Você está na página 1de 56

Expediente / Índice

imprensa@sieeesp.com.br

DIRETORIA 4 Matéria de Capa


Presidente
Benjamin Ribeiro da Silva
Ciberbullying:
Colégio Albert Einstein Agressões no mundo virtual transformam-se
1º Vice-presidente
José Augusto de Mattos Lourenço
em problema real
Colégio São João Gualberto

2º Vice-presidente
Waldman Biolcati
Curso Cidade de Araçatuba

1º Tesoureiro
12 Entrevista
40 Comportamento
José Antonio Figueiredo Antiório
Colégio Padre Anchieta
Eugênio Cunha Bullying e
2º Tesoureiro
Ciberbullying: Quem
Antonio Batista Grosso são os verdadeiros
Colégio Átomo

1º Secretário
16 Drogas responsáveis?
Itamar Heráclio Góes Silva
Educ Empreendimentos Educacionais Ecstasy
2º Secretário
Antonio Francisco dos Santos 42 Educação
Colégio Novo Acadêmico
18 Direitos Tributários Desafios do novo
Diretores de regionais
Reflexos e ajustes ministro da Educação
ABCDMR
Oswana M. F. Fameli - (11) 4437-1008

Araçatuba
Waldman Biolcati - (18) 3623-1168
25 Motivação 44 Sexo
Bauru
Gerson Trevizani - (14) 3227-8503 Projeto MarsOne: Saia-justa na sala
Campinas Ótima propaganda, de aula: Um caso
Antonio F. dos Santos - (19) 3236-6333
poucos fatos exemplar
Guarulhos
Wilson José Lourenço Júnior - (11) 4963-6842

Marília
Luiz Carlos Lopes - (14) 3413-2437
28 Reflexão 46 Nutrição
Ribeirão Preto
João A. A. Velloso - (16) 3610-0217 O que veio primeiro? Montando uma
Osasco O ovo ou a galinha? lancheira saudável
José Antonio F. Antiório - (11) 3681-4327 e saborosa
Presidente Prudente

30
Antonio Batista Grosso - (18) 3223-2510
Relacionamento
Santos
Ermenegildo P. Miranda - (13) 3234-4349
Competição no 48 Incentivo
São José dos Campos
Maria Helena Baeza - (12) 3931-0086 casamento O poder do elogio
São José do Rio Preto

50
Cenira Blanco Fernandes Lujan - (17) 3222-6545
Posse
Sorocaba
Edgar Delbem - (15) 3231-8459 32 Ensino Médio
José Antonio
Ideias para o
MAIO DE 2015 Figueiredo Antiório é o
Ensino Médio
Editor
Adhemar Oricchio - MTB 8.171
novo presidente
Repórteres da ACM
Gisele Carmona
Ygor Jegorow
36 Saúde

52
Assessoria de Imprensa e
Produção Editorial Processamento
Editor-chefe: Adhemar Oricchio
Editor gráfico: Balduino Ferreira Leite auditivo: A questão Obrigações
Site: Gisele Carmona
Redes Sociais: Ygor Jegorow da idade
Impressão: Companygraf

54
Colaboradores

38
• Ana Paula Saab • Antonio Higa
• Carlos Alberto Nonino
• Clemente de Sousa Lemes
Idioma
• Ivaci de Oliveira • Jocelin de Oliveira Cursos
• José Maria Tomazela • José Rodrigues
• Ulisses de Souza
Língua inglesa
www.sieeesp.org.br
Av. das Carinás, 525 - São Paulo - SP
CEP 04086-011 - (11) 5583-5500

2 Escola Particular • Maio de 2015


Editorial

Benjamin

Educação tem
Ribeiro da Silva
Presidente do Sieeesp
benjamin@einstein24h.com.br

um novo ministro
Vamos aguardar
S ão inúmeros os problemas
da educação pública
brasileira, a começar pela gestão
Aliás, o plano foi exaustivamente
debatido, demorou muito tempo
para ser aprovado e deveria ser
que Renato Janine
entenda e veja a
e pela ausência de qualidade. colocado em prática em 2011. Essa educação como uma
Mas, um dos mais sérios, é a redução da previsão orçamentária
descontinuidade administrativa, da esfera federal é uma realidade estratégia de Estado
apesar da presidente Dilma
Rousseff colocar como meta
bastante diferente do cenário
que se apregoava na gestação
para alavancar o
principal do seu governo o lema do projeto. O Plano, aprovado progresso do país
“Brasil – Pátria Educadora”. Em no ano passado, prevê aumento
menos de três meses do seu no investimento em educação de
segundo mandato, teve que 6% para 10% do Produto Interno
escolher um novo ministro da Bruto (PIB) até 2024. Porém, a crise
Educação, pois o empossado, Cid econômica e o corte de verbas
Gomes, criou dificuldades com o afetou logo no início do ano o
Congresso e foi obrigado a sair do Ministério da Educação, que foi
seu posto. O novo titular da pasta obrigado a mudar as regras do
é o professor de ética e filosofia Programa de Crédito Estudantil
política da USP, Renato Janine (Fies), descontentando tanto
Ribeiro, simpático ao PT, mas sem estudantes quanto instituições ensino, além de ampliar o acesso
filiação partidária. privadas de ensino. à escola e melhorar as condições
Só para se ter ideia, em cinco Agora, pelo menos, parece de trabalho e a formação dos
anos, foram trocados cinco que Dilma usou o bom-senso e profissionais da educação, entre
ministros, mostrando claramente a escolheu um ministro do ramo da outros desafios.
falta de interesse e de preocupação educação, e espera-se que não Para transformar o Brasil –
com a continuidade das ações no seja uma mera troca política por Pátria Educadora, é necessário
segmento educacional. Há muitos maior apoio na esfera legislativa. sair do discurso para a ação. Está
anos é adotada uma política de Vamos aguardar que Renato na hora de arregaçar as mangas e
Governo e não de Estado para Janine entenda e veja a educação trabalhar seriamente, focados na
o setor, dificultando assim um como uma estratégia de Estado formação da imensa população
planejamento estratégico a ser para alavancar o progresso do país. brasileira que espera melhores
seguido. Discute-se muito o quanto É preciso tirar o Brasil da triste dias de vida através da educação,
gastar, mas sem uma base efetiva realidade estatística mundial. pois só pela educação é que
de trabalho. O Plano Nacional de Educação conseguiremos atingir os nossos
Para especialistas, o próximo impõe ao Brasil um desafio muito objetivos. A caminhada é árdua
ministro da Educação terá que grande para os próximos dez e longa, mas precisamos acertar
enfrentar o desafio de tirar anos, pois, para alcançar as 20 o rumo e perseverar em busca
do papel o Plano Nacional de metas estipuladas, será necessário de melhores dias, a começar pela
Educação (PNE), mesmo com investir mais recursos na valorização do ensino básico e a
cortes no orçamento do MEC. infraestrutura da rede publica de melhoria do ensino médio.

Maio de 2015 • Escola Particular 3


Matéria de Capa
freeimages.com

4 Escola Particular • Maio de 2015


A prática do bullying não é um fenômeno re-
cente, mas os debates em torno da questão
ganharam força nos últimos anos. Preocupado com a
questão, o Sieeesp organizou, em 2011, o “I Simpósio
Brasileiro sobre Bullying”, com a participação de auto-
ridades e especialistas de todo o país que debateram
com os 600 educadores presentes as formas de lidar
com o problema. Com o avanço da tecnologia, os
atos de intolerância e agressividade contra aqueles
aparentemente diferentes ganhou as redes sociais e
extrapolou o recinto das escolas. Com isso surgiu o
cyberbullying.
A revista Escola Particular resolveu debater no-
vamente a questão e, para isso, pediu a colaboração
de duas especialistas no assunto que assinam esta
matéria mostrando a parte legal, as consequências
dos atos de violência e o papel que cabe às escolas.
Para ilustrar o material, o repórter Ygor Jegorow
realizou uma pesquisa e conta alguns casos, com
nomes fictícios.

Maio de 2015 • Escola Particular 5


Matéria de Capa

É mais do que sabido


que este tipo de
violência causa dor
e angustia às vítimas,
seja pela vergonha
que sentem, seja
por não saberem
como interromper
a situação

O bullying pode ser resumido como a ficar deprimidos e com sentimento de guir lidar com a situação, gerando efeitos
o conjunto de atos de violência, física ou insegurança, incapacidade e rejeição. nocivos que afetam a sua saúde. Práticas
psicológica, perpetrado por repetidas Com a assunção da tecnologia da de prevenção e conscientização quanto ao
vezes, por um ou mais indivíduos, com o ob- informação e comunicação, o bullying en- tema não podem faltar nas escolas, o que
jetivo de humilhar, intimidar e agredir outra controu uma nova maneira de inferiorizar inclui permanente diálogo com os alunos,
pessoa sem lhe dar a possibilidade de se as pessoas, com a utilização da internet, bem como com seus pais, os quais, aliás,
defender. O agressor se impõe, portanto, especialmente das redes sociais. Esse tipo devem complementar o trabalho no seio
sobre o outro, buscando dominá-lo física e de bullying é chamado de cyberbullying e familiar.
psicologicamente. Nas palavras do Desem- seus efeitos tendem a ser muito piores para Diagnosticar o problema o quanto
bargador Ademir Paulo Pimentel “Bullying a vítima, dado o poder de perpetuidade e antes é imprescindível, para que medidas
é um termo utilizado para descrever atos rápida propagação do conteúdo danoso. sejam adotadas e a vítima reestabeleça seu
de violência física ou psicológica, inten- No ambiente digital, as ofensas são poten- equilíbrio psíquico e emocional. Ninguém
cionais e repetidos. Significa usar o poder cializadas e a vítima não encontra refúgio, melhor que os pais ou professores, que
ou força para intimidar, excluir, implicar, não tem para onde fugir. De fato, a faceta desfrutam de direta e maior convivência,
humilhar” (Tribunal de Justiça do Rio de da internet romper limites espaciais é cruel, para notar qualquer mudança de compor-
Janeiro. Desembargador Ademir Paulo condenando a vítima a suportar os efeitos tamento.
Pimentel. Ap.0003372-37.2005.8.19.0208). danosos da agressão, ainda que mude de Quando um adulto observa em uma
Ainda, segundo o art. 1º, parágrafo único escola ou de cidade. E ainda, a internet criança ou adolescente a iniciativa por
da Lei Estadual nº 14.651, de 12 de janeiro proporciona uma faceta ousada à pessoas ofender, humilhar e causar sofrimento ao
de 2009 – SC “entende-se por bullying que se escondem por trás de um perfil fake. próximo, precisa rapidamente agir e frear
atitudes agressivas, intencionais e repeti- A hostilização que permeia a prática a conduta. É fundamental fazer da situação
tivas, adotadas por um indivíduo (bully) do cyberbullying guarda relação direta uma oportunidade para se implementar
ou grupo de indivíduos contra outro(s), com vários crimes previstos em nosso valores morais e princípios éticos em nos-
sem motivação evidente, causando dor, ordenamento jurídico, uma vez que, tais sos jovens. Isto é fazer valer e cumprir o
angústia e sofrimento e, executadas em “brincadeiras” vem ultrapassando os lim- disposto no artigo 205 da Constituição
uma relação desigual de poder, o que pos- ites do razoável e causando sérias e, muitas Federal que expressa: “a educação é direito
sibilita a vitimização”. vezes, irreversíveis consequências para as de todos e dever do Estado e da família, que
É mais do que sabido que este tipo de vítimas e suas famílias. deverá ser promovida e incentivada com
violência causa dor e angustia às vítimas, O bullying e cyberbullying causam a colaboração da sociedade, objetivando
seja pela vergonha que sentem, seja por preocupação a todos, porém, poucos o pleno desenvolvimento da pessoa, seu
não saberem como interromper a situa- sabem como lidar com eles. Pais e escolas preparo para o exercício da cidadania e sua
ção. Não por acaso o bullying também ser precisam dedicar ao tema especial atenção. qualificação para o trabalho”. Esse áureo
referido como violência silenciosa. No O assunto requer comprometimento de princípio deve ser, igualmente, aplicado à
geral, quando vitimas, as crianças e juvenis todos os lados. Não são poucos os casos educação digital, porém, aqui, com ênfase
passam a ter medo da escola, isolam-se de em que jovens tiram a própria vida ou se ainda maior, porquanto as novidades que a
amigos e até mesmo da família, passam deprimem profundamente por não conse- Internet trouxe consigo, tanto boas quanto

