Você está na página 1de 216

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS


AA

ANO LXIV - Nº 163 - SÁBADO, 19 DE SETEMBRO DE 2009 - BRASÍLIA-DF


MESA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS
(Biênio 2009/2010)

PRESIDENTE MICHEL TEMER – PMDB-SP

1º VICE-PRESIDENTE MARCO MAIA – PT-RS

2º VICE-PRESIDENTE ANTONIO CARLOS MAGALHÃES


NETO – DEM-BA

1º SECRETÁRIO RAFAEL GUERRA – PSDB-MG

2º SECRETÁRIO INOCÊNCIO OLIVEIRA – PR-PE

3º SECRETÁRIO ODAIR CUNHA – PT-MG

4º SECRETÁRIO NELSON MARQUEZELLI – PTB-SP

1º SUPLENTE MARCELO ORTIZ – PV-SP

2º SUPLENTE GIOVANNI QUEIROZ – PDT-PA

3º SUPLENTE LEANDRO SAMPAIO – PPS-RJ

4º SUPLENTE MANOEL JUNIOR – PSB-PB


CONGRESSO NACIONAL

Faço saber que o Congresso Nacional aprovou, e eu José Sarney, Presidente do Senado Federal, nos
termos do parágrafo único do art. 52 do Regimento Comum e do inciso XX VIII do art. 48 do Regimento Interno
do Senado Federal, promulgo o seguinte
DECRETO LEGISLATIVO Nº 644, DE 2009(*)

Aprova o texto do Acordo Básico de Cooperação Técnica entre o Governo da


República Federativa do Brasil e o Governo da República da Gâmbia, assinado em Brasília, em
9 de agosto de 2005.

O Congresso Nacional decreta:


Art. 1º Fica aprovado o texto do Acordo Básico de Cooperação Técnica entre o Governo da República
Federativa do Brasil e o Governo da República da Gâmbia assinado em Brasília, em 9 de agosto de 2005.
Parágrafo único. Ficam sujeitos à aprovação do Congresso Nacional quaisquer atos que possam resul-
tar em revisão do referido Acordo, bem como quaisquer ajustes complementares que, nos termos do inciso I do
art. 49 da Constituição Federal, acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional.
Art. 2º Este decreto legislativo entra em vigor na data de sua publicação.
Senado Federal, 18 de setembro de 2009. – Senador José Sarney, Presidente do Senado Federal.

(*) O texto do Acordo acima citado está publicado no DSF de 24-6-2009.

Faço saber que o Congresso Nacional aprovou, e eu, José Sarney, Presidente do Senado Federal, nos
termos do parágrafo único do art. 52 do Regimento Comum e do inciso XX VIII do art. 48 do Regimento Interno
do Senado Federal, promulgo o seguinte
DECRETO LECISLATIVO Nº 645, DE 2009(*)

Aprova o texto atualizado da Convenção Internacional para Salvaguarda da Vida


Humana no Mar.

O Congresso Nacional decreta:


Art. 1º Fica aprovado o texto atualizado da Convenção Internacional pan Salvaguarda da Vida Huma-
na no Mar.
Parágrafo Único. Ficam sujeitos à aprovação do Congresso Nacional quaisquer atos que possam
resultar em revisão da referida Convenção, bem como quaisquer ajustes complementares que, nos termos
do inciso I do art. 49 da Constituição Federal, acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio
nacional.
Art. 2º Este decreto legislativo entra em vigor na data de sua publicação.
Senado Federal, 18 de setembro de 2009. – Senador José Sarney, Presidente do Senado Federal.

(*) O texto da Convenção acima citado está publicado no DSF de 24-6-2009.


51358  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Faço saber que o Congresso Nacional aprovou, e eu, José Sarney, Presidente do Senado Federal, nos
termos do parágrafo único do art. 52 do Regimento Comum e do inciso XXVIII do art. 48 do Regimento Interno
do Senado Federal, promulgo o seguinte
DECRETO LECISLATIVO Nº 646, DE 2009(*)

Aprova o texto do Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e


o Governo do Reino da Suécia sobre o Exercício de Atividades Remuneradas por Parte de De-
pendentes do Pessoal Diplomático, Consular, Administrativo e Técnico, celebrado em Estocol-
mo, em 11 de setembro de 2007.

O Congresso Nacional decreta:


Art. 10 Fica aprovado o texto do Acordo entre o Governo da República
Federativa do Brasil e o Governo do Reino da Suécia sobre o Exercício de Atividades Remuneradas
por Parte de Dependentes do Pessoal Diplomático, Consular, Administrativo e Técnico celebrado em Estocolmo,
em 11 de setembro de 2007.
Parágrafo único. Ficam sujeitos à aprovação do Congresso Nacional quaisquer atos que possam
resultar em revisão do referido Acordo bem como quaisquer ajustes complementares que, nos termos do
inciso I do art. 49 da Constituição Federal, acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio
nacional.
Art. 2º Este decreto legislativo entra em vigor na data de sua publicação.
Senado Federal, 18 de setembro de 2009. – Senador José Sarney, Presidente do Senado Federal.

(*) O texto do Acordo acima citado está publicado no DSF de 24-6-2009.

Faço saber que o Congresso Nacional aprovou, e eu, José Sarney, Presidente do Senado Federal, nos
termos do parágrafo único do art. 52 do Regimento Comum e do inciso XXVIII do art. 48 do Regimento Interno
do Senado Federal, promulgo o seguinte
DECRETO LEGISLATIVO Nº 647, DE 2009(*)

Aprova o texto do Memorando de Entendimento entre o Governo da Repúbli-


ca Federativa do Brasil e o Governo do Reino da Dinamarca sobre Cooperação nas Áreas de
Energias Renováveis e Eficiência Energética, celebrado em Copenhague, em 13 de setembro
de 2007.

O Congresso Nacional decreta:


Art. 1º Fica aprovado o texto do Memorando de Entendimento entre o Governo da República Federativa
do Brasil e o Governo do Reino da Dinamarca sobre Cooperação nas Áreas de Energias Renováveis e Eficiência
Energética, celebrado em Copenhague, em 13 de setembro de 2007.
Parágrafo Único. Ficam sujeitos à aprovação do Congresso Nacional quaisquer atos que possam
resultar em revisão do referido Memorando, bem como quaisquer ajustes complementares que, nos termos
do inciso I do art. 49 da Constituição Federal, acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio
nacional.
Art. 2º Este decreto legislativo entra em vigor na data de sua publicação.
Senado Federal, 18 de setembro de 2009. – Senador José Sarney, Presidente do Senado Federal.

(*) 0 texto do Memorando acima citado está publicado no DSF de 24-6-2009.


Setembro de 2009 DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS Sábado 19 51359

CÂMARA DOS DEPUTADOS


SUMÁRIO

SEÇÃO I
1 – ATA DA 248ª SESSÃO DA CÂMARA de 2008 – Associação de Difusão Comunitária de
DOS DEPUTADOS, ORDINÁRIA, DA 3ª SESSÃO Novo Destino, no muncípio de Santa Rita do Novo
LEGISLATIVA ORDINÁRIA, DA 53ª LEGISLATU- Destino -GO; 5 – Portaria nº 1.101, de 23 de de-
RA, EM 18 DE SETEMBRO DE 2009 zembro de 2008 – Associação Cultural de Radio-
* Inexistência de quorum regimental para difusão Comunitária de Mimoso de Góias – GO, no
abertura da sessão Município de Mimoso de Góias -GO; 6 – Portaria nº
I – Abertura da sessão 1.103, de 23 dezembro de 2008 – Associação de
II – Leitura e assinatura da ata da sessão Desenvolvimento Comunitário e Cultural de Bra-
anterior gança – ASDEGAB, no Município de Bragança-PA;
III – Leitura do expediente 7 – Portaria nº 1.106, de 23 de dezembro de 2008
MENSAGENS – Associação “Josefa de Medeiros Lira”, no Muni-
cípio de Cruzeta-RN; 8 – Portaria nº 1.107, de 23
Nº 722/2009 – do Poder Executivo – Submete de dezembro de 2008 -Associação Comunitária de
à apreciação do Congresso Nacional, acompanhado Boa Vista do Incra – ICBVI, no Município de Boa
de Exposição de Motivos do Senhor Ministro das Vista do Incra – RS; 9 – Portaria nº 1.108, de 23
Comunicações, o ato constante do Decreto de 10 de dezembro de 2008 – Associação Comunitária
de junho de 2009, publicado no Diário Oficial da FM, no Município de Osório -RS; 10 – Portaria nº
União do dia 12 do mesmo mês e ano, que decla- 1.109, de 23 de dezembro de 2008 -Associação
ra perempta a concessão outorgada à Sociedade Comunitária Ferraria, no Município de Campo Largo
Rádio Dourados Ltda., para explorar, serviço de ra- – PR; 11 – Portaria nº 1.114, de 23 de dezembro de
diodifusão sonora em ondas tropicais no Município 2008 – Associação Rádio Comunitária de Taquari,
de Dourados, Estado do Mato Grosso do Sul........ 51364 no Município de Taquari-RS; 12 – Portaria nº 1.115,
Nº 725/2009 – do Poder Executivo – Comu- de 23 de dezembro de 2008 – ADCX – Associação
nica à Câmara dos Deputados que foi autorizada, de Difusão Comunitária de Xérem, no Município de
conforme Decreto de 10 de junho de 2009, publica- Duqe de Caxias -RJ; 13 – Portaria nº 1.116, de 23
do no Diário Oficial da União do dia 12 do mesmo de dezembro de 2008 – Associação radiodifusão
mês e ano, a transferência, para Caxias do Sul Ra- Comunitária Coronel Bicaco, no Município de Co-
diodifusão Ltda., da concessão outorgada à Trídio ronel Bicaco-RS; 14 – Portaria nº 1.117, de 23 de
Radiodifusão Ltda. explorar serviços de radiodifusão dezembro de 2008 – Clube do Livro Amigos da
sonora em ondas médias no Município de Caxias Leitura, no Município de Três de Maio – RS; 15
do Sul, Estado do Rio Grande do Sul..................... 51366 – Portaria nº 1.119, de 23 de dezembro de 2008
Nº 733/2009 – do Poder Executivo – Sub- – Associação Comunitária Teutônia, no muncípio
mete à apreciação do Congresso Nacional as au- de Teutônia – RS; 16 – Portaria nº 1.120, de 23 de
torizações às entidades abaixo relacionadas para dezembro de 2008 – Associação Comunitária São
executarem, pelo prazo de dez anos, sem direito Francisco de Assis, no Município de Abelardo Luz
de exclusividade, serviços de radiodifusão comu- – SC; 17 – Portaria nº 1.121, de 23 de dezembro
nitária, conforme os seguintes atos:1 – Portaria nº de 2008 – Associação Comunitária Beneficiente
1.091, de 23 de dezembro de 2008 – Associação de Radiodifusão de Inimutaba, no Município de
Comunitária com Ações Participantes, no Muni- Inimutaba-MG; 18 – Portaria nº 1.122, de 23 de de-
cípio de Jucas -CE; 2 – Portaria nº 1.092, de 23 zembro de 2008 – Associação Miguelina de Rádio
de dezembro de 2008 – Associação Pró – Cidada- Difusão Comunitária, no Município de São Miguel
nia_ Associação de Voluntários no Desenvolvimento das Missões -RS; 19 – Portaria nº 1.123, de 23
Humano e Difusão Cultural de Cidade ocidental, no de dezembro de 2008 – Associação Comunitária
Município de Cidade ocidental-GO; 3 – Portaria nº de Desenvolvimento Cultural e Artístico de Mariana
1.098, de 23 de dezembro de 2008 – Associação Pimentel, no Município de Mariana Pimentel – RS;
Rádio Cidade FM, no Município de Caldas Novas 20 – Portaria nº 1.125, de 23 de dezembro de 2008
– GO; 4 – Portaria nº 1.099, de 23 de dezembro – Associação Comunitária de Comunicação e Cul-
51360  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

tural de Paverama, no Município de Paverama-RS; radores da Vila Amorim( AMVA), no Município de


21 – Portaria nº 1.126, de 23 de dezembro de 2008 – Corumbaíba – GO; 42 – Portaria nº 1.206, de 30 de
Associação de Proteção à Maternidade e Infância de dezembro de 2008 – ACCLTP – Associação de Co-
Governador Mangabeira, no Município de Governador municação Comunitária Liberdade de Três Palmeiras/
de Mangabeira -BA; 22 – Portaria nº 1.127, de 23 de RS, no Município de Três Palmeiras -RS; 43 – Portaria
dezembro de 2008 – União Comunitária Ativa Única, nº 1.211, de 30 de dezembro de 2008 – Associação
no Município de Paulista-PB,23 – Portaria nº 1.132, Comunitária de Desenvolvimento Artístico e Cultural
de 23 de dezembro de 2008 – Associação Cultural e de Ladário – ACOLA, no Município de Ladário – MS;
Difusão Comunitária, no Município de Matina – BA; 44 – Portaria nº 1.214, de 30 de dezembro de 2008
24 – Portaria nº 1.136, de 23 de dezembro de 2008 – Associação de Amigos de Apiacás, no Município
– Associação Comunitária Amigos de Caravelas, no de Apiacás – MT; 45 – Portaria nº 1.217, de 30 de
Município de Caravelas – BA; 25 – Portaria nº 1.137, dezembro de 2008 – Associação Comunitária dos
de 23 de dezembro de 2008 – Associação de Ra- Moradores e Amigos de Oiapoque, no Município de
diodifusão Comunitária Voz Livre, no Município de Oiapoque – AP; 46 – Portaria nº 1.221, de 30 de
São Ludgero – SC; 26 – Portaria nº 1.142, de 23 de dezembro de 2008 – MEAC – Movimento Esportivo
dezembro de 2008 – Associação Cultural e Educati- Amador Coquense, no Município de Vitória do Me-
va de Sussuapara, no Município de Sussuapara -PI; arim – MA; 47 – Portaria nº 1.223, de 30 de dezem-
27 – Portaria nº 1.144, de 23 de dezembro de 2008 bro de 2008 – Associação Comunitária e Cultural do
– Associação Comunitária Cultural Mostardense, Bairro do Riacho, no Município de Barreirinhas – MA;
no Município de Mostardas – RS; 28 – Portaria nº 48 – Portaria nº 1.224, de 30 e dezembro de 2008
1.145, de 23 de dezembro de 2008 – Associação – Movimento Jovem de Pio XII – MOJOP, no Muni-
de Radiodifusão Comunitária de Magalhães Barata cípio de Pio XII – MA; 49 – Portaria nº 326, de 28 de
– ASDERACOMAB, no Município de Magalhães Ba- maio de 2009 – Associação recreativa e Esportiva
rata – PA; 29 – Portaria nº 1.147, de 23 de dezembro Grupo Manoel Marchetti, no Município de Ibirama –
de 2008 – Associação Comunitária de Radiodifusão SC; e50 – Portaria nº 366, de 26 e junho de 2009
de Dezesseis de Novembro -RS, no Município de De- – Associação Benefiientes Joaquim Cocundo, no
zesseis de Novembro-RS; 30 – Portaria nº 1.149, de Município de Bezerros – PE. ............................. 51367
23 de dezembro de 2008 – Associação Comunitária OFÍCIOS
Cultural e Recretiva de Marapanim-ASCCREM, no
Município de Marapanim-PA; 31 – Portaria nº 1.150, Nº 760/09 – Do Senhor Deputado Félix Mendon-
e 23 de dezembro de 2008 – Associação Cultural e ça, Presidente em exercício da Comissão de Finan-
Comunitária de Eldorado de Carajás, no Município ças e Tributação, encaminhando o PDC nº 1.144/08,
de Eldorado de Carajás – PA; 32 – Portaria nº 1.154, apreciado pela referida Comissão.............................. 51405
de 23 de dezembro de 2008 – Associação Comunitá- Nº 763/09 – Do Senhor Deputado Félix Men-
ria Solidariedade, no municipio de Novo Hamburgo donça, Presidente em exercício da Comissão de Fi-
– RS; 33 – Portaria nº 1.156, de 23 de dezembro nanças e Tributação, encaminhando o PL nº 3.454-
de 2008 – Fundação Froneteiras, no Município de A/08, apreciado pela referida Comissão................. 51405
Fronteiras-PI; 34 – Portaria nº 1.159, de 23 de de- Nº 234/09 – Do Senhor Deputado Severiano
zembro de 2008 – Associação Comunitária Gregório Alves, Presidente da Comissão de Relações Ex-
de Souza Mororó – Bairro Acampamento, no Município teriores e de Defesa Nacional, solicitando o enca-
de Varjota – CE; 35 – Portaria nº 1.161, de 23 de de- minhamento da Moção de Repúdio, referente às
zembro de 2008 – Associação Comunitária e Cultural ações das autoridades italianas de imigração, que
Nova Era, no Município de David Canabarrro – RS; constrangeram a Senadora Patrícia Saboya, logo
36 – Portaria nº 1.163, de 23 de dezembro de 2008 – após seu desembarque no aeroporto de Fiumicino,
Associação Comunitária de Desenvolvimento Artístico em Roma, na República Italiana. .......................... 51406
e Cultural de Oiapoque – ASCOQUE, no Município Nº 275/09 – Do Senhor Deputado Sabino Cas-
de Oiapoque – AP; 37 – Portaria nº 1.166, de 23 de telo Branco, Presidente da Comissão de Trabalho,
dezembro de 2008 – Associação Cultural e Artística de Administração e Serviço Público, comunicando
Dr. Juca Ribeiro, no Município de Sacramento – MG; a rejeição do PL nº 3.121-A/04............................... 51406
38 – Portaria nº 1.177, de 30 de dezembro de 2008 Nº 548/09 – Do Senhor Deputado Jaime Mar-
– Obra Social e Cultural Santo Antônio, no Município tins, Presidente da Comissão de Viação e Transpor-
de Caçapava-SP; 39 – Portaria nº 1.178, de 30 de tes, comunicando a rejeição do PL nº 5.171/09..... 51406
dezembro de 2008 – Instituto de Comunicação Po- Nº 93/09 – Da Senhora Deputada Bel Mes-
pular a Voz do Rinção, no Município de Bonito – MS; quita, Presidenta da CPI destinada a investigar
40 – Portaria nº 1.181, de 30 de dezembro de 2008 as causas, consequências e responsáveis pelos
– Associaç]ão dos Moradores do Bairrro da Muritiba, desaparecimentos de crianças e adolescentes no
no Município de Nazaré -BA; 41 – Portaria nº 1.182, Brasil no período de 2005 a 2007, solicitando seja
de 30 de dezembro de 2008 – Associação dos Mo- modificada a denominação da Comissão............... 51407
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51361 

QUESTÃO DE ORDEM Nº 5.937/2009 – da Srª. Gorete Pereira – “Con-


cede isenção do Imposto sobre Produtos Industria-
Nº 504/09 – Do Senhor Deputado Arnaldo
lizados – IPI para as motocicletas destinadas ao
Faria de Sá, requerendo que o PL nº 5.800/09, seja
exercício da atividade profissional de mototaxista,
devolvido ao autor................................................... 51409
mediante alteração na Lei nº 8.989, de 24 de feve-
PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR reiro de 1995, nas condições que estabelece.” ..... 51420
Nº 509/2009 – da Comissão Especial desti- Nº 5.957/2009 – da Srª. Vanessa Grazziotin –
nada ao exame e a avaliação da Crise Econômico- Dispõe sobre a criação da Zona de Processamento
Financeira e, ao final, formular propostas ao Poder de Exportação (ZPE) no Município de Itacoatiara,
Executivo e ao País, especificamente no que diz no Estado do Amazonas......................................... 51421
respeito à repercussão no Comércio. – Dispõe so-
PROJETO DE RESOLUÇÃO
bre a regulação dos serviços de pagamentos, que
incluem as atividades relacionadas à emissão e Nº 204/2009 – do Sr. Onyx Lorenzoni – Altera
credenciamento de cartões de crédito e de débi- e acrescenta artigos ao Regimento Interno da Câ-
to e dos demais instrumentos de pagamento, e o mara dos Deputados, instituindo normas especiais
compartilhamento da infraestrutura de coleta e pro- para o funcionamento das Comissões Parlamenta-
cessamento de informações na execução desses res de Inquérito....................................................... 51421
serviços.................................................................. 51410
PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE
PROJETOS DE LEI
Nº 103/2009 – do Sr. Leonardo Vilela – Propõe
Nº 5.870/2009 – do Sr. Washington Luiz – que a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abasteci-
Institui isenção da Contribuição para o PIS/PASEP mento e Desenvolvimento Rural fiscalize o Ministério
e da COFINS para receitas oriundas de operações do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior
com peças de motocicletas e bicicletas.................. 51413 quanto ao cumprimento de acordos de importação
Nº 5.876/2009 – do Sr. Rodovalho – Altera de laticínios realizados sob os auspícios do Gover-
a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, que no Brasileiro............................................................ 51423
dispõe sobre as sanções penais e administrativas
derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio REQUERIMENTOS
ambiente, e dá outras providências........................ 51414 Nº 5.444/2009 – Do Sr. Paes Landim – Requer
Nº 5.884/2009 – do Sr. Maurício Rands – Fo- a retirada de tramitação do PL nº 4.497 de 2008....... 51423
menta a adoção de Políticas de Responsabilidade Nº 5.452/2009 – da Sra. Vanessa Grazziotin –
Socioambiental por parte das pessoas jurídicas Requer Voto de Louvor pelos 100 anos da presença
contratadas pelo Poder Público, acrescenta inciso dos Frades Capuchinhos na Região Amazônica, co-
ao art. 27 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993 memorados no dia 5 do mês de maio deste ano....... 51423
(Lei de Licitações) e dá outras providências.......... 51415
Nº 5.500/2009 – do Sr. Roberto Rocha – Re-
Nº 5.908/2009 – da Comissão Especial des- quer Voto de Louvor pelo transcurso do 153º ani-
tinada a analisar proposições legislativas que te- versário de emancipação política do Município de
nham por objetivo o combate à pirataria. – Altera a PINHEIRO, no Estado do Maranhão, comemorado
Lei nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998, de modo
no dia 03 de setembro de 2009.............................. 51424
a aumentar a pena cominada à violação do direito
do autor de programas de computador. ................ 51416 Nº 5.501/2009 – do Sr. Roberto Rocha – Re-
quer Voto de Louvor pelo transcurso do 14º aniversá-
Nº 5.924/2009 – do Sr. Chico Alencar – Dá
rio de emancipação política do Município de OLINDA
nova redação ao art. 7º da Lei nº 9.294, de 15 de
NOVA DO MARANHÃO, no Estado do Maranhão,
julho de 1996, estabelecendo restrições à propa-
comemorado no dia 06 de setembro de 2009........ 51424
ganda de medicamentos nos veículos de comuni-
cação social............................................................ 51416 Nº 5.502/2009 – do Sr. Roberto Rocha – Re-
Nº 5.926/2009 – do Sr. Vital do Rêgo Filho quer Voto de Louvor pelo transcurso do 397º aniver-
– Altera o art. 192 da Consolidação das Leis do sário do Município de SÃO LUIS, capital do Estado
Trabalho – CLT, que dispõe sobre o exercício do do Maranhão, comemorado no dia 08 de setembro
trabalho em condições insalubres.......................... 51418 de 2009................................................................... 51424
Nº 5.932/2009 – do Sr. Guilherme Campos PRESIDENTE (Cleber Verde) – Abertura da
– Dispõe sobre a tributação do Imposto de Renda sessão.................................................................... 51424
dos valores recebidos a título de abono pecuniário IV – Pequeno Expediente
de férias.................................................................. 51419 NILSON MOURÃO (PT, AC) – Retomada do
Nº 5.934/2009 – da Srª. Perpétua Almeida – crescimento econômico brasileiro. Superação pelo
Altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, Brasil dos efeitos da crise financeira mundial. Geração
no que se refere à destinação de madeira apreen- de novos empregos formais no País. Êxito da política
dida......................................................................... 51419 econômica do Governo Luiz Inácio Lula da Silva......... 51424
51362  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

OSÓRIO ADRIANO (DEM, DF) – Defesa de de Aeronáutica S/A – EMBRAER para fabricação
distribuição equânime entre os Estados brasileiros de aeronaves tipo caça. Protesto contra a desati-
de recursos oriundos da exploração de petróleo na vação da empresa ENGESA – Engenheiros Espe-
camada pré‑sal....................................................... 51425 cializados S/A. Incongruência entre a pretendida
CLEBER VERDE (Bloco/PRB, MA) – Supe- aquisição, pelo Governo brasileiro, de aeronaves
ração pelo Brasil dos efeitos da crise financeira tipo caça e a falta de alimentação em quartéis do
mundial. Solidez da política econômica do Gover- Exército brasileiro na Amazônia. Baixos soldos dos
no Luiz Inácio Lula da Silva. Perspectiva de criação militares das Forças Armadas brasileiras. Afronta
de moeda de circulação mundial. Avanços socioe- à instituição demonstrada na utilização do Exército
conômicos do País com a exploração de petróleo no combate ao narcotráfico. Necessidade de redis-
na camada pré-sal. Importância de aprovação da cussão do papel das Forças Armadas brasileiras.
emenda oferecida ao Projeto de Lei nº 1, de 2007, Maior atenção dos governantes com a preservação
para garantia da correção dos proventos de aposen- do solo e da água. Visita do Presidente Luiz Inácio
tados e pensionistas com base no crescimento do Lula da Silva ao Estado de Roraima. Demarcação
Produto Interno Bruto – PIB. Conveniência de vota- excessiva de reservas indígenas no Estado. Re-
ção da proposta de extinção do fator previdenciário púdio ao anúncio do Presidente da República de
adotado no cálculo de aposentadorias. Utilização asfaltamento de rodovia e de construção de usina
de recursos do futuro Fundo Social para custeio da hidrelétrica na Guiana Inglesa................................ 51435
Previdência Social.................................................. 51426 RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB, DF)
V – Grande Expediente – Avaliação das políticas educacionais brasileiras.
CLEBER VERDE (Bloco/PRB, MA) – Trans- Contribuição dos programas sociais do Governo
curso do centenário de criação das escolas técni- Luiz Inácio Lula da Silva para elevação do nível de
cas federais no Estado do Maranhão e no Brasil. instrução do povo brasileiro. Congratulações ao
Retrospectiva da regulamentação do ensino pro- Governador do Estado de Pernambuco, Eduardo
fissionalizante no País. Expansão da rede federal Campos, e ao Ministro da Educação, Fernando
de ensino técnico pelo Governo Luiz Inácio Lula da Haddad, pelo desempenho na área educacional.
Silva. Excelência da gestão do Reitor do Instituto Aprovação pela Casa da proposta de emenda à
Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ma- Constituição sobre redução gradativa dos percentu-
ais de Desvinculação de Receitas da União – DRU
ranhão, José Costa................................................. 51427
incidente na área educacional. Defesa de aplicação,
PRESIDENTE (Nilson Mourão) – Leitura de
nas áreas de educação, ciência e tecnologia, de
Ato da Presidência sobre o indeferimento liminar
recursos oriundos da exploração de petróleo na
da Emenda nº 3 apresentada à Medida Provisória camada pré-sal....................................................... 51438
nº 468, de 2009, em face do conteúdo alheio ao
Apresentação de proposições: COMISSÃO
texto da Medida. Encaminhamento da matéria à
DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA
publicação............................................................... 51430
NACIONAL, JOSÉ OTÁVIO GERMANO, LOBBE
MARCONDES GADELHA (Bloco/PSB, PB NETO, OSÓRIO ADRIANO, SOLANGE AMARAL,
– Como Líder) – Apoio à decisão do Comando da VICENTINHO, WILSON SANTIAGO, MARIA DO
Aeronáutica a respeito da aquisição, pelo Governo ROSÁRIO, EUDES XAVIER, LOBBE NETO, MARIA
brasileiro, de submarino de propulsão nuclear, de DO ROSÁRIO, NAZARENO FONTELES, POM-
helicópteros e de aeronaves tipo caça................... 51431 PEO DE MATTOS, SEVERIANO ALVES, WILSON
NILSON MOURÃO (PT, AC) – Convite ao SANTIAGO, JOSÉ OTÁVIO GERMANO, OSÓRIO
orador pelo Embaixador da Líbia no Brasil, Salem ADRIANO, DARCÍSIO PERONDI, LUIZ CARLOS
Ezubedi, para participação nas comemorações alu- HAULY, REBECCA GARCIA, DARCÍSIO PERON-
sivas ao 40º aniversário da Revolução Líbia e ao 1º DI, EDMILSON VALENTIM, REBECCA GARCIA,
ano da Proclamação da União Africana. Discurso JOSÉ CHAVES, COMISSÃO ESPECIAL DESTI-
proferido pelo Embaixador Salem Ezubedi por oca- NADA A PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE
sião do transcurso do 40º aniversário da Revolução EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 115-A, DE 2007,
Líbia........................................................................ 51431 DO SR. PAULO RENATO SOUZA, QUE “CRIA O
MARCIO JUNQUEIRA (DEM, RR) – Resul- TRIBUNAL SUPERIOR DA PROBIDADE ADMINIS-
tado positivo da realização de audiência pública TRATIVA”; PODER EXECUTIVO, OTAVIO LEITE,
em Boa Vista, Estado do Acre, pela CPI destinada ROSE DE FREITAS, MARIA DO ROSÁRIO, ROSE
à investigação de reajustes de tarifas de energia DE FREITAS, DALVA FIGUEIREDO, RODRIGO
elétrica. Confiança do orador no resultado dos tra- ROLLEMBERG, PEDRO EUGÊNIO, RODRIGO
balhos do órgão. Indicação do Ministro de Relações ROLLEMBERG, PODER EXECUTIVO................... 51443
Institucionais, José Múcio Monteiro, para o Tribunal VI – Comunicações Parlamentares
de Contas da União – TCU. Defesa do cultivo de RAUL JUNGMANN (PPS, PE e Como Líder)
cana‑de‑açúcar na região amazônica. Conveniência – Mobilização internacional Hora de Acordar Global,
de concessão de financiamento à Empresa Brasileira pela adoção por parte de líderes políticos mundiais
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51363 

de iniciativas para redução de impactos sobre o cli- Oradores: CLEBER VERDE (Bloco/PRB, MA),
ma. Contrariedade à proposta de tributação da ca- BEL MESQUITA (Bloco/PMDB, PA)........................ 51470
derneta de poupança. Apresentação pelo orador de PRESIDENTE (Cleber Verde) – Convite ao Sr.
propostas de reforma do sistema eleitoral brasileiro. Gessé Simão de Melo para composição da Mesa
Aprovação, pela Comissão de Constituição e Justiça
Diretora dos trabalhos............................................ 51478
e de Cidadania, de proposta sobre o funcionamento
do jogo de bingo e de máquinas caça-níqueis. Ne- Orador: MARCIO JUNQUEIRA (DEM, RR). . 51478
cessidade de transformação da política de defesa Usaram da palavra os Srs. TONI DUARTE,
do País em política de Estado, com participação Presidente da Associação Nacional dos Garimpeiros
ativa do Congresso Nacional. Considerações sobre de Serra Pelada – AGASP-Brasil; GESSÉ SIMÃO
a inclusão do Brasil no Conselho de Segurança da DE MELO, Presidente da Cooperativa de Mineração
Organização das Nações Unidas. Conveniência de dos Garimpeiros de Serra Pelada – COOMIGASP. 51479
envio ao Congresso Nacional, pelo Poder Executi- PRESIDENTE (Cleber Verde) – Importância da
vo, do Livro Branco da Defesa Nacional. Proposta
participação dos Deputados na Frente Parlamentar em
de realização de plebiscito sobre a atualização do
Defesa dos Garimpeiros para garantia da aprovação
capítulo constitucional relativo ao sistema político
de projetos de interesse da categoria. Agradecimento
brasileiro................................................................. 51450
aos participantes na sessão solene............................ 51484
VII – Encerramento
V – Encerramento
DISCURSO PROFERIDO PELO SR. DEPU-
TADO PAES LANDIM (PTB, PI e Como Líder) NO 3 – DECISÃO DO PRESIDENTE
PERÍODO DESTINADO A COMUNICAÇÕES PAR- – Arquive-se, nos termos do artigo 133 do
LAMENTARES DA SESSÃO ORDINÁRIA DA CÂ- RICD, o PL nº 3.614/08.......................................... 51485
MARA DOS DEPUTADOS Nº 238, REALIZADA EM 4 – PARECERES
10 DE SETEMBRO DE 2009 – RETIRADO PELO – Projetos de Lei nºs 3.121-B/04, 3.454-
ORADOR PARA REVISÃO: Apelo à Empresa Brasi- B/08 e 5.171-A/09; Projeto de Decreto Legis-
leira de Infra-Estrutura Aeroportuária – INFRAERO lativo nº 1.144-A/08........................................ 51485
de restabelecimento da capacidade operacional do
Aeroporto de Parnaíba para realização de pousos COMISSÕES
noturnos, no Estado do Piauí, Matéria publicada 5 –ATA
pelo jornal O Globo sobre a devastação dos cerra- a) Comissão de Agricultura, Pecuária, Abas-
dos brasileiros. Maior atenção do INCRA para com tecimento e Desenvolvimento Rural, 39ª Reunião
o meio ambiente..................................................... 51467
(Audiência Pública), em 3-9-09, com notas taqui-
2 – ATA DA 249ª SESSÃO DA CÂMARA
gráficas................................................................... 51497
DOS DEPUTADOS, SOLENE, VESPERTINA, DA 3ª
SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA, DA 53ª LE- 6 – DESIGNAÇÕES
GISLATURA, EM 18 DE SETEMBRO DE 2009 a) Comissão de Agricultura, Pecuária, Abas-
I – Abertura da sessão tecimento e Desenvolvimento Rural, em 18-9-09... 51532
II – Leitura e assinatura da ata da sessão b) Comissão de Seguridade Social e Família,
anterior em 18-9-09............................................................. 51532
III – Leitura do expediente
IV – Homenagem SEÇÃO II
Transcurso do Dia do Garimpeiro................. 51469 7 – MESA
PRESIDENTE (Cleber Verde) – Composição 8 – LÍDERES E VICE-LÍDERES
da Mesa Diretora dos trabalhos. Transcurso do Dia 9 – DEPUTADOS EM EXERCÍCIO
do Garimpeiro......................................................... 51469 10 – COMISSÕES
51364  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

SEÇÃO I

Ata da 248ª Sessão, em 18 de setembro de 2009


Presidência dos Srs. Cleber Verde, Nilson Mourão,
Marcio Junqueira, Rodrigo Rollemberg, § 2º do art. 18 do RI
O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Não haven- Senhores Membros do Congresso Nacional,
do quorum regimental para abertura da sessão, nos Nos termos do art. 49, inciso XII, combinado
termos do § 3º do art. 79 do Regimento Interno, aguar- com o § 2º, do art. 223, da Constituição, submeto a
daremos até meia hora para que ele se complete. apreciação de Vossas Excelências, acompanhado de
Exposição de Motivos do Senhor Ministro de Estado
I – ABERTURA DA SESSÃO das Comunicações, o ato constante do Decreto de
(Às 9 horas e 30 minutos) 10 de junho de 2009, publicado no Diário Oficial da
O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Declaro União do dia 12 do mesmo mês e ano, que declara
aberta a sessão. perempta a concessão outorgada a Sociedade Rádio
Sob a proteção de Deus e em nome do povo Dourados Ltda., para explorar serviço de radiodifusão
brasileiro iniciamos nossos trabalhos. Sonora em ondas tropicais no Município de Dourados,
O Sr. Secretário procederá à leitura da ata da Estado do Mato Grosso do Sul.
sessão anterior. Brasília, 4 de setembro de 2009. – Luiz Inácio
Lula da Silva.
II – LEITURA DA ATA
EM nº 637/2008-MC
O SR. NILSON MOURÃO, servindo como 2º Se-
cretário, procede à leitura da ata da sessão anteceden- Brasi1ia 21 de novembro de 2008.
te, a qual é, sem observações, aprovada. Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Passa-se 1. Submeto a apreciação de Vossa Excelência o
à leitura do expediente. incluso Processo Administrativo nº 53000.008288/2007
O SR. NILSON MOURÃO, servindo como 1º Se- de revisão de outorga da entidade denominada Socie-
cretário, procede à leitura do seguinte dade Radio Dourados Ltda., concessionária do serviço
de radiodifusão sonora em ondas tropicais, no Muni-
III – EXPEDIENTE
cípio de Dourados, Estado do Mato Grosso do Sul,
MENSAGEM Nº 722, DE 2009 conforme Decreto nº 77.602, de 12 de maio de 1976 e
(Do Poder Executivo) renovada pelo Decreto nº 94.416, do l0 de junho 1987,
(Aviso no 663/2009 – C. Civil) publicado no Diário Oficial da União aos 11 de junho
do mesmo ano.
Submete a apreciação do Congresso 2. A legislação que rege a matéria atribui com-
Nacional, acompanhado de Exposição de petência a este Ministério para proceder a revisão de
Motivos do Senador Ministro das Comu- concessões permissões para a exploração de serviço
nicações, o ato constante do Decreto de de radiodifusão Sonora, com prazo de outorga prestes
10 de junho de 2009, publicado no Diário a expirar, ou já expirado, de acordo com as prescrições
Oficial da União do dia 12 do mesmo mês na Lei nº 4.117/1962, no Decreto nº 52.795/1963, na
e ano, que declara perempta a concessão Lei nº 5.785/1972 e no Decreto nº 88.066, de 26 de
outorgada a Sociedade Rádio Dourados janeiro de 1983.
Ltda., para explorar serviço de radiodifu- 3. Tendo em vista o vencimento do prazo de vi-
são sonora em ondas tropicais no Municí- gência da outorga sem o respectivo pedido de renova-
pio de Dourados, Estado do Mato Grosso ção, conforme previsto no Decreto nº 88.066 de 26 de
do Sul. janeiro de 1983, numa demonstração inequívoca de
– TVR 1597/2009 desinteresse pela concessão, submeto o anexo pro-
(As Comissões de Ciência e Tecnologia, jeto de decreto de perempção à apreciação de Vossa
Comunicação e Informática e Constituição e Excelência, nos termos do artigo 6º da Lei nº 5.785 de
Justiça e de Cidadania (Art. 54 RICD)) 23 de junho de 1972.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51365 

4. Nessa conformidade, e em observância aos gresso Nacional, para onde solicito seja encaminha-
termos do §2º do art. 223 da Constituição Federal, do o referido ato, acompanhado do processo que lhe
esclareço que o Decreto de perempção somente pro- deu origem.
duzirá seus efeitos legais após deliberação do Con- Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa.
51366  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

MENSAGEM Nº 725, DE 2009 de 2004, que renovou a presente outorga por mais 10
(Do Poder Executivo) (dez) anos, a partir de 1º de novembro de 1993.
AVISO Nº 666/2009 – C. Civil 4. A transferência da outorga para explorar ser-
viços de radiodifusão é regida pelas disposições con-
Comunica à Câmara dos Deputados tidas no Regulamento dos Serviços de Radiodifusão,
que foi autorizada, conforme Decreto de aprovado pelo Decreto nº 52.795, de 3l de outubro
10 de junho de 2009, publicado no Diário de 1963.
Oficial da União do dia 12 do mesmo mês 5. Cumpre ressaltar que os pedidos foram ana-
e ano, a transferência, para Caxias do Sul lisados pelos órgãos técnicos deste Ministério e con-
Radiodifusão Ltda., da concessão outor- siderados de acordo com as disposições legais apli-
gada a Trídio Radiodifusão Ltda., explorar cáveis, demonstrando possuir a cessionária as qua-
serviços de radiodifusão sonora em ondas lificações exigidas para a continuidade à exploração
médias no Município de Caxias do Sul, Es- do serviço.
tado do Rio Grande do Sul. 6. Nessa conformidade, e tendo em vista o dispos-
Despacho: A Comissão de Ciência e to no art. 94, item 3, alínea a, do citado Regulamento
Tecnologia, Comunicação e Informática, para dos Serviços de Radiodifusão, que atribui ao Presi-
Conhecimento. dente da República a decisão final sobre pedidos de
transferência direta de concessão, submeto o assunto
Senhores Membros do Congresso Nacional,
a consideração de Vossa Excelência.
Nos termos do art. 222, § 5º da Constituição,
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa.
alterado pela Emenda Constitucional nº 36, de 28 de
maio de 2002, comunico a Vossas Excelências que foi DECRETO DE 10 DE JUNHO DE 2009
autorizada, conforme Decreto de 10 de julho de 2009,
Transfere a concessão outorgada a
publicado no Diário Oficial da União do dia 12 do
Trídio Radiodifusão Ltda., para explorar
mesmo mês e ano, a transferência, para Caxias do Sul
serviços de radiodifusão sonora em ondas
Radiodifusão Ltda., da concessão outorgada a Trídio
médias, no Município de Caxias do Sul, Es-
Radiodifusão Ltda., explorar serviços de radiodifusão
tado do Rio Grande do Sul, para a Caxias
sonora em ondas médias no Município de Caxias do
do Sul Radiodifusão Ltda.
Sul, Estado do Rio Grande do Sul.
Brasília, 4 de setembro de 2009. – Luiz Inácio O Presidente da República, no uso das atribui-
Lula da Silva. ções que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Consti-
tuição, e nos termos do art. 94, item 3, alínea a, do
EM nº 632/2008-MC
Regulamento dos Serviços de Radiodifusão, aprovado
Brasília 21 de novembro de 2008 pelo Decreto nº 52.795, de 31 de outubro de 1963, e
tendo em vista o que consta do Processo Adminis-
Excelentíssimo Senhor Presidente da Republica, trativo nº 53528.000472/99-20, decreta:
1. Submeto à consideração de Vossa Excelência Art. 1º Fica transferida para Caxias do Sul Radio-
o incluso projeto de decreto que trata da transferência difusão Ltda., a concessão outorgada a Trídio Radio-
direta da concessão outorgada a Trídio Radiodifusão difusão Ltda., pelo Decreto nº 97.983, de 24 de julho
Ltda., para explorar serviço de radiodifusão sonora em de 1989, renovada pelo Decreto de 18 de fevereiro de
ondas médias, no Município de Caxias do Sul, Estado 1997, aprovado pelo Decreto Legislativo nº 736, de 24
do Rio Grande do Sul, para a Caxias do Sul Radiodi- de agosto de 2004, para explorar serviço de radiodifu-
fusão Ltda., (Processo nº 53528.000472/99). são sonora em ondas médias, no Município de Caxias
2. A concessão ora em análise foi deferida origi- do Sul, Estado do Rio Grande do Sul.
nariamente a sociedade Emissoras Reunidas Rádio Art. 2º A exploração do serviço de radiodifusão,
Cultura Ltda., pela Portaria MVOP nº 280, de 16 de cuja concessão é transferida por este decreto, reger-
abril de 1945, e posteriormente transferida à Trídio se-á pelo Código Brasileiro de Telecomunicações, leis
Radiodifusão Ltda., através do Decreto nº 97.983, de subsequentes e seus regulamentos.
24 de julho de 1989. Art. 3º Este decreto entra em vigor na data de
3. A mais recente renovação da concessão foi sua publicação.
deferida a entidade pelo Decreto s/nº de 18 de no- Brasília, 10 de junho de 2009; 188º da Inde-
vembro de 1993, aprovado pelo Decreto Legislativo nº pendência e 121º da República. – Helio Calixto da
736, de 2004, publicado no D.O.U do dia 25 de agosto Costa.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51367 

MENSAGEM Nº 733, DE 2009 Comunitária Ferraria, no Município de Cam-


(Do Poder Executivo) po Largo – PR;
AVISO Nº 674/2009 – C. Civil – TVR nº 1.555/2009 – Portaria nº 1.114,
de 23 de dezembro de 2008 – Associação
Submete à apreciação do Congres- Rádio Comunitária de Taquari, no Município
so Nacional as autorizações às entidades de Taquari – RS;
abaixo relacionadas para executarem, pelo – TVR nº 1.556/2009 – Portaria nº 1.115,
prazo de dez anos, sem direito de exclusivi- de 23 de dezembro de 2008 – ADCX – Asso-
dade, serviços de radiodifusão comunitária, ciação de Difusão Comunitária de Xerém,
conforme os seguintes atos: no Município de Duque de Caxias – RJ;
– TVR nº 1.545/2009 – Portaria nº 1.091, – TVR nº 1.557/2009 – Portaria nº 1.116,
de 23 de dezembro de 2008 – Associação de 23 de dezembro de 2008 – Associação
Comunitária com Ações Participantes, no Radiodifusão Comunitária Coronel Bicaco,
Município de Jucas – CE; no Município de Coronel Bicaco – RS;
– TVR nº 1.546/2009 – Portaria nº 1.092, – TVR nº 1.558/2009 – Portaria nº 1.117,
de 23 de dezembro de 2008 – Associação de 23 de dezembro de 2008 – Clube do Li-
Pró-Cidadania – Associação de Voluntários vro Amigos da Leitura, no Município de Três
no Desenvolvimento Humano e Difusão Cul- de Maio – RS;
tural de Cidade Ocidental, no Município de – TVR nº 1.559/2009 – Portaria nº 1.119,
Cidade Ocidental – GO; e 23 de dezembro de 2008 – Associação
– TVR nº 1.547/2009 – Portaria nº 1.098, Comunitária Teutônia, no Município de Teu-
de 23 de dezembro de 2008 – Associação tônia – RS;
Rádio Cidade FM, no Município de Caldas – TVR nº 1.560/2009 – Portaria nº 1.120,
Novas – GO; de 23 de dezembro de 2008 – Associação
– TVR nº 1.548/2009 – Portaria nº 1.099, Comunitária São Francisco de Assis, no
de 23 e dezembro de 2008 – Associação Município de Abelardo Luz – SC;
de Difusão Comunitária de Novo Destino, – TVR nº 1.561/2009 – Portaria nº 1.121,
no Município de Santa Rita do Novo Des- de 23 de dezembro de 2008 –Associação
tino – GO; Comunitária Beneficente de Radiodifusão
– TVR nº 1.549/2009 – Portaria nº 1.101, de Inimutaba, no Município de Inimutaba
de 23 de dezembro de 2008 – Associação – MG;
Cultural de Radiodifusão Comunitária de – TVR nº 1.562/2009 – Portaria nº 1.122,
Mimoso de Goiás– GO, no Município de de 23 de dezembro de 2008 –Associação
Mimoso de Goiás – GO; Miguelina de Rádio Difusão Comunitária,
– TVR nº 1.550/2009 – Portaria nº 1.103, no Município de São Miguel das Missões
de 23 de dezembro de 2008 – Associação – RS;
de Desenvolvimento Comunitário e Cultural – TVR nº 1.563/2009 – Portaria nº 1.132,
de Bragança – ASDEGAB, no Município de de 23 de dezembro de 2008 – Associação
Bragança – PA; Comunitária de Desenvolvimento Cultural
– TVR nº 1.551/2009 – Portaria nº 1.106, e Artístico de Mariana Pimentel, no Muni-
de 23 de dezembro de 2008 –Associação cípio de Mariana Pimentel – RS;
“Josefa de Medeiros Lira”, no Município – TVR nº 1.564/2009 – Portaria nº 1.125,
de Cruzeta – RN; de 23 de dezembro de 2008 – Associação
– TVR nº 1.552/2009 – Portaria nº 1.107, Comunitária de Comunicação e Cultural
de 23 de dezembro de 2008 – Associação de Paverama, no Município de Paverama
Comunitária de Boa Vista do Incra – ICBVI, – RS;
no Município de Boa Vista do Incra – RS; – TVR nº 1.565/2009 – Portaria nº 1.126,
– TVR nº 1.553/2009 – Portaria nº 1.108, de 23 de dezembro de 2008 – Associação
de 23 de dezembro de 2008 – Associação de Proteção à Maternidade e Infância de
Comunitária FM, no Município de Osório Governador Mangabeira, no Município de
– RS; Governador Mangabeira – BA;
– TVR nº 1.554/2009 – Portaria nº 1.109, – TVR nº 1.566/2009 – Portaria nº 1.127,
de 23 de dezembro de 2008 – Associação de 23 de dezembro de 2008 – União Comu-
51368  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

nitária Ativa Única, no Município de Pau- – Bairro Acampamento, no Município de


lista – PB; Varjota – CE;
– TVR nº 1.567/2009 – Portaria nº 1.132, – TVR nº 1.579/2009 – Portaria nº 1.161,
de 23 de dezembro de 2008 – Associação de 23 de dezembro de 2008 – Associação
Cultural e Difusão Comunitária, no Municí- Comunitária e Cultural Nova Era, no Muni-
pio de Matina – BA; cípio de David Canabarro – RS;
– TVR nº 1.568/2009 – Portaria nº 1.136, – TVR nº 1.580/2009 – Portaria nº 1.163,
de 23 de dezembro de 2008 – Associação de 23 de dezembro de 2008 – Associação
Comunitária Amigos de Caravelas, no Mu- Comunitária de Desenvolvimento Artístico
nicípio de Caravelas – BA; e Cultural de Oiapoque – ASCOQUE, no
– TVR nº 1.569/2009 – Portaria nº 1.137, município e Oiapoque – AP;
de 23 de dezembro de 2008 – Associação – TVR nº 1.581/2009 – Portaria nº 1.166,
de Radiodifusão Comunitária Voz Livre, no de 23 de dezembro de 2008 – Associação
Município de São Ludgero – SC; Cultural e Artística Dr. Juca Ribeiro, no Mu-
– TVR nº 1.570/2009 – Portaria nº 1.142, nicípio de Sacramento – MG;
de 23 de dezembro de 2008 – Associação – TVR nº 1.582/2009 – Portaria nº 1.177,
Cultural e Educativa de Sussuapara, no de 30 de dezembro de 2008 – Obra Social
Município de Sussuapara – PI; e Cultural Santo Antônio, no Município de
– TVR nº 1.571/2009 – Portaria nº 1.144, Caçapava – SP;
de 23 de dezembro de 2008 – Associação – TVR nº 1.583/2009 – Portaria nº 1.178,
Comunitária Cultural Mostardense, no Mu- de 30 de dezembro de 2008 – Instituto de
nicípio de Mostardas – RS; Comunicação Popular a Voz do Rincão, no
– TVR nº 1.572/2009 – Portaria nº 1.145, Município de Bonito – MS;
de 23 de dezembro de 2008 – Associação – TVR nº 1.584/2009 – Portaria nº 1.181,
de Radiodifusão Comunitária de Magalhães de 30 de dezembro de 2008 – Associação
Barata –ASDERACOMAB, no Município de dos Moradores do Bairro da Muritiba, no
Magalhães Barata – PA; Município de Nazaré – BA;
– TVR nº 1.573/2009 – Portaria nº 1.147, – TVR nº 1.585/2009 – Portaria nº 1.182,
de 23 de dezembro de 2008 – Associação de 30 de dezembro de 2008 – Associação
Comunitária de Radiodifusão de Dezesseis dos Moradores da Vila Amorim (AMVA), no
de Novembro – RS, no Município de Dezes- Município de Corumbaíba – GO;
seis de Novembro – RS; – TVR nº 1.586/2009 – Portaria nº 1.206,
– TVR nº 1.574/2009 – Portaria nº 1.149, de 30 de dezembro de 2008 – ACCLTP –
de 23 de dezembro de 2008 – Associação Associação e Comunicação Comunitária
Comunitária Cultural e Recreativa de Mara- Liberdade de Três Palmeiras/RS, no Muni-
panim – ASCCREM, no Município de Mara- cípio de Três Palmeiras – RS;
panim – PA; – TVR nº 1.587/2009 – Portaria nº 1.211,
– TVR nº 1.575/2009 – Portaria nº 1.150, de 30 de dezembro de 2008 – Associação
de 23 de dezembro de 2008 – Associação Comunitária de Desenvolvimento Artístico e
Cultural e Comunitária de Eldorado de Ca- Cultural de Ladário – ACOLA, no Município
rajás, no Município de Eldorado de Cara- de Ladário – MS;
jás – PA; – TVR nº 1.588/2009 – Portaria nº 1.214,
– TVR nº 1.576/2009 – Portaria nº 1.154, de 30 de dezembro de 2008 –Associação de
de 23 de dezembro de 2008 – Associação Amigos de Apiacás, no município e Apia-
Comunitária Solidariedade, no Município cás – MT;
de Novo Hamburgo – RS; – TVR nº 1.589/2009 – Portaria nº 1.217,
– TVR nº 1.577/2009 – Portaria nº 1.156, de 30 de dezembro de 2008 – Associação
de 23 de dezembro de 2008 – Fundação Comunitária dos Moradores e Amigos de
Fronteira, no Município de Fronteiras – PI; Oiapoque, no Município de Oiapoque –
– TVR nº 1.578/2009 – Portaria nº 1.159, AP;
de 23 de dezembro de 2008 – Associação – TVR nº 1.590/2009 – Portaria nº 1.221,
Comunitária Gregório de Souza Mororó de 30 de dezembro de 2008 – MEAC – Mo-
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51369 

vimento Esportivo Amador Coquense, no 7 – Portaria nº 1.106, de 23 de dezembro de 2008


