Você está na página 1de 43

Escola Estadual Pimentas VII

Ingrid Santos Rocha

João Victor da Silva Macedo

Thiago Adriano do Nascimento Junior

Jhonatan Collonhese dos Santos

Alex Fernandes Rodrigues de Santana

ASTRONIMIA E OS ESTUDOS DA ORIGEM DO SISTEMA


SOLAR E SEUS PLANETAS

São Paulo – Guarulhos

2019
Escola Estadual Pimentas VII

Ingrid Santos Rocha

João Victor da Silva Macedo

Thiago Adriano do Nascimento Junior

Jhonatan Collonhese dos Santos

Alex Fernandes Rodrigues de Santana

ASTRONIMIA E OS ESTUDOS DA ORIGEM DO SISTEMA SOLAR E


SEUS PLANETAS

Trabalho conclusivo de curso; conclusão bimestral escolar, aprovação


disciplinas; Escola Estadual Pimentas VII; física biologia;

Orientador: Prof. Fernando Barbosa Ferreira

Prof. Luiz Carlos Graça de Guimarães

São Paulo – Guarulhos

2019
TERMOS DE APROVAÇÃO

ASTRONIMIA E OS ESTUDOS DA ORIGEM DO


SISTEMA SOLAR E SEUS PLANETAS

Este Trabalho de Conclusão de Curso foi julgado e aprovado em sua forma final pela
Coordenação da Escola Estadual Pimentas VII em ___/___/2019

________________________________

Prof. Ms.

Coordenadora da Escola Estadual Pimentas VII

Apresentado a Banca Examinadora composta pelos professores:

___________________________________

Prof.(a)

Membro

___________________________________

Prof.(a)

Membro

____________________________________

Prof.(a)

Membro
RESUMO

Este trabalho tem como objetivo orientar e apresentar a origem do sistema solar e o
estudo de seus planetas.

Desde o Big Bang e o surgimento do nosso sistema solar, existe uma diferença de
milhares de anos, o nosso sol surgiu há cerca de 4,6 bilhões de anos atrás, sendo uma
das mais de 100 bilhões de estrelas na via Láctea, a partir do surgimento do nosso sol
diversas outras estrelas, planetas e satélite naturais foram sendo criadas a partir de
poeira espacial. Cada uma dessas estrelas têm uma característica, é comprovado por
cientistas que a Terra é um dos planetas com vida, porém o único com vida inteligente,
outros planetas podem até existir vida porém não são comprovados.

Nosso sistema solar é dividido por um cinturão de asteroides e dividido por uma
diferença entre os planetas, antes do cinturão de asteroides todos os planetas são
planetas rochosos, que são aqueles mais próximos do Sol como: Mercúrio, Vênus, Terra
e Marte. Já os planetas após o cinturão de asteroides são planetas gasosos como: Júpiter,
Saturno, Urano e Netuno.

Por mais que Plutão não seja mais considerado um planeta, e será rebaixado a categoria
de planeta anão, ele entra nesse trabalho de pesquisa como um planeta.
ABSTRACT

This article aims to guide and present the origin of the solar system and the study of its
planets.

Since the Big Bang and the emergence of our solar system a thousand years ago, our
sun has risen about 4.6 billion years ago, being one of the more than 100 billion stars in
the Milky Way since the beginning of the Sun. Other stars, planets, and natural satellites
were being created from space dust. Each of these stars has a characteristic, it is proven
by scientists that the Earth is one of the living planets, but the only one with intelligent
life, other planets may even exist, but are not proven.

Our solar system is divided by an asteroid belt and divided by the difference between
the planets. Prior to the asteroid belt, all planets are rocky planets, which are closest to
the sun, such as Mercury, Venus, Earth, and Mars. The planets after the asteroid belt are
gaseous planets like Jupiter, Saturn, Uranus and Neptune.

As much as Pluto is no longer considered a planet and will be downgraded to the dwarf
planet category, he enters this research work as a planet.
SUMÁRIO
1. INTRODUCAO: Teoria do Big Bang .......................................................7
2. A ORIGEM DO SISTEMA SOLAR....................................................9
3. O SOL...........................................................................................................12
4. PLANETA MERCÚRIO........................................................................14
5. PLANETA VÉNUS.................................................................................16
6. PLANETA TERRA ................................................................................17
7. PLANETA MARTE................................................................................23
8. SINTURÃO DE ASTERIDES.............................................................29
9. PLANETA JÚPITER..............................................................................30
10.PLANETA SATURNO.......................................................................... 32
11. PLANETA ÚRANO................................................................................34
12.PLANETA NEPTUNO:......................................................................... 35
13.PLUTÃO O PLANETA ANÃO...........................................................37
14. METEORO, METEORITO E METEORÓIDES.......................... 38
15.CONCLUSÃO......................................................................................... 40
REFERENCIAS/ DOCUMENTOS CNSULTADOS.
INTRODUÇÃO
Teoria do Big Bang

Quando nós falamos sobre o passado do universo, temos que ultizar uma contagem dos
anos muito mais avançado, por que na questão do nosso espaço nós não podemos falar
de 100 anos, 1.000 anos, 100.000 anos, 100.000.000 anos, por que a história do nosso
espaço é de mais de bilhões de anos atrás, e para a ciência é muito difícil explicar sobre
a origem do nosso espaço, pois não existe documentos, ou fotos, até mesmo o ser
humano não existiam naquele tempo, e algo muito vasto muito antigo, por isso não são
fatos são teorias, algumas comptovadas e outras anuladas. Porém às teorias científicas
são explicações fundamentadas, analisadas e estudadas durante anos, que surgem de
fatos que são observados e anotados e estudados durante anos e apartir daí que se
formulam as teorias

Mas os cientistas possuem completa capacitados de catalogar, analizar ou investigar a


origem do espaço, e é aparir daí que surgiu a Teoria do Big Bang. A Teoria do Big
Bang tem como início uma grande explosão que deu a origem não apenas a estrelas
sistemas solares galáxias ou até outras coisas, o Big Bang e muito mais que isso. O Big
Bang ele é origem de tudo até mesmo do tempo (continuo espaço tempo), no caso essa
explosão que ocorreu a bilhões de anos atrás ela é a responsável por tudo que
conhecemos hoje.

Para que os cientistas tivessem como iniciar a Teoria do Big Bang, a primeira pergunta
a ser feita foi como o universo surgiu?

Como tudo na vida existe um início um meio e um fim é claro que para que o nosso
universo existe se ele precisava de um início, como parar a ciência essa questão é tão
pesquisada existe uma área específica para isso a cosmologia, o que estuda a origem a
estrutura e a evolução do universo, e a teoria feita pelos cosmologistas é a mais aceita
para a teoria do Big Bang.

Para entendermos como o Big Bang ocorreu devemos voltar não no passado e sim para
o início do século XX quando o Albert Einstein dizia que o espaço era estático que ele
nem espandia e nem se comprimia, porém dois matemáticos, o Russo Alexander
Friedmann e o Belga George Lamaitre que era padre ( lembrando que para igreja, essa
teoria do Big Bang não era aceita pois diziam que o universo era feito por Deus que
Deus criou tudo). E para os dois matemáticos o espaço não estava parado então eles
estudaram em lugares completamente diferentes e nunca se conheceram porém para os
dois chegaram em uma única solução que o espaço estava incompleta expansão para
todos os lados, e alguns anos depois em 1929 o astrônomo Edwin Hubble estava
observando algumas galáxias com seu telescópio, que comprovou que as galáxias
estavam se afastando da Terra, e quanto mais longe ela tivesse mais rápido ela estava
das outras.

PG: 7
E para os cientistas eles chegaram a uma conclusão, que se as galáxias estão se
afastando em algum momento elas já estiveram juntas em um único lugar. E o espaço
que conhecemos com bilhões de estrelas bilhões de galáxias, centenas de planetas e
milhares de satélites naturais, já teve concentrado em um único lugar com o tamanho da
cabeça de um alfinete. E este pequeno ponto um dia explodiu, se expandindo para todos
os lados com uma força incalculável, e é claro que o espaço não é apenas energia
também é matéria mas de onde surgiu esta matéria, a partir da notação científica de
Albert Einstein E=m.c², e foi através dessa conta que Albert Einstein provou que
matéria e energia equivalem a mesma quantidade, ao conforme o espaço se expandia ele
ia se resfriando e Toda energia se transformava em matéria, mas antes essa matéria era
composta por partículas sub atômicas que começaram a se unir transformando em
átomos estáveis que são os principais elementos químicos que conhecemos H e He.

E a partir dos cálculos dos primeiros planetas primeiras galáxias os cientistas chegaram
a um ponto que o espaço tem 13,8 bilhões de anos.

