Você está na página 1de 4

Editorial Excelentes prestações

O nosso CluVe continua empenhado na dignifi- dos atletas do Cluve


cação do Atletismo Master. Este “espaço” deve ser de
inclusão, convívio e competição saudável. Por isso,
tudo o que envolva aprovar alterações ao actualmen-
te existente, carece sempre de auscultação prévia
Carlos Gonçalves
aos nossos atletas. Vem isto a propósito do sucedi-
do na última Assembleia Geral da ANAV. O ponto 4 “Apresentação
do projecto de “Tabela de pontuação c/mínimos por atribuição de
medalhas nos Campeonatos Nacionais de Atletismo Veteranos”.
Depois de uma atabalhoada discussão, foi surpreendentemente
colocado à votação. O CluVe votou contra. E votou contra pelo que
acima escrevemos. O assunto não havia sido discutido e muito me-
nos se perspectivava a sua votação. Absurdo foi, ainda, dar-se a
Campeonato Nacional Pista Coberta - Braga - data
palavra a um dos elementos que iria apresentar o tal projecto, após
24 títulos nacionais (16F + 8M)
a votação.
Cluve é Campeão Nacional Feminino e 3º lugar no masculino.
Porque todas as possiveis alterações são legítimas, des-
de que, previamente divulgadas e opinadas, entendeu a Direcção Campeonato Nacional Lançamentos Longos - Lisboa - data
do CluVe, na sua reunião após esta AG, promover um Forum para 24 títulos nacionais (15F + 9M)
se debater todas as ideias. Cluve é Campeão Nacional Feminino e 3º lugar no masculino.
Não tem de haver unanimidades, mas sim a coragem de
Campeonato Nacional Pentatlo PC - Pombal - Dat
darmos os nossos contributos, olhos nos olhos, num local e espaço
2 títulos nacionais masculinis
onde se “respire” o Atletismo Veterano.
Dia 12 de Outubro, esperamos pela vossa presença! Campeonato Nacional Maratona - Aveiro
Entretanto, o Pelouro do Desporto da Câmara Municipal 1 título nacional
de Coimbra decidiu que a entrada para a pista do Estádio Cidade Cluve é Vice-Campeão Nacional por equipas
de Coimbra fosse feita pela porta frontal e não pela porta da Ma- Campeonato do Mundo Atletismo Master Pista Coberta
ratona e colocando um recepcionista, dando outra dignidade no Torun (Polónia)
acesso e um melhor atendimento.
O CluVe, agradece na pessoa do Vereador Carlos Cidade,
esta alteração tão desejada por todos.
O Atletismo de Coimbra continua a melhorar!