Município de Vitória do Mearim – MA; – Associação “Josefa de Medeiros Lira”, no Município
– TVR nº 1.591/2009 – Portaria nº 1.223, de Cruzeta – RN;
de 30 de dezembro de 2008 – Associação 8 – Portaria nº 1.107, de 23 de dezembro de 2008
Comunitária e Cultural do Bairro do Riacho, – Associação Comunitária de Boa Vista do Incra – ICB-
no Município de Barreirinhas – MA; VI, no Município de Boa Vista do Incra – RS;
– TVR nº 1.592/2009 – Portaria nº 1.224, 9 – Portaria nº 1.108, de 23 de dezembro de
de 30 de dezembro de 2008 – Movimento 2008 – Associação Comunitária Rádio Momento FM,
Jovem de Pio XII – MOJOP, no Município no Município de Osório – RS;
de Pio XII – MA; 10 – Portaria nº 1.109, de 23 de dezembro de
– TVR nº 1.593/2009 – Portaria nº 326, 2008 – Associação de Radiodifusão Comunitária Fer-
de 28 de maio de 2009 – Associação Recre- raria, no Município de Campo Largo – PR;
ativa e Esportiva Grupo Manoel Marchetti, 11 – Portaria nº 1.114, de 23 de dezembro de
no Município de Ibirama – SC; e 2008 – Associação Rádio Comunitária de Taquari, no
– TVR nº 1.594/2009 – Portaria nº 366, Município de Taquari – RS;
de 26 de junho de 2009 – Associação Be- 12 – Portaria nº 1.115, de 23 de dezembro de
neficente Joaquim Cocundo, no Município 2008 – ADCX – Associação de Difusão Comunitária,
de Bezerros – PE. de Xerém, no Município de Duque de Caxias – RJ;
(Às Comissões de Ciência e Tecnologia, 13 – Portaria nº 1.116, de 23 de dezembro de
Comunicação e Informática e Constituição e 2008 – Associação Rádio Comunitária Coronel Bicaco,
Justiça e de Cidadania (Art. 54 RICD)) no Município de Coronel Bicaco – RS;
14 – Portaria nº 1.117, de 23 de dezembro de
Senhores Membros do Congresso Nacional, 2008 – Clube do Livro Amigos da Leitura, no Município
Nos termos do art. 49, inciso XII, combinado de Três de Maio – RS;
com o § 3º, do art. 223, da Constituição, submeto à 15 – Portaria nº 1.119, de 23 de dezembro de
apreciação de Vossas Excelências, acompanhadas de 2008 – Associação Comunitária Teutônia, no Municí-
Exposições de Motivos do Senhor Ministro de Estado pio de Teutônia – RS;
das Comunicações, autorizações às entidades abaixo 16 – Portaria nº 1.120, de 23 de dezembro de
relacionadas para executarem, pelo prazo de dez anos, 2008 – Associação Comunitária São Francisco de As-
sem direito de exclusividade, serviços de radiodifusão sis, no município e Abelardo Luz – SC;
comunitária, conforme os seguintes atos: 17 – Portaria nº 1.121, de 23 de dezembro de 2008
1 – Portaria nº 1.091, de 23 de dezembro de 2008 – Associação Comunitária Beneficente de Radiodifusão
– Associação Comunitária com Ações Participantes, de Inimutaba, no município e Inimutaba – MG;
no Município de Jucas – CE; 18 – Portaria nº 1.122, de 23 de dezembro de 2008
2 – Portaria nº 1.092, de 23 de dezembro de – Associação Miguelina de Rádio Difusão Comunitária,
2008 – Associação Pró-Cidadania –Associação de no Município de São Miguel das Missões – RS;
Voluntários no Desenvolvimento Humano e Difusão 19 – Portaria nº 1.123, de 23 de dezembro de
Cultural de Cidade Ocidental, no Município de Cidade 2008 – Associação Comunitária de Desenvolvimento
Ocidental – GO; Cultural e Artístico de Mariana Pimentel, no Município
3 – Portaria nº 1.098, de 23 de dezembro de de Mariana Pimentel – RS;
2008 – Associação Rádio Cidade FM, no Município 20 – Portaria nº 1.125, de 23 de dezembro de 2008
de Caldas Novas – GO; – Associação Comunitária de Comunicação e Cultura
4 – Portaria nº 1.099, de 23 de dezembro de 2008 de Paverama, no Município de Paverama – RS;
– Associação de Difusão Comunitária de Novo Destino, 21 – Portaria nº 1.126, de 23 de dezembro de
no Município de Santa Rita do Novo Destino – GO; 2008 – Associação de Proteção à Maternidade e In-
5 – Portaria nº 1.101, de 23 de dezembro de 2008 fância de Governador Mangabeira, no Município de
– Associação Cultural de Radiodifusão Comunitária Governador Mangabeira – BA;
de Mimoso de Goiás – GO, no Município de Mimoso 22 – Portaria nº 1.127, de 23 de dezembro de
de Goiás – GO; 2008 – União Comunitária Ativa Única, no Município
6 – Portaria nº 1.103, de 23 de dezembro de de Paulista – PB;
2008 – Associação de Desenvolvimento Comunitário 23 – Portaria nº 1.132, de 23 de dezembro de
e Cultural de Bragança – SDEGAB, no Município de 2008 – Associação Cultural e Difusão Comunitária, no
Bragança – PA; Município de Matina – BA;
51370  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

24 – Portaria nº 1.136, de 23 de dezembro de 39 – Portaria nº 1.178, de 30 de dezembro de


2008 – Associação Comunitária Amigos de Caravelas, 2008 – Instituto de Comunicação Popular a Voz do
no Município de Caravelas – BA; Rincão, no Município de Bonito – MS;
25 – Portaria nº 1.137, de 23 de dezembro de 40 – Portaria nº 1.181, de 30 de dezembro de
2008 – Associação de Radiodifusão Comunitária Voz 2008 – Associação dos Moradores do Bairro da Muri-
Livre, no Município de São Ludgero _SC; tiba, no Município de Nazaré – BA;
26 – Portaria nº 1.142, de 23 de dezembro de 41 – Portaria nº 1.182, de 30 de dezembro de
2008 – Associação Cultural e Educativa de Sussua- 2008 – Associação dos Moradores da Vila Amorim
para, no Município de Sussuapara – PI; (AMVA), no Município de Corumbaíba – GO;
27 – Portaria nº 1.144, de 23 de dezembro de 42 – Portaria nº 1.206, de 30 de dezembro de
2008 – Associação Comunitária Cultural Mostardense, 2008 – ACCLTP – Associação de Comunicação Comu-
no Município de Mostardas – RS; nitária Liberdade de Três Palmeiras/RS, no Município
28 – Portaria nº 1.145, de 23 de dezembro de de Três Palmeiras – RS;
2008 – Associação de Radiodifusão Comunitária de 43 – Portaria nº 1.211, de 30 de dezembro de
2008 – Associação Comunitária de Desenvolvimento
Magalhães Barata – ASDERACOMAB, no Município
Artístico e Cultural de Ladário – ACOLA, no Município
de Magalhães Barata – PA;
de Ladário – MS;
29 – Portaria nº 1.147, de 23 de dezembro de
44 – Portaria nº 1.214, de 30 de dezembro de
2008 – Associação Comunitária de Radiodifusão de
2008 – Associação de Amigos de Apiacás, no Muni-
Dezesseis de Novembro – RS, no Município de De-
cípio de Apiacás – MT;
zesseis de Novembro – RS;
45 – Portaria nº 1.217, de 30 de dezembro de 2008
30 – Portaria nº 1.149, de 23 de dezembro de
– Associação Comunitária dos Moradores e Amigos de
2008 – Associação Comunitária Cultural e Recreativa Oiapoque, no Município de Oiapoque – AP;
de Marapanim – ASCCREM, no Município de Mara- 46 – Portaria nº 1.221, de 30 de dezembro de 2008
panim – PA; – MEAC – Movimento Esportivo Amador Coquense,
31 – Portaria nº 1.150, de 23 de dezembro de no Município de Vitória do Mearim – MA;
2008 – Associação Cultural e Comunitária de Eldo- 47 – Portaria nº 1.223, de 30 de dezembro de
rado dos Carajás, no Município de Eldorado dos Ca- 2008 – Associação Comunitária e Cultural do Bairro
rajás – PA; do Riacho, no Município de Barreirinhas – MA;
32 – Portaria nº 1.154, de 23 de dezembro de 48 – Portaria nº 1.224, de 30 de dezembro de
2008 – Associação Comunitária Solidariedade, no 2008 – Movimento Jovem de Pio XII –MOJOP, no Mu-
Município de Novo Hamburgo – RS; nicípio de Pio XII – MA;
33 – Portaria nº 1.156, de 23 de dezembro de 49 – Portaria nº 326, de 28 de maio de 2009
2008 – Fundação Fronteiras, no Município de Fron- – Associação Recreativa e Esportiva Grupo Manoel
teiras – PI; Marchetti, no Município de Ibirama – SC; e
34 – Portaria nº 1.159, de 23 de dezembro de 50 – Portaria nº 366, de 16 de junho de 2009 –
2008 – Associação Comunitária Gregório de Souza Associação Beneficente Joaquim Cocundo, no Muni-
Mororó – Bairro Acampamento, no Município de Var- cípio de Bezerros – PE.
jota – CE; Brasília, 4 de setembro de 2009. – Luiz Inácio
35 – Portaria nº 1.161, de 23 de dezembro de Lula da Silva, Presidente da República Federativa
2008 – Associação Comunitária e Cultural Nova Era, do Brasil.
no Município de David Canabarro – RS; EM nº 346/2009 – MC
36 – Portaria nº 1.163, de 23 de dezembro de
Brasília, 17 de março de 2009
2008 – Associação Comunitária de Desenvolvimen-
to Artístico e Cultural de Oiapoque, – ASCOQUE, no Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
Município de Oiapoque – AP; 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
37 – Portaria nº 1.166, de 23 de dezembro de torga de Autorização e respectiva documentação para
2008 – Associação Cultural e Artística Dr. Juca Ribei- que a entidade Associação Comunitária com Ações
ro, no Município de Sacramento – MG; Participantes, no Município de Jucas, Estado do Ce-
38 – Portaria nº 1.177, de 30 de dezembro de ará, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em
2008 – Obra Social e Cultural Santo Antônio, no mu- conformidade com o caput do art. 223, da Constituição
nicípio e Caçapava – SP; e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51371 

2. A entidade requereu ao Ministério das Co- ográficas com latitude em 06º30’52”S e longitude em
municações sua inscrição para prestar o serviço de 39º31’44”W, utilizando a frequência de 104,9 MHz.
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
tração de receptividade da filosofia de criação desse do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das prazo de seis meses a contar da data de publicação
localidades postulantes. do ato de deliberação.
3. Como se depreende da importância da inicia- Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações sua publicação. – Hélio Costa.
permitem que as entidades trabalhem em conjunto EM nº 348/2009 – MC
com a comunidade, auxiliando não só no processo
educacional, social e cultural, mas, também servem Brasília, 17 de março de 2009
de elo à integração, por meio de informações bené-
Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
populacionais.
Outorga de Autorização e respectiva documentação
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas aná-
para que a Associação Pró-Cidadania – Associação
lises técnica jurídica da petição apresentada, constando
de Voluntários no Desenvolvimento Humano e Difusão
a inexistência de óbice legal e normativo ao pleito, o
Cultural de Cidade Ocidental, no Município de Cidade
que se conclui da documentação de origem, consubs-
Ocidental, Estado de Goiás, explorem o serviço de ra-
tanciada no Processo Administrativo nº 53100.000016-
diodifusão comunitária, em conformidade com o caput
04, que ora faço acompanhar, com a finalidade de
do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de
subsidiar os trabalhos finais.
5. Em conformidade com os preceitos constitu- fevereiro de 1998.
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
presente processo, passará a produzir efeitos legais municações sua inscrição para prestar o serviço de
somente após deliberação do Congresso Nacional, a radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
teor do § 3º, do art. 223 da Constituição Federal. manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa. tração de receptividade da filosofia de criação desse
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
PORTARIA Nº 1.091, senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 localidades postulantes.
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso 3. Como se depreende da importância da iniciativa
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso comandada por Vossa Excelência, essas ações per-
II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de mitem que as entidades trabalhem em conjunto com
Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº a comunidade, auxiliando não só no processo educa-
2.615, de 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 cional, social e cultural, mas, também servem de elo à
de fevereiro de 1998, e tendo em vista o que consta integração, por meio de informações benéficas a todos
do Processo Administrativo nº 53.100.000.016-04 e do os segmentos a todos esses núcleos populacionais.
PARECER/MC/CONJUR/MGT/Nº 0404 – 1.08/2008, 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
resolve: análises técnica e jurídica da petição apresentada,
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Co- constando a inexistência de óbice legal e normativo
munitária com Ações Participantes, com sede na Rua ao pleito, o que se inclui da documentação de ori-
Manoel Venâncio Leite, s/nº, no Município de Jucas, gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
Estado do Ceará, para executar serviço de radiodifu- 53000.019951/2005, que ora faço acompanhar, com
são comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
de exclusividade. 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes, presente processo, passará a produzir efeitos legais
seus regulamentos e normas complementares. somente após deliberação do Congresso Nacional, a
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- Respeitosamente – Hélio Calixto da Costa.
51372  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

PORTARIA Nº 1.092, 3. Como se depreende da importância da inicia-


DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
O Ministro de Estado das Comunicações, no permitem que as entidades trabalhem em conjunto
uso de suas atribuições, considerando o disposto no com a comunidade, auxiliando não só no processo
inciso II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Ser- educacional, social e cultural, mas também, servem
viço de Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo art. de elo a integração, por meio de informações bené-
1º do Decreto nº 2.615, de 3 de junho de 1998, e ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
na Lei nº 9.612 de 19 de fevereiro de 1998, e tendo populacionais.
em vista o que consta do Processo Administrativo nº 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
53000.019951/2005 e do PARECER/MC/CONJUR/ análises técnica e jurídica da petição apresentada,
DMM/Nº 0895 – 1.08/2008, resolve: constando a inexistência de óbice legal e normativo
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Pró- ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Cidadania – Associação de Voluntários no Desenvolvi- gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
mento Humano e Difusão Cultural de Cidade Ocidental, 53000.037515/2008, que ora faço acompanhar, com
com sede na SQ 16, Quadra 3, Casa 19, Município a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
de Cidade Ocidental, Estado de Goiás, para executar 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
anos, sem direito de exclusividade. presente processo, passará a produzir efeitos legais
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei somente após deliberação do Congresso Nacional, a
nº 9.612, e 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes, teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
seus regulamentos e normas complementares. Respeitosamente – Hélio Calixto da Costa.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- PORTARIA Nº 1.098,
ográficas com latitude em 16º06’16”S e longitude em DE 23 DE DEZMBRO DE 2008
47º55’38”W, utilizando a frequência de 98,1 MHz. O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi-
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no 3 de junho de 2998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
prazo de seis meses a contar da data de publicação de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo
do ato de deliberação. Administrativo nº 530000.037515/2007 e do PARECER/
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de MC/CONJUR/JSN/N 2.548 – 1.08/2008, resolve:
sua publicação. – Hélio Costa, Ministro de Estado das Art. 1º Outorgar autorização à Associação Rádio
Comunicações. Cidade FM, com sede à Rua 1, Quadra 3, lote 3, Se-
EM nº 119/2009 – MC tor Nossa Senhora de Fátima, no Município de Caldas
Novas, Estado de Goiás, para executar serviço de ra-
Brasília, 16 de fevereiro de 2009
diodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos, sem
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, direito de exclusividade.
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
Outorga de Autorização e respectiva documentação nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
para que a Associação Rádio Cidade FM, no Município seus regulamentos e normas complementares.
de Caldas Novas, Estado de Goiás, explore o serviço Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
de radiodifusão comunitária, em conformidade com o o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de ográficas com latitude em 17º39’58”S e longitude em
19 de fevereiro de 1998. 48º42’20”W, utilizando a frequência de 87,9 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse prazo de seis meses a contar da data de publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das Art. 4º Esta portaria entra em vigor na da de sua
localidades postulantes. publicação. – Hélio Costa.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51373 

EM nº 321/2009 – MC Art. 1º Outorgar autorização à Associação de Di-


Brasília, 17 de março de 2009 fusão Comunitária de Novo Destino, com sede na Rua
Monteiro de Barros, s/nº, Centro, no município de Santa
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Rita do Novo Destino, Estado do Goiás, para executar
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez
Outorga de Autorização e respectiva documentação anos, sem direito de exclusividade.
para que a entidade Associação de Difusão Comu- Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
nitária de Novo Destino, no Município de Santa Rita nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
do Novo Destino, Estado do Goiás explore o serviço seus regulamentos e normas complementares.
de radiodifusão comunitária, em conformidade com o Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de
ográficas com latitude em 15º08’03”S e longitude em
19 de fevereiro de 1998.
49º07’07”W utilizando a frequência de 87,9 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legas
municações sua inscrição para prestar o serviço de
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse prazo de seis meses a contar da data de publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes. sua publicação. – Hélio Costa.
3. Como se depreende da importância da inicia-
EM nº 342/2009 – MC
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto Brasília, 17 de março de 2009
com a comunidade, auxiliando não só no processo
educacional, social e cultural, mas também servem Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
de elo à integração, por meio de informações bené- 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
Outorga de Autorização e respectiva documentação
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
para que a Associação Cultural de Radiodifusão Co-
populacionais.
munitária de Mimoso de Goiás – GO, no Município de
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
Mimoso de Goiás, Estado do Goiás, explore o serviço
análises técnica e jurídica da petição apresentada,
de radiodifusão comunitária, em conformidade com o
constando a inexistência de óbice legal e normativo
caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- 19 de fevereiro de 1998.
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
53000.043938/205, que ora faço acompanhar, com a municações sua inscrição para prestar o serviço de
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
5. Em conformidade com os preceitos constitu- manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do tração de receptividade da filosofia de criação desse
presente processo, passará a produzir efeitos legais braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
somente após deliberação do Congresso Nacional, a senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
teor do § 3º, do art.223, da Constituição Federal. localidades postulantes.
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa. 3. Como se depreende da importância da iniciativa
PORTARIA Nº 1.099, comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem
que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni-
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
dade, auxiliando não só no processo educacional, social
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso e cultural, mas, também serve de elo a integração, por
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso meio de informações benéficas a todos os segmentos
II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Ra- e a todos esses núcleos populacionais.
diodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas análi-
de 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.62, de 19 de fevereiro ses técnica e jurídica da petição apresentada, constando
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo a inexistência de óbice legal e normativo ao pleito, o que
Administrativo nº 53000.043.938/2005e do Parecer/MC/ se conclui da documentação de origem, consubstancia-
Conjur/MGT/nº 2.207 – 1.08/2008, resolve: da no Processo Administrativo nº 53000.035793/2005,
51374  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

que ora faço acompanhar, com a finalidade de subsidiar 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
os trabalhos finais. municações sua inscrição para prestar o serviço de
5. Em conformidade com os preceitos constitu- radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
presente processo, passará a produzir efeitos legais tração de receptividade da filosofia de criação desse
somente após deliberação do Congresso Nacional, a braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa. localidades postulantes.
3. Como se depreende da importância da iniciativa
PORTARIA Nº 1.101,
comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni-
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso dade, auxiliando não só no processo educacional, social
de suas atribuições, considerando o disposto no inci- e cultural, mas, também, serve de elo a integração, por
so II do art. e art. 19 do Regulamento do Serviço de meio de informações benéficas a todos os segmentos
Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº e a todos esses núcleos populacionais.
2.615, de 3 de junho de 1998, e na Lei nº 9.612, de 19 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
de fevereiro de 1998, e tendo em vista o que consta do análises técnica e jurídica da petição apresentada,
Processo Administrativo nº 53000.035793/2005 e do Pa- constando a inexistência do óbice legal e normativo
recer/MC/Conjur/JSN/Nº 2295- 1.08/2008, resolve: ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Art. 1º Outorgar autorização a Associação Cultu- gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
ral de Radiodifusão Comunitária de Mimoso de Goiás 53000.003269/04, que ora faço acompanhar, com a
– GO, com sede a Rua 3, quadra 15, lote 3, fundos, finalidade do subsidiar os trabalhos finais.
no Município de Mimoso de Goiás, Estado do Goiás, 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
para executar serviço de radiodifusão comunitária, pelo cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
prazo de dez anos, sem direito de exclusividade.
presente processo, passará a produzir efeitos legais
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
somente após deliberação do Congresso Nacional, a
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
seus regulamentos e normas complementares.
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- PORTARIA Nº 1.103,
ográficas com latitude em 15º03’30”S e longitude em DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
48º09’39”W, utilizando a freqüência de 87,9 MHz. O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais de suas atribuições, considerando o disposto no inciso
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no 2.615, de 3 de junho do 1998, e na Lei nº 9.612, de 19
prazo de seis meses a contar da data de publicação de fevereiro de 1998, e tendo em vista o que consta
do ato de deliberação. do Processo Administrativo nº 53.000.003269/04 e do
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de Parecer/MC/Conjur/RPF/Nº 0655-1.08/2008, resolve:
sua publicação. – Hélio Costa. Art. 1º Outorgar autorização a Associação de
EM nº 236/2009 – MC Desenvolvimento Comunitário e Cultural de Bragan-
Brasília, 11 de março de 2009 ça – ASDEGAB, com sede na Rodovia PA-242, Km 4,
s/nº, no Município de Bragança, Estado do Pará, para
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, executar serviço de radiodifusão comunitária, pelo pra-
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de zo de dez anos, sem direito de exclusividade.
Outorga de Autorização e respectiva documentação Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
para que a Associação de Desenvolvimento Comuni- nº 9.612, de 19 do fevereiro do 1996, leis subsequentes,
tário e Cultural de Bragança – ASDEGAB, no Muni- seus regulamentos e normas complementares.
cípio de Bragança, Estado do Pará, explore o serviço Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
de radiodifusão comunitária, em conformidade com o o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de ográficas com latitude em 01º03’43”S e longitude em
19 de fevereiro de 1998. 46º47”56W, utilizando a frequência de 104,9 MHz.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51375 

Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais PORTARIA Nº 1.106,


após deliberação do Congresso Nacional, nos termos DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no de suas atribuições, considerando o disposto no inci-
prazo de seis meses a contar da data de publicação so II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de
do ato de deliberação. Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de 2.615, de 3 de junho de 1998, e na Lei nº 9.612, de 19
sua publicação. – Hélio Costa, Ministro de Estado das de fevereiro de 1998, e tendo em vista o que consta do
Comunicações. Processo Administrativo nº 53000.008412/2003 e do Pa-
EM nº 339/2009 – MC recer/MC/Conjur/JSN/Nº 2595 – 1.08/2008, resolve:
Art. 1º Outorgar autorização à Associação “Jose-
Brasília, 17 de março de 2009 fa de Medeiros Ltda.”, com sede a Rua João Lopes de
Araújo, s/nº, Centro, no Município de Cruzeta, Estado
Excelentíssimo Senhor Presidente da Republica,
do Rio Grande do Norte, para executar serviço de ra-
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de diodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos, sem
Outorga de Autorização e respectiva documentação direito de exclusividade.
para que a Associação “Josefa de Medeiros Ltda.”, no Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
Município de Cruzeta, Estado do Rio Grande do Nor- nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
te, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em seus regulamentos e normas complementares.
conformidade com o caput do art. 223, da Constituição Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998. o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- ográficas com latitude em 06º24’36”S e longitude em
municações sua inscrição para prestar o serviço de 36º46’56”W, utilizando a freqüência de 87,9 MHz.
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
tração de receptividade da filosofia de criação desse do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das prazo de seis meses a contar da data de publicação
localidades postulantes. do ato de deliberação.
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
3. Como se depreende da importância da inicia-
sua publicação. – Hélio Costa.
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto EM nº 223/2009 – MC
com a comunidade, auxiliando não só no processo Brasília, 10 de março de 2009
educacional, social e cultural, mas, também servem
de elo a integração, por meio de informações bené- Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
populacionais. Outorga de Autorização e respectiva documentação
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas para que a entidade Associação Comunitária de Boa
Vista do Incra – ICRBVI, no Município de Boa Vista do
análises técnica e jurídica da petição apresentada,
Incra, Estado do Rio Grande do Sul, explore o serviço
constando a inexistência de óbice legal e nominativo
de radiodifusão comunitária, em conformidade com o
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
19 de fevereiro de 1998.
53000.008412/2003, que ora faço acompanhar, com 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. municações sua inscrição para prestar o serviço de
5. Em conformidade com os preceitos constitu- radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
presente processo, passará a produzir efeitos legais tração de receptividade da filosofia de criação desse
somente após deliberação do Congresso Nacional, a braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa localidades postulantes.
51376  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

3. Como se depreende da importância da iniciativa EM nº 302/2009 – MC


comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem Brasília, 17 do marco de 2009
que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni-
dade, auxiliando não só no processo educacional, social Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
e cultural, mas, também, servem de elo a integração, por 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
meio de informações benéficas a todos os segmentos torga de Autorização e respectiva documentação para
e a todos esses núcleos populacionais. que a entidade Associação Comunitária Rádio Momento
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas FM, no Município de Osório, Estado do Rio Grande do
análises técnica e jurídica da petição apresentada, Sul, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em
constando a inexistência de óbice legal e normativo conformidade com o caput do art. 223, da Constituição
ao pleito, o que Se conclui da documentação de ori- e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
53790.001.147/2001, que ora faço acompanhar, com municações sua inscrição para prestar o serviço de
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
5. Em conformidade com os preceitos constitu- manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do tração de receptividade da filosofia de criação desse
presente processo, passará a produzir efeitos legais braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
somente após deliberação do Congresso Nacional, a senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. localidades postulantes.
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa. 3. Como se depreende da importância da inicia-
PORTARIA Nº 1.107, tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 permitem que as entidades trabalhem em conjunto
com a comunidade, auxiliando não só no processo
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de educacional, social e cultural mas, também, servem
suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do de elo a integração, por meio de informações bené-
art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi- ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de populacionais.
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo analises técnica e jurídica da petição apresentada,
Administrativo nº 53790.001.147/2001 e do Parecer/MC/ constando a inexistência de óbice legal c normativo
Conjur/MGT/Nº 2208 – 1.08/2008, resolve: do pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Art. 1º Outorgar autorização a Associação Co- gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
munitária de Boa Vista do Incra – ICBVI, com sede 53000.002414/2006, que ora faço acompanhar, com
na Avenida Heráclides de Lima Gomes, s/n0, Centro, a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
no Município de Boa Vista do Incra, Estado do Rio 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
Grande do Sul, para executar serviço de radiodifusão cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito de presente processo, passará a produzir efeitos legais
exclusividade. somente após deliberação do Congresso Nacional, a
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes, Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa.
seus regulamentos e normas complementares.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com PORTARIA Nº 1.108,
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
ográficas com latitude em 28º49’09”S e longitude em O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de
53º23’08”W, utilizando a freqüência de 107,9 MHz. suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi-
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo
prazo de seis meses a contar da data de publicação Administrativo nº 53.000.002.414/2006 e do PARECER/
do ato de deliberação. MC/CONJUR/MGT/Nº 1602- 1.08/2008, resolve:
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de Art. 1º Outorgar autorização à Associação Co-
sua publicação. – Hélio Costa. munitária Rádio Momento FM, com sede na Dr. Mário
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51377 

Santo Dani, 897 – sala 304, Centro, no Município de 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
Osório, Estado do Rio Grande do Sul para executar cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez presente processo, passará a produzir efeitos legais
anos, sem direito de exclusividade. somente após deliberação do Congresso Nacional, a
Parágrafo Único. A autorização reger-se-á pela Lei teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes, Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
seus regulamentos e normas complementares.
PORTARIA Nº 1.109,
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
ográficas com latitude em 29º53’16”S e longitude em O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
50º16’29”W, utilizando a frequência de 106,3 MHz. de suas atribuições considerando o disposto no inciso
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade 2.615, de 3 de junho de 1998, e na Lei nº 9.612, do 19
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no do fevereiro de 1998, e tendo em vista o que consta
prazo de seis meses a contar da data de publicação do Processo Administrativo nº 53000.064834/2005 e
do ato de deliberação. do Parecer/MC/CONJUR/JSN/Nº 1957 – 1.08/2008,
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de resolve:
sua publicação. – Hélio Costa. Art. 1º Outorgar autorização à Associação de
Radiodifusão Comunitária Ferraria, com sede à Rua
EM nº 233/2009 – MC
Mato Grosso, nº 8.125, Bairro Ferraria, no Município
Brasília, 10 de marco de 2009 de Campo Largo, Estado do Paraná, para executar
serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, anos, sem direito de exclusividade.
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Parágrafo Único. A autorização reger-se-á pela Lei
Outorga de Autorização e respectiva documentação nº 9.612, do 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüente,
para que a Associação de Radiodifusão Comunitária
seus regulamentos e normas complementares.
Ferraria, no Município de Campo Largo, Estado do Pa-
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
raná, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
conformidade com o caput do art. 223, da Constituição
ográficas com latitude em 25º27’38”S e longitude em
e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
49º24’OZ”W, utilizando a frequência de 98,3 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
Art. 3º Este Mo somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse
prazo de seis meses a contar da data do publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes.
sua publicação. – Hélio Costa.
3. Como se depreende da importância da inicia-
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações EM nº 234/2009. – MC
permitem que as entidades trabalhem em conjunto Brasília, 10 de marco de 2009
com a comunidade, auxiliando não só no processo
educacional, social e cultural mas, também, servem Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
de elo a integração, por meio de informações bené- 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos Outorga de Autorização e respectiva documentação
populacionais. para que a Associação Rádio Comunitária de Taqua-
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas ri, localizada no Município de Taquari, Estado do Rio
análises técnica e jurídica da petição apresentada, Grande do Sul, explore o serviço de radiodifusão co-
constando a inexistência de óbice legal e normativo munitária, em conformidade com o caput do art. 223,
ao pleito, o que só conclui da documentação de ori- da Constituição Federal e a Lei nº 9.612, de 19 de fe-
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº vereiro de 1998.
53000.064834/2005, que ora faço acompanhar, com 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. municações sua inscrição para prestar o serviço de
51378  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
tração de receptividade da filosofia de criação desse do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das prazo de seis meses a contar da data de publicação
localidades postulantes. do ato de deliberação.
3. Como se depreende da importância da inicia-
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data da
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
sua publicação. – Hélio Costa.
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
com a comunidade, auxiliando não só no processo EM nº 313/2009-MC
educacional, social e cultural, mas, também, servem Brasília, 17 de março de 2009
do elo à integração, por meio de informações bené-
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
populacionais. 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas Outorga de Autorização e respectiva documentação
análises técnica e jurídica da petição apresentada, para que a ADCX – Associação de Difusão Comu-
constando a inexistência de óbice legal e normativo
nitária de Xerém, no Município de Duque de Caxias,
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Estado do Rio de Janeiro, explore o serviço de radio-
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
53000.040007-05, que era faço acompanhar, com a difusão comunitária, em conformidade com o caput
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de
5. Em conformidade com os preceitos constitu- fevereiro de 1998.
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
presente processo, passará a produzir efeitos legais municações sua inscrição para prestar o serviço de
somente após deliberação do Congresso Nacional, a radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. manifestação do apoio da comunidade, numa demons-
Respeitosamente, – Hélio Calixto Costa tração de receptividade da filosofia de criação desse
PORTARIA Nº 1.114, braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
localidades postulantes.
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
3. Como se depreende da importância da inicia-
de suas atribuições, considerando o disposto no inci-
so II do art, 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
de Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto permitem que as entidades trabalhem em conjunto
nº 2.615, de 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de com a comunidade, auxiliando não só no processo
19 de fevereiro de 1998, e tendo em vista o que cons- educacional, social e cultural, mas, também, servem
ta do Processo Administrativo nº 53.000.040.007-05 de elo à integração, por meio de informações bené-
e do PARECER/MC/CONJUR/FHL/Nº 0960 – 1.08 / ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
2008, resolve: populacionais.
Art. 1º Outorgar autorização a Associação Rá- 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
dio Comunitária de Taquari, com sede na Rua Daniel analises técnica e jurídica da petição apresentada,
Conceição do Couto, nº 135, Bairro Colônia 20 de constando a inexistência de óbice legal e normativo
Setembro, no Município de Taquari, Estado do Rio ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Grande do Sul, para executar serviço de radiodifusão
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
comunitária, pelo prazo do 10 (dez) anos, sem direito
53000.055088/2004, que ora faço acompanhar, com
de exclusividade.
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
nº 9.612, de 19 do fevereiro de 1998, leis subsequentes, 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
seus regulamentos e normas complementares. cionais e legal; a outorga de autorização, objeto do
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com presente processo, passará a produzir efeitos legais
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- somente após deliberação do Congresso Nacional, a
ográficas com latitude em 29º47’03’S e longitude em teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
5lº5142”W, utilizando a frequência do 104,9 Mhz. Respeitosamente, – Hélio Costa.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51379 

PORTARIA Nº 1.115, 3. Como se depreende da importância da inicia-


DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de permitem que as entidades trabalhem em conjunto
suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do com a comunidade, auxiliando não só no processo
art. 92 e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi- educacional, social e cultural, mas, também, servem
de elo à integração, por meio de informações bené-
fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
populacionais.
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad-
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
ministrativo nº 53000.055088/2004 e do PARECER/MC/
análises técnica e jurídica da petição apresentada,
CONJUR/AAA/Nº 0351 – 1.08/ 2008, resolve:
constando a inexistência de óbice legal e normativo
Art. 1º Outorgar autorização a ADCX – Asso-
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
ciação de Difusão Comunitária de Xerém, com sede
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
na Travessa Garrão, nº 221, Sobrado – Mantiqueira,
53790.001374/2001, que ora faço acompanhar, com
no Município de Duque de Caxias, Estado do Rio de a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
Janeiro, para executar serviço de radiodifusão comu- 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
nitária, pelo prazo de 10 (dez) anos, sem direito de cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
exclusividade. presente processo, passará a produzir efeitos legais
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei somente após deliberação do Congresso Nacional, a
nº 9.612, de 19 do fevereiro de 1998, leis subsequentes, teor do art. 223, da Constituição Federal.
seus regulamentos e normas complementares. Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- PORTARIA Nº 1.116,
ográficas com latitude em 22º3505”S e longitude em DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
43º1804”W, utilizando a frequência de 105,9MHz. O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais de suas atribuições, considerando o disposto no inciso
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no 2.615, de 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19
prazo de seis meses a contar da data de publicação de fevereiro de 1998, e tendo em vista o que consta
do ato de deliberação. do Processo Administrativo nº 53.790.001.314/2001 e
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de do PARECER/MC/CONJUR/MGT/Nº 2306 – 1.08/2008,
sua publicação. – Hélio Costa. resolve:
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Rádio
EM nº 226/2009 – MC
Comunitária Coronel Bicaco, com sede na Avenida Pre-
Brasília, 10 de março de 2009 sidente Vargas, 1.443, Centro, no Município de Coronel
Bicaco, Estado do Rio Grande do Sul, para executar
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de anos, sem direito de exclusividade.
Outorga de Autorização e respectiva documentação Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
para que a entidade Associação Rádio Comunitária nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
Coronel Bicaco, no Município de Coronel Bicaco, Es- seus regulamentos e normas complementares.
tado do Rio Grande do Sul, explore o serviço de ra- Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
diodifusão comunitária, em conformidade com o caput o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de ográficas com latitude em 27º45’15”S e longitude em
fevereiro de 1998. 53º42’45”W, utilizando a freqüência de 87,9 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse prazo de seis meses a contar da data de publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes. sua publicação. – Hélio Costa.
51380  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

EM nº 256/2009 – MC 561, sala 108, no Município de Três de Maio, Estado


Brasília, 12 de março de 2009 do Rio Grande do Sul, para executar serviço de ra-
diodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos, sem
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, direito de exclusividade.
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou- Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
torga de Autorização e respectiva documentação para nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
que a entidade Clube do Livro Amigos da Leitura, no seus regulamentos e normas complementares.
Município de Três de Maio, Estado do Rio Grande do Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
Sul, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
conformidade com o caput do art. 223, da Constituição ográficas com latitude em 27º45’40”S e longitude em
e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998. 54º13’40”W, utilizando a frequência de 104,9 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse prazo de seis meses a contar da data de publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes. sua publicação. – Hélio Costa.
3. Como se depreende da importância da inicia- EM nº 334/2009 – MC
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações Brasília, 17 de março de 2009
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
com a comunidade, auxiliando não só no processo Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
educacional, social e cultural, mas, também, servem 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
de elo integração, por meio de informações benéficas torga de Autorização e respectiva documentação para
a todos os segmentos e a todos esses núcleos popu- que a Associação Comunitária Teutônia, no Município
lacionais. de Teutônia, Estado do Rio Grande do Sul, explore o
Sobre o caso em espécie, foram efetuadas serviço de radiodifusão comunitária, em conformida-
análises técnica e jurídica da petição apresentada, de com o caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº
constando a inexistência de óbice legal e normativo 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº municações sua inscrição para prestar o serviço de
53100.000120/2004, que ora faço acompanhar, com radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
5. Em conformidade com os preceitos constitu- tração de receptividade da filosofia de criação desse
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
presente processo, passará a produzir efeitos legais senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
somente após deliberação do Congresso Nacional, a localidades postulantes.
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. 3. Como se depreende da importância da inicia-
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa. tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
PORTARIA Nº 1.117,
com a comunidade, auxiliando não só no processo
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
educacional, social e cultural mas, também, servem
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de de elo à integração, por meio de informações bené-
suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi- populacionais.
fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro análises técnica e jurídica da petição apresentada,
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo constando a inexistência de óbice legal e normativo
Administrativo nº 53100.000120/2004 e do PARECER/ ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
MC/CONJUR/JSN/Nº 0330 – 1.08/2008, resolve: gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
Art. 1º Outorgar autorização ao Clube do Livro 53000.028207/2005, que ora faço acompanhar, com
Amigos da Leitura, com sede à Rua Santo Ângelo, nº a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51381 

5. Em conformidade com os preceitos constitu- radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui


cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
presente processo, passará a produzir efeitos legais tração de receptividade da filosofia de criação desse
somente após deliberação do Congresso Nacional, a braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa. localidades postulantes.
PORTARIA Nº 1.119 3. Como se depreende da importância da inicia-
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
com a comunidade, auxiliando não só no processo
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso
educacional, social e cultural mas, também, servem
II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de
de elo à integração, por meio de informações bené-
Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
2.615, de 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19
populacionais.
de fevereiro de 1998, e tendo em vista o que consta
do Processo Administrativo nº 53000.028207/2005 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
e do PARECER/MC/CONJUR/AAA/Nº 1305 – 1.08 / análises técnica e jurídica da petição apresentada,
2008, resolve: constando a inexistência de óbice legal e normativo
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Co- ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
munitária Teutônia, com sede na Rua Santos Dumont, gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
nº 640, Bairro Languiru, no Município de Teutônia, Es- 53000.036927/2007, que ora faço acompanhar, com
tado do Rio Grande do Sul, para executar serviço de a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
radiodifusão comunitária, pelo prazo de 10 (dez) anos, 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
sem direito de exclusividade. cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei presente processo, passará a produzir efeitos legais
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes, somente após deliberação do Congresso Nacional, a
seus regulamentos e normas complementares. teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa
o sistema irradiante localizado nas coordenadas geo-
PORTARIA Nº 1.120,
gráficas com latitude em 29”28110”S e longitude em
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
51º48’38”W utilizando a freqüência de 105,9 MHz.
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos de suas atribuições, considerando o disposto no inciso
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº
prazo de seis meses a contar da data de publicação 2.615, de 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19
do ato de deliberação. de fevereiro de 1998, e tendo em vista o que consta do
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de Processo Administrativo nº 53000.036.927/2007 e do
sua publicação. – Hélio Costa. PARECER/MC/CONJUR/MGT/Nº 2369 – 1.08/2008,
EM nº 312/2009 – MC resolve:
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Comu-
Brasília, 17 de março de 2009
nitária São Francisco de Assis, com sede na Avenida
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Padre João Smedt, s/nº – Centro, no Município de
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Abelardo Luz, Estado de Santa Catarina, para execu-
Outorga de Autorização e respectiva documentação tar serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de
para que a entidade Associação Comunitária São dez anos, sem direito de exclusividade.
Francisco de Assis, no Município de Abelardo Luz, Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
Estado de Santa Catarina, explore o serviço de radio- nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
difusão comunitária, em conformidade com o caput seus regulamentos e normas complementares.
do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
fevereiro de 1998. o sistema irradiante localizado nas coordenadas geo-
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- gráficas com latitude em 26º 33’ 59” S e longitude em
municações sua inscrição para prestar o serviço de 52º 19’ 38” W, utilizando a frequência de 104,9 MHz.
51382  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais PORTARIA Nº 1.121,


após deliberação do Congresso Nacional, nos termos DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no de suas atribuições, considerando o disposto no inci-
prazo de seis meses a contar da data de publicação so II do art. e art. 19 do Regulamentas de Serviço de
do ato de deliberação. Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de 2.615, de 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19
sua publicação. – Hélio Costa. de fevereiro de 1998, e tendo em vista o que consta
EM nº 320/2009 – MC do Processo Administrativo nº 53.000.063.968/2006
e do PARECER/MC/CONJUR/MGT/Nº 0557 – 1.08 /
Brasília, 17 de março de 2009 2008, resolve:
Art. 19 Outorgar autorização à Associação Comu-
Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
nitária Beneficente de Radiodifusão de Inimutaba, com
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de sede na Avenida Geraldo Magalhães Mascarenhas, nº.
Outorga de Autorização e respectiva documentação 132 – Centro, no Município de Inimutaba, Estado de
para que a entidade Associação Comunitária Benefi- Minas Gerais, para executar serviço de radiodifusão
cente de Radiodifusão de Inimutaba, no Município de comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito de
Inimutaba, Estado de Minas Gerais, explore o serviço exclusividade.
de radiodifusão comunitária, em conformidade com o Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
19 de fevereiro de 1998. seus regulamentos e normas complementares.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
municações sua inscrição para prestar o serviço de o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui ográficas com latitude em 18º44’15”S e longitude em
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- 44º22’03”W, utilizando a frequência de 87,9 MHz.
tração de receptividade da filosofia de criação desse Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
localidades postulantes. iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
prazo de seis meses a contar da data de publicação
3. Como se depreende da importância da inicia-
do ato de deliberação.
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
sua publicação. – Hélio Costa.
com a comunidade, auxiliando não só no processo
educacional, social e cultural mas, também, servem EM nº 246/2009 – MC
de elo à integração, por meio de informações bené- Brasília, 11 de março de 2009
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
populacionais. Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
Outorga de Autorização e respectiva documentação
análises técnica e jurídica da petição apresentada,
para que a entidade Associação Miguelina de Rádio
constando a inexistência de óbice legal e normativo
Difusão Comunitária, no Município de São Miguel das
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Missões, Estado do Rio Grande do Sul, explore o servi-
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
ço de radiodifusão comunitária, em conformidade com
53.000.063.968/2006, que ora faço acompanhar, com o caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612,
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. de 19 de fevereiro de 1998.
5. Em conformidade com os preceitos constitu- 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do municações sua inscrição para prestar o serviço de
presente processo, passará a produzir efeitos legais radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
somente após deliberação do Congresso Nacional, a manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
teor do § 39, do art. 223, da Constituição Federal. – tração de receptividade da filosofia de criação desse
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51383 

senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das prazo de seis meses a contar da data de publicação
localidades postulantes. do ato de deliberação.
3. Como se depreende da importância da inicia- Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações sua publicação. – Hélio Costa.
permitem que as entidades trabalhem em conjunto EM Nº 213/2009 – MC
com a comunidade, auxiliando não só no processo
Brasília, 6 de março de 2009
educacional, social e cultural mas, também, servem
de elo à integração, por meio de informações bené- Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
populacionais. torga de Autorização e respectiva documentação para
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas que a entidade Associação Comunitária de Desenvol-
análises técnica e jurídica da petição apresentada, vimento Cultural e Artístico de Mariana Pimentel, no
constando a inexistência de óbice legal e normativo Município de Mariana Pimentel, Estado do Rio Grande
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- do Sul, explore o serviço de radiodifusão comunitária,
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº em conformidade com o caput do art. 223, da Consti-
53000.049124/2005, que ora faço acompanhar, com tuição e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
5. Em conformidade com os preceitos constitu- municações sua inscrição para prestar o serviço de
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
presente processo, passará a produzir efeitos legais manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
somente após deliberação do Congresso Nacional, a tração de receptividade da filosofia de criação desse
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
localidades postulantes.
PORTARIA Nº 1.122, 3. Como se depreende da importância da inicia-
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008. tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso permitem que as entidades trabalhem em conjunto
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso com a comunidade, auxiliando não só no processo
II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de educacional, social e cultural mas, também, servem
Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº de elo à integração, por meio de informações bené-
2.615, de 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
de fevereiro de 1998, e tendo em vista o que consta populacionais.
do Processo Administrativo nº 53000.049124/2005 e 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas análi-
do PARECER/MC/CONJUR/JSN/Nº 1585 – 1.08/2008, ses técnica e jurídica da petição apresentada, constando
resolve: a inexistência de óbice legal e normativo ao pleito, o que
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Migue- se conclui da documentação de origem, consubstancia-
lina de Rádio Difusão Comunitária, com sede à Rua da no Processo Administrativo nº 53000.015132/2005,
Santo Ângelo, n.º 1271, no Município de São Miguel que ora faço acompanhar, com a finalidade de subsidiar
os trabalhos finais.
das Missões, Estado do Rio Grande do Sul, para exe-
5. Em conformidade com os preceitos constitu-
cutar serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
de dez anos, sem direito de exclusividade.
presente processo, passará a produzir efeitos legais
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
somente após deliberação do Congresso Nacional, a
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
seus regulamentos e normas complementares. Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- PORTARIA Nº 1.123,
ográficas com latitude em 28º32’45”S e longitude em DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
54º32159”W, utilizando a freqüência de 104,9 MHz. O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi-
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
51384  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
Administrativo nº 53000.015132/2005 e do PARECER/ análises técnica e jurídica da petição apresentada,
MC/CONJUR/MGT/Nº 1351-1.08/2008, resolve: constando a inexistência de óbice legal e normativo
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Co- ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
munitária de Desenvolvimento Cultural e Artístico de gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
Mariana Pimentel, com sede na Rua Fernando Albert, 53000.064612/2005, que ora faço acompanhar, com
nº 10, Bairro Centro, no Município de Mariana Pimentel, a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
Estado do Rio Grande do Sul, para executar serviço 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos, cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
sem direito de exclusividade. presente processo, passará a produzir efeitos legais
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei somente após deliberação do Congresso Nacional, a
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes, teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
seus regulamentos e normas complementares. Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
PORTARIA Nº 1.125,
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
ográficas com latitude em 30º21’07”S e longitude em
50º35’09”W, utilizando a frequência de 87,9 MHz. O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi-
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
prazo de seis meses a contar da data de publicação de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo
do ato de deliberação. Administrativo nº 530000.064612/2005 e do PARECER/
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de MC/CONJUR/JSN/Nº 1961-1.08/2008, resolve:
sua publicação. – Hélio Costa. Art. 1º Outorgar autorização à Associação Comu-
nitária de Comunicação e Cultura de Paverama, com
EM Nº 315/2009 – MC
sede à Rua 04 de Julho, nº 7.538, Centro, no Município
Brasília, 17 de março de 2009 de Paverama, Estado do Rio Grande do Sul, para exe-
cutar serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo
Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
de dez anos, sem direito de exclusividade.
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
Outorga de Autorização e respectiva documentação
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
para que a Associação Comunitária de Comunicação
seus regulamentos e normas complementares.
e Cultura de Paverama, no Município de Paverama,
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
Estado do Rio Grande do Sul, explore o serviço de ra-
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
diodifusão comunitária, em conformidade com o caput
ográficas com latitude em 29º33’06”S e longitude em
do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de
51º43’55”W, utilizando a frequência de 87,5MHz.
fevereiro de 1998.
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
municações sua inscrição para prestar o serviço de
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
prazo de seis meses a contar da data de publicação
tração de receptividade da filosofia de criação desse
do ato de deliberação.
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
sua publicação. – Hélio Costa.
localidades postulantes.
3. Como se depreende da importância da inicia- EM nº 239/2009 – MC
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações Brasília, 11 de março de 2009
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
com a comunidade, auxiliando não só no processo Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
educacional, social e cultural mas, também, servem 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
de elo à integração, por meio de informações bené- torga de Autorização e respectiva documentação para
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos que a entidade Associação de Proteção à Maternidade
populacionais. e Infância de Governador Mangabeira, no Município de
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51385 