6 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 7
Matéria de Capa

freeimages.com
ruins, demandam que os indivíduos saibam firmes” (WHITE, Ellen G.. Educação. São
utilizá-la com ética e dentro dos ditames Paulo: Casa Publicadora, 1910, p. 255.). Não
da lei, sem deixarem-se guiar por impulsos à toa, Rui Barbosa falava da educação como
ou atos impensados, influenciados pelo questão de vida ou morte para a sociedade
compasso da instantaneidade que hoje brasileira.
predomina. A Constituição Federal brasileira, ade-
Quando o assunto é educação, a Lei mais, assegura a todos o direito à proteção
Constitucional impõe uma responsabilidade dos direitos fundamentais, dentre eles a
social coletiva, ao pontuar que, conforme dignidade da pessoa humana, da liberdade
visto acima, “será promovida e incentivada de expressão, garantindo, inclusive, em
com a colaboração da sociedade”. A mesma seu artigo 5º, inciso X, a inviolabilidade da
condição é estampada no art. 227 o qual intimidade, da vida privada, da honra e da
dispõe ser “dever da família, da sociedade imagem das pessoas, assegurando o direito
e do Estado assegurar à criança e ao ado- de indenização pelo dano material ou moral
lescente, com absoluta prioridade, o direito decorrente de sua violação.
à educação”. É dizer, portanto, que esse Dentro de um Estado Democrático
comprometimento não deve se restringir de Direito, como é o caso do Brasil, é de
apenas a algumas poucas entidades-mem- suma importância ensinar os pequenos
bros da sociedade, mas deve ser assumida sobre a tolerância pelas diferenças, e que
por todos, com vista a perseguir o ideal de a diversidade está presente em todos os
levar educação de modo massivo, formando ambientes e em qualquer situação da vida,
melhores cidadãos, inclusive melhores e as atitudes para com o próximo devem se
cidadãos virtuais. pautar pelo respeito e cordialidade.
Em que pese alguns estudiosos defen- É importante esclarecer, ainda, que o
derem que certos indivíduos, quando inseri- Poder Judiciário brasileiro não está silente
dos nas relações estabelecidas na Internet, diante das demandas acerca do problema.
ajam de modo diferente do que o fariam em Muitas condenações vem sendo aplicadas
uma situação presencial, a verdade é que em razão de práticas de bullying e cyber-
as pessoas em sua essência são sempre as bullying. No caso dos agressores serem
mesmas, independente do suporte pelo menores de 18 anos, o dever de indenizar
qual se relacionam. Dessa feita, a despeito deve ser arcado pelos pais. Pela regra dos
da influencia de determinados traços da artigos 932, I e 933, do Código Civil os pais
personalidade, tal qual a timidez, que, respondem por possíveis reparações civis
por via de regra, é mais evidenciada na derivadas de ilícitos cometidos pelos filhos
convivência presencial, é irrefutável que menores que estejam sob sua guarda,
a verdadeira transformação e edificação mesmo que não haja culpa dos pais. Nas
somente podem ser alcançadas por meio palavras do jurista Carlos Roberto Gon-
da educação. Nesse diapasão, ressalte-se çalves, “comprovado o ilícito do menor
que a genuína educação não desconhece dele decorre, por via de consequência e
o valor dos conhecimentos científicos independentemente de culpa do pai, a
ou aquisições literárias; mas acima da responsabilidade deste”.
instrução aprecia a capacidade, acima Há poucos anos, o Tribunal de Justiça
da capacidade a bondade, e acima das do Rio Grande do Sul condenou a mãe
aquisições intelectuais o caráter. O mundo de um garoto a pagar R$ 20.000,00 de
precisa de indivíduos de caráter, cujas danos morais pelas ofensas realizadas na
habilidades sejam dirigidas por princípios Internet por seu filho, menor de idade. O

8 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 9
Matéria de Capa

O mundo precisa

freeimages.com
de indivíduos
de caráter, cujas
habilidades sejam
dirigidas por
princípios firmes

filho utilizou o computador de casa para


criar um “FLOG”, site de compartilhamento
de fotos, para ridicularizar e humilhar um

freepik.com
outro adolescente. A mãe alegou nada sa-
ber sobre as atividades do filho na Internet,
mas, mesmo assim, foi condenada a pagar Algumas dicas importantes
a indenização. Isso significa que mesmo
quando os pais não participam diretamente • Atenção aos sinais: perda de apetite repentino, apatia, tristeza, falta de vontade
da agressão e nem sequer sabem o que de ir à escola podem indicar uma vítima de bullying ou cyberbullying. Não ignore!
os filhos sob sua guarda estão fazendo na • Que tal um questionário para sondar como os alunos vem se relacionando?
Internet podem ser obrigados a indenizar
as vítimas. • Algumas atividades e textos “sugestivos” para observar a forma de reação
As escolas, por sua vez, também podem dos alunos diante de determinadas situações consistem em excelentes elementos
e devem agir para evitar e reprimir a prática para construção de algumas ações diretas.
do bullying e cyberbullying. As instituições • É importante desenvolver campanhas de prevenção do bullying e cyberbul-
de ensino não podem se furtar do dever de lying, por meio de palestras para alunos e também pais, por meio de cartilhas e
proteger seus alunos evitando que sejam material pedagógico específico.
humilhados.
Em Outubro de 2011, o Tribunal de
Justiça do Rio de Janeiro condenou uma apesar de importante sua opinião, não é a os envolvidos perante os demais colegas e
determinada escola a pagar R$ 35 mil de única e, gradativamente, que seu direito busque mediar o conflito de forma plane-
indenização por danos morais à família de termina onde começa o do outro. Portanto, jada e responsável, bem como de modo
uma aluna de sete anos. Lamentavelmente, não se pode dizer que a responsabilidade restaurativo e não apenas punitivo. •
pela humilhação que sofreu, a criança da escola se restringe à integridade física
teria adquirido fobia de ir à escola, passou de seus alunos mas sim, e principalmente,
a ter insônia, terror noturno e sintomas também se estende à sua integridade
psicossomáticos, tendo que se submeter a psíquica e emocional, já que os danos nessa
Alessandra Borelli
tratamento com antidepressivos e a mudar esfera podem influenciar substancialmente CEO da Nethics Educação Digital
nethicsedu.com.br
de escola no fim do ano letivo. na saúde e no processo de aprendizagem.
Assim, é preciso admitir que, em Por fim, é importante ressaltar que
tempos de internet, a responsabilidade apesar de considerar as leis como um
das instituições de ensino extrapola o que importante e necessário instrumento
ocorre nos seus domínios. Há de considerar na luta contra o cyberbullying, a solução Juliana Abrusio
Sócia da Opice Blum, Bruno, Abrusio
que a escola inicia um importante ciclo da para esta questão transcende possíveis e Vainzof Advogados e Professora
vida em sociedade da criança. É na escola mudanças legislativas. Diante de um caso da Universidade Mackenzie.

que a criança começa a compreender que concreto, importante que a escola preserve

10 Escola Particular • Maio de 2015


• Felipe tem 12 anos, é estudante entre os estudantes, o Secret. Aplicativo reais que acontecem todos os dias nas
do 7º ano do ensino médio, e há aproxi- que é possível comentar e fazer post de escolas de todo o país. O bullying é um
madamente um mês vem sofrendo modo anônimo. velho problema no ambiente escolar.
ofensas de seus colegas de escola. As Atos de violência física ou psicológica,
gozações por conta do seu excesso de • Amanda tem 17 anos. Já não fre- praticado repetidas vezes por um ou
peso já aconteciam há pelo menos um ano quenta as aulas há pelo menos uma se- mais indivíduos com o objetivo de humi-
desde que começou a frequentar a nova mana desde que fotos íntimas feitas para lhar, intimidar e agredir outra pessoa sem
escola. Mas no último mês, os ataques o seu namorado vazaram e começaram a lhe dar a possibilidade de se defender
se intensificaram. Primeiro montagens ser compartilhadas por colegas de classe. é um assunto noticiado com grande
de fotos suas em que é comparado a Em poucas horas, de forma viral, os estu- frequência nos jornais e na internet.
um elefante e comentários sobre a sua dantes já tinham as fotos em seus celula- Segundo pesquisa feita pela Pesquisa
forma física foram postadas em um res. Aquela jovem anônima ganhou fama Nacional de Saúde Escolar (PeNSE) em
grupo fechado dos alunos da sala pelo instantânea no ambiente escolar. Ela não 2012, divulgada pelo Instituto Brasileiro
Whatsapp (aplicativo de mensagens di- sabe como retornar às aulas, já que agora de Geografia e Estatística (IBGE), dos
retas). Rapidamente as mesmas imagens todos comentam sobre ela. Os colegas a 109.104 alunos do 9º ano do Ensino
foram compartilhadas de smartphone julgam, xingam e a ofendem. As “nudes” Fundamental (antiga 8ª série) entrevis-
em smartphone. O que era uma violência (nome que os adolescentes dão às fotos tados, 20,8% é formada por agressores.
restrita à sala de aula, se espalha por toda íntimas) saíram do ambiente escolar e Isso significa que um em cada cinco
a escola. Os alunos começam a zombar de agora são compartilhadas até por pessoas alunos admitiu já ter cometido bullying
Felipe e ele vira o assunto daquele dia. O que não estudam no colégio e publicadas em algum colega de escola. Já 7,2% dos
estudante não tem mais paz. O que antes em sites de pornografia especializados entrevistados dizem ter sofrido com
era um sofrimento limitado apenas ao em fotos desse tipo. Ela está fazendo a prática. A diferença entre esses dois
horário das aulas, agora é 24 horas por acompanhamento com psicólogo e diz índices mostra que a prática é em grupo,
dia, já que na internet, o bullying pode já ter pensando em cometer suicídio. O geralmente, contra apenas uma pessoa.
acontecer o dia todo. Antes, faltar na aula namorado é o principal suspeito, já que É importante lembrar que a educa-
era sinônimo de um dia tranquilo, agora as fotos vazaram logo depois que ela ção sempre é o melhor caminho para
isso já não faz mais sentido. Comentários resolveu terminar o namoro. acabar com qualquer tipo de violência
e gozações também são compartilhados As histórias acima são ficcionais, mas e, com isso, impedir que outros jovens
pelo novo aplicativo que virou sensação foram inspiradas em milhares de casos enfrentem situações como essas.

Maio de 2015 • Escola Particular 11


Entrevista

Entrevista com o professor


Eugênio Cunha

Q uestões ligadas à importância da


inclusão escolar estão sendo, cada
vez mais, discutidas no meio educacional.
O professor precisa
Sim, há muitas dificuldades, que já se
iniciam na formação do professor.Têm sido
constantes os debates acerca dos problemas
Mas, de fato, estão havendo mudanças
para a acessibilidade?
descobrir quais para o professor ensinar o aluno sem deficiên-
cia. Muito se fala do currículo, das práticas em
Há algumas mudanças, poucas mudan- habilidades seu sala, da evasão escolar. Certamente, no ensino
ças em comparação com a demanda. Na do aluno da educação especial as dificuldades
verdade, não faltam políticas, não faltam aluno já tem e quais se multiplicam. O caso do autismo é emble-
leis, não faltam debates, porém, há um mático, porque é sempre um desafio para o
grande hiato entre as políticas e a prática ele precisa adquirir professor. Os sintomas são muito complexos
pedagógica. O professor recebe o aluno e não e bem diferentes em cada pessoa. Não se
encontra muitas condições para lhe oferecer trata apenas da elaboração de um currículo
uma educação adequada. Precisamos de Há dificuldades para a elaboração de para um aluno que é diferente dos demais,
ações que viabilizem as políticas educacio- um currículo com atividades adequadas e mas também da elaboração de um currículo
nais. Ações que as façam sair da retórica e funcionais para alunos, por exemplo, com para uma pessoa singular. Em razão disso,
as façam chegar à sala de aula. autismo? ultimamente surgiram alguns cursos de

12 Escola Particular • Maio de 2015


especialização em educação especial focali-

freepik.com
zando o autismo. Acho que esse é caminho
para se ter currículos funcionais, adaptados e
inclusivos: investir na formação do professor.

