Você está na página 1de 5

Projeto de conclusão do curso prevenção ao uso de drogas

"As perguntas que podem orientá-lo são:

• O que você pretende alcançar com o projeto de prevenção? O entendimento dos jovens
das causa e conseqüências do uso de drogas e faze-los serem multiplicadores destas
idéias.

• Qual a população que o projeto pretende atingir? Jovens dos 10 aos 17 anos
aproximadamente ou 2º e 3 º ciclos do ens. Fundamental.

• Quais os objetivos a curto, médio e longo prazo? "(Aula 16)

"Definindo os prazos"

Na elaboração de um projeto, não se pode deixar de considerar a definição dos prazos


com a organização e a distribuição das atividades no prazo para cada etapa do trabalho.

Para isso, você poderá elaborar um cronograma, ou seja, um quadro com a previsão de
tempo para cada etapa.

•Lembre-se de que a escola trabalha com a divisão por semestres letivos e há meses
mais propícios que outros para desenvolver atividades dessa natureza.

•Lembre-se, também, de que as ações preventivas devem integrar o cotidiano da escola


e o processo pedagógico e, por isso, devem ser contínuas."(Aula 16, pag. 267)

Outras questões.........

Quais informações já obtiveram sobre as situações de risco e os fatores de


proteção do uso de drogas pelos adolescentes da escola?

O que ainda precisam conhecer sobre as necessidades, demandas e


também sobre os potenciais dos alunos para ações preventivas e de que
maneira vocês podem buscar essas informações?

Isso feito, comecem a pensar na elaboração do projeto em si. Vocês podem


consultar, no material impresso, os principais fatores a considerar no
desenvolvimento desta tarefa desafiadora. Sugerimos iniciar respondendo
as seguintes perguntas:

Quais objetivos pretendem alcançar?

Quais recursos humanos, financeiros e materiais serão necessários?


Roteiro do Projeto:

O projeto deverá ser configurado em papel tamanho A4, fonte Times New
Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5, contendo de 8 a 16 páginas. Os
seguintes itens devem constar:

1. Capa

A capa deve conter um cabeçalho com nome do curso, nome da escola,


nome dos cursistas e do tutor; título do projeto; apoio institucional (se for o
caso); endereço completo da escola e data de conclusão do projeto.

2. Introdução

A introdução deve conter os aspectos teóricos desenvolvidos no curso e


uma contextualização da escola na qual será realizado o projeto de
prevenção.

2.1 Aspectos teóricos

Relação do adolescente e do educador com as drogas.

Epidemiologia no Brasil e no Estado em que se encontra a escola (consulte


o portal do OBID <www.obid.senad.gov.br>.

2.2 Contextualização da escola

Caracterizar a instituição em relação às características demográficas,


culturais e socioeconômicas, realçando a história da instituição.

Evidenciar a proposta pedagógica da escola, mostrando como um projeto


de prevenção pode interagir com ela.

3. Objetivos

Os objetivos do projeto devem ser condizentes com o universo escolar em


questão e levar em consideração as finalidades que pretendem alcançar
com o projeto de prevenção.

4. Metodologia

Público-alvo, recursos humanos, físicos e materiais, atividades


pedagógicas, custos, cronograma.

5. Considerações Finais

Na conclusão, esperamos que avaliem as expectativas e os resultados que


pretendem atingir, relacionando-os com os aspectos teóricos e
metodológicos desenvolvidos no curso.
Fatores de risco e proteção.

Redes Sociais.

Formas de exercício da autoridade na escola.

Formação de adolescentes multiplicadores.

Possibilidade de integração ao currículo escolar. 276 Módulo 4 Ações


preventivas do uso de drogas na escola.

Referências

AGUILAR, M. J. Avaliação de serviços e programas sociais. 2. ed. Petrópolis:


Vozes, 1995.

FRITZEN, S. J. Exercícios práticos de dinâmica em grupo. Petrópolis: Vozes,


1994. v. 1, v. 2.

IOZO, R. Cem jogos para grupos. São Paulo: Summers, 1996.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da


pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed/UFMG, 1999.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social. Teoria, método e criatividade. 6.


ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Coordenação Nacional de Doenças Sexualmente


Transmissíveis e AIDS. Manual do multiplicador: adolescente. Brasília:
Ministério da Saúde, 1997.

______. Coordenação Nacional de Doenças Sexualmente Transmissíveis e


AIDS. Manual do multiplicador: prevenção às DST/AIDS. Brasília: Ministério
de Saúde, 1996.

