Você está na página 1de 10

Circuitos Elétricos em Corrente

2 Alternada (CA) – Uma Breve Revisão

Conteúdo
2.1 Revisão de números complexos e exercícios ......................................................................................................................................1
2.2 Exercícios sobre circuitos CA monofásicos ..........................................................................................................................................3
2.3 Exercícios sobre circuitos CA trifásicos equilibrados .....................................................................................................................4
Bibliografia ................................................................................................................................................................................................................6
Apêndice A – Problema (01) de CA monofásico no MATLAB..............................................................................................................7
Apêndice B – Observações úteis sobre CA trifásico .................................................................................................................................8
Algumas repostas dos exercícios .....................................................................................................................................................................9
De números complexos ...................................................................................................................................................................................9
De CA Monofásico ..............................................................................................................................................................................................9
De CA Trifásico ....................................................................................................................................................................................................9
2.1 Revisão de números complexos e exercícios

Os números complexos, devido as suas características, são bastante convenientes para aplicações na
engenharia elétrica, por exemplo, em circuitos elétricos em corrente alternada (CA), em sistemas de potência, em
sistemas de controle, na teoria de telecomunicações, entre outras.

Seja como exemplo um número complexo D expresso na forma retangular: D = a + jb.

Representação gráfica no
Pode-se expressar: Funções no Matlab: plano complexo
(supondo a > 0 e b > 0):
Parte real de D: a real(D) imag
Parte imaginária de D: b imag(D)
jb D
Magnitude: D  a 2  b2 abs(D)
Ângulo: D = q  arctg (b / a) Theta = angle(D)*180/pi %para graus
q a
Forma polar: D = |D|q - o -q real
Forma exponencial: D = |D|ejq D = abs(D)*exp(j*Theta*pi/180)
Conjugado: D* = a – jb ou,
D* = |D|–q ou, D* = |D|e-jq conj(D) -jb D*
Onde:  o asterisco sobrescrito “ * ” denota o conjugado de um número complexo.
 j   1  190

Exemplo. Dados os números complexos A = 3+j4 e B = -1+j1:


a) Represente-os no plano complexo. b) Calcule: A+B; A-B; AB; A/B.
c) Repita as letras (a) e (b) programando no Matlab e plotando os resultados.

Solução:
a) Na forma polar tem-se: b)
A = 553,1 e B = 1,41135 R1 = A+B = 3 + j4 + (-1 + j1) = 2 + j5 = 5,468,2
A R2 = A–B = 3 + j4 – (-1 + j1) = 4 + j3 = 536,9
imag
R3 = AB = (3 + j4)  (-1 + j1) = -7 - j1 = 7,1-171,9
R4 = A/B = (3 + j4)  (-1 + j1) = 0,5 - j3,5 = 3,5-81,9
B

o real
c) Programa no Matlab:
A = 3 + 4j; B = -1+1j; Plano Complexo
R1 = A+B, R2 = A-B, R3 = A*B, R4 = A/B 5
R1
figure, hold %plotando na mesma figura 4
plot(A,'x'), plot(B,'x'), plot(R1,'x'), plot(R2,'x') A
plot(R3,'x'), plot(R4,'x') 3
set(gcf,'Color',[1 1 1]) R2
Eixo Imaginario

xlabel('Eixo Real'), ylabel('Eixo Imaginario') 2

title('Plano Complexo') 1
B
Resultados: 0
R1 = 2.0000 + 5.0000i
-1
R2 = 4.0000 + 3.0000i
R3 = -7.0000 - 1.0000i R3
-2
R4 = 0.5000 - 3.5000i
-3

-4
R4
-8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4
Eixo Real
Obs.: fórmula de Euler: ejq = cos(q) + jsen(q)

1
Exercícios de revisão de números complexos

Resolver manualmente e com o MATLAB:

01) Seja A = 4 + j3, B = 3 - j2 e C = 2 + j1. Calcular e mostrar no plano complexo o resultado usando as formas
retangular e polar:
A B
a) A + B b) A – B c) AB d) A/B e) A+B+C f)
BC
02) Desenhar no plano complexo e calcular os ângulos (ou argumentos) de:
a) A = 2 + j2
b) B = –3 + j3
c) C = –1 – j
d) D = 5 – j5

03) Dado um número complexo na forma polar V = 100150o:


a) Escreva-o na forma retangular e exponencial.
b) Idem para seu conjugado.

