Você está na página 1de 63

AULA 5 - PRIMEIROS SOCORROS

ENF. ESP. ERINALDO CASTRO


ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DO TRAUMA

É uma lesão caracterizada por uma alteração


estrutural ou fisiológica resultante da ação de um
agente externo que resulta na exposição a uma
energia (mecânica, térmica, elétrica), esta energia
pode ter origens bio-físico-químicas
TRAUMA COMO DOENÇA
BIOMECÂNICA DO TRAUMA

DEFINIÇÃO

Biomecânica é o processo
através do qual, analisamos
a cena de um acidente para
entender as forças e
movimentos envolvidos e, a
partir daí, inferirmos as
lesões resultantes.
LEI DA ENERGIA EM MOVIMENTO

A primeira lei do movimento de


Newton afirma que um corpo
em repouso permanecerá em
repouso e um corpo em
movimento permanecerá em
movimento, a menos que uma
força externa atue sobre ele.
LEI DA ENERGIA EM MOVIMENTO
COLISÕES AUTOMOBILÍSTICAS

❑ Impacto frontal

❑ Impacto posterior

❑ Impacto lateral

❑ Impacto angular

❑ Capotamento
IMPACTO FRONTAL

•Trauma crânio

•Trauma raquimedular

•Trauma torácico

•Fraturas

•Pneumotórax

•Hemotórax

• Contusão pulmonar

•Contusão cardíaca

•Lesões de grandes vasos


IMPACTO FRONTAL
IMPACTO POSTERIOR

Lesões de coluna
cervical

•Lesões de face
IMPACTO POSTERIOR
COLISÃO LATERAL

• Trauma crânio

•Trauma raquimedular

•Trauma torácico:

•Fraturas

•Pneumotórax

•Hemotórax

•Contusão pulmonar

•Contusão cardíaca

•Lesões de grandes va sos


COLISÃO LATERAL
COLISÃO ANGULAR
COLISÃO ANGULAR
CAPOTAMENTO

Todos os mecanismos anteriores e lesões associadas


CAPOTAMENTO
QUEDAS

•Quanto maior a altura,


maior a lesão.

•Lesões críticas: mais


de 3 x a altura da vítima.

Quanto mais dura a superfície, maior a lesão.


ACIDENTES COM MOTOCICLETAS
ATROPELAMENTOS

•Lesões pelo trauma no para-choque

•Queda sobre o capo

•Queda ao solo
ATROPELAMENTOS

Crianças
EXPLOSÕES

LESÕES PRIMÁRIAS

Causa:
Onda de Pressão.
Afeta órgãos contendo gases.

Tipo de Lesões:
Sangramento Pulmonar
Pneumotórax
Embolia Aérea
Perfuração trato GI
Queimaduras
EXPLOSÕES

LESÕES SECUNDÁRIAS

Causa:
Estilhaços Afeta superfície corpórea,
sistema esquelético e
lesões penetrantes.

Lesões:
Lacerações
Fraturas
Queimaduras
TRAUMAS PENETRANTES
TRAUMAS FECHADOS
AVALIAÇÃO DA CENA
Tipo de Evento

SCENE

Segurança para Atuação

SECURITY

Socorro Adicional

SITUATION
AVALIAÇÃO DO PACIENTE
ATENDIMENTO INICIAL AO POLITRAUMATIZADO:
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA (ABCDE)

Uso de equipamentos de proteção individual - EPI

Luvas;

•Máscara;

•Óculos de proteção;

•Botas;

•Macacão / Calça-Gandola.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

DEFINIÇÃO

A Avaliação Primária é a abordagem


inicial ao paciente, identificando as
lesões com risco de morte e
realizando as manobras de
reanimação de forma coordenada, de
acordo com as competências técnicas
da equipe.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

Tratamento
Trauma
Definitivo

Avaliação Primária Transferência

Reanimação Avaliação Secundária

ESTÁVEL
Anamnese no Atendimento Pré-Hospitalar - APH

ATUALIZAÇÃO DO ABCDE PARA


XABCDE

Regra Mnemônica XABCDE.


✓ Na avaliação primária no trauma, seguimos a regra XABCDE.
X Hemorragia Exsanguinante (Controle de sangramento externo grave)

A Controle da Vias Aéreas e Coluna cervical

B Boa Respiração e Ventilação

C Circulação com Controle de Hemorragia

D Exame Neurológico Sumário

E Exposição com Controle de Hipotermia


TABELA 1.3 – Regras mnemônicas XABCDE e M.I.S.T. SAMU 192 GO
X – EXSANGUINATE (HEMORRAGIA GRAVE)

As Hemorragias são consideradas como a perda de sangue para fora do sistema circulatório. As
hemorragias podem ser de origem:
-Arterial: sangue vermelho vivo, esguicha, são as mais perigosas e difíceis de controlar;
-Venosa: sangue vermelho escuro, flui continuamente, mais comum;
-Capilar: sangramento mais superficial, flui vagarosamente, facilmente controlável.

Hemorragia Interna:
-Ferimento profundo;
-Lesão dos órgãos internos;
-Sangue não aparece*.

Hemorragia Externa:
-Ferimento visível;
-Lesão na superfície da pele;
-Sangue aparece.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

A
GARANTIR VIA AÉREA PÉRVIA E A PROTEÇÃO DA
COLUNA CERVICAL
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

A - Via aérea com proteção da coluna cervical.

