Você está na página 1de 79

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE

RISCOS AMBIENTAIS

AVIAÇÃO AGRICOLA GAIVOTA LTDA


ANALISE GLOBAL DO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS
VIGÊNCIA
JANEIRO/2016 A JANEIRO/2017
2

IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

Razão Social da Empresa:

Nome Fantasia:

CNPJ:

Grau de Risco:

CNAE:

Descrição das Atividades da Empresa:

Endereço:

Cidade:

Estado:
3

DIMENSIONAMENTO DO SESMT

EXIGIDO (NR-4) EXISTENTE


Engenheiro de Segurança do
Trabalho
Não se Aplica

Médico do Trabalho Não se Aplica


Técnico de Segurança do
Trabalho
Não se Aplica

Enfermeiro do Trabalho Não se Aplica


Auxiliar de Enfermagem do
Trabalho
Não se Aplica

DIMENSIONAMENTO DA CIPA

EMPREGADO EMPREGADOR
NÚMERO DE
TRABALHADORES
EXIGIDO (NR-5) EXISTENTE EXIGIDO (NR-5) EXISTENTE

OBS: Quando o Estabelecimento não se enquadrar no quadro 1 da NR 05 Comissão


Interna de Prevenção de Acidentes, a Empresa designará um Trabalhador Responsável r
pelo cumprimento dos objetivos desta NR, podendo ser adotados mecanismos de
participação dos empregados, através de negociação coletiva, conforme item 5.6.4 da
referida Norma Regulamentadora de Segurança e Medicina do Trabalho
4

RESPONSABILIDADE TÉCNICA

A presente Análise Global do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais PPRA, foi elaborada em
Dezembro/2015, com período de Vigência de Janeiro/2016 a Janeiro/2017, devendo ser
Reavaliada em Dezembro/2015 , tem a Responsabilidade Técnica do Sr. Antônio Carlos A. Higino,
Técnico Higienista Ocupacional e a Sra. Ana Cristina De Sarro, Engenheira de Segurança do
Trabalho CAU

A Habilitação Técnica dos Profissionais de Segurança do Trabalho para executar tal tarefa está
explícita na Constituição Federal, no Título II - Dos Direitos e Garantias Fundamentais, Capítulo I -
Dos Direitos e Deveres Individuais, Artigo 5 º item XIII; no Artigo 195 da Consolidação das Leis do
Trabalho – CLT; na Lei 6.514 de 22 de dezembro de 1977; na Lei nº 7.410, de 27 de novembro de
1985; na Portaria nº 3.214 de 08 de junho de 1978 do Ministério do Trabalho e Emprego, através
das Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho NR 04 Serviços
Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho e NR 09 Programa de
Prevenção de Riscos Ambientais.
5

INTRODUÇÃO

Esta Análise Global do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA, foi elaborada em
Dezembro/2015, atendendo às exigências da Lei nº 6.514 de 22/12/1977, às Normas Regulamentadoras de
Segurança e Medicina do Trabalho aprovadas pela Portaria nº 3.214 de 8 de junho de 1978,
especificamente à NR - 09 PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, do Ministério do
Trabalho e Emprego.

OBJETIVO

O objetivo deste programa é identificar os riscos ambientais existentes no ambiente de trabalho, levar os
conhecimentos de prevenção de acidentes e doenças ocupacionais a todos os Trabalhadores da Empresa
Aviação Agrícola Gaivota Ltda, através da Fases de Antecipação, Reconhecimento, Avaliação, Controle e
Monitoramento dos Riscos Ambientais contribuindo para a redução dos mesmos.

O PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais é parte integrante de um conjunto mais amplo
de iniciativas no sentido de preservar a saúde e a integridade física dos Trabalhadores, devendo estar
articulado com o disposto nas demais Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho,
em especial com o Programa de Controle Médico de Saúde ocupacional – PCMSO, previsto na NR – 07

INFORMAÇÕES

As informações contidas neste documento, foram obtidas segundo dados fornecidos pelo Sr. João

DEFINIÇÃO

Consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos existentes nos ambientes de
trabalho que, em função de sua natureza, concentração ou intensidade e tempo de exposição, são capazes
de causar danos à saúde do trabalhador.

Agentes Físicos: Diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como
ruídos, umidade, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações ionizantes, bem como
radiações não ionizantes.

Agentes Químicos: São as substâncias, compostos ou produtos químicos que possam penetrar no
organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, ou que,
pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser absorvido pelo organismo através da
pele ou por ingestão.

Agentes Biológicos: São as bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, entre outros.

Com a finalidade de proporcionar um ambiente de trabalho mais seguro e confortável, também foram
identificados os principais riscos de acidente existentes nos diversos postos de trabalho da empresa.
6

METODOLOGIA É TECNICA APLICADA

Este documento foi elaborado utilizando-se ferramenta padrão desenvolvida pelo Ministério do Trabalho e
Emprego, Fundação Jorge Duprat de Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho – Fundacentro e
pelas Convenções Internacionais de Segurança e Medicina do Trabalho da Organização Internacional do
Trabalho OIT.
Em cada Setor de Trabalho foi feita a caracterização de todos os trabalhadores determinando, os cargos,
funções e a descrição das atividades realizadas formando-se os Grupos Homogêneo de Exposição GHE.
Na sequência, caracterizou-se o ambiente de trabalho e a identificação dos perigos e avaliação dos riscos
ambientais.
De posse dessas informações, foi elaborado um plano de ação, voltado para a real necessidade da
empresa, o que proporcionará a redução dos seus principais riscos.
O reconhecimento dos riscos foi feito com base em entrevistas com trabalhadores (pelo menos um
ocupante de cada cargo) e seus respectivos supervisores. Também foi consultada bibliografia a respeito dos
riscos ocupacionais específicos existentes no tipo de atividade desenvolvida pela empresa.
As avaliações da exposição aos riscos ocupacionais, foram feitas tomando-se por base a combinação de
duas variáveis: probabilidade de ocorrência do dano e gravidade do dano.

A categoria ou importância de um risco é determinada pela expressão:

Risco = Probabilidade de ocorrência do dano X Gravidade do dano

Com base nessa expressão, é possível estimar o risco a partir da combinação da gradação da probabilidade
de que o dano venha a se efetivar (ao longo da vida profissional dos expostos) e da gradação da gravidade
desse dano, utilizando-se a matriz de risco que define categorias de risco, as quais representam sua
grandeza ou importância.
Observação: A combinação da ProbabilidadeXGravidade, utiliza uma matriz elaborada a partir da
combinação das matrizes apresentadas por MULHAUSEN & DAMIANO (1998) e pelo apêndice D da BS
8800 (BSI, 1996).

Probabilidade de Ocorrência do Dano – P

A gradação da probabilidade da ocorrência do dano (efeito crítico) é feita atribuindo-se um índice de


probabilidade (P) variando de 1 a 4, cujo significado está relacionado no quadro abaixo:
1 - Possível, mas altamente improvável;
2 - Improvável;
3 - Pouco provável;
4 - Provável ou quase certo.
7

O índice (P) pode ser definido utilizando-se várias abordagens ou critérios. Para cada caso, em função da
categoria do perigo e das informações disponíveis, deve-se usar abordagem ou critério mais adequado e a
seguinte pergunta guia “Qual a chance (probabilidade) que o trabalhador exposto tem de vir a sofrer um
dano se as condições de trabalho permanecerem iguais ao presente momento?”
Abordagens para atribuir o valor a P:
 P definido com base em dados estatísticos de acidentes ou doenças relacionados ao trabalho obtidos
ou fornecidos pela empresa ou do setor de atividade quando predominam situações similares.
 P definido a partir do perfil de exposição qualitativo, quando não forem possíveis ou disponíveis dados
quantitativos. Quanto maior intensidade, duração e freqüência da exposição maior será a probabilidade
de ocorrência do dano e maior será o valor atribuído a P.
 P definido a partir do perfil de exposição quantitativo baseado na estimativa da média aritmética do
perfil de exposição ou baseado na estimativa do percentil 95% e comparando-se com o valor do limite
de exposição ocupacional.
 P definido em função do fator de proteção considerando a existência e a adequação de medidas de
controle. Quanto mais adequadas e eficazes forem as medidas de controle, menor será o valor
atribuído a P.

Gravidade do Dano – G

A gradação da gravidade do dano também pode ser definida utilizando-se várias abordagens ou critérios.
Para cada caso, e em função do potencial de gravidade do dano, atribui-se um índice de gravidade (G)
variando de 1 a 4, cujo significado está relacionado abaixo:
1 - Lesão ou doença leve, com efeitos reversíveis levemente prejudiciais.
2 - Lesão ou doença séria, com efeitos reversíveis severos e prejudiciais.
3 - Lesão ou doença crítica, com efeitos irreversíveis severos e prejudiciais que podem limitar a
capacidade funcional.
4 - Lesão ou doença incapacitante ou fatal.
O índice (G), também pode ser feito utilizando critérios especiais relacionados com o potencial do perigo em
causar danos, como por exemplo:
 O potencial carcinogênico, mutagênico e teratogênico de agentes químicos e físicos tendo por base a
classificação da ACGIH;
 O potencial de agentes químicos causarem danos locais quando em contato com olhos e pele;
 O valor do TLV (LT proposto pela ACGIH) para contaminantes atmosféricos, pois quanto menor for o
valor do TLV maior será o potencial do agente em causar danos;
 A classificação em grupos de riscos para Agentes Biológicos – Microorganismos patogênicos – definidos
por comitês de Biossegurança

8

Categoria de Risco

A partir da combinação dos valores atribuídos para probabilidade (P) e gravidade (G) do dano, obteremos a
CATEGORIA DO RISCO resultante dessa combinação, podendo ser:
 Risco Irrelevante;
 Risco Baixo;
 Risco Médio;
 Risco Alto;
 Risco Crítico.

TÉCNICAS E METODOLOGIAS APLICADAS PARA AVALIAÇÃO DOS RISCOS


AMBIENTES

Todo o trabalho está baseado na Legislação Brasileira em vigor, abaixo indicada:

- Capítulo V do Título II da Consolidação das Leis do Trabalho, relativo à Segurança e Medicina do


Trabalho, em sua nova redação dada pela Lei no 6.514 de 22 de Dezembro de 1977.
- Portaria no 3.214, de 8 de junho de 1978 do Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, em suas
Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho e respectivas atualizações.

- Normas de Higiene Ocupacional NHO da Fundacentro


- Normas Brasileiras NBRS da Associação Nacional de Normas Técnicas ABNT

.
9

RECONHECIMENTO DOS AGENTES AMBIENTAIS


10

10.1 GRUPOS HOMOGENEO DE EXPOSIÇÃO


Número de
Setores de Trabalho Funções
Trabalhadores
Gerência Agrícola 01 Gerente

Transporte Aereo 04 Piloto


Transporte Rodoviário 03 Tecnico Agricola
Manutenção Mecânica Aerea 02 Mecanico
Higienização 02 Serviços Gerais
Manutenção de Pátio
02 Serviços Gerais
Zeladoria 01 Cozinheira
11

Setor: Gerência Agrícola Cargo: Gerente Função: Gerente No Expostos: 01

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DOS RISCOS AMBIENTAIS


AGENTES AVALIAÇÃO DO RISCO AMBIENTAL
PERIGO
AMBIENTAIS GRAVIDADE DO CATEGORIA DO
(Fator de Risco) PROBABILIDADE
DANO RISCO
Provenientes de Máquinas e
Físico Exposição
Ruído
Equipamentos de Processo de Não se Aplica Risco Baixo
Manutenção de Aeronaves Eventual
Atividades de Trabalho a Céu Aberto Exposição
Físico
Calor
Eventual Não se Aplica
Risco Baixo
Mobiliário de Trabalho Inadequado Exposição
Ergonômico Intermitente Fadiga Muscular

Probabilidade de Acidentes de Cortes,


Trânsito Perfurações,
Batidas Contra,
Projeção de
Objetos, Fraturas,
Exposição Traumatismo,
Acidente Risco Alto
Intermitente Óbito,
Queimaduras,
Explosões
Abastecimento com Inflamáveis Queimaduras,
Explosões,
Incêndios, Óbito

MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS AMBIENTAIS PROPOSTAS

AD MI N I ST R AT I VAS
Sim Não NA

Monitoramento Biológico do Trabalhador. Conforme determina a NR 07 PCMSO.


Monitoramento Ambiental, constante com Relação aos Agentes Ambientais Físicos, Ergonômicos,
Acidentes
Ordens de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho, conforme NR 01.
Programa de Manutenção Elétrica, Hidráulica e Mecânica dos Caminhões
Programa de Manutenção Elétrica e Mecânica das Instalações de Armazenamento de Líquidos
Inflamáveis. Conforme NR 20
Treinamentos de Segurança do Trabalho, conforme Cronograma de Ação do PPRA.
Inventário das Instalações de Armazenamento de Líquidos Inflamáveis. Conforme NR 20
Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Segurança nas Operações com Inflamáveis. Conforme NR
20
Treinamento de Segurança do Trabalho Prevenção e Combate a Incêndios
12

C OL ET I VA S
Sim Não NA

Aterramento Elétrico nas Instalações de Armazenamento de Líquidos Combustíveis Inflamáveis.


Conforme NR 20.
Kit de Emergência para Transporte de Líquidos Inflamáveis
Instalação de Linha de Vida para Trabalhos em Altura
Mobiliário de Trabalho, Cadeiras, Apoio para os Pés

I ND IV ID U A I S

Registro de Protocolo EPI eficaz?


