Você está na página 1de 5

Charles Simeon. 1 João 2.

3-5

DISCURSO: 2434

O VERDADEIRO TESTE DE AMOR A DEUS

1Jn 2:3-5. Por meio disto sabemos que o conhecemos, se guardarmos seus
mandamentos. Aquele que diz: Eu o conheço, e não guarda os seus
mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele. Mas aquele que guarda
a sua palavra, nele verdadeiramente está o amor de Deus aperfeiçoado: por
este meio conhecemos que estamos nele.

Há muitos que imaginam que, para reforçar a observância dos mandamentos de


Deus e insistir na obediência como evidência de nossa fé, é legal. Mas toda a
duração do Evangelho mostra que nosso interesse por ela deve ser produtivo de
santidade, visto que “a fé sem obras é morta”. De fato, não há teste certo pelo
qual experimentar nossa fé em Cristo, mas nossa obediência a ele. comandos.
Disto, o apóstolo testifica claramente no meu texto: de onde tomarei ocasião
para mostrar,

I. Que é um privilégio cristão ter plena certeza de sua aceitação com Deus

A generalidade das pessoas concebe que isso seja impossível; e conta a


própria ideia de ser presunçoso ao extremo. Eu prontamente concederei, que há
muitos que se enganam em relação a este assunto: mas eu ainda não posso
admitir que a confiança infundada de hipócritas é qualquer motivo justo para
concluir que os retos podem não conhecer seu estado diante de Deus. Aqueles
que se enganam não julgam por um teste correto; e, portanto, é que eles são
enganados: só deixe qualquer um aplicar a si mesmo o teste que é prescrito em
meu texto, e ele não precisa temer, mas que o julgamento deve emitir uma clara
descoberta de seu estado.

Todas as Escrituras atestam que os homens podem “conhecer” sua


aceitação com Deus:

[No Antigo Testamento, Davi confiantemente afirma: “Ó Deus, tu és meu


Deus [Nota: Salmos 63:1].” E a Noiva, no livro de Cântico, com igual
segurança, exclama: “Minha amada é minha; e eu sou dele [Nota: Son2: 16].
”Sob a dispensação do Novo Testamento, esse privilégio é ainda mais
apreciado. São João, escrevendo para toda a Igreja Cristã, diz, no terceiro
capítulo desta epístola: “Sabemos que passamos da morte para a vida:”
“Sabemos que somos da verdade e podemos assegurar nossos corações
antes ele: ”“ Sabemos que ele habita em nós, pelo Espírito que nos deu
[Nota: 1 João 3: 14; 1Jn3: 19; 1Jn3: 24.]. ”No quarto capítulo ele renova o
mesmo assunto; dizendo: “Sabemos que habitamos nele, e ele em nós,
porque ele nos deu do seu Espírito [Nota: 1Jn_4: 13].” E no último capítulo
ele afirma o mesmo, em um contraste direto com todos o mundo além:
“Sabemos que somos de Deus e o mundo inteiro jaz na iniqüidade. Sabemos
que o Filho de Deus é chegado e nos deu um entendimento, para que
possamos conhecer Aquele que é verdadeiro: e nós somos Nele o que é
verdadeiro, mesmo em seu Filho Jesus Cristo [Nota: 1Jo 5: 19-20. Nem há
um verdadeiro cristão no universo que não tenha o direito de dizer com São
Paulo: “Eu vivo; todavia não eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora
vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, que me amou e se entregou
por mim [Nota: Gálatas 2:20].

O gozo desse privilégio está na raiz do conforto de todo crente:

[É para o gozo do cristão desta certeza, que o Espírito Santo é dado a ele
como "um espírito de adoção, que ele pode clamar a Deus, Abba, Pai"; e
como "uma testemunha para assegurar a sua consciência que ele é um filho
de Deus [Nota: Rom_8: 15-16.]. ”E é totalmente devido a essa persuasão
interna de sua aceitação com Deus, que o crente pode olhar para a frente
com confiança para seu futuro estado em glória:“ Nós sabe que quando a
nossa casa terrena deste tabernáculo se dissolver, temos uma casa não feita
por mãos, eterna nos céus. Por isso gememos, ansiosamente desejando ser
revestidos de nossa casa que vem do céu; visto que, estando vestido, não
seremos encontrados nus [Nota: 2Co_5: 1-3.]. ”É com a mesma convicção,
também, que o cristão, mesmo agora no meio de todos os seus conflitos,
está habilitado a triunfar. sobre todos os seus inimigos; certo de que nenhum
deles, nem todos juntos, “jamais o separarão do amor de Deus que está em
Cristo Jesus nosso Senhor [Nota: Rom_8: 34-39.]”]

