Você está na página 1de 2

Alfabetização científica

O termo alfabetização científica (AC) tem cada vez mais alcançado maior repercussão
nos ambientes escolares, que vão desde a formação do professor até sua atuação em sala de
aula. Contudo, o rótulo alfabetização científica abrange um aspecto muito amplo de
significados. Segundo CHASSOT, o termo representa. “ O conjunto de conhecimentos que
facilitariam aos homens e mulheres fazer uma leitura do mundo onde vivem”.
A alfabetização científica possui três dimensões que se referem aos processos de
incorporação de conhecimento científico em situações de sala de aula.
Alfabetização científica funcional: que considera o vocabulário das ciências.
Alfabetização científica conceitual e procedimental; considera as relações consciente
entre as informações, os experimentos e o estabelecimento de ideias conceituais.
alfabetização científica multidimensional; se refere as necessidades de que os
estudantes reconheçam e utilizam de maneira adequada o vocabulário das ciências

Por que a alfabetização científica é importante?

As pessoas alfabetizadas científicamente aprendem como se deve questionar e o


aprendizado se dá principalmente por meio do questionamento e da investigação. Dessa forma
se tornam pessoas críticas com pensamentos lógicos e que desenvolvem a habilidade de
argumentar. É uma grande aliada da formação cidadã dos estudantes já que tem como objetivo
a apropriação dos conhecimentos científicos por parte dos alunos. Ela visa promover mudanças
a fim de proporcionar benefícios para as pessoas e para a sociedade e o meio ambiente.
Na vivência podemos perceber que a melhor maneira das crianças aprender os
experimentos científicos e sua importância, é através do lúdico com experimentos feito com
eles mesmos na sala de aula. As experiências científicas escolares conseguem ter tanto sucesso
entre as crianças por que elas explicam visualmente questões simples do cotidiano despertando
a curiosidade para cores e quantidades, com algo que elas podem manipular, além de permitir
que elas façam um pouco de bagunça elas adoram e aprendem mais fácil desse jeito.
Conclusão.

Defendemos a premissa de que a alfabetização científica pode e deve ser desenvolvida


desde o início do processo de escolarização, mesmo antes que a criança saiba ler e escrever.
Nesta perspectiva o ensino de ciências pode constituir no potente aliado para o desenvolvimento
da leitura e da escrita, uma vez que contribui para atribuir sentidos e significados as palavras e
as discursos. O planejamento escolar, portanto, deverá ser balizado de modo a incluir os
parâmetros que operacionalizam as demandas para a implantação do processo proposto. Se este
é um desafio ao professor, não cabe a ele a exclusividade para o seu enfrentamento, fica clara
a necessidade de um redirecionamento nos cursos de formação inicial de professores, bem como
um processo de formação continuada em serviço que articula organizacionalmente ao trabalho
docente, de modo a poder fornecer condições materiais profissionais e intelectuais capazes de
assegurar ao professores uma atuação educativa na perspectiva aqui proposta.