Você está na página 1de 13

SLAP IT!

DE TONY OPPENHEIM:
ANÁLISE DE UM MÉTODO ESSENCIAL HÁ 30 ANOS

Danilo Bruno Barbosa

RESUMO: Este artigo tem como proposta fazer uma reflexão sobre a obra de Tony
Oppenheim, buscando encontrar uma possível conclusão sobre a ordem das peças
selecionadas, possibilitando estudos mais direcionados dentro do método. A partir da
importância deste método, junto a alguns questionamentos de companheiros de profissão
quanto à didática utilizada, que surgiu o interesse em uma análise dos exercícios apresentados.
Estes serão analisados através de uma série de quesitos, dentre eles: digitação, quantidade de
notas melódicas e subdivisões rítmicas, elementos de ornamentação, etc.

PALAVRAS-CHAVE: Slap it; slap; Tony; Oppenheim; contrabaixo; baixo.

Tony Oppenheim, americano, músico versátil, formado na Berklee, estudou


contrabaixo acústico com Horner Mensch e Oscar Zimmerman, e contrabaixo elétrico com Ed
Lord e Bruce Gertz.
A primeira publicação do método se deu no inicio dos anos 80 quando os áudios
vinham gravados em discos de vinil de sete polegadas. Na época o livro foi uma benção, pois
não havia nenhum material sobre o assunto, salvo um programa da TV BBC chamado “Rock
School” onde as instruções eram passadas por musico chamado Henry “King Thumb1”
Thomas. Várias cópias do programa eram feitas em VHS e repassadas entre os baixistas.
Slap It começa com algumas seções de exercícios rudimentares sobre a técnica:
thumbs, pops, pops duplos, bicordes, ligaduras, slides. Então chegam as levadas,

1
Polegar, em português: Trata-se de um elemento da técnica onde a corda é atacada pelo polegar da mão
direita, ou esquerda no caso de um músico canhoto.
popularmente chamadas de grooves, foco deste trabalho.
Desde então o livro vem sendo revisado e atualizado. Além de manter os diversos
grooves, foram inseridas tablaturas em todos os exercícios e os áudios agora vem em CD.
O autor ainda trabalha com um serviço online onde disponibiliza mais materiais para
estudo através do site www.slapit.com.

O Slap

.A técnica consiste em golpear as cordas com o Polegar da mão direita, ou esquerda no


caso dos canhotos, e puxar as cordas com os dedos indicador, médio e anelar.

O termo foi usado pela primeira vez pelos músicos de Nova Orleans, por volta de
1918. Na época o contrabaixo acústico rivalizava com a tuba pelas frequências graves, pelo
seu maior poder sonoro, a tuba era mais utilizada. O cenário começou a mudar quando
Wellman Braud, baixista da orquestra de Duke Ellington começou a “golpear” as cordas do
contrabaixo para obter mais volume. Percebendo isso, Duke compôs alguns temas onde o
baixo deveria ser tocado com esta técnica. Outros Baixistas que utilizaram esta técnica na
época foram Steve Brown, George “Pops” Foster, John Lindsay e Al Morgan, conforme
matéria publicada por Nilton Wood na Revista “Cover Baixo”.
O Slap teve seu surgimento no contrabaixo elétrico no final dos anos 60 com Larry
Graham, musico Norte-americano, além de baixista, toca bateria, clarineta, saxofone e
guitarra.
Como o próprio baixista evidencia. 2

Aos quinze anos, formei um grupo com minha mãe no piano e um baterista. Eu
tocava guitarra e uma pedaleira de baixo de baixo de um órgão. Uma noite, o órgão
quebrou e sem o som do baixo, a música ficou muito vazia, sem peso nos graves”.
Devido ao acontecimento Graham precisou alugar um contrabaixo elétrico até que a

2
Trecho presente no livro “How the fender bass changed the world”. Backbeat Books. 11 de maio de
2001.
pedaleira ficasse pronta. “ Quando ela ficou concertada, percebi que não precisava
mais daqueles montes de pedais, pois tinha me adaptado bem ao contrabaixo. O
baterista ainda sentia que poderia colocar algumas partes rítmicas nas musicas. Foi
quando comecei a percutir meus dedos indicador e médio no final do instrumento.

Em uma ocasião, o baterista não apareceu em uma apresentação e a banda decidiu


começar o show sem ele. Fato que Graham descreve. “Para dar uma rítmica
percussiva às nossas músicas, comecei a usar, além dos dedos indicadores e médios,
meu polegar que atuaria como o bumbo. Na época não tinha ideia do que poderia
acontecer depois. Estava tentando apenas fazer meu trabalho.