Nº C.A.
EPI - Equipamento de Proteção Individual Certificado Treinamento de Entrega **
Aprovação
Sim Não Sim Não Sim Não
Óculos de Segurança Tipo Ampla Visão Com Filtros Especiais para
Raios Ultravioletas
Respirador Purificador de Ar Tipo Peça Semi Facial Filtrante Com
Válvula de Exalação para Vapores Orgânicos VO Descartável
Tamanho Médio
Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele
Luva de Segurança Tipo Nitrílica Impermeável Tamanho Médio
Capacete de Segurança Tipo Industrial Aba Frontal e Jugular
Óculos de Segurança Tipo Ampla Visão Com Lentes Incolores
Cinto de Segurança Tipo Paraquedista para Trabalho em Altura
Luva de Segurança Tipo Vaqueta de Couro Tamanho Médio
Calçado de Segurança Tipo Botina
13

Setor: Transporte Aéreo Cargo: Piloto Função:Piloto No Expostos: 04

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DOS RISCOS AMBIENTAIS


AVALIAÇÃO DO RISCO AMBIENTAL
AGENTE PERIGO
(Fator de Risco) GRAVIDADE DO CATEGORIA DO
PROBABILIDADE
DANO RISCO
Lesões, Doenças
Auditivas
Físico Proveniente de Motores, Turbina de Exposição
Ruído Aeronaves
Ocupacionais, Risco Alto
Intermitente
com efeitos
irreversíveis
Exposição
Físico Proveniente de Operações com Risco Baixo
Calor Aeronaves a Céu Aberto
Intermitente Não se Aplica

Proveniente de Manuseio de
Físico Comandos e Posição Sentada em Exposição
Vibrações
Não se Aplica Risco Baixo
Aeronave Intermitente
Contato Via Dermal com Líquidos
Inflamáveis Dermatite de
Exposição Contato
Químico Risco Alto
Intermitente
Abastecimento com Líquidos
Inflamáveis. Emanação de Vapores Doenças
Orgânicos Respiratórias
Quedas com
Diferença de
Exposição Nível, Fraturas,
Acidente Acidentes Aéreos Diversos Risco Alto
Intermitente Traumatismo,
Amputações,
Óbito
Descargas
Exposição
Atmosféricas, Alto
Acidente Intempéries da Natureza Intermitente
Turbulência,
Vendavais
Manuseio, Abastecimento, Transporte Queimaduras,
de Líquidos Inflamáveis Exposição
Acidente Danos Materiais, Risco Alto
Princípio de Explosão e Incêndio Intermitente
Óbito

MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS AMBIENTAIS PROPOSTAS

AD MI N I ST R AT I VAS
Sim Não NA

Monitoramento Biológico do Trabalhador. Conforme determina a NR 07 PCMSO.


Monitoramento Ambiental, constante com Relação aos Agentes Ambientais Físicos, Químicos e Acidentes
Ordens de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho, conforme NR 01.
Elaboração e Implementação do Programa de Proteção Respiratória PPR, conforme determina o
Ministério do Trabalho e Emprego.
Avaliação Quantitativa dos Agentes Químicos (Vapores Orgânicos). Conforme NR 15 Atividades e
Operações Insalubres Anexo 11
Treinamentos de Segurança do Trabalho, conforme Cronograma de Ação do PPRA.
Elaboração e Implementação do Programa de Conservação Auditiva PCA, conforme determina o
Ministério do Trabalho e Emprego.
Treinamento de Segurança do Trabalho Operações com Inflamáveis. Conforme NR 20
Programa de Manutenção Sistema de Ar Condicionado Cabine Aeronave
14

MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS AMBIENTAIS PROPOSTAS

AD MI N I ST R AT I VAS
Sim Não NA

Programa de Manutenção Sistema Acústico da Cabine da Aeronave


Programa de Manutenção Elétrica, Hidráulica e Mecânica da Aeronave

C OL ET I VA S
Sim Não NA

Aterramento Elétrico Instalações de Armazenamento de Inflamáveis


Equipamentos de Combate a Incêndios Extintores de Incêndios
Sinalização de Segurança Pista de Decolagem
Equipamento de Comunicação Fone de Ouvido com Sistema Acústico Integrado

I ND IV ID U A I S

Registro de Protocolo EPI eficaz?


Nº C.A.
EPI - Equipamento de Proteção Individual Certificado Treinamento de Entrega **
Aprovação
Sim Não Sim Não Sim Não
Protetor Auricular Tipo Plugue de Inserção Com Nível de Redução
de Ruído de 23 dBA
Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele
Respirador Purificador de Ar Tipo Peça Sem Facial Filtrante para
Vapores Orgânicos VO Descartável Com Válvula de Exalação
Descartável Tamanho Médio
Luva de Segurança Tipo Nitrílica Tamanho Médio
Vestimenta de Segurança Tipo Completa Anti-Chama Piloto de
Aeronave
Capacete de Segurança Tipo Piloto Aeronave
Luva de Segurança Tipo Anti-Vibração e Anti-Chama Tamanho
Médio
Calçado de Segurança Tipo Botina Especial Anti Chama
15

Setor: Transporte Rodoviário Cargo: Técnico Agrícola Função: Técnico Agrícola No Expostos: 04

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DOS RISCOS AMBIENTAIS


AVALIAÇÃO DO RISCO AMBIENTAL
AGENTE PERIGO
(Fator de Risco) GRAVIDADE DO CATEGORIA DO
PROBABILIDADE
DANO RISCO

Físico Proveniente de Equipamentos, Exposição Lesões


Ruído Máquinas, Veículos, Aeronaves Intermitente Reversíveis
Risco Médio
Exposição Queimaduras,
Físico
Calor
Proveniente de Trabalho a Céu Aberto Intermitente Lesões nos Olhos

Postura Física Sentado


Físico Veículo Automotor Exposição
Vibrações
Não se Aplica Risco Médio
Intermitente
Manuseio de Líquidos Inflamáveis
contato Via Dermal Dermatite de
Exposição Contato
Químico Risco Alto
Intermitente
Vapores Orgânicos
Doenças
Respiratórias
Traumatismo,
Exposição Fraturas,
Acidente Acidente de Trânsito
Intermitente Amputações,
Lacerações, Óbito
Probabilidade de Risco Alto
Incêndio e
Abastecimento, Transporte, Exposição
Explosão
Acidente Armazenagem e Manuseio de Intermitente
Líquidos Inflamáveis Queimaduras,
Óbito

Trabalho em Altura, acima de 200 Quedas,


Metros de Altura Traumatismo,
Abastecimento de Veículos Fraturas,
Exposição
Acidente Amputações, Risco Alto
Intermitente
Cortes,
Perfurações e
Óbito

MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS AMBIENTAIS PROPOSTAS

AD MI N I ST R AT I VAS
Sim Não NA

Monitoramento Biológico do Trabalhador. Conforme determina a NR 07 PCMSO.


Monitoramento Ambiental, constante com Relação aos Agentes Ambientais Físicos, Químicos e Acidentes
Ordens de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho, conforme NR 01.
Treinamentos de Segurança do Trabalho, conforme Cronograma de Ação do PPRA.
Elaboração e Implementação do Programa de Conservação Auditiva PCA. Conforme determina o
Ministério do Trabalho e Emprego.
Elaboração e Implementação do Programa de Proteção Respiratória PPR.
Treinamento de Segurança Operações de Trabalho em Altura. Conforme NR 35
Treinamento de Segurança Operações com Inflamáveis NR 20
Avaliação Quantitativa de Agentes Químicos. Conforme NR 15 Anexo 11 Vapores Orgânicos
16

C OL ET I VA S
Sim Não NA

Política de Manutenção Elétrica. Hidráulica e Mecânica dos Veículos.


Instalações de Linha de Vida Trabalho em Altura
Aterramento Elétrico Instalações de Armazenamento com Inflamáveis e Veículos
Kit de Emergência Caminhão

I ND IV ID U A I S

Registro de Protocolo EPI eficaz?


Nº C.A.
EPI - Equipamento de Proteção Individual Certificado Treinamento de Entrega **
Aprovação
Sim Não Sim Não Sim Não
Protetor Auricular Tipo Abafador de Ruído Com Nível de Redução de
Ruído de 21 dBA
Óculos de Segurança Tipo Ampla Visão Com Filtros para Radiação
Ultravioleta
Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele
Luva de Segurança Tipo Nitrílica Impermeável Tamanho Médio
Respirador Purificador de Ar Tipo Peça Sem Facial Filtrante para
Vapores Orgânicos Com Válvula de Exalação Descartável Tamanho
Médio
Capacete de Segurança Tipo Industrial Aba Frontal com Jugular
Luva de Segurança Tipo Vaqueta de Couro Tamanho Médio
Cinto de Segurança Tipo Paraquedista
Calçado de Segurança Tipo Botina
17

Setor: Manutenção Mecânica


Cargo: Mecânico Função: Mecânico No Expostos: 02
Aérea

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DOS RISCOS AMBIENTAIS CONFORME


AVALIAÇÃO DO RISCO AMBIENTAL
AGENTE PERIGO
(Fator de Risco) GRAVIDADE DO CATEGORIA DO
PROBABILIDADE
DANO RISCO
Lesões, Doenças
Proveniente do Processo Industrial de Auditivas
Físico Manutenção em Aeronaves, Exposição
Ruído Equipamentos, Ferramentas e
Ocupacionais,
Intermitente
Máquinas com efeitos
irreversíveis
Físico Proveniente do Processo de Exposição Câimbras,
Calor Soldagem Elétrica Eventual Desmaios Risco Alto
Físico Proveniente de Processo de Doenças
Radiações Soldagem Exposição Ocupacionais das
Não Ionizantes Eventual Vias Oculares e
Dermais
Físico Operações com Equipamentos e
Ferramentas Rotativas, Operações Exposição
Vibrações Não se Aplica
com Trator Eventual
Fumos Metálicos, Poeiras Metálicas,
Poeiras Minerais. Processo de Exposição Doenças
Químico Risco Médio
Soldagem, Operações de Corte, Eventual Ocupacionais
Desbaste e Lixamento de Peças Respiratórias
Metálicas
Processo de Lubrificação de Doenças
Equipamentos, Ferramentas e Exposição
Químico
Máquinas. Manuseio de Óleo Mineral,
Ocupacionais Risco Alto
Eventual
Graxa, Vapores Orgânicos Respiratórias
Levantamento e Transporte Manual de
Materiais Exposição
Ergonômico Lesões na Coluna Risco Alto
Eventual
Projeção de Partículas Volantes junto Lesões no Olhos
aos Olhos e Face Exposição
Acidente e Face, Risco Alto
Eventual
Queimadura
Manuseio de Equipamentos, Peças Queimaduras nas
Metálicas Aquecidas, Cortantes Exposição
Acidente Mãos, Cortes, Risco Alto
Eventual
Perfurações
Probabilidade de Queda de Materiais Fraturas,
sobre os Membros Exposição
Acidente Amputações, Risco Alto
Eventual
Esmagamento
Operações com Equipamentos Acidentes de
Mecânicos de Transporte Trator Trânsito, Fraturas,
Acidente Eventual Risco Alto
Traumatismo,
Óbito
Probabilidade de Descargas Elétricas, Queimaduras,
Acidente Manuseio de Equipamentos, Eventual Amputações, Risco Alto
Ferramentas e Máquinas Energizadas Óbito
Operações com Equipamentos, Fraturas,
Ferramentas e Máquinas Amputações,
Acidente Eventual Risco Alto
Esmagamento,
Cortes
Operações com Inflamáveis e
Trabalho em Altura Queimaduras,
Acidente Eventual Risco Alto
Óbito,
18

MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS AMBIENTAIS PROPOSTAS

AD MI N I ST R AT I VAS
Sim Não NA

Monitoramento Biológico do Trabalhador. Conforme determina a NR 07 PCMSO.


Monitoramento Ambiental, constante com Relação aos Agentes Ambientais Físicos, Químicos e
Ergonômicos e Acidentes
Ordens de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho, conforme NR 01.
Elaboração e Implementação do Programa de Proteção Respiratória PPR, conforme determina o
Ministério do Trabalho e Emprego.
Avaliação Quantitativa dos Agentes Químicos (Fumos Metálicos, Poeiras Metálicas, Vapores Orgânicos),
conforme determina a NR 15 Atividades e Operações Insalubres seus Anexos.
Treinamentos de Segurança do Trabalho, conforme Cronograma de Ação do PPRA.
Elaboração e Implementação do Programa de Conservação Auditiva PCA, conforme determina o
Ministério do Trabalho e Emprego.
Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Segurança em Trabalhos em Altura. Conforme NR 35
Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Operações com Inflamáveis. Conforme NR 20.
Programa de Proteção Respiratória PPR.

C OL ET I VA S
Sim Não NA

Barreiras de Proteção nas Áreas de Soldagem para Neutralizar os Efeitos da Radiação Não Ionizante.
Instalação de Placas de Sinalização de Segurança do Trabalho nos Setores de Trabalho orientando os
Riscos Ambientais dos Locais de Trabalho.
Instalação de Linhas de Vida (Cabos de Aço), para Fixação do Cinto de Segurança nos Trabalhos
Realizados em Altura
Manutenção Elétrica em Caráter de Urgência nas Instalações Físicas Elétricas dos Setor de Trabalho
Aterramento Elétrico Instalações de Inflamáveis

I ND IV ID U A I S

Registro de Protocolo EPI eficaz?


