Você está na página 1de 67

SENAI

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial

Camila Torres Pimenta


Caroline do Nascimento Silva

CINTA ORTOPÉDICA COM SUTIÃ ACOPLADO

São Paulo
2017
Camila Torres Pimenta
Caroline do Nascimento Silva

CINTA ORTOPÉDICA COM SUTIÃ ACOPLADO

Trabalho regular para o curso Técnico


em Vestuário da disciplina de
Projetos

Área de concentração:
Indústria do vestuário

Orientador:
Fábio Murcia Marques

São Paulo
2017
AGRADECIMENTOS

Nesse momento o grupo gostaria de agradecer a algumas pessoas que foram

fundamentais para a conclusão desse trabalho, e também para a absorção do

conteúdo necessário que aqui foi aplicado.

O primeiro agradecimento vai para o professor que nos auxiliou com

modelagem, costura e com a programação de risco e corte, Reginaldo da Silva,

e que participou da construção do protótipo, e de todas as matérias praticas

referentes ao conteúdo.

Posteriormente ao professor Wan Chi Ming que com muito humor auxiliou em

partes na área de leiaute e na área do balanceamento do processo produtivo.

Por fim agradecemos de forma especial ao Professor Fabio Murcia e a

Professora Fernanda Marinho que com muita disposição, paciência e

dedicação participaram em diversos momentos do trabalho sabendo lidar com

todas as situações apresentadas a eles nesses últimos dois anos.

Por fim agradecemos aos demais professores e funcionais que de qualquer

forma participaram de todo o nosso processo educativo dentro dessa unidade e

também a todos os membros do grupo por sua persistência e coexistência nos

momentos difíceis.
LISTA DE FIGURAS

Figura 1: Primeiro sutiã do mundo.......................................................................9


Figura 2: Anatomia da mama.............................................................................10
Figura 3 : Classificação de grau para hipertrofia das mamas............................11
Figura 4:Dificuldades das mulheres com hipertrofia mamária em realizar tarefas
do cotidiano.........................................................................................................12
Figura 5 – Colete ortopédico indicado para tratamento da escoliose................16
Figura 6: Sequencia Operacional.......................................................................24
Figura 7: Ficha técnica.......................................................................................25
Figura 8- Croqui Digitalizado..............................................................................25
Figura 9- Foto do avesso do protótipo...............................................................27
Figura 10- Foto das alças do protótipo...............................................................28
Figura 11: Ficha técnica......................................................................................31
Figura 12- Ficha técnica de matéria prima.........................................................32
Figura 13- Ficha técnica da etiqueta..................................................................33
Figura 14- Encaixe manual.................................................................................34
Figura 15- Digitalização da modelagem.............................................................35
Figura 16- Encaixe dos modelos com todos os tamanhos................................35
Figura 17- PRC...................................................................................................36
Figura 18- Fluxograma.......................................................................................37
Figura 19-Fluxograma........................................................................................38
Figura 20- Fluxograma.......................................................................................39
Figura 21-Leiaute da fabrica...............................................................................40
Figura 22- Mapofluxograma...............................................................................41
Figura 23- Mapa de risco....................................................................................41
Figura 24- Foto do Canvas.................................................................................42
Figura 25- Carga máquina e mão de obra da meta específica..........................48
Figura 26- Carga máquina e mão de obra meta geral.......................................48
Figura 27- Carga máquina e mão de obra específica........................................49
Figura 28- Balanceamento da meta geral..........................................................49
Figura 29- Balanceamento da meta específica..................................................50
Figura 30- Folha salarial de mão de obra direta................................................51
Figura 31 - Folha salarial de mão de obra indireta............................................52
Figura 32- Depreciação técnica.........................................................................53
Figura 33: Despesas e custos fixos....................................................................54
Figura 34: Ficha de custos.................................................................................55
Figura 35: relatório de investimento inicial e retorno de investimento...............56
Figura 36: relatório de investimento inicial e retorno de investimento...............57
Figura 37: relatório de investimento inicial e retorno de investimento...............58
SUMÁRIO

1 RESUMO DO PROJETO........................................................................................5
1.1 DESCRIÇÃO DO PROBLEMA......................................................................................5
1.2 SOLUÇÃO DO PROBLEMA.........................................................................................5

2 OBJETIVOS DO PROJETO...................................................................................5

3 JUSTIFICATIVA DO PROJETO.............................................................................5

4 ESCOPO.................................................................................................................5

5 PREMISSAS DO PROJETO..................................................................................5

6 MERCADO POTENCIAL........................................................................................5
6.1 PÚBLICO ALVO TÉCNICO...........................................................................................5
6.2 PÚBLICO ALVO DESCRITIVO......................................................................................5

7 ELEMENTOS DE DIFERENCIAÇÃO.........................Erro! Indicador não definido.

8 VIABILIDADE TÉCNICA........................................................................................5
8.1 ITENS RELATIVOS À MATÉRIA-PRIMA A SER UTILIZADA NO PROTÓTIPO........................5
8.2 ITENS RELATIVOS À TECNOLOGIA A SER UTILIZADA NO PROTÓTIPO............................5
8.3 ITENS RELATIVOS À MÃO-DE-OBRA E EXPERTISES NECESSÁRIAS PARA O

DESENVOLVIMENTO DO PROTÓTIPO...........................................................................5

8.4 IDENTIFICAÇÃO DOS PROCESSOS ENVOLVIDOS..........................................................5


8.5 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PRODUTO OU PROCESSO COMPLETO..........................5
8.6 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS PROCESSOS EM CADA UMA DE SUAS PARTES...........5

9 VIABILIDADE ECONÔMICA..................................................................................5

10 LIÇÕES APRENDIDAS..........................................................................................5
10.1 SEIS CHAPÉUS...................................................................................................... 5
10.2 BRAIN STORMING.................................................................................................. 5
10.3 SCAMPER...........................................................................................................5
10.4 FICHA TÉCNICA......................................................................................................5
10.5 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO ENCAIXE MANUAL....................................................5
10.6 DIGITALIZAÇÃO DA MODELAGEM, PLANO DE RISCO E CORTE E ENCAIXE...................5
10.7 FLUXOGRAMA DA SEQUÊNCIA OPERACIONAL COM TEMPOS.....................................5
10.8 LEIAUTE FABRIL.................................................................................................... 5
10.9 MAPOFLUXOGRAMA DO PRODUTO..........................................................................5
10.10 MAPA DE RISCO COM ROTA DE FUGA.................................................................5
10.11 CANVAS........................................................................................................... 5
10.12 TEXTO DO ELEVATOR PITCH..............................................................................5

11 RELATÓRIO DE DESEMPENHO..........................................................................5
11.1 RELATÓRIO DE ANTERIORIDADE.............................................................................5
11.2 TABELA DE ANÁLISE DE TEMPOS E MÉTODOS.........................................................5
11.3 DETERMINAÇÃO DE CARGA MÁQUINA E MÃO DE OBRA............................................5
11.4 BALANCEAMENTO DO PROCESSO PRODUTIVO.........................................................5
11.5 TABELA DE FOLHA SALARIAL DE MÃO DE OBRA DIRETA E INDIRETA.........................5
11.6 RELATÓRIO DE DEPRECIAÇÃO TÉCNICA DE ATIVOS FIXOS/PATRIMÔNIOS....................5
11.7 CUSTOS E DESPESAS FIXOS...................................................................................5
11.8 RELATÓRIO FINAL DE CUSTOS................................................................................5
11.9 RELATÓRIO DE INVESTIMENTO INICIAL E RETORNO DE INVESTIMENTO.......................5
CRONOGRAMA............................................................................................................5

