Você está na página 1de 45

Peso e massa

A massa de um corpo é uma característica da quantidade de matéria que esse corpo contém, isto é, da inércia que o corpo oferece ao movimento;

o peso do corpo representa a acção (força) que sobre ele exerce a gravidade.

G

=

m g

Aceleração da gravidade, g, ao nível do mar para diferentes latitudes

Latitude (°)

0

10

20

30

40

50

60

70

80

90

g (m.s-2)

9.780

9.782

9.786

9.793

9.802

9.811

9.819

9.826

9.831

9.832

Lei da atracção de Newton:

g =

g o

r r + z

2

m que r é o raio da terra. Como regra aproximada, para obter o valor de g à altitude z, é necessário, por cada 300 m de altitude, subtrair 0.001 do valor obtido pela tabela 1. Na prática, raramente se necessita de tal precisão. Em Portugal , o valor mais rigoroso é g = 9.81 m.s-2

Sistema Internacional - SI

O sistema Internacional de Unidades (SI) foi criado em 1960 pela 11ª Conferência Geral de Pesos e Medidas (CGPM) e adoptado em Portugal pelo Decreto-Lei nº 427/83, de 7 de Dezembro, revisto posteriormente pelo Decreto-Lei nº 238/94, de 19 de Setembro e pelo Decreto-Lei nº 254/2002, de 22 de Novembro, como o sistema legal de unidades de medida;

Foi determinado igualmente o uso dos submúltiplos daquele sistema, bem como as regras para a escrita dos símbolos.

Sistema Internacional - SI

Grandeza

Comprimento

Unidade

metro

Massa

quilograma

Tempo

segundo

Corrente elétrica

ampère

Temperatura termodinâmica

Quantidade de matéria

Intensidade luminosa

kelvin

mol

candela

Símbolo m kg s A K mol cd
Símbolo
m
kg
s
A
K
mol
cd

Unidades derivadas do - SI

 

Expressão em termos das Unidades fundamentais

Grandeza

Unidade

Símbolo

 

Ângulo plano

radiano

rad

 

Ângulo sólido

esferorradiano 1

sr

 

Freqüência

hertz

Hz

1/s

Força

newton

N

kg·m/s²

Pressão

pascal

Pa

kg/(m·s²)

Energia

joule

J

kg·m²/s²

Potência

watt

W

kg·m²/s³

Carga elétrica

coulomb

C

A·s

Tensão elétrica

volt

V

kg·m²/(s³·A)

Resistência elétrica

ohm

kg·m²/(s³·A²)

Capacitância

farad

F

A²·s²·s²/(kg·m²)

Condutância

siemens

S

A²·s³/(kg·m²)

Indutância

henry

H

kg·m²/(s²·A²)

Fluxo magnético

weber

Wb

kg·m²/(s²·A)

Densidade de fluxo magnético

tesla

T

kg/(s²·A)

Temperatura em Celsius

grau Celsius

°C

---

Fluxo luminoso

lúmen

lm

cd

Luminosidade

lux

lx

cd/m²

Atividade radioativa

becquerel

Bq

1/s

Dose absorvida

gray

Gy

m²/s²

Dose equivalente

sievert

Sv

m²/s²

Atividade catalítica

katal

kat

mol/s

Outras unidades derivadas do - SI

Grandeza

Área

Volume

Número de onda

Densidade de massa

Concentração

Volume específico

Velocidade

Aceleração

Densidade de corrente

Campo magnético

Unidade

metro quadrado

metro cúbico

por metro

quilograma por metro cúbico

mol por metro cúbico

metro cúbico por quilograma

metro por segundo

metro por segundo ao quadrado

ampère por metro ao quadrado

ampere por metro

Símbolo m² m³ 1/m kg/m³
Símbolo
1/m
kg/m³
mol/m³ m³/kg m/s m/s² A/m² A/m
mol/m³
m³/kg
m/s
m/s²
A/m²
A/m