E um jeito de calcular o tamanho do espaço são as oscilações acústicas bariônicas, estes


cálculos são a partir de fósseis de onda, nos primeiros milhares de anos universo era
preenchido por um gás quente e denso parecido com o plasma com enormes ondas de
pressão empurrando para todo lado a matéria que formaria as galáxias, e alguns anos
atrás os cientistas encontraram marcas destas ondas, que estão na mesma distância uma
da outra que é mais ou menos 500 milhões de anos-luz, os cientistas usam esta ondas
para medir como uma "régua" o tamanho do universo, em uma teoria o espaço é
observado veu 93 bilhões de anos luz se diâmetro, e desse jeito nós somos capazes de
calcular os anos que o nosso espaço tem, a partir do calendário criado por Carl Sagan o
calendário cósmico que calcula toda a idade do universo até os dias de hoje.

Digamos que o universo surgiu em um ano, e dividimos ele em 12 meses, e cada um


desses meses possui 1 bilhão de anos, e se fossemos analisar quando o ser humano
surgiu podemos dizer que estamos no dia 31 de dezembro exatamente às 23h59
minutos, e o surgimento do universo está no dia 1 exatamente, à 00h00, e bem é
impossível calcular qualquer outra coisa antes do Big Bang porque antes quer dizer
tempo anterior e bem tudo foi criado a partir do Big Bang inclusive o continuo espaço-
tempo, oh passado presente e futuro existe apenas no nosso universo.

Digamos que assim, o espaço não possui a luz e a a partir de 380.000 anos ( no primeiro
bilhão) a matéria e a radiação luminosa em fim separado transformando o espaço em
transparente fazendo com que toda a luz pudesse transcender por ele, e foi ainda no
primeiro bilhão (Janeiro) que às galáxias começaram a ver formadas, digamos que a via
Láctea o lugar a onde nós moramos tenha surgido em março, no dia 15 e, o sistema
solar aonde exatamente nós habitamos, tenha surgido em setembro com o surgimento do
nosso sol.

PG: 8
2. A Origem do Sistema Solar
No vasto universo que conhecemos, temos a noção da existência de nebulosas ( nuvens,
formadas por gases e poeiras interestelares), porem estas nebulosas possuem um
“sistema” de equilíbrio entre esses gases que fazem com que elas se contraiam, e a
pressão térmica que faz com que as elas se expandam em direção ao espaço.

Porem essas nebulosas podem ser conturbadas por choques que ocorrem através de uma
explosão de uma Supernova ou ate mesmo a passagem de uma outra nebulosa (nuvem).

• (Supernovas ): são estrelas que já morreram, mas que continuam a vagar pelo
espaço. [ FIGURA 1]

Com esses choques as nebulosas começam a se contrair. Porem, para que uma nebulosa
possa se transformar em um Sistema Planetario, ela precisa cumprir certas condições,
que são: as nuvens devem ter uma quantidade de massa o suficiente, a massa deve ser
densa, e relativamente fria, e possuir uma constante de movimentos a impulsionando de
modo que a concentração gravitacional seja acelerado em movimentos de rotação.

Porem essa rotação vem acompanhada de um grande aumento na temperatura , mas, se a


massa de Jeans for o suficiente ( a massa Nebular ) a força gravitacional sempre sera
maior que o aumento de temperatura térmica. Em medida que a nebulosa cemeça a
rodar e contrair-se, ela também começa a fraguimentar-se . Os fraguimentos que
possuem a massa a densidade, se contraem cada vez mais .

• ( Massa de Jeans ) :

Essa equação se descreve como a Massa de Jeans., em homenagem ao físico,matemático e


astrônomo, James Hopwood Jeans.

1. G- é a constante de gravidade universal.

2. R- é a constante de gravidade dos gases.

3. µ- é o peso molecular médio.

4. T- é temperatura.

5. P- densidade.

PG:9
Com tudo, nunca foram observados fraguimentos nesta fase de fraguimentação da nebulosa, não
apenas por estar em auta velocidade, e sim, porque, são completamente rodeados por gases e
poeira densa. So apenas quando atinge, 2000 a 3000K de temperatura esses fragmentos
podem ser visualizados, mas seu nome nessa fase já não e mais nebulosa e sim
protoestrela.

• ( Protoestrela ): Forma-se através de uma contração de uma nuvem molecular no


universo. Elas se formam através de densas massas de gas e poeira interestelar, são
regidas e muito frias ( de 10 a 20K, próximas de zero absoluto). Essas massas
moleculares se agrupam e se formam em C0 e H2. Quando se acumulam intensamente
essas estrelas se formam. A forma em que esses estrelas se criam e através de um
colapso por conta do seu aumento de massa, essas estrelas possuem uma massa de 104
massas solares em forma de gas e poeira. [ FIGURA 2]

Em volta de 4650 milhões de anos atrás, uma desses protoestrelas deu origem ao nosso
sol. Com a formação do nosso proto-Sol, foi deixado uma vasta quanridadde de matéria,
na qual formou p Sistema Planetario em que vivemos. O material deixado para traz
tinha a mesma composição so nosso Sol e da nebulosa que ali existia. Porem essa massa
era densa e opaca demais, para deixar escapar energia por irradiação, por conta dessa
irradiação, a força gravitacional foi sendo acompanhada pelo aumento de temperatura.
Por motivos de tudo ainda estar em estado gasoso a temperatura perto do proto-Sol seria
ainda de 2000K isso a uma distancia de mais ou menos 300 a 500 milhões de KM.

Então após um ponto, a composição da nebulosa começou a ficar mais suave assim se
resfriando isso permitiu os primeiros compostos. O primeiro composto foi o Corindo,
que possui ixido de alumínio que os princípios para criar o rubi e safriras, a temperatura
em media era de de 1760K, e também teve a criação dos ultoms gelos matano criados
em torno de 70K, so que não pode se esquecer que esses compostos foram criados em
postos diferentes então isso explicaria mais ou menos como a tempera deles são tao
diferentes. Com tudo ainda existe um longo caminho entre essa nuvens de poeira e gelo
e o próprio sistema solar, no momento em que as poeiras se estabilizam em orbita , no
plano da nebulosa no que viria a ser eclipitica atual.

• ECLIPTICA: é o movimento que a poeira faz de rotação em torno da orbita da


nebulosa assim dando a formação ao planetas.

PG:10
A eclipitica já não importava mais, já que a alteração gravitacional faz com que os
choques se tornem mais freguentes e com maior potencia, juntando mais poeira que
estava em orbita assim gerando um maior que o outro e com dimençãoes que dependem
Da distancia que estavs do centro da Nebuloa – ( proto – Sol ).

Para que ouvesse uma concentração considerável eram necessarios 2000 anos, isso se
estivesse próximo ao centro da nebulosa, Eram c oagulados grãos com 10mm de
diâmetro a 1 UA do sol ( Orbita da Terra ), porem eram necessários 50000 anos para o
acumulo de grãos com 0.3 mm na orbita de Neptuno.

A coagulação de grãos um processo extremamente acelerado e que por isso ao fim de


1000 a 100000 anos já haveria corpos celestes com 10 KM de diâmetro – planetasimais
em orbita da origem de 1 UA, esses corpos são os nossos planetas, porem o inicio deles.

• PROTOSOL: Como resultado da contração e da rotação forma-se um disco


plano que roda rapidamente no centro desse disco forma-se o Protosol.[FIGURA 3]

[FIGURA 1]- Supernova

[FIGURA 2]- Protoestrela

[FIGURA 3]- Potosol.

PG:11
3. O SOL
O sol é nossa fonte de vida, é a única estrela perto de nós, é a estrela que conhecemos
melhor, e também se encontra no centro do sistema solar fazendo com que todos os
corpos celestes gire em torno dele. O sol é uma grande estrela formada por gás com uma
cor muito forte, e essa cor forte acontece a geração de energia para que haja vida na
terra.

Em um tempo atrás pessoas chegaram a achar que o sol era um Deus e começaram a vê-
lo como se fosse um Deus e não uma estrela. Dentro do sol é formado uma grande
quantidade de energia, entre uma grande transfusão.

Transfusão: (gás hidrogênio em hélio).

Essa grande energia que é gerada durante a transfusão nos dá (calor e luz) e que nos
permite viver, na superfície do sol tem exatamente a temperatura de 5,5 milhões de
graus celsius e a temperatura aumenta quando vai na direção do núcleo a temperatura
pode chegar 15 milhões de graus celsius, toda a massa do sol é correspondente à 99%de
todo o nosso sistema solar, o sol é formado por dois tipos de gases (hidrogênio e hélio)
sendo que:70%hidrogênio e 20%hélio.

A distância da terra até o sol é mais ou menos 150, milhões de quilômetros, sua luz
chega a terra aproximadamente em 8 minutos as interações que existem entre aterra e o
sol é que produz as estações do ano, tempo e clima.

As reações das fusões que ocorre dentro do sol acaba produzindo uma quantidade
enorme de energia e essa energia é transportada para o topo do sol, e também existe
várias manchas na sua superfície onde as temperaturas são um pouco mais baixas.