Nº C.A.
EPI - Equipamento de Proteção Individual Certificado Treinamento de Entrega **
Aprovação
Sim Não Sim Não Sim Não
Protetor Auricular Tipo Abafador de Ruído Com Nível de Atenuação
de 21 dBA
Protetor Auricular Tipo Plugue de Inserção Com Nível de Atenuação
de 17 dBA
Óculos de Segurança Tipo Ampla Visão Com Lentes Filtros Contra
Radiações Ultravioletas
Capuz de Segurança Tipo Soldador
Máscara de Segurança Tipo Soldagem Com Lentes Incolores N 12
Vestimenta de Segurança Tipo Avental e Manga de Raspa de Couro
Luva de Segurança Tipo Raspa de Couro de Cano Médio
Vestimenta de Segurança Tipo Perneira de Raspa de Couro
Respirador Purificador de Ar Tipo Peça Semi Facial Filtrante PPF2
para Fumos Metálicos e Poeiras Metálicas com Válvula de Exalação
Descartável
Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele contra Agentes Químicos
19

Respirador Purificador de Ar Tipo Peça Sem Facial Filtrante para


Vapores Orgânicos VO Com Válvula de Exalação Descartável
Tamanho Médio
Luva de Segurança Tipo Nitrílica Impermeável Tamanho Médio
Capacete de Segurança Tipo Industrial Com Aba Frontal e Jugular
Cinto de Segurança Tipo Pára-quedista Com Dispositivo Travaqueda
Luva de Segurança Tipo Vaqueta de Couro de Cano Médio
Calçado de Segurança Tipo

Setor: Higienização Cargo: Serviços Gerais Função: Serviços Gerais No Expostos:


20

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DOS RISCOS AMBIENTAIS CONFORME NR 09 PPRA


AVALIAÇÃO DO RISCO AMBIENTAL
AGENTE PERIGO
(Fator de Risco) GRAVIDADE DO CATEGORIA DO
PROBABILIDADE
DANO RISCO
Lesões, Doenças
Físico Proveniente de Equipamentos, Exposição Ocupacionais do Risco Alto
Ruído Ferramentas, Maquinas, Veículos Intermitente Sistema Auditivo
Irreversíveis
Trabalho a Céu Aberto Doenças
Físico Exposição
Calor
Oculares, Risco Médio
Intermitente
Doenças de Pele
Processo de Limpeza e Higienização
Físico de Aeronaves Contato com Agua Exposição Dermatite de Pele
Umidade
Risco Médio
Intermitente Lesões na Pele
Vapores Ácidos Exposição Intoxicações,
Químico Intermitente Lesões nos Olhos Risco Alto
e Pele
Projeção de Partículas Volantes junto
aos Olhos e Face Exposição Queimaduras
Acidente Risco Alto
Intermitente Lesões nos Olhos
Operações com Equipamentos e Cortes,
Ferramentas Exposição
Acidente Perfurações, Risco Alto
Intermitente
Amputações
Probabilidade de Descargas Elétricas Queimaduras,
Exposição
Acidente Amputações, Risco Alto
Intermitente
Óbito
Operações com Trator Fraturas,
Exposição Traumatismo,
Acidente Risco Alto
Intermitente Acidentes de
Trânsito, Óbito
Manuseio de Inflamáveis
Exposição Queimaduras,
Acidente Risco Alto
Intermitente Explosões

MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS AMBIENTAIS PROPOSTAS

AD MI N I ST R AT I VAS
Sim Não NA

Monitoramento Biológico do Trabalhador. Conforme determina a NR 07 PCMSO.


Monitoramento Ambiental, constante com Relação aos Agentes Ambientais Físicos, Químicos e Acidentes
Ordens de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho, conforme NR 01.
Elaboração e Implementação do Programa de Proteção Respiratória PPR, conforme determina o
Ministério do Trabalho e Emprego.
Avaliação Quantitativa dos Agentes Químicos (Vapores Ácidos) conforme determina a NR 15 Atividades e
Operações Insalubres e seus Anexos.
Treinamentos de Segurança do Trabalho, conforme Cronograma de Ação do PPRA.
Elaboração e Implementação do Programa de Conservação Auditiva PCA, conforme determina o
Ministério do Trabalho e Emprego.
Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Segurança em com Máquinas e Equipamentos NR 11 e NR
12

C OL ET I VA S
21

Sim Não NA

Sinalização de Segurança
Aterramento Elétrico de Máquinas e Equipamento
Extintor de Incêndio
Instalação de Placas de Sinalização de Segurança nos Setores de Trabalho orientando sobre os Riscos
Ambientais nos Locais de Trabalho.
Adequação de Sistema Mecânico de Elevação e Transporte de Cargas.

I ND IV ID U A I S

Registro de Protocolo EPI eficaz?


Nº C.A.
EPI - Equipamento de Proteção Individual Certificado Treinamento de Entrega **
Aprovação
Sim Não Sim Não Sim Não
Protetor Auricular Tipo Abafador de Ruído Com Nível de Atenuação
de 21 dBA
Óculos de Segurança Tipo Ampla Visão Com Lentes Filtros Contra
Radiações Ultravioletas, Umidade e Agentes Químicos
Vestimenta de Segurança Tipo Completa Impermeável Contra
Umidade
Luva de Segurança Tipo Nitrílica Impermeável Contra Umidade
Tamanho Médio
Calçado de Segurança Tipo Botina de PVC Impermeável Tamanho
Médio
Respirador Purificador de Ar Tipo Peça Sem Facial Filtrante para
Gases Ácidos Com Filtros Mecânicos Tamanho Médio

Setor: Manutenção de Pátio Cargo:Serviços Gerais Função: Serviços Gerais No Expostos:


22

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DOS RISCOS AMBIENTAIS CONFORME NR 09 PPRA


AVALIAÇÃO DO RISCO AMBIENTAL
AGENTE PERIGO
(Fator de Risco) GRAVIDADE DO CATEGORIA DO
PROBABILIDADE
DANO RISCO
Proveniente de Equipamentos, Doenças das Vias
Físico Ferramentas e Máquinas Exposição Risco Baixo
Ruído
Oculares e
Intermitente
Respiratórias
Físico Trabalho a Céu Aberto Exposição
Doenças Dermais, Risco Médio
Calor Intermitente
Oculares
Óleo Lubrificante, Graxa
Exposição Dermatite de
Químico Risco Alto
Intermitente Contato
Manuseio com Inflamáveis Dermatite de
Exposição
Químico Contato, Doenças Risco Alto
Intermitente
Respiratórias
Levantamento e Transporte Manual de
Peso Exposição
Ergonômico Lesões na Coluna Risco Alto
Intermitente
Projeção de Partículas
Exposição
Acidente Lesões nos Olhos Risco Alto
Intermitente
Probabilidade de Queda de Materiais
Exposição Fraturas,
Acidente Risco Alto
Intermitente Amputações
Probabilidade de Incêndio e Explosão
Exposição Queimaduras,
Acidente Risco Alto
Intermitente Incêndio, Óbito
Operações com Máquinas, Cortes,
Equipamentos e Ferramentas Exposição
Acidente Perfurações, Risco Alto
Intermitente
Amputações,

MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS AMBIENTAIS PROPOSTAS

AD MI N I ST R AT I VAS
Sim Não NA

Monitoramento Biológico do Trabalhador. Conforme determina a NR 07 PCMSO.


Monitoramento Ambiental, constante com Relação aos Agentes Ambientais Físicos, Químicos,
Ergonômicos e de Acidentes.
Ordens de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho, conforme NR 01.
Elaboração e Implementação do Programa de Proteção Respiratória PPR, conforme determina o
Ministério do Trabalho e Emprego.
Treinamento Segurança nas Operações com Maquinas e Equipamentos NR 12.
Treinamentos de Segurança do Trabalho, conforme Cronograma de Ação do PPRA.
Treinamentos de Segurança Operações com Inflamáveis NR 20

C OL ET I VA S
Sim Não NA
23

Política de Manutenção Elétrica, Hidráulica e Mecânica


Sistema de Elevação e Transporte Mecânico para Cargas

I ND IV ID U A I S

Registro de Protocolo EPI eficaz?


Nº C.A.
EPI - Equipamento de Proteção Individual Certificado Treinamento de Entrega **
Aprovação
Sim Não Sim Não Sim Não
Protetor Auricular Tipo Abafador de Ruído Com Nível de Redução de
Ruído de 21 dBA
Óculos de Segurança Tipo Ampla Visão Com Filtros Lentes Contra
Radiação Ultravioleta
Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele
Respirador Purificador de Ar Tipo Peça Sem Facial Filtrante para
Vapores Orgânicos VO Com Válvula de Exalação Descartável
Tamanho Médio
Protetor Facial de Segurança Com Lentes Incolores
Luva de Segurança Tipo Vaqueta de Couro Tamanho Médio
Vestimenta de Segurança Tipo Perneira
Calçado de Segurança Tipo Botina

Setor: Zeladoria Cargo: Cozinheira Função: Cozinheira No Expostos: 01


24

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DOS RISCOS AMBIENTAIS CONFORME


AVALIAÇÃO DO RISCO AMBIENTAL
AGENTE PERIGO
(Fator de Risco) GRAVIDADE DO CATEGORIA DO
PROBABILIDADE
DANO RISCO
Limpeza e Higienização de Utensílios Doenças Dermais,
Físico Exposição
Umidade
Domésticos, Sanitários, Refeitório, Dermatite de Risco Baixo
Vestiários Intermitente
Contato
Físico Lesões dos Olhos,
Exposição
Calor Queimaduras, Risco Baixo
Intermitente
Doenças Dermais
Manuseio de Produtos Químicos Perfurações,
Sanitários Exposição
Químico Queimaduras,
Intermitente Risco Baixo
Cortes, Corpos
Estranhos
Limpeza e Higienização de
Instalações Sanitárias Exposição Doenças
Biológico Risco Baixo
Intermitente Infecciosas
Projeção de Partículas Volantes
Exposição Queimaduras nos
Acidente Risco Grande
Intermitente Olhos
Manuseio de Utensílios Domésticos
Facas Exposição Cortes,
Acidente Risco Grande
Intermitente Perfurações
Quedas, Escorregões
Exposição Fraturas, Batidas
Acidente Risco Baixo
Intermitente Contra
Princípio de Incêndio
Exposição
Acidente Queimaduras Risco Grande
Intermitente
Descargas Elétricas
Exposição Queimaduras,
Acidente Risco Grande
Continua Óbito

MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS AMBIENTAIS PROPOSTAS

AD MI N I ST R AT I VAS
Sim Não NA

Monitoramento Biológico do Trabalhador. Conforme determina a NR 07 PCMSO.


Monitoramento Ambiental, constante com Relação aos Agentes Ambientais Físicos, Químicos, Biológicos,
Acidentes
Ordens de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho, conforme NR 01.
Treinamentos de Segurança do Trabalho, conforme Cronograma de Ação do PPRA.
Elaboração e Implementação do Programa de Proteção Respiratória PPR, conforme determina o
Ministério do Trabalho e Emprego.

C OL ET I VA S
Sim Não NA
25

Aterramento Elétrico
Extintor de Incêndio
Placas de Sinalização

I ND IV ID U A I S

Registro de Protocolo EPI eficaz?


Nº C.A.
EPI - Equipamento de Proteção Individual Certificado Treinamento de Entrega **
Aprovação
Sim Não Sim Não Sim Não
Vestimenta de Segurança Tipo Avental de Trevira Impermeável
Luva de Segurança Tipo Nitrílica Impermeável Tamanho Médio
Óculos de Segurança Tipo Ampla Visão Com Lentes Incolores
Respirador Purificador de Ar Tipo Peça Sem Facial Filtrante para
Agentes Biológicos Com Válvula de Exalação Descartável Tamanho
Médio
Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele Contra Agentes
Biológicos
Calçado de Segurança Tipo Botina de PVC Impermeável Tamanho
Médio
Calçado de Segurança Tipo Calçado de Segurança Feminino
Luva de Segurança Tipo Térmica Tamanho Médio
26

MEDIDAS DE CONTROLE DE
RISCOS AMBIENTAIS
COLETIVAS
27

A Empresa devera adotar Medidas de Controle de Riscos Ambientais, para Atenuar ou Neutralizar os Riscos
Ambientais existentes ou que venham a existir nos Setores de Trabalho que possam trazer algum dano a
saúde ou integridade física do trabalhador. Conforme determina a NR 09 Programa de Prevenção de Riscos
Ambientais PPRA.

As Medidas de Controle de Riscos Ambientais, deverão ser adotadas Medidas de Controle necessárias,
suficientes para a eliminação a minimização ou o controle de riscos ambientais sempre que forem
verificadas uma ou mais das seguintes situações:

-identificação, na Fase de Antecipação, de Risco potencial a saúde e integridade física dos trabalhadores;

-Constatação, na fase de reconhecimento de risco evidente a saúde dos trabalhadores.

As Medidas de Controle de Riscos Ambientais de Caráter Coletivas deve obedecer à seguinte ordem:

-Identificação dos Riscos Ambientais;

-Determinação e Localização das Possíveis Fontes Geradoras de Riscos Ambientais;

-Identificação das possíveis trajetórias e dos meios de propagação dos agentes ambientais;

MEDIDAS DE CONTROLE DE RISCOS AMBIENTAIS COLETIVAS

- Na Fonte Emissora de Riscos Ambientais;

-Na Trajetória dos Riscos Ambientais;

-No Meio Ambiente de Trabalho;

-No Trabalhador;
28

MEDIDAS DE CONTROLE DE
RISCOS AMBIENTAIS
ADMINISTRATIVAS
29

Sinalização de Segurança do Trabalho


Instalar placas de sinalização orientando os trabalhadores sobre os riscos gerados pelos
processos de produção de acordo com a atividade exercida em cada setor, bem como
manter sinalização efetiva de orientação, apontando as saídas tanto para as situações
normais do dia a dia como para indicação de saída de emergência.
30

Instruções de segurança Operacional – Ordem de Serviço de Segurança e Medicina


do Trabalho

A rigor, todas as máquinas e equipamentos de uma empresa, assim como outras


operações, devem ter, por escrito, suas instruções de segurança operacional. Essas
instruções são previstas em leis e estão aplicadas mais adiante. “Ordem de Serviço” é a
denominação oficial para essas instruções. Apenas de ser uma obrigação legal das
empresas o preparo e expedição dessas instruções legal das empresas o preparo e
expedição dessas instruções, existe uma carência muito grande delas em muitas
empresas e estabelecimentos.

As empresas têm obrigação legal de desenvolver e expandir essas instruções e de


passá-las aos seus empregados, conforme a atividade de cada um. Cabe ao SESMT do
estabelecimento a obrigação de planejar suas atribuições, de modo que essas “Ordens de
Serviço” venham a existir para todas as atividades da empresa. Mas nem sempre o
SESMT tem condições, em matéria de tempo ou de disponibilidade de pessoal, de
desenvolver o número de instr4uções que seriam necessárias para a cobertura de todas
as atividades do estabelecimento. A CIPA tem ainda menos condições por ser um órgão
de composição transitória e por não dispor oficialmente de um técnico no assunto.

