Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA


UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA DE MATERIAIS
DISCIPLINA PROPRIEDADES MECÂNICAS DE MATERIAIS
PROFESSOR RÔMULO FEITOSA NAVARRO
ALUNO:Marcel Sa Dantas Wanderley

1º ESTÁGIO

1) Consultando o trabalho Aplicação de um Modelo Reológico Não-Linear em


Sistemas Poliméricos Dilatantes no endereço
http://150.165.111.213:8080/chamadas/downloads/189488.pdf , responda às
seguintes questões:

a) por quais motivos a dilatância não é um fenômenos de ocorrência comum


como, por exemplo, a
pseudoplasticidade?
b) quais os tipos mais frequentes de materiais que apresentam dilatância?
b) qual a vantagem do modelo proposto por Navarro frente aos modelos mais
comuns?

2) Caracterize o fenômeno da pseudoplasticidade sob os aspectos abaixo


relacionados:

a) sob o ponto de vista da arquitetura molecular e da presença de uma fase sólida


dispersa no meio
líquido;
b) sob o ponto de vista do índice de potência;
c) sob o ponto de vista da variação da viscosidade aparente com a taxa de
deformação.

3) O que faz com que um material só se comporte como fluido, sob cisalhamento,
a partir de uma dada tensão de cisalhamento?

4) Qual a diferença básica entre tixotropia e pseudoplasticidade?

5) Conceitue um sólido elástico?

6) Como ocorre a deformação plástica?

7) Qual a diferença, do ponto de vista do mecanismo, entre a deformação plástica


e a viscosa?

8) O que representam o módulo elástico e a viscosidade?

9) Mostre, por meio de desenho, a diferença entre as tensões de tração e de


cisalhamento.
10) Por que um sólido pode resistir mais à compressão do que à tração?

Respostas

1ª)a) Pois não ocorre em polímeros puros, além de sua observação ser
prejudicada em grande parte dos reômetros comerciais,logo esta freqüentemente
confundida com oscilação mecânica ou com desvio experimental e por motivos
como: exigência de um valor crítico para a taxa de deformação;suceder a um
comportamento newtoniano; preceder a um comportamento pseudoplástico.

B) Geralmente ocoore em materiais com mais de uma fase, tendo uma dela
constituída de partículas grandes e assimétricas, dificultando o empacotamento
mesmo sob elevadas taxas de deformação.

C) Os modelos de Cross modificado e o da Potencia não ocorre na pratica como


o deveria, isso proque eles não podem ser usados quando a dilatância aparece
entre regiões de comportamento newtoniano e pseudoplástico, pois como vimos, o
um(primeiro) retarda o inicio e ooutro(segundo) impõe limites inferiores ao que
pode ser considerado usual. Assim o modelo proposto no artigo consegue prevê
duas situações mencionadas.

2ª)a) Sob o ponto de vista molecular: a pseudoplasticidade é complexo, devido a


presença do soluto em solução polimérica ocorrendo a dissolução, que por sua
vez é precedida por um estágio de inchamento onde se forma um gel instável. Em
termos reológicos, se o solvente for newtoniano, as soluções de polímeros
lineares permanecerão newtonianas em concentrações de até 3% em peso,
enquanto que as soluções de polímeros ramificadas ou ligeiramente reticulados
sempre serão pseudoplásticas.

b) sob o ponto de vista do índice de potência(n): é o tipo de fluido onde a


viscosidade aparente cai de um valor máximo não infinito e constante, verificado
em taxas de deformação próximas de zero, tendo a taxa de deformação é
aumentada ate estabilizar e assumir um valor novamente constante. Logo, para
esse fenômeno 0<n<1 para o modelo . A pseudoplasticidade tende a
diferenciar os comportamentos newtonianos e de potência. Logo, sendo maior o
índice de potência, menos o fluido será newtoniano.

c) sob o ponto de vista da variação da viscosidade aparente com a taxa de


deformação.: usando equipamentos que fazem altas taxas de deformaçao , pode-
se detectar uma nova região de variação da viscosidade aparente com a taxa de
deformação após o seu valor limite. Logo, mesmo as cadeias executadas, após
um certo valor para a taxa de deformação a viscosidade aparente inicia uma nova
queda com a taxa de deformação.
3ª) Esse Comportamento se deve ao fato de que as composições altamente
concentradas entre as interação partícula-partícula desempenham um papel
importante. Esse tipo de material tem uma concentração maior que o valor crítico
favorecendo a formação de um esqueleto por parte das partículas antes dispersas,
o mesmo é responsável pela elevação da viscosidade e por impedir que o fluido
flua normalmente, logo se precisa quebrar esse esqueleto por meio da tensão de
cisalhamento para que o material realize escoamento viscoso.

4ª)Tixotropia: é um fenômeno caracterizado pela diminuição da viscosidade


aparente do liquido com o tempo de aplicação de uma dada taxa de deformação.
Sendo um fenômeno isotérmico e reversível sendo oriundo da deformação da
‘’estrutura’’ das partículas.

Pseudoplasticidade: A viscosidade aparente cai de um valor maximo não infito e


constante, verificado em taxas de deformação próxima de zero, na medida em que
a taxa de deformação é aumentada até se estabilizar e ter um valor constante
mais uma vez.

5ª)Solidos elásticos: são materiais que sofrem deformação quando são


submetidos a uma certa taxa de cisalhamento, e quando removidos os esforços
que produziu a deformação eles retornam a forma original.

6ª) Ocorre quando materiais são submetidos a tensões maiores do que o limite de
escoamento os materiais deformam e/ou fraturam. Em materiais cristalinos,
envolve o cisalhamento de algumas porções do cristal com relação as outras, ao
longo de determinados planos atômicos. Corresponde a quebra de ligações com
átomos vizinhos originais e em seguida formaçao de novas ligações com novos
átomos vizinho, uma vez que, um grande numero de átomos ou moléculas se
movem em relação uns aos outros. Com a remoção da tensão, eles não retornam
as suas posições originais.

7ª) As deformações viscosas são deformações contínuas e irreversíveis sofridas


pelo material enquanto submetido a uma tensão de cisalhamento. Esta
deformação é também conhecida como escoamento. A propriedade que relaciona
a taxa de deformação do corpo ao cisalhamento é a viscosidade. Já a deformação
plastica é a deformação permanente provocada por tensão igual ou superior à
resistência associada ao limite de proporcionalidade. É o resultado de um
deslocamento permanente dos átomos que constituem o material.

8) O modulo de elasticidade fornece uma indicação da rigidez do material e


depende das forças de ligação interatomicas, tendo assim seu comportamento
inversamente proporcional a temperatura. É determinado pelo quociente da tensão
convencional pela deformação convencional ou alongamento especifico na região
linear do diagrama tensão-deformação. A viscosidade é a razão entre a magnitude
da tensão de cisalhamento que é aplicada e o gradiente de velocidades que ela
produz. Tendo como medida de resistência de um material não cristalino a uma
deformação permanente. A viscosidade mede a resistência interna oferecida ao
movimento relativo de diferentes partes desse líquido.

9)

10ª) Na compressão possui uma tendência de redução do elemento na direção da


força de compressão, já na tração temos a tendência de alongamento do
elemento na direção da força,. Devido à atuação dessa força verifica-se que
quando a força de compressão atua sobre o material ele vai reagir de forma que
irá comprimir o meio sendo assim não tão fácil de romper as ligações interatômica
entre os átomos.