Unidades aceites pelo - SI

Grandeza

Tempo

Tempo

Tempo

Ângulo plano

Ângulo plano

Ângulo plano

Volume

Massa

Argumento logaritmico ou Ângulo hiperbólico

Argumento logaritmico ou Ângulo hiperbólico

Unidade Símbolo minuto min hora h dia d
Unidade
Símbolo
minuto
min
hora
h
dia
d
grau ° minuto ' segundo "
grau
°
minuto
'
segundo
"
litro l ou L tonelada t neper Np bel B
litro
l ou L
tonelada
t
neper
Np
bel
B

Relação com o SI

1 min = 60 s

1 h = 60 min = 3600 s

1 d = 24 h = 86 400 s

1° = π/180 rad

1' = (1/60)° = π/10 800 rad

1" = (1/60)' = π/648 000 rad

1 l = 0,001

1 t = 1000 kg

1 Np = 1

1 Np = 1

1 Np = 1
1 B = 1

1 B = 1

1 B = 1

Unidades aceites temporariamente pelo – SI (uso desaconselhado)

Grandeza

Comprimento

Comprimento

Comprimento

Unidade

milha

marítima

Velocidade

Área

are

Área

hectare

Área

acre

Área

barn

Comprimento

Pressão

ångström

bar

Símboloacre Área barn Comprimento Pressão ångström bar ---- ---- a ha ---- b Å bar Relação

---- ---- a ha ----
----
----
a
ha
----
b Å bar
b
Å
bar

Relação com o SI

1 milha marítima = 1852 m

1 milha marítima = 1852 m

1 milha marítima = 1852 m

1 = 1 milha marítima por hora = 1852/3600 m/s

1 a = 100

1 ha = 10 000

40,47 a

1 b = 10 -28

1 Å = 10 -10 m

1 bar = 100 000 Pa

Multiplos e submúltiplos

Multiplos e submúltiplos

Regras para a escrita dos nomes e símbolos das unidades

Regras para a escrita dos nomes e símbolos das unidades Os símbolos das unidades são impressos

Os símbolos das unidades são impressos em caracteres romanos (direitos). Em geral os símbolos das unidades são escritos em minúsculas, mas, se o nome da unidade deriva de um nome próprio, a primeira letra do símbolo é maiúscula. O nome da unidade propriamente dita começa por uma minúscula, salvo se se trata do primeiro nome de uma frase ou do nome “graus Celsius”;

Os símbolos das unidades ficam invariáveis no plural;

Os símbolos das unidades não são seguidos de um ponto, salvo se estão no fim de uma frase e o ponto tem a função habitual da pontuação.

Regras para a escrita dos nomes e símbolos das unidades

Regras para a escrita dos nomes e símbolos das unidades Quando uma unidade é derivada pel

Quando uma unidade é derivada pelo produto de duas ou mais unidades, pode ser indicado com os símbolos das unidades separadas por pontos a meia altura ou por um espaço. Exemplo:

N m ou N . m; Quando uma unidade derivada é formada dividindo uma unidade por outra, pode utilizar-se uma barra oblíqua (/), uma barra horizontal ou também expoentes negativos. Exemplo: m/s ou m . s -1 ou

m

s

Nunca deve ser utilizado na mesma linha mais que uma barra oblíqua, a menos que sejam adicionados parêntesis, a fim de evitar qualquer ambiguidade. Em caso complicado devem ser utilizados expoentes negativos ou parêntesis. Exemplo: m/s 2 ou m . s -2 mas não m/s/s.