O CluVe felicita todos os seus atletas pela sua


superação diária, pela maneira como dignifi-
cam o CluVe, o Atletismo Veterano e Coimbra!
Casos de Arbitragem Porque pratico Atletismo
No Campeonato Nacional de Masters, ocorrido nos Lançado o repto pelo nosso ami-
dias 2 e 3 de Março de 2019, em Braga, sob a Direcção da go Jorge Carvalho para escrever um peque-
ANAV, ocorreu a seguinte situação: no artigo sobre a minha motivação pela prá-
Nos 200 metros, na categoria F 60, numa pista com 4 tica do atletismo, para publicar no boletim do
Helena Carvalho pistas ovais, compareceram 5 atletas. Questionei o árbitro CluVe, apresento de seguida um breve texto
de Braga das provas de corridas, que disse que contraria- sobre as principais razões que me levam a
mente à sua opinião, o Delegado Técnico da ANAV deu indicações para praticar a modalidade.
que na pista 1 corressem duas atletas, para que a outra atleta de um 1. Saúde e bem-estar
escalão superior não fosse sozinha na sua série. Na vida, desde bem cedo, perce-
A situação anterior contradiz a regra 214, das regras de compe- bi a importância da corrida no equilíbrio do
tição de atletismo, no seu artigo 6.a), modo de realização das corridas, re- corpo, quer no plano motor quer mental, pelo
fere que as corridas até 300m, terão de ser corridas totalmente em pistas Pedro Gerardo que o meu bem-estar sempre foi sustentado
individuais. e potenciado pela prática regular do atletis-
mo. Hoje, ainda com mais relevância, a corrida tem um papel essencial
As nossas classificações na preservação da saúde, com especial incidência no regular e bom fun-
cionamento do aparelho digestivo e no controlo de dores que, volta e
Infelizmente não conseguimos, no nosso Boletim, divulgar to-
meia cá vão aparecendo para chatear.
das as participações, classificações e marcas dos nossos atletas. Feliz-
2. Convivialidade
mente que são muitas. Na época 2017/2018 os nossos atletas tiveram
Treinar sozinho é agradável, mas em companhia é melhor. A
930 participações individuais (718 veteranos, 27 seniores e 185 jovens).
partilha, por vezes com humor, de opiniões sobre a modalidade e de ou-
O maior registo de sempre na vida do CluVe. Na corrente época o pano-
tros aspetos relacionados, assim como de assuntos diversos da atualida-
rama mantém-se.
de, fazem dos treinos momentos de boa disposição e empatia recíproca.
No entanto, todas elas são divulgadas no nosso Blog (cluve-
Por regra, nós, praticantes, promovemos naturalmente a convivialidade,
coimbra.blogspot.com) e no nosso facebook (www.facebook.com/cluve.
sendo todos bem-vindos, aceites e incluídos em qualquer grupo que pra-
coimbra.37).
tique a modalidade.
3. Participação e competição
Fazer parte do pequeno ou grande grupo que participa em
provas é sempre desafiante. A atmosfera positiva gerada por todos, em
que cada um dá o melhor de si, gerando desafios pessoais e coletivos
cluvecoimbra.blogspot.com www.facebook.com/cluve.coimbra.37 que podem passar por objetivos bem diferentes como chegar ao fim ou
fazer um bom tempo, é algo a que não fico alheio. Também, por vezes,
A nossa Escola está de parabéns não escondo, gosto de competir “a sério” com os demais rivais destas
andanças, espírito competitivo este que logo se desvanece quando ter-
O CluVe - Escola de Atletismo Helena Carvalho classificou-se minam as provas. De adversários na competição, passam de imediato à
em 42º lugar (entre 149 clubes) no Campeonato Nacional Clubes 2019 condição de companheiros que estimo (e vice-versa) e em que amizade
- Torneio Atleta Completo (Infantis, Iniciados e Juvenis, masculinos e fe- se impõe e é comummente partilhada.
mininos), com 9 425 pontos. 4. Turismo desportivo e cultural
A juntar a este classificação, registe-se as excelentes presta- As principais provas nacionais e internacionais têm sido para
ções dos nossos jovens nos distritais e outras competições. mim como que um guia turístico que tem possibilitado conhecer melhor
Trabalhar! Trabalhar! o nosso país, assim como locais no estrangeiro que improvavelmente
Parabéns aos nossos jovens atletas e seus treinadores! viria a visitar. A participação em eventos desportivos, principalmente os
internacionais, para além da prática da modalidade, permite conhecer
realidades culturais muito interessantes (de que destaco as vivenciadas
no Oriente). Este modo de turismo desportivo/cultural tem sido igualmen-
te surpreendente no que toca ao conhecimento e interação dos portu-
gueses espalhados pela diáspora, lusitanos estes que, por vezes, alguns
quase não falando português, estando a milhares de km da Pátria e sem
a visitar há muitos anos, têm um imenso orgulho por Portugal - acho isto
extraordinário!