Claro, todos vocês ficarão ansiosos para saber

II. Como esta garantia deve ser obtida

Não é fruto de qualquer impressão ou conceito entusiasmado.

Eu não nego, mas que muitos "professam que eles conhecem a Deus, enquanto
em obras eles o negam [Nota: Tit. 1: 16.]", E que é possível que os homens se
enganem, como possuir toda a confiança de Deus. o crente mais estabelecido:
sim, não faltam multidões que levam essa ilusão consigo até o tribunal de
julgamento; e, mesmo na presença de seu juiz, reivindicará seu favor; dizendo:
“Porventura não profetizamos em teu nome e em teu nome não fizemos muitas
obras maravilhosas?”, ao passo que eles somente recorrerão a essa sentença
condenatória: “Se afaste de mim; Eu nunca te conheci, ó trabalhadores da
iniqüidade. [Nota: Mateus 7: 22-23.] Se alguém conseguisse obter uma garantia
escriturística, eles deveriam tentar a si mesmos pelo teste proposto a eles por
São João - o teste de sua obediência a Os mandamentos de Deus.

Esta é uma maneira adequada de alcançá-lo

[Como julgamos uma árvore, mas por seus frutos? Não devemos ficar satisfeitos
em ver a sua folhagem, por mais exuberante que seja: devemos desejar
contemplar e saborear o fruto; e por isso devemos formar nossa estimativa de
seu real valor. Da mesma forma, se uma criança ou servo professasse uma
consideração preeminente por nós, deveríamos naturalmente esperar que essa
consideração se manifestasse pela observância de nossos comandos. Este,
então, é o caminho pelo qual Deus nos julgará, e pelo qual também devemos
nos julgar. Nosso Senhor nos disse claramente: “Aquele que tem os meus
mandamentos e os guarda, esse é o que me ama [Nota: Jo 14:21]:” e
novamente; “Aquele que permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto
[Nota: João 15: 5].” Bem, portanto, nosso Senhor pode nos acusar de
inconsistência, quando nos professamos dele, sem obedecer a seus
mandamentos. : “Por que chamais a mim, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu
digo? (Nota: Lc 6: 46)?” Podemos definir isso como uma verdade inquestionável,
que se “Cristo nos for feito justiça, ele será para nós a santificação também
[Nota: 1Co_1: 30.]. ”E se dissermos:“ Não há condenação para os que estão em
Cristo Jesus ”, nunca devemos esquecer a descrição daquelas pessoas; ou seja,
que "eles não andam segundo a carne, mas depois do Espírito [Nota: Rom_8:
1.]"]

É também uma maneira certa de alcançá-lo

[De onde é que qualquer pessoa é capaz de guardar os mandamentos de


Deus? Nosso bendito Senhor nos disse que “sem ele nada podemos fazer”.
É pela sua união com a videira, que um ramo dá seu fruto: e é somente pela
união com o Senhor Jesus que também podemos ter suficiência qualquer
coisa que seja boa [Nota: Joh_15: 4.]. Temos então uma clara evidência de
que estamos produzindo frutos para Deus? é manifesto que estamos unidos
a Cristo: ou, como o meu texto expressa: "Por este meio sabemos que
estamos nele." Daqui, também, sabemos que somos a favor de Deus: para,
para que fim Deus nos amou e espalhou seu amor em nossos corações, mas
para que pudéssemos “por esse amor sermos constrangidos a viver para
Aquele que morreu por nós [Nota: 2Co 5: 14].” É pela nossa obediência que
o amor de Deus é aperfeiçoado em nós; ”por essa obediência o seu fim é
respondido, o seu poder é evidenciado, o seu funcionamento é aumentado:
de modo que, como“ pelas obras a nossa fé se aperfeiçoa [Nota: Jam_2: 22.]
”, assim, pelas obras , O amor de Deus por nós e o nosso por ele também
são aperfeiçoados. Acrescento ainda que, por obediência, nosso direito ao
céu é determinado: pois está escrito: “Bem-aventurados os que cumprem
seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida e possam
entrar pelas portas da cidade. [Nota: Rev_22: 14]. É claro que não é por
mérito que eles adquirem esse direito, mas apenas com base nas promessas
graciosas de Deus àqueles que acreditam em Cristo. No entanto, esta
evidência é indispensavelmente necessária ao crente; e na produção de que
seu título para o céu seja reconhecido [Nota: Mateus 7: 21.]: para "Cristo é o
autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem [Nota: Hb 5: 9.]"]

