Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO

DISCIPLINA: Tópicos Especiais em Engenharia de Combustão


PROFESSOR: Carlos Antonio Cabral dos Santos
PERÍODO: 2016.1 DATA: 30/03/2016
ALUNO: Daniel Fernandes Queiroga Leite MATRICULA: 2016101812

RESUMO

HISTÓRIA DA COMBUSTÃO

O presente resumo aborda sobre a história da combustão. Impactando muitos aspectos


da vida dos seres humanos, a combustão, especialmente aquelas que lidam com a utilização
de energia, vêm sendo um desafio permanente para engenheiros que buscam sistemas de
combustão seguros, eficientes e não poluentes para diferentes tipos de combustíveis. A
combustão resulta de reações químicas, reações que possuem uma grande conversão de
energia química em energia sensível. A taxa dessas reações pode ser aumentada através de
alguns métodos como, por exemplo, o aumento da área de superfície ou o aumento da
temperatura. A natureza da combustão depende da fase do combustível. Os combustíveis
gasosos são fáceis de alimentar e misturar, e geralmente possuem uma queima limpa. Os
combustíveis sólidos são geralmente esmagados, pulverizados antes de alimentar a câmara de
combustão, e os combustíveis líquidos são normalmente pulverizados através de um bico a
pressões elevadas. Cada tipo de combustível apresenta um diferente desafio para a construção
de um sistema de combustão mais eficiente, econômico e limpo. O estudo das propriedades
dos combustíveis está diretamente relacionado a esse tipo de sistema otimizado já que
influenciam a deposição de cinzas, erosão e corrosão dos sistemas. Outro fato ligado a esse
proposito é o aquecimento global que se tornou uma preocupação generalizada devido os
níveis de dióxido de carbono na atmosfera estar aumentando. As emissões de dióxido de
carbono através da queima é um grande contribuinte do efeito estufa. O trabalho em
modelagem de combustão começou nos anos 1940 a 1950 e foi prejudicada pela incapacidade
de computadores rápidos para avaliar os resultados com precisão suficiente. Isso mudou entre
1960 a 1970, com o advento dos computadores de alta velocidade. Hoje, hardware e software
de computadores e instrumentos de combustão estão evoluindo mais rápido permitindo uma
fusão de cinética química e dinâmica de fluidos, a fim de investigar muitos aspectos de
sistemas de combustão. A oferta limitada de combustíveis fósseis e as preocupações
ambientais estão fornecendo motivação continua a desenvolver uma nova compreensão. Mas
o novo conhecimento científico não é suficiente, como no passado, os engenheiros devem
usar esse conhecimento para produzir dispositivos práticos. Os engenheiros devem aprender a
aplicar esse conhecimento, para utilizar novos modelos de computacionais, e para trazer uma
nova geração de tecnologia de combustão. A história da tecnologia de combustão está
intimamente relacionada à disponibilidade de combustível e sua utilização. Os primeiros usos
de combustão foram para a cura e iluminação, depois progrediu para o uso em lareiras,
fogões, queimadores, caldeiras a vapor, turbinas a gás, motores de combustão interna,
foguetes, entre outros. Hoje os sistemas de combustão requerem o uso de termodinâmica,
cinética química, transferência de calor e mecânica dos fluidos buscando atingir alta
eficiência, baixas emissões e alta confiabilidade a um custo razoável.

BIBLIOGRAFIA

BORMAN L. G., RAGLAND K. W. Combustion Engineering. McGraw-Hill Education-


Europa, 1998. 322 p.