REFERÊNCIAS.............................................................................................................5

Apêndices.....................................................................................................................5

Anexos..........................................................................................................................5
4

1 RESUMO DO PROJETO

Devido as mulheres estarem sofrendo com os problemas de escoliose e


hipertrofia das mamas, foi desenvolvido a cinta ortopédica com sutiã acoplado.
A cinta é a junção de um sutiã reforçado para o excesso de seio junto
uma cinta ortopédica que alivia as dores na coluna. O sutiã tem alças no
formato de “X” sendo mais largas que o comum para ajudar a coluna a
sustentar o peso, portanto tem enchimento na altura dos ombros para diminuir
o impacto no corpo, ligado a cinta com fecho frontal permitindo maior
praticidade ao colocar e remover, já as barbatanas ao redor da circunferência
do tórax fazendo com que a peça garanta que a pessoa fique com a postura
reta.
A cinta foi desenvolvida para mulheres dos 14 aos 40 anos, onde o
corpo começa a se desenvolver até antes da menopausa onde o corpo pode
sofrer mudanças, moradores do estado de São Paulo, em diferentes classes
econômicas.
O problema que a cinta soluciona é a escoliose e o excesso de seio, a
escoliose é um desvio da coluna que se forma em formato de “C” ou em “S”
geralmente é agravado pela má postura gerando a famosa postura corcunda, e
o excesso de seio que gera desconforto gera entre as mulheres causa excesso
de peso para a coluna o que depois de algum tempo pode gerar o afundamento
na altura do ombro, desse modo a cinta previne e ameniza as consequências
desse problema.

1.1 Descrição do problema

O problema identificado se remete as mulheres que sofrem de escoliose e ou


hipertrofia das mamas. A ideia surgiu a partir de técnicas que utilizamos para
desenvolver a criatividade e amadurecer pensamentos, Partir para a área
ortopédica foi de interesse do grupo já que todas as pessoas que
desenvolveram a ideia sofrem com esses problemas e conhecem outras
mulheres que passam por essa mesma situação, ou em condições piores e
mais graves para saúde.
5

Desse modo a escoliose não é uma patologia e sim um termo descritivo a uma
condição. Essa condição é encurvamento exagerado da coluna que pode tomar
o formato “C” ou “S”
Já a hipertrofia das mamas, conhecido como excesso de seio, é uma condição
que pode acontecer em qualquer idade e dos dois gêneros.
Nas mulheres isso acontece primordialmente por uma causa genética, ondes
as glândulas mamarias crescem exageradamente. O tratamento é cirúrgico, já
que por mais que a mulher emagreça as glândulas não vão reduzir seu
tamanho.

1.2 Solução do problema

O projeto foi desenvolvido para aliviar as dificuldades apresentadas


pelas mulheres que tem escoliose e ou hipertrofia das mamas. O produto
tem como objetivo maior conforto, flexibilidade além de ajudar na melhora
de postura das mulheres entre 15 e 39 anos, podendo ser utilizado por
mulheres lactantes.
Com bases nas pesquisas já concluídas, a cinta previne os
problemas que ela se solicita a resolver (má postura, amenização da dor).
A cinta ortopédica com sutiã acoplado foi especialmente desenvolvida
para aliviar das dores do excesso de seio, já que possui alças feitas para
aguentar e amenizar o peso posto sobre a coluna. Já a parte inferior tem
como objetivo manter a postura daquele que utiliza mais reto possível, já
que é mais rígido devido as aplicações feita na peça, apesar de não retirar
o conforto.
6

2 OBJETIVOS DO PROJETO

O objetivo do projeto é melhorar a qualidade de vida das mulheres,


oferecendo mais conforto, alivio das dores, melhorando a postura de forma
com que a mulher tenha um dia a dia mais agradável ainda que cuide da sua
saúde.
Muitas vezes tais incômodos fazem com que a mulher perca seu dia de
trabalho ou pare suas funções diárias, a ideia vem para sanar esse contexto
onde a mulher precise parar o que está fazendo para cuidar da sua própria
saúde.
O produto ainda colabora com as mulheres que sentem desconforto com
sua imagem devido à condição que estão (excesso de seio e postura corcunda)
que podem ser igualmente constrangedoras, com isso há melhora da condição
de saúde da mulher e ainda lhe oferta uma melhora de percepção sobre si
mesma.
A cinta ortopédica acoplada com sutiã foi desenvolvida para atender as
diferentes situações pessoais dentro de cada condição, sendo na medida do
possível útil para os diferentes casos o tornando viável para as mulheres.
7

3 JUSTIFICATIVA DO PROJETO

Produto foi criado para melhorar o dia a dia das mulheres, ajudando a
aliviar dores na coluna, melhora a postura, impedindo afundamento na área do
ombro, tem como objetivo melhorar a qualidade de vida, buscando mais
conforto e flexibilidade.
Visando as mulheres que precisam de um alivio em seu cotidiano, que é
prejudicada pelas consequências dessas condições, a dor, o constrangimento e
o incomodo gerado pelo problema.
O produto se torna útil pelo fato de juntar dois produtos que ajudam as
mulheres que sofrem com essa condição, onde esses produtos sendo vendidos
separadamente não podem ser utilizados ao mesmo tempo sem comprometer
a eficácia de algumas das partes.
Contudo o fato da peça acoplar o sutiã junto com a cinta melhora ainda
mais a qualidade de vida da mulher, melhorando o problema, ainda sendo algo
pratica de ser colocado e tirado, sendo uma só peça, sem mostrar volume
extremo, aquecer demais ou outros fatores incômodos de se colocar duas
peças uma por cima do outro invés de colocar apenas uma que faça as duas
funções.
8

4 ESCOPO

4.1 A história do sutiã

No império romano as mulheres utilizavam faixa de tecido em volta dos


seios, mais conhecido como mamillare, os romanos não gostavam de seios
grandes e por isso as mulheres optavam por escondê-los.
Do século XV ao XVIII as mulheres usavam os espartilhos, que fez muito
sucesso durante esse período, elas usavam para definir a cintura e dar volume
ao seio. (Bernard, 2016)
O primeiro sutiã foi criado no século XX, no ano de 1914 pela socialite
americana Mary Phelps Jacob, feito com dois lençóis, uma fita cor de rosa e
um cordão. E no inicio a ideia era inventar algo que fosse confortável e
acomodasse os seios, possibilitando molda-lo, diminui-lo, escondê-lo ou até
exibi-los. Foi uma revolta ao espartilho por ele aparecer nos vestidos de galã e
por ser desconfortável. (PINTO, Alex)
No começo não obteve muito sucesso na indústria têxtil, então decidiu
vender sua criação para Warner Bros por aproximadamente 1500 dólares,
então a empresa faturou mais de 15 milhões com o produto adquirido. E a
partir dai o sutiã começou a se produzir em grande escala, para oferecer maior
conforto as mulheres.
Na década de 1920 a Coco Chanel começou a produzir sutiãs que
achatavam os bustos. Já na década seguinte os bojos e as estruturas
metálicas seriam produzidos para dar mais volume ao seio. A partir da década
de 1950 a empresa Dupont desenvolveu sutiã com náilon, assim ele ganharia
mais elasticidade e resistência. Em 1960 o movimento feminista transformou o
sutiã em um símbolo de superação ao machismo. E em 1968 houve o grande
protesto contra o concurso de Miss América, que ficou muito conhecido como
“A queima de sutiã” tinha cerca de 400 ativistas, que alegou que iria queimar
todos seus sutiãs. Embora não aconteceu realmente a queima, ficou muito
marcante pela luta da liberdade feminina. (Sequeira, 2016)
Atualmente o sutiã não é apenas visto como algo para conforto mais
também como se fosse algo obrigatório, a sociedade impõe que as mulheres o
utilizem em seu cotidiano. Além de que muitas pessoas visam o sutiã como
9

peça para atrativo sexual, dessa forma a peça é desenvolvida como ícone
fashion diferente dos modelos anteriores onde só se visava o conforto e a
funcionalidade.
Figura 1: Primeiro sutiã do mundo