Portanto, outros mais precisam participar de um mutirão para elaborar essas


normas, sendo esses outros os supervisores das atividades a serem contempladas com
as instruções. Cabe ao SESMT e mesmo à CIPA, caso a empresa não disponha de serviço
especializado, planejar e administrar esse mutirão, com a aprovação prévia da direção da
empresa.

A planilha mostra a seguir dá um exemplo de como se faz essa análise. Mas,


mesmo assim, aqui está um exemplo desta forma de se conseguir, de maneira simples,
ter normas de segurança operacional para os trabalhos com maquinaria. A segurança
desses trabalhos passa a ser extremamente beneficiada quando se têm normas de
segurança operacional para os trabalhos passa a ser extremamente beneficiada quando
se têm normas de segurança operacional para ela.
31

Planilha para Registro de Análise de Segurança Operacional

Operação ou tarefa: Descarga de peças de ferro fundido (peso de 3 a 5


quilos) da esteira transportadora E/9

Máquina/equipamento envolvido: Esteira transportadora E/9,


estrado.

Regime de atividade: Continuo

Número de operadores: 1 (um)


Elemento da
Perigos observados Recomendações
Operação

Nesta coluna são Nesta coluna anotam-se


Nesta coluna é descrita anotados os perigos as medidas preventivas de
a operação ou tarefa, observados em cada acidentes ou doenças
dividida nos seus elemento da operação, ocupacionais que cada
elementos básicos tanto das máquinas ou elemento requer.
realizados pelo operador outros equipamentos em
Resumindo: nesta coluna
de uma máquina ou uso, como das energias
ficam registradas todas as
que esteja realizando empregadas, dos
medidas de segurança
outra tarefa. materiais e produtos em
para a atividade analisada
Entendo de uma forma processamento e da
e basta transcrevê-las em
mais técnica, trata-se maneira de atuar do
formato de instrução para
da decomposição da trabalhador.
se ter a correspondente
atividade, nos seus Aqui ficam registrados os norma de segurança
elementos perigos de cada elemento operacional.
caracterizados pelos ou movimento da
movimentos do atividade analisada.
trabalhador, com
começo e fim bem
definidos.

Assinaturas:
SESMT ___________________________; Coordenador PPRA:_____________________

Trabalhador:_______________________. Data Expedição:_____/_______/______


32

ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO nº


____/____
Empresa:
Setor: Função:
Nome:
Esta Ordem de Serviço de Segurança e Saúde do Trabalho atende ao interesse da
empresa em prevenir Acidentes do Trabalho e Doenças Ocupacionais e ao que está
disposto no art. 157, inciso II da CLT e item 1.7, alínea b, incisos I, II e III da
Norma Regulamentadora NR-01 Disposições Gerais do Ministério do Trabalho e
Emprego.
Atividade Operacional:

Equipamento de Proteção Coletiva EPC:

Equipamento de Proteção Individual EPI:

Medidas / Precauções
Etapa / Tarefa: Riscos / Perigos:
Recomendadas:
1-

2-

3-

4-

5-

6-

7-

8-

Assinaturas:
SESMT ___________________________; Coordenador PPRA:_____________________

Trabalhador:_______________________. Data Expedição:_____/_______/______


33

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO


De:

____________________
Para: INSPEÇÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO 1.
_____________________ Nº DATA
_____________________
_____________________
____________________ ____/____/____
Empresa Setor Seção

Equipamento / Operação

AÇÃO RECOMENDADA

Observações:

Ciente em: Assinatura: Emitido por:


____/____/_____

Acompanhamento do Progresso da Ação Recomendada


Data Posição

COMPLETADA EM: _____/_____/_____


34

TERMO DE ADVERTÊNCIA DISCIPLINAR

Ao Funcionário: ___________________________________________________
CTPS Nº: ______________________________ Série: _____________________

Tem esta a finalidade de aplicar-lhe a pena de advertência disciplinar, em


razão da seguinte ocorrência:
________________________________________________________________________________________________
_____________________,conforme o Art. 482 da CLT alínea “h” (ato de indisciplina ou de
insubordinação).
Esclarecemos ainda que a repetição de procedimentos como este poderá ser
considerado como ato passível de dispensa por justa causa. Para que não tenhamos, no futuro, de
tomar as medidas que nos é facultada pela legislação vigente, solicitamos-lhe que observe as
normas regulamentadoras (NR 06 item 6.7.1. – letra “a”: O Equipamento de Proteção deverá
ser usado apenas para a finalidade a que se destina.

Miraselva-Pr_______de _____________________de 2016

_________________________________
Empregador

Ciente em: ______/______/______

1ª Testemunha:________________________________________
2ª Testemunha:________________________________________

__________________________________
Empregado

CRONOGRAMA DE TREINAMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO


35

Treinamento A Quem se Destina Entidade Data


Ministrante
1 Integração de
Todos os Sesmt
Segurança do
Trabalhadores Terceiros
Trabalho
2 Introdução a
Todos os Sesmt
Higiene do
Trabalhadores Terceiros
Trabalho
3 Acidentes de
Trabalho, Doenças
Todos os Sesmt
do Trabalho e
Trabalhadores Terceiros
Medidas de
Controle
4 Responsabilidade
Civil e Criminal
Frente aos Todos os Sesmt
Acidentes de Trabalhadores Terceiros
Trabalho e Medidas
de Controle
5 Normas e Ordens
de Serviço de
Segurança e Todos os Sesmt
Medicina do Trabalhadores Terceiros
Trabalho

6 Equipamentos de
Todos os
Proteção Individual Sesmt
Trabalhadores
EPI e Medidas de Terceiros
Usuários de EPIS
Controle
7 Prevenção e
Todos os Sesmt
Combate a
Trabalhadores Terceiros
Incêndios
36

Treinamento de Segurança do Trabalho

Empresa:
Data: _____/_____/____ Horário: ___:___ horas
Local do Treinamento:
Instrutor:

Tema : Integração de Segurança e Saúde do Trabalho


Assuntos Abordados:
a) Introdução a Higiene e Segurança do Trabalho.
b) Legislação Normas e Ordens de Serviço de Segurança e Saúde do Trabalho.
c) Acidente do Trabalho, Doenças Ocupacionais e Medidas de Controle.
d) Equipamento de Proteção Coletiva e Individual e Medidas de Controle.
e) Responsabilidade Civil e Criminal Frente ao Acidente de Trabalho, Doença Ocupacional.
f) CIPA
g) Ruído e Medidas de Controle
h) Proteção Respiratória Agentes Químicos e Medidas de Controle
i) Prevenção e Combate a Incêndios
j) Primeiros Socorros

Participantes do Treinamento
Nome Assinatura
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12

Assinatura do Instrutor
37

MEDIDAS DE CONTROLE DE
RISCOS AMBIENTAIS
INDIVIDUAIS
38

MEDIDAS DE CONTROLE INDIVIDUAL

Os Equipamentos de Proteção Individual EPI são todos os dispositivos de uso individual


destinados a proteger a saúde ou integridade física do trabalhador. A empresa é obrigada a
fornecer aos empregados, gratuitamente, os equipamentos de proteção individual específico aos
riscos a que está sujeito, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes
circunstâncias:
a) sempre que as medidas de proteção coletiva forem tecnicamente inviáveis ou não
oferecem completa proteção contra os riscos de acidentes de trabalho e ou doenças profissionais;
b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas;
c) para atender situações de emergência;
Os EPI’s fornecidos, devem obrigatoriamente ter certificado de aprovação (C.A).
Apresentamos a seguir, os equipamentos de proteção individual recomendado para cada função:
EPI’S – OBRIGAÇÕES E RESPONSABILIDADES

Obrigações do Empregador:
a) adquirir o tipo adequado à atividade do empregado;
b) fornecer ao empregado somente EPI aprovado pelo Ministério do Trabalho e Emprego e
de empresas cadastradas no DNSST/Ministério do Trabalho e Emprego
c) treinar o trabalhador sobre seu uso adequado;
d) tornar obrigatório o seu uso;
e) substituí-lo, imediatamente, quando danificado ou extraviado;
f) responsabilizar-se pela sua higienização e manutenção periódica;
g) comunicar ao Ministério do Trabalho e Emprego qualquer irregularidade observada no
EPI
Obriga-se o empregado, quanto ao EPI:
a) usá-lo apenas para finalidade a que se destina;
b) responsabilizar-se por sua guarda e conservação;
c) comunicar ao empregador qualquer alteração que se torne impróprio para uso;
39

DECLARAÇÃO DE USO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

Declaro estar ciente que o equipamento de Proteção Individual (EPI),


relacionado nesta ficha de controle, ficará sob minha guarda, sendo eu o
responsável pela sua conservação, limpeza, logo após o uso.

Declaro também que utilizarei o EPI somente para a finalidade a que se


destina, e que comunicarei ao encarregado de serviço do meu setor de trabalho,
qualquer defeito que o mesmo venha a apresentar, solicitando a sua troca imediata
no almoxarifado.

Estou ciente inclusive, que caso eu não utilize o EPI (s) de acordo com as
instruções recebidas em treinamentos, constitui falta grave, que poderá sujeitar-me
à advertência verbal, por escrito, suspensão e até dispensa por justa causa, de
acordo com o artigo 482 da Consolidação das Leis do Trabalho.

No artigo 158 da CLT, parágrafo único diz que: Constitui ato faltoso do
empregado à recusa injustificada, ao uso dos equipamentos de proteção individual
fornecidos pela empresa.

Miraselva- Pr.______/_______/_______

_______________________________
Assinatura
40

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA
DO AGENTE FISICO RUÍDO
41

Metodologia e Técnica Aplicada: As Medições Quantitativas do Agente Físico Ruído foram realizadas em
circuito de resposta lenta (slow) e circuito (filtro) de compensação “A”, adequado para mensuração de ruído
contínuo ou intermitente, de conformidade com o item 2, do Anexo 1 da Norma Regulamentadora NR-15, da
Portaria nº 3.214, de 1978 do Ministério do Trabalho e Emprego.

As Técnicas Aplicadas estão descritas na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego e na


Norma Regulamentadora de Segurança e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações Insalubres e
seus Anexos.

Nas Normas de Higiene Ocupacional NHO da Fundacentro

O Instrumento de Avaliação utilizado foi o Medidor de Nível de Pressão Sonora Decibelimetro, devidamente
Calibrado. As Medições foram realizadas próximo ao Pavilhão Auditivo do Trabalhador.

Marca do Instrumento:
Modelo:
Certificado de Calibração:
42

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE AGENTE FÍSICO RUÍDO


Data da Avaliação Ambiental:
CONFORME NR 15 ANEXO 1 e NORMA DE HIGIENE OCUPACIONAL
Tempo de
Setor Ponto de Medição Fonte Geradora Nível de Ruído Tipo Dose
Exposição
Gerência Agricola Ambiente Geral
Posto de Trabalho 86,5 dB(A) C 480 Min 1,2
Gerente Hangar
Transporte Aereo Cabine e Turbina da
Posto de Trabalho 94,3 dB(A) I 220 Min 1,5
Piloto I Aeronave
Transporte Aereo Cabine e Turbina da
Posto de Trabalho 93,1 dB(A) E 300 Min 0,45
Piloto II Aeronave
Trasnporte Aereo Cabine e Turbina de
Posto de Trabalho 88,1 dB(A) C 280 Min 1,7
Piloto III Aeronave
Transporte Aereo Cabine e Turbina de
Posto de Trabalho 90,4 dB(A) C 330 Min 1,5
Piloto IV Aeronave
Cabine de Veículo
Transporte Rodoviário
Posto de Trabalho Operações de 87,1 dB(A) C 330 Min 0,45
Tecnico Agricola I
Abastecimento
Cabine de Veículo
Transporte Rodoviário
Posto de Trabalho Operações de 86,3 dB(A) C 350 Min 0,19
Técnico Agricola II
Abastecimento
Cabine do Veículo
Transporte Rodoviário
Posto de Trabalho Operações de 86,2 dB(A) C 300 Min 1,3
Tecnico Agricola III
Abastecimento
Tecnico Agricola IV Posto de Trabalho Ambiente Geral 88,1 dB(A) C 240 Min 6,0
Manutenção Mecânica
Aerea Posto de Trabalho Ambiente Geral 88,2 dB(A) C 240 Min 1,7
Posto de Soldagem
Manutenção Mecânica
Aerea Posto de Trabalho Ambiente Geral 78,10 dB(A) C 60 Min 2,1
Posto de Oxicorte
Manutenção Mecânica
Aerea Posto de Trabalho Ambiente Geral 89,2 dB(A) C 120 Min 1,9
Posto de Trator
Manutenção Mecânica
Aerea Posto de Trabalho Ambiente Geral 90,1 dB(A) C 120 Min 2,1
Posto Esmerilhadeira
Manutenção Mecânica
Aerea
Posto de Trabalho Ambiente Geral 79,3 dB(A) C 30 Min 2,1
Posto Furadeira de
Bancada
Manutenção Mecânica
Aerea
Posto de Trabalho Ambiente Geral 86,1 dB(A) C 60 Min 0,7
Motoesmeril de
Bancada
Manutenção Mecâmica
Aerea Posto de Trabalho Ambiente Geral 91,2 dB(A) C 120 Min 0,7
Posto Ar Comprimido
Manutenção Mecâmica
Aerea Posto de Trabalho Ambiente Geral 92,4 dB(A) C 60 Min
0,7
Posto Jateamento
43

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE AGENTE FÍSICO RUÍDO


Data da Avaliação Ambiental:
CONFORME NR 15 ANEXO 1 e NORMA DE HIGIENE OCUPACIONAL
Tempo de
Setor/Função Ponto de Medição Fonte Geradora Nível de Ruído Tipo Dose
Exposição
Higienização
Posto Bomba de Agua Posto de Trabalho Ambiente Geral 85,1 dB(A) C 300 Min 1,1
Lavagem
Higienização
Posto Jateramento Posto de Trabalho Ambiente Geral 87,2 dB(A) C 120 Min 1,1
Agua
Higienização
Posto de Trabalho Ambiente Geral 88,7 dB(A) C 350 Min 1,7
Ambiente Geral
Manutenção Patio
Posto de Trabalho Ambiente geral 86,1 dB(A) C 400 Min
Ambiente Geral
Manutenção Patio 200
Posto de Trabalho Ambiente geral 89,3 dB(A) C
Trator Min
Manutenção Pátio 300
Posto de Trabalho Ambiente geral 90,4 dB(A)
Motopoda Min

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA

DO AGENTE FISICO CALOR


44

MÉTODO UTILIZADO: NR – 15 – Anexo 3 – Determina a utilização do IBUTG para a avaliação da


sobrecarga térmica. Método que combina as leituras provenientes dos termômetros de globo, bulbo úmido e
seco, correlacionando posteriormente à carga térmica com a carga metabólica do tipo de atividade exercida
pelo trabalhador.
Avaliação realizada com equipamento digital, Indicador de temperatura Modelo TGM 200 – Termômetro
Globo – Escala –50º a 100º C, posicionado no local de medição na altura da região mais atingida do corpo.
Quando esta não é definida, o equipamento foi montado na altura do tórax do trabalhador exposto. As
leituras foram tomadas após a estabilização do conjunto de termômetros.

