 153, § 2º, I. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 58, de 2009)
Constitucional nº 19, de 1998) f) 19 (dezenove) Vereadores, nos Municípios de
§ 3º Compete às Assembleias Legislativas dispor mais de 120.000 (cento e vinte mil) habitantes e de até
sobre seu regimento interno, polícia e serviços 160.000 (cento sessenta mil) habitantes; (Incluída pela
administrativos de sua secretaria, e prover os respectivos Emenda Constitucional nº 58, de 2009)
cargos. g) 21 (vinte e um) Vereadores, nos Municípios de
§ 4º A lei disporá sobre a iniciativa popular no mais de 160.000 (cento e sessenta mil) habitantes e de até
processo legislativo estadual. 300.000 (trezentos mil) habitantes; (Incluída pela Emenda
Art. 28. A eleição do Governador e do Vice- Constitucional nº 58, de 2009)
Governador de Estado, para mandato de quatro anos, h) 23 (vinte e três) Vereadores, nos Municípios de
realizar-se-á no primeiro domingo de outubro, em primeiro mais de 300.000 (trezentos mil) habitantes e de até 450.000
turno, e no último domingo de outubro, em segundo turno, (quatrocentos e cinquenta mil) habitantes; (Incluída pela
se houver, do ano anterior ao do término do mandato de Emenda Constitucional nº 58, de 2009)
seus antecessores, e a posse ocorrerá em primeiro de i) 25 (vinte e cinco) Vereadores, nos Municípios de
janeiro do ano subsequente, observado, quanto ao mais, o mais de 450.000 (quatrocentos e cinquenta mil) habitantes
disposto no art. 77. (Redação dada pela Emenda e de até 600.000 (seiscentos mil) habitantes; (Incluída pela
Constitucional nº 16, de1997) Emenda Constitucional nº 58, de 2009)
§ 1º Perderá o mandato o Governador que assumir j) 27 (vinte e sete) Vereadores, nos Municípios de
outro cargo ou função na administração pública direta ou mais de 600.000 (seiscentos mil) habitantes e de até
indireta, ressalvada a posse em virtude de concurso público 750.000 (setecentos cinquenta mil) habitantes; (Incluída
e observado o disposto no art. 38, I, IV e V. (Renumerado pela Emenda Constitucional nº 58, de 2009)
do parágrafo único, pela Emenda Constitucional nº 19, de k) 29 (vinte e nove) Vereadores, nos Municípios de
1998) mais de 750.000 (setecentos e cinquenta mil) habitantes e
§ 2º Os subsídios do Governador, do Vice- de até 900.000 (novecentos mil) habitantes; (Incluída pela
Governador e dos Secretários de Estado serão fixados por Emenda Constitucional nº 58, de 2009)
lei de iniciativa da Assembleia Legislativa, observado o que l) 31 (trinta e um) Vereadores, nos Municípios de
dispõem os arts. 37, XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § mais de 900.000 (novecentos mil) habitantes e de até
2º, I. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) 1.050.000 (um milhão e cinquenta mil) habitantes; (Incluída
CAPÍTULO IV pela Emenda Constitucional nº 58, de 2009)
Dos Municípios m) 33 (trinta e três) Vereadores, nos Municípios de
Art. 29. O Município reger-se-á por lei orgânica, mais de 1.050.000 (um milhão e cinquenta mil) habitantes e
votada em dois turnos, com o interstício mínimo de dez de até 1.200.000 (um milhão e duzentos mil) habitantes;
dias, e aprovada por dois terços dos membros da Câmara (Incluída pela Emenda Constitucional nº 58, de 2009)
Municipal, que a promulgará, atendidos os princípios n) 35 (trinta e cinco) Vereadores, nos Municípios
estabelecidos nesta Constituição, na Constituição do de mais de 1.200.000 (um milhão e duzentos mil)
respectivo Estado e os seguintes preceitos: habitantes e de até 1.350.000 (um milhão e trezentos e
I - eleição do Prefeito, do Vice-Prefeito e dos cinquenta mil) habitantes; (Incluída pela Emenda
Vereadores, para mandato de quatro anos, mediante pleito Constitucional nº 58, de 2009)
direto e simultâneo realizado em todo o País; o) 37 (trinta e sete) Vereadores, nos Municípios de
II - eleição do Prefeito e do Vice-Prefeito realizada 1.350.000 (um milhão e trezentos e cinquenta mil)
no primeiro domingo de outubro do ano anterior ao término habitantes e de até 1.500.000 (um milhão e quinhentos mil)
do mandato dos que devam suceder, aplicadas às regras habitantes; (Incluída pela Emenda Constitucional nº 58, de
do art. 77, no caso de Municípios com mais de duzentos mil 2009)
eleitores; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº p) 39 (trinta e nove) Vereadores, nos Municípios de
16, de1997) mais de 1.500.000 (um milhão e quinhentos mil) habitantes
III - posse do Prefeito e do Vice-Prefeito no dia 1º e de até 1.800.000 (um milhão e oitocentos mil) habitantes;
de janeiro do ano subsequente ao da eleição; (Incluída pela Emenda Constitucional nº 58, de 2009)

12
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

q) 41 (quarenta e um) Vereadores, nos Municípios f) em Municípios de mais de quinhentos mil


de mais de 1.800.000 (um milhão e oitocentos mil) habitantes, o subsídio máximo dos Vereadores
habitantes e de até 2.400.000 (dois milhões e quatrocentos corresponderá a setenta e cinco por cento do subsídio dos
mil) habitantes; (Incluída pela Emenda Constitucional nº 58, Deputados Estaduais; (Incluído pela Emenda Constitucional
de 2009) nº 25, de 2000)
r) 43 (quarenta e três) Vereadores, nos Municípios VII - o total da despesa com a remuneração dos
de mais de 2.400.000 (dois milhões e quatrocentos mil) Vereadores não poderá ultrapassar o montante de cinco por
habitantes e de até 3.000.000 (três milhões) de habitantes; cento da receita do Município; (Incluído pela Emenda
(Incluída pela Emenda Constitucional nº 58, de 2009) Constitucional nº 1, de 1992)
s) 45 (quarenta e cinco) Vereadores, nos VIII - inviolabilidade dos Vereadores por suas
Municípios de mais de 3.000.000 (três milhões) de opiniões, palavras e votos no exercício do mandato e na
habitantes e de até 4.000.000 (quatro milhões) de circunscrição do Município; (Renumerado do inciso VI, pela
habitantes; (Incluída pela Emenda Constitucional nº 58, de Emenda Constitucional nº 1, de 1992)
2009) IX - proibições e incompatibilidades, no exercício
t) 47 (quarenta e sete) Vereadores, nos Municípios da vereança, similares, no que couber, ao disposto nesta
de mais de 4.000.000 (quatro milhões) de habitantes e de Constituição para os membros do Congresso Nacional e na
até 5.000.000 (cinco milhões) de habitantes; (Incluída pela Constituição do respectivo Estado para os membros da
Emenda Constitucional nº 58, de 2009) Assembleia Legislativa; (Renumerado do inciso VII, pela
u) 49 (quarenta e nove) Vereadores, nos Emenda Constitucional nº 1, de 1992)
Municípios de mais de 5.000.000 (cinco milhões) de X - julgamento do Prefeito perante o Tribunal de
habitantes e de até 6.000.000 (seis milhões) de habitantes; Justiça; (Renumerado do inciso VIII, pela Emenda
(Incluída pela Emenda Constitucional nº 58, de 2009) Constitucional nº 1, de 1992)
v) 51 (cinquenta e um) Vereadores, nos Municípios XI - organização das funções legislativas e
de mais de 6.000.000 (seis milhões) de habitantes e de até fiscalizadoras da Câmara Municipal; (Renumerado do inciso
7.000.000 (sete milhões) de habitantes; (Incluída pela IX, pela Emenda Constitucional nº 1, de 1992)
Emenda Constitucional nº 58, de 2009) XII - cooperação das associações representativas
w) 53 (cinquenta e três) Vereadores, nos no planejamento municipal; (Renumerado do inciso X, pela
Municípios de mais de 7.000.000 (sete milhões) de Emenda Constitucional nº 1, de 1992)
habitantes e de até 8.000.000 (oito milhões) de habitantes; XIII - iniciativa popular de projetos de lei de
e (Incluída pela Emenda Constitucional nº 58, de 2009) interesse específico do Município, da cidade ou de bairros,
x) 55 (cinquenta e cinco) Vereadores, nos através de manifestação de, pelo menos, cinco por cento do
Municípios de mais de 8.000.000 (oito milhões) de eleitorado; (Renumerado do inciso XI, pela Emenda
habitantes; (Incluída pela Emenda Constitucional nº 58, de Constitucional nº 1, de 1992)
2009) XIV - perda do mandato do Prefeito, nos termos do
V - subsídios do Prefeito, do Vice-Prefeito e dos art. 28, parágrafo único. (Renumerado do inciso XII, pela
Secretários Municipais fixados por lei de iniciativa da Emenda Constitucional nº 1, de 1992)
Câmara Municipal, observado o que dispõem os arts. 37, Art. 29-A. O total da despesa do Poder Legislativo
XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I; (Redação dada Municipal, incluídos os subsídios dos Vereadores e
pela Emenda constitucional nº 19, de 1998) excluídos os gastos com inativos, não poderá ultrapassar
VI - o subsídio dos Vereadores será fixado pelas os seguintes percentuais, relativos ao somatório da receita
respectivas Câmaras Municipais em cada legislatura para a tributária e das transferências previstas no § 5 o do art. 153
subsequente, observado o que dispõe esta Constituição, e nos arts. 158 e 159, efetivamente realizado no exercício
observados os critérios estabelecidos na respectiva Lei anterior: (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25, de
Orgânica e os seguintes limites máximos: (Redação dada 2000)
pela Emenda Constitucional nº 25, de 2000) I - 7% (sete por cento) para Municípios com
a) em Municípios de até dez mil habitantes, o população de até 100.000 (cem mil) habitantes; (Redação
subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a vinte por dada pela Emenda Constituição Constitucional nº 58, de
cento do subsídio dos Deputados Estaduais; (Incluído pela 2009) (Produção de efeito)
Emenda Constitucional nº 25, de 2000) II - 6% (seis por cento) para Municípios com
b) em Municípios de dez mil e um a cinquenta mil população entre 100.000 (cem mil) e 300.000 (trezentos
habitantes, o subsídio máximo dos Vereadores mil) habitantes; (Redação dada pela Emenda Constituição
corresponderá a trinta por cento do subsídio dos Deputados Constitucional nº 58, de 2009)
Estaduais; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25, de III - 5% (cinco por cento) para Municípios com
2000) população entre 300.001 (trezentos mil e um) e 500.000
c) em Municípios de cinquenta mil e um a cem mil (quinhentos mil) habitantes; (Redação dada pela Emenda
habitantes, o subsídio máximo dos Vereadores Constituição Constitucional nº 58, de 2009)
corresponderá a quarenta por cento do subsídio dos IV - 4,5% (quatro inteiros e cinco décimos por
Deputados Estaduais; (Incluído pela Emenda Constitucional cento) para Municípios com população entre 500.001
nº 25, de 2000) (quinhentos mil e um) e 3.000.000 (três milhões) de
d) em Municípios de cem mil e um a trezentos mil habitantes; (Redação dada pela Emenda Constituição
habitantes, o subsídio máximo dos Vereadores Constitucional nº 58, de 2009)
corresponderá a cinquenta por cento do subsídio dos V - 4% (quatro por cento) para Municípios com
Deputados Estaduais; (Incluído pela Emenda Constitucional população entre 3.000.001 (três milhões e um) e 8.000.000
nº 25, de 2000) (oito milhões) de habitantes; (Incluído pela Emenda
e) em Municípios de trezentos mil e um a Constituição Constitucional nº 58, de 2009)
quinhentos mil habitantes, o subsídio máximo dos VI - 3,5% (três inteiros e cinco décimos por cento)
Vereadores corresponderá a sessenta por cento do para Municípios com população acima de 8.000.001 (oito
subsídio dos Deputados Estaduais; (Incluído pela Emenda milhões e um) habitantes. (Incluído pela Emenda
Constitucional nº 25, de 2000) Constituição Constitucional nº 58, de 2009)

13
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

§ 1o A Câmara Municipal não gastará mais de Art. 32. O Distrito Federal, vedada sua divisão em
setenta por cento de sua receita com folha de pagamento, Municípios, reger-se-á por lei orgânica, votada em dois
incluído o gasto com o subsídio de seus Vereadores. turnos com interstício mínimo de dez dias, e aprovada por
(Incluído pela Emenda Constitucional nº 25, de 2000) dois terços da Câmara Legislativa, que a promulgará,
§ 2o Constitui crime de responsabilidade do atendidos os princípios estabelecidos nesta Constituição.
Prefeito Municipal: (Incluído pela Emenda Constitucional nº § 1º Ao Distrito Federal são atribuídas as
25, de 2000) competências legislativas reservadas aos Estados e
I - efetuar repasse que supere os limites definidos Municípios.
neste artigo; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25, de § 2º A eleição do Governador e do Vice-
2000) Governador, observadas as regras do art. 77, e dos
II - não enviar o repasse até o dia vinte de cada Deputados Distritais coincidirá com a dos Governadores e
mês; ou (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25, de Deputados Estaduais, para mandato de igual duração.
2000) § 3º Aos Deputados Distritais e à Câmara
III - enviá-lo a menor em relação à proporção Legislativa aplica-se o disposto no art. 27.
fixada na Lei Orçamentária. (Incluído pela Emenda § 4º Lei federal disporá sobre a utilização, pelo
Constitucional nº 25, de 2000) Governo do Distrito Federal, das polícias civil e militar e do
§ 3o Constitui crime de responsabilidade do corpo de bombeiros militar.
Presidente da Câmara Municipal o desrespeito ao § 1o Seção II
deste artigo. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25, de DOS TERRITÓRIOS
2000) Art. 33. A lei disporá sobre a organização
Art. 30. Compete aos Municípios: administrativa e judiciária dos Territórios.
I - legislar sobre assuntos de interesse local; § 1º Os Territórios poderão ser divididos em
II - suplementar a legislação federal e a estadual Municípios, aos quais se aplicará, no que couber, o
no que couber; disposto no Capítulo IV deste Título.
III - instituir e arrecadar os tributos de sua § 2º As contas do Governo do Território serão
competência, bem como aplicar suas rendas, sem prejuízo submetidas ao Congresso Nacional, com parecer prévio do
da obrigatoriedade de prestar contas e publicar balancetes Tribunal de Contas da União.
nos prazos fixados em lei; § 3º Nos Territórios Federais com mais de cem mil
IV - criar, organizar e suprimir distritos, observada habitantes, além do Governador nomeado na forma desta
a legislação estadual; Constituição, haverá órgãos judiciários de primeira e
V - organizar e prestar, diretamente ou sob regime segunda instância, membros do Ministério Público e
de concessão ou permissão, os serviços públicos de defensores públicos federais; a lei disporá sobre as eleições
interesse local, incluído o de transporte coletivo, que tem para a Câmara Territorial e sua competência deliberativa.
caráter essencial; CAPÍTULO VI
VI - manter, com a cooperação técnica e financeira DA INTERVENÇÃO
da União e do Estado, programas de educação infantil e de Art. 34. A União não intervirá nos Estados nem no
ensino fundamental; (Redação dada pela Emenda Distrito Federal, exceto para:
Constitucional nº 53, de 2006) I - manter a integridade nacional;
VII - prestar, com a cooperação técnica e II - repelir invasão estrangeira ou de uma unidade
financeira da União e do Estado, serviços de atendimento à da Federação em outra;
saúde da população; III - pôr termo a grave comprometimento da ordem
VIII - promover, no que couber, adequado pública;
ordenamento territorial, mediante planejamento e controle IV - garantir o livre exercício de qualquer dos
do uso, do parcelamento e da ocupação do solo urbano; Poderes nas unidades da Federação;
IX - promover a proteção do patrimônio histórico- V - reorganizar as finanças da unidade da
cultural local, observada a legislação e a ação fiscalizadora Federação que:
federal e estadual. a) suspender o pagamento da dívida fundada por
Art. 31. A fiscalização do Município será exercida mais de dois anos consecutivos, salvo motivo de força
pelo Poder Legislativo Municipal, mediante controle externo, maior;
e pelos sistemas de controle interno do Poder Executivo b) deixar de entregar aos Municípios receitas
Municipal, na forma da lei. tributárias fixadas nesta Constituição, dentro dos prazos
§ 1º O controle externo da Câmara Municipal será estabelecidos em lei;
exercido com o auxílio dos Tribunais de Contas dos VI - prover a execução de lei federal, ordem ou
Estados ou do Município ou dos Conselhos ou Tribunais de decisão judicial;
Contas dos Municípios, onde houver. VII - assegurar a observância dos seguintes
§ 2º O parecer prévio, emitido pelo órgão princípios constitucionais:
competente sobre as contas que o Prefeito deve a) forma republicana, sistema representativo e
anualmente prestar, só deixará de prevalecer por decisão regime democrático;
de dois terços dos membros da Câmara Municipal. b) direitos da pessoa humana;
§ 3º As contas dos Municípios ficarão, durante c) autonomia municipal;
sessenta dias, anualmente, à disposição de qualquer d) prestação de contas da administração pública,
contribuinte, para exame e apreciação, o qual poderá direta e indireta.
questionar-lhes a legitimidade, nos termos da lei. e) aplicação do mínimo exigido da receita
§ 4º É vedada a criação de Tribunais, Conselhos resultante de impostos estaduais, compreendida a
ou órgãos de Contas Municipais. proveniente de transferências, na manutenção e
CAPÍTULO V desenvolvimento do ensino e nas ações e serviços públicos
DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS de saúde. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº
Seção I 29, de 2000)
DO DISTRITO FEDERAL

14
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Art. 35. O Estado não intervirá em seus III - o prazo de validade do concurso público será
Municípios, nem a União nos Municípios localizados em de até dois anos, prorrogável uma vez, por igual período;
Território Federal, exceto quando: IV - durante o prazo improrrogável previsto no
I - deixar de ser paga, sem motivo de força maior, edital de convocação, aquele aprovado em concurso
por dois anos consecutivos, a dívida fundada; público de provas ou de provas e títulos será convocado
II - não forem prestadas contas devidas, na forma com prioridade sobre novos concursados para assumir
da lei; cargo ou emprego, na carreira;
III – não tiver sido aplicado o mínimo exigido da V - as funções de confiança, exercidas
receita municipal na manutenção e desenvolvimento do exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo,
ensino e nas ações e serviços públicos de saúde; (Redação e os cargos em comissão, a serem preenchidos por
dada pela Emenda Constitucional nº 29, de 2000) servidores de carreira nos casos, condições e percentuais
IV - o Tribunal de Justiça der provimento à mínimos previstos em lei, destinam-se apenas às
representação para assegurar a observância de princípios atribuições de direção, chefia e assessoramento; (Redação
indicados na Constituição Estadual, ou para prover a dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
execução de lei, de ordem ou de decisão judicial. VI - é garantido ao servidor público civil o direito à
Art. 36. A decretação da intervenção dependerá: livre associação sindical;
I - no caso do art. 34, IV, de solicitação do Poder VII - o direito de greve será exercido nos termos e
Legislativo ou do Poder Executivo coacto ou impedido, ou nos limites definidos em lei específica; (Redação dada pela
de requisição do Supremo Tribunal Federal, se a coação for Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
exercida contra o Poder Judiciário; VIII - a lei reservará percentual dos cargos e
II - no caso de desobediência a ordem ou decisão empregos públicos para as pessoas portadoras de
judiciária, de requisição do Supremo Tribunal Federal, do deficiência e definirá os critérios de sua admissão;
Superior Tribunal de Justiça ou do Tribunal Superior IX - a lei estabelecerá os casos de contratação por
Eleitoral; tempo determinado para atender a necessidade temporária
III - de provimento, pelo Supremo Tribunal Federal, de excepcional interesse público;
de representação do Procurador-Geral da República, na X - a remuneração dos servidores públicos e o
hipótese do art. 34, VII, e no caso de recusa à execução de subsídio de que trata o § 4º do art. 39 somente poderão ser
lei federal. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº fixados ou alterados por lei específica, observada a
45, de 2004) iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral
IV - (Revogado pela Emenda Constitucional nº 45, anual, sempre na mesma data e sem distinção de
de 2004) índices; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19,
§ 1º O decreto de intervenção, que especificará a de 1998) (Regulamento)
amplitude, o prazo e as condições de execução e que, se XI - a remuneração e o subsídio dos ocupantes de
couber, nomeará o interventor, será submetido à cargos, funções e empregos públicos da administração
apreciação do Congresso Nacional ou da Assembleia direta, autárquica e fundacional, dos membros de qualquer
Legislativa do Estado, no prazo de vinte e quatro horas. dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e
§ 2º Se não estiver funcionando o Congresso dos Municípios, dos detentores de mandato eletivo e dos
Nacional ou a Assembleia Legislativa, far-se-á convocação demais agentes políticos e os proventos, pensões ou outra
extraordinária, no mesmo prazo de vinte e quatro horas. espécie remuneratória, percebidos cumulativamente ou
§ 3º Nos casos do art. 34, VI e VII, ou do art. 35, não, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra
IV, dispensada a apreciação pelo Congresso Nacional ou natureza, não poderão exceder o subsídio mensal, em
pela Assembleia Legislativa, o decreto limitar-se-á a espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal,
suspender a execução do ato impugnado, se essa medida aplicando-se como limite, nos Municípios, o subsídio do
bastar ao restabelecimento da normalidade. Prefeito, e nos Estados e no Distrito Federal, o subsídio
§ 4º Cessados os motivos da intervenção, as mensal do Governador no âmbito do Poder Executivo, o
autoridades afastadas de seus cargos a estes voltarão, subsídio dos Deputados Estaduais e Distritais no âmbito do
salvo impedimento legal. Poder Legislativo e o subsidio dos Desembargadores do
CAPÍTULO VII Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros e vinte e
DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA cinco centésimos por cento do subsídio mensal, em
Seção I espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, no
DISPOSIÇÕES GERAIS âmbito do Poder Judiciário, aplicável este limite aos
Art. 37. A administração pública direta e indireta de membros do Ministério Público, aos Procuradores e aos
qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Defensores Públicos; (Redação dada pela Emenda
Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de Constitucional nº 41, 19.12.2003)
legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e XII - os vencimentos dos cargos do Poder
eficiência e, também, ao seguinte: (Redação dada pela Legislativo e do Poder Judiciário não poderão ser
Emenda Constitucional nº 19, de 1998) superiores aos pagos pelo Poder Executivo;
I - os cargos, empregos e funções públicas são XIII - é vedada a vinculação ou equiparação de
acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos quaisquer espécies remuneratórias para o efeito de
estabelecidos em lei, assim como aos estrangeiros, na remuneração de pessoal do serviço público; (Redação
forma da lei; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
19, de 1998) XIV - os acréscimos pecuniários percebidos por
II - a investidura em cargo ou emprego público servidor público não serão computados nem acumulados
depende de aprovação prévia em concurso público de para fins de concessão de acréscimos ulteriores; (Redação
provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em XV - o subsídio e os vencimentos dos ocupantes
lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão de cargos e empregos públicos são irredutíveis, ressalvado
declarado em lei de livre nomeação e exoneração; o disposto nos incisos XI e XIV deste artigo e nos arts. 39, §
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I; (Redação dada pela
Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
15
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

XVI - é vedada a acumulação remunerada de II - o acesso dos usuários a registros


cargos públicos, exceto, quando houver compatibilidade de administrativos e a informações sobre atos de governo,
horários, observado em qualquer caso o disposto no inciso observado o disposto no art. 5º, X e XXXIII; (Incluído pela
XI: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
1998) III - a disciplina da representação contra o
a) a de dois cargos de professor; (Redação dada exercício negligente ou abusivo de cargo, emprego ou
pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) função na administração pública. (Incluído pela Emenda
b) a de um cargo de professor com outro técnico Constitucional nº 19, de 1998)
ou científico; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº § 4º - Os atos de improbidade administrativa
19, de 1998) importarão a suspensão dos direitos políticos, a perda da
c) a de dois cargos ou empregos privativos de função pública, a indisponibilidade dos bens e o
profissionais de saúde, com profissões regulamentadas; ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 34, de 2001) lei, sem prejuízo da ação penal cabível.
XVII - a proibição de acumular estende-se a § 5º A lei estabelecerá os prazos de prescrição
empregos e funções e abrange autarquias, fundações, para ilícitos praticados por qualquer agente, servidor ou
empresas públicas, sociedades de economia mista, suas não, que causem prejuízos ao erário, ressalvadas as
subsidiárias, e sociedades controladas, direta ou respectivas ações de ressarcimento.
indiretamente, pelo poder público; (Redação dada pela § 6º As pessoas jurídicas de direito público e as de
Emenda Constitucional nº 19, de 1998) direito privado prestadoras de serviços públicos
XVIII - a administração fazendária e seus responderão pelos danos que seus agentes, nessa
servidores fiscais terão, dentro de suas áreas de qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de
competência e jurisdição, precedência sobre os demais regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.
setores administrativos, na forma da lei; § 7º A lei disporá sobre os requisitos e as
XIX – somente por lei específica poderá ser criada restrições ao ocupante de cargo ou emprego da
autarquia e autorizada à instituição de empresa pública, de administração direta e indireta que possibilite o acesso a
sociedade de economia mista e de fundação, cabendo à lei informações privilegiadas. (Incluído pela Emenda
complementar, neste último caso, definir as áreas de sua Constitucional nº 19, de 1998)
atuação; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, § 8º A autonomia gerencial, orçamentária e
de 1998) financeira dos órgãos e entidades da administração direta e
XX - depende de autorização legislativa, em cada indireta poderá ser ampliada mediante contrato, a ser
caso, a criação de subsidiárias das entidades mencionadas firmado entre seus administradores e o poder público, que
no inciso anterior, assim como a participação de qualquer tenha por objeto a fixação de metas de desempenho para o
delas em empresa privada; órgão ou entidade, cabendo à lei dispor sobre: (Incluído
XXI - ressalvados os casos especificados na pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
legislação, as obras, serviços, compras e alienações serão I - o prazo de duração do contrato;
contratados mediante processo de licitação pública que II - os controles e critérios de avaliação de
assegure igualdade de condições a todos os concorrentes, desempenho, direitos, obrigações e responsabilidade dos
com cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento, dirigentes;
mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos da III - a remuneração do pessoal."
lei, o qual somente permitirá as exigências de qualificação § 9º O disposto no inciso XI aplica-se às empresas
técnica e econômica indispensáveis à garantia do públicas e às sociedades de economia mista, e suas
cumprimento das obrigações. (Regulamento) subsidiárias, que receberem recursos da União, dos
XXII - as administrações tributárias da União, dos Estados, do Distrito Federal ou dos Municípios para
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, atividades pagamento de despesas de pessoal ou de custeio em geral.
essenciais ao funcionamento do Estado, exercidas por (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
servidores de carreiras específicas, terão recursos § 10. É vedada a percepção simultânea de
prioritários para a realização de suas atividades e atuarão proventos de aposentadoria decorrentes do art. 40 ou dos
de forma integrada, inclusive com o compartilhamento de arts. 42 e 142 com a remuneração de cargo, emprego ou
cadastros e de informações fiscais, na forma da lei ou função pública, ressalvados os cargos acumuláveis na
convênio. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 42, de forma desta Constituição, os cargos eletivos e os cargos em
19.12.2003) comissão declarados em lei de livre nomeação e
§ 1º A publicidade dos atos, programas, obras, exoneração. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20,
serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter de 1998)
caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela § 11. Não serão computadas, para efeito dos
não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que limites remuneratórios de que trata o inciso XI do caput
caracterizem promoção pessoal de autoridades ou deste artigo, as parcelas de caráter indenizatório previstas
servidores públicos. em lei. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 47, de
§ 2º A não observância do disposto nos incisos II e 2005)
III implicará a nulidade do ato e a punição da autoridade § 12. Para os fins do disposto no inciso XI do
responsável, nos termos da lei. caput deste artigo, fica facultado aos Estados e ao Distrito
§ 3º A lei disciplinará as formas de participação do Federal fixar, em seu âmbito, mediante emenda às
usuário na administração pública direta e indireta, respectivas Constituições e Lei Orgânica, como limite único,
regulando especialmente: (Redação dada pela Emenda o subsídio mensal dos Desembargadores do respectivo
Constitucional nº 19, de 1998) Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros e vinte e
I - as reclamações relativas à prestação dos cinco centésimos por cento do subsídio mensal dos
serviços públicos em geral, asseguradas a manutenção de Ministros do Supremo Tribunal Federal, não se aplicando o
serviços de atendimento ao usuário e a avaliação periódica, disposto neste parágrafo aos subsídios dos Deputados
externa e interna, da qualidade dos serviços; (Incluído pela Estaduais e Distritais e dos Vereadores. (Incluído pela
Emenda Constitucional nº 19, de 1998) Emenda Constitucional nº 47, de 2005)

16
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Art. 38. Ao servidor público da administração obedecido, em qualquer caso, o disposto no art. 37, XI.
direta, autárquica e fundacional, no exercício de mandato (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
eletivo, aplicam-se as seguintes disposições: (Redação § 6º Os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário
dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) publicarão anualmente os valores do subsídio e da
I - tratando-se de mandato eletivo federal, estadual remuneração dos cargos e empregos públicos. (Incluído
ou distrital, ficará afastado de seu cargo, emprego ou pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
função; § 7º Lei da União, dos Estados, do Distrito Federal
II - investido no mandato de Prefeito, será afastado e dos Municípios disciplinará a aplicação de recursos
do cargo, emprego ou função, sendo-lhe facultado optar orçamentários provenientes da economia com despesas
pela sua remuneração; correntes em cada órgão, autarquia e fundação, para
III - investido no mandato de Vereador, havendo aplicação no desenvolvimento de programas de qualidade e
compatibilidade de horários, perceberá as vantagens de produtividade, treinamento e desenvolvimento,
seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo da modernização, reaparelhamento e racionalização do serviço
remuneração do cargo eletivo, e, não havendo público, inclusive sob a forma de adicional ou prêmio de
compatibilidade, será aplicada a norma do inciso anterior; produtividade. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19,
IV - em qualquer caso que exija o afastamento de 1998)
para o exercício de mandato eletivo, seu tempo de serviço § 8º A remuneração dos servidores públicos
será contado para todos os efeitos legais, exceto para organizados em carreira poderá ser fixada nos termos do §
promoção por merecimento; 4º. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
V - para efeito de benefício previdenciário, no caso Art. 40. Aos servidores titulares de cargos efetivos
de afastamento, os valores serão determinados como se no da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
exercício estivesse. Municípios, incluídas suas autarquias e fundações, é
Seção II assegurado regime de previdência de caráter contributivo e
DOS SERVIDORES PÚBLICOS solidário, mediante contribuição do respectivo ente público,
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 18, de 1998) dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas,
Art. 39. A União, os Estados, o Distrito Federal e observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e
os Municípios instituirão, no âmbito de sua competência, atuarial e o disposto neste artigo. (Redação dada pela
regime jurídico único e planos de carreira para os Emenda Constitucional nº 41, 19.12.2003)
servidores da administração pública direta, das autarquias e § 1º Os servidores abrangidos pelo regime de
das fundações públicas. (Vide ADIN nº 2.135-4) previdência de que trata este artigo serão aposentados,
Art. 39. A União, os Estados, o Distrito Federal e calculados os seus proventos a partir dos valores fixados na
os Municípios instituirão conselho de política de forma dos §§ 3º e 17: (Redação dada pela Emenda
administração e remuneração de pessoal, integrado por Constitucional nº 41, 19.12.2003)
servidores designados pelos respectivos I - por invalidez permanente, sendo os proventos
Poderes. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº proporcionais ao tempo de contribuição, exceto se
19, de 1998) (Vide ADIN nº 2.135-4) decorrente de acidente em serviço, moléstia profissional ou
§ 1º A fixação dos padrões de vencimento e dos doença grave, contagiosa ou incurável, na forma da lei;
demais componentes do sistema remuneratório observará: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41,
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) 19.12.2003)
I - a natureza, o grau de responsabilidade e a II - compulsoriamente, com proventos
complexidade dos cargos componentes de cada carreira; proporcionais ao tempo de contribuição, aos 70 (setenta)
(Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) anos de idade, ou aos 75 (setenta e cinco) anos de idade,
II - os requisitos para a investidura; (Incluído pela na forma de lei complementar; (Redação dada pela
Emenda Constitucional nº 19, de 1998) Emenda Constitucional nº 88, de 2015)
III - as peculiaridades dos cargos. (Incluído pela III - voluntariamente, desde que cumprido tempo
Emenda Constitucional nº 19, de 1998) mínimo de dez anos de efetivo exercício no serviço público
§ 2º A União, os Estados e o Distrito Federal e cinco anos no cargo efetivo em que se dará a
manterão escolas de governo para a formação e o aposentadoria, observadas as seguintes condições:
aperfeiçoamento dos servidores públicos, constituindo-se a (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20, de
participação nos cursos um dos requisitos para a promoção 15/12/98)
na carreira, facultada, para isso, a celebração de convênios a) sessenta anos de idade e trinta e cinco de
ou contratos entre os entes federados. (Redação dada pela contribuição, se homem, e cinquenta e cinco anos de idade
Emenda Constitucional nº 19, de 1998) e trinta de contribuição, se mulher; (Redação dada pela
§ 3º Aplica-se aos servidores ocupantes de cargo Emenda Constitucional nº 20, de 15/12/98)
público o disposto no art. 7º, IV, VII, VIII, IX, XII, XIII, XV, b) sessenta e cinco anos de idade, se homem, e
XVI, XVII, XVIII, XIX, XX, XXII e XXX, podendo a lei sessenta anos de idade, se mulher, com proventos
estabelecer requisitos diferenciados de admissão quando a proporcionais ao tempo de contribuição. (Redação dada
natureza do cargo o exigir. (Incluído pela Emenda pela Emenda Constitucional nº 20, de 15/12/98)
Constitucional nº 19, de 1998) § 2º - Os proventos de aposentadoria e as
§ 4º O membro de Poder, o detentor de mandato pensões, por ocasião de sua concessão, não poderão
eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e exceder a remuneração do respectivo servidor, no cargo
Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio efetivo em que se deu a aposentadoria ou que serviu de
fixado em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer referência para a concessão da pensão. (Redação dada
gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de pela Emenda Constitucional nº 20, de 15/12/98)
representação ou outra espécie remuneratória, obedecido, § 3º Para o cálculo dos proventos de
em qualquer caso, o disposto no art. 37, X e XI. (Incluído aposentadoria, por ocasião da sua concessão, serão
pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) consideradas as remunerações utilizadas como base para
§ 5º Lei da União, dos Estados, do Distrito Federal as contribuições do servidor aos regimes de previdência de
e dos Municípios poderá estabelecer a relação entre a que tratam este artigo e o art. 201, na forma da lei.
maior e a menor remuneração dos servidores públicos,
17
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41, § 13 - Ao servidor ocupante, exclusivamente, de


19.12.2003) cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e
§ 4º É vedada a adoção de requisitos e critérios exoneração bem como de outro cargo temporário ou de
diferenciados para a concessão de aposentadoria aos emprego público, aplica-se o regime geral de previdência
abrangidos pelo regime de que trata este artigo, social. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20, de
ressalvados, nos termos definidos em leis complementares, 15/12/98)
os casos de servidores: (Redação dada pela Emenda § 14 - A União, os Estados, o Distrito Federal e os
Constitucional nº 47, de 2005) Municípios, desde que instituam regime de previdência
I portadores de deficiência; (Incluído pela Emenda complementar para os seus respectivos servidores titulares
Constitucional nº 47, de 2005) de cargo efetivo, poderão fixar, para o valor das
II que exerçam atividades de risco; (Incluído pela aposentadorias e pensões a serem concedidas pelo regime
Emenda Constitucional nº 47, de 2005) de que trata este artigo, o limite máximo estabelecido para
III cujas atividades sejam exercidas sob condições os benefícios do regime geral de previdência social de que
especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física. trata o art. 201. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20,
(Incluído pela Emenda Constitucional nº 47, de 2005) de 15/12/98)
§ 5º - Os requisitos de idade e de tempo de § 15. O regime de previdência complementar de
contribuição serão reduzidos em cinco anos, em relação ao que trata o § 14 será instituído por lei de iniciativa do
disposto no § 1º, III, "a", para o professor que comprove respectivo Poder Executivo, observado o disposto no art.
exclusivamente tempo de efetivo exercício das funções de 202 e seus parágrafos, no que couber, por intermédio de
magistério na educação infantil e no ensino fundamental e entidades fechadas de previdência complementar, de
médio. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20, natureza pública, que oferecerão aos respectivos
de 15/12/98) participantes planos de benefícios somente na modalidade
§ 6º - Ressalvadas as aposentadorias decorrentes de contribuição definida. (Redação dada pela Emenda
dos cargos acumuláveis na forma desta Constituição, é Constitucional nº 41, 19.12.2003)
vedada a percepção de mais de uma aposentadoria à conta § 16 - Somente mediante sua prévia e expressa
do regime de previdência previsto neste artigo. (Redação opção, o disposto nos §§ 14 e 15 poderá ser aplicado ao
dada pela Emenda Constitucional nº 20, de 15/12/98) servidor que tiver ingressado no serviço público até a data
§ 7º Lei disporá sobre a concessão do benefício de da publicação do ato de instituição do correspondente
pensão por morte, que será igual: (Redação dada pela regime de previdência complementar. (Incluído pela
Emenda Constitucional nº 41, 19.12.2003) Emenda Constitucional nº 20, de 15/12/98)
I - ao valor da totalidade dos proventos do servidor § 17. Todos os valores de remuneração
falecido, até o limite máximo estabelecido para os considerados para o cálculo do benefício previsto no § 3°
benefícios do regime geral de previdência social de que serão devidamente atualizados, na forma da lei. (Incluído
trata o art. 201, acrescido de setenta por cento da parcela pela Emenda Constitucional nº 41, 19.12.2003)
excedente a este limite, caso aposentado à data do óbito; § 18. Incidirá contribuição sobre os proventos de
ou (Incluído pela Emenda Constitucional nº 41, 19.12.2003) aposentadorias e pensões concedidas pelo regime de que
II - ao valor da totalidade da remuneração do trata este artigo que superem o limite máximo estabelecido
servidor no cargo efetivo em que se deu o falecimento, até para os benefícios do regime geral de previdência social de
o limite máximo estabelecido para os benefícios do regime que trata o art. 201, com percentual igual ao estabelecido
geral de previdência social de que trata o art. 201, para os servidores titulares de cargos efetivos. (Incluído
acrescido de setenta por cento da parcela excedente a este pela Emenda Constitucional nº 41, 19.12.2003)
limite, caso em atividade na data do óbito. (Incluído pela § 19. O servidor de que trata este artigo que tenha
Emenda Constitucional nº 41, 19.12.2003) completado as exigências para aposentadoria voluntária
§ 8º É assegurado o reajustamento dos benefícios estabelecidas no § 1º, III, a, e que opte por permanecer em
para preservar-lhes, em caráter permanente, o valor real, atividade fará jus a um abono de permanência equivalente
conforme critérios estabelecidos em lei. (Redação dada ao valor da sua contribuição previdenciária até completar as
pela Emenda Constitucional nº 41, 19.12.2003) exigências para aposentadoria compulsória contidas no §
§ 9º - O tempo de contribuição federal, estadual ou 1º, II. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 41,
municipal será contado para efeito de aposentadoria e o 19.12.2003)
tempo de serviço correspondente para efeito de § 20. Fica vedada a existência de mais de um
disponibilidade. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20, regime próprio de previdência social para os servidores
de 15/12/98) titulares de cargos efetivos, e de mais de uma unidade
§ 10 - A lei não poderá estabelecer qualquer forma gestora do respectivo regime em cada ente estatal,
de contagem de tempo de contribuição fictício. (Incluído ressalvado o disposto no art. 142, § 3º, X. (Incluído pela
pela Emenda Constitucional nº 20, de 15/12/98) Emenda Constitucional nº 41, 19.12.2003)
§ 11 - Aplica-se o limite fixado no art. 37, XI, à § 21. A contribuição prevista no § 18 deste artigo
soma total dos proventos de inatividade, inclusive quando incidirá apenas sobre as parcelas de proventos de
decorrentes da acumulação de cargos ou empregos aposentadoria e de pensão que superem o dobro do limite
públicos, bem como de outras atividades sujeitas a máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de
contribuição para o regime geral de previdência social, e ao previdência social de que trata o art. 201 desta
montante resultante da adição de proventos de inatividade Constituição, quando o beneficiário, na forma da lei, for
com remuneração de cargo acumulável na forma desta portador de doença incapacitante. (Incluído pela Emenda
Constituição, cargo em comissão declarado em lei de livre Constitucional nº 47, de 2005)
nomeação e exoneração, e de cargo eletivo. (Incluído pela Art. 41. São estáveis após três anos de efetivo
Emenda Constitucional nº 20, de 15/12/98) exercício os servidores nomeados para cargo de
§ 12 - Além do disposto neste artigo, o regime de provimento efetivo em virtude de concurso público.
previdência dos servidores públicos titulares de cargo (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
efetivo observará, no que couber, os requisitos e critérios § 1º O servidor público estável só perderá o cargo:
fixados para o regime geral de previdência social. (Incluído (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
pela Emenda Constitucional nº 20, de 15/12/98)
18
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

I - em virtude de sentença judicial transitada em I - sistema tributário, arrecadação e distribuição de


julgado; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de rendas;
1998) II - plano plurianual, diretrizes orçamentárias,
II - mediante processo administrativo em que lhe orçamento anual, operações de crédito, dívida pública e
seja assegurada ampla defesa; (Incluído pela Emenda emissões de curso forçado;
Constitucional nº 19, de 1998) III - fixação e modificação do efetivo das Forças
III - mediante procedimento de avaliação periódica Armadas;
de desempenho, na forma de lei complementar, assegurada IV - planos e programas nacionais, regionais e
ampla defesa. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, setoriais de desenvolvimento;
de 1998) V - limites do território nacional, espaço aéreo e
§ 2º Invalidada por sentença judicial a demissão do marítimo e bens do domínio da União;
servidor estável, será ele reintegrado, e o eventual VI - incorporação, subdivisão ou desmembramento
ocupante da vaga, se estável, reconduzido ao cargo de de áreas de Territórios ou Estados, ouvidas as respectivas
origem, sem direito a indenização, aproveitado em outro Assembleias Legislativas;
cargo ou posto em disponibilidade com remuneração VII - transferência temporária da sede do Governo
proporcional ao tempo de serviço. (Redação dada pela Federal;
Emenda Constitucional nº 19, de 1998) VIII - concessão de anistia;
§ 3º Extinto o cargo ou declarada a sua IX - organização administrativa, judiciária, do
desnecessidade, o servidor estável ficará em Ministério Público e da Defensoria Pública da União e dos
disponibilidade, com remuneração proporcional ao tempo Territórios e organização judiciária e do Ministério Público
de serviço, até seu adequado aproveitamento em outro do Distrito Federal; (Redação dada pela Emenda
cargo. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, Constitucional nº 69, de 2012) (Produção de efeito)
de 1998) X – criação, transformação e extinção de cargos,
§ 4º Como condição para a aquisição da empregos e funções públicas, observado o que estabelece
estabilidade, é obrigatória a avaliação especial de o art. 84, VI, b; (Redação dada pela Emenda Constitucional
desempenho por comissão instituída para essa finalidade. nº 32, de 2001)
(Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) XI – criação e extinção de Ministérios e órgãos da
administração pública; (Redação dada pela Emenda
TÍTULO IV Constitucional nº 32, de 2001)
DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES XII - telecomunicações e radiodifusão;
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 80, de 2014) XIII - matéria financeira, cambial e monetária,
CAPÍTULO I instituições financeiras e suas operações;
DO PODER LEGISLATIVO XIV - moeda, seus limites de emissão, e montante
SEÇÃO I da dívida mobiliária federal.
DO CONGRESSO NACIONAL XV - fixação do subsídio dos Ministros do Supremo
Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Tribunal Federal, observado o que dispõem os arts. 39, §
Congresso Nacional, que se compõe da Câmara dos 4º; 150, II; 153, III; e 153, § 2º, I. (Redação dada pela
Deputados e do Senado Federal. Emenda Constitucional nº 41, 19.12.2003)
Parágrafo único. Cada legislatura terá a duração Art. 49. É da competência exclusiva do Congresso
de quatro anos. Nacional:
Art. 45. A Câmara dos Deputados compõe-se de I - resolver definitivamente sobre tratados, acordos
representantes do povo, eleitos, pelo sistema proporcional, ou atos internacionais que acarretem encargos ou
em cada Estado, em cada Território e no Distrito Federal. compromissos gravosos ao patrimônio nacional;
§ 1º O número total de Deputados, bem como a II - autorizar o Presidente da República a declarar
representação por Estado e pelo Distrito Federal, será guerra, a celebrar a paz, a permitir que forças estrangeiras
estabelecido por lei complementar, proporcionalmente à transitem pelo território nacional ou nele permaneçam
população, procedendo-se aos ajustes necessários, no ano temporariamente, ressalvados os casos previstos em lei
anterior às eleições, para que nenhuma daquelas unidades complementar;
da Federação tenha menos de oito ou mais de setenta III - autorizar o Presidente e o Vice-Presidente da
Deputados. República a se ausentarem do País, quando a ausência
§ 2º Cada Território elegerá quatro Deputados. exceder a quinze dias;
Art. 46. O Senado Federal compõe-se de IV - aprovar o estado de defesa e a intervenção
representantes dos Estados e do Distrito Federal, eleitos federal, autorizar o estado de sítio, ou suspender qualquer
segundo o princípio majoritário. uma dessas medidas;
§ 1º Cada Estado e o Distrito Federal elegerão três V - sustar os atos normativos do Poder Executivo
Senadores, com mandato de oito anos. que exorbitem do poder regulamentar ou dos limites de
§ 2º A representação de cada Estado e do Distrito delegação legislativa;
Federal será renovada de quatro em quatro anos, VI - mudar temporariamente sua sede;
alternadamente, por um e dois terços. VII - fixar idêntico subsídio para os Deputados
§ 3º Cada Senador será eleito com dois suplentes. Federais e os Senadores, observado o que dispõem os
Art. 47. Salvo disposição constitucional em arts. 37, XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º,
contrário, as deliberações de cada Casa e de suas I; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de
Comissões serão tomadas por maioria dos votos, presente 1998)
a maioria absoluta de seus membros. VIII - fixar os subsídios do Presidente e do Vice-
Seção II Presidente da República e dos Ministros de Estado,
DAS ATRIBUIÇÕES DO CONGRESSO NACIONAL observado o que dispõem os arts. 37, XI, 39, § 4º, 150, II,
Art. 48. Cabe ao Congresso Nacional, com a 153, III, e 153, § 2º, I; (Redação dada pela Emenda
sanção do Presidente da República, não exigida esta para o Constitucional nº 19, de 1998)
especificado nos arts. 49, 51 e 52, dispor sobre todas as
matérias de competência da União, especialmente sobre:
19
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

IX - julgar anualmente as contas prestadas pelo bem como os Ministros de Estado e os Comandantes da
Presidente da República e apreciar os relatórios sobre a Marinha, do Exército e da Aeronáutica nos crimes da
execução dos planos de governo; mesma natureza conexos com aqueles; (Redação dada
X - fiscalizar e controlar, diretamente, ou por pela Emenda Constitucional nº 23, de 02/09/99)
qualquer de suas Casas, os atos do Poder Executivo, II processar e julgar os Ministros do Supremo
incluídos os da administração indireta; Tribunal Federal, os membros do Conselho Nacional de
XI - zelar pela preservação de sua competência Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público, o
legislativa em face da atribuição normativa dos outros Procurador-Geral da República e o Advogado-Geral da
Poderes; União nos crimes de responsabilidade; (Redação dada pela
XII - apreciar os atos de concessão e renovação Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
de concessão de emissoras de rádio e televisão; III - aprovar previamente, por voto secreto, após
XIII - escolher dois terços dos membros do arguição pública, a escolha de:
Tribunal de Contas da União; a) Magistrados, nos casos estabelecidos nesta
XIV - aprovar iniciativas do Poder Executivo Constituição;
referentes a atividades nucleares; b) Ministros do Tribunal de Contas da União
XV - autorizar referendo e convocar plebiscito; indicados pelo Presidente da República;
XVI - autorizar, em terras indígenas, a exploração c) Governador de Território;
e o aproveitamento de recursos hídricos e a pesquisa e d) Presidente e diretores do banco central;
lavra de riquezas minerais; e) Procurador-Geral da República;
XVII - aprovar, previamente, a alienação ou f) titulares de outros cargos que a lei determinar;
concessão de terras públicas com área superior a dois mil e IV - aprovar previamente, por voto secreto, após
quinhentos hectares. arguição em sessão secreta, a escolha dos chefes de
Art. 50. A Câmara dos Deputados e o Senado missão diplomática de caráter permanente;
Federal, ou qualquer de suas Comissões, poderão V - autorizar operações externas de natureza
convocar Ministro de Estado ou quaisquer titulares de financeira, de interesse da União, dos Estados, do Distrito
órgãos diretamente subordinados à Presidência da Federal, dos Territórios e dos Municípios;
República para prestarem, pessoalmente, informações VI - fixar, por proposta do Presidente da República,
sobre assunto previamente determinado, importando crime limites globais para o montante da dívida consolidada da
de responsabilidade a ausência sem justificação adequada. União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;
(Redação dada pela Emenda Constitucional de Revisão nº VII - dispor sobre limites globais e condições para
2, de 1994) as operações de crédito externo e interno da União, dos
§ 1º Os Ministros de Estado poderão comparecer Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, de suas
ao Senado Federal, à Câmara dos Deputados, ou a autarquias e demais entidades controladas pelo Poder
qualquer de suas Comissões, por sua iniciativa e mediante Público federal;
entendimentos com a Mesa respectiva, para expor assunto VIII - dispor sobre limites e condições para a
de relevância de seu Ministério. concessão de garantia da União em operações de crédito
§ 2º As Mesas da Câmara dos Deputados e do externo e interno;
Senado Federal poderão encaminhar pedidos escritos de IX - estabelecer limites globais e condições para o
informações a Ministros de Estado ou a qualquer das montante da dívida mobiliária dos Estados, do Distrito
pessoas referidas no caput deste artigo, importando em Federal e dos Municípios;
crime de responsabilidade a recusa, ou o não - X - suspender a execução, no todo ou em parte, de
atendimento, no prazo de trinta dias, bem como a prestação lei declarada inconstitucional por decisão definitiva do
de informações falsas. (Redação dada pela Emenda Supremo Tribunal Federal;
Constitucional de Revisão nº 2, de 1994) XI - aprovar, por maioria absoluta e por voto
Seção III secreto, a exoneração, de ofício, do Procurador-Geral da
DA CÂMARA DOS DEPUTADOS República antes do término de seu mandato;
Art. 51. Compete privativamente à Câmara dos XII - elaborar seu regimento interno;
Deputados: XIII - dispor sobre sua organização,
I - autorizar, por dois terços de seus membros, a funcionamento, polícia, criação, transformação ou extinção
instauração de processo contra o Presidente e o Vice- dos cargos, empregos e funções de seus serviços, e a
Presidente da República e os Ministros de Estado; iniciativa de lei para fixação da respectiva remuneração,
II - proceder à tomada de contas do Presidente da observados os parâmetros estabelecidos na lei de diretrizes
República, quando não apresentadas ao Congresso orçamentárias; (Redação dada pela Emenda Constitucional
Nacional dentro de sessenta dias após a abertura da nº 19, de 1998)
sessão legislativa; XIV - eleger membros do Conselho da República,
III - elaborar seu regimento interno; nos termos do art. 89, VII.
IV – dispor sobre sua organização, funcionamento, XV - avaliar periodicamente a funcionalidade do
polícia, criação, transformação ou extinção dos cargos, Sistema Tributário Nacional, em sua estrutura e seus
empregos e funções de seus serviços, e a iniciativa de lei componentes, e o desempenho das administrações
para fixação da respectiva remuneração, observados os tributárias da União, dos Estados e do Distrito Federal e dos
parâmetros estabelecidos na lei de diretrizes orçamentárias; Municípios. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 42, de
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) 19.12.2003)
V - eleger membros do Conselho da República, Parágrafo único. Nos casos previstos nos incisos I
nos termos do art. 89, VII. e II, funcionará como Presidente o do Supremo Tribunal
Seção IV Federal, limitando-se a condenação, que somente será
DO SENADO FEDERAL proferida por dois terços dos votos do Senado Federal, à
Art. 52. Compete privativamente ao Senado perda do cargo, com inabilitação, por oito anos, para o
Federal: exercício de função pública, sem prejuízo das demais
I - processar e julgar o Presidente e o Vice- sanções judiciais cabíveis.
Presidente da República nos crimes de responsabilidade,
20
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Seção V d) ser titulares de mais de um cargo ou mandato


DOS DEPUTADOS E DOS SENADORES público eletivo.
Art. 53. Os Deputados e Senadores são Art. 55. Perderá o mandato o Deputado ou
invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas Senador:
opiniões, palavras e votos. (Redação dada pela Emenda I - que infringir qualquer das proibições
Constitucional nº 35, de 2001) estabelecidas no artigo anterior;
§ 1º Os Deputados e Senadores, desde a II - cujo procedimento for declarado incompatível
expedição do diploma, serão submetidos a julgamento com o decoro parlamentar;
perante o Supremo Tribunal Federal. (Redação dada pela III - que deixar de comparecer, em cada sessão
Emenda Constitucional nº 35, de 2001) legislativa, à terça parte das sessões ordinárias da Casa a
§ 2º Desde a expedição do diploma, os membros que pertencer, salvo licença ou missão por esta autorizada;
do Congresso Nacional não poderão ser presos, salvo em IV - que perder ou tiver suspensos os direitos
flagrante de crime inafiançável. Nesse caso, os autos serão políticos;
remetidos dentro de vinte e quatro horas à Casa respectiva, V - quando o decretar a Justiça Eleitoral, nos
para que, pelo voto da maioria de seus membros, resolva casos previstos nesta Constituição;
sobre a prisão. (Redação dada pela Emenda Constitucional VI - que sofrer condenação criminal em sentença
nº 35, de 2001) transitada em julgado.
§ 3º Recebida a denúncia contra o Senador ou § 1º - É incompatível com o decoro parlamentar,
Deputado, por crime ocorrido após a diplomação, o além dos casos definidos no regimento interno, o abuso das
Supremo Tribunal Federal dará ciência à Casa respectiva, prerrogativas asseguradas a membro do Congresso
que, por iniciativa de partido político nela representado e Nacional ou a percepção de vantagens indevidas.
pelo voto da maioria de seus membros, poderá, até a § 2º Nos casos dos incisos I, II e VI, a perda do
decisão final, sustar o andamento da ação. (Redação dada mandato será decidida pela Câmara dos Deputados ou pelo
pela Emenda Constitucional nº 35, de 2001) Senado Federal, por maioria absoluta, mediante
§ 4º O pedido de sustação será apreciado pela provocação da respectiva Mesa ou de partido político
Casa respectiva no prazo improrrogável de quarenta e representado no Congresso Nacional, assegurada ampla
cinco dias do seu recebimento pela Mesa Diretora. defesa. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 76,
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 35, de 2001) de 2013)
§ 5º A sustação do processo suspende a § 3º - Nos casos previstos nos incisos III a V, a
prescrição, enquanto durar o mandato. (Redação dada pela perda será declarada pela Mesa da Casa respectiva, de
Emenda Constitucional nº 35, de 2001) ofício ou mediante provocação de qualquer de seus
§ 6º Os Deputados e Senadores não serão membros, ou de partido político representado no Congresso
obrigados a testemunhar sobre informações recebidas ou Nacional, assegurada ampla defesa.
prestadas em razão do exercício do mandato, nem sobre as § 4º A renúncia de parlamentar submetido a
pessoas que lhes confiaram ou deles receberam processo que vise ou possa levar à perda do mandato, nos
informações. (Redação dada pela Emenda Constitucional termos deste artigo, terá seus efeitos suspensos até as
nº 35, de 2001) deliberações finais de que tratam os §§ 2º e 3º. (Incluído
§ 7º A incorporação às Forças Armadas de pela Emenda Constitucional de Revisão nº 6, de 1994)
Deputados e Senadores, embora militares e ainda que em Art. 56. Não perderá o mandato o Deputado ou
tempo de guerra, dependerá de prévia licença da Casa Senador:
respectiva. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº I - investido no cargo de Ministro de Estado,
35, de 2001) Governador de Território, Secretário de Estado, do Distrito
§ 8º As imunidades de Deputados ou Senadores Federal, de Território, de Prefeitura de Capital ou chefe de
subsistirão durante o estado de sítio, só podendo ser missão diplomática temporária;
suspensas mediante o voto de dois terços dos membros da II - licenciado pela respectiva Casa por motivo de
Casa respectiva, nos casos de atos praticados fora do doença, ou para tratar, sem remuneração, de interesse
recinto do Congresso Nacional, que sejam incompatíveis particular, desde que, neste caso, o afastamento não
com a execução da medida. (Incluído pela Emenda ultrapasse cento e vinte dias por sessão legislativa.
Constitucional nº 35, de 2001) § 1º O suplente será convocado nos casos de
Art. 54. Os Deputados e Senadores não poderão: vaga, de investidura em funções previstas neste artigo ou
I - desde a expedição do diploma: de licença superior a cento e vinte dias.
a) firmar ou manter contrato com pessoa jurídica § 2º Ocorrendo vaga e não havendo suplente, far-
de direito público, autarquia, empresa pública, sociedade de se-á eleição para preenchê-la se faltarem mais de quinze
economia mista ou empresa concessionária de serviço meses para o término do mandato.
público, salvo quando o contrato obedecer a cláusulas § 3º Na hipótese do inciso I, o Deputado ou
uniformes; Senador poderá optar pela remuneração do mandato.
b) aceitar ou exercer cargo, função ou emprego Seção VI
remunerado, inclusive os de que sejam demissíveis "ad DAS REUNIÕES
nutum", nas entidades constantes da alínea anterior; Art. 57. O Congresso Nacional reunir-se-á,
II - desde a posse: anualmente, na Capital Federal, de 2 de fevereiro a 17 de
a) ser proprietários, controladores ou diretores de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro. (Redação dada
empresa que goze de favor decorrente de contrato com pela Emenda Constitucional nº 50, de 2006)
pessoa jurídica de direito público, ou nela exercer função § 1º As reuniões marcadas para essas datas serão
remunerada; transferidas para o primeiro dia útil subsequente, quando
b) ocupar cargo ou função de que sejam recaírem em sábados, domingos ou feriados.
demissíveis "ad nutum", nas entidades referidas no inciso I, § 2º A sessão legislativa não será interrompida
"a"; sem a aprovação do projeto de lei de diretrizes
c) patrocinar causa em que seja interessada orçamentárias.
qualquer das entidades a que se refere o inciso I, "a";

