Você está na página 1de 2

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DOS PRAZERES

Pastoral Litúrgica

Vivência Litúrgica
Solenidade da Natividade de São João Batista
Ano B – Cor Litúrgica: Branco

ACOLHIDA
Os membros das equipes de celebração sejam acolhidos com um refrão meditativo:

Onde reina o amor, fraterno amor. Onde reina o amor, Deus aí está.

e as palavras a seguir:

Seja bem-vindo(a), irmão(ã). Graça de Deus esteja sempre conosco.

MOTIVAÇÃO
A Igreja celebra com muita alegria o nascimento de S. João Batista. Continua a ser para os homens de hoje
um grande modelo: de fidelidade ao Senhor, de humildade, de valentia, de sobriedade.
Nesta solenidade, a Palavra de Deus apresenta-nos a figura profética de João Batista. Escolhido por Deus
para ser profeta, ainda antes de nascer, ele é um “dom de Deus” ao seu Povo. Sublinhando a importância de
João na história da salvação, a liturgia não deixa, contudo, de mostrar que João não é “a salvação”; ele veio,
apenas, dirigir o olhar dos homens para Cristo e preparar o coração dos homens para acolher “a salvação” que
estava para chegar.
Louvemos o Senhor, que suscitou João Batista para preparar os caminhos que o Jesus iria trilhar. O
nascimento do precursor assinala a chegada dos tempos messiânicos, quando a esterilidade se torna
fecundidade e a mudez, exuberância profética. Na liturgia encontramos a força para anunciar, a exemplo de
são João Batista, a salvação de Deus que se realiza em Cristo.

Tema central da celebração: “A missão de anunciar o Senhor”

ANTÍFONA DE ENTRADA
A antífona nos ajudará a compreender o sentido celebrativo.
Apareceu um homem enviado por Deus, que tinha o nome de João. Ele veio para dar testemunho da luz e
preparar o povo para a vinda do Senhor.

LITURGIA DA PALAVRA
Proclamar toda a Liturgia da Palavra...

Primeira leitura: (Isaías 49,1-6)


Monição: Deus chamou João Batista desde o seio materno, para reconduzir a Ele o povo de Israel.

Salmo 138(139)
Monição: O Senhor conhece-nos pessoalmente desde toda a eternidade e chamou-nos a cada um de nós para
missão muito importante: sermos santos. E para dá-Lo a conhecer aos que nos rodeiam, como S. João.
Refrão: Louvo e vos dou graças, ó Senhor, / porque de modo admirável me formastes!

Segunda leitura: (Atos 13,22-26)


Monição: Deus preparou a vinda de Seu Filho. Nasceu da descendência de Davi e foi anunciado por João
Batista, o maior de todos os profetas.

Evangelho: (Lucas 1,57-66.80)


Monição: Como Zacarias bendigamos a Deus pelas maravilhas que operou nos Seus santos.
Reflexão:
O Evangelho relata o nascimento de João. Na perspectiva de Lucas, os acontecimentos ligados ao seu
nascimento mostram como o profeta João é um “dom de Deus”. Começa, nessa altura, a tornar-se claro para
todos que Deus está por detrás da existência de João, e que a sua missão é ser um sinal de Deus no meio dos
homens.
Na solenidade da natividade de João Batista, o evangelho não podia ser outro. Ele nos traz justamente
o relato do nascimento do precursor, que tem muitos traços em comum com o do nascimento de Jesus. O
nascimento de João é uma bênção para os pais, já idosos e Isabel estéril, e motivo de alegria para a
vizinhança. Ainda hoje são João é celebrado com muita festa e alegria pelo povo brasileiro. O nome João,
proposto pela mãe e confirmado pelo pai, significa “Deus é misericórdia”. Com a chegada de João, Deus
confirma sua misericórdia para com os pobres. Eles são os portadores do amor misericordioso de Deus Pai.
Lá nas periferias, longe do centro político e religioso, nasce a esperança do povo. Com o aparecimento de
uma criança, surgem a esperança e a dúvida, o que será dessa criança? Sim, essa criança será o futuro
anunciador da misericórdia divina e o precursor do Messias. Ele cresce e se fortalece no Espírito do Senhor e,
no deserto, se prepara para assumir sua missão, que era preparar o povo para a chegada de Jesus. Abre os
caminhos para que o Mestre chegue.
A primeira leitura apresenta-nos uma misteriosa figura profética, eleita por Deus desde o seio
materno, a fim de ser a “luz das nações” e levar a Palavra ao coração e à vida de todos os homens.
Impressiona especialmente a centralidade que Deus assume na vida do profeta: toda a missão profética brota
de Deus e sustenta-se de Deus.
Na segunda leitura, Paulo fala aos judeus de Antioquia do profeta João. Na perspectiva de Paulo, a
missão de João consistiu em convidar os homens a uma mudança de vida e de mentalidade, numa espécie de
primeiro passo para acolher o “Reino” que Jesus veio, depois, propor. Paulo deixa claro que João não é o
Messias libertador, mas sim aquele que vem preparar o coração dos homens para acolher o Messias.

DINAMIZAÇÃO DA CELEBRAÇÃO
1) Um canto indicado para a abertura é: “O Profeta” (Antes que te formasse...)
2) Acolher em procissão a imagem de São João Batista.
3) No início da Liturgia da Palavra canta-se o refrão: “Tua Palavra é lâmpada para os meus pés,
Senhor...”.
4) O Cordeiro de Deus poderá ser cantado.
5) O cântico de Zacarias poderá ser entoado no momento da Comunhão.