O sol surgiu a mais ou menos 4 bilhões de anos atrás, o sol pode ser dividido
grosseiramente em 6 partes (núcleo, zona radiativa, zona convectiva, fotos fera,
cromosfera e a coroa, esses são os responsáveis para a nossa existência.

Muitos cientistas acreditam que o sol mais o resto do sistema solar, foram formados por
uma enorme nuvem radioativa de poeira e gás chamada: nebulosa solar, quando a
gigante nuvem entrou em colapso por causa da sua gravidade acabou se transformando
em um disco e começou a girar mui rápido, a nuvem de poeira e gás acabou se
dividindo e sua maior parte foi para o centro. e assim que se formou o sol. Segundo os
astrônomos o sol teria combustível para ficar como está entre 4,5 e 5 bilhões de anos
quando chegar esse tem ele irá explodir e virar uma grande esfera vermelha, quando
passar essa fase o que sobrar do núcleo irá entrar em colapso para virar uma anã branca
que irá desaparecer aos poucos para virar uma anã negra.

PG:12
Falando mais sobre o núcleo, ele acaba se estendendo do centro do sol a um quarto do
caminho para a superfície do sol, e logo após vem a zona de radiação que acaba se
estendendo do núcleo a 70%do caminho para a superfície. Compondo 32%do seu
volume e 48%da sua massa o brilho que sai do núcleo fica espalhada nessa zona.

Zona de convecção consegue chegar até a superfície do sol e caba se tornando 66%do
sol mas tem um pouco mais de 2%de sua massa. Em se tratando das camadas do sol, a
fotosfera acaba sendo a mais baixa e que emite a luz que vemos, as temperaturas que
podem chegar a fotosfera e de 6.125 graus e sua parte mais baixa 4.125. Depois da
fotosfera vem a cromosfera com 19.725 graus celsius, sendo compostas de estruturas
espiculas que tem mil quilômetros de diâmetro e dez mil de altura, logo depois vem a
região de transição, uma camada um tá do quando mais fina que tem 200 quilômetros de
espessura nessa camada as temperaturas aumentam rapidamente lançando a maior parte
da luz do sol com raios ultravioletas.

E por fim vem a coroa e a heliosfera que expande para o espaço ao redor na questão do
campo magnético ele é mais ou menos 2 vezes maior do que o da terra. Segundo os
astrônomos e cientistas o sol é composto por apenas hidrogênio seguido por hélio quase
todo o restante da matéria é formado por: oxigênio, carbono, néon, nitrogênio, magnésio
ferro e silício.

Nas manchas que tem na superfície do sol tem a atividade do magnésio e por isso as
temperaturas são mais baixas conforme o ciclo solar se segue o número de manchas
aumentam e se deslocam para o que é chamado de Equador solar.

PG:13
4. PLANETA MERCÚRIO
Mercúrio é o planeta mais próximo do sol, e oitavo de tamanho do sistema. A distância
média é entre 57 milhões de quilômetros do sol.

É basicamente formado de ferro, chamado de Iron Planet. Pode ser visto da terra a olho
nu, antes do amanhecer e depois do anoitecer, Porque sua proximidade com o sol
dificulta a aproximação.

Era observado pelos gregos a 3 mil anos a.c. E recebeu pelos gregos dois nomes, Apolo,
pela sua aparição Matutina e Hermes, a estrela da noite. Foi batizado de Planeta
mercúrio, por ser o Deus do comércio, das viagens e malandragem. E é o planeta mais
rápido do sistema solar, completando 47,87 quilômetros por segundo ao redor do sol. A
superfície é parecido com a da lua, rochosa e com diversas crateras.

Planeta mercúrio é o menor do sistema solar, porém é um pouco maior que a lua. A
distância do mercúrio é de 4.800km. É considerado um Planeta de órbita excêntrica,
porque, a distância entre o sol muda conforme a posição na órbita, e isto é responsável
pela variação de temperatura do planeta, de 180ºC a 400ºC.

Os cientistas consideram o menor no sistema solar, desde que plutão foi rebaixado á
nomenclatura de planeta anão. A atmosfera do planeta Mercúrio é formado de potássio,
sódio, hélio, oxigênio molecular, hidrogênio, além de nitrogênio, dióxido de carbono e
vapor de água.

PG:14
As primeiras observações telescópicas de mercúrio foram feitas por Galileu Galilei em
1910.

Em 1631, o astrônomo francês Pierre Gassendi observou a movimentação do mercúrio,


em torno do sol.

A prova contudo, de que traça uma órbita ao sol só ocorre em 1639, pelos estudos do
astrônomo italiano Giovanni Zupus.

Somente em 1641 o astrônomo alemão Johan Franz Encke determinou a massa do


planeta e avaliou o efeito da lei da gravidade a partir do choque do cometa Encke

• Em 1965 os rádio Gordon Pettengil e Rolf Dyce conseguiram medir a rotação do


mercúrio, que é entre 59 dias.

• O primeiro mapa descrevendo as características da superfície do mercúrio,


resultaram dos estudos do astrônomo Giovanni Schiaparelli.

• As fotos tiradas pela Sonda Surveyor 7 em 1968, permitiram maiores detalhes


sobre a superfície do mercúrio. O trabalho foi acrescentado dos estudos permitidos pela
Sonda Massenger em 2008,mas em 2013, o equipamento entrou na onda do planeta

PG: 15
5. PLANETA VÉNUS
Venus segundo Planeta mais proximo do Sol com aproximadamente 800
milhões de anos depois do Sol e tambem da Lua dentre os outros o mais brilhante por
isto mesmo conhecido a muito tempo.

Chamado de estrela Dalva, estrela da manha e estrela da tarde Joia do cêu irmão
da terra por ter a mesma aproximidade de massa e tambem densidade em volumes mais
ou menos igualados .

Movimentos de circulação dele e de leste para oeste contrariando todos os outros


Planetas do sistema solar Vênus tem 12.104 km de diâmetro, ou seja, seu raio equivale a
6.052 km. Superficie completamente de lava dioxido de carbono e acido sulfurico.

Ele esta mais longe do Sol do que o Planeta mercurio mais sua temperatura e
ainda mais quente do que a de mercurio chegando a ter 482° graus na superficie por
efeito de componentes no Planeta.

PG:16
6. PLANETA TERRA
Ate onde se sabe e o único planeta aonde se existe vida e a terra, mas porque? As
respostas estão no passado remoto da terra, para se descobrir e necessário voltar antes
dos primeiros povos pivoarrm a terra, passar pelos continentes em colisão , enfrentar a
época dos dinossauros assasinos, e ir até o fundo dos oceanos repletos de vidas bizarras,
enfrentar as eras glaciais globais, e conhecer a furia das tempestades de meteoros, e para
tudo isso é necessário voltar a época em que a Terra nasceu.

Tudo começa a mais de 5 bilhões de anos atrás, porem durante essa época não existia
ainda nosso planeta, e sim apenas uma única estrala que acabará de surgir no meio do
espaço, era o nosso sol rodeado de poeira cosmica.

Porém ao passar dos tempos essa poeira e puxada para dentro de pequenas rochas que
flutuavam no espaço. É inacreditável pensar que algo tão complexo como um planeta é
origem de poeira cósmica e rocha que se fundiram.e durante milhões de anos essas
poeiras se juntaram para formar o planeta Terra, um dos 100 planes que orbital o sol.

Porém há mais de 4 bilhões e 500 milhoesde anos o nosso planeta não era comum nós
temos hoje e sim parecia uma bola de fogo parecido como o Sol. Na superfície do
planeta a temperatura ultrapassa os 12000°C, não existe ar, só existe apenas dióxido de
carbono, nitrogênio e vapor d'água, é tão quente e tão tóxico que era impossível
imaginar a vida nesse planeta, qualquer forma de vida que pudesse existir seria
incinerada automaticamente.

O planeta recém-nascido é uma bola de magma em completa erupçãoa, sua superfície


sólida não existe apenas existe lava. E durante essa época um jovem planeta chamado
Theia veio em direção para colidir com a terra, Theia possui o mesmo tamanho que
Marte, está viajando uma velocidade de 15 km por segundo, mais rápido do que uma
bala, a gravidade de Theia de forma terra, a onda de destruição causada pela colisão
percorre por todo o planeta, trilhões de detritos são lançados no espaço,porém a
gravidade faz a sua magia e faz com que esses trilhões de detritos se formem em um
anel vermelho que circunda a terra.

Este anel dá origem a uma esfera com mais de três mil quilômetros de diâmetro, e estas
fera el surgimento da nossa lua. Porém essa lua está muito mais próxima do que aqui
temos hoje pois ela está numa distância de há apenas 22.000 km de distância entre eles.

O sol nasce sobre o planeta terra em resfriamento e se põe após 3 horas depois de
nascer, o impacto foi tão grande que fez com que os dias durassem apenas 6 horas,os
dias poderiam passar em um piscar de olhos porém a Terra mudava lentamente. Para
que de fato entendêssemos como a terra evoluiu devemos avançar alguns milhões de
anos.