21
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

§ 3º Além de outros casos previstos nesta V - solicitar depoimento de qualquer autoridade ou


Constituição, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal cidadão;
reunir-se-ão em sessão conjunta para: VI - apreciar programas de obras, planos
I - inaugurar a sessão legislativa; nacionais, regionais e setoriais de desenvolvimento e sobre
II - elaborar o regimento comum e regular a criação eles emitir parecer.
de serviços comuns às duas Casas; § 3º As comissões parlamentares de inquérito, que
III - receber o compromisso do Presidente e do terão poderes de investigação próprios das autoridades
Vice-Presidente da República; judiciais, além de outros previstos nos regimentos das
IV - conhecer do veto e sobre ele deliberar. respectivas Casas, serão criadas pela Câmara dos
§ 4º Cada uma das Casas reunir-se-á em sessões Deputados e pelo Senado Federal, em conjunto ou
preparatórias, a partir de 1º de fevereiro, no primeiro ano da separadamente, mediante requerimento de um terço de
legislatura, para a posse de seus membros e eleição das seus membros, para a apuração de fato determinado e por
respectivas Mesas, para mandato de 2 (dois) anos, vedada prazo certo, sendo suas conclusões, se for o caso,
a recondução para o mesmo cargo na eleição encaminhadas ao Ministério Público, para que promova a
imediatamente subsequente. (Redação dada pela Emenda responsabilidade civil ou criminal dos infratores.
Constitucional nº 50, de 2006) § 4º Durante o recesso, haverá uma Comissão
§ 5º A Mesa do Congresso Nacional será presidida representativa do Congresso Nacional, eleita por suas
pelo Presidente do Senado Federal, e os demais cargos Casas na última sessão ordinária do período legislativo,
serão exercidos, alternadamente, pelos ocupantes de com atribuições definidas no regimento comum, cuja
cargos equivalentes na Câmara dos Deputados e no composição reproduzirá, quanto possível, a
Senado Federal. proporcionalidade da representação partidária.
§ 6º A convocação extraordinária do Congresso Seção VIII
Nacional far-se-á: (Redação dada pela Emenda DO PROCESSO LEGISLATIVO
Constitucional nº 50, de 2006) Subseção I
I - pelo Presidente do Senado Federal, em caso de Disposição Geral
decretação de estado de defesa ou de intervenção federal, Art. 59. O processo legislativo compreende a
de pedido de autorização para a decretação de estado de elaboração de:
sítio e para o compromisso e a posse do Presidente e do I - emendas à Constituição;
Vice-Presidente da República; II - leis complementares;
II - pelo Presidente da República, pelos III - leis ordinárias;
Presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado IV - leis delegadas;
Federal ou a requerimento da maioria dos membros de V - medidas provisórias;
ambas as Casas, em caso de urgência ou interesse público VI - decretos legislativos;
relevante, em todas as hipóteses deste inciso com a VII - resoluções.
aprovação da maioria absoluta de cada uma das Casas do Parágrafo único. Lei complementar disporá sobre a
Congresso Nacional. (Redação dada pela Emenda elaboração, redação, alteração e consolidação das leis.
Constitucional nº 50, de 2006) Subseção II
§ 7º Na sessão legislativa extraordinária, o Da Emenda à Constituição
Congresso Nacional somente deliberará sobre a matéria Art. 60. A Constituição poderá ser emendada
para a qual foi convocado, ressalvada a hipótese do § 8º mediante proposta:
deste artigo, vedado o pagamento de parcela indenizatória, I - de um terço, no mínimo, dos membros da
em razão da convocação. (Redação dada pela Emenda Câmara dos Deputados ou do Senado Federal;
Constitucional nº 50, de 2006) II - do Presidente da República;
§ 8º Havendo medidas provisórias em vigor na III - de mais da metade das Assembleias
data de convocação extraordinária do Congresso Nacional, Legislativas das unidades da Federação, manifestando-se,
serão elas automaticamente incluídas na pauta da cada uma delas, pela maioria relativa de seus membros.
convocação. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 32, de § 1º A Constituição não poderá ser emendada na
2001) vigência de intervenção federal, de estado de defesa ou de
Seção VII estado de sítio.
DAS COMISSÕES § 2º A proposta será discutida e votada em cada
Art. 58. O Congresso Nacional e suas Casas terão Casa do Congresso Nacional, em dois turnos,
comissões permanentes e temporárias, constituídas na considerando-se aprovada se obtiver, em ambos, três
forma e com as atribuições previstas no respectivo quintos dos votos dos respectivos membros.
regimento ou no ato de que resultar sua criação. § 3º A emenda à Constituição será promulgada
§ 1º Na constituição das Mesas e de cada pelas Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado
Comissão, é assegurada, tanto quanto possível, a Federal, com o respectivo número de ordem.
representação proporcional dos partidos ou dos blocos § 4º Não será objeto de deliberação a proposta de
parlamentares que participam da respectiva Casa. emenda tendente a abolir:
§ 2º Às comissões, em razão da matéria de sua I - a forma federativa de Estado;
competência, cabe: II - o voto direto, secreto, universal e periódico;
I - discutir e votar projeto de lei que dispensar, na III - a separação dos Poderes;
forma do regimento, a competência do Plenário, salvo se IV - os direitos e garantias individuais.
houver recurso de um décimo dos membros da Casa; § 5º A matéria constante de proposta de emenda
II - realizar audiências públicas com entidades da rejeitada ou havida por prejudicada não pode ser objeto de
sociedade civil; nova proposta na mesma sessão legislativa.
III - convocar Ministros de Estado para prestar Subseção III
informações sobre assuntos inerentes a suas atribuições; Das Leis
IV - receber petições, reclamações, Art. 61. A iniciativa das leis complementares e
representações ou queixas de qualquer pessoa contra atos ordinárias cabe a qualquer membro ou Comissão da
ou omissões das autoridades ou entidades públicas; Câmara dos Deputados, do Senado Federal ou do
22
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Congresso Nacional, ao Presidente da República, ao II, IV, V, e 154, II, só produzirá efeitos no exercício
Supremo Tribunal Federal, aos Tribunais Superiores, ao financeiro seguinte se houver sido convertida em lei até o
Procurador-Geral da República e aos cidadãos, na forma e último dia daquele em que foi editada.(Incluído pela
nos casos previstos nesta Constituição. Emenda Constitucional nº 32, de 2001)
§ 1º São de iniciativa privativa do Presidente da § 3º As medidas provisórias, ressalvado o disposto
República as leis que: nos §§ 11 e 12 perderão eficácia, desde a edição, se não
I - fixem ou modifiquem os efetivos das Forças forem convertidas em lei no prazo de sessenta dias,
Armadas; prorrogável, nos termos do § 7º, uma vez por igual período,
II - disponham sobre: devendo o Congresso Nacional disciplinar, por decreto
a) criação de cargos, funções ou empregos legislativo, as relações jurídicas delas decorrentes. (Incluído
públicos na administração direta e autárquica ou aumento pela Emenda Constitucional nº 32, de 2001)
de sua remuneração; § 4º O prazo a que se refere o § 3º contar-se-á da
b) organização administrativa e judiciária, matéria publicação da medida provisória, suspendendo-se durante
tributária e orçamentária, serviços públicos e pessoal da os períodos de recesso do Congresso Nacional.(Incluído
administração dos Territórios; pela Emenda Constitucional nº 32, de 2001)
c) servidores públicos da União e Territórios, seu § 5º A deliberação de cada uma das Casas do
regime jurídico, provimento de cargos, estabilidade e Congresso Nacional sobre o mérito das medidas provisórias
aposentadoria; (Redação dada pela Emenda Constitucional dependerá de juízo prévio sobre o atendimento de seus
nº 18, de 1998) pressupostos constitucionais. (Incluído pela Emenda
d) organização do Ministério Público e da Constitucional nº 32, de 2001)
Defensoria Pública da União, bem como normas gerais § 6º Se a medida provisória não for apreciada em
para a organização do Ministério Público e da Defensoria até quarenta e cinco dias contados de sua publicação,
Pública dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios; entrará em regime de urgência, subsequentemente, em
e) criação e extinção de Ministérios e órgãos da cada uma das Casas do Congresso Nacional, ficando
administração pública, observado o disposto no art. 84, sobrestadas, até que se ultime a votação, todas as demais
VI; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 32, de deliberações legislativas da Casa em que estiver
2001) tramitando. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 32, de
f) militares das Forças Armadas, seu regime 2001)
jurídico, provimento de cargos, promoções, estabilidade, § 7º Prorrogar-se-á uma única vez por igual
remuneração, reforma e transferência para a reserva. período a vigência de medida provisória que, no prazo de
(Incluída pela Emenda Constitucional nº 18, de 1998) sessenta dias, contado de sua publicação, não tiver a sua
§ 2º A iniciativa popular pode ser exercida pela votação encerrada nas duas Casas do Congresso Nacional.
apresentação à Câmara dos Deputados de projeto de lei (Incluído pela Emenda Constitucional nº 32, de 2001)
subscrito por, no mínimo, um por cento do eleitorado § 8º As medidas provisórias terão sua votação
nacional, distribuído pelo menos por cinco Estados, com iniciada na Câmara dos Deputados. (Incluído pela Emenda
não menos de três décimos por cento dos eleitores de cada Constitucional nº 32, de 2001)
um deles. § 9º Caberá à comissão mista de Deputados e
Art. 62. Em caso de relevância e urgência, o Senadores examinar as medidas provisórias e sobre elas
Presidente da República poderá adotar medidas emitir parecer, antes de serem apreciadas, em sessão
provisórias, com força de lei, devendo submetê-las de separada, pelo plenário de cada uma das Casas do
imediato ao Congresso Nacional. (Redação dada pela Congresso Nacional. (Incluído pela Emenda Constitucional
Emenda Constitucional nº 32, de 2001) nº 32, de 2001)
§ 1º É vedada a edição de medidas provisórias § 10. É vedada a reedição, na mesma sessão
sobre matéria: (Incluído pela Emenda Constitucional nº 32, legislativa, de medida provisória que tenha sido rejeitada ou
de 2001) que tenha perdido sua eficácia por decurso de prazo.
I – relativa a: (Incluído pela Emenda Constitucional (Incluído pela Emenda Constitucional nº 32, de 2001)
nº 32, de 2001) § 11. Não editado o decreto legislativo a que se
a) nacionalidade, cidadania, direitos políticos, refere o § 3º até sessenta dias após a rejeição ou perda de
partidos políticos e direito eleitoral; (Incluído pela Emenda eficácia de medida provisória, as relações jurídicas
Constitucional nº 32, de 2001) constituídas e decorrentes de atos praticados durante sua
b) direito penal, processual penal e processual vigência conservar-se-ão por ela regidas. (Incluído pela
civil; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 32, de 2001) Emenda Constitucional nº 32, de 2001)
c) organização do Poder Judiciário e do Ministério § 12. Aprovado projeto de lei de conversão
Público, a carreira e a garantia de seus membros; (Incluído alterando o texto original da medida provisória, esta manter-
pela Emenda Constitucional nº 32, de 2001) se-á integralmente em vigor até que seja sancionado ou
d) planos plurianuais, diretrizes orçamentárias, vetado o projeto. (Incluído pela Emenda Constitucional nº
orçamento e créditos adicionais e suplementares, 32, de 2001)
ressalvado o previsto no art. 167, § 3º; (Incluído pela Art. 63. Não será admitido aumento da despesa
Emenda Constitucional nº 32, de 2001) prevista:
II – que vise a detenção ou sequestro de bens, de I - nos projetos de iniciativa exclusiva do
poupança popular ou qualquer outro ativo financeiro; Presidente da República, ressalvado o disposto no art. 166,
(Incluído pela Emenda Constitucional nº 32, de 2001) § 3º e § 4º;
III – reservada a lei complementar; (Incluído pela II - nos projetos sobre organização dos serviços
Emenda Constitucional nº 32, de 2001) administrativos da Câmara dos Deputados, do Senado
IV – já disciplinada em projeto de lei aprovado pelo Federal, dos Tribunais Federais e do Ministério Público.
Congresso Nacional e pendente de sanção ou veto do Art. 64. A discussão e votação dos projetos de lei
Presidente da República. (Incluído pela Emenda de iniciativa do Presidente da República, do Supremo
Constitucional nº 32, de 2001) Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores terão início na
§ 2º Medida provisória que implique instituição ou Câmara dos Deputados.
majoração de impostos, exceto os previstos nos arts. 153, I,
23
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

§ 1º O Presidente da República poderá solicitar II - nacionalidade, cidadania, direitos individuais,


urgência para apreciação de projetos de sua iniciativa. políticos e eleitorais;
§ 2º Se, no caso do § 1º, a Câmara dos Deputados III - planos plurianuais, diretrizes orçamentárias e
e o Senado Federal não se manifestarem sobre a orçamentos.
proposição, cada qual sucessivamente, em até quarenta e § 2º A delegação ao Presidente da República terá
cinco dias, sobrestar-se-ão todas as demais deliberações a forma de resolução do Congresso Nacional, que
legislativas da respectiva Casa, com exceção das que especificará seu conteúdo e os termos de seu exercício.
tenham prazo constitucional determinado, até que se ultime § 3º Se a resolução determinar a apreciação do
a votação. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº projeto pelo Congresso Nacional, este a fará em votação
32, de 2001) única, vedada qualquer emenda.
§ 3º A apreciação das emendas do Senado Art. 69. As leis complementares serão aprovadas
Federal pela Câmara dos Deputados far-se-á no prazo de por maioria absoluta.
dez dias, observado quanto ao mais o disposto no
parágrafo anterior. Seção IX
§ 4º Os prazos do § 2º não correm nos períodos de DA FISCALIZAÇÃO CONTÁBIL, FINANCEIRA E
recesso do Congresso Nacional, nem se aplicam aos ORÇAMENTÁRIA
projetos de código. Art. 70. A fiscalização contábil, financeira,
Art. 65. O projeto de lei aprovado por uma Casa orçamentária, operacional e patrimonial da União e das
será revisto pela outra, em um só turno de discussão e entidades da administração direta e indireta, quanto à
votação, e enviado à sanção ou promulgação, se a Casa legalidade, legitimidade, economicidade, aplicação das
revisora o aprovar, ou arquivado, se o rejeitar. subvenções e renúncia de receitas, será exercida pelo
Parágrafo único. Sendo o projeto emendado, Congresso Nacional, mediante controle externo, e pelo
voltará à Casa iniciadora. sistema de controle interno de cada Poder.
Art. 66. A Casa na qual tenha sido concluída a Parágrafo único. Prestará contas qualquer pessoa
votação enviará o projeto de lei ao Presidente da República, física ou jurídica, pública ou privada, que utilize, arrecade,
que, aquiescendo, o sancionará. guarde, gerencie ou administre dinheiros, bens e valores
§ 1º - Se o Presidente da República considerar o públicos ou pelos quais a União responda, ou que, em
projeto, no todo ou em parte, inconstitucional ou contrário nome desta, assuma obrigações de natureza pecuniária.
ao interesse público, vetá-lo-á total ou parcialmente, no (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
prazo de quinze dias úteis, contados da data do Art. 71. O controle externo, a cargo do Congresso
recebimento, e comunicará, dentro de quarenta e oito Nacional, será exercido com o auxílio do Tribunal de Contas
horas, ao Presidente do Senado Federal os motivos do da União, ao qual compete:
veto. I - apreciar as contas prestadas anualmente pelo
§ 2º O veto parcial somente abrangerá texto Presidente da República, mediante parecer prévio que
integral de artigo, de parágrafo, de inciso ou de alínea. deverá ser elaborado em sessenta dias a contar de seu
§ 3º Decorrido o prazo de quinze dias, o silêncio do recebimento;
Presidente da República importará sanção. II - julgar as contas dos administradores e demais
§ 4º O veto será apreciado em sessão conjunta, responsáveis por dinheiros, bens e valores públicos da
dentro de trinta dias a contar de seu recebimento, só administração direta e indireta, incluídas as fundações e
podendo ser rejeitado pelo voto da maioria absoluta dos sociedades instituídas e mantidas pelo Poder Público
Deputados e Senadores. (Redação dada pela Emenda federal, e as contas daqueles que derem causa a perda,
Constitucional nº 76, de 2013) extravio ou outra irregularidade de que resulte prejuízo ao
§ 5º Se o veto não for mantido, será o projeto erário público;
enviado, para promulgação, ao Presidente da República. III - apreciar, para fins de registro, a legalidade dos
§ 6º Esgotado sem deliberação o prazo atos de admissão de pessoal, a qualquer título, na
estabelecido no § 4º, o veto será colocado na ordem do dia administração direta e indireta, incluídas as fundações
da sessão imediata, sobrestadas as demais proposições, instituídas e mantidas pelo Poder Público, excetuadas as
até sua votação final. (Redação dada pela Emenda nomeações para cargo de provimento em comissão, bem
Constitucional nº 32, de 2001) como a das concessões de aposentadorias, reformas e
§ 7º Se a lei não for promulgada dentro de pensões, ressalvadas as melhorias posteriores que não
quarenta e oito horas pelo Presidente da República, nos alterem o fundamento legal do ato concessório;
casos dos § 3º e § 5º, o Presidente do Senado a IV - realizar, por iniciativa própria, da Câmara dos
promulgará, e, se este não o fizer em igual prazo, caberá ao Deputados, do Senado Federal, de Comissão técnica ou de
Vice-Presidente do Senado fazê-lo. inquérito, inspeções e auditorias de natureza contábil,
Art. 67. A matéria constante de projeto de lei financeira, orçamentária, operacional e patrimonial, nas
rejeitado somente poderá constituir objeto de novo projeto, unidades administrativas dos Poderes Legislativo,
na mesma sessão legislativa, mediante proposta da maioria Executivo e Judiciário, e demais entidades referidas no
absoluta dos membros de qualquer das Casas do inciso II;
Congresso Nacional. V - fiscalizar as contas nacionais das empresas
Art. 68. As leis delegadas serão elaboradas pelo supranacionais de cujo capital social a União participe, de
Presidente da República, que deverá solicitar a delegação forma direta ou indireta, nos termos do tratado constitutivo;
ao Congresso Nacional. VI - fiscalizar a aplicação de quaisquer recursos
§ 1º Não serão objeto de delegação os atos de repassados pela União mediante convênio, acordo, ajuste
competência exclusiva do Congresso Nacional, os de ou outros instrumentos congêneres, a Estado, ao Distrito
competência privativa da Câmara dos Deputados ou do Federal ou a Município;
Senado Federal, a matéria reservada à lei complementar, VII - prestar as informações solicitadas pelo
nem a legislação sobre: Congresso Nacional, por qualquer de suas Casas, ou por
I - organização do Poder Judiciário e do Ministério qualquer das respectivas Comissões, sobre a fiscalização
Público, a carreira e a garantia de seus membros; contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial
e sobre resultados de auditorias e inspeções realizadas;
24
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

VIII - aplicar aos responsáveis, em caso de § 4º O auditor, quando em substituição a Ministro,


ilegalidade de despesa ou irregularidade de contas, as terá as mesmas garantias e impedimentos do titular e,
sanções previstas em lei, que estabelecerá, entre outras quando no exercício das demais atribuições da judicatura,
cominações, multa proporcional ao dano causado ao erário; as de juiz de Tribunal Regional Federal.
IX - assinar prazo para que o órgão ou entidade Art. 74. Os Poderes Legislativo, Executivo e
adote as providências necessárias ao exato cumprimento Judiciário manterão, de forma integrada, sistema de
da lei, se verificada ilegalidade; controle interno com a finalidade de:
X - sustar, se não atendido, a execução do ato I - avaliar o cumprimento das metas previstas no
impugnado, comunicando a decisão à Câmara dos plano plurianual, a execução dos programas de governo e
Deputados e ao Senado Federal; dos orçamentos da União;
XI - representar ao Poder competente sobre II - comprovar a legalidade e avaliar os resultados,
irregularidades ou abusos apurados. quanto à eficácia e eficiência, da gestão orçamentária,
§ 1º No caso de contrato, o ato de sustação será financeira e patrimonial nos órgãos e entidades da
adotado diretamente pelo Congresso Nacional, que administração federal, bem como da aplicação de recursos
solicitará, de imediato, ao Poder Executivo as medidas públicos por entidades de direito privado;
cabíveis. III - exercer o controle das operações de crédito,
§ 2º Se o Congresso Nacional ou o Poder avais e garantias, bem como dos direitos e haveres da
Executivo, no prazo de noventa dias, não efetivar as União;
medidas previstas no parágrafo anterior, o Tribunal decidirá IV - apoiar o controle externo no exercício de sua
a respeito. missão institucional.
§ 3º As decisões do Tribunal de que resulte § 1º Os responsáveis pelo controle interno, ao
imputação de débito ou multa terão eficácia de título tomarem conhecimento de qualquer irregularidade ou
executivo. ilegalidade, dela darão ciência ao Tribunal de Contas da
§ 4º O Tribunal encaminhará ao Congresso União, sob pena de responsabilidade solidária.
Nacional, trimestral e anualmente, relatório de suas § 2º Qualquer cidadão, partido político, associação
atividades. ou sindicato é parte legítima para, na forma da lei,
Art. 72. A Comissão mista permanente a que se denunciar irregularidades ou ilegalidades perante o Tribunal
refere o art. 166, §1º, diante de indícios de despesas não de Contas da União.
autorizadas, ainda que sob a forma de investimentos não Art. 75. As normas estabelecidas nesta seção
programados ou de subsídios não aprovados, poderá aplicam-se, no que couber, à organização, composição e
solicitar à autoridade governamental responsável que, no fiscalização dos Tribunais de Contas dos Estados e do
prazo de cinco dias, preste os esclarecimentos necessários. Distrito Federal, bem como dos Tribunais e Conselhos de
§ 1º Não prestados os esclarecimentos, ou Contas dos Municípios.
considerados estes insuficientes, a Comissão solicitará ao Parágrafo único. As Constituições estaduais
Tribunal pronunciamento conclusivo sobre a matéria, no disporão sobre os Tribunais de Contas respectivos, que
prazo de trinta dias. serão integrados por sete Conselheiros.
§ 2º Entendendo o Tribunal irregular a despesa, a CAPÍTULO II
Comissão, se julgar que o gasto possa causar dano DO PODER EXECUTIVO
irreparável ou grave lesão à economia pública, proporá ao Seção I
Congresso Nacional sua sustação. DO PRESIDENTE E DO VICE-PRESIDENTE DA
Art. 73. O Tribunal de Contas da União, integrado REPÚBLICA
por nove Ministros, tem sede no Distrito Federal, quadro Art. 76. O Poder Executivo é exercido pelo
próprio de pessoal e jurisdição em todo o território nacional, Presidente da República, auxiliado pelos Ministros de
exercendo, no que couber, as atribuições previstas no art. Estado.
96. . Art. 77. A eleição do Presidente e do Vice-
§ 1º Os Ministros do Tribunal de Contas da União Presidente da República realizar-se-á, simultaneamente, no
serão nomeados dentre brasileiros que satisfaçam os primeiro domingo de outubro, em primeiro turno, e no último
seguintes requisitos: domingo de outubro, em segundo turno, se houver, do ano
I - mais de trinta e cinco e menos de sessenta e anterior ao do término do mandato presidencial vigente.
cinco anos de idade; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16, de 1997)
II - idoneidade moral e reputação ilibada; § 1º A eleição do Presidente da República
III - notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, importará a do Vice-Presidente com ele registrado.
econômicos e financeiros ou de administração pública; § 2º Será considerado eleito Presidente o
IV - mais de dez anos de exercício de função ou de candidato que, registrado por partido político, obtiver a
efetiva atividade profissional que exija os conhecimentos maioria absoluta de votos, não computados os em branco e
mencionados no inciso anterior. os nulos.
§ 2º Os Ministros do Tribunal de Contas da União § 3º Se nenhum candidato alcançar maioria
serão escolhidos: absoluta na primeira votação, far-se-á nova eleição em até
I - um terço pelo Presidente da República, com vinte dias após a proclamação do resultado, concorrendo os
aprovação do Senado Federal, sendo dois alternadamente dois candidatos mais votados e considerando-se eleito
dentre auditores e membros do Ministério Público junto ao aquele que obtiver a maioria dos votos válidos.
Tribunal, indicados em lista tríplice pelo Tribunal, segundo § 4º Se, antes de realizado o segundo turno,
os critérios de antiguidade e merecimento; ocorrer morte, desistência ou impedimento legal de
II - dois terços pelo Congresso Nacional. candidato, convocar-se-á, dentre os remanescentes, o de
§ 3° Os Ministros do Tribunal de Contas da União maior votação.
terão as mesmas garantias, prerrogativas, impedimentos, § 5º Se, na hipótese dos parágrafos anteriores,
vencimentos e vantagens dos Ministros do Superior remanescer, em segundo lugar, mais de um candidato com
Tribunal de Justiça, aplicando-se lhes, quanto à a mesma votação, qualificar-se-á o mais idoso.
aposentadoria e pensão, as normas constantes do art. 40. Art. 78. O Presidente e o Vice-Presidente da
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20, de 1998) República tomarão posse em sessão do Congresso
25
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Nacional, prestando o compromisso de manter, defender e XII - conceder indulto e comutar penas, com
cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem audiência, se necessário, dos órgãos instituídos em lei;
geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a XIII - exercer o comando supremo das Forças
independência do Brasil. Armadas, nomear os Comandantes da Marinha, do Exército
Parágrafo único. Se, decorridos dez dias da data e da Aeronáutica, promover seus oficiais-generais e nomeá-
fixada para a posse, o Presidente ou o Vice-Presidente, los para os cargos que lhes são privativos; (Redação dada
salvo motivo de força maior, não tiver assumido o cargo, pela Emenda Constitucional nº 23, de 02/09/99)
este será declarado vago. XIV - nomear, após aprovação pelo Senado
Art. 79. Substituirá o Presidente, no caso de Federal, os Ministros do Supremo Tribunal Federal e dos
impedimento, e suceder-lhe-á, no de vaga, o Vice- Tribunais Superiores, os Governadores de Territórios, o
Presidente. Procurador-Geral da República, o presidente e os diretores
Parágrafo único. O Vice-Presidente da República, do banco central e outros servidores, quando determinado
além de outras atribuições que lhe forem conferidas por lei em lei;
complementar, auxiliará o Presidente, sempre que por ele XV - nomear, observado o disposto no art. 73, os
convocado para missões especiais. Ministros do Tribunal de Contas da União;
Art. 80. Em caso de impedimento do Presidente e XVI - nomear os magistrados, nos casos previstos
do Vice-Presidente, ou vacância dos respectivos cargos, nesta Constituição, e o Advogado-Geral da União;
serão sucessivamente chamados ao exercício da XVII - nomear membros do Conselho da
Presidência o Presidente da Câmara dos Deputados, o do República, nos termos do art. 89, VII;
Senado Federal e o do Supremo Tribunal Federal. XVIII - convocar e presidir o Conselho da
Art. 81. Vagando os cargos de Presidente e Vice- República e o Conselho de Defesa Nacional;
Presidente da República, far-se-á eleição noventa dias XIX - declarar guerra, no caso de agressão
depois de aberta a última vaga. estrangeira, autorizado pelo Congresso Nacional ou
§ 1º - Ocorrendo a vacância nos últimos dois anos referendado por ele, quando ocorrida no intervalo das
do período presidencial, a eleição para ambos os cargos sessões legislativas, e, nas mesmas condições, decretar,
será feita trinta dias depois da última vaga, pelo Congresso total ou parcialmente, a mobilização nacional;
Nacional, na forma da lei. XX - celebrar a paz, autorizado ou com o referendo
§ 2º - Em qualquer dos casos, os eleitos deverão do Congresso Nacional;
completar o período de seus antecessores. XXI - conferir condecorações e distinções
Art. 82. O mandato do Presidente da República é honoríficas;
de quatro anos e terá início em primeiro de janeiro do ano XXII - permitir, nos casos previstos em lei
seguinte ao da sua eleição. (Redação dada pela Emenda complementar, que forças estrangeiras transitem pelo
Constitucional nº 16, de 1997) território nacional ou nele permaneçam temporariamente;
Art. 83. O Presidente e o Vice-Presidente da XXIII - enviar ao Congresso Nacional o plano
República não poderão, sem licença do Congresso plurianual, o projeto de lei de diretrizes orçamentárias e as
Nacional, ausentar-se do País por período superior a quinze propostas de orçamento previstos nesta Constituição;
dias, sob pena de perda do cargo. XXIV - prestar, anualmente, ao Congresso
Seção II Nacional, dentro de sessenta dias após a abertura da
Das Atribuições do Presidente da República sessão legislativa, as contas referentes ao exercício
Art. 84. Compete privativamente ao Presidente da anterior;
República: XXV - prover e extinguir os cargos públicos
I - nomear e exonerar os Ministros de Estado; federais, na forma da lei;
II - exercer, com o auxílio dos Ministros de Estado, XXVI - editar medidas provisórias com força de lei,
a direção superior da administração federal; nos termos do art. 62;
III - iniciar o processo legislativo, na forma e nos XXVII - exercer outras atribuições previstas nesta
casos previstos nesta Constituição; Constituição.
IV - sancionar, promulgar e fazer publicar as leis, Parágrafo único. O Presidente da República
bem como expedir decretos e regulamentos para sua fiel poderá delegar as atribuições mencionadas nos incisos VI,
execução; XII e XXV, primeira parte, aos Ministros de Estado, ao
V - vetar projetos de lei, total ou parcialmente; Procurador-Geral da República ou ao Advogado-Geral da
VI – dispor, mediante decreto, sobre: (Redação União, que observarão os limites traçados nas respectivas
dada pela Emenda Constitucional nº 32, de 2001) delegações.
a) organização e funcionamento da administração Seção III
federal, quando não implicar aumento de despesa nem Da Responsabilidade do Presidente da República
criação ou extinção de órgãos públicos; (Incluída pela Art. 85. São crimes de responsabilidade os atos do
Emenda Constitucional nº 32, de 2001) Presidente da República que atentem contra a Constituição
b) extinção de funções ou cargos públicos, quando Federal e, especialmente, contra:
vagos; (Incluída pela Emenda Constitucional nº 32, de I - a existência da União;
2001) II - o livre exercício do Poder Legislativo, do Poder
VII - manter relações com Estados estrangeiros e Judiciário, do Ministério Público e dos Poderes
acreditar seus representantes diplomáticos; constitucionais das unidades da Federação;
VIII - celebrar tratados, convenções e atos III - o exercício dos direitos políticos, individuais e
internacionais, sujeitos a referendo do Congresso Nacional; sociais;
IX - decretar o estado de defesa e o estado de IV - a segurança interna do País;
sítio; V - a probidade na administração;
X - decretar e executar a intervenção federal; VI - a lei orçamentária;
XI - remeter mensagem e plano de governo ao VII - o cumprimento das leis e das decisões
Congresso Nacional por ocasião da abertura da sessão judiciais.
legislativa, expondo a situação do País e solicitando as
providências que julgar necessárias;
26
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Parágrafo único. Esses crimes serão definidos em II - as questões relevantes para a estabilidade das
lei especial, que estabelecerá as normas de processo e instituições democráticas.
julgamento. § 1º O Presidente da República poderá convocar
Art. 86. Admitida a acusação contra o Presidente Ministro de Estado para participar da reunião do Conselho,
da República, por dois terços da Câmara dos Deputados, quando constar da pauta questão relacionada com o
será ele submetido a julgamento perante o Supremo respectivo Ministério.
Tribunal Federal, nas infrações penais comuns, ou perante § 2º A lei regulará a organização e o
o Senado Federal, nos crimes de responsabilidade. funcionamento do Conselho da República.
§ 1º O Presidente ficará suspenso de suas Subseção II
funções: Do Conselho de Defesa Nacional
I - nas infrações penais comuns, se recebida a Art. 91. O Conselho de Defesa Nacional é órgão
denúncia ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal; de consulta do Presidente da República nos assuntos
II - nos crimes de responsabilidade, após a relacionados com a soberania nacional e a defesa do
instauração do processo pelo Senado Federal. Estado democrático, e dele participam como membros
§ 2º Se, decorrido o prazo de cento e oitenta dias, natos:
o julgamento não estiver concluído, cessará o afastamento I - o Vice-Presidente da República;
do Presidente, sem prejuízo do regular prosseguimento do II - o Presidente da Câmara dos Deputados;
processo. III - o Presidente do Senado Federal;
§ 3º Enquanto não sobrevier sentença IV - o Ministro da Justiça;
condenatória, nas infrações comuns, o Presidente da V - o Ministro de Estado da Defesa; (Redação
República não estará sujeito a prisão. dada pela Emenda Constitucional nº 23, de 1999)
§ 4º O Presidente da República, na vigência de VI - o Ministro das Relações Exteriores;
seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos VII - o Ministro do Planejamento.
estranhos ao exercício de suas funções. VIII - os Comandantes da Marinha, do Exército e
Seção IV da Aeronáutica. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 23,
DOS MINISTROS DE ESTADO de 1999)
Art. 87. Os Ministros de Estado serão escolhidos § 1º Compete ao Conselho de Defesa Nacional:
dentre brasileiros maiores de vinte e um anos e no exercício I - opinar nas hipóteses de declaração de guerra e
dos direitos políticos. de celebração da paz, nos termos desta Constituição;
Parágrafo único. Compete ao Ministro de Estado, II - opinar sobre a decretação do estado de defesa,
além de outras atribuições estabelecidas nesta Constituição do estado de sítio e da intervenção federal;
e na lei: III - propor os critérios e condições de utilização de
I - exercer a orientação, coordenação e supervisão áreas indispensáveis à segurança do território nacional e
dos órgãos e entidades da administração federal na área de opinar sobre seu efetivo uso, especialmente na faixa de
sua competência e referendar os atos e decretos assinados fronteira e nas relacionadas com a preservação e a
pelo Presidente da República; exploração dos recursos naturais de qualquer tipo;
II - expedir instruções para a execução das leis, IV - estudar, propor e acompanhar o
decretos e regulamentos; desenvolvimento de iniciativas necessárias a garantir a
III - apresentar ao Presidente da República independência nacional e a defesa do Estado democrático.
relatório anual de sua gestão no Ministério; § 2º A lei regulará a organização e o
IV - praticar os atos pertinentes às atribuições que funcionamento do Conselho de Defesa Nacional.
lhe forem outorgadas ou delegadas pelo Presidente da CAPÍTULO III
República. DO PODER JUDICIÁRIO
Art. 88. A lei disporá sobre a criação e extinção de Seção I
Ministérios e órgãos da administração pública. (Redação DISPOSIÇÕES GERAIS
dada pela Emenda Constitucional nº 32, de 2001) Art. 92. São órgãos do Poder Judiciário:
Seção V I - o Supremo Tribunal Federal;
DO CONSELHO DA REPÚBLICA E DO CONSELHO DE I-A o Conselho Nacional de Justiça; (Incluído pela
DEFESA NACIONAL Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
Subseção I II - o Superior Tribunal de Justiça;
Do Conselho da República II-A - o Tribunal Superior do
Art. 89. O Conselho da República é órgão superior Trabalho; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 92,
de consulta do Presidente da República, e dele participam: de 2016)
I - o Vice-Presidente da República; III - os Tribunais Regionais Federais e Juízes
II - o Presidente da Câmara dos Deputados; Federais;
III - o Presidente do Senado Federal; IV - os Tribunais e Juízes do Trabalho;
IV - os líderes da maioria e da minoria na Câmara V - os Tribunais e Juízes Eleitorais;
dos Deputados; VI - os Tribunais e Juízes Militares;
V - os líderes da maioria e da minoria no Senado VII - os Tribunais e Juízes dos Estados e do
Federal; Distrito Federal e Territórios.
VI - o Ministro da Justiça; § 1º O Supremo Tribunal Federal, o Conselho
VII - seis cidadãos brasileiros natos, com mais de Nacional de Justiça e os Tribunais Superiores têm sede na
trinta e cinco anos de idade, sendo dois nomeados pelo Capital Federal. (Incluído pela Emenda Constitucional nº
Presidente da República, dois eleitos pelo Senado Federal 45, de 2004)
e dois eleitos pela Câmara dos Deputados, todos com § 2º O Supremo Tribunal Federal e os Tribunais
mandato de três anos, vedada a recondução. Superiores têm jurisdição em todo o território nacional.
Art. 90. Compete ao Conselho da República (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
pronunciar-se sobre: Art. 93. Lei complementar, de iniciativa do
I - intervenção federal, estado de defesa e estado Supremo Tribunal Federal, disporá sobre o Estatuto da
de sítio; Magistratura, observados os seguintes princípios:
27
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

I - ingresso na carreira, cujo cargo inicial será o de que couber, ao disposto nas alíneas a , b , c e e do inciso II;
juiz substituto, mediante concurso público de provas e (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
títulos, com a participação da Ordem dos Advogados do IX todos os julgamentos dos órgãos do Poder
Brasil em todas as fases, exigindo-se do bacharel em Judiciário serão públicos, e fundamentadas todas as
direito, no mínimo, três anos de atividade jurídica e decisões, sob pena de nulidade, podendo a lei limitar a
obedecendo-se, nas nomeações, à ordem de classificação; presença, em determinados atos, às próprias partes e a
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) seus advogados, ou somente a estes, em casos nos quais
II - promoção de entrância para entrância, a preservação do direito à intimidade do interessado no
alternadamente, por antiguidade e merecimento, atendidas sigilo não prejudique o interesse público à informação;
as seguintes normas: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
a) é obrigatória a promoção do juiz que figure por X as decisões administrativas dos tribunais serão
três vezes consecutivas ou cinco alternadas em lista de motivadas e em sessão pública, sendo as disciplinares
merecimento; tomadas pelo voto da maioria absoluta de seus membros;
b) a promoção por merecimento pressupõe dois (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
anos de exercício na respectiva entrância e integrar o juiz a XI nos tribunais com número superior a vinte e
primeira quinta parte da lista de antiguidade desta, salvo se cinco julgadores, poderá ser constituído órgão especial,
não houver com tais requisitos quem aceite o lugar vago; com o mínimo de onze e o máximo de vinte e cinco
c) aferição do merecimento conforme o membros, para o exercício das atribuições administrativas e
desempenho e pelos critérios objetivos de produtividade e jurisdicionais delegadas da competência do tribunal pleno,
presteza no exercício da jurisdição e pela frequência e provendo-se metade das vagas por antiguidade e a outra
aproveitamento em cursos oficiais ou reconhecidos de metade por eleição pelo tribunal pleno; (Redação dada pela
aperfeiçoamento; (Redação dada pela Emenda Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
Constitucional nº 45, de 2004) XII a atividade jurisdicional será ininterrupta, sendo
d) na apuração de antiguidade, o tribunal somente vedado férias coletivas nos juízos e tribunais de segundo
poderá recusar o juiz mais antigo pelo voto fundamentado grau, funcionando, nos dias em que não houver expediente
de dois terços de seus membros, conforme procedimento forense normal, juízes em plantão permanente; (Incluído
próprio, e assegurada ampla defesa, repetindo-se a votação pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
até fixar-se a indicação; (Redação dada pela Emenda XIII o número de juízes na unidade jurisdicional
Constitucional nº 45, de 2004) será proporcional à efetiva demanda judicial e à respectiva
e) não será promovido o juiz que, população; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de
injustificadamente, retiver autos em seu poder além do 2004)
prazo legal, não podendo devolvê-los ao cartório sem o XIV os servidores receberão delegação para a
devido despacho ou decisão; (Incluída pela Emenda prática de atos de administração e atos de mero expediente
Constitucional nº 45, de 2004) sem caráter decisório; (Incluído pela Emenda Constitucional
III o acesso aos tribunais de segundo grau far-se-á nº 45, de 2004)
por antiguidade e merecimento, alternadamente, apurados XV a distribuição de processos será imediata, em
na última ou única entrância; (Redação dada pela Emenda todos os graus de jurisdição. (Incluído pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004) Constitucional nº 45, de 2004)
IV previsão de cursos oficiais de preparação, Art. 94. Um quinto dos lugares dos Tribunais
aperfeiçoamento e promoção de magistrados, constituindo Regionais Federais, dos Tribunais dos Estados, e do
etapa obrigatória do processo de vitaliciamento a Distrito Federal e Territórios será composto de membros, do
participação em curso oficial ou reconhecido por escola Ministério Público, com mais de dez anos de carreira, e de
nacional de formação e aperfeiçoamento de magistrados; advogados de notório saber jurídico e de reputação ilibada,
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) com mais de dez anos de efetiva atividade profissional,
V - o subsídio dos Ministros dos Tribunais indicados em lista sêxtupla pelos órgãos de representação
Superiores corresponderá a noventa e cinco por cento do das respectivas classes.
subsídio mensal fixado para os Ministros do Supremo Parágrafo único. Recebidas as indicações, o
Tribunal Federal e os subsídios dos demais magistrados tribunal formará lista tríplice, enviando-a ao Poder
serão fixados em lei e escalonados, em nível federal e Executivo, que, nos vinte dias subsequentes, escolherá um
estadual, conforme as respectivas categorias da estrutura de seus integrantes para nomeação.
judiciária nacional, não podendo a diferença entre uma e Art. 95. Os juízes gozam das seguintes garantias:
outra ser superior a dez por cento ou inferior a cinco por I - vitaliciedade, que, no primeiro grau, só será
cento, nem exceder a noventa e cinco por cento do subsídio adquirida após dois anos de exercício, dependendo a perda
mensal dos Ministros dos Tribunais Superiores, obedecido, do cargo, nesse período, de deliberação do tribunal a que o
em qualquer caso, o disposto nos arts. 37, XI, e 39, § 4º; juiz estiver vinculado, e, nos demais casos, de sentença
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) judicial transitada em julgado;
VI - a aposentadoria dos magistrados e a pensão II - inamovibilidade, salvo por motivo de interesse
de seus dependentes observarão o disposto no art. 40; público, na forma do art. 93, VIII;
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20, de 1998) III - irredutibilidade de subsídio, ressalvado o
VII o juiz titular residirá na respectiva comarca, disposto nos arts. 37, X e XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e
salvo autorização do tribunal; (Redação dada pela Emenda 153, § 2º, I. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº
Constitucional nº 45, de 2004) 19, de 1998)
VIII o ato de remoção, disponibilidade e Parágrafo único. Aos juízes é vedado:
aposentadoria do magistrado, por interesse público, fundar- I - exercer, ainda que em disponibilidade, outro
se-á em decisão por voto da maioria absoluta do respectivo cargo ou função, salvo uma de magistério;
tribunal ou do Conselho Nacional de Justiça, assegurada II - receber, a qualquer título ou pretexto, custas ou
ampla defesa; (Redação dada pela Emenda Constitucional participação em processo;
nº 45, de 2004) III - dedicar-se à atividade político-partidária.
VIII-A a remoção a pedido ou a permuta de IV receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios
magistrados de comarca de igual entrância atenderá, no ou contribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou
28
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

privadas, ressalvadas as exceções previstas em lei; § 2º As custas e emolumentos serão destinados


(Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) exclusivamente ao custeio dos serviços afetos às atividades
V exercer a advocacia no juízo ou tribunal do qual específicas da Justiça. (Incluído pela Emenda
se afastou, antes de decorridos três anos do afastamento Constitucional nº 45, de 2004)
do cargo por aposentadoria ou exoneração. (Incluído pela Art. 99. Ao Poder Judiciário é assegurada
Emenda Constitucional nº 45, de 2004) autonomia administrativa e financeira.
Art. 96. Compete privativamente: § 1º Os tribunais elaborarão suas propostas
I - aos tribunais: orçamentárias dentro dos limites estipulados conjuntamente
a) eleger seus órgãos diretivos e elaborar seus com os demais Poderes na lei de diretrizes orçamentárias.
regimentos internos, com observância das normas de § 2º O encaminhamento da proposta, ouvidos os
processo e das garantias processuais das partes, dispondo outros tribunais interessados, compete:
sobre a competência e o funcionamento dos respectivos I - no âmbito da União, aos Presidentes do
órgãos jurisdicionais e administrativos; Supremo Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores, com
b) organizar suas secretarias e serviços auxiliares a aprovação dos respectivos tribunais;
e os dos juízos que lhes forem vinculados, velando pelo II - no âmbito dos Estados e no do Distrito Federal
exercício da atividade correcional respectiva; e Territórios, aos Presidentes dos Tribunais de Justiça, com
c) prover, na forma prevista nesta Constituição, os a aprovação dos respectivos tribunais.
cargos de juiz de carreira da respectiva jurisdição; § 3º Se os órgãos referidos no § 2º não
d) propor a criação de novas varas judiciárias; encaminharem as respectivas propostas orçamentárias
e) prover, por concurso público de provas, ou de dentro do prazo estabelecido na lei de diretrizes
provas e títulos, obedecido o disposto no art. 169, parágrafo orçamentárias, o Poder Executivo considerará, para fins de
único, os cargos necessários à administração da Justiça, consolidação da proposta orçamentária anual, os valores
exceto os de confiança assim definidos em lei; aprovados na lei orçamentária vigente, ajustados de acordo
f) conceder licença, férias e outros afastamentos a com os limites estipulados na forma do § 1º deste artigo.
seus membros e aos juízes e servidores que lhes forem (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
imediatamente vinculados; § 4º Se as propostas orçamentárias de que trata
II - ao Supremo Tribunal Federal, aos Tribunais este artigo forem encaminhadas em desacordo com os
Superiores e aos Tribunais de Justiça propor ao Poder limites estipulados na forma do § 1º, o Poder Executivo
Legislativo respectivo, observado o disposto no art. 169: procederá aos ajustes necessários para fins de
a) a alteração do número de membros dos consolidação da proposta orçamentária anual. (Incluído
tribunais inferiores; pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
b) a criação e a extinção de cargos e a § 5º Durante a execução orçamentária do
remuneração dos seus serviços auxiliares e dos juízos que exercício, não poderá haver a realização de despesas ou a
lhes forem vinculados, bem como a fixação do subsídio de assunção de obrigações que extrapolem os limites
seus membros e dos juízes, inclusive dos tribunais estabelecidos na lei de diretrizes orçamentárias, exceto se
inferiores, onde houver; (Redação dada pela Emenda previamente autorizadas, mediante a abertura de créditos
Constitucional nº 41, 19.12.2003) suplementares ou especiais. (Incluído pela Emenda
c) a criação ou extinção dos tribunais inferiores; Constitucional nº 45, de 2004)
d) a alteração da organização e da divisão Art. 100. Os pagamentos devidos pelas Fazendas
judiciárias; Públicas Federal, Estaduais, Distrital e Municipais, em
III - aos Tribunais de Justiça julgar os juízes virtude de sentença judiciária, far-se-ão exclusivamente na
estaduais e do Distrito Federal e Territórios, bem como os ordem cronológica de apresentação dos precatórios e à
membros do Ministério Público, nos crimes comuns e de conta dos créditos respectivos, proibida a designação de
responsabilidade, ressalvada a competência da Justiça casos ou de pessoas nas dotações orçamentárias e nos
Eleitoral. créditos adicionais abertos para este fim. (Redação dada
Art. 97. Somente pelo voto da maioria absoluta de pela Emenda Constitucional nº 62, de 2009). (Vide Emenda
seus membros ou dos membros do respectivo órgão Constitucional nº 62, de 2009)
especial poderão os tribunais declarar a § 1º Os débitos de natureza alimentícia
inconstitucionalidade de lei ou ato normativo do Poder compreendem aqueles decorrentes de salários,
Público. vencimentos, proventos, pensões e suas
Art. 98. A União, no Distrito Federal e nos complementações, benefícios previdenciários e
Territórios, e os Estados criarão: indenizações por morte ou por invalidez, fundadas em
I - juizados especiais, providos por juízes togados, responsabilidade civil, em virtude de sentença judicial
ou togados e leigos, competentes para a conciliação, o transitada em julgado, e serão pagos com preferência sobre
julgamento e a execução de causas cíveis de menor todos os demais débitos, exceto sobre aqueles referidos no
complexidade e infrações penais de menor potencial § 2º deste artigo. (Redação dada pela Emenda
ofensivo, mediante os procedimentos oral e sumariíssimo, Constitucional nº 62, de 2009).
permitidos, nas hipóteses previstas em lei, a transação e o § 2º Os débitos de natureza alimentícia cujos
julgamento de recursos por turmas de juízes de primeiro titulares, originários ou por sucessão hereditária, tenham 60
grau; (sessenta) anos de idade, ou seja portadores de doença
II - justiça de paz, remunerada, composta de grave, ou pessoas com deficiência, assim definidos na
cidadãos eleitos pelo voto direto, universal e secreto, com forma da lei, serão pagos com preferência sobre todos os
mandato de quatro anos e competência para, na forma da demais débitos, até o valor equivalente ao triplo fixado em
lei, celebrar casamentos, verificar, de ofício ou em face de lei para os fins do disposto no § 3º deste artigo, admitido o
impugnação apresentada, o processo de habilitação e fracionamento para essa finalidade, sendo que o restante
exercer atribuições conciliatórias, sem caráter jurisdicional, será pago na ordem cronológica de apresentação do
além de outras previstas na legislação. precatório. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº
§ 1º Lei federal disporá sobre a criação de juizados 94, de 2016)
especiais no âmbito da Justiça Federal. (Renumerado pela § 3º O disposto no caput deste artigo relativamente
Emenda Constitucional nº 45, de 2004) à expedição de precatórios não se aplica aos pagamentos
29
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

de obrigações definidas em leis como de pequeno valor que § 13. O credor poderá ceder, total ou parcialmente,
as Fazendas referidas devam fazer em virtude de sentença seus créditos em precatórios a terceiros,
judicial transitada em julgado. (Redação dada pela Emenda independentemente da concordância do devedor, não se
Constitucional nº 62, de 2009). aplicando ao cessionário o disposto nos §§ 2º e 3º. (Incluído
§ 4º Para os fins do disposto no § 3º, poderão ser pela Emenda Constitucional nº 62, de 2009).
fixados, por leis próprias, valores distintos às entidades de § 14. A cessão de precatórios somente produzirá
direito público, segundo as diferentes capacidades efeitos após comunicação, por meio de petição
econômicas, sendo o mínimo igual ao valor do maior protocolizada, ao tribunal de origem e à entidade devedora.
benefício do regime geral de previdência social. (Redação (Incluído pela Emenda Constitucional nº 62, de 2009).
dada pela Emenda Constitucional nº 62, de 2009). § 15. Sem prejuízo do disposto neste artigo, lei
§ 5º É obrigatória a inclusão, no orçamento das complementar a esta Constituição Federal poderá
entidades de direito público, de verba necessária ao estabelecer regime especial para pagamento de crédito de
pagamento de seus débitos, oriundos de sentenças precatórios de Estados, Distrito Federal e Municípios,
transitadas em julgado, constantes de precatórios dispondo sobre vinculações à receita corrente líquida e
judiciários apresentados até 1º de julho, fazendo-se o forma e prazo de liquidação. (Incluído pela Emenda
pagamento até o final do exercício seguinte, quando terão Constitucional nº 62, de 2009).
seus valores atualizados monetariamente. (Redação dada § 16. A seu critério exclusivo e na forma de lei, a
pela Emenda Constitucional nº 62, de 2009). União poderá assumir débitos, oriundos de precatórios, de
§ 6º As dotações orçamentárias e os créditos Estados, Distrito Federal e Municípios, refinanciando-os
abertos serão consignados diretamente ao Poder Judiciário, diretamente. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 62, de
cabendo ao Presidente do Tribunal que proferir a decisão 2009)
exequenda determinar o pagamento integral e autorizar, a § 17. A União, os Estados, o Distrito Federal e os
requerimento do credor e exclusivamente para os casos de Municípios aferirão mensalmente, em base anual, o
preterimento de seu direito de precedência ou de não comprometimento de suas respectivas receitas correntes
alocação orçamentária do valor necessário à satisfação do líquidas com o pagamento de precatórios e obrigações de
seu débito, o sequestro da quantia respectiva. (Redação pequeno valor. (Incluído pela Emenda Constitucional nº
dada pela Emenda Constitucional nº 62, de 2009). 94, de 2016)
§ 7º O Presidente do Tribunal competente que, por § 18. Entende-se como receita corrente líquida,
ato comissivo ou omissivo, retardar ou tentar frustrar a para os fins de que trata o § 17, o somatório das receitas
liquidação regular de precatórios incorrerá em crime de tributárias, patrimoniais, industriais, agropecuárias, de
responsabilidade e responderá, também, perante o contribuições e de serviços, de transferências correntes e
Conselho Nacional de Justiça. (Incluído pela Emenda outras receitas correntes, incluindo as oriundas do § 1º do
Constitucional nº 62, de 2009). art. 20 da Constituição Federal, verificado no período
§ 8º É vedada a expedição de precatórios compreendido pelo segundo mês imediatamente anterior ao
complementares ou suplementares de valor pago, bem de referência e os 11 (onze) meses precedentes, excluídas
como o fracionamento, repartição ou quebra do valor da as duplicidades, e deduzidas: (Incluído pela Emenda
execução para fins de enquadramento de parcela do total Constitucional nº 94, de 2016)
ao que dispõe o § 3º deste artigo. (Incluído pela Emenda I - na União, as parcelas entregues aos Estados,
Constitucional nº 62, de 2009). ao Distrito Federal e aos Municípios por determinação
§ 9º No momento da expedição dos precatórios, constitucional; (Incluído pela Emenda Constitucional nº
independentemente de regulamentação, deles deverá ser 94, de 2016)
abatido, a título de compensação, valor correspondente aos II - nos Estados, as parcelas entregues aos
débitos líquidos e certos, inscritos ou não em dívida ativa e Municípios por determinação constitucional; (Incluído
constituídos contra o credor original pela Fazenda Pública pela Emenda Constitucional nº 94, de 2016)
devedora, incluídas parcelas vincendas de parcelamentos, III - na União, nos Estados, no Distrito Federal e
ressalvados aqueles cuja execução esteja suspensa em nos Municípios, a contribuição dos servidores para custeio
virtude de contestação administrativa ou judicial. (Incluído de seu sistema de previdência e assistência social e as
pela Emenda Constitucional nº 62, de 2009). receitas provenientes da compensação financeira referida
§ 10. Antes da expedição dos precatórios, o no § 9º do art. 201 da Constituição Federal. (Incluído pela
Tribunal solicitará à Fazenda Pública devedora, para Emenda Constitucional nº 94, de 2016)
resposta em até 30 (trinta) dias, sob pena de perda do § 19. Caso o montante total de débitos decorrentes
direito de abatimento, informação sobre os débitos que de condenações judiciais em precatórios e obrigações de
preencham as condições estabelecidas no § 9º, para os fins pequeno valor, em período de 12 (doze) meses, ultrapasse
nele previstos. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 62, a média do comprometimento percentual da receita
de 2009). corrente líquida nos 5 (cinco) anos imediatamente
§ 11. É facultada ao credor, conforme estabelecido anteriores, a parcela que exceder esse percentual poderá
em lei da entidade federativa devedora, a entrega de ser financiada, excetuada dos limites de endividamento de
créditos em precatórios para compra de imóveis públicos do que tratam os incisos VI e VII do art. 52 da Constituição
respectivo ente federado. (Incluído pela Emenda Federal e de quaisquer outros limites de endividamento
Constitucional nº 62, de 2009). previstos, não se aplicando a esse financiamento a vedação
§ 12. A partir da promulgação desta Emenda de vinculação de receita prevista no inciso IV do art. 167 da
Constitucional, a atualização de valores de requisitórios, Constituição Federal. (Incluído pela Emenda
após sua expedição, até o efetivo pagamento, Constitucional nº 94, de 2016)
independentemente de sua natureza, será feita pelo índice § 20. Caso haja precatório com valor superior a
oficial de remuneração básica da caderneta de poupança, 15% (quinze por cento) do montante dos precatórios
e, para fins de compensação da mora, incidirão juros apresentados nos termos do § 5º deste artigo, 15% (quinze
simples no mesmo percentual de juros incidentes sobre a por cento) do valor deste precatório serão pagos até o final
caderneta de poupança, ficando excluída a incidência de do exercício seguinte e o restante em parcelas iguais nos
juros compensatórios. (Incluído pela Emenda Constitucional cinco exercícios subsequentes, acrescidas de juros de mora
nº 62, de 2009). e correção monetária, ou mediante acordos diretos, perante
30
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Juízos Auxiliares de Conciliação de Precatórios, com o) os conflitos de competência entre o Superior


redução máxima de 40% (quarenta por cento) do valor do Tribunal de Justiça e quaisquer tribunais, entre Tribunais
crédito atualizado, desde que em relação ao crédito não Superiores, ou entre estes e qualquer outro tribunal;
penda recurso ou defesa judicial e que sejam observados p) o pedido de medida cautelar das ações diretas
os requisitos definidos na regulamentação editada pelo ente de inconstitucionalidade;
federado. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 94, de q) o mandado de injunção, quando a elaboração
2016) da norma regulamentadora for atribuição do Presidente da
Seção II República, do Congresso Nacional, da Câmara dos
DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Deputados, do Senado Federal, das Mesas de uma dessas
Art. 101. O Supremo Tribunal Federal compõe-se Casas Legislativas, do Tribunal de Contas da União, de um
de onze Ministros, escolhidos dentre cidadãos com mais de dos Tribunais Superiores, ou do próprio Supremo Tribunal
trinta e cinco e menos de sessenta e cinco anos de idade, Federal;
de notável saber jurídico e reputação ilibada. r) as ações contra o Conselho Nacional de Justiça
Parágrafo único. Os Ministros do Supremo Tribunal e contra o Conselho Nacional do Ministério Público;
Federal serão nomeados pelo Presidente da República, (Incluída pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do II - julgar, em recurso ordinário:
Senado Federal. a) o habeas corpus, o mandado de segurança, o
Art. 102. Compete ao Supremo Tribunal Federal, habeas data e o mandado de injunção decididos em única
precipuamente, a guarda da Constituição, cabendo-lhe: instância pelos Tribunais Superiores, se denegatória a
I - processar e julgar, originariamente: decisão;
a) a ação direta de inconstitucionalidade de lei ou b) o crime político;
ato normativo federal ou estadual e a ação declaratória de III - julgar, mediante recurso extraordinário, as
constitucionalidade de lei ou ato normativo federal; causas decididas em única ou última instância, quando a
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 3, de 1993) decisão recorrida:
b) nas infrações penais comuns, o Presidente da a) contrariar dispositivo desta Constituição;
República, o Vice-Presidente, os membros do Congresso b) declarar a inconstitucionalidade de tratado ou lei
Nacional, seus próprios Ministros e o Procurador-Geral da federal;
República; c) julgar válida lei ou ato de governo local
c) nas infrações penais comuns e nos crimes de contestado em face desta Constituição.
responsabilidade, os Ministros de Estado e os d) julgar válida lei local contestada em face de lei
Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, federal. (Incluída pela Emenda Constitucional nº 45, de
ressalvado o disposto no art. 52, I, os membros dos 2004)
Tribunais Superiores, os do Tribunal de Contas da União e § 1.º A arguição de descumprimento de preceito
os chefes de missão diplomática de caráter permanente; fundamental, decorrente desta Constituição, será apreciada
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23, de 1999) pelo Supremo Tribunal Federal, na forma da lei.
d) o habeas corpus, sendo paciente qualquer das (Transformado do parágrafo único em § 1º pela Emenda
pessoas referidas nas alíneas anteriores; o mandado de Constitucional nº 3, de 17/03/93)
segurança e o habeas data contra atos do Presidente da § 2º As decisões definitivas de mérito, proferidas
República, das Mesas da Câmara dos Deputados e do pelo Supremo Tribunal Federal, nas ações diretas de
Senado Federal, do Tribunal de Contas da União, do inconstitucionalidade e nas ações declaratórias de
Procurador-Geral da República e do próprio Supremo constitucionalidade produzirão eficácia contra todos e efeito
Tribunal Federal; vinculante, relativamente aos demais órgãos do Poder
e) o litígio entre Estado estrangeiro ou organismo Judiciário e à administração pública direta e indireta, nas
internacional e a União, o Estado, o Distrito Federal ou o esferas federal, estadual e municipal. (Redação dada pela
Território; Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
f) as causas e os conflitos entre a União e os § 3º No recurso extraordinário o recorrente deverá
Estados, a União e o Distrito Federal, ou entre uns e outros, demonstrar a repercussão geral das questões
inclusive as respectivas entidades da administração constitucionais discutidas no caso, nos termos da lei, a fim
indireta; de que o Tribunal examine a admissão do recurso, somente
g) a extradição solicitada por Estado estrangeiro; podendo recusá-lo pela manifestação de dois terços de
h) (Revogado pela Emenda Constitucional nº 45, seus membros. (Incluída pela Emenda Constitucional nº 45,
de 2004) de 2004)
i) o habeas corpus, quando o coator for Tribunal Art. 103. Podem propor a ação direta de
Superior ou quando o coator ou o paciente for autoridade inconstitucionalidade e a ação declaratória de
ou funcionário cujos atos estejam sujeitos diretamente à constitucionalidade: (Redação dada pela Emenda
jurisdição do Supremo Tribunal Federal, ou se trate de Constitucional nº 45, de 2004)
crime sujeito à mesma jurisdição em uma única instância; I - o Presidente da República;
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 22, de 1999) II - a Mesa do Senado Federal;
j) a revisão criminal e a ação rescisória de seus III - a Mesa da Câmara dos Deputados;
julgados; IV a Mesa de Assembleia Legislativa ou da
l) a reclamação para a preservação de sua Câmara Legislativa do Distrito Federal; (Redação dada pela
competência e garantia da autoridade de suas decisões; Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
m) a execução de sentença nas causas de sua V o Governador de Estado ou do Distrito Federal;
competência originária, facultada a delegação de (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
atribuições para a prática de atos processuais; VI - o Procurador-Geral da República;
n) a ação em que todos os membros da VII - o Conselho Federal da Ordem dos Advogados
magistratura sejam direta ou indiretamente interessados, e do Brasil;
aquela em que mais da metade dos membros do tribunal de VIII - partido político com representação no
origem estejam impedidos ou sejam direta ou indiretamente Congresso Nacional;
interessados;
31
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

