Você está na página 1de 4

A IMPORTANCIA DA ARTE NO DESENOLVIMENTO HUMANO

RESUMO: Este artigo relata que o indivíduo desenvolve senso de estética, sensibili
dade e criatividade.
A arte sem dúvida, foi à primeira forma de expressão do homem. Isso pode ser constatad
o nas figuras gravadas e desenhadas nos rochedos e interiores das cavernas pelos
homens primitivos. Ele representava através da pintura, cenas de seu cotidiano co
mo: caçadas, animais, etc.
Utilizava-se de materiais como: seiva de plantas, sangue e gorduras de animais,
ovos, e às vezes até os excrementos dos animais.
Além da pintura, ele deu formas esculturais em pedras, marfim, barro e ossos de an
imais.
PALAVRAS-CHAVE: Arte, Cultura, Sonhos, Esculturas.
INTRODUÇAO
Na idade contemporânea a figura da mulher geralmente era apresentada com as formas
do corpo muito avolumadas, parecendo desproporcional, isto visava mostrá-la como
fonte geradora de vida e perpetuadora da espécie, sendo considerada a primeira Vênus
que o ser humano representa.
Atualmente, a arte tem grande importância, na vida dos povos, e nas suas mais dive
rsas manifestações, tem sido alvo de estudos e pesquisas, tanto na estética, quanto na
origem humana. E também ficou comprovado que a educação através da arte tem realizado i
números progressos que beneficiam o homem e visa o desenvolvimento de uma personal
idade integrada e harmoniosa.
A arte possibilita o encontro do ser consigo mesmo, de si com os outros, e com a
totalidade da realidade humana.
Deve ser provocadora da capacidade de observação dos fenômenos ao redor, e estimular a
exteriorização dos sentimentos. Ela constitui uma possibilidade, para os alunos exe
rcitarem suas co-responsabilidades, pelos destinos de uma vida cultural individu
al e coletiva, sem exclusão e preconceitos.
A área de arte deve permitir aos alunos, não apenas criar produtos artísticos, mas tam
bém aprecia-los, examina-los e avalia-los.
Também é preciso que eles entendam a importância da produção artística e superem a idéia de
e , quando desenham, cantam, dançam, ou encenam uma peça de teatro estão se distraindo
da seriedade das outras disciplinas.
A melhor maneira de tornar a arte uma disciplina tão consistente como qualquer out
ra é indicar como as manifestações artísticas estão presentes no cotidiano, como nas ruas,
vitrines, roupas, etc. Os conceitos e habilidades desenvolvidos nas aulas, de e
ducação artística são necessários para entender e usufruir o mundo que nos cerca.
Com o Universo da Arte os alunos podem conhecer:
- O fazer artístico como experiência poética.
- O fazer artístico como desenvolvimento de potencialidades
- O fazer artístico como experiência de interação
- O objeto artístico como produção cultural.
A aprendizagem artística envolve um conjunto de diferentes tipos de conheci
mentos que visam à criação de significações, exercitando a capacidade e constante possibil
idade de transformação do ser humano. Além disso, trabalhar com a arte como produção de si
gnificações que se transformam no tempo e no espaço permite contextualizar a época em qu
e se vive na sua relação com as demais.
A arte é modo privilegiado de conhecimento e aproximação entre indivíduos de culturas di
stintas, pois ajuda no reconhecimento de semelhanças e diferenças expressas nos prod
utos artísticos e concepções estéticas, que vai além do discurso verbal.
Uma criança da cidade, ao observar uma dança indígena, irá absorver muito mais sobre o s
ignificado, do que tivessem feito um comentário, e vice-versa.
A arte tem uma função importante a cumprir, fazer com que o homem histórico brasileiro
conheça sua arte, e também a universalização da mesma, e que, mesmo que passem os anos,
a arte estará presente em sua vida, e em todos os tempos.
Mais do que qualquer outra matéria, o ensino da arte pede, que se estimule a criat
ividade natural das crianças.