Fonte: UNIVERSIDADE DE INNSBRUCK,2017

4.2 A anatomia do seio feminino

De acordo com a instituição Medipédia as mamas são dois órgãos, onde


encontram- se glândulas responsáveis pela lactação, que tem como sua
especial função a elaboração do leite materno. Na mulher adulta podem-se
encontrar grandes variedades de formas, tamanhos e consistência.
Aproximadamente ao centro do seio encontram-se os mamilos, onde
convergem os canais da glândula mamaria. No homem os mamilos costumam
ser pequenos, enquanto que na mulher encontra-se uma grande variedade
entre dimensões e coloração.
Em redor dos mamilos, encontra-se a aréola (pequena área circular que
envolve o mamilo), uma zona circular de pele pigmentada, sobre sua superfície
surge de doze a vinte pequenos relevos, correspondentes a glândulas
sebáceas especiais (tubérculos de morgagni) mais conhecidas como sebo,
para lubrificar e impermeabilizar a pele. Ambas as estruturas contem uma
grande vascularização e grande inervação sensitiva, o que causa também os
estímulos tácteis e eróticos, fazendo com o que o mamilo fique ereto e a aréola
mais dilatada.
10

Os primeiros sinais de desenvolvimento mamário, surgem na fase dos


oito aos nove anos de idade, quando o mamilo cresce e se torna proeminente.
Devido o tecido muscular os peitos começam a crescer ao mesmo tempo em
que as aréolas aumentam e começam a pigmentar-se. Após a primeira
menstruação, as células femininas começam a desenvolver a mama, já que
antes disso seu foco era o desenvolvimento do corpo e não dos órgãos.
Durante o período da gravidez, os aspectos e o tamanho da aréola está
sujeito a notáveis mudanças, ficam maiores, mais sensíveis e mais doloridas e
podem dobrar de tamanho após o parto. Cada um dos lóbulos consiste em um
sistema de canais, onde cada um tem sua saída, correspondente ao mamilo.
O tecido glandular é por formado por quinze a vinte lóbulos onde no
centro da aréola é possível observar uma protuberância que recebe o nome de
papila (pequena saliência cônica na superfície da pele). O leite materno é
produzido nos ácinos (conjunto de célula), sendo captado em cada lóbulo pelos
ductos lactíferos, que levam até a papila.

Figura 2: Anatomia da mama

Fonte: TREINO EM FOCO, 2016.

4.3 Problemas ortopédicos e de ergonomia que as mulheres apresentam


em detrimento aos seios

As mulheres estão sujeitas a lidar com problemas ortopédicos e


ergonômicos durantes as diversas fases da vida, por inúmeras causas, um dos
membros que podem ser afetados são os seios femininos, consequentemente
afetando outros membros posteriormente; algumas patologias que podem
afetar esses membros são a escoliose e a hipertrofia das mamas.
11

Primordialmente devem-se entender quais os riscos que a mulher se


propõe a enfrentar cotidianamente, são eles os “problemas” ergonômicos
(derivação da palavra “trabalho” e “regras”), (Significados- 2011) que se situam
por ser a relação entre a função que é exercida no dia a dia e seu meio
ambiente, ou seja, no modo como essa desenvolvida.
Um dos fatores que podem atrapalhar a relação da mulher com seu
corpo, sua autoimagem, autoestima e principalmente, sua qualidade de vida, é
a hipertrofia das mamas; popularmente conhecido como excesso de seio, é
uma condição que pode acontecer em qualquer idade e dos dois gêneros.
De acordo com o Dr. Sérgio Gonçalves (2011), nos homens, a condição
se chama ginecomastia, pode se apresentar em meninos saudáveis e no inicio
da adolescência, nesse caso isso acontece pela alteração de hormônios, ou
pode ser causada pela obesidade, é solucionado gradativamente caso a
pessoa emagreça ou faça tratamento para controle hormonal, caso não seja
suficiente o defeito pode ser corrigido com cirurgia plástica.
Nas mulheres a condição apresenta quatro graus onde vão variar de
acordo com o tamanho das mamas. Isso acontece primordialmente por uma
causa genética, ondes as glândulas mamarias crescem exageradamente, o
que pode ser agravado caso a mulher engorde, pois então a quantidade de
gordura do seio irá aumentar, vale ressaltar que sem a pré-disposição genética
a mulher não é considerada parte dessa condição, mesmo que tenha os peitos
de tamanho exagerado. O tratamento é cirúrgico, já que por mais que a mulher
emagreça as glândulas não vão reduzir seu tamanho.

Figura 3 – Classificação de grau para hipertrofia das mamas

Fonte: SOBRINHO ET AL, 2006.


Popularmente acha-se que as mulheres com excesso de mama têm
maior propensão a ter câncer de mama, o que é um mito, na verdade o
12

excesso de volume dificulta os exames que identificariam o problema, mas não


aumenta as chances de se obter o problema (Batalhadoras – 2012).
Já existem estudos realizados sobre a relação entre o excesso de seio
como patologia e a qualidade de vida, e sua capacidade funcional, ou seja, até
que ponto essa condição atrapalha a vida da mulher, até onde essa condição
pode ser levada e tratada como um leve problema de saúde e passa a se
tornar um caso preocupante clinico.
No estudo HAQ-20 foi identificado uma perca na capacidade funcional
preocupante juntamente com uma dificuldade acentuada de essas mulheres
conseguirem realizar suas tarefas cotidianas sem maiores dificuldades, o que
ocasionalmente causa maior dependência física e mental dessas mulheres. Já
em outros estudos encontrados mostraram que a maioria das mulheres com
hipertrofias mamária estão em sobrepeso (IMC acima de 25 kg/m2), condição
que agrava ainda mais os tamanhos dos seios que devido à condição já são
naturalmente grandes; Apesar da hipertrofia mamária ser um grande problema
ortopédico na vida dessas mulheres, não é o único. (Fernandes et al. – 2017)

Figura 4: Dificuldades das mulheres com hipertrofia mamária em realizar tarefas do cotidiano.

Fonte: ARAUJO ET AL, 2006.