IX - confederação sindical ou entidade de classe VII um juiz federal, indicado pelo Superior Tribunal
de âmbito nacional. de Justiça; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de
§ 1º O Procurador-Geral da República deverá ser 2004)
previamente ouvido nas ações de inconstitucionalidade e VIII um juiz de Tribunal Regional do Trabalho,
em todos os processos de competência do Supremo indicado pelo Tribunal Superior do Trabalho; (Incluído pela
Tribunal Federal. Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
§ 2º Declarada a inconstitucionalidade por omissão IX um juiz do trabalho, indicado pelo Tribunal
de medida para tornar efetiva norma constitucional, será Superior do Trabalho; (Incluído pela Emenda Constitucional
dada ciência ao Poder competente para a adoção das nº 45, de 2004)
providências necessárias e, em se tratando de órgão X um membro do Ministério Público da União,
administrativo, para fazê-lo em trinta dias. indicado pelo Procurador-Geral da República; (Incluído pela
§ 3º Quando o Supremo Tribunal Federal apreciar Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
a inconstitucionalidade, em tese, de norma legal ou ato XI um membro do Ministério Público estadual,
normativo, citará, previamente, o Advogado-Geral da União, escolhido pelo Procurador-Geral da República dentre os
que defenderá o ato ou texto impugnado. nomes indicados pelo órgão competente de cada instituição
§ 4.º (Revogado pela Emenda Constitucional nº 45, estadual; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de
de 2004) 2004)
Art. 103-A. O Supremo Tribunal Federal poderá, de XII dois advogados, indicados pelo Conselho
ofício ou por provocação, mediante decisão de dois terços Federal da Ordem dos Advogados do Brasil; (Incluído pela
dos seus membros, após reiteradas decisões sobre matéria Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
constitucional, aprovar súmula que, a partir de sua XIII dois cidadãos, de notável saber jurídico e
publicação na imprensa oficial, terá efeito vinculante em reputação ilibada, indicados um pela Câmara dos
relação aos demais órgãos do Poder Judiciário e à Deputados e outro pelo Senado Federal. (Incluído pela
administração pública direta e indireta, nas esferas federal, Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
estadual e municipal, bem como proceder à sua revisão ou § 1º O Conselho será presidido pelo Presidente do
cancelamento, na forma estabelecida em lei. (Incluído pela Supremo Tribunal Federal e, nas suas ausências e
Emenda Constitucional nº 45, de 2004) impedimentos, pelo Vice-Presidente do Supremo Tribunal
§ 1º A súmula terá por objetivo a validade, a Federal. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 61,
interpretação e a eficácia de normas determinadas, acerca de 2009)
das quais haja controvérsia atual entre órgãos judiciários ou § 2º Os demais membros do Conselho serão
entre esses e a administração pública que acarrete grave nomeados pelo Presidente da República, depois de
insegurança jurídica e relevante multiplicação de processos aprovada a escolha pela maioria absoluta do Senado
sobre questão idêntica. (Incluído pela Emenda Federal. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 61,
Constitucional nº 45, de 2004) de 2009)
§ 2º Sem prejuízo do que vier a ser estabelecido § 3º Não efetuadas, no prazo legal, as indicações
em lei, a aprovação, revisão ou cancelamento de súmula previstas neste artigo, caberá a escolha ao Supremo
poderá ser provocada por aqueles que podem propor a Tribunal Federal. (Incluído pela Emenda Constitucional nº
ação direta de inconstitucionalidade.(Incluído pela Emenda 45, de 2004)
Constitucional nº 45, de 2004) § 4º Compete ao Conselho o controle da atuação
§ 3º Do ato administrativo ou decisão judicial que administrativa e financeira do Poder Judiciário e do
contrariar a súmula aplicável ou que indevidamente a cumprimento dos deveres funcionais dos juízes, cabendo-
aplicar, caberá reclamação ao Supremo Tribunal Federal lhe, além de outras atribuições que lhe forem conferidas
que, julgando-a procedente, anulará o ato administrativo ou pelo Estatuto da Magistratura: (Incluído pela Emenda
cassará a decisão judicial reclamada, e determinará que Constitucional nº 45, de 2004)
outra seja proferida com ou sem a aplicação da súmula, I - zelar pela autonomia do Poder Judiciário e pelo
conforme o caso. (Incluído pela Emenda Constitucional nº cumprimento do Estatuto da Magistratura, podendo expedir
45, de 2004) atos regulamentares, no âmbito de sua competência, ou
Art. 103-B. O Conselho Nacional de Justiça recomendar providências; (Incluído pela Emenda
compõe-se de 15 (quinze) membros com mandato de 2 Constitucional nº 45, de 2004)
(dois) anos, admitida 1 (uma) recondução, sendo: (Redação II - zelar pela observância do art. 37 e apreciar, de
dada pela Emenda Constitucional nº 61, de 2009) ofício ou mediante provocação, a legalidade dos atos
I - o Presidente do Supremo Tribunal Federal; administrativos praticados por membros ou órgãos do
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 61, de 2009) Poder Judiciário, podendo desconstituí-los, revê-los ou fixar
II um Ministro do Superior Tribunal de Justiça, prazo para que se adotem as providências necessárias ao
indicado pelo respectivo tribunal; (Incluído pela Emenda exato cumprimento da lei, sem prejuízo da competência do
Constitucional nº 45, de 2004) Tribunal de Contas da União; (Incluído pela Emenda
III um Ministro do Tribunal Superior do Trabalho, Constitucional nº 45, de 2004)
indicado pelo respectivo tribunal; (Incluído pela Emenda III receber e conhecer das reclamações contra
Constitucional nº 45, de 2004) membros ou órgãos do Poder Judiciário, inclusive contra
IV um desembargador de Tribunal de Justiça, seus serviços auxiliares, serventias e órgãos prestadores
indicado pelo Supremo Tribunal Federal; (Incluído pela de serviços notariais e de registro que atuem por delegação
Emenda Constitucional nº 45, de 2004) do poder público ou oficializados, sem prejuízo da
V um juiz estadual, indicado pelo Supremo competência disciplinar e correcional dos tribunais,
Tribunal Federal; (Incluído pela Emenda Constitucional nº podendo avocar processos disciplinares em curso e
45, de 2004) determinar a remoção, a disponibilidade ou a aposentadoria
VI um juiz de Tribunal Regional Federal, indicado com subsídios ou proventos proporcionais ao tempo de
pelo Superior Tribunal de Justiça; (Incluído pela Emenda serviço e aplicar outras sanções administrativas,
Constitucional nº 45, de 2004) assegurada ampla defesa; (Incluído pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004)

32
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

IV representar ao Ministério Público, no caso de a) nos crimes comuns, os Governadores dos


crime contra a administração pública ou de abuso de Estados e do Distrito Federal, e, nestes e nos de
autoridade; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de responsabilidade, os desembargadores dos Tribunais de
2004) Justiça dos Estados e do Distrito Federal, os membros dos
V rever, de ofício ou mediante provocação, os Tribunais de Contas dos Estados e do Distrito Federal, os
processos disciplinares de juízes e membros de tribunais dos Tribunais Regionais Federais, dos Tribunais Regionais
julgados há menos de um ano; (Incluído pela Emenda Eleitorais e do Trabalho, os membros dos Conselhos ou
Constitucional nº 45, de 2004) Tribunais de Contas dos Municípios e os do Ministério
VI elaborar semestralmente relatório estatístico Público da União que oficiem perante tribunais;
sobre processos e sentenças prolatadas, por unidade da b) os mandados de segurança e os habeas data
Federação, nos diferentes órgãos do Poder Judiciário; contra ato de Ministro de Estado, dos Comandantes da
(Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) Marinha, do Exército e da Aeronáutica ou do próprio
VII elaborar relatório anual, propondo as Tribunal; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23,
providências que julgar necessárias, sobre a situação do de 1999)
Poder Judiciário no País e as atividades do Conselho, o c) os habeas corpus, quando o coator ou paciente
qual deve integrar mensagem do Presidente do Supremo for qualquer das pessoas mencionadas na alínea "a", ou
Tribunal Federal a ser remetida ao Congresso Nacional, por quando o coator for tribunal sujeito à sua jurisdição, Ministro
ocasião da abertura da sessão legislativa. (Incluído pela de Estado ou Comandante da Marinha, do Exército ou da
Emenda Constitucional nº 45, de 2004) Aeronáutica, ressalvada a competência da Justiça Eleitoral;
§ 5º O Ministro do Superior Tribunal de Justiça (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23, de 1999)
exercerá a função de Ministro-Corregedor e ficará excluído d) os conflitos de competência entre quaisquer
da distribuição de processos no Tribunal, competindo-lhe, tribunais, ressalvado o disposto no art. 102, I, "o", bem
além das atribuições que lhe forem conferidas pelo Estatuto como entre tribunal e juízes a ele não vinculados e entre
da Magistratura, as seguintes: (Incluído pela Emenda juízes vinculados a tribunais diversos;
Constitucional nº 45, de 2004) e) as revisões criminais e as ações rescisórias de
I receber as reclamações e denúncias, de qualquer seus julgados;
interessado, relativas aos magistrados e aos serviços f) a reclamação para a preservação de sua
judiciários; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de competência e garantia da autoridade de suas decisões;
2004) g) os conflitos de atribuições entre autoridades
II exercer funções executivas do Conselho, de administrativas e judiciárias da União, ou entre autoridades
inspeção e de correição geral; (Incluído pela Emenda judiciárias de um Estado e administrativas de outro ou do
Constitucional nº 45, de 2004) Distrito Federal, ou entre as deste e da União;
III requisitar e designar magistrados, delegando- h) o mandado de injunção, quando a elaboração
lhes atribuições, e requisitar servidores de juízos ou da norma regulamentadora for atribuição de órgão, entidade
tribunais, inclusive nos Estados, Distrito Federal e ou autoridade federal, da administração direta ou indireta,
Territórios. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de excetuados os casos de competência do Supremo Tribunal
2004) Federal e dos órgãos da Justiça Militar, da Justiça Eleitoral,
§ 6º Junto ao Conselho oficiarão o Procurador- da Justiça do Trabalho e da Justiça Federal;
Geral da República e o Presidente do Conselho Federal da i) a homologação de sentenças estrangeiras e a
Ordem dos Advogados do Brasil. (Incluído pela Emenda concessão de exequatur às cartas rogatórias; (Incluída pela
Constitucional nº 45, de 2004) Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
§ 7º A União, inclusive no Distrito Federal e nos II - julgar, em recurso ordinário:
Territórios, criará ouvidorias de justiça, competentes para a) os habeas corpus decididos em única ou última
receber reclamações e denúncias de qualquer interessado instância pelos Tribunais Regionais Federais ou pelos
contra membros ou órgãos do Poder Judiciário, ou contra tribunais dos Estados, do Distrito Federal e Territórios,
seus serviços auxiliares, representando diretamente ao quando a decisão for denegatória;
Conselho Nacional de Justiça. (Incluído pela Emenda b) os mandados de segurança decididos em única
Constitucional nº 45, de 2004) instância pelos Tribunais Regionais Federais ou pelos
Seção III tribunais dos Estados, do Distrito Federal e Territórios,
DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA quando denegatória a decisão;
Art. 104. O Superior Tribunal de Justiça compõe-se c) as causas em que forem partes Estado
de, no mínimo, trinta e três Ministros. estrangeiro ou organismo internacional, de um lado, e, do
Parágrafo único. Os Ministros do Superior Tribunal outro, Município ou pessoa residente ou domiciliada no
de Justiça serão nomeados pelo Presidente da República, País;
dentre brasileiros com mais de trinta e cinco e menos de III - julgar, em recurso especial, as causas
sessenta e cinco anos, de notável saber jurídico e decididas, em única ou última instância, pelos Tribunais
reputação ilibada, depois de aprovada a escolha pela Regionais Federais ou pelos tribunais dos Estados, do
maioria absoluta do Senado Federal, sendo: (Redação Distrito Federal e Territórios, quando a decisão recorrida:
dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) a) contrariar tratado ou lei federal, ou negar-lhes
I - um terço dentre juízes dos Tribunais Regionais vigência;
Federais e um terço dentre desembargadores dos Tribunais b) julgar válido ato de governo local contestado em
de Justiça, indicados em lista tríplice elaborada pelo próprio face de lei federal; (Redação dada pela Emenda
Tribunal; Constitucional nº 45, de 2004)
II - um terço, em partes iguais, dentre advogados e c) der a lei federal interpretação divergente da que
membros do Ministério Público Federal, Estadual, do lhe haja atribuído outro tribunal.
Distrito Federal e Territórios, alternadamente, indicados na Parágrafo único. Funcionarão junto ao Superior
forma do art. 94. Tribunal de Justiça: (Redação dada pela Emenda
Art. 105. Compete ao Superior Tribunal de Justiça: Constitucional nº 45, de 2004)
I - processar e julgar, originariamente: I - a Escola Nacional de Formação e
Aperfeiçoamento de Magistrados, cabendo-lhe, dentre
33
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

outras funções, regulamentar os cursos oficiais para o II - as causas entre Estado estrangeiro ou
ingresso e promoção na carreira; (Incluído pela Emenda organismo internacional e Município ou pessoa domiciliada
Constitucional nº 45, de 2004) ou residente no País;
II - o Conselho da Justiça Federal, cabendo-lhe III - as causas fundadas em tratado ou contrato da
exercer, na forma da lei, a supervisão administrativa e União com Estado estrangeiro ou organismo internacional;
orçamentária da Justiça Federal de primeiro e segundo IV - os crimes políticos e as infrações penais
graus, como órgão central do sistema e com poderes praticadas em detrimento de bens, serviços ou interesse da
correcionais, cujas decisões terão caráter vinculante. União ou de suas entidades autárquicas ou empresas
(Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) públicas, excluídas as contravenções e ressalvada a
Seção IV competência da Justiça Militar e da Justiça Eleitoral;
DOS TRIBUNAIS REGIONAIS FEDERAIS E DOS JUÍZES V - os crimes previstos em tratado ou convenção
FEDERAIS internacional, quando, iniciada a execução no País, o
Art. 106. São órgãos da Justiça Federal: resultado tenha ou devesse ter ocorrido no estrangeiro, ou
I - os Tribunais Regionais Federais; reciprocamente;
II - os Juízes Federais. V-A as causas relativas a direitos humanos a que
Art. 107. Os Tribunais Regionais Federais se refere o § 5º deste artigo; (Incluído pela Emenda
compõem-se de, no mínimo, sete juízes, recrutados, Constitucional nº 45, de 2004)
quando possível, na respectiva região e nomeados pelo VI - os crimes contra a organização do trabalho e,
Presidente da República dentre brasileiros com mais de nos casos determinados por lei, contra o sistema financeiro
trinta e menos de sessenta e cinco anos, sendo: e a ordem econômico-financeira;
I - um quinto dentre advogados com mais de dez VII - os habeas corpus, em matéria criminal de sua
anos de efetiva atividade profissional e membros do competência ou quando o constrangimento provier de
Ministério Público Federal com mais de dez anos de autoridade cujos atos não estejam diretamente sujeitos a
carreira; outra jurisdição;
II - os demais, mediante promoção de juízes VIII - os mandados de segurança e os habeas data
federais com mais de cinco anos de exercício, por contra ato de autoridade federal, excetuados os casos de
antiguidade e merecimento, alternadamente. competência dos tribunais federais;
§ 1º A lei disciplinará a remoção ou a permuta de IX - os crimes cometidos a bordo de navios ou
juízes dos Tribunais Regionais Federais e determinará sua aeronaves, ressalvada a competência da Justiça Militar;
jurisdição e sede. (Renumerado do parágrafo único, pela X - os crimes de ingresso ou permanência irregular
Emenda Constitucional nº 45, de 2004) de estrangeiro, a execução de carta rogatória, após o
§ 2º Os Tribunais Regionais Federais instalarão a "exequatur", e de sentença estrangeira, após a
justiça itinerante, com a realização de audiências e demais homologação, as causas referentes à nacionalidade,
funções da atividade jurisdicional, nos limites territoriais da inclusive a respectiva opção, e à naturalização;
respectiva jurisdição, servindo-se de equipamentos públicos XI - a disputa sobre direitos indígenas.
e comunitários. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, § 1º As causas em que a União for autora serão
de 2004) aforadas na seção judiciária onde tiver domicílio a outra
§ 3º Os Tribunais Regionais Federais poderão parte.
funcionar descentralizadamente, constituindo Câmaras § 2º As causas intentadas contra a União poderão
regionais, a fim de assegurar o pleno acesso do ser aforadas na seção judiciária em que for domiciliado o
jurisdicionado à justiça em todas as fases do processo. autor, naquela onde houver ocorrido o ato ou fato que deu
(Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) origem à demanda ou onde esteja situada a coisa, ou,
Art. 108. Compete aos Tribunais Regionais ainda, no Distrito Federal.
Federais: § 3º Serão processadas e julgadas na justiça
I - processar e julgar, originariamente: estadual, no foro do domicílio dos segurados ou
a) os juízes federais da área de sua jurisdição, beneficiários, as causas em que forem parte instituição de
incluídos os da Justiça Militar e da Justiça do Trabalho, nos previdência social e segurado, sempre que a comarca não
crimes comuns e de responsabilidade, e os membros do seja sede de vara do juízo federal, e, se verificada essa
Ministério Público da União, ressalvada a competência da condição, a lei poderá permitir que outras causas sejam
Justiça Eleitoral; também processadas e julgadas pela justiça estadual.
b) as revisões criminais e as ações rescisórias de § 4º Na hipótese do parágrafo anterior, o recurso
julgados seus ou dos juízes federais da região; cabível será sempre para o Tribunal Regional Federal na
c) os mandados de segurança e os habeas data área de jurisdição do juiz de primeiro grau.
contra ato do próprio Tribunal ou de juiz federal; § 5º Nas hipóteses de grave violação de direitos
d) os habeas corpus, quando a autoridade coatora humanos, o Procurador-Geral da República, com a
for juiz federal; finalidade de assegurar o cumprimento de obrigações
e) os conflitos de competência entre juízes federais decorrentes de tratados internacionais de direitos humanos
vinculados ao Tribunal; dos quais o Brasil seja parte, poderá suscitar, perante o
II - julgar, em grau de recurso, as causas decididas Superior Tribunal de Justiça, em qualquer fase do inquérito
pelos juízes federais e pelos juízes estaduais no exercício ou processo, incidente de deslocamento de competência
da competência federal da área de sua jurisdição. para a Justiça Federal. (Incluído pela Emenda
Art. 109. Aos juízes federais compete processar e Constitucional nº 45, de 2004)
julgar: Art. 110. Cada Estado, bem como o Distrito
I - as causas em que a União, entidade autárquica Federal, constituirá uma seção judiciária que terá por sede
ou empresa pública federal forem interessadas na condição a respectiva Capital, e varas localizadas segundo o
de autoras, rés, assistentes ou oponentes, exceto as de estabelecido em lei.
falência, as de acidentes de trabalho e as sujeitas à Justiça Parágrafo único. Nos Territórios Federais, a
Eleitoral e à Justiça do Trabalho; jurisdição e as atribuições cometidas aos juízes federais
caberão aos juízes da justiça local, na forma da lei.

34
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Seção V Estados, do Distrito Federal e dos


(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 92, de 2016) Municípios; (Incluído pela Emenda Constitucional nº
Do Tribunal Superior do Trabalho, dos 45, de 2004)
Tribunais Regionais II as ações que envolvam exercício do direito de
do Trabalho e dos Juízes do Trabalho greve; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de
Art. 111. São órgãos da Justiça do Trabalho: 2004)
I - o Tribunal Superior do Trabalho; III as ações sobre representação sindical, entre
II - os Tribunais Regionais do Trabalho; sindicatos, entre sindicatos e trabalhadores, e entre
III - Juízes do Trabalho. (Redação dada pela sindicatos e empregadores; (Incluído pela Emenda
Emenda Constitucional nº 24, de 1999) Constitucional nº 45, de 2004)
§§ 1º a 3º (Revogados pela Emenda IV os mandados de segurança, habeas corpus e
Constitucional nº 45, de 2004) habeas data , quando o ato questionado envolver matéria
Art. 111-A. O Tribunal Superior do Trabalho sujeita à sua jurisdição; (Incluído pela Emenda
compor-se-á de vinte e sete Ministros, escolhidos dentre Constitucional nº 45, de 2004)
brasileiros com mais de trinta e cinco anos e menos de V os conflitos de competência entre órgãos com
sessenta e cinco anos, de notável saber jurídico e jurisdição trabalhista, ressalvado o disposto no art. 102, I,
reputação ilibada, nomeados pelo Presidente da República o; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
após aprovação pela maioria absoluta do Senado Federal, VI as ações de indenização por dano moral ou
sendo: (Redação dada pela Emenda Constitucional patrimonial, decorrentes da relação de
nº 92, de 2016) trabalho; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45,
I um quinto dentre advogados com mais de dez de 2004)
anos de efetiva atividade profissional e membros do VII as ações relativas às penalidades
Ministério Público do Trabalho com mais de dez anos de administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos
efetivo exercício, observado o disposto no art. de fiscalização das relações de trabalho; (Incluído pela
94; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
2004) VIII a execução, de ofício, das contribuições
II os demais dentre juízes dos Tribunais Regionais sociais previstas no art. 195, I, a , e II, e seus acréscimos
do Trabalho, oriundos da magistratura da carreira, legais, decorrentes das sentenças que
indicados pelo próprio Tribunal Superior. (Incluído proferir; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45,
pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) de 2004)
§ 1º A lei disporá sobre a competência do Tribunal IX outras controvérsias decorrentes da relação de
Superior do Trabalho. (Incluído pela Emenda trabalho, na forma da lei. (Incluído pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004) Constitucional nº 45, de 2004)
§ 2º Funcionarão junto ao Tribunal Superior do § 1º Frustrada a negociação coletiva, as partes
Trabalho: (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, poderão eleger árbitros.
de 2004) § 2º Recusando-se qualquer das partes à
I a Escola Nacional de Formação e negociação coletiva ou à arbitragem, é facultado às
Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho, cabendo-lhe, mesmas, de comum acordo, ajuizar dissídio coletivo de
dentre outras funções, regulamentar os cursos oficiais para natureza econômica, podendo a Justiça do Trabalho decidir
o ingresso e promoção na carreira; (Incluído pela o conflito, respeitadas as disposições mínimas legais de
Emenda Constitucional nº 45, de 2004) proteção ao trabalho, bem como as convencionadas
II o Conselho Superior da Justiça do Trabalho, anteriormente. (Redação dada pela Emenda
cabendo-lhe exercer, na forma da lei, a supervisão Constitucional nº 45, de 2004)
administrativa, orçamentária, financeira e patrimonial da § 3º Em caso de greve em atividade essencial,
Justiça do Trabalho de primeiro e segundo graus, como com possibilidade de lesão do interesse público, o
órgão central do sistema, cujas decisões terão efeito Ministério Público do Trabalho poderá ajuizar dissídio
vinculante. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, coletivo, competindo à Justiça do Trabalho decidir o
de 2004) conflito. (Redação dada pela Emenda Constitucional
§ 3º Compete ao Tribunal Superior do Trabalho nº 45, de 2004)
processar e julgar, originariamente, a reclamação para a Art. 115. Os Tribunais Regionais do Trabalho
preservação de sua competência e garantia da autoridade compõem-se de, no mínimo, sete juízes, recrutados,
de suas decisões. (Incluído pela Emenda quando possível, na respectiva região, e nomeados pelo
Constitucional nº 92, de 2016) Presidente da República dentre brasileiros com mais de
Art. 112. A lei criará varas da Justiça do Trabalho, trinta e menos de sessenta e cinco anos, sendo: (Redação
podendo, nas comarcas não abrangidas por sua jurisdição, dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
atribuí-la aos juízes de direito, com recurso para o I um quinto dentre advogados com mais de dez
respectivo Tribunal Regional do T anos de efetiva atividade profissional e membros do
trabalho. (Redação dada pela Emenda Ministério Público do Trabalho com mais de dez anos de
Constitucional nº 45, de 2004) efetivo exercício, observado o disposto no art.
Art. 113. A lei disporá sobre a constituição, 94; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45,
investidura, jurisdição, competência, garantias e condições de 2004)
de exercício dos órgãos da Justiça do II os demais, mediante promoção de juízes do
Trabalho. (Redação dada pela Emenda Constitucional trabalho por antiguidade e merecimento,
nº 24, de 1999) alternadamente. (Redação dada pela Emenda
Art. 114. Compete à Justiça do Trabalho processar Constitucional nº 45, de 2004)
e julgar: (Redação dada pela Emenda Constitucional § 1º Os Tribunais Regionais do Trabalho instalarão
nº 45, de 2004) a justiça itinerante, com a realização de audiências e
I as ações oriundas da relação de trabalho, demais funções de atividade jurisdicional, nos limites
abrangidos os entes de direito público externo e da territoriais da respectiva jurisdição, servindo-se de
administração pública direta e indireta da União, dos
35
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

equipamentos públicos e comunitários. (Incluído pela § 3º São irrecorríveis as decisões do Tribunal


Emenda Constitucional nº 45, de 2004) Superior Eleitoral, salvo as que contrariarem esta
§ 2º Os Tribunais Regionais do Trabalho poderão Constituição e as denegatórias de habeas corpus ou
funcionar descentralizadamente, constituindo Câmaras mandado de segurança.
regionais, a fim de assegurar o pleno acesso do § 4º Das decisões dos Tribunais Regionais
jurisdicionado à justiça em todas as fases do Eleitorais somente caberá recurso quando:
processo. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, I - forem proferidas contra disposição expressa
de 2004) desta Constituição ou de lei;
Art. 116. Nas Varas do Trabalho, a jurisdição será II - ocorrer divergência na interpretação de lei entre
exercida por um juiz singular. (Redação dada pela dois ou mais tribunais eleitorais;
Emenda Constitucional nº 24, de 1999) III - versarem sobre inelegibilidade ou expedição
Parágrafo único. (Revogado pela Emenda de diplomas nas eleições federais ou estaduais;
Constitucional nº 24, de 1999) IV - anularem diplomas ou decretarem a perda de
Art. 117. e Parágrafo único. (Revogados mandatos eletivos federais ou estaduais;
pela Emenda Constitucional nº 24, de 1999) V - denegarem habeas corpus, mandado de
Seção VI segurança, habeas data ou mandado de injunção.
DOS TRIBUNAIS E JUÍZES ELEITORAIS Seção VII
Art. 118. São órgãos da Justiça Eleitoral: DOS TRIBUNAIS E JUÍZES MILITARES
I - o Tribunal Superior Eleitoral; Art. 122. São órgãos da Justiça Militar:
II - os Tribunais Regionais Eleitorais; I - o Superior Tribunal Militar;
III - os Juízes Eleitorais; II - os Tribunais e Juízes Militares instituídos por
IV - as Juntas Eleitorais. lei.
Art. 119. O Tribunal Superior Eleitoral compor-se- Art. 123. O Superior Tribunal Militar compor-se-á
á, no mínimo, de sete membros, escolhidos: de quinze Ministros vitalícios, nomeados pelo Presidente da
I - mediante eleição, pelo voto secreto: República, depois de aprovada a indicação pelo Senado
a) três juízes dentre os Ministros do Supremo Federal, sendo três dentre oficiais-generais da Marinha,
Tribunal Federal; quatro dentre oficiais-generais do Exército, três dentre
b) dois juízes dentre os Ministros do Superior oficiais-generais da Aeronáutica, todos da ativa e do posto
Tribunal de Justiça; mais elevado da carreira, e cinco dentre civis.
II - por nomeação do Presidente da República, dois Parágrafo único. Os Ministros civis serão
juízes dentre seis advogados de notável saber jurídico e escolhidos pelo Presidente da República dentre brasileiros
idoneidade moral, indicados pelo Supremo Tribunal maiores de trinta e cinco anos, sendo:
Federal. I - três dentre advogados de notório saber jurídico
Parágrafo único. O Tribunal Superior Eleitoral e conduta ilibada, com mais de dez anos de efetiva
elegerá seu Presidente e o Vice-Presidente dentre os atividade profissional;
Ministros do Supremo Tribunal Federal, e o Corregedor II - dois, por escolha paritária, dentre juízes
Eleitoral dentre os Ministros do Superior Tribunal de Justiça. auditores e membros do Ministério Público da Justiça
Art. 120. Haverá um Tribunal Regional Eleitoral na Militar.
Capital de cada Estado e no Distrito Federal. Art. 124. à Justiça Militar compete processar e
§ 1º - Os Tribunais Regionais Eleitorais compor-se- julgar os crimes militares definidos em lei.
ão: Parágrafo único. A lei disporá sobre a organização,
I - mediante eleição, pelo voto secreto: o funcionamento e a competência da Justiça Militar.
a) de dois juízes dentre os desembargadores do Seção VIII
Tribunal de Justiça; DOS TRIBUNAIS E JUÍZES DOS ESTADOS
b) de dois juízes, dentre juízes de direito, Art. 125. Os Estados organizarão sua Justiça,
escolhidos pelo Tribunal de Justiça; observados os princípios estabelecidos nesta Constituição.
II - de um juiz do Tribunal Regional Federal com § 1º A competência dos tribunais será definida na
sede na Capital do Estado ou no Distrito Federal, ou, não Constituição do Estado, sendo a lei de organização
havendo, de juiz federal, escolhido, em qualquer caso, pelo judiciária de iniciativa do Tribunal de Justiça.
Tribunal Regional Federal respectivo; § 2º Cabe aos Estados a instituição de
III - por nomeação, pelo Presidente da República, representação de inconstitucionalidade de leis ou atos
de dois juízes dentre seis advogados de notável saber normativos estaduais ou municipais em face da
jurídico e idoneidade moral, indicados pelo Tribunal de Constituição Estadual, vedada a atribuição da legitimação
Justiça. para agir a um único órgão.
§ 2º - O Tribunal Regional Eleitoral elegerá seu § 3º A lei estadual poderá criar, mediante proposta
Presidente e o Vice-Presidente- dentre os do Tribunal de Justiça, a Justiça Militar estadual,
desembargadores. constituída, em primeiro grau, pelos juízes de direito e pelos
Art. 121. Lei complementar disporá sobre a Conselhos de Justiça e, em segundo grau, pelo próprio
organização e competência dos tribunais, dos juízes de Tribunal de Justiça, ou por Tribunal de Justiça Militar nos
direito e das juntas eleitorais. Estados em que o efetivo militar seja superior a vinte mil
§ 1º Os membros dos tribunais, os juízes de direito integrantes. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº
e os integrantes das juntas eleitorais, no exercício de suas 45, de 2004)
funções, e no que lhes for aplicável, gozarão de plenas § 4º Compete à Justiça Militar estadual processar e
garantias e serão inamovíveis. julgar os militares dos Estados, nos crimes militares
§ 2º Os juízes dos tribunais eleitorais, salvo motivo definidos em lei e as ações judiciais contra atos
justificado, servirão por dois anos, no mínimo, e nunca por disciplinares militares, ressalvada a competência do júri
mais de dois biênios consecutivos, sendo os substitutos quando a vítima for civil, cabendo ao tribunal competente
escolhidos na mesma ocasião e pelo mesmo processo, em decidir sobre a perda do posto e da patente dos oficiais e
número igual para cada categoria. da graduação das praças. (Redação dada pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004)
36
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

§ 5º Compete aos juízes de direito do juízo militar Art. 128. O Ministério Público abrange:
processar e julgar, singularmente, os crimes militares I - o Ministério Público da União, que compreende:
cometidos contra civis e as ações judiciais contra atos a) o Ministério Público Federal;
disciplinares militares, cabendo ao Conselho de Justiça, sob b) o Ministério Público do Trabalho;
a presidência de juiz de direito, processar e julgar os c) o Ministério Público Militar;
demais crimes militares. (Incluído pela Emenda d) o Ministério Público do Distrito Federal e
Constitucional nº 45, de 2004) Territórios;
§ 6º O Tribunal de Justiça poderá funcionar II - os Ministérios Públicos dos Estados.
descentralizada mente, constituindo Câmaras regionais, a § 1º O Ministério Público da União tem por chefe o
fim de assegurar o pleno acesso do jurisdicionado à justiça Procurador-Geral da República, nomeado pelo Presidente
em todas as fases do processo. (Incluído pela Emenda da República dentre integrantes da carreira, maiores de
Constitucional nº 45, de 2004) trinta e cinco anos, após a aprovação de seu nome pela
§ 7º O Tribunal de Justiça instalará a justiça maioria absoluta dos membros do Senado Federal, para
itinerante, com a realização de audiências e demais mandato de dois anos, permitida a recondução.
funções da atividade jurisdicional, nos limites territoriais da § 2º A destituição do Procurador-Geral da
respectiva jurisdição, servindo-se de equipamentos públicos República, por iniciativa do Presidente da República, deverá
e comunitários. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, ser precedida de autorização da maioria absoluta do
de 2004) Senado Federal.
Art. 126. Para dirimir conflitos fundiários, o Tribunal § 3º Os Ministérios Públicos dos Estados e o do
de Justiça proporá a criação de varas especializadas, com Distrito Federal e Territórios formarão lista tríplice dentre
competência exclusiva para questões agrárias. (Redação integrantes da carreira, na forma da lei respectiva, para
dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) escolha de seu Procurador-Geral, que será nomeado pelo
Parágrafo único. Sempre que necessário à Chefe do Poder Executivo, para mandato de dois anos,
eficiente prestação jurisdicional, o juiz far-se-á presente no permitida uma recondução.
local do litígio. § 4º Os Procuradores-Gerais nos Estados e no
CAPÍTULO IV Distrito Federal e Territórios poderão ser destituídos por
DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA deliberação da maioria absoluta do Poder Legislativo, na
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 80, de 2014) forma da lei complementar respectiva.
SEÇÃO I § 5º Leis complementares da União e dos Estados,
DO MINISTÉRIO PÚBLICO cuja iniciativa é facultada aos respectivos Procuradores-
Art. 127. O Ministério Público é instituição Gerais, estabelecerão a organização, as atribuições e o
permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, estatuto de cada Ministério Público, observadas,
incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime relativamente a seus membros:
democrático e dos interesses sociais e individuais I - as seguintes garantias:
indisponíveis. a) vitaliciedade, após dois anos de exercício, não
§ 1º São princípios institucionais do Ministério podendo perder o cargo senão por sentença judicial
Público a unidade, a indivisibilidade e a independência transitada em julgado;
funcional. b) inamovibilidade, salvo por motivo de interesse
§ 2º Ao Ministério Público é assegurada autonomia público, mediante decisão do órgão colegiado competente
funcional e administrativa, podendo, observado o disposto do Ministério Público, pelo voto da maioria absoluta de seus
no art. 169, propor ao Poder Legislativo a criação e extinção membros, assegurada ampla defesa; (Redação dada pela
de seus cargos e serviços auxiliares, provendo-os por Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
concurso público de provas ou de provas e títulos, a política c) irredutibilidade de subsídio, fixado na forma do
remuneratória e os planos de carreira; a lei disporá sobre art. 39, § 4º, e ressalvado o disposto nos arts. 37, X e XI,
sua organização e funcionamento. (Redação dada pela 150, II, 153, III, 153, § 2º, I; (Redação dada pela Emenda
Emenda Constitucional nº 19, de 1998) Constitucional nº 19, de 1998)
§ 3º O Ministério Público elaborará sua proposta II - as seguintes vedações:
orçamentária dentro dos limites estabelecidos na lei de a) receber, a qualquer título e sob qualquer
diretrizes orçamentárias. pretexto, honorários, percentagens ou custas processuais;
§ 4º Se o Ministério Público não encaminhar a b) exercer a advocacia;
respectiva proposta orçamentária dentro do prazo c) participar de sociedade comercial, na forma da
estabelecido na lei de diretrizes orçamentárias, o Poder lei;
Executivo considerará, para fins de consolidação da d) exercer, ainda que em disponibilidade, qualquer
proposta orçamentária anual, os valores aprovados na lei outra função pública, salvo uma de magistério;
orçamentária vigente, ajustados de acordo com os limites e) exercer atividade político-partidária; (Redação
estipulados na forma do § 3º. (Incluído pela Emenda dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
Constitucional nº 45, de 2004) f) receber, a qualquer título ou pretexto, auxílios ou
§ 5º Se a proposta orçamentária de que trata este contribuições de pessoas físicas, entidades públicas ou
artigo for encaminhada em desacordo com os limites privadas, ressalvadas as exceções previstas em lei.
estipulados na forma do § 3º, o Poder Executivo procederá (Incluída pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
aos ajustes necessários para fins de consolidação da § 6º Aplica-se aos membros do Ministério Público o
proposta orçamentária anual. (Incluído pela Emenda disposto no art. 95, parágrafo único, V. (Incluído pela
Constitucional nº 45, de 2004) Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
§ 6º Durante a execução orçamentária do Art. 129. São funções institucionais do Ministério
exercício, não poderá haver a realização de despesas ou a Público:
assunção de obrigações que extrapolem os limites I - promover, privativamente, a ação penal pública,
estabelecidos na lei de diretrizes orçamentárias, exceto se na forma da lei;
previamente autorizadas, mediante a abertura de créditos II - zelar pelo efetivo respeito dos Poderes Públicos
suplementares ou especiais. (Incluído pela Emenda e dos serviços de relevância pública aos direitos
Constitucional nº 45, de 2004)
37
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

assegurados nesta Constituição, promovendo as medidas § 1º Os membros do Conselho oriundos do


necessárias a sua garantia; Ministério Público serão indicados pelos respectivos
III - promover o inquérito civil e a ação civil pública, Ministérios Públicos, na forma da lei.
para a proteção do patrimônio público e social, do meio § 2º Compete ao Conselho Nacional do Ministério
ambiente e de outros interesses difusos e coletivos; Público o controle da atuação administrativa e financeira do
IV - promover a ação de inconstitucionalidade ou Ministério Público e do cumprimento dos deveres funcionais
representação para fins de intervenção da União e dos de seus membros, cabendo lhe:
Estados, nos casos previstos nesta Constituição; I zelar pela autonomia funcional e administrativa do
V - defender judicialmente os direitos e interesses Ministério Público, podendo expedir atos regulamentares,
das populações indígenas; no âmbito de sua competência, ou recomendar
VI - expedir notificações nos procedimentos providências;
administrativos de sua competência, requisitando II zelar pela observância do art. 37 e apreciar, de
informações e documentos para instruí-los, na forma da lei ofício ou mediante provocação, a legalidade dos atos
complementar respectiva; administrativos praticados por membros ou órgãos do
VII - exercer o controle externo da atividade Ministério Público da União e dos Estados, podendo
policial, na forma da lei complementar mencionada no artigo desconstituí-los, revê-los ou fixar prazo para que se adotem
anterior; as providências necessárias ao exato cumprimento da lei,
VIII - requisitar diligências investigatórias e a sem prejuízo da competência dos Tribunais de Contas;
instauração de inquérito policial, indicados os fundamentos III receber e conhecer das reclamações contra
jurídicos de suas manifestações processuais; membros ou órgãos do Ministério Público da União ou dos
IX - exercer outras funções que lhe forem Estados, inclusive contra seus serviços auxiliares, sem
conferidas, desde que compatíveis com sua finalidade, prejuízo da competência disciplinar e correcional da
sendo-lhe vedada a representação judicial e a consultoria instituição, podendo avocar processos disciplinares em
jurídica de entidades públicas. curso, determinar a remoção, a disponibilidade ou a
§ 1º A legitimação do Ministério Público para as aposentadoria com subsídios ou proventos proporcionais ao
ações civis previstas neste artigo não impede a de tempo de serviço e aplicar outras sanções administrativas,
terceiros, nas mesmas hipóteses, segundo o disposto nesta assegurada ampla defesa;
Constituição e na lei. IV rever, de ofício ou mediante provocação, os
§ 2º As funções do Ministério Público só podem ser processos disciplinares de membros do Ministério Público
exercidas por integrantes da carreira, que deverão residir da União ou dos Estados julgados há menos de um ano;
na comarca da respectiva lotação, salvo autorização do V elaborar relatório anual, propondo as
chefe da instituição. (Redação dada pela Emenda providências que julgar necessárias sobre a situação do
Constitucional nº 45, de 2004) Ministério Público no País e as atividades do Conselho, o
§ 3º O ingresso na carreira do Ministério Público qual deve integrar a mensagem prevista no art. 84, XI.
far-se-á mediante concurso público de provas e títulos, § 3º O Conselho escolherá, em votação secreta,
assegurada a participação da Ordem dos Advogados do um Corregedor nacional, dentre os membros do Ministério
Brasil em sua realização, exigindo-se do bacharel em Público que o integram, vedada a recondução, competindo-
direito, no mínimo, três anos de atividade jurídica e lhe, além das atribuições que lhe forem conferidas pela lei,
observando-se, nas nomeações, a ordem de classificação. as seguintes:
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) I receber reclamações e denúncias, de qualquer
§ 4º Aplica-se ao Ministério Público, no que interessado, relativas aos membros do Ministério Público e
couber, o disposto no art. 93. (Redação dada pela Emenda dos seus serviços auxiliares;
Constitucional nº 45, de 2004) II exercer funções executivas do Conselho, de
§ 5º A distribuição de processos no Ministério inspeção e correição geral;
Público será imediata. (Incluído pela Emenda Constitucional III requisitar e designar membros do Ministério
nº 45, de 2004) Público, delegando-lhes atribuições, e requisitar servidores
Art. 130. Aos membros do Ministério Público junto de órgãos do Ministério Público.
aos Tribunais de Contas aplicam-se as disposições desta § 4º O Presidente do Conselho Federal da Ordem
seção pertinentes a direitos, vedações e forma de dos Advogados do Brasil oficiará junto ao Conselho.
investidura. § 5º Leis da União e dos Estados criarão
Art. 130-A. O Conselho Nacional do Ministério ouvidorias do Ministério Público, competentes para receber
Público compõe-se de quatorze membros nomeados pelo reclamações e denúncias de qualquer interessado contra
Presidente da República, depois de aprovada a escolha membros ou órgãos do Ministério Público, inclusive contra
pela maioria absoluta do Senado Federal, para um mandato seus serviços auxiliares, representando diretamente ao
de dois anos, admitida uma recondução, sendo: (Incluído Conselho Nacional do Ministério Público.
pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
I o Procurador-Geral da República, que o preside; NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO
II quatro membros do Ministério Público da União,
assegurada a representação de cada uma de suas Vários Juristas pátrios buscaram conceituar o ramo
carreiras; do Direito denominado Direito Administrativo. Entre vários,
III três membros do Ministério Público dos Estados; vale destacar, os conceitos do saudoso Hely Lopes
IV dois juízes, indicados um pelo Supremo Tribunal Meirelles e de Maria Sílvia Zenella Di Pietro.
Federal e outro pelo Superior Tribunal de Justiça; Para o primeiro, o conceito de Direito
V dois advogados, indicados pelo Conselho Administrativo sintetiza-se no conjunto harmônico de
Federal da Ordem dos Advogados do Brasil; princípios jurídicos que regem os órgãos, os agentes, e as
VI dois cidadãos de notável saber jurídico e atividades públicas tendentes a realizar concreta, direta e
reputação ilibada, indicados um pela Câmara dos imediatamente os fins desejados pelo Estado1.
Deputados e outro pelo Senado Federal. Por seu turno, a segunda diz que, é o ramo do
Direito público que tem por objeto os órgãos, agentes e
38
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

pessoas jurídicas administrativas que integram a específica, para a realização de atividades, obras ou
Administração Pública, a atividade jurídica não contenciosa serviços descentralizados da entidade estatal que as criou.
que exerce e os bens de que se utiliza para a consecução Funcionam e operam na forma estabelecida na Lei
de seus fins, de natureza pública2. instituidora e nos termos do seu regulamento. As autarquias
podem desempenhar atividades econômicas, educacionais,
Natureza e Fins da Administração Pública previdenciárias e quaisquer outras outorgadas pela
entidade estatal-matriz, mas sem subordinação hierárquica,
A natureza da administração pública é a de múnus sujeitas apenas ao controle finalístico de sua administração
público para quem exerce, isto é, a de um encargo de e da conduta de seus dirigentes.
defesa, conservação e aprimoramento dos bens, serviços e
interesses da coletividade. Entidades Fundacionais
Por seu turno, os fins da administração pública São pessoas jurídicas de Direito Público ou
resumem-se num único objetivo: o bem comum da pessoas jurídicas de Direito Privado, devendo a Lei definir
coletividade administrada. Toda a atividade do as respectivas áreas de atuação, conforme o inc. XIX do
administrador público deve ser orientada para esse objetivo. art. 37 da CF/88, na nova redação dada pela EC nº 19/98.
Se dele o administrador se afasta ou desvia, trai o mandato No primeiro caso elas são criadas por Lei, à semelhança
de que está investido, porque a comunidade não instituiu a das autarquias, e no segundo caso, a Lei apenas autoriza a
Administração senão como meio de atingir o bem-estar sua criação, devendo o Poder Executivo tomar as
social. Ilícito e imoral, será todo ato administrativo praticado providências necessárias à sua instituição.
que não for praticado no interesse da coletividade. Lembramos que, quando Constituição
Federal de 1988 refere-se à Administração
Administração Pública e Governo Direta, Autárquica e Fundacional, quer se referir apenas às
Deixando de lado o que a Doutrina chama de pessoas jurídicas de Direito Público, vale dizer, União,
sentido formal e sentido material de Administração Pública Estados-Membros, Distrito Federal, Municípios e suas
e Governo, focaremos nosso estudo numa visão objetiva, a autarquias e fundações públicas, estas somente quando de
qual sintetiza a essência de tais aspectos doutrinários. Direito Público, porque instituídas (criadas) diretamente por
Nesse sentido, numa visão global, a Administração é, pois, Lei específica. Não, portanto, às de Direito Privado, assim
todo o aparelhamento do Estado preordenado à realização entendidas as fundações cujas instituições decorrem de
de serviços, visando à satisfação das necessidades autorização (não de criação) legal específica do Poder
coletivas. Público.
A Administração não pratica atos de Governo;
pratica, tão-somente, atos de execução, com maior ou Entidades Empresariais
menor autonomia funcional, segundo a competência do São pessoas jurídicas de Direito Privado,
órgão e de seus agentes. São os chamados atos instituídas sob a forma de sociedade de economia mista ou
administrativos, que por sua variedade e importância, serão empresa pública, com a finalidade de prestar serviço
abordados em separado. público que possa ser explorado no modo empresarial, ou
Comparativamente, podemos dizer que Governo é de exercer atividade econômica de relevante interesse
uma atividade política e discricionária; Administração e uma coletivo. Sua criação deve ser autorizada por lei específica,
atividade neutra, normalmente vinculada à lei ou à norma cabendo ao Poder Executivo as providências
técnica. Governo é conduta independente; Administração é complementares para a sua instituição.
conduta hierarquizada. Por fim, Administração é o
instrumental de que dispõe o Estado para por em prática as Entidades Paraestatais
opções políticas do Governo Portanto, Governo e São pessoas jurídicas de Direito Privado que, por
Administração como criações abstratas da Constituição e lei, são autorizadas a prestar serviços ou realizar atividades
das Leis, atuam por intermédio de suas entidades (Pessoas de interesse coletivo ou público, mas, não exclusivo de
Jurídicas), de seus órgãos (Centros de Decisões) e de seus Estado. São espécies de entidades paraestatais os serviços
agentes (Pessoas Físicas investidas em Cargos e sociais autônomos (SESI, SENAI, SESC e outros) e
Funções). recentemente, as Organizações Sociais (OS’s) e as
Organizações Sociais Civis de Interesse Público (OSCIP’s).
As entidades paraestatais são autônomas,
Entidades Políticas e Administrativas administrativa e financeiramente, têm patrimônio próprio e
Entidade é pessoa jurídica, pública ou privada4; operam em regime de iniciativa particular, na forma de seus
órgão é elemento despersonalizado incumbido da estatutos, ficando sujeitas apenas à supervisão do órgão da
realização das atividades da entidade a que pertence, entidade estatal a que se encontrem vinculadas, para o
através de seus agentes. Na sistemática administrativa controle de desempenho estatutário. São os denominados
brasileira, as entidades classificam-se em estatais, entes de cooperação com o Estado.
autárquicas, fundacionais, empresariais e paraestatais.
Órgãos e Agentes Públicos
Entidades Estatais Órgãos são centros de competência instituídos
São pessoas jurídicas de Direito Público que para o desempenho de funções estatais, através de seus
integram a estrutura do constitucional do Estado e têm agentes, cuja atuação é imputada à pessoa jurídica a que
poderes políticos e administrativos, tais como a União, os pertencem.
Estados-Membros, os Municípios e o Distrito Federal. A São unidades de ação com atribuições específicas
União é soberana, as demais entidades estatais têm na organização estatal. Cada órgão como centro de
apenas autonomia política, administrativa e financeira, mas competência governamental ou administrativa, tem
não dispõem de soberania, que é privativa da Federação. necessariamente funções, cargo e agentes, mas é distinto
desses elementos, que podem ser modificados,,
Entidades Autárquicas substituídos ou retirados sem supressão da unidade
São pessoas jurídicas de Direito Público, de orgânica. Isto explica por que a alteração de funções, ou a
natureza meramente administrativa, criadas por Lei
39
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

vacância dos cargos, ou a mudança de seus titulares, não lícito fazer tudo que a lei não proíbe, na Administração
acarreta a extinção do órgão. Pública só é permitido fazer tudo o que a lei autorize. A lei
Os órgãos integram a estrutura do Estado e das para o particular significa “pode fazer assim”; para o
demais pessoas jurídicas como parte desses corpos vivos, administrador público significa “deve fazer assim”.
dotados de vontade e capazes de exercer direitos e contrair
obrigações para a consecução de seus fins institucionais. Moralidade
Por isso mesmo, os órgãos não têm personalidade jurídica A Moralidade administrativa constitui, hoje em dia,
nem vontade própria, que são atributos do corpo e não das pressuposto de validade de todo ato da Administração
partes, mas, na área de suas atribuições e nos limites de Pública (CF, Art.37, caput). Não se trata da moral comum,
sua competência funcional expressam a vontade através de mas sim, de uma moral jurídica entendida como o “conjunto
seus agentes (pessoa física). de regras tiradas da disciplina interior da Administração”.
Agentes Públicos, são todas as pessoas físicas O Agente Administrativo, como ser humano dotado
incumbidas, definitiva ou transitoriamente, do exercício de da capacidade de atuar, deve, necessariamente, distinguir o
alguma função estatal. Os agentes normalmente Bem do Mal, o honesto do desonesto. E, ao atuar, não
desempenham funções no órgão, distribuídos entre cargos poderá desprezar o elemento ético de sua conduta. Assim,
de que são titulares, mas, excepcionalmente podem exercer não terá que decidir somente entre o legal e o ilegal, o justo
funções sem cargo. do injusto, o conveniente do inconveniente, o oportuno do
Nesse sentido, cargos, são apenas os lugares inoportuno, mas também entre o honesto do desonesto.
criados no órgão para serem providos por agentes que Por consequência de Direito e de Moral, o ato
exercerão suas funções na forma legal. O cargo é lotado no administrativo não terá que obedecer somente à lei jurídica,
órgão e agente é investido no cargo. Por aí se vê que o mas também à ética da própria instituição, porque nem tudo
cargo integra o órgão, ao passo que o agente, como ser que é legal é honesto. A moral comum é imposta ao homem
humano, unicamente titulariza o cargo para servir ao órgão. para a sua conduta externa; a moral administrativa é
Órgão, função e cargo são abstrações da lei; agente é a imposta ao agente público para a sua conduta interna,
pessoa humana, real, que infunde vida, vontade e ação a segundo as exigências da instituição a que serve e a
essas abstrações da lei. finalidade de sua ação: o bem comum.
As funções por seu turno, são os encargos O certo é que, a moralidade do ato administrativo
atribuídos aos órgãos, cargos e agentes. O órgão juntamente com a sua legalidade, e finalidade, além da sua
geralmente recebe uma função in genere e a repassa aos adequação aos demais princípios constituem pressupostos
seus cargos in espécie, ou a transfere diretamente a de validade sem os quais toda a atividade pública será
agentes sem cargos, com a necessária parcela de Poder ilegítima.
público para o seu exercício. O inegável é que a moralidade administrativa
integra o Direito como elemento indissociável na sua
aplicação e na sua finalidade, erigindo-se em fator de
Princípios Básicos da Administração Pública legalidade. Daí por que o TJSP decidiu com inegável
Os princípios básicos da Administração estão acerto, que “o controle jurisdicional se restringe ao exame
consubstanciados em doze regras de observância da legalidade do ato administrativo; mas por legalidade ou
obrigatória e permanente para o bom administrador, são legitimidade se entende não só a conformação do ato com
elas: a lei, como também com a moral administrativa e com o
interesse coletivo”6.
1. Legalidade;
2. Moralidade; Impessoalidade ou Finalidade
3. Impessoalidade ou Finalidade; O princípio da impessoalidade, referido na CF/88,
4. Publicidade; nada mais é que o clássico princípio da finalidade, o qual
5. Eficiência; impõe ao administrador público que só pratique o ato para o
6. Razoabilidade; seu fim legal. E o fim legal é unicamente aquele que a
7. Proporcionalidade; norma de Direito indica expressa ou virtualmente como
8. Ampla Defesa; objetivo do ato, de forma impessoal.
9. Contraditório; Esse princípio também deve ser entendido para
10. Segurança Jurídica; excluir a promoção pessoal de autoridades ou servidores
11. Motivação; públicos sobre suas realizações administrativas (CF, art.37,
12. Supremacia do Interesse Público. § 1º). O que o princípio da finalidade veda é a prática de ato
administrativo sem interesse público ou conveniência para a
Os cinco primeiros estão expressamente previstos Administração, visando unicamente a satisfazer interesses
no art.37, caput, da CF/88; e os demais, embora não privados, por favoritismo ou perseguição dos agentes
mencionados, decorrem do nosso regime político, tanto governamentais, sob a forma de desvio de finalidade. Esse
que, ao lado daqueles, foram textualmente enumerados desvio de conduta dos agentes públicos, constitui uma das
pelo art.2º da Lei federal nº 9.784/99. formas mais insidiosas do denominado abuso de poder.