O Concurso público, aberto pela Câmara Municipal de Coim- A forma atabalhoada como decorreu a última Assembleia Geral
bra, para a reabilitação da pista de Atletismo do Estádio Cidade da ANAV e, uma vez mais, as poucas presenças.
de Coimbra, é o concretizar de uma pretensão colectiva antiga. Desde levar a votação, sem ouvir os presentes, um ponto que
Embora no primeiro concurso, o júri designado pela CMC, tenha na Ordem de Trabalhos em que constava somente como apre-
eliminado todos os concorrentes por falta de documentos exigi- sentação, o tom áspero e muitas vezes deselegante com que se
dos, a CMC, a 13 de Maio, abriu novo concurso, com um preço tratam pessoas com opiniões diferentes. Contrariando uma promessa já
base de 597 445€. Esta intervenção visa recuperar a pista de Atletismo, feita várias vezes, as AG continuam a ser realizadas em Lisboa, mesmo
permitindo assim a sua homologação, por parte da Federação Portuguesa com um número reduzido de participantes. Concordamos, ser este o sítio
de Atletismo. A data de início desta intervenção ainda não é conhecida. certo para colocar todas as questões, mas faz algum sentido com tão
O Atletismo de Coimbra merece! pouca participação? Porquê insistir em Lisboa?
CluVe promove FORUM A violência, de novo, no Desporto
Atletismo Master: Que sinergias? Têm sido noticiados vários (e graves) episódios de
violência nos campos de futebol em Portugal, episódios
que ocorreram dentro de campo, nas bancadas e nas pro-
ximidades de recintos desportivos. Infelizmente não é um
fenómeno recente, nem isolado, no entanto, esta realidade
Rui Costa
deve ser denunciada para servir de alerta às autoridades
que têm a competência da gestão da segurança e do cumprimento do
fair-play no desporto.
O debate que se impunha, num momento em que há tanto para A propósito do tema, publiquei , no Diário de Coimbra, em maio
abordar relativo ao nosso Atletismo Master. Um espaço de debate aberto de 1996 o artigo de opinião que se segue, cujo teor , infelizmente, se
a todos os que nele queiram participar. Podemos, desde já, confirmar, mantém actual.
até ao momento, a presença dos oradores convidados pelo Cluve: Jorge
Vieira (Presidente da Federação Portuguesa de Atletismo), Luís Jesus É PRECISO DIZER BASTA
(Presidente da Associação Nacional do Atletismo Veterano), David Soa-
res (Presidente da Associação Distrital de Atletismo de Coimbra) e Hele- Não foi necessário a morte ter chegado ao Estádio nacional
na Carvalho (Vice Presidente do CluVe). Os trabalhos serão moderados para que o cidadão comum repudie os actos de violência que deambulam
por Carlos Gonçalves (Presidente do CluVe). pelo futebol nacional e internacional. A paixão doentia vivida no espectá-
Em breve serão abertas as inscrições a todos aqueles que pre- culo desportivo induz os mais diversos agentes desportivos a comporta-
tendam participar. rem-se sob tensões e ansiedades por vezes desmedidas e desajustadas.
Marque já na sua agenda! 12 de Outubro, em Coimbra. O Desporto tem por componentes o movimento, ludismo e
Este é o segundo debate que o CluVe promove sobre esta te- competição ou recreação. devia ser uma festa em que os incitamentos
mática: O Atletismo Veterano nacional. O primeiro realizou-se em De- fossem um apelo à melhor prestação dos jogadores no respeito pelas
zembro de 2014. regras, empenhamento e espírito desportivo. Infelizmente os jogos de po-
Por curiosidade deixamos aqui alguns extractos publicado no der, as motivações parasitárias e os dinheiros envolvidos, criam um clima
Boletim 125 do CluVe propício a radicalismos com exteriorizações nocivas que a comunicação
“A tarde começou com um debate promovido pelo CluVe sobre “O fu- social da especialidade se encarrega de enfatizar.
turo do Atletismo e o Atletismo Master em Portugal”. Com um painel de muita No passado fim de semana um espectador foi protagonista
qualidade composto por Carlos Cidade (Vereador do Desporto da CMC), Jorge
duma atitude que cremos eufenisticamente insensata e que custou a vida
Vieira (Presidente da Federação Portuguesa de Atletismo), Alexandre Monteiro
(Presidente da ANAV), David Soares (Presidente da ADAC), Jorge Carvalho (Pre- a outro espectador, ao utilizar um instrumento de sinalização perigoso.
sidente do Conselho Fiscal do CluVe) e Mário Teixeira (Atleta Master) e mode- Não é nossa intenção desculpabilizar ou descriminar a atitude, mas a
rado por Carlos Gonçalves (Presidente do CluVe), a troca de ideias foi bastante responsabilidade provavelmente não pode ser imputada exclusivamente
positiva.”...”Alguns tópicos dos assuntos abordados: ao prevaricador omitindo as muitas forças que fazem de alguns jogos de
Jorge Carvalho: calendarização nacional ANAV/FPA fomentar a parti- futebol espectáculos desportivos de risco. Esta situação é já assumida
cipação dos clubes na ANAV; a questão de haver atletas masters não associados pelas entidades de segurança que as levam a negociar comportamen-