De quais ferramentas o professor ne-


cessita para aprender um jeito diferente
de ensinar?
Primeiramente, é preciso saber que na
relação com qualquer aprendente, o pri-
meiro a aprender será sempre o professor.
Antes de sermos formados para ensinar,
somos formados para aprender. Aprender
a conhecer os processos de aprendizagem,
aprender para saber ensinar, aprender para
poder conhecer o aluno, descobrir seus
interesses, desejos, sonhos possibilidades
e dificuldades. Em termos pedagógicos, o
professor precisa descobrir quais habilidades escolas mostram que uma grande parte vê o a necessidade de aprender e no professor o
seu aluno já tem e quais ele precisa adquirir. afeto como o elemento principal do ensino, desejo de ensinar.
Decerto, o modelo de educação que funciona principalmente aqueles que trabalham na
verdadeiramente é aquele que começa pela educação infantil e no fundamental. Todavia, Como o Sr. Entende a obrigatoriedade
necessidade de quem aprende e não pelos ainda falta um entendimento mais preciso do de as escolas receberem portadores de
conceitos de quem ensina. que é o afeto. O afeto não é apenas o carinho, necessidades especiais, em cursos regula-
a atenção, o amor ao aluno ou ao trabalho. res de ensino?
Estudos apontam a importância do É isso e muito mais. É algo imprescindível É a lei e é justo. Porém, não se pode jogar
afeto como mecanismo para aquisição do na relação com a aprendizagem. Piaget, essa responsabilidade só para a escola. A
saber, pois ajuda a cognição, que é um dos Vygotsky, Montessori, Wallon e Paulo Freire inclusão é uma questão social. Se é social, é
responsáveis pelo êxito no aprendizado. O são alguns que já falaram isso. Na busca preciso maior participação do poder público,
Sr considera que a maior parte dos profes- simplória de tentar sintetizar o que seria o constante envolvimento da família e políticas
sores está consciente desse aspecto? afeto na educação, poderíamos dizer que é o públicas que ajudem as escolas a cumprirem
Não sei se a maior parte, mas pesquisas elemento pedagógico significativo, material a legislação. É preciso fomentar políticas, tais
que eu fiz com professores que atuam nas ou imaterial, que vai produzir no educando como: programas de capacitação de profes-

Maio de 2015 • Escola Particular 13


Entrevista

freepik.com
A escola pública não consegue atender
às demandas do aluno do ensino
regular, quanto mais às demandas do
aluno da educação inclusiva

sores, gestores e da equipe pedagógica; A escola pública tem condições de ter


programas de assistência à família; condições esses alunos? Estão recebendo?
que possibilitem melhor avaliação do aluno Eu vejo que há muito esforço em
e a produção de materiais pedagógicos. Não algumas escolas, algumas secretarias,
se trata de ações pontuais, mas contínuas. em muitos profissionais da educação. Na
maioria das vezes, o esforço está no fato
As escolas estão preparadas para isso? de recebê-los, mesmo sem condições.
Não, certamente não estão. O professor, Não há como dizer que a escola pública
de um modo geral, se sente um pouco aban- tem alcançado êxito. A escola pública
donado. É preciso salientar que estudos têm não consegue atender às demandas do
mostrado reiteradamente que os professores aluno do ensino regular, quanto mais às
se sentem sobrecarregados, em decorrência demandas do aluno da educação inclusiva.
das novas funções que lhes foram atribuídas Mas, o professor precisa acreditar na sua
pelas políticas de universalização do ensino. capacidade, na educação e no seu aluno.
Além disso, as escolas sempre são pressiona- Apesar das dificuldades, eu vejo a escola
das a mostrarem bons resultados, não em como uma árvore. A árvore é alimentada
termos qualitativos, mas em termos quanti- e alimenta. Abriga e ensina aos passantes
tativos. Não se trata de dizer somente que as à sua sombra. Sustenta os que se aconche-
escolas não estão preparadas; o sistema não gam e fazem seus ninhos, preparando ali
está preparado. uma nova geração para voar. •

O Sr. considera receber por receber


prejudicial aos alunos? Afinal a escola não Eugênio Cunha
é depósito de alunos. Doutorando e mestre em educação,
Sim, claro. Matrícula no ensino comum professor, psicopedagogo e jornalista.
não é garantia de inclusão. Não somente Leciona na Educação Básica e no Ensino
Superior. Autor dos livros “Afetividade
no ensino comum, mas “receber o aluno na prática pedagógica”, “Afeto e apren-
por receber” pode também ocorrer numa dizagem” “Autismo e inclusão”, “Práticas
escola especial. O que torna uma instituição pedagógicas para inclusão e diversidade”
e “Autismo na escola: um jeito diferente
inclusiva é a maneira de ensinar, isto é, são as de aprender, um jeito diferente de
práticas de ensino que fazem a inclusão, na ensinar”, publicados pela WAK Editora.
escola regular ou na escola especial.

14 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 15
Drogas

Ecstasy
freeimages.com

M adrugada de sábado, nossa equipe


de resgate é acionada para um aten-
dimento emergencial em uma festa rave na
com efeitos danosos ao cérebro humano,
principalmente em neurônios serotoninér-
gicos. Esse efeito neurotóxico pode causar
landa, país produtor da substância, através
do qual a droga é contrabandeada e chega
até o Brasil.
Barra de Tijuca. Na chegada observo uma distúrbios no sono, alterações do humor, Os efeitos iniciais da droga ocorrem
grande confusão. Entre jovens alcoolizados ansiedade, aumento da impulsividade, pro- aproximadamente vinte a quarenta minu-
e música eletrônica muito alta encontra- blemas de atenção e memória. Importante tos após a ingestão do comprimido de
mos uma garota de aproximadamente dizer que tais efeitos danosos podem ser ecstasy, com a presença de enjôos que
dezesseis anos de idade desacordada nos permanentes, podendo ocorrer mesmo às vezes provocam vômitos, podendo
braços de amigos. Mais do que desacor- após a utilização da droga uma única vez. ser acompanhado de uma urgência para
dada, Daniela estava morta, vítima de um O MDMA foi produzido e patenteado defecar.
comprimido de ecstasy oferecido pela em 1914 pelo Laboratório Merck na Ale- Posteriormente, sentimentos de fa-
primeira vez à estudante da segunda série manha como um componente experimen- miliaridade e empatia com todos a sua
do ensino médio por colegas da escola. A tal e classificado inicialmente como um volta, alterações na percepção do tempo,
cena aterrorizou amigos e funcionários moderador de apetite, mas teve seu uso aumento da sensibilidade corporal, euforia,
do colégio que tinham Daniela como uma iniciado como droga de abuso no final da bem-estar e aumento do desejo sexual.
aluna exemplar, mas que naquela noite década de 1960 na Califórnia, por jovens Entretanto pode provocar também di-
sucumbiu ao oferecimento da substância interessados nos efeitos prazerosos, sen- minuição da ereção e dificuldade para se
pelos mesmos colegas da escola. timentos de liberdade, apego, empatia e atingir o orgasmo. Agitação psicomotora,
Também chamado de MDMA, “club “amor universal”, motivos que lhe rendeu falta de apetite, tremor, sensações de calor,
drug” ou “bala”, o ecstasy é uma droga que o apelido de “droga do amor”. aumento da temperatura corporal e muita
vem se popularizando nos últimos vinte A droga tornou-se proibida nos Estados sede também ocorrem com frequência.
anos, principalmente entre adolescentes Unidos no início da década de 1980, mas Todos esses efeitos duram em torno de três
de classe média e alta, e está intimamente teve um crescimento assustador de seu a seis horas, entretanto, costumeiramente
ligada a freqüentadores de casas noturnas uso com a popularização das festas rave podem ocorrer períodos de “ressaca”
e festas chamadas raves, onde muitos nos anos seguintes. Esses locais são consi- pós-utilização da substância, com dura-
jovens compartilham além da música ele- derados ideais pelos seus usuários devido à ção de até vinte e quatro horas. Durante
trônica a utilização dessa droga. mistura do ambiente de música eletrônica a “ressaca” o jovem pode experimentar
O ecstasy é consumido sob a forma vibrante associado a festas com mais de sensações de cansaço, tristeza, falta de
de comprimidos. Trata-se de um tipo de dez horas de duração. motivação e insônia.
anfetamina sintética com propriedades es- Atualmente a droga é proibida em Além desses sintomas usuais, graves
timulantes e alucinógenas e está relacionada quase todo o mundo, com exceção da Ho- reações do organismo podem ser desen-

16 Escola Particular • Maio de 2015


cadeadas durante a utilização da droga Os efeitos danosos no cérebro de
nas festas, como confusão mental, desori- usuários de ecstasy estão relacionados
entação, alterações na pressão arte- com a lesão de neurônios serotoninérgi-
rial, aumento dos batimentos cardíacos cos e com a consequente diminuição de
e da temperatura corporal, desidratação, 30% do metabolismo de serotonina. Além
convulsões, problemas de coagulação disso, diversos estudos com neuroima-
sanguínea, falência do funcionamento dos gem mostram um aumento da disfunção
rins, intoxicação hepática grave e morte. cognitiva no córtex frontal e hipocampo,
A hipertermia ou aumento da tempera- evidenciando efeitos nocivos no funciona-
tura corporal é um dos grandes perigos mento do sistema nervoso central.
do consumo da droga, pois devido a seus Alterações psiquiátricas como depressão,
efeitos estimulantes, o ecstasy provoca ansiedade, insônia, impulsividade e ataques
um excesso de trabalho do organismo com de pânico também estão mais relacionadas
produção de calor, superaquecendo o com usuários da droga, quando comparados
corpo do usuário. Em alguns locais onde com pessoas que nunca a utilizaram.
a droga é consumida há uma facilitação Não se costuma observar os fenôme-
desse superaquecimento do corpo, pois nos de tolerância, síndrome de abstinência
as casas noturnas normalmente são am- e dependência do ecstasy, entretanto
Graves bientes fechados, com pouca ventilação e
superlotadas, motivo pelo qual atualmente
os efeitos, prejuízos e consequências
ocasionados pelo seu uso são comumente
reações do muitas festas raves são realizadas em sítios,
chácaras e praias.
observados entre usuários da droga e bem
descrito na literatura médica. •
organismo Uma das mais graves consequências
desse superaquecimento corporal pode
podem ser ser a rabdomiólise, quando há degradação
de proteínas musculares causadas pela
desencadeadas exposição do organismo a altas tempera-
turas. Essas proteínas degradadas caem
durante a
Dr. Gustavo Teixeira
Médico psiquiatra da infância e
na corrente sanguínea e podem prejudicar adolescência. Professor visitante

utilização da droga o funcionamento dos rins na filtração do da Bridgewater State University.


Mestre em Educação, Framingham
sangue e causar insuficiência renal e conse- State University.
comportamentoinfantil.com
quente morte do usuário da droga.

Maio de 2015 • Escola Particular 17


Direitos Tributários

Lei nº 12.868/13 e a Filantropia Educacional

Reflexos e Ajustes

freepik.com
O CEBAS - Certificado de Entidade
Beneficente de Assistência Social é
a certificação opcional para entidades sem
Nesse contexto, aludida certificação
demanda a integração entre os alguns
elementos, quais sejam: o Estatuto, os
cação (aguarda-se regulamentação). Tal
disposição foi incluída, na Lei nº 12.101/2009
pela Lei nº 12.868/2013. Vale ressaltar que
fins lucrativos das áreas de educação, de Controles Internos, as Demonstrações atualmente o órgão responsável pelos
saúde e de assistência social. Trata-se de Contábeis de acordo com a Resolução censos escolares é o INEP – Instituto Nacio-
requisito para fins de fruição da imunidade CFC nº 1409/12 (que aprovou a ITG 2002), nal de Estudos e Pesquisas Educacionais
de contribuições sociais [1] como, por a Prestação de Contas a tempo e modo, Anísio Teixeira.
exemplo, da cota patronal, conforme o bem como a Regularidade Fiscal na Es-
disposto na Lei 12.101/2009. fera Federal (CND- Certidão Negativa de 2 - Remuneração de Diretores: uma
Com efeito, a Lei 12.101/2009 (e seu Débitos ou CPEN – Certidão Positiva com das principais novidades, trazida pela Lei
Decreto Regulamentador nº 7.237/2010) foi Efeitos de Negativa). nº 12.868/2013, foi a possibilidade de remu-
considerada, à época de sua publicação, Especificamente no tocante ao CEBAS, neração, tanto dos Diretores Estatutários,
o novo marco regulatório no que tange dados da Lei de Diretrizes Orçamentárias – quanto dos Diretores registrados (CLT).
ao binômio “filantropia – certificação” e LDO, de 2013, dão conta de que a Projeção Contudo, tal remuneração deve estar em
trouxe, em seu bojo, relevantes alterações para 2013 [2], em termos de Renúncia consonância com algumas regras, quais
na logística da certificação em pauta. Previdenciária oriunda do CEBAS, será da sejam: a) remuneração aos diretores
Dentre elas, destacamos o fato de ordem de R$ 8.867.707.183, o que repre- não estatutários que tenham vínculo
que, desde o advento da Lei em comento, senta 0,18% do PIB. empregatício (não há limite de valor); b)
novos pedidos, bem como de renovação Recentemente, em 16 de outubro de dirigentes estatutários podem ser remu-
do CEBAS, levados a efeito pelas entidades 2013 foi publicada, no Diário Oficial da nerados desde que recebam remuneração
sem fins lucrativos, devem ser direciona- União, a Lei nº 12.868/2013 que, dentre inferior, em seu valor bruto, a 70% (setenta
dos ao Ministério competente consoante outros assuntos, modificou substancial- por cento) do limite estabelecido para
segregação a seguir: Ministério da Edu- mente a Lei nº 12.101/2009. Note-se que a a remuneração de servidores do Poder
cação (entidades da área educacional), Lei em pauta ainda não foi regulamentada. Executivo federal; c) nenhum dirigente es-
Ministério da Saúde (entidades da área de Dentre os principais pontos atinentes à tatutário remunerado poderá ser cônjuge
saúde) e Ministério do Desenvolvimento área educacional, destacamos: ou parente até 3o (terceiro) grau, inclusive
Social e Combate à Fome (entidades da afim, de instituidores, sócios, diretores,
área de assistência social). 1 - Censo Educacional: As entidades conselheiros, benfeitores ou equivalentes
Portanto, há alguns anos, as entidades de educação certificadas deverão pres- da instituição e o total pago a título de
educacionais têm seus pedidos proto- tar informações ao Censo da Educação remuneração para dirigentes estatutários,
colizados e apreciados, no âmbito do Básica e ao Censo da Educação Superior, pelo exercício das atribuições estatutárias,
Ministério da Educação. conforme definido pelo Ministério da Edu- deve ser inferior a 5 (cinco) vezes o valor