Governador Mangabeira, Estado da Bahia, explore o Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
serviço de radiodifusão comunitária, em conformida- nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
de com o caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº seus regulamentos e normas complementares.
9.612, de 19 de fevereiro de 1998. Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
municações sua inscrição para prestar o serviço de ográficas com latitude em 12º36’02”S e longitude em
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui 39º02’39”W, utilizando a freqüência de 87,9 MHz.
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
tração de receptividade da filosofia de criação desse após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
localidades postulantes. prazo de seis meses a contar da data de publicação
3. Como se depreende da importância da inicia- do ato de deliberação.
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
sua publicação. – Hélio Costa.
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
com a comunidade, auxiliando não só no processo EM nº 235/2009 – MC
educacional, social e cultural, mas também, servem Brasília, 11 de março de 2009
de elo integração, por meio de informações benéfi-
cas a todos os segmentos e a todos esses núcleos Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
populacionais. 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas Outorga de Autorização e respectiva documentação
análises técnica e jurídica da petição apresentada, para que a União Comunitária Ativa Única, no Municí-
constando a inexistência de óbice legal e normativo pio de Paulista, Estado da Paraíba, explore o serviço
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- de radiodifusão comunitária, em conformidade com o
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de
53000.043623/03, que ora faço acompanhar, com a 19 de fevereiro de 1998.
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
municações sua inscrição para prestar o serviço de
5. Em conformidade com os preceitos constitu-
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
presente processo, passará a produzir efeitos legais
tração de receptividade da filosofia de criação desse
somente após deliberação do Congresso Nacional, a
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa. localidades postulantes.
PORTARIA Nº 1.126, 3. Como se depreende da importância da inicia-
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de
com a comunidade, auxiliando não só no processo
suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do
educacional, social e cultural, mas também, servem
art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi- de elo à integração, por meio de informações bené-
fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro populacionais.
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
Administrativo nº 53.000.043.623/03 e do PARECER/ análises técnica e jurídica da petição apresentada,
MC/CONJUR/JSN/Nº 0643 – 1.08 / 2008, resolve: constando a inexistência de óbice legal e normativo
Art. 1º Outorgar autorização à Associação de ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Proteção à Maternidade e Infância de Governador gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
Mangabeira, com sede na Rua Cesar Martins, nº 110 53100.000771/2004, que ora faço acompanhar, com
– Centro, no Município de Governador Mangabeira, a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
Estado da Bahia, para executar serviço de radiodifu- 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
são comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
de exclusividade. presente processo, passará a produzir efeitos legais
51386  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

somente após deliberação do Congresso Nacional, a 3. Como se depreende da importância da inicia-


teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa. permitem que as entidades trabalhem em conjunto
PORTARIA Nº 1.127, com a comunidade, auxiliando não só no processo
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 educacional, social e cultural mas, também, servem
de elo à integração, por meio de informações bené-
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso
populacionais.
II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
Radiodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº
2.615, de 3 de junho de 1998, e na Lei nº 9.612, de 19 análises técnica e jurídica da petição apresentada,
de fevereiro de 1998, e tendo cm vista o que consta do constando a inexistência de óbice legal e normativo
Processo Administrativo nº 53100.000771/2004 e do ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
PARECER/MC/CONJUR/DMM/Nº 0809 – 1.08/2008, gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
resolve: 53100.000783/2004, que ora faço acompanhar, com
Art. 1º Outorgar autorização à União Comunitária a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
Ativa Única, com sede na Rua Bertoldo Monteiro nº 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
268, Centro, Município de Paulista, Estado da Paraíba, cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
para executar serviço de radiodifusão comunitária, pelo presente processo, passará a produzir efeitos legais
prazo de dez anos, sem direito de exclusividade. somente após deliberação do Congresso Nacional, a
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes, Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
seus regulamentos e normas complementares.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com PORTARIA Nº 1.132,
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
ográficas com latitude em 06º35’38”S e longitude em O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de
37º37’27”W, utilizando a freqüência de 87,9 MHz. suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi-
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo
prazo de seis meses a contar da data de publicação
Administrativo nº 53100.000783/2004 e do PARECER/
do ato de deliberação.
MC/CONJUR/JSN/Nº 1126-1.08/2008, resolve:
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
sua publicação. – Hélio Costa, Ministro de Estado das Art. 1º Outorgar autorização à Associação Cul-
Comunicações. tural e Difusão Comunitária, com sede à Praça Elgino
Campos, s/nº Centro, no Município de Matina, Esta-
EM Nº 230/2009 – MC do da Bahia, para executar serviço de radiodifusão
Brasília, 10 de março de 2009 comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito de
exclusividade.
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou- nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
torga de Autorização e respectiva documentação para seus regulamentos e normas complementares.
que a Associação Cultural e Difusão Comunitária, no
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
Município de Matina, Estado da Bahia, explore o servi-
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
ço de radiodifusão comunitária, em conformidade com
o caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, ográficas com latitude em 13º54’39”S e longitude em
de 19 de fevereiro de 1998. 42º50’42”W, utilizando a freqüência de 104,9MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse prazo de seis meses a contar da data da publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes. sua publicação. – Hélio Costa.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51387 

EM Nº 254/2009 – MC marques Leite, nº 07, Barra de Caravelas, no Município


Brasília, 12 de março de 2009 de Caravelas, Estado da Bahia, para executar serviço
de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos,
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, sem direito de exclusividade.
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
Outorga de Autorização e respectiva documentação nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
para que a entidade Associação Comunitária Amigos seus regulamentos e normas complementares.
de Caravelas, no Município de Caravelas, Estado da Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
Bahia, explore o serviço de radiodifusão comunitária, o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
em conformidade com o caput do art. 223, da Consti- ográficas com latitude em 17º44’11”S e longitude em
tuição e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998. 39º11’21”W, utilizando a frequência de 104,9 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse prazo de seis meses a contar da data de publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes. sua publicação. – Hélio Costa.
3. Como se depreende da importância da inicia- EM nº 303/2009 – MC
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto Brasília, 17 de março de 2009
com a comunidade, auxiliando não só no processo
Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
educacional, social e cultural mas, também, servem
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
de elo integração, por meio de informações benéfi-
Outorga de Autorização e respectiva documentação
cas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
para que a Associação de Radiodifusão Comunitária
populacionais.
Voz Livre, no Município de São Ludgero, Estado de
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
análises técnica e jurídica da petição apresentada, Santa Catarina, explore o serviço de radiodifusão co-
constando a inexistência de óbice legal e normativo munitária, em conformidade com o caput do art. 223,
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº de 1998.
53000.056083/06, que ora faço acompanhar, com a 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. municações sua inscrição para prestar o serviço de
5. Em conformidade com os preceitos constitu- radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
presente processo, passará a produzir efeitos legais tração de receptividade da filosofia de criação desse
somente após deliberação do Congresso Nacional, a braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa. localidades postulantes.
3. Como se depreende da importância da inicia-
PORTARIA Nº 1.136, tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 permitem que as entidades trabalhem em conjunto
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de com a comunidade, auxiliando não só no processo
suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do educacional, social e cultural, mas, também, servem
art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi- de elo à integração, por meio de informações bené-
fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro populacionais.
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
Administrativo nº 53.000.056.083/06 e do PARECER/ análises técnica e jurídica da petição apresentada,
MC/CONJUR/MGT/Nº 1809-1.08/2008, resolve: constando a inexistência de óbice legal e normativo
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Comu- ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
nitária Amigos de Caravelas, com sede na Praça Ari gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
51388  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

53100.000299/2004, que ora faço acompanhar, com a 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. municações sua inscrição para prestar o serviço de
5. Em conformidade com os preceitos constitu- radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
presente processo, passará a produzir efeitos legais tração de receptividade da filosofia de criação desse
somente após deliberação do Congresso Nacional, a braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa. localidades postulantes.
3. Como se depreende da importância da inicia-
PORTARIA Nº 1.137,
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 permitem que as entidades trabalhem em conjunto
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso com a comunidade, auxiliando não só no processo
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II educacional, social e cultural, mas, também, servem
do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio- de elo à integração, por meio de informações bené-
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro populacionais.
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad- 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
ministrativo nº 53100.000299/2004 e do PARECER/MC/ análises técnica e jurídica da petição apresentada,
CONJUR/AAA/Nº 0724 – 1.08/2008, resolve: constando a inexistência de óbice legal e normativo
Art. 1º Outorgar autorização à Associação de ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Radiodifusão Comunitária Voz Livre com sede na Rua gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
Irmã Thioffina, nº 909, Centro, no Município de São 53000.030988/05, que ora faço acompanhar, com a
Ludgero, Estado de Santa Catarina, para executar finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de 10 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
(dez) anos, sem direito de exclusividade. cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei presente processo, passará a produzir efeitos legais
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes, somente após deliberação do Congresso Nacional, a
seus regulamentos e normas complementares. teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- PORTARIA Nº 1.142,
ográficas com latitude em 28º19’55”S e longitude em DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
49º10’53”W, utilizando a frequência de 104,9 MHz.
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
após deliberação do Congresso Nacional, nos ternos de suas atribuições, considerando o disposto no inciso
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Ra-
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no diodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615,
prazo de seis meses a contar da data de publicação de 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de feverei-
do ato de deliberação. ro de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de Administrativo nº 53000.030988/05 e do PARECER/MC/
sua publicação. – Hélio Costa. CONJUR/FHL/Nº 1153 – 1.08/2008, resolve:
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Cultural
EM nº 335/2009 – MC e Educativa de Sussuapara, com sede na Cooperativa
Brasília, 17 de março de 2009 Agrícola de Sussuapara, Povoado Vila Nova, no Muni-
cípio de Sussuapara, Estado do Piauí, para executar
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de 10
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou- (dez) anos, sem direito de exclusividade.
torga de Autorização e respectiva documentação para Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
que a Associação Cultural e Educativa de Sussuapa- nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
ra, localizada no Município de Sussuapara, Estado do seus regulamentos e normas complementares.
Piauí, explore o serviço de radiodifusão comunitária, Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
em conformidade com o caput do art. 223, da Cons- o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
tituição Federal e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro ográficas com latitude em 07º02’28”S e longitude em
de 1998. 41º24’43”W, utilizando a frequência de 105,9 Mhz.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51389 

Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad-
prazo de seis meses a contar da data de publicação ministrativo nº 53790.001302/2001 e do PARECER/MC/
do ato de deliberação.
CONJUR/JSN/Nº 0863-1.08/2008, resolve:
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Comu-
sua publicação. – Hélio Costa.
nitária Cultural Mostardense, com sede na Rua RST,
EM Nº 309/2009 – MC 101, nº 163, no Município de Mostardas, Estado do Rio
Brasília, 17 de março de 2009 Grande do Sul, para executar serviço de radiodifusão
comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito de
Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
exclusividade.
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
torga de Autorização e respectiva documentação para
que a Associação Comunitária Cultural Mostardense, nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
no Município de Mostardas, Estado do Rio Grande do seus regulamentos e normas complementares.
Sul, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
conformidade com o caput do art. 223, da Constituição o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998. ográficas com latitude em 31º06’16”S e longitude em
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- 50º55’26”W, utilizando a freqüência de 104,9MHz.
municações sua inscrição para prestar o serviço de Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
tração de receptividade da filosofia de criação desse iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
prazo de seis meses a contar da data de publicação
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
do ato de deliberação.
localidades postulantes.
3. Como se depreende da importância da inicia- Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações sua publicação. – Hélio Costa.
permitem que as entidades trabalhem em conjunto EM Nº 255/2009 – MC
com a comunidade, auxiliando não só no processo
Brasília, 12 de março de 2009
educacional, social e cultural mas, também, servem
de elo à integração, por meio de informações bené-
Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
populacionais.
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas Outorga de Autorização e respectiva documentação
análises técnica e jurídica da petição apresentada, para que a entidade Associação de Radiodifusão Co-
constando a inexistência de óbice legal e normativo munitária de Magalhães Barata – ASDERACOMAB,
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- no Município de Magalhães Barata, Estado do Pará,
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº explore o serviço de radiodifusão comunitária, em con-
53790.001302/2001 que ora faço acompanhar, com a formidade com o caput do art. 223, da Constituição e
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
5. Em conformidade com os preceitos constitu- 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do municações sua inscrição para prestar o serviço de
presente processo, passará a produzir efeitos legais radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
somente após deliberação do Congresso Nacional, a
manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
tração de receptividade da filosofia de criação desse
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
PORTARIA Nº 1.144, senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 localidades postulantes.
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso 3. Como se depreende da importância da iniciativa
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem
51390  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni- EM nº 245/2009 – MC


dade, auxiliando não só no processo educacional, social Brasília, 11 de março de 2009
e cultural mas, também, servem de elo à integração, por
meio de informações benéficas a todos os segmentos e Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
a todos esses núcleos populacionais. 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas Outorga de Autorização e respectiva documentação
análises técnica e jurídica da petição apresentada, para que a Associação Comunitária de Radiodifusão
constando a inexistência de óbice legal e normativo de Dezesseis de Novembro – RS, no Município de De-
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- zesseis de Novembro, Estado do Rio Grande do Sul,
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº explore o serviço de radiodifusão comunitária, em con-
53100.000807/04, que ora faço acompanhar, com a formidade com o caput do art. 223, da Constituição e
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
5. Em conformidade com os preceitos constitu- 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do municações sua inscrição para prestar o serviço de
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
presente processo, passará a produzir efeitos legais
manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
somente após deliberação do Congresso Nacional, a
tração de receptividade da filosofia de criação desse
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
PORTARIA Nº 1.145, localidades postulantes.
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 3. Como se depreende da importância da iniciativa
comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni-
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II
dade, auxiliando não só no processo educacional, social
do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio- e cultural, mas também, servem de elo à integração, por
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de meio de informações benéficas a todos os segmentos e
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro a todos esses núcleos populacionais.
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad- 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
ministrativo nº 53.100.000.807/04 e do PARECER/MC/ análises técnica e jurídica da petição apresentada,
CONJUR/MGT/Nº 0602-1.08/2007, resolve: constando a inexistência de óbice legal e normativo
Art. 1º Outorgar autorização à Associação de ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Radiodifusão Comunitária de Magalhães Barata – gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
ASDERACOMAB, com sede na Avenida Central, s/ 53000.032937/2005, que ora faço acompanhar, com
nº – Praça Paulino Freire, no Município de Magalhães a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
Barata, Estado do Pará, para executar serviço de ra- 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
diodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos, sem cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
direito de exclusividade. presente processo, passará a produzir efeitos legais
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei somente após deliberação do Congresso Nacional, a
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes, teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
seus regulamentos e normas complementares. Respeitosamente, – Helio Calista da Costa.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com PORTARIA Nº 1.147,
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
ográficas com latitude em 00º47’41”S e longitude em O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de
47º35’52”W, utilizando a frequência de 105,9MHz. suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do art.
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodifusão
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos Comunitária, aprovado pelo art. 1º do Decreto de 2.615,
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade de 3 de junho de 1998, e na Lei n° 9.612, de 19 de feve-
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no reiro de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo
prazo de seis meses a contar da data de publicação Administrativo nº 53.000.032.937/2005 e do Parecer/MC/
do ato de deliberação. CONJUR/JSS/N° 1.098 – 1.08/2008, resolve:
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de Art. 1º Outorgar autorização à Associação Co-
sua publicação. – Hélio Costa. munitária de Radiodifusão de Dezesseis de Novembro
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51391 

RS, com sede na Rua 8 de Maio, nº 1.040, Centro, no gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
Município de Dezesseis de Novembro, Estado do Rio 53000.057418/06, que ora faço acompanhar, com a
Grande do Sul, para executar serviço de radiodifusão finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito de 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
exclusividade. cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei presente processo, passará a produzir efeitos legais
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes, somente após deliberação do Congresso Nacional, a
seus regulamentos e normas complementares. teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa.
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
ográficas com latitude em 28°13’35”S e longitude em PORTARIA N° 1.149,
55°02’54”W, utilizando a frequência de 104,9 MHz. DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos de suas atribuições considerando o disposto no inciso II
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade do art. 9° e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
prazo de seis meses a contar da data de publicação 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
do ato de deliberação. de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad-
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de ministrativo nº 53.000.057.418/06 e do PARECER/MC/
sua publicação. – Hélio Costa, Ministro de Estado das CONJUR/MGT/N° 1.639 – 1.08/2008, resolve:
Comunicações. Art. 1° Outorgar autorização à Associação Co-
EM nº 248/2009 – MC munitária Cultural e Recreativa de Marapanim – ASC-
Brasília, 11 de março de 2009 CREM, com sede na Rua São Geraldo, s/n°, Comu-
nidade Guarajubal, no Município de Marapanim, Es-
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, tado do Pará, para executar serviço de radiodifusão
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de ou- comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito de
torga de autorização e respectiva documentação para exclusividade.
que a Associação Comunitária Cultural e Recreativa Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
de Marapanim – ASCCREM, no Município de Mara- nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
panim, Estado do Pará, explore o serviço de radiodi- seus regulamentos e normas complementares.
fusão comunitária, em conformidade com o caput do Art. 2° A entidade autorizada deverá operar com
art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
fevereiro de 1998. ográficas com latitude em 00°44’13”S e longitude em
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- 47°43’03”W, utilizando a frequência de 104,9 MHz.
municações sua inscrição para prestar o serviço, de Art. 3° Este ato somente produzirá efeitos legais
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
tração de receptividade da filosofia de criação desse iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- prazo de seis meses a contar da data de publicação
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das do ato de deliberação.
localidades postulantes. Art. 4° Esta portaria entra em vigor na data de
3. Como se depreende da importância da inicia- sua publicação. – Hélio Costa
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto EM nº 227/2009 – MC
com a comunidade, auxiliando não só no processo Brasília, 10 de março de 2009
educacional, social e cultural, mas também, servem
de elo à integração, por meio de informações bené- Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
populacionais. torga de Autorização e respectiva documentação para
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas que a entidade Associação Cultural e Comunitária de
análises técnica e jurídica da petição apresentada, Eldorado dos Carajás, no Município de Eldorado dos
constando a inexistência de óbice legal e normativo Carajás, Estado do Pará, explore o serviço de radio-
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- difusão comunitária, em conformidade com o caput
51392  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de ográficas com latitude em 06º06’03”S e longitude em
fevereiro de 1998. 49º22’03”W, utilizando a freqüência de 87,9 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse prazo de seis meses a contar da data de publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes. sua publicação. – Hélio Costa.
3. Como se depreende da importância da iniciativa
comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem EM nº 314/2009 – MC
que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni- Brasília, 17 de março de 2009
dade, auxiliando não só no processo educacional, social
e cultural, mas também, servem de elo à integração, por Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
meio de informações benéficas a todos os segmentos e 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
a todos esses núcleos populacionais. torga de Autorização e respectiva documentação para
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas que a Associação Comunitária Solidariedade, no Mu-
análises técnica e jurídica da petição apresentada, nicípio de Novo Hamburgo, Estado do Rio Grande do
constando a inexistência de óbice legal e normativo Sul, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- conformidade com o caput do art. 223, da Constituição
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
53000.012527/06, que ora faço acompanhar, com a 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. municações sua inscrição para prestar o serviço de
5. Em conformidade com os preceitos constitu- radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
presente processo, passará a produzir efeitos legais tração de receptividade da filosofia de criação desse
somente após deliberação do Congresso Nacional, a braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa. localidades postulantes.
PORTARIA Nº 1.150, 3. Como se depreende da importância da inicia-
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
com a comunidade, auxiliando não só no processo
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II
educacional, social e cultural, mas também, servem
do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
de elo integração, por meio de informações benéfi-
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro cas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
de 1998 e tendo em vista o que consta do Processo Ad- populacionais.
ministrativo nº 53.000.012.527/06 e do PARECER/MC/ 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
CONJUR/MGT/Nº 1721 – 1.08/2008, resolve: análises técnica e jurídica da petição apresentada,
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Cultu- constando a inexistência de óbice legal e normativo
ral e Comunitária de Eldorado dos Carajás, com sede ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
na Avenida Amazonas, nº 41, km 100, no Município de gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
Eldorado dos Carajás, Estado do Pará, para executar 53528.000475/1999, que ora faço acompanhar, com
serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez a finalidade de subsidiar os trabalhos forais.
anos, sem direito de exclusividade. 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes, presente processo, passará a produzir efeitos legais
seus regulamentos e normas complementares. somente após deliberação do Congresso Nacional, a
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51393 

PORTARIA Nº 1.154, que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni-


DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 dade, auxiliando não só no processo educacional, social
O Ministro de Estado das Comunicações, no- uso e cultural, mas também, servem de elo à integração, por
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II meio de informações benéficas a todos os segmentos e
do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio- a todos esses núcleos populacionais.
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro análises técnica e jurídica da petição apresentada,
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad- constando a inexistência de óbice legal e normativo
ministrativo nº 53528.000475/1999 e do PARECER/MC/ ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
CONJUR/AAA/N9 0580-1.08/2008, resolve: gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Comu- 53000.010922/2004, que ora faço acompanhar, com
nitária Solidariedade com sede na Rua Amadeu Ama- a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
ral, nº 314, Bairro São Jorge, no Município de Novo
5. Em conformidade com os preceitos constitu-
Hamburgo, Estado do Rio Grande do Sul, para executar
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de 10
presente processo, passará a produzir efeitos legais
(dez) anos, sem direito de exclusividade.
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei somente após deliberação do Congresso Nacional, a
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes, teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
seus regulamentos e normas complementares. Respeitosamente, – Helio Calixta da Costa.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com PORTARIA Nº 1.156,
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
ográficas com latitude em 29º39’48”S e longitude em
51º06’06”W, utilizando a freqüência de 87,5 MHz. O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
prazo de seis meses a contar da data de publicação de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad-
do ato de deliberação. ministrativo nº 53000.010922/2004 e do PARECER/MC/
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de CONJUR/JSN/Nº 0572–1.08/2008, resolve:
sua publicação. – Hélio Costa. Art. 1º Outorgar autorização à Fundação Fron-
EM nº 249/2009 – MC teiras, com sede na Avenida José Aquiles de Sousa,
Brasília, 11 de março de 2009 nº 77, Bairro Bela Vista no município de Fronteiras,
Estado do Piauí, para executar serviço de radiodifu-
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, são comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de de exclusividade.
Outorga de Autorização e respectiva documentação Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
para que a Fundação Fronteiras, no Município de Fron- nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
teiras, Estado do Piauí, explore o serviço de radiodi- seus regulamentos e normas complementares.
fusão comunitária, em conformidade com o caput do Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
fevereiro de 1998.
ográficas com latitude em 07°04’40”S e longitude em
2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
municações sua inscrição para prestar o serviço de 40°36’58”W, utilizando a frequência de 87,9 MHz.
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
tração de receptividade da filosofia de criação desse do § 3° do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das prazo de seis meses a contar da data de publicação
localidades postulantes. do ato de deliberação.
3. Como se depreende da importância da iniciativa Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem sua publicação. – Hélio Costa.
51394  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

EM nº 300/2009 – MC Art. 1º Outorgar autorização à Associação Co-


Brasília, 17 de março de 2009 munitária Gregário de Souza Mororó – Bairro Acam-
pamento, com sede na Rua Francisca Rodrigues de
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Farias, nº 583, Centro, no município de Varjota, Esta-
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de do do Ceará, para executar serviço de radiodifusão
Outorga de Autorização e respectiva documentação comunitária, pelo prazo de 10 (dez) anos, sem direito
para que a Associação Comunitária Gregário de Sou- de exclusividade.
za Mororó – Bairro Acampamento, no Município de Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
Varjota, Estado do Ceará, explore o serviço de radio- nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
difusão comunitária, em conformidade com o caput seus regulamentos e normas complementares.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
fevereiro de 1998.
ográficas com latitude em 04°11’35”S e longitude em
2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
40°28’36”W, utilizando a frequência de 98,7 MHz.
municações sua inscrição para prestar o serviço de
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
tração de receptividade da filosofia de criação desse iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- prazo de seis meses a contar da data de publicação
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das do ato de deliberação.
localidades postulantes. Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
3. Como se depreende da importância da inicia- sua publicação. – Hélio Costa.
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
EM Nº 316/2009 – MC
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
com a comunidade, auxiliando não só no processo Brasília, 17 de março de 2009
educacional, social e cultural, mas também, servem
de elo integração, por meio de informações benéfi- Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
cas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
Outorga de Autorização e respectiva documentação
populacionais.
para que a Associação Comunitária e Cultural Nova
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
Era localizada no Município de David Canabarro, Es-
análises técnica e jurídica da petição apresentada,
tado do Rio Grande do Sul, explore o serviço de ra-
constando a inexistência de óbice legal e normativo
diodifusão comunitária, em conformidade com o caput
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- do art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº fevereiro de 1998.
53100.000893/2004, que ora faço acompanhar, com 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. municações sua inscrição para prestar o serviço de
5. Em conformidade com os preceitos constitu- radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
presente processo, passará a produzir efeitos legais tração de receptividade da filosofia de criação desse
somente após deliberação do Congresso Nacional, a braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa. localidades postulantes.
PORTARIA Nº 1.159, 3. Como se depreende da importância da iniciativa
comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni-
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso dade, auxiliando não só no processo educacional, social
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II e cultural, mas também, serve de elo a integração, por
do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio- meio de informações benéficas a todos os segmentos e
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de a todos esses núcleos populacionais.
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad- análises técnica e jurídica da petição apresentada,
ministrativo nº 53100.000893/2004 e do PARECER/MC/ constando a inexistência de óbice legal e normativo
CONJUR/AAA/Nº 1.554–1.08/2008, resolve: ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51395 

gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-


53100.000788/04, que ora faço acompanhar, com a municações sua inscrição para prestar o serviço de
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
5. Em conformidade com os preceitos constitu- manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do tração de receptividade da filosofia de criação desse
presente processo, passará a produzir efeitos legais braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
somente após deliberação do Congresso Nacional, a senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. localidades postulantes.
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa. 3. Como se depreende da importância da iniciativa
PORTARIA Nº 1.161, comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni-
dade, auxiliando não só no processo educacional, social
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso e cultural, mas também, servem de elo à integração, por
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso meio de informações benéficas a todos os segmentos e
II do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Ra- a todos esses núcleos populacionais.
diodifusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
de 3 de junho de 1998, na Lei n 9.612, de 19 de feverei- análises técnica e jurídica da petição apresentada,
ro de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo constando a inexistência de óbice legal e normativo
Administrativo nº 53100.000788/04 e do PARECER/MC/ ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
CONJUR/FHL/Nº 0859-1.08/2008, resolve: gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Comu- 53000.018313/04, que ora faço acompanhar, com a
nitária e Cultural Nova Era, com sede na Rua Progresso, finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
nº 420, no município de David Canabarro, Estado do 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
Rio Grande do Sul, para executar serviço de radiodi- cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
fusão comunitária, pelo prazo de 10 (dez) anos, sem presente processo, passará a produzir efeitos legais
direito de exclusividade. somente após deliberação do Congresso Nacional, a
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
n° 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa.
seus regulamentos e normas complementares.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com PORTARIA Nº 1.163,
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008
ográficas com latitude em 28°23’23”S e longitude em O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
51°50’51”W, utilizando a frequência de 105.9 MHz. de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais do art. 9° e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto n° 2.615, de
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade 3 de junho de 1998, na Lei n° 9.612, de 19 de fevereiro
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad-
prazo de seis meses a contar da data de publicação ministrativo n° 53000.018.313/04 e do PARECER/MC/
do ato de deliberação. CONJUR/MGT/N° 2009-1.08/2008, resolve:
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de Art. 1° Outorgar autorização à Associação Co-
sua publicação. – Hélio Costa. munitária de Desenvolvimento Artístico e Cultural do
EM nº 299/2009 – MC Oiapoque – ASCOQUE, com sede na Rua dos Gali-
Brasília, 17 de março de 2009 bis, nº 58, Bairro Nova Esperança, no município de
Oiapoque, Estado do Amapá para executar serviço
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos,
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de sem direito de exclusividade.
Outorga de Autorização e respectiva documentação Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
para que a Associação Comunitária de Desenvolvi- n° 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
mento Artístico e Cultural do Oiapoque – ASCOQUE, seus regulamentos e normas complementares.
no Município de Oiapoque, Estado do Amapá, explore Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
o serviço de radiodifusão comunitária, em conformida- o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
de com o caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº ográficas com latitude em 03°50’38”S e longitude em
9.612, de 19 de fevereiro de 1998. 51°49’46”W, utilizando a frequência de 104,9 MHz.
51396  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Art. 3° Este ato somente produzirá efeitos legais do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad-
prazo de seis meses a contar da data de publicação ministrativo nº 53710.000.616/01 e do PARECER/MC/
do ato de deliberação. CONJUR/MGT/Nº 2.419-1.08/2008, resolve:
Art. 4° Esta portaria entra em vigor na data de Art. 1º Outorgar autorização à Associação Cul-
sua publicação. – Hélio Costa. tural e Artística Dr. Juta Ribeiro, com sede na Avenida
EM Nº 242/2009 – MC Aníbal Ferreira Cândido, n° 767 – Bairro Residencial
Maria Rosa, no município de Sacramento, Estado de
Brasília, 11 de março de 2009 Minas Gerais, para executar serviço de radiodifusão
comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito de
Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
exclusividade.
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
torga de Autorização e respectiva documentação para
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
que a Associação Cultural e Artística Dr. Juca Ribeiro,
seus regulamentos e normas complementares.
no Município de Sacramento, Estado de Minas Gerais,
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
explore o serviço de radiodifusão comunitária, em con-
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
formidade com o caput do art. 223, da Constituição e
ográficas com latitude em 19°52’50”S e longitude em
a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
47°26’31”W, utilizando a frequência de 87,9 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse
prazo de seis meses a contar da data de publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes.
sua publicação. – Helio Costa.
3. Como se depreende da importância da inicia-
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações EM Nº 211/2009 – MC
permitem que as entidades trabalhem em conjunto Brasília, 6 de março de 2009
com a comunidade, auxiliando não só no processo
educacional, social e cultural, mas também, servem Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
de elo à integração, por meio de informações bené- 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos Outorga de Autorização e respectiva documentação
populacionais. para que a Obra Social e Cultural Santo Antônio, no
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas Município de Caçapava, Estado de São Paulo, explore
análises técnica e jurídica da petição apresentada, o serviço de radiodifusão comunitária, em conformida-
constando a inexistência de óbice legal e normativo de com o caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
gem, consubstanciada no Processo Administrativo 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
53710.000.616/01, que ora faço acompanhar, com a municações sua inscrição para prestar o serviço de
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
5. Em conformidade com os preceitos constitu- manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do tração de receptividade da filosofia de criação desse
presente processo, passará a produzir efeitos legais braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
somente após deliberação do Congresso Nacional, a senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. localidades postulantes.
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa. 3. Como se depreende da importância da inicia-
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
PORTARIA Nº 1.166, permitem que as entidades trabalhem em conjunto
DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 com a comunidade, auxiliando não só no processo
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso educacional, social e cultural, mas também, servem
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II de elo à integração, por meio de informações bené-
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51397 

ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos que o Instituto de Comunicação Popular a Voz do Rin-
populacionais. cão, no Município de Bonito, Estado do Mato Grosso do
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas Sul, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em
análises técnica e jurídica da petição apresentada, conformidade com o caput do art. 223, da Constituição
constando a inexistência de óbice legal e normativo e a Lei 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº municações sua inscrição para prestar o serviço de
53830.001698/1998, que ora faço acompanhar, com a radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
5. Em conformidade com os preceitos constitu- tração de receptividade da filosofia de criação desse
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
presente processo, passará a produzir efeitos legais senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
somente após deliberação do Congresso Nacional, a localidades postulantes.
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. 3. Como se depreende da importância da iniciativa
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa. comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem
PORTARIA Nº 1.177, que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni-
DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008 dade, auxiliando não só no processo educacional, social
e cultural, mas, também, servem de elo integração, por
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso meio de informações benéficas a todos os segmentos e
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II a todos esses núcleos populacionais.
do art. 9° e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio- 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de análises técnica e jurídica da petição apresentada,
3 de junho de 1998, e na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro constando a inexistência de óbice legal e normativo
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad- ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
ministrativo nº 53830.001698/1998 e do PARECER/MC/ gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
CONJUR/JSN/Nº 2.484-1.08/2008, resolve: 53000.018245/2005, que ora faço acompanhar, com
Art. 1º Outorgar autorização à Obra Social e Cul-
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
tural Santo Antônio, com sede à Praça Santo Antônio
5. Em conformidade com os preceitos constitu-
nº 36, Bairro Vera Cruz, no município de Caçapava,
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
Estado de São Paulo, para executar serviço de radio-
presente processo, passará a produzir efeitos legais
difusão comunitária, pelo prazo de dez anos, sem di-
somente após deliberação do Congresso Nacional, a
reito de exclusividade.
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
seus regulamentos e normas complementares. PORTARIA Nº 1.178,
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
ográficas com latitude em 23°06’44”S e longitude em de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II
45°42’40”W, utilizando a frequência de 104,9 MHz. do art. 9° e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos 3 de junho de 1998, na Lei n° 9.612, de 19 de fevereiro
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad-
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no ministrativo n° 53000.018245/2005 e do PARECER/MC/
prazo de seis meses a contar da data de publicação CONJUR/AAA/N° 1459 – 1.08 / 2008, resolve:
do ato de deliberação.
Art. 1° Outorgar autorização ao Instituto de Comu-
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
nicação Popular a Voz do Rincão com sede na Avenida
sua publicação. – Hélio Costa.
Heron do Couto, 770 – Bairro Rincão, no Município de
EM nº 149/2009 – MC Bonito, Estado do Mato Grosso do Sul, para executar
Brasília, 18 de fevereiro de 2009 serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de 10
(dez) anos, sem direito de exclusividade.
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou- 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
torga de Autorização e respectiva documentação para seus regulamentos e normas complementares.
51398  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Art. 2° A entidade autorizada deverá operar com PORTARIA Nº 1.181,


o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008.
ográficas com latitude em 21°04.53”S e longitude em O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
56°28’30”W, utilizando a freqüência de 87,9 MHz. de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II
Art. 3° Este ato somente produzirá efeitos legais do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad-
prazo de seis meses a contar da data de publicação ministrativo nº 53000.012203/2004 e do PARECER/MC/
do ato de deliberação. CONJUR/CEL/Nº 0262 – 1.08 / 2008, resolve:
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de Art. 1º Outorgar autorização à Associação dos
sua publicação. – Hélio Costa. Moradores do Bairro da Muritiba, com sede à Rua Cô-
EM nº 221/2009 – MC nego Getúlio Rosa, n° 15, Bairro Muritiba, no Município
de Nazaré, Estado da Bahia, para executar serviço de
Brasília, 6 de março de 2009
radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos, sem
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, direito de exclusividade.
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou- Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
torga de Autorização e respectiva documentação para nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
que a entidade Associação dos Moradores do Bairro seus regulamentos e normas complementares.
da Muritiba, no Município de Nazaré, Estado da Bahia, Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
explore o serviço de radiodifusão comunitária, em con- o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
formidade com o caput do art. 223, da Constituição e ográficas com latitude em 13°02’12”S e longitude em
a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998. 39°00’22”W, utilizando a freqüência de 87,9 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse prazo de seis meses a contar da data de publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes. sua publicação. – Hélio Costa.
3. Como se depreende da importância da inicia- EM nº 137/2009 – MC
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações Brasília, 17 de fevereiro de 2009
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
com a comunidade, auxiliando não só no processo Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
educacional, social e cultural, mas, também, servem 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Outor-
de elo à integração, por meio de informações bené- ga de Autorização e respectiva documentação para que
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos a entidade Associação dos Moradores da Vila Amorim
populacionais. (AMVA), no Município de Corumbaíba, Estado de Goiás,
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas explore o serviço de radiodifusão comunitária, em con-
análises técnica e jurídica da petição apresentada, formidade com o caput do art. 223, da Constituição e a
constando a inexistência de óbice legal e normativo Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº municações sua inscrição para prestar o serviço de
53000.012203/2004, que ora faço acompanhar, com radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
5. Em conformidade com os preceitos constitu- tração de receptividade da filosofia de criação desse
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
presente processo, passará a produzir efeitos legais senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
somente após deliberação do Congresso Nacional, a localidades postulantes.
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. 3. Como se depreende da importância da inicia-
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa. tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51399 

permitem que as entidades trabalhem em conjunto EM nº 217/2009 – MC


com a comunidade, auxiliando não só no processo Brasília, 6 de março de 2009
educacional, social e cultural, mas, também, servem
de elo à integração, por meio de informações bené- Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
populacionais. torga de Autorização e respectiva documentação para
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas que a entidade ACCLTP – Associação de Comunica-
análises técnica e jurídica da petição apresentada, ção Comunitária Liberdade de Três Palmeiras/RS, no
constando a inexistência de óbice legal e normativo Município de Três Palmeiras, Estado do Rio Grande do
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- Sul, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº conformidade com o caput do art. 223, da Constituição
53000.021.084/2004, que ora faço acompanhar, com e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
5. Em conformidade com os preceitos constitu- municações sua inscrição para prestar o serviço de
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
presente processo, passará a produzir efeitos legais manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
somente após deliberação do Congresso Nacional, a tração de receptividade da filosofia de criação desse
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
PORTARIA Nº 1.182, localidades postulantes.
3. Como se depreende da importância da inicia-
DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso permitem que as entidades trabalhem em conjunto
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II com a comunidade, auxiliando não só no processo
do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio- educacional, social e cultural, mas, também, servem
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de de elo à integração, por meio de informações bené-
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad- populacionais.
ministrativo nº 53000.043.269/2005 e do PARECER/MC/ 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
CONJUR/AGM/Nº 2680 – 1.08 / 2008 resolve: análises técnica e jurídica da petição apresentada,
Art. 1º Outorgar autorização à Associação dos constando a inexistência de óbice legal e normativo
Moradores da Vila Amorim (AMVA), com sede Av. Ur- ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
sulina Martins de Azevedo, S/N, Vila Amorim, no muni- gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
cípio de Corumbaíba, Estado de Goiás, para executar 53.000.054.734/06, que ora faço acompanhar, com a
serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
anos, sem direito de exclusividade. 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes, presente processo, passará a produzir efeitos legais
seus regulamentos e normas complementares. somente após deliberação do Congresso Nacional, a
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
ográficas com latitude em 21°21’39”S e longitude em
41°56’17”w, utilizando a freqüência de 104,9 MHz. PORTARIA Nº 1.206,
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
prazo de seis meses a contar da data de publicação difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto n° 2.615, de
do ato de deliberação. 3 de Junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad-
sua publicação. – Hélio Costa, Ministro de Estado das ministrativo nº 53.000.054.734/06 e do PARECER/MC/
Comunicações. CONJUR/MGT/Nº 1715 – 1.08/2008, resolve:
51400  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Art. 1º Outorgar autorização à ACCLTP – Asso- ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
ciação de Comunicação Comunitária Liberdade de Três gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
Palmeiras / RS, com sede na Avenida das Palmeiras, 53000.003823/2006, que ora faço acompanhar, com
1634, Centro, no município de Três Palmeiras, Estado a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
do Rio Grande do Sul, para executar serviço de ra- 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
diodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos, sem cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
direito de exclusividade. presente processo, passará a produzir efeitos legais
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei somente após deliberação do Congresso Nacional, a
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes, teor do § 3º do art. 223, da Constituição Federal.
seus regulamentos e normas complementares. Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- PORTARIA Nº 1.211,
ográficas com latitude em 27°36’43”S e longitude em DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008
52°50’52”W, utilizando a freqüência de 104,9 MHz. O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no 3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro
prazo de seis meses a contar da data de publicação de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad-
do ato de deliberação. ministrativo nº 53000.003823/2006 e do PARECER/MC/
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de CONJUR/JSN/Nº 1669 – 1.08/2008, resolve:
sua publicação. – Hélio Costa. Art. 1º Outorgar autorização à Associação Co-
EM nº 142/2009 – MC munitária de Desenvolvimento Artístico e Cultural de
Brasília, 17 de fevereiro de 2009 Ladário – ACOLA, com sede à Rua Fernando Correa
da Costa, nº 57, Bairro Santo Antônio, no município de
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Ladário, Estado do Mato Grosso do Sul, para executar
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou- serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez
torga de Autorização, respectiva documentação para anos, sem direito de exclusividade.
que a entidade Associação Comunitária de Desenvol- Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
vimento Artístico e Cultural de Ladário – ACOLA, no nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
Município de Ladário, Estado do Mato Grosso do Sul, seus regulamentos e normas complementares.
explore o serviço de radiodifusão comunitária, em con- Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
formidade com o caput do art. 223, da Constituição e o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998. ográficas com latitude em 19°00’47”S e longitude em
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- 57°36’07”W, utilizando a frequência de 87,9 MHz.
municações sua inscrição para prestar o serviço de Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
tração de receptividade da filosofia de criação desse iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- prazo de seis meses a contar da data de publicação
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das do ato de deliberação.
localidades postulantes. Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
3. Como se depreende da importância da inicia- sua publicação. – Hélio Costa.
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto EM nº 209/2009 – MC
com a comunidade, auxiliando não só no processo Brasília, 6 de março de 2009
educacional, social e cultural, mas, também, servem
de elo à integração, por meio de informações bené- Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
populacionais. torga de Autorização e respectiva documentação para
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas que a entidade Associação de Amigos de Apiacás, no
análises técnica e jurídica da petição apresentada, Município de Apiacás, Estado do Mato Grosso, explore
constando a inexistência de óbice legal e normativo o serviço de radiodifusão comunitária, em conformida-
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51401 

de com o caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº ográficas com latitude em 09°34’19”S e longitude em
9.612, de 19 de fevereiro de 1998. 57°23’48”W, utilizando a frequência de 104,9 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- iniciar a execução do serviço em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse prazo de seis meses a contar da data de publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes.
sua publicação. – Hélio Costa.
3. Como se depreende da importância da inicia-
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações EM nº 141/2009 – MC
permitem que as entidades trabalhem em conjunto Brasília, 17 de fevereiro de 2009
com a comunidade, auxiliando não só no processo
educacional, social e cultural, mas, também, servem Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
de elo à integração, por meio de informações bené- 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou-
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos torga de Autorização e respectiva documentação para
populacionais.
que a Associação Comunitária dos Moradores e Amigo
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
do Oiapoque, no Município de Oiapoque, Estado do
análises técnica e jurídica da petição apresentada,
Amapá, explore o serviço de radiodifusão comunitária,
constando a inexistência de óbice legal e normativo
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- em conformidade com o caput do art. 223, da Consti-
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº tuição e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
53000.064666/2006, que ora faço acompanhar, com 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. municações sua inscrição para prestar o serviço de
5. Em conformidade com os preceitos constitu- radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
presente processo, passará a produzir efeitos legais tração de receptividade da filosofia de criação desse
somente após deliberação do Congresso Nacional, a braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa. localidades postulantes.
PORTARIA Nº 1.214, 3. Como se depreende da importância da inicia-
DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008 tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
com a comunidade, auxiliando não só no processo
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II
educacional, social e cultural, mas, também, servem
do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
de elo à integração, por meio de informações bené-
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad- populacionais.
ministrativo nº 53000.064666/2006 e do PARECER/MC/ 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
CONJUR/JSN/Nº 1667 – 1.08 / 2008, resolve: análises técnica e jurídica da petição apresentada,
Art. 1º Outorgar autorização à Associação de constando a inexistência de óbice legal e normativo
Amigos de Apiacás, com sede à Rua das Hortências, ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
s/nº, Quadra 5, casa 10, Bairro Primavera, no municí- gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
pio de Apiacás, Estado do Mato Grosso, para executar 53000.018314/2004, que ora faço acompanhar, com
serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
anos, sem direito de exclusividade. 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes, presente processo, passará a produzir efeitos legais
seus regulamentos e normas complementares. somente após deliberação do Congresso Nacional, a
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- Respeitosamente, – Hélio Calixto da Costa.
51402  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

PORTARIA Nº 1.217, permitem que as entidades trabalhem em conjunto


DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008 com a comunidade, auxiliando não só no processo
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso educacional, social e cultural, mas, também, servem
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II de elo à integração, por meio de informações bené-
do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio- ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de populacionais.
3 de junho de 1998, e na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad- análises técnica e jurídica da petição apresentada,
ministrativo nº 53000.018314/2004 e do PARECER/MC/ constando a inexistência de óbice legal e normativo
CONJUR/DMM/Nº 0872 – 1.08 / 2008, resolve: ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Art. 1º Outorgar autorização à Associação Co- gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
munitária dos Moradores e Amigos do Oiapoque, com 53000.011589/04, que ora faço acompanhar, com a
sede na Rua Rio Branco, nº 155, Clevelândia do Norte, finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
Município de Oiapoque, Estado do Amapá, para exe- 5. Em conformidade com os preceitos constitu-
cutar serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
de dez anos, sem direito de exclusividade. presente processo, passará a produzir efeitos legais
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei somente após deliberação do Congresso Nacional, a
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes, teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
seus regulamentos e normas complementares. Respeitosamente, – Hélio Costa.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com PORTARIA Nº 1.221,
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008
ográficas com latitude em 03º49’05”S e longitude em
51º51’45”W, utilizando a frequência de 104,9 MHz. O Ministro de Estado das Comunicações, no uso
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio-
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no 3 de junho de 1998, e na Lei nº 9.612, de 19 de feverei-
prazo de seis meses a contar da data de publicação ro de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo
do ato de deliberação. Administrativo nº 53.000.011589/04 e do PARECER/MC/
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de CONJUR/RPF/Nº 0854 – 1.08 / 2008, resolve:
sua publicação. – Hélio Costa, Ministro de Estado das Art. 1º Outorgar autorização à MEAC – Movimento
Comunicações. Esportivo Amador Coquense, com sede na Rua Gran-
de, nº 2, Povoado Sumaúma de Coque, Município de
EM nº 136/2009 – MC Vitória do Mearim, Estado do Maranhão, para executar
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Ou- anos, sem direito de exclusividade.
torga de Autorização e respectiva documentação para Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
que a MEAC – Movimento Esportivo Amador Coquense, nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subsequentes,
no Município de Vitória do Mearim, Estado do Mara- seus regulamentos e normas complementares.
nhão, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
conformidade com o caput do art. 223, da Constituição o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998. ográficas com latitude em 03º27’23’S e longitude em
2. A entidade requereu ao Ministério das Co- 44º52’41’W, utilizando a frequência de 87,9MHz.
municações sua inscrição para prestar o serviço de Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
tração de receptividade da filosofia de criação desse iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- prazo de seis meses a contar da data de publicação
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das do ato de deliberação.
localidades postulantes. Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
3. Como se depreende da importância da inicia- sua publicação. – Hélio Costa, Ministro de Estado das
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações Comunicações.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51403 

EM nº 150/2009 – MC Art. 1º Outorgar autorização à Associação Co-


Brasília, 18 de fevereiro de 2009 munitária e Cultural do Bairro do Riacho, com sede na
Avenida Rodoviária, 132, Riacho, no município de Bar-
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, reirinhas, Estado do Maranhão, para executar serviço
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos,
Outorga de Autorização e respectiva documentação sem direito de exclusividade.
para que a entidade Associação Comunitária e Cultu- Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
ral do Bairro do Riacho, no Município de Barreirinhas, nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
Estado do Maranhão, explore o serviço de radiodifu- seus regulamentos e normas complementares.
são comunitária, em conformidade com o caput do Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge-
art. 223, da Constituição e a Lei nº 9.612, de 19 de
ográficas com latitude em 2º44’20”S e longitude em
fevereiro de 1998.
42°47’32”W, utilizando a freqüência de 87,9 MHz.
2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais
municações sua inscrição para prestar o serviço de
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
manifestação de apoio da comunidade, numa demons- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
tração de receptividade da filosofia de criação desse prazo de seis meses a contar da data de publicação
braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de- do ato de deliberação.
senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de
localidades postulantes. sua publicação. – Hélio Costa.
3. Como se depreende da importância da inicia-
EM nº 138/2009 – MC
tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
permitem que as entidades trabalhem em conjunto Brasília, 17 de fevereiro de 2009
com a comunidade, auxiliando não só no processo
educacional, social e cultural, mas, também, servem Excelentíssimo Senhor Presidente da República,
de elo à integração, por meio de informações bené- 1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de
Outorga de Autorização e respectiva documentação
ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
para que o Movimento Jovem de Pio XII – MOJOP, no
populacionais.
Município de Pio XII, Estado do Maranhão, explore o
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
serviço de radiodifusão comunitária, em conformida-
análises técnica e jurídica da petição apresentada,
de com o caput do art. 223, da Constituição e a Lei nº
constando a inexistência de óbice legal e normativo
9.612, de 19 de fevereiro de 1998.
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº municações sua inscrição para prestar o serviço de
53720.000506/02, que ora faço acompanhar, com a radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
finalidade de subsidiar os trabalhos finais. manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
5. Em conformidade com os preceitos constitu- tração de receptividade da filosofia de criação desse
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
presente processo, passará a produzir efeitos legais senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
somente após deliberação do Congresso Nacional, a localidades postulantes.
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. 3. Como se depreende da importância da inicia-
Respeitosamente, – Hélio Costa. tiva comandada por Vossa Excelência, essas ações
PORTARIA Nº 1.223, permitem que as entidades trabalhem em conjunto
com a comunidade, auxiliando não só no processo
DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008
educacional, social e cultural, mas, também, servem
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de elo à integração, por meio de informações bené-
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II ficas a todos os segmentos e a todos esses núcleos
do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio- populacionais.
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
3 de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro análises técnica e jurídica da petição apresentada,
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad- constando a inexistência de óbice legal e normativo
ministrativo nº 53.720.000.506/02 e do PARECER/MC/ ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
CONJUR/MGT/Nº 1601 – 1.08/2008, resolve: gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
51404  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