da ANAV; os recordistas deverão ser sócios ou não da ANAV”... “Alexandre Mon- tos com os potenciais prevaricadores - as claques. Embora as claques
teiro: realçou ser muito raro ver, na mesma sala, tantos representantes do Atletis- tenham a sua organização e hierarquia, o adepto é apenas mais um, su-
mo; a ANAV sem pessoas não é nada; necessário dignificar o estatuto de Master,
jeito a sentimentos e atitudes de dinâmica de grupo, sentindo-se seguro a
Seguro Desportivo é fundamental.”...”Jorge Vieira: são poucas as oportunidades
de debates como esta; a importância do Atletismo “dos mais velhos”/Mestres; coberto do anonimato, aparente e individualmente desresponsabilizado.
a importância do trabalho do CluVe; a FPA perdeu, neste mandato, metade do Tudo serve para constituirem uma consciência comum com ta-
apoio estatal previsto; são muito poucas as escolas do país com condições para a refas de solidariedade e missões de espectacularidade, por vezes margi-
prática do Atletismo (porquê um pavilhão e não uma pista?); “se queres ser atleta, nais e de violência. Apesar de uma aparente coesão e homogeneidade,
deves ser federado”; os nossos clubes estão antiquados; “o atleta presta um ser- a claque é vulnerável à intromissão de elementos perturbadores e agres-
viço ao clube ou o clube ao atleta?”; formação de dirigentes para breve; a neces- sivos que pouco têm a ver com o futebol ou mais genericamente com o
sidade de entrega de kits de material desportivo ao clubes de formação.”...”Carlos desporto. E já não é raro que os confrontos físicos tenham lugar fora dos
Gonçalves: utilização do ECC/Lançamento do Dardo; calendarização deverá sair recintos desportivos antes ou depois dos encontros desportivos.
mais cedo para melhor articulação entre todos; o facto de haver atletas a competi-
Afinal, para onde caminha o desporto? Será que temos de su-
rem por mais do que um clube/cartão de atleta da FPA; modernização dos clubes
e adaptação às novas realidades; em Coimbra vão haver menos espaços para portar mais situações de descrédito por carências de idoneidade moral?
competir.” É urgente medidas mais exigentes contra a violência nos campos des-
Como se pode ler, algumas das preocupações, à data, já foram portivos. A tolerância não pode ser confundida com a incapacidade de
resolvidas para bem do Atletismo nacional. actuar.
Contamos, pois, com vossa presença! A situação criada no estádio Nacional foi reconhecida pelas au-
toridades (desportivas também) suficiente para suspender o jogo. Mas
Dezembro 2014 prevaleceu o receio que alguns adeptos, a quem interessa a vitória a
qualquer preço, se manifestassem de modo violento. Compreendemos
e aceitamos a decisão. Lamentamos, no entanto, este desequilibrio de
forças, onde a razão se submete à evidência de valores menores.
Calendário de actividades
MAIO
11 - Corrida 4 Estações - Primavera - Con- 09 - Campeonato Nacional Montanha - Por-
deixa to Moniz
11/12 - Estrela Grande Trail - 09 - 21º Pentatlo de Lançamentos “João
Serra da Estrela Manta” / Camp. Nac. Pentatlo Lança-
12 - Grande Prémio Atletismo da Barreira - mentos - Pista de Atletismo de Febres/
Leiria Cantanhede
12 - Jogos de Coimbra - Choupal/Coimbra 09 - Trilhos Loucos da Reixida - Leiria
- Corrida Mista 10 - Meia Maratona da Figueira da Foz
12 - 35ª Meia Maratona da Cortegaça 15 - Meeting de Cantanhede - Febres
18 - Taça Nacional Estafetas - Lisboa 16 - Corridas das Festas da Cidade do Porto
18/19 - Campeonato Distrital Infantis + 16 - Transfronteiriça - Campeonato Ibérico
Provas Extra - Febres Estrada/Trail - Rio de Onor / Rihonor de
19 - Castellum Trail - Alcabideque - Condei- Castilla
xa-a-Nova 20 - Meeting António Fortunato - Torres
19 - II Trilhos Luso Bussaco (Trail) - Luso Vedras
(Mealhada) 20 ou 22 - 6ª Milha Urbana de Ceira - Ceira
23/25 - Campeonato Europa Montanha - 22 - Trilho dos Moínhos da Gândara - Fi-
República Checa gueira da Foz
25 - “A 10 Milhas do Pôr do Sol” - Corrida / 22 - Jogos de Coimbra - Coimbra/Estádio
Caminhada - Praia da Tocha (Cantanhede) - Corrida Mista
25/26 - Campeonato Distrital Iniciados - 23 - Anadia Wine Run 2019 - CAR Anadia/
Febres Velódromo Nacional Sangalhos
26 - GP Atletismo Universeguros CSP Pa- 28/29 - Campeonato Distrital Masters -
lheira - Palheira - Assafarge/Antanhol Febres
29 - Ultra Trail Serra da Freita - Arouca
29 - 40ª Corrida das Fogueiras - Peniche
JUNHO
29 - 4ª Corrida “Duas Léguas Gandaresas”
01 - Corrida 4 Estações Verão - Soure
- Sanguinheira (Cantanhede)
01/02 - Olímpico Jovem Distrital - Febres
30 - Corrida do Sporting - Lisboa
02 - XI Grande Prémio João Silva - Conce-
lho de Mira - Praia de Mira
08 - Abutres - Trail World Championships -
INFORMAÇÕES
Miranda do Corvo/Coimbra
09 - Ultra Trilhos Abutres 2019 - Miranda do MAIS DETALHADAS
Corvo NO BLOG DO CluVe.
07/09 - “Oh, Meu Deus” Trail Run - Serra da
Estrela to Moniz