18 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 19
Direitos Tributários

freepik.com
correspondente ao limite individual esta- 5 - Bolsistas matriculados na educação
belecido no parágrafo 5º, do artigo 12, da básica: inovação legal onde cada bolsa de
Lei nº 12.868/2013. Note-se que tal cenário estudo integral concedida a aluno ma-
não impede a remuneração da pessoa do triculado na educação básica em tempo
dirigente estatutário ou diretor que, cu- integral equivalerá a 1,4 (um inteiro e
mulativamente, tenha vínculo estatutário quatro décimos) do valor da bolsa de
e empregatício, exceto se houver incom- estudo integral.
patibilidade de jornadas de trabalho.
6 - Entidades que prestam serviços in-
3 - Alteração do critério quantitativo: tegralmente gratuitos: deverão garantir a
antes da alteração legislativa o critério, observância da proporção de, no mínimo,
para fins de concessão/renovação do um aluno cuja renda familiar mensal per
CEBAS, era tripartite, vale dizer, eram capita não exceda o valor de um salário-
considerados três critérios: a) 20% de mínimo e meio para cada cinco alunos
concessão de bolsas anualmente (base matriculados.
de cálculo: receita efetivamente auferida);
b) concessão de uma bolsa integral para 7 - Entidades que atuam na educação
cada nove alunos pagantes (anualmente) superior e que aderiram ao PROUNI:
e c) renda per capita. Contudo, com a alte- inovação legal onde somente serão
ração legislativa, estamos diante de novo aceitas, no âmbito da educação superior,
critério que considera, tão somente, duas bolsas de estudo vinculadas ao PROUNI,
variáveis, quais sejam: a) concessão anual salvo as bolsas integrais ou parciais de
de uma bolsa integral para cada cinco alu- 50% para pós-graduação stricto sensu.
nos pagantes e b) renda per capita. Com tal Excepcionalmente serão aceitas, como
alteração, resta evidente que a proporção gratuidade, no âmbito da educação
do “número de bolsistas x pagantes” foi superior, as bolsas de estudo integrais
majorada, ou seja, deverá haver número ou parciais de 50% oferecidas fora do
maior de bolsistas. PROUNI aos alunos que preencham os
requisitos da renda per capita (artigos 14 e
4 - Bolsistas com deficiência: inovação 15 da Lei 12.101/2009), desde que a institu-
legal onde cada bolsa de estudo integral ição tenha cumprido a proporção de uma
concedida a aluno com deficiência, assim bolsa de estudo integral para cada nove
declarado ao Censo da Educação Básica, alunos pagantes no PROUNI e que tenha
equivalerá a 1,2 (um inteiro e dois décimos) ofertado bolsas no âmbito do PROUNI
do valor da bolsa de estudo integral. que não tenham sido preenchidas. Por

20 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 21
Direitos Tributários

freepik.com
fim, somente serão computadas as bolsas alunos pagantes os inadimplentes por
concedidas em cursos de graduação ou período superior a noventa dias, cujas
sequencial de formação específica regula- matrículas tenham sido recusadas no
res, além das bolsas para pós-graduação período letivo imediatamente subse-
stricto sensu. quente ao inadimplemento, conforme
definido em regulamento.
8 - Entidades que atuam na educação
superior e que não aderiram ao PROUNI: 10 - Termo de Ajuste de Gratuidade:
inovação legal onde as entidades deverão O Termo de Ajuste de Gratuidade (instru-
conceder anualmente bolsas de estudo na mento utilizado para instituições que têm
proporção uma bolsa de estudo integral o CEBAS indeferido, na área educacional,
para cada quatro alunos pagantes. As somente por conta do critério quantita-
entidades poderão conceder bolsas de tivo, ou seja, não cumprimento do percen-
estudo parciais, desde que preencham os tual de concessão de bolsas), previsto na
seguintes requisitos: a) no mínimo, uma Lei 12.101/2009, sofreu algumas alterações,
bolsa de estudo integral para cada nove a saber: a) após a publicação da decisão
alunos pagantes; e b) bolsas de estudo relativa ao julgamento do requerimento
parciais de 50%, quando necessário para de concessão ou de renovação da certifica-
o alcance do número mínimo exigido, ção na primeira instância administrativa,
conforme definido em regulamento. Sem as entidades de educação disporão de
prejuízo das proporções mencionadas, a prazo improrrogável de trinta dias para re-
entidade de educação deverá ofertar, em querer a assinatura do Termo de Ajuste de
cada uma de suas instituições de ensino Gratuidade. O Termo de Ajuste de Gratui-
superior, no mínimo, uma bolsa integral dade poderá ser celebrado somente uma
para cada vinte e cinco alunos pagantes. vez com cada entidade. Ponto relevante é
o fato de que as bolsas de pós-graduação
9 - Conceito de alunos pagantes: a Lei stricto sensu poderão integrar o percen-
nº 12.868/2013 trouxe o conceito de alunos tual de acréscimo de compensação de 20%,
pagantes. Com efeito, consideram-se desde que se refiram a áreas de formação
alunos pagantes o total de alunos que definidas pelo Ministério da Educação.
não possuem bolsas de estudo integrais. Recentemente, em 25 de outubro de 2013,
Atenção a este ponto: Não se consideram foi publicada no Diário Oficial da União, a

22 Escola Particular • Maio de 2015


Instrução Normativa MEC nº 2, de 24 de ser certificadas sem a exigência de uma nais: Para as entidades de educação, os
outubro de 2013, que regulamentou o bolsa de estudo integral para cada 9 (nove) requerimentos de concessão ou renovação
Termo de Gratuidade e trouxe a logística, alunos pagantes, desde que cumpridos do Certificado de Entidade Beneficente
bem como os referidos formulários, do os demais requisitos legais. Note-se que de Assistência Social de que trata a Lei no
referido Termo. referido prazo de cinco anos é restrito a 12.101/2009, protocolados até 31 de dezem-
estas hipóteses. bro de 2015 serão analisados com base nos
11 - Prazo para renovação: houve subs- critérios vigentes até a data de publicação
tancial alteração no prazo de renovação 13 - Débitos Tributários: Em caso de desta Lei, ou seja, as alterações acima
do CEBAS, ou seja, será considerado tem- decisão final desfavorável, publicada após serão aplicáveis somente a partir de 2016.
pestivo (dentro do prazo) o requerimento a data de publicação desta Lei, em proces- Exceção: serão aplicados os critérios vigen-
de renovação da certificação protocolado sos de renovação de que trata o artigo 35 tes após a publicação desta Lei, caso sejam
no decorrer dos 360 (trezentos e sessenta) da Lei no 12.101/2009, cujos requerimentos mais vantajosos à entidade postulante.
dias que antecedem o termo final de tenham sido protocolados tempesti- Diante de todas as alterações acima,
validade do certificado (a Lei 12.101/2009 vamente (dentro do prazo), os débitos a recomendação é no sentido de que as
previa prazo de 6 (seis meses). tributários serão restritos ao período de instituições de ensino façam um planeja-
180 (cento e oitenta) dias anteriores à de- mento estratégico de modo a agir preven-
12 - Extensão do prazo validade do cisão final, afastada a multa de mora. Por tivamente para, deste modo, proceder às
CEBAS: As certificações concedidas ou que outro lado, em caso de decisão favorável, alterações internas necessárias para fins
vierem a ser concedidas, com base nesta em processos de renovação de que trata de adequação à Lei nº 12.868/2013. •
Lei, para requerimentos de renovação pro- o artigo 35 da Lei no 12.101/2009, cujos
tocolados entre 30 de novembro de 2009 pedidos tenham sido protocolados intem-
e 31 de dezembro de 2011 terão prazo de pestivamente (fora do prazo), os débitos
validade de 5 (cinco) anos. Outra inovação tributários serão restritos ao período de Vanessa Ruffa Rodrigues
foi o fato de que as entidades de educação 180 (cento e oitenta) dias anteriores à de- Advogada Tributarista da Meira
Fernandes, Graduada em Direito
que tenham protocolado requerimentos cisão, afastada a multa de mora. pela FMU, Especialista em Direito
Tributário pela Universidade
de concessão ou de renovação no período Mackenzie, Extensão em Direito
Tributário e Societário pela FGV
compreendido entre 30 de novembro de 14 - Vigência das alterações, da Lei nº (GVLaw), Extensão em Tributação do Setor Comercial
2009 e 31 de dezembro de 2010 poderão 12.868/2013, para as entidades educacio- pela FGV (GVLaw), MBA em Gestão de Tributos e
Planejamento Tributário pela FGV – Fundação Getúlio
Vargas (FGV Management-SP), Membro efetivo da
Comissão do Terceiro Setor da OAB/SP e Ex-membro
da Comissão de Assuntos Tributários da ABEL –
[1] Artigo 195, parágrafo 7º, da Constituição Federal. Associação Brasileira das Empresas de Leasing e da
[2] BRASIL. Câmara dos Deputados. Disponível em: http://www.camara.gov.br/internet/comissao/index/ FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos.
vanessa.ruffa@meirafernandes.com.br
mista/orca/orcamento/OR2013/info_complem/vol2/08_IncisoVIII.pdf.

Maio de 2015 • Escola Particular 23


Motivação

P ropaganda é a alma do negócio. Fun-


ciona para muitos tipos de atividade.
Para missões espaciais, a alma do negócio
Obviamente, sou um entusiasta e
luto a favor da exploração espacial e do
desenvolvimento de tecnologia de ponta.
de sistemas realistas, capazes de suportar
todo o leque de condições desfavoráveis
para a execução da missão e manutenção
está na tecnologia baseada em fatos. Os Mas, com a mesma ênfase, não posso ser da vida dos tripulantespara pousar, sobre-
riscos são altos e “falhar não é opção”. Os favorável ao assassinato anunciado de viver e explorar cientificamente aquele
sistemas têm de ser capazes de cobrir to- pessoas inocentes! planeta. Enquanto isso, em Houston,
das as condições de operação com reser- A NASA pretende enviar missões tripu- atividades de treinamento são criadas e
vas e a tripulação tem de ser qualificada ladas a Marte na década de 2030. Para isso, desenvolvidas para preparar astronautas
e experiente. O preço de quebrar essas inicialmente inúmeras análises científicas
regras: perda da espaçonave e mortes. têm iluminado o caminho entre a Terra e
Parece demasiado dramático, mas o planeta vermelho. Esses dados estão
algumas vezes é necessário apontar a sendo usados para o desenvolvimento
realidade com firmeza.
Nos noticiários recentes, assisto com
certa preocupação o crescimento do
interesse popular (e até de empresas) por
alguns projetos que têm boa propaganda,

freepik.com
mas poucos fatos para apoiar as afirma-
ções e promessas feitas. O público, de
certa forma inocente em busca do sonho
de ir ao espaço, acredita e até aposta lite-
ralmente a vida nessas “possibilidades”.
Na prática, é algo similar àqueles co-
merciais que prometem emagrecimento
rápido: “tome esse comprimido e, sem
qualquer dieta ou exercício, você perderá
20 quilos em uma semana!” Parece engra-
çado, mas tem gente que acredita nessas
coisas! E compra! E toma o tal comprimido!
O projeto MarsOne, até agora, me
parece exatamente como isso.

