Você está na página 1de 36

 

2019 
 

        
IGM428
 

 
 

MANUAL DE USUÁRIO 
      

 
 
 

Manual da Máquina
IGM428

Idioma: Português

Número do documento: 0.11.0003

Data da publicação: 11/2019

Rua Oslo nº: 490 Bairro: Canudos Cidade: Novo Hamburgo – RS

Telefone para contato: +55 (51) 3524 8033

E-mail – maquetec@maquetec.com.br para vendas.

E-mail – projetos@maquetec.com.br para assistência técnica.


 
 
 
ÍNDICE

1. INFORMAÇÕES GERAIS .................................................................................................... 3 
1.1. Sobre a Maquetec ............................................................................................................. 3 
1.2. Sobre o manual ................................................................................................................. 3 
1.3. Termos técnicos ................................................................................................................ 4 
1.4. Sobre a tinta ...................................................................................................................... 5 
1.5. Sobre clichês ..................................................................................................................... 5 
2. INSTALAÇÃO ........................................................................................................................ 7 
3. FUNCIONAMENTO .............................................................................................................. 9 
3.1. Ajustes manuais ................................................................................................................ 9 
3.1.1. Pneumática ..................................................................................................................... 9 
3.1.2. Elétrica ......................................................................................................................... 11 
3.1.3. Mecânicos ..................................................................................................................... 13 
3.2. Descritivo de operação e configuração ......................................................................... 16 
4. MANUTENÇÃO E DIAGNÓSTICO DE PROBLEMAS ................................................. 23 
4.1. Manutenção preventiva ................................................................................................. 23 
4.2. Defeitos do processo produtivo e possíveis causas ....................................................... 23 
4.3. Defeitos do equipamento e possíveis causas ................................................................. 24 
5. OPCIONAIS E ACESSÓRIOS ............................................................................................ 26 
5.1. Dispositivo de deslocamento dos tampões 250mm ...................................................... 26 
5.2. Dispositivo de aperto 3 ................................................................................................... 26 
6. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ........................................................................................ 27 
6.1. Descritivo de segurança ..................................................................................................... 27 
6.2. Esquemas da máquina com pedal, cortina de luz, dispositivo de movimentação dos
tampões 250mm e dispositivo de aperto 3. .............................................................................. 28 
7. TERMO DE GARANTIA .................................................................................................... 33 
8. LISTA DE VERIFICAÇÃO DE TREINAMENTO ........................................................... 34 
8.1. Lista do cliente ................................................................................................................ 34 
8.2. Lista Maquetec – Cópia registro ................................................................................... 35 

 
 
 
1. INFORMAÇÕES GERAIS
 
1.1. Sobre a Maquetec

No mercado calçadista desde 1993, a Maquetec do Brasil iniciou sua trajetória


fornecendo à cadeia coureiro-calçadista equipamentos de apoio para pintura de saltos e
solados. Baseando-se no princípio de inovar para competir, em 2000 a empresa passou a
desenvolver máquinas especiais, oferecendo soluções práticas e inteligentes para a
montagem de uma linha de produção eficiente, econômica e extremamente tecnológica.
Nossos produtos proporcionam a confecção de saltos e solados pintados e facetados
com design diferenciado, seguindo as últimas tendências do mercado da moda.

Localizada no polo produtivo do Vale dos Sinos, precisamente na cidade de Novo


Hamburgo, a empresa conta com uma equipe qualificada e eficaz, pronta para servir
seus clientes com agilidade, qualidade e preços competitivos, atributos estes essenciais
para a exigência de um mercado cada dia mais globalizado. Todo ano temos máquinas
novas e inovadoras, máquinas diferenciadas que fazem operações inéditas. Em 2013,
recebemos um prémio nacional de inovação por reconhecimento de nosso esforço de
sempre estar inovando.

Atualmente, a Maquetec vem inovando em vários setores como o de brindes, frascarias,


em confecção e está trabalhando em outros mercados, pois a Maquetec é especialista em
imagens podendo fazer através de sua tecnologia a colocação de imagens em peças
irregulares e regulares.

1.2. Sobre o manual

Este manual visa introduzir o usuário aos termos técnicos utilizados no ramo da
tampografia e pintura, assim como apresentar o processo de instalação, funcionamento,
as principais características técnicas da máquina, além de identificar alguns problemas e
suas possíveis causas. É sempre importante lembrar que todos os itens relacionados
neste manual, ao ser realizada a compra da máquina, serão repassados através de um
treinamento técnico na empresa do cliente se assim desejado.