Suas linhas de baixo, com a presença da nova técnica começaram a chamar a atenção
dos músicos da época, dentre eles Sly Stone, fundador da banda “Sly and the family stone”.
Após o contato Graham passou a integrar a bando de Stone, e as primeiras linhas de baixo
contendo elementos do Slap gravadas de Graham podem ser encontradas nas Musicas “Dance
to de Music”, “I will never fall in love again”, “Are you Ready” e “I can´t Turn you Loose”
do Disco “Dance to the music” do “Sly and the Family Stone” de 1968. (A faixa “I Can´t
Turn you loose” foi lançada posteriormente ao lançamento do Álbum.).

Grandes baixistas de diversos gêneros musicais utilizam com grande desenvolvimento


a técnica do Slap, podemos citar algum deles como Marcus Miller, Victor Wooten, Celso
Pixinga, Larry Graham, Arthur Maia, Abraham Laboriel, Louis Johnson, Mark King, entre
diversos outros.

Análise

Segue então uma tabela com análise de cada exercício. Vale lembrar que cada item
trata-se de uma visão geral do exercício. Exemplo, quando a Rítmica Padrão descrever
Colcheias é possível que semicolcheias apareçam no mesmo porem serão ínfimas na levada.

Os exercícios foram divididos em quatro tabelas de acordo com a subdivisão rítmica


que prevalece sobre a levada.
Cada tabela foi dividida em sete seções:

 Exercício: O número do exercício analisado;

 Rítmica Padrão: A figura rítmica – subdivisão – mais usada dentro do exercício;

 Intervalos/Escala: Os intervalos/escala mais comuns usados entre as notas da levada;

 Ornamentação: Elementos usados para tornar a linha de contrabaixo mais peculiar;

 Compassos: A quantidade de compassos do exercício;

 Extensão: A quantidade de casas usadas entre a mais próxima à corda solta e a mais
distante. Cordas soltas não farão parte desta seção, pois requisitará movimentação da
mão esquerda (para destros);

 Leitura: Itens que podem complicar a leitura a primeira vista.

As notas hammered-on estão presentes em praticamente todos os exercícios e,


portanto não serão citadas na Ornamentação.

O autor não usa armaduras de clave o que deixa em aberto a escolha de tonalidades
maiores ou menores nas harmonizações, porém pode provocar certa dificuldade em alguns
exercícios à visualização de uma tonalidade além de tornar a leitura com alguns obstáculos
através do uso somente de acidentes ocorrentes.

Os grupos sombreados remetem a exercícios semelhantes.


Exercícios em padrões de colcheias
Exercício Rítmica Padrão Intervalos / Ornamentação Compassos Extensão Leitura
Escala
41 Oitavas 2 5

42 Oitavas Slides 12 12 -Movimentação Horizontal


Lig. Antecipação -Sinais de Repetição (Casas)
-Deslocamento de tempo
43 Pentatônica Slide 2 4
Oitavas Shake
44 Pentatônica Nota Lifted-off 2 8
Oitavas
45 Pentatônica Slide 2 8
Notas Mortas
Sem ligaduras
46 Colcheias Oitavas 2 5 -Contratempos
Semicolcheias
47 Pentatônica Bicordes 2 9 -Saltos
Lig. Antecipação -Deslocamento de tempo
Slides
48 Colcheias Pentatônica Bicordes 2 17 -Saltos
Semicolcheias Notas Mortas -Contratempos
Slides
49 Semicolcheias Cromatismo Notas Mortas 4 8 -Movimentação Horizontal
Slide
50 Colcheias Cromatismo Shake3 8 6 -Movimentação Horizontal
Semicolcheias Oitavas Lig. Antecipação -Muita Ornamentação
Saltos de 7ª Nota Lifted-off -Deslocamento de tempo
menor
51 Cromatismo Lig. Antecipação 13 12 -Movimentação Horizontal
Oitavas Slide -Sinais de Repetição (Casas)
-Deslocamento de tempo
52 Colcheias Pentatônica Notas Mortas 2 5 -Semicolcheias mais presentes
Semicolcheias Oitavas

Nas tabelas abaixo, a técnica de Notas Mortas está presente em praticamente todos os
exercícios e, portanto não serão citadas na Ornamentação. Assim como a escala Pentatônica
também não será citada na seção Intervalos/Escala, salvo alguma alteração sobre a mesma.