A NASA pretende
enviar missões
tripuladas a Marte na
década de 2030
24 Escola Particular • Maio de 2015
O projeto
MarsOne tem
uma ótima
propaganda, mas
até agora não
apresentou as
devidas credenciais
técnicas
profissionais e com experiência opera- eu conheço os riscos envolvidos, mas sou da envergadura de uma viagem a Marte
cional suficiente para encarar e vencer candidato a tripular uma missão NASA com sucesso é através de muito estudo,
os desafios que certamente surgirão. para Marte. Como astronauta profissional, trabalho, tecnologia e preparação séria
Mesmo assim, os riscos serão altos. As- isso é parte do meu trabalho. de tripulação profissional.
sim, todo nosso esforço é para reduzir os Infelizmente, da mesma forma que O projeto MarsOne tem uma ótima
fatores negativos de forma que possamos emagrecer 20 kg não pode acontecer propaganda, mas até agora não apresen-
realizar a missão com um nível aceitável por mágica em uma semana, a única tou/divulgou as devidas credenciais técni-
de sobrevivência e sucesso. Certamente, maneira de realizar uma missão espacial cas, nem a análise completa dos fatores da

Maio de 2015 • Escola Particular 25


Motivação

missão, nem os contratos necessários com


possíveis fornecedores para desenvolvi-
mento do transporte e dos equipamentos
essenciais para o sucesso da missão.
Não quero “jogar
Dessa forma, no cenário atual, na
verdade ele representa um sério risco não
um balde de
apenas para a vida dos inocentes que pre-
tendem compor sua tripulação, mas para
água fria” nos
todo o esforço futuro de enviar missões
tecnicamente viáveis para Marte.
sonhos daqueles
Caso o projeto consiga chegar até o
ponto de decolar com carga humana – e eu
que querem ir a
sinceramente espero que não – a provável Marte. Isso ainda
morte dos passageiros no translado, no
pouso ou algumas horas depois disso, re- É POSSÍVEL!
presentará uma comoção mundial capaz de
também matar qualquer tipo de tentativa
posterior de realizar uma missão interna-
cional tripulada com perfil semelhante, dos módulos no solo para sustentar a vida
por mais que seja séria e tecnicamente precisa ser imediatamente conduzida.
estruturada. Lembre-se de que tal missão Mas, na verdade, a tripulação precisaria
terá necessidade de contribuição financeira de um hospital!
de vários países e organizações, e, certa- Supondo que consigam, aí temos
mente, a repercussão negativa da morte outras questões essenciais como: quan-
inútil de seres humanos em uma missão tidade e qualidade de alimentação, água,
anterior, mesmo que antecipada por espe- oxigênio, roupas espaciais que ainda não
cialistas, poderá inviabilizar a participação foram desenvolvidas, condições emocio-
desses investidores. nais, etc.
Para aqueles que não conhecem o Esses são apenas alguns exemplos
Projeto MarsOne, ele pretende utilizar óbvios. Na verdade, existe uma grande
tecnologias já desenvolvidas para enviar cadeia de suposições com baixos percen-
espaçonaves para Marte a partir de 2018. tuais de sucesso que têm de ser multipli-
Inicialmente serão enviados sondas tipo cadas para se chegar à probabilidade de
“rovers”, seguidos de módulos de apoio à sobrevivência da tripulação. O resultado
vida e, finalmente, em 2024, seres humanos. certamente será um número inaceitável
Parece simples, mas basta uma análise muito próximo de zero.
um pouco mais lógica para encontrar Neste artigo não cabe entrarmos em
diversos pontos de problema. detalhes técnicos, mas para aqueles mais
Uma viagem a Marte com a tecnologia curiosos, existe um estudo completo feito
atual dura diversos meses. pelo MIT (Massachusetts Instituteof Tech-
Supondo que as etapas não tripuladas nology), disponível na internet, onde são
tenham tido sucesso (apesar do custo analisados os aspectos e dados divulgados
necessário ter de ser revisto), teremos o do projeto, chegando-se à conclusão da
envio de seres humanos. inviabilidade da sua execução.
Durante o percurso, a saúde da tripu- Não quero “jogar um balde de água
lação será degradada ao extremo com fria” nos sonhos daqueles que querem ir a
radiação, perda de massa muscular, perda Marte. Isso ainda É POSSÍVEL! Mas infeliz-
de densidade óssea e fatores emocionais mente, por enquanto, com o nível da nossa
(especialmente uma tripulação não pro- tecnologia, será necessário muito estudo,
fissional). Próximo desafio: o pouso. As esforço pessoal, trabalho e dedicação por
técnicas de pouso utilizadas atualmente muitos anos para ser parte do grupo de
para sistemas terão de ser adaptadas para astronautas profissionais e, mesmo assim,
seres humanos. encarar sérios riscos.
Supondo que a tripulação tenha so- Noutras palavras, não acredite em
brevivido ao voo e ao pouso, a preparação comprimidos milagrosos! •

Marcos Pontes
Embaixador da ONU para o Desenvolvimento Industrial.
Nascido em Bauru, SP, em 1963, Marcos Pontes, desde 1998 até hoje, é o único Astronauta à disposição
do Brasil. Ele aguarda a escalação pelo governo para um segundo voo espacial. Além das suas
funções da carreira civil de astronauta, Pontes é Especialista em Segurança Operacional, Palestrante
Motivacional, Coach Especialista em Desempenho Pessoal e Desenvolvimento Profissional, Mestre
em Engenharia de Sistemas, Engenheiro Aeronáutico pelo ITA, Diretor Técnico do Instituto Nacional
para o Desenvolvimento Espacial e Aeronáutico, Empresário, Consultor Técnico, Embaixador das Nações Unidas para o
Desenvolvimento Industrial, Presidente da Fundação Astronauta Marcos Pontes e Autor de três livros: “Missão Cumprida.
A história completa da primeira missão espacial brasileira”, “É Possível! Como transformar seus sonhos em realidade” e “O
Menino do Espaço”, todos publicados pela editora Chris McHilliard do Brasil.
www.marcospontes.com.br

26 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 27
Reflexão

freepik.com

M uito se fala, na interface de saúde


e educação, sobre alguns trans-
tornos ou doenças que relacionam com-
ainda é uma importante preocupação de
saúde pública. Desde o início da epidemia,
segundo o último dado do Ministério da
prometimento do sistema nervoso e Saúde do Brasil, em 2013, houve mais de
cognição, como exemplo a paralisia 15.000 novos casos em crianças menores
infantil, doenças degenerativas, Aids, de 12 anos de idade.
entre outras. Pensando na interface entre saúde
A AIDS é uma doença provocada e educação, realizamos na Universidade
pelos vírus da imunodeficiência humana Estadual de Campinas (UNICAMP), um
(HIV), transmitidos pelo sangue e pelo estudo pioneiro no Brasil, orientado pelo
contato sexual. Quando o HIV é adquirido Professor Doutor Marcos Tadeu Nolasco
na infância, período em que o sistema da Silva, mostrando que as questões
nervoso está em pleno desenvolvimen- relacionadas com o baixo desenvolvimen-
to, pode causar danos muito maiores to cognitivo de crianças e adolescentes
do que quando ocorre na fase adulta. infectados pelo HIV e clinicamente es-
As manifestações podem ser de ordem táveis, recebem importante influência
física, como a demência; alterações de dos fatores psicossociais como a Quali-
memória; lentidão motora e de raciocínio; dade de Vida.
dificuldade de atenção, concentração O estudo avaliou, usando as provas
e para tomar decisões; e/ou de ordem piagetianas para diagnóstico do com-
psicológica, como por exemplo, senti- portamento operatório, crianças de 7 a
mento de inferioridade, de impotência 12 anos infectadas precocemente pelo
e de fracasso. HIV, ou seja, no útero materno, acompa-
Como se isso não bastasse, muitas nhadas pelo Serviço de Imunodeficiên- trando que as crianças do ensino funda-
dessas crianças e adolescentes enfren- cia Pediátrica do Hospital das Clínicas mental ainda têm muita necessidade de
tam condições de vida que nada ajudam da Unicamp e crianças saudáveis, com materiais concretos, sendo difícil sem ele,
para um melhor desenvolvimento, como condições socioeconômicas semelhantes responder questões que necessitam de
pobreza, privações, baixa escolaridade ao grupo de pacientes, de duas escolas raciocínio dedutivo por inferência.
dos pais, baixo nível social, subpeso e públicas de São Bernardo do Campo - SP. Esse trabalho teve importante des-
falta de estímulo intelectual. Notamos na pesquisa que, indepen- taque no Fórum Mundial sobre Saúde
Apesar de, atualmente, a terapia an- dentemente da infecção pelo HIV, há uma da Criança e do Adolescente em Nova
tirretroviral ter melhorado muito a expec- defasagem cronológica na aquisição do York, nos EUA, pois levantou a questão
tativa de vida dos pacientes, com queda estágio operatório concreto, ocorrendo de que crianças infectadas pelo HIV e
considerável no número de casos de Aids, por volta dos 10 anos de idade, demons- clinicamente estáveis apresentaram

28 Escola Particular • Maio de 2015


Os dados levantados
levaram a comunidade
científica mundial a
questionar a importante
influência de fatores
psicossociais como a
Qualidade de Vida e
vulnerabilidade social
no desenvolvimento
cognitivo

e aprender os conteúdos ministrados em


sala de aula.
Segundo Jean Piaget, conhecer não é
reproduzir cópia do objeto, mas agir so-
bre ele, entender suas propriedades e ser
capaz de transformá-lo, compreendendo
este processo. Quando isso acontece, o
sujeito está pronto para aprender, princi-
palmente os conteúdos escolares. Muitas
crianças e adolescentes ainda não estão
preparados para assimilar o conteúdo
programático proposto pelas escolas.
Faz-se necessárias ações que estimu-
lem o pensamento da criança, que as
escolas tenham um espaço dentro de sua
grade curricular para trabalhar com jogos
de raciocínio lógico e projetos interdis-
ciplinares com objetivo de auxiliar o de-
senvolvimento cognitivo, social, afetivo e
físico. Crie ambientes ricos em estímulos
e que propiciem autonomia. Os exercícios
propostos não devem ser mecânicos e
repetitivos, estimulando que as crianças
e adolescentes reflitam e aprendam a
elaborar suas próprias respostas com
criatividade e autonomia e que as aulas
sejam baseadas em atividades de desen-
volvimento das habilidades necessárias
para que haja aprendizagem. •
desenvolvimento cognitivo semelhante as questões afetivas têm sobre o desen-
à população saudável de mesma faixa volvimento, e que muito ajudaria a elabo-
etária que vivem em condições sociais e ração de um amplo acompanhamento
culturais semelhantes. Os dados levan- multidisciplinar centrado na estrutura de
tados levaram a comunidade científica vida comunitária e familiar. Alessandra Bizeli Oliveira Sartori
Pedagoga, psicopedagoga,
mundial a questionar a importante in- Uma importante questão que re- psicanalista, mediadora do
Programa de Enriquecimento
fluência de fatores psicossociais como verbera entre os professores é como Instrumental (PEI), mestre em
saúde da criança e do adolescente
a Qualidade de Vida e vulnerabilidade fazer para ajudar o aluno com algum pela Unicamp.
social no desenvolvimento cognitivo, comprometimento do sistema nervoso, Experiência com estimulação e reabilitação cognitiva,
psicanálise de criança, adolescente e adulto. Atua na Clia
sendo necessário repensar a estimulação e aqui não falo somente de crianças com psicologia, saúde e educação.
cliapisicologia.com.br - (11) 4424-1284 / (11)2598-0732
cognitiva dentro das escolas, o peso que o HIV, a se desenvolver intelectualmente