Para maiores informações de processo produtivo e características técnicas, acessar o ou


entrar em contato com a empresa que lhe forneceremos o suporte necessário.
Acesse: www.maquetec.com.br
Ligue: +55 (51) 3524 8033

 
 
 
1.3. Termos técnicos

Tampografia: O processo conhecido como tampografia se constitui basicamente em


uma impressão indireta em baixo relevo, no qual a tinta é transferida de um clichê para
um tampão e deste para um determinado material, com ou sem relevo, a ser pintado.

Tampão: Pode ser descrito de forma simples como uma almofada de silicone, podendo
variar suas características como durabilidade, elasticidade, entre outras. É utilizado para
efetuar a transferência da tinta depositada em um clichê para uma peça a ser pintada.
Como as peças podem variar suas formas, o mesmo acontece com os tampões.

Dureza: É uma das características do tampão. Deve-se ter muito cuidado com ela pois é
ela que informa a macies do material, ou seja, para cada tipo de peça há uma
determinada dureza associada. A dureza é medida em “Shores”.

Clichê: É uma matriz onde será depositada a tinta para a captação. É gravado em baixo
relevo podendo ser nos seguintes materiais: Aço, lâmina de aço e fotopolímero (mais
utilizado). Este muitas vezes é conhecido por “chapa” ou “arte”.

Captação: É o momento no qual o tampão encosta no clichê para captar a tinta.

Batida: É o momento no qual o tampão encosta na peça efetuando a impressão.

Tinteiro: Existem alguns tipos de tinteiros. O utilizado na máquina é o tinteiro fechado


ou selado. Este consiste em um recipiente fechado como uma lâmina de raspagem de
tinta interna (“anel de raspagem”), geralmente em formato cilíndrico. O anel de
raspagem geralmente é feito em cerâmica para maior durabilidade. É utilizado para
efetuar a raspagem da tinta sobre o clichê depositando a tinta sobre o mesmo. Também é
conhecido como “copo”.

IHM: Interface homem-máquina. Constitui a tela e os botões nos quais o usuário efetua
os procedimentos e configurações da máquina.

Referência: É o processo no qual a máquina busca o ponto de início de seu


funcionamento.

Bi manual: Sistema de dois botões no qual o acionamento da máquina apenas acontece


se os dois botões forem pressionados ao mesmo tempo.

 
 
 
1.4. Sobre a tinta

A tinta é um componente muito importante para o processo de tampografia. Abaixo


seguem algumas observações para serem verificadas.

Deve ser solicitado ao fornecedor de tinta que ela seja sempre enviada com a mesma
viscosidade e composição (após aprovação). Estes detalhes são muito importantes, pois
interfere diretamente no vazamento de tinta e qualidade do processo.

A temperatura ambiente deve ser padrão durante a produção (em torno de 22°) para que
seja mantido um padrão de cor e tempo de secagem.

A mistura da tinta (% de diluente rápido ou lento) deve ser padrão em todos os copos de
tinta. Manter o padrão é muito importante, pois interfere diretamente no vazamento de
tinta dos copos e também na secagem da mesma.

OBS.: Sempre utilizar tintas e solventes do mesmo fornecedor, pois do contrário o


procedimento de impressão não funciona corretamente

Ex.: Tinta do fornecedor A e solvente lento e rápido fornecedor A e não fornecedor


de tinta A e solvente lento e rápido do fornecedor B.

O parafuso localizado na parte superior dos copos de tinta deve ser retirado durante o
processo de acionamento do “movimentador de copos”, porém durante a produção, o
mesmo deverá permanecer fechado para que o solvente da tinta não evapore com
facilidade, mantendo-a sempre com a mesma viscosidade. O processo de movimentação
de copos deve ser sempre acionado quando efetuado uma troca de tinta ou clichê.

Mantendo estes cuidados em relação tinta será mantida uma boa qualidade do processo.