A escoliose também é uma condição ortopédica que gera inúmeros


incômodos ergonômicos, isso porque o problema gera além de dores e
13

incômodos, uma questão com a autoimagem e aceitação da deformidade que


pode ser causada por essa patologia.
Atualmente, segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de dois
por cento da população mundial sofre com escoliose. Ou seja, cerca de cento e
quarenta e quatro milhões de pessoas sofrem com escoliose. Onde, a grande
maioria atingida são mulheres dos nove aos dezessete anos. Vale lembrar que
só é considerada escoliose, quando a coluna tem um grau de curvatura maior
ou igual a 10°.
A escoliose pode ser gerada por vários motivos o que as separa em
diversos tipos: A escoliose congênita é quando a criança já nasce com essa
condição, o bebê desenvolve a condição ainda no útero, nas primeiras
semanas, quando a coluna está começando a se formar, isso acontece, pois
uma vertebra não se desenvolve completamente o que entorta a coluna, isso é
chamado pelos médicos de meia vertebra, Outro modo que as vertebras
podem se formar erroneamente é quando se juntam em bloco, se fundem, e
isso compromete o resto do crescimento do membro, ambas as condições
acontecem na formação do feto e são igualmente prejudiciais.
De acordo com a Dra. Melanie Valle - (2011) a escoliose neuromuscular
é causada em resultado dos nervos e músculos deixarem o tronco das crianças
fraco de forma que não as sustente de forma reta, então a coluna assume o
formato “C”, é mais comum em crianças que já tem um sistema imunológico
comprometido, como aquelas que possuem paralisia muscular, distrofia
muscular, pois essas condições podem se transformar nesse tipo de escoliose.
Escoliose adulta ou degenerativa é quando o adulto já tem um problema
na coluna que não foi tratado ou não foi identificado na infância como, por
exemplo: osteoporose ou fraturas vertebrais, que se torna escoliose a partir de
um agravamento que pode ser algum tipo de lesão na área ou alguma
patologia que agrida esse local.
E por fim a escoliose idiopática que atingi cerca de 80% a 85% dos
jovens e acontece quando a causa é desconhecida, ou seja, o medico não
consegue identificar a causa exata do problema, apesar de ser uma condição
com influencia genética comprovada, que pode aparecer em mais de um
membro da mesma família, na mesma ou em diferentes gerações, e pode se
manifestar em qualquer idade. Se constatada em crianças com menos de três
14

anos se considera infantil, juvenil quando a criança tem de três aos nove anos,
adolescentes dos dez aos 18 anos, e adulta quando o paciente já possui os
ossos totalmente crescidos, mas em sua maioria esse tipo atinge em sua
maioria os adolescentes de gênero feminino.

4.4 Métodos e tratamentos de problemas ergonômicos e ortopédicos


femininos em relação aos seios

Os tratamentos clínicos e hospitalares referentes ao seio feminino tem


uma grande amplitude de opções, isso porque as mulheres costuram estar
sempre atrás de melhorias nessa área do corpo que é muito valorizada,
contudo além dos tratamentos estéticos, existem também os tratamentos
ergonômicos, que são aqueles que são vinculados à saúde.
Os tratamentos ergonômicos estão associados à saúde, geralmente
quando a lesão, ou alteração de um membro que não deveria estar
acontecendo ou que irá atrapalhar a qualidade de vida daquela que contém o
problema.
No caso das mulheres, em especifico no caso de seus seios, os
problemas que são mais populares são o excesso e deformação das mamas e
o comprometimento do formato da coluna devido ao peso sobreposto,
assaduras onde se encontra uma grande quantidade de pele e gordura e pela
má postura que isso pode causar.
De acordo com a Scolioses Research Society (2017) Quando o
problema é o excesso de seio, o laudo informa que o paciente tem hipertrofia
das mamas cujo tratamento mais recomendado costuma ser a cirurgia de
redução de seio, contudo esse método é radical, algumas mulheres o
consideram até mesmo invasivo, contudo essa é a uma medida final que pode
ser acompanhada por outros cuidados, como por exemplo, a atividade física,
que apesar de não resolver o problema pode manter o peso da mulher o que
não reduz o tamanho das glândulas mamarias, que são o motivo do problema
mas reduzem o u mantem a quantidade de gordura do seio, fazendo com que
esta gordura não possa agravar o problema.
15

Outros cuidados que podem ser tomados antes da cirurgia, além da


atividade física, são as cintar e sutiãs ortopédicos, já que esses podem ajudar a
acoplar o seio deixando a mulher confortável, além de sustentar o peso
excessivo do seio, fazendo com que este excesso de peso não encurve a
coluna da mulher e lhe cause afundamentos dos ombros, ou seja, a utilização
de tais produtos pode prevenir a formação de outras condições e prevenir o
agravamento do caso clinico já existente (Cabral – 2010).
Apesar de serem uteis antes de a mulher fazer a cirurgia, os sutiãs
ortopédicos são praticamente indispensáveis no pós-cirúrgico, isso porque a
cirurgia é considerada invasiva, ou seja, é um procedimento delicado pelo qual
o corpo passa, e que necessita de recuperação posteriormente. Após a cirurgia
os seios apresentam maior inchaço, sensibilidade, e até alguns hematomas, é
imprescindível que nesta ocasião a mulher utilize um produto que mantenha a
coluna dele ereta, sustentando o seio de forma correta, esses cuidados são
necessários porque o resultado só é claramente perceptível depois dos
primeiros quine dias, quando a maior sensibilidade e inchaço desaparecem, ou
seja, uma boa recuperação está diretamente ligada a um bom resultado do
procedimento (Cabral – 2010).
Apesar desses fatos, o tratamento não é feito apenas pensando na
qualidade de vida da mulher voltada aos seus seios, mas também a sua
coluna, ambos estão diretamente ligados já que a coluna sustenta o peso do
corpo, e o excesso de seio, causa excesso de peso que a coluna terá de
suportar, devido a essa relação percebe-se que desvios de coluna e lesões na
mesma são muito comuns em mulheres que possuem a hipertrofia mamaria,
devido é comum as mulheres terem um encurvamento da coluna, que será
tratado de diversas formas dependendo do grau desse desvio.
Dessa forma esse grau de desfio que corresponde ao quanto a coluna
está fora do eixo, tem cinco classificações, quando a coluna se encurva de 0
até 10 graus, não necessita de tratamento, na verdade se entende que a
pessoa não possui o problema, ou o possui de forma mínima, sendo esse um
limite aceitável para a curvatura da coluna (Site hérnia de disco – 2011)
Quando a coluna se curva de 10 até 20 graus, o tratamento adequado é
o tratamento fisioterápico que tem como objetivo para a progressão da
curvatura, ou seja, parar o avanço da condição, de forma que a coluna pare de
16

sofrer o encurvamento e com isso melhora da função pulmonar e diminui a dor.


Isso é feito pela aplicação de exercícios específicos como o Método SEAS, o
Lionês, o Schroth entre outros (Central da Fisioterapia).
O encurvamento da coluna de 20 a 30 trata-se de forma semelhante ao
encurvamento de 10 a 20, pois se aplica os mesmo métodos e exercícios
citados anteriormente, com a diferença de que, além de além desta fisioterapia
é feito a utilização de um colete ortopédico, indicado e projetado de acordo com
a necessidade de cada paciente o que faz com que as chances de êxito no
tratamento aumentem.
Figura 5 – Colete ortopédico indicado para tratamento da escoliose

Fonte: CENTRAL DA FISIOTERAPIA.