53720.000428/1999, que ora faço acompanhar, com 2. A entidade requereu ao Ministério das Co-
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais. municações sua inscrição para prestar o serviço de
5. Em conformidade com os preceitos constitu- radiodifusão comunitária, cuja documentação inclui
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do manifestação de apoio da comunidade, numa demons-
presente processo, passará a produzir efeitos legais tração de receptividade da filosofia de criação desse
somente após deliberação do Congresso Nacional, a braço da radiodifusão, de maneira a incentivar o de-
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. senvolvimento e a sedimentação da cultura geral das
Respeitosamente, – Hélio costa. localidades postulantes.
3. Como se depreende da importância da iniciativa
PORTARIA Nº 1.224, comandada por Vossa Excelência, essas ações permitem
DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008 que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni-
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso dade, auxiliando não só no processo educacional, social
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II e cultural mas, também, servem de elo à integração, por
do art. 9º e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio- meio de informações benéficas a todos os segmentos
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de e a todos esses núcleos populacionais.
3 de junho de 1998, e na Lei nº 9.612, de 19 de feverei- 4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
ro de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo análises técnica e jurídica da petição apresentada,
Administrativo nº 53720.000428/1999 e do Parecer/MC/ constando a inexistência de óbice legal e normativo
CONJUR/JSN/Nº 0232 – 1.08 / 2008, resolve: ao pleito, o que se conclui da documentação de ori-
Art. 1º Outorgar autorização ao Movimento Jo- gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº
53000.029581/2007, que ora faço acompanhar, com
vem de Pio XII – MOJOP, com sede à Rua Alferes Su-
a finalidade de subsidiar os trabalhos finais.
dário, nº 239, Centro, no município de Pio XII, Estado
5. Em conformidade com os preceitos constitu-
do Maranhão, para executar serviço de radiodifusão
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do
comunitária, pelo prazo de dez anos, sem direito de
presente processo, passará a produzir efeitos legais
exclusividade.
somente após deliberação do Congresso Nacional, a
Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal.
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes, Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa.
seus regulamentos e normas complementares.
Art. 2º A entidade autorizada deverá operar com PORTARIA Nº 326 DE 28 DE MAIO DE 2009
o sistema irradiante localizado nas coordenadas ge- O Ministro de Estado das Comunicações, no uso de
ográficas com latitude em 3º49’56”S e longitude em suas atribuições, considerando o disposto no inciso II do
45º09’10”W, utilizando a frequência de 87,9 MHz. art. 9° e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radiodi-
Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais fusão Comunitária, aprovado pelo Decreto nº 2.615, de 3
após deliberação do Congresso Nacional, nos termos de junho de 1998, na Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de
do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Admi-
iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no nistrativo nº 53000.029.581/2007 e do PARECER/AGU/
prazo de seis meses a contar da data de publicação CONJUR–MC/MGT/Nº 0761 – 1.08/2009, resolve:
do ato de deliberação. Art.1º Outorgar autorização á Associação Recre-
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de ativa e Esportiva Grupo Manoel Marchetti, com sede
sua publicação. – Hélio Costa, Ministro de Estado das na Rua 25 de Julho, n° 1567 – Centro, no município
Comunicações. de Ibirama, Estado de Santa Catarina, para executar
serviço de radiodifusão comunitária, pelo prazo de dez
EM nº 563/2009–MC
anos, sem direito de exclusividade.
Brasília, 5 de junho de 2009 Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, seus regulamentos e normas complementares.
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Outor- Art. 2° A entidade autorizada deverá operar com
ga de Autorização e respectiva documentação para que a o sistema irradiante localizado nas coordenadas geo-
entidade Associação Recreativa e Esportiva Grupo Manoel gráficas com latitude em 27° 03’ 39” S e longitude em
Marchetti, no Município de Ibirama, Estado de Santa Ca- 49° 30’ 15” W, utilizando a freqüência de 87,9 MHz.
tarina, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em Art. 3º Este ato somente produzirá efeitos legais após
conformidade com o caput do art. 223, da Constituição deliberação do Congresso Nacional, nos termos do § 3° do
e a Lei nº 9.612, de 19 de fevereiro de 1998. art. 223 da Constituição, devendo a entidade iniciar a execu-
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51405 

ção do serviço, em caráter definitivo, no prazo de seis meses Art. 1° Outorgar autorização à Associação Be-
a contar da data de publicação do ato de deliberação. neficente Joaquim Cacunda, com sede no Sítio Poço
Art. 4º Esta portaria entra em vigor na data de Verde, s/n° – Zona Rural, no município de Bezerros,
sua publicação. – Hélio Costa Estado do Pernambuco, para executar serviço de ra-
diodifusão comunitária, pelo prazo de dez anos, sem
EM nº 599/2009–MC
direito de exclusividade.
Brasília, 23 de junho de 2009 Parágrafo único. A autorização reger-se-á pela Lei
n° 9.612, de 19 de fevereiro de 1998, leis subseqüentes,
Excelentíssimo Senhor Presidente da República seus regulamentos e normas complementares.
1. Encaminho a Vossa Excelência Portaria de Art. 2° A entidade autorizada deverá operar com
Outorga de Autorização e respectiva documentação o sistema irradiante localizado nas coordenadas geo-
para que a entidade Associação Beneficente Joaquim gráficas com latitude em 08° 12’ 48”S e longitude em
Cocundo no Município de Bezerros, Estado do Pernam- 35° 43’ 09”W, utilizando a freqüência de 104,9 MHz.
buco, explore o serviço de radiodifusão comunitária, em Art. 3° Este ato somente produzirá efeitos legais
conformidade com o caput do art. 223, da Constituição após deliberação do Congresso Nacional, nos termos
e a Lei nº 9.612, de I de fevereiro de 1998. do § 3º do art. 223 da Constituição, devendo a entidade
2. A entidade requereu ao Ministério das Comu- iniciar a execução do serviço, em caráter definitivo, no
nicações inscrição para prestar o serviço de radiodi- prazo de seis meses a contar da data de publicação
fusão comunitária, cuja documentação inclui manifes- do ato de deliberação.
tação de apoio da comunidade, numa demonstração Art. 4° Esta portaria entra em vigor na data de
de receptividade da filosofia de criação desse braço sua publicação. – Hélio Costa.
da radiodifusão, de maneira a incentivar o desenvol- COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO
vimento e a sedimentação da cultura geral das locali-
dades postulantes. Of. Pres. nº 760/09-CFT
Como se depreende da importância da iniciativa co- Brasília, 16 de setembro de 2009.
mandada por Vossa Excelência, essas ações permitem A Sua Excelência o Senhor
que as entidades trabalhem em conjunto com a comuni- Deputado Michel Temer
dade, auxiliando não só no processo educacional, social Presidente da Câmara dos Deputados
e cultural mas, também, servem de elo à integração, por Assunto: Ofício de Publicação
meio de informações benéficas a todos os segmentos e
Senhor Presidente,
a todos esses núcleos populacionais.
Encaminho a Vossa Excelência, para as provi-
4. Sobre o caso em espécie, foram efetuadas
dências regimentais cabíveis, o Projeto de Decreto
análises técnica e jurídica da petição apresentada,
Legislativo nº 1.144/08, apreciado, nesta data, por
constando a inexistência de óbice legal e normativo este Órgão Técnico.
ao pleito, o que se conclui da documentação de ori- Atenciosamente, – Deputado Félix Mendonça,
gem, consubstanciada no Processo Administrativo nº Presidente em exercício.
53103.00086/00, que ora faço acompanhar, com a fi-
Publique-se.
nalidade de subsidiar os trabalhos finais.
Em 18-9-09. – Michel Temer, Presidente.
5. Em conformidade com os preceitos constitu-
cionais e legais, a outorga de autorização, objeto do Of. Pres. nº 763/09-CFT
presente processo, passará a produzir efeitos legais Brasília, 16 de setembro de 2009.
somente após deliberação do Congresso Nacional, a A Sua Excelência o Senhor
teor do § 3º, do art. 223, da Constituição Federal. Deputado Michel Temer
Respeitosamente, – Helio Calixto da Costa. Presidente da Câmara dos Deputados
PORTARIA Nº 366 DE 16 DE JUNHO DE 2009 Assunto: Ofício de Publicação
O Ministro de Estado das Comunicações, no uso Senhor Presidente,
de suas atribuições, considerando o disposto no inciso II Encaminho a Vossa Excelência, para as providên-
do art. 9° e art. 19 do Regulamento do Serviço de Radio- cias regimentais cabíveis, o Projeto de Lei nº 3.454-
difusão Comunitária, aprovado pelo Decreto n° 2.615, de A/08, apreciado, nesta data, por este Órgão Técnico.
3 de junho de 1998, na Lei n° 9.612, de 19 de fevereiro Atenciosamente, – Deputado Félix Mendonça,
de 1998, e tendo em vista o que consta do Processo Ad- Presidente em exercício.
ministrativo n° 53103.000.086/00 e do PARECER/AGU/ Publique-se.
CONJUR–MC/SIGT/Nº 0972 – 1.08 / 2009, resolve: Em 18-9-09. – Michel Temer, Presidente.
51406  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Of.Pres – n° 234/09–CREDN Os constrangimentos impostos a Senadora Patrícia


Brasília, 9 de setembro de 2009 Saboya são injustificáveis, havendo indícios de que foram
motivados por preconceito. No caso, o tratamento imposto
A Sua Excelência o Senhor a Senadora é inaceitável e revela-se absolutamente incom-
Deputado Michel Temer patível com os estreitos laços de amizade e cooperação
Presidente da Câmara dos Deputados que unem os povos brasileiro e italiano.
Gabinete do Presidente Ed. Principal Em face do exposto, é imprescindível que esta
Assunto: Encaminha Moção de Repúdio. Comissão de Relações Exteriores se manifeste de for-
ma inequívoca no sentido de repudiar as ações das
Senhor Presidente, autoridades italianas de imigração, que constrangeram
Tendo em vista a aprovação do Requerimento n° a Senadora Patrícia Saboya, logo após seu desembar-
314, de 2009, de autoria deste Presidente e do Deputa- que no aeroporto de Fiumicino, em Roma, na República
do Damião Feliciano, na Reunião Ordinária de hoje da Italiana, no último dia 3 de setembro.
Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacio- Submeta-se ao Plenário, nos termos do
nal, solicito a Vossa Excelência encaminhar a presente caput do art. 117 do Regimento Interno da
Moção de Repúdio, referente ás ações das autoridades Câmara dos Deputados.
italianas de imigração, que constrangeram a Senadora Publique-se. Oficie-se.
Patrícia Saboya, logo após seu desembarque no aero- Em 18-9-09. – Michel Temer, Presidente.
porto de Fiumicino, em Roma, na República Italiana.
COMISSÃO DE TRABALHO,
Além do encaminhamento ao Ministério das Re-
DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO
lações Exteriores, pedimos que a Moção de Repúdio
seja enviada para a Embaixada da República da Itália Of. P-275/09-CTASP
no Brasil, para a Embaixada do Brasil na República da Brasília, 16 de setembro de 2009
Itália e para o Parlamento Italiano.
Solicito ainda a publicação da referida Moção na ínte- A Sua Excelência o Senhor
gra no Expediente de uma próxima Sessão da Câmara. Deputado Michel Temer
Atenciosamente, – Deputado Severiano Alves, Presidente da Câmara dos Deputados
Presidente. Assunto: Apreciação conclusiva de projeto de lei
Senhor Presidente,
MOÇÃO DE REPÚDIO
Em cumprimento ao disposto no art. 58, caput, do
A Comissão de Relações Exteriores da Câmara Regimento Interno, comunico a V. Exª que a Comissão
dos Deputados repudia as ações das autoridades ita- de Trabalho, de Administração e Serviço Público, em reu-
lianas de imigração, que constrangeram a Senadora nião ordinária realizada hoje, rejeitou o Projeto de Lei
Patrícia Saboya, logo após seu desembarque no ae- nº 3.121-A/04 – do Sr. José Santana de Vasconcellos –
roporto de Fiumicino, em Roma, na República Italiana, que “inclui como beneficiários das indenizações os pas-
no último dia 3 de setembro. sageiros acidentados transportados a título de cortesia
ou gratuidade e os usuários de transporte coletivo nas
Justificação modalidades de turismo e fretamento”.
Conforme amplamente noticiado, a Senadora Atenciosamente, – Deputado Sabino Castelo
Patrícia Saboya foi submetida à grave e injustificável Branco, Presidente.
constrangimento, no dia 3 de setembro último, logo Publique-se.
após seu desembarque no aeroporto de Fiumicino, Em 18-9-09. – Michel Temer, Presidente.
na cidade de Roma.
Constitui direito de qualquer estado soberano COMISSÃO DE VIAÇÃO E TRANSPORTES
submeter os estrangeiros provenientes do exterior aos Of. P-548/09/CVT
procedimentos alfandegários e de controle de passa-
Brasília, 16 de setembro de 2009
porte, com exceção dos agentes diplomáticos e dos
Chefes de Estado e de Governo. Outra regra de direito A Sua Excelência o Senhor
internacional preceitua que o Estado não é obrigado a Deputado Michel Temer
aceitar cidadão estrangeiro em seu território. Presidente da Câmara dos Deputados
Todavia, embora possa obstar a entrada de quais- Assunto: Apreciação conclusiva de projeto de lei
quer estrangeiros em seu território, deles exigir docu- Senhor Presidente,
mentação hábil, inclusive submeter sua bagagem a Em cumprimento ao disposto no art. 58, caput,
procedimentos de revista, não é lícito ao Estado cons- do Regimento Interno, comunico a V. Exª que a Co-
tranger, maltratar ou humilhar, sob qualquer pretexto, missão de Viação e Transportes, em reunião ordinária
aqueles que desejam entrar em seu território. realizada hoje, rejeitou o Projeto de Lei nº 5.171/09
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51407 

– do Sr. Jurandy Loureiro – que “altera a Lei nº 9.537, mente, a Comissão Parlamentar de Inquérito Destinada
de 11 de dezembro de 1997, para tornar obrigatória a a Investigar as Causas, as Consequências e os Respon-
proteção das hélices das embarcações”. sáveis pelos Desaparecimentos de Crianças e Adoles-
Atenciosamente, – Deputado Jaime Martins, centes no Brasil no Período De 2005 A 2007. (CM –De-
Presidente. saparecimento de Crianças e Adolescenntes), criada pelo
Publique-se. requerimento de CPI nº 7, de 2007. Compareceram os
Em 18-9-09. – Michel Temer, Presidente. Deputados Bel Mesquita –Presidenta; Vanderlei Macris
– Vice-Presidente; Andreia Zito – Relatora; Angela Amin,
Ofício 93/2009 – Pres. Antonio Bulhões, Dr. Talmir, Fátima Bezerra, Fátima Pe-
Brasília, 15 de setembro de 2009 laes, Geraldo Pudim, Maria do Rosário, Pastor Manoel
Ferreira, Raimundo Gomes de Matos, Sandra Rosado e
A Sua Excelência o Senhor Vicentinho Alves – Titulares; Arnaldo Faria de Sá, Emilia
Deputado Michel Temer Fernandes, Ilderlei Cordeiro, José Linhares, Lucenira Pi-
Presidente da Câmara dos Deputados mentel e Luiz Couto – Suplentes. Deixaram de compare-
Senhor Presidente, cer os Deputados Bispo Gê Tenuta, Dalva Figueiredo,
Como do conhecimento de Vossa Excelência, Geraldo Thadeu, Luiz Bassuma, Manuela D’ávila, Miguel
encontra-se em funcionamento nesta Casa a Comis- Martini, Nilmar Ruiz, Rebecca Garcia, Solange Amaral e
são Parlamentar de Inquérito destinada a investigar Sueli Vidigal. Abertura: Verificada a existência de quorum
as causas, conseqüências e responsáveis pelos de- regimental, a Presidenta declarou aberta a reunião e co-
saparecimentos de crianças e adolescentes no Brasil locou à apreciação a Ata da 2ª reunião, realizada no dia
no período de 2005 a 2007. 25 de agosto de 2009. O Deputado Vanderlei Macris so-
Da análise do Requerimento, porém, bem como do licitou a dispensa de sua leitura, que em votação foi apro-
ato constitutivo desta Comissão, resta claro que a intenção vada por unanimidade e apresentou duas Questões de
da CPI proposta era investigar fatos atuais mas a demora Ordem: 1) Inversão da pauta, a fim de que pudessem
na instalação da Comissão não permitiu que se realizas- votar primeiro os requerimentos e em seguida iniciassem
sem esses atos até 2007. Como o objeto da CPI, indiscu- o processo de votação da 3ª Vice-Presidente; 2) Inversão
tivelmente, é analisar o fenômeno do desaparecimento de do item 11 da pauta, de modo que fosse votado primeiro
crianças e adolescentes no Brasil de hoje, esta CPI delibe- e em seguida os itens restantes. Em votação, foram Apro-
rou ser imprescindível corrigir sua denominação. vadas as solicitações do Deputado Vanderlei Macris. A
Cremos deva V. Exª modificar o nome da CPI para Presidenta comunicou às Senhoras e aos Senhores De-
“... a partir de 2005”. Com essa modificação restará putados o recebimento dos seguintes expedientes: Ofício
preservado o real objetivo com que esta investigação da Consultoria Legislativa designando o Consultor Legis-
parlamentar foi proposta. lativo, Dr. Sérgio Fernandes Senna Pires, da área de Se-
Assim, essa Presidência, com o aval da nobre gurança Pública para prestar assessoramento técnico
Relatora – Deputada Andreia Zito e dos demais inte- legislativo e especializado junto a esta CPI; Ofício do Ga-
grantes da CPI, dirige-se a Vossa Excelência para que binete da Deputada Sueli Vidigal PDT/ES, justificando
seja autorizada e publicada a mudança solicitada. ausência na reunião realizada por esta Comissão em 25-
Certa de contar com o acolhimento do pleito que 8-09; Ofício da Liderança do PPS/MG, justificando ausên-
ora apresento, colho a oportunidade para antecipar-lhe cia naquela reunião, do Deputado Geraldo Thadeu e Ofi-
meus mais sinceros agradecimentos pelo apoio que cio da Liderança do Bloco PSB, PCdoB, PMN e PRB,
este Órgão Colegiado vem recebendo dessa Casa. indicando a deputada Sandra Rosado (PSB – RN) para
Atenciosamente, – Deputada Federal Bel Mes- o cargo de V Vice-Presidente da CPI. Ordem do Dia: Elei-
quita, Presidenta. ção do 3º Vice-Presidente e a apreciação dos requeri-
mentos constantes da pauta. O Deputado Geraldo Pudim
COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO solicitou que os requerimentos n°s 1 a 10 fossem votados
DESTINADA A INVESTIGAR AS CAUSAS, em Globo, sendo assim, a sugestão foi acatada pelo ple-
CONSEQÜÊNCIAS E RESPONSÁVEIS PELOS nário da comissão. Passou-se à votação dos requerimen-
DESAPARECIMENTOS DE CRIANÇAS E tos. Requerimentos: 11) Requerimento n° 11/09 – da Srª
ADOLESCENTES NO BRASIL NO PERÍODO Bel Mesquita – que “requer que as Secretarias de Segu-
DE 2005 A 2007 rança dos Estados e do Distrito Federal encaminhem
informações sobre os casos de desaparecimento de
53ª Legislatura – 3ª Sessão Legislativa Or-
Crianças e Adolescentes ocorridos em seu Estado” Apro-
dinária
Ata da 3ª Reunião, realizada em 1º de setem- vado com a seguinte Emenda: ...que os dados sejam
bro de 2009. discriminados ano a ano, evidenciando o período de 2005
Às quinze horas e vinte e um minutos do dia primei- a 2009, informando as respectivas causas, quando hou-
ro de setembro de dois mil e nove, no Plenário 14, do ver o Registro da Informação; que seja estabelecido uni-
Anexo II da Câmara dos Deputados, reuniu-se, ordinaria- formidade na SOLICITAÇÃO DAS INFORMAÇÕES E
51408  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

PRAZO DE 15 DIAS PARA ENVIO DAS INFORMAÇÕES. requerimentos extrapauta só será possível quando ante-
1) REQUERIMENTO N° 1/09 – da Sra. Andreia Zito – cedido de votação nominal de outro requerimento, de um
(RCP 7/2007) – que “requer seja convidada a Senhora terço dos membros da CPI, solicitando tal procedimento
Ivanise Esperidião da Silva, Presidenta da Associação (Art. 52, § 5°do RI.). Passou-se à eleição da 3° Vice-Pre-
Brasileira de Busca e Defesa a Crianças Desaparecidas sidente. A Presidenta solicitou aos representantes dos
(ABCD)” APROVADO POR UNANIMIDADE. 2) REQUE- partidos o registro, junto à Mesa, individualmente ou por
RIMENTO N° 2/09 – da Sra. Andreia Zito – (RCP 7/2007) chapa, dos candidatos ao cargo de 3° Vice-Presidente,
– que “requer seja convidado o Excelentíssimo Senhor nos termos do art. 7°, inciso I, do Regimento Interno. A
Dr. Siro Darlan de Oliveira – Desembargador do Tribunal Presidenta suspendeu por alguns minutos a reunião, para
de Justiça do Estado do Rio de Janeiro”. APROVADO que as cédulas fossem manufaturadas e esclareceu aos
POR UNANIMIDADE. 3) REQUERIMENTO N° 3/09 – do membros da Comissão que teriam 24 membros titulares
Sr. Bispo Gê Tenuta – que “requer realização de audiência e igual número de suplentes e, portanto, o quorum exigi-
pública para debater as principais causas do desapare- do para eleição do cargo desta Comissão seria maioria
cimento de crianças e adolescentes no terriMrio brasilei- absoluta, 13 Deputados e pediu a todos que permane-
ro”. APROVADO POR UNANIMIDADE. 4) REQUERIMEN- cessem no recinto até o término da reunião. A Presiden-
TO N° 4/09 – da Sra. Andreia Zito – (RCP 7/2007) – que ta convidou a Deputada Andreia Zito – Relatora, para
“requer seja convidado o Professor Doutor Luiz Antonio auxiliar a presidência durante o processo de votação e
Ferreira da Silva, da. Universidade Federal de Alagoas”. solicitou que desse inicio à chamada nominal. Participa-
APROVADO POR UNANIMIDADE. 5) REQUERIMENTO ram da votação os Deputados: Angela Amin, Bel Mesqui-
N° 5/09 da Sra. Andreia Zito – (RCP 7/2007) – que “soli- ta, Fátima Bezerra, Fátima Pelaes, Geraldo Pudim, Maria
cita seja convocado o Diretor-Geral do Departamento de do Rosário, Pastor Manoel Ferreira, Andreia Zito, Vander-
Polícia Federal, Dr. Luiz Fernando Corrêa, para prestar lei Macris e Sandra Rosado – TITULARES; Arnaldo Faria
esclarecimentos sobre a atuação do Departamento no de Sã, Emília Femandes, José Linhares e Luiz Couto
combate aos fatos investigados por esta Comissão”. APRO- -SUPLENTES. A Presidenta encerrou a votação e solici-
VADO COM ALTERAÇÃO. ONDE SE LÊ “CONVOCADO”, tou à Deputada Andreia Zito que verificasse se o número
LEIA-SE “CONVIDADO”. 6) REQUERIMENTO N° 6/09 de sobrecartas coincidia com o número de votantes. Pas-
– da Sra. Andreia Zito – (RCP 7/2007) – que “solicita seja sou-se à apuração dos votos e em seguida a Presidenta
convocado o Ministro Chefe da Secretaria Especial de anunciou o resultado: 3° Vice-Presidente, a Deputada
Direitos Humanos da Presidência da República, Sr. Pau- Sandra Rosado – 14 votos. A Presidenta agradeceu à
lo de Tarso Vannuchi, para prestar esclarecimentos sobre Deputada Andreia Zito pelo auxílio prestado no processo
a atuação da Secretaria na prevenção e combate ao de- de votação e declarou empossada a eleita, convidando-a
saparecimento de crianças e adolescentes”. APROVADO para compor a Mesa. A Presidenta concedeu a palavra à
COM ALTERAÇÃO. ONDE SE LÊ “CONVOCADO”, LEIA- deputada Sandra Rosado, V Vice-Presidente para suas
SE “CONVIDADO”. 7)REQUERIMENTO N° 7/09 – da Sra. considerações, agradecendo-a em seguida. Antes de ter-
Andreia Zito – (RCP 7/2007) – que “solicita ao Procurador- minar a reunião, a Presidenta propôs e foi APROVADA
Geral da República – PGR, acompanhamento e subsídios POR UNANIMIDADE pelo plenário, que as investigações
acerca do desaparecimento de crianças e adolescentes sejam realizadas a partir de 2005 e não apenas de 2005
no Brasil”. APROVADO POR UNANIMIDADE. 8) REQUE- a 2007. Nada mais havendo a tratar, a Presidenta encer-
RIMENTO N° 8/09 – da Sra. Andreia Zito – (RCP 7/2007) rou a reunião às dezesseis horas e um minuto, antes
– que “solicita informações ao Fundo das Nações Unidas convocando reunião para o próximo dia 9 de setembro de
para a Infância – UNICEF sobre a situação da infância e 2009, às 14h30min. O inteiro teor da reunião foi gravado
adolescência brasileira e, em especial, sobre os desapa- e as notas após serem decodificadas, farão parte deste
recimentos de crianças e adolescentes”. APROVADO documento. E, para constar, eu Manoel Amaral Alvim de
POR UNANIMIDADE. 9) REQUERIMENTO N° 9/09 – da Paula, Secretário da Comissão, lavrei a presente, Ata. que,
Sra. Andreia Zito -(RCP 7/2007) – que “solicita seja requi- lida e aprovada, será assinada pela Presidenta, Deputa-
sitado ao Ministério da Justiça, a designação de Delega- da Bel Mesquita, e publicada no Diário da Câmara dos
do de Polícia Federal de seus quadros para acompanhar Deputados.
os trabalhos desta CPI”. APROVADO POR UNANIMIDA- Não há como deferir o pedido de alte-
DE. 10) REQUERIMENTO N° 10/09 – do Sr. Geraldo ração da denominação da Comissão Parla-
Pudim – que “requer seja convidada a participar de audi- mentar de Inquérito destinada a investigar as
ência pública a Vereadora Liliam Sá de Paula -PR/RJ” causas, consequências e responsáveis pelos
APROVADO POR UNANIMIDADE. A Presidenta reiterou desaparecimentos de crianças e adolescentes
às Senhoras e Senhores Deputados que a apreciação de no Brasil no período de 2005 a 2007, vez que
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51409 

tal designação teve origem no Requerimento que tem objetivo proibir a cobrança de preços diferencia-
de Instituição de CPI n. 7/2007 e no Ato da dos para compras com cartão de crédito em relação às
Presidência que deu conhecimento ao Plená- demais formas de pagamento, a saber:
rio de sua criação, ficando a denominação da
“Parágrafo único. O pagamento com o
Comissão a eles vinculada.
cartão de crédito é considerado pagamento
Oficie-se. Publique-se.
á vista, sendo vedado ao estabelecimento
Em 18/09/09 – Michel Temer, Presidente.
credenciado impor ao consumidor portador
Presidente da Sessão de cartão de crédito condições ou preços di-
Michel Temer (PMDB–SP) ferenciados dos preços à vista ou lhe oferecer
Levanta questão de ordem para solicitar a devolução descontos ou outras vantagens. impondo-lhe
ao autor do Projeto de Lei nº 5.800, de 2009, que “altera como condição que o pagamento seja efetuado
o inc. III do art. 6º e o inc. V do art. 52 da Lei nº 8.078, de em dinheiro, cheque ou qualquer outra forma
11 de setembro de 1990, para incluir no rol dos direitos
de pagamento.”
básicos do consumidor a informação prévia e clara da
diferenciação de preços na oferta de produtos e serviços Agora, o companheiro de partido do Sen. Adel-
em razão da forma de quitação”; entende que o referido mir Santana (DEM–DF), nobre Deputado Jorge Khou-
projeto antiregimental por contrariar decisões desta Casa ry, apresentou e pede urgência ao Projeto de Lei nº
nesta e em outras sessões legislativas. 5.800, de 2009, que “altera o inc. III do art. 6º e o inc.
V do art. 52 da Lei nº 8.078, de 11 de setembro de
QUESTÃO DE ORDEM Nº 504, DE 2009
1990, para incluir no rol dos direitos básicos do con-
Requer seja declarada a prejudicialida- sumidor a informação prévia e clara da diferenciação
de do Projeto de Lei n° 5.800, de 2009. de preços na oferta de produtos e serviços em razão
Excelentíssimo Senhor Presidente, da forma de quitação” e que, assim como o PL nº
Excelentíssimo Senhor Presidente, peço a palavra 4.360/08, a Emenda nº 73 da MP 460/09 e a Emenda
para uma questão de ordem, com base nos arts. 95, nº 3 do PLV nº 12/09, e o PL nº 822/07, compartilham
137, inciso II, alínea c e 164 do Regimento Interno: o mesmo objetivo.
No último dia 5 de agosto, este Plenário rejei- Conforme consta em sua justificação, o propósi-
tou a Emenda nº 3, do Senado Federal, oferecida ao to principal do projeto de lei é viabilizar a instituição,
Projeto de Lei de Conversão nº 12, de 2009, oriundo no país, de preços diferenciados para compras com
da Medida Provisória nº 460, de 2009, que pretendia cartão de crédito, em relação às demais formas de
instituir no país a sistemática de preços diferenciados pagamento, assunto exaustivamente discutido e vo-
para compras com cartão de crédito em relação ás tado por esta Casa.
demais formas de pagamento. O art. 137, inciso II, alínea a determina a Vossa
No dia 3 de junho do corrente ano, este Plenário re- Excelência, que devolva matérias ao autor matérias
jeitou a Emenda nº 73, de autoria do nobre Sen. Adelmir anti­regimentais, como é o caso deste Projeto de Lei
Santana (DEM–DF), que tinha o mesmo propósito. nº 5.800, de 2009.
No final do ano de 2008, esta Casa rejeitou o O artigo 164, inciso II, determina que, de ofício ou
Projeto de Lei nº 4.360, de 2008, de autoria do mesmo mediante provocação de qualquer deputado, seja decla-
sen. Adelmir Santana (DEM–DP), que também preten- rada prejudicada matéria em virtude de prejulgamento
dia instituir a sistemática de preços diferenciados para pelo Plenário ou Comissão, em outra deliberação.
compras com cartão de crédito em relação a outras Em sede da resposta à Questão de Ordem nº
formas de pagamento, claramente uma investida dos 608, a Mesa Diretora confirma esse entendimento ao
empresários contra os consumidores brasileiros. informar, em seu despacho:
A Comissão de Defesa do Consumidor rejeitou,
em 3-12-2008, o Projeto de Lei nº 822, de 2007, que “que o Regimento Interno da Casa prevê
pretendia desconstituir das práticas abusivas a dife- duas hipóteses genéricas de prejudicialidade,
renciação de preço em função do pagamento com di- a primeira, prevista no art. 164, I, refere-se à
nheiro, cartão de crédito ou cartão de débito. perda de oportunidade para a deliberação da
A mesma Comissão de Defesa do Consumidor apro- proposição, a segunda hipótese, prevista no
vou, no ultimo dia 12 de agosto de 2009, por unanimida- art. 164, II, refere-se à possibilidade de pre-
de, substitutivo ao Projeto de Lei nº 2.533, de 2007, que julgamento pelo Plenário ou Comissão, em
estabelece, em seu artigo 2º, parágrafo único, dispositivo outra deliberação”.
51410  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Nessa decisão, a Mesa Diretora, corretamente, ates- PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR


ta que o art. 164 traz requisitos genéricos suficientes à Nº 509, DE 2009
declaração de prejudicialidade de uma proposição. (Da Comissão Especial destinada ao exame e
Essa percepção é novamente confirmada na de- a avaliação da Crise Econômico-Financeira e, ao
cisão da Mesa Diretora proferida nesta sessão legisla- final, formular propostas ao Poder Executivo e ao
tiva sobre oi Projeto de Lei nº 5.033/09, apresentado País, especificamente no que diz respeito
em 14-4-2009. Veja: Vossa Excelência que a Mesa à repercussão no Comércio)
Diretora, de ofício, ou seja, por iniciativa própria, con-
Dispõe sobre a regulação dos servi-
siderou o projeto em questão “prejudicado, nos termos
ços de pagamentos, que incluem as ativi-
do art. 164, II, do RICD”. Foi além, em seu despacho
dades relacionadas à emissão e credencia-
justificou que:
mento de cartões de crédito e de débito e
“a matéria em apreço já foi prejulgada dos demais instrumentos de pagamento,
pela Comissão de Defesa do Consumidor. e o compartilhamento da infraestrutura de
em 18-5-2005, e pela Comissão de Finanças coleta e processamento de informações na
e Tributação, em 9-4-2008, em sede do Pro- execução desses serviços.
jeto de Lei nº 3755/2004. Oficie-se e, após, Despacho: Apense-se à(ao) PLP-
publique-se”. 106/2007.
Observe, Senhor Presidente, que a Mesa Dire- Apreciação: Proposição sujeita à aprecia-
tora justificou, para declaração de prejudicialidade de ção do Plenário.
uma matéria apresentada em 2009, decisões da Co- O Congresso Nacional decreta:
missão de Defesa do Consumidor do ano de 2005 e da Art. 1º. Esta lei complementar dispõe sobre a re-
Comissão de Finanças e Tributação do ano de 2008, gulação dos serviços de pagamentos, que incluem as
ou seja, atos legislativos que ocorreram em sessões atividades relacionadas à emissão e credenciamento
legislativas distintas à da decisão. de cartões de crédito e de débito e dos demais instru-
Este é o caso do Projeto de Lei nº 4.360/08, pre- mentos de pagamento, e o compartilhamento da infra-
judicado por esta Casa em decisão proferida no final estrutura de coleta e processamento de informações
do ano passado e arquivado na atual legislatura. na execução desses serviços.
Senhor presidente, não estou, sequer, entran- Art. 2º. Os arts. 3º, 4º e 17 da Lei nº 4.595, de
do no mérito da proposta. Estou apontando apenas a 31 de dezembro de 1964, passam a vigorar com a
forma como esta matéria surge e desrespeita o nosso seguinte redação:
Regimento Interno.
“Art. 3º. ..................................................
Diante do exposto, formalizo a presente questão
.......................................................................
de ordem para que Vossa Excelência devolva ao autor
V – Propiciar o aperfeiçoamento das ins-
o Projeto de Lei nº 5.800, de 2009, em função de sua
tituições e dos instrumentos financeiros, com
flagrante anti­regimentalidade, por contrariar decisões
vistas à maior eficiência do sistema de paga-
desta Casa nesta e em outras sessões legislativas.
mentos e de mobilização de recursos e dos
Indefiro a Questão de Ordem nº 504/09, serviços de pagamento;
nos termos do art. 95 do Regimento Interno, ...............................................................
considerando que matéria aprovada ou rejeita- Parágrafo único. Considera-se serviços
da em sessão legislativa diversa não prejudica de pagamento os serviços que possibilitam
a tramitação de projeto de lei apresentado em a efetivação de pagamentos e recebimentos
outra sessão legislativa. Por oportuno, deter- entre compradores e vendedores, incluídas
mino a retificação do despacho exarado em as atividades relacionadas à compensação
5-5-09, para promover o desarquivamento do e liquidação dessas transações e à emissão
Projeto de Lei nº 5033/09 e seu retorno à tra- e credenciamento de cartões de crédito e de
mitação normal. Em consequência, apense-se débito e dos demais instrumentos de paga-
o Projeto de Lei nº 5.033/09 ao Projeto de Lei mento, salvo quando esses instrumentos forem
nº 3569/08, nos termos do art. 139, inciso I c/c destinados à utilização restrita a um estabele-
art. 142, parágrafo único, ambos do RICD. cimento comercial.” (NR)
Publique-se. Oficie-se. Arquive-se. “Art. 4º. ..................................................
Em 18-5-09. – Michel Temer, Presidente. .......................................................................
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51411 

XXXIII – regular as atividades relaciona- das com a utilização de instrumentos de pa-


das ao sistema de pagamentos e aos serviços gamento, os credenciadores de serviços de
de pagamentos. pagamento e os proprietários ou detentores
............................................................... dos direitos de uso desses serviços são em-
§ 8º. A regulação de que trata o inciso presas autorizadas, reguladas e fiscalizadas
XXXIII deste artigo não prejudica a atuação pelo Banco Central do Brasil.” (NR)
dos demais órgãos reguladores e fiscalizado- Art. 4º. Nos contratos entre emissores e credencia-
res, no âmbito exclusivo de suas atribuições, dores de serviços de pagamento ou entre qualquer dessas
e compreenderá inclusive o relacionamento empresas e os proprietários ou detentores dos direitos de
entre emissores e credenciadores de servi- uso desses serviços são vedadas cláusulas que estabe-
ços de pagamento e proprietários ou detento- leçam exclusividades para quaisquer partes.
res dos direitos de uso desses serviços, bem Parágrafo único. As disposições do caput deste arti-
como as atividades de credenciamento e de go não se aplicam aos serviços de pagamento de modelo
provimento de serviços de redes de captura fechado, em que as atividades de emissão e de creden-
e processamento de informações, e poderá, ciamento são exercidas por uma única empresa.
dentre outros aspectos, abranger: Art. 5º. Será obrigatória, para os serviços de pa-
I – medidas que possibilitem o aprovei- gamento, a interoperabilidade das redes de coleta e
tamento do potencial de interoperabilidade processamento de transações, nos termos da regula-
de infraestrutura, de forma a permitir seu uso mentação do Conselho Monetário Nacional.
comum por diferentes emissores e credencia- § 1º. A interoperabilidade de que trata o caput des-
dores de serviços de pagamento; te artigo requer inclusive a existência de padrões que
II – critérios e restrições para a prestação permitam qualquer terminal leitor de cartões processar
de serviços de redes que efetuem captura e
as informações de qualquer cartão de pagamento, e
processamento de informações;
na existência de redes que permitam qualquer esta-
III – critérios para a estipulação de preços
belecimento vendedor de bens ou serviços interagir
nas negociações referentes a acesso a infra-
com qualquer credenciador, e qualquer credenciador
estrutura de redes de coleta e processamento
interagir com qualquer emissor.
de informações, inclusive de equipamentos, e a
§ 2º. A interoperabilidade de redes será objeto de
forma de resolução administrativa dos conflitos
negociação entre as empresas, observadas as disposi-
decorrentes desse compartilhamento;
ções do Conselho Monetário Nacional e da legislação
IV – requisitos de capital e de liquidez
para o funcionamento dessas empresas; e de defesa da concorrência.
V – medidas para coibir cobrança abusiva § 3º. A negociação de que trata o § 2º deste ar-
de quaisquer taxas ou preços praticados na tigo será celebrada em termos não discriminatórios e
prestação de serviços de pagamento. estabelecerá preços justos e razoáveis associados aos
§ 9º. Considera-se proprietário dos di- respectivos custos, e os respectivos contratos serão
reitos de uso de serviços de pagamentos a tornados públicos pelo Banco Central do Brasil.
entidade responsável pela definição de regras Art. 6º. Os estabelecimentos vendedores de bens
contratuais e padrões de utilização desses ou serviços poderão:
serviços.” (NR). I – escolher e alterar livremente, a qualquer tempo, a
“Art. 17. ................................................. instituição financeira através da qual receberão os valores
§ 1º. Para os efeitos desta lei e da legis- referentes às vendas de bens ou serviços efetuadas por
lação em vigor, equiparam-se às instituições meio da utilização de serviços de pagamento;
financeiras: II – realizar, junto a quaisquer empresas de fomento
I – as pessoas físicas que exerçam qual- mercantil ou instituições do sistema financeiro nacional,
quer das atividades referidas neste artigo, de ainda que diversas da instituição referida no inciso I deste
forma permanente ou eventual; e artigo, operação de antecipação dos recebíveis oriundos
II – os emissores de serviços de paga- da utilização de serviços de pagamento;
mento, salvo quando esses serviços forem III – diferenciar preços de venda de bens ou ser-
destinados à utilização restrita a um estabe- viços em virtude dos custos associados aos diferentes
lecimento comercial. instrumentos de pagamento disponíveis.
§ 2º. As empresas que realizarem com- § 1º. São vedadas as cláusulas contratuais que
pensação e liquidação de transações efetua- limitem a livre escolha do estabelecimento vendedor
51412  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

de bens ou serviços na realização das ações de que dos da Associação Brasileira das Empresas de Cartões
tratam os incisos I a III deste artigo. de Crédito e Serviços – ABECS, o volume transacionado
§ 2º. O pagamento da venda de bens ou serviços por meio de cartões de crédito e débito passou de R$ 89
será efetuado pelo credenciador de serviços de paga- bilhões em 2002, para R$ 256 bilhões em 2007, e para
mento diretamente à empresa de fomento mercantil ou R$ 323 bilhões em 2008.
instituição do sistema nacional que realizar a operação Face à relevância do tema, o Banco Central do Brasil,
de antecipação de que trata o inciso II deste artigo. a Secretaria de Direito Econômico (SDE), do Ministério da
§ 3º. O credenciador de que trata o § 2º deste artigo Justiça, e a Secretaria de Acompanhamento Econômico
proverá os meios técnicos e operacionais que viabilizem a (Seae), do Ministério da Fazenda, realizaram um relató-
contratação da operação de antecipação dos recebíveis rio conjunto, divulgado em 31 de março de 2009, sobre
entre a empresa vendedora de bens ou serviços e a ins- a indústria de cartões de pagamento.1
tituição financeira ou empresa de fomento mercantil. O relatório destaca que o mercado de cartões,
§ 4º. O custo da antecipação de que trata o inciso em virtude de seus ganhos de escala, sua estrutura e
externalidade de rede, é caracterizado por “alta con-
II deste artigo será cobrado exclusivamente na forma
centração, levantando hipóteses de eventuais práticas
de uma taxa de desconto efetiva.
anticoncorrenciais. As principais questões dizem res-
§ 5º. O Conselho Monetário Nacional poderá esti-
peito à manifestação abusiva de poder de mercado,
pular valores máximos para a taxa de desconto efetiva
existência de barreiras à entrada, prática de cartel e
de que trata o § 4º deste artigo. estruturas verticalizadas”.
§ 6º. A diferenciação de preços de que trata o in- Ademais, ressalta que, nas transações com cartão
ciso III deste artigo, praticada na forma de descontos de crédito, o prazo entre a data da compra e a data do
ou de acréscimos de preços, será limitada aos custos crédito ao estabelecimento é, em geral, de trinta dias
associados à utilização dos instrumentos de paga- no Brasil. Por outro lado, o relatório destaca que o pra-
mento disponíveis. zo de pagamento dos portadores dos cartões ocorre,
Art. 7º. Em uma compra de bens ou serviços jun- em média, em um prazo de vinte e oito dias, de forma
to aos estabelecimentos credenciados, é vedada aos que os fluxos de pagamentos e recebimentos estariam
emissores dos instrumentos de pagamento a cobrança aproximadamente compatibilizados.
de quaisquer taxas ou repasse de custos ao comprador. De forma geral, entendemos que o meio mais efi-
Parágrafo único. A vedação de que trata o caput ciente de reduzir custos e prazos é por meio do meio do
deste artigo não se aplica a anuidades ou ressarci- aumento da concorrência. Deve-se criar um ambiente
mento de custos fixos, inclusive relativos à emissão regulatório que permita que a competição efetivamente
de cartões de crédito ou de débito ou de outros ins- ocorra, eliminando exclusividades contratuais, verticaliza-
trumentos de pagamento. ções excessivas, duplicação de infraestrutura e barreiras à
Art. 8º. Esta Lei Complementar entra em vigor após entrada de novos competidores, dentre outros aspectos.
decorridos trezentos e sessenta dias da sua publicação. Consideramos importante propiciar aos estabeleci-
mentos vendedores de produtos e serviços melhores con-
Justificação dições para, quando necessário, negociar a antecipação
Um dos aspectos mais relevantes para o co- dos recebimentos referentes às vendas realizadas com
mércio doméstico refere-se aos meios de pagamento cartões de crédito. Entendemos que essas operações
utilizados pelos consumidores, que devem proporcio- podem ser particularmente importantes sobretudo em
nar segurança, eficiência, custos reduzidos e preços um momento de crise, em que há restrições de liquidez
competitivos. inclusive para os estabelecimentos comerciais.
Nesse contexto, a expansão significativa da uti- Assim, devem ser estabelecidas as condições
lização de cartões de débito e de crédito e o volume para que ocorra uma efetiva concorrência na realização
de cartões ativos no País demonstram que a atividade dessas operações, de forma que propomos estipular
deve ser objeto de minuciosa regulação e fiscalização não apenas que os estabelecimentos comerciais pos-
sam operar com qualquer instituição financeira para o
por parte do Estado.
recebimento dos pagamentos dos cartões, inclusive
Com efeito, o número de cartões de crédito ativos no
alterando-a a qualquer tempo, mas que também possam
Brasil totalizava cerca de 20 milhões no primeiro trimestre
realizar, com quaisquer outras instituições financeiras,
de 2002, e ao final do quarto trimestre de 2007 chegou a
ou mesmo com empresas de factoring, as operações
nada menos que 66,6 milhões, um crescimento de cerca
de antecipação desses recebíveis.
de 230% no período. No que tange aos cartões de débito
ativos, houve no mesmo período a evolução 24 milhões 1 – Em junho de 2009, o estudo encontrava-se disponível na internet, no
para 52,3 milhões, uma expansão de 114%. Segundo da- endereço: http://www.bcb.gov.br/htms/spb/Relatorio_Cartoes.pdf
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51413 

Há que se destacar que esses recebíveis são ga- serviço de rede e os processadores dos demais parti-
rantidos contra inadimplências dos compradores. Desta cipantes (emissores, credenciadores e bandeiras). A
forma, no que se refere exclusivamente à sua antecipa- interoperabilidade a ser explorada implica na existência
ção, a operação pode ser praticamente considerada como de padrões que permitam qualquer terminal leitor de
livre de risco de crédito – uma vez que o pagamento será cartões processar as informações de qualquer cartão
efetuado por uma instituição financeira ainda que o com- de pagamento, e na existência de redes que permitam
prador se torne inadimplente –, de maneira que a taxa qualquer estabelecimento vendedor de bens ou servi-
de desconto deve se aproximar da taxa básica de juros ços interagir com qualquer credenciador, e qualquer
acrescida, essencialmente, dos custos administrativos, credenciador interagir com qualquer emissor.
tributários e de uma moderada margem de lucro. É possível, portanto, promover melhor eficiência
Por esse motivo, é importante que o Conselho econômica com maior bem-estar social por meio do
Monetário Nacional possa, se for o caso, estipular taxas aumento da competição e da eficiência no provimento
máximas de desconto para essa antecipação, de forma de serviço de rede e na execução das diversas outras
a que sejam coibidos abusos. Esta é, ademais, a lógica atividades da indústria de cartões de pagamento.
utilizada na limitação das taxas praticadas nas opera- Na análise do mercado de cartões em outros paí-
ções de empréstimo consignado para aposentados e ses, constata-se que as questões que levaram às inves-
pensionistas do INSS, que também apresentam baixo tigações sobre concorrência nas indústrias de cartões
risco. Atualmente, os juros máximos estipulados para são muito similares às que aparecem em indústrias tra-
esses empréstimos consignados são de 2,5% ao mês, dicionais: alta concentração em uma ou mais etapas do
mas são praticadas no mercado taxas que chegam a processo; barreiras à entrada, muitas vezes de origem
0,85% nas operações de prazo igual a um mês. contratual; preços fixados conjuntamente por vários
Adicionalmente, consideramos ser importante participantes; lucros aparentemente extraordinários no
que os estabelecimentos vendedores, caso queiram, setor; e reclamações de consumidores e concorren-
possam diferenciar os preços em função do meio de tes. À medida que as investigações foram avançando
pagamento utilizado, desde que essa diferenciação em cada país, as autoridades atentaram para as par-
seja limitada aos custos associados à sua utilização. ticularidades da indústria de cartões, embora isso não
Consideramos que, por meio dessa permissão, possa necessariamente tenha se refletido de forma clara nas
ser evitada a elevação dos custos associados à utili- medidas de regulação efetivamente tomadas.
zação de cartões de crédito. Por esse motivo, consideramos crucial que a
De acordo com o relatório divulgado pelo Banco questão da regulação do setor seja enfrentada, de for-
Central do Brasil, uma pesquisa realizada com estabe- ma a propiciar uma maior concorrência nas diversas
lecimentos comerciais indica que dificilmente aqueles atividades intrínsecas a esse mercado, beneficiando
que hoje não oferecem desconto em função do instru- os estabelecimentos comerciais, os consumidores e,
mento de pagamento, cerca de 65% dos entrevistados, por consequência, a economia brasileira.
irão fazê-lo caso seja legalmente e contratualmente Assim, propomos o presente projeto de lei com-
permitido. Trata-se, assim, de uma faculdade à qual plementar, que atribui papel primordial ao Conselho
se espera que não seja utilizada, mas cuja mera pos- Monetário Nacional e ao Banco Central do Brasil na
sibilidade de adoção representa um mecanismo que condução desse processo.
poderá coibir aumento de custos. Sala das Sessões, 28 de agosto de 2009. –
Ademais, boa parte da literatura sobre mercado de Deputado Rodrigo Rocha Loures Deputado Neudo
cartões de pagamento trata a regra de proibição à dife- Campos, Presidente Relator.
renciação de preços como uma questão importante na
análise dos potenciais efeitos anticompetitivos existentes PROJETO DE LEI Nº 5.870, DE 2009
no mercado. Em tese, a existência de uma restrição à liber- (Do Sr. Washington Luiz)
dade de apreçamento dos estabelecimentos pode gerar Institui isenção da Contribuição para
distorções em termos de eficiência e de concorrência. A o PIS/PASEP e da COFINS para receitas
impossibilidade de discriminar preços pode distorcer a oriundas de operações com peças de mo-
natureza da competição entre os diversos instrumentos tocicletas e bicicletas.
de pagamento, fazendo com que os consumidores te- Despacho: Apense-se à(ao) PL-
nham incentivos para utilizar com maior freqüência um 5282/2009.
determinado instrumento que não seja necessariamente Apreciação: Proposição sujeita à aprecia-
o menos custoso para a sociedade. ção conclusiva pelas Comissões – Art. 24 II.
No que se refere à prestação de serviços de
rede no âmbito da indústria de cartões de pagamento, O Congresso Nacional decreta:
observa-se a possibilidade de interoperabilidade, que Art. 1º Esta lei institui isenção da Contribuição
significa a troca de informações entre o prestador de para os Programas de Integração Social e de Forma-
51414  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