PG:17
3900 milhões de anos: Uma chuva de meteoros causada pelos restos de detritos que
foram da formação do sistema solar, os meteoros que atingiram a superfície da Terra
com tinham pequenos grãos de sal, e dentro desses grãos avião pequenas partículas de
água, bem parecia que esses meteoros traziam o elenco mento principal para Terra.

A uma pequena quantidade de água dentro de cada meteorito porém como eles
atingiram a superfície da Terra por mais de 20 milhões de anos, imensa as piscinas
d'água eram formadas, a água se acumula no solo, o núcleo da terra continua infusão
porém a temperatura da superfície resfriou mais de 80°C, isto era o suficiente para
formação da crosta terrestre.

Provavelmente no futuro ainda estaremos ingerindo esta água que tem mais de bilhões
de anos. após resfriamento da terra parecia ser um lugar mais familiar porém continuava
a ser um solo perigoso. O vento na superfície da terra é tão velos do que o mais
devastador dos furações, enquanto isso na superfície da terra, grandes tempestades são
causadas por conta da rotação em alta velocidade da terra. Por conta de A lua está tão
próxima da terra faz com que a sua gravidade seja devastadora, ela provoca enormes
marés que percorrem a superfície do planeta, mas com o passar do tempo a lua vai se
afastando da terra e essas marés vão diminuindo e o planeta começa a girar mais
devagar.

700 milhões de anos após o nascimento do planeta, com água casa de criar a vida cobre
sua superfície, porém não e só água a algo mais lá em baixo do Oceano, são pequenas
ilhas que emergiram como se tivessem vida, rochas em fusão atravessam a crosta e
emergem do oceano, com o tempo a lava esfria e da origem a ilhas vulcanicas, e dessa
ilhas que surgiram os primeiros continentes, a água e terra compõem o jovem planeta
Terra e ele começa a ter as características que vemos hoje, porém a atimosfera é tóxica e
a temperatura é excelente, nada sobreviveria em um planeta tão ostil.

As chuvas de meteoros não param desde a formação do planeta, porém eles entram em
uma nova faze, trazendo outra coisa invés de água, conforme os meteoritos se dissolvem
eles liberam minerais e transportam carbonos e proteínas primitivas (os aminoácidos) do
espaço para o fundo dos oceanos.

O fundo do mar é extremamente escuro os raios de sol não chegam até o fundo eles não
tá passam mais de 300 metros, e a temperatura é extremamente congelante. "Chaminés"
são formadas no fundo do oceano, porém elas não liberam fumaça e sim algum tipo de
líquido que está em ebulição,a água do planeta conseguiu se infiltrar por dentro da
crosta terrestre, ao entrar em contrato com o manto da terra ela entrou em ebulição e
começou a sair por estas chaminés como se fosse uma "sopa" de substâncias químicas,
porém não se sabe como e nem quando essas substâncias chegaram a terra porém elas
traziam vida, e agora a água está repleta de microrganismos. Essas bactérias
unicelulares são as primeiras formas de vida na Terra, isso acaba sendo um um
momento decisivo na formação do planeta, a vida microscópica está a caminho

PG:18
Porém por centenas de milhares de anos nada muda, não há avanço na evolução, os
únicos seres vivos eram os microrganismos unicelulares.

Porém para entender como o planeta começou a evoluir é necessário avançar mais
alguns milhares de anos, e nisso chegamos a um ponto em que os estromatólitos o que
são amontoados de bactérias estão sendo formados no fundo do Oceano raso, as
bactérias que estão nesses amontoados transformam a luz do sol em alimento ou seja a
famosa fotossíntese, e é através desta fotossíntese que os estromatólitos estão fazendo
que começam aparecer uma espécie de gás ou melhor dizendo o oxigênio. Como os
estromatólitos estão submersos no oceano eles vão enchendo Oceano com oxigênio e
isto faz com que o ferro presente seja transformado em ferrugem, e esta ferrugem vai se
acumulando no fundo do oceano para que transforme grandes depósitos de rochas e
minerais ricas em ferro.

A este ponto o oxigênio começa a mudar a aparência do planeta, e faz com que um dos
elementos principais para o surgimento da vida na Terra, sem ele praticamente todas as
coisas que existem na Terra não existiriam.

Podemos ver que após alguns milhares de anos algo estava mudando as Ilhas deposição,
a crosta escondida no fundo do oceano começa a se dividir em enormes placas, e isso
faz com que as Ilhas rochosas comecem a se movimentar e se colidirem e formar em um
novo e vasto continente, parecia que o nosso planeta estava vivo em completa atividade.

Este gigante supercontinente era o Rodínia, banhado pelas agira e avisn os


estromatólitos, que lansacam oxigênio na Terra, com a terra girando mais devagar os
dias tinham 18 horas e a sua temperatura era de 30°C, porém isso que nós chamamos de
lá parece mais com Marte do que com a terra.

Após alguns milhares de anos a frente a crosta terrestre começa a se movimentar como
se tivesse vida, a única coisa que é capaz de fazer com que isso aconteça é o calor que
faz com que o supercontinente se dívida em dois. Pedaços que foram fragmentados
foram parar no fundo do oceano, e a frequente atividade geológica da origem a
conjuntos de vulcões, esses vulcões começam a lançar dióxido de carbono na atmosfera
e gás por toda parte, o dióxido de carbono se mistura à água assim formando a chuva
ácida, e as rochas absorvem esta chuva ácida e o dióxido de carbono que existe nela.
Porém não existe dióxido de carbono o suficiente na superfície tereré para impedir o
calor do sol ao redor do planeta. Porém poucos milhares de anos a temperatura do
planeta despenca para -50°C, e o começo da primeira era glacial, ou melhor dura por
cientistas (Terra bola de neve), antes o planeta era uma bola de fogo em profusão agora
ele é uma gigantesca "bola de Neve".

PG:19
Por conta desta vasta camada de gelo que cobre a terra toda luz solar é refletida para
fora do planeta.porém como a terra está em completa evolução ela não continua do
mesmo jeito durante muito tempo o núcleo da terra continua mais quente do que a
superfície do Sol então os vulcões rompem esta camada de gelo de 3km que cobre a
terra,porém a força que os vulcões tem não é o suficiente para causar danos na terra na
primeira era glacial,mas os vulcões lançam toneladas de dióxido de carbono na
atmosfera,antes dessa era glacial toda Rocha que existia na superfície absorvi esse
dióxido de carbono porém agora com as rochas asfixiadas pelo manto de gelo nada mais
absorve esse dióxido de carbono, e dessa forma ele invade a atmosfera, assim
envolvendo a terra e impedindo que os raios solares chegurm a superfície. e assim as
temperaturas aumentam fazendo com que o gelo após 15 milhões de anos derreta.

Acredita-se que durante a época da terra bola de Neve o gelo empurrou a crosta terrestre
para baixo fazendo com que quando ele emergisse novamente ocorresse fissuras e mais
e mais vulcões.estes vulcões liberam cada vez mais dióxido de carbono na atmosfera
fazendo com que o gelo derreta cada vez mais rápido, de uma vasta mistura de
componentes químicos o gelo que cobria a superfície também virou oxigênio, por conta
dos raios solares não conseguirem atingir a superfície da terra e só atinge a camada de
gelo fez com que uma vasta combinações de componentes químicos fizessem um super
oxigênio o peróxido de hidrogênio. com o derretimento do gelo este peróxido de
hidrogênio se decompõe criando cada vez mais oxigênio.

460 milhões de anos atrás as placas estão se movimentando novamente abaixo repousa
o novo continente o Gondwana, a superfície da terra tem a temperatura de 30°C, e o
nível de oxigênio que tem é parecido com a quantidade que temos hoje, porém a Terra
deveria estar vasta de animais e plantas porém a única coisa que tem é um número
amontoado de rochas, mas existe uma explicação.

O Sol ele acaba com a superfície da terra por conta de sua enorme quantidade de
radiação, porém há algo acontecendo a 50 km de altitude, aonde os raios atingem a
atmosfera da terra, quando a radiação do Sol atinge o oxigênio ele se transforma em um
outro tipo de gás o Ozônio, este gás forma uma capa ao redor do planeta e essa camada
de ozônio suga toda radiação mortal, e a passar de mais alguns milhões de anos a
camada de ozônio se torna mais espessa impedindo cada vez mais os raios de radiação
atingirem a terra. Sem essa camada talvez toda a vida não existiria, porque ela é a única
capaz de segurar a radiação que a flora do nosso planeta.

Há 200 milhões de anos atrás, surgiu apenas um único supercontinente pangeia o que é
a junção de todos os outros continentes após a mudança que a terra sofreu, e justamente
nessa época foi quando os dinossauros, esses dinossauros evoluíram depois dessa
extinção permiana.