1.5. Sobre clichês

Os clichês devem receber uma devida atenção pois são de fundamental importância para
uma boa qualidade de impressão. Abaixo segue um possível problema que ocorre no
procedimento tampográfico e que se deve ter cuidado para que não ocorra:

 
 
 
Este problema acontece quando, em uma troca de clichê ou tinta, o clichê fica com
resíduos (sujeira, pó, tinta seca, etc.) na parte de baixo, com isso, quando o copo efetua
o movimento de raspagem, danifica o clichê, não sendo possível recuperá-lo, podendo
ocasionar vazamento de tinta dos copos.

 
 
 
2. INSTALAÇÃO

A máquina deve ser ligada em uma rede com tensão de 220 Vac monofásica em 60 Hz.

O plugue da ligação de energia conta com a seguinte especificação: 3 polos, posição


pino terra 6h, tensão nominal de 220 V monofásico e corrente nominal de 32 A (padrão
IEC60309).

É OBRIGATÓRIO O ATERRAMENTO DA MÁQUINA.


O NÃO ATERRAMENTO PODE CAUSAR RISCOS DE CHOQUE ELÉTRICO E
MAU FUNCIONAMENTO.

Ar comprimido para a entrada da unidade filtrante com tubo 12mm. A pressão do ar


deve ser estabilizada em 8 bar (cerca de 130 psi).

Devem ser enviados modelos dos produtos a serem tampografados para a Maquetec,
para que seja verificado com antecedência se há necessidade de algum tampão ou
gabarito especial. Caso não seja necessário, devem ser confeccionados os gabaritos de
batida fixa padrões conforme modelo do equipamento. São indispensáveis os gabaritos
para que seja efetuado treinamento. Este material deve ser enviado junto com a máquina
para que esteja a disposição para a instalação.

O equipamento deve ser instalado em um ambiente limpo e fechado, com temperatura


ambiente estável (em torno de 22°C) para que seja mantido um padrão da cor e
viscosidade da tinta, mantendo assim a qualidade do processo produtivo.

 
 
 
Após a chegada do equipamento na empresa e efetuadas as solicitações listadas acima,
entrar em contato com o setor técnico da empresa Maquetec, para marcar a instalação e
treinamento operacional da mesma.

O equipamento deve estar já no local onde será instalado, porém deve permanecer
embalado, para que não interfira na garantia do mesmo.

De preferência se faz necessária uma bancada para armazenamento de copos, clichês e


tintas para efetuar a troca de tinta e limpeza dos clichês.

Tintas e solventes adequados para tampografia. Se necessário indicamos os


fornecedores destes componentes, como também panos para auxiliar na limpeza.

 
 
 
3. FUNCIONAMENTO

3.1. Ajustes manuais

3.1.1. Pneumática

Para os ajustes da parte pneumática, tem-se primeiramente a regulagem de pressão de ar


na entrada da máquina. Para isto, temos um filtro com regulador de pressão e
lubrificador acoplado. Este deve ter o óleo regularmente verificado e ajustado para uma
gota a cada 30 ciclos da máquina.

Também há um filtro com regulador específico para o ar de secagem, tendo em vista


que para este procedimento não pode existir óleo. Ambos os reguladores devem ser
ajustados para a pressão de 8 bar.

Na parte inferior da máquina há um regulador de fluxo de ar, que serve para controlar o
nível do processo de secagem.

 
 
 
Na parte interna da máquina existem outros itens com regulagens especificas. Um deles
é o regulador de pressão que controla a força exercida sobre os copos de tinta sobre os
clichês.

Se a máquina conter algum dispositivo de aperto de peças é possível que seja


encontrado também um regulador de pressão com um lacre. Este serve para que o aperto
exercido sobre a peça enquanto o operador a posiciona não haja esmagamento.

Este mesmo dispositivo de aperto poderá ser acionado via válvula alavanca posicionada
na parte frontal da máquina.

Os cilindros de movimentação contam com um sistema de amortecimento, para que não


ocorram colisões bruscas durantes o funcionamento da máquina. Para efetuar esta
regulagem de amortecimento basta utilizar uma chave do tipo Allen para aumentar ou
diminuir o amortecimento.

10 

 
 
 

Os cilindros podem ter suas velocidades variadas. Para efetuar os ajustes de acordo com
o processo desejado basta ajustar os reguladores de vazão com silenciadores que se
encontram na parte de trás das válvulas dos cilindros de movimentação.

 
3.1.2. Elétrica

Para a parte elétrica, primeiramente conecte máquina na tomada e aciona a chave de


segurança na parte lateral da máquina.