Regras para a escrita dos nomes e símbolos das unidades

Regras para a escrita dos nomes e símbolos das unidades Os símbolos dos prefixos são impressos

Os símbolos dos prefixos são impressos em caracteres romanos direitos, sem espaços entre o símbolo do prefixo e o símbolo da unidade; O conjunto formado pela junção do símbolo de um prefixo ao símbolo de uma unidade constitui um novo símbolo inseparável, que pode se elevado a uma potência positiva ou negativa e que pode ser combinado com outros símbolos de unidades compostas. Exemplo: 1 cm 3 = (10 -2 m) 3 = 10 -6 m 3 outro exemplo:

1 cm -1 =(10 -2 m) -1 = 10 2 m -1 . Não são empregues prefixos compostos, ou seja, formados pela justaposição de vários prefixos. Um prefixo não pode ser empregue sem a unidade a que se refira. Exemplo: 10 6 /m 3 mas não M/m 3 .

Massa específica ou volúmica (ρ)

Massa

específica, ρ,

é

a massa

contida na unidade de

volume. No Sistema Internacional, SI, exprime-se em kg m -3 .

A massa específica da água a 4 °C é ρ = 1000 kg m -3 ; a 20 °C é ρ = 998.2 kg m -3 .

Existem tabelas para a massa específica da água a várias temperaturas.

Peso específico ou volúmico (γ)

Peso específico, γ, é a força que a Terra exerce sobre a unidade de volume.

Entre o peso específico e a massa específica existe a relação fundamental: γ = ρ g.

No Sistema Internacional, o peso específico exprime-se em

Newton por metro cúbico:

N m -3 .

O

peso

específico

da

água

a

4

°C

é

γ = 1000 × 9.8 = 9800 N m -3 .

 

O

peso

específico

da

água,

a

diferentes

temperaturas,

encontra-se tabelado. Nos cursos de água naturais, o peso

específico pode ser maior, devido à existência de material sólido

em

será

aproximadamente

-3 ; em casos de grande

suspensão.

Para

águas

N

m

pouco

turvas,

9900

γ =

Densidade (δ)

Densidade, δ, é a relação entre massa (ou o peso) de determinado volume do corpo considerado e a massa (ou o peso) de igual volume de água à temperatura de 4 °C*. Como resultado da própria definição, δ é adimensional.

A densidade da água, nas referidas condições de pressão e temperatura, é a unidade.

* À temperatura de 4 °C corresponde o máximo de massa específica da água. Nas aplicações correntes, não há grande inconveniente em não precisar a temperatura de referência, uma vez que a massa específica da água só varia de 0.003 quando a temperatura varia entre 4 °C e 25 °C.

Pressão

Num fluído em repouso, a resultante das forças que se exercem sobre uma partícula é nula.

G + I = 0

Pressão Num fluído em repouso, a resultan te das forças que se exercem sobre uma partícula

Pressão

A tensão sobre um elemento de superfície do fluído é normal a esse elemento e, num ponto determinado, idêntica em todas as direcções. Essa tensão designa-se por pressão.

A pressão tem as dimensões de uma força por unidade de superfície. No Sistema Internacional exprime-se em N. m -2 , que toma o nome de Pascal (Pa).

Lei hidrostática de pressões

Em qualquer ponto de um líquido em repouso, obedece à seguinte lei:

p /γ + z = Constante

p – pressão no ponto; γ – peso volúmico do fluído; z – cota geométrica desse ponto em relação a um plano horizontal de referência.

Distribuição de pressões

As superfícies isobáricas, isto é, de igual pressão, são planos horizontais. Assim sendo, as zonas de separação de líquidos imiscíveis são planos horizontais. Com efeito, para p / γ = const.

vem:

z = const.

A diferença de pressão, p A p B , entre dois pontos quaisquer dum líquido em repouso apenas depende da diferença de cotas entre os pontos e do peso específico do líquido:

p A – p B = γ (z B – z A )

Num líquido em equilíbrio, as variações de pressão transmitem- se integralmente a todos os pontos da massa líquida.