Marca do Instrumento: Instrutherm


Modelo: TGM 200
Certificado de Calibração:
45

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO AGENTE FISICO CALOR POR


CONFORME NR 15 ANEXO 03 e NORMA DE HIGIENE
OCUPACIONAL
Setor: Gerência Agrícola Função: Gerente

Data: 08/12/15 Atividade com Carga Solar ( ) Sim ( X ) Não

Regime de Trabalho: Exposição Habitual e Continua

( X) Descanso no próprio local de trabalho


( ) Descanso em outro local (termicamente mais ameno, com
trabalhador em repouso ou exercendo atividade leve)
TIPO DE ATIVIDADE FÍSICA: Trabalho Leve

( X ) Leve ( ) Moderada ( ) Pesada Kcal/h:

IBUTG: 29,1 TAXA DE METABOLISMO: LIMITE DE TOLERÂNCIA:

Fonte Geradora: Fontes Naturais de Energia Térmica, Radiação Solar

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, e na Atividade desenvolvida
pelo Trabalhador durante a Jornada de Trabalho, observou-se que a Atividade e Classificada como
Leve e os Níveis do Agente Físico Calor, estão abaixo dos Limites de Tolerancia estabalecidos pela
Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego Anexo 3 Limites de Tolerância para
Exposição ao Calor. Portanto sendo compatível com as condições de conforto térmico, não estando
o Trabalhador exposto a Risco Fisico Ambiental Nocivo a Saúde e Integridade Fisica.
46

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO AGENTE FISICO CALOR


CONFORME NR 15 ANEXO 03 NORMA DE HIGIENE
OCUPACIONAL POR GRUPO HOMOGENEO DE EXPOSIÇÃO

Setor: Transporte Aéreo Função: Piloto

Data: 08/12/15 Atividade com Carga Solar ( ) Sim ( X ) Não

Regime de Trabalho: Intermitente

( X ) Descanso no próprio local de trabalho ( ) Descanso em outro local (termicamente mais ameno, com
o
trabalhador em repouso ou exercendo atividade leve)
TIPO DE ATIVIDADE FÍSICA: Moderada

( ) Leve (X ) Moderada ( ) Pesada Kcal/h:

IBUTG: 28,1 TAXA DE METABOLISMO: LIMITE DE TOLERÂNCIA:

Fonte Geradora: Fontes Naturais de Energia Térmica, Radiação Solar

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, e na Atividade desenvolvida
pelo Trabalhador durante a Jornada de Trabalho, observou-se que a Atividade e Classificada como
Moderada e os Níveis do Agente Físico Calor, estão abaixo dos Limites de Tolerancia estabalecidos
pela Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego Anexo 3 Limites de Tolerância para
Exposição ao Calor.
47

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO AGENTE FISICO CALOR POR


GRUPO HOMOGENEO DE EXPOSIÇÃOCONFORME NR 15
ANEXO 03 NORMA DE HIGIENE OCUPACIONAL

Setor: Transporte Rodoviário Função: Tecnico Agricola

Data: Atividade com Carga Solar ( X ) Sim ( ) Não

Regime de Trabalho: Intermitente

( X ) Descanso no próprio local de trabalho ( ) Descanso em outro local (termicamente mais ameno, com
o
trabalhador em repouso ou exercendo atividade leve)
TIPO DE ATIVIDADE FÍSICA: Trabalho Moderado

( ) Leve (X ) Moderada ( ) Pesada Kcal/h:

IBUTG: 28,3 TAXA DE METABOLISMO: LIMITE DE TOLERÂNCIA:

Fonte Geradora: Fontes Naturais de Energia Térmica, Radiação Solar

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, e na Atividade desenvolvida
pelo Trabalhador durante a Jornada de Trabalho, observou-se que a Atividade e Classificada como
Moderada e os Níveis do Agente Físico Calor, estão abaixo dos Limites de Tolerancia estabalecidos
pela Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego Anexo 3 Limites de Tolerância para
Exposição ao Calor. Portanto sendo compatível com as condições de conforto térmico.
48

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO AGENTE FISICO CALOR


CONFORME NR 15 ANEXO 03 NORMA DE HIGIENE
OCUPACIONAL

Setor: Higienização Função: Serviços Gerais

Data: Atividade com Carga Solar ( X ) Sim ( ) Não

Regime de Trabalho: Intermitente

( X ) Descanso no próprio local de trabalho ( ) Descanso em outro local (termicamente mais ameno, com
o
trabalhador em repouso ou exercendo atividade leve)
TIPO DE ATIVIDADE FÍSICA: Trabalho Moderado

( ) Leve (X ) Moderada ( ) Pesada Kcal/h:

IBUTG: 27,6 TAXA DE METABOLISMO: LIMITE DE TOLERÂNCIA:

Fonte Geradora: Fontes Naturais de Energia Térmica, Radiação Solar

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, e na Atividade desenvolvida
pelo Trabalhador durante a Jornada de Trabalho, observou-se que a Atividade e Classificada como
Moderada e os Níveis do Agente Físico Calor, estão abaixo dos Limites de Tolerancia estabalecidos
pela Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego Anexo 3 Limites de Tolerância para
Exposição ao Calor. Portanto sendo compatível com as condições de conforto térmico.
49

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO AGENTE FISICO CALOR


CONFORME NR 15 ANEXO 03 NORMA DE HIGIENE
OCUPACIONAL POR GRUPO HOMOGENEO DE EXPOSIÇÃO

Setor: Manutenção Mecânica Aérea Função: Mecânico

Data: Atividade com Carga Solar ( ) Sim ( X ) Não

Regime de Trabalho: Intermitente

( X ) Descanso no próprio local de trabalho ( ) Descanso em outro local (termicamente mais ameno, com
o
trabalhador em repouso ou exercendo atividade leve)
TIPO DE ATIVIDADE FÍSICA: Trabalho Moderado

( ) Leve (X ) Moderada ( ) Pesada Kcal/h:

IBUTG: 25,5 TAXA DE METABOLISMO: LIMITE DE TOLERÂNCIA:

Fonte Geradora: Fontes Artificiais de Energia Térmica Processo de Soldagem

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, e na Atividade desenvolvida
pelo Trabalhador durante a Jornada de Trabalho, observou-se que a Atividade e Classificada como
Moderada e os Níveis do Agente Físico Calor, estão abaixo dos Limites de Tolerancia estabalecidos
pela Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego Anexo 3 Limites de Tolerância para
Exposição ao Calor. Portanto sendo compatível com as condições de conforto térmico.
50

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO AGENTE FISICO CALOR


CONFORME NR 15 ANEXO 03 NORMA DE HIGIENE
OCUPACIONAL POR GRUPO HOMOGENEO DE EXPOSIÇÃO

Setor: Manutenção de Pátio Função: Serviços Gerais

Data: Atividade com Carga Solar ( X ) Sim ( ) Não

Regime de Trabalho: Intermitente

( X ) Descanso no próprio local de trabalho ( ) Descanso em outro local (termicamente mais ameno, com
o
trabalhador em repouso ou exercendo atividade leve)
TIPO DE ATIVIDADE FÍSICA: Trabalho Moderado

( ) Leve (X ) Moderada ( ) Pesada Kcal/h:

IBUTG: 25,8 TAXA DE METABOLISMO: LIMITE DE TOLERÂNCIA:

Fonte Geradora: Fontes Naturais de Energia Térmica, Radiação Solar

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, e na Atividade desenvolvida
pelo Trabalhador durante a Jornada de Trabalho, observou-se que a Atividade e Classificada como
Moderada e os Níveis do Agente Físico Calor, estão abaixo dos Limites de Tolerancia estabalecidos
pela Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego Anexo 3 Limites de Tolerância para
Exposição ao Calor. Portanto sendo compatível com as condições de conforto térmico.
51

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO AGENTE FISICO CALOR


CONFORME NR 15 ANEXO 03 NORMA DE HIGIENE
OCUPACIONAL

Setor: Zeladoria Função: Cozinheira

Data: Atividade com Carga Solar ( ) Sim ( X ) Não

Regime de Trabalho: Intermitente

( X ) Descanso no próprio local de trabalho ( ) Descanso em outro local (termicamente mais ameno, com
o
trabalhador em repouso ou exercendo atividade leve)
TIPO DE ATIVIDADE FÍSICA: Trabalho Leve

(X ) Leve ( ) Moderada ( ) Pesada Kcal/h:

IBUTG: 29,1 TAXA DE METABOLISMO: LIMITE DE TOLERÂNCIA:

Fonte Geradora: Fontes Naturais de Energia Térmica, Radiação Solar

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, e na Atividade desenvolvida
pelo Trabalhador durante a Jornada de Trabalho, observou-se que a Atividade e Classificada como
Moderada e os Níveis do Agente Físico Calor, estão abaixo dos Limites de Tolerancia estabalecidos
pela Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego Anexo 3 Limites de Tolerância para
Exposição ao Calor. Portanto sendo compatível com as condições de conforto térmico.
52

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DO AGENTE FISICO UMIDADE

Setor: Higienização

Data: Posto de Medição: Posto de Trabalho/Meio Ambiente de Trabalho

Agente Físico Umidade: No Processo de Limpeza e Higienização de Aeronaves é feita com Água

Metodologia e Técnica Aplicada: A Metodologia e Técnica utilizada para Avaliação Qualitativa do


Agente Físico Umidade, esta descrito na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego e
na Norma Regulamentadora de Segurança e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações
Insalubres Anexo 10 Umidade. A Técnica Aplica foi por Inspeção In Loco
Exposição: Intermitente

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalhoe nos Postos de Trabalho, durante a Jornada de
Trabalho o Trabalhador esta exposto a Umidade. Pelas condições observadas a Exposição ao
Risco Físico Umidade é caracterizada como Irrelevante o Agente Ambiental não é Nocivo ao ponto
de Trazer algum dano a saúde e integridade física do Trabalhador. Porém a Empresa devera adotar
Medidas de Controle de Riscos Ambientais:

-Administrativas: Monitoramento Ambiental do Agente Físico Umidade, Monitoramento Biologico


do Trabalhador, conforme NR 07 PCMSO, Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Agente
Fisico Umidade, Equipamentos de Proteção Individual EPI e Medidas de Controle, Ordens de
Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho.

-Individual: A Empresa devera fornecer e exigir o uso obrigatorio e rotineiro ao Trabalhador de


Equipamentos de Proteção Individual EPI, Luvas de Segurança Tipo Nitrilica de Cano Médio
Impermeável, Vestimenta de Segurança Tipo Avental de Trevira Impermeável, Calçado de
Segurança Tipo Botina de PVC de Cano Médio Impermeável.
53

AVALIAÇÃO QUALITATIVA
DO AGENTE FISICO
RADIAÇÃO NÃO IONIZANTE
54

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DO AGENTE FISICO RADIAÇÃO NÃO


IONIZANTE CONFORME NR 15 ANEXO 7 POR GRUPO
HOMOGENEO DE EXPOSIÇÃO
Setor: Manutenção Mecânica Aérea
Função:Mecânico

Data: Horário da Avaliação: Tipo de Exposição: Eventual

Metodologia e Técnica Aplicada: A Metodologia e Técnica Aplicada, esta descrita na Portaria


3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego, através da Norma Regulamentadora NR 15
Atividades e Operações Insalubres Anexo 07 – Inspeção no Local de Trabalho.
Fonte Geradora: Processo de Soldagem Elétrica

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, o Trabalhador esta exposto a
Radiações Não Ionizantes Raios Ultravioletas de eventual durante a Jornada de Trabalho, a
empresa devera adotar Medidas de Controle de Riscos Ambientais:

-Administrativas: Monitoramento Ambiental do Agente Fisico Radiação Não Ionizante,


Monitoramento Biologico do Trabalhador, conforme NR 07 PCMSO, Treinamento de Segurança do
Trabalho sobre Agente Fisico Radiação Não Ionizante, Equipamentos de Proteção Individual EPI e
Medidas de Controle, Ordens de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho.

-Coletivas: A Empresa Instalar Equipamento de Proteção Coletiva EPC Barreiras de Proteção nas
Areas de Soldagem para Neutralizar os Riscos da Radiação Não Ionizante.