Para ligar a máquina basta pressionar a chave geral na parte frontal da máquina. Para
pôr a máquina em funcionamento, deve-se destravar o botão de emergência. Basta gira-
lo no sentido horário.

11 

 
 
 

Também deve ser verificada a posição dos sensores das portas laterais. Para o
funcionamento adequado elas devem estar de acordo com a foto abaixo:

Se os sensores estiverem posicionados adequadamente, os três leds do relé de segurança


deverão estar acesos.

Além disto antes de referenciar a máquina, se a mesma conter cortina de luz, esta deve
estar alinhada de modo a acender a luz indicadora na cor verde. Caso não esteja
alinhada, a luz indicadora irá permanecer vermelha.

Quando a cortina de luz ficar verde, o relé de segurança da mesma irá acionar dois leds.
Para que a máquina referência, deve-se também pressionar o pedal de modo a “rearmar”
o relé da cortina de luz.

12 

 
 
 
Se a máquina efetuar algum movimento e parar quando não deveria, o sensor de
movimentação da mesma pode ter saído do lugar adequado. Ele se encontra na parte
interior da máquina. O seu ajuste pode ser feito através de um parafuso na parte superior
de uma das hastes de movimentação vertical do cilindro.

3.1.3. Mecânicos

Regularmente deve-se aplicar graxa azul ou vermelha nas hastes guias dos cilindros de
movimentação.

A mesa pode ser movimentada em dois eixos através dos volantes que se encontra na
parte inferior da máquina. Os fusos (eixos) destes volantes também devem ter aplicação
de graxa.

Os gabaritos são fixados na mesa através de suportes adequados.

13 

 
 
 

Os dispositivos de deslocamento contam com um regulador de batente. Segue imagem:

Para colocar os copos de tinta com os clichês deve-se afrouxar os manípulos de aperto
da chapa de aço dos clichês, puxar o sistema de travas, e girar o manípulo para levantar
o conjunto guia dos copos.

A máquina estará sem nenhuma peça, como mostra a imagem abaixo:

14 

 
 
 
Abaixo segue a imagem da montagem da chapa de aço com os chichês e com os copos
de tinta. Primeiro deve-se desparafusar da chapa as presilhas dos clichês. Em seguida,
posicionar os clichês sobre as chapas e colocar tinta nos copos (lembrar de limpar tanto
os clichês quanto os copos). Depois deve-se virar o clichê sobre o copo de tinta e girar
todo o conjunto.

Colocar as chapas na máquina com o conjunto guia de copos na posição superior.

Pressionar os parafusos para prender a chapa a máquina, puxar o sistema de trava e girar
a manopla empurrando o sistema de guia de copos para baixo. O conjunto estará
montado.

15 

 
 
 

Para a montagem dos tampões, primeiramente se deve prender o mesmo ao pino de


suporte. Após, prender o pino ao carro do tampão e prender os carros ao conjunto guia
dos tampões na máquina.

3.2. Descritivo de operação e configuração

Após efetuar todos os ajustes que se encontram nos itens anteriores deste manual, deve-
se efetuar os procedimentos abaixo para colocar a máquina em operação e iniciar a
produção.

Primeiramente prepare a tinta na quantidade necessária, fazendo uma diluição de acordo


com o padrão adotado para o modelo de peça a ser tampografada.

Separar os modelos de artes e fixa-las nas chapas, assim como fixar os determinados
gabaritos na mesa.

Ligar a máquina na chave “Geral” e pressionar em qualquer lugar da tela inicial para
então ir para a próxima etapa.

Pode-se verificar que nos cantos superiores esquerdos das telas encontram-se alguns
indicadores de estado da máquina. O item “Referência”, indica se a máquina passou
pelo processo de referência com sucesso. Se sim, indicara na cor verde, se não na cor
vermelha. O item “Emergência” indicar a liberação do botão de emergência e o
fechamento de portas com sensores. O item “Pedal/Cort.”, indica o estado do relé da
16 

 
 
 
cortina de luz. Mesmo que a cortina de luz esteja com a luz verde acionada, o relé
continuará desarmado até que seja pressionado o pedal. Este último item deve estar na
cor verde para qualquer funcionamento da máquina.

3.2.1. Tela inicial

Ao ligar a máquina, irá aparecer uma tela com o logo da Maquetec. Pressione nesta tela
para dar prosseguimento.