Por exemplo: quando brinca,a criança desenvolve atividades rítmicas, melódicas, fanta
sia-se de adulto, produz desenhos, danças, inventa histórias, e essa criatividade na
tural deve ser aproveitada. Ainda não se tem uma definição rígida da arte na escola. Por
isso, o professor aplica suas atividades conforme o repertório cultural que a cri
ança traz à escola.
A Arte Visual tem um estilo próprio a ser ensinada para cada aluno.
É através das expressões, e comunicações que atribui o sentido e sensações relacionadas com
artistas plásticos, que produzem diversas artes na sociedade, e na vida dos indivíd
uos. As artes visuais estão presente no cotidiano da criança, quando ela faz um des
enho, ou até mesmo um rabisco, estará sempre representando uma arte visual.
Para a criança, tudo que ela passa para o papel, é o seu sentimento, e é a sua forma d
e expressão que vem do seu interior pessoal.
Todo educando deverá ser possuidor de uma técnica bastante abrangente, para poder en
volver as crianças no mundo artístico, fazendo com que essas crianças possam vir a se
sentir bem à vontade e dispostas, a expor suas artes com a maior naturalidade possív
el.
Fazendo seus desenhos e pinturas, modelando objetos, dando forma e origem a imag
inação dessas crianças, tudo para elas tem sentido, e ficará em suas histórias para serem
lembradas.
O professor utilizará diversos materiais gráficos e plásticos sob diferentes superfícies
, para ampliar suas possibilidades de expressões e comunicações.
Para um professor avaliar Artes Visuais, ele deverá levar em consideração toda intenção e
desenvolvimento dos desenhos, que esta criança faz. Só assim poderá possuir mais conhe
cimentos, e dar valor a sua auto-estima, para dar continuidade a seu trabalho, a
ssim irá se tornar um indivíduo crítico e consciente, possuidor de novas conquistas e
determinações, e sabendo que o professor sempre irá observar seu desenvolvimento.
Toda e qualquer instituição de ensino, poderá organizar sua prática de aprendizagem em a
rte, garantindo oportunidade para essas crianças de ampliar seus conhecimentos de
mundo, com diferentes objetos e materiais a serem manipulados, explorados, com
suas características e possibilidades de manuseio.
Para cada fase, a criança deverá ter os objetos estabelecidos, para que elas possam
se interessar pelas próprias produções ,e pelas diversas obras artísticas , assim elas p
roduzirão artes utilizando-se da linguagem e criação do conhecimento.
A Dança é uma arte milenar, e desde a antiguidade, ouvimos falar nela.
Dançar faz parte de diversas culturas humanas e religiosas, e se torna
m uma forma harmoniosa de se expressar com o corpo em movimento,e se utiliza d
ela para buscar conhecimentos de si mesmos e daquilo que os rodeiam.
A atividade física é a forma de aprendizagem da criança estando ligada a atividade me
ntal. Ela não pratica dança simplesmente pelo dom de dançar, mas sim pelos gestos e co
reografias que a dança produz, com maior liberdade de expressar, e adquirir melhor
mobilidade e liberdade.
A ação da dança na escola é uma atividade que poderá desenvolver na criança a compreensão d
ua capacidade do movimento que o corpo produz , no desenvolvimento de movimentos
do corpo, e da autonomia da criança estar segura que a dança produz conhecimento,ha
bilidade e liberdade.
Ao planejar as aulas, o professor deve considerar o desenvolvimento motor da cri
ança, observar suas ações físicas e habilidades naturais, devendo assim estimular, consc
ientizar, e ampliar a potencialidade do aluno, reconhecer os ritmos corporais e
externos, inventar seqüências de movimentos, explorar a imaginação das crianças.
É preciso estimular o aluno a ter imaginação, buscando dar forma e sentido a arte de d
ançar, como também poderá observar e apreciar suas atividades, e deixar fluir sua sens
ibilidade, capacidade, individualidade e qualidade estética e corporal que a dança p
roduz a cada indivíduo.