MONTEIRO, R. F. Jogos dramáticos. São Paulo: Ágora, 1994.

MOURA, M. L. de.; FERREIRA, M. C.; PAINE, P. A. Manual de elaboração de


projetos de pesquisa. Rio de Janeiro: UERJ, 1998.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 8. ed. São Paulo: Cortez,


1998.

UNIFESP. Centro de Informações Sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID).


Livreto informativo sobre drogas psicotrópicas. São Paulo: OBID, 2003.

DE CICCO, L. H. S. Saúde animal: alcoolismo, vício, delírio e morte.


Disponível em: <http://www.saudevidaonline.com.br/alcool.htm>. Acesso
em: 5 jun. 2006.

ara a elaboração do projeto não deixe de abordar:


Na introdução aborde os aspectos teóricos desenvolvido no curso de Prevenção do Uso
de Drogas em consonância com o paradigma do curso, como prevenção, promoção da
saúde e redução de danos.

Apresente ações ou resultados com a Política Nacional sobre Drogas – PNAD e política
Nacional Álcool – PNA.

Não deixe de contextualizar a escola quanto a sua população, cultura e suas demandas
para a prevenção do uso de drogas.

Articulação e coerência das ideias apresentadas, linguagem adequada, objetividade,


estilo, concisão e correção.

Objetivos: Apresentar clareza quanto às ações, coerência quanto aos resultados,


originalidade na argumentação, articulação e coerências com as ideias apresentadas.

Metodologia: Apresentar de forma clara o público alvo, recursos humanos e materiais,


as atividades e estratégias e os recursos didáticos.

Considerações finais: Apresentar adequação com o projeto; apresentar cronograma


compatível com a proposta do projeto; articular coerência com as ideias apresentadas.

O projeto possui relevância para a prevenção?

Apresentar bibliografia de acordo com as normas propostas.

Abraços virtuais
Patrícia Danielle
Tutora

 Palestra:

» A importância da prevenção às drogas;


» O relacionamento familiar e a prevenção;
» Relato de casos;
» Conceitos de drogas, dependência e tolerância;
» Como identificar um usuário;
» Motivos para o uso de drogas;
» Tipos de drogas e seus efeitos;
» Apresentação de slides e transparências;
» Mostra as drogas em espécie e de artefatos para uso;
» O trato que os pais e professores devem ter com dependentes

As atividades do projeto são alinhadas com a Política Nacional Sobre Drogas (PNAD), e têm como objetivo estimular a
prevenção ao uso de drogas entre crianças e adolescentes, considerados o público de maior risco em Porto Velho,
formando alunos multiplicadores nas escolas da capital e de seus distritos, capazes de atuar no desenvolvimento
saudável e sustentável das famílias e da sociedade em geral.
A cerimônia de lançamento aconteceu no último dia 18, na Joaquim Vicente Rondon, com presença de autoridades e
representantes das escolas municipais e estaduais de Porto Velho.

Ao todo, serão 54 escolas beneficiadas com o projeto. Cada uma delas vai selecionar 15 alunos e 2 professores
voluntários para participarem do curso de formação; os professores serão formados pela Secretaria Nacional de
Política Sobre Drogas e pela Universidade Federal de Brasília, já os alunos terão formação oferecida pela Universidade
Federal de Rondônia.

Após a conclusão dos cursos de formação, os alunos e professores multiplicadores seguirão o planejamento de
atividades desenvolvido pela Coordenadoria da Juventude, que realizará palestras, oficinas de vídeo, música, dança e
teatro com a temática da prevenção ao uso de drogas e a promoção de cultura de paz nas escolas para atuarem junto
aos demais alunos também no combate a violência.

Durante o lançamento do Nós na Prevenção, um Protocolo de Intenção foi assinado entre a Coordenadoria da
Juventude de Porto Velho e a Universidade Federal de Rondônia, trata-se de uma proposta feita pela universidade
para que, no decorrer das atividades deste ano, seja possível criar um sistema de monitoramento capaz de apontar o
índice do consumo de drogas nas escolas da capital e região.

"Este será o primeiro passo para a implantação de um banco de dados com informações sólidas acerca do uso de
drogas nas escolas, assim poderemos procurar, no futuro, soluções mais eficazes para a prevenção ao uso das
drogas", afirmou Samuel Pessoa, da Coordenadoria da Juventude de Porto Velho.