Maio de 2015 • Escola Particular 29


Relacionamento

Competição no
casamento?
V ocê já deve ter ouvido que a com-
petição nos faz crescer e desenvolve
em nós habilidades que antes não conhecía-
Eu e minha esposa Viviane estamos
casados há 4 anos e meio e tivemos que
expulsar a competição do nosso barco.
dar lugar ao “nós”. Isso não impede que
cada um tenha suas individualidades e isso
deve ser respeitado, porém ambos, mesmo
mos. Mas será que essa teoria tão propa- Aprendemos essa lição cedo. Viviane tam- com funções diferentes, precisam remar
gada no mundo de hoje vale para todas as bém é jornalista e também deixou a apre- juntos na mesma direção. Recebo dezenas
áreas da nossa vida? O problema é que a sentação de um telejornal para começar de mensagens de casais que acompanham
competição tem entrado num campo em ao meu lado um novo projeto, o de levar o meu trabalho e percebo que muitas das
que ela jamais poderia entrar; o casamento. as boas notícias por meio dos livros, vídeos crises poderiam ser evitadas se o orgulho
Quando se trata de família, a competição e palestras. No começo de tudo muitas fosse deixado de lado. Porém, as disputas
gera mais prejuízos do que benefícios, ela pessoas próximas, mesmo sem perceber, de quem ganha mais, de quem manda mais,
mais afasta do que une, ela mais destrói do semeavam o espírito competidor dentro do de quem pode mais têm transformado
que edifica... nosso casamento. Tinha acabado de lançar o que deveria ser céu em um verdadeiro
Ainda que muitos não percebam, as o meu primeiro livro quando alguns amigos inferno.
maiores crises conjugais têm como pano de perguntavam para Viviane quando ela iria O marido deve saber e respeitar a missão
fundo a competição. O egoísmo gera a com- lançar o dela também. Pode parecer algo da esposa dentro desse barco e a mulher
petição e a competição gera o egoísmo. A natural, mas não era! Viviane não tinha esse deve saber e respeitar a missão do marido.
ira gera a competição e a competição gera interesse e sabia que o papel dela dentro Um confiando no outro; um apoiando o
a ira. O ciúme gera a competição e a com- dessa parceria era outro. Mesmo deixando outro; um incentivando o outro. Quando isso
petição gera o ciúme. A competição gera a isso claro, muita gente continuava a estimu- acontece, de longe, os “piratas” vão saber
inveja e a inveja gera a competição. lar uma competição entre nós. Ainda bem que nem adianta chegar perto desse barco,
Quem compete só tem um objetivo, que não deixamos isso interferir na nossa porque onde um dia teve competição hoje
provar sua suposta superioridade. E no parceria, porque aprendemos com Deus existe a cooperação. •
casamento isso não pode existir. O casa- que não somos duas partes de uma laranja e
mento é como um barco e muitas vezes sim uma só carne. Temos a consciência que
esse barco está naufragando porque a não sou eu e nem ela que necessita se des-
tripulação está competindo. O marido tacar, mas a mensagem que anunciamos é
rema para um lado e a esposa para o outro. que, de fato, deve aparecer. Juliano Matos
Jornalista e palestrante
Nessa disputa de poder, os dois capitães Muitos casamentos chegaram ao fim www.julianomatos.com.br
não percebem a aproximação do perigo. Al- porque os cônjuges não entenderam o palestrante@julianomatos.com.br

guns problemas agem como “piratas” que significado de uma união. O “eu” tem que
aparecem para roubar as preciosidades da
embarcação. Eles são implacáveis e levam
o desejo, o amor, a alegria e tudo que ainda
restou. O pior é que depois de saqueado, o
barco acaba afundando e os dois competi-
dores descobrem que ambos perderam.
freepik.com

30 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 31
Ensino Médio

Ideias para o Ensino Médio


P arafraseando Max Weber, temos
vivido, no país, um penoso processo
de desencantamento com a Educação.
arraigada aos antigos conceitos “primário
e ginásio”; assim, deturpamos o espírito da
Lei, dividindo-o em “Fund 1 e Fund 2”. Leis
EM é tempo de formação de persona-
lidade e do desenvolvimento socioemo-
cional; porém, os conteúdos acadêmicos,
Os últimos Secretários e Ministros da mudam os nomes, mas não os conceitos e, retalhados, às vezes, por mais de 18 discip-
Educação, sempre pensam medidas para tampouco, o “fazer pedagógico”. linas, tornam-se importantes e imperativos;
a mudança do Ensino Médio (EM). Todavia, É difícil se animar ao ver o pífio desem- todavia, mesmo o amplo número de disci-
entra um, sai outro e o trem não se movi- penho em exames como o Pisa; igual plinas, não condiz com os resultados. Essa
menta. Escolhidos por critérios políticos, sentimento reside na avaliação de recém- conta não fecha! No fundo, gostamos de
com fortes tons eleitoreiros, chafurdam formados, quando a metade dos médicos quantidade e não de qualidade.
entre a falta de sabedoria pedagógica e avaliados não poderia receitar uma aspirina Vestibulares e Enem “obrigam” o EM
da vontade política. Por não entenderem e a dos advogados não elaboraria uma a quebrar a espinha dorsal do importante
a profundidade do viver pedagógico, não petição. A lista poderia ser maior, mas conceito na Educação: privilégio maior ao
tiveram ideias e tampouco teriam coragem poupo o leitor. “processo” e não ao “produto final”!
para efetivar mudanças radicais. O EM vem perdendo a sua identidade,
É difícil efetuar mudanças em Educa- desde os doloridos tempos da ditadura,
ção. Fato. quando queriam transformá-lo em cursos
O nosso cérebro (o Hardware?) está técnicos. Depois, a mesma identidade fez
tão bem formatado, que conseguimos água, quando ficou atrelado à Universidade
só meias-mudanças. Vide o Ensino Funda- e, agora, à mercê do Enem. Sem um Cur-
mental que, por Lei, deveria ser entendido rículo Mínimo Nacional e Diversificado,
como um contíguo de 9 anos, educando o qual poderia norteá-lo, ensina-se ob-
os alunos em um todo socioeducacional. cecadamente o que vai cair no vestibular!
Contudo, a nossa mente (o Software?) está A orquestra contratada escolhe a música...

No fundo,
gostamos de
quantidade e não
de qualidade freepik.com

32 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 33
Ensino Médio

freepik.com
Levando-se em conta que quase a gunto: uma prova de dois dias, com 120
metade dos adultos brasileiros não comple- questões (a serem respondidas em tempo
tou o EM; que só 250 iluminados, em quase máximo de 3’50’’ cada uma) e mais uma
6 milhões de estudantes do Enem, tiveram redação avaliam anos de estudo? Creio
nota máxima em uma redação e que 529 mil que tal exame coloca o jovem em uma
naufragaram em um absurdo zero, resta situação emocional grave e crítica, espécie
reconhecer que o EM necessita de urgentes de julgamento, não de avaliação. Queria ver
transformações. adultos, quiçá os próprios promotores do
Resiste, sim, por um esforço hercúleo exame, responderem às questões nestes
de professores, embora com dificuldades minutos!
em reter a atenção de jovens inundados Ainda levamos em nosso ventre o
pelos prazeres do consumo. Outra evidên- ranço de tempos idos, nos quais alunos
cia até certo ponto superficial, mas não eram ajoelhados sobre milho ou recebiam
menos eloquente é a desistência de alunos: palmadas nas mãos. Milho e palmada
em todas as escolas, o EM começa com X mudaram de nome... Adoramos colocar os
alunos e termina com menos X, no 3º ano. nossos jovens em situações de importante
Como diria Heitor Cony, é uma culpa que tensão. A educação brasileira prima por
pode ser coletiva, onde falta o trigo e sobra ser coercitiva.
o joio plantado, sobretudo, pelo Estado. Urge pensarmos em uma avaliação cu-
O estudante universitário não neces- mulativa durante estes três anos. Ao aluno
sita estar só preparado do ponto de vista seria dada uma média anual, progressiva e
cognitivo. (Isto, até aquele menino de 14 cumulativa e o seu currículo escolar teria
anos, que entrou em Medicina, tinha lá os uma validade ímpar, sendo examinado
seus conhecimentos factíveis). A Universi- e contemplado. Nele constariam, igual-
dade vai exigir maturidade mental, social, mente, trabalhos sociais ou participações
emocional e política, dimensões essenciais em campanhas sociais voluntárias realiza-
para a transição da adolescência para a dos na comunidade.
vida adulta. Utopias? Podem ser utopias! Como
O EM não pode ser interrompido no seu diz Eduardo Galeano elas têm um valor
último semestre, para virar “cursinho”, práti- inestimável: fazem-nos pensar e andar... •
ca comum em escolas. Ele tem vida própria
e objetivos a serem cumpridos. Por que são
necessários os cursinhos? Excrescência na
vida educacional brasileira, não atestariam Paulo Afonso Ronca
Doutor em Psicologia Educacional,
que o EM não cumpre a sua missão? escritor e diretor do Instituto
O fosso entre o EM e a Universidade Esplan. pronca@esplan.com.br

não foi encurtado pelo Enem. Não! Per-

34 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 35
Saúde

freepik.com

36 Escola Particular • Maio de 2015


As habilidades auditivas, vão se desenvolvendo
de forma progressiva e contínua, dependendo
da integridade física e dos estímulos auditivos
aos quais o bebê é exposto

P rocessamento Auditivo se refere


ao conjunto de habilidades que o
sistema nervoso realiza com o objetivo
objetivo principal de favorecer a aquisição
da linguagem. Um acompanhamento
trimestral para avaliação é primordial em
agitação motora e aspectos emocionais
de cada criança.
Embora alguns serviços de audiologia
de “decifrar” os sons detectados pelo casos de risco como: prematuridade, baixa estipulem idade mínima para realização da
ouvido, a fim de garantir ao indivíduo a oxigenação durante o parto, internação na avaliação aos 7 anos e reabilitação auditiva
eficiência na comunicação (oral ou escrita), UTI e outros problemas neonatais. em cabine a partir de 11 anos, a avaliação e
mesmo em situações pouco favoráveis Alguns testes que compõem a Ava- terapia do processamento jamais deverá
(ruidosas, reverberantes, em grupo, etc). liação do Processamento Auditivo podem esperar que a criança cresça, para depois
O aparelho auditivo já está formado na ser realizados a partir dos 4 anos de idade remediar. A integridade auditiva é essencial
décima sexta semana de vida intrauterina. e são largamente utilizados na triagem para o desenvolvimento da linguagem e
O feto já é capaz de escutar os sons inter- escolar, com grande vantagem, uma vez da alfabetização. Seria um grande engano
nos do corpo da mãe, como os batimen- que alterações detectadas precocemente, permitir que as alterações detectadas inter-
tos cardíacos, bem como sua voz e sons possibilitam o direcionamento da estimu- firam em todo o desenvolvimento. Sanar os
próximos. As habilidades auditivas, no lação em sala de aula e evitam complica- atrasos de maturação das áreas auditivas
entanto, não estão prontas e disponíveis ções futuras. antes da alfabetização formal é uma inter-
ao nascimento. Ao contrário, vão se A Avaliação do Processamento Au- venção precoce rápida e eficaz, que poupa
desenvolvendo de forma progressiva e ditivo é uma avaliação comportamental tantas dificuldades nas séries iniciais, com
contínua, dependendo da integridade não invasiva realizada através de uma sofrimentos e danos para a auto estima e
física e dos estímulos auditivos aos quais bateria de testes indicados e corrigidos no vínculo com a aprendizagem, tão custo-
o bebê é exposto. com critério específico para cada faixa sos para as crianças, pais e educadores. •
Pais e educadores ficam em dúvida a etária. O fonoaudiólogo dispõem de testes
respeito da necessidade ou da possibili- pediátricos realizados em cabine acústica,
dade de encaminhar para a Avaliação do propostos para avaliar crianças a partir de
Processamento e sua reabilitação. 5 anos de idade, outros a partir de 6 anos Maria José Lopes de Andrade
Existe um comportamento auditivo já podem ser realizados. C.R.Fa 4201 SP
Graduada em Fonoaudiologia e
esperado para cada etapa, previsto desde A Avaliação do Processamento Au- com Especialização em Distúrbios
da Comunicação Humana, pela
o nascimento. ditivo em idade pré escolar permite a UNIFESP – Escola Paulista de
Medicina. Aprimoramento em
Bebês podem ser avaliados com o ob- detecção de habilidades auditivas prejudi- Audiologia Clínica, pela Santa Casa de Misericórdia
jetivo de detectar precocemente prejuízos cadas, o que garante sua reabilitação ime- de São Paulo. É responsável pelas ações preventivas,
diagnósticas e terapêuticas em audição na CLIA
do processamento, o que assegura a es- diata, de forma adaptada às condições, à Psicologia, Saúde & Educação.
(11) 4424 1284 e 2598 0732 - cliapsicologia.com.br
timulação fonoaudiológica precoce com o capacidade de concentração, ao grau de

Maio de 2015 • Escola Particular 37


Idioma

freepik.com
Enquanto as universidades do mundo inteiro se esforçam para aumentar o número de alunos e
professores estrangeiros em seus cursos, no Brasil o processo está apenas engatinhando. Uma
das causas é a falta de profissionais com fluência em inglês e didática adequada para lecioná-lo de
forma efetiva. A Meta 6 da Unesco se refere à necessidade de melhorar a qualidade de educação e
garantir resultados mensuráveis de aprendizagem para todos.