Legalidade Razoabilidade e Proporcionalidade


A legalidade, como princípio da Administração (CF, Implícito na CF/88, esse princípio ganha dia a dia
art.37, caput), significa que o administrador público está, em força e relevância no estudo do Direito Administrativo e no
toda a sua atividade funcional, sujeito aos mandamentos da exame da atividade administrativa.
lei e às exigências do bem comum, e deles não pode se
afastar ou desviar, sob pena de praticar ato inválido e Sem dúvida alguma, ele pode ser chamado de
expor-se à responsabilidade disciplinar, civil e criminal, princípio da proibição de excesso, que, em última análise,
conforme o caso. A eficácia de toda atividade administrativa objetiva aferir a compatibilidade entre os meios e os fins, de
está condicionada ao atendimento da Lei do Direito. modo a evitar restrições desnecessárias ou abusivas por
Na Administração Pública não há liberdade nem parte da Administração Pública, com lesão aos direitos
vontade pessoal. Enquanto na administração particular é fundamentais.7
40
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Como se percebe, parece-nos que a razoabilidade ser observado, mesmo quando as atividades ou serviços
envolve a proporcionalidade. E vice-versa. Registre-se, sejam delegadas aos particulares.
ainda, que a razoabilidade não pode ser lançada como
instrumento de substituição da vontade da lei pela vontade PODERES ADMINISTRATIVOS
do julgador ou intérprete. Para bem entender o Interesse Público, a
Administração é dotada de poderes administrativos –
Publicidade distintos dos poderes políticos – consentâneos e
proporcionais aos encargos que lhe são atribuídos. Tais
Publicidade é a divulgação oficial dos atos para poderes são verdadeiros instrumentos de trabalho,
conhecimento público e início dos seus efeitos externos. adequados à realização das tarefas administrativas. Daí
Daí por que as leis, atos e contratos administrativos que serem considerados poderes instrumentais, diversamente
produzem consequências jurídicas fora dos órgãos que os dos poderes políticos, que são estruturais e orgânicos,
emitem exigem publicidade para adquirirem validade porque compõem a estrutura do Estado e integram a
universal, isto é, perante as partes e terceiros. organização constitucional.
A publicidade ao é elemento formativo do ato; é Em sua diversidade, são classificados, consoante
requisito de eficácia e moralidade. Por isso mesmo os atos a liberdade da Administração para a prática dos seus atos,
irregulares não se convalidam com a publicação, nem os a saber:
regulares a dispensam para a sua exequibilidade, quando a a). Poder Vinculado;
lei ou regulamento o exige. b). Poder Discricionário;
Em princípio o ato administrativo deve ser c). Poder Hierárquico;
publicado, porque pública é a Administração que o realiza, d). Poder Disciplinar;
somente se admitindo sigilo nos casos de segurança e). Poder Regulamentar;
nacional, investigações policiais ou interesse superior da f). Poder de Polícia.
Administração a ser preservado em processo previamente
declarado sigiloso nos termos da Lei nº 8.159/91 e Dec.nº Esses poderes são inerentes à Administração de
2.134/97. todas as entidades estatais – União, Estados, Distrito
Federal e Municípios – na proporção e limites de suas
Eficiência competências institucionais, e podem ser usados isolado e
Esse princípio exige que a atividade administrativa cumulativamente para a consecução do mesmo ato. Tal o
seja exercida com presteza, perfeição e rendimento que ocorre, p.ex., com o ato de polícia administrativa, que
funcional. É o mais moderno princípio da função normalmente precedido de uma regulamentação do
administrativa, que já não se contenta em ser Executivo (poder regulamentar), em que a autoridade
desempenhado apenas com legalidade, exigindo resultados escalona a distribui as funções dos agentes fiscalizadores
positivos para o Serviço Público e satisfatório atendimento (poder hierárquico), concedendo-lhes atribuições vinculadas
das necessidades da comunidade e de seus membros. (poder vinculado) ou discricionárias (poder discricionário),
para a imposição de sanções aos infratores (poder de
Segurança Jurídica polícia).
Esse princípio é entendido como da boa-fé dos
administrados ou da proteção e confiança. A ele está Poder Vinculado
visceralmente ligada a exigência de maior estabilidade das Poder Vinculado é aquele que o Direito Positivo –
situações jurídicas, mesmo daquelas que na origem a lei - confere à Administração Pública para a prática de ato
apresentam vícios de ilegalidade. de sua competência, determinando os elementos e
requisitos necessários à sua formalização.
Motivação Dificilmente encontraremos um ato administrativo
É um princípio que está visceralmente inserido em inteiramente vinculado, porque haverá sempre aspectos
nosso regime político, após a promulgação da Constituição sobre os quais a Administração terá opções na sua
Federal de 1988. Sendo assim, uma exigência do Direito realização. Mas o que caracteriza o ato vinculado é a
Público e da legalidade governamental. predominância de especificações da lei sobre os elementos
Pela motivação o administrador público justifica a deixados livres para a Administração.
sua ação administrativa, indicando os fatos (pressupostos Elementos vinculados serão sempre a
de fato) que ensejaram o ato e os preceitos jurídicos competência, a finalidade e a forma, além de outros que a
(pressupostos de direito) que autorizam a sua prática. norma legal indicar para a consecução do ato. Realmente
Evidente que, em certos atos oriundos do chamado Poder ninguém pode exercer Poder Administrativo sem
Discricionário a justificação será dispensável, bastando competência legal, ou desviado do seu objetivo público, ou
apenas evidenciar a competência para o exercício desse com preterição de requisitos ou de procedimentos
poder e a conformação do ato com o interesse público. estabelecidos em lei, regulamento ou edital. Relegando
qualquer desses elementos, além de outros que a norma
Ampla Defesa e Contraditório exigir, o ato é nulo, e assim pode ser declarado pela própria
A disposição constitucional constante no Art.5º, LV, Administração ou pelo Judiciário, porque a vinculação é
assegura “aos litigantes em processo(...) administrativo, o matéria de legalidade.
contraditório a ampla defesa, com os meios e recursos a ela
inerentes”. Poder Discricionário
Poder discricionário é o que o Direito concede à
Interesse Público ou Supremacia do Interesse Administração, de modo explícito ou implícito, para a prática
Público de atos administrativos com liberdade na escolha de sua
O princípio do interesse público está intimamente conveniência, oportunidade e conteúdo.
ligado ao da finalidade. A primazia do interesse público Convém lembrar que o poder discricionário não se
sobre o privado é inerente à atuação estatal e domina-a, na confunde com poder arbitrário. Discricionariedade e arbítrio
medida em que a existência do Estado Justifica-se pela são atitudes inteiramente diversas. Discricionariedade é
busca do interesse geral. Em razão dessa inerência, deve liberdade de ação administrativa, dentro dos limites
41
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

permitidos em lei; arbítrio é ação contrária ou excedente da O poder regulamentar é a faculdade de que dispõe
lei. Ato discricionário, quando autorizado pelo Direito, é os Chefes do Executivo (Presidente da República,
legal e válido; ato arbitrário é sempre ilegítimo e inválido. Governadores e Prefeitos) de explicar a lei para a sua
A atividade discricionária encontra plena correta execução, ou de expedir Decreto autônomo sobre
justificativa na impossibilidade de o legislador catalogar na matéria de sua competência ainda não disciplinada por lei.
lei todos os atos que a prática administrativa exige. O ideal É um poder inteiramente privativo do Chefe do
seria que a lei regulasse minuciosamente a ação Executivo (CF,art.84,IV), e, por isso mesmo, indelegável a
administrativa, modelando cada um dos atos a serem qualquer pessoa subordinada.
praticados pelo administrador, mas como isto não é Os vazios da lei e a imprevisibilidade de certos
possível, dada, a multiplicidade e diversidade dos fatos que fatos e circunstâncias que surgem, a reclamar providências
pedem pronta solução ao Poder Público, o legislador imediatas da Administração, impõem se reconheça ao
somente regula a prática de alguns atos administrativos que Chefe do Executivo o poder de regulamentar, através de
reputa de maior relevância deixando o cometimento dos Decreto as normas legislativas incompletas, ou de prover
demais ao prudente critério do administrador. situações não previstas pelo legislador, mas ocorrentes na
Mas, embora não cuidando de todos os aspectos prática administrativa. O essencial é que o Executivo, ao
dos atos relegados à faculdade discricionária, o legislador expedir regulamento autônomo ou de execução de lei –,
subordina-se a um mínimo legal, consistente na estrita não invada as chamadas “reservas da lei”, ou seja, aquelas
observância, por parte de quem os vai praticar, da matérias só disciplináveis por lei, e tais são, em princípio,
competência, da forma, e da finalidade, deixando o mais à as que afetam as garantias e os direitos individuais
livre escolha do agente administrativo. Em tal hipótese, assegurados pela Constituição (art.5º).
executa a lei vinculadamente, quanto aos elementos que
ela discrimina, e discricionariamente, quanto aos aspectos Regulamento é ato administrativo geral e
em que ela admite opção. normativo, expedido privativamente pelo Chefe do
Se o administrador se desviar desse roteiro, Executivo (Federal, Estadual, Distrital ou Municipal), através
praticando ato que, embora discricionário, busque outro de Decreto, com o fim de explicar o modo e a forma de
objetivo, incidirá em ilegalidade, por desvio de poder ou de execução da lei (regulamento de execução) ou prover
finalidade, que poderá ser reconhecido e declarado pela situações ainda não disciplinadas em lei (regulamento
própria Administração ou pelo Poder Judiciário. Erro é autônomo ou independente).
considerar que o ato discricionário é imune à apreciação
judicial, pois só a Justiça poderá dizer da legalidade da Poder de Polícia
invocada discricionariedade e dos limites de opção do Dentre os poderes administrativos figura, com
agente administrativo. especial destaque o chamado poder de polícia
O que o Judiciário não pode é, no ato administrativa, que a Administração Pública exerce sobre
discricionário, substituir o discricionarismo do administrador todas as atividades e bens que afetam ou possam afetar a
pelo do Juiz. Mas pode sempre proclamar as nulidades e coletividade. Pra esse policiamento há competências
coibir os abusos da Administração. exclusivas e concorrentes das três esferas estatais, dada a
descentralização político-administrativa decorrente do
Poder Hierárquico nosso sistema constitucional.
Esse poder é o que dispõe o Executivo para Em princípio, tem competência para policiar a
distribuir e escalonar as funções de seus órgãos, ordenar e entidade que dispõe do poder de regular a matéria. Assim
rever a atuação dos seus agentes, estabelecendo relação sendo, os assuntos de interesse nacional ficam sujeitos a
de subordinação entre os servidores do seu quadro de regulamentação e policiamento da União; as matérias de
pessoal. interesse regional sujeitam-se às normas e à polícia
Poder hierárquico e poder disciplinar não se estadual; e os assuntos de interesse local subordinam-se
confundem, mas andam juntos, por serem os sustentáculos aos regulamentos edilícios e ao policiamento administrativo
de toda organização administrativa. municipal.
O poder hierárquico tem por objetivo ordenar, Sendo assim podemos conceituar o poder de
coordenar, controlar e corrigir as atividades, no âmbito polícia como a faculdade de que dispõe a Administração
interno da Administração Pública. pública para condicionar e restringir o uso e gozo de bens,
Nesse sentido, do poder hierárquico decorrem atividades e direitos individuais, em benefício da
faculdades implícitas para o superior tais como: dar ordens coletividade ou do próprio Estado.
e fiscalizar o seu cumprimento, a de delegar e avocar De forma mais clara, podemos dizer que o poder
atribuições e a de rever os atos dos inferiores. de polícia é o mecanismo de frenagem de que dispõe a
Administração Pública para conter os abusos de direito
Poder Disciplinar individual. Por este mecanismo, que faz parte de toda
É a faculdade de punir internamente as Administração, o Estado detém a atividade dos particulares
infrações funcionais dos servidores e demais pessoas que se revelar contrária, nociva ou inconveniente ao bem-
sujeitas à disciplina dos órgãos e serviços da estar social, ao desenvolvimento e à segurança pública.
Administração. É uma supremacia especial que o Estado A legislação pátria, bem conceituou o poder de
exerce sobre todos aqueles que se vinculam à polícia, veja-se o art.78 do CTN: “considera-se poder de
Administração por relações de qualquer natureza, polícia a atividade da Administração Pública que, limitando
subordinando-se às normas de funcionamento do serviço ou disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a
ou do estabelecimento que passam a integrar definitiva ou prática de ato ou abstenção de fato, em razão de interesse
transitoriamente. público concernente à segurança, à higiene, à ordem, aos
A punição disciplinar e a criminal têm fundamentos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao
diversos, e diversa é a natureza das penas. A diferença não exercício de atividades econômicas dependentes de
é de grau, mas, de substância. concessão ou autorização do Poder Público, à tranquilidade
pública ou ao respeito à propriedade e aos direitos
Poder Regulamentar individuais e coletivos”.

42
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

causam prejuízo ao Erário (art.10); e C). os que atentam


Poderes e Deveres do Administrador Público contra os Princípios da Administração Pública (art.11).
Os Poderes e Deveres do Administrador Público
são aqueles que expressos em lei, são impulsionados pela Dever de Prestar Contas
moral administrativa e os exigidos pelo interesse da O Dever de Prestar Contas é decorrência natural
coletividade. Fora dessa generalidade não se poderá da administração como encargo de gestão de bens e
indicar o que é Poder e o que é Dever do gestor público, interesses alheios. Se o administrador corresponde ao
porque, estando sujeito ao ordenamento jurídico geral e às desempenho de um mandato de zelo e conservação de
leis administrativas especiais, só essas normas poderão bens e interesses de outrem, manifesto é que quem o
catalogar, para cada entidade, órgão ou cargo, função, exerce deverá contas ao proprietário.
serviço ou atividade pública, os poderes e deveres de quem
os exerce. Uso e Abuso de Poder
Sendo assim, cada agente administrativo é dotado
é investido de necessária parcela de Poder Público para o Nos Estados de Direito como nosso, a
desempenho de suas funções/atribuições. Esse Poder é de Administração Pública deve obediência à lei em todas as
ser usado normalmente, como atributo do cargo ou da suas manifestações.
função, e não como privilégio da pessoa que o exerce. É O poder administrativo concedido à autoridade
exatamente esse Poder que empresta autoridade ao agente pública tem limites certos e forma legal de utilização. Não
público quando recebe da lei a competência decisória e sendo carta branca para arbítrios, violência, perseguições
força para impor suas decisões aos administrados. ou favoritismos governamentais. Qualquer ato de
De acordo com o explicitado, quando despido da autoridade, para ser irrepreensível, deve conformar-se com
função ou fora do exercício do cargo, não pode usar da a lei, com a moral da instituição e com o interesse público.
autoridade pública, nem mesmo invocá-la ao talante do seu Sem esses requisitos o ato administrativo expõe-se a
capricho para superpor-se aos demais cidadãos. Tal nulidade.
conduta se praticada, configura-se no que chama-se de
abuso de autoridade, definido pela Lei nº 4.089/65. Uso do Poder
O uso do poder é prerrogativa da autoridade. Mas
Poder-Dever de Agir o poder há que ser usado normalmente, sem abuso. Usar
O Poder-Dever de agir da autoridade normalmente o poder é empregá-lo segundo as normas
administrativa é hoje reconhecido tanto pela doutrina como legais, a moral da instituição, a finalidade do ato e as
pela jurisprudência. O Poder tem para o agente público o exigências do serviço público. Abusar do poder é empregá-
significado de Dever para com a comunidade e para com os lo fora da lei e sem utilidade pública.
indivíduos, no sentido de quem o detém está sempre na O uso do poder será sempre lícito, ao contrário, o
obrigação de exercitá-lo. Não se compreenderia que uma abuso de poder será ilícito. Daí porque todo ato abusivo é
autoridade pública – um Governador p.ex. – abrisse mão de nulo, por excesso ou desvio de poder.
seus poderes administrativos, deixando de praticar atos do
seu dever funcional. O poder do administrador público, Abuso do Poder
revestido ao mesmo tempo de Dever para a comunidade, é O abuso de poder ocorre quando a autoridade,
insuscetível de renúncia pelo titular. Tal atitude importaria embora competente para praticar o ato, ultrapassa os
fazer liberalidades com o direito alheio, o Poder Público não limites de suas atribuições ou se desvia das finalidades
é, nem pode ser, instrumento de cortesia administrativas. administrativas.
Se para o particular o poder de agir é uma O abuso de poder tanto pode revestir a forma
faculdade, para o administrador público é uma obrigação de comissiva como omissiva, porque ambas são capazes de
atuar, desde que se apresente o ensejo de exercita-lo em afrontar a lei e causar lesão a direito individual do
proveito e benefício da comunidade. administrado.
Adverte Caio Tácito, que a inércia da autoridade
Dever de Eficiência administrativa, deixando de executar determinada
prestação de serviço a que por lei é obrigado, lesa o
O Dever de Eficiência foi erigido à categoria de patrimônio jurídico individual. Considerando-se como forma
Princípio constitucional, norteando toda atividade omissiva de abuso de poder, quer o ato seja doloso ou
administrativa, com nova redação dada ao caput do art. 37 culposo.
da CF/88, através da Emenda Constitucional nº 19. Na nossa sistemática administrativa, o abuso de
Objetivando o cumprimento desse Dever, as poder se apresenta de duas espécies distintas, bem
alterações introduzidas no art.41 da CF/88, possibilita a caracterizadas: o excesso de poder e o desvio de
dispensa do servidor público, mesmo estável, mediante finalidade. Nesse sentido, o excesso de poder caracteriza-
procedimento de avaliação periódica de desempenho, na se quando, a autoridade mesmo competente para a prática
forma da Lei Complementar. do ato, vai além do permitido e exorbita no uso das suas
O que se entende por Eficiência Funcional, não faculdades administrativas.
está restrito à produtividade do exercente do cargo ou Já o desvio de finalidade ou de poder, verifica-se
função, mas, também, a perfeição do trabalho adequando- quando a autoridade, embora atuando nos limites de sua
se à técnica e aos fins visados pela Administração. competência, pratica ato por motivos ou fins diversos dos
objetivados pela lei ou exigidos pelo interesse público.
Dever de Probidade
O Dever de Probidade está constitucionalmente PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
integrado na conduta do administrador público como
elemento necessário à legitimidade de seus atos. Antigamente havia uma preocupação doutrinária
A Lei nº 8.429/92, dispõe sobre as sanções no sentido de se orientar os administradores públicos para
aplicáveis aos agentes públicos nos casos de improbidade terem um comportamento especial frente à Administração
administrativa, que classifica em três espécies, a saber: A). Pública.
os que importam Enriquecimento Ilícito (art.9º); B). os que
43
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Esse comportamento especial, regido por presente na vida do administrador público, sendo mais
princípios básicos administrativos, no Brasil foi aparecendo rigorosa que a ética comum.
nas leis infraconstitucionais. Posteriormente, em 1988, os Por exemplo, comete ato imoral o Prefeito
constituintes escreveram no art. 37 da CF um capítulo Municipal que empregar a sua verba de representação em
sobre a Administração Pública, cujos princípios são negócios alheios à sua condição de Administrador Público,
elencados a seguir: pois, é sabido que o administrador público tem que ser
1) Princípio da Legalidade: segundo ele, todos os honesto, tem que ter probidade e, que todo ato
atos da Administração têm que estar em conformidade com administrativo, além de ser legal, tem que ser moral, sob
os princípios legais. pena de sua nulidade.
Este princípio observa não só as leis, mas também Nos casos de improbidade administrativa, os
os regulamentos que contém as normas administrativas governantes podem ter suspensos os seus direitos
contidas em grande parte do texto Constitucional. Quando políticos, além da perda do cargo para a Administração,
a Administração Pública se afasta destes comandos, pratica seguindo-se o ressarcimento dos bens e a nulidade do ato
atos ilegais, produzindo, por consequência, atos nulos e ilicitamente praticado. Há um sistema de fiscalização ou
respondendo por sanções por ela impostas (Poder mecanismo de controle de todos os atos administrativos
Disciplinar). Os servidores, ao praticarem estes atos, praticados. Por exemplo, o Congresso Nacional exerce
podem até ser demitidos. esse controle através de uma fiscalização contábil externa
Um administrador de empresa particular pratica ou interna sobre toda a Administração Pública.
tudo aquilo que a lei não proíbe. Já o administrador 5) Princípio da Publicidade: é a divulgação oficial
público, por ser obrigado ao estrito cumprimento da lei e do ato da Administração para a ciência do público em geral,
dos regulamentos, só pode praticar o que a lei permite. É a com efeito de iniciar a sua atuação externa, ou seja, de
lei que distribui competências aos administradores. gerar efeitos jurídicos. Esses efeitos jurídicos podem ser
2) Princípio da Impessoalidade: no art. 37 da CF o de direitos e de obrigações.
legislador fala também da impessoalidade. No campo do Por exemplo, o Prefeito Municipal, com o objetivo
Direito Administrativo esta palavra foi uma novidade. O de preencher determinada vaga existente na sua
legislador não colocou a palavra finalidade. Administração, nomeia alguém para o cargo de Procurador
Surgiram duas correntes para definir Municipal. No entanto, para que esse ato de nomeação
“impessoalidade”: tenha validade, ele deve ser publicado. E após a sua
Impessoalidade relativa aos administrados: publicação, o nomeado terá 30 dias para tomar posse. Esse
segundo esta corrente, a Administração só pode praticar princípio da publicidade é uma generalidade. Todos os atos
atos impessoais se tais atos vão propiciar o bem comum (a da Administração têm que ser públicos.
coletividade). A explicação para a impessoalidade pode ser
buscada no próprio texto Constitucional através de uma A publicidade dos atos administrativos sofre as
interpretação sistemática da mesma. Por exemplo, de seguintes exceções: nos casos de segurança nacional:
acordo com o art. 100 da CF, “à exceção dos créditos de seja ela de origem militar, econômica, cultural etc.. Nestas
natureza alimentícia, os pagamentos devidos pela Fazenda situações, os atos não são tornados públicos. Por exemplo,
.....far-se-ão na ordem cronológica de apresentação dos os órgãos de espionagem não fazem publicidade de seus
precatórios ..” . Não se pode pagar fora desta ordem, pois, atos; nos casos de investigação policial: onde o Inquérito
do contrário, a Administração Pública estaria praticando ato Policial é extremamente sigiloso (só a ação penal que é
de impessoalidade; pública); nos casos dos atos internos da Adm. Pública:
Impessoalidade relativa à Administração: segundo nestes, por não haver interesse da coletividade, não há
esta corrente, os atos impessoais se originam da razão para serem públicos.
Administração, não importando quem os tenha praticado. Por outro lado, embora os processos
Esse princípio deve ser entendido para excluir a promoção administrativos devam ser públicos, a publicidade se
pessoal de autoridade ou serviços públicos sobre suas restringe somente aos seus atos intermediários, ou seja, a
relações administrativas no exercício de fato, pois, de determinadas fases processuais.
acordo com os que defendem esta corrente, os atos são Por outro lado, a Publicidade, ao mesmo tempo em
dos órgãos e não dos agentes públicos; que inicia os atos, também possibilita àqueles que deles
3) Princípio da Finalidade: relacionado com a tomam conhecimento, de utilizarem os remédios
impessoalidade relativa à Administração, este princípio constitucionais contra eles. Assim, com base em diversos
orienta que as normas administrativas tem que ter sempre incisos do art. 5° da CF, o interessado poderá se utilizar:
como objetivo o interesse público.
Assim, se o agente público pratica atos em  do Direito de Petição;
conformidade com a lei, encontra-se, indiretamente, com a  do Mandado de Segurança (remédio
finalidade, que está embutida na própria norma. Por heroico contra atos ilegais envoltos de abuso de poder);
exemplo, em relação à finalidade, uma reunião, um comício  da Ação Popular;
ou uma passeata de interesse coletivo, autorizadas pela  Habeas Data;
Administração Pública, poderão ser dissolvidas, se se  Habeas Corpus.
tornarem violentas, a ponto de causarem problemas à
coletividade (desvio da finalidade). A publicidade dos atos administrativos é feita tanto
Nesse caso, quem dissolve a passeata, pratica na esfera federal (através do Diário Oficial Federal) como
um ato de interesse público da mesma forma que aquele na estadual (através do Diário Oficial Estadual) ou
que a autoriza. O desvio da finalidade pública também pode municipal (através do Diário Oficial do Município). Nos
ser encontrado nos casos de desapropriação de imóveis Municípios, se não houver o Diário Oficial Municipal, a
pelo Poder Público, com finalidade pública, através de publicidade poderá ser feita através dos jornais de grande
indenizações ilícitas; circulação ou afixada em locais conhecidos e determinados
4) Princípio da Moralidade: este princípio está pela Administração.
diretamente relacionado com os próprios atos dos cidadãos Por último, a Publicidade deve ter objetivo
comuns em seu convívio com a comunidade, ligando-se à educativo, informativo e de interesse social, não podendo
moral e à ética administrativa, estando esta última sempre
44
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

ser utilizados símbolos, imagens etc. que caracterizem a Serviço público também não é obra, pois esta tem
promoção pessoal do Agente Administrativo. início, meio e fim, não é contínua.
É muito comum que a obra seja necessária para a
Modalidades e formas de prestação do serviço prestação de um serviço, mas ainda assim ela não se
público confunde com o próprio serviço, que é contínuo, não tem
fim.
CENTRALIZAÇÃO: é a prestação de serviços
diretamente pela pessoa política prevista O serviço público também não se confunde com a
constitucionalmente, sem delegação a outras pessoas. Diz- exploração de atividade econômica pelo Estado, pois esta é
se que a atividade do Estado é centralizada quando ele feita sob o regime jurídico de direito privado, sem as
atua diretamente, por meio de seus órgãos. prerrogativas estatais.
Obs.: Órgãos são simples repartições interiores da
pessoa do Estado, e, por isso, dele não se distinguem. São Os serviços públicos estão regulamentados pela
meros feixes de atribuições - não têm responsabilidade Lei 8987|95.
jurídica própria – toda a sua atuação é imputada às
pessoas a que pertencem. São divisões da Pessoa Princípios inerentes à prestação de serviços
Jurídica. públicos (Art 6º):
Se os serviços estão sendo prestados pelas
Pessoas Políticas constitucionalmente competentes, estará 1) Princípio da generalidade ou universalidade:
havendo centralização.
DESCENTRALIZAÇÃO: é a transferência de Os serviços não podem ser direcionados a
execução do serviço ou da titularidade do serviço para outra determinadas camadas da população.
pessoa, quer seja de direito público ou de direito privado. O serviço publico precisa ser destinado a todas as
São entidades descentralizadas de direito público: pessoas, ou pelo menos a maior quantidade de pessoas
Autarquias e Fundações Públicas. possível.

São entidades descentralizadas de direito privado: 2) Princípio da modicidade das tarifas:


Empresas Públicas, Sociedades de Economia Mista.
Pode, inclusive, a execução do serviço ser Os serviços tem que ser prestados com tarifas
transferida para entidades que não estejam integradas à módicas, pois se o serviço for prestado de forma cara, ele é
Administração Pública, como: Concessionárias de Serviços restrito. A modicidade é também uma garantia da
Públicos e Permissionárias. generalidade.
A descentralização, mesmo que seja para
entidades particulares, não retira o caráter público do 3) Princípio da atualidade:
serviço, apenas transfere a execução.
O Estado deve se adaptar às técnicas mais
modernas e atuais na prestação de serviços.
SERVIÇOS PÚBLICOS: CONCEITO, PRINCÍPIOS, Não pode buscar técnicas obsoletas.
TITULARIDADE
4) Princípio da cortesia:
Nem toda atividade exercida pelo Estado é serviço
público. Deve haver “cortesia” na prestação do serviço. O
usuário deve ser enxergado como um sujeito que em
A doutrina moderna tem restringido cada vez mais princípio tem razão.
a noção de serviços públicos.
Para que determinada atividade seja considera 5) Princípio da continuidade:
serviço público, precisa atender 3 requisitos: O serviço deve ser prestado de forma ininterrupta.
A continuidade admite exceções, como no caso de
- Substrato material: o serviço público é uma greve ou de exceção de contrato não cumprido. Mas ainda
comodidade ou utilidade prestada a toda sociedade de assim é preciso haver formas de suplência e substituição,
forma contínua. O serviço público não é estanque, não tem para garantir a continuidade.
início, meio e fim, ele é contínuo.
- Trato formal: O serviço público precisa ser 6) Princípio da Isonomia:
prestado sob um regime de direito público, ainda que
prestado por um particular. O serviço público deve ser prestado a todos de
- Elemento subjetivo: o Estado é quem promove a forma igualitária, sem distinção dos usuários.
prestação do serviço, direta ou indiretamente. É ele quem é No entanto, deve também se observar a isonomia
o titular do serviço público. O particular pode até prestar o material, tratando desigualmente os desiguais na medida de
serviço, mas mediante delegação do Estado. suas desigualdades.
A concessionária que presta serviço público deve
CRFB, Art. 175. Incumbe ao Poder Público, na oferecer no mínimo 6 datas de vencimento.
forma da lei, diretamente ou sob regime de concessão ou
permissão, sempre através de licitação, a prestação de Classificação dos Serviços Públicos:
serviços públicos.
1) Gerais:
O serviço público não pode se confundir com o
poder de polícia, pois este não é comodidade, e sim São usufruídos pela coletividade ao mesmo tempo
restrição, ainda que exercido na busca do interesse público. e, portanto, o Estado não tem como medir a utilização
individual.

45
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Ex: segurança pública, defesa nacional, limpeza e declarar direitos, ou impor obrigações aos administrados
pública, iluminação pública. ou a si própria10.
Por isso, esses serviços são custeados pela Esse conceito, segundo a Doutrina, é restrito ao
arrecadação geral dos impostos. ato administrativo unilateral, ou seja, aquele que se forma
com a vontade única da Administração, e que é o ato
2) Individuais: administrativo típico, e que focamos agora. Os atos
bilaterais constituem os contratos administrativos,
O Estado tem como medir individualmente a estudados em separado mais adiante.
utilização desses serviços (Ex: água, energia elétrica, etc). A condição primeira para o surgimento do ato
Por isso, os serviços são prestados mediante a administrativo é que a Administração aja nessa condição,
cobrança de tarifas proporcionais à utilização desse serviço. usando de sua supremacia de Poder Público, visto que
algumas vezes nivela-se ao particular e o ato perde a
Os serviços podem ainda ser exclusivos característica administrativa, igualando-se ao ato jurídico
indelegáveis (prestados sempre de forma direta, como o privado; a segunda é que contenha manifestação de
serviço postal, segurança pública, organização judiciária vontade apta a produzir efeitos jurídicos para os
etc) ou exclusivos delegáveis (serviços que o Estado administrados, para a própria Administração ou para os
pode prestar de forma direta ou indireta, mediante seus servidores; a terceira é que provenha de agente
delegação a particulares, como telefonia, água, gás e luz). competente, com finalidade pública e revestido de forma
legal. Resumindo:
Existem ainda os serviços públicos exclusivos
de delegação obrigatória, que não podem ser prestados
sozinhos pelo Estado, como televisão e rádio, em virtude de Fato Administrativo
um sistema plural e democrático.
Fato administrativo é toda realização material da
Existem também os serviços públicos não Administração em cumprimento de alguma decisão
exclusivos, que o Estado tem o dever de prestar administrativa, tal como a construção de uma ponte, a
diretamente e o particular também tem o poder de prestar instalação de um serviço público, etc. O fato administrativo
por iniciativa própria, sem delegação, como saúde, como materialização da vontade administrativa é dos
educação e previdência. O Estado só irá autorizar e domínios da técnica e só reflexamente interessa ao Direito,
fiscalizar, e não delegar. Esses serviços não exclusivos não em razão das consequências jurídicas que dele possam
são serviços públicos propriamente ditos, o STF chama de advir para a Administração e para os administrados. O que
serviços de utilidade pública. São serviços de interesse convém fixar é que o fato administrativo não se confunde
público prestados pelo particulares. Portanto, um hospital com o ato administrativo, se bem que estejam intimamente
privado segue a reparação do regime do direito civil, e não relacionados, por ser este consequência daquele. O fato
está submetido à regra do art. 37 §6º. São também administrativo resulta sempre do ato administrativo que o
chamados de serviços públicos impróprios. Os demais determina.
serviços, exclusivos, são os serviços públicos próprios.
8.2 Requisitos
A descentralização pode se dar por outorga ou
por delegação. O exame do ato administrativo revela nitidamente
Por meio da outorga, o Estado transfere a a existência de cinco elementos, a saber: competência,
titularidade e a execução de um serviço. A outorga só pode finalidade, forma, motivo e objeto. Tais componentes,
ser feita a pessoas jurídicas de direito público, mediante lei. podem-se dizer, constituem a infraestrutura do ato
Na delegação, o Estado se mantém na titularidade administrativo, seja ele vinculado ou discricionário, simples
e transfere somente a execução do serviço. Pode ser feita ou complexo, de império ou de gestão.
aos entes da administração indireta de direito privado (por Além desses componentes, merecem apreciação,
lei) ou a particulares (mediante contrato, como os contratos pelas implicações com a eficácia de certos atos, o mérito
de concessão). administrativo e o procedimento administrativo, elementos
que embora não integrem sua contextura , concorrem para
OBS: Descentralização por serviço = Outorga ||| a sua formação e validade.
Descentralização por colaboração = Delegação Sem a convergência desses elementos não se
aperfeiçoa o ato e, consequentemente, não terá condições
de eficácia para produzir efeitos válidos. Bastam essas
ATOS ADMINISTRATIVOS considerações para realçar a importância do conhecimento
desses componentes do ato administrativo e justificar as
O Conceito de ato administrativo é o mesmo de ato considerações que passaremos a tecer sobre os mesmos.
jurídico, do qual diferencia como uma categoria informada
pela finalidade pública. Segundo a Lei Civil, “é ato jurídico Competência
todo aquele que tenha por fim imediato adquirir, resguardar, Para a prática do ato administrativo a competência
transferir, modificar ou extinguir direitos.” é a condição primeira de sua validade. Nenhum ato –
Partindo dessa definição legal, podemos discricionário ou vinculado – pode ser realizado validamente
conceituar ato administrativo com os mesmo elementos sem que o agente disponha de poder para praticá-lo.
fornecidos pela Teoria Geral do Direito, acrescentando-se, Entende-se por competência administrativa o
apenas, a finalidade pública que é própria da espécie e poder atribuído ao agente da Administração para o
distinta do gênero ato jurídico, como acrescentam os desempenho específico de suas funções. A competência
administrativistas mais autorizados. resulta da lei e por ela é delimitada. Todo ato emanando de
Em outras palavras, ato administrativo é toda agente incompetente, ou realizado além do limite de que
manifestação unilateral de vontade da Administração dispõe a autoridade incumbida de sua prática, é inválido,
Pública que, agindo nessa qualidade, tenha por fim por lhe faltar um elemento básico de sua perfeição, qual
imediato adquirir resguardar, transferir, modificar, extinguir seja, o poder jurídico para manifestar a vontade da
46
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Administração. Daí a oportuna advertência de Caio Tácito com ela incompatível. Portanto, na atuação vinculada ou
de que “não é competente quem quer, mas quem pode, discricionária, o agente da Administração, ao praticar o ato,
segundo a norma do Direito”. fica na obrigação de justificar a existência do motivo, sem o
A competência Administrativa sendo um requisito quê o ato será inválido ou, pelo menos, invalidável, por
de ordem pública, é intransferível e improrrogável pela ausência de motivação. Quando, porém, o motivo não for
vontade do interessado. Pode, entretanto, ser delegada e exigido para a perfeição do ato, fica o agente com a
avocada, desde que o permitam as normas reguladoras da faculdade discricionária de praticá-lo sem motivação, mas,
Administração.13 Sem que a lei faculte essa deslocação de se o fizer, vincula-se aos motivos aduzidos, sujeitando-se à
função não é possível a modificação discricionária da obrigação de demonstrar a sua efetiva ocorrência.
competência, porque ela é elemento vinculado de todo ato Senso assim, para a dispensa de um servidor
administrativo, e, pois, insuscetível de ser fixada ou alterada exonerável ad nutum não há necessidade de motivação do
ao nuto do administrador e ao arrepio da lei. ato exoneratório, mas, se forem dados os motivos, ficará a
autoridade sujeita à comprovação de sua real existência.
Finalidade
Outro requisito necessário ao ato administrativo é Objeto
a finalidade, ou seja, o objetivo de interesse público a Todo ato administrativo tem por objeto a criação,
atingir. Não se compreende ato administrativo sem fim modificação ou comprovação de situações jurídicas
público. A finalidade é assim elemento vinculado de todo concernentes a pessoas, coisas ou atividades sujeitas à
ato administrativo – discricionário ou regrado – porque o ação do Poder Público. Nesse sentido, o objeto identifica-se
Direito Positivo não admite ato administrativo sem finalidade com o conteúdo do ato, através do qual a Administração
pública ou desviado de sua finalidade específica. Desde manifesta seu poder e sua vontade, ou atesta simplesmente
que a Administração Pública só se justifica como fator de situações preexistentes.
realização do interesse coletivo, seus atos hão de se dirigir O objeto, nos atos discricionários, fica na
sempre e sempre para um fim público, sendo nulos quando dependência da escolha do Poder Público, constituindo
satisfizerem pretensões descoincidentes do interesse essa liberdade opcional o mérito administrativo. Não se
coletivo. pode pois, em tal elemento, substituir o critério da
A finalidade do ato administrativo é aquela que a Administração pelo pronunciamento do Judiciário, porque
lei indica explícita ou implicitamente. Não cabe ao isto importaria revisão do mérito administrativo, por uma
administrador escolher outra, ou substituir a indicada na simples mudança de juízo subjetivo – do administrador pelo
norma administrativa, ainda que ambas colimem fins Juiz – sem qualquer fundamento em lei.
públicos. Neste particular, nada resta para a escolha do
administrador, que fica vinculado integralmente a vontade Mérito do Ato Administrativo
legislativa.
O mérito administrativo, conquanto não se possa
Forma considerar requisito de sua formação, deve ser apreciado
O revestimento exteriorizado do ato administrativo neste tópico, dada as suas implicações com o motivo e o
constitui requisito vinculado e imprescindível à sua objeto do ato e, consequentemente, com as suas condições
perfeição, e, consequentemente à sua validade. Enquanto a de validade e eficácia.
vontade dos particulares pode manifestar-se livremente, a O conceito de mérito administrativo é de difícil
da Administração exige procedimentos especiais e forma fixação, mas poderá ser assinalada sua presença toda vez
legal para que se expresse validamente. Daí podermos que a Administração decidir ou atuar valorando
afirmar que, se, no Direito Privado, a liberdade da forma do internamente as consequências ou vantagens do ato.
ato jurídico é regra, no Direito Público é exceção. Todo ato O mérito administrativo consubstancia-se,
administrativo é, em princípio, formal. E compreende-se portanto, na valoração dos motivos e na escolha do objeto
essa exigência, pela necessidade que tem o ato do ato, feitas pela Administração incumbida de sua prática,
administrativo de ser contrasteado com a lei e aferido, quando autorizada a decidir sobre a conveniência,
frequentemente, pela própria Administração e até pelo oportunidade e justiça doa a realizar. Daí a exata afirmativa
Judiciário, para verificação de sua validade. da Doutrina majoritária de que “o merecimento é aspecto
Não se confunde, entretanto, simples defeito pertinente apenas aos atos administrativos praticados no
material na forma com relegação da própria forma; aquele é exercício de competência discricionária”.
corrigível e não anula o ato (como Poe exemplo, um erro Com efeito, nos atos vinculados, onde não há
material em um Decreto expropriatório), esta é insuprível e faculdade de opção do administrador, mas unicamente a
nulificadora do ato (como no mesmo exemplo; se a possibilidade de verificação dos pressupostos de direito e
desapropriação for decretada por um ofício). de fato que condicionam o processus administrativo, não há
de que falar em mérito, visto que toda atuação do Executivo
Motivo se resume no atendimento das imposições legais.
O motivo ou causa é a situação de direito ou de Em tais casos a conduta do administrador
fato que determina ou autoriza a realização do ato confunde-se com a do Juiz na aplicação da lei,
administrativo. O motivo, como elemento integrante da diversamente no que ocorre nos atos discricionários, em
perfeição do ato, pode vir expresso em lei como pode ser que, além dos elementos sempre vinculados (competência,
deixado ao critério do administrador. No primeiro caso será finalidade e forma), outros existem (motivo e objeto), em
um elemento vinculado; no segundo, discricionário, quanto relação aos quais a Administração decide livremente, e sem
à sua existência e valoração. possibilidade de correção judicial, salvo quando seu
Denomina-se motivação a exposição ou indicação proceder caracterizar excesso de desvio de poder.
por escrito dos fatos e dos fundamentos jurídicos do ato (cf.
art.50, caput, da Lei nº 9.784/99). Hoje, em face da Atributos dos Atos Administrativos
ampliação do princípio do acesso ao judiciário (CF, art.5º, Os atos administrativos, como emanação do Poder
XXXV), conjugado com o da Moralidade Administrativa (CF, Público, trazem em si certos atributos que os distinguem
art.37, caput), a motivação é, em regra, obrigatória. Só não dos atos jurídicos privados e lhes emprestam
o será quando alei a dispensar ou se a natureza do ato for características próprias e condições peculiares de atuação.
47
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Referimo-nos à presunção de legitimidade, à imperatividade fato abrangida por seus preceitos. São atos de comando
e à auto-executoriedade. abstrato e impessoal semelhantes ao da lei, e, por isso
mesmo, revogáveis a qualquer tempo pela Administração,
Presunção de Legitimidade mas inatacáveis por via judicial, a não ser pelo
Os atos administrativos, qualquer que seja a sua questionamento da constitucionalidade (art.102,I,”a”, da
categoria, nascem com presunção de legitimidade, CF).
independentemente de norma legal que assim estabeleça. Como exemplos desses atos temos nos
Essa presunção decorre do princípio da legalidade da Regulamentos, nas Instruções Normativas (IN) e nas
Administração, que, nos Estados de Direito, informa toda Circulares Ordinatórias de Serviço.
atuação governamental. Além disso, a presunção de ATOS INDIVIDUAIS – Atos administrativos
legitimidade atende a exigências de celeridade e segurança individuais ou especiais são todos aqueles que se dirigem a
das atividades do Poder Público, que não poderiam ficar na destinatários certos, criando-lhes situação jurídica
dependência da solução de impugnação dos administrados, particular. O mesmo ato pode abranger um ou vários
quando à legitimidade de seus atos, para só após dar-lhes sujeitos, desde que sejam individualizados.
execução. Exemplo desses atos temos: os Decretos de
Desapropriação, de Nomeação, de Exoneração, assim
Imperatividade como as outorgas de Licença, Permissão e Autorização.
A imperatividade é o atributo do ato administrativo
que impõe a coercibilidade para o seu cumprimento ou Atos Internos e Externos
execução. Esse atributo não está presente em todos os ATOS INTERNOS – São os destinados a produzir
atos, visto que alguns (v.g., os atos enunciativos, os efeitos no recesso das repartições administrativas, e por
negociais) os dispensam, por desnecessário à sua isso mesmo incidem, normalmente, sobre os órgãos e
operatividade, uma vez que os efeitos jurídicos do ato agentes da Administração que os expediram. São os
dependem exclusivamente do interesse do particular na sua chamados atos de “operatividade caseira”, que não
utilização. produzem efeitos em relação a estranhos. Esses atos têm
Os atos, porém, que consubstanciam um sido utilizados pela Administração – diga-se pelas
provimento ou uma ordem administrativa (atos normativos, autoridades – de forma distorcida, pois, sua característica
ordinatórios, punitivos) nascem sempre com imperatividade, indica que seus efeitos só são extensivos às repartições
ou seja, com a força impositiva própria do Poder Público, e públicas. Entretanto, as altas autoridades do Executivo têm
que obriga o particular ao fiel atendimento, sob pena de se se utilizado desse mecanismo para impor situações aos
sujeitar a execução forçada pela Administração (atos auto administrados em geral. É o exemplo das Portarias e
executórios) ou pelo Judiciário (atos não-executórios). Instruções Ministeriais, que só deviam impor aos seus
A imperatividade decorre da só existência do ato servidores, mas, contém imposições aos cidadãos –
administrativo, não dependendo da sua declaração de especialmente em matéria fiscal -, próprias de atos
validade ou invalidade. Assim sendo, todo ato dotado de externos.
imperatividade deve ser cumprido ou atendido enquanto ATOS EXTERNOS – São considerados atos de
não for retirado do mundo jurídico por revogação ou efeitos externos, sendo todos aqueles que alcançam os
anulação, mesmo porque as manifestações de vontade do administrados, os contratantes e, em certos casos, os
Poder Público trazem em si a presunção de legitimidade. próprios servidores, provendo sobre os seus direitos,
obrigações, negócios ou conduta perante a Administração.
Auto-Executoriedade Tais atos pela sua destinação, só entram vigor ou execução
A auto-executoriedade consiste na possibilidade depois de divulgados pelo órgão oficial, dado o interesse do
que certos atos administrativos ensejam de imediata e público no seu conhecimento.
direta execução pela própria Administração, independente A publicidade de tais atos é princípio de
de ordem judicial. legitimidade e moralidade administrativa que se impõe tanto
Realmente, não poderia a Administração bem à Administração direta como indireta, porque ambas gerem
desempenhar sua missão de autodefesa dos interesses bens e dinheiros públicos cuja a guarda e aplicação todos
sociais se, a todo momento, encontrando natural resistência devem conhecer e controlar.
do particular, tivesse que recorrer ao Judiciário para
promover a oposição individual à atuação pública. Atos de Império, de Gestão e de Expediente

Classificação dos Atos Administrativos ATOS DE IMPÉRIO – Atos de império ou de


A classificação dos atos administrativos não é autoridade são todos aqueles que a Administração pratica
uniforme entre os publicistas, dada a diversidade de usando de sua supremacia sobre os administrados ou
critérios que podem ser adotados para o seu servidores e lhes impõem obrigatório atendimento. É o que
enquadramento em espécies ou categorias afins. ocorre nas desapropriações, nas interdições de atividades,
Esses agrupamentos, entretanto, são úteis para nas ordens estatutárias.
metodizar o estudo e facilitar a compreensão, o que nos Tais atos podem ser gerais ou individuais, internos
leva a classificar os atos administrativos, inicialmente, ou externos, mas sempre unilaterais, expressando a
quanto aos seus destinatários, em atos gerais e individuais; vontade onipotente do Estado e seu poder de coerção. São,
quanto ao seu alcance, em atos internos e externos; quanto normalmente, atos revogáveis e modificáveis a critério da
ao seu objeto, em atos de império, de gestão e de Administração que o expediu.
expediente; quanto ao seu regramento em atos vinculados ATOS DE GESTÃO – São aqueles em que a
e discricionários. Administração pratica sem usar de sua supremacia sobre
os destinatários. Tal ocorre nos atos puramente de
Atos Gerais e Individuais administração dos bens e serviços públicos e nos negociais
ATOS GERAIS - Atos administrativos gerais ou com os particulares, que não exigem coerção sobre os
regulamentares são aqueles expedidos sem destinatários interessados. Esses atos são sempre de administração,
determinados, com a finalidade normativa, alcançando mas nem sempre administrativos típicos, principalmente
todos os sujeitos que se encontrem na mesma situação de quando bilaterais, de alienação, oneração ou aquisição de
48
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

bens, que se igualam ao Direito Privado, apenas concurso de vontades de órgãos diferentes para a formação
antecedidos de formalidades administrativas para a sua de um único ato.
realização (ex.: autorização legislativa, avaliação). Não se confunda ato complexo com procedimento
ATOS DE EXPEDIENTE – Atos administrativos de administrativo. No ato complexo integram-se as vontades
expediente são todos aqueles que destinam a dar de vários órgãos para a obtenção de um mesmo ato; no
andamento aos processos e papéis que tramitam pelas procedimento administrativo praticam-se diversos atos
repartições públicas, preparando-os para decisão de mérito intermediários e autônomos para a obtenção de um ato final
a ser proferida pela autoridade competente. São atos de e principal. Vejamos a diferença em claros exemplos: A
rotina interna , sem caráter vinculante e sem forma investidura de um funcionário é um ato complexo
especial, geralmente praticados por servidores subalternos, consubstanciado na nomeação feita pelo Chefe do
sem competência decisória. Executivo e complementado pela posse e exercício dados
Na prática de tais atos o Poder Público sujeita-se pelo Chefe da repartição em que vai servir o nomeado; por
às indicações legais ou regulamentares e delas não se sua vez, a concorrência é um procedimento administrativo,
pode afastar ou desviar sem viciar irremediavelmente a porque, embora realizada por um único órgão, a ato final e
ação administrativa. principal (adjudicação da obra ou do serviço) é precedido
Tratando-se de atos vinculados ou regrados, de vários atos autônomos e intermediários (edital,
impõe-se à Administração o dever de motivá-los, no sentido verificação de idoneidade, julgamento das propostas) até
de evidenciar a conformação de sua prática com as chegar-se ao resultado pretendido pela Administração.
exigências e requisitos legais que constituem pressupostos ATO COMPOSTO – É o que resulta da vontade
necessários de sua existência e validade. única de órgão, mas, depende da verificação por parte de
outro, para se tornar exequível. Como exemplo, podemos
Atos Vinculados e Discricionários citar uma autorização que dependa do visto de uma
ATO VINCULADO – Também chamado de autoridade superior. Em tal caso a autorização é o ato
regrado, são aqueles para os quais a lei estabelece os principal e o visto é o complementar que lhe dar
requisitos e condições de sua realização. Nessa categoria exequibilidade.
de atos, as imposições legais absorvem, quase que por O ato composto distingue-se do ato complexo
completo, a liberdade do administrador, uma vez que sua porque este só se forma mediante as vontades de órgãos
atuação fica adstrita aos pressupostos estabelecidos pela diversos, ao passo que o ato composto é formado pela
norma legal para a validade da atividade administrativa. vontade única de um só órgão sendo apenas ratificado por
Desatendido qualquer requisito, compromete-se a eficácia uma autoridade.
do ato praticado, tornando-o passível de anulação pela
Administração, ou pelo Judiciário, se assim o requerer o Ato Constitutivo, Extintivo, Declaratório,
interessado. Alienativo, Modificativo ou Abdicativo (Quanto ao
Na prática de tais atos o Poder Público sujeita-se conteúdo)
às indicações legais ou regulamentares e delas não se
pode afastar ou desviar sem viciar irremediavelmente a ATO CONSTITUTIVO – É o que cria uma nova
ação administrativa. situação jurídica individual para os seus destinatários, em
Tratando-se de ato vinculado ou regrado, impõe-se relação à Administração. Suas modalidades são
à Administração o dever de motivá-lo, no sentido de variadíssimas, abrangendo mesmo a maior parte das
evidenciar a conformação de sua prática com as exigências declarações de vontade do Poder Público. São atos dessa
e requisitos legais que constituem pressupostos categoria, as licenças, as nomeações de funcionários, as
necessários de sua existência e validade. sanções administrativas e outros mais que criam direitos ou
ATO DISCRICIONÁRIO – São todos aqueles em impõem obrigações aos particulares ou aos próprios
que Administração pode praticar com liberdade de escolha servidores públicos.
de seu conteúdo, de seu destinatário, de sua conveniência, ATO EXTINTIVO OU DESCONSTITUTIVO – É o
de sua oportunidade e do modo de sua realização. que põe termo a situações jurídicas individuais, v.g., a
A rigor, a discricionariedade não se manifesta no cassação de autorização, a encampação de serviço de
ato em si, mas sim no poder que tem a Administração de utilidade pública.
praticá-lo da maneira e nas condições que repute mais ATO DECLARATÓRIO – É o que visa a preservar
conveniente ao interesse público. direitos, reconhecer situações preexistentes ou, mesmo,
possibilitar seu exercício. São exemplos desses atos a
Outras Classificações dos Atos apostila de título de nomeação, a expedição de certidões e
Administrativos demais atos fundados em situações jurídicas anteriores.
Além da classificação precedente, temos que, ATO ALIENATIVO – É o que opera a transferência
outras ainda podem ser apresentadas, consoante diversos de bens ou direitos de um titular a outro. Tais atos em geral,
critérios pelos quais os Atos Administrativos são dependem de autorização legislativa ao Executivo, porque
selecionados para fins de estudo. sua realização ultrapassa os poderes ordinários de
administração.
Ato Simples, Complexo e Composto (Quanto à ATO MODIFICATIVO – É o que tem o fito de
formação do Ato) alterar situações preexistentes, sem suprimir direitos ou
ATO SIMPLES – É que resulta da manifestação de obrigações, como bem ocorre com aqueles que alteram
vontade de um único órgão, unipessoal ou colegiado. Não horários, percursos, locais de reunião e outras situações
importa o número de pessoas que participem da formação anteriores estabelecidas pela Administração.
do ato; o que importa é a vontade única que expressam ATO ABDICATIVO – É aquele pelo qual o titular
para dar origem ao ato colimado pela Administração18. abre mão de um direito. A peculiaridade desse ato é seu
Tanto é ato administrativo simples o Despacho de um chefe caráter incondicionável e irretratável. Desde que
de seção como a decisão de um conselho de contribuintes. consumado, o ato é irretratável e imodificável, como são as
ATO COMPLEXO – É o que se forma pela renúncias de qualquer tipo. Todo ato abdicativo a ser
conjugação de vontades de mais de um órgão expedido pela Administração depende de autorização
administrativo. O essencial, nesta categoria de atos, é o legislativa, por exceder da
49
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Ato Irrevogável, Revogável e Suspensível