3.2.2. Menu principal

Na tela de menu, é possível escolher os processos que a máquina irá executar. Em


seguida cada um deles será melhor explicado.

17 

 
 
 
3.2.3. Referência

Ao pressionar na IHM o item “Referência”, se todos os requisitos de segurança


estiverem adequados, a máquina irá se posicionar no seu ponto zero. Durante a
movimentação irá aparecer na tela a mensagem “Referenciando máquina...”, sendo que
ao chegar na referência irá aparecer a mensagem “Máquina referenciada”. Pressione a
tecla menu e retorne para o Menu Principal. Repare que se deve pressionar o pedal para
rearmar o relé da cortina de luz.

3.2.4. Teclas JOG

Nesta tela é possível efetuar todas as movimentações de cilindros sendo utilizada para
regulagem de posicionamento, alturas de captação e carimbo.

AV. HORIZONTAL ON/OFF – Move o cilindro horizontal para frente.


RC. HORIZONTAL ON/OFF – Move o cilindro horizontal para trás.
RC. VERTICAL ON/OFF – Move o cilindro vertical para cima.
AV. VERTICAL ON/OFF– Move o cilindro vertical para baixo.
RC. MESA X ON/OFF – Move o cilindro de deslocamento dos tampões.
AV. MESA X ON/OFF– Move o cilindro de deslocamento dos tampões.
COPO ON/OFF– Aciona a pressão em cima dos copos de tinta.
18 

 
 
 
SECAGEM ON/OFF– Aciona o sistema de secagem.
MENU – Retorna ao Menu Principal.

3.2.5. Move copos

Nesta tela é efetuada a regulagem de tempo (em segundos) para movimentação de


copos. Esta movimentação serve para misturar a tinta antes de iniciar o processo de
tampografia.

Tempo de Movimentação – Tempo entre o avanço e recuo dos copos.


MOVIMENTAR/PARAR – Faz a máquina movimentar os copos para frente e para trás.
MENU – Retorna ao Menu Principal.

3.2.6. Configurações

No item configurações, encontram-se todas as telas nas quais é possível fazer a


configuração geral da máquina. Para acessar esta função há uma senha (senha padrão
112233).

Na primeira tela encontram-se os acionamentos de sensores em relação as entradas do


controlador da máquina.

19 

 
 
 

Relé Emergência – Entrada referente ao acionamento do relé de emergência.


Relé Cortina de Luz – Entrada referente ao acionamento da cortina de luz.
Acionamento – Entrada referente ao acionamento do pedal.
Sensor Posição – Sensor indutivo de posição localizado dentro da máquina.
MENU – Retorna ao Menu Principal.
PRÓXIMA – Avança para a próxima página de configurações.

AV. HORIZONTAL ON/OFF – Move o cilindro horizontal para frente.


RC. HORIZONTAL ON/OFF – Move o cilindro horizontal para trás.
RC. VERTICAL ON/OFF – Move o cilindro vertical para cima.
AV. VERTICAL ON/OFF– Move o cilindro vertical para baixo.
RC. MESA X ON/OFF – Move o cilindro de deslocamento dos tampões.
AV. MESA X ON/OFF– Move o cilindro de deslocamento dos tampões.
COPO ON/OFF– Aciona a pressão em cima dos copos de tinta.
MENU – Retorna ao Menu Principal.
ANTERIOR – Retorna para a página anterior de configurações.
PRÓXIMA – Avança para a próxima página de configurações.

20 

 
 
 

T. espera captação – Tempo em que o tampão espera na posição antes de efetuar a


captação de tinta do clichê.
T. captação – Tempo que o tampão permanece pressionando o clichê.
T. secagem – Tempo de secagem de tinta antes de efetuar o carimbo na peça.
T. carimbo – Tempo em que o tampão permanece pressionando a peça.
T. mesa X – Tempo em que o cilindro dos tampões irá se deslocar para os lados.
T. Rc. Vert. Ref. – Tempo recuo vertical durante o processo de referência.
T. Av. Vert. Ref. – Tempo avanço horizontal durante o processo de referência.
T. move copos – Tempo entre o avanço e recuo dos copos.
MENU – Retorna ao Menu Principal.
ANTERIOR – Retorna para a página anterior de configurações.
PRÓXIMA – Avança para a próxima página de configurações.