É consenso na comunidade acadêmica


global que a presença de alunos
e professores estrangeiros em univer-
não deveria nos conduzir a este resultado?
É fato que a maioria das escolas particulares
ensina o idioma inglês. A educação pública
níveis de analfabetismo de adultos até 2015’.
Quando então alcançaremos a Meta 6
que o país tanto precisa, principalmente no
sidades enriquece não só o ambiente de também tem a língua como obrigatória no tocante ao ensino da língua inglesa?
ensino, mas a própria cultura de um país. currículo escolar. Além disso, as redes es- A maioria dos colégios particulares
Os estrangeiros trazem um repertório pecializadas proliferam levando o mercado brasileiros ainda não investem em know
diversificado de idéias, mostram soluções de escolas de idiomas a figurar entre os que how didático especializado para obter re-
encontradas de forma diferente para os mais crescem no segmento de franquias. sultados de aprendizagem concretos em
mesmos problemas, revelam experiências inglês. É frequente que os professores que
sociais e históricas distintas e uma série lecionam inglês em colégios não conheçam
de contribuições capazes de ajudar na suficientemente o idioma ou não tenham
evolução dos países para onde se des- É fato que a um efetivo preparo didático. As faculdades
locam em áreas como saúde, negócios,
inovação e ciências. Por outro lado, o maioria das escolas que formam professores de inglês não
preparam seus alunos no idioma nem os
país precisa se desenvolver tecnologica-
mente e o intercâmbio de profissionais particulares ensina o formam metodológica e didaticamente.
Com frequência, os cursos de formação de
provindos de países mais desenvolvidos
é essencial. O Brasil deseja impulsionar e
idioma inglês professores são em português.
Romper com este ciclo é fundamental.
se beneficiar desse relacionamento, mas É necessário se certificar de que aquilo que
tem encontrado muita dificuldade em foi ensinado foi realmente aprendido. Só
atraí-los basicamente por uma razão: pou- Com tamanha abundância de ensino, a inclusão do inglês como uma das prio-
cos brasileiros falam inglês. Professores porque não temos docentes capacitados a ridades nos esforços de melhorar a quali-
e alunos estrangeiros não conseguem se ensinar inglês e a ensinar em inglês? A res- dade da educação no país pode conseguir
inserir confortavelmente neste contexto. posta pode ser dada pela própria Unesco. isto. É responsabilidade de cada gestor
Números do Ministério das Relações A Organização das Nações Unidas para a educacional refletir sobre esta questão: o
Exteriores mostram que entre janeiro e Educação, a Ciência e a Cultura divulgou seu curso de inglês ensina inglês de forma
agosto do ano passado foram emitidos recentemente um estudo sobre o cum- comprovada ou é um curso apenas para
11.341 vistos temporários para estudantes primento de metas estabelecidas para os cumprir com a exigência do MEC e só para
estrangeiros, o que significam 760 pessoas países há 15 anos. Entre os seis objetivos inglês ver? •
a mais do que o registrado no mesmo perío- traçados, o Brasil alcançou apenas dois
do de 2013. Mesmo assim as informações da e talvez o que esteja mais longe de ser
Unesco revelam que o Brasil ainda perde alcançado seja a Meta 6. Ela estabelece a
para todos os países do BRICS, grupo que necessidade de ‘melhorar a qualidade da Adriana L. Albertal
Diretora da Seven Educacional,
inclui Rússia, Índia, China e África do Sul, na educação e garantir resultados mensu- área da Seven Idiomas que
hora de receber estudantes estrangeiros. ráveis de aprendizagem para todos’. implanta programas bilíngues
certificados por Cambridge
Mas como podemos entender isto Brasil tampouco alcançou a Meta 4, mais English em colégios e
universidades.
diante de um cenário que aparentemente próxima: ‘Alcançar uma redução de 50% nos

38 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 39
Comportamento

Bullying e cyberbullying
Quem são os verdadeiros responsáveis?

Somos nós que, com


toda a hipocrisia,
prestigiamos e
apoiamos programas
de televisão com
o proposito de
freepik.com

entretenimento mas
que, numa atitude
covarde e cruel,
machucam física e
moralmente pessoas
com o objetivo de
divertir e fazer rir

O bullying e o cyberbullying são fenô-


menos sociais da maior relevância e
cabe a todos nós encará-los de frente, sem
responsáveis pela formação de indivíduos.
Dentre outras razões, somos nós que
permitimos e apoiamos um sistema edu-
de uma sociedade excludente geradora
de violência? Será que quando ligamos o
nosso televisor e permitimos que nossas
rodeios ou falsas acusações, sem culpabi- cacional que ainda expõe moralmente crianças e jovens assistam a uma pro-
lizar os próprios agressores, os quais tam- milhares de crianças e jovens quando os gramação, cujo propósito é levar diversão
bém são vítimas de uma sociedade violenta destitui do seu direito de aprender, de a custa da humilhação de pessoas não
que continua mantendo mecanismos de ter a sua individualidade preservada e estamos favorecendo o aparecimento
discriminação de etnia, de classe social e também quando afirma que há bons e de possíveis vítimas de bullying e de
de gênero e, consequentemente, gerando maus alunos, sabendo que, de fato, eles cyberbullying?
mais violência. são apenas diferentes. Somos nós que, Formar sujeito de direitos exige rigor
A ciência convencionada como produ- com toda a hipocrisia, prestigiamos e ético, o mesmo que Freire diz ser in-
tora de conhecimento vem contribuindo apoiamos programas de televisão com separável da prática educativa, aquela
para o entendimento de que o meio so- o proposito de entretenimento mas que, que “se sabe afrontada na manifestação
ciocultural tem uma implicação direta na de forma velada, numa atitude covarde discriminatória de raça, de gênero, de
formação de crianças e jovens, os quais se e cruel, machucam física e moralmente classe”, e, digo eu, de modos diferentes
constituem em um processo de mediação pessoas com o objetivo de divertir e fazer de ser gente. E por falar em gente, conti-
com base na cultura e nas relações sociais. rir. O público infantil e juvenil exposto a nua ele: “gosto de ser gente porque, ina-
Um eminente pesquisador do campo essa programação entende que humilhar, cabado, sei que sou um ser condicionado,
da educação e da psicologia, Vigostski, excluir, agredir, machucar o outro faz mas consciente do inacabamento, sei que
refere que ao longo da internalização do parte da rotina. posso ir mais além”. •
processo de conhecimento, os aspectos Existe uma necessidade premente de
particulares da existência social refletem- resolver o problema, principalmente, por
se na cognição humana. Para ele, o homem todo o sofrimento que ele já causou e vem
é um ser social, um agregado de relações causando não só às crianças e aos jovens,
Lucy Duró
sociais encarnadas no indivíduo. Suas mas a toda sociedade. Pedagoga, Psicopedagoga
e membro do Laboratório
funções psicológicas são constituídas de Assim, faço o convite a uma reflexão: Interinstitucional de Pesquisa em
acordo com a estrutura social. será que quando aceitamos um sistema Psicologia Escolar do Instituto
de Psicologia da Universidade de
Portando, não há como negar que educacional anacrônico e violento não São Paulo.
evoluireducacional.com.br
nós, enquanto sociedade, também somos estamos concordando com a continuação

40 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 41
Educação
freepik.com

42 Escola Particular • Maio de 2015


N ão vejo problemas no aproveita-
mento dos resultados do ENEM para
a classificação dos alunos candidatos ao
sustentar um sistema desses. Se o país
está passando por um momento de ajuste,
também estas aberrações precisam ser
FIES. O desvirtuamento deste exame já analisadas.
ocorreu desde o momento em que ele dei- Como o ministro é professor de
xou de ser um avaliador do ensino médio e ética, bastaria que ele submetesse cada
passou a ser usado para selecionar alunos situação aos três famosos verbos que
para o ensino superior. Usar o mesmo ins- conduzem a ética: quero, posso e devo; se
trumento demanda menor despesa por tudo for positivo, faça; se houver alguma
parte do órgão selecionador. negação em relação a estes três verbos,
Normatizar o ingresso através do FIES não faça. •
exigindo pontuação mínima e nota dife-
renciada de zero na redação parece-me
um mecanismo para disciplinar o ingresso
com um mínimo de perspectiva para o
Hamilton Werneck
aluno ter condições de lograr êxito no Pedagogo, escritor e palestrante.
hamiltonwerneck.com.br
ensino superior.
Mas, alguns perguntam sobre o
porquê destas medidas. Simples: primeiro
as universidades particulares têm a garan-
tia do pagamento deste financiamento;
segundo, muitas universidades onde as
mensalidades são pagas, apresentam
maior facilidade nos quatro primeiros
períodos e introduzem maior dificuldade
nos últimos períodos da instituição, o
que vale dizer que os primeiros períodos
sustentam os últimos. Ora. Se o aluno
ingressante não tem perspectivas para
continuar além do quarto período, a insti-
tuição já conseguiu seu objetivo quanto ao
sustento de seu sistema.
Exigir 450 pontos no ENEM e nota
diferenciada de zero na redação é uma
exigência muito baixa ainda, sobretudo
porque as correções são feitas pela Teoria
da Resposta ao Ítem, o que significa que
450 pontos pode representar uma nota
entre zero e dez, menor que três.
O ministro terá problemas com o
pagamento dos serviços terceirizados nas
universidades? Sim. O que está em jogo é
outra questão que pode ser vista pelo olho
mágico da ética: há universidades que têm
em seus quadros funcionários para todos
os serviços e, além deles, os terceirizados.
Nenhuma instituição decente conseguiria

O ministro terá problemas


com o pagamento dos serviços
terceirizados nas universidades?
Sim

Maio de 2015 • Escola Particular 43


Sexo

Saia-justa na sala de aula:


Um caso exemplar
H á alguns anos fui chamada numa
escola para fazer uma consultoria.
O caso era o seguinte: O professor, constrangido, deu zero
O professor de Matemática, depois de
trabalhar o conteúdo sobre percentagem ao grupo, sem ao menos observar se
com uma de suas turmas, resolveu avaliar
o aproveitamento dos alunos. Para isso, as meninas tinham aprendido o conceito
ele pediu que seus alunos se dividissem
em grupos e fizessem uma pesquisa de de porcentagem
opinião com os colegas para exercitar o
cálculo do novo conhecimento. O tema
das pesquisas era livre. O professor, pego de surpresa, se Minha opinião
A maioria dos grupos apresentou sentiu acuado pelo tom provocativo e a Claro que não há resposta fácil diante
temas do cotidiano. Tudo transcorria evidente erotização do conteúdo. Não de um desafio como esse. Mas penso que
dentro da normalidade, até que um grupo conseguiu lidar adequadamente com este professor perdeu uma grande chance
formado por cinco garotas resolveu lançar a situação. Constrangido, deu zero ao quando não levou em consideração dois
a seguinte pergunta de pesquisa para os grupo, sem ao menos observar se as pontos fundamentais:
colegas: “O quê as garotas gostam mais meninas tinham aprendido o conceito de 1 - Em nenhuma circunstância se deve
nos meninos: da cabeça de cima ou da porcentagem. perder o foco no objetivo do exercício e se
cabeça de baixo?” E você, o que faria numa situação certificar da aprendizagem do grupo. Ele
Acho que vocês podem imaginar o dessas? Te convido a refletir por alguns simplesmente se esqueceu disso.
rebuliço que isso causou! instantes antes de continuar a leitura... 2 - Considero que ele poderia utilizar
a saia-justa como oportunidade para
mostrar às garotas que existem nomen-
claturas que são usadas no estilo coloquial
e no estilo formal. Esse é um dos papéis
da escola: indicar que existe hora e lugar
para diferentes tipos de linguagem. E,
claramente, sala de aula é lugar da lingua-
gem formal... Então, para o exercício em
questão, o professor poderia permitir que
a pergunta fosse feita, mas deveria expli-
car que os termos utilizados deveriam ser
cérebro e pênis (ou glande, mais especifi-
camente). Talvez a própria reformulação
da pergunta faria as meninas repensar
sobre a validade de seguir adiante com a
proposta, não acham?
Com esta atitude, ele estaria fazendo
as alunas – e toda a turma – conhecerem
outra forma de abordagem sobre o mes-
mo tema, e ainda refletir e ressignificar
informações. Por meio desta experiência
em grupo, o professor poderia preencher
lacunas nas informações que os adolescen-
tes têm, de tal forma que estas meninas
jamais iriam esquecer esta aprendizagem.
E o professor, por mais ranzinza que fosse,
conquistaria a admiração delas! •
freepik.com