04) Sejam os números A = 100; B = 1–1200; C = 11200.


a) Esboce-os no plano complexo na forma polar (módulo e ângulo).
b) Calcule as expressões: A-B; B-C; C-A e esboce os resultados, na forma polar, no mesmo plano complexo
do item (a).

05) Demonstre que o produto de um número complexo por seu conjugado é igual ao seu módulo ao quadrado.

2
2.2 Exercícios sobre circuitos CA monofásicos

01) Considere um circuito composto por uma fonte de tensão v(t) = 311,13sen( t+0) V, alimentado uma carga
RL série composta por uma resistência de 3  e uma indutância de 10,61 mH. A frequência da rede é f = 60 Hz. O
circuito opera em regime permanente e a corrente resultante já resolvida é i(t) = 62,23sen( t–53,1) A.
a) Desenhar o circuito no domínio do tempo. Determinar:
- os valores máximos e eficazes da tensão e da corrente;
- determinar os ângulos de fase da tensão e da corrente e a frequência angular;
- equacionar o circuito no domínio do tempo. Como é a expressão para o valor máximo da corrente em
regime permanente?
- esboce as formas de onda de v(t) e i(t).
b) Obtenha o circuito fasorial correspondente (domínio da frequência) inserindo todas as suas grandezas.
Expresse os fasores tensão e corrente (use valores eficazes). Calcule o módulo da impedância do circuito e
expresse-a também na forma complexa. Trace o diagrama fasorial com os fasores tensão e corrente.
c) Determine as potências ativa, reativa, aparente, o fator de potência da carga e o triângulo de potências.
* Programa e simulação no MATLAB/Simulink, clique em:
Apêndice A – Problema (01) de CA monofásico no MATLAB

02) No circuito monofásico abaixo tem-se Z = 0,2 + j0,9 , Va = 12025 V e Vb = 100–5 V com respeito ao nó de
referência mostrado. Obtenha Vab ( = Va – Vb), a corrente I e esboce o diagrama fasorial.
I Z

Va Vb

03) Um motor monofásico consome 1250 W em uma tensão de 220 V, FP = 0,75 atrasado (ou indutivo). Quanto é
a magnitude da corrente que flui para o motor? Qual é a magnitude da potência aparente? Quanto de potência
reativa ele "consome"?

04) Seja um circuito monofásico composto por uma impedância em série com uma fonte de tensão. Calcule P, Q,
S, FP e desenhar o triângulo de potências para:
a) com valores eficazes: V = 20060o V; I = 1030o A. Este circuito é predominantemente indutivo ou capacitivo?
b) com V = 20030o V; I = 1060o A. Este circuito é predominantemente indutivo ou capacitivo?

05) Uma carga indutiva monofásica consome 500 kW com um fator de potência em atraso de 0,80. Desenhe o
triângulo de potência e determine a potência reativa de um capacitor ligado em paralelo com a carga para elevar
o fator de potência para 0,93.

06) Seja o grupo de cargas monofásicas abaixo, cujas potências são as nominais para funcionamento em 220 V /
60 Hz. A impedância dos cabos de ligação foi desprezada.

S1 = 150 kVA S2 = 50 kVA S3 = 50 + j50 S4 = 10 + j20


Vef = 220 + j0 V
Fp1 = 0,65 ind Fp2 = 1,00 kVA kVA

Calcule o total de potência ativa, reativa e aparente que é fornecida ao grupo de cargas. Determine
também o fator de potência e a corrente resultantes.

07) Partindo dos fasores V  V  e I  I  , demonstre que, no caso monofásico, a potência aparente
complexa dada por S  P  jQ pode ser também expressa por S  VI * .

08) Desenhe um circuito composto por uma tensão V aplicada a uma impedância série Z = R + jX. Mostre que a
potência aparente complexa "consumida" pela impedância pode ser expressa por S = Z|I|2 e que para essa carga
as potências ativa e reativa podem ser expressas por: P = R|I|2 e Q = X|I|2.

