Você está na página 1de 3

Universidade Federal do Ceará

Centro de Ciências
Departamento de Matemática
2019.1

Lista 1 de Exercícios para a AV1


Revisão de Álgebra Linear e Geometria Euclidiana

Dados de Identificação
Disciplina: Geometria Descritiva e Projetiva - CB0610
Professor: Victor Gomes

1. Sejam v1 , v2 , ..., vk ∈ Rn . O conjunto das combinações lineares destes vetores, span{v1 , v2 , ..., vk },
é um subespaço vetorial de Rn .

2. Seja W ⊂ M (2, 2) o subconjunto do espaço das matrizes 2 × 2 definido por


 
 3a a + b
W = ; a, b ∈ R}.
0 a−b

a) W é um subespaço vetorial de M (2, 2)? Se sim, mostre por quê. Se não, mostre por
quê.

 
0 −3
b) ∈ W?
0 3
3. Responda os itens:

a) O conjunto W {(x, y, z, t) ∈ R4 ; 2x + y = 0 e z − t = 0} é subespaço vetorial de R4 ?


b) O conjunto W {(x, y, z, t) ∈ R4 ; x2 − y = 0 e z − t = 0} é subespaço vetorial de R4 ?

4. Sejam P3 = conjunto dos polinômios com grau menor ou igual a 3 e T : P3 → P3 definida


por P (f ) = f 0 .

(a) Mostre que P3 é uma espaço vetorial de dimensão 4.


(b) Mostre que T é uma transformação linear.
(c) Determine ker T e ImT e encontre uma base para cada um destes subespaços veto-
riais.

5. Seja A : P3 → P3 definida por A(f ) = f 00 . Mostre que A é linear e determine uma base
para ker A.

6. Ache os autovalores e autovetores correspondentes das transformações lineares dadas:

a) T : R2 → R2 tal que T (x, y) = (2x + y, 2x − y);


b) T : P2 → P2 tal que T (ax2 + bx + c) = bx2 + cx + a.

7. Considerando u, v vetores não nulos e distintos de um espaço vetorial munido de produto


interno h, i, mostre que k u k=k v k se, e somente se, {u + v, u − v} é um conjunto
ortogonal.
8. Suponha que λ seja um autovalor de T : V → V com autovetor v e α um número não
nulo. Ache os autovalores e autovetores de αT .

9. Seja T : V → V linear.

a) Se λ = 0 é autovalor de T , mostre que T não é injetiva.


b) A recíproca é verdadeira? Ou seja, se T não é injetiva, λ = 0 é autovalor de T ?

10. Considere as translações Ta , Tb : Rn → Rn . Prove que a composta Ta ◦Tb é uma translação.


É verdade que Ta ◦ Tb = Tb ◦ Ta ?

11. Considere dois pontos u0 , v0 ∈ R3 . Mostre que existe uma única translação T : R3 → R3
tal que T (u0 ) = v0 .

12. Verifique que o operador linear U : R3 → R3 é isometria quando:

a) U (x, y, z) = (x, y, z); b) U (x, y, z) = (z, x, y).

13. Sejam f : R3 → R3 e g : R3 → R3 isometrias. Prove que a composta f ◦ g : R3 → R3 é


uma isometria.

14. Seja U : Rn → Rn um operador ortogonal. Mostre que:

(a) U preserva norma, kU (x)k = kuk;


(b) U preserva ângulo entre vetores, θ(U (u), U (v)) = θ(u, v);
(c) U é injetiva;
(d) U é isometria.

15. Mostre que U : Rn → Rn é um operador ortogonal se, e somente se, [U ]t [U ] = [I].

16. Mostre que U : R2 → R2 é um operador se, e somente se, sua matriz canônica tem uma
das duas formas,
   
cos θ − sin θ cos θ sin θ
[U ] = ou [U ] =
sin θ cos θ − sin θ − cos θ

17. Considere os planos de R3 :


(
Γ1 = {(x, y, z) ∈ R3 ; 3x + y − z = 0,
.
Γ2 = {(x, y, z) ∈ R3 ; x + y − z = 1

(a) Existe uma translação Tv0 : R3 que aplica o primeiro plano no segundo?
(b) Construa uma isometria S : R3 → R3 que aplique o primeiro plano no segundo.

18. Encontre a equação paramétrica do círculo de raio r = 2 sabendo-se que ele está centrado
no ponto p = (1, 2, 1) e contido no plano Γ = {(x, y, z) ∈ R3 ; 3x − y − z = 0}.

19. Seja U : R3 → R3 um operador ortogonal, tal que U (e3 ) = e3 . Mostre que existe θ ∈ [0, 2π]
tal que U (e1 ) = (cos θ, sin θ, 0) e U (e2 ) = (− sin θ, cos θ, 0).

20. Considere dois segmentos [p, q], [m, n] ⊂ R2 . Mostre que as afirmações são equivalentes:

(a) Os segmentos são congruentes.


(b) Existe uma isometria U : R2 → R2 tal que U (p) = m e U (q) = n.
(c) d(p, q) = d(m, n).
21. Mostre que os segmentos [p, q] e [m, n] do R2 são congruentes e construa a isometria de
congruência quando:

(a) p = (1, −1), q = (0, 1), m = (1, 0), n = (1, 1)


(b) p = (1, −1), q = (0, 1), m = (2, 0), n = (1, 2)

22. Calcule as medidas dos ângulos determinados pelas retas orientadas lη (p) e lν (p) quando:

(a) η = (1, 2), p = (1, 2), ν = (2, −1), q = (0, 1)


(b) η = (1, −2), p = (0, 0), ν = (1, 2), q = (0, 1)

23. Diremos que os segmentos [p, q] e [m, n] do R2 são equivalentes (∼) se, e somente se, eles
são congruentes. Mostre que ∼ é uma relação de equivalência.

24. Calcule uma equação para o plano contendo os pontos a, b, c do R3 quando:

(a) a = (1, −2, 1), b = (1, −1, 2), c = (0, −2, −1)
(b) a = (1, 1, 1), b = (2, 2, 2), c = (−1, −1, −1)

25. Determine uma equação para o plano Γη paralelo ao plano Γη (p), quando η = (3, −1, 2)
e p = (1, 1, 1).

26. Mostre que dois segmentos [p, q] e [m, n] em R3 são congruentes se, e somente se, d(p, q) =
d(m, n).

27. Mostre que os segmentos [p, q] e [m, n] do R2 são congruentes quando

(a) p = (1, −1, 1), q = (0, 1, 1), m = (−1, 0, 1), n = (1, 1, 1)


(b) p = (2, 1, −1), q = (1, 0, 1), m = (2, 2, 0), n = (1, 1, 2)

28. Sejam p um ponto e s uma reta de R3 . Se v, w ∈ s, mostre que a distância de p a s é

k(w − v) × (p − v)k
d(p, s) = .
kw − sk

29. Mostre que a distância de um ponto q ∈ Rn ao hiperplano Γη (p) é calculada por

hq − p, ηi
d(q, Γη (p)) = .
kηk

30. Considere o vetor η = (1, 1, 1) e o ponto p = (1, 2, 1) em R3 . Calcule a distância de


q = (1, 2, 1) ao plano Γη (p).

31. Determine a equação do círculo centrado em c ∈ R2 e raio r, onde

(a) c = (1, 0) e r = 21 .

(b) c = (1, 1) e r = 2.
(c) c = (−3, 4) e r = 5.

32. Mostre que o plano Γη (p) : x+z = 2 é tangente à esfera S2 (c) = {(x, y, z) ∈ R3 ; x2 +z 2 =
2y − y 2 }.