Causas de obstrução:

❑ Queda da base da língua;

❑ Corpo estranho (dentes, prótese, alimentos);

❑ Trauma de laringe (fratura ou esmagamento);

❑ Trauma de face;

❑ Queimadura de orofaringe.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

A - Via aérea com proteção da coluna cervical.


Abordagem:

Aspiração de secreções;

Elevação do mento;

Elevação da mandíbula;

Colocação de cânula orofaríngea (Guedel);

Retirada de corpo estranho.


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

A - Via aérea com proteção da coluna cervical.


Abordagem:

Aspiração de secreções;

Elevação do mento;

Elevação da mandíbula;

Colocação de cânula orofaríngea (Guedel);

Retirada de corpo estranho.


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

A - Via aérea com proteção da coluna cervical.


Abordagem:

Aspiração de secreções;

Elevação do mento;

Elevação da mandíbula;

Colocação de cânula orofaríngea (Guedel);

Retirada de corpo estranho.


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

A - Via aérea com proteção da coluna cervical.


Abordagem:

Aspiração de secreções;

Elevação do mento;

Elevação da mandíbula;

Colocação de cânula orofaríngea (Guedel);

Retirada de corpo estranho.


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

A - Via aérea com proteção da coluna cervical.


Abordagem:

Aspiração de secreções;

Elevação do mento;

Elevação da mandíbula;

Colocação de cânula orofaríngea (Guedel);

Retirada de corpo estranho.


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

B
GARANTIR VENTILAÇÃO E OXIGENAÇÃO
ADEQUADAS
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

B - GARANTIR VENTILAÇÃO E OXIGENAÇÃO ADEQUADAS


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

B - Respiração

Sinais de ventilação / oxigenação inadequadas:

Frequência respiratória aumentada;

Agitação / confusão mental;

Saturação de oxigênio abaixo de 90%;

Instabilidade da caixa torácica;

Ferimentos torácicos.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

B - Respiração

Causas para ventilação / oxigenação inadequadas:

Contusão pulmonar;

Pneumotórax;

Fratura de múltiplos arcos costais;

Hemotórax.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

B - Respiração

Causas para ventilação / oxigenação inadequadas:

Contusão pulmonar;

Pneumotórax;

Fratura de múltiplos arcos costais;

Hemotórax.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

B - Respiração

Causas para ventilação / oxigenação inadequadas:

Contusão pulmonar;

Pneumotórax;

Fratura de múltiplos arcos costais;

Hemotórax.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

B - Respiração

Causas para ventilação / oxigenação inadequadas:

Contusão pulmonar;

Pneumotórax;

Fratura de múltiplos arcos costais;

Hemotórax.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

B - Respiração
Abordagem:

Oferecer oxigênio suplementar;

Fazer curativos de 3 pontas nos


ferimentos abertos.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

C
AVALIAR A PERFUSÃO TECIDUAL E
CIRCULAÇÃO
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

C - AVALIAR A PERFUSÃO TECIDUAL E


CIRCULAÇÃO
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

C -Circulação

Sinais de perda sanguínea importante:

Alteração de pulso;

Alteração de pele.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

C -Circulação
Causas:

Hemorragia externa ou interna;

Lesão medular;

Alterações da função cardíaca (tamponamento, infarto);

Alteração da permeabilidade dos vasos (infecção).


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

C -Circulação
Abordagem:

Controlar hemorragias externas;

Acesso venoso periférico de grosso calibre;

Iniciar a infusão de líquidos cristaloides (protocolo);

Avaliar abdome e pelve.


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

C -Circulação
Abordagem:

Controlar hemorragias externas;

Acesso venoso periférico de grosso calibre;

Iniciar a infusão de líquidos cristaloides (protocolo);

Avaliar abdome e pelve.


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

C -Circulação
Abordagem:

Controlar hemorragias externas;

Acesso venoso periférico de grosso calibre;

Iniciar a infusão de líquidos cristaloides (protocolo);

Avaliar abdome e pelve.


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

C -Circulação
Abordagem:

Controlar hemorragias externas;

Acesso venoso periférico de grosso calibre;

Iniciar a infusão de líquidos cristaloides (protocolo);

Avaliar abdome e pelve.


D
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

AVALIAR ESTADO NEUROLÓGICO


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

D- AVALIAR ESTADO NEUROLÓGICO

A – ALERTA
V – RESPOSTA AO ESTÍMULO VERBAL

D – RESPONDE AO ESTÍMULO DOLOROSO

I – IRRESPONSIVO AOS ESTÍMULOS


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

D- AVALIAR ESTADO NEUROLÓGICO


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

D - Disfunção Neurológica

Sinais neurológicos:

Alteração do nível de consciência;

Diâmetro e reação pupilares.


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

D - Disfunção Neurológica

Causas:

Lesão direta do cérebro;

Hemorragias intracranianas;

Oxigenação e perfusão cerebral inadequadas;

Intoxicações (álcool e drogas);

Distúrbios metabólicos.
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

D - Disfunção Neurológica

Abordagem:

Garantir a permeabilidade das vias aéreas;

Ministrar oxigênio suplementar;

Monitorar a glicemia capilar.


AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

E - EXPOSIÇÃO DA VÍTIMA
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA

E
EXPOSIÇÃO DA VÍTIMA E
CONTROLE DE HIPOTERMIA