-Individuais: A Empresa devera fornecer e exigir o uso continuo e rotineiro durante a Jornada de
Trabalho por parte dos Trabalhadores, os seguintes Equipamentos de Proteção Individual EPI,
Capuz de Segurança, Máscara de Segurança Tipo Soldagem, Protetor Facial de Segurança Tipo
Ampla Visão Com Lentes Filtrantes, Creme Protetor de Segurança para a Pele, Vestimenta de
Segurança Tipo Avental/Manga de Raspa de Couro, Luva de Segurança Tipo Raspa de Couro de
Cano Médio, Vestimenta de Segurança Tipo Perneira de Raspa de Couro
55

AVALIAÇÃO QUALITATIVA
DOS AGENTES QUIMICOS
56

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE AGENTES QUIMICOS


CONFORME NR 15 ANEXO 13 POR GRUPO HOMEGENEO DE
EXPOSIÇÃO
Setor: Transporte Aéreo
Função: Piloto

Data: Tipo de Exposição: Intermitente

Metodologia e Técnica Aplicada: A Metodologia e Técnica utilizada, esta descrita na Portaria


3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego, através da Norma Regulamentadora de Segurança
e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações Insalubres Anexo 13 Agentes Químicos.
Agente Químico: No Processo de Trabalho de Abastecimento de Aeronaves estão expostos a
Manuseio de Forma Manual a
Fonte Geradora: Líquidos Combustiveis Inflámaveis

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, o Trabalhador esta exposto a
Benzeno, intermitente durante a Jornada de Trabalho, em condições compatíveis do Agente
Ambiental ser nocivo ao Trabalhador trazendo Doenças Relacionadas ao Trabalho, enquadradas no
Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério da Previdencia Social, Ministério da Saúde, a empresa
devera adotar Medidas de Controle de Riscos Ambientais:

-Administrativas: Monitoramento Ambiental do Agente Quimico, Monitoramento Biologico do


Trabalhador, conforme NR 07 PCMSO, Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Agente
Quimico , Equipamentos de Proteção Individual EPI e Medidas de Controle, Ordens de Serviço de
Segurança e Medicina do Trabalho, Elaboração e Implementação do Programa de Proteção
Respiratoria PPR

-Coletivas: Não se Aplica

-Individuais: A Empresa devera fornecer e exigir o uso continuo e rotineiro durante a Jornada de
Trabalho por parte dos Trabalhadores, os seguintes Equipamentos de Proteção Individual EPI,
Respirador Tipo Purificador de Ar Peça Semi Facial Filtrante para Vapores Orgânicos Com Válvula
de Exalação Com Filtros Mecânicos, Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele Contra Agentes
Quimicos, Luva de Segurança Tipo Nitrilica Impermeável Tamanho Médio, Óculos de Segurança
Tipo Ampla Visão Lentes Incolores
57

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE AGENTES QUIMICOS


CONFORME NR 15 ANEXO 13 POR GRUPO HOMEGENEO DE
EXPOSIÇÃO
Setor: Transporte Rodoviário
Função: Técnico Agrícola

Data: Tipo de Exposição: Intermitente

Metodologia e Técnica Aplicada: A Metodologia e Técnica utilizada, está descrita na Portaria


3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego, através da Norma Regulamentadora de Segurança
e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações Insalubres Anexo 13 Agentes Químicos.
Agente Químico: No Processo de Trabalho de Abastecimento de Aeronaves estão expostos a
Manuseio de Forma Manual a
Fonte Geradora: Líquidos Combustiveis Inflámaveis

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, o Trabalhador esta exposto a
Benzeno, intermitente durante a Jornada de Trabalho, em condições compatíveis do Agente
Ambiental ser nocivo ao Trabalhador trazendo Doenças Relacionadas ao Trabalho, enquadradas no
Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério da Previdencia Social, Ministério da Saúde, a empresa
devera adotar Medidas de Controle de Riscos Ambientais:

-Administrativas: Monitoramento Ambiental do Agente Quimico, Monitoramento Biologico do


Trabalhador, conforme NR 07 PCMSO, Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Agente
Quimico , Equipamentos de Proteção Individual EPI e Medidas de Controle, Ordens de Serviço de
Segurança e Medicina do Trabalho, Elaboração e Implementação do Programa de Proteção
Respiratoria PPR

-Coletivas: Não se Aplica

-Individuais: A Empresa devera fornecer e exigir o uso continuo e rotineiro durante a Jornada de
Trabalho por parte dos Trabalhadores, os seguintes Equipamentos de Proteção Individual EPI,
Respirador Tipo Purificador de Ar Peça Semi Facial Filtrante para Vapores Orgânicos Com Válvula
de Exalação Com Filtros Mecânicos, Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele Contra Agentes
Quimicos, Luva de Segurança Tipo Nitrilica Impermeável Tamanho Médio, Óculos de Segurança
Tipo Ampla Visão Lentes Incolores
58

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE AGENTES QUIMICOS


CONFORME NR 15 ANEXO 13 POR GRUPO HOMEGENEO DE
EXPOSIÇÃO
Setor: Manutenção Mecânica Aérea
Função: Mecânico

Data: Tipo de Exposição: Intermitente

Metodologia e Técnica Aplicada: A Metodologia e Técnica utilizada, está descrita na Portaria


3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego, através da Norma Regulamentadora de Segurança
e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações Insalubres Anexo 13 Agentes Químicos.
Agente Químico: No Processo de Trabalho de Abastecimento de Aeronaves estão expostos a
Manuseio de Forma Manual a
Fonte Geradora: Líquidos Combustiveis Inflámaveis

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, o Trabalhador esta exposto a
Benzeno, intermitente durante a Jornada de Trabalho, em condições compatíveis do Agente
Ambiental ser nocivo ao Trabalhador trazendo Doenças Relacionadas ao Trabalho, enquadradas no
Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério da Previdencia Social, Ministério da Saúde, a empresa
devera adotar Medidas de Controle de Riscos Ambientais:

-Administrativas: Monitoramento Ambiental do Agente Quimico, Monitoramento Biologico do


Trabalhador, conforme NR 07 PCMSO, Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Agente
Quimico , Equipamentos de Proteção Individual EPI e Medidas de Controle, Ordens de Serviço de
Segurança e Medicina do Trabalho, Elaboração e Implementação do Programa de Proteção
Respiratoria PPR

-Coletivas: Não se Aplica

-Individuais: A Empresa devera fornecer e exigir o uso continuo e rotineiro durante a Jornada de
Trabalho por parte dos Trabalhadores, os seguintes Equipamentos de Proteção Individual EPI,
Respirador Tipo Purificador de Ar Peça Semi Facial Filtrante para Vapores Orgânicos Com Válvula
de Exalação Com Filtros Mecânicos, Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele Contra Agentes
Quimicos, Luva de Segurança Tipo Nitrilica Impermeável Tamanho Médio, Óculos de Segurança
Tipo Ampla Visão Lentes Incolores
59

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE AGENTES QUIMICOS


CONFORME NR 15 ANEXO 13 POR GRUPO HOMEGENEO DE
EXPOSIÇÃO
Setor: Manutenção Mecânica Aérea
Função: Mecânico

Data: Tipo de Exposição: Intermitente

Metodologia e Técnica Aplicada: A Metodologia e Técnica utilizada, está descrita na Portaria


3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego, através da Norma Regulamentadora de Segurança
e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações Insalubres Anexo 13 Agentes Químicos.
Agente Químico: No Processo de Trabalho de Abastecimento de Aeronaves estão expostos a
Manuseio de Forma Manual a
Fonte Geradora: Líquidos Combustiveis Inflámaveis

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, o Trabalhador esta exposto a
Benzeno, intermitente durante a Jornada de Trabalho, em condições compatíveis do Agente
Ambiental ser nocivo ao Trabalhador trazendo Doenças Relacionadas ao Trabalho, enquadradas no
Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério da Previdencia Social, Ministério da Saúde, a empresa
devera adotar Medidas de Controle de Riscos Ambientais:

-Administrativas: Monitoramento Ambiental do Agente Quimico, Monitoramento Biologico do


Trabalhador, conforme NR 07 PCMSO, Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Agente
Quimico , Equipamentos de Proteção Individual EPI e Medidas de Controle, Ordens de Serviço de
Segurança e Medicina do Trabalho, Elaboração e Implementação do Programa de Proteção
Respiratoria PPR

-Coletivas: Não se Aplica

-Individuais: A Empresa devera fornecer e exigir o uso continuo e rotineiro durante a Jornada de
Trabalho por parte dos Trabalhadores, os seguintes Equipamentos de Proteção Individual EPI,
Respirador Tipo Purificador de Ar Peça Semi Facial Filtrante para Vapores Orgânicos Com Válvula
de Exalação Com Filtros Mecânicos, Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele Contra Agentes
Quimicos, Luva de Segurança Tipo Nitrilica Impermeável Tamanho Médio, Óculos de Segurança
Tipo Ampla Visão Lentes Incolores
60

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE AGENTES QUIMICOS


CONFORME NR 15 ANEXO 13 POR GRUPO HOMEGENEO DE
EXPOSIÇÃO
Setor: Manutenção de Pátio
Função: Serviços Gerais

Data: Tipo de Exposição: Intermitente

Metodologia e Técnica Aplicada: A Metodologia e Técnica utilizada, está descrita na Portaria


3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego, através da Norma Regulamentadora de Segurança
e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações Insalubres Anexo 13 Agentes Químicos.
Agente Químico: No Processo de Trabalho de Abastecimento de Aeronaves estão expostos a
Manuseio de Forma Manual a
Fonte Geradora: Líquidos Combustiveis Inflámaveis

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, o Trabalhador esta exposto a
Benzeno, intermitente durante a Jornada de Trabalho, em condições compatíveis do Agente
Ambiental ser nocivo ao Trabalhador trazendo Doenças Relacionadas ao Trabalho, enquadradas no
Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério da Previdencia Social, Ministério da Saúde, a empresa
devera adotar Medidas de Controle de Riscos Ambientais:

-Administrativas: Monitoramento Ambiental do Agente Quimico, Monitoramento Biologico do


Trabalhador, conforme NR 07 PCMSO, Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Agente
Quimico , Equipamentos de Proteção Individual EPI e Medidas de Controle, Ordens de Serviço de
Segurança e Medicina do Trabalho, Elaboração e Implementação do Programa de Proteção
Respiratoria PPR

-Coletivas: Não se Aplica

-Individuais: A Empresa devera fornecer e exigir o uso continuo e rotineiro durante a Jornada de
Trabalho por parte dos Trabalhadores, os seguintes Equipamentos de Proteção Individual EPI,
Respirador Tipo Purificador de Ar Peça Semi Facial Filtrante para Vapores Orgânicos Com Válvula
de Exalação Com Filtros Mecânicos, Creme de Segurança Tipo Protetor da Pele Contra Agentes
Quimicos, Luva de Segurança Tipo Nitrilica Impermeável Tamanho Médio, Óculos de Segurança
Tipo Ampla Visão Lentes Incolores
61

AVALIAÇÃO QUALITAT

IVA DE AGENTES QUIMICOS CONFORME NR 15 ANEXO 12 POR


GRUPO HOMEGENEO DE EXPOSIÇÃO
Setor: Transporte Rodoviário
Função: Operador de Fábrica

Data: Tipo de Exposição:

Descrição Física do Ambiente de Trabalho:

Descrição da Função do Trabalhador:

Metodologia e Técnica Aplicada: A Metodologia e Técnica utilizada, esta descrita na Portaria


3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego, através da Norma Regulamentadora de Segurança
e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações Insalubres Anexo 13 Agentes Químicos
Agente Químico: No Processo de Trabalho de Formulação de Ração estão expostos a Poeiras
Minerais, enquadradas na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego NR 15 Atividades
e Operações Insalubres Anexo 12 Poeiras
Fonte Geradora: Processo de Formulação de Ração

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, o Trabalhador esta exposto a
a Poeiras Vegetais de forma habitual e intermitente durante a Jornada de Trabalho, em condições
compatíveis do Agente Ambiental ser nocivo ao Trabalhador trazendo Doenças Relacionadas ao
Trabalho, enquadradas no Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério da Previdencia Social,
Ministério da Saúde, a empresa devera adotar Medidas de Controle de Riscos Ambientais:

-Administrativas: Monitoramento Ambiental do Agente Quimico, Monitoramento Biologico do


Trabalhador, conforme NR 07 PCMSO, Treinamento de Segurança do Trabalho sobre Agente
Quimico , Equipamentos de Proteção Individual EPI e Medidas de Controle, Ordens de Serviço de
Segurança e Medicina do Trabalho, Elaboração e Implementação do Programa de Proteção
Respiratoria PPR

-Coletivas: A Empresa Instalar Equipamento de Proteção Coletiva EPC Sistema de Exaustão Local
e Geral para Extração das Poeiras Minerais geradas no Processo Industrial.