Ato Válido, Nulo, e Inexistente (Quanto à (Quanto à retratabilidade)
eficácia)
ATO VÁLIDO – É o que provém de autoridade ATO IRREVOGÁVEL - É aquele que se tornou
competente para praticá-lo e contém todos os requisitos insuscetível de revogação (não confundir com anulação),
necessários à sua eficácia. O ato válido pode, porém, ainda por ter produzido seus efeitos ou gerado direitos subjetivos
não ser exequível, por pendente de condição suspensiva ou para o beneficiário ou, ainda, por resultar de coisa julgada
termo não verificado. administrativa. Advirta-se, nesse passo, que a coisa julgada
ATO NULO – É o que nasce afetado de vício administrativa só o é para Administração, uma vez que não
insanável por ausência ou defeito substancial em seus impede a reapreciação judicial do ato.
elementos constitutivos ou no procedimento formativo. A A decisão administrativa, ainda que final, não
nulidade pode ser explícita ou virtual. É explícita quando a produz coisa julgada em sentido próprio, mas opera a
lei a comina expressamente, indicando os vícios que lhe irretratabilidade do ato pela Administração.
dão origem; é virtual quando a invalidade decorre da A tendência moderna é considerar-se a
infringência de princípios específicos do Direito Público, irrevogabilidade do ato administrativo como regra e a
reconhecidos por interpretação das normas concernentes revogabilidade como exceção, para dar-se cada vez mais
ao ato. estabilidade às relações entre a Administração e os
Em qualquer desses casos, porém, o ato é administrados.20
ilegítimo ou ilegal e não produz qualquer efeito válido entre ATO REVOGÁVEL – É aquele que a
as partes, pela evidente razão de que não se pode adquirir Administração, e somente ela, pode invalidar, por motivos
direitos contra a lei.19 A nulidade, todavia, deve ser de conveniência, oportunidade ou justiça (mérito
Reconhecida e proclamada pela Administração ou pelo administrativo). Nesses atos devem ser respeitados todos
Judiciário, não sendo permitido ao particular negar os efeitos já produzidos, porque decorrem de manifestação
exequibilidade ao ato administrativo, ainda que nulo, válida da Administração (se o ato for ilegal, não enseja
enquanto não for regularmente declarada sua invalidade, revogação e sim anulação), e a revogação só atua ex nunc.
mas essa declaração opera ex tunc, isto é, retroage às suas Em princípio todo ato administrativo é revogável
origens e alcança todos os seus efeitos passados, até que se torne irretratável para a Administração, quer por
presentes e futuros em relação às partes, só se admitindo ter exaurido seus efeitos ou seus recursos, quer por ter
exceção para com os terceiros de boa-fé, sujeitos às suas gerado direito subjetivo para o beneficiário, interessado na
consequências reflexas. sua manutenção.
A Lei Federal nº 9.784/99 admite a convalidação ATO SUSPENSÍVEL – É aquele em que a
do ato administrativo, dizendo: “Em decisão na qual se Administração pode fazer cessar os seus efeitos, em
evidencie não acarretarem lesão ao interesse público nem determinadas circunstâncias ou por certo tempo, embora
prejuízos a terceiros, os atos que apresentarem defeitos mantendo o ato para oportuna restauração de sua
sanáveis poderão ser convalidados pela própria operatividade.
Administração”(art.55). Difere a suspensão da revogação, porque esta
ATO INEXISTENTE – É o que apenas tem retira o ato do mundo jurídico, ao passo que aquela susta,
aparência de manifestação regular da Administração, mas apenas, a sua exequibilidade. Em geral a suspensão do ato
não chega a se aperfeiçoar como ato administrativo. É o cabe à própria Administração, mas, por exceção, em
que ocorre, por exemplo, com o “ato” praticado por um mandado de segurança e em certas ações (interditos
usurpador de função pública. Tais atos em nosso Direito, possessórios, nunciação de obra nova e ações cautelares)
equiparam-se aos atos nulos, sendo, assim, irrelevante e é admissível a suspensão do ato administrativo pelo
sem interesse prático a distinção entre nulidade e Judiciário.
inexistência, porque ambas conduzem ao mesmo resultado
– a invalidade – e subordinam-se às mesmas regras de Ato auto Executório e não Auto Executório
invalidação. Ato inexistente ou ato nulo é ato ilegal e (Quanto ao modo de execução)
imprestável, desde o seu nascedouro. ATO AUTO-EXECUTÓRIO – É aquele que traz em
si a possibilidade de ser executado pela própria
Ato Perfeito, Imperfeito, Pendente e Administração, independentemente de ordem judicial. Tais
Consumado (Quanto à exequibilidade) atos são, na realidade, auto executáveis, como já
discorremos anteriormente sobre as características gerais
ATO PERFEITO - É aquele que reúne todos os dos atos administrativos (ver auto-executoriedade, pág. 18).
elementos necessários à sua exequibilidade ou
operatividade, apresentando-se apto e disponível para ATO NÃO AUTO-EXECUTÓRIO – É o que
produzir seus regulares efeitos. depende de pronunciamento judicial para a produção de
ATO IMPERFEITO – É o que se apresenta seus efeitos finais, tal como ocorre com a dívida fiscal, cuja
incompleto na sua formação ou carente de um ato execução é feita pelo Judiciário, quando provocado pela
complementar para tornar-se exequível ou operante. Administração interessada na sua efetivação.
ATO PENDENTE – É aquele que, embora perfeito,
por reunir todos os elementos de sua formação, não produz
efeitos, por não verificado o termo ou a condição de que Ato Constitutivo, Desconstitutivo e de
depende sua exequibilidade ou operatividade. O ato Constatação (Quanto aos seus efeitos)
pendente pressupõe sempre um ato perfeito, apenas não
se verifica de início o termo ou a condição pendente para a ATO CONSTITUTIVO – É aquele pelo qual a
sua exequibilidade. Administração cria, modifica ou suprime um direito do
ATO CONSUMADO – É o que produz todos os administrado ou de seus servidores. Tais atos, ao mesmo
seus efeitos, tornando-se, por isso mesmo, irretratável ou tempo que geram um direito para uma parte, constituem
imodificável. obrigação para outra.
ATO DESCONSTITUTIVO – É aquele que desfaz
uma situação jurídica preexistente. Geralmente, vem
50
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

precedido de um processo administrativo com tramitação


idêntica à que deu origem ao ato desfeito. Atos Punitivos
ATO DE CONSTATAÇÃO – É aquele pelo qual a Atos administrativos punitivos são os que contêm
Administração verifica e proclama uma situação fática ou uma sanção imposta pela Administração àqueles que
jurídica ocorrente. Tais atos, vinculam a Administração que infringirem disposições legais, regulamentares ou
os expede, mas não modificam, por si sós, a situação ordinatórias dos bens ou serviços públicos. Visam punir e
constatada, exigindo um outro ato constitutivo ou reprimir as infrações administrativas ou a conduta irregular
desconstitutivo para alterá-la. Seus efeitos são meramente dos servidores ou particulares perante a Administração.
verificativos Vale ressaltar que, existem duas modalidades de
atos punitivos, a saber: externo e interno. A punição externa
Espécies de Atos Administrativos é endereçada ao administrado, e por isso mesmo, vinculada
Vejamos agora os aspectos com que se em todos os seus termos à forma legal que a estabelecer,
apresentam na prática, enquadrando-os pelos caracteres ao passo que, a punição interna, sendo, de caráter
comuns e pelos traços individuais que os distinguem, nas eminentemente disciplinar e endereçada aos servidores
espécies correspondentes, segundo o fim imediato a que se públicos, é discricionária quanto á oportunidade,
destinam e o objeto que encerram. conveniência e valoração dos motivos que a ensejaram.
Dentre os atos administrativos punitivos de
Atos Normativos atuação externa, merecem destaque a
São aqueles que contêm um comando geral do Multa, a Interdição de Atividades e a destruição de
Executivo, visando a correta aplicação da lei. O objetivo coisas.
imediato de tais atos, é explicitar a norma legal a ser
observada pela Administração e pelos administrados. LICITAÇÕES
A essa categoria pertencem: Decretos
Regulamentares, Regimentos, Resoluções, Instruções Para que se estabeleça o Princípio da Legalidade
Normativas, Deliberações e Portarias de Conteúdo Geral. e Moralidade, previstos no caput do art. 37 da Constituição
Federal de 1988, isto no âmbito dos contratos
Atos Ordinatórios administrativos, se faz necessário a realização de um
São os que visam disciplinar o funcionamento da procedimento denominado de LICITAÇÃO. Portanto, para
Administração e a conduta funcional de seus agentes. São os contratos administrativos exige-se, em regra, a licitação
provimentos, determinações ou esclarecimentos que se prévia. Ressalta-se que, só é dispensada, dispensável ou
endereçam aos servidores públicos a fim de orientá-los no inexigível rigorosamente nos casos previstos em lei, e que
desempenho de suas atribuições. Dentre os atos constitui uma de suas peculiaridades de caráter
ordinatórios de maior frequência e utilização na prática excepcional.
podemos mencionar: as Instruções, as Circulares, os Sendo assim, a licitação é o marco antecessor e
Avisos, as Portarias, as Ordens de Serviço, os Ofícios e os imprescindível do contrato administrativo, configurando tal
Despachos. contrato como o consequente lógico da licitação.
Numa visão mais objetiva, a licitação é apenas um
Atos Negociais procedimento administrativo preparatório do futuro ajuste,
Além daqueles que encerram um mandamento de modo que não confere ao vencedor qualquer direito ao
geral (Normativos e Ordinatórios), outros são praticados contrato e sim, uma mera expectativa desse direito.
contendo uma declaração de vontade do Poder Público e Realmente, concluída a licitação, não fica a Administração
coincidente com a vontade do particular, visando a obrigada a celebrar o contrato, porém, se o fizer deverá ser
concretização de negócios jurídicos públicos ou atribuição com o proponente vencedor.
de certos direitos ou vantagens ao interessado. A sistemática da licitação sofreu várias alterações
Diante de tal conceituação, temos que são no decorrer do tempo, sendo nos dias de hoje tratada na
considerados atos negociais públicos, a Licença, Lei nº 8.666/93. A sua inserção na Constituição Federal de
Autorização, Permissão, Admissão, Visto, Aprovação, 1988 encontra-se no inciso XXVII do art. 37, aplicáveis à
Homologação, Dispensa, Renúncia e até mesmo Protocolo administração direta, autárquica e fundacional da União,
Administrativo. Estados, Distrito Federal e Municípios.
*Observação: A Autorização é ato discricionário As Empresas Públicas e Sociedades de Economia
em que Administração age de acordo com a conveniência e Mista e suas subsidiárias que explorem atividade
oportunidade, ou seja, se o interessado cumprir com todas econômica ficam sujeitas a uma legislação especial, nos
as exigências legais para obtenção de uma Autorização, termos da nova redação dada ao art. 173 pela Emenda
caberá a Administração decidir dentro da sua conveniência Constitucional nº 19 de 1998.
e oportunidade (discricionário). De forma diversa, ocorre
com a Licença e a Admissão, em que, satisfeitas as Conceito e Finalidade da Licitação
prescrições legais, fica a Administração obrigada a Segundo o Mestre Hely Lopes Meirelles, licitação
LINCECIAR ou ADMITIR. “é o procedimento administrativo mediante o qual a
Administração Pública seleciona a proposta mais vantajosa
Atos Enunciativos para os contratos do seu interesse”.
São aqueles que enunciam uma situação Analisando o conceito do ilustre autor, verificamos
existente, sem qualquer manifestação de vontade da que, como se estabelece através de procedimento,
Administração. São considerados atos administrativos em desenvolve-se através de uma sucessão ordenada de atos
sentido formal, visto que materialmente não contêm vinculantes para a Administração e para os licitantes, ou
manifestação da vontade da Administração. seja, todo o procedimento da licitação é necessariamente
Portanto, atos enunciativos são todos aqueles em vinculado à prescrição legal. Isto, sem sombra de dúvida,
que a Administração se limita a certificar ou atestar um fato, propicia igual oportunidade a todos os interessados e
ou emitir uma opinião sobre determinado assunto, sem se funciona como um fator de eficiência e moralidade nos
vincular ao seu enunciado. Dentre eles, podemos citar as negócios administrativos.
Certidões, os Atestados, os Pareceres Administrativos.
51
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Princípios da Licitação Administração quebra a isonomia entre os licitantes, razão


Qualquer que seja a sua modalidade, a licitação é pela qual o nosso judiciário tem anulado não raras vezes,
regida por determinados Princípios que devem ser os editais e julgamentos em que se descobre a perseguição
respeitados para a sua devida legalidade, quais sejam: ou favoritismo administrativo, sem nenhum objetivo ou
a). Procedimento Formal. b). Publicidade de seus vantagem ao interesse público.
atos. c). Igualdade entre os Licitantes. Todavia, não podemos enquadrar como Desvio de
Poder por parte da Administração, atentando contra o
d). Sigilo na Apresentação das Propostas. e). Princípio da Igualdade entre os Licitantes, os chamados
Vinculação ao Edital ou Convite. requisitos mínimos para participação no edital ou convite,
f). Julgamento Objetivo. pois, estes, configuram necessidades prementes ao
g). Adjudicação Compulsória ao Vencedor. interesse da Administração. Podendo esta, fixar tais
Ressalta-se que foi acrescentado ao rol dos requisitos sempre que necessário à execução do contrato, à
princípios da licitação, o Princípio da Probidade segurança e perfeição da obra ou serviço, à regularidade do
Administrativa. tais requisitos sempre que necessário à fornecimento ou ao atendimento de qualquer outro
execução do contrato, à segurança e perfeição da obra ou interesse público.
serviço, à regularidade do fornecimento ou ao atendimento
de qualquer outro interesse público. d). Sigilo na Apresentação da Proposta
a). Procedimento Formal Esse princípio está ligado ao Princípio da
Esse Princípio impõe a vinculação da licitação às Igualdade entre os licitantes, pois ficaria em posição
prescrições legais que a regem em todos os seus atos e vantajosa o proponente que viesse a conhecer a proposta
fases. Essas prescrições decorrem não só da lei, mas, de seu concorrente antes da apresentação da sua. Daí o
também, do regulamento, do caderno de obrigações e até necessário sigilo, que há de ser guardado relativamente a
mesmo do próprio edital ou convite, que complementam as todas as propostas, até a data designada para a abertura
leis superiores, tendo em vista a licitação a que se refere dos envelopes ou invólucros que as contenham, após a
(art. 4º da Lei nº 8.666/93). habilitação dos proponentes (arts. 3º, § 3º, e 43, § 1º).
Não se pode confundir Procedimento Formal A abertura da documentação ou das propostas ou
(Princípio) com formalismo, este, se caracteriza pelo mesmo a revelação de seus conteúdos antecipadamente,
excesso de exigências inúteis e desnecessárias. Assim vem além de ensejar a anulação do procedimento, constitui
decidindo os Tribunais pátrios, no sentido de que, não se também ilícito penal, com pena de detenção e multa
anula o procedimento em face de meras omissões ou (art.94).
irregularidades formais na documentação ou nas propostas
desde que, por sua irrelevância não causem prejuízos à e). Vinculação ao Edital
Administração ou aos licitantes. A Vinculação ao Edital é princípio básico de toda
Ressalta-se que, a Lei nº 8.666/93 permite a licitação. Nem se compreenderia que a Administração
qualquer cidadão acompanhar todo o desenvolvimento da fixasse no edital a forma e o modo de participação dos
licitação, desde que não interfira de modo a perturbar ou licitantes e no decorrer do processo ou na realização do
impedir a realização dos trabalhos (art. 4º). julgamento se afastasse do estabelecido, ou admitisse
documentação e proposta em desacordo com o solicitado.
b). Publicidade dos seus Atos O edital é a lei interna da licitação, e, como tal,
Esse princípio norteia todos atos desde os avisos vincula aos seus termos tanto os licitantes como a
de sua abertura até o conhecimento do edital e seus Administração que o expediu40 (art.41).
anexos, o exame da documentação e das propostas pelos
interessados e o fornecimento de certidões de quaisquer Assim, estabelecida as regras do certame, tornam-
peças, pareceres ou decisões com ela relacionadas. se inalteráveis para aquela licitação, durante todo o
É exatamente em razão desse Princípio que se procedimento. Se no decorrer da licitação a Administração
impõe a abertura dos envelopes da documentação e verificar sua inviabilidade, deverá invalidá-la e reabri-la em
proposta em público e a publicação oficial das decisões dos novos moldes, mas, enquanto vigente o edital ou convite,
órgãos julgadores e do respectivo contrato, ainda que não poderá desviar-se de suas prescrições, quer quanto à
resumidamente (arts. 3º, § 3º, e 43, § 1º). tramitação, quer quanto ao julgamento.
Não há de se confundir, entretanto, a abertura da Verifica-se ainda, a seguinte possibilidade:
documentação e das propostas com o seu julgamento. revelando-se falho ou inadequado aos propósitos da
Aquela será sempre em ato público; este poderá ser Administração, o edital ou convite poderá ser corrigido a
realizado em ambiente fechado e sem a presença dos tempo através de aditamento ou expedição de um novo,
interessados, para que os julgadores tenham a necessária sempre com republicação e reabertura do prazo, desde que
tranquilidade na apreciação dos elementos em exame e a alteração afete a elaboração da proposta.41
possam discutir livremente as questões a decidir. O
essencial é a divulgação do resultado do julgamento, de f). Julgamento Objetivo
modo a propiciar aos interessados os recursos Esse princípio se baseia no critério indicado no
administrativos e as vias judiciais cabíveis. edital e nos termos específicos das propostas. É princípio
de toda licitação que seu julgamento se apoie em fatores
c). Igualdade Entre os Licitantes concretos pedidos pela Administração, em confronto com o
Tal Princípio impede a discriminação entre os ofertado pelos proponentes dentro do permitido no edital ou
participantes (licitantes) do certame, quer seja através de convite.
cláusulas que no edital ou convite, favoreçam uns em Tal princípio visa afastar o discricionarismo na
detrimento de outros, quer mediante julgamento escolha das propostas, obrigando os julgadores a aterem-
tendencioso que desiguale os iguais ou iguale os desiguais se ao critério prefixado pela Administração, com que se
(art. 3º, § 1º). reduz e se delimita a margem de valoração subjetiva,
sempre presente em qualquer julgamento (art.44 e 45).
O desatendimento a esse Princípio constitui a
forma mais insidiosa de Desvio de Poder com que a g). Probidade Administrativa
52
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

A probidade administrativa é dever de todo A expressão obrigatoriedade de licitação tem um


administrador público, mas a lei a incluiu dentre os duplo sentido, significando não só a compulsoriedade da
princípios específicos da licitação (art. 3º), naturalmente licitação em geral como, também, a da modalidade prevista
como advertência às autoridades que a promovem ou a em lei para a espécie, pois atenta contra os princípios da
julgam. Moralidade e Eficiência da Administração o uso da
A probidade administração é mandamento (Dever modalidade mais singela quando se exige a mais complexa,
de Probidade) é mandamento constitucional (art. 37, § 4º), ou emprego desta, normalmente mais onerosa, quando o
que pode conduzir a “suspensão dos direitos políticos, a objeto do procedimento licitatório não a comporta44.
perda da função pública, a indisponibilidade dos bens e o Somente a lei pode desobrigar a Administração,
ressarcimento ao erário, na forma e gradação prevista em quer autorizando a dispensa de licitação, quando exigível,
lei, sem prejuízo da ação penal cabível”42 quer permitindo a substituição de uma modalidade por outra
(art. 23, §§ 3º e 4º). Vejamos portanto, quais os casos
h). Adjudicação Compulsória legais de dispensa de licitação e aqueles em que esta é
O Princípio da Adjudicação Compulsória ao inexigível.
Vencedor impede que a Administração, concluído o
procedimento licitatório, atribua seu objeto a outrem que Dispensa de Licitação
não o legítimo vencedor do certame (arts. 50 e 64). A lei diversificou os casos em que a Administração
A adjudicação ao vencedor é obrigatória, salvo se pode ou deve deixar de realizar licitação, tornando-a
este desistir expressamente do contrato ou não firmar no dispensada, dispensável e inexigível. Tais casos, possuem
prazo prefixado, a menos que comprove motivo justo. conceituações próprias e devem ser compreendidas dentro
A compulsoriedade veda também que se abra do que a Doutrina chama de
nova licitação enquanto válida a adjudicação anterior.
Advertimos que, o direito do vencedor limita-se à Interesse Público
adjudicação, ou seja, à atribuição a ele do objeto da Licitação Dispensada
licitação, e não ao contrato imediato. Isto ocorre porque, a É aquela que a própria lei declarou-a como
Administração pode, licitamente, revogar ou anular o tal (art.17, I e II). Com relação a imóveis: nos casos de
procedimento ou, ainda, adiar o contrato, quando ocorram dação em pagamento; investidura; venda ou doação a outro
motivos para essa conduta. órgão público ; alienação; concessão de direito real de uso;
O que não se lhe permite é contratar com outrem locação ou permissão de uso habitações de interesse
enquanto válida a adjudicação, nem revogar o social.
procedimento ou protelar indefinidamente a adjudicação ou Com relação a móveis: nos casos de doação,
a assinatura do contrato, sem justa causa. permuta, venda de ações e títulos, veda de bens
Agindo com abuso ou desvio de poder na produzidos ou comercializados por órgãos ou entidades da
invalidação ou no adiamento, a Administração ficará sujeita Administração e venda de materiais e equipamentos
a correção judicial de seu ato e a reparação dos prejuízos inservíveis, atendidos os requisitos e condições previstas.
causados ao vencedor lesado em seus direitos, quando Obs.: a doação com encargos, salvo nos casos de
cabível.43 interesse público, é passível de licitação (art. 17, § 4º).
Com a homologação e a adjudicação encerra-se o
processo licitatório, passando-se ao contrato. Licitação Dispensável

OBRIGATORIEDADE, DISPENSA E É toda aquela que Administração pode


INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO dispensar se assim lhe convier. A lei enumerou vinte e um
casos (art.24, I a, XXIV), na seguinte ordem:
A licitação de obras, serviços, compras e I – Obras e serviços de engenharia de valor até
alienações passou a ser uma exigência constitucional para 10% (dez por cento) do limite previsto para execução
toda a Administração Pública, direta, autárquica e dessas atividades na modalidade de convite (art.23, I).
fundacional, ressalvados os casos especificados na II – Outros serviços e compras de valor até 10%
legislação pertinente (CF, art.37, XXI). (dez por cento) do limite previsto para execução dessas
Admite-se, que as empresas estatais que possuem atividades na modalidade de convite (art. 23, II) e para
personalidade jurídica de Direito Privado (Sociedades de alienações nos casos estabelecidos na lei.
Economia Mista, Empresas Públicas e outras entidades III – Guerra ou grave perturbação da ordem são
controladas direta ou indiretamente pelo Poder Público) situações que a Administração tem dispensa de licitação
possam ter regulamentação própria, mas ficam sujeitas às para contratos relacionados com o evento.
normas gerais da Lei nº 8.666/93 (art.119). IV – Emergência ou calamidade pública, também
Justifica-se essa diversidade de tratamento porque dispensa a licitação, mas, somente para os bens
as pessoas jurídicas de Direito Público estão submetidas a necessários ao atendimento da situação emergencial ou
normas de operatividade mais rígidas que as pessoas calamitosa, ou para as parcelas de obras e serviços que
jurídicas de Direito Privado que colaboram com o Poder possam ser concluídas no prazo máximo de 180 dias.
Público. Estas, embora prestando serviços públicos ou V – Desinteresse pela licitação anterior é também
realizando atividades econômicas de interesse público, motivo para a contratação direta, mantida as condições
operam em regime de Direito Privado (Civil ou preestabelecidas no edital ou no convite. Caracteriza-se o
Comercial/Empresarial), conforme reconheceu a própria desinteresse quando não acode ao chamamento anterior
Constituição de 1988 ao dispor que “a empresa pública, a nenhum licitante, ou todos são desqualificados ou nenhuma
sociedade de economia mista e outras entidades que proposta classificada.
explorem atividade econômica sujeitam-se ao regime VI – Intervenção no domínio econômico, também
jurídico próprio das empresas privadas, inclusive quanto às autoriza a União – e somente a União
obrigações trabalhistas e tributárias” (art. 173, § 2º). – a dispensar licitação, para regular preços ou
normalizar o abastecimento. Em tais casos não se fará
Obrigatoriedade de Licitação licitação mas, sim, aquisição amigável ou mediante

53
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

desapropriação, bem como requisição de serviços para exige o certificado de autenticidade para legitimar a
atendimento ao público. aquisição direta47.
VII - Propostas com preços excessivos podem ser XVI – Serviços de impressão e de informática a
rejeitadas na licitação, para contratação direta do mesmo pessoa jurídica de Direito Público interno, prestado por
objeto, produto ou serviço com quem os venda a preço órgão ou entidade da Administração criados para esse fim
inferior. Essa disposição legal é altamente moralizadora das específico. Esse caso de dispensa de licitação foi incluído
aquisições da Administração, pois evita conchavos de com o objetivo de permitir a impressão dos Diários Oficiais,
fornecedores para elevar, acima do mercado ou do preço de edições técnicas e de formulários padronizados de uso
tabelado, suas ofertas em licitação. das repartições, bem como a prestação de serviços de
VIII – Aquisição, por pessoa jurídica de Direito informática.
Público Interno, de bens produzidos ou serviços prestados XVII – Aquisição de componentes ou peças
por órgão ou entidade que integre a Administração Pública necessários à manutenção de equipamentos, durante o
e que tenha sido criado para esse fim específico em data período de garantia técnica. A dispensa só pode ocorrer
anterior à vigência da Lei nº 8.666/93, desde que o preço quando a compra for feita junto ao fornecedor original
contratado seja compatível com o praticado no mercado. O desses equipamentos, quando tal condição de
dispositivo visa a evitar o abuso de preços por parte das exclusividade for indispensável para a manutenção da
entidades estatais produtoras de bens e serviços. garantia.
IX – Comprometimento da segurança nacional, nos XVIII – Serviços e compras indispensáveis ao
casos estabelecidos em Decreto do Presidente da abastecimento de embarcações, aeronaves e tropas,
República, ouvido o Conselho de Defesa Nacional (CDN). quando fora de suas sedes e os prazos legais puderem
Era hipótese de inexigibilidade no Estatuto anterior. O Dec. comprometer a operação. A lei condiciona, ainda, a que o
2.295, de 04/08/1997, listou especialmente três casos: a). valor dessas compras não seja superior àquele fixado para
aquisição de recursos bélicos navais, terrestres e a modalidade de convite.
aeroespaciais; b). contratação de serviços técnicos XIX – Compra de materiais para as Forças
especializados a área de projetos, pesquisas e Armadas cuja padronização seja requerida pela estrutura
desenvolvimento científico e tecnológico; c). aquisição de de apoio logístico, não se aplicando aos materiais de uso
equipamentos e contratação de serviços técnicos pessoal e administrativo.
especializados para a área de inteligência. XX – Serviços prestados por associações de
portadores de deficiência física, sem fins lucrativos e de
Tal dispensa deverá ser devidamente justificada, comprovada idoneidade, desde que os preços sejam
notadamente quanto ao preço e escolha do fornecedor e compatíveis com o mercado.
ratificada pelo titular do Ministério contratante. XXI – Aquisição de bens destinados
X – Compra ou locação de imóvel para atividades exclusivamente à investigação científica e tecnológica, com
precípuas da Administração também é o caso de dispensa, recursos concedidos por instituições oficiais de fomento à
desde que as necessidades de instalação e localização pesquisa.
condicionem a escolha e o preço seja compatível com o XXII – Aquisição de energia elétrica fornecida por
valor de mercado, segundo avaliação prévia45. concessionário, permissionário ou autorizado, de acordo
XI – Remanescente de obra, serviço ou com a legislação específica.
fornecimento, em consequência de rescisão contratual. XXIII – Aquisição ou alienação de bens, ou
Neste caso, em vez de proceder a nova licitação, a prestação de serviços realizados por empresa pública ou
Administração poderá contratar diretamente, desde que sociedade de economia mista e suas subsidiárias e
atendida a ordem de classificação anterior e nas mesmas controladas, desde que o preço seja compatível com o
condições oferecidas pelo licitante vencedor. O novo mercado.
contratado assume o lugar do anterior, cabendo-lhe XXIV – Contratação de serviços com organizações
executar o objeto do contrato nas condições estabelecidas, sociais, qualificadas no âmbito das respectivas esferas de
inclusive com relação os acréscimos e supressões. Governo, para atividades contempladas no contrato de
XII – Compra de gêneros alimentícios perecíveis, gestão.
realizadas diretamente com base no preço do dia, durante o
período necessário para a realização dos processos Inexigibilidade de Licitação
licitatórios correspondentes. A dispensa, portanto, só é Ocorre a inexigibilidade de licitação quando há
justificável enquanto são tomadas as providências impossibilidade jurídica de competição entre contratantes,
administrativas indispensáveis para a licitação dos produtos quer pela natureza específica do negócio, quer pelos
desejados pela Administração46. objetivos sociais visados pela Administração.
XIII – Contratação de instituição brasileira de A atual lei, depois de considerar dispensada a
pesquisa, ensino ou desenvolvimento institucional ou licitação para doação, permuta, dação em pagamento e
dedicada a recuperação social do preso, desde que a investidura de bens públicos (art. 17, I e II) e de enumerar
instituição detenha inquestionável reputação ético- os casos em que esta é dispensável (art.24), cuida
profissional e não possua fins lucrativos, requisitos que separadamente da inexigibilidade de licitação. Assim no art.
devem ficar comprovados no procedimento administrativo. 25 refere-se genericamente à inviabilidade de competição
XIV – Aquisição de bens ou serviços nos termos (em que se enquadram as vendas de sementes,
de acordo internacional, e quando as condições ofertadas reprodutores, adubos, inseticidas, vacinas e de outros
forem manifestamente vantajosas para o Poder Público produtos pela Administração)48 e, em especial, aos casos
XV – Aquisição ou restauração de obras de artes em que o fornecedor é exclusivo (inc.I), e em que o
ou objetos históricos, quando contratadas por órgão ou contratado é o único que reúne as condições necessárias à
entidade cujas atividades se relacionem com o setor plena satisfação do objeto do contrato(incs. II e III).
artístico ou histórico (museus, escolas de belas-artes, Em todos os casos a licitação inexigível pela
fundações culturais ou artísticas). Justifica-se a dispensa impossibilidade jurídica de se instaurar o processo licitatório
por se tratar de objetos certos e determinados, valiosos por nos casos específicos.
sua originalidade e, por isso mesmo, não sujeitos a
substituição por cópias ou similares. Daí porque que se Modalidades de Licitação
54
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

A licitação compreende as seguintes modalidades: A nova lei aproximou a tomada de preços da


Concorrência, Tomada de Preços, Convite, Concurso e concorrência, exigindo a publicação do aviso e permitindo o
Leilão. cadastramento até o terceiro dia anterior à data do
Licitação, portanto, é o gênero, do qual as recebimento das propostas (arts.21 e 22, § 2º).
modalidades são espécies. Por isso mesmo, os preceitos A tomada de preços é admitida nas contratações
genéricos acima estudados aplicam-se a todas as de obras, serviços e compras dentro dos limites de valor
modalidades e os específicos regem cada uma delas em estabelecidos na lei e corrigidos por ato administrativo
particular. competente.
As nossas espécies de licitação têm características
próprias e se destinam a determinados tipos de Convite
contratação, vejamos: Convite é a modalidade de licitação mais simples,
destinada à contratações de pequeno valor, consistindo na
Concorrência solicitação escrita a pelo menos três interessados do ramo,
Concorrência é a modalidade própria para registrados ou não, para apresentarem suas propostas no
contratações de grande valor, em que se admite a prazo mínimo de cinco dias úteis.
participação de quaisquer interessados cadastrados ou não, O Convite não exige publicação, porque é feito
que satisfaçam as condições do edital, convocados com a diretamente aos escolhidos pela Administração através da
antecedência mínima prevista em lei49, com ampla chamada carta-convite. A lei nova, porém, determina que a
divulgação pelo órgão oficial e pela imprensa particular. cópia do instrumento convocatório seja afixada em local
A Concorrência é obrigatória nas contratações de apropriado, estendendo-se automaticamente aos demais
obras, serviços e compras, dentro dos limites de valor cadastrados na mesma categoria, desde que manifestem o
fixados pelo ato competente, que são diversos para obras e seu interesse até vinte e quatro horas antes da
serviços de engenharia e para outros serviços e compras. apresentação das propostas(art.22, § 6º).
Da sua simplicidade, haverá a dispensa de
Considerações Acerca da Modalidade apresentação de documentos, mas, quando estes forem
Concorrência exigidos, a documentação, como nas demais modalidades
A doutrina majoritária considera como requisitos de licitação, deverá ser apresentada em envelope distinto
básicos, ou mesmo princípios, para a modalidade de do da proposta.
licitação, Concorrência, a Universalidade, a Ampla O convite é julgado pela Comissão de Julgamento
Publicidade, a Habilitação Preliminar e o Julgamento por das licitações, mas é admissível a sua substituição por
Comissão. Servidor formalmente designado para esse fim (art.51, §
A Universalidade é a possibilidade que se oferece 1º). Uma vez julgadas as propostas, adjudica-se o objeto do
à participação de quaisquer interessados na concorrência, convite ao vencedor, formalizando-se o ajuste por simples
independentemente de registro cadastral na Administração ordem de execução de serviço, nota de empenho da
que a realiza ou em qualquer outro órgão público. despesa, autorização de compra ou carta-contrato, e
A legislação pátria é bastante clara quando fazendo-se as publicações devidas no órgão oficial, em
conceitua a concorrência como a modalidade de licitação resumo ou na íntegra, para possibilitar os recursos cabíveis
em que se admite a participação de qualquer licitante e tornar os ajustes exequíveis.
através de convocação da maior amplitude, diversificando-a
da tomada de preços, restrita aos interessados previamente Concurso
cadastrados, observada a necessária habilitação. O Concurso é a modalidade de licitação destinada
O que denominam de Ampla Publicidade da à escolha de trabalho técnico ou artístico,
convocação para a concorrência é requisito essencial, por predominantemente de criação intelectual. Normalmente,
relacionar-se com o Princípio da Universalidade. O que a lei há atribuição de prêmio aos classificados, mas a lei admite
exige é a divulgação da abertura da concorrência com a também a oferta de remuneração (art.22, § 4º)51.
maior amplitude possível e desejável, tendo em vista o vulto A publicidade é assegurada por meio de
e a complexidade do seu objeto. publicação do edital, consoante estabelece o art.22, § 4º,
A Habilitação Preliminar na concorrência, constitui com pelo menos 45 dias de antecedência. De acordo com o
fase inicial do processo licitatório, realizada após a sua art. 52, § 2º, em se tratando de projeto, o vencedor deverá
abertura, enquanto na tomada de preços e convite é autorizar a Administração a executá-lo quando julgar
anterior. conveniente52.
Julgamento Por Comissão é considerado requisito De acordo com os ensinamentos de Hely Lopes
(ou princípio) e relaciona-se ao julgamento dos requisitos Meirelles53, o concurso exaure-se com a classificação dos
pessoais dos interessados, sob o aspecto da capacidade trabalhos e o pagamento dos prêmios, não conferindo
jurídica, da regularidade fiscal, a qualificação técnica e da qualquer direito a contrato com a Administração. A
idoneidade econômico-financeira. Compete a uma execução do projeto escolhido será objeto de nova licitação,
comissão composta de pelo menos três membros, que já agora sob a modalidade de concorrência, tomada de
pode ser a mesma que irá julgar as propostas, como ocorre preços ou convite.
comumente. Nada impede, entretanto, a designação de A Constituição federal de 1988, mais
Comissão Especial para essa fase. especificamente em seu art.37, II, instituiu o chamado
Princípio da Obrigatoriedade de Concurso Público,
Tomada de Preços referindo-se a investidura em cargo ou emprego público da
Tomada de preço é a licitação realizada entre Administração Direta e Indireta. Tal inovação constitui forma
interessados previamente registrados, observada a de licitação (modalidade concurso) para contratação de
necessária habilitação, convocados com a antecedência pessoal, não contemplado esse objeto de contrato na lei
mínima prevista em lei, por aviso publicado na imprensa geral de licitações, diga-se: Lei nº 8.666/93.
oficial e em jornal particular, contendo as informações
essenciais da licitação e o local onde pode ser obtido o CONTRATOS ADMINISTRATIVOS
edital.

55
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

CONSIDERAÇÕES SOBRE CONTRATOS - O instrumento de contrato é facultativo


ADMINISTRATIVOS FORMALIZAÇÃO, ARQUIVO E nas contratações fundamentadas em:
PUBLICAÇÃO - Convites;
Para a Administração Pública, considera- - Compras para entrega imediata e integral de que
se contrato: “todo e qualquer ajuste entre órgãos ou não resultem obrigações futuras, independentemente de
entidades da Administração Pública e particulares, em que valor;
haja um acordo de vontade para a formação de vínculo e a Nos demais casos em que a
estipulação de obrigações recíprocas, seja qual for a Administração puder substituí-los por outros instrumentos
denominação utilizada.” (Art. 2º, Parágrafo [único). hábeis, tais como carta-contrato, nota de empenho de
Os contratos e seus aditamentos serão despesa, autorização de compra ou ordem de execução de
lavrados nas repartições interessadas, salvo os relativos a serviço. (Art. 62).
direitos reais sobre imóveis, que se formalizam por A contratação somente será efetuada
instrumento lavrado em cartório de notas e reconhecimento quando existirem à disposição os correspondentes recursos
de firma (Art. 60). As repartições manterão arquivo orçamentários. As minutas dos contratos, acordos,
cronológico de seus autógrafos e registro sistemático do convênios ou ajustes e de editais de licitação devem ser
seu extrato (Art. 60). É obrigatória a publicação resumida do previamente examinados e aprovados por assessoria
instrumento de contrato ou de seus aditamentos na jurídica da Administração (Art. 38, Parágrafo único).
imprensa oficial, como condição indispensável para sua
eficácia. (Art. 61, Parágrafo único). PRAZOS DE VIGÊNCIA DOS CONTRATOS
O gerente de contratos deve manter em arquivo É vedado o contrato com prazo de vigência
cópia dos contratos, de seus aditamentos e da publicação indeterminado, se regido pela Lei de Licitações e Contratos
dos respectivos extratos ou súmulas, à disposição dos (Art. 57, § 3º).
órgãos de fiscalização interna e externa. É nulo e sem
nenhum efeito o contrato verbal com a Administração, Regra geral:
exceto o de pequenas despesas de pronto pagamento A duração dos contratos administrativos, regidos
feitas em regime de adiantamento (Art. 60, Parágrafo pela Lei de Licitações
único). O instrumento de contrato é obrigatório nas e Contratos, ficará adstrita à vigência dos
contratações fundamentadas em: - Concorrências; respectivos créditos orçamentários. (Art. 57, caput).
- Tomadas de preços; Projetos cujos produtos estejam
- Dispensas ou inexigibilidades de contemplados nas metas estabelecidas no Plano Plurianual:
licitação cujos valores estejam compreendidos nos limites Poderão ser prorrogados se houver
das modalidades de concorrência ou tomada de preços; interesse da Administração e desde que isto tenha sido
- Compras de qualquer valor de que resultem previsto no ato convocatório. (Art. 57, I).
obrigações futuras. Prestação de serviços a serem
executados de forma contínua:
Poderão ter sua duração prorrogada por iguais e
sucessivos períodos com vistas à obtenção de preços e
condições mais vantajosas para a Administração, limitada a
60 (sessenta) meses, ou seja, 5 (cinco) anos,
podendo ainda ser prorrogados em até 12 (doze)
meses, em caráter excepcional, devidamente justificado e
mediante autorização da autoridade superior. (Art. 57, II e §
4º com as alterações da Lei 9.648/98).
Aluguel de equipamentos e utilização de
programas de informática:
Pode a duração estender-se pelo prazo
de até 48 (quarenta e oito) meses após o início da vigência
do contrato. (Art. 57, IV).
Casos especiais, não sujeitos aos prazos
estabelecidos no art. 57 da Lei de Licitações e Contratos:
- Contratos de seguro, financiamento, locação em
que o Poder Público seja locatário. (Art. 62, § 3º, I);
- Contratos em que a Administração faz
parte como usuária de serviço público. (Art. 62, § 3º, II);
- Demais contratos cujo conteúdo seja
regido predominantemente por norma de direito privado.
(Art. 62, § 3º, I).
Disciplinando sobre estes contratos,
enumerados no item 5, o § 3º de art. 62 da Lei de Licitações
e Contratos manda aplicar tão somente o disposto no art.
55 e nos arts. 58 a 61, não fazendo nenhuma referência e,
portanto, excluindo exatamente o art. 57, que estabelece
limites de prazo e veda o contrato com prazo
indeterminado.
Assim é que esses contratos são se
subordinam aos prazos de duração fixados no art. 57,
incisos II e IV, nem à vedação do § 3º do mesmo artigo, que
proíbe a contratação por prazo indeterminado. Podem,
portanto, ter prazos superiores há cinco anos ou, até
mesmo, ser assinados por prazo indeterminado.
56
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

O § 3º de art. 62, que exclui a incidência do contrato a renovar ou a soma dos prazos ininterruptos
do art. 57, manda que sejam aplicadas as demais normas dos contratos escritos seja de cinco anos, e o locatário
gerais, no que couber, pelo que, mesmo em se tratando de esteja no mesmo ramo, pelo prazo mínimo e ininterrupto de
serviços públicos, de locação ou de concessão de uso, não três
está a Administração desobrigada do processo de licitação, anos;
de dispensa ou inexigibilidade, bem como das publicações Nesses casos, deve a Administração
previstas em lei. procurar assinar esses contratos pelo prazo de cinco anos,
prazo sempre determinado, e, em tempo oportuno, antes do
PRORROGAÇÕES DOS PRAZOS DE DURAÇÃO seu vencimento, intentar negociações com vistas à sua
DOS CONTRATOS renovação, se interessar, a qual, não logrando êxito, poderá
A regra geral é a de que a duração dos propor a competente ação renovatória, assegurada pela Lei
contratos administrativos deverá observar a vigência dos nº 8.245/91;
respectivos créditos orçamentários. Nas concessões de uso, chamadas de
Existem, porém, serviços de natureza comodato, também não cabem a limitação de prazo,
contínua destinados a atender necessidades públicas devendo, no entanto, caso assinado por prazo determinado,
permanentes. De outra parte, presume-se a disponibilidade formalizar-se, no tempo próprio, as prorrogações ou,
de recursos orçamentários, pois os orçamentos certamente proceder a nova licitação.
contemplarão verbas para despesas com serviços
contínuos. PRERROGATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO EM
De um modo geral, os contratos são RELAÇÃO AOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS
firmados com prazo de um ano, com previsão de Em relação aos contratos, a
prorrogação por iguais períodos até o limite de sessenta Administração tem a prerrogativa de:
meses, no caso de serviços contínuos, e de quarenta e oito “Modificá-los, unilateralmente, para melhor
meses, em se tratando de aluguel de equipamentos ou adequação às finalidades de interesse público, respeitados
utilização de programas de informática. os direitos do contratado.” (Art. 58, I).
Não há prorrogação tácita. A prorrogação A Administração não tem a faculdade de
deve ser motivada, previamente autorizada pela autoridade alterar o contrato administrativo quando e como bem
competente e formalizada por um Termo Aditivo analisado e entender. A Administração tem o dever de intervir no
aprovado pelo serviço jurídico do órgão. contrato e introduzir as modificações necessárias e
Uma vez aditado, o resumo deverá ser adequadas à satisfação do interesse público.
publicado na imprensa oficial para que alcance a eficácia e Nos contratos administrativos existem
seja de conhecimento dos interessados e dos órgãos de cláusulas que dizem respeito ao desempenho das
controle. atividades, denominadas cláusulas regulamentares, e
A única disposição que a prorrogação cláusulas que dizem respeito à remuneração do contratado,
deverá conter é o novo prazo, nada mais podendo ser denominadas cláusulas econômicas.
incorporado. As cláusulas regulamentares, verificados
os pressupostos normativos, podem ser unilateralmente
CONTRATOS DE LOCAÇÃO DE IMÓVEIS alteradas pela Administração Pública.
Quanto a tais contratos, cabe observar: As cláusulas econômicas não podem ser
É dispensável a licitação para a locação alteradas unilateralmente pela Administração Pública: “As
de imóvel destinado ao atendimento das finalidades cláusulas econômico-financeiras e monetárias dos
precípuas da Administração, cujas necessidades de contratos administrativos não poderão ser alteradas sem
instalação e localização condicionem a sua escolha, desde prévia concordância do contratado.” (Art. 58, § 1º).
que o preço seja compatível com o valor de mercado, A alteração unilateral do contrato somente
segundo avaliação prévia. (Art. 24, X); poderá ser efetuada pela ocorrência de eventos ocorridos
Tais contratos não estão adstritos aos ou somente conhecidos após a contratação, eis que
prazos estabelecidos no art. 57, de vez que o seu conteúdo realizado o certame licitatório. Isto significa que a faculdade
é regido predominantemente por norma de direito privado, que a Administração detém de modificar o contrato está
Lei 8.245/91, mas devem, da mesma forma ser aplicadas condicionada a
as normas gerais, estando pois a contratação sujeita ao ocorrências posteriores à data da contratação.
processo de dispensa e às demais formalidades previstas Ocorrências que modifiquem as circunstâncias de fato ou
na legislação; de direito e que motivam e embasam a necessidade ou
Merecem controle especial os contratos de conveniência de alterar o contrato.
locação, pois a Lei nº 8245/91, estabelece em seu artigo A alteração do contrato deverá ser:
56, Parágrafo único, que, findo o prazo estipulado, se o Motivada, justificada, sem o que, será
locatário permanecer no imóvel por mais de trinta dias sem inválida a alteração unilateral do contrato administrativo.
oposição do locador. Presumir-se-á prorrogada a locação, Não basta simplesmente invocar a necessidade ou
nas condições ajustadas, mas sem prazo determinado. o interesse público. É necessário explicitar o motivo real e
Neste caso, o contrato de locação por prazo indeterminado concreto que embasa a modificação.
poderá ser denunciado por escrito pelo locador, A Administração deverá demonstrar que
concedendo ao locatário trinta dias para a desocupação. não existia na data da contratação o motivo da modificação,
Um falta de controle, nesta hipótese, poderá deixar a isto é, de que o evento que motivou a alteração ocorreu
Administração em situação de ter que desocupar o imóvel após aquela data ou comprovar que somente se tornou
no prazo de trinta dias; conhecido após a data da assinatura do contrato.
Quando a locação do imóvel for destinada ao A modificação introduzida no contrato
comércio, como é o caso dos bancos oficiais ou de outras deverá ser proporcional à ocorrência que a motivou.
empresas públicas ou sociedades de economia mista, tem A modificação do contrato será nula
direito à renovação do contrato, por igual prazo, desde que quando:
cumulativamente o contrato a renovar tenha sido celebrado . Desmotivada;
por escrito e com prazo determinado e que o prazo mínimo
57
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