PG:20
E com isso um novo siclo começa, e os dinossauros repovoam a terra, porém nada e
capaz de deter as constantes mudanças do planeta, a crosta terrestre começa a ficar mais
fina, e lava é expelida, e graças aos terremotos isso alimenta como se estivesse sendo
estocada, as placas tectônicas começam a se separar novamente e o supercontinente
Pangeia se separa novamente, após a separação abrisse um grande abismo e este abismo
é preenchido com um novo oceano o Tétis, aonde surgiria o oriente médio.

Há 180 milhões de anos, a oeste a placa Norte americana está se afastando das placas
europeia e asiática, este processo é extremamente lento, serca de 2,5 metros por ano,
mas com o passar do tempo um novo oceano surge em baixo de nós trazendo novos
continentes a superfície, o mundo que conhecemos está sendo formado, o abismo que
existe entre os dois continentes está sendo preenchido para dar origem a um novo
Oceano, o Oceano Atlântico.

O fundo do mar foi dividido em dois, e empurrado para cima dando origem a
montanhas e vulcões, está crescendo mais que o monte Himalaia e é mais estenso que as
montanhas rochosas, a água e quente a lava derretida esta abrindo caminho para fora das
profundezas da Terra, conforme as a lava esfria novas cadeia vulcanicas são criadas e
novos fundos oceânicos também, e isso que está dividindo as placas dividindo Pangeia e
reorganizando nosso mundo, e essa rividade geológica que faz o planeta Terra um lugar
incansavel, criativo e único e toda vez que o planeta se reinventa todos os seres que
habitam nele devem se adaptar as novas mudanças.

65 milhões de anos: os dinossauros reinavam na Terra, parecia que nada poderia os


deter, porém algo fora da terra poderia sim, um fragmento de rocha espacial, este
asteroide continha mais de 10 km de extensão, maior que o monte Everest e idade
colisão com a Terra, ele segue tão rápido que quanto uma bala, e são esses milésimos de
segundo que vão mudar o planeta para sempre.

O impacto casado pelo asteroide destrói tudo pela frente até mesmo o próprio asteroide,
o impacto e maior que milhares de bombas nucleares, toda a vida e estuda e a terra e
atacada por meteoros, e com diversos abalos sísmicos acontecendo ao mesmo tempo no
mundo inteiro, enormes tsunamis abalam as costas, porém o desastre apenas começou.

O céu parece um sol gigante, a temperatura da terra atinge 527°C e a vegetação


espontaneamente começa a pegar fogo, mesmo após meses a fumaça ainda tampa a
entrada de tá solares, fazendo com que a vegetação comece a morrer e os animais que
dependem dela também, depois desse enorme desastre e difícil acreditar que algo
sobreviveu, o reinado de 165 milhos de anos dos dinossauros chega ao fim, porém a
uma pequena esperança para a especie os mamíferos surge.

47milhos de anos, a especie dos mamiferos próspera sobre a terra, e um dos primeiros
ancestrais dos seres humanos surge e morre em um piscar de olhos porém existe
esperança aínda.

PG:21
As placas tectônicas se movimentam novamente com os continentes sobre elas, as
plantas indiana e asiática se colidem se juntando em uma só, trazendo a superfície a
cordilheira do Himalaia.

Ha 20 milhões de anos o nosso planeta já tinha se formado, e com seu continente


exatamente da maneira que conhecemos, só faltava uma coisa a raça humana e muita
coisa deveria mudar ainda para esse surgimento.

PG:22
7. PLANETA MARTE
Marte é vim dos seus planeta facilmente observaveis da terra a olhos nu, e põe ser
facilmente observaveis e conhecido desde a antiguidade. Seu tom avermelhado atraiu a
atenção dos observadores e também por conta de sua trajetória aparentemente "
irregular " que percorre os céus. Porém não e de surpriender que a história do planeta
vermelho e uma dasais apaixonantes da astronomia

O amor por Marte só alimenta pós e esse era o único paleta que a superfícies e mais
parecido com a terra. Porém só superficialmente porque, por mais que a distância entre
o sol seja muito maior do que a da terra (1.5 UA) menos que a terra ( 3.93), possuindo
condições ambientais, climáticas e de temperatura que "quase" permite vida. De fato,
Marte possui a atmosfera, contém grande quantidade de água ( congelada ) e na
temperatura superficial pode chegar até os 27°C. A atimosfera de Marte e feita por
componentes químicos : dióxido de carbono (95%) azoto ( menos de 3%) e argon (
menos de 2%) e o oxigênio sendo que para a terra o oxigênio e exencial para a vida.

PG:23
A atimosfera de Marte e muito tênue (menos de 1 % da pressão atimosferica normal na
terra ). Embora seja o suficiente para que haja ventos a cima do normal para fazer
grandes tempestades de areia suficientes para cobrir o planeta inteiro. A temperatura de
marte pode atingir no máximo 27°c, porém essa temperatura só ocorre no verão e só de
dia. A temperatura polar do planeta é pela casa dos -133°C e sua temperatura anual
chega ser -55°C. As baixíssimas temperaturas e abaixa a pressão atmosfera faz com que
toda a água do planeta só possa existir em dois estados o estado congelado ou gasoso.
Sim foi encontrado água no planeta vermelho em suas calotas polares que são
compostas por geleiras de dióxido de carbono.

Dados da missão de 2001 "Mars Odyssey" apontam que uma grande quantidade de água
congelada na superfície de Marte principalmente em suas latitude, porém isso não quer
dizer que não haja água no resto do planeta existe porém em menos quantidade. Durante
a missão Vikings 1 e 2 foi comprovado que para a existência de qualquer organismo em
Marte deveria existir água líquida com isso nasceu uma nova esperança para os
cientistas que analisam a imagem microscópica que um fragmento de meteoro de
origem marciana.

PG:24
A forma de relevo de Marte apresenta a formação de antigos vales fluviais , zona de
escoamento e vestígios de verdadeiras enxurradas. Isso só poderia acontecer se algum
dia já houver a água líquida na superfície do planeta. O conhecimento gerado durante as
pesquisas no plante vermelho poderão ajudar a compreender melhor como era o
ambiente até mesmo na terra.

Do ponto de vista geográfico Marte apresenta uma dicotomia acentuada entre os


hemisférios; no norte com uma menor altitude e menores crateras (mais jovens) já no
hemisfério Sul com maior altitude e com mais crateras ( mais antigas ) podem ter
ocorrido devido a queda de meteoros!

Com essas diferenças nas densidades das distribuições de crateras é possível definir três
grandes grupos de idade que o planeta vermelho já passou são essas: Noachiano o mais
antigo, com mais e maiores crateras, O Hesperiano de idade intermediária nas zonas
altas meridionais, com muitas crateras pequenas e Amazonians mas planícies
setentrionais com pouca crateras.

A dicotomia Norte e Sul do planeta se permanece do clima até o magnetismo. Marte nos
tempos atuais não possui campo magnético dipolar como a terra ou mercúrio, mas
algum tempo atrás já deve ter existido, isso foi provado através de rocha com polaridade
alteradas semelhantes as do fundo do Oceano da terá principalmente no hemisfério sul

PG:25
Outra característica do planeta vermelho são os tamanhos de seus vulcões os maiores do
sistema solar hoje presumidamente "extintos" o maior de todos é o monte Olimpo que
atingir uma altura de 24 Km a sua base tem mais de 500 km de diâmetro e é delimitado
por um penhasco com 6 km de altura isso porque Marte tem a metade da circunferência
da terra.

pesquisadores dizem que a origem do Monte Olimpo está relacionada com a bacia de
hellas, no caso uma carteira gigante de impacto com mais de 6 Km de profundidade e
2.000 km de diâmetro.

O impacto poderá ter gerado energia o suficiente para a fusão das rochas e a energia do
Monte Olimpo e provavelmente um monte tharsisnod. Com essa exceção desta massa
rochosa terá provocado algum tipo de retroação nas costas adjacentes dando origem a
outras estruturas de Marte como: os vales marineris, que é um dos maiores desfiladeiros
do sistema solar com sua extensão de 4000 km e chegando a atingir 7 km de
profundidade.

Durante as análises da sonda "Mars Pathfinder", foi analisado o que Marte não tem uma
tectônica ativa. Toda a estrutura de Marte é analisada a partir da superfície e das
propriedades físicas globais assim o planeta terá uma crosta mais fina no hemisfério .
norte ( 35km ) do que no hemisfério sul com (80km) possuindo um manto silicatada,
com como o da terra, porém muito mais denso e um núcleo metálico sólido que em sua
composição poderá ter misturas de ferro e sulfato de ferro com um raio de cerca de 1700
km.

PG:26
Quanto mais conhecemos sobre Marte maior é a nossa curiosidade sobre o planeta
vermelho não é de ser surpreender que as expedições são diretas para esse planeta,
agências espaciais lutam para desenvolver cada vez mais sobre Marte.

A expedição nos o me dá AEJ de dezembro de 2003 chegou ao solo do planeta para


vasculhar cada vez mais a superfície e está operando até os dias de hoje.