ção do Patrimônio do Servidor Público – PIS/PASEP e urbana para milhões de pessoas, o que é uma das
da Contribuição para o Financiamento da Seguridade prerrogativas do Ministério das Cidades.
Social – COFINS incidentes sobre a receita decorrente Do ponto de vista ambiental, cinco mil bicicletas
de operações com partes e acessórios de motocicle- em circulação representam 6,5 toneladas a menos
tas e bicicletas. de poluentes no ar. Ela evita engarrafamentos, ocupa
Art. 2º Fica isenta da Contribuição para o PIS/ pouco espaço para estacionar, faz pouquíssimo ruído
PASEP e da COFINS a receita bruta da venda, efetu- e seu impacto no solo é praticamente inexistente.
ada no mercado interno por comerciantes atacadistas A bicicleta também traz importantes benefícios
e varejistas, dos produtos classificados nas posições para o corpo e a mente. A Organização Mundial da
8714.1 (partes e acessórios de motocicletas, incluídos Saúde recomenda o uso da bicicleta para melhorar a
os ciclomotores) e 8714.9 (outras partes e acessórios saúde pública mundial. Pedalar aumenta a circulação
de veículos das posições 87.11 a 87.13), todas da Ta- sanguínea no cérebro e a capacidade de raciocínio,
bela de Incidência do Imposto sobre Produtos Indus- além de prevenir problemas cardíacos e ser indicado
trializados – TIPI, aprovada pelo Decreto nº 6.006, de no tratamento da obesidade. Ademais, o ciclismo é um
28 de dezembro de 2006. dos esportes aeróbicos mais eficientes que existem.
Art. 3º Esta lei entra em vigor na data de sua Dessa maneira, resolvemos apresentar o pre-
publicação. sente projeto, com o objetivo de reduzir a tributação
sobre operações com peças para motos e bicicletas,
Justificação a exemplo do que se fez recentemente para automó-
As motos e bicicletas representam hoje o princi- veis, motos, caminhões, eletrodomésticos e materiais
pal meio de transporte para milhares de famílias em de construção. Mais especificamente, sugerimos que
cidades e vilarejos espalhados por todo o Brasil. fiquem isentas da Contribuição para os Programas de
O Brasil possui uma frota de 11 milhões de motos Integração Social e de Formação do Patrimônio do
e 30 milhões de bicicletas, segundo a Federação dos Servidor Público (PIS/PASEP) e da Contribuição para
Mototaxistas e Motoboys do Brasil (Fenamoto). A cadeia o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) as
produtiva – que inclui os fabricantes e distribuidores de receitas de vendas, no mercado interno, efetuadas
peças, componentes, oficinas e serviços autorizados – por comerciantes atacadistas e varejistas dos referi-
emprega diretamente meio milhão de pessoas. Hoje, dos produtos.
dois milhões e meio de mototaxistas de todo o país A idéia central, aqui, como nos outros casos ante-
dependem indiretamente da cadeia produtiva de peças, riormente citados, é evitar prejuízos e demissões diante
sendo esse um número crescente a cada ano. da crise econômica. A isenção em tela não oneraria os
Uma das particularidades do setor é o de absor- cofres públicos e estimularia a criação de novos em-
ver mão-de-obra de pessoas que perdem seu emprego pregos num ramo da economia que é formado histori-
e começam um pequeno negócio. Esta característica camente por milhões de consumidores de baixa renda,
fomenta a economia das pequenas cidades, com a conforme foi explicado pelo presidente da Fenamotos,
abertura de bicicletarias, oficinas de motos e vendas senhor Robson Alves Paulino.
de peças de reposição. Com estes argumentos, esperamos contar com
Segundo o presidente da Fenamoto, estes produ- o apoio dos nossos pares na Câmara e no Senado,
tos já têm uma carga tributária muito alta, considerando de forma a aprovar o presente projeto.
que só em pneus são pagos 15% a título de Imposto Sala das Sessões, 26 de agosto de 2009. – Wa-
sobre Produtos Industrializados (IPI) e que este com- shington Luiz, Deputado Federal, PT/MA.
ponente não tem nenhum beneficio fiscal. PROJETO DE LEI Nº 5.876, DE 2009
Já com relação às bicicletas, trata-se do meio de (Do Sr. Rodovalho)
transporte mais comum entre as populações de menor
acesso a bens de consumo no Brasil. Seja na cidade Altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro
ou na zona rural, ela ainda é o caminho mais curto de 1998, que dispõe sobre as sanções pe-
em regiões onde falta transporte público adequado. O nais e administrativas derivadas de condu-
Brasil é o terceiro maior pólo mundial de produção de tas e atividades lesivas ao meio ambiente,
e dá outras providências.
bicicletas e o quinto maior mercado. Toda a produção
Despacho: Apense-se à(ao) PL-
brasileira é destinada ao mercado interno.
3187/1997.
Além de representar um meio de transporte de
Apreciação: Proposição sujeita à aprecia-
baixo custo, em especial para a classe trabalhadora
ção do Plenário.
e estudantil, estimular o uso da bicicleta significa me-
lhorar a qualidade do ar, além de garantir mobilidade O Congresso Nacional decreta:
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51415 

Art. 1º Esta lei altera o artigo 65 da Lei nº 9.605, “Art. 27. .................................................
de 12 de fevereiro de1998, dispondo sobre causa de .......................................................................
extinção da punibilidade. VI – Comprovação, quando pessoa jurí-
Art. 2º O artigo 65 da Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro dica, de adoção de Política de Responsabili-
de 1998, passa a vigorar com a seguinte redação: dade Socioambiental, a exemplo das abaixo
“Art. 65. Pichar, grafitar ou por outro meio discriminadas:
conspurcar edificação ou monumento urbano: Correta destinação e redução de resí-
Pena – detenção, de três meses a um duos sólidos;
ano, e multa. Utilização de materiais não danosos ao
§ 1º Se o ato for realizado em monumen- meio ambiente;
to ou coisa tombada em virtude de seu valor Reciclagem;
artístico, arqueológico ou histórico: Política de educação ambiental destinada
Pena – detenção, de seis meses a um aos trabalhadores da empresa;
ano, e multa. Sustentabilidade;
§ 2º Fica extinta a punibilidade quando, Utilização de energias renováveis;
previamente à prolação da sentença, o autor Redução de emissão de gases nocivos,
restaurar a coisa conspurcada ao estado em que sobretudo CO2;
se encontrava anteriormente a seu ato.” (NR) Utilização de combustível limpo e trans-
Art. 3º Esta lei entra em vigor na data de sua porte sustentável.”
publicação. Art. 2º Esta lei entra em vigor na data de sua
Justificação publicação.
O projeto de lei que ora apresentamos à apreciação Justificação
da Câmara dos Deputados visa a tornar possível a extin-
A adoção de Políticas de Responsabilidade So-
ção da punibilidade daqueles que picham edificações ou
monumentos urbanos – nos casos em que os pichadores cioambiental por parte das empresas no país é uma
efetivamente desfaçam o dano que praticaram. necessidade urgente e grande benefício à população,
Mais vale à sociedade incentivar essa restaura- sobretudo diante da realidade atual, que impõe um
ção do que mandar à cadeia esses pichadores, ou, desenvolvimento mais sustentável e a diminuição das
na prática, vê-los pagar umas quantas cestas bási- agressões ao meio ambiente.
cas, enquanto os efeitos de sua prática permanecem. Diante de tal constatação, nada mais justo que o
Pois, hoje, pichadores adultos ou menores de dezoito Poder Público faça a sua parte, e cobre das Pessoas
anos são, no máximo, obrigados a prestar algum tipo Jurídicas que contratem com a administração pública
de serviço à comunidade. a comprovação de adoção de políticas de responsa-
Assim, conto com o esclarecido apoio dos membros bilidade socioambiental.
desta Casa, no sentido da aprovação desta proposição. É fato que a administração pública contrata, atra-
Sala das Sessões, 26 de agosto de 2009. – vés de licitação ou nos processos de dispensa, forne-
Deputado Rodovalho. cimento de bens, equipamentos ou serviços de todas
PROJETO DE LEI Nº 5.884, DE 2009 as ordens, desde medicamentos, pneus, combustível,
(Do Sr. Maurício Rands) alimentos, recolhimento e destinação de lixo, locação
de veículos, mão de obra, enfim, uma enormidade de
Fomenta a adoção de Políticas de Res- aquisições que envolve os mais variados tipos de em-
ponsabilidade Socioambiental por parte das presas e pessoas jurídicas.
pessoas jurídicas contratadas pelo Poder Diante de tal constatação e a luz das necessi-
Público, acrescenta inciso ao art. 27 da Lei dades socioambientais dos dias de hoje, é imperiosa
nº 8.666, de 21 de junho de 1993 (Lei de Li- a cobrança, como requisito para contratação de uma
citações) e dá outras providências. empresa por parte do poder público, que a mesma
Despacho: Apense-se à(ao) PL- comprove a adoção de medida ou prática de respon-
3407/2004. sabilidade socioambiental.
Apreciação: Proposição sujeita à aprecia- Outrossim, se a Lei de Licitações já impõe ao
ção do Plenário.
interessado comprovação de qualificação técnica e
O Congresso Nacional decreta: econômico-financeira, habilitação jurídica e regularida-
Art. 1º O art. 27 da Lei Federal 8.666, de 21 de de fiscal, nada obsta a ser requisito para contratação
junho de 1993 fica acrescido do seguinte inciso VI: com o poder público também a comprovação por parte
51416  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

da pessoa jurídica que a empresa adote algum tipo de Pena – Reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro)
política de responsabilidade socioambiental, seja reco- anos e multa. “
lhimento e destinação dos resíduos sólidos fornecidos, Art. 3º A Lei nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998,
reciclagem, utilização de combustível limpo e transporte passa a vigorar acrescida do seguinte § 5º do artigo 12
sustentável, energias renováveis, educação ambiental “§ 5º. Quem incorrer na conduta tipificada
de funcionários, enfim, uma gama de práticas que, ao no § 1º, perderá para o autor os exemplares
se tornarem requisitos para habilitação da empresa, apreendidos e pagar-lhe-á o preço dos que ti-
certamente aumentarão sobremaneira as iniciativas na ver vendido, ou não se conhecendo o número
área, colocando o poder público também como indu- de exemplares reproduzidos, pagará o trans-
tor das práticas, evitando inclusive que empresas que gressor o valor de três mil exemplares, além
se eximem de qualquer responsabilidade ambiental da perda dos apreendidos.”
venham a ter custos reduzidos e acabem por vencer
processos licitatórios justamente por não atenderem Art. 4º Esta lei entra em vigor na data de sua
a uma necessidade basilar da população no país e no publicação.
mundo que é a proteção ao meio ambiente. Justificação
Assim, considerando que o presente projeto trará
relevantes benefícios ao meio ambiente e à socieda- Após a edição da Lei nº 10.695/2003 que majo-
de como um todo, contamos com o apoio dos colegas rou a pena dos crimes de violação de direitos autorais,
parlamentares para sua aprovação. criou-se uma incoerência no ordenamento jurídico bra-
Sala das Sessões, 26 de agosto de 2009. – sileiro em relação ao tratamento conferido aos crimes
­Deputado Maurício Rands. contra a propriedade intelectual.
Embora a propriedade intelectual abranja não so-
PROJETO DE LEI Nº 5.908, DE 2009 mente o direito autoral, mas também as marcas, as paten-
(Da Comissão Especial destinada a tes, os desenhos industriais, os softwares, os modelos de
analisar proposições legislativas utilidade e de invenção, as penas cominadas a violação
que tenham por objetivo o combate à pirataria) dessas outras formas de propriedade intelectual ficaram
muito menores do que aquelas atribuídas pela Lei nº
Altera a Lei nº 9.609, de 19 de feve-
10.695/2003 à violação do direito autoral.
reiro de 1998, de modo a aumentar a pena
O presente projeto, desse modo, visa a corrigir essa
cominada à violação do direito do autor de
incoerência, majorando as penas cominadas ao crime de
programas de computador.
violação de direito do autor de programa de computador,
Despacho: Apense-se à(ao) PL-
de modo a igualá-las àquelas previstas nos §§ do artigo
2729/2003.
184 do Código Penal. Vale dizer que, para a sociedade,
EM CONSEQUÊNCIA, DETERMINO
a pirataria de software é algo tão prejudicial quanto a pi-
QUE O PL Nº 2729/2003 E SEUS APENSA-
rataria de músicas ou filmes, não havendo motivos para
DOS PASSEM A TRAMITAR EM REGIME DE
tratar essas duas infrações de maneiras diferentes. Tais
PRIORIDADE.
medidas já haviam sido propostas pelo PL nº 3.966/2004
Apreciação: Proposição sujeita à aprecia-
que, no entanto, restou arquivado.
ção do Plenário.
Não há necessidade de nova proposição para
O Congresso Nacional decreta: majorar as penas dos crimes de violação de proprie-
Art. 1º Esta lei altera a Lei nº 9.609, de 19 de dade industrial, já que isso está sendo feito pelo PL nº
fevereiro de 1998, de modo a aumentar a pena comi- 333/99, em fase adiantada de tramitação.
nada à violação do direito do autor de programas de Por todo exposto, clamamos os pares a aprovar
computador. o presente projeto de lei.
Art. 2º O § 1º do artigo 12 da lei nº 9.609, de 19 Sala das Comissões, 31 de agosto de 2009. –
de fevereiro de 1998, passa a vigorar com a seguinte ­Deputado Pedro Chaves, Presidente; Deputada Maria
redação: do Rosário, Relatora.
“ Art. 12 ................................................. PROJETO DE LEI Nº 5.924, DE 2009
....................................................................... (Do Sr. Chico Alencar)
§ 1º Se a violação consistir na repro-
dução, por qualquer meio, de programa de Dá nova redação ao art. 7º da Lei nº
computador, no todo ou em parte, para fins de 9.294, de 15 de julho de 1996, estabelecendo
comércio, sem autorização expressa do autor restrições à propaganda de medicamentos
ou de quem o represente: nos veículos de comunicação social.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51417 

Despacho: Apense-se à(ao) PL- risco a saúde da população. O que se constata quando, há
1402/1999. mais de uma década, os medicamentos são o primeiro agen-
Apreciação: Proposição sujeita à aprecia- te causador de intoxicações humanas em nosso País.
ção conclusiva pelas Comissões – Art. 24 II. Dentre tantas razões, os abusos cometidos nas
propagandas de medicamentos ocupam papel de des-
O Congresso Nacional decreta:
taque. Trata-se de um problema generalizado, presente
Art. 1º O § 1º do art. 7º da Lei nº 9.294, de 15 de julho
em vários países, mas que assume relevo no Brasil.
de 1996, passa a vigorar com a seguinte redação:
Preocupada com essa realidade, a Escola Nacio-
“Art. 7º ................................................... nal de Saúde Pública Sérgio Arouca da Fiocruz promo-
....................................................................... veu extenso debate entre profissionais e instituições
§ 1º Os medicamentos anódinos e de ligadas ao tema. Como consequência, o grupo de es-
venda livre, assim classificados pelo órgão pecialistas produziu documento que aponta fragilidades
competente do Ministério da Saúde, poderão no sistema brasileiro de controle das propagandas de
ser anunciados nos órgãos de comunicação medicamentos e sugere diversos dispositivos a serem
social com as advertências quanto ao seu abu- incorporados ao regramento brasileiro.
so, conforme indicado pela autoridade classifi- Como proposta mais eficaz, o grupo de especia-
catória, dentro do horário compreendido entre listas propõe a simples proibição da propaganda de
24h e 6h.” (NR) medicamentos em todos os meios de comunicação.
No entanto, o próprio grupo entende que a radicalida-
Art. 2º O § 5º do art. 7º da Lei nº 9.294, de 15 de ju-
de de tal medida pode tornar-se um empecilho para
lho de 1996, passa a vigorar com a seguinte redação:
sua aprovação. Propõe, então, entre outras medidas
“Art. 7º ................................................... restritivas, que se institua a obrigatoriedade de autori-
....................................................................... zação prévia para as propagandas – providência que
§ 5º Toda propaganda de medicamentos classifica como a mais relevante.
conterá obrigatoriamente advertência indican- Analisando as 19 sugestões apresentadas, ve-
do que “o médico deverá ser consultado antes rificamos que algumas já estão incorporadas ao nos-
do uso de qualquer medicamento.”(NR) so arcabouço jurídico; outras, por sua vez, tratam de
Art. 3º Acrescentem-se os seguintes parágrafos questões operacionais e que implicam obrigações
ao art. 7º da Lei nº 9.294, de 15 de julho de 1996: ao Poder Executivo. Neste projeto de lei, portanto, vi-
sando a aprimorar nossa legislação, incorporamos as
“Art. 7º ................................................... sugestões que tratam de matéria própria para uma lei
....................................................................... federal. Simultaneamente, apresentamos indicação ao
§ 6º Toda propaganda de medicamentos Ministério da Saúde, sugerindo que as propostas da
necessitará autorização prévia do órgão res- Fiocruz sejam assimiladas por aquele Órgão.
ponsável pela vigilância sanitária. Atualmente, a principal norma que trata do as-
§ 7º O órgão responsável pela vigilância sunto é a Lei nº 9.294, de 15 de julho de 1996, que
sanitária disporá de espaço para manifestar-se alteramos com esta propositura. Em seu texto atual, a
em todas as reportagens e textos de opinião lei permite a propaganda dos medicamentos anódinos
que tratem de medicamentos, conforme dis- e de venda livre nos meios de comunicação social,
posto em regulamento.” (NR) desde que inclua advertências quanto ao seu abuso.
Art. 4º Acrescente-se o seguinte artigo à Lei nº Mantemos tal norma, porém restringimos sua divul-
9.294, de 15 de julho de 1996: gação ao horário compreendido entre 24 e 6h, com o
intuito de resguardar nossas crianças.
“Art. 7º-A O Conselho nacional de Saúde Além disso, retomamos a exigência de autorização
participará do controle da propaganda farma- prévia para qualquer propaganda, norma já constante
cêutica, conforme estabelecido em regula- da Lei nº 6.360/76, porém relativizada pelo Decreto nº
mento.” (NR) 79.094/77, que a dispensa em casos específicos. A me-
Art. 5º Esta lei entra em vigor 180 dias após sua dida visa a coibir excessos de conteúdo ou forma, que
publicação. prejudicariam o público em geral, mesmo que o anúncio
abusivo viesse a ser proibido em momento posterior.
Justificação Ainda, inserimos no texto da lei dispositivo que
A automedicação é um grande problema no Brasil. assegura ao órgão responsável pela vigilância sani-
Além de levar a gastos desnecessários, a prática coloca em tária espaço para manifestar-se em todas as reporta-
51418  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

gens e textos de opinião que tratem de medicamentos. Art. 2º Esta lei entra em vigor na data de sua
Com essa regra, objetivamos disponibilizar ao órgão publicação.
técnico a possibilidade de intervenção, sempre que
Justificação
haja posições dúbias ou questionáveis, para que a
informação oferecida ao público seja a mais correta O art. 192 da Consolidação das Leis do Trabalho
e isenta possível. estabelece que o exercício de trabalho em condições de
Outra alteração que introduzimos na lei respeita à insalubridade assegura ao trabalhador a percepção de
advertência obrigatória em comerciais de medicamentos. adicional, equivalente a 40% sobre o salário mínimo, para
A frase atualmente preconizada induz à automedicação, insalubridade de grau máximo, 20% para insalubridade de
na medida em que sugere que o médico seja consultado grau médio e 10% para insalubridade de grau mínimo.
somente após o uso do medicamento, e se houver persis- No caso de incidência de mais de um fator de in-
tência dos sintomas. Nossa proposta, em contrapartida, salubridade, será apenas considerado o de grau mais
indica a necessidade de consulta ao médico antes do uso elevado, para efeito de acréscimo salarial, sendo veda-
de qualquer tipo de medicamento. da a percepção cumulativa, caso o trabalhador esteja
Finalmente, com vistas a propiciar o controle social exposto a mais de um agente insalubre.
também sobre a propaganda de medicamentos, inserimos Essa situação a nosso ver incentiva a monetarização
novo artigo na lei em questão, garantindo participação do risco de acidentes e de doenças ocupacionais. Os va-
efetiva do Conselho Nacional de Saúde no processo. lores ínfimos dos adicionais e a proibição de seu acúmulo
Pelo acima, considerando a importância do as- são fatores que desestimulam os empregadores a adotar
sunto em tela, contamos com a colaboração de nossos providências preventivas, que acabam optando pelo sim-
Pares para a aprovação deste projeto de lei. ples pagamento dos adicionais, o que compromete, de
Sala das Sessões, 1 de setembro de 2009. – forma irreversível, a saúde do trabalhador.
­Deputado Chico Alencar. Nesse sentido discorre Sebastião Geraldo de
Oliveira1:
PROJETO DE LEI Nº 5.926, DE 2009
(Do Sr. Vital do Rêgo Filho) Algumas medidas de combate às agres-
sões já podem ser adotadas de imediato, como
Altera o art. 192 da Consolidação das é o caso do cálculo do adicional de insalubri-
Leis do Trabalho – CLT, que dispõe sobre dade sobre o salário contratual e o pagamento
o exercício do trabalho em condições in- cumulativo de um adicional para cada agente
salubres. insalubre do local de trabalho. Não há razão do
Despacho: Apense-se à(ao) PL- ponto de vista biológico, lógico ou jurídico para
2549/1992. a vedação de adicionais cumulativos, quando
Apreciação: Proposição sujeita à aprecia- presentes diversos agentes prejudiciais. Por
ção do Plenário. outro lado, este agravamento dos adicionais,
O Congresso Nacional decreta: com amplo respaldo na legislação, implica
Art. 1º O art. 192 da Consolidação das Leis do Tra- maior desembolso e motiva o empregador a
balho – CLT, aprovada pelo Decreto-lei n.º 5.452, de 1º de melhorar o ambiente de trabalho, para evitar
maio de 1943, passa a vigorar com a seguinte redação: o pagamento dos referidos adicionais.
“Art. 192. O exercício de trabalho em con- Assim, com base nesse posicionamento, enten-
dições insalubres, acima dos limites de tolerân- demos por bem apresentar essa iniciativa modificando
cia estabelecidos pelo Ministério do Trabalho e a redação do art. 192 da CLT.
Emprego, assegura a percepção de adicional No caput, propomos elevar as alíquotas dos adi-
respectivamente de cinquenta por cento, trinta cionais: 50% para o grau máximo de insalubridade,
por cento e vinte por cento da remuneração 30% para o médio e 20% para o mínimo. Além disso,
do trabalhador, segundo se classifiquem nos sugerimos alterar a base de cálculo, que hoje é o salá-
graus máximo, médio e mínimo. rio mínimo – já considerada inconstitucional conforme
Parágrafo único. Os adicionais serão a Súmula Vinculante nº 4 do Supremo Tribunal Federal
acrescidos de vinte por cento em caso de in- –, para a remuneração do trabalhador.
cidência de mais um fator de insalubridade a 1 – Oliveira, Sebastião Geraldo de. Proteção jurídica à saúde do
que esteja exposto o trabalhador.” (NR) trabalhador. 3ed. Ver. Ampl. e atual. São Paulo: LTr, 2001.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51419 

No parágrafo único, aventamos a possibilidade ocorra, novamente os contribuintes terão que apelar
da instituição de um adicional suplementar: os adicio- ao judiciário a fim de garantir seus direitos.
nais serão acrescidos de vinte por cento em caso de Dessa forma, para dar maior segurança jurídica a
incidência de mais um fator de insalubridade a que entendimento consolidado no judiciário, bem como reco-
esteja exposto o trabalhador. nhecido pelos órgãos da Fazenda Pública, propomos este
Sala das Sessões, 31 de agosto de 2009. – Projeto de Lei. De acordo com seu texto, a exclusão do
­Deputado Vital do Rêgo Filho. campo de incidência do IRPF dos valores recebidos por
PROJETO DE LEI Nº 5.932, DE 2009 férias não gozadas ficará definido expressamente em Lei,
(Do Sr. Guilherme Campos) dando maior segurança jurídica ao contribuinte.
Por essas razões, conto com o apoio dos ilustres
Dispõe sobre a tributação do Imposto pares para aprovação deste Projeto de Lei.
de Renda dos valores recebidos a título de Sala das Sessões, 1 de setembro de 2009. –
abono pecuniário de férias. ­Deputado Guilherme Campos.
Despacho: Apense-se ao PL-
PROJETO DE LEI Nº 5.934, DE 2009
2708/2007.
Apreciação: Proposição sujeita à aprecia- (Da Sra. Perpétua Almeida)
ção conclusiva pelas Comissões – Art. 24 II. Altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro
O Congresso Nacional decreta: de 1998, no que se refere à destinação de
Art. 1º Os valores pagos a pessoa física a título madeira apreendida
de abono pecuniário de férias de que trata o art.143 Despacho: Apense-se ao PL-
da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada 4099/2008.
pelo Decreto-Lei nº5.452, de 1º de maio de 1943, não Apreciação: Proposição sujeita à aprecia-
serão tributados pelo imposto de renda na fonte nem ção do Plenário.
na Declaração de Ajuste Anual.
O Congresso Nacional decreta:
Art. 2º Esta lei entra em vigor na data de sua
Art. 1º O art. 25 da Lei 9.605, de 12 de fevereiro
publicação.
de 1998, que “dispõe sobre as sanções penais e admi-
Justificação nistrativas derivadas de condutas e atividades lesivas
A Receita Federal do Brasil, por intermédio da Ins- ao meio ambiente, e dá outras providências”, passa a
trução Normativa-IN nº936, de 5 de maio de 2009, já vigorar com a seguinte redação:
reconheceu que não incide imposto de renda sobre os “Art. 25 ..................................................
valores recebidos a título de abono pecuniário por férias .......................................................................
não gozadas. Esse, entretanto, não era o entendimento § 2º Tratando-se de produtos perecíveis
anterior da Administração Tributária. A referida IN só foi serão estes avaliados e doados a instituições
editada após diversas decisões nesse sentido em recursos científicas, hospitalares, penais e outras com
especiais julgados no Superior Tribunal de Justiça. fins beneficentes.
Como exemplo, citamos o REsp 706.880/CE e o I – Tratando-se de madeira estas serão
REsp 769.817/PB, cujas sentenças consideraram que imediatamente repassadas aos governos esta-
o abono pecuniário de férias não gozadas tem natureza duais e/ou prefeituras municipais da localidade
indenizatória e, por isso, não é tributado. Com efeito, em
da apreensão, onde serão utilizadas obrigatoria-
virtude de diversos julgados de mesmo teor proferidos por
mente em programas de moradia popular.
aquele tribunal, até mesmo a Procuradoria da Fazenda
.............................................................. ”
Nacional dispensou seus servidores de recorrer quando
a causa se relacionar a essa matéria (Ato Declaratório Art. 2º Esta lei entra em vigor na data da sua
PGFN nº 6, de 16 de novembro de 2006). publicação.
Mesmo assim, a Receita Federal só editou a su-
Justificação
pramencionada Instrução Normativa, a fim de evitar
interpretações equivocadas e cobranças indevidas, em A Lei de Crimes Ambientais, 9.065 de 12/02/1998,
5 de maio de 2009. Ou seja, dois anos e meio após a em seu artigo 25 determina que os produtos perecí-
orientação da PGFN. Trata-se, ainda, de ato infralegal, veis e as madeiras apreendidas em autos de infração
facilmente alterável por novo dispositivo de mesma hie- sejam doados às instituições científicas, hospitalares,
rarquia editado pelo Secretário da Receita. Caso isso penais e outras com fins beneficentes.
51420  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Ocorre que há uma grande demanda para constru- torização, permissão ou concessão do Poder
ção de casas populares, especificamente na Amazônia bra- Público e que destinam a motocicleta ou au-
sileira onde o déficit habitacional é de grande monta. tomóvel à utilização na categoria de aluguel
A cultura arquitetônica para construção de residências (táxi ou mototáxi); (NR)
naquela região do País é predominantemente de madeira, II – motoristas profissionais autônomos
já que as estruturas de ferro, cimento e tijolo é dispendiosa titulares de autorização, permissão ou conces-
e de difícil acesso às populações mais carentes. são para exploração do serviço de transporte
O volume de madeira ilegal apreendida é de ta- individual de passageiros (táxi ou mototáxi),
manho considerável, visto que os crimes ambientais impedidos de continuar exercendo essa ativi-
são presença constante nas manchetes jornalísticas e dade em virtude de destruição completa, fur-
o sucesso dos órgãos de fiscalização ambiental é uma to ou roubo do veículo, desde que destinem o
característica positiva do governo brasileiro. veículo adquirido à utilização na categoria de
Considerando que há necessidade de melhoria aluguel (táxi ou mototáxi); (NR)
e adequação regional das construções de casas po- III – cooperativas de trabalho que sejam
pulares as madeiras apreendidas serão destinadas permissionárias ou concessionárias de trans-
exclusivamente para esse fim. porte público de passageiros, na categoria
Prefeituras municipais, ou órgãos dos governos es- de aluguel (táxi ou mototáxi), desde que tais
taduais, receberão essa madeira que poderá ser benefi- veículos se destinem à utilização nessa ativi-
ciada e aplicada diretamente nos programas de inclusão dade; (NR)
social com foco em construção de moradias populares. IV – ......................................................“
Em 1-09-09. – Deputada Perpétua Almeida, Art. 2º Esta lei entra em vigor na data de sua
PCdoB/AC. publicação oficial.
PROJETO DE LEI Nº 5.937, DE 2009 Justificação
(Da Sra. Gorete Pereira)
Em julho deste ano, foi sancionada a Lei nº
Concede isenção do Imposto sobre 12.009/09, que regulamentou o exercício profissional
Produtos Industrializados – IPI para as mo- de mototaxista, providência aguardada por esses pro-
tocicletas destinadas ao exercício da ativi- fissionais há mais de uma década. De acordo com a
dade profissional de mototaxista, mediante nova lei, para exercer a profissão, o mototaxista deverá
alteração na Lei nº 8.989, de 24 de fevereiro ter 21 anos e comprovar 2 anos de experiência como
de 1995, nas condições que estabelece. condutor de motocicleta. Além disso, é necessária ha-
Despacho: Apense-se à(ao) PL- bilitação em curso especializado, a ser regulamentado
6521/2006. pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).
Apreciação: Proposição sujeita à aprecia- Conforme audiência pública realizada na Comis-
ção conclusiva pelas Comissões – Art. 24 II. são de Viação e Transportes desta Casa, em 2007, o
presidente da Federação dos Mototaxistas e Motoboys
O Congresso Nacional decreta:
do Brasil (Fenamoto), Robson Alves, afirmou que o
Art. 1º O art. 1º da Lei nº 8.989, de 24 de fevereiro
serviço já estava regulamentado em cerca de 3.500
de 1995, passa a vigorar com a seguinte redação:
municípios e que, em todo o País, cerca de 800 mil tra-
“Art.1º Ficam isentos do Imposto Sobre balhadores atuavam como mototaxistas. Desse modo,
Produtos Industrializados – IPI as motocicletas faltava apenas o Poder Público normatizar o exercício
não superiores a 125 cilindradas, e os auto- profissional desses trabalhadores em todo o país.
móveis de passageiros de fabricação nacio- Ocorre que o legislador, ao regulamentar a ativi-
nal, equipados com motor de cilindrada não dade, não considerou a isenção do Imposto sobre Pro-
superior a dois mil centímetros cúbicos, de no dutos Industrializados – IPI atualmente concedida aos
mínimo quatro portas inclusive a de acesso ao taxistas. Assim, em nome do princípio da isonomia da
bagageiro, movidos a combustíveis de origem tributação, propomos este projeto de lei para estender
renovável ou sistema reversível de combustão, esse benefício aos mototaxistas, com a convicção da
quando adquiridos por: (NR) relevância desta medida para impulsionar o desenvol-
I – motoristas profissionais que exer- vimento da atividade na economia nacional.
çam, comprovadamente, em veículo de sua Com o propósito de evitarmos que o serviço, já no
propriedade atividade de condutor autônomo inicio de sua legalização, seja eivado de discriminação
de passageiros, na condição de titular de au- entre as categorias que atuam no setor, oferecemos à
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51421 

apreciação dos nobres Pares o presente projeto de lei o Município desponta como um dos grandes entrepostos
e contamos com o apoio de todos para a rápida apro- de comercialização de pesca no estado e ocupa o lugar de
vação e transformação em norma legal. maior destaque na formação econômica do extrativismo
Sala das Sessões, 1 de setembro de 2009. – vegetal, destacando-se a extração borracha, goma não
Deputada Gorete Pereira. elástica, castanha e óleo de copaíba
PROJETO DE LEI Nº 5.957, DE 2009 Na certeza de estarmos contribuindo para o de-
(Da Sra. Vanessa Grazziotin) senvolvimento não só estadual, mas nacional, con-
tamos com o apoio dos nossos dignos Pares para a
Dispõe sobre a criação da Zona de aprovação do projeto de lei ora apresentado.
Processamento de Exportação (ZPE) no Sala das Sessões, 2 de setembro de 2009. –
Município de Itacoatiara, no Estado do Ama- Deputada Vanessa Grazziotin, PCdoB – AM.
zonas.
Despacho: Às Comissões de Amazônia, PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 204, DE 2009
Integração Nacional e de Desenvolvimento Re- (Do Sr. Onyx Lorenzoni)
gional; Desenvolvimento Econômico, Indústria Altera e acrescenta artigos ao Regi-
e Comércio; Finanças e Tributação (Mérito e
mento Interno da Câmara dos ­Deputados,
Art. 54, RICD); e Constituição e Justiça e de
instituindo normas especiais para o fun-
Cidadania (Art. 54 RICD).
cionamento das Comissões Parlamentares
Apreciação: Proposição sujeita à aprecia-
de Inquérito.
ção conclusiva pelas Comissões – Art. 24 II.
Despacho: Apense-se à(ao) PRC-
O Congresso Nacional decreta: 102/1992.
Art. 1º É o Poder Executivo autorizado a criar Apreciação: Proposição sujeita à aprecia-
Zona de Processamento de Exportação no Município ção do Plenário.
de Itacoatiara, no Estado do Amazonas.
Parágrafo único. A Zona de processamento de A Câmara dos ­Deputados resolve:
exportação de que trata este artigo terá a sua criação, Art. 1º O art. 41 do Regimento Interno da Câma-
características, objetivos e funcionamento regulados ra dos ­Deputados passa a vigorar com as seguintes
pela Lei nº 11.508, de 20 de julho de 2007, e pela le- alterações:
gislação pertinente. “Art. 41...................................................
Art. 2º Esta lei Complementar entre em vigor na .......................................................................
data de sua publicação. VI – indicar Relatores e Sub-Relatores,
Justificação submetendo seus nomes à aprovação do Ple-
nário, e distribuir-lhes matéria sujeita a pa-
As ZPEs são áreas de livre comércio especial-
recer;
mente destinadas à instalação de empresas voltadas
...............................................................
para a produção de bens a serem comercializados ex-
X – submeter a votos as questões sujei-
clusivamente no exterior. As empresas ali instaladas
tas à deliberação da Comissão, respeitada a
gozam de um regime aduaneiro e cambial especial,
ordem de apresentação dos requerimentos,
entre outras facilidades administrativas e tributárias.
São objetivos das ZPEs: a redução dos desequilíbrios bem como o requerimento de urgência apre-
regionais, o fortalecimento do balanço de pagamentos, sentado pelo Relator, e proclamar o resultado
a promoção da difusão tecnológica e o desenvolvimen- da votação;
to econômico e social do país. ...............................................................
A Lei nº 11.508, de 20 de julho de 2007, que dispõe XXIII – ...................................................
sobre o regime tributário, cambial e administrativo das Parágrafo único. O presidente não poderá
Zonas de Processamento de Exportação, é atualmente funcionar como Relatou ou Relator substituto,
o instrumento que regula o funcionamento desses encla- mas terá voto nas deliberações da Comissão.
ves, entre eles o fato de ser um poderoso mecanismo de XXIV – cumprir e fazer cumprir as deli-
desenvolvimento e geração de emprego e oportunidades berações da Comissão;
empresariais nas mais diferentes economias. XXV – estabelecer condições especiais
Dessa forma, o Município de Itacoatiara só tem a para acesso de parlamentares ou de qualquer
ganhar com a instalação dessa ZPE, cujo entorno se be- outra pessoa a documentos de caráter sigiloso,
neficiará com o aumento das atividades econômicas, pois sempre que considere tal medida indispensável
51422  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

ao bom andamento dos trabalhos, mediante de 9 de julho de 2003, as contas bancárias exis-
comunicação à Comissão; tentes em nome das pessoas cuja transferência
XXVI – conhecer as informações, reque- de sigilo tenha sido aprovada pela Comissão.
rimentos e denúncias que receber, mesmo Art. 41-B. Mediante manifestação de um
que anônimas, delas dando ciência à Comis- terço de seus membros, o Plenário da Comis-
são, indicando as providências que entender são Parlamentar de Inquérito poderá:
cabíveis.” (NR) I – fixar prazo para o cumprimento de di-
Art. 2º O Regimento Interno da Câmara dos ligências, a realização de oitivas ou a adoção
­ eputados passa a vigorar acrescido dos seguintes
D de outras providências, após transcorridas dez
dispositivos: sessões da aprovação correspondente nos
termos regimentais;
“Art. 41-A. Ao Relator de Comissão Par-
II – requerer ao Presidente que submeta
lamentar de Inquérito compete, além do que
a deliberação a prática de quaisquer dos atos
lhe for atribuído neste Regimento ou no Re-
previstos inciso II do art. 36.” (NR)
gulamento das Comissões, a condução do
inquérito, devendo: Art. 3º Esta resolução entra em vigor na data da
I – comandar a Assessoria Técnica desig- sua publicação.
nada para apoio aos trabalhos da Comissão;
Justificação
II – designar o Gerente da Assessoria
Técnica; O presente projeto de resolução tem por objetivo
III – indicar os servidores que serão re- alterar e incluir, no texto do Regimento Interno da Câma-
quisitados, na conformidade do que dispõe o ra dos ­Deputados, normas relativas ao funcionamento
inciso I do art. 36; das Comissões Parlamentares de Inquérito.
IV – requerer ao Presidente que subme- Tal iniciativa tem fundamento na observação dos
ta à deliberação do Plenário da Comissão a trabalhos de inúmeras CPI’s na Câmara dos ­Deputados,
prática de quaisquer dos atos previstos inciso desde sua criação até a elaboração do relatório final,
II do art. 36; e visa dotar as Comissões desta natureza de meios
VI – conduzir a realização das diligências para agilizar e simplificar seus trabalhos.
Ocorre que, além da falta de estrutura administra-
e sindicâncias que tenham sido aprovadas pelo
tiva observada, também a ausência de normas objeti-
Plenário da Comissão, com a participação dos
vas e específicas sobre determinados procedimentos
membros que este indicar;
atrasa e dificulta a ação do órgão, bem como a tomada
VII – requerer ao Presidente o regime de
de decisão de seus membros.
urgência na tramitação de matérias, quando
Diante disto entendemos que, com a aprovação
considerar tal medida indispensável para o
das normas ora sugeridas, certamente tornar-se-á mais
bom andamento dos trabalhos;
ágil e precisa a atuação das Comissões Parlamentares
VIII – requerer ao Presidente que sub- de Inquérito que vierem a ser constituídas.
meta à deliberação do Plenário o sigilo para Cabe ressaltar que essa proposta foi sugestão e
oitiva de depoente, testemunha ou investigado, fruto dos estudos apresentados na Sub-Relatoria de
quando considerar tal medida indispensável Normas de Combate à Corrupção, sob minha coorde-
para o bom andamento dos trabalhos; nação, que tinha como objetivo analisar o cenário atual
IX – distribuir aos de mais membros da e sugerir modificações que permitam maior eficácia das
Comissão as Notas e Estudos produzidos pela normas brasileiras no que concerne à prevenção, com-
Assessoria Técnica; bate e erradicação da corrupção. No entanto, a proposta
X – informar ao Plenário da Comissão, a anteriormente apresentada como de Comissão – CPMI
cada mês, o andamento das investigações; dos Correios, Sub– Relatoria de Normas de Combate à
XI – estabelecer horário para que a As- Corrupção, foi devolvida por vício de iniciativa.
sessoria Técnica atenda aos pedidos de es- Estas as razões que me levaram a apresentar
clarecimento dos de mais membros da Co- o presente projeto de resolução, para cuja aprovação
missão; solicitamos apoio de nossos nobres Pares nas duas
XII – requisitar ao Banco Central do Brasil Casas do Congresso Nacional.
que informe, com base no cadastro geral de cor- Sala das Sessões, 9 de setembro de 2009. –
rentistas instituído pelo art. 3º da Lei nº 10.701, ­Deputado Onyx Lorenzoni, DEM/RS.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51423 

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE senvolvimento Rural fiscalize o Ministério do Desenvol-


Nº 103, DE 2009 vimento, Indústria e Comércio Exterior, encarregado
(Do Sr. Leonardo Vilela) de fazer cumprir as normas que regem a importação
de leite e seus derivados.
Propõe que a Comissão de Agricultura, Sala da Comissão, 2 de setembro de 2009. –
Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento ­Deputado Leonardo Vilela, PSDB.
Rural fiscalize o Ministério do Desenvolvi-
REQUERIMENTO Nº 5.444, DE 2009
mento, Indústria e Comércio Exterior quanto
(Do Sr. Paes Landim)
ao cumprimento de acordos de importação
de laticínios realizados sob os auspícios do Requer a retirada de tramitação do PL
Governo Brasileiro. nº 4.497 de 2008.
Despacho: À Comissão de Agricultura, Pe-
cuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural. Senhor Presidente,
Apreciação: Proposição sujeita à apre- Nos termos do Regimento Interno desta Casa,
ciação interna nas Comissões. requeiro a Vossa Excelência à retirada de tramitação
do PL nº 4.497 de 2008, de minha autoria, que “Re-
Senhor Presidente, voga o art. 18 da Lei nº 1.533, de 31 de dezembro de
Com base no art. 100, § 1º, combinado com os 1951, que altera disposições relativas ao mandado de
artigos 60, inciso II e 61 do Regimento Interno, propo- segurança”, devido à perda de objeto do mesmo, com
nho a V. Exª. que, ouvido o Plenário desta Comissão, a sanção da Lei nº 12.016, de 07 de agosto de 2009,
se digne adotar as medidas necessárias para realizar que “disciplina o mandado de segurança individual e
ato de fiscalização e controle dos procedimentos ad- coletivo e dá outras providências”.
ministrativos e omissões, por parte do Ministério do Sala das Sessões, 2 setembro de 2009. –
Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, no ­Deputado Paes Landim.
tocante ao cumprimento de acordos de importação Defiro, nos termos do art. 104 c/c o inciso
de laticínios de que resultam graves prejuízos, tanto
VII do art. 114, ambos do RICD, a retirada do
para o produtor quanto para o consumidor brasileiro
Projeto de Lei nº 4.497, de 2008.
de leite e derivados.
Publique-se.
Justificação Em 18-9-09 – Michel Temer, Presidente.
O Brasil vem, nos últimos meses, importando laticí- REQUERIMENTO Nº 5.452 DE 2009
nios em volumes maiores que os permitidos por acordos (Da Senhora Vanessa Grazziotin)
celebrados sob o patrocínio do Governo Brasileiro, a pre-
ços inferiores aos que vigoram no mercado internacional, Requer Voto de Louvor pelos 100 anos
o que caracteriza o “dumping”. Além do mais, há indícios da presença dos Frades Capuchinhos na
de que autoridades brasileiras têm concedido licenças de Região Amazônica, comemorados no dia 5
importação de volumes que ultrapassam o permitido pe- do mês de maio deste ano.
las cotas de importação acordadas. Essas importações
Senhor Presidente,
são uma das causas dos preços irrisórios recebidos pelos
Nos termos do artigo 117, inciso XIX e § 3º, do
produtores nacionais de leite.
A concorrência desleal traz imenso prejuízo para Regimento Interno da Câmara dos ­Deputados, vimos
a economia nacional, tanto pelo declínio da renda da respeitosamente, solicitar a Vossa Excelência se digne
pecuária leiteira, quanto pelo consequente aumento das registrar nos Anais desta Casa Voto de Louvor pelos
importações. A população brasileira e o Poder Público 100 anos da presença dos Frades Capuchinhos na
– que adquire grandes quantidades de leite em pó para Região Amazônica, comemorados no dia 5 do mês de
campanhas de interesse social – são ludibriados com maio deste ano.
produtos, provavelmente, de qualidade inferior. Há exatos 100 anos instalava-se, a pedido da
Os indícios, a nosso juízo, são suficientemente Igreja, que viu a necessidade de estar presente nos
fortes para justificar uma investigação de sua procedên- lugares mais remotos do país, o primeiro grupo de re-
cia. Por isso, empenhamo-nos para que esta Comissão ligiosos da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos
exerça com vigor sua prerrogativa de fiscalizar e con- na Região Amazônica. No Brasil, a presença de frades
trolar os atos de gestão administrativa do Ministério do capuchinhos remonta a meados do século XVII.
Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Segundo frei Paulo Xavier, ecônomo da Confe-
Com base no exposto, propomos que esta Co- rência dos Capuchinos do Brasil (CCB), e que também
missão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e De- atua na região, os religiosos procuram estar nos lugares
51424  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

mais afastados, como em áreas de fronteira, e atenden- NOVA DO MARANHÃO, no Estado do Maranhão, co-
do às populações mais pobres do Amazonas, como os memorado no dia 06 de setembro de 2009.
ribeirinhos e os índios. Simplicidade, proximidade do Sala das Sessões, 10 de abril de 2009. – Rober-
povo e rotina de oração são os pilares da Ordem. to Rocha, ­Deputado Federal PSDB/MA.
Como nos primórdios do Brasil colônia, com os Publique-se.
jesuítas, a força-motriz do trabalho missionário dos Em 18-9-09 – Michel Temer, Presidente.
capuchinhos é a catequização. De acordo com o sítio
da CCB, com a tarefa de substituir os jesuítas, expul- REQUERIMENTO Nº 5.502, DE 2009
sos do país, os capuchinhos assumiram a catequese (Do Sr. Roberto Rocha – PSDB/MA)
indígena, “como missionários apostólicos com facul- Senhor Presidente:
dades especiais, fundando e dirigindo aldeamentos, Nos termos do Art. 117, inciso XIX e § 3º, do Re-
substituindo vigários, percorrendo os lugares mais gimento Interno vimos, respeitosamente, solicitar a Vos-
longínquos como pregadores ambulantes, construindo sa Excelência se digne registrar nos Anais desta Casa
capelas, hospitais e cemitérios”. Voto de Louvor pelo transcurso do 397º aniversário do
Hoje, afirma frei Xavier, o trabalho voluntário dos Município de SÃO LUIS, capital do Estado do Maranhão,
capuchinhos no país está espalhado por 12 províncias comemorado no dia 08 de setembro de 2009.
(áreas de atuação), em 24 estados, contabilizando um Sala das Sessões, 10 de setembro de 2009. –
total de 1200 frades. “É um número muito expressivo, Roberto Rocha, ­Deputado Federal PSDB/MA.
mesmo se posto em perspectiva com outras ordens”,
afirma o Frei. Publique-se.
Atualmente existem quarenta padres capuchinhos Em 18-9-09 – Michel Temer, Presidente.
desenvolvendo trabalhos em Manaus. Frei Paulo Xavier O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Finda a
é um deles. O mais conhecido da ordem capuchinha leitura do expediente, passa-se ao
em Manaus é Frei Fulgêncio, que já trabalha há mais
de quarenta anos na capital e interior do Amazonas. IV – PEQUENO EXPEDIENTE
Sala das Sessões, 1 de setembro de 2009. – Concedo a palavra ao Sr. ­Deputado Nilson
Deputada Vanessa Grazziotin, PCdoB/AM. Mourão.
Publique-se. O SR. NILSON MOURÃO (PT-AC. Sem revisão
Em 18-9-09 – Michel Temer, Presidente. do orador.) – Sr. Presidente, Sras. e Srs. ­Deputados,
registro no plenário desta Casa, com muita alegria, a
REQUERIMENTO Nº 5.500, DE 2009 retomada do crescimento econômico em nosso País.
(Do Sr. Roberto Rocha – PSDB/MA) A política econômica definida pelo Presidente
Senhor Presidente: Lula e executada com muita mestria, competência
Nos termos do Art. 117, inciso XIX e § 3º, do e responsabilidade pelo Ministro da Fazenda, Guido
Regimento Interno vimos, respeitosamente, solici- Mantega, está se mostrando uma política econômica
tar a Vossa Excelência se digne registrar nos Anais sólida e responsável.
desta Casa Voto de Louvor pelo transcurso do 153º No auge da crise financeira que abalou o mun-
aniversário de emancipação política do Município de do, o Presidente Lula disse ao povo brasileiro que iria
PINHEIRO, no Estado do Maranhão, comemorado no enfrentá-la de cabeça erguida. S.Exa. chamou o povo
dia 03 de setembro de 2009. brasileiro para continuar consumindo, para não entrar
Sala das Sessões, 10 de setembro de 2009. – em pânico e enfrentá-la. O Presidente caracterizou a
Roberto Rocha, ­Deputado Federal PSDB/MA. crise como marolinha. Com base nessa afirmação,
Publique-se. a Oposição teceu muitas críticas; a grande impren-
Em 18-9-09 – Michel Temer, Presidente. sa criticou o Presidente Lula; os principais meios de
comunicação tentaram desqualificá-lo, mas S.Exa. se
REQUERIMENTO Nº 5.501, DE 2009 manteve firme na sua determinação.
(Do Sr. Roberto Rocha – PSDB/MA) Ora, ilustre Presidente, hoje é unanimidade nos
Senhor Presidente: meios de comunicação do País mostrar que o Brasil su-
Nos termos do Art. 117, inciso XIX e § 3º, do perou a crise econômica. Todos afirmam aquilo que o
Regimento Interno vimos, respeitosamente, solicitar a Presidente Lula dizia em setembro do ano passado: “O
Vossa Excelência se digne registrar nos Anais desta Brasil é o último país a entrar na crise e será o primeiro
Casa Voto de Louvor pelo transcurso do 14º aniversá- a sair dela”. Os articulistas já declaram que o Brasil terá
rio de emancipação política do Município de OLINDA um crescimento positivo. Eles diziam que o crescimento
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51425 