. Fundamentada em motivo existente e I – (VETADO);


conhecido em data anterior à contratação; II – as supressões resultantes de acordo
. Fundamentada em motivo inexistente; celebrado entre os contratantes;
. Desproporcional à motivação. § 3º Se no contrato não houverem sido
No tópico a seguir, sobre as alterações contemplados preços unitários para obras ou serviços,
nos contratos, serão abordados os limites à faculdade de a esses serão fixados mediante acordo entre as partes,
Administração modificar unilateralmente os contratos respeitados os limites estabelecidos no § 1º deste artigo.
administrativos. § 4º No caso de supressão de obras, bens
“Rescindi-los, unilateralmente, nos casos ou serviços, se o contratado já houver adquirido os
especificados no inciso I do art. 79 desta Lei.” (Art. 58, II). materiais e posto no local dos trabalhos, estes deverão ser
Este tópico será tratado adiante quando pagos pela Administração pelos custos de aquisição
for abordado o assunto: rescisão de contratos. regularmente comprovados e monetariamente corrigidos,
“Fiscalizar lhes a execução.” podendo caber indenização por outros danos
Este assunto foi abordado em páginas eventualmente decorrentes da supressão, desde que
anteriores. regularmente comprovados;
“Aplicar sanções motivadas pela § 5º Quaisquer tributos ou encargos legais
inexecução total ou parcial do ajuste.” (Art. 58, IV). criados, alterados ou extintos, bem como a superveniência
O tópico será tratado adiante quedo for de disposições legais, quando ocorridas após a data da
abordado o assunto: rescisão de contratos. apresentação da proposta, de comprovada repercussão nos
“O disposto no inciso V do art. 58 não tem preços contratados, implicarão a revisão destes para mais
mais aplicação no campo dos contratos administrativos, ou para menos, conforme o caso;
com a edição da Lei nº 8.987, lei específica que disciplina § 6º Em havendo alteração unilateral do
as concessões e permissões de serviço público.” contrato que aumente os encargos do contratado, a
Administração deverá restabelecer, por aditamento, o
ALTERAÇÃO DE CONTRATOS equilíbrio econômico-financeiro inicial;
ADMINISTRATIVOS § 7º - (VETADO);
A Lei de Licitações e Contratos dispõe, § 8º A variação do valor contratual para
em seu art. 65, que os contratos administrativos poderão fazer face ao reajustamento de preços previsto no próprio
ser alterados, com as devidas justificativas, nos seguintes contrato, as atualizações, compensações ou penalizações
casos: financeiras decorrentes das condições de pagamento nele
“I – Unilateralmente pela Administração: quando previstas, bem como o empenho de dotações
houver modificação do projeto ou das especificações, para orçamentárias suplementares até o limite do seu valor
melhor adequação técnica aos seus objetivos; corrigido, não caracterizam alteração do mesmo,
quando necessária a modificação do valor dispensando a celebração de aditamento.”
contratual em decorrência de acréscimo ou diminuição
quantitativa de seu objeto, nos limites permitidos por esta ANULAÇÃO E RESCISÃO DE CONTRATOS
Lei; ADMINISTRATIVOS
II – por acordo das partes: quando De um modo geral um contrato se
conveniente a substituição da garantia da execução; extingue pela conclusão do seu objeto ou pelo término do
. quando necessária a modificação do regime de prazo.
execução da obra ou serviço, bem como do modo de Existem, porém, situações anormais em
fornecimento, em face de verificação técnica da que um contrato se extingue pela anulação ou pela
inaplicabilidade dos termos contratuais originários; rescisão.
. quando necessária a modificação da
forma de pagamento, por imposição de circunstâncias ANULAÇÃO DE CONTRATO
supervenientes, mantido o valor inicial atualizado, vedada a Anular um contrato significa desconstituir
antecipação do pagamento, com relação ao cronograma o contrato suprimindo seus
financeiro fixado, sem a correspondente contraprestação de efeitos. A nulidade se dá quando o contrato ofende
fornecimento de bens ou execução de obra ou serviço: norma que tutela o interesse público, pressupõe um quadro
- para restabelecer a relação que as anormal de direito.
partes pactuaram inicialmente entre os encargos do A Lei de Licitações e Contratos assim dispõe sobre
contratado e a retribuição da Administração para a justa a anulação de contratos administrativos: “A declaração de
remuneração da obra, serviço ou fornecimento, objetivando nulidade do contrato administrativo opera retroativamente
a manutenção do equilíbrio econômico-financeiro inicial do impedindo os efeitos jurídicos que ele, ordinariamente,
contrato, na hipótese de deveria produzir, além de desconstituir os já produzidos.”
sobrevirem fatos imprevisíveis, ou previsíveis (Art. 59).
porém de consequências incalculáveis, retardadores ou Parágrafo único. A nulidade não exonera
impeditivos da execução do ajustado, ou ainda. Em caso de a Administração do dever de indenizar o contratado pelo
força maior, caso fortuito ou fato do príncipe, configurando que este houver executado até a data em que ela for
álea econômica extraordinária e extracontratual. declarada e por outros prejuízos regularmente
§ 1 º O contratado fica obrigado a aceitar, comprovados, contanto que não lhe seja imputável,
nas mesmas condições contratuais, os acréscimos ou promovendo-se a responsabilidade de quem lhe deu
supressões que se fizerem nas obras, serviços ou compras, causa.”
até 25% (vinte e cinco por cento) do valor inicial atualizado Declarada a nulidade a Administração tem
do contrato, e, no caso particular de reforma de edifício ou o dever de indenizar o contratado, por perdas e danos, no
de equipamento, até o limite de 50% (cinquenta por cento) que couber. Vedado o enriquecimento sem causa, a
para os seus acréscimos. Administração não poderá declarar nulidade de contrato
§ 2º Nenhum acréscimo ou supressão como instrumento de enriquecimento.
poderá exceder os limites estabelecidos no parágrafo A decisão sobre a anulação do contrato e
anterior, salvo: a indenização do contratado deverá se antecedida do
58
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

devido processo legal, com garantia do contraditório e de execução do contrato, tal como vendaval, inundação,
ampla defesa do contratado, tanto no que se refere à terremoto ou outro evento natural anormal.
anulação do contrato quanto ao montante da indenização. Força maior é decorrente de evento
humano inevitável que impossibilite ou impeça o
RESCISÃO DE CONTRATO cumprimento do contrato, tal como uma greve prolongada
A Lei de Licitações e Contratos assim no sistema de transportes que impossibilite o cumprimento
dispõe: “a inexecução total ou parcial do contrato enseja a do contrato, graves perturbações à ordem pública que
sua rescisão, com as consequências contratuais e as inviabilizem a execução do que foi contratado.
previstas em lei ou regulamento.” (Art.77).
A rescisão do contrato poderá ser Hipóteses de rescisão contratual
provocada pela Administração ou, pelo próprio contratado A Lei de Licitações e Contratos enumera no artigo
no caso de descumprimento por parte do Poder Público. 78, dezessete casos para rescisão de contrato
A inexecução poderá ser total ou parcial, administrativo, que deverão ser formalmente motivados nos
conforme afete o todo ou apenas parcialmente o contrato, autos do respectivo processo, assegurando-se o
por ação ou omissão, com ou sem culpa. contraditório e a ampla defesa:
Haverá culpa quando ocorrer negligência, “I – o não cumprimento de cláusulas
imprudência, imprevidência contratuais, especificações, projetos e prazos;
ou imperícia no atendimento das disposições II – o cumprimento irregular de cláusulas
contidas nas cláusulas contratuais. contratuais, especificações, projetos e prazos;
III – a lentidão do seu cumprimento,
RESCISÃO PELA INEXECUÇÃO COM CULPA levando a Administração a com-
A inexecução com culpa enseja a provar a impossibilidade da conclusão da obra, do
aplicação de sanções legais ou contratuais proporcionais à serviço ou do fornecimento, nos prazos estipulados;
gravidade da falta, garantido o contraditório e ampla defesa IV – o atraso injustificado no início da
por parte do contratado. As sanções poderão ocorrer pela obra, serviço ou fornecimento;
aplicação de multas até a rescisão do contrato, com a V – a paralisação da obra, do serviço ou
cobrança de perdas e danos e, até, com a suspensão do fornecimento, sem justa causa e prévia comunicação à
provisória e a declaração de inidoneidade pra contratar com Administração;
a administração. Tais sanções encontram-se explicitadas VI – a subcontratação parcial ou total do
nos artigos 87 e 88 da Lei de Licitações e Contratos. seu objeto, a associação do contrato com outrem, a cessão
Além das sanções administrativas, a Lei ou transferência, total ou parcial, bem como a fusão, cisão
de Licitações e Contratos também dispõem em seus artigos ou incorporação, não admitidas no edital e no contrato;
89 a 99, sobre os crimes e as penas com relação a VII – o desatendimento das
licitações e contratos. determinações regulares da autoridade designada para
acompanhar e fiscalizar a sua execução, assim como as de
RESCISÃO PELA INEXECUÇÃO SEM CULPA seus superiores;
A inexecução sem culpa ocorre em VIII – o cometimento reiterado de faltas na
decorrência de atos ou fatos estranhos à conduta dos sua execução, anotadas na forma do § 1º de art.67 desta
contratantes, ocorridos posteriormente à assinatura do Lei;
contrato e que impediram ou dificultaram o cumprimento IX – a decretação de falência ou a
das obrigações assumidas, caso em que a parte fica isenta instauração de insolvência civil;
de responsabilidades. X – a dissolução da sociedade ou o
De acordo com a Teoria da Imprevisão, falecimento do contratado;
existem três hipóteses que excluem a culpa pela XI – a alteração social ou a modificação
inexecução de contrato: o fato do príncipe, o caso fortuito e da finalidade ou da estrutura da empresa, que prejudique a
a força maior. execução com contrato;
A base da Teoria da Imprevisão é a de XII – razões de interesse público, de alta
que o contrato deve ser cumprido em conformidade com as relevância e amplo conhecimento, justificadas e
mesmas condições existentes quando da assinatura. determinadas pela máxima autoridade da esfera
Ocorrendo instabilidade econômica ou social, não previstas administrativa a que está subordinado o contratante e
e sem intervenção dos contratantes, que alterem as exaradas no processo administrativo a que se refere o
condições do contrato, não se poderá atribuir culpa ao contrato;
contratante inadimplente. XIII – a supressão, por parte da
Administração, de obras, serviços ou compras, acarretando
Fato do Príncipe: modificação do valor inicial do contrato além do limite
Trata-se de medidas tomadas pela permitido no § 1º do art. 65 desta Lei:
Administração Pública contratante e que venham a XIV – a suspensão de sua execução, por
comprometer o equilíbrio econômico-financeiro do contrato. ordem escrita da Administração, por prazo superior a 120
Há situações em que, pelo aumento do (cento e vinte) dias, salvo em caso de calamidade pública,
encargo, o contratado terá direito à revisão do preço para grave perturbação da ordem interna ou guerra, ou ainda por
restabelecimento do equilíbrio econômico-financeiro. repetidas suspensões que totalizem o mesmo prazo,
Podem ocorrer também situações em que a alteração independentemente do pagamento obrigatório de
unilateral ocasionada pela Administração inviabilize o indenizações pelas sucessivas e contratualmente
contratado de cumprir com o contrato, fazendo então jus à imprevistas desmobilizações e mobilizações e outras
indenização. previstas, assegurado ao contratado, nesses casos, o
direito de optar pela suspensão do cumprimento das
Caso fortuito e força maior: obrigações assumidas até que seja normalizada a situação;
Caso fortuito é decorrente de evento da XV – o atraso superior a 90 (noventa) dias dos
natureza, imprevisto e inevitável, que torne impossível a pagamentos devidos pela Administração decorrente de
obras, serviços, ou fornecimento, ou parcelas destes, já
59
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

recebidos ou executados, salvo em caso de calamidade No caso de prestação de garantias,


pública, grave perturbação da ordem interna ou guerra, caberá ao contratado optar por uma das seguintes
assegurado ao contratado o direito de optar pela suspensão modalidades (Art. 56, § 1º):
do cumprimento de suas obrigações até que seja “I – caução em dinheiro ou título da dívida
normalizada a situação; pública;
XVI – a não liberação, por parte da II – seguro-garantia;
Administração, de área, local ou objeto para execução de III – fiança bancária.”
obra, serviço ou fornecimento, nos prazos contratuais, bem A Lei dispõe, nos incisos do artigo 56,
como das fontes de materiais naturais especificados no que:
projeto; A garantia não excederá a cinco por cento
XVII – a ocorrência de caso fortuito ou de do valor do contrato, e terá o seu valor atualizado nas
força maior, regularmente comprovada, impeditiva da mesmas condições do contrato, exceto para obras, serviços
execução do contrato”. e fornecimentos de grande vulto, alta complexidade técnica
e consideráveis riscos financeiros, quando sob condições
CLÁUSULAS CONTRATUAIS de demonstração técnica e aprovação pela autoridade, o
Os contratos administrativos regulam-se limite da garantia poderá ser elevado até dez por cento do
pelas suas cláusulas e pelos preceitos do direito público, valor do contrato;
aplicando-se lhes, supletivamente, os princípios da teoria Após a execução do contrato a garantia
geral dos contratos e as disposições do direito privado. (Art. será liberada ou restituída, e, quando em dinheiro,
54). atualizada monetariamente;
As cláusulas contratuais deverão estar Nos casos em que os contratos importem
conforme com os termos do edital da licitação e da proposta em na entrega de bens pela Administração, dos quais o
a que se vinculam. As cláusulas contratuais decorrentes de contratado ficará depositário, ao valor da garantia deverá
dispensa ou de inexigibilidade de licitação devem atender ser acrescido o valor desses bens.
aos termos do ato que os autorizou e da respectiva
proposta.
A Lei de Licitações e Contratos dispõem,
em seu artigo 55, como necessárias e, portanto, CONVÊNIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
obrigatórias, cláusulas contratuais que estabeleçam:
“I – o objeto e seus elementos INTRODUÇÃO
característicos; Originou interesse o tema - Convênios e
II – o regime de execução ou a forma de congêneres da Administração Pública, o tratamento
fornecimento; insuficiente dado ao instituto e aos procedimentos que se
III – o preço e as condições de associam ao mesmo, pela doutrina, pela prática
pagamento, os critérios, data-base e periodicidade do administrativa e pelo ordenamento jurídico, em especial em
reajustamento de preços, os critérios de atualização questões pontuais que despertam o interesse dos
monetária entre a data do adimplemento das obrigações e a operadores do direito.
do efetivo pagamento; Para estudar a temática dos Convênios da
IV – os prazos de início de etapas de Administração Pública e os ajustes que se vinculam aos
execução, de conclusão, de entrega, de observação e de Contratos da Administração Pública e as Licitações
recebimento definitivo, conforme o caso; Públicas, houve a necessidade de conhecer o tema através
V – o crédito pelo qual correrá a despesa, da legislação pátria, jurisprudência judicial, administrativa e
com a indicação da classificação funcional programática e dos Tribunais de Contas.
da categoria econômica; Foi importante a consulta aos ensinamentos de
VI – as garantias oferecidas para vários juristas nacionais que servem de referência em
assegurar sua plena execução, quando exigidas; diversas questões fundamentais e decisivas sobre o tema,
VII – os direitos e as responsabilidades com os ensinamentos doutrinários de Hely Lopes Meirelles,
das partes, as penalidades cabíveis e os valores das Maria Silvia Zanella Di Pietro, Diogo de Figueiredo Moreira
multas; Neto, Miriam Cavalcanti de Gusmão Sampaio, Carlos Ari
VIII – os casos de rescisão; Sundfeld, Marçal Justen Filho, Odete Medauar, Eros
IX – o reconhecimento dos direitos da Roberto Grau, Silvio Luis Ferreira da Rocha, Marcos
Administração, em caso de rescisão administrativa prevista Juruena Villela Souto, Luis Roberto Barroso, Caio Mário da
no art. 77 desta Lei; Silva Pereira, George Marmelstein, José dos Santos
X – as condições de importação, a data e Carvalho Filho, SanTiago Dantas, José Afonso da Silva,
a taxa de câmbio para conversão, quando for o caso; Reynaldo Moreira Bruno,Carlos Pinto Coelho Mota, Joel de
XI – a vinculação ao edital de licitação ou Menezes Niebuhr, entre outros notáveis.
ao termo que a dispensou ou a inexigiu, ao convite e à Iniciamos conceituando os contratos, os contratos
proposta do licitante vencedor; administrativos e, os contratos da administração pública.
XII – a legislação aplicável à execução do Logo em seguida, passamos a fazer uma distinção entre os
contrato e especialmente aos casos omissos; contratos e os convênios da administração pública.
XIII – a obrigação do contratado de Da breve análise dos convênios, apontamos as
manter, durante toda a execução do contrato, em principais características de tais ajustes e sua natureza
compatibilidade com as obrigações por ele assumidas, contratual.
todas as condições de habilitação e qualificação exigidas na Sem qualquer pretensão de esgotar o tema,
licitação. discorremos sobre os Contratos de Doação e os convênios
da Administração Pública, destacando algumas questões
GARANTIAS CONTRATUAIS pontuais, ligadas aos instrumentos de repasse de recursos
Ao critério da Administração e prevista no à título de fomento; auxílios, ajudas, contribuições,
instrumento convocatório, poderá ser exigida garantia nas subvenções, subsídios e bolsas para a realização do objeto
contratações de obras, serviços e compras. (Art.56). do pacto de convênio, para serem utilizados e geridos e/ou
60
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

administrados de forma adequada, boa, correta, econômica expressamente previstos em lei. Mas o que realmente o
e regular. tipifica e o distingue do contrato privado é a participação da
Administração na relação jurídica com a supremacia de
poder para fixar as condições iniciais do ajuste. Desse
DOS CONVÊNIOS DA ADMINISTRAÇÃO privilégio administrativo na relação contratual decorre para
PÚBLICA a Administração a faculdade de impor as chamadas
1.1. Dos Contratos e Convênios cláusulas exorbitantes do Direito Comum.
Quaisquer que sejam os aspectos encarados no Na formalização do contrato administrativo, a Lei n.
convívio social, as pessoas, físicas ou jurídicas, se 8.666/1993, seguindo a orientação do DL n. 2.300/1986, os
relacionam diuturnamente entre si. contratos administrativos regem-se pelas suas cláusulas e
Tais relacionamentos ocorrem em diversos níveis pelos preceitos do Direito Público, aplicando-se lhes
e variados aspectos, quer na vida familiar, quer no trabalho, supletivamente, os princípios da teoria geral dos contratos e
etc., podendo ser de natureza mais simples, como, de igual as disposições de Direito Privado.
modo, da mais complexa; desse relacionamento múltiplo se Normalmente o contrato administrativo se
originam direitos e deveres. Em função desses direitos e instrumentaliza através de um termo, em livro próprio do
deveres, ocorre a geração de obrigações. A todo direito órgão público contratante, ou escritura pública, nos casos
corresponde uma obrigação. exigidos em lei (os relativos a direitos reais sobre imóveis,
No âmbito da administração pública, contratos e p.ex.). O contrato deve ser previamente documentado e
convênios são as formas jurídicas pelas quais a registrado nos órgãos de controle interno, sendo apenas,
administração pública firma com outra entidade pública, posteriormente, submetido a controle dos Tribunais de
com particulares ou com uma pessoa jurídica de direito Contas.
privado (associação ou fundação) um ajuste para a
consecução de objetivos de interesse público, nas 1.3. Dos Convênios
condições estabelecidas pela própria Administração, no As ampliações das funções do Estado, a
caso de concreto, e para a realização de objetivos de complexidade, a falta de estrutura e de condições para,
interesse comum dos partícipes, no caso de convênio. com eficácia, cumprir suas atribuições fizeram com que o
Atualmente estes ajustes, notadamente os próprio Estado estabelecesse novas formas e meios de
convênios, representam para as entidades de interesse prestação eficiente de seus serviços e atribuições.
social uma importante e muitas vezes indispensável fonte Uma das formas mais usuais são os convênios
de receita para a manutenção e implementação de suas administrativos, entendidos estes como acordos firmados
atividades sociais. por entidades públicas de qualquer espécie, ou entre estas
e organizações particulares - associações civis e fundações
1.2. Dos Contratos de direito privado, por realização dos objetivos de interesse
Embora tipificado como de Direito Privado, a comum dos partícipes.
instituição do contrato é utilizada pela Administração Para Roberto Bocaccio Piscitelli:
Pública diretamente ou com as adaptações necessárias aos “De acordo com o decreto, órgãos federais podem
negócios públicos (contratos administrativos propriamente conveniar, excepcionalmente com Estados e Municípios, a
ditos). execução de programas destes.
Segundo o saudoso Hely Lopes Meirelles: Ainda com o mesmo objetivo, e sempre em regime
“(...) contrato é todo acordo de vontades, firmado de mútua cooperação, órgãos da Administração Direta
livremente pelas partes para criar obrigações e direitos poderão executar programas a cargo de entidades da
recíprocos. Em princípio, todo contrato é negócio jurídico Administração Indireta, via convênio. Em ambos os casos,
bilateral e comutativo, isto é, realizado entre pessoas que os recursos financeiros recebidos por órgão da
se obrigam a prestações mútuas e equivalentes em Administração Direta ou autarquia federal para a execução
encargos e vantagens. Como pacto consensual, pressupõe do convênio serão classificados como receita orçamentária
liberdade e capacidade jurídica das partes para se correndo as aplicações à conta de dotação consignada no
obrigarem validamente como negócio jurídico, requer objeto orçamento ou em crédito adicional.
lícito e forma prescrita ou não vedada em lei.”[1] O convênio será obrigatoriamente formalizado por
No entanto, a Teoria Geral dos Contratos é a termo, quando o valor da participação financeira dos órgãos
mesma tanto para contratos privados (civis e comerciais) e entidades da Administração Federal for igual ou superior
como para os contratos públicos, de que são espécies os ao limite fixado em portaria do Ministro da Fazenda para tal
contratos administrativos e os acordos internacionais. fim e, facultativamente, a critério da autoridade
Todavia, os contratos públicos são regidos por normas e administrativa, por termo, vem correspondência oficial ou
princípios próprios do Direito Público, atuando o Direito documento de empenho de despesa, quando não
Privado apenas supletivamente, jamais substituindo ou alcançado aquele limite.”
derrogando as regras privativas da Administração.
São características do contrato administrativo: a 1.4. Distinção Tradicional entre os Convênios
consensualidade, porque consubstancia um acordo de e os Contratos
vontades e não um ato unilateral e impositivo da No Brasil, ainda se faz a distinção ente
Administração; a formalidade, porque se expressa por convênio e contrato.
escrito e com requisitos especiais; a onerosidade, porque é O convênio distingue-se do contrato
remunerado na forma convencionada; a comutatividade, conquanto com ele tenha um ponto em comum: o acordo.
porque estabelece compensações recíprocas e No contrato, os interesses das partes são divergentes e
equivalentes para as partes; e detém, por último, a opostos; no convênio, os interesses das partes são
qualidade de ser intuito personae, porque deve ser divergentes e de interesse recíproco, executado em regime
executado pelo próprio contratado. de mútua cooperação – art. 10, $ 5º, do Decreto-Lei n.
Além dessas características substancias, Hely 200/1967, em relação aos quais a doutrina e a
Lopes Meirelles destaca que o contrato administrativo jurisprudência, há muito, consagram a inexigibilidade de
possui outra que lhe é própria, embora externa, qual; seja, a licitação.
exigência de prévia licitação, só dispensável nos casos
61
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Os convênios administrativos são, pois, prestar contas de sua utilização, não só ao ente
acordos firmados pelos mais diversos entes públicos, nada repassador, como ao Tribunal de Contas.”
obstando, porém, que se realizem esses ajustes entre Segundo Marcos Juruena Villela Souto, a
entidades públicas e particulares, visando à realização de distinção entre os institutos, convênio e contrato sobrevive
objetivos comuns. mesmo diante da definição do parágrafo único, do artigo 2º,
Importante salientar que: da Lei n, 8.666/93, que, “considera contrato todo e qualquer
“No contrato, os interesses são opostos e diversos; ajuste entre órgãos ou entidades da Administração Pública
no convênio, são paralelos e comuns. Neste tipo de negócio e particulares, em que haja um acordo de vontades para a
jurídico, o elemento fundamental é a cooperação, e não o formação de vínculo e a estipulação de obrigações
lucro, que é o almejado pelas partes no contrato. De fato, recíprocas, seja qual for a denominação utilizada”.
num contrato de obra, o interesse da Administração é a Ora, a menção acerca da “reciprocidade das
realização da obra, e o do particular, o recebimento do obrigações” no dispositivo de lei já revela o traço típico da
preço. Num convênio de assistência a menores, porém, comutatividade dos contratos administrativos.
esse objetivo tanto é do interesse da Administração como A celebração do convênio não representa o
também do particular. Por isso, pode-se dizer que as surgimento de uma pessoa jurídica, não havendo, de outro
vontades não se compõem, mas se adicionam.” lado, impedimento para a nomeação de um terceiro, para
O Convênio tem sido um instrumento funcionar como gestor do contrato. Na maioria das vezes,
amplamente utilizado pelo Poder Público quando se liga a ocorre a execução do convênio por meio de sucessivos
outros entes, públicos ou privados, em regime de contratos, até mesmo entre os partícipes, são os chamados
colaboração, almejando objetivos comuns, ainda que cada – termos aditivos, cumprindo cada etapa do programa.
partícipe possua obrigações distintas de acordo com suas “Como ato multilateral, o convênio é
possibilidades, segundo partilha definida no instrumento naturalmente aberto a adesões de partícipes com objetivos
convenial. comuns, assim como é livre a denúncia, respeitadas as
Existe, assim, no Convênio, efetiva obrigações relacionadas aos benefícios já auferidos e as
cooperação entre os partícipes, não sendo caracterizado consequências de prestações já atendidas por outros
pela comutatividade, típica dos contratos, quando o partícipes. Cada partícipe, mediante termo aditivo firmado
interesse dos contratantes se revela contraposto, ou seja, com os demais, adere nos termos necessários ao
cada parte tem objetivos e finalidades distintos. atingimento do objetivo comum e, portanto, pode ter
Nesse sentido, é a clássica lição de Hely obrigações e benefícios diferenciados. Podem, igualmente,
Lopes Meirelles: firmas novos convênios ou contratos, para cumprimento de
“Convênios administrativos são acordos firmados suas obrigações, sempre voltadas à finalidade comum
por entidades públicas de qualquer espécie, ou entre estas inicialmente ajustada.”
e organizações particulares para realização de objetivos de
interesse comum dos partícipes. Convênio é acordo, mas 1.5. Do Regime Jurídico Próprio dos
não é contrato. No contrato, as partes têm interesses Convênios da Administração Pública
comuns e coincidentes. Por outras palavras: no contrato há São características fundamentais que
sempre duas partes (podendo ter mais de dois signatários); particularizam e estabelecem uma identidade dos
uma, que pretende o objeto do ajuste (a obra, o serviço, Convênios da Administração e afins, dentre outras: a
etc); outra, que pretende a contraprestação correspondente ocorrência, nas relações entre os partícipes, da
(o preço, ou qualquer outra vantagem), diversamente do cooperação, da colaboração, da coordenação, da parceria,
que ocorre no convênio em que não há partes, mas do auxílio e/ou da ajuda e, ainda, a ausência de lucro, de
unicamente partícipes com as mesmas pretensões. Por preço e/ou de remuneração; o compromisso e obrigação
essa razão, no convênio, a posição jurídica dos signatários notadamente de parcela ou da totalidade dos partícipes no
é uma só e idêntica para todos, podendo haver, apenas, sentido de destinar recursos, repassar verbas e/ou efetuar
diversificação na cooperação de cada um, segundo as suas contrapartidas para realizar o objeto e o ajustado; o
possibilidades para a consecução do objeto comum, compromisso e obrigação, de regra, de parte ou de todos
desejado por todos.” os partícipes de utilizar, gerir, gerenciar e/ou administrar os
Por sua vez, Maria Sylvia Zanella Di Pietro, mesmos recursos, verbas e /ou contrapartidas, de forma
identifica as mesmas características: adequada, boa, correta, econômica e regular, a partir dos
“No contrato, os interesses são opostos e parâmetros traçados pelo acordado, pelas regulações
contraditórios, enquanto no convênio são recíprocos (...) os estabelecidas como aplicáveis ao pacto e pelos princípios,
entes conveniados têm objetivos institucionais comuns e se normas estritas e valores constitucionais e
reúnem, por meio de convênio, para alcançá-los: (...) no infraconstitucionais; a submissão às fiscalizações, aos
convênio, os partícipes objetivam a obtenção de um controles e/ou as prestações de contas das pessoas e
resultado comum; (...) no convênio, verifica-se a mútua entidades partícipes e das que se envolverem nos ajustes,
colaboração, que pode assumir várias formas, como através, por exemplo, dos controles efetuados pelos
repasse de verbas, uso de equipamentos, de recursos partícipes e pelos envolvidos no ajuste, pelo controle
humanos e materiais, de imóveis, de Know-how e outros; interno (Controladorias, Auditorias, serviços de
por isso mesmo, no convênio não se cogita de preço ou contabilidade e de prestação de contas), pelo controle
remuneração, que constitui cláusula inerente aos contratos; externo (Tribunais de Contas e Poder Legislativo), pelo
dessa diferença resulta outra: no contrato, o valor pago a Poder Judiciário e, ainda, pela cidadania, pela sociedade e
título de remuneração passa a integrar o patrimônio da pelo povo.
entidade que o recebeu, sendo irrelevante para o Por outro lado, as definições, as identidades
repassador a utilização que será feita do mesmo; no principais verificadas nos convênios da Administração e
convênio, se o conveniado recebe determinado valor, este congêneres, bem como o regime próprio dos mesmos, não
fica vinculado à utilização prevista no ajuste; assim, se um são obstáculos para a constatação da existência de outros
particular recebe verbas do poder público em decorrência contratos onde ocorrem, com os mais diversos traços e
de convênio, esse valor não perde a natureza de dinheiro dimensões, os elementos que caracterizam os primeiro.
público, só podendo ser utilizado para fins previstos no
convênio, por essa razão, a entidade está obrigada a
62
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

1.6. Algumas Características dos Convênios Há que se destacar que os Convênios da


da Administração Pública Administração Pública também se caracterizam, nas
Define-se Convênio da Administração Pública, relações entre os partícipes, como pactos onde há
como pacto de cooperação, colaboração, coordenação e compromissos e obrigações de destinar recursos, verbas
parceria, uma vez que tais conceitos são os que e/ou contrapartidas para a realização do objeto e do
expressam, de forma mais clara os convênios na sua ajustado, e, ainda, de utilizar, gerir, gerenciar e/ou
concepção mais tradicional, que costumam relacionar e administrar os mesmos de forma adequada, boa, correta,
associar em vínculos de comunhão de pessoas e entidades econômica e regular, como também sujeito os partícipes e
da Administração Pública e também as mesmas com terceiros no ajuste a fiscalização, controle e prestação de
pessoas físicas ou jurídicas, com ou sem fins lucrativos. contas sobre a feitura do objeto e sobre o respeito ao objeto
Por outro lado, os termos cooperação, do ajustado e ao ordenamento jurídico.
colaboração, coordenação e parceria são comumente Nos ajustes de natureza convenial existem
utilizados na doutrina e na prática administrativa, para compromissos e obrigações, no sentido de que, parte ou a
caracterizar relações e ajustes que se notabilizam pelos totalidade dos partícipes, coloquem à disposição recursos,
elementos associação e comunhão de interesses. verbas e/ou contrapartidas, próprios ou de terceiros,
Da leitura da Carta de 1988, no que diz respeito à geralmente públicos, provenientes principalmente dos
organização do Estado e à ordem social, sobressaem os concedentes, e/ou, quando couber, dos convenentes, para
conceitos de cooperação, associação e coordenação. realizar notadamente o objeto e o ajustado, atendido, se
Por sua vez, a utilização dos conceitos de houver, estipulações dos partícipes e regulamentares que
cooperação e colaboração decorre igualmente do fato de se apliquem ao caso e ao previsto no ordenamento jurídico.
que a doutrina contemporânea, no Direito Privado e no No acordo referido, os mesmos recursos,
Direito Público, tem afirmado de forma relevante as citadas verbas e/ou contrapartidas, são utilizados, gerenciados e/ou
noções nas relações obrigacionais e contratuais, como administrados, de forma adequada, boa, correta, econômica
requisitos centrais, não somente subsidiários, das e regular, por parcela ou totalidade dos partícipes, como
mencionas relações. regra o convenente, e/ou, ainda, o executor institucional ou
Os Convênios da Administração Pública devem ser a organização encarregada para a gestão, buscando
considerados, para além de ajustes que se particularizam concretizar o objeto e o ajuste, e também, atender as
pela cooperação, colaboração, coordenação e parceria, estipulações, quando for o caso, das pessoas ou entidades
mas também como ajustes que se caracterizam pelos partícipes e/ou regulamentar, como também, respeitados os
elementos auxílio e ajuda, que podem vir a compreender as princípios, normas estritas, diretivas e valores
atividades de fomento – os auxílios, as ajudas, os constitucionais e infraconstitucionais.
benefícios, as contribuições e as subvenções. As atividades de fiscalização, de controle e
Os Convênios Administrativos detêm uma de prestação de contas são elementos fundamentais nos
resistência aos conceitos do lucro, do preço, da Convênios, congêneres e/ou ajustes e procedimentos de
remuneração, da contraprestação, do pagamento, do natureza convenial, destacando-se, quando exercidos pelos
patrimônio, da vantagem, do benefício, da renda, do partícipes e os envolvidos nos ajustes.
rendimento, do proveito e/ou ganho. Entretanto, ainda que as verbas, recursos
De outra forma, observa-se uma fragilidade e/ou contrapartidas trazidas para o acordo convenial, mas
na utilização genérica e apriorística, sobretudo das noções também os direitos, deveres, obrigações, pretensões,
de contraprestação, pagamento, renda, rendimento, responsabilidades assumidas em face do ajustado, de
patrimônio, vantagem, benefício, proveito ou ganho para regramentos de toda espécie e do ordenamento jurídico,
distinguir os Contratos dos Convênios Administrativos e exigem a possibilidade de fiscalização, controle e prestação
afastar a utilização dos últimos. As mesmas noções devem de contas exercida pelo chamado controle interno
ser vistas a luz das situações concretas, principalmente (Controladorias, Auditorias ou serviços de contabilidade e a
pelo fato de que as mesmas podem, tanto se apresentarem prestação de contas), pelo denominado controle externo
associadas como dissociadas, dos conceitos de (Tribunais de Contas e Poder Legislativo) e do Poder
cooperação, colaboração, parceria, auxílio e/ou ajuda, Judiciário, como também a ocorrência, sempre mais ampla,
como também das noções de lucro, preço e/ou do exame, da observação e da vigilância da cidadania, da
remuneração. No rumo indicado, à título de ilustração, comunidade e/ou popular.
receber um recurso e/ou verba repassada através de A partir da ampla motivação buscada no
Convênio da Administração Pública pode significar, sim, ter plano da teoria, do ordenamento jurídico e da prática
vantagem, benefício, proveito ou ganho, mesmo em administrativa brasileira, que os repasses e transferências
situações de ausência de lucro, preço e/ou remuneração. A de recursos públicos, a título de cooperação, de parceria,
vantagem, benefício proveito ou ganho pode se dar pelo de auxílio e/ou de ajuda, devem ser viabilizados, como
acréscimo de reconhecimento político, público profissional regra, pelos Convênios da Administração Pública e
científico, cultural e artístico, como resultado da obra congêneres, ao mesmo tempo em que se descarta opiniões
realizada, da pesquisa efetuada, de um show musical que consideram que os mesmos repasses e transferências
efetivado, etc. devem ser viabilizados através de Contratos de Doação.
Verifica-se que na esfera dos Convênios da Daí que, as concepções e práticas administrativas que
Administração Pública, excetuando-se as e onde se entendem os mesmos repasses como meras doações e/ou
constata como regra, a incidência do lucro, preço e/ou como recursos a “fundo perdido ”trouxeram e trazem, como
remuneração. No entanto, nessas circunstâncias é regra, prejuízos relevantes.
necessário que tais contratações com terceiros sejam Nesse sentido, os recursos, verbas e/ou
precedidas de procedimentos licitatórios públicos ou contrapartidas destinados a título, dentre outros, de fomento
análogos, de dispensa ou de inexigibilidade[9], como social, de auxílios, de ajuda, de contribuições correntes, de
também procedimentos de contratação relativos à subvenções sociais e de bolsas, devem ser, em princípio,
Administração Pública, obedecendo, notadamente aos viabilizados através de Convênios da Administração
princípios e dispositivos que orientam a Administração Pública, congêneres e/ou por ajustes e procedimentos de
Pública e a Lei Federal n. 8.666/93, das Licitações e dos natureza convenial. A condição para tanto é que, nas
Contratos da Administração Pública. relações entre os partícipes, fique caracterizada uma
63
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

vinculação que tenha como elementos que a particularize, Não se pode olvidar que a negação da
além do aqui tratado, a cooperação e associação e, ainda, natureza contratual também tem origem em frágeis exames
a ausência de lucro, preço e/ou remuneração, entendidos que veem a precariedade e instabilidade nos convênios da
os mesmos em sentido técnico. administração também como decorrência da possibilidade
A mencionada alternativa convenial de ocorrer nos mencionados pactos a retirada unilateral e a
predomina, notadamente, pelo fato de que no fomento denúncia, ao contrário do que aconteceria nos contratos
social, nos auxílios, nas ajudas, nas contribuições administrativos e dos contratos em geral. Verifica-se que,
correntes, nas subvenções sociais e nas bolsas de seguindo-se as referências estipuladas para os convênios,
pesquisa e estudo, inexistem nas relações entre os pode-se, observar instabilidade e precariedade em tais
partícipes, situações que gerem a remuneração, o preço e contratos.
/ou o lucro, embora possam estar presentes nos mesmos Assim, pode-se entender, de um lado, pela
as noções, dentre outras, de benefício e vantagem e, possibilidade de modificação e “rescisão” unilateral nos
inclusive, de acréscimo patrimonial e rendimento. contratos da administração e, de outro lado, pela existência
Igualmente, tende a não se afastar a de inúmeros contratos onde se fazem presentes a resilição
utilização dos Convênios da Administração Pública, unilateral e a denúncia.
congêneres e/ou os pactos e procedimentos de cunho Igualmente, a precariedade e instabilidade
convenial, as relações de natureza indenizatória, como, por dos convênios da administração, na relação entre
exemplo, as verbas a título de auxílio de custo, diárias, partícipes, ficam desmentidas pelo reduzido número de
transporte e/ou alimentação, pelo fato de que nas referidas negativas, no sentido de aceitar a transferência de recursos
relações não se caracterizar como remuneração, o preço através dos mesmos pactos e de assinatura dos
e/ou o lucro. mencionados ajustes, tendo em vista cláusulas, condições
Do contrário, os repasses de verbas, os e regramentos que se vinculam aos citados ajustes, mas
auxílios e as ajudas, que tenham natureza remuneratória, também como decorrência da constatação, nos
deslocam a utilização dos Convênios, congêneres e/ou os mencionados vínculos, de um baixo percentual de
ajustes e procedimentos de natureza convenial, por denúncias, retiradas unilaterais, resoluções, “rescisões” e
exemplo, alguns dos denominados auxílios e ajudas, como de disputas judiciais nos mesmos.
também alguns tipos de bolsas. Verifica-se, ainda, a distinção dos convênios
Os repasses de verbas públicas, a título de da administração com os contratos da administração a
fomento econômico, subvenções econômicas, tem grande partir de análises que enxergam relações de igualdade, de
possibilidade de não se demonstrarem congruentes com os fato e/ou de direito, entre os partícipes dos primeiros, ao
Convênios da Administração Pública, congêneres e com os contrario do que se daria com os segundos. As referidas
ajustes e procedimentos de natureza convenial. Constata- análises não subsistem à realidade dos pactos de natureza
se, assim, que em alguns desses casos, coexistam, lado a convenial, afetados de forma ponderável pelas relações
lado, a cooperação, a colaboração, a coordenação, a desiguais existentes no âmbito da federação brasileira e/ou
parceria, o auxílio e/ou a ajuda, a remuneração, o preço, o pelas situações de adesão que permitem a falta de
juro e/ou o lucro. paridade e, ainda, a desigualdade, de fato e/ou de direito,
Observa-se, também, que os chamados entre os partícipes do citado ajuste.
Convênios da Administração Pública, a título de A artificialidade dos argumentos decorrem
cooperação, de colaboração, de coordenação, de parceria, também da constatação de que a desigualdade e ausência
de auxílio e/ou ajuda, tal como ocorre no sistema jurídico de paridade entre os partícipes, como também as situações
nacional, bem como na prática administrativa, apontam de adesão, podem ser encontradas, resguardadas as
para a existência de ajustes conveniais, da mesma forma peculiaridades e dimensões próprias dos diferentes tipos de
que acontece nos Contratos, onde pode-se encontrar ajustes, tanto nos contratos da administração pública, como
situações de bilateralidade e também de unilateralidade, de nos contratos de direito privado e dos convênios da
onerosidade e ainda de gratuidade, de comutatividade e administração pública.
igualmente de ausência das mesmas, de igualdade e A possibilidade de igualdade entre os
também de ausência de paridade, dentre as quais existem partícipes nos convênios da administração pública, ou da
as situações de adesão. ausência da mesma, não deve ser inferida sobre a
ocorrência ou não de natureza instável e precária nos
1.7. A Natureza Contratual dos Convênios da citados pactos. Corroborando, ainda mais com a ideia da
Administração Pública natureza contratual dos convênios da administração
A natureza contratual dos convênios da pública, que os próprios elementos presentes nos acordos
administração pública decorrem, de um lado, de como traços fundamentais particularizadores, não impedem
argumentos e constatações que desestruturam os o reconhecimento de que os citados elementos existem
elementos que sustentam as noções de acordo, convenção, também, de diferentes formas, em diversos contratos
pacto, ato complexo e ato coletivo em contraposição ao reconhecidos pelo ordenamento jurídico.
conceito de contrato, quais sejam, dentre outras, as
dicotomias antagonismo ou convergência de interesses, 1.8. Da Celebração dos Convênios
objetivos e resultados, obrigações recíprocas ou ausência A celebração, execução e prestação de contas de
das mesmas, vinculações jurídicas e obrigacionais ou conv6eniois no âmbito da administração pública são
inexistência/instabilidade das mesmas, estipulações de regulados pela Instrução Normativa n. 1, de 15.01.1997, da
direitos, deveres, obrigações, pretensões, Secretaria do Tesouro Nacional e suas alterações. O
responsabilidades, ações, sanções e penalizações ou referido dispositivo, de início, apresenta asa definições
falta/precariedade das mesmas. Por outro lado, a ampla próprias da matéria. Por conseguinte, para a celebração do
maioria da doutrina e as codificações dos séculos XIX, XX e conv6enio, deverá o interessado apresentar ao órgão ou
atual efetuam a denominada ampliação do conceito de entidade responsável pelo programa um plano de trabalho,
contrato e definem o mesmo, por exemplo, como acordo que deverá conter, no mínimo, informações; (a) razões que
para produção de efeitos jurídicos notadamente entre as justifiquem a celebração do convênio; (b) descrição
partes/partícipes, que obtenha reconhecimento ou que não completa do objeto a ser executado; (c) descrição das
tenha oposição do ordenamento jurídico. metas a serem atingidas, qualitativa, e quantitativamente;
64
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

(d) etapas ou fases da execução do objeto, com a previsão qualificados o poder discricionário de reorientar ações e de
de início e fim; (e) plano de aplicação dos recursos a serem acatar ou não justificativas com relação às eventuais
desembolsados pelo concedente e a contrapartida disfunções havidas na execução, sem prejuízo da ação das
financeira do preponente, se for o caso, para projeto ou unidades de controle interno e externo.
evento; (f) cronograma de desembolso; (g) declaração do
convenente de que não está em situação de mora ou de CONVÊNIOS FIRMADOS ENTRE A
inadimplência junto a qualquer órgão ou entidade da ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E AS ENTIDADES DE
Administração Pública Federal Direta e Indireta. A DIREITO PRIVADO
regularidade será comprovada mediante a apresentação É cediço que as despesas decorrentes da
das certidões especificadas no art. 3º da IN; (h) aplicação de recursos repassados mediante convênio estão
comprovação do exercício pleno da propriedade do imóvel, sujeitos, no que couber, às disposições da lei n. 8.666/93,
mediante certidão do registro no cartório de imóvel, quando conforme preconiza o art. 116, que está em sintonia plena
o convênio tiver por objeto a execução de obras, ou com a exigência de Licitação prevista no art. 37, XXI, da
benfeitorias no mesmo. Carta de 1988.
Ressalte-se que é vedado celebrar convênio, O que na abalizada expressão do Ministro
efetuar transferência ou conceder benefícios sob qualquer Walton Alencar, do Tribunal de Contas da União:
modalidade, destinado a órgão ou entidade da “(...) não significa dizer que o particular, ao aplicar
Administração Pública federal, estadual, municipal, do recursos públicos provenientes de convênios celebrados
Distrito Federal, ou para qualquer órgão ou entidade, de com a administração federal, esteja sujeito ao regramento
direito público ou privado, que esteja em mora, inadimplente estabelecido na Lei n. 8.666/93. No entanto, sendo a
com outros convênios ou não esteja em situação de licitação imposição de índole constitucional ela não
regularidade para com a União ou entidade da representa apenas um conjunto de procedimentos como se
Administração Pública Federal Indireta, bem como destinar estes fossem um fim em si mesmos. Representa
recursos públicos como contribuições, auxílios ou fundamentalmente um meio de tutelar o interesse público
subvenções às instituições privadas com fins lucrativos. maior que tem por meta garantir o cumprimento dos
Saliente-se que o convênio ou ajuste só será princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade,
executado depois de previamente cadastrado no SIAFI pelo publicidade e eficiência que devem estar presentes em
próprio gestor, e para sua celebração faz-se imperiosa a qualquer operação que envolva recursos públicos.”
aprovação prévia de plano de trabalho apresentado pela Atento a esses princípios, o legislador
parte executiva, devendo conter as seguintes informações: ordinário estabeleceu a entidades de direito privado a
identificação do objeto a ser executado; metas a serem obrigação de licitar nas restritas hipóteses em que tenham
atingidas; etapas ou fases de execução; plano de aplicação sob a sua guarda recursos públicos.
dos recursos financeiros; cronograma de desembolso; A Lei n. 8.958/1994, que dispõe sobre as
previsão de início e fim da execução do objeto, bem como relações entre as instituições federais de ensino superior e
da conclusão das etapas ou fases programadas; se o ajuste de pesquisa científica e tecnológica e as fundações de
compreender obra ou serviço de engenharia, comprovação apoio, no art. 3º, há comando específico para observância
de que os recursos próprios para complementar a execução da legislação federal sobre licitações e contratos
do objeto estão devidamente assegurados, salvo se o custo administrativos na aplicação de recursos públicos.
total do empreendimento recair sobre a entidade ou órgão Por sua vez, a Lei n. 9.790/1999, que
centralizador. dispõe sobre a qualificação das pessoas jurídicas de direito
Figuram como vedações a inclusão, tolerância ou privado, sem fins lucrativos, como Organizações de
admissão, nos convênios, de cláusulas ou condições que Sociedade Civil de Interesse Público, determina
prevejam ou permitam: (a) realização de despesas a título que estas organizações devem ter regulamento próprio,
de taxa de administração, de gerência ou similar; (b) contendo os procedimentos para a contratação de obras e
pagamento, a qualquer título, a servidor ou empregado serviços, bem como para compras, com emprego de
público, integrante de quadro pessoal de órgão ou entidade recursos públicos. Esse regulamento deverá assegurar a
pública da administração direta ou indireta, por serviços de observância dos princípios norteadores da Administração
consultoria ou assistência técnica; (c) aditamento com Pública – art. 14, da legalidade, impessoalidade, da
alterações do objeto, ou das metas; (d) utilização dos moralidade, da publicidade, da economicidade e da
recursos em finalidade diversa da estabelecida no eficiência.
respectivo instrumento, ainda que em caráter de O Tribunal de Contas da União,
emergência; (e) realização de despesas em data anterior ou acertadamente, firmou o entendimento de que a aplicação
posterior à sua vigência; (f) atribuição de vigência ou de de recursos públicos geridos por particular em decorrência
efeitos financeiros retroativos; (g) realização de despesas de convênio, acordo, ajuste ou outros instrumentos
com taxas bancárias, com multas, juros ou correção congêneres, deve atender, no que couber, às disposições
monetária inclusive, referentes a pagamentos ou da Lei de Licitações, ex vi do art. 116 da Lei n. 8.666/93, e
recolhimentos fora dos prazos; (h) transferência de recursos recomendou à Presidência da República que, no uso da
para clubes, associações de servidores ou quaisquer competência prevista no art. 84, IV, da Constituição
entidades congêneres, excetuadas creches e escolas para Federal, proceda à regulamentação do art. 116 da Lei de
o atendimento pré-escolar; e (i) realização de despesas Licitações que devem ser seguidas pelo particular partícipe
com publicidade, salvo as de caráter educativo, informativo de convênio, acordo, ajuste ou outros instrumentos
ou de orientação social, das quais não constem nomes, congêneres, nas restritas hipóteses em que tenha sob sua
símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal guarda recursos públicos.
de autoridades ou servidores públicos.
Destaque, que cada uma das partes, responde 2.1. Os Convênios de Repasse de Verbas
pelas consequências de sua inexecução total ou parcial, Muitos convênios preveem repasses de
quanto à função fiscalizadora, está deverá ser exercida verbas que, na realidade, significam remuneração ou preço
pelos órgãos ou entidades concedentes dos recursos, pelas atividades realizadas por uma das partes.
dentro do prazo regulamentar de execução e prestação de Percebe-se que, parcela considerável das
contas do convênio, ficando assegurado aos seus agentes verbas repassadas para convenentes e/ou executores,
65
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

através de convênios, congêneres e/ou de procedimentos e atender à manutenção de outras entidades de direito
ajustes, no geral simplificados, de natureza convenial, público ou privados.(...)”
terminam por remunerar, gerar preço e/ou gestar lucros Registramos que o art. 12, caput e o $ 6º, da
para os terceiros que, no âmbito dos mesmos acordos, mesma Lei n. 4.320/64, estabelece, na esfera das despesas
efetuam as denominadas contratações com os partícipes, de capital, como, “transferência de capital as dotações para
fornecendo bens, prestando serviços e/ou realizando obras investimentos ou inversões financeiras que outras pessoas
para a realização do pactuado. Como também, a ocorrência de direito público ou privado devam realizar,
de situações, direta ou indiretamente, onde os partícipes – independentemente de contraprestação direta em bens ou
convenentes e/ou executores institucionais – dos mesmos serviços” e, ainda, que constituem-se “essas transferências
ajustes recebem remuneração, preço e/ou conseguem auxílios ou contribuições, segundo derivem diretamente da
lucro, em contradição com o entendimento doutrinário, Lei de Orçamento ou de lei especial anterior, bem como as
administrativo e do ordenamento que rejeita a configuração dotações para amortização da dívida pública”.
das circunstâncias referidas. Da mesma forma, destaca-se, por exemplo,
A situação da contratação de terceiros que que no art. 71, inciso VI, da Constituição Federal de 1988, o
fornecem bens, prestam serviços e/ou realizam obras para conceito repasse de recursos se encontra associado às
a execução dos Convênios da Administração, congêneres noções de convênio, acordo, ajuste ou outros instrumentos
e/ou ajustes e procedimentos de natureza convenial, é congêneres, em decorrência de que, ao menos nas
aceita no nosso ordenamento jurídico, por exemplo, no art. situações citadas, o afastamento do conceito de repasse de
116, parágrafo 3º, inciso II, da Lei Federal n. 8.666/93, e no recursos das noções, no mínimo, de lucro, preço e/ou
art. 21, parágrafo 4º, inciso II, e no art. 27, da Instrução remuneração.
Normativa n. 01, 1997, da Secretaria do Tesouro Nacional. O artigo 71, caput e inciso VI, da Carta
Outrossim, a ocorrência das chamadas Magna, estipula:
contratações com terceiros não partícipes, no âmbito dos “Art. 71. O controle externo, a cargo do Congresso
acordos de natureza convenial, culminou com a exigência Nacional, será exercido com o auxílio do Tribunal de Contas
de licitação, da dispensa ou da inexigibilidade na ocorrência da União, ao qual compete: (...)
das situações referidas, como é possível constatar na VI – fiscalizar a aplicação de quaisquer recursos
redação original do art. 27, da Instrução Normativa n. 01, de repassados pela União mediante convênio, acordo, ajuste
1997, da Secretaria do Tesouro Nacional. ou outros instrumentos congêneres, a Estado, ao Distrito
A redação vigente do mencionado art. 27, da Federal ou a Município;(...).”
mesma Instrução Normativa, enuncia que o convenente, Não devem merecer acolhimento o
ainda que entidade privada, sujeita-se, quando da execução entendimento doutrinário que considera que a situação do
de despesas com recursos transferidos, às disposições da Convênio Administrativo de Repasse de Verbas não seria
Lei n. 8.666/93, de 21.06.1993, especialmente em relação a de efetivo convênio e, ainda que o repasse de verbas não
licitação e contrato” e, também, que “é admitida a pode ser formalizado por intermédio de Convênio
modalidade de licitação prevista na lei n. 10.520, de administrativo porque não preenche dois de seus requisitos
17.06.2002, nos casos em que especifica”. Admite-se, imprescindíveis, ou seja, a obrigatória inexistência de
portanto, o pregão, nos termos da legislação citada. interesse patrimonial e a efetiva atuação conjunta dos
De outro lado, a doutrina, a prática partícipes.
administrativa e o ordenamento jurídico pátrio, no âmbito Outros doutrinadores entendem que o
dos Convênios da Administração Pública, congêneres e/ou repasse de verbas não pode ser formalizado por intermédio
ajustes e procedimentos de natureza convenial, não tem de mero ato administrativo unilateral, tendo em vista que,
admitido, como regra, situações, onde direta ou obrigatoriamente, será condicionado a prestação de contas
indiretamente os próprios partícipes – convenentes e/ou relativa a destinação da verba, o que corresponde a um
executores institucionais – recebem remuneração, preço encargo do beneficiário, o que revela a importância de sua
e/ou conseguem lucro, entendidos tais conceitos na sua aceitação, para que a relação jurídica seja efetivada.
dimensão técnica. Propõe-se, ainda, que o repasse de verbas
Igualmente, os conceitos de repasse ou de seja formalizado por intermédio de contrato de doação, nos
transferência de verbas e as noções de remuneração e/ou termos da legislação pátria para a matéria, estipulada de
pagamento, têm sentidos próprios, inconfundíveis e forma mais específica no art. 538 do Código Civil de 2002,
afastados, tornando possível a constatação, à luz dos fatos, e, ainda, no art. 17, II, e $ 4º, da Lei de Licitações e
quando diante de uma ou outra das noções mencionadas. Contratos (Lei n. 8.666, de 21 de junho de 1993), que
J.M.Othon Sidou, referido por Maria Helena dispõe sobre os requisitos para a sua realização.
Diniz, define o conceito de repasse, no âmbito do Direto O art. 538 do Código Civil de 2002 preceitua
Financeiro, como “operação de transferência de crédito ser a “doação o contrato em que uma pessoa, por
orçamentário, no todo ou em parte, para uma unidade liberalidade, transfere de seu patrimônio bens ou vantagens
administrativa subordinada ou vinculada”. para o de outra”.
Em outro sentido, as noções de Por sua vez, o art. 17, inciso II, $ 4º, da Lei
transferência correntes e de capital são definidas, por Federal n. 8.666/93, estabelece, no inciso II, que a doação
exemplo, no artigo 12, da Lei Federal n. 4.320/64, do Direito será “permitida exclusivamente para fins e uso de interesse
Financeiro, Orçamentário e da Contabilidade Pública. social, após avaliação de sua oportunidade e conveniência
O art. 12, caput e parágrafo 2º, da Lei socioeconômica, relativamente à escolha de outra forma de
Federal n. 4.320/64, que classifica as despesas segundo alienação”, enquanto que o $ 4º, estipula que a doação com
categorias econômicas, conceitua, no âmbito das despesas encargo “será licitada e de seu instrumento constarão
correntes, como: obrigatoriamente os encargos, os prazos de seu
“Art. 12. (...) cumprimento e cláusulas de reversão, sob pena de nulidade
$2º. Classificam-se com o Transferências do ato, sendo dispensada a licitação no caso de interesse
Correntes as dotações para as despesas às quais não público devidamente justificado.”
corresponda contraprestação direta em bens ou serviços, Miriam Cavalcanti de Gusmão Torres
inclusive para contribuições e subvenções destinadas a questiona a noção Convênio Administrativo de Repasse de
Verbas, primeiramente, pelo fato de que no mesmo ajuste é
66
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

obrigatória a inexistência de interesse patrimonial”, o que outro lado, a própria autora citada, lembra que o art. 71,
não ocorreria nos Convênios de repasse de verbas, “na inciso VI, da carta de 1988, é aplicável a União, e, também,
medida em que a Administração Pública, ao destinar uma aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, em face
quantia a outro entre, seja ele público ou privado, desfaz-se do princípio da simetria.
de seu patrimônio em favor de terceiro, sem que sequer Nesse contexto, o art. 116, da Lei Federal n.
este tenha que praticar qualquer ato para justificar tal 8.666/93, $$ 1º, 2º e 3º, utilizam expressões como; “órgão
benefício. repassador”, ”partícipe repassador de recursos”, “órgão
Os convênios da Administração Pública e descentralizador de recursos”, “liberação” de recursos,
congêneres, dentre outras questões, se caracterizam, como “plano de aplicação dos recursos financeiros” e “aplicação
instrumentos de cooperação, colaboração, parceria, ajuda de recursos”. As formulações presentes na mencionada
e/ou auxílios entre os partícipes, onde esteja ausente as norma infraconstitucional, no artigo que trata em especial
noções de lucro, preço e/ou remuneração, entendidas as dos convênios e congêneres, significam, igualmente, o
mesmas em sua conceituação técnica. reconhecimento da estreita vinculação – embora não seja
Igualmente, desaconselhável também a obrigatória a associação – dos conceitos de repasse de
utilização, notadamente quando em termos genéricos e verbas e recursos às noções de convênios, acordos,
sem o devido rigor técnico, de uma série de conceitos ajustes e congêneres.
empregados, tais como, contraprestação, pagamento,
renda, rendimento, patrimônio, patrimonialidade, vantagem, 2.2. Contrato de Doação no Âmbito dos
benefício, proveito e/ou ganho, para deslocar de forma Convênios
peremptória os convênios e congêneres, sobretudo pelo No mesmo diapasão, não deve merecer
fato de que os mesmos conceitos não resistiriam a um consideração a proposição que considera que, o repasse
relevante número de situações que se caracterizam, como de verbas seja formalizado por intermédio de Contrato de
passíveis de gerar o uso dos ajustes e procedimentos de Doação, em conformidade com as disposições atinentes à
natureza convenial. matéria, e não através de Convênio da Administração
O repasse de verbas pode significar, sim, Pública.
situações de vantagem, benefício, proveito ou ganho de Parece não ser adequada tal proposição,
pessoas ou entidades, sem que haja possibilidade de se mesmo utilizando como divisória da proposta, além do art.
questionar, num grande número de situações, a utilização 538 do Código Civil de 2002, o já citado art. 17, inciso II, $
do instrumento jurídico convênio da Administração Pública 4º, da Lei de Licitações e Contratos Administrativos.
e congêneres. Tal hipótese é passível de ocorrer na medida O enunciado no art. 116, caput da Lei
em que se verificar que, no ajuste originado pelo repasse Federal n. 8.666/93, se aplicam as disposições da mesma
de verbas, estejam presentes, nas relações entre os Lei, no que couber, aos convênios, acordos, ajustes e
partícipes, os elementos cooperação, colaboração, outros instrumentos congêneres celebrados por pessoas e
coordenação, parceria, ajuda e/ou auxílio, bem como entidades da Administração Pública, aponta notadamente
estejam ausentes o mesmo os elementos lucro, preço e/ou para utilização, no que se refere aos Contratos da
remuneração. Administração, das disposições presentes nos artigo artigos
Miriam Cavalcanti de Gusmão Sampaio 54 e seguintes.
Torres questiona a noção de convênio administrativo de Ao que parece, tais soluções propostas pela
repasse de verbas, também, pela sua compreensão de que doutrina, além do conjunto de exames críticos já apontados,
num verdadeiro convênio seria de esperar “a existência de apresenta problemas relevantes, de ordem doutrinária e
obrigações recíprocas”, o que implica numa “efetiva prática, que consigna pela não aplicabilidade dos mesmos.
atuação conjunta dos partícipes”. As noções de gratuidade, de unilateralidade
Questiona-se, ainda, a formulação, em e de ausência de comutatividade, características dos
relação ao conceito de obrigações recíprocas presente Contratos de Doação, não consegue abranger um número
inclusive no art. 2º, parágrafo único, da Lei Federal n. relevante de situações de repasses de verbas, efetuadas,
8.666’93, onde se estabelece uma implícita tentativa de em regra, através de convênios da administração pública,
distinção Dops contratos com os convênios da de congêneres, bem como de ajustes e procedimentos, no
Administração Pública, a partir da existência nos primeiros geral simplificados, de natureza convenial, onde ocorre, nas
e ausência nos segundos, dos elementos acordo de relações entre os partícipes, a cooperação, a colaboração,
vontades para a formação de vínculos” e, ainda, a a coordenação, a parceria, o fomento, o auxílio, a ajuda, a
“estipulação de obrigações recíprocas”. Na medida em que, contribuição e/ou a subvenção e onde está presente o
a noção “acordo de vontades para a formação do vínculo”, lucro, o preço e/ou a remuneração.
é passível de ocorrer tanto nos contratos como nos Cumpre registrar, pelo menos um exemplo,
convênios. a questão da crescente exigência de contrapartidas,
Percebe-se, no âmbito doutrinário, que os presentes, por exemplo, no art. 25, inciso IV, letra “d”, da
argumentos trazidos pela jurista mencionada, questionando Lei Complementar n. 101, de 2000 – da Responsabilidade
o uso dos convênios administrativos como instrumentos Fiscal, no art. 44, $$ 1º, 2º e 3º, da Lei Federal n. 11.178,
para os repasses de verbas, não devem ser acolhidos. de 2005 – das Diretrizes para Elaboração da Lei
De outro lado, no âmbito do ordenamento Orçamentária de 2006.
jurídico, existem sérios obstáculos para que prosperem os O Contrato de Doação está profundamente
exames da autora questionando a possibilidade dos impregnado pelas noções de liberalidade, de gratificação
convênios de repasse de verbas. generosa e do elemento subjetivo pessoal do agente, o que
O primeiro óbice é o que está disposto no torna inconveniente, doutrinária e praticamente, sua
art. 71, inciso VI, da Constituição Federal de 1988, que fala utilização em larga escala e sem ampla variedade de
em “recursos repassados (...) mediante convênio, acordo, precauções, no âmbito do Direito Público, que se rege pelos
ajuste ou outros instrumentos congêneres”, na medida em princípios, dentre outros, da legalidade, da impessoalidade,
que o preceituado significa, no mínimo, o reconhecimento do interesse público e da motivação.
constitucional da possibilidade de associação do conceito Clóvis Bevilaqua entende ser “o animus
recursos repassados, repasse e transfer6encia de verbas, donanti essencial à doação” e, ainda defende que o
às noções de convênios, acordos, ajustes e congêneres. De
67
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