-Individuais: A Empresa devera fornecer e exigir o uso continuo e rotineiro durante a Jornada de
Trabalho por parte dos Trabalhadores, os seguintes Equipamentos de Proteção Individual EPI,
Respirador Tipo Purificador de Ar Peça Semi Facial Filtrante PFF2 para Poeiras Minerais Com
Válvula de Exalação Descartável
62

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE AGENTES QUIMICOS


CONFORME NR 15 ANEXO 12 POR GRUPO HOMOGENEO DE
EXPOSIÇÃO
Setor: Manutenção Mecânica Aérea
Função: Mecânico

Data: Tipo de Exposição:

Descrição Física do Ambiente de Trabalho:

Descrição da Função do Trabalhador:

Técnica e Metodologia Aplicada: A Técnica e Metodologia Aplicada para Avaliação Qualitativa de


Agentes Químicos, esta na enquadrada na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego e
na Norma Regulamentadora de Segurança e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações
Insalubres Anexo 12 Agentes Químicos Poeiras Minerais
Fonte Geradora: Oleo Mineral (Hidrocarbonetos Aromáticos)

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, verificou-se na Inspeção no
Local de Trabalho de Forma Qualitativa, que o Trabalhador de forma Intermitente no Processo de
Manutenção Mecãnica manuseia de forma manual Oleo Mineral (Hidrocarbonetos Aromáticos), o
Agente Quimico aqui Inspecionado é Nocivo ao Trabalhador, podendo trazer Doenças Ocupacionais
sérias como Dermatite de Contato. Não foi observado na Inspeção no Local de Trabalho que o
Trabalhador faça o uso obrigatório e rotineiro de Equipamento de Proteção Individual EPI Creme de
Segurança Tipo Protetor da Pele para neutralizar os efeitos do Agente Quimico.
63

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE AGENTES QUIMICOS


CONFORME NR 15 ANEXO 13 POR GRUPO HOMOGENEO DE
EXPOSIÇÃO
Setor: Manutenção de Pátio
Função: Mecânico de Manutenção

Data: Tipo de Exposição:

Descrição Física do Ambiente de Trabalho:

Descrição da Função do Trabalhador:

Técnica e Metodologia Aplicada: A Técnica e Metodologia Aplicada para Avaliação Qualitativa de


Agentes Químicos, esta na enquadrada na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego e
na Norma Regulamentadora de Segurança e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações
Insalubres Anexo 13 Agentes Químicos – Inspeção no Local de Trabalho.
Agentes Químicos: No Processo de Manutenção Mecânica, no Trabalho de Lubrificação de
Máquinas e Equipamentos, o Trabalhador esta exposto ao Manuseio de Forma Manual de Óleo
Mineral contendo em sua composição (Hidrocarbonetos Aromáticos). Agentes Químicos
enquadrados na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego NR 15 Atividades e
Operações Insalubres Anexo 13 Agentes Químicos
Fonte Geradora: Oleo Mineral (Hidrocarbonetos Aromáticos)

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, verificou-se na Inspeção no
Local de Trabalho de Forma Qualitativa, que o Trabalhador de forma Intermitente no Processo de
Manutenção Mecãnica manuseia de forma manual Oleo Mineral (Hidrocarbonetos Aromáticos), o
Agente Quimico aqui Inspecionado é Nocivo ao Trabalhador, podendo trazer Doenças Ocupacionais
sérias como Dermatite de Contato. Não foi observado na Inspeção no Local de Trabalho que o
Trabalhador faça o uso obrigatório e rotineiro de Equipamento de Proteção Individual EPI Creme de
Segurança Tipo Protetor da Pele para neutralizar os efeitos do Agente Quimico.
64

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE AGENTES QUIMICOS


CONFORME NR 15 ANEXO 11 POR GRUPO HOMOGENEO DE
EXPOSIÇÃO
Setor: Transporte Aéreo
Função: Piloto

Data: Tipo de Exposição: Intermitente

Técnica e Metodologia Aplicada: A Técnica e Metodologia Aplicada para Avaliação Qualitativa de


Agentes Químicos, esta na enquadrada na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego e
na Norma Regulamentadora de Segurança e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações
Insalubres Anexo 11 Agentes Químicos
Agentes Químicos: No Processo de Abastecimento de Aeronaves, estão expostos a

Fonte Geradora: Querosene

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, verificou-se na Inspeção no
Local de Trabalho de Forma Qualitativa, que o Trabalhador de forma intermitente esta exposto a
querosene, estando este Agente Químico enquadrado no Anexo 11 na NR 15. Devendo a Empresa
realizar Avaliação Quantitativa de Agentes Químicos, para verificar os Níveis de Concentração no
Ambiente de Trabalho, comparando com os Limites de Tolerância.

Setor: Transporte Rodoviário


Função: Técnico Agrícola

Data: Tipo de Exposição: Intermitente

Técnica e Metodologia Aplicada: A Técnica e Metodologia Aplicada para Avaliação Qualitativa de


Agentes Químicos, está na enquadrada na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego e
na Norma Regulamentadora de Segurança e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações
Insalubres Anexo 11 Agentes Químicos
Agentes Químicos: No Processo de Abastecimento de Aeronaves, estão expostos a

Fonte Geradora: Querosene

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, verificou-se na Inspeção no
Local de Trabalho de Forma Qualitativa, que o Trabalhador de forma intermitente esta exposto a
querosene, estando este Agente Químico enquadrado no Anexo 11 na NR 15. Devendo a Empresa
realizar Avaliação Quantitativa de Agentes Químicos, para verificar os Níveis de Concentração no
Ambiente de Trabalho, comparando com os Limites de Tolerância.
65

Setor: Manutenção Mecânica Aérea


Função: Mecânico

Data: Tipo de Exposição: Intermitente

Técnica e Metodologia Aplicada: A Técnica e Metodologia Aplicada para Avaliação Qualitativa de


Agentes Químicos, está na enquadrada na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego e
na Norma Regulamentadora de Segurança e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações
Insalubres Anexo 11 Agentes Químicos
Agentes Químicos: No Processo de Abastecimento de Aeronaves, estão expostos a

Fonte Geradora: Querosene

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, verificou-se na Inspeção no
Local de Trabalho de Forma Qualitativa, que o Trabalhador de forma intermitente esta exposto a
querosene, estando este Agente Químico enquadrado no Anexo 11 na NR 15. Devendo a Empresa
realizar Avaliação Quantitativa de Agentes Químicos, para verificar os Níveis de Concentração no
Ambiente de Trabalho, comparando com os Limites de Tolerância.

Setor: Higienização
Função: Serviços Gerais

Data: Tipo de Exposição: Intermitente

Técnica e Metodologia Aplicada: A Técnica e Metodologia Aplicada para Avaliação Qualitativa de


Agentes Químicos, está na enquadrada na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego e
na Norma Regulamentadora de Segurança e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e Operações
Insalubres Anexo 11 Agentes Químicos
Agentes Químicos: No Processo de Abastecimento de Aeronaves, estão expostos a

Fonte Geradora: Querosene

Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições


observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho, verificou-se na Inspeção no
Local de Trabalho de Forma Qualitativa, que o Trabalhador de forma intermitente esta exposto a
querosene, estando este Agente Químico enquadrado no Anexo 11 na NR 15. Devendo a Empresa
realizar Avaliação Quantitativa de Agentes Químicos, para verificar os Níveis de Concentração no
Ambiente de Trabalho, comparando com os Limites de Tolerância.
66

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE AGENTES BIOLOGICOS


CONFORME NR 15 ANEXO 14 POR GRUPO HOMOGENEO DE
EXPOSIÇÃO
Setor: Zeladoria
Funções: Faxineira

Data: Exposição: Habitual e Continua


Metodologia e Técnica Aplicada: A Metodologia e Técnica Aplicada para Avaliação Qualitativa de
Agentes Biológicos, esta enquadrada na Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego,
através da Norma Regulamentadora de Segurança e Medicina do Trabalho NR 15 Atividades e
Operações Insalubres Anexo 14 Agentes Biológicos – Inspeção no Local de Trabalho
Fonte Geradora: No Processo de Trabalho de Recepção das Aves Vivas, os Trabalhadores estão
expostos a Agentes Biologicos dissipados pelas Aves no Meio Ambiente de Trabalho, Fluídos
Corporeos, Fezes, Dejeções dos Animais
Parecer Técnico da Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho: Para as condições
observadas no Meio Ambiente de Trabalho e nos Postos de Trabalho aonde são desenvolvidos as
Atividades Funcionais do Trabalhador, na Inspeção no Local de Trabalho, observou-se o contato
direto do Trabalhador com Agentes Biologicos, que estão enquadrados na Portaria 3.214/78 do
Ministério do Trabalho e Emprego, NR 15 Atividades e Operações Insalubres Anexo 14 Agentes
Biológicos. Os Agentes Biologicos aos quais os Trabalhadores estão expostos são caracterizados
como Nocivos a Saúde e Integridade Física do Trabalhador, geradores de Doenças Oculares,
Doenças Respiratórias enquadradas na Relação de Doenças do Ministério do Trabalho e Emprego,
Ministério da Previdência Social, Ministério da Saúde. A Empresa devera adotar Medidas de
Controle de Riscos Ambientais:

-Administrativas: Monitoramento Ambiental Qualitativa dos Agentes Biologicos, Monitoramento


Biologico do Trabalhador. Conforme NR 07 PCMSO, Treinamentos de Segurança do Trabalho,
sobre Agentes Biologicos e Equipamentos de Proteção Individual EPI e Medidas de Controle,
Elaboração e Implementação do Programa de Proteção Respiratória PPR para Agentes Biologicos,
Elaboração e Implementação de Ordens de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho,
Programa de Segurança Biologica Assepsia e Higienização das Mãos, Asseio Corporal.

-Individuais: A Empresa devera Fornecer e exigir o uso durante a Jornada de Trabalho, os


seguintes Equipamentos de Proteção Individual EPI

-Touca de Segurança.
-Óculos de Segurança Tipo Ampla Visão Com Lentes Incolores.
-Respirador Purificador de Ar Tipo Peça Semi Facial Filtrante para Agentes Biológicos.
-Luva de Segurança Tipo Nitrilica de Cano Médio Impermeável
-Vestimenta de Segurança Tipo Avental de Trevira Impermeável.
-Calçado de Segurança Tipo Botina de PVC de Cano Médio Impermeável.
67

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA
DE AGENTE ERGONÔMICO
68

Data da Avaliação:
Horário da Avaliação: ( ) Nublado ( X ) Ensolarado

Nível de Iluminância (Lux) Exigência da NBR


Setor Ponto de Medição
Dia Noite Tipo 5413/92 (Lux)
Posto de Trabalho/Ambiente
380 - Geral 380 250/300
Geral
Gerência Agrícola Posto de Trabalho/Ambiente - Geral 250/300
420 420
Geral – Mesa de Trabalho
Posto de Trabalho/Ambiente - Geral 250/300
390 390
Geral - Computador
Transporte Aéreo Posto de Trabalho/Ambiente - Natural 350/500
900 900
Aeronave I Geral
Transporte Aéreo Posto de Trabalho/Ambiente - Natural 350/500
980 980
Aeronave II Geral
Posto de Trabalho/Ambiente - Natural 350/500
Transporte Aéreo III 990 990
Geral
Posto de Trabalho/Ambiente - Natural 350/500
Transporte Aéreo IV 1100 1100
Geral
Transporte Rodoviário Posto de Trabalho/Ambiente - Natural 250/300
600 600
Caminhão I Geral
Transporte Rodoviário Posto de Trabalho/Ambiente - Natural 250/300
680 680
Caminhão II Geral
Transporte Rodoviário Posto de Trabalho/Ambiente - Natural 250/300
550 550
Caminhão III Geral
Transporte Rodoviário Posto de Trabalho/Ambiente - Natural 250/300
590 590
Caminhão IV Geral
Manutenção Mecânica - Natural 250/300
Posto de Trabalho/Ambiente
Aérea 390 390
Geral
Ambiente Geral
Manutenção Mecânica - Natural 250/300
Posto de Trabalho/Ambiente
Aérea 360 360
Geral
Posto Soldagem
Manutenção Mecânica - Natural 250/300
Posto de Trabalho/Ambiente
Aérea 370 370
Geral
Posto Oxicorte
Manutenção Mecânica - Natural 250/300
Posto de Trabalho/Ambiente
Aérea 390 390
Geral
Posto Furadeira
Manutenção Mecânica - Natural 250/300
Aérea Posto de Trabalho/Ambiente
375 375
Posto Esmeril de Geral
Bancada
Manutenção Mecânica - Natural 250/300
Posto de Trabalho/Ambiente
Aérea 320 320
Geral
Jateamento
Manutenção Mecânica - Natural 250/300
Posto de Trabalho/Ambiente
Aérea 360 360
Geral
Policorte de Bancada

Obs.: Legenda da coluna TIPO


(*) Adequar os níveis de iluminação à Norma Técnica NBR 5413 da ABNT,
conforme NR-17 – item 17.5.3.3 da Portaria 3214/78 do MTE N=Natural A=Artificial G=Geral S=Suplementar
69

CRONOGRAMA DE AÇÃO DO
PPRA
70

GRAU DE
Antecipação de Riscos Ambientais
PRIORIDADE
Recomendações Técnicas:
- Todos os Trabalhadores devem receber Treinamento de Segurança do
Trabalho, sobre Integração de Segurança do Trabalho e demais Treinamentos
de Segurança conforme Cronograma de Ação do PPRA.
Alta -A Empresa devera Elaborar e Implementar as Ordens de Serviço de
Segurança e Medicina do Trabalho.
-A Empresa devera Elaborar Manual de Segurança do Trabalho para Os
Trabalhadores

Conforme determina a NR 01 Disposições Gerais


MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto
Realizado
Recomendações Técnicas:
- A Empresa pelo seu Grau de Risco e Número de Trabalhadores devera
Constituir a CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes.
-A Empresa devera providenciar Curso para Formação de Membros da CIPA,
com Carga Horária de 20 Horas.
Alta -A CIPA em conjunto com a Empresa e demais Trabalhadores devera Elaborar
e Implementar o Mapa de Risco Ambiental.
-A CIPA em conjunto com a Empresa e demais Trabalhadores devera Elaborar
e Implementar a SIPAT – Semana Interna de Prevenção de Acidentes de
Trabalho uma vez ao ano.
Conforme NR 05 Cipa
MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto
Realizado
Recomendações Técnicas:
-A Empresa devera efetuar o Dimensionamento Técnico dos Equipamentos de
Proteção Individual EPI através do SESMT, de acordo com o Risco Ambiental,
Função e o Setor de Trabalho do Trabalhador.
-A Empresa devera criar Procedimentos para aquisição de Equipamentos de
Proteção Individual EPI, sendo o Responsável pelas Compras, Treinado pelo
SESMT.
-A Empresa devera criar Procedimentos para Distribuição dos Equipamentos
Alta de Proteção Individual EPI, sendo o Responsável pelas Entregas de EPI,
Treinado pelo SESMT.
-A Empresa devera criar Procedimentos para Uso, Guarda, Conservação e
Higienização dos Equipamentos de Proteção Individual EPI por parte dos
Trabalhadores.
-Todos os Trabalhadores usuários de Equipamentos de Proteção Individual
devem ser submetidos a Treinamento de Segurança do Trabalho sobre
Equipamentos de Proteção Individual EPI e Medidas de Controle
Conforme NR 06 Equipamento de Proteção Individual EPI
MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
71