seria negativo, que, no máximo, chegaria a zero. Hoje já Presidente, o pré-sal está a 200 quilômetros do litoral. No
admitem que haverá crescimento econômico e já fazem entanto, alguns Estados se arrogam o direito de dizer que
prognóstico de crescimento de 5% a partir de 2010. são produtores porque estão no litoral.
A última divulgação do Ministério do Trabalho deu Nesta semana houve uma audiência pública,
conta da geração de quase 250 mil novos empregos no quando tivemos o prazer de ouvir o Ministro de Minas
último mês. Já estamos nos aproximando de mais de 1 e Energia, Edison Lobão.
milhão de novos empregos, gerados mesmo diante da Com relação a esse assunto, S.Exa. foi muito
crise econômica, quando os Estados Unidos tiveram de- claro e competente ao explicar aos presentes tudo o
semprego em massa, quando grande parte dos países que devemos saber para bem votar os 4 projetos que
europeus estava e ainda continua demitindo pessoas o Governo enviou a esta Casa.
e com um elevado índice de desemprego. Esses projetos são todos importantes. Todavia,
O consumo interno do Brasil é grande, a economia para mim, o mais importante deles é o que diz res-
e o sistema bancário brasileiros são sólidos. O Presidente peito à partilha. Aliás, o Presidente Lula não quer que
Lula tem suas políticas sociais que ajudam a fazer com seja discutido agora o assunto da partilha. Deixa que
que as pessoas consumam, fazendo o comércio vender. no Congresso se engalfinhem uns contra os outros,
O comércio compra das indústrias, que geram empregos Estado contra Estado.
e, como diz o Presidente Lula, segue-se assim a roda da Aqui não há uma divisão partidária sobre esse as-
economia e do crescimento econômico. ‘ sunto, mas há por parte dos Estados, 3 somente: Espírito
É importante ressaltar que a economia brasileira Santo, do Governador Paulo Hartung; São Paulo, do nosso
conseguiu chegar a esse patamar e se encontra nessa futuro candidato à Presidência da República José Serra;
posição hoje dita privilegiada porque soube diversificar as e Rio de Janeiro, do Governador Sérgio Cabral, que se
suas relações de comércio com o mundo. O Brasil não é julga dono do petróleo do País. Aliás, tem sido, porque o
mais hoje uma economia estruturalmente dependente dos
Rio de Janeiro recebeu na ordem de 12 bilhões de reais.
Estados Unidos e da Europa, como sempre foi.
Isso significa 83% do total que a PETROBRAS recolheu
O Presidente Lula manteve essas relações, mas
como royalty, 5 ou 6 bilhões de reais, e mais outro tanto
teve a sabedoria de diversificar as relações comerciais
daquela participação especial.
com outros países. Consolidou o MERCOSUL, tem re-
Sr. Presidente, Sras. e Srs. ­Deputados, para
lações seguras e fortes com a Argentina, sobretudo,
V.Exas. terem ideia, 40% da participação especial vai
ampliou as relações com a África, a Ásia e países do
para o Rio de Janeiro. Mais do que isso, tomamos co-
Oriente Médio. E, naqueles instantes em que o Brasil
nhecimento naquela data – palavras do Ministro Lo-
diversificava os seus parceiros, mais uma vez a Oposi-
bão – de que quem sugeriu que se mantivesse essa
ção e os setores que querem desqualificar o Governo
Lula perguntavam: “O que o Oriente Médio e os países situação até que a Câmara apresentasse outros pro-
africanos têm a oferecer para o Brasil?” jetos foi o Secretário de Fazenda do Rio de Janeiro,
Hoje estamos vendo uma política econômica vito- Sr. Joaquim Vieira Levy.
riosa, séria, que orgulha o Brasil. Por isso a divulgação Não entendo como é que o Secretário de Fa-
recente, por parte do Ministério do Trabalho, da geração zenda do Rio de Janeiro, o maior Estado interessado,
de quase 250 mil novos empregos reflete a robustez vai decidir sobre a lei, vai sugerir. Eu disse ao Ministro
da economia brasileira, sobretudo o caminho certo da Lobão, naquela oportunidade, algo muito sério: “Sr.
nossa economia, guiada pelas rédeas do Ministro Gui- Ministro, isso é a mesma coisa de colocar a raposa
do Mantega, e que as orientações do Presidente Lula dentro do galinheiro”. Não tem cabimento uma coisas
são cada vez mais sérias, sábias e profundas. destas: o Secretário de Fazenda do Rio de Janeiro, o
Era o que tinha a dizer, Sr. Presidente, neste mo- Sr. Levy, definindo como deve ser estabelecida a lei. É
mento em que comemoro a geração de emprego em lógico que ele quer que continue do jeitinho que está:
nosso País, fato tão importante para o crescimento “Não mexam em nada, está bom para nós”. Oitenta e
econômico e para a vida da população brasileira. três por cento é ótimo. Alguns Estados recebem uma
Muito obrigado. migalha. Existe Estado que nada recebe.
O SR. OSÓRIO ADRIANO (DEM-DF. Sem revisão Fico preocupado, Sr. Presidente, com os nossos
do orador.) – Sr. Presidente, Sras. e Srs. ­Deputados, mais amigos do Norte e conosco aqui do Centro-Oeste, com
uma vez aqui estou para falar sobre o pré‑sal. Aliás, foi o Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. Cada um
o assunto da semana e vai continuar sendo, porque Es- tem de explorar o que Deus lhe deu.
tados que se dizem produtores de petróleo, porque es- O Rio de Janeiro, tão bonito, cidade maravilhosa,
tão no litoral, insistem com essa grossa mentira. Ora, Sr. tem de explorar o turismo, os portos, essas facilidades.
51426  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Mas não, ele está querendo é o petróleo que está lá, cas, hoje, os CEFETs e os institutos federais. Falarei
descoberto com o dinheiro do povo brasileiro. sobre os 100 anos dessa que está sendo, na verdade,
Sr. Presidente, poderia falar o dia inteiro sobre a mola propulsora do desenvolvimento educacional na
isso, mas estamos no Pequeno Expediente e nosso área tecnológica.
tempo é curto. Sr. Presidente, o pré-sal nos permitirá, obvia-
Muito obrigado. mente, alavancar o Brasil ainda mais como potência
O Sr. Cleber Verde, § 2º do art. 18 do Re- mundial, como potência emergente e que tem a pers-
gimento Interno, deixa a cadeira da presidên- pectiva, nesse contexto, não somente de dar incenti-
cia, que é ocupada pelo Sr. Nilson Mourão, § vo e investir no processo educacional, mas, acima de
2º do art. 18 do Regimento Interno. tudo, investir na cultura e na proteção ambiental. En-
tendo ser imprescindível, nobre Presidente, que esse
O SR. PRESIDENTE (Nilson Mourão) – Concedo
fundo social esteja voltado para a educação, para a
a palavra ao Sr. D­ eputado Cleber Verde.
proteção ambiental, para as questões relacionadas ao
O SR. CLEBER VERDE (Bloco/PRB-MA. Sem
processo tecnológico.
revisão do orador.) – Sr. Presidente, ­Deputado Nilson
Teremos a prerrogativa de discutir, na Comissão
Mourão, ouvi atentamente o pronunciamento de V.Exa.
Especial sobre o fundo social, a questão da segurida-
no Pequeno Expediente, antecedendo a minha fala,
de social. Não podemos deixar de fora a saúde nem a
quando se referia ao crescimento econômico do Brasil
e à política econômica brasileira. questão previdenciária, que estão dentro do contexto
Ontem tive a oportunidade de ouvir Henrique Mei- da seguridade social.
relles, Presidente do Banco Central, que dizia sobre Muito se fala do déficit previdenciário. Aqui temos
as tendências do Brasil diante desse novo momento. trabalhado, discutido e cobrado de forma insistente da
O Brasil, por certo, foi o último país a entrar na crise Mesa Diretora e do Colégio de Líderes que possamos
e o primeiro a sair dela, isso por conta exatamente de apreciar o PL nº 1, de 2007, que está pronto para a
uma política econômica consolidada, desenvolvida pelo votação nesta Casa. Esse PL traz no seu texto, por
Governo e que tem à frente homens comprometidos, meio de uma emenda, a garantia de que todo apo-
acima de tudo, com o equilíbrio, com a justeza, exata- sentado e pensionista receba a correção de acordo
mente o que pretende o Governo: dar tranquilidade à com o crescimento do PIB, que é o crescimento do
população, com geração de empregos, oportunidades País, acrescido do índice de inflação do ano anterior.
e equilíbrio financeiro. E que também possamos votar, por exemplo, o fim do
Diante da situação em que se encontram os Es- fator previdenciário e a recomposição dos prejuízos já
tados Unidos, que foram o estopim dessa grande crise causados aos aposentados por conta de uma política
e que ainda se encontram nela, e da desvalorização que lamentavelmente não corrige os salários de apo-
do dólar, moeda referência mundial, o mundo já fala, sentados e pensionistas da mesma forma que ocorre
por exemplo, na perspectiva de se criar uma moeda com o salário mínimo.
mundial, que não seja o dólar, para referência da po- Temos a prerrogativa de destinar um percentual
lítica econômica. do fundo social. Há uma emenda minha já nesse pro-
O Brasil vive um momento muito especial em jeto do fundo social para que possamos garantir reser-
virtude das suas riquezas. Recentemente, foi ampla- vas da ordem de 10% desses recursos para custear
mente divulgado que esta Casa terá a oportunidade, a Previdência Social no tocante à recomposição dos
por exemplo, de aprovar projetos, oriundos do Gover- prejuízos já causados aos aposentados no passado.
no, que tratam do pré-sal. Isso traz a perspectiva de E dar-lhes a garantia de um equilíbrio e a certeza de
o Brasil sair de 16ª para a sexta potência mundial na receber as correções dadas ao salário mínimo, o que
produção de petróleo. Significa, Sr. Presidente, que hoje infelizmente não ocorre.
teremos avanços em todos os sentidos. Era esse o registro. Voltarei oportunamente no Gran-
Os fundos social e ambiental desenvolvidos pelo de Expediente para falar do processo educacional, espe-
Governo, que estão nesta Casa para deliberação, tra- cificamente dos CEFETs do Brasil e do Maranhão.
tam exatamente de temáticas como educação, ciência O SR. PRESIDENTE (Nilson Mourão) – Passa-
e tecnologia, que serão desenvolvidas para que pos- se ao
samos dar oportunidade aos nossos jovens.
Nesse sentido, sobre educação, ciência e tec- V – GRANDE EXPEDIENTE
nologia, daqui a pouco, no Grande Expediente, falarei Concedo a palavra ao Sr. ­Deputado Cleber Ver-
sobre os 100 anos que completam as escolas técni- de, do PRB.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51427 

O SR. CLEBER VERDE (Bloco/PRB-MA. Sem re- Aqui vale ressaltar, Sr. Presidente, que essa re-
visão do orador.) – Muito obrigado, nobre Presidente. forma transformou o ensino comercial num ramo espe-
Neste Grande Expediente, não posso deixar de fa- cial do ensino médio, mas sem qualquer diálogo com
zer um registro especial sobre o centenário das escolas o ensino secundário e com o ensino superior.
técnicas no Brasil e, por conseguinte, no Maranhão. Foi assim que, no ano de 1937, em meio a es-
A história do Instituto Federal de Educação, Ci- sas mudanças provocadas pelas disposições consti-
ência e Tecnologia do Maranhão – IFMA, criado pela tucionais que remodelaram o esboço educacional do
Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008, mediante País e com este esboço da educação para o trabalho,
integração do Centro Federal de Educação Tecnológica a Escola de Aprendizes Artífices do Maranhão rece-
do Maranhão e das Escolas Agrotécnicas Federal de beu a denominação de Liceu Industrial de São Luís e
Codó, de São Luís e de São Raimundo das Mangabei- passou a funcionar no bairro do Diamante.
ras começou a ser construída no século passado. Em 1936, foi lançada a pedra fundamental do
No dia 23 de setembro de 1909 – portanto, dia prédio que atualmente abriga a sede do campus São
23, quarta-feira, Sr. Presidente, vão completar 100 Luís – Monte Castelo, extinto CEFET-MA. Foi também
anos de existência as escolas agrotécnicas e técnicas no início dessa década, mais especificamente no ano
do Brasil e, por conseguinte, do Maranhão –, por meio de 1930, que se criou o Ministério da Educação e Saú-
do Decreto nº 7.566, assinado pelo então Presidente de, a que o ensino industrial ficou vinculado, perma-
Nilo Peçanha, foram criadas Escolas de Aprendizes necendo, entretanto, o ensino agrícola sob a tutela do
Artífices nas Capitais dos Estados. Tais escolas foram Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio.
criadas com o intuito de proporcionar às classes eco- Na década de 40, por força do processo de in-
nomicamente desfavorecidas uma educação voltada dustrialização em andamento, retomou-se, por meio
para o trabalho, sendo a do Maranhão, Estado que me da chamada Reforma Capanema, a ideia da escola
de aprendizes, destinada aos filhos dos trabalhadores,
orgulho de representar nesta Casa, instalada em São
com o objetivo de torná-los profissionais especializados
Luís no dia 16 de janeiro de 1910.
para atuarem nos setores da indústria, do comércio e
A educação profissional no Brasil, desde sua ori-
de serviços. Pode‑se afirmar que a Reforma Capane-
gem, por atender à hegemonia das classes dominantes,
ma legitimou a dualidade de propostas que visavam
sempre esteve vinculada ao discurso da inclusão, no sen-
formar intelectuais e trabalhadores, adequando-os às
tido assistencialista. Segundo o MEC, nos Referenciais
transformações emergentes no mundo do trabalho.
Curriculares Nacionais da Educação Profissional de Nível
Dessa forma, em 30 de janeiro de 1942, com a
Técnico, “os primórdios da formação profissional no Brasil
necessidade de responder às novas demandas edu-
registram apenas decisões circunstanciais especialmente
cacionais no setor industrial em face da intensificação
destinadas a ‘amparar os órfãos e os demais desvalidos do processo de substituição das importações, ditada
da sorte’, assumindo um caráter assistencialista que tem pela dinâmica da produção dos países industrializados
marcado toda a sua história”. durante a Segunda Guerra Mundial, o Decreto-Lei nº
Na verdade, nesse discurso está implícita a cha- 4.073 instituiu a Lei Orgânica do Ensino Industrial. Nes-
����
mada dualidade estrutural, que sempre permeou os se contexto, criaram-se as escolas técnicas industriais.
caminhos da educação técnica neste País – uma es- No mesmo ano, por meio do Decreto-Lei nº 4.127, de
cola propedêutica para a elite dirigente e uma escola 25 de fevereiro, instalou-se a rede de escolas técnicas
profissionalizante para os filhos dos trabalhadores. federais em todo o Brasil. Com isso, o então Liceu In-
Na década de 20 do século passado, iniciou-se dustrial de São Luís, na Capital do Maranhão, transfor-
o debate sobre a concepção de uma nova educação mou-se na Escola Técnica Federal de São Luís.
profissional que não fosse focalizada nos desafortu- A exclusão do ensino agrícola do tratamento legal
nados, mas voltada para todos de um modo geral, gerou muito protesto dos trabalhadores do campo e dos
pobres e ricos. setores produtivos rurais. Assim, em 20 de agosto de 1946,
Esse debate, que ainda perdura, estendeu-se aprovou-se também, por meio do Decreto-Lei nº 9.613,
pela década de 30 com vários avanços, entre eles a a Lei Orgânica do Ensino Agrícola. E já sob os auspícios
criação do Conselho Nacional de Educação e a refor- da nova lei, no ano seguinte, em 20 de outubro de 1947,
ma educacional, conhecida como Ministro Francisco o Decreto nº 22.470 estabeleceu que fosse criada uma
Campos, que regulamentou a organização do ensino escola agrícola para o Estado do Maranhão.
secundário e organizou o ensino profissional comer- Na década de 50, em virtude das novas demandas
cial, já concebendo a ideia de itinerários de profissio- que se inseriam no processo de produção brasileiro,
nalização. retomou-se a discussão da dualidade escola prope-
51428  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

dêutica e escola profissional. No seio dessa discussão cundário. As disputas políticas travadas dentro daquele
havia o acordo MEC‑USAID, firmado entre os Estados departamento em virtude da preservação dos interes-
Unidos e o Brasil. Como consequência desse acordo, ses dos setores produtivos envolvidos, principalmente
surgiram, em 1956, novas diretrizes para o ensino dos advindos da industrialização agrícola, propiciou,
agrícola. Essas diretrizes se propunham, entre outras, no ano de 1975, a criação da Coordenadoria Nacional
incentivar programas de extensão educativa, cursos do Ensino Agropecuário – COAGRI, com a finalidade
de economia rural e doméstica, adoção de processo de coordenar a educação agropecuária no nível do
científico para a seleção de candidatos com aplicação segundo grau no Sistema Federal de Ensino.
de testes de inteligência e vocacional e implantação A principal ação dessa coordenadoria foi a im-
de cursos vocacionais no nível ginasial e também no plantação do Sistema Escola‑Fazenda, que tinha como
primário, em regime de cooperação com os proprietá- princípio “aprender a fazer e fazer para aprender”. Para
rios agrícolas da circunvizinhança. A plena equivalên- ajustar-se ao novo sistema, no dia 4 de setembro de
cia, porém, só aconteceu na década seguinte, com a 1979, nobre Presidente Nilson Mourão, pelo Decreto nº
promulgação, em 1961, da primeira Lei de Diretrizes 83.935, o Colégio Agrícola do Maranhão transformou-
e Bases da Educação Nacional. se na Escola Agrotécnica Federal de São Luís.
Após a Revolução de 1964, já sob a influência do Em 1982, por força do fracasso advindo da profis-
capital internacional e da hegemonia política e cultural sionalização compulsória, a Lei nº 5.692 foi modificada,
dos Estados Unidos da América, que promoveu um de- tornando facultativa a profissionalização no ensino de
senvolvimento no País de forma não autossustentável segundo grau. Mais uma vez, retoma-se a dualidade
e com um grande endividamento externo, o governo estrutural. A referida mudança trouxe novas expecta-
militar reformulou a LDB e generalizou o ensino profis- tivas para o ensino técnico de nível médio, dentre elas
sional no ensino médio (na época, ensino de segundo a necessidade de junção de todas as modalidades de
grau) por meio da chamada profissionalização com- ensino. Por estar na contramão da nova estruturação,
pulsória. Todos os cursos passaram a ter um caráter a COAGRI foi extinta no ano de 1986, ficando todo o
profissionalizante, mas, na prática, por falta de estrutu- ensino técnico subordinado, portanto, à Secretaria de
ra física, laboratórios e equipamentos só atendiam às Ensino do 2º Grau – SESG.
disposições legais e às motivações político-eleitorais A extinção da COAGRI acumulou a gestão do en-
e não às demandas reais da sociedade. Na verdade, sino profissional no MEC e obrigou a um realinhamento
essa lei teve, entre outras prioridades, a função refre- das forças em disputa, resultando na transformação da
adora, isto é, a de conter o aumento da demanda de SESG em Secretaria de Educação Média e Tecnoló-
vagas para os cursos superiores. gica – SEMTEC, cabendo à mesma as atribuições de
Dentro desse espírito do Estado controlador das estabelecer políticas para a educação tecnológica e
políticas públicas, no ano de 1965, por meio da Por- exercer a supervisão do ensino técnico federal. Esse
taria nº 293, de 1965, seguindo o que dispunha a Lei processo resultou, portanto, na transformação das es-
nº 4.795, de 20 de agosto do mesmo ano, a Escola colas agrotécnicas federais em autarquias, por meio
Técnica Federal de São Luís passou a denominar‑se da Lei nº 8.731, de 16 de novembro de 1993.
Escola Técnica Federal do Maranhão. No ano de 1994, a Lei Federal nº 8.984 instituiu no
Quanto ao ensino agrícola, Sr. Presidente, houve, País o Sistema Nacional de Educação Tecnológica, que
no período, um agrupamento das escolas de iniciação transformou as escolas técnicas federais em Centros Fe-
agrícola e mestria agrícola em ginásios agrícolas, e derais de Educação Tecnológica, os CEFETs. A mudança
as escolas agrícolas do segundo ciclo passaram a se abriu caminho para que as escolas agrotécnicas federais
chamar colégios agrícolas, emitindo somente o título de também reivindicassem a integração ao sistema, o que
técnico em agricultura. Foi assim que, no ano de 1964, efetivamente só ocorreu a partir de 1999.
por meio do Decreto nº 53.558 de 13 de fevereiro, a Sr. Presidente, nesta oportunidade, aqui me con-
Escola Agrícola do Maranhão passou a denominar-se gratulo com todos aqueles que comemoram junto comi-
Colégio Agrícola do Maranhão. go o centenário do CEFET no Maranhão, o centenário
No ano de 1967, a coordenação do ensino agrí- das escolas técnicas no Maranhão e no Brasil.
cola foi transferida do Ministério da Agricultura para o Mas no caso do Maranhão, ressalta-se o momento
MEC, passando a ser denominada Diretoria de Ensino histórico de crescimento econômico, que propiciou o
Agrícola – DEA. aumento nas demandas do mercado de trabalho com
Nos primórdios da década de 70, foi criado o a instalação, no Estado, de importantes projetos in-
Departamento de Ensino Médio – DEM, reunindo as dustriais. Nesse contexto, em 1989, a Escola Técnica
diretorias do ensino agrícola, comercial, industrial e se- Federal do Maranhão foi transformada pela Lei nº 7.863
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51429 

em Centro Federal de Educação Tecnológica do Mara- Com o crescimento do sistema, surgiu a necessi-
nhão, adquirindo também a competência para ministrar dade de sua reorganização. Em decorrência, criaram-se
cursos de graduação e de pós-graduação. os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnolo-
Vale ressaltar, ainda, que esse período de trans- gia, dentre eles o do Estado do Maranhão, o IFMA. O
formação em CEFET propiciou a ampliação do órgão Instituto do Maranhão nasceu agregando 18 unidades
no Estado e levou à criação da Unidade de Ensino (campi) da Rede Federal de Educação Profissional e
Descentralizada de Imperatriz – UNED, cujos primei- Tecnológica do Estado do Maranhão.
ros cursos foram implantados em 1987. Destarte, a criação do IFMA marcará mais um capí-
Em 1988, após a promulgação da nova Consti- tulo dessa portentosa história da educação profissional do
tuição Federal, a chamada Constituição Cidadã, co- País, porquanto a sua configuração pressupõe a materia-
meçaram os debates sobre a construção da nova lização de um processo de expansão que está sustentado
LDB. Depois de vários entraves oriundos de disputas numa ação integrada e referenciada na ocupação e no
corporativas, a nova LDB foi promulgada no ano de desenvolvimento do território, tomado como um espaço
1996 e o ensino profissional tomou forma própria ao de prazer, de trabalho e de humanidade.
ser tratado em capítulo à parte. As escolas técnicas O Instituto Federal do Maranhão, com sede em
foram contempladas, na ocasião, com a prerrogativa São Luís, criado pela Lei nº 11.892, de 29 de dezem-
legal de oferecerem seus cursos também de forma bro de 2008, aprovada por esta Casa, Sr. Presidente,
concomitante ou sequencial à educação básica. Sua mediante integração do Centro Federal de Educação
função não era mais de substituir a educação bási- Tecnológica do Maranhão e das Escolas Agrotécnicas
ca nem com ela concorrer. Era de aprimoramento do Federais de Codó, de São Luís e de São Raimundo das
educando como pessoa humana, de aprofundamento Mangabeiras, é uma autarquia com atuação no Estado
dos conhecimentos adquiridos no ensino fundamen- do Maranhão, detentora de autonomia administrativa,
tal, para continuar aprendendo, e de preparação para patrimonial, financeira e didático-pedagógica e disci-
o trabalho e a cidadania. plinar. É uma instituição pública de educação superior,
Em 1997, o Decreto nº 2.208 regulamentou os básica e profissional, pluricurricular e multicampi, com
artigos da nova LDB que tratavam especificamente da polos em São Luís – Monte Castelo, São Luís – Mara-
educação profissional. Iniciou-se, a partir daí, a cha- canã, São Luís – Centro Histórico, Codó, Imperatriz,
mada reforma da educação profissional, de ideário Zé Doca, Buriticupu, Açailândia, Santa Inês, Caxias,
neoliberal, que ocasionou uma série de mudanças no Timon, Barreirinhas, São Raimundo das Mangabeiras,
sistema federal de ensino. A principal delas foi a re- Bacabal, Barra do Corda, São João dos Patos, Pinhei-
tomada da dualidade estrutural pela separação entre ro e Alcântara, especializada na oferta da educação
formação geral e formação profissional. profissional e tecnológica nas diferentes modalidades
No ano de 2004, Sr. Presidente, foi editado o De- de ensino, com base na conjugação de conhecimentos
creto nº 5.154, em substituição ao Decreto nº 2.208, humanos, técnicos e tecnológicos com suas práticas
que eliminou as amarras para a organização curricu- pedagógicas, nos termos da lei.
lar e pedagógica e a oferta de cursos e restabeleceu Sr. Presidente, faço este registro acima de tudo
a possibilidade da integração curricular entre forma- para fazer um levantamento histórico dos 100 anos
ção geral e formação profissional. Abriu-se, também, das escolas técnicas em nosso País e, de forma es-
a possibilidade de as escolas agrotécnicas federais pecial, no Estado do Maranhão. Ocupo o espaço deste
ofertarem cursos superiores de tecnologia. Grande Expediente com orgulho e satisfação, porque,
No ano de 2006, na intenção de alavancar o ao longo destes 100 anos de história do CEFET, das
desenvolvimento de regiões geograficamente delimi- escolas técnicas, das escolas que têm por finalidade
tadas do interior do País por meio do incremento dos produzir técnicos, capacitar técnicos em nosso País,
processos de escolarização e de profissionalização especificamente no Maranhão, foram construídas 140
de suas populações, o Governo Federal criou o Plano escolas entre agrotécnicas e técnicas.
de Expansão da Educação Profissional – Fase I, com Nobre Presidente Nilson Mourão, V.Exa., que é
a implantação de escolas federais profissionalizantes do PT, e eu, que sou do PRB, partido ao qual pertence
em Estados ainda desprovidos delas, em periferias o Vice-Presidente da República, sabemos que quando
de metrópoles e em municípios interioranos distantes assumiu o Governo, em 2003, tínhamos exatamente
dos centros urbanos. 140 unidades, entre escolas agrotécnicas e técnicas
No ano de 2007, veio a Fase II, com o objetivo de federais. Mas ao longo do Governo Lula, do qual tam-
criar uma escola técnica em cada cidade polo do País. A bém faz parte o Partido Republicano Brasileiro, que
intenção era cobrir o maior número possível de mesorregi- tenho orgulho de representar como Líder nesta Casa,
ões e consolidar o compromisso da educação profissional já foram construídas mais 214 unidades; ou seja, em
e tecnológica com o desenvolvimento local e regional. menos de 8 anos, o Governo Lula já construiu o dobro
51430  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

de unidades que foram construídas em 100 anos, em gicos, que são implantados pelo Ministério de Ciência
1 século de existência de escolas técnicas e agrotéc- e Tecnologia; fazer com que, a exemplo da diretoria
nicas em todo o Brasil. de Santa Inês, que já coordena hoje 6 centros voca-
Digo isso com orgulho, dentro deste contexto em cionais, os outros CEFETs possam disseminar isso
que todos nós compomos e apoiamos este Governo para os demais municípios e, então, integrar todo o
que tem como foco a educação neste País. E certa- Maranhão nesse rede de educação tecnológica, para
mente tenho orgulho de citar aqui o que diz o Presi- desenvolver e educar o povo maranhense e capacitá-
dente Lula, para todos ouvirem, sobre a sua história los para o mercado de trabalho.
de luta, de um aprendiz que foi de torneiro mecânico, O Maranhão tem que agradecer ao Governo Fe-
pelo SENAI, e com uma família de 8 filhos: que atra- deral, pois vai receber o maior investimento deste País,
vés do curso de torneiro mecânico teve a oportunidade que é justamente a refinaria Premium. Temos que quali-
de comprar a sua primeira casa, o seu fusca e a sua ficar nossos jovens, Sr. Presidente. A refinaria Premium
geladeira. Portanto, a oportunidade que o Presidente vai gerar mais de 100 mil empregos diretos e indiretos.
teve é a oportunidade que S.Exa. quer dar aos filhos O Maranhão vai ser contemplado com essa refinaria, e o
das famílias pobres brasileiras. povo maranhense precisa exatamente disso, Prof. José
E digo aqui, com orgulho, que só no seu Governo Costa. O povo maranhense precisa de qualificação, de
foram construídas 214 unidades, que já somam 354 capacitação, para que as oportunidades de trabalho não
unidades, entre escolas agrotécnicas e escolas técni- sejam dadas àqueles que vêm de fora, mas aos filhos,
cas, transformadas em CEFETs, que hoje se chamam conterrâneos e irmãos do Maranhão.
Institutos Federais Tecnológicos. Portanto, é nesse contexto que nós aqui para-
Sr. Presidente, digo aqui ao eminente Presiden- benizamos todos aqueles que fizeram e que fazem a
te da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que S.Exa. história das escolas técnicas do Brasil, que profissio-
está coberto de razão, porque o que S.Exa. quer, ao nalizam os jovens no Brasil e no Maranhão.
construir escolas técnicas, é formar e educar jovens Com isso, Sr. Presidente, encerro o meu pronuncia-
para terem capacitação técnica, ­Deputado Marcio mento, parabenizando o Prof. José Costa, parabenizando
Junqueira. S.Exa. está correto. Eu digo isso porque eu os professores do CEFET e agradecendo a V.Exa. a tole-
também, assim como o Presidente Lula, sou oriundo rância em relação ao tempo e esta grande oportunidade
de uma escola técnica. Eu saí dos rincões da capoei- de parabenizar todos os CEFETs do Brasil.
ra de Alto Alegre do Pindaré, no Maranhão, e fui para Obrigado.
São Luís. Fui aluno da Escola Técnica do Maranhão, O SR. PRESIDENTE (Nilson Mourão) – Antes de
que oportunamente passou a ser chamada de CEFET. dar prosseguimento à sessão, esta Mesa dá conheci-
Passei pelas duas fases. E hoje estou aqui, nesta Casa, mento ao Plenário do seguinte
representando o Estado do Maranhão. ATO DA PRESIDÊNCIA
O nobre Presidente tem razão. Com as escolas SECRETARIA-GERAL DA MESA.
técnicas, vamos dar oportunidade, sim, às famílias
pobres brasileiras. Eu fui feirante, saí dos rincões do Ref. Emendas apresentadas à Medida Provisória nº
interior do Estado do Maranhão e tive a oportunidade 468/2009.
de cursar a escola técnica também. Quero aqui louvar Indeferimento liminar de emenda que versa sobre ma-
essa iniciativa do Presidente. téria estranha.
Quero também louvar a iniciativa do Prof. José Costa,
Reitor do Instituto Federal do Maranhão, que tem a opor- Em: 18 de setembro de 2009.
tunidade, junto com o Congresso Nacional, de promover Com fundamento no art. 4º, § 4º, da Resolução nº
o desenvolvimento educacional do nosso Estado. 1/2002-CN, c.c. art. 125 do Regimento Interno da Câ-
Sr. Presidente, este CEFET conduzido pelo nobre mara dos ­Deputados, indefiro liminarmente a Emenda
Reitor José Costa, que teve o apoio do professorado nº 3, apresentada à Medida Provisória nº 468/2009, por
e dos alunos daquelas escolas técnicas do Maranhão, versar sobre matéria estranha, tudo em conformidade
hoje tem a capacidade de administrar 18 unidades, só com a decisão desta Presidência proferida à Questão
naquele Estado. Esse crescimento se deu por conta de Ordem nº 478/2009.
do seu desempenho pessoal e do apoio que teve des- Publique-se. Oficie-se.
te Congresso e da bancada do Maranhão, a segunda Michel Temer, Presidente da Câmara
maior em todo o Brasil, perdendo apenas para a do dos ­Deputados.
Estado de São Paulo.
E nós temos outra iniciativa, Sr. Presidente, que O SR. PRESIDENTE (Nilson Mourão) – Com
é, com o incentivo do Prof. José Costa, interligar todo base no art. 89 do nosso Regimento Interno, concedo
o Maranhão, através dos Centros Vocacionais Tecnoló- a palavra ao ilustre ­Deputado Marcondes Gadelha,
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51431 

para uma Comunicação de Liderança, pelo Bloco Par- do qual o Governo não abre mão. E só sabe a impor-
lamentar PSB/PCdoB/PMN/PRB. tância, a significação e a dramaticidade da transferência
O SR. MARCONDES GADELHA (Bloco/PSB-PB. de tecnologia quem visitou, por exemplo, o Centro Ex-
Como Líder. Sem revisão do orador.) – Sr. Presidente, perimental da Marinha em Aramar e viu a construção
nobres Srs. ­Deputados, não há o que contestar no que das nossas centrífugas de enriquecimento de urânio.
diz respeito à determinação do Governo de reapare- Há muitos anos, o Almirante Álvaro Alberto trouxe
lhar e modernizar as Forças Armadas, à luz do Plano clandestinamente centrífugas que foram desmontadas.
Estratégico de Defesa democraticamente apresentado E nós tivemos de compor, passo a passo, as nossas
à Nação recentemente. centrífugas. Os materiais, que deveriam resistir à alta
O Brasil não é mais aquele país pequeno e aca- rotatividade dessa centrífuga que chega a 75 mil ro-
nhado de 20 anos atrás. Bem ao contrário, somos um tações por minuto, não suportaram. Materiais foram
player internacional importante e o líder natural de todo vetados, porque eram peças de segurança de outros
um subcontinente. países. Tivemos de criar os nossos próprios materiais
Nada obstante, Sr. Presidente, temos as nossas e desenvolver a nossa centrífuga passo a passo. Essa
vulnerabilidades. Só para citar algumas, lembraria a epopeia que a Marinha cumpriu com empenho e esforço
imensa fronteira porosa que temos ao norte com vizi- levou muitos anos e demandou muitos recursos.
nhos belicosos, por onde passa tudo o que é malsão: Portanto, a transferência de tecnologia é o parâ-
tráfico de armas, de droga, de madeira, de mulheres. metro mais importante nesse conceito. Não nos per-
Além do mais, temos uma plataforma continental inteira- deremos nessa discussão, Sr. Presidente, porque esta
mente desguarnecida, com riquezas incomensuráveis, Casa pode adotar uma linha: se a decisão tiver de ser
a começar pelo pré-sal, que neste momento desperta política, ela deve apoiar a decisão técnica.
admiração, atenção e cobiça internacional. Neste momento, há uma comissão do Comando
Sr. Presidente, só isso já justificaria essa atitu- da Aeronáutica debruçada sobre a matéria para apre-
de, essa posição, a tentativa de compor uma estraté- sentar a relação custo/benefício, considerar o tempo
gia pelo menos de dissuasão, e justificaria iniciarmos de vida do caça, a transferência de tecnologia, todo um
com a aquisição de um submarino nuclear e alguns conjunto de elementos que compõe essa decisão.
convencionais, além de helicópteros de transporte e Temos de apoiar a decisão técnica apresentada
caças de última geração. pelo Comando da Aeronáutica, que, em última análi-
Um submarino nuclear é de longe a mais importan- se, é quem conhece a matéria e quem pode nos dar
te e eficiente arma de defesa marítima, não apenas pela consistência para um posicionamento.
velocidade do seu deslocamento, não apenas pelo tempo Agradeço a V.Exa.
de submersão, mas sobretudo por ser virtualmente inde- O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) – Reco-
tectável. Ninguém sabe onde se encontra um submarino nhecemos a importância do tema trazido pelo ­Deputado
nuclear, porque ele não emite qualquer ruído ou som. A Marcondes Gadelha, a importância de discutirmos a
detecção de um submarino é feita por meio de sonar. Um questão no Congresso Nacional e de nos somarmos às
submarino nuclear não emite qualquer som, qualquer ruí- observações feitas pelo ­Deputado, tendo em vista que
do, é mais silencioso do que a própria onda do mar. Como S.Exa. fala com conhecimento de causa, sendo uma
dizem os técnicos, um submarino nuclear é um buraco de pessoa que, efetivamente, tem senso de brasilidade.
silêncio no meio do oceano. Parabéns pelo pronunciamento, ­Deputado Mar-
Embora essa decisão tenha sido tomada há muito condes Gadelha.
tempo, infelizmente, houve um atraso considerável. Da
mesma forma ocorreu com os helicópteros de ataque, Durante o discurso do Sr. Marcondes
que são peças de articulação importante, e a decisão Gadelha, o Sr. Nilson Mourão, § 2º do art. 18
também foi tomada há muito tempo. Agora, há essa do Regimento Interno, deixa a cadeira da pre-
discussão acerba em torno dos nossos caças. sidência, que é ocupada pelo Sr. Marcio Jun-
Sr. Presidente, não pode haver pomo de discór- queira, § 2º do art. 18 do Regimento Interno.
dia em torno dessa questão. Os caças são absoluta- O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) – Con-
mente necessários para nos colocar pelo menos em cedo a palavra ao ilustre ­Deputado Nilson Mourão, re-
pé de igualdade com os nossos vizinhos, na situação presentante do Acre, pelo tempo de 25 minutos.
presente. O que se discute é se vamos adquirir o F‑18, O SR. NILSON MOURÃO (PT-AC. Sem revisão do
o Rafale ou o Gripen. orador.) – Sr. Presidente, Sras. e Srs. ­Deputados, com
Um elemento fundamental nessa história é a muita honra, informo a esta Casa que fui convidado
transferência de tecnologia, um parâmetro inalienável pelo Embaixador da Líbia no Brasil, Dr. Salem Ezube-
51432  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

di, para participar das comemorações alusivas ao 40º prol da liberdade, então, o que a revolução fez
aniversário da Revolução Líbia e ao 10º aniversário da para realizar isso?
Criação e Proclamação da União Africana. 1º. Na área da libertação da pátria:
Na ocasião, o ilustre embaixador proferiu um 1. Após um ano aproximadamente de sua
discurso surpreendente que chamou muito a atenção realização e com empenho inigualável para re-
pelos dados apresentados, pelas conclusões chegadas alizar os objetivos, princípios e nobres valores
e por uma avaliação serena do que ocorreu na Líbia para as quais aconteceu, a revolução purificou
nos últimos 40 anos. o país das forças e bases estrangeiras. Vamos
Passo a ler, Sr. Presidente, trechos do discurso ouvir o que disse o Irmão Líder da Revolução
do ilustríssimo embaixador Dr. Salem Ezubedi, por em seu discurso na primeira audiência para as
ocasião dessa solenidade: negociações de retirada das forças britânicas
“Como era a Líbia antes da revolução? das terras líbias no mês de dezembro de 1969:
A Líbia é aquele pedaço de terra que “Todos os tratados, amizades e cooperação
se localiza entre o mar mediterrâneo ao nor- são algo que não podem ser edificados sobre
te e o Níger e Chade ao sul, e entre Egito e a sombra da espada e debaixo dos ruídos dos
Sudão ao leste e Tunísia e Argélia ao oeste, aviões, isso está regido pela lei internacional
onde predomina na Líbia o deserto, e antes antes de dizermos isso, e a liberdade da Líbia
da revolução a Líbia tinha três características permanecerá incompleta enquanto existir um
no mínimo: soldado estrangeiro sobre sua terra.”
1. A fome, doença, ignorância e pobre- E assim se concretizou a retirada das
za, mesmo com milhares de barris de petróleo forças britânicas em 28 de março de 1970, e
que eram produzidos pelo deserto diariamen- as forças e bases americanas em junho do
te. Antes da revolução, aproximadamente 40% mesmo ano, coroando com a retirada de 120
dos líbios viviam em tendas ou em favelas e mil colonos italianos remanescentes do colo-
o número de escolas de ensino médio não ul- nialismo em 07 de outubro do mesmo ano.
trapassava o número dos dedos de uma mão, 2. Em busca da libertação da economia
e o ensino superior se restringia a uma única nacional da pendência estrangeira e o total
universidade. controle das riquezas da sociedade econô-
2. Monarquia retroativa e conspiradora mica, a revolução em um período curtíssimo
que governava com a anuência das embaixa- estatizou as partes das empresas petrolíferas
das estrangeiras, das empresas petrolíferas e estrangeiras e os bancos estrangeiros que
dos colonos estrangeiros que detinham a pos- atuavam na Líbia.
se das terras mais férteis e se apoderavam da 2º. No âmbito da libertação do cidadão:
economia do país. 1. A revolução realizou projetos habita-
3. As bases estrangeiras dominavam o cionais, educacionais e de saúde para elevar
espaço terrestre líbio, causando-lhe a corrup- o nível de vida dos cidadãos, onde o número
ção: eram 6 bases americanas que dominavam de universidades chegou a 14 e se espalha-
a parte oeste do país e 3 bases inglesas que ram os postos de saúde, hospitais e escolas
dominavam a parte leste dele. secundárias em todas as cidades, vilarejos e
4. Por isso, a Líbia era um estado sem no interior.
cor, paladar e sem odor, não influenciava nos 2. A revolução construiu o grande rio arti-
acontecimentos e não se influenciava com o ficial, a oitava maravilha do mundo, de onde a
que acontecia ao seu redor de conflitos, não água percorre o deserto líbio no sul as regiões
se importava com os gemidos dos sofridos e férteis no norte, numa distância de 4.000 Km
gritos dos ativistas em prol da liberdade e sal- em tubos de betão gigantescos cujo diâmetro
vação da escravidão e colonização. de cada é de 4 metros.
Então, a revolução veio em prol da liber- 3. A revolução entregou o poder ao povo,
tação da pátria e em seguida para a libertação onde os cidadãos começaram a exercer o po-
do cidadão, para se tornar senhor em cima de der de uma forma direta sem representação,
sua própria terra, participando de uma forma através de ser um membro nos congressos
direta na elaboração de seu presente e futu- populares básicos, onde regem as políticas e
ro se posicionando ao lado dos ativistas em ditam as regras em decretos que são execu-
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51433 

tados pelos comitês populares eleitos por eles DISCURSO A QUE SE REFERE O ORA-
mesmos a nível local, regional e nacional. DOR:
3º. Na área da militância mundial:
1. A Líbia se tornou a terra dos revolu- DISCURSO DO SR. EMBAIXADOR DR.
cionários, o reduto mundial para resistir con- SALEM EZUBEDI POR OCASIÃO DO 40º
tra o imperialismo, racismo, retroatividade e ANIVERSÁRIO DA GRANDE REVOLUÇÃO
o fascismo, e através da sua posição apoiou DE ALFATEH
movimentos de libertação com dinheiro, manti-
Ilustres Convidados,
mentos e treinamentos não somente na África,
Que a paz e benção de Allah estejam sobre
Ásia e América Latina, mas também no lar dos
vós.
símbolos do imperialismo e colonização.
Tenho a satisfação hoje de dar as boas vindas a
2. Como a palavra ‘Alquds’ é a palavra-
vós, onde comemoramos o 40º Aniversário da Gran-
chave da Grande Revolução de Alfateh em
de Revolução de AlFateh em setembro, que alvoreceu
setembro, então a revolução empenhou es-
no início do mês de setembro de 1969 sob a liderança
forços gigantescos em prol da unificação da
do Líder Muammar AI Khaddafi. Hoje comemoramos
pátria árabe para que a Nação árabe possa
a Revolução de Alfateh e sua trajetória repleta de re-
resistir ao inimigo sionista que ocupa a terra
alizações gigantescas que se concretizaram sobre o
árabe na Palestina, e a história atesta que a
território líbio, e com as contribuições desta revolução
Líbia teve iniciativa onde assinou 8 tratados
em seu ambiente geopolítico em auxílio aos oprimidos
de unificação com um país ou mais dentre os
e em apoio dos ativistas em prol da emancipação e
países árabes entre 1969 e 1989, mas todos
libertação. Também comemoramos a passagem de
ficaram no papel.
dez anos da proclamação da União Africana na cidade
3. A percepção da revolução que as enti-
de Sirte, dia 9-9-1999, coroando a fundação da União
dades anãs durante a revolução são incapazes
Africana o sonho dos pais e avós e suas esperanças
de subsistirem politicamente, economicamente e
na edificação dos Estados Unidos da África E para
culturalmente fez com que o Irmão Líder da Re-
compreender, Senhoras e Senhores, o significado de
volução proclamasse no congresso da Cúpula
da Argélia a organização da União Africana no nossa comemoração por esta revolução e porque nos
mês de julho de 1999 para a realização de uma orgulhamos dela a este ponto desejo levá-los em uma
cúpula extraordinária em Sirte durante o mês curta viagem sob o trem do tempo para expressarmos
de setembro do mesmo ano para modernizar sobre o passado da Líbia até o seu presente.
a organização e a sua efetividade, e assim os • Como era a Líbia antes da Revolução?
líderes africanos se reuniram para deliberarem
A Líbia é aquele pedaço de terra que se localiza
em 09/09/1999 a declaração histórica de Sirte,
entre o mar mediterrâneo ao norte e o Níger e Chade
com o nascimento da grande União Africana”.
ao sul, e entre Egito e Sudão ao leste e Tunísia e Argélia
Sr. Presidente, li os trechos essenciais do discurso ao oeste, onde predomina na Líbia o deserto, e antes da
proclamado pelo Embaixador Salem Ezubedi, por oca- revolução a Líbia tinha três características no mínimo:
sião do 40º aniversário da Grande Revolução de Alfateh, 1. A fome, doença, ignorância e pobreza, mesmo
que levou à descolonização da Líbia, das conquistas e com milhares de barris de petróleo que eram produzidos
dos progressos realizados por essa revolução. pelo deserto diariamente. Antes da revolução, aproxima-
Solicito a V.Exa., ilustre Presidente, que determine damente 40% dos líbios viviam em tendas ou em favelas
a publicação nos Anais da Casa da íntegra do discurso e o número de escolas de ensino médio não ultrapassava
pronunciado por S.Exa, o Embaixador Salem Ezubedi. o número dos dedos de urna mão, e o ensino superior se
Fiquei surpreso ao saber das conquistas da re- restringia a uma única universidade.
volução: não existiam escolas média, hoje, nas prin- 2. Monarquia retroativa e conspiradora que go-
cipais cidades da Líbia, as escolas estão presentes; vernava com a anuência das embaixadas estrangeiras,
existia apenas uma universidade, hoje são 14; havia das empresas petrolíferas e dos colonos estrangeiros
7 a 10 bases militares dos Estados Unidos e da Grã- que detinham a posse das terras mais férteis e se apo-
Bretanha, hoje não há mais nenhuma manifestando deravam da economia do país.
posição nacionalista e de descolonização desse im- 3. As bases estrangeiras dominavam o espaço
portante País africano. terrestre líbio, causando-lhe a corrupção: eram 6 bases
Era o que tinha dizer. americanas que dominavam a parte oeste do país e 3
Muito obrigado. bases inglesas que dominavam a parte leste dele.
51434  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

4. Por isso, a Líbia era um estado sem cor, pa- direta sem representação, através de ser um mem-
ladar e sem odor, não influenciava nos acontecimen- bro nos congressos populares básicos, onde regem
tos e não se influenciava com o que acontecia ao seu as políticas e ditam as regras em decretos que são
redor de conflitos, não se importava com os gemidos executados pelos comitês populares eleitos por eles
dos sofridos e gritos dos ativistas em prol da liberdade mesmos a nível local, regional e nacional.
e salvação da escravidão e colonização.
3° Na área da militância mundial:
Então, a revolução veio em prol da libertação da
1. A Líbia se tomou a terra dos revolucionários,
pátria e em seguida para a libertação do cidadão, para
o reduto mundial para resistir contra o imperialismo,
se tomar o senhor em cima de sua própria terra, par-
racismo, retroatividade e o fascismo e através da sua
ticipando de uma forma direta na elaboração de seu posição apoiou movimentos de libertação com dinheiro,
presente e futuro se posicionando ao lado dos ativis- mantimentos e treinamentos não somente na África,
tas em prol da liberdade, então, o que a revolução fez Ásia e América Latina, mas também no lar dos sím-
para realizar isso? bolos do imperialismo e colonização.
1º Na área da libertação da pátria: 2. Como a palavra “Alquds” é a palavra chave
1. Após um ano aproximadamente de sua realiza- da Grande Revolução de Alfateh em setembro, então
ção e com empenho inigualável para realizar os obje- a revolução empenhou esforços gigantescos em prol
tivos, princípios e nobres valores para as quais acon- da unificação da pátria árabe para que a nação árabe
teceu, a revolução purificou o país das forças e bases possa resistir ao inimigo sionista que ocupa a terra
estrangeiras. Vamos ouvir o que disse o Irmão Líder árabe na Palestina, e a história atesta que a Líbia teve
da Revolução em seu discurso na primeira audiência iniciativa onde assinou 8 tratados de unificação com
para as negociações de retirada das forças britânicas um país ou mais dentre os países árabes entre 1969
das terras líbias no mês de dezembro de 1969: “To- e 1989, mas todos ficaram no papel.
dos os tratados, amizades e cooperação são algo que 3. A percepção da revolução que as entidades
não podem ser edificados sobre a sombra da espada anãs durante a globalização são incapazes de subsis-
e debaixo dos ruídos dos aviões, isso está regido pela tirem politicamente, economicamente e culturalmente
lei internacional antes de dizermos isso, e a liberdade fez com que o Irmão Líder da Revolução proclamasse
da Líbia permanecerá incompleta enquanto existir um no congresso da Cúpula da Argélia a organização da
soldado estrangeiro sobre sua terra.” União Africana no mês de julho de 1999 para a reali-
E assim se concretizou a retirada das forças bri- zação de uma cúpula extraordinária em Sirt durante
tânicas em 28 de março de 1970, e as forças e bases o mês de setembro do mesmo ano para modernizar
americanas em junho do mesmo ano, coroando com a a organização e a sua efetividade, e assim os líderes
retirada de 120 mil colonos italianos remanecentes do africanos se reuniram para deliberarem em 09/09/1999
colonialismo em 7 de outubro do mesmo ano. a declaração histórica de Sirt, com o nascimento da
2. Em busca da libertação da economia nacio- grande União Africana.
nal da pendência estrangeira e o total controle das ri- Mas será que todos esses passos revolucioná-
quezas da sociedade econômica, a revolução em um rios internos e externos passaram despercebidamen-
período curtíssimo estatizou as partes das empresas te sem tentativas de vingança desta revolução que
petrolíferas estrangeiras e os bancos estrangeiros que poderá ser um exemplo a ser seguido nos países de
atuavam na Líbia. terceiro mundo, ou de outra forma, o que a revolução
colheu com isso ?
2º No âmbito da libertação do cidadão: 1. Os Estados Unidos cortaram as relações unilate-
1. A revolução realizou projetos habitacionais, edu- ralmente com a Líbia sem um motivo correto e impuseram
cacionais e de saúde para elevar o nível de vida dos ci- um boicote econômico contra a Líbia em 1981.
dadãos, onde o número de universidades chegou a 14 e 2. Os departamentos de inteligência planejaram
se espalharam os postos de saúde, hospitais e escolas acabar com a revolução líbia na pessoa de seu líder
secundárias em todas as cidades, vilarejos e no interior. diversas vezes, e tais tentativas estão confirmadas por
2. A revolução construiu o grande rio artificial, a setores oficiais americanos e ingleses.
oitava maravilha do mundo, de onde a água percorre 3. Os Estados Unidos lançaram ataques milita-
o deserto líbio no sul as regiões férteis no norte, numa res diretos contra o espaço aéreo líbio, sobre o litoral
distância de 4.000 Km em tubos de betão gigantescos do mediterrâneo e em águas líbias, e o ataque derra-
cujo diâmetro de cada é de 4 metros. deiro foi o ataque aéreo sobre as cidades de Tripoli e
3. A revolução entregou o poder ao povo, onde os Benghazi em 1986, que vitimou dezenas de cidadãos
cidadãos começaram a exercer o poder de uma forma entre eles crianças, mulheres e idosos.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51435 