Quem não vê, neste assunto,

1. A importância do auto-exame?

[É evidentemente assumido como certo, no meu texto, que alguns auto-


enganadores serão encontrados, que irão “dizer, que eles conhecem a
Cristo, ao mesmo tempo que não guardam os seus mandamentos”. E o que
eu devo dizer a eles? O que posso dizer mais do que o que o próprio Deus
lhes fala no meu texto: “Que são mentirosos; e que a verdade não está
neles? ”Eu admito que isso soa duro; mas é a declaração do nosso Deus: e
não me atrevo a suavizar ou ocultar o que ele disse. Em muitas outras
passagens, este Apóstolo amoroso usa a mesma linguagem [Nota: 1Jn_1: 6;
1Jn_4: 20; 1Jn_5: 10.]; e rogo-vos, irmãos, que façam isto no coração. Esteja
certo de que, enquanto você continua sob essa ilusão, “a verdade não está
em você”: o Evangelho ainda não se efetivou eficazmente em seus corações,
nem possui verdadeira integridade em suas almas. Não, de fato, vocês são
“mentirosos” e hipócritas, e devem tomar sua parte com tais personagens no
mundo eterno. Diga-me, então, se não se torna você “examinar a si mesmo”
e tentar sua fé [Nota: Jó 20:4-7.] Por este padrão? Não imagine que o
conhecimento aqui mencionado seja um conhecimento especulativo da
verdade divina: não; é tal conhecimento como ambos justifica [nota: Isa_53:
11.] e santifica a alma; é esse conhecimento em comparação com o qual São
Paulo “considerava todas as coisas como esterco e escória [Nota: Php 3: 8].”
Este é o conhecimento que você deve possuir: e se você pensa que o tem,
enquanto sua vida e a conversa desmentem a vossa profissão, a vossa
desgraça é fixa: pois assim diz Deus, pelo profeta Oséias: “Israel diz, meu
Deus, nós te conhecemos: Israel rejeita o que é bom; o inimigo o perseguirá;
[Nota: Oséias 8: 2-3.]: Sim, toda pessoa será castigada com a destruição
eterna da glória do seu poder, quando o Senhor Jesus se manifestar em
chamas de fogo para se vingar dos que não conhecem a Deus. , e não
obedeça ao Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo [Nota: 2Th_1: 7-9.].
”Eu digo, então, para cada um de vocês,“ Examine se você está na fé, e
prove a si mesmo [Nota : 2Co_13: 5.].]]

2. A bem-aventurança do cristianismo prático?

[Para que estado glorioso a verdadeira religião nos eleva! Homens de todas as
idades têm considerado a Virgem Mãe de nosso Senhor abençoada, porque ela
foi o vaso escolhido por Deus, para trazer ao mundo o Senhor da Glória. Mas eu
falo não muito fortemente, se digo, que o cristão prático é ainda mais altamente
honrado, e mais verdadeiramente abençoado, do que ela, no que diz respeito a
sua relação externa com ele: por nosso Senhor, em resposta àquele que teve
parabenizou-a por suas distintas honras, dizendo: “Bem-aventurado o ventre que
te tirou, e os papais que tu sugaste”, respondeu: “Sim, bem assim, bem-
aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam [Nota: Lc 8: 20-21;
Luk_11: 27-28.] Ӄ verdade que tais pessoas nem sempre possuem plena
certeza de seu interesse em Cristo: Deus pode, por razões sábias, permitir que
suas mentes sejam agitadas com dúvidas e medos; e Satanás pode, por algum
tempo, assediá-los e angustiá-los. Mas, enquanto andam nas trevas, o Senhor
será uma luz para eles; sim, ele autorizou seus servos a se dirigirem a eles
nestas palavras encorajadoras: “Quem há entre vós que tema ao Senhor e ouça
a voz de seu servo, que anda nas trevas e não tem luz? confie no nome do
Senhor e fique sobre o seu Deus. Sim, irmãos, se você está conscienciosamente
tentando se aprovar a Deus em uma obediência santa e sem reservas, você não
precisa temer. Essa mesma disposição emana de Deus: é ela mesma um fruto e
evidência de seu amor; e certamente será emitido em felicidade eterna: pois, por
mais que Deus seja verdadeiro, “a luz é semeada para os justos e a alegria para
os retos de coração [Nota: Salmos 97: 11].”]

Interesses relacionados