Previsto
Realizado

Recomendações Técnicas:
-A Empresa devera Elaborar e Implementar o Programa de Controle Médico de
Saúde Ocupacional PCMSO, tendo o Médico do Trabalho como seu
Coordenador.
-A Empresa manter todos os Exames de Saúde Ocupacional e
Complementares dentro do Prazo de Vencimento de acordo com o PCMSO.
-A Empresa devera solicitar ao Médico do Trabalho Coordenador do PCMSO,
que emita Anualmente o Relatório Anual de todos os Exames de Saúde
Ocupacional as quais os Trabalhadores foram submetidos.
-A Empresa devera manter Caixa de Primeiros Socorros de acordo com a
Recomendação do Médico do Trabalho no PCMSO, tendo uma pessoa
responsável para entrega de medicamentos devidamente treinada para esse
fim.
-A Empresa devera promover Treinamento de Segurança do Trabalho de
Alta Primeiros Socorros, para cada Setor de Trabalho, devendo no mínimo dois
Trabalhadores Treinados por Profissional Habilitado em Primeiros Socorros.
-A Empresa devera solicitar ao Médico do Trabalho que faça o
Acompanhamento das Campanhas de Vacina de Interesse Ocupacional,
registrando no Prontuário Médico de cada Trabalhador as Vacinas.
-O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCMSO, devera ser
discutido pela CIPA em uma Reunião Ordinária.
-O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional devera ser
Reavaliado uma vez ao ano.
-Os Trabalhadores devem ser informados sobre os Resultados dos Exames
Médicos de Saúde Ocupacional dos quais foram submetidos.
Conforme NR 07 PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde
Ocupacional

MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/11 Fev/11 Mar/11 Abr/11 Mai/11 Jun/11 Jul/11 Ago/11 Set/11
Previsto
Realizado

Recomendações Técnicas:
-A Empresa devera Elaborar e Implementar o Programa de Prevenção de Riscos
Ambientais PPRA.
-A Empresa devera designar um Responsável que será o Coordenador do PPRA.
-A Empresa devera discutir e aprovar o Cronograma de Ações do PPRA, definindo
prazos para a execução das Medidas de Controle.
Alta
-A Empresa devera realizar Avaliação Quantitativa de Agentes Ambientais Químicos,
que se encontram nos seguintes Setores (Fábrica de Rações, Limpeza, Higienização,
Manutenção).
-O Documento Base PPRA, devera ser discutido em uma Reunião Ordinária da CIPA.
-A Empresa devera realizar a Reavaliação do PPRA uma vez ao ano.
Conforme NR 09 Programa de Prevenção de Riscos Ambientais PPRA
MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto
Realizado
72

Recomendações Técnicas:
- A Empresa devera Elaborar e Implementar Projeto Elétrico e Prontuário de
Instalações Elétricas.
-A Empresa devera adotar Medidas de Controle contra os Riscos Elétricos, através de
Procedimentos.
-Todas as Máquinas, Equipamentos, Ferramentas Elétricas, Motores Elétricos, devem
Alta dispor de Aterramento Elétrico e Dispor de Sistema de Proteção Coletiva EPC para
Neutralizar os Riscos co Umidade e Descargas Elétricas.
-A Empresa devera Providenciar Sinalização de Segurança Elétrica em Todos os
Painéis Elétricos, Caixas de Força, Cabines Primárias de Força, Tomadas Elétricas.
-A Empresa devera Providenciar Manutenção Elétrica Geral em toda a Empresa,
através de Profissional devidamente habilitado NR 10.
Conforme NR 10 Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade
MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto
Realizado
Recomendações Técnicas:
-A Empresa devera definir Política de Manutenção Mecânica com relação às Esteiras
Transportadoras, Nórias, principalmente constando manutenção nos Itens de
Alta Segurança.
-A Empresa devera adequar Sistema de Armazenamento de Produtos, respeitando-se
50 Cm da Lateral da Edificação, e que não obstrua o Trânsito de Trabalhadores.
Conforme NR 11 Transportes, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais
MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto
Realizado

Recomendações Técnicas:
-Todas as Máquinas e Equipamentos, devem dispor de Sistema de Proteção Coletiva
EPC, que impeça o acesso dos Membros Inferiores dos Trabalhadores (Mãos).
-Os Sistemas de Proteção Coletiva EPC, podem ser Fixos ou Móveis, devendo ser de
Materiais resistentes e que não ofereçam riscos aos Trabalhadores.
-Todas as Vias de Transmissão de Força de Máquinas e Equipamentos devem estar
Protegidas por Sistema de Proteção Coletiva EPC, que impeça pontos de Pinçamento,
Agarramentos dos Membros dos Trabalhadores.
-Todas as Máquinas e Equipamentos devem Dispor de Sistema de Parada Automática
de Emergência, devendo esse Sistema estar Próximo a Área de Operação do
Alta Trabalhador.
-Todas as Máquinas e Equipamentos devem estar devidamente Aterrados
Eletricamente e com Sistema de Proteção Coletiva EPC, que Neutralizem os Riscos
de Umidade e Descargas Elétricas.
-Os Pisos dos Locais de Trabalho, aonde sejam Instaladas Máquinas e Equipamentos,
devem dispor de Demarcação de Segurança a Nível do Piso do Local de Trabalho,
destinando espaços para Áreas de Corredores, Vias de Acesso, Áreas de Produção,
Área de Armazenamento.
-Todos os Trabalhadores envolvidos nas Operações com Máquinas e Equipamentos,
devem serem submetidos a Treinamento de Segurança do Trabalho obrigatório e
somente poderão operar a partir do Treinamento.
Conforme NR 12 Máquinas e Equipamentos
MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto
Realizado
73

Previsto
Realizado
Recomendações Técnicas:
-A Empresa devera providenciar Projeto da Casa de Caldeiras.
-Prontuário Técnico ou Reconstituição da Caldeira.
-A Empresa devera providenciar Manual Técnico de Operações da Caldeira.
-A Empresa devera providenciar Laudo de Inspeção Técnica da Caldeira de acordo
com sua Categoria, o mesmo devera ter o Registro do Sindicato da Categoria
Profissional dos Trabalhadores.
-A Empresa devera Providenciar Melhorias Físicas no Setor de Caldeira, conforme
descrito no Reconhecimento de Riscos Ambientais do Setor.
-A Empresa devera providenciar Curso de Capacitação Técnica para Operadores de
Alta Caldeira ou Admitir Operadores de Caldeira, com o Curso e exigir o Estágio Prático da
Caldeira que ira Operar.
-A Empresa devera providenciar Prontuário Técnico ou a Reconstituição dos Vasos de
Pressão (Compressores de Ar).
-A Empresa devera providenciar Laudo de Inspeção Técnica dos Vasos de Pressão
(Compressores de Ar), os mesmos devem ter o Registro no Sindicato da Categoria
Profissional dos Trabalhadores.
-A Empresa devera promover Melhorias Físicas aonde estão Instalados os Vasos de
Pressão.
-A Empresa devera Promover Curso de Capacitação Técnica para os Operadores de
Unidades de Processo (Vaso de Pressão de Amônia).
Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto
Realizado
Recomendações Técnicas:
-A Empresa devera Elaborar e Implementar o Laudo Técnico de
Insalubridade/Periculosidade para Fins Trabalhistas, devendo uma cópia do mesmo
estar Registrado no Sindicato da Categoria Profissional dos Trabalhadores.
-A Empresa devera Elaborar e Implementar o Laudo Técnico de Condições Ambientais
do Trabalho para Fins Previdenciários LTCAT, devendo uma cópia do mesmo estar
Registrado no Sindicato da Categoria Profissional dos Trabalhadores
Alta -A Empresa devera Elaborar o Perfil Profissiográfico Previdenciário PPP, com base no
PPRA, PCMSO, Laudo Técnico de Insalubridade/Periculosidade, Laudo Técnico de
Condições Ambientais do Trabalho LTCAT, devendo ser entregue ao Trabalhador no
momento do desligamento da empresa uma Cópia, ficando uma Via na Empresa para
Fins de Fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego/Ministério da Previdência
Social
Conforme NR 15 Atividades e Operações Insalubres. NR 16 Atividades e Operações
Perigosas e Instruções Normativas do INSS

Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Realizado
Recomendações Técnicas:
-A Empresa devera Elaborar e Implementar o Programa de Conservação Auditiva PCA
(Para os Trabalhadores Expostos a Níveis de Pressão Sonora – Ruído acima do
Limites de Tolerância da NR 15.
-A Empresa devera Elaborar e Implementar o Programa de Proteção Respiratória PPR
(Para os Trabalhadores Expostos aos Riscos Biológicos e Químicos).
Alta
Conforme NR 15 Atividades e Operações Insalubres, NR 01 Disposições Gerais, NR
06 Equipamento de Proteção Individual EPI, NR 07 PCMSO, NR 09 PPRA e
Instruções Normativas do Ministério do Trabalho e Emprego e Ministério da
Previdência Social.
74

Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12

Previsto Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12

Previsto
Realizado
Recomendações Técnicas:
-A Empresa devera Providenciar a Instalação de Linhas de Vida (Cabos-de-Aço), nas
Atividades Realizadas acima de Dois Metros de Altura, para Fixação do Cinto de
Segurança.
-As Escadas, Passarelas, Andaimes, utilizados nos Trabalhos em Altura devem dispor
Alta de Dispositivos de Segurança Obrigatórios que impeçam a Queda dos Trabalhadores.
-Todos os Trabalhadores envolvidos em Trabalho em Altura, obrigatoriamente devem
possuir Curso de Capacitação Técnica Segurança em Trabalhos em Altura, com Carga
Horária Mínima de 16 Horas.
Conforme NR 18

Recomendações Técnicas:
-A Empresa devera destinar Local adequado para guarda e conservação de Líquido
Combustíveis Inflamáveis, devendo estar em Local longe de fontes de ignição,
Alta devidamente sinalizados, em local coberto e arejado.
-Todos os Trabalhadores envolvidos nos Processos com Líquido Combustíveis
Inflamáveis devem Receber Treinamento de Segurança do Trabalho.
Conforme NR 20 Líquidos Combustíveis Inflamáveis

MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto
Realizado

Recomendações Técnicas:
-A Empresa pela sua Área Física Construída, Grau de Risco devera providenciar o
Projeto de Incêndios, de acordo com o Código de Postura do Corpo de Bombeiros do
Estado do Paraná.
-A Empresa pelo seu Grau de Risco e Número de Trabalhadores, devera Constituir a
Brigada de Incêndio, com no mínimo 10% do seu Quadro de Trabalhadores, devendo
estar na Brigada de Incêndio no mínimo dois Trabalhadores de cada Setor.
-A Empresa devera providenciar Treinamento Básico de Prevenção e Combate a
Incêndios com Todos os Trabalhadores do Quadro Funcional.
-A Empresa devera Redimensionar os Equipamentos de Prevenção e Combate a
Alta Incêndios, Extintores de Incêndios, de acordo com a Área Física do Local de Trabalho,
Classe de Fogo. Os Extintores de Incêndio devem estar devidamente sinalizados e
não podem estar obstruídos.
-Para cada Extintor de Incêndio devera haver uma Ficha de Controle, constando, datas
das inspeções, manutenções.
-A Empresa devera providenciar a Sinalização de Segurança de Emergência, nas
Entradas, Saídas, Rotas de Fuga em caso de Principio do Incêndio.
-A Empresa devera providenciar Exercícios de Alerta Simulados para todo o Quadro
Funcional anualmente sobre Principio de Incêndio
Conforme NR 23 Proteção Contra Incêndios

MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto
Realizado
75

MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto

A Empresa deverá ande a NR 20, com relação ao abaixo:


-Projeto Mecânico;
Alta -Projeto Elétrico;
-Inventário das Instalações Elétricas;
-Treinamento dos Trabalhadores. Conforme NR 20

MESES/ ANO Out/11 Nov/11 Dez/11 Jan/12 Fev/12 Mar/12 Abr/12 Mai/12 Jun/12 Jul/12 Ago/12 Set/12
Previsto
Realizado

A Empresa deverá atender a NR 35, com relação abaixo:

Alta -Projeto de Instalação de Linha de Vida;


-Treinamento dos Trabalhadores. Trabalho em Altura. Conforme NR 35.
76

Declaração de Responsabilidade

Esta Análise Global do PPRA constitui o Planejamento Anual do Programa de Prevenção


de Riscos Ambientais. Conforme Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego
NR 09 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais.

Representa o compromisso da empresa no período indicado visando à preservação da


saúde e da integridade de seus trabalhadores.

Descreve as ações principais a serem desenvolvidas pela empresa. Com indicação das
metas, estratégia e metodologia de ação, cronograma, e responsáveis pela execução. O
planejamento dessas ações teve como base o relatório de inicial de “Identificação e
Avaliação de Riscos Ambientais” onde foram indicadas as prioridades de avaliações
quantitativas e medidas de controle de riscos ambientais.

O acompanhamento da implementação das Medidas de Controle de Riscos Ambientais


propostas no Cronograma de Ação do PPRA, será de responsabilidade da Empresa,
através de sua Direção e de Responsáveis pela Coordenação do Programa de Prevenção
de Riscos Ambientais por ela indicada.

As eventuais alterações deste Cronograma de Ação do PPRA durante o período de sua


vigência, serão descritas e anexadas a este documento, que estará acessível a todos os
funcionários da empresa e autoridades.

A Empresa Aviação Agrícola Agiota, terá o Sr. João , que será o Coordenador do PPRA.
Sendo o Responsável pela Implementação de Ações de Segurança e Medicina do
Trabalho e pelas Medidas de Controle de Riscos Ambiental Propostas no Cronograma de
Ação na Análise Global do PPRA Período de Janeiro/2016 a Janeiro/2017

Miraselva-Pr. 08 de Dezembro de 2.015

Assinatura do Responsável pela Empresa


77

Declaração de Responsabilidade Técnica

Esta Análise Global do PPRA constitui o Planejamento Anual do Programa de Prevenção


de Riscos Ambientais. Conforme Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego
NR 09 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais.

Foi elaborada pelos Profissionais de Segurança do Trabalho, abaixo relacionados:

Ana Cristina De Sarro


Engenheira de Segurança do Trabalho
CAU:

Antônio Carlos A. Higino


Técnico em Higiene Ocupacional
Reg:

Miraselva-Pr. 08 de Dezembro de 2.015


78
79