Medição da pressão

A pressão, p, pode ser medida tendo como referência a pressão atmosférica local. Chama-se pressão relativa;

A pressão, p, pode ser medida tendo como referência o vácuo absoluto. Chama-se pressão absoluta.

p absoluta = p relativa + p atmosférica local

Medição da pressão

Medição da pressão

Medição da pressão

Medição da pressão

Medição da pressão

A pressão relativa num ponto à profundidade h contada a partir da superfície livre, à pressão atmosférica é:

Frequentemente,

as

equivalente de líquido:

p = γ h

pressões

são

expressas

em

h = p / γ

altura

Manómetros

A medição da pressão num ponto junto da parede de um recipiente pode fazer-se ligando a um orifício na parede (tomada de pressão) um tubo (vertical ou não) em que o líquido entra em contacto com a atmosfera (manómetro simples).

de pressão) um tubo (vertical ou não) em que o líquido entra em contacto com a

Manómetros

Para ampliar (ou reduzir) a coluna de líquido h com que se mede a pressão em A pode usar-se um líquido de peso volúmico γ 1 , inferior (ou superior) ao do líquido contido no recipiente.

em A pode usar-se um líquido de peso volúmico γ 1 , inferior (ou superior) ao

Impulsão hidrostática

Quando o sistema de pressões hidrostáticas sobre uma superfície plana tem como resultante uma única força, essa resultante denomina-se impulsão hidrostática ou simplesmente impulsão;

Só em casos particulares um sistema de forças (paralelas ou concorrentes) admite como resultante uma única força.

Impulsão hidrostática sobre corpos imersos e flutuantes Teorema de Arquimedes

O teorema de Arquimedes define a impulsão exercida por um fluído em repouso sobre um corpo imerso ou flutuante: todo o corpo mergulhado num fluído recebe da parte deste uma impulsão vertical, de baixo para cima, igual ao peso do volume de fluído deslocado.

I =− G

I =−G

Impulsão hidrostática sobre corpos imersos e flutuantes Teorema de Arquimedes

Impulsão hidrostática sobre corpos imersos e flutuantes Teorema de Arquimedes

Impulsão hidrostática sobre superfícies planas

dF

= γ h dA

hidrostática sobre superfícies planas d F = γ h d A I = γ A h
hidrostática sobre superfícies planas d F = γ h d A I = γ A h

I =γ

A h

o

h

=

x sin a

I = γ sin a

A

x dA

A

x dA

=

A xo

I

=

γ A xo sin a

Impulsão hidrostática sobre superfícies planas Centro de impulsão

hidrostática sobre superfícies planas Centro de impulsão X CI = ∫ A x 2 d A
hidrostática sobre superfícies planas Centro de impulsão X CI = ∫ A x 2 d A

X

CI

=

A

x

2

d

A

A

x

2

d

A

 

=

A

x

d

A

X

CI

A

x

o

 

X CI = x o +

I GG ´

A x

o

A

2

x

dA

é o momento de inércia Iy da área plana em relação ao eixo Oy e relaciona-se com o momento de inércia IGG´ da mesma área em relação a um eixo paralelo a Oy mas

passando pelo centro de gravidade: Iy = IGG´ + A x o

2

Impulsão hidrostática sobre superfícies planas (rectângulos) Centro de Impulsão

hidrostática sobre superfícies planas (rectângulos) Centro de Impulsão I = γ A h o CI 2

I =γ

A h

o

CI

2

3

X

=

H

Impulsão hidrostática sobre superfícies planas (rectângulos) Centro de Impulsão

hidrostática sobre superfícies planas (rectângulos) Centro de Impulsão I = γ A h o CI 2