Para fazer uma avaliação diagnóstica, é necessário que seja escolhido o tema que faça parte
da realidade da criança, e experiências vividas por elas.
Deverão ser reconhecidas as diferentes conjunturas corporais que formam a articul
ação do gesto da dança. Ao observar e analisar as características do corpo explorando-os
no plano de aproximar o piso até a posição do pé.
O reconhecimento e experimentação das relações entre peso corporal e equilíbrio, procurand
o a interação, comunicação com os outros por meios de gestos e dos movimentos.
Com a criação de novos movimentos, em duplas ou em grupos, na qualidade dos moviment
os leves, rápido, direto, alto e baixo.
Observar o reconhecimento dos movimentos do corpo presente, distinguindo as qual
idades e combinações de movimentos caracterizando-os, observar também os indivíduos capa
zes de produzir novos métodos e coreografias corporais, e assim poder transmitir m
elhor a dança com clareza e habilidade.
A música é a linguagem que se traduz em formas sonoras capazes de expressar e comuni
car, sensações, sentimentos e pensamentos, através de uma organização e ligação entre som e
lêncio. A música esteve e esta sempre presente nas mais diversas culturas, festas, c
omemorações, manifestações cívicas, políticas, e outros.
A interação musical esta ligada aos aspectos sensíveis, objetivos, estéticos e cognitivo
s, assim, uma das formas importantes de expressão humana, o que justifica de modo
geral, na educação infantil. A criança se utilizara da linguagem musical, com sua perc
epção, ela será capaz de identificar os elementos necessários associados as idéias musica
is de arranjos e composições.
Para fazermos algumas músicas, é preciso adotarmos alguns critérios básicos para melhor
objeção , como a composição e a interpretação musical.
O trabalho deverá ser de forma organizada, de maneira que as crianças desenvolvam
suas capacidades de produção musical, devendo assim participar de jogos e brincadeir
as que envolvam a dança com improviso na música, colocando um repertório de canções para
desenvolver a memória musical das mesmas.
É necessário que ocorra o reconhecimento de utilização expressiva, em contextos musicais
das diferentes características geradas pelo silêncio, e pelos sons, altura (graves
e agudos), duração, intensidade, que distingue as variações, textuais, dinâmicas e as mate
riais sonoras, com equipamentos tecnológicos disponíveis, para uma melhor observação e
análise das estratégias pessoais dos colegas de produção.
Levando em consideração todos esses aspectos musicais, como também a valorização de cada s
er atuante nesta conjuntura musical, e não podemos esquecer que ninguém faz música soz
inho, será necessário união entre ambos para elaborar um bom trabalho, com desenvolvim
ento desejável.
Para melhor avaliação, é preciso a participação em jogos e brincadeiras que envolvam a danç
ou que improvisem uma música.
A utilização expressiva intencional dos movimentos nas situações cotidianas em suas brin
cadeiras, com a percepção de estruturas rítmicas para expressar-se corporalmente, atra
vés da dança e outros movimentos.
Valorização e ampliação das possibilidades estéticas do movimento por meio de conhecimen
tos diferenciados das modalidades da dança com seus limites, potencialidades, sina
is vitais, e integridade do próprio corpo.
Poderão aperfeiçoar os gestos como deslocar-se no espaço por meio da possibilidade con
stante de arrastar-se, engatinhar, rolar, andar, correr, saltar, etc.
Com a vocação para desenvolver a construção e formas artísticas, o teatro como arte, foi f
ormalizado pelos gregos, passando dos rituais primitivos das concepções religiosas q
ue simbolizavam o espaço cênico, e com organizações e demonstração de cultura e conheciment
s. O teatro é por excelência, a arte do homem expor seu corpo, sua fala, seu gesto,
manifestando a necessidade de expressão e comunicação. A dramatização esta potencialmente
contida em cada um como a necessidade de compreender e representar uma realidade
.