3
2.3 Exercícios sobre circuitos CA trifásicos equilibrados

* Ver observações, clique em: Apêndice B - observações úteis sobre CA trifásico

01) Considere um gerador trifásico elementar. Os terminais externos a, b, c dos enrolamentos do estator
fornecem as seguintes tensões fase-neutro (ou simplesmente tensões de fase):
van (t )  2 | Vef | sen(t )
vbn (t )  2 | Vef | sen(t  120)
vcn (t )  2 | Vef | sen(t  120)
onde:
 |Vef| é o modulo da tensão eficaz de fase;
 van(t) foi tomada como referência angular. Gerador elementar: os terminais a', b', c' são conectados
num mesmo ponto comum, o neutro n.
a) Obtenha os fasores correspondentes às tensões de fase e desenhe o diagrama fasorial correspondente.
b) Determine os fasores das tensões de linha e inclua no diagrama fasorial anterior.
c) Obtenha as tensões de linha no domínio do tempo: v ab(t), vbc(t) e vca(t).
d) Esboce as formas de onda das tensões trifásicas de fase e de linha (ou plote com o auxílio de algum programa).

02) Seja o circuito trifásico equilibrado abaixo, 60 Hz, com ligação Y-Y, onde desprezou-se a impedância dos
cabos da alimentação. Considere que o gerador mantém a tensão em seus terminais externos em 380 V. A
impedância de cada fase da carga é ZY = 10 + j20 .
Correntes
Modelo do Gerador de Linha: Correntes
Trifásico a Ia de fase:
a
Zg Zg b Vab
Ib ZY Carga equilibrada
Ega ligada em Estrela
Egb neutro
da carga

Egc ZY ZY
Zg b c
Ic
c
a) Determine as tensões de fase e de linha na carga. Qual é sua relação (módulos e ângulos)?
b) Determine as correntes de fase na carga e as correntes de linha. Qual é a relação entre elas?
c) Inserindo um condutor ligando os neutros da fonte e da carga, qual seria a sua corrente?
d) Esboçar diagrama fasorial.

03) Seja o circuito trifásico equilibrado abaixo, 60 Hz, com ligação Y-, onde desprezou-se a impedância dos
cabos de alimentação. Considere que o gerador mantém a tensão em seus terminais externos em 380 V. A
impedância de cada fase da carga é ZD = 3,0 + j8,0 .

Correntes
Modelo do Gerador de Linha: Correntes
Trifásico a Ia de fase:

Zg Zg b Vab a
Ib Carga equilibrada
Ega ZD ZD ligada em Delta
Egb
Egc
b c
Zg ZD
Ic
c
a) Determine as tensões de fase e de linha na carga. Qual é a sua relação?
b) Determine as correntes de fase na carga e as correntes de linha. Qual é a sua relação (módulos e ângulos)?
c) Esboçar diagrama fasorial.

4
04) Demonstre que em um circuito com sinais senoidais, trifásico equilibrado, independente de a ligação ser Y-Y
ou Y-, as potências trifásicas nos terminais da carga podem ser expressas usualmente por:
 Potência ativa trifásica: P  3 | VL |  | I L | cos q
 Potência reativa trifásica: Q  3 | VL |  | I L | senq
 Potência aparente trifásica em módulo: S  P 2  Q 2 ou, S  3 | VL |  | I L |
 Potência aparente trifásica complexa: S  P  jQ  3V faseI *fase

 Fator de potência: FP  P  cos q


S
onde: |VL| e |IL| são módulos de grandezas de linha (valores eficazes);
na expressão da potência aparente complexa, Vfase e Ifase são fasores (eficazes).

05) Um sistema trifásico a três condutores, alimenta uma carga em triângulo  constituída por três impedâncias
iguais de 17,2745 , com tensão terminal de 380 V. Despreze a impedância dos cabos de ligação.
Determinar as correntes de linha Ia, IB e Ic e traçar o diagrama de fasores. Resolver de duas maneiras:
a) Aplicando a Lei de Kirchhoff das Correntes aos nós da carga.
b) Utilizando o circuito monofásico equivalente.
c) Esboçar o diagrama fasorial das correntes.

06) Calcular as correntes de linha de um sistema trifásico a três condutores, 4,16 kV, que alimenta uma carga em
, constituída por três impedâncias iguais de 2545o  em paralelo com uma carga em Y de 3030o . Despreze
a impedância dos condutores de ligação.