3
Elemento técnico onde se alterna rapidamente entre duas notas na mesma corda através do slide feito
rapidamente para e trás e para frente entre casas adjacentes usando apenas um dedo.
Exercícios em padrões de semicolcheias
53 Pentatonica + Bicorde 2 5
6ª Maior
54 Pentatonica + Bicorde 2 6
6ª Maior
Cromatismo
55 Pentatonica + Bicorde 2 5
6ª Maior
56 Pentatonica + Bicorde 2 7
6ª Maior
57 Slide 2 7 -Deslocamento de tempo
Lig. Antecipação
58 2 5

59 2 5 -Contratempo

60 Pentatonica 2 5
Cromatismo
61 Pentatonica + 2 5
6ª Maior

62 Pentatonica + 2 5
6ª Maior

63 Pentatonica + 2 6
6ª Maior

64 Pentatonica + Lig. Antecipação 2 6 -Deslocamento de tempo


6ª Maior

65 Escala Menor Slide 2 8 -Deslocamento de tempo


Lig. Antecipação
Nota Lifted-off
66 Modos Slide 4 15
Bicorde
67 Semicolcheias 2 8 -Contratempo
com variações
- Diversas figuras rítmicas

68 Pentatônica + Lig. de Oitavas 4 7 -Contratempo


6ª Maior
69 Pentatônica + Lig. de Oitavas 4 9
6ª Maior
Bicorde
70 Slides 4 5
Bicorde
71 Pentatônica + 4 5 -Contratempo
6ª Maior

72 Sem Notas Mortas 4 6 -Contratempo


Bicorde
Slides
73 Lig. De Oitavas 2 6
74 Sem Notas Mortas 2 5 -Deslocamento de tempo
Lig. Antecipação
75 Slide 2 6
Nota Lifted-off
76 Bicorde 4 9
Slides

77 Pentatônica + 2 5
6ª Maior
78 Pentatônica + 2 5
6ª Maior
79 Modo Dórico Slide 4 8 -Muitas Ornamentações
Lig. por salto de
corda
Nota Lifted-off
80 Shake 4 7 -Deslocamento de tempo
Lig. Antecipação -Contratempo
81 2 3
82 Shake 4 5 -Muitas Ornamentações
Lig. por salto de -Deslocamento de tempo
corda
Lig. Antecipação
83 Semicolcheias Pentatônica + Shake 2 6 -Deslocamento de tempo
com variações 6ª Maior
Lig. Antecipação -Contratempo
Nota Lifted-off
84 Semicolcheias Pentatônica + Nota Lifted-off 2 7
com variações 6ª Maior
Slides

85 Semicolcheias Pentatonica Shake 2 5


com variações
Cromatismo Slides
86 Sem Notas Mortas 2 6 -Deslocamento de tempo
Nota Lifted-off
Lig. Antecipação
Lig. por salto de
corda
87 Semicolcheias Pentatônica + Sem Notas Mortas 4 7 -Deslocamento de tempo
com variações 6ª Maior
Lig. Antecipação
Cromatismo
88 Sem Notas Mortas 2 6 -Contratempo
Lig. por salto de
corda
Shake

89 Sem Notas Mortas 4 5 -Contratempo


90 Pentatônica + Lig. por salto de 2 4 -Muitas Ornamentações
6ª Maior corda
Shake
Lig. de Oitavas
91 Semicolcheias Slide 2 5 -Deslocamento de tempo
com variações
Shake
Lig. Antecipação

Exercícios em Tercinas
92 Pentatônica + Slide 2 6
6ª Maior
93 Pentatônica + Lig. Antecipação 2 5 -Deslocamento de tempo
6ª Maior
Nota Lifted-off
94 Pentatônica + Sem Notas Mortas 2 8 -Contratempo
6ª Maior
Nota Lifted-off
Slide
95 Pentatônica + Slide 2 6 -Contratempo
6ª Maior
Cromatismo

Exercícios com variações de figuras rítmicas


96 Semicolcheias Pentatônicas 2 9 -Variações de figuras rítmicas
com Colcheia + Oitavas
97 Semicolcheias Pentatônicas Slide 4 7 -Deslocamento de tempo
com Colcheia + Oitavas
Lig. por salto de -Variações de figuras rítmicas
Cromatismo corda
-Contratempo
Lig. Antecipação
98 Semicolcheias Pentatônicas Lig. Antecipação 2 5 -Variações de figuras rítmicas
com Colcheia + Oitavas
Cromatismo