3.2.7. Sobre a máquina...

Esta tela mostra todas as informações sobre o conteúdo da máquina, ou seja,


informações como versionamentos de programas, esquemas elétricos, pneumáticos entre
outros. Isto serve para que em caso de manutenção ou suporte telefônico torne a tarefa
mais produtiva, sendo que o operador apenas deve informar o que aparece nesta tela
para que o técnico de atendimento possa saber de que máquina se trata.

21 

 
 
 

MENU – Retorna ao Menu Principal.

3.2.8. Processo

Nesta tela é realizado o processo de tampografia. Ela conta com a regulagem de tempos,
um contador de produção, entre outros acionamentos.

T. espera captação – Tempo em que o tampão espera na posição antes de efetuar a


captação de tinta do clichê.
T. captação – Tempo que o tampão permanece pressionando o clichê.
T. secagem – Tempo de secagem de tinta antes de efetuar o carimbo na peça.
T. carimbo – Tempo em que o tampão permanece pressionando a peça.
T. mesa X – Tempo em que o cilindro dos tampões irá se deslocar para os lados.
RESET – Zera o valor do contador de produção.
COPO ON/OFF – Aciona a pressão em cima dos copos de tinta.
1/2 CARIMBO – Escolha pintura de uma cor ou duas cores.
MENU – Retorna ao Menu Principal.

22 

 
 
 
4. MANUTENÇÃO E DIAGNÓSTICO DE PROBLEMAS

4.1. Manutenção preventiva

Efetuar a limpeza do equipamento semanalmente (resíduos de tinta, pó, etc.).

Verificar semanalmente o nível de óleo e efetuar a sangria do filtro sempre que o


mesmo apresentar algum resíduo da rede pneumática. Óleo recomendado ISO VG 32
SAE-10.

Verificar a regulagem de quantidade de óleo que é adicionada na rede pneumática da


máquina. Esta regulagem é feita através do registro localizado acima do copo de óleo do
lubrifil, sendo o recomendado cerca de 30 processos da máquina para cada gota de óleo.

Se um clichê ficar sem uso por mais que dois dias, lubrificá-lo com óleo, graxa ou
anticorrosivo.

Efetuar regularmente a lubrificação das hastes e trilhos de movimentação vertical e


horizontal com graxa azul ou vermelha (para rolamentos).

É indispensável efetuar a manutenção preventiva, pois com ela o equipamento se


mantém limpo e lubrificado. Com isso, seus componentes tem a maior vida útil possível
e o risco manutenção corretiva é muito pequena, como a troca de componentes
pneumáticos, mecânicos, elétricos.

4.2. Defeitos do processo produtivo e possíveis causas

Durante o processo acontece vazamento em demasia de tinta dos copos tinteiros.

- Verificar a viscosidade da tinta, esta é importante, deve ser sempre um padrão de


viscosidade, tanto no recebimento da tinta pelo fornecedor quando se necessário na sua
diluição.
- Analisar a posição do copo de tinta em relação ao desenho da chapa, no momento em
que o sistema dos copos estiver avançado o desenho deverá estar nas limitações do
anel, pois como o desenho se trata de uma corrosão, se o fio estiver sobre o mesmo
acontecerá o vazamento.

No momento em que o tampão efetua a captação de tinta, a mesma não é efetuada com
qualidade ou não mantém um padrão de captação.

- Quando a captação não está ocorrendo de forma uniforme, deve-se verificar se no


momento do pressionamento do silicone (tampão), o mesmo não está sendo feito

23 

 
 
 
demasiadamente, lembrando que o pressionamento deve ser somente o necessário para
captar uma área de tinta uniforme. Verifique os manípulos laterais da máquina, para
que não pressionem o tempão demais.
- Se o tampão nunca foi utilizado, efetuar a limpeza e preparação do mesmo.
- Se a tinta foi diluída corretamente, se no momento da captação o desenho ficar
“borrado”, a mesma deve estar com secagem muito lenta, ou se a captação apresentar
falhas ou com pouca tinta, a tinta está com o processo de secagem muito acelerado.

Quando o tampão efetua a batida na peça a ser tampografada, o desenho fica borrado ou
sem definição.

- Verificar o tempo de secagem. Este tempo deve estar muito baixo, para depositar a
tinta na peça a mesma deve estar praticamente seca no silicone. Se necessário utilizar o
auxílio do sistema de ar de secagem.