Os graus de 30 a 40 já são considerados casos agravados, dessa forma
o tratamento fisioterápico conhecido como RPG já não é mais utilizado, pois
não tem tantas chances de progresso, então o tratamento já parte direto para o
colete ortopédico, que induz a coluna a ficar ereta mesmo que já esteja
formando curvas muito acentuadas.
E por fim a ultima classificação é de 40 a 50, esse é o nível máximo a
ser classificada, nesse ponto a condição já esta muito elevada e o único
tratamento que pode dar resultados, são as cirurgias, as cirurgias podem ser
em um grupo amplo de pessoal independente de sua idade, ou seja, pode ser
feita até mesmo em crianças, chamada artrodese da coluna, é uma cirurgia
17

onde o objetivo é recolar as vertebras, de forma que elas fiquem alinhadas, reta
em um só bloco.
A cirurgia para por completo o avanço da condição, dessa forma em
casos mais graves é a única opção para ter uma melhora de qualidade vida,
além de uma melhora estética, vale ressaltar que, a cirurgia as vezes não deixa
a coluna totalmente ereta, isso porque na coluna se localiza a medula, e para
não prejudica-la, o medico reconstrói a coluna , até o ponto que for seguro para
medula óssea, o que pode variar de paciente par paciente, já que algumas
curvas são mais flexíveis que outras, esse é outro fator que pode intervir na
hora de reposicionar as vertebras.
As pessoas que tem a condição agravada tende a sentir mais dor, e a
cirurgia a principio irá gerar mais dor, pela questão de deixar a área sensível,
após o tratamento, depois de meses ou até o prazo de um ano, a dor tende a
diminuir consideravelmente, ou sanar, dependendo do processo de evolução
que o medico obteve durante a cirurgia.
18

5 PREMISSAS DO PROJETO
Através de análise no mercado feminino, houve uma ausência de peças para
mulheres com escoliose, hipertrofia das mamas e afundamento nos ombros,
com isso o projeto foi desenvolvido para este público alvo que não tem grande
demanda de produtos.
Desse modo o projeto se direciona apenas para mulheres, com a falta de
produtos confortáveis que atende as necessidades que elas precisam, como
uma peça multifuncional que auxilia em suas dores e na correção da postura.
O tecido escolhido para a peça foi a microfibra, pois contém uma quantidade de
elastano o suficiente para oferecer mais conforto as mulheres, a peça tem
enchimento nos ombros com manta acrílica e um auxílio das alças formando o
cruzamento em “X”.
A barbatana aplicada na peça seria utilizada para manter a postura de um jeito
correto e o bojo seria utilizado para oferecer acolchoamento nos seios, ao invés
de utilizar zíper foram utilizados colchetes que assim iria oferecer um
acabamento prático.
19

6 MERCADO POTENCIAL
6.1 Público alvo técnico

 Gênero: Feminino
 Faixa etária: dos 15 aos 39 anos
 Classe social: média alta
 Classe econômica: média
 Região demográfica: Estado de São Paulo

6.2 Público alvo descritivo

O projeto se direciona as mulheres. A razão é que o mercado atual não


oferta produtos completos e acessíveis para as mulheres que sofrem com a
escoliose e a hipertrofia das mamas.
O problema geralmente se inicia aos quatorzes anos quando a primeira
menstruação acontece e os hormônios da mulher que antes eram focados no
desenvolvimento do tronco, passam a ter como um novo foco, o
desenvolvimento do corpo para a procriação, dessa forma os quadris ficam
mais largos, os seios aumentam e assim por diante, dessa forma alguns
exageros podem ocorrer como, por exemplo, o excesso de seio; E atende até
os quarenta anos, idade comum da menopausa, onde o corpo pode sofrer
mudanças imprevistas e dessa forma o produto não se adequaria tão bem a
peça.
A classe social dessa mulher tende a ser média/ alta, isso significa que
ela tem um acesso maior a cultura e informação; tendo acesso a lugares que
beneficiam o aumento do senso critico e da participação como cidadão ativo e
pesquisador. Dessa forma essa mulher tem plena noção que as alterações
físicas em seu corpo não são comuns, assim como a sua dor; ela entende o
diagnostico medico e compreende a gravidade da condição em que se
encontra, tendo meios e disposição de procurar por alternativas que amenizem
sua dor, e que não deixe a sua situação se agravar.
E claro que isso também depende de sua situação econômica, do
quanto essa mulher poderia e gostaria de pagar pelo produto ofertado, nesse
20

caso o produto estaria voltando para a classe média, sendo a maioria no país,
e, além disso, seriam as mulheres que se preocupam com suas condições, e
que tem recursos de ir atrás de produtos que possam lhe auxiliar.
Isso dentro da região de São Paulo que seria onde este produto seria
primordialmente distribuído, a região foi escolhida pela quantidade grande de
mulheres que detém essas condições e por seres mais próximas da classe
social e econômica que o produto pretende atingir.
Apesar de o projeto ser tecnicamente limitado as mulheres do estado de
São Paulo, tendo cerca de 21.184.326 mulheres, e 8.797.138 mulheres de 15
aos 39 anos. Em São Paulo 6.157.997 mulheres têm hipertrofia das mamas de
acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A
quantidade de mulheres com escoliose não foi considerada, pois as mesmas
podem estar inclusas na quantidade de mulheres com hipertrofia das mamas.
54% da população do Brasil se encontram na classe média, e 3.325.318 das
mulheres são de São Paulo de classe média e tem de 15 a 39 anos.
21

7 ELEMENTOS DE DIFERENCIAÇÃO

Atualmente muitas mulheres brasileiras sofrem com o desvio na coluna,


o excesso de seio e afundamento nas áreas do ombro, essas condições
prejudicam tanto a saúde dessas mulheres quanto a sua autoestima já que
afeta a sua aparência.
O mercado atualmente resolve tais condições com cirurgias ou com o
uso de várias peças do vestuário ao mesmo tempo, como por exemplo, o uso
de sutiã ortopédico por baixo de cintas ortopédicas, o que gera desconforto,
calor, e comprometimento da qualidade do tratamento oferecido por ambos os
produtos.
Desse modo o sutiã ortopédico com cinta acoplado une os benefícios
proporcionados tanto pela cinta tanto quanto pelo sutiã, trazendo maior
conforto e flexibilidade por estar tudo elencado em uma única peça, além da
praticidade para colocar e retirar a cinta quando necessário.
O projeto ameniza os problemas causados pela escoliose e pela
hipertrofia mamária. Dessa forma para ajudar a tratar o peso posto sobre a
coluna o sutiã detém alças reforçadas, em formato “X” causando estabilidade
no tronco. A peça ainda contém alças com enchimento para diminuir o impacto
no ombro e prevenir afundamentos na área e tratar os afundamentos já
formados. Por fim tem as barbatanas em volta da barriga deixando a cinta
justa, porém flexível.
22

8 VIABILIDADE TÉCNICA

8.1 Itens relativos à matéria-prima a ser utilizada no protótipo

Tecido utilizado para produzir a peça foi a microfibra composto por


poliéster e elastano, ele apresenta algumas características interessantes, como
o fato de favorecer a troca térmica com o ambiente e o corpo, secar rápido,
garantir a respirabilidade do tecido, além de não amassar muito. Fornecedor
Catex, CNPJ: 14.164.085/0001-58, localizado na rua Aristides Lobo, 80, Loja
121 Mezanino - Rio Comprido, Rio de Janeiro – RJ, CEP: 20250-450.Consumo
de um metro por peça. Preço de R$ 3,25 por metro.
Fivela de plástico serve para fechar o sutiã na parte dianteira e tem
como seu fornecedor a Roma Aviamentos, CNPJ nº 10.730.088/0001-50,
encontrasse na rua Almirante Barroso, 178, Brás - São Paulo-SP, CEP 03025-
000, Central SAC: (11) 2081-7999, E-mail: sac@romaaviamentos.com.br.
Consumo para uma peça é de uma unidade, preço R$1,78 no varejo, cor
branco.
Bojo tem como sua composição o algodão que oferece mais conforto na
peça, fornecedor do produto Comercial Maluli Ltda. CNPJ: 51.669.307/0001-10
Rua Vinte e Cinco de Março, 717. Centro de São Paulo-SP, CEP: 01021-200 d.
Consumo por peça uma unidade, preço R$1,80 no varejo, cor branca.
Manta Acrílica sua composição é o poliéster, que seria utilizado para
colocar nas alças para evitar o afundamento nos ombros, fornecedor Bazar e
Papelaria Horizonte Ltda. CNPJ: 44.913.721/0001-68. Endereço: Av. Mateo Bei,
3358, São Paulo/SP. Fone: (11) 2674-4699. Consumo por peça 1 metro, preço
por metro R$7,90, cor: branco.
Os colchetes utilizados para fechar a cinta na parte dianteira tem como
sua composição o metal, fornecedor Rei do Armarinho CNPJ:
60.627.429/0001-35. Rua Cavalheira Basílio Jafet, 99, CEP: 01022-020
Centro - São Paulo, Tel.: (11) 4083-5555 Fax: (11) 4083-5550. Consumo
20unidades por peça, preço R$ 5,09 por pacotes que contém 20 unidades.
Barbatana usada na cinta para auxílio na correção da postura e tem
como sua composição aço inox, fornecedor Roma Aviamentos.
23