Dados Astronómicos
Orbita: Sol

Distância média ao Sol (UA): 1.52366

Excentricidade orbital: 0.09341

Período sideral (dias): 686.980

Inclinação orbital: 1.850º

Velocidade orbital média (km/s): 24.13

Período de rotação (horas): 24.6597

Inclinação do eixo de rotação: 25.19º

Magnitude visual máxima: -2.91

Número de Satélites: 2 PG:27


Dados Físicos
Raio equatorial (km): 3397

Massa (kg): 0.64185 X 1024

Volume (km3): 16.318 X 1010

Densidade média (g/cm3): 3.933

Gravidade à superfície no equador (m/s2): 3.69

Velocidade de escape equatorial (km/s): 5.03

Temperatura média à superfície (K): 210

Albedo normal: 0.15

Momento magnético dipolar (Gauss R3): 0

Pressão atmosférica à superfície (mbar): ~6.9 - 9

Composição da atmosfera (% vol): CO2(95.32), N2(2.70), Ar(1.60), O2(0.13)

Dados Missões espaciais : Mariner 4,6,7,9; Mars 3-7; Viking 1,2 ; Phobos 1,2 ; M.
Global Surveyor ; M. 96 ; M. Pathfinder ; Nozomi ; 2001M. Odyssey ; M. Exploration
Rovers (2003); M. Express (2003); M. Reconnaissance Orbiter (2005)

PG:28
8. SINTURÃO DE ASTERIDES
O cinturão de asteroides é uma imensa região situada entre as órbitas de Marte e Júpiter
apesar de ser enorme a massa total do cinturão é de cerca de 4% da massa da Lua, ou
seja 0,06% a massa terrestre, cerca da metade da massa do cinturão está contida em
apenas 4 corpus: Ceres, Pallas, Vesta e Higia.

Como são corpos pequenos, menores do que planetas e alguns satélites naturais, os
asteroides que formam o cinturão possuem formato irregular. Apesar do cinturão conter
milhares de objetos todos orbitam no mesmo sentido dos planetas, completando uma
volta ao redor do sol entre 4 e 6 anos terrestres, a média da excentidade da órbita dos
asteroides e de 0,15.

A uma classe especial de asteroides dentro do cinturão,que são asteroides como 5261
Eureka e 588 Aquiles, eles situação nós ponto de Lagrange de Júpiter e Marte.

O cinturão já era previsto pelos astrônomos do século XVIII, a qual a lei de titius bode
que previa algo entre Marte e Júpiter, dada a uma sequência numerada iniciada com 0 e
depois 3, soma- se 4 unidades ao número anterior e dividir por 10 essa lei da distância
aproximada em UA do planeta até o sol.

Uma das hipóteses mais plausíveis para sua formação é que o cinturão de asteroides o
que são restos de planetas que não conseguiram se formar por completo durante a fase
nebulosa planetária, a imensa força gravitacional de Júpiter provavelmente impediu que
surgisse algum planeta nessa parte de detritos, estes detritos por estarem dentro da
influência gravitacional de Júpiter foram acelerados se chocando um contra os outros
até formarem o que conhecemos como cinturão de asteroides. A maioria dos asteroides
que encontramos no cinturão se encontra classificados segundo a sua composição.
Existem três tipos de composição os: Carbonáceos (tipo-C), os Silicato ( tipo-S) e os
metálicos ( tipo-M), os mais abundantes são os do tipo Carbonáceos que compõem 75%
do cinturão, enquanto os do tipo silicato compõem 15% do cinturão e o metálico
compõem apenas 10% do cinturão.

Podemos dizer que o cinturão possuem diversos objetos porém os mais conhecidos são:
Ceres; considerado praticamente um planeta anão com diâmetro de 940 km do tipo
carbonáceo, sua distância do sol é entre 2,5 e 3 UA, Vesta; é o terceiro maior do
cinturão, só perde para Pallas, é o mais brilhante dos cinturão tem o diâmetro de 530
km, e sua massa compreende 9% do cinturão, sua distância do sol é de 2,3 UA, Pallas; é
o segundo maior objeto do cinturão, com o diâmetro aproximado de 570 km, sua massa
é de 7% do cinturão, ele é do tipo carbonáceo, e sua distância do sol é entre 2,4 e 3,5
UA e Higia; o quarto maior asteroide do cinturão com o diâmetro de 430 Km, sua massa
é de 3% do cinturão, seu tipo é o carbonáceo, e sua distância do sol é de 3,5 UA.

Sondas que foram enviadas para investigar Como é o cinturão: NEAR Shoemaker,
Hayabusa, Missão Dawn e WISE, é muitas destas ondas tiraram fotos do que existem
no cinturão. PG: 29
9. PLANETA JÚPITER
Júpiter ele tem 1,300 vezes o volume do nosso planeta terra, ao contrário de terra,
mercúrio vênus, e marte ele não tem uma superfície sólida os planetas que são sólidos
são chamados de telúricos, Júpiter tem a mesma composição que o sol.

Júpiter é o maior planeta do sistema solar com o diâmetro de 142,984 de quilômetros e


ele se encontra entrei marte e saturno caberia mais ou menos mil planetas terra em
Júpiter, sua atmosfera é composta por hidrogênio e hélio. A distância entre o sol e
Júpiter é de 779 milhões de quilômetros a temperatura em Júpiter pode chegar a – 110
graus e nesse planeta existe uma enorme mancha vermelha é considerado uma enorme
tempestade, chamada: anticiclônica esse planeta pode ser visto a olho nu, considerado é
o quarta coisa mais brilhante do céu se classificando atrás do sol, lua, e vênus.

Galileu Galilei foi o primeiro a estudar o planeta Júpiter a traves de um telescópio no


século XVII, ele foi o responsável de descobrir os quatro maiores satélites naturais em
Júpiter. O avanço permitiu que em contassem 63 satélites naturais, o movimento de
rotação, esse planeta se movimenta em torno do seu próprio eixo ele leva um tempo
entre nove e dez horas na terra.

O seu movimento de translação) deslocamento em tono do sol) termina em 12 anos


terrestre por que 12 anos na terra é um ano em Júpiter, assim como saturno ele tem um
sistema de anéis, a atmosfera desse planeta é dividido em algumas faixas em várias
latitudes com o resultado de turbulências e tempestades. Na mancha vermelha que tem
no planeta a velocidade do vento pode chega a 500 quilômetros por hora, ele demora
menos de 10 horas para completar a volta em torno de si mesmo é a movimentação mais
rápida dos planetas do sistema solar o movimento de translação que esse planeta
percorre e de 11 anos terrestres.

SATELITES:

Atualmente nós conhecemos 69 satélites de Júpiter eles acabam sendo bem


diferenciados uns dos outros sendo que alguns desses satélites são considerados uns dos
maiores satélites, dos planetas do nosso sistema solar tendo milhares de quilômetros de
diâmetro e tem outros que são rochosos e pequenos com curtos diâmetros, Júpiter
possui uma impressionante sistema de satélites.

Esses satélites foram descobertos por Galileu Galilei em 1610 e ficaram conhecidas
como luas Galileia, de acordo com as pesquisas esses são os maiores satélites (luas) dê-
se planeta.

PG:30
O seu maior satélite é:ganimedes com 5,262 quilômetros de diâmetro é o maior satélite
do sistema solar, ganimedes acabou sendo maior que o planeta mercúrio. Se ganimedes,
Orbitasse diretamente em torno do sol em vez de orbitar em Júpiter ele poderia ser
considerado um planeta.

O segundo satélite de Júpiter é Calisto com mais ou menos 4,820 quilômetros de


diâmetro considerado o terceiro satélite do sistema solar.

O terceiro maior satélite chama-se IO com mais ou menos 3,642 quilômetros de


diâmetro pois ele acaba sendo um tanto maior do que a nossa própria lua. IO é um corpo
se leste com maior atividade vulcânica por que ele contém cerca de 400 vulcões ativos.

O quarto maior satélite de Júpiter é:Europa com a média de 3,121 quilômetros de


diâmetro esse lua de Júpiter contém sua superfície coberta por gelo é possível que
abaixo dessa camada de gelo haja um oceano de água salgada.

Depois de ter falado sobre as quatro maiores luas de Júpiter vem suas menores luas que
contém menos de 300 quilômetros de diâmetro (amalteia 246x146x128 quilômetros de
diâmetro, Himalaia com cerca de 170 quilômetros de diâmetro, tebi com mais ou menos
116x98x44 quilômetros de diâmetro.

PG:31
10. PLANETA SATURNO
Como a maioria dos planetas, Saturno é um corpo celeste que orbita o Sol ou seja gira
em torno do dele. Sabemos que Júpiter é o maior planeta do sistema solar e em seguida
encontra-se Saturno nos encantando não só por seu tamanho mas por seus anéis. Em
uma ordem crescente ele se encontra na sexta posição de uma distância do Sol, ele gira
ao seu redor em uma certa distância média de cerca de 1,4 bilhão de quilômetros.