Maria Helena Vilela é educadora


sexual e diretora do Instituto
Kaplan.
kaplan.com.br

44 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 45
Nutrição

Montando
uma lancheira
saudável e
saborosa
freeimages.com

A tualmente estamos vivendo um


dilema: muitas vezes não temos
congelar. Deixe na geladeira no dia anterior
para que vá descongelando.
tempo suficiente para cuidar da alimenta-
ção, porém sabemos a importância de uma
Procure montar • Tortas salgadas assadas: caso seu
filho prefira alimentos salgados nos lanches
nutrição equilibrada para a manutenção da
saúde e do bem-estar.
a lancheira de seu intermediários, uma boa opção são tortas
feitas com massa integral que podem ser
Como pais, cuidamos para que a alimen-
tação de nossos filhos esteja adequada para
filho com pelo recheadas de frango ou legumes.
• Iogurtes com granola, aveia ou cereal
o crescimento não só físico, mas também
intelectual. E realmente, a nutrição durante
menos um item sem açúcar.
• Oleaginosas: castanhas, amêndoas
a infância é de extrema importância, pois de cada grupo e nozes.
há uma grande necessidade de nutrientes • Tomate cereja, cenourinha e milho
destinados para esse intenso crescimento alimentar para as crianças que apreciam e já estão
e aprendizado, assim como também, du- acostumadas aconsumir vegetais.
rante essa fase, formamos nossos hábitos Procure montar a lancheira de seu filho
alimentares. com pelo menos um item de cada grupo
Trago então nessa reportagem algumas Atualmente, podemos encontrar em alimentar, sendo eles os energéticos, regu-
dicas para equilibrar a alimentação de seu mercados e em lojas de produtos naturais ladores e construtores. Os energéticos são
filho, ao abordar um tema que frequente- inúmeras opções, bem como receitas os alimentos ricos em carboidratos, que
mente surgem dúvidas: “como montar uma práticas que podem ser congeladas. Vamos fornecem energia. São representados pe-
lancheira prática, saudável e atraente”. então às sugestões: los pães, biscoitos, torta, bolo, batata doce,
O primeiro passo é sentar com seu filho • Frutas: podem ser inteiras como ba- tapioca e cereais. Os alimentos reguladores
e conversar sobre as preferências alimen- nana e pêssego. Caso coloque alguma fruta são aqueles ricos em vitaminas, minerais
tares dele. Isso ajuda a dimensionar o que picada que pode escurecer, acrescente um e compostos bioativos; incluem as frutas,
você poderá incluir ou não no lanche. Faça pouco de suco de laranja. Outras opções verduras e legumes. Os construtores são
esse momento ser prazeroso. Mesmo que são as frutas secas e desidratadas. importantes para o crescimento. Nesse
no início não seja montada uma lancheira • Suco natural: O suco pode ser feito da grupo estão as carnes de forma geral, ovos,
ideal, vá conversando e, aos poucos, me- própria fruta ou polpa. Dê preferência pela feijões e lácteos.
lhorando a qualidade dos alimentos. Muitas garrafinha térmica. Hoje em dia também O que deve ficar de fora das lancheiras
vezes temos opções de alimentos seme- temos boas opções de marcas sem adição são os salgadinhos de pacote, biscoitos
lhantes, porém mais saudáveis: podemos de corantes, conservantes, açúcar branco recheados, embutidos, frituras, refriger-
trocar um suco artificial por um suco ou adoçantes artificias. antes, sucos de caixinhas com açúcar, leite
industrializado que não possua aditivos • Pães integrais e biscoitos integrais com achocolatado e doces. •
químicos, ou substituir uma bolacha por salgados: para rechear prefira patê de
cookie integral, por exemplo. Quando a ricota, tofu ou atum, frango desfiado, mus-
criança participa, ela se sente importante e sarela de búfala e geleia sem açúcar.
a probabilidade de aceitação é maior. • Cookies integrais e barra de cereal: Dominique Horta Buim
Para um lanche ser gostoso e saudá- sempre observe o rótulo e opte por marcas Nutricionista da Clia Psicologia,
Saúde & Educação, Pós Graduada
vel, o planejamento é fundamental. que não contenham muito açúcar e que em Nutrição Clínica Funcional
pela Universidade Cruzeiro do
Quando se deixa para última hora, muitas preferencialmente não utilizem xaropes. Sul. Experiência em Nutrição
vezes os pais optam por aquilo que está • Bolo caseiro integral: podemos pre- Funcional Infantil e Suplementação
Nutricional. È membro do Instituto Brasileiro de
mais fácil e nem sempre essa escolha é a parar bolo com farinha integral, aveia e até Nutrição Funcional.
cliapisicologia.com.br - (11) 4424-1284 / (11) 2598-0732
mais adequada. fubá, assá-los em forminhas de cupcake e

46 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 47
Incentivo

O PODER DO ELOGIO
“ ... lembro-me como se fosse hoje de
você olhando nos meus olhos, dizendo Aceitar as coisas e desenvolvidos e ampliados. Assim suces-
sivamente ...
que o texto tinha ficado ótimo e que eu
tinha potencial.”Renato Ribeiro, , 6ª série,
as pessoas como Na instituição Escola, algumas vezes,
em nome do planejamento de cada série/
Escola Municipal CAIC Cândido Portinari.
elas são não é etapa, acaba tornando-se rara a preocu-
pação com o aquilo que o sujeito já possui.
O teórico Philippe Meirieu, há muito,
postulou quatro princípios educacionais
tarefa fácil e isso, Nossa atenção se volta para o que precisa-
mos trabalhar, muitas vezes ignorando
que, creio com afinco, dariam conta de
uma educação de qualidade. Nesse espaço,
na escola, é ainda grande parte dos conhecimentos já apro-
priados individualmente.
proponho a reflexão sobre um deles, pau- mais árduo Desenvolver esse olhar exige discerni-
tada na carta que acabei de receber de um mento, compromisso e, sobretudo, conhe-
homem que, há mais de dez anos foi meu cimento aprofundado na área que se deseja
aluno de sexta série. É o princípio da ACEI- é ainda mais árduo. Recebemos, por turma, que todos aprendam. Ansiar pela ampliação
TABILIDADE, que comporta os atos didáti- 35 ou 40 alunos por ano e, por isso mesmo, da apropriação de conhecimentos de todos
cos de perceber os interesses presentes dos temos à nossa frente o idêntico número zo- implica, acima de tudo, ter consciência do
alunos, respeitar suas aquisições anteriores nas de desenvolvimento real, no conceito ponto em que cada um se encontra. Só
e compreender suas estratégias pessoais de Vygostsky. Cada sujeito com sua história, isso, e não mais do que isso, seria o sufi-
de aprendizagem. cada inteligência forjada segundo o fogo do ciente para que pudéssemos mediar com
O teor de tal carta é a surpresa e a grupo social onde cresceu, cada emoção competência o processo de aprendizagem.
gratidão e ele, ainda, enfatiza o poder do resultante de tudo isso. Como esperar que Esclarecida essa questão, cabe refle-
elogio, que, narra, só lembrava-se de ter todos possuam as mesmas competências e tir sobre a questão da compreensão, da
recebido um (meu) em toda a sua vida esco- habilidades, ainda que tenham cursado os aceitação e, em última instância, do elogio,
lar até reconhecerem que ele produziu um anos escolares com certo êxito? citado pelo Renato da referida carta do
bom texto nessas avaliações que a chance Apropriar-se de novos saberes requer início desse texto.
de empregabilidade nos coloca. base referencial de conhecimento, ou seja, O que o Renato denomina elogio eu
Aceitar as coisas e as pessoas como é preciso saber realizar algo sozinho para conceituo como o reconhecimento da sua
elas são não é tarefa fácil e isso, na escola, que outros fazeres mais complexos sejam situação relativa aos seus saberes naquele

48 Escola Particular • Maio de 2015


A minha postura foi apenas de aceitação, mas para
esse aluno soou como acolhimento e respeito, que
gerou a possibilidade de consolidação do vínculo
afetivo e o fortalecimento da confiança

CARTA DO ALUNO RICARDO RIBEIRO

(...)
No meu primeiro dia de aula de Português no CEEBJA, a
professora me surpreendeu solicitando uma redação sobre
Maioridade Penal. Ela pediu uma redação de 30 linhas, porém,
eu achei que o assunto era muito complexo para tão poucas
linhas, terminando assim minha redação com quase duas
folhas. Ao ler a tal redação a professora ficou surpresa com
o conteúdo e me elogiou, me deixando também surpreso,
até porque faz anos que não escrevo e tinha recebido UM
SÓ elogio em minha vida sobre o modo que me expresso. E
ADIVINHA DE QUEM FOI ESSE ÚNICO ELOGIO? Isso mesmo,
freepik.com

da professora Sandra Bozza!

(...)
Embora eu não demonstrasse, eu gostava muito de estu-
momento e às potencialidades que aqueles
dar, sim! O que me atrapalhava era minha vida familiar que
conhecimentos vislumbravam. Em outras
palavras: apenas valorizei o que ele domi- não ajudava muito, mas agora eu casei com uma excelente
nava porque isso me possibilitava fazê-lo mulher que me ajuda e me apoia pra tudo. Desculpa pelos er-
compreender questões mais profundas ros de português e se puder me corrija como fazia antes haha
sobre o mesmo assunto. Eu só queria te agradecer por aquele elogio que me deu,
A minha postura foi apenas de aceita- que apesar de fazer anos eu nunca esqueci, e é ele que está
ção, mas para esse aluno soou como me dando forças pra voltar a estudar e querer mais pra mim
acolhimento e respeito, que gerou a e pra minha vida
possibilidade de consolidação do vínculo
Nunca esqueço o dia em que me elogiou sobre uma re-
afetivo e o fortalecimento da confiança
nele, aumentando, assim, sua autoestima. dação feita na sexta série, lembro como se fosse hoje você
Milhares de professores agem dessa olhando nos meus olhos, dizendo que o texto tinha ficado
forma e conseguem resultados exitosos ótimo e que eu tinha potencial. Me arrependo por não ter
tendo ou não clareza desses aspectos. Eles seguido seu conselho e ter estudado mais.
simplesmente acreditam, cientes ou não,
em outro princípio de Meirieu, o da edu- Renato Ribeiro, meu aluno do CAIC Cândido Portinari
cabilidade. Mas isso é tema para reflexões (2006/2009)
posteriores. •

Sandra Bozza
Linguista, professora de
Metodologia do Ensino da Língua
Escrita, na Pós Graduação da
Universidade Positivo, Professora
de Literatura Infantil, na FATUM,
autora de livros técnicos e
didáticos na área.

Maio de 2015 • Escola Particular 49


Posse

JOSÉ ANTONIO
FIGUEIREDO ANTIÓRIO
É O NOVO
PRESIDENTE DA ACM

O empresário José Antônio Figueiredo Antiório foi


empossado como 28º presidente da ACM/YMCA
São Paulo. Formado em Matemática, Engenharia e Di-
reito, Antiório é um empresário influente, presidente da
Federação dos Estabelecimentos de Ensino no Estado
de São Paulo e diretor-presidente e fundador do Colégio
Padre Anchieta. Além disso, possui um currículo repleto
de realizações em prol do Terceiro Setor, tendo atuado,
inclusive, como diretor do Rotary Internacional e gover-
nador do Distrito 4.610.
Na ACM / YMCA São Paulo, iniciou suas atividades
associativas na unidade Pinheiros há 56 anos; participou
ativamente do Y’s Men Junior International; atuou para
a conquista do terreno em que está localizada a unidade
Osasco, quando era titular da pasta de Educação, Cul-
tura, Esportes e Turismo da cidade; exerceu os cargos
de conselheiro, vice e presidente da unidade Osasco;
assumiu a Diretoria em 2002 e foi eleito vice-presidente
Foto: Divulgação

nas três últimas gestões da Instituição.


“A ACM é nosso coração. Quando você está em
um lugar e se sente bem com as pessoas que convive,
significa que está em família. E se a ACM é nossa família,
só posso afirmar que é meu coração”, declarou Antiório.

Antiório é formado em Matemática,


Engenharia e Direito

50 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 51
Classiesp

AGENDA de obrigações • JUNHO DE 2015 •


• 05/06/2015 SALÁRIOS - ref. 05/2015 • 24/06/2015 COFINS – Faturamento - ref. 05/2015
FGTS - ref. 05/2015 PIS – Faturamento - ref. 05/2015
CAGED - ref. 05/2015 • 30/06/2015 IRPJ – (Mensal) - ref. 05/2015
• 08/06/2015 ISS (Capital) - ref. 05/2015 CSLL – (Mensal) - ref. 05/2015
• 15/06/2015 INSS (Individual) - ref. 05/2015
EFD – Contribuições - ref. 04/2015
Dados fornecidos pela HELP – Administração e Contabilidade
• 19/06/2015 INSS (Empresa) - ref. 05/2015
PIS – Folha de Pagamentos - ref. 05/2015 helpescola@helpescola.com.br
SIMPLES NACIONAL - ref. 05/2015 (11) 3399-5546 / 3399-4385

52 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 53
Cursos

54 Escola Particular • Maio de 2015


Maio de 2015 • Escola Particular 55
56 Escola Particular • Maio de 2015