decisivo no citado contrato está na liberalidade, elemento (II) A utilização dos bens doados de acordo
subjetivo pessoal do agente. com o previsto no ajuste, nos regramentos administrativos,
Para San Tiago Dantas anota que “a nos princípios, normas e valores presentes em normas
liberalidade é a essência, a causa da doação”. constitucionais e infraconstitucionais, mesmo após o
Do mesmo modo, o Contrato de Doação não esgotamento da vigência dos acordos;
se apresenta como juridicamente adequado no sentido de (III) A vedação (a) de que os bens sejam
atender, por exemplo, aos princípios e exigências utilizados para fins diversos dos definidos nos ajustes, e,
constitucionais que se aplicam de forma direta ou indireta também, nos princípios, normas e valores presentes em
ao repasse de verbas públicas, na medida que os mesmos regramentos administrativos, regulamentares,
repasses implicam na utilização, administração, gerência de infraconstitucionais e constitucionais, (b0 de que os bens
dinheiros, bens e valores públicos. Também em decorrência sejam utilizados para favorecimento de indivíduos
de que os mencionados repasses e manuseio de dinheiros, vinculados com as pessoas e as entidades partícipes, em
bens e valores públicos estão submetidos, de forma especial em favor de dirigentes das mesmas, bem como de
indireta, por exemplo, aos princípios esculpidos nos arts. 1º, seus familiares e de pessoas ligadas aos mesmos, (c) de
3º, 37, 70, 71, 165, 166, 167, 170, 193, 198 e 199, da que os bens sejam utilizados e/ou armazenados em locais
Constituição de 1988, como também, de forma mais direta, que não encontrem justificativa plausível no ajustado e no
acatam os princípios da legalidade, legitimidade, plano de trabalho, ou em locais inadequados e/ou que
impessoalidade, moralidade, probidade, publicidade, sujeitem os bens a destruição, perecimento e deterioração,
eficiência, economicidade, prestação de contas, controle (d) de que ocorra a venda, doação, permuta, dação em
interno, externo, judicial e da sociedade, responsabilidade, pagamento, concessão ou permissão de uso, e toda e
multa proporcional ao dano por ilegalidade de despesa ou qualquer forma de alienação, dos bens doados, a qualquer
irregularidade de contas e/ou responsabilidade. tempo, sem autorização por escrito do doador;
Outrossim, os princípios afirmados pela (IV) A estipulação de encargos e limites aos
Constituição Federal de 1988, como também pela partícipes, como também a regulação das relações entre os
legislação infraconstitucional que se seguiu, demonstram mesmos;
que a regulação existente em relação aos Convênios da (V) O compromisso dos partícipes de
Administração Pública, congêneres e/ou ajustes e informar ao doador sobre irregularidades e problemas
procedimentos de natureza convenial se encontra muito relevantes surgidos com os bens doados, mesmo após a
aquém dos princípios, normas e valores já sedimentados vigência do ajuste, com destaque para a ocorrência de
pelas mesmas, fato que se agravaria com a proposta roubo, furto, posse indevida, evento caracterizado como
sugerida pela autora Miriam Cavalcanti de Gusmão força maior e/ou excludente de responsabilidade;
Sampaio Torres. (VI) Direto de que os partícipes, como
Com relação às verbas repassadas, estas também os órgãos de controle interno, externo e social,
estarão melhor protegidas com o atendimento, no que bem como as pessoas e instituições que a legislação
couber, das previsões sobre Convênios e Contratos da defina, no âmbito de suas atribuições, obtenham, a
Administração Pública constantes na Lei Federal n. qualquer tempo, informações necessárias ã verificação do
8.666/93 e, ainda, da Instrução Normativa n. 01, 1997, da uso dos bens, sua localização, seu estado de conservação
Secretaria do Tesouro Nacional, bem como das Leis ou mesmo de sua condição de bem inservível e seu
Federais de Diretrizes Orçamentárias mencionadas, perecimento, facultadas ainda inspeções locais;
notadamente, quando as estipulações infraconstitucionais, (VII) Compromisso de manter o bem doado em
regulamentares e administrativas forem interpretadas numa perfeito estado de conservação e funcionamento, correndo
perspectiva atenta às disposições constitucionais às custas do beneficiado as despesas para tanto, salvo em
encontradas, dentre outros, nos artigos da Carta de 1988. situações de os bens se tornarem inservíveis e obsoletos,
A utilização do Contrato de Doação, com as e, ainda, quando ocorrer estipulação de ajuste, regulamento
amplas cautelas referidas, deve ocorrer, no âmbito dos ou legal em sentido contrário;
Convênios da Administração Pública, congêneres e (VIII) A estipulação de que as irregularidades,
procedimentos simplificados de natureza convenial, por em especial as de natureza grave, ensejam a possibilidade
exemplo, no caso de bens remanescentes na data da de que o doador solicite, em decisão motivada, após
conclusão ou extinção do ajuste, e dos bens que em razão contraditório e ampla defesa, a devolução, total ou parcial,
do acordo tenham sido adquiridos, produzidos, dos recursos transferidos, devidamente atualizados, sem
transformados ou construídos. Em relação ao tema, o artigo prejuízo de outras sanções e penalidades, definidas no
7, caput e inciso IX, da Instrução Normativa n. 01, 1997, da ajuste, como também em estipulações administrativas e
Secretaria do Tesouro Nacional – dos convênios, observa- legais;
se a exigência, como cláusula obrigatória do ajuste, de que (IX) O estabelecimento de que poderá ocorrer
se defina o direito de propriedade sobre os bens acima a reversão, parcial ou total, dos bens doados, em favor do
citados. doador ou outra pessoa ou entidade que atenda
Como regra, os Contratos de Doação no adequadamente o interesse público e social, notadamente
âmbito do Direito Público e dos Convênios da nas situações em que (a) ocorram, irregularidades, em
Administração Pública devem estar vinculados a exigências especial as de natureza grave, (b) o ente ou pessoa
e encargos definidos meticulosamente. beneficiado deixar de existir, ou tiver a sua atividade
Há indicação de algumas exigências e gravemente afetada, ou alterar drasticamente as suas
encargos que devem ser adotadas, no âmbito dos contratos finalidades sociais ou em caso de insolvência e falência.
de doação envolvendo a Administração Pública, que podem Destaque para a preocupação dos órgãos de
auxiliar no sentido de que sejam evitadas burlas, fiscalização e controle dos atos da Administração Pública,
irregularidades, ilegalidades e violações dos princípios que inclusive com referência ao art. 17, inciso II e $ 4º, da Lei
regem a Administração Pública: Federal n.8.666/93, no sentido de que as doações
(I) A existência de relevante interesse efetuadas pela Administração Pública sirvam ao interesse
público e social para a doação dos bens, devidamente público e social devidamente justificado, após criteriosas
justificada em criteriosa avaliação e exame; avaliações e exames, como também assumam, quando
couber, a forma de doação com encargos, a ser licitada,
68
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

quando não ficarem configuradas as hipóteses de dispensa Constituição de 1988 e do regramento infraconstitucional
por interesse público devidamente justificado, e onde se que se seguiu a mesma, não se pode subestimar os
defina o prazo do cumprimento dos compromissos elementos de permanência das ideias e práticas acima retro
assumidos e se estipule cláusulas de reversão. mencionadas.
Porém, as experiências administrativas em nosso
País, tratam ajustes de natureza convenial como doações 2.4. A Administração dos Convênios
e/ou também como “verbas a fundo perdido”, além de Os convênios da Administração Pública e
incorretas teoricamente, colaboram, no geral, para práticas seus congêneres, obrigações
lamentáveis, onde predomina o senso comum mais rasteiro para que uma parte ou a totalidade dos partícipes,
sobre os repasses de verbas a título de doação e/ou a notadamente os convenentes efetuem contrapartidas, para
fundo perdido. a realização do objeto e do ajustado, a título, por exemplo,
Tais concepções contribuíram também, para que de fomentos, auxílios, ajudas, contribuições, subvenções
se configurassem as situações lamentáveis citadas, e/ou bolsas.
inclusive o fato de que no âmbito dos mesmos repasses de Nos pactos de natureza convenial os
verbas, em princípio, não serem estabelecidos, também, recursos e verbas destinados são utilizados, geridos,
para os partícipes beneficiários, encargos, exigências, gerenciados e/ou administrados por uma parcela ou a
obrigações, controles, fiscalizações, prestações de contas, totalidade dos partícipes, no geral o convenente e/ou
devoluções de recursos e reversão dos bens em casos de executor institucional, no sentido de viabilização do objeto e
irregularidades e ilegalidades, e/ou outras formas de do ajustado, de forma adequada, boa, correta, econômica e
responsabilização, sanção e penalização. regular.
Nos acordos de cunho convenial existe a
2.3. As Práticas Administrativas - o “Fundo sujeição à fiscalização, controle e prestação de contas, que
Perdido” e os Recursos Repassados pela atingem os [partícipes de ajuste e os que se envolverem
Administração Pública com o mesmo. A fiscalização, controle e prestação de
No presente estudo é fundamental os exames contas serão exercidos pelos partícipes, pelo denominado
propostos por Jorge Miranda Ribeiro e Maria Mota Pires, controle interno (controladorias, auditorias e serviços de
quando demonstram alguns dos graves prejuízos causados contabilidade), externo (Tribunais de Contas), judicial e,
pelo fato de que no passado se utilizavam da concepção ainda, pelo controle de cidadania e popular.
dominante e da prática administrativa majoritária que De outro lado, a necessidade de,
considerava “os recursos da União repassados a título de inicialmente, trazer para exame, mesmo que rapidamente,
convênio, tanto para entes de direito público como para os conceitos fomento, auxílios, ajudas, contribuições,
aqueles de direito privado”, como “a fundo perdido”. subvenções, subsídios, e/ou bolsas como os mesmos são
Os citados autores destacam que na perspectiva enxergados notadamente pela doutrina e normatização
do mesmo entendimento “o essencial era transferir a verba nacional, embora trazendo também alguns poucos
orçamentária, alocada no elemento de despesa do elementos trazidos pela doutrina e legislação estrangeira.
orçamento da União, voltado para o fim especificado no Odete Medauar, tratando das noções de
”instrumento, e o parceiro do governo utilizá-lo no pactuado auxílios, contribuições e subvenções sociais ou
pelas partes”. econômicas, enuncia que:
Salientam, ainda, os mesmos autores que “o “É patente a dificuldade em traçar conceitos
recurso a fundo perdido era verba transferida para quem precisos para cada uma das espécies de repasses
pactuasse com o Governo Federal”, não existindo, à época, financeiros assinaladas”, tendo em vista que atualmente o
a “necessidade de prestação de contas da regularidade de seu regime jurídico-financeiro resulta de uma diversidade
sua aplicação” e “tampouco (...) obrigatoriedade de de textos legislativos, decretos e atos normativos
comprovar se o objeto do convênio havia sido alcançado ou infralegais, cujos principais são: a) Lei Federal n. 4.320, de
cumprido na forma avençada” autores anotam, ainda que ä 17 de março de 1964 (normas gerais de direito financeiro);
boa-fé e confiança entre as parte” afastava “suspeitas de b) Decreto 93.872, de 23 de dezembro de 1986 (dispõe
desvios, conluios, falcatruas e corrupção no emprego de sobre a unificação dos recursos de caixa do tesouro
verba pública”, o que permitiu que “maus administradores Nacional); c) Instrução Normativa da Secretaria do Tesouro
se locupletassem com o dinheiro público”. Nacional – STN 01, de 15 de janeiro de 1997 (disciplina a
Tais entendimentos e práticas tiveram profunda celebração de convênios de natureza financeira que
influência no senso comum administrativo e social, também tenham por objeto a execução de projetos ou realização de
como decorrência de tratarem omissiva de que eram eventos); d) Lei Complementar n. 101, de 4 de maio de
congruentes com as concepções e práticas patrimonialistas 2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal); e e) Lei Federal n.
e de não diferenciação entre o que é público e o que é 11.178, de 20 de setembro de 2005 (atual Lei de Diretrizes
privado e/ou pessoal, como também de tratarem omissiva Orçamentárias).
e/ou irresponsavelmente os recursos públicos como “terra Agora, após estabelecer algumas
de ninguém” e/ou como “de todos e de ninguém”. Tais conclusões, mesmo que breves, sobre a possibilidade e
concepções e práticas administrativas eram adequadas limites para o estabelecimento, sobretudo da relação entre
para a viabilização das mais variadas formas de os convênios da Administração Pública, congêneres e/ou
apropriação privada dos recursos do Estado brasileiro, ajustes e procedimentos de natureza convenial, e as ações
perpetrado por administradores, servidores e, não raro, por de fomento, auxílios, ajudas, contribuições, subvenções
lideranças políticas, empresariais, sindicais, sociais e e/ou bolsas.
populares, seja pela forma da corrupção, do desvio e/ou do
descaso com os recursos públicos, e/ou seja pela busca 2.5. O Fomento
e/ou concessão de privilégios, dentre outros, de classe, Diogo de Figueiredo Moreira neto, tratando
corporação, familiares, clientelísticos e/ou pessoais. do conceito de fomento, ensina que:
Apesar de tais concepções e práticas serem “(...) pode-se conceituar o fomento público como a
rejeitadas pelas estipulações presentes no ordenamento função administrativa através da qual o Estado ou seus
jurídico constitucional, infraconstitucional, regulamentar e delegados estimulam ou incentivam, direta, imediata e
administrativo brasileiro, em especial a partir da concretamente, a iniciativa dos administrados ou de outras
69
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

entidades, públicas e privadas, para que estas velhice, índios, etc; as atividades de fomento público social
desempenhem ou estimulem, por seu turno, atividades que da educação, da pesquisa e da informação; as atividades
a lei haja considerado de interesse público para o de fomento público social do trabalho; as atividades de
desenvolvimento integral e harmonioso da sociedade.” fomento público social da cultura, do lazer, dos desportos e
Entende Silvio Luis Ferreira da Rocha, em do turismo; as ações de fomento público social ambiental;
relação ao conceito de fomento, que o mesmo pode ser as atividades do fomento público social rural e da reforma
definido como a “ação da Administração com vistas agrária; as ações de fomento público econômico a
proteger ou promover as atividades, estabelecimentos ou empresa, ao cooperativismo, às empresas de pequeno
riquezas dos particulares que satisfaçam necessidades porte; as atividades do fomento público ao setor primário;
públicas ou consideradas de utilidade coletiva.” as ações de fomento público financeiro e creditício; as
Carlos Ari Sundfeld, tratando da atividade de atividades de fomento público científico e tecnológico; as
fomento, anota que a mesma é a “concessão de benefícios ações de fomento institucional ao setor público não-estatal;
aos particulares de modo a induzir seus comportamentos e ações de fomento público à administração associada.
em certo sentido.” Entende Maria Sylvia Zanella Di Pietro, quando
Anota Toshio Mukai que “pelo fomento, o trata da associação entre as noções de convênio e fomento,
Estado incentiva a execução de atividade de iniciativa que “quanto ao convênio entre entidades públicas e
privada, por se tratar de atividade que traz benefício para a entidades particulares, ele não é possível como forma de
coletividade.” delegação de serviços públicos, mas como modalidade de
Silvia Faber Torres destaca que “toda atividade de fomento”, lembrando que o fomento se caracteriza “por ser
fomento efetuada pela Administração erige-se sobre o uma forma de incentivar a iniciativa privada de interesse
suposto de que existem atuações privadas que satisfazem público”.
interesses públicos e que, por isso, devem ser instigadas e Outrossim, continua a jurista, associando as
subsidiadas.” noções de convênio, de fomento e, ainda, de auxílios e
Entende Silvio Luiz Ferreira da Rocha que “o subvenções, que, quando prestada pelo particular, o Estado
fomento legítimo e justificado é aquele que visa a promover pode fomentar, pela outorga de auxílios ou subvenções,
ou a estimular atividades que tendem a favorecer o bem- que se formaliza mediante convênio.
estar geral” e, ainda, que “se a finalidade do bem-estar Toshio Mukai destaca a possibilidade do convênio
geral não é detectável com clareza a atividade de fomento com partícipes privados se dar sob a forma de atividades de
apresenta-se como ilegítima, injustificável e discriminatória.” fomento.
Carlos Ari Sundfeld destaca como exemplos de Ainda, Silvio Luis Ferreira da Rocha, de um lado,
fomento “a assistência ao produtor rural e a ajuda vincula as atividades de fomento às subvenções, auxílios e
financeira, através de bolsas de estudo, ao contribuições, aos contratos de gestão, parceria, convênio e
desenvolvimento da ciência e tecnologia, do ensino, da outorga de títulos, e de outro, anota que “a atividade de
pesquisa, do esporte e da cultura”, como também “a fomento submete-se aos princípios da legalidade,
realização de atividades culturais (manutenção de teatros e impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência,
museus, pesquisa histórica), a implementação de pesquisas igualdade e da finalidade, entre outros, e, ainda, que “a
na área da ciência e tecnologia, a promoção de atividades atividade de fomento, como espécie de atividade
desportivas.” administrativa, deve obedecer a todos os princípios que
Anota Toshio Mukai que “o incentivo ser efetuado orientam a atividade administrativa.”
por auxílios financeiros, subvenções, financiamentos,
favores fiscais, desapropriações de interesse social em DOS AUXÍLIOS, AJUDAS, CONTRIBUIÇÕES,
favor de entidades privadas sem fins lucrativas.” SUBVENÇÕES E SUBSÍDIOS – DAS BOLSAS DE
Maria Sylvia Zanella Di Pietro registra que “o ESTUDO E PESQUISA E BOLSAS DE ESTÁGIO
incentivo é dado sob a forma de auxílios financeiros ou
subvenções por conta do orçamento público, 3.1. Dos Auxílios
financiamentos, favores fiscais, desapropriações de Maria Helena Diniz, quando se refere à noção de
interesse social”, sendo que os benefícios podem se dar em auxílio, diz que o mesmo “na linguagem comum, significa
favor de entidades privadas sem fins lucrativos, que assistência, socorro, amparo, ajuda ou subsídio.”
realizem atividades úteis à coletividade, como os clubes Constata Plácido e Silva que auxílio, “segundo o
desportivos, as instituições beneficentes, as escolas sentido que tem o vocábulo latino de que se deriva
particulares, os hospitais particulares, etc.” (auxilium – de augere) significa assistência, socorro” e que
Informa Silvia Faber Torres, referindo-se aos esta acepção é empregada na terminologia jurídica.”
meios para viabilizar a atividade de fomento público, como O Tribunal de Contas de Santa Catarina, no
também para conceber relevância ao fomento social e ao seu Glossário, ao se referir a auxílio, enuncia o sentido de
fomento econômico, que podem os mesmos se revestir de “ajuda concedida pelo Poder Público, para fins diversos,
formas as mais variadas, como, por exemplo, isenções e geralmente com objetivos altruísticos (Revista da
desgravações fiscais, desembolso efetivo, subvenções Associação de Orçamento Público, Brasília, 1975).”
(meios financeiros), concessão de prêmios (meios A noção de auxílio, segundo o anotado
honoríficos), propagandas (meios psicológicos),etc. acima, tem o sentido de assistência, socorro, amparo, ajuda
Diogo de Figueiredo Moreira Neto, quando se e subsídio, concedido no geral pelo Poder Público, para fins
refere ao fomento público, apresenta um quadro, no que se variados, sobretudo com objetivos altruísticos.
refere às atividades e ações de fomento de fomento, de O conceito de auxílio, presente no artigo 12,
grande amplitude. O mesmo autor subdivide o fomento $ 6º, da Lei Federal n.4.320/64, Normas de Direito
público em planejamento estatal, fomento social (o homem), Financeiro, Orçamentário e da Contabilidade Pública, se
fomento econômico (a empresa) e fomento institucional (os encontra associado às chamadas Transferências de
entes intermediários). Enumera o autor como passíveis de Capital, que se inserem no âmbito das denominadas
fomento público, dentre outras: as ações visando o Despesas de Capital. As Transferências de Capital são,
desenvolvimento regional; a atividade econômica segundo o referido dispositivo legal, “dotações para
suplementar do Estado à iniciativa privada; as atividades ao investimentos ou inversões financeiras que outras
fomento público a pessoa, família, crianças, adolescentes, pessoas de direito público ou privado devam realizar,
70
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

independentemente de contraprestação direta em bens e Maria Helena Diniz, tratando do conceito de


serviços.” Ajuda, diz que o mesmo significa “assistência, cooperação,
Esclarecem J. Teixeira Machado Jr. e revista, atualizada e aumentada.”
Heraldo da Costa Reis, ainda, que a mencionada norma Considera Plácido e Silva que ajuda “é
legal preceitua que os auxílios “derivam diretamente da Lei expressão que se aplica na acepção de auxílio, socorro,
do Orçamento – são meras autorizações orçamentárias.” cooperação.”
Igualmente, salientamos que o art. 21 da Lei Em decorrência do que ajuda designa,
Federal n. 4.320/64, quando se refere ao auxílio, preceitua segundo os autores examinados, assistência, cooperação,
que a “Lei de Orçamento não consignará auxílio para auxílio e socorro.
investimentos que se devem incorporar ao patrimônio das
empresas privadas de fins lucrativos.” 3.3. Das Contribuições
J.Teixeira Machado Jr. E Heraldo da Costa Lidando com o conceito de contribuição,
Reis anotam, “entretanto, a proibição contida no artigo ora Maria Helena Diniz considera que o mesmo, “na linguagem
comentado diz respeito apenas às empresas de fins jurídica em geral, indica, ainda, subsídio de caráter moral,
lucrativos” e que “se a entidade não tem este objetivo, social, científico ou literário, para consecução de alguma
poderá ser beneficiada com auxílio para investimento”. obra útil”.
As concessões dos auxílios se sujeitam Em nossa legislação pátria existem alguns
também às exigências e parâmetros definidos nos arts. 25 e preceitos que tratam da temática das contribuições.
26, da Lei Complementar n. 101/2000, Da No artigo 12, $ 2º, da lei Federal n. 4.320/64,
Responsabilidade Fiscal, conforme especifica o Anexo II, da as contribuições e as subvenções associadas à noção de
portaria Interministerial Secretaria do Tesouro Transferências Correntes, que faz parte das Despesas
Nacional/Secretaria do Orçamento Federal n. 163, de 04 de Correntes. No referido dispositivo legal se considera
maio de 2001. Transferências Correntes “as dotações para despesas às
O art. 25, da Lei de Responsabilidade, trata quais não corresponda contraprestação direta em bens ou
das transferências voluntárias de recursos correntes ou de serviços, inclusive para contribuições e subvenções
capital a outro ente da Federação, a título de cooperação, destinadas a atender à manutenção de outras entidades de
auxílio ou assistência financeira, que não decorra de direito público ou privado”.
determinação constitucional, legal ou os destinatários ao A noção de contribuição, no já mencionado
Sistema Único de Saúde. De outra forma, como esclarece artigo 12, 6º, da Lei Federal n. 4.320/64, se liga também às
Maria Sylvia Zanella Di Pietro, os conceitos de receitas Transferências de Capital, na esfera das denominadas
correntes ou de capital, podem ser encontradas Despesas de Capital. As Transferências de Capital são,
especialmente no art. 11, da Lei Federal n. 4.320. como já enumeramos, “dotações para investimentos ou
Estabelece-se, no mesmo art. 25, que a inversões financeiras que outras pessoas de direito público
realização das transfer6encias voluntárias estão sujeitas: ou privado devem realizar, independentemente de
(a) as exigências previstas na Lei de Diretrizes contraprestação direta em bens e serviços.”
Orçamentárias; (b) a comprovação, pelo beneficiário: que No mesmo diapasão, as concessões das
se acha em dia quanto ao pagamento dos tributos, contribuições se vinculam aos artigos 25 e 26, da Lei
empréstimos e financiados devidos ao ente transferidor, Complementar n. 101/2000, Da Responsabilidade Fiscal, de
quanto à prestação de contas dos recursos anteriormente acordo com o Anexo II, da Portaria Interministerial
recebidos; quanto ao cumprimento, quando for o caos, dos Secretaria do Tesouro Nacional/Secretaria do Orçamento
limites constitucionais relativos à educação e à saúde; Federal n. 163, de 04 de maio de 2001.
quanto à observância notadamente, quando couber, dos O art. 32, caput, da Lei Federal n. 11.178, de
limites de endividamento e de despesa de pessoal; e 20 de setembro de 2005, Das Diretrizes Orçamentárias
quanto à previsão orçamentária de contrapartida. para 2006, preceitua que “é vedada a destinação de
Igualmente, a utilização dos recursos transferidos se vincula recursos a entidade privada a título de contribuição
obrigatoriamente com as finalidades ajustadas. corrente, ressalvada a autorizada em lei específica ou
Enquanto que o art. 26, da lei de destinada à entidade sem fins lucrativos selecionada para
Responsabilidade Fiscal, trata da necessidade como execução, em parceria com a administração pública federal,
condição indispensável para que possa ocorrer a de programas e ações que contribuam diretamente para o
destinação de recursos para, direta ou indiretamente, cobrir alcance das diretrizes, objetivos e metas previstas no plano
necessidades de pessoas físicas ou déficits de pessoas plurianual”. Enquanto o art. 32, parágrafo único, da mesma
jurídicas, de autorização por lei específica, de que ocorra o lei estipula condicionamentos para a hipótese de
atendimento às condições estabelecidas na lei de diretrizes transferência de recursos a título de contribuição corrente
orçamentárias e de estarem os recursos previstos no não autorizada em lei.
orçamento ou em seus créditos adicionais. O estipulado se
aplica inclusive a toda a Administração Indireta, exceto, no 3.4. Das Subvenções Sociais e Econômicas e
exercício de suas atribuições precípuas, as instituições dos Subsídios
financeiras e o Banco Central do Brasil. O estabelecido se 3.4.1. Das Subvenções Sociais e Econômicas
aplica à concessão de empréstimos, financiamentos e Plácido e Silva, enuncia que por subvenção
refinanciamentos, inclusive as respectivas prorrogações e a do “latim sunventio, de subvenire (vir em socorro, ajudar),
composição de dívidas, a concessão de subvenções e a entende-se o auxílio, ou a ajuda pecuniária, que se dá a
participação em constituição ou aumento de capital. alguém, ou a alguma instituição, no sentido do os proteger,
A título de ilustração, no art. 33, da Lei ou para que realizem ou cumpram seus objetivos”.
Federal n. 11.178, de 20 de setembro de 2005, Das Outrossim, ensina que “juridicamente, a
Diretrizes Orçamentárias de 2006, veda a destinação de subvenção não tem o caráter nem de paga nem de
recursos a título de auxílios para entidades privadas, compensação”, sendo “mera contribuição pecuniária
ressalvadas as sem fins lucrativos que cumpram as destinada a auxílio ou em favor de uma pessoa, ou de uma
condições estabelecidas na mencionada Lei. instituição, para que se mantenha, ou para que execute os
serviços ou obras pertinentes a seu objeto.”
3.2. Das Ajudas
71
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Maria Helena Diniz, referindo-se à as dotações destinadas ao pagamento de bonificações a


Subvenção, ser a mesma “auxílio pecuniário concedido, produtores de determinados gêneros ou materiais.”
permanente ou eventualmente, pelo Poder Público a J. Teixeira Machado Jr. E Heraldo da Costa
entidades beneficentes para que cumpram seus objetivos”, Reis salientam que as subvenções econômicas tem, como
como também “a certos setores econômicos para a garantia finalidade a “cobertura de déficits de manutenção e
da estabilidade dos preços de determinados produtos”. A funcionamento de entidades da Administração Indireta” e,
autora liga, ainda, o conceito de subvenção à noção de ainda, a “cobertura de diferenças de preços de mercado e
subsídio e a de “quantia pecuniária que é dada como de revenda de gêneros alimentícios ou outros materiais”,
ajuda”. como também, o “pagamento de bonificações a produtores
J.M. Othon Sidou, tratando do conceito de de determinados gêneros ou materiais.”
subvenção do Direito Financeiro, entende que a mesma é Os mencionados autores pensam que a
“auxílio ou contribuição financeira permanente ou eventual, concessão de subvenções econômicas está subordinada ao
concedida pelo poder público, para cobertura de despesas interesse público e que para as empresas de fins lucrativos,
de custeio, a entidades privadas, a título de prestação exige-se autorização em lei especial, com condições a
assistencial”, como também “a setores econômicos, a fim serem fixadas em lei especial.
de garantir a estabilidade dos preços de certos produtos.” Destaca-se que o art. 19, da Lei Federal n.
Destacando o autor com adequação que “nessa última 4.320/64, enuncia que a Lei do Orçamento não consignará
acepção, diz-se também subsídio.” ajuda financeira, a qualquer título, a empresa de fins
Outrossim, na legislação brasileira existem lucrativos, salvo quando se tratar de subvenções cuja
alguns preceitos que tratam, ainda que rapidamente, da concessão tenha sido expressamente autorizada em lei
temática subvenções. especial.
No artigo 12, $ 2º, da Lei Federal n. A outorga de subvenção se submete
4.320/64, Do Direito Financeiro, Orçamentário e da igualmente ao encargo e padrões estipulados, de regra, nos
Contabilidade Pública, as contribuições e as subvenções artigos 26, da Lei Complementar n. 101/2000, Da
são vinculadas a noção de Transferências Correntes, que Responsabilidade Fiscal, como enuncia a Portaria
faz parte das designadas Despesas Correntes. O mesmo Interministerial n. 163, de 04 de maio de 2001, Anexo II, da
dispositivo legal considera Transferências correntes “as Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda e
dotações para as despesas às quais não corresponda Secretaria do Orçamento Federal do Ministério do
contraprestação direta em bens ou serviços, inclusive para Planejamento, Orçamento e Gestão.
contribuições e subvenções destinadas a atender à O mesmo art. 26 estipula sobre ser
manutenção de outras entidades de direito público ou imprescindível, para que sejam designadas verbas para,
privado.” direta ou indiretamente, atender necessidades de pessoas
Logo após, no artigo 12, $ 3º, da Lei Federal físicas ou déficits de pessoas jurídicas, o consentimento por
n. 4.320/64, entende-se como “subvenções as lei específica, o cumprimento do determinado na lei de
transferências destinadas a cobrir despesas de custeio das diretrizes orçamentárias e a existência de valores
entidades beneficiadas”. consignados no orçamento ou em seus créditos adicionais.
No mesmo art. 12, $ 3º, define-se que são O definido se exige também da totalidade da Administração
“subvenções sociais, as que se destinem a instituições Indireta, exceto, quando no desempenho de suas
públicas ou privadas de caráter assistencial ou cultural, sem competências mais relevantes, as instituições financeiras e
finalidade lucrativa”, enquanto que no art.16, temos a o Banco Central do Brasil. O mesmo artigo estipula
indicação de que a concessão de subvenções sociais explicitamente a sua aplicação para as situações de
visará, fundamentalmente e nos limites das possibilidades concessão de subvenção, e, ainda, para a concessão de
financeiras, “à prestação de serviços essenciais de empréstimos, financiamentos e refinanciamentos, inclusive
assistência social, médica e educacional”, sobretudo as respectivas prorrogações e a composição de dívidas,
quando “a suplementação de recursos de origem privada, bem como no caso de participação em constituição ou
aplicados a esses objetivos, revelar-se mais econômica”, aumento de capital.
sendo que “o valor das subvenções sociais, sempre que O jurista alemão Hartmut Maurer, sobre o
possível, será calculado com base em unidades de serviço conceito de Subvenção na perspectiva notadamente do
efetivamente prestados ou postos à disposição dos Direito Alemão, ensina que:
interessados, obedecidos os padrões mínimos de eficiência “Na literatura ainda não se formou um conceito
previamente fixados.” uniforme a subvenção. Contudo, as divergências de
O art. 31, da Lei Federal n. 11.178, de 20 de opiniões concernem mais ao alcance do que aos elementos
setembro de 2005, Das Diretrizes Orçamentárias de 2006, de estrutura enformadores da subvenção. Duvidoso é se a
veda a destinação de recursos a título de subvenções subvenção compreende somente doações positivas
sociais para entidades privadas, ressalvadas as sem fins (subvenções de prestação) ou também isenções de
lucrativos, que exerçam atividades de natureza continuada obrigações tributárias geral, em especial, desagravações de
nas áreas de cultura, assistência social, saúde e educação, impostos (subvenções de isenção). Considerado
quando preencherem as condições legais. O citado art. 12, economicamente é indiferente se ao particular é pago um
$ 3º, enuncia que são subvenções econômicas, “as que se determinado montante em dinheiro ou concedido um
destinem a empresas públicas ou privadas de caráter determinando um determinado montante em dinheiro ou
industrial, comercial, agrícola ou pastoril”. concedendo uma desagravação de imposto em quantia
Ao passo que no art. 18 da mesma Lei, correspondente; porque em ambos os casos ele tem mais
enuncia-se que as subvenções econômicas servirão do que teria, se não existisse a regulação beneficiente para
especialmente para a cobertura dos déficits de manutenção ele. Por isso, as ciências econômicas e financeiras também
de empresas públicas, de natureza autárquica ou não, partem do conceito de subvenção de isenção. Em
expressamente incluídas nas despesas correntes do perspectiva jurídica, porém, existem regulações diferentes
Orçamento da União, do Estado, do Município ou Distrito para subvenções de prestação e desagravações de
Federal, para as dotações destinadas a cobrir diferenças imposto, de forma que uma diferenciação correspondente é
entre os preços de mercado e os preços de revenda, pelo ordenada e o conceito de subvenção no sentido jurídico-
Governo, de gêneros alimentícios e outros materiais” e para administrativo deve ser limitado às subvenções de
72
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

prestação. No Direito Comunitário Europeu é empregado o Plácido e Silva anota que bolsa costuma
conceito de subvenção amplo (auxílios), que inclui também designar (...) os fundos que se põe à disposição de certa
as subvenções de isenção (...). Se isso também vai pessoa, para que possa realizar determinado objetivo, e
repercutir no conceito de subvenção jurídico-administrativo registra que se diz bolsa de estudo para designar soma que
do Direito Alemão, ainda está em aberto. Em todo caso, se reserva ao estudante, a fim de que possa realizar um
deve ser observado que para as subvenções de prestação curso.
e as subvenções de isenção valem regulações diferentes
(...). 3.5.2. Das Bolsas de Estudo e Pesquisa
Subvenções são, segundo isso, (a) doações de No art. 39, caput e inciso VII, do Decreto
valor patrimonial (b) do Estado ou de uma outra corporação Federal n. 3.000, de 1999, Do Regulamento de Imposto de
administrativa a pessoas privadas (c) sem contraprestação Renda e de Proventos de Qualquer Natureza, com a
conforme o mercado (d) para fomento de uma finalidade redação que lhe foi dada pelo art. 26, da Lei Federal n.
situada no interesse público. (...)” 9.250, de 1995, há a previsão das bolsas de estudo e
pesquisa, que por equivoco, ficou caracterizada como
3.4.2. Dos Subsídios doação, como rendimento que não entram no cômputo do
Plácido e Silva, examinando o conceito de rendimento bruto, como segue:
subsídio, assinala que o mesmo vem “do latim subsidium “Art. 39. Não entrarão no cômputo do rendimento
(reserva, reforço, auxílio)” e que o mesmo “revela tudo que bruto: (...)
vem no sentido de auxiliar, socorrer, ou reforçar alguma VII – as bolsas de estudo e de pesquisa
coisa”. caracterizadas como doação, quando recebidas
Esclarece o jurista que é a contribuição exclusivamente para proceder a estudos ou pesquisas e
pecuniária ou de outra ordem que se dá a qualquer desde que os resultados dessas atividades não
empresa ou a particular, na forma de auxílio ou ajuda. representem vantagem para o doador, nem importem
Registra Plácido e Silva, ainda, que “na linguagem contraprestação de serviços.(...)”
administrativa, designa a quantia denominada subvenção, Recentemente a Lei Federal n. 11.273, de
que o Estado arbitra ou subscreve para obras de interesse 06 de fevereiro de 2006, autorizou o Fundo Nacional de
público, ou, em outro sentido, indica a importância ou Desenvolvimento da Educação – FNDE a conceder bolsas
auxílio que um Estado concede a outro. de estudo e bolsas de pesquisa no âmbito dos programas
Enuncia Maria Helena Diniz, que a noção de de formação de professores para a educação básica
subsídio, está associada, na linguagem jurídica em geral, a desenvolvidos pelo Ministério da Educação, inclusive na
auxílio, a benefício, quantum pecuniário assinalado de modalidade à distância.
interesse público. Ao mesmo tempo a autora vincula O art. 2º, $ 2º, da mesma Lei, que se refere à
subsídio, num exame pela ótica da economia política, a um adesão dos entes federados aos programas, através de
recurso financeiro que possibilita o crescimento de um setor instrumento jurídico onde se estipulam os correspondentes
econômico. direitos e obrigações, enuncia que:
J. M. Othon Sidou, tratando do conceito de “Art. 2º (...)
subsídio na esfera do Direito Financeiro, considera ser $ 2º. A concessão das bolsas de estudo de que
“subvenção paga pelo Estado a certos setores produtivos, a trata esta Lei para professores estaduais e municipais ficará
fim de garantir o preço de produtos agrícolas ou condicionada à adesão dos respectivos entes federados
agroindustriais. aos programas instituídos pelo Ministério da Educação,
Anotam A. Lopes de Sá e A. M. Lopes de mediante celebração de instrumento em que constem os
Sá, sobre subsídios no âmbito de uma dimensão contábil, correspondentes direitos e obrigações.”
que os mesmos são “títulos de conta que registra valores No art. 3º, da mesma normatização, a
recebidos com reforço ou ajuda financeira e, ainda, ajuda associação do conceito de bolsa com, por exemplo, as
por cessão de recurso financeiros.” Lembram, ainda os noções de vinculação jurídica e obrigacional, como também
autores que “ os subsídios podem ser feitos em dinheiro, de direitos e obrigações, através de termo de compromisso.
bens ou favores fiscais.” No mesmo modo, a estipulação de que as bolsas serão
Paulo Sandroni, referindo-se ao conceito de concedidas pelo FNDE, diretamente ao beneficiário, por
subsídio, enuncia que: meio de depósito em contracorrente específica para esse
“Tecnicamente, pode ser definido de várias formas: fim e mediante celebração de termo de compromisso em
1)benefícios a pessoas ou a empresa, pagos pelo governo, que constem os correspondentes direitos e obrigações.
sem contrapartida em produtos ou serviços; 2)despesas No art. 6º, da citada Lei, que define os
correspondentes à transferência de recursos de uma esfera elementos que constarão da regulamentação a ser efetuada
do governo em favor de outra; 3) despesas do governo pelo Poder Executivo, reafirma notadamente as ideias de
visando à cobertura de prejuízos das empresas (públicas ou vinculação jurídica e obrigacional, de direitos e obrigações,
privadas) ou ainda para financiamento de investimentos; 4) de avaliação, de controle, de fiscalização e de prestação de
benefícios e consumidores na forma de preços inferiores contas, como segue:
que, na ausência de tal mecanismo, seriam fixados pelo “Art. 6º. O Poder Executivo regulamentará:
mercado; 5) benefícios a produtores e vendedoras I – os direitos e obrigações dos beneficiários das
mediante preços mais elevados, como acontece com a bolsas;
tarifa aduaneira protecionista; 6) concessão de benefícios II – as normas para renovação e cancelamento dos
pela via do orçamento público ou outros canais.” benefícios;
III – a periodicidade mensal para o recebimento
3.5. Das Bolsas das bolsas;
3.5.1. Dos Bolsistas e das Bolsas IV – o quantitativo, os valores e a duração das
Maria Helena Diniz que bolsista é aquele que bolsas, de acordo com o curso ou projeto em cada
recebe bolsa de estudo para efetuar curso, por ter se programa;
sobressaído ou por estar necessitado, ao passo que bolsa V – avaliação das instituições educacionais
de estudo é ajuda monetária pública ou privada reservada a responsáveis pelos cursos;
estudantes ou funcionários para que possam efetuar curso. VI – a avaliação dos bolsistas; e
73
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

VII – a avaliação dos cursos e tutoriais.” partícipes, por laços de cooperação, de colaboração, de
No art. 5º, da mesma Lei, os princípios, coordenação, de parceria, de auxílios e/ou de ajuda, e onde
dentre outros, da publicidade e da transferência, da estão ausentes, no mínimo, o lucro, o preço e/ou
impessoalidade, da concorrência e da objetividade, se faz remuneração.
presente quando se preceitua que “serão de acesso público Tal ajuste se distingue também pela fixação
permanente os critérios de seleção e de execução do de compromissos e obrigações, no sentido de que, parte ou
programa, bem como a relação dos beneficiários e dos a totalidade dos mesmos, coloque à disposição recursos
respectivos valores das bolsas previstas. e/ou verbas, próprios ou de terceiros, geralmente públicos,
provenientes principalmente dos concedentes, e/ou, quando
3.5.3. Dos Estágios e das Bolsas Estágio couber, dos convenentes através de contrapartidas, para
Plácido e Silva, verificando o conceito de realizar sobretudo o objeto e o ajustado.
Estágio, diz que “derivado do francês stage (período de No acordo, os mesmos recursos e/ou verbas
experiência ou de aprendizagem), determina o tempo de e/ou contrapartidas, serão utilizados, gerenciados e/ou
serviço, ou de tirocínio de uma profissão, que se exige de administrados, de forma adequada, boa, correta, econômica
uma pessoa para que possa desempenhar efetivamente o e regular, por parcela ou totalidade dos partícipes, no geral
cargo ou a profissão. o convenente e/ou o executor institucional, para realizar
Anota Maria Helena Diniz, tratando da determinado objeto e o ajustado, mediante prestação de
noção de estágio que, na linguagem jurídica em geral, contas dos compromissos assumidos, notadamente dos
indica a fase por que passa o estudante universitário para partícipes que ficaram encarregados de utilizar os mesmos
adquirir prática necessária ao exercício de sua profissão, ao recursos, verbas e/ou contrapartidas, dentro do regulado,
passo que, na órbita do Direito do Trabalho, significa tempo quando couber, por pessoas ou entidades partícipes, no
de prática em que o empregado aprende o seu ofício, geral os concedentes, como também atendendo aos
preparando-se para o exercício de determinado serviço. princípios, normas estritas e valores constitucionais e
O estágio de estudantes de infraconstitucionais.
estabelecimento de ensino superior, de ensino médio, de As atividades de fiscalização e de controle
educação especial, no nosso País, é estipulado pela Lei são elementos fundamentais nos convênios, congêneres
Federal n. 6.497, de 07 de dezembro de 1977, e e/ou ajustes e procedimentos de natureza convenial.
regulamentado pelo Decreto Federal n. 87.497, de 18 de Destaca-se, especialmente, a fiscalização e o controle
agosto de 1982. exercidos pelos partícipes, executores e intervenientes,
Os mencionados estágios visam com destaque para os partícipes que alocaram os recursos,
proporcionar, segundo o $ 3º do art. 1º, da mesma Lei, a verbas e/ou contrapartidas colocados à disposição para a
complementação do ensino e da aprendizagem e ser execução do objeto e atender o pactuado.
planejados, executados, acompanhados e avaliados em Os recursos trazidos ao ajuste convenial,
conformidade com os currículos, programas e calendários mas também os direitos, deveres, obrigações, pretensões,
escolas. responsabilidades assumidas em face do ajustado, de
A legislação mencionada, no art. 3º, regramentos de toda espécie e do ordenamento, exigem a
caput, prevê que a realização dos estágios curriculares possibilidade de fiscalização e controle dos organismos
estará sujeita a celebração de termo de compromisso, entre internos de controladoria, auditoria ou de serviços de
o estudante e a parte concedente, com interveniência contabilidade dos partícipes, dos Tribunais de Contas e
obrigatória da instituição de ensino, enquanto que o mesmo judicial, como também a sempre crescente observância e
ajuste não será necessário para os estágios desenvolvidos vigilância cidadã da comunidade.
sob a forma de ação comunitária. Os repasses de recursos públicos, a título,
A Lei Federal n. 6.494, de 1977, no art. 4º, dentre outros, de fomento social, de auxílios, de ajudas, de
estipula que o estagiário poderá receber bolsa, sob a forma contribuições correntes, de subvenções sociais e de bolsas,
de contraprestação que venha a ser acordada, ressalvado o são, em princípio, viabilizados através de convênios da
que dispuser a legislação previdenciária, devendo o Administração Pública, congêneres e/ou por ajustes e
estudante estar segurado contra acidentes pessoais. procedimentos de natureza convenial. A condição para
Definindo o mesmo artigo que o estágio não cria vínculo tanto é que, nas relações entre os partícipes, fique
empregatício de qualquer natureza. caracterizada uma vinculação que tenha como elementos
O Decreto n. 87.497, de 1982, no seu art. que as particularizem, além das definidas aqui, a
7º, estipula que a instituição de ensino poderá recorrer aos cooperação e associação e, ainda, a ausência de lucro,
serviços de agentes de integração, mediante condições preço e/ou remuneração – isto é, entendidos tais conceitos
acordadas. em seu sentido técnico.
O art. 10 do mesmo Decreto prevê que A mencionada alternativa convenial
não poderá ocorrer a cobrança de qualquer taxa adicional predomina notadamente pelo fato de que no fomento social,
referente às providências administrativas para obtenção e nos auxílios, nas ajudas, nas contribuições correntes, nas
realização do estágio curricular. subvenções sociais e nas bolsas de pesquisa e estudo,
Sergio Pinto Martins, quando trata do inexistem nas relações entre os partícipes, situações que
estagiário, lembra que o estagiário não é empregado, desde gerem a remuneração, o preço e/ou remuneração, o preço
que cumpridas as determinações da Lei n. 6.497/77. e/ou lucro, embora possam estar presentes nos mesmos as
Ainda, o mesmo autor ressalta que o noções, dentre outras, de benefício e vantagem e, inclusive,
estagiário poderá receber uma bolsa, conforme o art. 4º da de acréscimo patrimonial e rendimento.
Lei n. 6.497/77, que, portanto não é obrigatória, sendo a Os repasses de verbas, os auxílios e as
retribuição/bolsa a que for combinada, podendo ser tanto o ajudas, que tenham natureza remuneratória, deslocam a
pagamento de um valor em dinheiro ou outra forma de utilização dos convênios, congêneres e/ou ajustes e
contraprestação, como pagamento da escola. procedimentos de natureza convenial. Tem caráter
remuneratório, por exemplo, alguns dos denominados
Os Convênios da Administração Pública, auxílios e ajudas como também alguns tipos de bolsas.
seus congêneres e/ou os ajustes e procedimentos de Somente para lembrar, as denominadas bolsas de estágio,
natureza convenial se notabilizam nas relações entre os como regra tem cunho remuneratório.
74
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

De outro lado, os repasses de verbas A administração só anula o ato ilegal - e - revoga


públicas à título de fomento econômico, subvenções ou altera o ato legal mas ineficiente, inoportuno ou
econômicas e subsídios econômicos, tem grande inconveniente.
possibilidade de não se demonstrarem congruentes com os
convênios da Administração Pública, congêneres e/ou Meios de controle administrativo
ajustes e/ou procedimentos de natureza convenial. Assim, De um modo geral se repartem em fiscalização
em razão dos mesmos repasses de verbas, nas relações hierárquica e recursos administrativos, embora a lei possa
entre os partícipes e beneficiários dos mesmos, fomento especificar outras modalidades.
econômico, subvenções econômicas e subsídios
econômicas, se existe, em princípio, a cooperação, FISCALIZAÇÃO HIERÁRQUICA
colaboração, coordenação, parceria, auxílio e/ou ajuda, É exercida pelos órgãos superiores sobre os
ocorre, então, em muitas situações a remuneração, o preço, inferiores da mesma administração, visando ordenar,
o juro e/ou lucro. coordenar, orientar e corrigir suas atividades e agentes.
O ensinamento de Diogo de Figueiredo São características da fiscalização hierárquica a
Moreira Neto demonstra a ampla dimensão das ações de permanência e a automaticidade, visto que se exercita
fomento, deixam evidente que, embora a relevante permanentemente, sem descontinuidade e
vinculação dos repasses de verbas, das ações de fomento, independentemente de ordem ou de solicitação especial, é
dos auxílios, das ajudas e das subvenções com os um poder-dever da chefia, e como tal, se não exercido,
convênios da Administração Pública, seus congêneres e/ou incorre em inexação funcional.
com os ajustes e procedimentos de natureza convenial, as Supervisão ministerial - é um meio atenuado de
mesmas associações estão longe de serem automáticas. controle administrativo, geralmente aplicável nas entidades
Tal ocorre na medida em que muitas situações e atividades da administração indireta vinculada a um Ministério.
enumeradas pelo mesmo jurista, muitos auxílios, ajudas,
subvenções mencionadas pelo autor, praticamente RECURSOS ADMINISTRATIVOS
pressupõem, nas relações entre os partícipes, a Em acepção ampla, são todos os meios hábeis, a
remuneração, o preço, o juro e/ou lucro, ocorrendo o propiciar o reexame de decisão interna, pela própria
afastamento dos pactos conveniais. administração.
Num grande número dos denominados A administração aprecia e decide as pretensões
auxílios, ajudas, subvenções, subsídios e/ou situações de dos administrados e de seus servidores, aplicando o direito
fomento somente o exame concreto das concretas que entenda cabível, segundo a interpretação de seus
situações poderá esclarecer sobre a pertinência ou não da órgãos técnicos e jurídicos. Pratica, assim, uma atividade
utilização dos ajustes de natureza convenial. de caráter para-judicial. Essas decisões geralmente se
É necessária uma conscientização, dos escalonam em instâncias , subindo da inferior para
aplicadores do direito para que definam entre outros superior através do respectivo recurso administrativo.
aspectos, critérios objetivos de habilitação e seleção das Inconcebível é a decisão administrativa única e
entidades beneficiárias e de alocação de recursos e prazo irrecorrível, porque isto contraria a índole democrática de
do benefício, prevendo-se, ainda, cláusula de reversão no todo julgamento que possa ferir direitos individuais, e
caso do desvio de finalidade. Tais exigências, embora afronta o princípio constitucional da ampla defesa que
positivas, ainda se encontram muito aquém do que se pressupõe mais de um grau de jurisdição.
deveria prever para viabilizar o cumprimento dos princípios, Os recursos em geral, são interpostos
normas estritas e valores presentes no ordenamento voluntariamente pelo particular interessado - recurso
jurídico brasileiro, para todos que utilizem, gerenciem e/ou provocado - e os hierárquicos os são também, pela
administrem recursos públicos. autoridade que proferiu a decisão inferior - recurso de
Pelos ensinamentos de Silvio Luis Ferreira ofício - desde que a lei ou o regulamento, assim o
da Rocha, que as verbas repassadas, as ações de fomento, determine expressamente.
os auxílios, as ajudas, as contribuições, as subvenções e os Os recursos provocados ou voluntárias devem
subsídios legítimos e justificados são aqueles que ser fundamentados com a exposição dos fatos e indicação
promovem ou estimulam a atividades que tendem a da ilegalidade impugnada.
favorecer o bem estar geral, e, ainda, que os mencionados Em qualquer modalidade de recurso a autoridade
repasses, fomento, auxílios, contribuições, subvenções e ou tribunal administrativo, tem ampla liberdade de revisão
subsídios se submetem aos princípios, dentre outros, da do ato recorrido, podendo modificá-lo ou invalidá-lo por
legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, motivo de legalidade, conveniência, oportunidade ou
eficiência, igualdade e finalidade. mesmo por razões de ordem técnica que comprometam a
eficiência do serviço público ou a utilidade do negócio em
exame, sendo admissível até a “reformatio in pejus” em
CONTROLE ADMINISTRATIVO discordância com o pedido do recorrente.