CNPJ:10.730.088/0001-50. Rua Almirante Barroso 178 Brás - São Paulo/SP,


CEP: 03025-000. Consumo por peça 1.32 m, preço R$9,60.
Linha usada para costurar a peça tem como composição o poliéster,
fornecedor Setta, CNPJ: 60.887.189/0001-08 localizado na Rua Elisha Otis, 40,
bairro Cooperativa, São Bernardo do Campo, São Paulo – Brasil, CEP 09852-
075. Consumo de 100 metros e o preço é de R$3,23 na cor branca.
Fio usado para costurar a peça tem como composição poliéster,
fornecedor Armarinho 25 CNPJ: 47.201.850/0001-11 localizado na Rua João
Boemer, 805, Brás -São Paulo – SP, CEP 03018-000, Fone/Fax: (11)
2790.2525. Consumo 100 metros e o preço com de R$R$ 8,09 e a cor branco.
Etiqueta usada para informar as condições de lavagem, tamanho, lugar
aonde foi fabricada, o CNPJ e o nome da empresa. Fornecedor Interlabel,
CNPJ: 13.036.294/0001-53 localizado na Rua Basílio Alves Morango, 1745, Pq.
Edu Chaves, São Paulo-SP, CEP: 02222-001 Fone: 11 2305 9000. Consumo
de uma etiqueta com 15 centímetros, preço por etiqueta R$7,50.
8.2 Itens relativos à tecnologia a ser utilizada no protótipo
Máquina de Costura Industrial Overloque com Motor Direct Drive - SS-
700-3DW utilizada para toda a costura da peça. Máquina de Costura Industrial
Overloque com Direct Drive com sistema especial de lubrificação da barra
de agulha que evita vazamento de óleo. Fornecedor Work Special, CNPJ05.
013.910/0001-22, endereço rua da Graça 573, 577, Bom Retiro, São Paulo SP,
CEP 01125-001 Brasil telefone para contato +55.11.3334.8800. Preço de
aquisição R$2.499,99
Matriz para colchete de pressão ref. CP 7135 14. Aplicação: CP 7135 14,
utilizado para aplicar os colchetes na peça. Fornecedor Pipe Variani, CNPJ91.
274.860/0001-79 localizado no endereço Cristoforo Randon, 527, Pavilhao 01,
Marechal Floriano, Caxias Do Sul RS, CEP 95013-130 Brasil, telefone para
contato +55 54 3218-7800 / 54 3218-7822. Preço de aquisição R$47,58.
Faca de cortar tecidos – Singer A máquina de Corte SINGER realiza o
corte com Faca, o que permite cortes detalhados e curvas no enfesto do tecido.
Tamanho: oito “Potência de 550 Velocidade de 3400 RP”. Fornecedor Mila Mak,
endereço rua Kpler, 41, Parque Casa Das Pedras, São Paulo SP, CEP 02320-
050, Brasil. Preço de aquisição R$1.890,00.
24

Coreldraw Graphics Suite 2017, Software de design gráfico, ferramentas


profissionais para design, layout e edição de fotos, recursos intuitivos de toque
e caneta, utilizados para fazer ficha técnica da peça. Preço de aquisição
R$2.399,00.

8.3 Itens relativos à mão-de-obra e expertises necessárias para o


desenvolvimento do protótipo
Para o desenvolvimento dessa peça são necessários alguns itens, um
deles seria a mão de obras adequada para a tarefa que nesse caso seriam a
estilista e a equipe de desenvolvimento de coleção cuja função é desenvolver o
produto a ser oferecido, e a produção de ficha técnica, as modelistas (Salário
equivalente a R$ 2.891,00) e assistentes (salário equivalente a 1.170,00) que
teriam que modelar o produto, fazendo o molde de corte etiquetado, os
cortadores ( salário equivalente a 1.334,88) e assistentes (salário equivalente a
1.142,00) que cortam o produto por meio dos moldes de cortes, enfestam a
mesa, separam e etiquetam o material, e as costureiras overloque (salário
equivalente a 1.339,00) que costurariam o produto, passariam e embalariam a
peça e a reta com a função de fazer um acabamento na peça com o salário de
R$ 1.101,00.

8.4 Identificação dos processos envolvidos


Figura 6: Sequencia Operacional

Fonte: AUTORES, 2017


25

8.5 Representação gráfica do produto ou processo completo

Figura 7: Ficha técnica

Fonte: AUTORES,2017
Figura 8- Croqui Digitalizado

Fonte: AUTORES, 2017


26

8.6 Representação gráfica dos processos em cada uma de suas partes

O projeto foi desenvolvido inicialmente em microfibra, de forma que os


ombros eram revestidos por espuma casca de ovo, sem bojo, o fecho seria por
colchetes e as barbatanas envoltas no tronco...
Contudo foram feitas melhorias que não foram aplicadas ao protótipo, o
tecido permaneceu o mesmo, contudo a espuma de ovo foi substituída por uma
manta acrílica por ficar com melhor acabamento, e acrescentamos o bojo para
maior conforto da mulher e melhor acabamento na peça, o fecho de colchetes
seria substituído por uma fita para costurar na peça que já vem com o colchete
aplicado, e as barbatanas de plástico continuam na peça para quando a mulher
colocar no corpo deixar ela com o corpo mais rígido e consequentemente
ergonômico.

Figura 9- Foto do avesso do protótipo.


27

Fonte: AUTORES, 2017

Figura 10- Foto das alças do protótipo.


28

Fonte: AUTORES, 2017


Como melhoramento o produto teria uma fivela frontal que fecharia a peça na altura do
sutiã, além disso, teria o enchimento na manta acrílica na altura do ombro dentro das alças,
juntamente com colchetes para fechar a parte frontal da cinta.
29

9 VIABILIDADE ECONÔMICA
A primeira planilha de custos é a tabela de investimentos totais
necessário para a implantação do projeto, dentro dessa estimativa
consideramos matéria prima, veículos, equipamentos de informática, moveis
instalações, máquinas, terreno e despesas pré-operacionais, juntando todos
esses custos o investimento necessário para a implantação da empresa é de
R$ 426.902,00.
Os funcionários são divididos entre mão de obra direta e indireta, na
mão de obra direta (pessoas que trabalham diretamente no processo produtivo)
constando com 15 pessoas onde o custo total da mão de obra é de R$ R$
25.875,81 sendo R$ 0,44 centavos a hora. E na mão de obra indireta temos 12
funcionários custando R$40.652,98 ou seja R$ 0,80 centavos a hora.
O custo fixo da empresa está em torno de R$23.870,80 e no caso das
despesas relacionado a depreciação dos objetos todo mês a empresa deve
guardar R$ 1.022,87 para a reposição de itens quando se fizer necessário.
Desse modo o custo direto dos materiais usados na produção é de R$
15,45, onde o custo geral da fabricação é de R$12, 87, desse modo o preço de
custo por absorção é de R$ 44,96. Os tributos de R$ 10,77, frete e comissões
de R$3,11, devedores duvidosos de R$ 0,38, peças não vendidas de R$ 1,33,
e a margem de lucro de 20% ou seja R$15,06 centavos, formam o preço0 de
venda que é equivalente a R$75,31 que é corrigido para R$ 76,00.
O plano de vende mensal corresponde a 2.771 e o anual é de 33.252
peças, por ser uma empresa do sistema super simples, lucrando anualmente
R$R$ 2.527.152,00 e não contribuindo com PIS, ICMS, ISS, COFINS, contudo
temos uma comissão de R$ 14,30%. A junção dos custos fixos com os custos
variáveis anuais gira em torno de R$ 2.010.484,80.
30