Saturno é imensurável, com um diâmetro de cerca de 120.600 quilômetros, a sua


amplitude é de 9,4 vezes maior do que a da Terra. Entretanto Saturno é muito escasso e
até flutuaria se fosse posto na água.

Esse corpo celeste e chamado de gigante gasoso, pois é composto sobretudo por gases, e
o principal é o hidrogênio e hélio. Em foto tiradas Saturno aparenta ter uma superfície
solida, mas na verdade são apenas camadas de nuvens. Sob as imensas camadas de
gases existe uma área mínima de metal líquido incandescente, e é muito provável que o
núcleo do planeta seja rochoso e quente.

Um sistema de anéis muitos finos circunda Saturno, eles se estendem por milhares de
quilômetros além do próprio planeta, eles sãos compostos por blocos de gelo sujo, ou
seja gelo misturado com poeira, fragmentos minerais etc.

De modo a todos os planetas, Saturno tem dois tipos de movimento: a translação e a


rotação. Na translação esse corpo celeste órbita em torno do Sol isto é, gira torno dele.
Para concluir uma órbita, leva cerca de 29 anos terrestre, ou seja um ano em Saturno
equivale a aproximadamente 29 anos na terra.

Saturno gira em torno de seu próprio eixo, numa velocidade extraordinária leva menos
de onze horas para completar uma rotação, e essa é a duração de um dia nesse astro.

Composto por oitos luas ( ou satélites naturais) principais e de variáveis tamanho,


Saturno tem mais de quarenta luas que ficam em sua órbita, sendo elas:

TITÃ, o primeiro satélite do planeta Saturno e foi descoberto em 1655 pelo holandês
Christiaan Huygens. Titã é o maior satélite desse astro e o segundo maior satélite do
sistema solar, ultrapassado apenas por Ganimdes que é um satélite de Júpiter.

Titã é maior que o planeta mercúrio, em todo o sistema solar esse satélite e o único que
possui uma atmosfera densa, no caso até mais densa do que a atmosfera do planeta
Terra. O elemento principal dessa lua é o azoto

REIA, o segundo maior satélite, com 1528 km de diâmetro( menos de um terço do


diâmetro de Titã). Está lua foi descoberta pelo astrónomo Giovanni Cassini em 1672.

PG: 32
JÁPETO, ( também conhecido como lapetus) e a terceira lua, em um diâmetro de 1470
km, e foi descoberta em 1672 pelo mesmo astrónomo que encontrou Reia.

DIONE, o quarto maior satélite, com um diâmetro de 1123 km, também descoberto por
Giovanni Cassini em 1684.

TÉTIS, a quinta lua com 1066 km de diâmetro, descoberta também por Giovanni
Cassini em 1684.

ENCÉLADO, sexto satélite com 500 km de diâmetro, descoberto pelo astrónomo


William Herschel em 1789.

MIMAS, sétima lua de Saturno com 396 km de diâmetro, descoberta em 1789 pelo
mesmo astrónomo que encontrou Encélado.

HIPERIÃO, oitavo satélite, possui uma forma irregular com um diâmetro de 410 x 260
x 220 km. Foi descoberto por três astrónomos William Cranch Bond, George Philips
Bond e William Lassell em 1848.

FEBE, a nona maior lua de Saturno possui 213 km de diâmetro, foi descoberta em 1899
pelo astrónomo William Henry Pickering.

Posteriormente destes satélites de Saturno, prosseguimos a outros com menos de 200


km de diâmetro. JANO(196 x 192 x 150 km), EPIMETEU ( 104 x 81 x 64 km),
PROMETEU ( 136 x 79 x 59 km), PANDORA ( 104 x 81 x 64 km), e existe muitos
outros satélites com poucas dezenas de km de diâmetro, outros com poucos km de
diâmetro, e outros ainda com muito menos de 1 km de diâmetro.

PG: 33
11. PLANETA URANO
Urano ele é um planeta gasoso, que vem após o cinturão de asteroides, ele é o sétimo
planeta que gira em torno da órbita do Sol. Sua distância do sol é de 2,750 milhões de
km até três bilhões de quilômetros, e possui um período orbital de 84 anos em torno da
órbita do Sol, seu dia dura mais ou menos 17 horas, e sua excentricidade é de 0,043.

Urano é um planeta curioso sua inclinação e de 97,77° ao contrário dos outros planetas,
os quais rotacionam na mesma direção da sua translação. Urano está "deitado" seu
hemisfério norte aponta diretamente para o sol.

Seu diâmetro é de 51.118 km ( 4 vezes o diâmetro da terra) sua massa é 15 vezes maior
do que a da terra, sua densidade média é de 1,29 g/cm³, sua aceleração gravitacional é
bem menor do que da terra é de 8,85 M/s², a temperatura média que tem em Urano é de
-214°C a -205°C

Sua atimosfera e composta por: Hidrogênio (83%), Hélio (15%), Metano (2%),
Deuterio (1%) e Etano (1%). Sua atmosfera Ela é bem calma e uniforme, assim como
Júpiter e Saturno, Urano possui anéis mas não tão chamativos como o de Saturno, seus
anéis são compostos por fragmentos de rocha e gelo que podem ter até 20m de
comprimento. Abaixo de sua atmosfera Urano possui um manto formado por uma
mistura de água amônia ambos em estado líquido, e muitas vezes esse fluido é chamado
de "oceano de água-amônia" esta mistura gera uma solução altamente condutiva que
possivelmente é a fonte dos Campos eletromagnéticos de urânio.

Não a superfície sólida em Urano, o núcleo de Urano é rochoso e formado por silicato
ferro e níquel.

Urano possui 27 satélites naturais, entre eles os mais famosos: Ariel, Miranda, Oberon,
Titaânia e Umbriel, seu satélites podem ser classificados em três categorias que são:
internos que situam-se entre os anéis de Urano eles são pequenos, os externos que muito
provavelmente são asteróides capturados por urânio, e o nível intermediário onde situa-
se os maiores satélites naturais de urânio.

Ao contrário dos outros planetas urânio não era conhecido desde a pré-história, sendo
descoberto a mais ou menos 230 anos atrás, em 1781 William Herschel, resolveu
nomea-lo de urânio por conta do Deus grego do céu.

Urano foi visitado pela sonda Voyager 2 em 1986 pela NASA, a qual estudou sua
composição química, sua atmosfera, seu campo magnético é muitos dos seus satélites
naturais, assim tendo descoberto + 10 satélites, o telescópio Hubble também foi
utilizado para observar o planeta tendo detectado mas dois satélites.

PG: 34
12. PLANETA NEPTUN
Netuno é o oitavo planeta do sistema solar e é o mais distante do Sol, sua distância do
sol é de 4,445 milhões de quilômetros ah 4,54 milhões de quilômetros, Neptuno leva
165 anos para completar uma volta em torno da órbita do Sol, seu dia dura em média 16
horas.

Netuno é o quarto planeta maior do sistema solar, tenho diâmetro de 49.528 km ( 3,88
vezes o tamanho da terra), sua massa é 17 vezes maior do que a massa da Terra, sua
densidade média é de 1,64 g/cm ³, e sua aceleração gravitacional é de 11,15 M/s², sua
temperatura média é de - 223°C a -220°C, e sua atmosfera é composta por: Hidrogênio
(80,0%), Hélio (19,0%), Metano (1,5%), Deuterio (1,0%) e Etano (1,0%).

Netuno é um planeta azul anil tem esta cor devido ao metano presente em sua
atmosfera, a qual absorve o vermelho e emite o azul, ao contrário de Urano Neptuno é o
lugar com mais ventos no sistema solar, sua atmosfera é extremamente hiperativa seus
ventos são de 2000km/h, 6 vezes mais rápido que qualquer tornado na Terra, a violência
em sua atmosfera deixou os astrônomos assustados, quando a sonda Voyager passou por
lá em 1989.

De tempos em tempos aparecem grandes manchas negras em sua superfície, o que são
imensas tempestades. As tempestades em Neptuno são as mais intensa do sistema solar,
abaixo de sua violenta atmosfera situa-se um manto, composto por uma mistura de
água, metano e amônia e também alguns fragmentos de rocha e gelo, seu núcleo é
completamente rochoso e formado por ferro e níquel, rodeado por uma camada líquida
de oxigênio e nitrogênio.

Neptuno possui um fraco campo magnético no qual ainda não se sabe sobre sua origem.

Neptuno possui um tênue anel ao seu redor, que possui 14 satélites naturais nos quais se
destaca tritão

Tritão possui ¼ do diâmetro da terra, sua distância de Neptuno é de 355.000km, é o


maior satélite natural de Neptuno, tritão orbita no sentido contrário da rotação de
Neptuno, isso é muito engraçado pois satélites do tamanho de tritão geralmente rodão
no mesmo sentido da rotação do planeta, então cientistas levantam suspeitas que
Neptuno por ser tão grande tenha capturado em sua órbita Tritão.