4. E finalmente, o ocidente acusou a Líbia por der- Assim, a Líbia chegou com a revolução a terra
rubar o avião da Pan Am no que ficou conhecido como a segura, onde a tenda de Muammar AI Khaddafi se to-
questão de Lockerbie, e impôs sanções através do conse- mou objetivo de todos os inimigos de ontem e a África
lho de segurança sobre a Grande Jamahiriya sem qualquer o escolheu como patrono da paz e rei dos reis africa-
prova ou evidência sobre a intenção do envolvimento dos nos tradicionais, e posteriormente presidente da União
suspeitos neste acidente trágico e lamentável que custou Africana. E eventualmente o mundo o escolheu como
a vida de passageiros civis inocentes. intelectual que participa para fincar os pilares da paz e
estabilidade mundial. Por tudo isso os líbios reconhe-
E qual foi o resultado após 40 anos da revo-
cem o seu papel de luta e o consideram um símbolo
lução ?
histórico, Líder da Revolução, e reconhecem gratidão
1. Um gesto sem antecedentes na história, onde
e mencionam o seu nome do fundo do coração, pois
a Itália se desculpou pelo período de sua ocupação
em verdade ele é o cavalheiro da luz como disse o fa-
da Líbia quando Silvio Berluscone, Premier Italiano,
moso escritor brasileiro Paulo Coelho.
apresentou no dia 30 de setembro de 2008, na cida-
Saudações a Muammar AI Khadaffi no 40° Aniver-
de de Benghazi, a desculpa oficial da Itália quando
sário da Grande Revolução de AlFateh em setembro e
disse: “... é o meu dever como presidente do governo
parabéns ao povo líbio e a todos os livres do mundo.
italiano expressar em meu nome e em nome do povo
Agradeço a audição e peço desculpas pela pro-
italiano os nossos sentimentos e desculpas pelas feri-
longação.
das profundas causadas pela ocupação italiana contra
O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) – Convido o
o povo líbio”, e acrescentou:” é um reconhecimento
nobre ­Deputado Nilson Mourão para presidir a sessão.
completo e significativo pelo prejuízo causado pela
Itália à Líbia”. O Sr. Marcio Junqueira, § 2º do art. 18 do
2. A Grande Jamahiriya presidiu a comissão de Regimento Interno, deixa a cadeira da presi-
direitos humanos nas Nações Unidas e se tomou mem- dência, que é ocupada pelo Sr. Nilson Mourão,
bro não permanente no Conselho de Segurança por § 2º do art. 18 do Regimento Interno.
duas vezes, e foi eleita para presidir a Assembléia Geral O SR. PRESIDENTE (Nilson Mourão) – Esta
das Nações Unidas na sua próxima sessão. sessão de sexta-feira é exclusiva para debates e pro-
3. O Irmão Líder da Revolução se tomou presi- nunciamentos.
dente da União Africana, onde fala em nome da África Dando sequência ao Grande Expediente, con-
nos fóruns regionais e mundiais. cedo a palavra ao ilustre ­Deputado Marcio Junqueira,
Assim, vocês podem constatar que o povo líbio do DEM de Roraima. S.Exa. dispõe de até 25 minutos
hoje, após 40 anos está na ponte das realizações lo- para seu pronunciamento.
cais, nacionais, regionais e mundiais. Graças a Allah O SR. MARCIO JUNQUEIRA (DEM-RR. Sem
em primeiro lugar, por ter conciliado os coronéis uni- revisão do orador.) – Sr. Presidente, de fato sexta-feira
dos e livres para realizar a revolução, e a Muammar é o dia que reservamos para nos ater aos debates,
AI Khaddafi em segundo, na qual se realizaram com a ao relatos, e, por que não dizer, a uma prestação de
sua liderança todas as concretizações. Ele é o intelecto contas do que fazemos durante a semana, o mês, o
que cunhou o “Livro Verde”, o pilar do sistema político, ano, enfim, durante a legislatura que nos é outorgada
econômico e social na Líbia e o engenheiro do gran- pela população.
de rio artificial para a realização do desenvolvimento Quero começar falando da CPI Tarifas de Ener-
no norte da África. Ele também entregou o poder ao gia Elétrica, que, inclusive, esteve no Acre, Estado
povo em 02 de março de 1977 para a Líbia se tomar do ­Deputado Nilson Mourão. E não tenho dúvida, Sr.
a Jamahiriya Árabe Popular Socialista da Líbia, e con- Presidente Nilson Mourão, que ela irá trazer resultados
duziu com sofisticação as batalhas políticas e militares em breve para a população brasileira, que não aguenta
onde a Jamahiriya se tomou “grande” porque ele en- mais pagar essas altas tarifas, que considero crimino-
frentou de igual para igual as grandes potências. To- sas, pois comprometem o orçamento familiar.
dos reconheceram a sua sabedoria após observarem A CPI, presidida pelo ­Deputado Eduardo da Fonte
sua gestão em relação a questão de Lockerbie, assim – e quero aqui reconhecer o grande trabalho feito por
também quando a Líbia de livre e espontânea vontade S.Exa. –, fez sua primeira reunião na cidade de Boa
decidiu se desfazer de programas e equipamentos que Vista, capital do querido Estado de Roraima. Conse-
poderiam produzir armas de destruição em massa, tais guimos grandes avanços. Foi detectada, assim como
ataques preventivos garantiu a Grande Jamahiriya o no Acre, a cobrança indevida nas tarifas, tanto é que
lugar de destaque em todos os campos. os Presidentes da Boa Vista Energia e da ELETRO-
51436  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

NORTE se comprometeram a devolver, naturalmente E nós mandamos atualmente, pasmem, telespec-


por meio de ações jurídicas, o dinheiro surrupiado tadores da TV Câmara, militares para casa, porque
daqueles consumidores. Em determinado momento, não temos dinheiro para pagar o rancho dos homens
essas empresas, essas distribuidoras, passam a emitir e mulheres da Amazônia que servem ao Exército Bra-
a conta de luz baseados numa média. sileiro. Eles foram para casa porque não há alimento,
Portanto, creio eu, e poderei afirmar isso em breve, porque o Exército não tem comida.
que essa CPI trará grande contribuição ao povo bra- Quando vejo esse embate, essa disputa para ver
sileiro e ficará demonstrado o lucro abusivo e exorbi- quem vende um caça, quem transfere a tecnologia,
tante que essas distribuidoras têm conseguido com o recordo-me das vezes em que andei nos aviões da
sofrimento e a exploração do povo brasileiro. EMBRAER; recordo-me do projeto SIVAM, com equi-
Sr. Presidente, também quero falar da nossa ale- pamentos de alguns milhões de dólares. E pasmem,
gria e reconhecer o grande trabalho do ­Deputado ontem Srs. ­Deputados, um piloto da Força Aérea, que con-
indicado Ministro do Tribunal de Contas da União. Refiro- duz uma aeronave de 50 milhões, ganha R$3.900,00.
me ao ­Deputado José Múcio Monteiro, do meu partido, Será que vamos pagar esses mesmos salários para
o Partido Trabalhista Brasileiro. Ainda há pouco, falei com os militares que pilotarão os futuros caças, sejam eles
S.Exa. ao telefone e disse, do fundo do meu coração, que suecos, americanos, franceses? Seria muito interes-
o que o alçava a essa indicação era sua biografia. Mais sante se essas aeronaves fossem brasileiras. Isso se-
uma vez, registro a nossa alegria. Desejamos sucesso ao ria o mais interessante.
­Deputado José Múcio Monteiro. Que S.Exa. possa prestar Infelizmente, não vejo ainda essa discussão ter-
mais serviços à Nação brasileira! minar. O que enxergo, na verdade, é um grande lobby.
Diante de tantos temas, quero ainda falar da nos- São países querendo ganhar em cima da fragilidade
sa tristeza ao ver ontem o Presidente Lula condenar a brasileira, Presidente ­Deputado Rodrigo Rollemberg.
Amazônia, 60% do território nacional, a não produzir E nós, no Congresso, temos a obrigação moral de de-
cana‑de-açúcar. O tempo irá mostrar que essa é uma fender o País de um mau negócio.
medida equivocada. O Presidente cede às pressões Volto a repetir: gostaria de discutir hoje finan-
ambientalistas. Não estou dizendo que temos de der- ciamento para a EMBRAER construir nossos caças;
rubar para plantar, mas o ­Deputado Nilson Mourão, gostaria de ver hoje, na discussão do Orçamento da
do Partido dos Trabalhadores, que é um amazônida e União, recursos para a ENGESA, que eles consegui-
conhece as áreas degradadas, os campos e as sava- ram fechar. A ENGESA, que fabricou nossos Urutus,
nas, sabe que nós teríamos um grande potencial de nossos Cascavéis, nossos Astras.
produção e não ficaríamos nós, lá do Norte, constan- Mas o que pensar de um país que manda para
temente reféns dos usineiros, dos produtores de São casa militares porque não tem comida? O Presidente
Paulo e do Nordeste. aparece na televisão falando em comprar caças, en-
Infelizmente, devido ao nosso tamanho eleitoral, quanto, na Amazônia, o soldado vai para casa porque
digamos assim, da quantidade de eleitores na Região não tem rancho. E o salário dos militares? Como espe-
Norte – ainda somos pouco mais de 25, 28 milhões de rar que homens e mulheres defendam a nossa costa,
brasileiros –, talvez não sejamos reconhecidos como a nossa Amazônia, com os salários que ganham?
60% do território nacional. Pelo contrário, o Governo tem cometido uma ver-
Infelizmente, o Presidente Lula demonstra mais dadeira afronta contra as Forças Armadas quando sub-
uma vez desconhecer a questão estratégica do País, mete o Exército Brasileiro a adentrar em favelas para
a necessidade de ocuparmos o espaço dessas gran- combater o narcotráfico metropolitano. Eu acredito na
des dimensões amazônidas e podermos ter condição defesa por parte das Forças Armadas nas fronteiras,
de estoque, de produção, de garantia alimentar e de mas não nas metrópoles. Lá, nós temos as Polícias
energia nessa região. Militar, Civil, Federal, as Guardas Municipais, a Força
Por que os países se armam? Por que será que Nacional. Mas, ao que parece, essas entidades só ser-
as grandes nações se armam? Eu estive recentemente vem para atacar o povo que produz no Estado, para
em Georgetown, na Guiana Inglesa, e lá me deparei dar guarita a terroristas.
com mais de 1.200 SEALs americanos. O que faziam Infelizmente, grande parte da Polícia tem sido
eles na Guiana Inglesa? Por que o Governo americano usada de forma política. Não estou falando da corpo-
gasta tanto com manobras militares nos países fron- ração, do soldado, do cabo, do sargento, dos oficiais.
teiriços com a Amazônia? Por que estamos vendo a Não, estou falando dos governantes que usam a Polí-
ocupação da Colômbia, do Peru, da Guiana? cia a seu bel-prazer e até politicamente.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51437 

Mas volto a dizer: se nós queremos, de fato – é América do Sul, o rei do petróleo? Por que pegaram
importante que isso fique claro no imaginário das pes- o meu dinheiro, o dinheiro da dona de casa, e o man-
soas –, ter um país de verdade, precisamos urgente- daram para a Venezuela? Quem mandou?
mente discutir e rediscutir a questão das nossas Forças. Não satisfeito, o Presidente Lula disse mais lá
Um país não se arma à toa. Eu não acredito que os no meu Estado de Roraima, que se fecha às 18h e
Estados Unidos e os países europeus estejam se ar- onde esta Constituição não é respeitada. O livro sa-
mando para se defenderem. Defenderem-se de quem? grado, aprovado aqui, determina que todo brasileiro
De nós, que não temos um submarino, um porta-avião tem direito de ir e vir. Em Roraima, isso é mentira. Em
nuclear? Quando saímos com as nossas fragatas, os Roraima, não é verdade. Em Roraima, o direito de ir
nossos destróieres, precisamos de navios-tanques e vir do brasileiro tem hora marcada: é só até às 18h.
atrás, senão eles vão parar no meio do mar, sem die- Nesse horário, uma corrente fecha a BR 174, e o bra-
sel. E nós que temos as maiores reservas hídricas do sileiro deixa de ser brasileiro porque a Constituição
planeta, as maiores reservas minerais! deixa de ser respeitada.
O que é a vida? A vida não é um paletó, uma Mas o Presidente Lula, nesse Estado que fecha
gravata, a vida não é um burocrata. A vida é composta às 18h e que já teve 58% da sua área demarcada –
de terra e água. Água e terra, esta é a base da vida. O agora quase 70%, porque o Presidente foi lá e anun-
homem pode ser Presidente, pode ser Ministro, pode ciou mais uma área, na região de Anaro –, vai mais
ser o que for que não vive sem comer. Nós temos isto: longe. S.Exa. diz que vai mandar, está aqui no jornal,
terra e água. E, infelizmente, não estamos cuidando o Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que nós
nem de nossa água nem de nossa terra. pagamos, acompanhado de um grupo do BNDES, do
Depois de falar sobre este assunto, quero agora nosso banco, do Banco Nacional de Desenvolvimento
me ater à ida do Presidente Lula a Roraima. Depois de Econômico e Social – nacional porque é do Brasil –,
7 anos, em um surto de benevolência, S.Exa. resolve para a Guiana, para chegar a um entendimento com
ir a Roraima. E nós esperávamos, sinceramente, eu o Presidente do país vizinho em torno da estruturação
esperava que o Presidente Lula fosse a Roraima para do projeto da construção de uma hidrelétrica no Rio
de fato reconhecer o grande mal que tem feito àquela Mazaruni, lá dentro da Guiana. Pasmem: o Presidente
Unidade da Federação. Torci para isso. Infelizmente as quer pegar o dinheiro do contribuinte brasileiro e cons-
minhas preces não foram ouvidas. truir uma hidrelétrica lá na Guiana!
O Presidente Lula chega a Roraima e, entre Não conseguiu levantar até agora um pilar de Jirau
tantas propostas, inaugurou uma ponte, que já havia e de Santo Antônio. Belo Monte, no Tapajós, espera há
sido inaugurada 3 vezes, inaugurou um terminal, com 30 anos uma licença ambiental. E o Presidente deste
2 plataformas e a primeira escada rolante de Roraima, País, de forma irresponsável e criminosa, anuncia que
uma escada rolante de 1 lance! Uma grande obra: uma vai construir uma barragem na Guiana Inglesa!? Pobre
escada rolante de 1 lance! Acho importante, talvez para Brasil. Pobre Amazônia.
as crianças do meu Estado conhecerem uma escada O encarte da revista Veja desta semana traz ca-
rolante. Mas foi nesse aeroporto que desembarcaram talogadas mais de 300 termoelétricas na Amazônia
700 federais para humilhar o meu Estado. movidas a diesel! Cadê os ambientalistas? Movidas
Não contente com isso, o Presidente Lula, se- a diesel, na Amazônia. E o Presidente deste País diz
gundo o jornal A Folha de Boa Vista, anunciou que que vai construir uma hidrelétrica, que gera energia
vai construir a estrada de Lethem a Georgetown, na limpa, na Guiana? Por que não, Presidente – talvez
Guiana. São 500 quilômetros de estradas a serem porque V.Exa. não conheça –, no Cotingo, em Rorai-
construídos com dinheiro do povo brasileiro. ma? Por que não lá, a 1.500 metros acima do nível
Pergunto ao nobre Presidente Rodrigo Rollem- do mar, num canyon pronto, com um rio similar ao
berg: não existe estrada no Brasil para ser asfaltada? Orinoco, onde poderíamos fazer não uma barragem,
Lá no meu Estado, por exemplo, precisamos terminar mas duas, três, as primeiras barragens indígenas do
de asfaltar a BR-174, precisamos terminar de asfaltar planeta? Aos povos indígenas é que seriam pagos os
a BR-210, precisamos asfaltar o trecho da rodovia que royalties. Mas isso, Presidente Rollemberg, é para
liga Jundiá a Boiaçu para integrarmos o Estado. Temos quem conhece a Amazônia.
ainda a BR-319, na Amazônia, e a BR-163. Mas não, Eu até faço uma autopunição. Não posso cobrar isso
o Presidente quer asfaltar uma rodovia na Guiana, do Presidente Lula nem de sua equipe, porque eles não
como já fez na Venezuela! Pegou 300 milhões do povo conhecem o Brasil, não conhecem a Amazônia. Tanto é
brasileiro – 300 milhões! – para fazer uma ponte na verdade que Dilma Rousseff se dirigia ao povo de Roraima
Venezuela. Mas não é a Venezuela o país mais rico da dizendo que estava em Rondônia! Estou providenciando
51438  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

um livro de geografia para a Ministra, até porque, para se Sras. e Srs. Parlamentares, ilustres visitantes que nos
falar em ser Presidente do Brasil, é preciso conhecer o honram com sua presença nesta manhã de sexta-feira,
Brasil. Volto a dizer: pobre Brasil. quero iniciar minhas palavras dizendo que dedicarei este
Apesar do tom, não permitiremos. De minha par- espaço à abordagem de um tema cuja importância para
te, ocuparei todos os espaços possíveis. Vamos trazer o desenvolvimento do Brasil e para a qualidade de vida
à Comissão de Minas e Energia os representantes do nosso povo está acima de qualquer questionamento.
da companhia que está pleiteando esse recurso, sob Refiro‑me, Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, ao
convocação. Vão ter que olhar para a mídia, vão ter tema da educação básica no País.
que olhar para a grande imprensa, vão ter que olhar As políticas públicas de educação passaram a
nos olhos pelo menos deste brasileiros e dizer que ocupar, em todo o mundo, um papel cada vez mais
vão pegar dinheiro nosso para construir hidrelétrica proeminente ao longo do século XX, especialmente
em outro País. Não! Ou que vão pegar nosso dinheiro durante o período que ficou marcado pela atuação do
para asfaltar outras estradas. Não! Estado desenvolvimentista e de bem‑estar social.
Vamos, primeiro, duplicar a Belém-Brasília, va- A partir da década de 30, também a elite política
mos colocar o trem-bala ligando São Paulo ao Rio de brasileira compreendeu a necessidade de adotar, com
Janeiro, vamos asfaltar a BR-319, a BR-163, a BR-174, características peculiares, o caminho do desenvolvi-
e depois, mas bem depois, quando sobrar tempo e di- mentismo e da promoção, em alguma medida, dos di-
nheiro, quando o povo brasileiro estiver bem cuidado, reitos sociais. Os acertos dessa orientação se manifes-
quando as crianças no Brasil estiverem bem tratadas, taram sobretudo em elevados índices de crescimento
econômico, um feito nada desprezível que perdurou
vamos então começar a pensar em pegar o nosso di-
por cerca de 50 anos, e na implantação de uma série
nheiro para fazer benevolência em outros países. Pri-
de benefícios trabalhistas.
meiro vamos cuidar da nossa casa. Primeiro vamos
No entanto, os impactos positivos desse processo
cuidar dos nossos brasileiros, dos nossos eleitores,
sobre a área social deixaram muito a desejar, especial-
do nosso contribuinte.
mente no que se refere aos investimentos em educação.
E assim termino meu pronunciamento nesta ma-
Isso não se deu por acaso; a bem da verdade, refletiu a
nhã, querido Presidente Rodrigo Rollemberg.
concepção de desenvolvimento que vigia à época, segun-
Durante o discurso do Sr. Marcio Junquei- do a qual o crescimento econômico, por si só, espraiaria
ra, o Sr. Nilson Mourão, § 2º do art. 18 do Regi- seus efeitos sobre o conjunto da vida social, sem neces-
mento Interno, deixa a cadeira da presidência, sidade de qualquer tratamento específico, por parte do
que é ocupada pelo Sr. Rodrigo Rollemberg, § Poder Público, da educação ou mesmo da saúde.
2º do art. 18 do Regimento Interno. Esse entendimento está expresso exemplarmente
em artigo publicado em 1957 pelo economista Américo
O SR. PRESIDENTE (Rodrigo Rollemberg) –
Barbosa de Oliveira, na Revista Econômica Brasileira.
Convido o nobre ­Deputado Marcio Junqueira a pre- Peço a devida licença para citar, ipsis verbis, um trecho
sidir a sessão. do referido artigo:
O Sr. Rodrigo Rollemberg, § 2º do art. 18 “Embora a educação ou a saúde pública
do Regimento Interno, deixa a cadeira da pre- sejam fatores necessários ao desenvolvimento
sidência, que é ocupada pelo Sr. Marcio Jun- econômico, isso não significa que constituam
queira, § 2º do art. 18 do Regimento Interno. a mola desencadeadora do processo de de-
senvolvimento, a ponto de justificar a absor-
O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) – Que-
ção de recursos excessivos em prejuízos de
ro mais uma vez esclarecer às pessoas que nos visi- investimentos em indústria, transporte, ma-
tam nesta manhã que sexta-feira é, de fato, um dia de quinaria agrícola, abastecimento de energia
debates, de prestação de contas. Quero agradecer a elétrica etc. (...).
todos a presença. O problema fundamental da coletividade
O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) – Com brasileira é o desenvolvimento. Se este marcha
muito prazer, concedo a palavra, por até 25 minutos, bem, os outros problemas vão encontrando
ao nosso querido e admirável amigo, ­Deputado Ro- solução. Se o desenvolvimento estanca, todos
drigo Rollemberg, que tão bem representa o Distrito os problemas se agravam e a própria ordem
Federal e é uma bandeira de luta. social periga”.
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG (Bloco/PSB- Obviamente, o crescimento da atividade econômi-
DF. Sem revisão do orador.) – Muito obrigado, Sr. Pre- ca e o incremento dos níveis de riqueza, notadamente
sidente, ­Deputado Marcio Junqueira. a riqueza por habitante, são objetivos que o País deve
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51439 

perseguir com toda a obstinação. Isso é particularmen- 93%. Esse avanço no provimento do acesso à escola
te verdadeiro no contexto atual, em que o Brasil vem não é desprezível e deve ser celebrado. No entanto,
gradativamente reaprendendo a crescer em ritmo mais persistem graves problemas de fluxo, ou seja, de repe-
acelerado. Contudo, não podemos cometer o mesmo tência e não conclusão do ensino fundamental, além
erro do passado, em que o crescimento econômico de uma situação francamente insatisfatória no que
foi visto como o único aspecto de relevo dentro de um diz respeito à qualidade do desempenho exibido por
projeto abrangente e duradouro de desenvolvimento nossos estudantes.
econômico-social. A taxa de aprovação média no ensino fundamen-
Sem dúvida, é preciso que fique claro que, sem tal brasileiro é de apenas 83%. É como se cada crian-
crescimento econômico, não se pode falar em desen- ça precisasse não de 1 ano, mas de 1 ano, 2 meses
volvimento, ou seja, o crescimento econômico é uma e 12 dias para cursar cada série, o que faz com que
precondição do desenvolvimento. Por isso, devemos ela conclua o ensino fundamental com um atraso de
sempre ter em mente a necessidade de elevar as taxas 1 ano, 7 meses e 6 dias.
de crescimento do PIB e do PIB per capita. Por outro O resultado disso, Sr. Presidente, Sras. e Srs.
lado, porém, é preciso que fique igualmente claro que ­Deputados, é que, segundo dados da Pesquisa Na-
o desenvolvimento econômico-social é muito mais que cional por Amostra de Domicílios de 2007, a última
somente crescimento econômico, é um projeto consis- divulgada, aos 16 anos de idade, apenas 61% dos
tente de qualidade de vida para todos os cidadãos. jovens concluíram a 8ª série ou o 9º ano do ensino
O fato é que o País pagou preço altíssimo na fundamental, quando o desejável seria um índice bem
área educacional, em decorrência do longo período de maior já aos 14 anos.
crescimento econômico em que não priorizou a educa- É verdade que uma pequena parcela dos jovens
ção, combinado com o período seguinte, em especial ainda consegue concluir o ensino fundamental após
a década de 1980, conhecida como a década perdida, os 16 anos; porém, aos 25 anos de idade, é enorme
devido aos vários anos em que a economia nacional a proporção dos brasileiros que ainda não concluíram
se manteve estagnada. essa etapa dos estudos. Nada menos, nobres colegas,
Assim, num primeiro período, em razão do óti- que um percentual de 28%.
mo desempenho econômico do País, tivemos as pre- A repetência é grave em si mesma, entretanto,
condições indispensáveis para investir fortemente em ela é ainda mais nociva porquanto atua como mais um
educação e, lamentavelmente, optamos por não fazer fator a pressionar no sentido da evasão escolar, que,
esse investimento. No período seguinte, sequer tínha- se é verdade que recuou de uma taxa de 12,8%, em
mos as precondições para fazer esse investimento. Isso 1997, ainda resiste em torno dos 5%, durante o ensi-
determinou, ­Deputado Marcondes Gadelha, que sub- no fundamental.
mergíssemos em um longo sono educacional, do qual Desse modo, em termos de objetivos puramen-
só começamos a acordar há pouco mais de 15 anos. te quantitativos, a conquista do acesso praticamente
Esse período coincide com a implantação do Pla- universal ao ensino fundamental das crianças de 7 a
no Real e a estabilização monetária, que melhorou as 14 anos, com a ressalva de que recentemente o ano
possibilidades de gestão macroeconômica e, em virtude de entrada na escola passou a ser de 6 anos, é par-
disso, as possibilidades de se fazerem investimentos cialmente ofuscada pelo fato de que a universalização
continuados em educação, embora o viés monetarista da conclusão do ensino fundamental permanece como
que norteou o plano tenha condenado o País a taxas meta, por ora, distante de haver sido cumprida.
bastante acanhadas de crescimento econômico, o que Concedo, com muito prazer, o aparte ao ­Deputado
restringiu enormemente a capacidade de o Estado Marcondes Gadelha.
brasileiro investir em educação. O Sr. Marcondes Gadelha – Nobre ­Deputado
O objetivo que o País se propôs a realizar durante Rodrigo Rollemberg, quero louvar a preocupação de
boa parte da década de 1990 e início da década atual V.Exa. com a universalização e a qualidade do ensino
foi a universalização do acesso das crianças ao ensino no País. Nós vivemos em uma sociedade da informa-
fundamental. Durante o Governo do Presidente Fer- ção, nós vivemos o fastígio do conhecimento. E a edu-
nando Henrique Cardoso, foram obtidos importantes cação de base é fundamental para que nós tenhamos
avanços nessa área, ampliados a partir do Governo uma sociedade próspera e alguma competitividade no
do Presidente Lula. País. Hoje em dia, nobre ­Deputado Rodrigo Rollem-
Hoje, pode-se dizer que aproximadamente 98% berg, nenhum economista sério deixa de colocar, nos
das crianças brasileiras entre 7 e 14 anos estão na es- seus cálculos econométricos, um coeficiente para o
cola. Em 1995, esse índice correspondia a menos de nível de aculturamento geral da população. Hoje, o
51440  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

conhecimento é mais importante do que os recursos Inclusão Social do Ministério da Ciência e Tecnologia,
naturais, é mais importante do que o capital físico ao implementamos, junto com o Instituto Nacional de Ma-
qual estamos habituados. A prova disso é o caso da temática Pura e Aplicada, em parceria com o Ministério
Alemanha e do Japão, que foram arrasados na 2ª Guer- da Educação, a Olimpíada Brasileira de Matemática
ra Mundial. Lá, onde, depois do holocausto, não ficou das Escolas Públicas, que, salvo engano, já está na
mais do que um amontoado de tarugos fumegantes, sua quinta edição e reúne mais de 18 milhões de alu-
hoje se ergue uma civilização exemplar, graças à ca- nos de escolas públicas em todo o País.
pacidade de construir e de aspirar da população, ou Tomo como exemplo os testes do Programa In-
seja, graças ao nível geral de aculturamento, posicio- ternacional de Avaliação de Alunos, conhecido pela
nando‑os acima da maioria dos países vencedores, sigla PISA, realizados a cada 3 anos pela Organiza-
inclusive o Brasil. Temos o caso dramático da Coreia ção para a Cooperação e o Desenvolvimento Econô-
do Sul, que reverteu a sua posição no ranking mundial mico, em Matemática, Leitura e Ciências, envolvendo
do Produto Interno Bruto, mesmo comparativamente estudantes de 15 anos, portanto, recém-egressos do
ao Brasil, também pelo empenho em dar qualidade de ensino fundamental ou ciclos correspondentes a ele
ensino. V.Exa. está na trilha certa em chamar a aten- em cada país. Neles, a performance dos jovens bra-
ção deste País, em chamar a atenção do Governo e sileiros é alarmante. Os testes de 2006, por exemplo,
do Congresso para esse ponto que é fundamental e foram realizados com jovens de 57 países, dos quais
decisivo para o futuro do Brasil. 30 são membros da OCDE, instituição que reúne basi-
O SR. RODRIGO ROLLEMBERG – Agrade- camente países com altos níveis de renda per capita, e
ço, ­Deputado Marcondes Gadelha, as suas palavras, 27 são países convidados, a maioria deles com níveis
acolho-as no meu pronunciamento. Honra-me muito de renda média, como é o caso do Brasil.
o aparte de V.Exa., que é um brilhante ­Deputado e Em Matemática, para que V.Exas. tenham uma
que orgulha a bancada do Partido Socialista Brasilei-
ideia, no universo dos 57 países, o Brasil ficou com a
ro nesta Casa.
54ª colocação; em Leitura, nossa colocação foi a 49ª;
Continuando, não menciono esses dados, Sr.
em Ciências, a 52ª.
Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, por um apego
Nas 3 disciplinas, ficamos abaixo de países cujas
peculiar, que certamente não tenho, ao lado negativo
rendas per capita não diferem muito da nossa, seja
da realidade. Meu desejo é única e exclusivamente con-
para cima, seja para baixo. Desse modo, o fato de, no
tribuir para um maior conhecimento da nossa situação
teste de Matemática, países como Jordânia, Indoné-
educacional, para que, com base nesse conhecimento,
sia, México, Chile, Bulgária, Romênia, Tailândia, Tur-
possamos empreender a necessária mobilização da
sociedade brasileira no sentido da reversão de seus quia, Uruguai e Azerbaijão terem obtido resultados
aspectos mais preocupantes. mais expressivos que o nosso deve ser fruto de um
Ainda em relação ao ensino fundamental, produtivo desconforto, de um incômodo agudo que
­Deputado Marcio Junqueira, uma análise da qualida- nos leve à ação.
de do desempenho dos nossos alunos não deve nos Nossos cuidados com a educação básica certa-
causar menos apreensão. Segundo informações do mente não devem se restringir ao ensino fundamen-
Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica, tal. Há ainda todo o período da infância anterior ao
que realiza exames padronizados por amostragem em ingresso na escola, correspondente aos anos em que
Língua Portuguesa e Matemática com as crianças con- a criança se mantém somente no convívio familiar ou
cluintes da 4ª e da 8ª séries do ensino fundamental em combina esse convívio com o acesso às creches e
escolas de todo o País, apenas 28% dos alunos da 4ª outras instituições pré-escolares. Há também o ensino
série e 21% dos alunos da 8ª série tiveram, em Língua médio. Numa e noutra fase, a situação constatada não
Portuguesa, desempenho compatível com sua série, no é melhor que a do ensino fundamental.
ano de 2007; segundo a mesma fonte, em Matemática, Hoje há um consenso mundial em torno da ne-
apenas 24% dos alunos da 4ª série e 14% dos alunos cessidade de se adotar uma concepção continuada
da 8ª série apresentaram rendimento adequado a sua de educação. Essa concepção implica que os estudos
série. Essa dura realidade, Sr. Presidente, Sras. e Srs. devem prosseguir mesmo após a conclusão dos ciclos
Parlamentares, manifesta-se nos testes internacionais, educacionais formais. Assim, cada vez mais fica cla-
quando o desempenho dos nossos alunos é confron- ro, especialmente com o avanço da proeminência do
tado com o de alunos de outros países. conhecimento como valor e como fator de desenvolvi-
Quero fazer um parêntese aqui para registrar mento econômico-social, que estudar é uma atividade
que, como Secretário de Ciência e Tecnologia para a a ser empreendida durante toda a vida.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51441 

Uma conclusão óbvia dessa premissa, da qual, que a justiça social deve ser compreendida como con-
entretanto, as pessoas nem sempre se dão conta, é quista a ser buscada com absoluta prioridade e como
que as atividades intelectuais, tomadas aqui em senti- valor perene do Estado e da sociedade brasileira.
do genérico, e portanto o desenvolvimento cognitivo e No caso da Educação, a oferta de creches que
intelectual, têm seu início com o início da própria vida. primem não somente pelo cuidado assistencial, mas
O bebê, ainda no ventre materno, já interage de formas também por uma atuação pedagógica qualificada e
múltiplas com a mãe e com o ambiente circundante. Ao profícua deve ser ampliada com vistas também à uni-
longo dos primeiros anos de vida, o desenvolvimento versalização do acesso. Além disso, é necessário im-
de cada criança alcança um patamar específico, con- plementar políticas públicas voltadas ao aumento da
forme tenham sido mais ou menos frequentes e ade- capacidade dos pais menos favorecidos de oferecer
quados os estímulos oferecidos pelo meio familiar e aos seus filhos, desde o período da gestação, os estí-
social. Há muito tempo é sabido, e as pesquisas não mulos e situações mais adequadas a um bom desen-
cessam de confirmar, que pais mais instruídos, mais volvimento intelectual.
prósperos e mais participativos são capazes de ofe- Na outra ponta da educação básica, ou seja, no
recer à criança uma gestação e uma primeira infância ensino médio, há igualmente um longo caminho a per-
muito mais propícias a uma boa formação intelectual correr. É nessa fase que a evasão atinge seus níveis
do que pais menos instruídos, menos prósperos e, mais elevados. Muitos alunos abandonam a escola du-
devido às agruras de sua condição econômico-social, rante o ensino médio, porque suas famílias enfrentam
menos participativos. constrangimentos financeiros; há também outra razão:
Estudos revelam que as bases do desempenho em um país que, desde 2006, vem reaprendendo a cres-
escolar dos pré-adolescentes oriundos de famílias mais cer de modo mais acelerado, as ofertas de trabalho se
bem-sucedidas, que em média obtêm resultados supe- multiplicam e se tornam bastante tentadoras, ao menos
riores àqueles obtidos pelos pré-adolescentes oriundos na visão compreensivelmente imediatista de um jovem
de famílias carentes, são construídas quase inteiramente que ignora os efeitos positivos de longo prazo do estudo
não em virtude dos anos em que frequentaram a sala de sobre a empregabilidade e a renda; há também aqueles
aula, entre os 6 e os 13 anos de idade, mas sim da vida que se evadem da escola porque, muitas vezes, o ensino
que levaram durante a faixa etária de 0 a 6 anos, ou seja, carece de qualidade e atratividade mínimas.
no período que antecede o seu ingresso na escola. O fato é que precisamos descobrir novas formas
Nesse sentido, são dignas dos maiores elogios de demover os jovens de abandonar o ensino médio.
as medidas adotadas pelo Governo Lula que visam Há divergência entre os estudiosos, em razão de dife-
ao combate à pobreza e à redução das desigualdades rentes metodologias adotadas, acerca dos incrementos
sociais, com destaque para o incremento continuado de renda proporcionados a cada ano a mais de estudo.
dos programas sociais e o aumento real do poder de Os cálculos mais modestos, no entanto, asseveram que,
compra do salário mínimo. Os próximos Governos, para cada ano de estudo formal, há um aumento médio
­Deputado Márcio Junqueira, sob pena de aprofundar de 8% na renda do trabalhador. As pesquisas também
as disparidades sociais e educacionais, não poderão indicam que, em nosso País e na maior parte do mun-
recuar desse caminho. do, a educação é, de cada fator tomado isoladamente,
Nosso companheiro de partido, o ­Deputado Fede- a que mais explica as desigualdades de renda.
ral Ciro Gomes, vem alertando para a necessidade de Ainda acerca dos impactos trabalhistas da edu-
elevar as políticas sociais do Governo atual ao status de cação, em 2007, a taxa de ocupação média de uma
políticas de Estado, de forma a barrar eventuais iniciati- pessoa considerada analfabeta era de 59,8%; de uma
vas de governos futuros que atentem contra o vigor e a pessoa com ensino fundamental, de 63,8%; com en-
amplitude da responsabilidade social do Estado brasileiro. sino médio, 68,4%; com ensino superior, 78,6%; com
Se qualquer modificação tiver de ser feita nesse campo, pós-graduação, 86,3%. Em média, o salário de uma
que seja no sentido de aperfeiçoar e ampliar o poder das pessoa com pós‑graduação, em comparação com uma
políticas públicas para promover a equidade. pessoa considerada analfabeta, é 544% superior.
Ontem, em entrevista publicada no jornal Valor Para além dos resultados profissionais altamente
Econômico, o próprio Presidente Lula deixou claro positivos que proporciona, a educação é também um
que pretende deixar como um dos principais legados poderoso fator de saúde individual. A esse respeito,
de seus 2 mandatos uma consolidação das leis sociais todos os estudos apontam que, quanto mais anos de
brasileiras, firmando um entendimento, marcante em estudos tem uma pessoa, mais ela é capaz de desem-
toda a sua trajetória de líder político e de estadista, de penhar a contento o autocuidado em saúde.
51442  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Convencer e ajudar os jovens a permanecer Essa me parece uma concepção de gestão que veio
mais tempo na escola é igualmente uma maneira de para ficar, como parte da trajetória de construção de
cultivar um ambiente melhor para todos. Também não uma educação básica que se empenha não somente
há dúvidas de que pessoas com mais anos de estudo em garantir o acesso integral à escola e a universali-
tendem menos à criminalidade, sobretudo à crimina- zação da conclusão de todas as suas fases, da pré-
lidade mais violenta, e manifestam em média muito escola ao último ano do ensino médio, mas também
maior propensão a comportamentos socialmente mais pela elevação da qualidade da performance intelectual
refinados, baseados no diálogo e na tolerância, a par dos estudantes brasileiros, que, como vimos, está mui-
de uma cultura política mais republicana, uma vez que to aquém daquela exibida por outros países, inclusive
mais dispostas a defender uma ordem democrática e uma série de países de renda per capita mais ou me-
pluralista e tendente à rejeição de práticas abusivas, nos equivalente à nossa.
como a censura e a corrupção. Minha segunda saudação se dirige ao Ministro da
É preciso ponderar o papel que, nesse contex- Educação, Fernando Haddad, pelo foco na qualidade
to, desempenham os baixos salários pagos aos pro- da educação, que tem orientado sua gestão à frente
fessores em nosso País. O professor é, do ponto de do MEC. Prova disso é o início da reversão da tendên-
vista do imaginário social, o portador, por excelência, cia de queda no desempenho de nossos alunos da
do conhecimento filosófico, científico e tecnicamente educação básica, fenômeno que vinha se verificando
mais confiável. Ao mesmo tempo, a imagem do bom desde fins da década de 1990. Hoje o Brasil conta com
professor é a de um abnegado, um quase sacerdote, um índice de avaliação de resultados educacionais, o
alguém que trabalha muito mais em função de um ide- Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, que
al social e altruísta do que de retornos financeiros e provê a avaliação, acompanhada da divulgação da
materiais individuais. Devido a tudo isso, é presumível
mesma, para cada município e escola, dos resultados,
que o jovem interprete, equivocadamente, diga-se de
em termos de desempenho em testes padronizados e
passagem, que, na nossa sociedade, o conhecimen-
percentuais de aprovação. Menção especial merece o
to não é recompensado, uma vez que ele tem diante
Plano de Desenvolvimento da Educação, lançado pelo
de si, todos os dias, na sala de aula, alguém que em-
MEC em 2007, cuja ousada meta é atingir o mesmo
preendeu esforços especialmente árduos para obter
desempenho exibido em 2003 pelos estudantes dos
um alto grau de qualificação e, no entanto, não obtém
países membros da OCDE.
uma remuneração, na maior parte das vezes, minima-
Por fim, quero parabenizar os membros desta Casa,
mente razoável.
que, na última quarta‑feira, aprovaram em primeiro turno a
Em certas atividades, como o magistério e a do-
cência, e em boa parte dos setores responsáveis pela proposta de emenda à Constituição, de autoria da Sena-
pesquisa e a produção do conhecimento em geral, a dora Ideli Salvatti, que, além restabelecer a revinculação
qualificação intelectual é, de fato, mal recompensada. gradativa, a ser finalizada em 2011, dos recursos desti-
Isso é sem dúvida uma distorção que precisa ser corri- nados à educação, torna obrigatória a universalização do
gida, sob pena de continuarmos a banir do ensino e da ensino público e gratuito para as crianças e jovens dos 4
pesquisa parcela considerável de nossos profissionais aos 17 anos, a ser alcançada até 2016.
mais talentosos. No entanto, o que predomina no merca- Com essas palavras, concluo meu pronunciamen-
do de trabalho são, como já expus anteriormente, mais to dizendo que esta Casa terá uma oportunidade ímpar
vagas e melhores salários para os mais educados. ao analisar os 4 projetos do pré-sal. De forma muito
Quero, Sr. Presidente, Sras. e Srs. ­Deputados, especial, ressalto o relativo à Comissão que presido,
encerrar estas considerações de caráter preliminar que cria o fundo social para os recursos do pré-sal, a
sobre a situação atual e os desafios da educação bá- fim de que sejam investidos prioritariamente em edu-
sica no Brasil, com 3 breves saudações: em primeiro cação, ciência e tecnologia.
lugar, ao Governador de Pernambuco e Presidente do Teremos uma oportunidade histórica de inserir
nosso partido, Eduardo Campos, pelo trabalho em prol diferencialmente o País no cenário mundial e redu-
da qualidade do ensino e da valorização dos profissio- zir substancialmente nossas desigualdades sociais e
nais de educação que vem realizando em seu Esta- regionais, com fortíssimo investimento em educação
do. Em Pernambuco, ganham melhor os profissionais de qualidade.
cujos alunos são mais bem-sucedidos em exames que Muito obrigado, Sr. Presidente.
avaliam de forma combinada o desempenho intelectu- O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) – Apre-
al em testes padronizados e os índices de aprovação. sentação de proposições.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51443 
51444  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51445 
51446  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51447 
51448  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51449 
51450  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) – Vai-se maneira se pode, individual, coletiva ou grupalmente,
passar ao horário de participar desse evento, que vai formar uma grande
corrente para demonstrar aos nossos dirigentes, aos
VI – COMUNICAÇÕES PARLAMENTARES
líderes mundiais, que todos estamos atentos a essa
­Deputado Raul Jungmann, tendo em vista que Conferência de Copenhague, que visa justamente
V.Exa. está inscrito para falar tanto pela Liderança quan- substituir o acordo anterior, conhecido como Proto-
to no período de Comunicações Parlamentares, con- colo de Kyoto.
sulto V.Exa. sobre se podemos unir o tempo, podendo Sr. Presidente, no caso específico do Brasil, apro-
o ­Deputado dispor do tempo que for necessário. veito para lembrar ao Presidente Lula, às nossas au-
O SR. RAUL JUNGMANN – Sim, essa é a nossa toridades e à nossa diplomacia que este País precisa
pretensão, Sr. Presidente, se V.Exa. nos permitir, como avançar nesse tema. O Brasil precisa assumir metas
democrata que é. e compromissos, precisa descolar-se da posição que
O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) – Então, até aqui tem tido, ao lado da Índia e da China, de en-
concederei a palavra ao ­Deputado Raul Jungmann, com tender que países em desenvolvimento não teriam as
muito prazer, nesta manhã de hoje. S.Exa., que repre- mesmas obrigações ou as mesmas responsabilidades
senta tão bem o Estado de Pernambuco, já foi Ministro, que os países desenvolvidos. Aliás, eu concordo com
conhece o nosso País, com certeza irá, desta tribuna, isso, mas nós temos responsabilidades e temos de
prestar informações importantes para o Brasil. procurar efetivamente assumi-las.
Concedo a palavra ao ilustre ­Deputado Raul O segundo ponto que me traz aqui hoje, Sr. Pre-
Jungmann, pelo PPS pernambucano.
sidente, é a questão da poupança. Hoje, ao que tudo
O SR. RAUL JUNGMANN (PPS-PE e Como Lí-
indica, o Governo deve enviar ao Congresso Nacional
der. Sem revisão do orador.) – Sr. Presidente, ­Deputado
não sei bem se uma medida provisória ou um projeto
Marcio Junqueira, em primeiro lugar, gostaria de agra-
de lei que visa taxar a poupança.
decer as palavras generosas com que V.Exa. nos dis-
Tenho lembrado sempre o mau exemplo histórico
tingue esta manhã. Justiça seja feita: não apenas esta
do Presidente Collor, que sequestrou a poupança. O
manhã e não apenas conosco, mas com os demais
Presidente Lula não vai fazê-lo. Comprometeu-se a não
colegas. V.Exa. tem pautado a sua ação e o seu re-
mexer na poupança, mas vai mexer. E vai fazê-lo de
lacionamento pela generosidade, como também pela
uma maneira que entendo perversa. Por quê? Porque
operosidade na defesa dos interesses do querido Es-
se definiu uma espécie de ponto de corte. Quem tem
tado de Roraima.
O primeiro assunto que nos traz hoje pela manhã acima de 50 mil reais vai ser taxado com uma alíquota
a esta tribuna é uma conclamação. Quero fazer uma bastante elevada: 22,5%.
chamada a todos. Diz-se o seguinte: “Ora, quem tem mais de 50 mil
Na próxima segunda-feira, pela manhã, haverá reais é rico”. Cinquenta mil reais e é rico. Na verdade,
um evento mundial denominado Hora de Acordar Glo- quem passou a vida inteira suando, trabalhando, dando
bal. Ele tem a ver com a mobilização em todo o mun- duro para juntar essa quantia, formou um pé-de-meia
do em prol do estabelecimento de metas, na próxima para as vicissitudes do destino, um problema que possa
conferência da ONU, em Copenhague, a respeito das acontecer. Diria até que isso funciona, para uma parte
mudanças climáticas, o que tanto nos preocupa. da nossa população, como uma espécie de previdên-
As mudanças climáticas não são uma questão de cia, como um complemento de renda, quando não para
brasileiros, uruguaios, dinamarqueses, alemães, suecos, alguma emergência que acontece com os familiares
espanhóis ou estadunidenses, mas de toda a humani- daquele que é detentor desses recursos.
dade. Pelos estudos a que temos acesso, hoje sabemos Se formos observar, vamos encontrar nesse pa-
que estamos vivendo um processo de desequilíbrio das tamar idosos, aposentados, assalariados, pensionistas
relações e do próprio sistema da natureza como um todo, e trabalhadores. São aproximadamente 1 milhão de
e isso coloca em risco a própria humanidade. brasileiros, que terão de recolher 1 bilhão a mais em
Então, vamos estar incorporados a essa ativida- impostos. Isso é justo? Por que não taxar, por exemplo,
de. Serão mais de mil eventos em todo o mundo. As o sistema financeiro? Nada contra a existência do sis-
principais Capitais, cidades e países estarão envolvi- tema financeiro, que fique bem claro isso, não é essa
dos. E quem quiser tomar parte, saber se algo já está a posição. Mas o nosso sistema financeiro tem ganho
previsto para a sua cidade, para o seu Estado, deve tanto na crise quanto no pico de desenvolvimento. Ga-
entrar na Internet e digitar “Hora de Acordar”. Assim nha sempre. E dentro do sistema financeiro, os bancos
ficará sabendo o que existe em seu entorno e de que são as entidades que mais lucram em todo o mundo, até
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51451 

hoje, sobretudo – praticamente com risco zero – com ram um percurso bastante tortuoso em 2004, quando
os títulos da dívida pública do Governo Federal. o Presidente Lula os baniu. Agora, eles voltam, e vol-
Vejam bem, essa medida, de um lado, não atinge tam com a promessa algo dourada de que uma parte
a lucratividade extraordinária dos bancos e do sistema da sua arrecadação irá para a cultura, para a saúde,
financeiro e, de outra parte, vai taxar os que trabalha- para os Estados. O problema não é esse. O problema
ram a vida inteira para juntar um pequeno pé-de-meia é que, geralmente, os bingos trazem no seu rastro um
para as necessidades, para alguma emergência ou até conjunto de atividades ilegais, um conjunto de ativida-
mesmo para a velhice. des muitas vezes ligadas ao crime e à criminalidade.
Nesse sentido, ­Deputado Marcio Junqueira, quero Isso, efetivamente, faz com que a minha posição seja
dizer que nós, do meu partido, o PPS, e as Oposições contrária à sua instituição.
vamos efetivamente tentar, tanto aqui no Congresso Alega-se que ele tem um benefício social, que ele
Nacional como também, se necessário for, na Justiça, pode contribuir gerando emprego, gerando renda. Ora, e
barrar essa enorme indignidade que alcança um con- a contrapartida para a sociedade? Não seria melhor se
junto de brasileiros que trabalharam a vida toda para tivéssemos outras atividades, outras possibilidade que não
poder, em idade avançada, dispor de algum conforto, essa? Como disse o Parlamentar José Eduardo Cardozo,
de alguma segurança. que, se não me engano, é Secretário-Geral do Partido dos
Outro assunto que me traz a esta tribuna diz res- Trabalhadores e candidato a Presidente do PT, na verda-
peito à recente aprovação de uma chamada reforma de, esse projeto parece ter sido delineado para satisfazer
eleitoral. os donos, e não os trabalhadores dos bingos e dessas
Eu acho, em primeiro lugar, que nós todos fica- atividades caça-níqueis.
mos frustrados, porque esperávamos uma real reforma Passo ao penúltimo assunto que me trouxe a esta
político-eleitoral, que viesse a permitir uma maior repre- tribuna, Sr. Presidente: mais uma vez, a questão das
sentação, uma representação mais republicana e um compras da defesa. Hoje, estamos vendo de novo nos
maior controle sobretudo do representante no que diz jornais esse tema em debate, e quero chamar atenção
respeito aos seus representados, uma maior eficácia, para 3 coisas.
uma maior eficiência e a transparência desta Casa, ou Em primeiro lugar, talvez o Brasil esteja vivendo a
seja, do Congresso Nacional. Isso não aconteceu. sua maior transformação na área da defesa nos últimos
Nesse sentido, ­Deputado Marcio Junqueira, es- 50 anos, e isso pouco se discute. Ficamos discutindo só
tamos apresentando 2 projetos. O primeiro projeto que compras, que, evidentemente, têm que ser debatidas.
apresento hoje visa obrigar os partidos a enviar, a cada Recordo-me, Marcio, que anteriormente, no Go-
2 meses, todo o seu gasto referente ao fundo partidá- verno Fernando Henrique, tivemos o projeto SIVAM/
rio ao Tribunal Superior Eleitoral, que os disponibilizará SIPAM – lembra-se? Pois bem, a certa altura tivemos
on-line, em tempo real, para toda a cidadania. a mesma turbulência, os mesmos boatos, as mesmas
Hoje, os fundos partidários já alcançam a soma questões sendo levantadas no sentido de que havia
de aproximadamente 200 milhões de reais/ano. São lobby, interesses escusos etc.
recursos públicos que precisam ser devidamente con- Isso me leva à primeira das reflexões. Não temos,
trolados pelo eleitor-cidadão-contribuinte, que, eviden- ao contrário do que existe em outros países – andei
temente, tem essa prerrogativa. estudando o que ocorre nos Estados Unidos, na In-
Lembro que hoje a transparência tem avançado não glaterra, na Espanha e mesmo na Índia, que tem um
apenas no que diz respeito a esta Casa, mas no que diz regime parlamentarista –, um sistema de compras
respeito ao Executivo. Essa também é uma forma de de- onde, quando se passa do nível técnico para a decisão
mocratizar hoje as burocracias partidárias, que, de posse política, não existam debilidades, isto é, seja institu-
desses recursos e podendo muitas vezes distribuí‑los e cionalizado e não fique exposto, tal como ficamos nós
alocá-los ao seu bel-prazer, efetivamente se perpetuam quando da aquisição do SIVAM/SIPAM, como estamos
e muitas vezes esmagam qualquer tipo de possibilidade agora e como ficamos no Governo Fernando Henrique,
de oposição, de mudança. Enfim, é uma redução, um es- quando do Projeto FX-2, que é o mesmo desses caças
treitamento da nossa vida democrática. que hoje estão novamente em foco.
Um outro assunto também é a recente aprovação, Portanto, não temos a necessária institucionaliza-
pela Comissão de Constituição e Justiça, do retorno ção. Por quê? Porque no nosso hiperpresidencialismo,
dos bingos e das chamadas máquinas caça-níqueis. fruto da Carta Constitucional que temos, a política de
Vejam bem: não se trata aqui se satanizar nenhu- defesa no Brasil fica como uma política de Governo,
ma atividade. Os chamados jogos de azar, dentre eles não como uma política de Estado. E como se faz a
os bingos e caça-níqueis, proibidos desde 1941, tive- passagem de uma política de Governo para uma po-
51452  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