10 LIÇÕES APRENDIDAS

10.1 Seis chapéus


Técnica usada para indicar os estados emocionais e linhas de
pensamento sobre uma mesma ideia, onde pessoas com diferentes estilos de
pensamento discutem sobre o mesmo problema.
Chapéu branco: analisar as falhas e procurar melhor as informações.
Chapéu vermelho: analisar os problemas utilizando a intuição, a reação
instintiva e a emoção.
Chapéu preto: pontos negativos da decisão, ver o que é que pode não
funcionar e o que pode correr mal.
Chapéu amarelo: ponto de vista otimista que ajuda a ver os benefícios
da decisão.
Chapéu verde: soluções criativas para um problema.
Chapéu azul: controle do processo.
Ideias usadas nessa técnica: blusa com repelente para bebe, camiseta
com bolsa em gel para alivio da cólica e calcinha ante estrupo.

10.2 Brain storming


Reunião de ideias e pensamentos feitos pelos integrantes do grupo,
várias ideias expostas até chegar a uma ideia final. Sendo que nenhuma ideia
pode ser descartada ou ser considerada errada, momento para explorar as
ideias.
Exemplos de ideias: camiseta com bolsa em gel para alivio da cólica,
blusa com repelente para bebe, casaco com bolso invisível, roupa de cachorro
com remédio, calcinha ante estrupo, sutiã com bolso, camiseta perfumada,
camiseta ante suor, calça dois em um (shorts e calça)...

10.3 SCAMPER
É uma técnica que visa estimular o pensamento criativo orientado. O
nome da técnica é um acrônimo originado das iniciais de sete operadores da
técnica: Substituir, Combinar, Adaptar, Modificar, Procurar outros usos, Eliminar
e Rearrumar.
31

10.4 Ficha técnica


Documento de desenvolvimento da peça, criar uma representação
gráfica do que vai ser feito junto com outros documentos serve para auxiliar a
modelista, as costureiras, os cortadores e outras pessoas envolvidas na área
de desenvolvimento e produção.
Figura 11: Ficha técnica

Fonte: AUTORES, 2017


32

Figura 12- Ficha técnica de matéria prima.

Fonte: AUTORES, 2017.


33

Figura 13- Ficha técnica da etiqueta.

Fonte: AUTORES, 2017.


34

10.5 Representação gráfica do encaixe manual


Figura 14- Encaixe manual

Fonte: AUTORES, 2017


35

10.6 Digitalização da modelagem, plano de risco e corte e encaixe.


Figura 15- Digitalização da modelagem

Fonte: AUTORES, 2017


Figura 16- Encaixe dos modelos com todos os tamanhos.

Fonte: AUTORES,2017
36

Figura 17- PRC

Fonte: AUTORES, 2017


37

10.7 Fluxograma da sequência operacional com tempos


Figura 18- Fluxograma

Fonte: AUTORES, 2017


38

Figura 19-Fluxograma

Fonte: AUTORES, 2017


39

Figura 20- Fluxograma

Fonte: AUTORES, 2017

10.8 Leiaute fabril


40

Figura 21-Leiaute da fabrica

Fonte: AUTORES, 2017

10.9 Mapofluxograma do produto


41

Figura 22- Mapofluxograma.

Fonte: AUTORES, 2017

10.10 Mapa de risco com rota de fuga

Figura 23- Mapa de risco.

Fonte: AUTORES, 2017


42

10.11 Canvas

Figura 24- Foto do Canvas.

Fonte: AUTORES, 2017


10.12 Texto do Elevator Pitch
43

11 RELATÓRIO DE DESEMPENHO

11.1 Relatório de anterioridade


Cinta, microfibra, sutiã, ortopédico, coluna, postura, compressão,
palavras utilizadas para a realização da pesquisa.

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DE ANTERIORIDADE


(Pesquisa em documentos de patentes e outras publicações
técnicas)
NOME DO SOLICITANTE (Orientador): Prof. Msc. Fábio Murcia Marques

Nº PEDIDO:

UNIDADE/ ÁREA: DATA: 00/00/00 H/H


: x horas
OBJETO DA PESQUISA:
ÁREA DO VESTUÁRIO

PROJETO: cinta acoplada com sutiã ortopédico

BANCO E BASES DE DADOS: INPI- (http://www.inpi.gov.br/)

PALAVRAS-CHAVE 01: cinta, microfibra, sutiã, ortopédico, coluna, postura,


compressão, escoliose.

...

...

PALAVRAS-CHAVE n: 8
BANCO E BASES DE DADOS: EPO - European patente
office (http://ep.espacenet.com/)

PALAVRAS-CHAVE 01: cinta, microfibra, sutiã, ortopédico, coluna, postura,


compressão, escoliose.

...

...

PALAVRAS-CHAVE n: 8
44

BANCO E BASES DE DADOS: USPTO - Escritório Norte-Americano de


Patentes (www.uspto.gov)

PALAVRAS-CHAVE 01: cinta, microfibra, sutiã, ortopédico, coluna, postura,


compressão, escoliose.

...

...

PALAVRAS-CHAVE n:8
BANCO E BASES DE DADOS: Escritório Japonês de
Patentes (www.jpo.gov)

PALAVRAS-CHAVE 01:

...

...

PALAVRAS-CHAVE n:
BANCO E BASES DE DADOS: Google Patents- (www.google.com/patents)

PALAVRAS-CHAVE 01: : cinta, microfibra, sutiã, ortopédico, coluna, postura,


compressão, escoliose.

...

...

PALAVRAS-CHAVE n: 8
BANCO E BASES DE DADOS: PORTAL CAPES
– (http://www.periodicos.capes.gov.br)

PALAVRAS-CHAVE 01:

...

...

PALAVRAS-CHAVE n:

AVISO IMPORTANTE
A busca prévia de anterioridade é uma amostragem e não verifica os documentos de
patentes que estão em período de sigilo a partir da data de pedido de depósito, nos
escritórios oficiais, que é de 18 meses. Portanto se algum documento similar ou igual
estiver no período de sigilo, vale o recurso para o primeiro depositante. Além do que
foi exposto anteriormente, a busca prévia não garante a abrangência do campo de
pesquisa bibliográfica na totalidade da literatura técnica publicada no mundo.
45

RESULTADO DAS PESQUISAS

Segundo sua pesquisa, foram encontradas anterioridades? [ ] Não [ x ] Sim

Caso tenham sido encontradas anterioridades, preencha a tabela 01 com as informações


solicitadas.

