Você está na página 1de 14

SOCIEDADE

Oque é a Sociedade?
É uma rede de relações sociais entre indivíduos, entre grupos
sociais e entre instituições.

E o que torna possível a vida em sociedade?


Seria o agrupamento espontâneo entre os primeiros seres
humanos em razões das difíceis condições do mundo que os
cercava?

E o que são as relações sociais?


R: Existência de pessoas que interagem reciprocamente.
Relações dinâmicas que se transformam com as mudanças na
sociedade, ao mesmo tempo que estimulam ou interferem
nelas.
Regras de Condutas que personificam
relações em uma sociedade:

Toda e qualquer sociedade possui um conjunto de


regras e de valores que a regulam, por exemplo,
respeitar o próximo, não matar, não roubar, pagar
impostos dentre outras regras de condutas.
Objeto de Estudo das Ciências Sociais:
São os seres humanos no contexto de suas relações sociais.
O método empregado neste estudo é da investigação
científica.
A método designa um conjunto de procedimentos ou
atividades ordenadas, necessários ao conhecimento do
objeto de estudo em um nível de profundidade que não
pode ser apreendido pela observação superficial do
cotidiano.
Ex. pai que repreende um filho porque tirou notas baixas ou
foi mal-criado. Isso não constitui um conhecimento
científico. (Mas pode ser objeto de análise desde que sobre
ela seja aplicado um método científico de investigação).
.
O método em Sociologia
O método científico utiliza diversas categorias de
análise, como as de grupo social, classe,
estratificação social, fato social, interação, etc.
O estudo de caso é um instrumento metodológico
no qual se aborda apenas uma unidade social (um
caso – uma família, uma instituição, uma cidade,
etc).
A análise comparativa envolve procedimento para
estabelecer relação de causa e efeito de certos
grupos de fenômenos com base na comparação
entre fenômenos diversos.
A análise quantitativa utiliza em larga escala
dados estatísticos e numéricos.
A análise qualitativa procura estabelecer
conexões lógicas de causa e efeito entre os
fenômenos, recorrendo à interpretação e
utilizando ou não dados estatísticos.
Nestes dois casos o ponto de partida é uma
pergunta do tipo “POR QUE?”
Nascimento da Sociologia
Evolução do pensamento científico, contitui-se na modernidade a
partir de Nicolau Copérnico (1473-1543).
Não reconhecida inicialmente como ciência.
Surgiu após a constituição das Ciências Naturais e das diversas Ciências
Sociais
Ex. a Ciência Política cujos precursores foram os filósofos gregos:
Platão (427-347 a.C.) A República;
Aristóteles (384-322 a.C.) Política;
No Renascimento: Nicolau Maquiavel (1468-1527) O Príncipe.
Refletiam principalmente a respeito do poder político e das formas de
organização do Estado.
A sociedade embora tivesse sua complexidade não apresentava o
caráter dinâmico de relações que se tornaria típico a partir do Séx.
XVIII, com a Revolução Industrial.
A formação da Sociologia
Augusto Comte (1798-1857): tentativa de unificar
vários estudos relativos às ciências humanas em
apenas um só.
Linha de pensamento: Positivismo (afastamento
radical da teologia ou metafísica da existência
humana, afirmando que toda a vida humana havia
passado pelas mesmas fases históricas distintas e
que se o indivíduo entendesse o progresso poderia
resolver os problemas sociais).
Sociologia
Nasceu de uma mudança radical da sociedade, com o surgimento
da Revolução Industrial, em 1750 (século XVIII), novo tipo de
estrutura social: A SOCIEDADE CAPITALISTA

O que é o capitalismo?
Na cultura corrente, ao termo Capitalismo se atribuem conotações
e conteúdos frequentemente muito diferentes, reconduzíveis
todavia a duas grandes acepções.
1ª Acepção restrita de Capitalismo designa uma forma particular,
historicamente específica, de agir econômico, ou um modo de
produção em sentido estrito, ou subsistema econômico [...]
2ª Acepção de Capitalismo, ao invés, atinge a sociedade no seu
todo como formação social, historicamente qualificada, de forma
determinante, pelo seu modo de produção
(http://www.portalconscienciapolitica.com.br/economia-politica/ca
pitalismo/).
A Revolução Francesa (1789) teve sua
contribuição, pois, concorreu para a ascensão
da burguesia ao poder, além de dar mais
visibilidade aos problemas e conflitos sociais.
A sociedade estava dividida em grupos sociais
antagônicos: a nobreza, a burguesia e os
camponeses.
A sociedade era um conjunto de relações
conflituosas.
Revolução Industrial
Introduziu a máquina à vapor no processo
produtivo;
Reorganizou o trabalho manufatureiro de forma
radical:
• Fim ao artesão independente
• Introdução da fábrica moderna
• Proletariado: nova classe de trabalhadores
• Provocou o crescimento das cidades
• Concentração de trabalhadores em bairros industriais
• Degradação das condições de vida do proletariado com
jornadas de trabalho entre 14 e 16 horas diárias
• Sem limite de idade para trabalhar
• Sem leis que protegiam os trabalhadores
• Condições de moradia precárias
• Aumento da prostituição, alcoolismo, infanticídio,
criminalidade, violência e de epidemias (cólera e tifo)
• Formação dos primeiros sindicatos.
Neste cenário que surgiu a necessidade de uma
ciência que investigasse rigorosamente a
sociedade.

Assim a sociologia passou a ganhar um caráter


verdadeiramente científico (Século XIX).
TEXTO
1 – A Revolução Industrial e os Trabalhadores

2 – Sociologia e Sociedade Industrial