I =γ

A h

o

CI

2

3

X

=

H

Impulsão hidrostática sobre superfícies planas (rectângulos) Centro de Impulsão

superfícies planas (rectângulos) Centro de Impulsão I = γ A h o H h + 2

I =γ

A h

o

H h + 2 h 1 2 X = h 1 + CI 3 h
H
h
+ 2
h
1
2
X
=
h
1 +
CI
3
h
+ h
1
2

Impulsão hidrostática sobre superfícies planas (rectângulos) Centro de Impulsão

superfícies planas (rectângulos) Centro de Impulsão H h + 2 h 1 2 X = x
H h + 2 h 1 2 X = x 1 + CI 3 h
H
h
+ 2
h
1
2
X
=
x
1 +
CI
3
h
+ h
1
2

I =γ

A h

o

Impulsão hidrostática sobre superfícies curvas

A intensidade da componente vertical da impulsão é igual ao peso do volume de líquido delimitado pela superfície premida, pelas projectantes verticais tiradas pelo contorno da superfície e pela superfície livre

I v = γ × Vol.

Impulsão hidrostática sobre superfícies curvas

a componente horizontal da impulsão segundo uma dada direcção (horizontal) é igual à impulsão hidrostática exercida sobre a projecção ortogonal da superfície premida num plano normal à referida direcção

I

h

=γ A h

h

o

Impulsão hidrostática sobre superfícies curvas Centro de impulsão

A linha de acção da impulsão

centro de

assim

gravidade

definido.

vertical

pelo

passa

do

volume

Exercício 1

Considere o esquema representado na Figura. O orifício AB é obturado por uma placa circular de 1,2 m de diâmetro centrada com o orifício. Calcule a impulsão total sobre a placa e o correspondente centro de impulsão.

de diâmetro centrada com o orifício. Calcule a impulsão total sobre a placa e o correspondente

Exercício 1

Considere o esquema representado na Figura. O orifício AB é obturado por uma placa circular de 1,2 m de diâmetro centrada com o orifício. Calcule a impulsão total sobre a placa e o correspondente centro de impulsão.

de diâmetro centrada com o orifício. Calcule a impulsão total sobre a placa e o correspondente
de diâmetro centrada com o orifício. Calcule a impulsão total sobre a placa e o correspondente

Exercício 2

O túnel representado na Figura é fechado por uma comporta rectangular com 1,5 m de largura. Calcular a impulsão exercida sobre a comporta e o respectivo ponto de aplicação.

rectangular com 1,5 m de largura. Calcular a im pulsão exercida sobre a comporta e o

Exercício 2

O túnel representado na Figura é fechado por uma comporta rectangular com 1,5 m de largura. Calcular a impulsão exercida sobre a comporta e o respectivo ponto de aplicação.

rectangular com 1,5 m de largura. Calcular a im pulsão exercida sobre a comporta e o

Exercício 3

A comporta representada na Figura é um quadrante de cilindro com um raio de 2 m e um comprimento de 3 m. Se a profundidade h for de 1 m, determine a impulsão total sobre a comporta e o ângulo que esta faz com a horizontal.

Se a profundidade h for de 1 m, determine a impulsão total sobre a comporta e

Exercício 3

A comporta representada na Figura é um quadrante de cilindro com um raio de 2 m e um comprimento de 3 m. Se a profundidade h for de 1 m, determine a impulsão total sobre a comporta e o ângulo que esta faz com a horizontal.

Se a profundidade h for de 1 m, determine a impulsão total sobre a comporta e

Exercício 4

A comporta AB da Figura tem báscula em A e repousa sobre uma parede vertical, perfeitamente lisa em B. A comporta tem 6 m de comprimento. Com a água ao nível de A, como mostra a Figura, determine as componentes horizontal e vertical sobre a comporta.

Com a água ao nível de A, como mostra a Figura, determine as componentes horizontal e

Exercício 4

A comporta AB da Figura tem báscula em A e repousa sobre uma parede vertical, perfeitamente lisa em B. A comporta tem 6 m de comprimento. Com a água ao nível de A, como mostra a Figura, determine as componentes horizontal e vertical sobre a comporta.

Com a água ao nível de A, como mostra a Figura, determine as componentes horizontal e