07) Seja o diagrama unifilar composto pelo barramento de saída de uma subestação de energia, uma linha de
transmissão e uma carga trifásica em Y, que consiste de 3 impedâncias iguais a Z carga em cada fase. Desejando
manter a tensão na carga em 4,4 kV, pede-se:

V=? |V|Carga=4,4 kV

ZLinha = 1,4 75 
Carga
Linha de transmissão passiva Y
Barramento Zcarga = 20 30 
da Subestação

a) Desenhe o circuito trifásico que representa o sistema.


b) Obtenha o circuito monofásico equivalente.
c) A partir daí, calcule a tensão de fase na barra de saída da subestação e obtenha a tensão de linha.
d) Trace o diagrama fasorial para uma fase com: a tensão obtida, a tensão na carga e a queda de tensão na linha.
e) Calcule as potências trifásicas fornecidas pela subestação S, P, Q e o fator de potência em sua saída.
f) Calcule a perda de potência ativa (efeito Joule) na linha de transmissão.

08) Este problema traz uma interessante reflexão a respeito da relação entre fator de potência e perdas de
potência por efeito Joule nos condutores.
Considere uma carga trifásica em Y, 300 kW, no final de uma linha de distribuição alimentada em 13,75
kV. Suponha que a resistência de cada condutor da linha seja 10 . Se o fator de potência da carga é 0,60
atrasado, calcule:
a) As perdas totais na linha por efeito Joule.
b) Quanto de redução de perdas na linha é obtida com a correção do fator de potência para 0,93? Para
simplificar assuma que a tensão da carga se mantém praticamente constante, assim como sua potência ativa.
c) Com um ano de operação de operação contínua, quantos kWh seriam poupados somente nesse circuito?
d) Analise e conclua sobre os resultados. O que mais pode ser dito a respeito dos benefícios para o sistema
advindos da correção do fator de potência?

5
Bibliografia

 STEVENSON, W. D. Jr., Elementos de Análise de Sistemas de Potência, McGraw-Hill, 2a Ed. em Português (4a Ed.
Americana), São Paulo–SP, 1986.
 JR. CASTRO, C. A., TANAKA, M. R., Circuitos de Corrente Alternada – Um Curso Introdutório, Editora da Unicamp,
Campinas-SP, 1995.
 JOHNSON, D. E., et al., Fundamentos de Análise de Circuitos Elétricos, Prentice Hall do Brasil, 4a Ed., Rio de
Janeiro–RJ, 1994.
 MEIER, A. V., Electric Power Systems – A Conceptual Introduction, IEEE PRESS, WILEY INTERSCIENCE, USA,
2006.

6
Apêndice A – Problema (01) de CA monofásico no MATLAB

%Programa no MATLAB para plotar


f = 60; T = 1/f; w = 2*pi*f;
Vmax = 311.13; Imax = 62.23;
t = 0:T/1e3:1.5*T; %um ciclo e meio
v = Vmax*sin(w*t);
i = Imax*sin(w*t-53.1*pi/180); % angulo de fase em radianos
figure,plot(t,v,t,i), legend('v(t)','i(t)'), grid
set(gcf,'Color',[1 1 1])
xlabel('Tempo (s)'), ylabel('Sinais')

 Formas de onda obtidas:


400
v(t)
i(t)
300

200

100
Sinais

-100

-200

-300

-400
0 0.005 0.01 0.015 0.02 0.025
Tempo (s)

 Simulação no Simulink (MATLAB versão 6.5):

Alteração nos parâmetros de simulação:


Start time: 0.0 Stop time: 3/60 (três ciclos).
Solver options:
Type: Fixed-step
ode5
Fixed step size: 1e-4 (ou seja, 10-4).

(Veja figura ao lado)

Resultados:

Para voltar tecle: Alt–seta da esquerda (Alt )

7
Apêndice B – Observações úteis sobre CA trifásico

 Tensão de fase = tensão fase-neutro. Usualmente: Va ou Van, Vb ou Vbn, Vc ou Vcn.


 Tensão de linha = tensão fase-fase. Usualmente: Vab, Vbc, Vca.
 A menos que seja dito o contrário, nos sistemas trifásicos as grandezas dadas são tensões de linha e as
potências (ativa, reativa, aparente) são as totais trifásicas.