Quando o tampão efetua a batida na peça a ser tampografada, a mesma fica com falhas
ou não mantém um padrão de produção.

- Verificar o tempo de secagem, no parâmetro “Tempo Secagem”. Este tempo deve


estar muito alto. Ou diminuir o fluxo de ar do sistema de secagem.

A peça não está sendo tampografada em todo perímetro desejado.

- Verificar o manipulo lateral de regulagem de carimbo. Para envolver a peça, é


preciso que este esteja bem regulado, para que o tampão não sofra um esforço grande,
diminuindo assim seu tempo de vida. Se necessário, efetuar a troca do mesmo por outro
modelo, para que assim se obtenha o melhor resultado.

4.3. Defeitos do equipamento e possíveis causas

O equipamento não liga.

- Verificar tensão de entrada do equipamento. A mesma deve ser 110Vac ou 220Vac.


- Verificar se a chave de segurança está acionada.

O equipamento não está referenciando.

- Verificar se o botão de emergência está acionado.


- Verificar a pressão de ar da máquina. O ideal é em torno de 8 BAR (+- 135psi ).
- Verificar se as portas estão fechadas.
- Verificar se há algum componente mecânico obstruindo o deslocamento dos cilindros.
- Verificar se a cortina de luz não está obstruída e acionar o rearme através do pedal.

24 

 
 
 

O equipamento não efetua movimentos nas teclas jog ou não inicia um processo de
produção.

- Verificar se o equipamento está referenciado.


- Verificar a pressão de ar da máquina. O ideal é em torno de 8 BAR (+- 135psi ).

Ao efetuar uma captação ou batida, o equipamento avança, porém não retorna.

- Verificar os manípulos na lateral da máquina.

O equipamento não efetua movimento para a segunda batida.

- Verificar se as mangueiras de ar não estão invertidas.


- Verificar se os controladores de fluxo das mangueiras de ar não estão fechados.
- Verificar se o equipamento está referenciado.

O equipamento se perde nos movimentos.

- Verificar a velocidade da máquina. Se a mesma estiver muito alta é possível que não
esteja dando tempo para acionar o sensor de posição..

25 

 
 
 
5. OPCIONAIS E ACESSÓRIOS

5.1. Dispositivo de deslocamento dos tampões 250mm

Utilizado para pintar duas cores em uma peça.

5.2. Dispositivo de aperto 3

Utilizado para prender peças juntamente com gabaritos específicos.

26 

 
 
 
6. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

6.1. Descritivo de segurança

A máquina pode possui os seguintes sistemas de segurança dependendo dos acessórios:

Sensores nas portas móveis monitorados por relé.


Botão de emergência monitorado por relé.
Cortina de luz monitorada por relé.
Chave seccionadora de segurança.
Pedal com proteção.

Funcionamento:

Caso o operador pressione o botão de emergência ou abra uma das portas laterais
monitoradas, o relé de segurança bloqueia o funcionamento das válvulas pneumáticas
inibindo todo e qualquer acionamento da máquina, cancelando o ciclo da mesma. Para
reiniciá-la, o operador deve acessar através IHM a página de referência, que habilita o
relé de segurança liberando todo sistema para um novo ciclo. Tanto o botão de
emergência quanto os sensores das portas laterais são providos de dois contados cada,
para redundância de sinais.

Caso o operador interrompa a cortina de luz durante o processo de pintura, todos os


movimentos da máquina serão interrompidos, precisando que o operador desobstrua o
feixe de luz a pressione o pedal para rearmar o relé de segurança novamente. Ao fazer
isso a máquina finaliza o ciclo de pintura começando de onde parou anteriormente.

Para máquina ser referenciada, o CLP monitora dois sinais de entrada, sendo um do relé
de segurança dos sensores e emergência e o outro sinal do relé da cortina de luz.

Para eventuais manutenções preventivas e corretivas deve ser desligada a chave elétrica
geral, objetivando a interrupção total de energia e proteção contra possíveis choques
elétricos.

Abaixo seguem os esquemas elétrico e pneumático para melhor compreensão.

27 

 
 
 
6.2. Esquemas da máquina com pedal, cortina de luz, dispositivo de movimentação
dos tampões 250mm e dispositivo de aperto 3.