É todo aquele que o Executivo e os órgãos de O que a administração não pode entretanto é
administração dos demais Poderes exercem sobre suas conhecer de recurso voluntário extemporâneo, porque se o
próprias atividades, visando mantê-las dentro da lei, fizer está infringindo a coisa julgada administrativa.
segundo necessidades do serviço e as exigências técnicas
e econômicas de sua realização, pelo que é um controle O julgamento do recurso administrativo torna
de legalidade e de mérito. vinculante para a administração o seu pronunciamento
O controle administrativo deriva do poder-dever de decisório, e atribui definitividade ao ato apreciado em última
autotutela que a administração tem sobre seus próprios instância; daí por diante é imodificável pela própria
atos e agentes. Esse é normalmente exercido pelos órgãos administração, e só o Judiciário, poderá reapreciá-lo e dizer
superiores sobre os inferiores. de sua legitimidade.
Através do controle administrativo, a administração
pode anular, revogar ou alterar seus próprios atos, e punir Assim, entre nós, embora inexista a coisa julgada
seus agentes com penalidades estatutárias. administrativa no sentido processual de sentença oponível
75
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

“erga omnes” , existe, todavia, o ato administrativo formulado extemporaneamente. Pode haver o
inimpugnável e imodificável pela administração, por reconhecimento extemporâneo da reclamação, quando é
exauridos os recursos próprios e as oportunidades manifesto o direito do reclamado. A reclamação
internas. administrativa suspende a prescrição - enquanto pendente
Os efeitos do recurso administrativos são, de decisão, desde que apresentada no prazo próprio e sua
normalmente o devolutivo, e por exceção o suspensivo. apuração e o objeto seja a apuração de dívida da Fazenda
Quando o legislador ou o administrador quer dar efeito Pública para com o particular.
suspensivo ao recurso deve declarar na norma ou no
despacho de recebimento.  PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO: É a
solicitação da parte dirigida, desde `a mesma autoridade
No silêncio da lei ou do regulamento o efeito que expediu o ato, para que o invalide ou o modifique nos
presumível é o devolutivo, mas nada impede que diante, da termos da pretensão do requerente. Deferido ou indeferido,
omissão, em face do caso concreto a autoridade receba no todo ou em parte, não admite novo pedido, nem
expressamente o recurso com efeito suspensível para evitar possibilita nova modificação pela autoridade que já
possíveis lesões de direito. reapreciou o ato. Se outro prazo não tiver fixado em lei,
 Recurso administrativo sem efeito extingue-se o prazo de pedir a reconsideração em um ano.
suspensivo: não tolhe a influência da prescrição, nem
impede o uso da vias judiciárias na pendência da decisão RECURSOS HIERÁRQUICOS
interna da Administração. São todos aqueles que as partes dirigem à
 Recurso administrativo com efeito instância superior da própria administração, propiciando o
suspensivo: - produz duas consequências fundamentais - reexame do ato inferior sob todos os seus aspectos.
o impedimento da fluência do prazo prescricional, e a Podem ter efeito devolutivo e suspensivo ou
impossibilidade jurídica de utilização das vias judiciárias simplesmente devolutivo, que é regra, o efeito excepcional
para ataque ao ato pendente da decisão administrativa. A há de ser concedido expressamente em lei ou regulamento,
primeira, decorre que durante a tramitação do recurso ou no despacho de recebimento do recurso.
interno o ato requerido é inexequível, não rendendo ensejo Quanto a tramitação e formalidades para o
a qualquer ação judicial e não havendo ação não há julgamento dos recursos hierárquicos são as estabelecidas
prescrição. pelas normas que o instituírem, uma vez que não há regras
uniformes para o exercício da jurisdição administrativas,
A segunda o ato suspenso, pendente de recurso razão, pela qual cada ramo da administração, pode ter
administrativo, é inoperante e instável e portanto, regulamentação peculiar aos seus recursos.
insuscetível de correção judicial, pela impossibilidade de A legislação fiscal exige caução, depósito ou
fixação do objeto da demanda. Se o ato pendente de fiança, para o conhecimento do recurso hierárquico
decisão administrativa é inoperante, não pode causar lesão interposto de decisões sobre matéria tributária.
a ninguém, e se não é lesivo, não legitima o apelo ao
judiciário. Os recursos hierárquicos, classificam-se em
A operatividade do ato administrativo, com a próprios e impróprios.
consequente possibilidade de ferir direitos individuais é que  PRÓPRIOS: é o que a parte dirige a
justifica a utilização das vias judiciárias, como meios autoridade ou instância superior do mesmo órgão
preventivos ou corretivos da ilegalidade da Administração. administrativo, pleiteando revisão do ato recorrido. Pode ser
interposto ainda que não nenhuma norma o institua
A intervenção de terceiros nos recursos expressamente - o nosso ordenamento jurídico-
administrativos, se nos afigura cabível, desde que a constitucional não admite decisões únicas e irrecorríveis.
decisão interna da Administração, possa atingir direitos do Recurso hierárquico próprio compatibiliza-se com o
interveniente. Desde que o terceiro demonstre princípio do controle hierárquico. Neste recurso a
liminarmente, um interesse direto e efetivo na solução do Administração tem ampla liberdade decisória podendo
recurso em que pretende intervir. reformar o ato recorrido além do pedido ou mesmo agravar
Como meio hábil para propiciar o reexame da a situação do recorrente “reformatio in pejus” .
atividade da administração, temos: a representação,  IMPRÓPRIOS: é o que a parte dirige a
reclamação, e o pedido de reconsideração. autoridade ou órgão estranho à repartição que expediu o
ato recorrido mas com competência julgadora expressa.
 REPRESENTAÇÃO: é a denúncia formal Esse recurso só é admissível quando estabelecido por
e assinada, de irregularidades internas ou de abusos de normas legais que indique a s condições de sua utilização,
poder na pratica de atos da administração, feita por quem a autoridade ou órgão incumbido de julgamento e os casos
quer que seja, à autoridade competente para conhecer e em que tem cabimento. O que não se admite é o recurso
coibir a ilegalidade apontada. O direito de representar é de um poder a outro, porque isso confundiria às funções e
constitucional, incondicionado, imprescritível e comprometeria a independência dos poderes que a
independente do pagamento de taxas. Constituição quer preservar. A atual constituição, não exige
 Pode ser exercido, por qualquer pessoa, a que se esgote todos os recursos contra a administração,
qualquer tempo e em quaisquer circunstâncias, mas não para o ingresso em juízo.
obriga a autoridade a qualquer procedimento interno.
 RECLAMAÇÃO: É a oposição expressa a Coisa julgada administrativa: é a penas a
atos da Administração, que afetem direitos ou interesses preclusão de efeitos internos - não tem o alcance da coisa
legítimos do administrados - lesão pessoal ou patrimonial julgada judicial, pois, o ato jurisdicional da administração é
por atos e fatos administrativos. Extingue-se em um ano. A apenas um simples ato administrativo decisório., sem a
contar da data do ato ou fato lesivo que rende ensejo à força conclusiva do ato jurisdicional do Poder Judiciário.
reclamação. O que ocorre nas decisões administrativas finais é
 A reclamação administrativa é fatal e apenas a preclusão administrativa, ou a irretratabilidade
peremptório para o Administrado, o que autoriza a do ato perante a própria administração. A imodificabilidade
Administração a não tomar conhecimento do pedido se na via administrativa é garantidora da estabilidade das
76
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

relações entre as partes - não é efeito da coisa julgada basear-se, portanto, numa norma legal específica para
administrativa mas consequência da preclusão das vias de apresentar-se com legalidade objetiva, sob pena de
impugnação interna dos atos decisórios da própria invalidade.
administração - nem por isso deixa de ser atacado por via  Oficialidade: atribui sempre a
judicial. movimentação do processo administrativo à Administração,
ainda, que, instaurado por provocação do particular, uma
Prescrição administrativa: prescrição como vez instaurado passa a pertencer ao Poder público, a quem
instituto jurídico, pressupõe a existência de uma ação compete o seu impulsionamento até decisão final. Se a
judicial, impropriamente se fala em prescrição administração retarda, o dele se afasta, ou ainda, se
administrativa, para o escoamento dos prazos para desinteressa, infringe o princípio da oficialidade, e seus
interposição de recurso no âmbito da administração. agentes podem ser responsabilizados pela omissão, Desse
Prescrição administrativa opera a preclusão da princípio, decorre, também, que a instância não perime,
atuação do poder público sobre matéria sujeita à sua nem o processo se extingue pelo decurso de tempo, senão
apreciação - difere da prescrição civil, nem estende seus quando a lei expressamente o estabelece.
efeitos às ações judiciais - é restrita à atividade interna da  Informalismo: dispensa ritos
administração , e se efetiva no prazo que a norma legal sacramentais e formas rígidas para o processo
estabelecer. Este instituto encontra justificativa, na administrativo, principalmente para os atos a cargo dos
estabilização da relações administrativas. particulares. Bastam as formalidades estritamente
Transcorrido o prazo prescricional, fica a necessárias à obtenção da certeza jurídica e à segurança
Administração, o administrado ou servidor impedido de procedimental. Todavia, quando a lei impõe uma forma,
praticar o ato prescrito, sendo inoperante o extemporâneo. uma formalidade, está deverá ser atendida, sob pena de
Há portanto duas espécies de prescrição nulidade do procedimento, mormente se da inobservância
administrativa; uma que causa o perecimento do direito do resulta prejuízo para as partes.
administrado ou do servidor que poderia pleiteá-lo  Verdade material: ou liberdade de prova,
administrativamente; outra, que extinguem o poder de punir autoriza a administração valer-se de qualquer prova que a
da administração. Aquela pode ser suspensa, autoridade processante ou julgadora tenha conhecimento,
interrompida e até revelada pela administração, esta, desde que a faça trasladar para o processo. É a busca da
constituindo uma garantia do servidor ou do administrado verdade material, contra a verdade formal. Este princípio é
que não será mais punido, pela ocorrência da prescrição, é o que autoriza a “reformatio in pejus” nos recursos
fatal e irrefreável na sua fluência e nos seus efeitos administrativos, quando a reapreciação da prova, ou na
extintivos da punição. nova prova conduz o julgador de segunda instância a uma
verdade material desfavorável ao próprio recorrente.
PROCESSO ADMINISTRATIVO  Garantia de defesa : Está assegurado
entre nós, constitucionalmente, juntamente com a
Para registro de seus atos , conduta de seus obrigatoriedade do contraditório e do devido processo legal.
agentes e solução de controvérsias dos administrados, Devemos entender, por esse princípio, não só a
utiliza-se de diversificados procedimentos, que recebem observância do rito adequado, como a cientificação do
a denominação comum de processo administrativo. processo ao interessado, a oportunidade para contestar a
Processo e procedimento: é o conjunto de atos acusação, produzir prova de seu direito, acompanhar os
coordenados para obtenção de decisão sobre uma atos da instrução e utilizar-se dos recursos cabíveis. O
controvérsia no âmbito judicial ou administrativo - processo administrativo sem oportunidade de defesa ou
procedimento é o modo de realização do processo, ou seja, com defesa cerceada é nulo.
o rito processual. O processo pode realizar-se por
diferentes procedimentos. Não há processo sem FASES DO PROCESSO ADMINISTRATIVO
procedimento, mas há procedimentos administrativos que As fases do processo administrativo, são cinco, e
não constituem processo - licitações e concursos. se desenvolvem na seguinte ordem: instauração,
O que caracteriza o processo é o ordenamento de instrução, defesa, relatório e julgamento.
atos parta solução de uma controvérsia, o que tipifica o  Instauração: é a apresentação escrita
procedimento de um processo é o modo específico de dos fatos e indicação do direito que ensejam o processo.
ordenamento desses atos. Quando origina-se da administração deve consubstanciar-
Processo administrativo propriamente dito são se em portaria, auto de infração, representação ou
aqueles que encerram um litígio entre a administração e o despacho inicial da autoridade competente; quando origina-
administrado ou servidor - do impropriamente se do administrado ou servidor deve formalizar-se por
administrativos, ou seja, dos simples expedientes que requerimento ou petição. Essencial é que a peça inicial
tramitam pelos órgãos administrativos, sem qualquer especifique, delimitando o objeto da controvérsia.
controvérsia entre os interessados.  Instrução: fase de elucidação dos fatos,
Processo administrativo é gênero, que se reparte com a produção de provas da acusação no processo
em várias espécies dentre as quais, as mais frequentes se punitivo, ou de complementação das iniciais no processo
apresentam no processo disciplinar e no processo tributário de controle ou de outorga, provas essas, que vão desde o
ou fiscal. depoimento das partes, as inquirições de testemunhas, as
inspeções pessoais, as perícias técnicas, e a juntada de
documentos pertinentes. Nos processo punitivos as
PRINCÍPIOS DO PROCESSO ADMINISTRATIVO providências competem as à autoridade processante, e nos
Está sujeito a cinco princípios de observância demais, compete aos interessados.
constante, a saber: o da legalidade objetiva, o da  Defesa: garantia constitucional de todo
oficialidade, o do informalismo, o da verdade material e o acusado, em processo judicial ou administrativo,
da garantia de defesa. compreende a ciência da acusação, a vista dos autos na
 Legalidade objetiva: exige que o repartição, a oportunidade para oferecimento de
processo administrativo seja instaurado com base e para a contestação e provas, a inquirição e reperguntas de
preservação da lei. Todo processo administrativo há que testemunhas e a observância do devido processo legal.
77
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

 Relatório: é a síntese do apurado no guardar a proporcionalidade com a infração apurada., não


processo, feita por quem o presidiu individualmente, ou pela é dada a administração aplicar penalidades não
comissão processante, com apreciação das provas, dos estabelecidas em lei. Neste processo incluem-se todos os
fatos apurados, do direito debatido, e proposta conclusiva procedimentos que visem a imposição de alguma sanção
para decisão de autoridade julgadora competente. ao administrado, ao servidor ou a quem eventualmente
 Julgamento: é a decisão proferida pela esteja vinculado à administração.
autoridade ou órgão competente sobre o objeto do
processo. O essencial é que a decisão seja motivada com PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR
base na acusação, na defesa e na prova, não sendo lícito É o meio de apuração e punição de faltas graves
à autoridade julgadora argumentar com fatos estranhos ao dos servidores públicos e demais pessoas sujeitas ao
processo ou silenciar sobre as razões do acusado, pois isto regime funcional de determinados estabelecimentos da
equivale ao cerceamento de defesa e conduzirá a nulidade administração.
do julgamento, que não é discricionário, mas vinculado ao É um processo punitivo, mas peculiar e com
devido processo legal. Reconhece-se, entretanto, à frequência na pratica administrativa.
autoridade julgadora a liberdade na produção de provas e O processo disciplinar é sempre necessário para
na escolha da graduação das sanções aplicáveis quando a imposição da pena de demissão.
norma legal consigna as penalidade sem indicar o ilícito a O processo disciplinar deve ser instaurada por
que se destinam, ou lhe faculta ou não instaurar o processo portaria da autoridade competente, na qual se descrevam
punitivo. os atos ou fatos a apurar. Na instrução do processo a
comissão processante tem plena liberdade na colheita das
MODALIDADES DO PROCESSO provas. Há nesse processo a possibilidade de
ADMINISTRATIVO apresentação de contraprovas e presença nos atos
 Processo de Expediente: é a instrutórios , consubstanciando-se a ampla defesa. E sem
denominação, imprópria que se dá a toda autuação que a qual é nulo o julgamento condenatório.
tramita pelas repartições públicas por provocação do No julgamento a autoridade competente deverá
interessado ou por determinação interna da Administração, sempre fundamentar a sua decisão , com motivação
para receber a solução conveniente. Não tem procedimento própria ou adoção dos fundamentos do relatório, não se
próprio. Não geram, nem alteram, nem suprimem, direitos admite é o julgamento sem fundamentação, ainda que
dos administrados, da administração ou de seus servidores, sucinta; além disso, a aplicação de penalidade sem
apenas encerram papéis, registram situações preexistentes. motivação, subtrairia a possibilidade do controle da
A tramitação é informal, e irrelevante para solução final. legalidade da punição pelo Judiciário, frustrando, assim, o
 Processo de outorga: Todo aquele em preceito constitucional de proteção aos direitos individuais.
que se pleiteia algum direito ou situação individual perante Permitido é ao poder judiciário examinar o
a Administração. Normalmente tem rito especial, mas não processo administrativo disciplinar para verificar se a
contraditório, salvo quando há oposição de terceiros ou sanção imposta é legítima se apuração da infração atendeu
impugnação da própria administração. As decisões finais ao devido procedimento legal. O que se nega ao Judiciário
proferidas nesses processos tornam-se vinculantes e é o poder de substituir ou modificar a penalidade disciplinar
irretratáveis para a administração, porque geram direitos a pretexto de fazer justiça, pois, ou a punição é legal e deve
subjetivos para o beneficiário, salvo os atos precários que ser confirmada, ou é ilegal e há que ser anulada,
por sua natureza admitam modificação ou supressão inadmissível é a substituição da discricionariedade legítima
sumária, a qualquer tempo. Nos demais casos a decisão do administrador, por arbítrio ilegítimo do juiz.
definitiva só é modificada se eivada de nulidade.
 Processo de controle: ou de MEIOS SUMÁRIOS
determinação ou de declaração - é todo aquele em que a Além do processo administrativo, pode a
administração realiza verificações e declara situações de administração utilizar-se de meios sumários para
direito ou conduta do administrado ou de servidor, com elucidação preliminar de determinados fatos ou aplicação
caráter vinculante para as partes, normalmente tem rito de penalidades disciplinares ou comprovadas na sua
próprio, e quando se deparam com irregularidades, exigem flagrância, são os seguintes:
oportunidade de defesa aos interessados - não se  Sindicância: meio sumário de elucidação
confundem com o processo punitivo, enquanto neste se de irregularidades no serviço para subsequente
apura a falta e se aplica a penalidade cabível, naquele instauração do processo e punição do infrator. Dispensa
verifica-se a situação ou conduta do agente e se proclama defesa do sindicado e publicidade no seu procedimento por
o resultado para efeitos futuros. A decisão final, do se tratar de simples expediente de verificação de
processo de controle, é vinculante para a administração. irregularidade. É o verdadeiros inquérito administrativo
 Processo punitivo: é todo aquele que precedo o processo administrativo disciplinar.
promovido pela administração para a imposição de  Verdade Sabida: é o conhecimento
penalidade por infração de lei, regulamento ou contrato. pessoal pela própria autoridade competente para punir o
Deve ser necessariamente contraditório com oportunidade infrator. Aplica-se a pena, consignando no ato punitivo as
defesa e estrita observância do devido processo legal, sob circunstâncias em que foi cometida e presenciada a falta.
pena de nulidade da sanção imposta. Sua instauração, Só é admissível para as penalidades cuja imposição não
baseia-se em auto de infração, representação, ou peça exija processo administrativo disciplinar. Considera-se,
equivalente. O processo punitivo pode ser realizado por um também, verdade sabida a infração pública e notória,
representante ou uma comissão administrativa, deve estampada na imprensa ou divulgada por outros meios de
desenvolver-se com regularidade formal em todas as suas comunicação de massa. O essencial para verdade sabida
fases , para legitimar a sanção final imposta. Adota-se, é que a falta seja conhecida diretamente pela autoridade
nesse procedimento, subsidiariamente os preceitos do competente para puni-la ou a sua notoriedade irretorquível.
processo penal comum. Embora, a graduação das sanções  Termo de declarações: é a forma
administrativas - demissão, multa, embargo de obra, sumária de comprovação de faltas menores dos servidores,
destruição de coisa, interdição de atividade e outras - sejam através das tomada de seu depoimento sobre irregularidade
discricionárias - não são arbitrárias, devendo por isso, que lhe é atribuídas, e, se confessada, servirá de base
78
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

para punição cabível. Esse meio sumário evita demoradas


sindicâncias e processos sobre pequenos deslizes Cabe ao Executivo, a realização das atividades
funcionais que devem ficar devidamente comprovados - se administrativas, mas em algumas delas depende da
o inquirido negar a falta, haverá necessidade de processo cooperação do Legislativo.
administrativo disciplinar para comprová-la e legitimar a
punição. A Constituição indica os atos sujeitos ao controle
PROCESSO ADMINISTRATIVO TRIBUTÁRIO OU legislativo e delimita o campo das investigações
FISCAL parlamentares, vinculando, assim, no conteúdo e forma, a
É todo aquele que se destina à determinação, atuação fiscalizadora desse Poder.
exigência ou dispensa do crédito fiscal, bem como, a
fixação do alcance das normas de tributação em casos O nosso sistema presidencialista não concede ao
concretos, bem como pelos órgãos competentes Legislativo faculdades ilimitadas de controle sobre os
tributantes, ou a imposição de penalidade ao contribuinte. demais Poderes, mas permite a apuração de
Estão compreendidos, nesta definição genérica, as irregularidades de qualquer natureza através de Comissão
modalidades de controle (processo de lançamento e Parlamentar de Inquérito.
consulta), de outorga (processos de isenção) e de punição O povo delega poderes, não só de legislação, mas
(processos por infração fiscal), sem falar nos processo sobretudo de fiscalização, a seus mandatário na Câmaras.
impróprios de simples autuação e expediente. O controle do Executivo pelo Legislativo se desenvolve
Processos de determinação e exigência de com três finalidades, ajudar a legislação supervisionar a
créditos tributários: pode assumir tanto a forma de administração e informar a opinião pública sobre o
controle - quando o lançamento é normal - quanto o de cumprimento da lei.
punição - quando o lançamento vem acompanhado de A atual Constituição atribui competência exclusiva
multa ou de qualquer outra penalidade - em ambos os ao Congresso Nacional para determinas aprovações e
casos, o procedimento deve enquadrar-se e desenvolver-se conjunta com o Presidente da República para outras.
pelas fases próprias. A instauração do processo será Há ainda funções de controle legislativo privativas
sempre por ato formal da autoridade competente, é do Senado Federal .
essencial a quantificação do crédito - lançamento - ou a
descrição do fato ou ato a punir, na hipótese de infração. - Fiscalização financeira e orçamentária: é
notificação de lançamento ou auto de infração. O processo conferida em termos amplos pela nossa Constituição, ao
deve ser instruído com os elementos que serviram de base Congresso Nacional, é decorrência natural da
à quantificação do crédito tributário, ou á comprovação da administração como atividade exercida em relação a
infração de que é acusado o contribuinte, sendo interesses alheios. Toda administração pública, fica sujeita
complementada com a prova indicada na defesa e pela que a fiscalização hierárquica, mas certamente por sua
vier a ser conhecida pelo fisco, posteriormente. A defesa repercussão imediata no erário, a administração financeira
do contribuinte será feita através da impugnação da e orçamentária, submete-se aos rigores de
exigência fiscal, e marca o início da fase litigiosa do acompanhamento, tendo a Constituição determinado o
procedimento, essa impugnação será apresentada por controle interno pelo Executivo e o controle externo pelo
escrito, no prazo de 30 dias a contar da intimação, ao órgão Legislativo - Congresso Nacional auxiliado pelo Tribunal
preparador, com todos os documentos que se fundar a de Contas da União.
defesa. Conforme a exigência do princípio da oficialidade, o
processo impulsiona-se de ofício, ou, a requerimento do O controle interno objetiva a criação de condições
sujeito passivo. indispensáveis a eficácia do controle externo e visa
Processo de consulta: é aquele em que o assegurar a regularidade da realização da receita e
interessado indaga do fisco sobre sua situação legal, diante despesa, possibilitando o acompanhamento da execução
de fato determinado, de duvidoso enquadramento tributário. do orçamento, dos programas de trabalho e a avaliação dos
Este processo tem rito próprio e produz consequências respectivos resultados. É, na sua plenitude, um controle de
jurídicas específicas. É modalidade do processo legalidade, conveniência, oportunidade e eficiência.
administrativo de controle, visto que objetiva definir a
situação tributária do contribuinte, em face da legislação Atribuições dos Tribunais de Contas: é
aplicável, vinculando sempre as partes à decisão final nele atribuída o controle externo da administração financeira e
proferida. orçamentária. Toda atuação dos Tribunais de Contas deve
ser a posteriori, não tendo apoio constitucional qualquer
CONTROLE LEGISLATIVO OU PARLAMENTAR controle prévio sobre atos ou contratos da administração
É o exercido pelos órgãos legislativos - Congresso direta ou indireta. Expressam-se, essa atuação em funções
nacional, assembleia Legislativa e Câmara de Vereadores - técnicas opinativas, verificadoras e jurisdicionais
ou, comissões parlamentares, sobre determinados atos do administrativas. No que se refere aos Municípios, suas
executivo, na dupla linha da legalidade e da conveniência contas são julgadas pelas próprias Câmaras de Vereadores
pública, pelo que se caracteriza como um controle com auxílio dos Tribunais Estaduais, Municipais ou
eminentemente político, indiferente aos direitos individuais Conselhos dos Tribunais de Contas do Município, onde
do administrados, mas objetivando os superiores interesses houver.
do Estado e da comunidade. Criou-se, assim, para as contas municipais , um
Essa sustação, referida do artigo supra, no âmbito sistema misto em que o parecer prévio do Tribunal de
federal, pode ser feita de ofício, pelo Congresso Nacional, Contas ou equivalente é vinculante para Câmara de
ou mediante representação do interessado, no âmbito Vereadores. Esse parecer vale como decisão enquanto a
Câmara não o substituir por seu julgamento qualificado
Estadual ou Municipal, dependerá da Constituição pelo quorum constitucional.
Estadual ou Lei Orgânica, respectivamente.
Na separação de funções, no nosso regime CONTROLE JUDICIÁRIO
constitucional, os Poderes do Estado não se confundem É o exercido privativamente pelos órgãos do Poder
nem se subordinam, mas se harmonizam. Judiciário, sobre os atos administrativos do Executivo, do
79
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Legislativo e do próprio Judiciário quando realiza a do Poder Judiciário, e tais são os chamados Atos políticos,
atividade administrativa. atos legislativos e os interna corporis.
É um controle a posteriori, unicamente de  ATOS POLÍTICOS: São os que
legalidade, por restrito à verificação da conformidade do praticados por agentes do governo, no uso de competência
ato com a norma legal que o rege; essa norma legal pode constitucional, se fundam na ampla liberdade de apreciação
ser pública ou privada. da conveniência ou oportunidade de sua realização, sem se
Atos sujeitos ao controle: judicial são os aterem a critérios jurídicos preestabelecidos. São atos
administrativos em geral, a limitação é apenas quanto ao governamentais por excelência, são atos de condução dos
objeto de controle, que há de ser unicamente a negócios públicos, e não simplesmente de execução de
legalidade, sendo-lhe vedado pronunciar-se sobre a serviços públicos. Daí, decorre o seu maior
conveniência, oportunidade ou eficiência do ato em exame, discricionarismo, e as maiores restrições para o controle
ou seja o mérito administrativo. judicial, mas, nem por isso afastam a apreciação da Justiça,
A legalidade do ato administrativo é a condição quando arguidos de lesivos a direito individual ou ao
primeira para sua validade e eficácia. patrimônio público. Como ninguém pode contrariar a
Constituição, e essa mesma Constituição veda se exclua da
Todo ato administrativo, de qualquer autoridade ou apreciação do Poder Judiciário qualquer lesão ou ameaça a
Poder, para ser legítimo e operante, há que ser praticado direito, individual ou coletivo, segue-se que nenhum ato do
em conformidade com a norma legal pertinente - princípio Poder Público deixará de ser examinado pela Justiça
da legalidade - com a moral da instituição - princípio da quando arguido de inconstitucional ou de lesivo de direito
moralidade - com a destinação pública própria - princípio subjetivo de alguém. O que se nega ao Poder Judiciário é,
da finalidade - e com a divulgação oficial necessária - depois de ter verificado a natureza e os fundamentos
princípio da publicidade - . Contrariando ou faltando um políticos do ato, adentrar o seu conteúdo e valorar os seus
desses princípios básicos, a Administração Pública vicia o motivos. A só invocação da natureza política do ato não é o
ato de ilegitimidade expondo-o à anulação por ela suficiente para retirá-lo da apreciação do judiciário.
mesma, ou pelo Poder Judiciário se requerido pelo
interessado.  ATOS LEGISLATIVO: ou seja, as leis
propriamente ditas - normas em sentido formal e material
O requerimento pelo interessado, esta previsto em - não ficam sujeitos a anulação judicial pelos meios judiciais
nossa Constituição, na lei do Mandado de Segurança e na comuns - mas sim - pela via especial da representação de
lei de Ação Civil Pública. inconstitucionalidade - tanto para a lei em tese, como para
os demais atos normativos. Enquanto regras abstratas e
Nem mesmo os atos discricionários - refogem gerais não atingem os direitos individuais. Somente pela via
do controle judicial, porque quanto à competência, constitucional de representação de inconstitucionalidade é
finalidade, forma e os próprios limites do que o STF pode declarar a inconstitucionalidade da lei em
discricionarismo constituem matéria de legalidade, tão tese.
sujeita ao confronto da justiça como qualquer elemento de
ato vinculado. Discricionariedade, não se confunde com
arbitrariedade, o ato discricionário, quando emitido nos  AS LEIS E DECRETOS DE EFEITOS
limites legais é lícito e válido; o ato arbitrário é sempre CONCRETOS, entretanto podem ser invalidados em
ilícito e inválido. procedimentos comuns em mandado de segurança ou em
O judiciário não pode ir além do exame da ação popular, porque já trazem em si os resultados
legalidade do ato impugnado, deve se entender por administrativos objetivados.
legalidade ou legitimidade se entende não só
conformação do ato com a lei, como também a moral  OS DECRETOS LEGISLATIVOS E AS
administrativa e com o interesse coletivo. RESOLUÇÕES DAS MESAS, sujeitam-se ao controle
judicial, porque são atos materialmente administrativos,
Ao Poder Judiciário é permitido perquirir todos os sempre vinculados ao regimento para sua emissão, e são
aspectos de legitimidade, para descobrir e pronunciar a capazes de lesar direitos individuais de terceiros, nos seus
nulidade do ato administrativo . Não se permite ao efeitos internos e externos.
judiciário, é o pronunciamento sobre o mérito
administrativo, ou seja, sobre a conveniência,  O PROCESSO LEGISLATIVO,
oportunidade, eficiência ou justiça do ato, porque, se atualmente com contornos constitucionais, tornou-se
assim agisse, estaria emitindo pronunciamento de passível de controle judicial para o resguardo da legalidade
administração, e não de jurisdição judicial. de sua tramitação e legitimação da elaboração da lei, claro
que o judiciário não pode adentrar o mérito das
Não há de se confundir, entretanto, o mérito deliberações da Mesa, nem deve perquirir as opções
administrativo do ato, infenso à revisão judicial, com o políticas que conduziram a aprovação ou rejeição do
exame de seus motivos determinantes, sempre passíveis projeto, mas pode e deve, quando se argui lesão de direito
de verificação em juízo. individual verificar se o processo legislativo foi atendido em
Todo ato administrativo praticado por agentes sua plenitude, inclusive na tramitação regimental.
incompetentes, ou além de sua competência, incorre no Deparando com infringência a Constituição ou ao
vício de excesso de poder, assim como qualquer ato que regimento, compete ao Judiciário anular a deliberação ilegal
desatenda à moralidade e aos fins administrativos se do legislativo, para que outra se produza em forma legal.
invalida pelo desvio de poder.
 PROCESSO DE CASSAÇÃO DE
Atos sujeitos a controle especial: enquanto os MANDATO PELAS CÂMARAS LEGISLATIVAS, estão
atos administrativos em geral, expõe-se à revisão comum vinculados a respectiva lei, quanto ao motivos, a legalidade
da justiça, outros existem que, por sua origem, fundamento e a tramitação procedimental, tornou-se passível de
e natureza ou objeto ficam sujeitos a um controle especial controle de legitimidade pela justiça comum quanto aos

80
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

aspectos de : existência do motivo e a regularidade eleitor - para obter a invalidação de atos ou contratos
formal do processo. administrativos - ou a ele equiparados - ilegais e lesivos ao
o Interna Corporis : da Câmara são patrimônio federal, estadual ou municipal, ou de suas
vedados à revisão judicial comum, mas é preciso que se autarquias, entidades paraestatais e pessoas jurídicas
entenda seu conceito e limites. subvencionadas com dinheiros públicos.
o Interna corporis são só aquelas  É um instrumento de defesa dos
questões ou assuntos que entendem direta e interesses da coletividade, utilizável por qualquer de seus
imediatamente com a economia interna da corporação membros, no gozo de seus direitos cívicos e políticos.
legislativa, com seus privilégios e com a formação  Essa ação não ampara direitos próprios,
ideológica da lei, que por sua natureza, são reservados mas interesses da comunidade. O beneficiário direto e
exclusivamente a apreciação e deliberação do plenário da imediato da ação não é o autor popular, é o povo titular do
Câmara. O que a justiça não pode é substituir a direito subjetivo ao governo honesto.
deliberação da Câmara por um pronunciamento judicial  Tem fins preventivos e repressivos contra
sobre o que é de exclusiva competência discricionária do atividade administrativa lesiva do patrimônio público - assim
Plenário, da Mesa ou da Presidência, mas pode confrontar, entendidos os bens e direitos de valor econômico, artístico
sempre, o ato praticado com as prescrições legais ou ou histórico.
regimentais, que estabeleçam condições, forma ou rito
para seu cometimento. Assim, se numa eleição de Mesa o  AÇÃO CIVIL PÚBLICA: É o instrumento
Plenário violar o Regimento, a Lei, ou a Constituição, o ato processual adequado para reprimir ou impedir danos ao
ficará sujeito à invalidação judicial, para que a Câmara o meio ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor
renove na forma legal, mas o Judiciário nada poderá dizer, artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico,
se, atendidas todas as prescrições constitucionais, legais e protegendo assim os interesses difuso das sociedade. Não
regimentais. se presta a amparar direitos individuais, nem se destina à
reparação de prejuízos causados a particulares pela
MEIOS DE CONTROLE JUDICIÁRIO conduta, comissiva ou omissiva do réu.
Dos atos administrativos de qualquer dos poderes
são as vias processuais de que dispõe o titular do direito  MANDADO DE INJUNÇÃO: é o meio
lesado ou ameaçado de lesão para obter a anulação do ato constitucional posto à disposição de quem se considerar
ilegal em ação contra a Administração Pública, esta regra prejudicado pela falta de norma regulamentadora, que
está excepcionada pela AÇÃO POPULAR, em que o autor torne inviável o exercício dos direitos e liberdades
não defende direito próprio, mas, sim interesse da constitucionais e das prerrogativas inerentes `a
coletividade, lesada em seu patrimônio, e pela nacionalidade, à soberania e à cidadania.
REPRESENTAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE, que
é postulada pela própria administração perante o Judiciário.  HABEAS DATA: É o meio constitucional
Mas há ações especiais, adequadas para coibir posto à disposição de pessoa física ou jurídica para lhe
determinadas ilegalidades ou abusos de autoridade, e até assegurar o conhecimento de registros concernentes ao
mesmo invalidar a lei em tese quando inconstitucional. postulante e constantes de repartições públicas ou
particulares acessíveis ao público ou para retificação de
 MANDADO DE SEGURANÇA: meio seus dados pessoais.
constitucional posto a disposição de toda pessoa física ou
jurídica, órgão com capacidade processual ou  REPRESENTAÇÃO DE
universalidade reconhecida em lei, para proteger direito INCONSTITUCIONALIDADE: De lei ou ato normativo
individual ou coletivo, próprio, líquido e certo, não federal ou estadual, prevista na Constituição,, como
amparado por habeas corpus, lesado ou ameaçado de competência originária do STF. Ataca-se a lei em tese ou
lesão, por ato de qualquer autoridade, seja de que categoria qualquer outro ato normativo antes mesmo de produzir
for e sejam quais forem as funções que exerça. efeitos concretos, e a decisão declaratória da
 É ação civil de rito sumário especial, inconstitucionalidade deve ser obedecida não só na órbita
sujeito a normas procedimentais próprias, supletivamente judiciária como pelas demais autoridades incumbidas da
aplicando-lhe as disposições do CPC. aplicação da lei ou o ato invalidado.
 Destinam-se a coibir atos ilegais de  O plenário do STF , tem concedido
autoridade, que lesem direito subjetivo, líquido e certo do suspensão liminar da lei impugnada, mas a suspensão
impetrante. definitiva cabe ao Senado Federal
 É suscetível de mandado de segurança  O judiciário não anula nem revoga normas
toda ação ou omissão do Poder Público ou de seus legislativas - só anula atos administrativos ilegais -
delegados, no desempenho de suas funções ou a pretexto reconhecendo e declarando, apenas, a sua ineficácia,
de exercê-las. quando contrárias a Constituição.
 Direito líquido e certo é o que se  Quanto às leis e atos normativos
apresenta manifesto na sua existência, delimitado na sua estaduais e municipais que ofendam à Constituição
extensão e apto a ser exercitado no momento de Estadual, caberá ao Tribunal de Justiça decidir sobre essa
impetração. inconstitucionalidade.
 Prazo para sua impetração é de 120 dias  Com essa ação direta de
do conhecimento oficial do ato a ser impugnado. inconstitucionalidade, chamada assim, por alguns, a
 Admite, o mandado de segurança, representação de inconstitucionalidade, as leis em tese, os
suspensão liminar do ato, quando concedida tem efeito atos normativos violadores da Constituição sujeitam-se ao
mandamental e imediato, não podendo ser impedida por controle judicial preventivo, antes mesmo que gerem ou
nenhum recurso comum, salvo pelo Presidente do Tribunal propiciem qualquer atividade concreta e específica de
competente para apreciação da decisão inferior. administração. MEDIDA CAUTELAR: o pedido de medida
cautelar, feita pelo arguente, será julgado, originariamente,
 AÇÃO POPULAR: É a via judiciária pelo arguente da inconstitucionalidade, sendo julgado
constitucional posta a disposição de qualquer cidadão - originariamente pelo STF. Essa medida cautelar exige os
81
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

mesmos pressupostos das cautelares comuns - periculum faça-se necessário citar Hely Lopes Meirelles, que em sua
in mora e fumus bonis iuris - . obra clássica definiu quatro espécies, os agentes políticos,
os agentes administrativos, os agentes honoríficos e os
agentes delegados. Em uma posição mais moderna
SERVIDORES PÚBLICOS: CARGO, EMPREGO podemos citar Maria Sylvia Zanela di Pietro e Celso Antônio
E FUNÇÃO PÚBLICOS Bandeira de Mello que classificam as espécies da seguinte
forma: os agentes políticos, servidores públicos, e
O Brasil, país continental, hoje uma das mais particulares em colaboração com o poder público. Deste
importantes economias mundiais, buscando assento conceito de agentes seguiremos com a análise destas
permanente com no Conselho de Segurança da categorias.
Organização das nações Unidas, que será a chancela de
sua relevância no cenário mundial, reunido na forma de 1.1 Agentes políticos
federação. Aqueles que integram os mais elevados escalões
Disciplina sua organização observando no pacto na organização Administrativa Pública, possuindo acento na
federativo postulado que derivam em sua autonomia, com Constituição Federal, possuem independência funcional e
auto-organização como dispõem a Constituição Federal em regime jurídico próprio (é o agente que esta topo da
seu art.18, atuando através de seus agentes, seus órgãos, pirâmide da organização da administração publica ), no
entidades, fazendo com que a máquina da administração sentido mais próprio são os representantes do povo, o que
publica se impulsione para que seja possível atender as conduz à investidura por eleição.
necessidades da coletividade, através de seus serviços O agente político tem regime jurídico próprio, não
públicos. se submete ao regime geral do art.102 da constituição,
Esse ensaio visa analisar o gênero agente públicos aplica apenas em caráter subsidiário. E o agente político
e suas espécies, abordando da clássica doutrina a mais atua com independência funcional no que pertine aos
moderna, como poderemos mais adiante verificar no exercícios de suas atribuições, e não esta hierarquizada.
presente estudo, onde os agentes públicos constituem um A doutrina diverge na questão de quem pode ser
instrumento muito importante para que a vontade do Estado agentes políticos e assim há duas correntes:
venha se materializar, em prol do bem comum, observando 1ª) Nesta primeira corrente podemos citar o
sempre a supremacia do interesse público. professor Celso Antônio de Mello entende que agente
Será analisando de forma mais detalhada pontos político é apenas aquele que pode estabelecer normas
importantes a respeito da espécie servidores público, como diretrizes, normas de condutas de comportamento estatal e
ocorre o provimento no sistema do Regime Jurídico Único, de seus administrados que pode definir metas e padrões
pontuando seus direitos e deveres. Bem como a administrativos. São apenas os chefes dos executivos e
responsabilidade do servidor pelo seus atos que venham membros do legislativo (é o detentor de demanda do
causar algum dano quando estiver no exercício de uma eletivo), logo são agentes públicos titulares dos cargos
atribuição na esfera publica, e ainda como se dá a estruturais a organização política do País, sendo agentes
responsabilização do Estado em face deste agente. políticos apenas o presidente da república, os
governadores, prefeitos e respectivos vices, os auxiliares
1. Agentes públicos imediatos dos chefes do executivo.
Para a execução dos serviços da administração 2)Já na segunda corrente podemos citar professor
pública é mais dos que necessário os recursos humanos, Hely Lopes Meirelles, agente político além dos agentes que
constituem a massa de pessoas naturais que sob variados foram citados na primeira posição, são também agentes
vínculos, seja estatutário ou celetista, de forma definitiva ou políticos, os juízes, promotores, defensores, ministros, e
transitória e algumas vezes sem qualquer liame, prestam conselheiros dos tribunais de contas. Estendem para estes
serviços à Administração Pública ou realizam atividades de agentes porque estão previstos na constituição federal de
sua responsabilidade. onde recebem suas atribuições ainda que de forma geral
Os agentes exercem funções do órgão, (genérica), também atuam com independência funcional e
distribuídas entre cargos aos seus titulares, mas de formar possuem regime jurídico próprio.
excepcional poderá existir funções sem cargo. Desta forma A investidura do agente político em regra é obtida
o agente público se caracteriza por estar investido em uma através de eleição, mediante o sufrágio universal na forma
função pública e pela natureza pública dessa função, sendo da constituição federal, arts. 2º e 14, salvo para ministros e
assim, para caracterizar o agente público, são necessários secretários que são de livre escolha do chefe do executivo
a investidura (de ordem objetiva) em função pública e e providos em cargos públicos, mediante nomeação.
natureza pública da função (de ordem subjetiva). Pelo
exposto, concluímos que todos os que de alguma forma 1.2 Servidores públicos em sentido amplo (ou
exerce função pública e independentemente da existência agentes administrativos)
de vínculo e uma vez existindo são irrelevantes a forma de Espécie de agentes públicos onde se encontra o
investidura e a natureza do vínculo que liga este agente à maior número de pessoas naturais exercendo a funções
Administração Pública. públicas, cargos públicos e empregos públicos nas
É necessário destacar que, o cargo ou função administrações direta e indireta. São agentes
pública pertence ao estado e não ao agente, desta forma administrativos que exercem uma atividade pública com
poderá o Estado, ampliar, suprimir ou alterar os cargos e vínculo e remuneração paga pelo erário público. Podem ser
funções, não gerando direito adquirido ao agente titular, o classificados como estatutários, celetistas ou temporários.
mesmo não acontece se o agente desaparecer, o cargo ou
função continuará existindo e disponível a administração 1.2.1 Servidores Estatutários
pública (exemplo o falecimento do agente). O servidor público é uma espécie dentro do gênero
A expressão agentes públicos é utilizada em servidores estatais, são os que possuem com a
sentido amplo e genérico, por tanto funcional, a partir dela administração relação de trabalho de natureza profissional
podemos identificar suas espécies, e para entendermos e não eventual.
melhor as categorias (ou espécies) de agentes públicos, Os servidores estatutários são contratados para
cargo público no regime estatutário, regulamentado pelo
82
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

estatuto do servidor público lei de âmbito federal n° honorifico. Exemplo: peritos, tradutores, conciliadores,
8.112/90 e no estado do Rio de Janeiro regulamentado pelo jurados do tribunal do júri e mesários.
decreto nº 2.479/79.
Para ser nomeado o servidor precisa antes ser 1.3.3 Agentes necessários ou gestores de
submetido ao procedimento do concurso público de provas negócios públicos
ou de provas e títulos, art. 37 inciso II da CF. É o cargo Uma grande característica desta espécie é o fato
público de provimento efetivo, ou seja, é o cargo que que este agente atua voluntariamente, de forma
possibilita a aquisição de estabilidade no serviço público espontânea, diante de uma situação anômala de caráter
que é diferente do cargo em comissão que é desprovido de emergencial, sempre diante de uma situação excepcional·.
efetividade não gerando estabilidade, porque a nomeação Exemplo: uma situação calamidade, enchente, particulares
para este cargo depende de confiança da autoridade que que ajudam resgatar pessoas de um desmoronamento.
tem competência para esta nomeação. Diferente de agentes putativos (agentes de fato)
que tem aparência de agentes públicos legalmente
1.2.2 Empregado Público (Celetista) investidos da função publica, aplica-se neste caso a teoria
Quando contratados para emprego público no da aparência, mas não existe legal investidura, por duas
regime da CLT, mas aplicam-se os princípios do direito situações, não existe nenhuma investidura ou existe uma
público, por exemplo: investidura subordinada à aprovação ilegalidade na sua investidura. Exemplo: oficial de justiça
prévia em concurso público. Trata-se de regime obrigatório que apresentou diploma falso, ou seja, apresentou um
nas empresas publicas e sociedade de economia mista. documento necessário para sua investidura falso, existindo
uma investidura viciada, o jurisdicionado que se depara
1.2.3 Servidores Temporários com este oficial não tem como saber que o oficial de justiça
Quando contratados tão somente para exercer a apresentou documento falso a administração, aplicando-se
função publica, em virtude da necessidade temporária para este sujeito a teoria da aparência, a medida for
excepcional e de relevante interesse público. Por tanto necessária para a proteção dos seus direitos em razão do
exercem uma função publica remunerada temporária, ato praticado por este agente, têm que ser reconhecido os
apresentando cunho de excepcionalidade, o que autoriza o direitos do administrado. Mas pode acontecer outra
tratamento secundário. situação, o agente não tem investidura na função que ele
exerce, porque ele nem é servidor ou é, mas extrapolar em
1.3 Particulares que atuam em colaboração exercício da sua função agir fora de sua competência ou
com o poder público: nem ter competência nenhuma. Porém em razão da teoria
Pessoa física que sem perderem a qualidade de da aparência, visando à segurança e a boa fé do
particulares e sem existir vínculo de trabalho entre a administrado, os atos praticado por agentes putativos serão
administração publica de forma remunerada ou não, mas considerados válidos.
existindo sim, uma execução de um trabalho em beneficio Agente necessário é um particular e aparece como
do interesse público e do particular, ou seja, não existe tal, não engana, não é um agente putativo, não se mostra
entre o particular e a administração um vínculo jurídico, mas como agente público o gestor de negócios públicos se
existe sim uma prestação de a atividade pelo particular em mostra como uma pessoa estranha à administração, é um
beneficio do interesse público. Importante destacar que os particular que apenas colabora, auxiliando com algum tipo
particulares atuam em nome próprio, limitando-se a de função a administração.
administração a fiscalizar o desempenho dessas atividades.
Existem três tipos de particulares que podem colaborar com 1.4 Agentes credenciados
a administração: particulares por delegação; particulares São os que recebem a incumbência da
que atuam por convocação, nomeação ou designação; e administração para representá-la em determinado ato ou
Agentes necessários ou gestores de negócios públicos. praticar certa atividade especifica, mediante remuneração
do poder público credenciante. Por exemplo, determinada
1.3.1 Particulares por delegação pessoa recebe atribuição de representar o Brasil em evento
Os chamados agentes delegados, agentes que internacional.
atuam mediante delegação, ocorrem nos casos de
concessão e permissão de serviços públicos. Exemplo: 1.5 Militares
tradutores, leiloeiros, os bancários, titulares de cartórios que Abrangem as pessoas físicas que prestam
atualmente a atividade notarial e de registro que é exercida serviços às forças armadas, marinha, exercito e
em regime jurídico de direito privado por delegação pelo aeronáutica, art. 142, caput e § 3º da CF e também as
poder público, artigo 236 Constituição Federal (Lei nº 8.935, policias militares e corpo de bombeiros militares dos
de 18-11-1994, dispõe sobre os serviços notariais e de Estados, Distrito federal e Territórios, art.42 da CF, com
registro), a remuneração que recebem não é paga pelos vínculo estatutário sujeito a regime jurídico próprio, com a
cofres públicos, mas pelos terceiros usuários do serviço, EC nº 18/98 são denominados servidores públicos militares.
nestes casos exercem função publica em nome próprio com
a fiscalização da administração publica. 2. Servidores públicos
Os servidores públicos (em sentido estrito) são
1.3.2 Particulares que atuam por convocação, aqueles agentes que mantém relação com o regime
nomeação ou designação estatutário, ocupantes de cargos públicos efetivos ou sem
Nesta segunda espécie pode ter agentes que comissão, sujeito a regime jurídico de direito público. No
exercendo atividade sem remuneração, por exemplo, conceito de Hely Lopes Meirelles, servidores públicos
jurados do tribunal do júri e mesários que exercem um constituem subespécies dos agentes administrativos, e a
serviço público honroso, atividade honrosa, e por isso esses ela vinculados por relações profissionais, em razão da
particulares são denominados por alguns autores como investidura em cargos e funções, a título de emprego e com
agentes honoríficos, tais serviços constituem o chamado retribuição pecuniária.
múnus público, ou serviços públicos relevantes, esses
agentes o máximo que podem receber é uma ajuda de 2.1 Cargo, Emprego e Função
custo ou pro labore, isso não descaracteriza como agente
83
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Cargo públicos são as mais simples unidade e a organização de seus servidores com a devida autonomia
indivisíveis unidades de competência a serem expressas delegada pela constituição.
por um agente, prevista em número certo, com
denominação própria, retribuídas por pessoas jurídicas de 2.1.1 Vacância
direito público e criadas por lei, salvo os serviços auxiliares É o ato administrativo pelo qual o servidor é
do legislativo, ou seja, cargo público é a unidade de destituído do cargo, emprego ou função. São as hipóteses
atribuições é a menor célula que existe dentro da do art. 33 da lei n. 8112/90, demissão, aposentadoria,
administração publica para o exercício das atribuições pelo promoção e falecimento, e também prever a ascensão, a
agente investido do cargo. Com a possibilidade de contratar transferência, a readaptação e posse em outro cargo
servidores sob o regime da legislação trabalhista, a inacumulável.
expressão emprego público passou a ser utilizada, também A exoneração é a extinção do vínculo estatutário a
para designar uma unidade de atribuições, distinguindo-se pedido do servidor ou quando cabível, em virtude de
pelo tipo de vínculo contratual, sob regência da CLT, avaliação discricionária da autoridade competente. Pode
enquanto o ocupante de cargo público tem vínculo ocorrer no caso de cargo em comissão como a cargo de
estatutário, está contido na lei que instituiu o regime jurídico provimento efetivo, por tanto, não é penalidade. A
único. exoneração pode ser a pedido ou de oficio no caso de
No que tange ao conceito de função podemos cargo em comissão, cujo provimento e exoneração são
verificar que corresponde ao conjunto de atribuições as praticados no exercício de competência discricionária. A
quais não corresponde nem a cargo nem a emprego, ou exoneração do ocupante de cargo de provimento efetivo
seja, trata-se de um conceito residual. De acordo com a ocorrerá quando o sujeito não entrar em exercício, depois
constituição, quando se trata de função, tem-se que ter em de tomar posse ou não forem satisfeitas as condições do
vista dois tipos de situações: estágio probatório (art. 34 e 35 da lei n. 8.112/90).
Função exercida por servidores contratados Já a demissão constitui penalidade decorrente da
temporariamente, com base no art. 37, IX da CF, quando a pratica de ilícito administrativo, tem por objetivo desligar o
administração precisa atender situação de relevante e servidor dos quadros do funcionalismo.
excepcional interesse público, pode a administração A vacância do cargo em virtude da modificação do
contratar sem concurso público, aquele que for contratado vínculo, o agente legalmente investido poderá ser
sem concurso não vai ser investido nem a cargo nem promovido da classe inicial da carreira para uma classe
emprego público, porque para isso há a necessidade do superior, a promoção gera vacância (cargo anterior vago),
concurso público, sendo assim será contratado para provimento derivado, existe mudança de cargo sem
exercer uma função publica sem que a ela se corresponda rompimento do vínculo jurídico, gera uma modificação
cargo ou emprego essa é uma das hipóteses da chamada relação funcional do agente. Também pode ser chamada de
função sem cargo, mencionado no art. 37 IX da CF. promoção de progressão vertical que é diferente da
Outra espécie de função sem cargo que a progressão horizontal, que não há a mudança de cargo.
constituição prever é a função de confiança, art. 37 inciso v: Assim, o cargo único compartimentado em símbolos, e o
critério de confiança do agente que vai nomear. Não há o agente progridem dentro do mesmo cargo até ficar apto
cargo. Só quem pode exercer função de confiança é o para progredir verticalmente, ou seja, é o progresso que o
servidor que ocupe cargo de provimento efetivo para agente faz dentro do cargo, até que tenha a possibilidade
exercer atribuições de direção, chefia e assessoramento, de ser promovido. Na hipótese de readaptação, verifica-se
porem ser for exercida chefia, direção e assessoramento o provimento em cargo mais adequado em virtude de
por quem ocupe cargo em comissão a constituição dispõe limitação na capacidade física ou mental do servidor.
um percentual mínimo de servidores de carreira exercendo
esses tipos de cargo, além deste mínimo qualquer pessoa 2.1.2 Acessibilidade aos cargos e empregos:
pode ser nomeada. concurso público
O que não pode deixar de ser esclarecido é que A constituição estabelece o princípio da ampla
os cargos distribuem-se em classes e carreiras, e acessibilidade aos cargos, funções e empregos públicos
excepcionalmente criam-se cargos isolados que são de aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos
classe única. em lei ( art. 37, I), mediante concurso público de provas ou
Cargo de carreira é o que se escalona em provas e títulos, com ressalva a nomeação para cargos de
classes, que é o agrupamento de cargos de mesmo provimento em comissão nos quais são livres a nomeação
vencimento e atribuições, ou seja, as classes podem e a exoneração como disposto no art. 37, II.
ser organizadas de forma escalonada (superposta), quer Com relação aos estrangeiros, sempre houve o
dizer que entre as classes existe um momento, período entendimento que era possível a contratação na hipótese
diferente de vencimento, formando-se a chamada carreira, do art.37, IX da CF, para atender a necessidade temporária
que se organiza dentro um de agrupamento de classes de excepcional interesse público, no entanto a lei 8.745/93,
superpostas, o conjunto de carreiras e de cargos isolados que dispõem sobre a contratação de servidor temporário foi
constitui o quadro ( gratificada de um mesmo serviço, órgão alterada pela lei 9.849/99, incluindo, entre outros casos
ou poder) permanente, o quadro também pode ser admitindo a contratação com base no referido dispositivo, o
provisório, mas sempre com a observação que não é de professor estrangeiro e pesquisador visitante estrangeiro
admitido promoção ou acesso de um para o outro. (art. 2º, V).
O número total dos cargos de cada quadro é o Com a EC 19/1998, que alterou o dispositivo 37
que denomina lotação, a modificação da lotação de um inciso I acrescentando a possibilidade de estrangeiros, na
quadro, pela passagem de cargo nele incluso para outro forma da lei, ocupar cargos, empregos e funções públicas
quadro, chama-se de redistribuição conforme a lei 8.112/90. na administração. Logo, o acesso dos estrangeiros deve
(art.37) ocorrer na forma da lei, por que se trata de norma
Aqui cabe ressalvar ao quanto à competência constitucional de eficácia limitada à edição de lei, que
organizacional, como disposto no artigo 18 caput da estabelecerá a necessária forma.
constituição federal cabe a cada ente federado (a União, os
Estados Membros e o Distrito Federal), regular por lei sobre 2.2 Regime jurídico único

84
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

A constituição de 1988 reformulou o tratamento do ) e quantitativos da proposta, não transformando o


servidor público, instituindo o regime jurídico único e planos projeto original.
de carreira para administração direta, autárquica e
fundações publicas, disposto no art. 39, (restabelecido pelo 2.4 Provimento
STF pela ADI n. 2.135/ DF, em 02 de agosto de 2007, É o ato pelo qual o se efetua o preenchimento do
decidindo em sessão plenária, suspender a vigência do art. cargo público, com a designação de seu titular. Poder ser
39, caput, da Constituição Federal, em sua redação dada originário ou autônomo ou derivado:
pela Emenda Constitucional n. 19/98. Em decorrência Provimento originário é o vínculo inaugural entre
dessa decisão, volta a aplicar-se a redação original do art. administração e o servidor, considerando determinado
39, que exige regime jurídico único e planos de carreira cargo, pode ocorrer para quem era servidor público e quem
para os servidores da Administração Pública Direta, não era servidor e passou a ser. Exemplo, um técnico
autarquias e fundações públicas, assim garantindo judiciário que passa no concurso para magistratura, nova
tratamento isonômico entre os servidores públicos, nomeação que estará constituindo novo vínculo, esse será
submetendo- os aos mesmos direitos e obrigações perante provimento originário, porque é inaugural, o que se
a entidade a que servem. O regime jurídico único requer o considera é o cargo.
funcionalismo na administração em cada esfera O concurso público não pode ser só de provas
governamental, seja estruturado com base num plano de títulos, vedado pela constituição federal, tem que
carreiras fundadas num sistema de cargos classificados de necessariamente de provas e pode ter provas de títulos
acordo com suas atribuições, na mesma classe também, ou seja, pode ter só provas, pode haver prova
escalonadas em função da de maior complexidade dos mais provas de títulos. A administração pode estabelecer
cargos que a integrem. Possibilitando justa política critérios diferenciados objetivos, que deverão esta de
remuneratória, considerando que o servidor não se limitará acordo com a lei e considerando com a função do cargo.
apenas ao aumento de suas remunerações mas também Exemplo exame psicotécnico de acordo com a previsão
terá outras atribuições de mais responsabilidade. legal com critérios objetivos identificados no edital.
E o provimento derivado é o que se faz por
2.3 Criação, transformação e extinção de transferência, promoção, remoção, acesso, reintegração,
cargos, funções ou empregos públicos readmissão, enquadramento, aproveitamento ou reversão,
A criação de cargo significa sua institucionalização é sempre uma alteração na situação de serviço do provido.
com denominação própria, previstas em número certo, E Celso Antônio Bandeira de Mello dá a seguinte
função específica e correspondente retribuição por pessoas classificação, provimento derivado pode ser vertical,
jurídicas de Direito público e criada por lei (pelos Poderes horizontal ou por reingresso.
Executivo, legislativo no âmbito de suas respectivas Provimento derivado vertical o que significa que
competência da Câmara dos Deputados e de vereadores através da promoção ( por merecimento ou antiguidade) , o
dispõe o arts. 51 inciso V e 52 inciso XIII e como dispõe o servidor alcança cargo mais elevado, dentro da própria
art.96 inciso I alínea b todos os arts da CF/88) ressalvando carreira. No provimento derivado horizontal é quando o
os casos de serviços auxiliares do legislativo criando-se por servidor é readaptado para um cargo mais compatível com
resolução, da Câmara ou do Senado, ( observando a sua limitação seja de capacidade física ou mental, logo o
natureza do cargo de provimento efetivo, através de servidor não é rebaixado, mas também não ascende em
concurso público ou em comissão por livre escolha). sua posição funcional. O Provimento derivado por
Já na transformação temos uma alteração de reingresso restabelece a situação do servidor anterior, a
molde a atingir a natureza do cargo, neste caso ocorrendo à qual estava desligada.
extinção ou criação de um ou de alguns cargos, e se dá de É necessário que seja esclarecido as
forma automática e simultânea quando um cargo é modalidades de provimento por reingresso, onde podemos
transformado em outro. Esclarecendo que tanto a criação encontrar por exemplo a situação de o agente que
como já fora mencionado, mas também a transformação de conseguir anular demissão tem o direito de volta para seu
cargos exige lei. cargo anterior, denominando-se reintegração e o servidor
Com a extinção o cargo desaparece deixa de que estava ocupando o cargo desse servidor reintegrado
existir (arts. 48 inciso X, 51, inciso IV e 52 inciso XIII, tratam tem que voltar para seu cargo anterior, denominando-se
da extinção do cargo no âmbito do Executivo e dos serviços recondução, e se o cargo não existir ou for declarado
auxiliares do legislativo, já o art. 96 inciso II, aliena b, desnecessário, ele pode ser apresentado a outro cargo com
corresponde à extinção nos serviços auxiliares do atribuições e remuneração compatíveis ou deposto em
judiciário), Cada um dos Poderes, se concretizando por lei disponibilidade o servidor reconduzido ( art. 41§ 2º da
quando for extinção de cargos do Executivo ou como CF), e quando o servidor disponível for chamado a voltar
dispõe o art. 84 inciso XXV da CF/ 88 mediante ato ao serviço, haverá o aproveitamento ( art.41 § 3º da CF).
administrativo do Presidente da República vinculando- se E assim, não podemos deixar de destacar a
mediante decreto. A extinção de cargos em suas autarquias ultima modalidade de provimento derivado por reintegração,
e fundações públicas e extinção de cargo dos serviços trata-se do