 Transformação Y para cargas trifásicas equilibradas:


A partir dos terminais externos a, b, c, as cargas abaixo são equivalentes fazendo: ZY = ZD/3.
a b
a
ZY ZY ZD ZD
<=>
ZY b c
ZD
c

 Circuito monofásico equivalente:


Levante-se a questão: por quê fazer cálculos considerando as três fases, se em circuitos equilibrados o que
ocorre em uma das fases é o mesmo com as outras, exceto pela defasagem angular de 120 o?
De fato, é mais fácil realizar os estudos considerando somente uma fase, usando o que se denomina de
circuito monofásico equivalente. Neste circuito o condutor de retorno é representado pelo condutor neutro com
impedância zero. Usualmente é conveniente realizar os cálculos com base em uma única fase (Y por fase, tensão
de fase), porque então as impedâncias dos transformadores podem ser somadas diretamente em série com as
da linha de transmissão.
Quando há transformadores -Y ou Y-, todas as grandezas podem ser referidas ao lado conectado em Y.
Nos casos de conexões - em série com linhas de transmissão, é conveniente substituir as impedâncias
conectadas em  do transformador por impedâncias equivalentes em Y.
Depois de obter as grandezas monofásicas torna-se fácil obter as outras tensões e correntes de linha,
respeitando as suas relações quanto à magnitude e as defasagens angulares de 120.
As potências trifásicas são simplesmente três vezes as monofásicas. Como exemplo, observe o circuito
trifásico abaixo e seu monofásico equivalente.
a Ia Zlinha

Zg Zg b Ib Zlinha
Zcarga
Ega Egb
Egc Zcarga Zcarga
Zg Zlinha
Ic
c

Ia Zlinha

Zg
Va Zcarga
Ega
neutro

É comum tomar como referência a tensão da fase a atribuindo ao seu ângulo de fase o valor zero graus,
isto é: Va  | VF | 0 . Onde |VF| é a magnitude em valor eficaz sendo: |VF| = |Va| = |Vb| = |Vc|. Após a solução do
circuito monofásico equivalente, pode-se determinar diretamente as outras grandezas, tanto de fase como de
linha, bastando aplicar os defasamentos angulares e as relações entre as magnitudes corretamente.
Para voltar tecle: Alt–seta da esquerda (Alt )
8
Algumas repostas dos exercícios

De números complexos

01) (e) Resp = 3,4231 + j0,8846, ou na forma polar, Resp = 3.535514,4898.


02) (c) C = 1,4142–135.
04) Por exemplo A – B = 1 – (–0,5000 + j0,8660) = 1,5000 + j0,8660 = 330 .

De CA Monofásico

01) (c) S = 9,6853,1 kVA. FP = 0,60.


02) I = 65,223,8 A
03) |I| = 7,58 A. |S| = 1,67 kVA. Q = 1,10 kVAr.
04) (a) S = 2,0030 kVA. FP = 0,87.
05) QBancoCap = 177,39 kVAr.
06) Ptotal = 207,50 kW. Qtotal = 183,99 kVAr. FP = 0,75 (indutivo). I = 1,26–41,6 kA.

De CA Trifásico

02) Tomando Va como referência angular, isto é, fazendo: Va = |Vef|0, sendo |Vef| o módulo da tensão de fase.
Correntes de linha: Ia = 9,81–63,4 A; Ib = 9,81–183,4 A; Ic = 9,8156,6 A.

03) Tomando Va como referência angular, isto é, fazendo: Va = |Vef|0.


Correntes nas fases da carga: Iab = 44,48–39,4 A; Ibc = 44,48–159,4 A; Ica = 44,4880,6 A
Correntes de linha: Ia = 77,03–69,4 A; Ib = 77,03170,6 A; Ic = 77,0350,6 A.

05) Correntes de linha: Ia = 38,11–45,0 A; Ib = 38,11–165,0 A; Ic = 38,1175,0 A.

06) Correntes de linha: Ia = 366,13–41,8 A; Ib = 366,13–161,8 A; Ic = 366,1378,2 A.

07) Adotando como referência angular a tensão na fase A da carga como: Va  4,40 0 kV
3
A tensão da fase A na barra da SE é: 2,6692,7 kV.
A tensão Vab na barra da SE é: 4,62332,7 kV.
S = 1,01732,7 MVA; P = 0,856 MW; Q = 0,550 MVAr; FP = 0,842.
Perdas na linha: 17,538 kW.

08) Perdas totais na linha antes da correção do FP: 13,223 kW


Perdas totais na linha após correção do FP: 5,5039 kW
Redução = 7,7192 kW. Redução percentual = 58,3767%
Energia poupada em kWh em um ano (considerando 8760 horas): 67620 kWh.