28 

 
 
 

29 

 
 
 

30 

 
 
 

31 

 
 
 

32 

 
 
 
7. TERMO DE GARANTIA

Termo de Garantia:

Máquina: IGM428

Data: ___/___/______ NF: _____________________ Nº. Série: _____________

Todos os equipamentos fabricados pela Maquetec do Brasil, são garantidos pelo período
de 6 meses a partir da data do faturamento. Esta garantia cobre a reposição gratuita de
peças postas em nossa fábrica, que em condições normais de funcionamento,
apresentem falhas de material ou de fabricação.

Os produtos cobertos por essa garantia devem retornar a fábrica ou distribuidor


autorizado, com frete pago, e devem ser recebidos dentro do período de garantia.

Não serão repostos nem consertados em garantia, os produtos que forem avariados por
uso indevido ou descumprimento do manual de instruções. Esta garantia não se aplica
também as perdas e danos resultantes de acidentes, tumultos, questões trabalhistas, atos
de força maior e outras causas que fujam ao controle da Maquetec do Brasil. Não serão
levados em consideração os custos resultantes de serviços executados ou consertados
por terceiros.

Nota: Para que esta garantia seja válida, certifique-se da correta instalação de seu
produto. Em caso de dúvida, consulte a fábrica ou um distribuidor autorizado da
Maquetec do Brasil.

33 

 
 
 
8. LISTA DE VERIFICAÇÃO DE TREINAMENTO

8.1. Lista do cliente

Lista de verificação de treinamento IGM428

__ Processo de tampografia no geral


__ Monitoração pressão de entrada
__ Sistema de segurança: regras e conscientização
__ Funcionamento operacional (telas e procedimentos operacionais)
__ Troca de clichê
__ Movimentador de copos
__ Cuidados com o manuseio dos copos, tampões e clichês
__ Limpeza dos clichês com produto adequado
__ Cuidados na confecção dos gabaritos
__ Preparação de tinta e seus agravantes
__ Limpeza de copos
__ Reforma de tampões
__ Procedimento de pedido de clichês e tampões
__ Manutenção preventiva
__ Lubrificação pneumática
__ Acompanhamento de produção de amostras
__ Sempre utilizar tintas e solventes do mesmo fornecedor, pois do contrário o
procedimento de impressão não funciona corretamente

Confirmo que recebi o laudo de segurança impresso e o treinamento dos itens


assinalados acima e estou ciente da importância da não violação dos dispositivos de
segurança e as consequências que isto acarretaria caso o faça. Confirmo também
(responsável) que estou ciente que caso troque os operadores da máquina devo
passar este treinamento a estes, principalmente do sistema de segurança.

Assinatura Responsável 1: _________________________________________________


Assinatura Responsável 2: _________________________________________________
Assinatura Operador 1: ___________________________________________________
Assinatura Operador 2: ___________________________________________________
Empresa: ______________________________________________________________
Data: __________________________ Número de Série: ___________________

34 

 
 
 
8.2. Lista Maquetec – Cópia registro

Lista de verificação de treinamento IGM428

__ Processo de tampografia no geral


__ Monitoração pressão de entrada
__ Sistema de segurança: regras e conscientização
__ Funcionamento operacional (telas e procedimentos operacionais)
__ Troca de clichê
__ Movimentador de copos
__ Cuidados com o manuseio dos copos, tampões e clichês
__ Limpeza dos clichês com produto adequado
__ Cuidados na confecção dos gabaritos
__ Preparação de tinta e seus agravantes
__ Limpeza de copos
__ Reforma de tampões
__ Procedimento de pedido de clichês e tampões
__ Manutenção preventiva
__ Lubrificação pneumática
__ Acompanhamento de produção de amostras
__ Sempre utilizar tintas e solventes do mesmo fornecedor, pois do contrário o
procedimento de impressão não funciona corretamente

Confirmo que recebi o laudo de segurança impresso e o treinamento dos itens


assinalados acima e estou ciente da importância da não violação dos dispositivos de
segurança e as consequências que isto acarretaria caso o faça. Confirmo também
(responsável) que estou ciente que caso troque os operadores da máquina devo
passar este treinamento a estes, principalmente do sistema de segurança.

Assinatura Responsável 1: _________________________________________________


Assinatura Responsável 2: _________________________________________________
Assinatura Operador 1: ___________________________________________________
Assinatura Operador 2: ___________________________________________________
Empresa: ______________________________________________________________
Data: __________________________ Número de Série: ___________________

35