4 Otília Colaço
Maio
Pedro Nuno Silva 20 Raquel Mendes
5 Hugi Daniel Simões Enrique Ferreira
7 Carlos Gonçalves 21 Alfredo Vieira
8 Sérgio Pais 22 Carlos Manuel Santos
10 Adérito Fontes 24 Carlos Manuel Gomes
13 Victor Manuel Rodrigues Nuno Marques
Teresa Mendes 25 Jorge Lopes Cardoso
António Manuel Simões 27 António José Fonseca
14 Anabela Rocha João Pedro Soares
19 José Carlos Martins 29 Isabel Costa
20 Manuel Filipe Costa Vanessa Kuzer

2 Elisabete Cardoso Junho


4 Carlos Lopes 13 Aurora Galo
7 Manuel Oliveira 16 António Fortunato
9 Paula Teteto 20 Rui Pereira Costa
10 Conceição Moura 22 Sérgio Horta
FICHA TÉCNICA
Propriedade: CluVe 11 Miguel Coimbra 28 Carlos Ribeiro
Director: Carlos Gonçalves
12 Mário Jorge Correia Andreia Costa
Corpo Editorial: Rui Costa, Jorge Carvalho e Luis Neves. Apoio: Jorge Loureiro
Composição: ANGOCAR Tiragem: CopyKnómica 13 Fernando Maia 29 Pedro Lemos