Ao participar de uma atividade teatral, o indivíduo tem oportunidade de se desenvo
lver dentro de um determinado grupo social de forma responsável. Só assim o homem es
tabelece relações entre o individual e o coletivo, aprendendo a ouvir, a acolher e a
ordenar opiniões, respeitando as diferentes manifestações com finalidade de organizar
a expressão de um grupo.
A maneira mais eficaz de ensinar a arte de teatro e a interpretação de contextos dra
máticos estabelecidos como para o espaço composto por bonecas, fantoches, interpretações
e coreografias, organizando assim uma prática em torno da aprendizagem em arte.
A arte de expor o teatro, passa para o público toda uma ação de gestos e práticas da lin
guagem teatral.
O modo como os artistas de teatro apresentam ao público uma peça, é também um meio efica
z de contagiar uma platéia. Isso faz com que o público fique envolvido, e passe a en
tender melhor o que os artistas pretendem passar.
O professor ao avaliar seus alunos no desenvolvimento teatral, deverá adotar critéri
os de como desenvolver a capacidade de atenção, concentração, observação, e as situações qu
gem os jogos de dramatização do corpo, gestos e movimentos. Deverá compreender o teatr
o como uma ação coletiva, que possa adotar critérios em que o aluno se organize com os
colegas, que tenham respeito mútuo, permitindo a construção de uma obra conjunta, e
total construção de novos conhecimentos..
Ao avaliar, determinará a aprendizagem do aluno, se chegaram ao objetivo esperado
, ou se ainda deve ser feito algum tipo de mudança, ou aperfeiçoamento.
O meio mais prático, de saber se uma criança é possuidora de um bom raciocínio, é quando e
la assiste uma peça de teatro, e observarmos se ela vai interpretar tudo aquilo qu
e assistiu. A partir daí encontraremos um meio viável para melhor desenvolvimento in
telectual e assimilação destas crianças em sala de aula.
REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS
A ORIGEM das Artes.S./dIN.Ensino Médio e Formação Profissional.São Paulo: Didática Paulis
ta.S./d Recado em Revista-Ano III nr.13.NOV/2000/SEDUC/MT.

Tudo é cultura?
Sim e não, dependendo de usarmos o conceito amplo de cultura ou o conceito restrit
o. Considerando, em primeiro lugar, o conceito amplo ou antropológico, cultura é o m
odo como indivíduos ou comunidades respondem às suas próprias necessidades e desejos s
imbólicos. O ser humano, ao contrário dos animais, não vive de acordo com seus instint
os, isto é, regido por leis biológicas, invariáveis para toda a espécie, mas a partir da
sua capacidade de pensar a realidade que o circunda e de construir significados
para a natureza, que vão além daqueles percebidos imediatamente. A essa construção simból
ica, que vai guiar toda ação humana, dá-se o nome de cultura.
A cultura, nesse sentido amplo, engloba a língua que falamos, as idéias de um grupo,
as crenças, os costumes, os códigos, as instituições, as ferramentas, a arte, a religião,
a ciência, enfim, toda as esferas da atividade humana. Mesmo as atividades básicas
de qualquer espécie, como a reprodução e a alimentação, são realizadas de acordo com regras
usos e costumes de cada cultura particular. Os rituais de namoro e casamento, o
s usos referentes à alimentação (o que se come, como se come), o preparo dos alimentos
, o tipo de roupa que vestimos, a língua que falamos, as palavras de nosso vocabulár
io, tudo isso é regulado pela cultura à qual pertencemos. A função da cultura é tornar a v
ida segura e contínua para a sociedade humana. Ela é o "cimento" que dá unidade a um c
erto grupo de pessoas que divide os mesmos usos e costumes, os mesmos valores.
Deste ponto de vista, portanto, podemos dizer que tudo o que faz parte do mundo
humano é cultura.