99 Colcheias Oitavas Lig. Antecipação 2 6 -Deslocamento de tempo


Slide
100 Semicolcheias Escala Menor Slide 4 9 -Variações de figuras rítmicas
com Colcheia
Oitavas -Movimentação Horizontal
Cromatismo
101 Semicolcheias Oitavas Sem ligaduras 4 5
Sem notas mortas
Pop e Thumb na
mesma corda
102 Semicolcheias Oitavas Sem ligaduras 4 5 -Anterior com notas uma corda
acima
Sem notas mortas
Pop e Thumb na
mesma corda
103 Semicolcheias Oitavas Sem ligaduras 2 3
com Colcheia + 7ª menor
Sem notas mortas
Pop e Thumb na
mesma corda

104 Semicolcheias Oitavas Pop e Thumb na 4 5 -Variações de figuras rítmicas


com Colcheia mesma corda
Cromatismo
105 Semicolcheias Pentatônica Lig. Antecipação 2 5 -Deslocamento de tempo
com Colcheia
Oitavas Sem notas mortas -Variações de figuras rítmicas
Cromatismo Pop e Thumb na
mesma corda
106 Colcheias Oitavas Sem ligaduras 4 16 -Movimentação Horizontal
Slide
Pop e Thumb na
mesma corda
107 Semicolcheias 2 3 -Contratempo

108 Semicolcheias Nota Lifted-off 4 6 -Contratempo


109 Semicolcheias Pentatônica 2 5 -Variações de figuras rítmicas
com Colcheia
Oitavas -Contratempo
Cromatismo
110 Semicolcheias Pentatônica Slide 4 8 -Variações de figuras rítmicas
com Colcheia
Cromatismo Nota Lifted-off -Deslocamento de tempo
Lig. Antecipação
111 Semicolcheias Pentatônica Lig. Antecipação 8 8 -Variações de figuras rítmicas
com Colcheia
Cromatismo -Contratempo
-Deslocamento de tempo
-Uso de toda extensão da
pentatônica em sequencia
112 Semicolcheias Pentatônica Lig. por salto de 6 7
corda
Oitavas

113 Semicolcheias Lig. por salto de 2 6


corda

114 Semicolcheias Pentatônica Slide 2 5


Oitavas
Cromatismo

115 Semicolcheias Pentatônica + Shake 4 7 -Variações de figuras rítmicas


com Colcheia 6ª Maior
Lig. antecipação -Deslocamento de tempo
116 Semicolcheias Pentatônica + Slide 4 4 -Variações de figuras rítmicas
com Colcheia 6ª Maior
117 Semicolcheias Pentatônica + Slide 2 8 -Variações de figuras rítmicas
6ª Maior
Cromatismo
Oitavas
118 Semicolcheias Oitavas Slide 2 6
Cromatismo
119 Semicolcheias Oitavas Slide 4 9
Cromatismo Nota Lifted-off

120 Semicolcheias Pentatônica + Lig. Antecipação 2 7 -Deslocamento de tempo


com Colcheia 6ª Maior
Slide
Oitavas
121 Semicolcheias Pentatônica + Lig. por salto de 2 6
6ª Maior corda
Oitavas Slide
122 Semicolcheias Lig. por salto de 2 6
corda
Slide
123 Semicolcheias Pentatônica Slide 2 6
Oitavas
124 Semicolcheias Slide 2 5
125 Semicolcheias Pentatônica + Slide 6 8
6ª Maior
Oitavas
126 Semicolcheias Pentatônica + Slide 4 9 -Variações de figuras rítmicas
com variações 6ª Maior
Oitavas
127 Semicolcheias Pentatônica + Shake 4 6 -Variações de figuras rítmicas
com variações 6ª Maior
Lig. Antecipação -Muitas Ornamentações
Slide -Deslocamento de tempo
Nota Lifted-off
Lig. por salto de
corda
128 Semicolcheias Pentatônica + Lig. por salto de 2 6
6ª Maior corda
Oitavas
129 Semicolcheias Pentatônica + Lig. por salto de 4 6
6ª Maior corda
Oitavas Slide