Netuno não pode ser visto a olho nu, e por isso foi descoberto em 1846, descoberto por
John Adam e Le Verrier, alguns anos mais tarde William Lassell descobriu o satélite
Tritão.

PG:35
Devido sua cor azul Lê Verrier resolver o nome aluno de Netuno o nome Latino para o
rei dos Mares.

Netuno foi visitado em em 1989 pela NASA pela sonda Voyager 2, que estudou sua
atmosfera, seu campo magnético e algumas de suas luas, o planeta também foi estudado
através do telescópio Hubble e outros telescópios.

Depois que Plutão foi considerado um planeta anão Netuno se transformou no último
planeta do sistema solar, os objetos depois de Netuno são chamados de objetos
transnetunianos, que fazem parte do cinturão de kuiper.

PG:36
13. PLUTÃO O PLANETA ANÃO
nosso sistema solar e composto por sete planetas sendo eles, Mercúrio, Vênus, Marte,
Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Mas temos um que não foi ditado entre os outros
desses o tal Plutão mas ele não e considerado mais planeta pois esta muito distante do
sol, e de acordo com as nova regras da união astrônomica internacional, Plutão não e
mais considerado ou chamado de planeta e sim considerado um planeta anão.

Para que um Astro seja chamado de planeta ele tem que em primeiro, orbita o Sol,
em segundo, ter forma mais ou menos esferica, e em terceiro, ser o maior na sua propria
orbita. dentre as três Plutão não cumpre a mesma sendo a terceira. Existem outros astros
em sua orbita maiores em massa com isso ele se torna um paneta anão, mas tambem
cumpre a duas primeiras exisgências como orbitar o Sol e tem forma esferica.

Tambem existem outros astros como Ceres e Éris as quais contem as mesmas
caractericas que Plutão

Ceres em questão da mitologia grega ele é considerado como uma Deusa da


colheita, esse planeta só foi indentificado em 1801 por um astronomo chamado
Giuseppe piazzi esse planeta se encontra pelas orbitas de Marte e Jupiter na região
chamada de cinturão de asteroides então podemos considerar o planeta anão mais
proximo da terra .

Agora vamos falar um pouco do tamanho de cada um desses começando por


plutão a massa de plutão tem aproximadamente 1,30 x 1022 Kg, Gravidade de 0,65
m/s2, Diametro aproximado de 2300 Km translação de 248 anos. Ceres massa mais
aproximada 9,45 x 10 20 Kg, gravidade aproximada de 0,26 m/s2 diametro de 950 Km.
Eris planeta com o diametro aproximado de 2400 Km, massa de 1,70 x 1022 Kg,
gravidade aproximada de 0,80 m/s2, periodo aproximado de translação de 557 anos.

PG:37
14. METEORO, METEORITO E METERÓIDE
Não é novidade um objeto sólido passa em nossa atmosfera terrestre afinal nosso
universo é grande e ainda existe muitos mistérios a serem desvendados, podem ser entre
eles um cometa, uma estrela ou até mesmo um meteoro.

Você sabe o que é um meteoro, do que eles sãos feitos?

O QUE É UM METEORO?

O meteoro além de ser um corpo celestes também é um fenômeno luminoso


ocasionando a passagem de um fragmento de matéria interplanetária que entra na
atmosfera terrestre. Quando um meteoro está passando pelo nosso céu observamos
apenas pequenas partículas de sua matéria, devido a fricção da atmosfera que faz as
suas partículas arder em fogo. O meteoro chamado naturalmente de estrela cadente, ou
estrela fugas, é observado quando a passagem de um meteoroide passa pela atmosfera
terrestre.

CHUVA DE METEORO:

Em algumas épocas do ano podemos ver uma quantidade maior de meteoro, do que em
uma noite qualquer damos um nome para esse evento q ocorre nas noites (chuva de
meteoros). Quando a terra passa por algum lugar da sua órbita onde um cometa deixa
resto de sua matéria por onde ele passa gás e poeira que fica quando o cometa se
aproxima do sol. O rastro que o cometa deixa, acaba passando pela atmosfera terrestre e
aumenta o número de meteoros visto do solo.

METEORITOS:

Ao contrário dos meteoros (conhecidos como estrelas cadentes). Os meteoritos que


acaba atingindo a superfície da terra, não são consumidos completamente, apesar de ter
alcançado uma alta temperatura que atinge devido a atmosfera terrestre.

Os meteoritos metálicos são compostos por ferro entre à (média de 85%),e níquel (na
média de:14%) podendo conter alguns elementos em menor porcentagem. Além desses
ainda tem os meteoritos ferro e rochosos que são a mistura de ferro e níquel, o material
de que são formados os meteoritos podem esclarecer toda a formação do nosso sistema
solar. Meteoritos especiais, os carbonáceos podem ter toda a origem da vida na terra por
ter compostos carbônicos muito simples.

PG:38
METEOROIDES:

Meteoroide são fragmentos de materiais que ficam vagando pelo espaço, os meteoros
têm dimensões menores do que um asteroide, os meteoroide são derivados de corpos
célestes (cometas e asteroides) e podem ter origem em ejeções de cometas que ficam
perto do sol, na colisão de dois asteroides ou um fragmento de sobra da criação da
sistema solar. Ao entrar em contato com a atmosfera de qualquer planeta, um
meteoroide pode dá origem à um meteoro.

Meteoroides que chega a superfície da terra são chamados de meteoritos, toneladas de


materiais cósmicos atinge toda a superfície da terra todos os dias.

No interior de todos os corpos celestes que compõe todo o sistema solar provavelmente
os mais interessantes seja os Meteoroides. Porque se nos imaginarmos um contexto de
família do sol, nós teremos os Meteoroides como os principais integrantes mesmo tendo
pequenas dimensões esses corpos se lestes são contratados em uma grande quantidade
no espaço. Os Meteoroides são os únicos corpos se lestes que o homem pode ter um
contato mais próximo e direto, e não precisamos ir ao espaço para ter contato com esses
corpos celestes.

PG:39
CONCLUSÃO
Concluímos que o espaço é um lugar que não temos Total conhecimento ainda,mas
através desta pesquisa podemos analisar as diversas características que o nosso sistema
solar possui, através de vários sites vídeos blogs documentários podemos ter uma
pequena noção do que se constitui o sistema solar e o universo, suas diferentes formas e
tamanhos sua variação de temperatura e tempo.

Podemos dizer que esta pesquisa não foram nada fácil de fazer, pois você falar sobre
algo que não se possui muito conteúdo é muito complicado, é complicado até mesmo
para os próprios cientistas que levaram anos e anos para concluir algumas destas
pesquisas e teorias.

Como a teoria da relatividade a do continuo espaço-tempo e outras diversas mais.

O sistema solar é um lugar muito grande e ainda muito curioso se não temos quase
noção de tudo que temos aqui imagine fora dele. O universo é muito vasto que ainda
vamos procurar desvendar mais de seus mistérios, através das ondas espaciais dos
telescópios e algumas outras coisas que são catalogadas pelos próprios cientistas a partir
daqui mesmo da terra.

PG: 40
DOCUMENTOS CONSULTADOS.

http://www1.ci.uc.pt/iguc/atlas/01origem.htm

http://www1.ci.uc.pt/iguc/atlas/07marte.htm

https://www.todoestudo.com.br/geografia/origem-da-terra

https://www.educabras.com/ensino_medio/materia/geografia/geografia
_fisica/aulas/a_origem_da_terra

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/biologia/origem-
do-planeta-terra/61778

https://www.youtube.com/watch?v=OGSfxOH410I&list=PL2EJlPZ0iJ
u58A-IyCaKBM5PuYmtlz3zc&index=7

https://www.youtube.com/watch?v=0I6ZQOPfgJk&list=PL2EJlPZ0iJ
u58A-IyCaKBM5PuYmtlz3zc&index=6

https://www.youtube.com/watch?v=Bl8Q7Lt56y0&list=PL2EJlPZ0iJu
58A-IyCaKBM5PuYmtlz3zc&index=3

https://brasilescola.uol.com.br/geografia/big-bang.htm

https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/teoria-big-bang.htm

https://www.infoescola.com/sistema-solar/cinturao-de-asteroides/

https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-e-o-cinturao-de-
asteroides/

https://www.todamateria.com.br/planeta-urano/

https://www.youtube.com/watch?v=IU9lbOSzIys

http://www.ccvalg.pt/astronomia/sistema_solar/neptuno.htm

https://www.youtube.com/watch?v=MxLgD-_Y7L4

https://brasilescola.uol.com.br/geografia/jupiter.htm

https://www.todamateria.com.br/planeta-jupiter/

https://www.todamateria.com.br/planeta-saturno/

https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/saturno.htm
https://www.todamateria.com.br/planeta-urano/

https://www.todamateria.com.br/planeta-mercurio/

https://www.todamateria.com.br/planeta-mercurio/

https://www.todamateria.com.br/planeta-venus/

https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/planetas-anoes.htm