Classificação
Nº da Patente Descrição Base
Internacional
BR 11 2015 CINTA PARA A COLUNA INPI internacional
019120 7 VERTEBRAL INFERIOR
Cotrauma - Centro Ortopédico Google patents internacional
WO Traumatológico Ltda.
1996035400 Sutiã que corrige a postura e
A1 previne a hiper cifose.
DISPOSIÇÃO CONSTRUTIVA APLICADA SUTIÃ COM INPI
ALÇAS COSTAIS LARGAS

BR 20 2013 023121 A41C 3/00


0 U2

Você teve orientação para realizar a pesquisa de anterioridade? [ X ] Sim [ ]


Não

Especificar: Professor Fábio ______________________________________

A escola ou inventor tem interesse em patentear o invento? [ ] Sim [ X ] Não

Existe alguma empresa interessada no projeto? [ ] Sim [ X ] Não

PARECER TÉCNICO DO RESULTADO DA PESQUISA:

(Com base nos resultados encontrados, caracterize projeto em questão como um


projeto inovador. Caso encontre anterioridade, identifique características no projeto
que o diferencie dos projetos já existentes)
46

Camila Pimenta Carol Nascimento


_____________________
___________
Responsável pelo projeto
Responsável pela Pesquisa

11.2 Tabela de análise de tempos e métodos

O produto tem três etapas de preparação, dez operações de montagem e


três operações de acabamento, onde em seu total seria montada em
aproximadamente trinta e oito minutos.
11.3 Determinação de carga máquina e mão de obra

Figura 25- Carga máquina e mão de obra da meta específica.


47

Fonte: AUTORES, 2017

Figura 26- Carga máquina e mão de obra meta geral.

Fonte: AUTORES, 2017

Figura 27- Carga máquina e mão de obra específica.


48

Fonte: AUTORES, 2017

11.4 Balanceamento do processo produtivo


Figura 28- Balanceamento da meta geral.

Fonte: AUTORES, 2017

Figura 29- Balanceamento da meta específica.


49

Fonte: AUTORES, 2017

11.5 Tabela de folha salarial de mão de obra direta e indireta

Figura 30- Folha salarial de mão de obra direta.


50

Fonte: AUTORES, 2017

Figura 31 - Folha salarial de mão de obra indireta.


51

Fonte: AUTORES, 2017

11.6 Relatório de depreciação técnica de ativos fixos/patrimônios

Figura 32- Depreciação técnica.


52

Fonte: AUTORES, 2017

11.7 Custos e despesas fixos


Figura 33: Despesas e custos fixos.
53

Fonte: AUTORES, 2017

11.8 Relatório final de custos


Figura 34: Ficha de custos.
54

Fonte: AUTORES, 2017

11.9 Relatório de investimento inicial e retorno de investimento


Figura 35: relatório de investimento inicial e retorno de investimento.
55

Fonte: AUTORES, 2017

Figura 36: relatório de investimento inicial e retorno de investimento.


56

Fonte: AUTORES, 2017

Figura 37: relatório de investimento inicial e retorno de investimento.


57

Fonte: AUTORES, 2017


58

CRONOGRAMA

Tabela 1: Cronograma de trabalho


ETAPA Julho Agosto Setembro Outubro Setembro Dezembro

RESUMO DO PROJETO
OBJETIVOS DO PROJETO
JUSTIFICATIVA DO PROJETO
ESCOPO
PREMISSAS DO PROJETO
MERCADO POTENCIAL
ELEMENTOS DE DIFERENCIAÇÃO
VIABILIDADE TÉCNICA
VIABILIDADE ECONÔMICA
LIÇÕES APRENDIDAS
RELATÓRIO DE DESEMPENHO
CRONOGRAMA
REFERÊNCIAS

Somente colorir os quadros de cada etapa completada.


59

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Sérgio Gonçalves. Correção das Hipertrofias Mamárias. Site


Dráuzio Varella. São Paulo, 2016. Disponível em: <
https://drauziovarella.com.br/entrevistas-2/correcao-das-hipertrofias-
mamarias/> Acesso em: 28 Jul. 2017

VARGAS, Janaína Charão; WITTER, N. A. Uma questão de peito: Feminismos,


lutas e a biografia do sutiã. Simpósio de Pesquisa e Extensão. Anais...
Santa Maria: SEPE, 2012.

MAGALHAES, Paulo et all. Dores na coluna: avaliação em pacientes com


hipertrofia mamária. Site Scielo São Paulo, 2007. Disponível em <
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-
78522007000400011 > Acesso em : 28 Agost.2017

Significado de ergonomia, Site Significados. Disponível em


<https://www.significados.com.br/ergonomia/ > Acesso em 29 de Agosto de
2017.

PINTO, Tales dos Santos. "História e surgimento do sutiã"; Site Brasil

Escola. Disponivel em < http://brasilescola.uol.com.br/historia/historia-

sutia.htm> Acesso em 04 de Setembro de 2017.

BERNAD, Sophie- “Confira a evolução do sutiã da antiguidade até


os dias atuais”; Site Oh my mag, 2016. Disponível em <
http://www.ohmymag.com.br/sutia/confira-a-evolucao-do-sutia-da-antiguidade-
ate-os-dias-atuais_art2751.html.> Acesso em 04 de Setembro de 2017.

Universidade de Innsbruck/Associated Press – “Sutiã medieval pode


ser o mais antigo já registrado” Site Folha de S. Paulo, 2012. Disponível em
< http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cienciasaude/56408-sutia-medieval-pode-
ser-o-mais-antigo-ja-registrado.shtml.> Acesso em 04 de Setembro de 2017.

SEQUEIRA, Marta. – “A Queima dos sutiãs”; Site Prezi, 2016.


Disponível em < HTTPS://prezi.com/qekz6uq4f936/a-queima-dos-sutias/?
webgl=0> Acesso em 04 de Setembro de 2017
60

SOBRINHO, João Batista Costa et all. Site Revista brasileira de cirurgia


plástica, 2012. Disponível em < http://www.rbcp.org.br/details/1245/avaliacao-
de-tecnica-de-mastoplastia-redutora-com-cicatriz-em> Acesso em 05 de
Setembro de 2017

Mitos e verdades sobre o câncer de mama. Site Batalhadoras, 2012.


Disponível em < http://www.batalhadoras.org.br/artigo/35/mitos-e-verdades-
sobre-o-cancer-de-mama#.Wa7hIfkwiM8 > Acesso em 05 de Setembro de
2017.
VALLE, Melanie. Tipos de escoliose. Site Fisio movimento, 2011.
Disponível em <http://fisiomovimento.com.br/tipos-de-escoliose/> Acesso em
05 de Setembro de 2017.

CABRAL, Eduardo. Redução de mamas. Site Eduardo Cabral, 2011.


Disponível em < http://www.dreduardocabral.com.br/reducao-de-mamas/ >
Acesso em 05 de Setembro de 2017.

Cirurgia para diminuir os seios e combater a dor nas costas. Site tua
saúde, 2017. Disponível em < Cirurgia para diminuir os seios e combater a dor
nas costas> Acesso em 05 de Setembro de 2017.

Fisioterapia- tratamento escoliose. Site Central da fisioterapia.


Disponível em <
http://www.centraldafisioterapia.com.br/tratamentos/fisioterapia-ortopedica-
escoliose> Acesso em 05 de Setembro de 2017.

Medipédia, conteúdos e serviços de saúde. 2012. Disponível em


<https://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=696>
Acesso em 09 de Outubro de 2017.
61

Apêndices

Itens que não fazem parte do trabalho, mas que foram necessários para
o desenvolvimentos do mesmo e foi desenvolvido pelo próprio grupo.
62

Anexos

Itens que não fazem parte do trabalho, mas que foram necessários para
o desenvolvimentos do mesmo e foi extraído de fontes externas.