130 Semicolcheias Pentatônica + Lig. por salto de 2 6


6ª Maior corda
Oitavas

131 Semicolcheias Lig. por salto de 2 5 -Tercinas de semicolcheia


corda
132 Semicolcheias Lig. Antecipação 2 12 -Deslocamento de tempo
Lig. por salto de
corda
Bicordes
133 Semicolcheias Pentatônica + Lig. por salto de 2 10
6ª Maior corda
Oitavas Slide
134 Semicolcheias Pentatônica + 2 6
6ª Maior
Oitavas
135 Semicolcheias Pentatônica + 4 6
6ª Maior
136 Semicolcheias Pentatônica + Lig. por salto de 2 4
6ª Maior corda
137 Semicolcheias Pentatônica + Lig. por salto de 2 5
6ª Maior corda
138 Semicolcheias Pentatônica + Lig. Antecipação 4 11 -Deslocamento de tempo
6ª Maior
139 Semicolcheias Pentatônica + Slide 5 6
com Colcheia 6ª Maior
Cromatismo
Oitavas
140 Semicolcheias Pentatônica + 2 6
6ª Maior
141 Semicolcheias Pentatônica Sem Notas Mortas 2 5
com Colcheia Blues
Shake
Slide
Lig. por salto de
corda
142 Semicolcheias Pentatônica + Slide 2 6 -Deslocamento de tempo
com Colcheia 6ª Maior
Shake
Cromatismo
Lig. Antecipação
Oitavas
Pentatônica
Blues
143 Semicolcheias Pentatônica Lig. Antecipação 2 8 -Deslocamento de tempo
com Colcheia Blues
Cromatismo
Oitavas
144 Semicolcheias Pentatônica + Bicorde 2 6
com Colcheia 6ª Maior
Nota Lifted-off

145 Semicolcheias Pentatônica + Slide 2 8 -Muitas Ornamentações


6ª Maior
Nota Lifted-off
Oitavas

146 Semicolcheias Pentatônica + Slide 2 8 - Nota errada na tablatura


6ª Maior
Nota Lifted-off
Oitavas
147 Semicolcheias Escala Menor Lig. Antecipação 2 8 -Variações de figuras rítmicas
com variações
Oitavas -Deslocamento de tempo
-Contratempo
148 Semicolcheias Slide 6 14
Shake

149 Semicolcheias Slide 2 6 -Deslocamento de tempo


com variações
Shake
Lig. Antecipação
Lig. por salto de
corda
Nota Lifted-off
150 Semicolcheias Escala Menor Slide 4 11
com Colcheia
Cromatismo Nota Lifted-off
Bicorde
151 Semicolcheias Pentatônica Slide 2 11 -Muitas Ornamentações
com Colcheia Blues
Shake -Deslocamento de tempo
Bicorde
Nota Lifted-off
Lig. Antecipação

Conclusão

A proposta deste não é apontar defeitos deste método, mas sugerir novas soluções para
o estudo do mesmo.
É fato que muitos alunos, e alguns músicos já profissionais, não têm interesse no
estudo de leitura ou apenas tem dificuldades. Partindo desse pressuposto será usada a
quantidade de compassos de cada exercício como critério principal, sendo dois compassos o
ideal e quatro o limite, pois mais do que estes torna-se difícil a memorização da levada, porém
podem ser ideais para avaliação de leitura.
Sendo assim, os exercícios 42, 50, 51, 111, 112, 125, 139 e 148 seriam colocados no
final dos estudos ou da subdivisão pré-estabelecida – tabelas – por este artigo.
O segundo critério seria a extensão, pois a movimentação da mão que aperta as casas é
mais um fator complicador para execução. Os exercícios 42, 48, 51, 66, 106, 132, 133, 138,
148, 150 e 151 são os que possuem maiores extensões.
Na Rítmica Padrão daria preferencia aquelas com menos variações.
A questão dos Intervalos/Escalas não tem muita variação o que nos possibilita dar
menor prioridade.
A Ornamentação possibilita usar como direcionador dos estudos, dando prioridade a
alguma de interesse pessoal ou simplesmente por questões de dificuldade, iniciando por
exercícios que possuem o menor numero de itens: 41, 46, 58 ao 63, 67, 71, 77, 78, 81, 89, 96,
107, 109, 134, 135, 140.
A partir desta analise das levadas propostas no método fica claro que é possível
reorganizar os estudos de forma mais direcionada, diferente da ordem proposta pelo autor.
Cabe ao leitor deste optar por um ou mais temas que deseja focar nos seus estudos ou de seus
alunos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

- Roberts, Jim. How the fender bass changed the world. Backbeat Books. 11 de maio de
2001.
- Oppenheim, Tony. Slap It: Funk Studies for the Electric Bass. Theodore Presser 1981
- Oppenheim, Tony. Slap It: Funk Studies for the Electric Bass. Theodore Presser 2005
- Sklarevski, Aléxis. The Slap Bass Program [DVD].Video Progressions.1 de maio de
2006
- Liebman, Jon. Funk Bass. Hal Leonard Publishing Co. 1992
- Revista “Cover Baixo.” Tudo o que você queria saber sobre Slap e não tinha para
quem perguntar. São Paulo: HMP, n.19, 2004. 82p.
- Lombardi, Fernando. Slap – conceitos técnicos de uma das mais difundidas técnicas
do contrabaixo elétrico.
- Internet: www.slapit.com