lítica de Estado? Engajando o Parlamento, engajando a equipamentos, armas, sistemas etc.; neste mundo
o Congresso Nacional. onde o Brasil tem crescido sua posição e tem seus
Na Inglaterra e na França, para citar 2 exemplos, ativos, seu patrimônio – como é o caso específico do
o Congresso participa de todas as fases: processo de pré-sal, da biodiversidade, da Amazônia e da terra natal
escolha, processo licitatório, enfim, participa da tota- de V.Exa. –, está a demandar que nosso País ajuste
lidade do processo. Aqui não temos isso, não temos seu sistema de defesa à sua projeção.
essa participação. Uma outra coisa, ­Deputado Marcio Junqueira,
Acredito que essa política de defesa está no rumo para a qual gostaria de chamar a atenção é o seguinte:
certo, embora eu seja da Oposição. Essa política de de- fala-se que o Brasil tem que ter lugar no Conselho de
fesa está efetivamente no rumo certo. Mas ela precisa Segurança na ONU para assumir o seu papel – e de
ter um arcabouço de Estado, para que não apresente certa forma o seu destino – de ser uma potência regio-
essas debilidades e essas discussões. nal cada vez mais de projeção global. Muito bem, mas
Evidentemente, o Congresso tem que fazer sua par- assumir uma responsabilidade no Conselho Permanen-
te. O Congresso não tem manifestado muita apetência, te da ONU é ter não apenas bônus. A elite brasileira
para dizer o mínimo, para discutir assuntos de defesa, seja olha como se isso fosse apenas uma caixa de Pandora,
porque não dá voto, seja porque, muitas vezes, não traz como se tal fato propiciasse apenas um conjunto de
um retorno político imediato. Mas se o Brasil quer ser uma benefícios a serem obtidos. Mas essa mesma elite se
potência, se quer ter um lugar no Conselho Permanente esquece de que existem também responsabilidades
de Segurança da ONU, será absolutamente inevitável que e riscos, dentre eles cito o fato de que, quando se vai
nós robusteçamos nosso sistema de defesa. Portanto, que arbitrar no Conselho de Segurança da ONU grandes
o façamos de modo democrático! conflitos globais ou internacionais – como, por exem-
Nesse sentido, lembro-me da última vez que nós plo, o que opõe árabes e israelenses, Estados Unidos
tivemos não digo uma estratégia nacional de defesa, e Iraque, apenas para ficar em 2 exemplos –, deve-se
mas uma doutrina robusta, que de certa forma enga- ter presente a possibilidade de retaliações. E um dos
java os militares dentro de uma concepção mais glo- instrumentos nesse jogo global entre potências e con-
bal, mas ela se extinguiu em 1989, com a Doutrina de flitos globais é exatamente a maldição do terrorismo.
Segurança Nacional. O Brasil hoje não se encontra, ­Deputado Marcio
De lá para cá, tivemos uma grande mudança, Junqueira, tenha a absoluta certeza, preparado para
que se deu no Governo Fernando Henrique Cardoso: isso. Ele quer chegar, vê bônus, mas não percebe o
o Ministério da Defesa; tivemos diretrizes nacionais ônus, ou não quer discuti-lo. E esse é apenas um dos
voltadas para a defesa, em 1997 – se não me engano riscos que temos pela frente e que temos que efetiva-
–, que o Presidente Lula atualizou em 2004. Mas nós mente enfrentar.
não tivemos, na verdade, um papel claro, definido e Nós não temos legislação adequada para a ques-
estruturado para os militares da defesa, vis-à-vis a tão do terror; não temos uma hierarquia de comando
Nação como um todo. claro; a autoridade antiterror que, inclusive, o Governo
Nesse sentido, a estratégia nacional de defesa Lula ficou de criar não foi criada, e esse é um tema
que aí está vem suprir essa lacuna, porque reestru- maldito que não pode ser discutido.
tura largamente o setor e dá efetivamente um papel Enquanto isso, elevam-se os riscos, frutos da nossa
para as Forças Armadas e também para a defesa projeção e que têm a ver evidentemente com esse mun-
brasileira. Que papel é esse? O de ser um escudo do do muito mais turbulento que sucedeu àquele da divisão
desenvolvimento. global, da guerra fria, que nos engessava e efetivamente
Se prestarmos atenção, veremos que países como não nos deixa saudade, porém, ao mesmo tempo torna
Índia, China e Rússia têm a sua robustez em termos esse mundo muito mais instável, mais perigoso.
de defesa, embora seja verdade que o entorno desses Para concluir, porque não quero abusar da gene-
países – seja da Índia com o Paquistão; seja da China rosidade do Presidente e amigo, gostaria de dizer que
com seus conflitos, tanto internos como externos; seja apresentei recentemente um requerimento no sentido
da Rússia, que hoje tem um entorno bastante adver- de melhor engajar este Congresso Nacional na ques-
so, fruto do desmanche da União das Repúblicas So- tão da defesa, para que fosse enviado pelo Executivo
cialistas Soviéticas – apresentem problemas que não o Livro Branco da Defesa Nacional.
temos. Mas, evidentemente, neste mundo que hoje é Já que o ideal seria que a estratégia nacional
cada vez mais, num certo sentido, dado a rupturas, a de defesa fosse aqui discutida, votada e aprovada,
mudanças; neste mundo onde a tecnologia tem inclu- transformando-se de política de Governo em política
sive operado enormes mudanças no que diz respeito efetivamente de Estado – e não apenas por isso, mas
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51453 

essencialmente por isso também –, que ao menos ti- Parabéns, ­Deputado Raul Jungmann! Para nós
véssemos, a exemplo do que existe no Chile, na Espa- foi um prazer ter a oportunidade de ouvir o pronuncia-
nha e na Argentina, o Livro Branco da Defesa Nacional, mento de V.Exa.
mostrando as nossas preocupações, responsabilida-
VII – ENCERRAMENTO
des, os nossos vetores e as nossas estratégia, para
que todos possam deles saber e se possa reduzir esse O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) – Nada
clima de tensão atual. mais havendo a tratar, vou encerrar a sessão, lembran-
Um editorial do jornal Folha de S.Paulo traz um novo do que hoje, sexta-feira, dia 18, às 15h, haverá sessão
solene em homenagem ao Dia Nacional do Garimpei-
fiasco, mostrando que a Colômbia, no âmbito da UNASUL,
ro e, na segunda-feira, dia 21, às 10h, haverá sessão
na reunião dos Ministros de Defesa, não se dispôs a, di-
solene em homenagem aos 174 anos da Revolução
gamos assim, abrir o jogo com relação aos seus acordos
Farroupilha.
com os Estados Unidos. Também o Presidente Chaves
O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) –
acaba de fechar novo acordo com a Rússia.
E assim segue essa espiral, infelizmente, que Encerro a sessão, convocando para se-
pode abrir uma corrida armamentista. Isso não ocorreu, gunda-feira, dia 21, às 14h, sessão ordinária
mas pode desembocar nisso. E são países próximos da Câmara dos ­Deputados.
do Estado de Roraima, portanto, V.Exa. está bastante AVISOS
próximo dessa zona quente.
Concluo, Sr. Presidente, voltando ao tema da po- PROPOSIÇÕES EM FASE DE
lítica. Estou também elaborando um projeto de emen- RECEBIMENTO DE EMENDAS OU RECURSOS
da à Constituição – inclusive, vou submetê-lo a V.Exa.
e aos demais colegas – propondo que, no próximo II – RECURSOS
pleito de 2010, haja um plebiscito para que a popu-
1. CONTRA APRECIAÇÃO CONCLUSIVA DE CO-
lação brasileira decida sobre a necessidade ou não MISSÃO – ART. 24, II, DO RICD
de ampla reforma do capítulo constitucional sobre a INTERPOSIÇÃO DE RECURSO: art. 58, § 3º, c/c o
política, para que possamos ter um alinhamento, um art. 132, § 2º (PARECERES FAVORÁVEIS),
ajustamento, uma maior proximidade, uma maior con- ou com o art. 133 (PARECERES CONTRÁRIOS), to-
vergência entre os desejos dos brasileiros, que nós dos do RICD.
aqui representamos, e efetivamente o que fazemos Prazo para apresentação de recurso: 5 sessões (art.
em nossa prática política. 58, § 1º do RICD).
Sr. Presidente, despeço-me, mais uma vez dizen- 1.1 COM PARECERES FAVORÁVEIS
do da alegria e da honra de falar sob a sua Presidên-
cia, agradecendo penhoradamente a generosidade do PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO
tempo que nos foi concedido, desejando a todos um Nº 921/2008 (Comissão de Ciência e Tecnologia, Co-
bom fim de semana e lembrando que segunda-feira municação e Informática) – Aprova o ato que autoriza
é hora de acordar, é hora de se manifestar a favor de a Fundação Cultural, Recreativa e Assistencial São-
um sistema de produção, de um País, de um mundo mateuense a executar, pelo prazo de dez anos, sem
mais sintonizado com a natureza, sem a qual, efetiva- direito de exclusividade, serviço de radiodifusão co-
mente, não podemos pensar em continuar existindo. munitária no Município de São Mateus do Maranhão,
Segunda-feira é o dia de acordar para todos. Estado do Maranhão.
Muito obrigado, Sr. Presidente. Até a próxima. ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009
O SR. PRESIDENTE (Marcio Junqueira) – Que- Nº 1.404/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia,
remos reconhecer o brilhante pronunciamento do Comunicação e Informática) – Aprova o ato que au-
­Deputado Raul Jungmann. toriza a Associação Comunitária Beneficente Nossa
Assim como anunciamos, de fato, V.Exa. veio aqui Senhora da Conceição a executar, pelo prazo de dez
para falar à Nação brasileira, haja vista que hoje temos anos, sem direito de exclusividade, serviço de radio-
o advento da TV Câmara. E V.Exa. falou de questões difusão comunitária no Município de Itacajá, Estado
de suma importância para a sociedade brasileira, no do Tocantins.
sentido de que ela comece a discutir esses temas e, ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009
tal como destacado por V.Exa., perceba que está na Nº 1.425/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia, Co-
hora de acordar. municação e Informática) – Aprova o ato que autoriza a
51454  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Associação Comunitária Divino Pai Eterno a executar, Nº 1.629/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia,
pelo prazo de dez anos, sem direito de exclusividade, Comunicação e Informática) – Aprova o ato que auto-
serviço de radiodifusão comunitária no Município de riza a Associação de Prudente de Morais de Radiodi-
Taipas do Tocantins, Estado do Tocantins. fusão a executar, pelo prazo de dez anos, sem direito
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009 de exclusividade, serviço de radiodifusão comunitária
Nº 1.458/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia, Co- no Município de Prudente de Morais, Estado de Mi-
municação e Informática) – Aprova o ato que autoriza nas Gerais.
a Associação Comunitária dos Moradores do Centro DECURSO: 2a. SESSÃO
de Montezuma a executar, pelo prazo de dez anos, ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009
sem direito de exclusividade, serviço de radiodifusão Nº 1.636/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia,
comunitária no Município de Montezuma, Estado de Comunicação e Informática) – Aprova o ato que auto-
Minas Gerais. riza o Centro Social de Monte Grave a executar, pelo
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009 prazo de dez anos, sem direito de exclusividade, servi-
Nº 1.482/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia, ço de radiodifusão comunitária no Município de Milhã,
Comunicação e Informática) – Aprova o ato que ou- Estado do Ceará.
torga permissão à AUTO CAP – COMUNICAÇÕES, DECURSO: 2a. SESSÃO
INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PETRÓLEO E DERI- ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009
VADOS LTDA. para explorar serviço de radiodifusão
Nº 1.648/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia, Co-
sonora em freqüência modulada, no Município de Alto
municação e Informática) – Aprova o ato que autoriza
Alegre, Estado de Roraima.
a Associação Comunitária de Comunicações ECOCAP
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009
FM a executar, pelo prazo de dez anos, sem direito de
Nº 1.583/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia, Co- exclusividade, serviço de radiodifusão comunitária no
municação e Informática) – Aprova o ato que outorga Município de Capitão Poço, Estado do Pará.
permissão à Rádio Três Climas Ltda. para explorar ser- DECURSO: 2a. SESSÃO
viço de radiodifusão sonora em frequência modulada, ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009
no Município de Chorozinho, Estado do Ceará.
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009 Nº 1.686/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia,
Comunicação e Informática) – Aprova o ato que au-
Nº 1.584/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia,
toriza a Associação de Desenvolvimento Artístico e
Comunicação e Informática) – Aprova o ato que auto-
Cultural Liberdade de Goiânia a executar, pelo prazo
riza a Associação dos Moradores da Região do Além
de dez anos, sem direito de exclusividade, serviço de
Rio a executar, pelo prazo de dez anos, sem direito de
radiodifusão comunitária no Município de Goiânia,
exclusividade, serviço de radiodifusão comunitária no
Município de Uberlândia, Estado de Minas Gerais. Estado de Goiás.
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009 DECURSO: 2a. SESSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009
Nº 1.597/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia, Co-
municação e Informática) – Aprova o ato que autoriza Nº 1.689/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia, Co-
a Associação de Radiodifusão Comunitária do Bairro municação e Informática) – Aprova o ato que autoriza a
Nossa Senhora Aparecida a executar, pelo prazo de Associação dos Moradores de Dário Meira a executar,
dez anos, sem direito de exclusividade, serviço de pelo prazo de dez anos, sem direito de exclusividade,
radiodifusão comunitária no Município de Manhuaçu, serviço de radiodifusão comunitária no Município de
Estado de Minas Gerais. Dário Meira, Estado da Bahia.
DECURSO: 2a. SESSÃO DECURSO: 2a. SESSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009 ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009
Nº 1.610/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia, Co- Nº 1.691/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia, Co-
municação e Informática) – Aprova o ato que autoriza municação e Informática) – Aprova o ato que outorga
a Associação de Radiodifusão Comunitária de Aragua- permissão à Fundação Cultural e Assistencial Diário
çu a executar, pelo prazo de dez anos, sem direito de do Amapá para executar serviço de radiodifusão sono-
exclusividade, serviço de radiodifusão comunitária no ra em frequência modulada, com fins exclusivamente
Município de Araguaçu, Estado do Tocantins. educativos, no Município Macapá, Estado do Amapá.
DECURSO: 2a. SESSÃO DECURSO: 2a. SESSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009 ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51455 

Nº 1.728/2009 (Comissão de Ciência e Tecnologia, Nº 339/2007 (José Eduardo Cardozo) – Institui a “Se-
Comunicação e Informática) – Aprova o ato que auto- mana Nacional de Educação, Conscientização e Orien-
riza a Associação Cata-vento – Juventude e Cidada- tação sobre a Fissura Lábio-Palatina”, e dá outras
nia a executar, pelo prazo de dez anos, sem direito de providências.
exclusividade, serviço de radiodifusão comunitária na DECURSO: 4a. SESSÃO
localidade de Sobradinho, Distrito Federal. ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
DECURSO: 4a. SESSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 Nº 597/2007 (Jorginho Maluly) – Altera o art. 25 da Lei
PROJETO DE LEI nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que “Estabelece
as diretrizes e bases da educação nacional”.
Nº 343/1999 (Chico da Princesa) – Institui a Semana
Apensados: PL 720/2007 (Leonardo Quintão )
de Prevenção do Aborto e dá outras providências.
DECURSO: 4a. SESSÃO DECURSO: 4a. SESSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
Nº 3.496/2000 (Senado Federal – Moreira Mendes) – Nº 614/2007 (Rafael Guerra) – Fica denominado “En-
Denomina Aeroporto de Porto Velho – Jorge Teixeira genheiro Simão Gustavo Tamm” o anel rodoviário lo-
de Oliveira o Aeroporto de Porto Velho, no Estado de calizado no Município de Barbacena – MG, o qual liga
Rondônia. as rodovias federais BR-040 (BH-RJ) e BR-265 (Bar-
DECURSO: 4a. SESSÃO bacena – Rodovia Fernão Dias) construído pelo DNIT,
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 com apoio da prefeitura local.
Nº 2.318/2003 (Maurício Rands) – Proclama Olinda a DECURSO: 4a. SESSÃO
Capital Simbólica do Brasil e dá outras providências. ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
DECURSO: 4a. SESSÃO Nº 770/2007 (Inocêncio Oliveira) – Institui o “Dia Na-
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 cional do Poeta” cada dia 19 de abril do calendário
Nº 2.902/2004 (Gonzaga Patriota) – Denomina “Porto gregoriano em vigor no Brasil.
Fluvial Paulo de Souza Coelho”. DECURSO: 4a. SESSÃO
DECURSO: 4a. SESSÃO ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
Nº 857/2007 (Neilton Mulim) – Institui o Dia do Alerta
Nº 2.948/2004 (Max Rosenmann) – Institui o dia 26 de sobre o Uso Nocivo do Álcool.
outubro como o “Dia Nacional do Tropeiro”. DECURSO: 4a. SESSÃO
DECURSO: 4a. SESSÃO ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
Nº 1.488/2007 (Adão Pretto) – Institui a “Semana Na-
Nº 5.300/2005 (Senado Federal – Romeu Tuma) – Dá
cional do Feijão e Arroz” e dá outras providências.
a denominação de Aeroporto de Bauru – Comandan-
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009
te João Ribeiro de Barros ao Aeroporto de Bauru, no
Estado de São Paulo. Nº 1.749/2007 (Juvenil Alves) – Denomina “Ponte Dr.
Apensados: PL 5169/2005 (Milton Monti ) Carlos Geraldo Valadares”, que está localizada na di-
DECURSO: 4a. SESSÃO visa do Município de Martins Campos – Abaeté, no
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 Estado de Minas Gerais, na BR-352, sob o Rio São
Nº 6.328/2005 (Gonzaga Patriota) – Denomina a Fer- Francisco.
rovia Transnordestina de “Ferrovia Miguel Arraes de DECURSO: 4a. SESSÃO
Alencar”. ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
Apensados: PL 539/2007 (Inocêncio Oliveira ) Nº 1.940/2007 (Solange Almeida) – Institui o Dia Na-
DECURSO: 4a. SESSÃO
cional dos Portadores de Vitiligo.
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009
Nº 6.611/2006 (Vander Loubet) – Denomina a BR-267
como rodovia João Paulo II. Nº 2.126/2007 (Tonha Magalhães) – Denomina “Por-
DECURSO: 4a. SESSÃO to de Candeias” o atual Porto de Aratu, localizado no
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 Município de Candeias, no Estado da Bahia.
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009
Nº 130/2007 (Max Rosenmann) – Institui o dia 8 de
maio como o “Dia Nacional do Turismo” e confere a Nº 2.207/2007 (Nilmar Ruiz) – Institui o Dia do Qua-
Alberto Santos Dumont o título de “Pai do Turismo drilheiro, a ser comemorado anualmente no dia 27 de
Brasileiro”. junho.
DECURSO: 4a. SESSÃO DECURSO: 4a. SESSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
51456  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Nº 2.415/2007 (Aelton Freitas) – Denomina Rodovia Nº 1.921/2007 (Sebastião Bala Rocha) – Altera dispo-
­Deputado Jaime Martins do Espírito Santo o trecho da sitivo da Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003
BR-494 entre a cidade de Divinópolis (MG) e o entron- (Estatuto do Desarmamento).
camento com a BR-262. DECURSO: 4a. SESSÃO
DECURSO: 4a. SESSÃO ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 Nº 3.877/2008 (Rogerio Lisboa) – Dispõe sobre a
Nº 2.959/2008 (Paulo Piau) – Dispõe sobre o Dia Na- oferta de Educação Profissional Técnica integrada ao
cional do Milho e dá outras providências. Ensino Médio.
DECURSO: 4a. SESSÃO DECURSO: 4a. SESSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
Nº 3.086/2008 (Cida Diogo) – Institui o dia 26 de ju- 1.3 PROPOSIÇÕES COM TRAMITAÇÃO CONJUN-
nho como Dia Nacional da Consciência do 1º voto e TA QUE RECEBERAM PARECERES FAVORÁVEIS
dá outras providências. A UMAS E/OU CONTRÁRIOS A OUTRAS, NÃO DI-
DECURSO: 4a. SESSÃO VERGENTES; E/OU PELA INCONSTITUCIONALI-
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 DADE; E/OU INJURIDICIDADE
Nº 3.260/2008 (Rodrigo Rollemberg) – Institui o Dia
PROJETO DE LEI
Nacional do Reggae.
DECURSO: 4a. SESSÃO Nº 6.906/2002 (Senado Federal – MOREIRA MEN-
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 DES) – Dispõe sobre a regulamentação do exercício
Nº 3.284/2008 (Senado Federal – Marcelo Crivela) – da profissão de Turismólogo.
Dispõe sobre a criação do Dia de Celebração da Ami- COM PARECER FAVORÁVEL: PL 6.906/2002, prin-
zade Brasil-Argentina e dá outras providências. cipal
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009 COM PARECER CONTRÁRIO: PLs 7.010/2002,
Nº 3.555/2008 (Mendes Ribeiro Filho) – Institui o Dia 812/2003 e 4.740/04, apensados.
Nacional de Conscientização do Estresse, a ser co- DECURSO: 4a. SESSÃO
memorado no terceiro domingo de novembro, anual- ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
mente. Nº 6.264/2005 (Senado Federal – Paulo Paim) – Institui
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009 o Estatuto da Igualdade Racial.
Nº 3.937/2008 (Senado Federal-Eduardo Azeredo) COM PARECER FAVORÁVEL: PL 6.264/2005, prin-
– Denomina “Rodovia Guimarães Rosa” o trecho da cipal.
rodovia BR-135 situado entre o entroncamento com a COM PARECER CONTRÁRIO: PL 3.654/2008, apen-
rodovia BR-040, no Município de Curvelo, e a cidade sado.
de Januária, no Estado de Minas Gerais. DECURSO: 1a. SESSÃO
DECURSO: 4a. SESSÃO ÚLTIMA SESSÃO: 25/09/2009
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 Nº 3.282/2008 (Senado Federal – Srys Slhessarenko)
Nº 5.243/2009 (Alex Canziani) – Altera o art. 13 da Lei – Inscreve o nome de Maria Quitéria de Jesus no Livro
nº 9.307, de 23 de setembro de 1996, que “Dispõe so- dos Heróis da Pátria e dá a este nova denominação,
bre a arbitragem”. de forma a incluir a expressão “e Heroínas”.
DECURSO: 4a. SESSÃO COM PARECER FAVORÁVEL: PL 3.282/2008, prin-
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 cipal.
1.2 COM PARECERES CONTRÁRIOS COM PARECER CONTRÁRIO: PL 3.924/2008, apen-
sado.
PROJETO DE LEI
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009
Nº 1.215/2003 (Carlos Souza) – Regulamenta a Guar- 2. CONTRA PARECER TERMINATIVO DE COMISSÃO
da Portuária. – ART. 54 DO RICD C/C ART. 132, § 2º DO RICD
DECURSO: 4a. SESSÃO (MATÉRIAS SUJEITAS A DELIBERAÇÃO DO PLENÁ-
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 RIO EM APRECIAÇÃO PRELIMINAR, NOS TERMOS
Nº 1.762/2007 (Chico D’Angelo) – Cria o Cadastro DO ART.144 DO RICD)
Nacional de Obras Públicas. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO – art. 58, § 3º, c/c o
ÚLTIMA SESSÃO: 21/09/2009 art. 132, §2º, do RICD.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51457 

Prazo para apresentação de recurso: 5 sessões (art. Nº 5.889/2009 (Vinicius Carvalho) – Determina que
58, § 1º do RICD). as leis mencionem o nome do parlamentar autor do
2.2 PELA INCONSTITUCIONALIDADE E/OU INJU- projeto
RIDICIDADE OU INADMISSIBILIDADE DECURSO: 2a. SESSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009
PROJETO DE LEI
PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR
Nº 2.450/2007 (Odair Cunha) – Dá ao trevo de acesso
ao Município de Três Corações, em Minas Gerais, rodo- Nº 504/2009 (Arnaldo Faria de Sá) – Altera os artigos
via BR-381, Km. 752.1, entroncamento com a rodovia 26 e 27 da Lei Complementar nº 73, de 10 de fevereiro
MG-167, a denominação de “Trevo Edson Arantes do de 1993, e dá outras providências.
Nascimento – Rei Pelé”. DECURSO: 1a. SESSÃO
DECURSO: 4a. SESSÃO ÚLTIMA SESSÃO: 25/09/2009
ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009 6. CONTRA PARECER PELA INADMISSIBILIDADE
3. CONTRA DECLARAÇÃO DE PREJUDICIALIDA- DE PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO –
DE – ART. 164, § 2º, DO RICD ART. 202, § 1º DO RICD
(SUJEITO A DELIBERAÇÃO DO PLENÁRIO, APÓS PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO
OUVIDA A CCJC, NOS TERMOS DO ART. 164, §§ 2º Nº 351/2009 (Senado Federal – Renan Calheiros) –
e 3º DO RICD) Altera o art. 100 da Constituição Federal e acrescen-
Prazo para apresentação de recurso: 5 sessões (Art. ta o art. 97 ao Ato das Disposições Constitucionais
164, § 2º, do RICD). Transitórias, instituindo regime especial de pagamento
de precatórios pelos Estados, Distrito Federal e Mu-
PROJETO DE LEI
nicípios.
Nº 5.861/2009 (Dimas Ramalho) – Obriga as empresas COM PARECER PELA ADMISSIBILIDADE PARCIAL,
concessionárias e permissionárias de serviço público EM FACE DA APRESENTAÇÃO DE EMENDAS SU-
a emitir, no início de cada ano, recibo de quitação dos PRESSIVAS: PEC 351/2009, principal.
pagamentos pelos serviços prestados no ano anterior COM PARECER PELA INADMISSIBILIDADE: PEC
para os consumidores. 366/2009, apensada.
DECURSO: 2a. SESSÃO DECURSO: 4a. SESSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009 ÚLTIMA SESSÃO: 22/09/2009
ARQUIVEM-SE, nos termos do § 4º do artigo 164 do
4. DEVOLVIDO(S) AO(S) AUTOR(ES)
RICD, as seguintes proposições:
INTERPOSIÇÃO DE RECURSO – RCP: art. 35, §§ 1º
e 2º, do RICD. PROJETOS DE LEI
INTERPOSIÇÃO DE RECURSO – DEMAIS PROPO-
SIÇÕES: art. 137, § 1º, do RICD. Nº 3.334/2004 (Carlos Nader) – Dispõe sobre a regu-
PRAZO PARA APRESENTAÇÃO DE RECURSO: 5 lamentação da profissão de Transportador de merca-
sessões. dorias por meio de motocicleta (motoboy).
Nº 3.556/2004 (Welinton Fagundes) – Regulamenta o
PROJETO DE LEI
exercício das atividades dos profissionais em transpor-
Nº 5.830/2009 (Evandro Milhomen) – Altera os arts. te de passageiros “mototaxista”, em entrega de mer-
8º e 9º, e revoga o art. 10 e o parágrafo único do art. cadorias, em serviço comunitário de rua e “motoboy”,
11, todos da Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, com uso de motocicleta.
para modificar o regime jurídico aplicável aos agentes Nº 7.433/2006 (Carlos Mota) – Disciplina a prestação
comunitários de saúde e aos agentes de combate às de serviço de transporte remunerado de passageiros
endemias, e dá outras providências. ou de carga mediante o emprego de veículo automotor
DECURSO: 2a. SESSÃO de duas ou três rodas.
ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009 ARQUIVE-SE, nos termos do § 4º do artigo 58 do
Nº 5.852/2009 (Damião Feliciano) – Dispõe sobre a RICD, a seguinte proposição:
obrigatoriedade de hospitais em Municípios com mais PROJETO DE LEI
de cinquenta mil habitantes.
DECURSO: 2a. SESSÃO Nº 5.077/2005 (Nelson Bornier) – Obriga todas as pra-
ÚLTIMA SESSÃO: 24/09/2009 ças de pedágio a criarem guichês específicos para o
51458  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

atendimento à veículos ciclomotores, motos, motoci- Dia 29, 3ª-feira


cletas, motonetas e triciclos.
15:00 LUIS CARLOS HEINZE (PP – RS)
Nº 4.824/2009 (João Herrmann) – Dispõe sobre a pa- 15:25 VALDEMAR COSTA NETO (PR – SP)
dronização, pelo Poder Executivo, das denominações e
siglas dos serviços bancários oferecidos aos clientes. Dia 30, 4ª-feira
ARQUIVEM-SE, nos termos do artigo 133 do RICD,
15:00 LUIZ BITTENCOURT (PMDB – GO)
as seguintes proposições:
15:25 MILTON VIEIRA (DEM – SP)
PROJETO DE LEI ORDEM DO DIA DAS COMISSÕES
Nº 5.777/2005 (Paulo Magalhães) – Institui o Dia do
I – COMISSÕES PERMANENTES
Técnico em Radiologia.
Nº 3.459/2008 (Chico Lopesl) – Institui a Semana Na- COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA,
cional de Conscientização por um Consumo Susten- ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL
tável e dá outras providências.
AVISOS
Nº 3.614/2008 (Rodovalho) – Dispõe sobre a publicação
das informações contábeis das empresas públicas. PROPOSIÇÕES EM FASE DE
ORADORES SORTEADOS PARA O GRANDE RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES)
EXPEDIENTE DO MÊS DE SETEMBRO DE 2009 DECURSO: 1ª SESSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 25-09-09
Dia 21, 2ª-feira
Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º)
15:00 LUCIANA COSTA (PR – SP)
15:25 DAGOBERTO (PDT – MS) PROJETO DE LEI Nº 792/07 – do Sr. Anselmo de Je-
15:50 FÉLIX MENDONÇA (DEM – BA) sus – que “dispõe sobre a definição de serviços am-
16:15 JOSÉ CARLOS VIEIRA (DEM – SC) bientais e dá outras providências”. (Apensados: PL
16:40 ARMANDO ABÍLIO (PTB – PB) 1190/2007 (Apensados: PL 1999/2007 e PL 2364/2007),
PL 1667/2007, PL 1920/2007, PL 5487/2009 e PL
Dia 22, 3ª-feira 5528/2009)
RELATOR: D ­ eputado FÁBIO SOUTO.
15:00 CLÁUDIO DIAZ (PSDB – RS)
15:25 PAULO ABI-ACKEL (PSDB – MG) PROJETO DE LEI Nº 5.871/09 – do Sr. Washington Luiz
– que “altera o art. 12 da Lei nº 9.393, de 20 de dezem-
Dia 23, 4ª-feira bro de 1996, autorizando o parcelamento do Imposto
15:00 EVANDRO MILHOMEN (PCdoB – AP) Territorial Rural – ITR em até 06 (seis) cotas”.
15:25 GERSON PERES (PP – PA) RELATOR: D ­ eputado VALDIR COLATTO.

Dia 24, 5ª-feira COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO


E JUSTIÇA E DE CIDADANIA
15:00 SILAS CÂMARA (PSC – AM)
15:25 EDUARDO AMORIM (PSC – SE) AVISOS

Dia 25, 6ª-feira PROPOSIÇÕES EM FASE DE


RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES)
10:00 SARAIVA FELIPE (PMDB – MG)
10:25 LÁZARO BOTELHO (PP – TO) DECURSO: 2ª SESSÃO
10:50 VIRGÍLIO GUIMARÃES (PT – MG) ÚLTIMA SESSÃO: 24-09-09
11:15 HUMBERTO SOUTO (PPS – MG) Substitutivo (Art. 119, II e §1º)
11:40 ÁTILA LINS (PMDB – AM)
AS PROPOSIÇÕES ABAIXO SOMENTE RECEBE-
Dia 28, 2ª-feira RÃO EMENDAS APRESENTADAS POR MEMBROS
DESTA COMISSÃO
15:00 VITOR PENIDO (DEM – MG)
15:25 BEL MESQUITA (PMDB – PA) A – Da Análise da Constitucionalidade, Juridicida-
15:50 GERALDO SIMÕES (PT – BA) de e Mérito:
16:15 MARIA HELENA (PSB – RR) PROJETO DE LEI Nº 5.139/09 – do Poder Executivo
16:40 ARLINDO CHINAGLIA (PT – SP) – que “disciplina a ação civil pública para a tutela de
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51459 

interesses difusos, coletivos ou individuais homogêne- 11 de setembro de 1990, que “Dispõe sobre a proteção
os, e dá outras providências”. do consumidor e dá outra providências.””
RELATOR: ­Deputado ANTONIO CARLOS BISCAIA. RELATORA: Deputada SANDRA ROSADO.
DECURSO: 4ª SESSÃO
COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR
ÚLTIMA SESSÃO: 22-09-09
Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º) AVISOS
A – Da Análise da Constitucionalidade, Juridicida- PROPOSIÇÕES EM FASE DE
de e Mérito: RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES)
PROJETO DE LEI Nº 3.442/08 – do Senado Federal – DECURSO: 1ª SESSÃO
Cristovam Buarque – (PLS 217/2006) – que “altera o
ÚLTIMA SESSÃO: 25-09-09
art. 83 da Lei nº 7.210, de 11 de julho de 1984 – Lei de
Execução Penal, para autorizar a instalação de salas Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º)
de aulas nos presídios”.
PROJETO DE LEI Nº 5.845/09 – do Sr. William Woo
RELATOR: ­Deputado FLÁVIO DINO.
– que “dispõe sobre a comercialização controlada do
B – Da Análise da Constitucionalidade e Juridici- “ÁLCOOL 70º” (ação bactericida por conter 70% de
dade (art. 54, I): água e 30% de água deionizada) pelas redes de far-
PROJETO DE LEI Nº 1.377/07 – do Sr. Silvinho Peccioli mácias do País”.
– que “acresce dispositivos ao art. 10 da Lei nº 8.429, RELATOR: D ­ eputado RICARDO TRIPOLI.
de 2 de junho de 1992 – Lei da Improbidade Adminis- PROJETO DE LEI Nº 5.848/09 – do Sr. Carlos Bezer-
trativa, para dispor sobre a guarda e conservação de ra – que “altera a Lei nº 8.078, de 11 de setembro de
bens apreendidos pela Administração Pública”. 1990, disciplinando o prazo para registro de consumidor
RELATOR: ­Deputado BONIFÁCIO DE ANDRADA. inadimplente nos serviços de proteção ao crédito”.
PROJETO DE LEI Nº 4.118/08 – do Sr. Eduardo Cunha RELATORA: Deputada ANA ARRAES.
– que “veda o estabelecimento de conteúdo programá-
COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA
tico de nível de escolaridade superior ao exigido pelas
atribuições a desempenhar, nos processos seletivos AVISOS
que especifica”.
RELATOR: ­Deputado GERALDO PUDIM. PROPOSIÇÕES EM FASE DE
PROJETO DE LEI Nº 4.998/09 – da Sra. Vanessa RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES)
Grazziotin – que “dispõe sobre a doação aos respec- DECURSO: 4ª SESSÃO
tivos ocupantes as porções que integram o terreno da ÚLTIMA SESSÃO: 22-09-09
Colônia Antônio Aleixo, na cidade de Manaus, Estado
Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º)
do Amazonas e pertencente ao Patrimônio da União
Federal e dá outras providências”. PROJETO DE LEI Nº 2.242/07 – do Sr. Manoel Ju-
RELATOR: ­Deputado GONZAGA PATRIOTA. nior – que “altera a redação do art. 17 do Decreto-Lei
nº 25, de 30 de novembro de 1937, e dá outras pro-
Substitutivo (Art. 119, II e §1º)
vidências”.
AS PROPOSIÇÕES ABAIXO SOMENTE RECEBE- RELATOR: D ­ eputado ANGELO VANHONI.
RÃO EMENDAS APRESENTADAS POR MEMBROS PROJETO DE LEI Nº 3.056/08 – do Sr. Angelo Va-
DESTA COMISSÃO nhoni – que “institui as unidades de preservação do
A – Da Análise da Constitucionalidade e Juridici- patrimônio cultural brasileiro”.
dade (art. 54, I): RELATOR: D ­ eputado PEDRO WILSONº

PROJETO DE LEI Nº 6.681/02 – do Sr. José Pimentel PROJETO DE LEI Nº 5.915/09 – do Poder Executivo
– que “dispõe sobre a criação das Funções Comissio-
– que “estabelece prazo para o pagamento de indeni-
nadas do FNDE – FCFNDE; cria, no âmbito do Poder
zação aos segurados”.
Executivo Federal, cargos em comissão do Grupo-Di-
RELATOR: ­Deputado CARLOS WILLIANº
reção e Assessoramento Superiores – DAS, a serem
PROJETO DE LEI Nº 4.289/08 – do Sr. Dr. Talmir – que alocados no Ministério da Educação, no Fundo Nacio-
“insere parágrafo único no art. 31 da Lei nº 8.078, de nal de Desenvolvimento da Educação – FNDE e na
51460  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível PROJETO DE LEI Nº 4.745/09 – do Senado Fede-


Superior – CAPES; e dá outras providências”. ral – João Vicente Claudino – (PLS 379/2007) – que
RELATOR: ­Deputado EMILIANO JOSÉ. “dispõe sobre a criação de Zona de Processamento
de Exportação (ZPE) no Município de Picos, no Es-
COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO
tado do Piauí”.
AVISOS RELATOR: D ­ eputado MAGELA.
PROJETO DE LEI Nº 4.746/09 – do Senado Fede-
PROPOSIÇÕES EM FASE DE ral – João Vicente Claudino – (PLS 380/2007) – que
RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES) “dispõe sobre a criação de Zona de Processamento
DECURSO: 4ª SESSÃO de Exportação (ZPE) no Município de Floriano, no
ÚLTIMA SESSÃO: 22-09-09 Estado do Piauí”.
RELATOR: D ­ eputado REGINALDO LOPES.
Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º)
PROJETO DE LEI Nº 4.766/09 – do Senado Federal
A – Da Análise da Adequação Financeira e Orça- – Lúcia Vânia – (PLS 394/2007) – que “dispõe sobre
mentária e do Mérito: a criação de Zona de Processamento de Exportação
(ZPE) no Município de Anápolis, no Estado de Goi-
PROJETO DE LEI Nº 725/07 – do Sr. Sandes Júnior –
ás”.
que “acrescenta artigo à Lei nº 8.666, de 21 de junho
RELATOR: D ­ eputado JOÃO DADO.
de 1993, para vedar a participação simultânea em lici-
tações de empresas em que se evidencie a existência B – Da Análise da Adequação Financeira e Orça-
de controle único”. (Apensado: PL 4829/2009) mentária (art. 54):
RELATOR: ­Deputado LUIZ CARREIRA. PROJETO DE LEI Nº 7.675/06 – dos Srs. Mariângela
PROJETO DE LEI Nº 2.297/07 – do Sr. Fernando Co- Duarte e Luiz Bassuma – que “define as diretrizes da
elho Filho – que “dispõe sobre a criação de Zona de Política Brasileira de Ecologia Molecular para o Uso
Processamento de Exportação (ZPE) no Município de Sustentável da Biodiversidade da Mata Atlântica, da
Petrolina, Estado de Pernambuco”. Zona Costeira e Marítima, da Amazônia, e outros Bio-
RELATOR: ­Deputado ARNALDO MADEIRA. mas Nacionais, e dá outras providências”.
RELATOR: D ­ eputado VIRGÍLIO GUIMARÃES.
PROJETO DE LEI Nº 2.550/07 – do Sr. Cezar Schirmer
– que “dispõe sobre a criação de Zona de Processa- PROJETO DE LEI Nº 3.077/08 – do Poder Executivo –
mento de Exportação – (ZPE) no Município de Santa que “altera a Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993, que
Maria, Estado do Rio Grande do Sul”. dispõe sobre a organização da Assistência Social”.
RELATOR: ­Deputado ARNALDO MADEIRA. RELATOR: D ­ eputado JOÃO DADO.
PROJETO DE LEI Nº 4.689/09 – do Sr. Acélio Casa- PROJETO DE LEI Nº 5.227/09 – do Sr. Cleber Verde –
grande – que “dispõe sobre a abertura de crédito na que “acrescenta capítulos à Lei nº 11.685 de 02 de junho
rede bancária oficial para atender as vítimas de cala- de 2008, que institui o Estatuto dos Garimpeiros, para
midade pública”. regulamentar a pensão vitalícia e a aposentadoria”.
RELATOR: ­Deputado RODRIGO ROCHA LOURES. RELATOR: D ­ eputado PEPE VARGAS.
PROJETO DE LEI Nº 4.715/09 – do Senado Fede- COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA
ral – João Vicente Claudino – (PLS 631/2007) – que
“dispõe sobre a criação de Zona de Processamento AVISOS
de Exportação (ZPE) no Município de Bom Jesus, no
Estado do Piauí”. PROPOSIÇÕES EM FASE DE
RELATOR: ­Deputado GUILHERME CAMPOS. RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES)
PROJETO DE LEI Nº 4.716/09 – do Senado Federal – DECURSO: 4ª SESSÃO
Rosalba Ciarlini – (PLS 648/2007) – que “dispõe sobre ÚLTIMA SESSÃO: 22-09-09
a criação de Zona de Exportação (ZPE) no Município Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º)
de Açú, no Estado do Rio Grande do Norte”.
RELATOR: ­Deputado JOÃO PAULO CUNHA. PROJETO DE LEI Nº 2.174/07 – do Sr. Jurandy Lou-
PROJETO DE LEI Nº 4.718/09 – do -Senado Federal – reiro – que “institui o Programa Adote uma Nascente,
Lúcia Vânia – (PLS 395/2007) – que “dispõe sobre a cria- em todo o território nacional”.
ção de Zona de Processamento de Exportação (ZPE) no RELATOR: D ­ eputado FÁBIO RAMALHO.
Município de São Simão, no Estado de Goiás”. PROJETO DE LEI Nº 5.722/09 – do Sr. Antonio Fei-
RELATOR: ­Deputado JORGE BOEIRA. jão – que “dá nova redação ao art.7º da Lei nº 9.985
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51461 

de 18 de julho de 2000, que regulamenta o art. 225, § RELATOR: D


­ eputado JAIR BOLSONARO.
1º,incisos I, II, III e VI da Constituição Federal, institui DECURSO: 2ª SESSÃO
o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da ÚLTIMA SESSÃO: 24-09-09
Natureza e dá outras providências”.
Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º)
RELATOR: ­Deputado LEONARDO QUINTÃO.
Substitutivo (Art. 119, II e §1º) PROJETO DE LEI Nº 5.916/09 – do Poder Executivo
– que “altera os arts. 1º, 11, 16 e 17 e acrescenta os
AS PROPOSIÇÕES ABAIXO SOMENTE RECEBE- arts.7º-A e 7º-B à Lei nº 9.519, de 26 de novembro de
RÃO EMENDAS APRESENTADAS POR MEMBROS 1997, que dispõe sobre a reestruturação dos Corpos
DESTA COMISSÃO e Quadros de Oficiais e de Praças da Marinha”.
PROJETO DE LEI Nº 4.957/09 – do Sr. Carlos Bezerra RELATOR: D ­ eputado CLAUDIO CAJADO.
– que “acrescenta artigo à Lei nº 9.605, de 12 de fe- COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA
vereiro de 1998, que dispõe sobre as sanções penais E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO
e administrativas derivadas de condutas e atividades
lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências”. AVISOS
RELATOR: ­Deputado FERNANDO MARRONI.
PROPOSIÇÕES EM FASE DE
COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES)
E DE DEFESA NACIONAL
DECURSO: 4ª SESSÃO
AVISOS ÚLTIMA SESSÃO: 22-09-09
Substitutivo (Art. 119, II e §1º)
PROPOSIÇÕES EM FASE DE
RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES) A PROPOSIÇÃO ABAIXO SOMENTE RECEBERÁ
EMENDAS APRESENTADAS POR MEMBROS DES-
DECURSO: 1ª SESSÃO TA COMISSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 25-09-09
PROJETO DE LEI Nº 1.808/07 – do Sr. William Woo –
Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º) que “Altera a Lei nº 5.070, de 1966, com a finalidade
de permitir o uso dos recursos do FISTEL – Fundo de
PROJETO DE LEI Nº 5.273/09 – do Senado Federal –
Fiscalização das Telecomunicações – na construção
Pedro Simon – que “dá nova redação ao art. 3º da Lei de estabelecimentos prisionais e na compra de equi-
nº 10.029, de 20 de outubro de 2000, que estabelece pamentos de segurança”.
normas gerais para a prestação voluntária de serviços RELATOR: D ­ eputado MARCELO ITAGIBA.
administrativos e de serviços auxiliares de saúde e
de defesa civil nas Polícias Militares e nos Corpos de COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA
Bombeiros Militares e dá outras providências”.
RELATOR: ­Deputado MARCONDES GADELHA. AVISOS
PROJETO DE LEI Nº 5.844/09 – do Sr. William Woo – PROPOSIÇÕES EM FASE DE
que “determina a obrigatoriedade de demarcação das RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES)
áreas de pesca, lazer ou recreação das praias banha-
DECURSO: 1ª SESSÃO
das por mar, lagoas ou rios”.
ÚLTIMA SESSÃO: 25-09-09
RELATOR: ­Deputado CLAUDIO CAJADO.
PROJETO DE LEI Nº 5.913/09 – do Poder Executivo Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º)
– que “transforma Funções Comissionadas Técnicas PROJETO DE LEI Nº 6.697/06 – da Sra. Luci Choinacki
– FCT, criadas pelo art. 58 da Medida Provisória nº e outros – que “equipara a mulher que exerce ativida-
2.229-43, de 6 de setembro de 2001, em cargos do de pesqueira e marisqueira artesanal em regime de
Grupo-Direção e Assessoramento Superiores – DAS, economia familiar ao pescador artesanal, para efeitos
em Gratificações de Exercício em Cargo de Confiança previdenciários e de seguro-desemprego, e altera o
devida a militares e em Gratificações de Representação Decreto-Lei nº 221, de 1967 e as Leis nºs 10.779, de
pelo Exercício de Função devida a militares”. 2003; 8.212, de 1991 e 8.213, de 1991”.
RELATOR: ­Deputado MAURÍCIO RANDS. RELATORA: Deputada ELCIONE BARBALHO.
PROJETO DE LEI Nº 5.919/09 – do Poder Executivo PROJETO DE LEI Nº 4.524/08 – do Sr. Jefferson Cam-
– que “dispõe sobre o acesso às graduações supe- pos – que “estabelece limites de intensidade sonora para
riores de militares oriundos do Quadro de Taifeiros da tocadores pessoais de música em formato digital”.
Aeronáutica”. RELATOR: D ­ eputado JOSÉ C. STANGARLINI.
51462  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

PROJETO DE LEI Nº 4.938/09 – do Sr. Edmilson Va- PROJETO DE LEI Nº 5.378/09 – do Sr. Leonardo Vile-
lentim – que “dispõe sobre as condições para a con- la – que “altera a Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991,
cessão de isenção e remissão da contribuição anual que dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previ-
devida aos Conselhos de Fiscalização de Profissões dência Social e dá outras providências”.
Regulamentadas”. (Apensados: PL 5725/2009 e PL RELATORA: Deputada SOLANGE ALMEIDA.
5820/2009) PROJETO DE LEI Nº 5.383/09 – do Sr. Arnaldo Faria
RELATORA: Deputada BEL MESQUITA. de Sá – que “altera a Lei nº 9.503 de 23 setembro de
PROJETO DE LEI Nº 5.137/09 – do Sr. Milton Monti 1997– Código de Trânsito Brasileiro – para determi-
– que “dispõe sobre informações quanto à origem e nar que o valor da taxa para renovação do Exame de
qualidade da água utilizada em instalações hidráulicas Aptidão Física e Mental será gratuita ao condutor com
e sanitárias de hotéis”. mais de sessenta e cindo anos de idade”.
RELATORA: Deputada ANDREIA ZITO. RELATOR: D ­ eputado MOISES AVELINO.
PROJETO DE LEI Nº 5.400/09 – do Sr. Celso Russo-
PROJETO DE LEI Nº 5.197/09 – do Sr. Carlos Bezer-
manno – que “institui o Dia Nacional do Portador de
ra – que “acrescenta, no Código Civil, causa de perda
Hepatite Crônica a ser celebrado no dia 19 de maio
do poder familiar”.
de cada ano”.
RELATOR: ­Deputado JORGINHO MALULY.
RELATOR: D ­ eputado OTAVIO LEITE.
PROJETO DE LEI Nº 5.210/09 – do Sr. Dr. Ubiali – que
PROJETO DE LEI Nº 5.431/09 – do Sr. Antonio Bulhões
“dispõe sobre a obrigatoriedade do enriquecimento – que “dispõe sobre a prescrição das multas previstas
com cálcio em bebidas à base de soja e dá outras no Estatuto da Criança e do Adolescente”.
providências”. RELATOR: D ­ eputado LEANDRO SAMPAIO.
RELATOR: ­Deputado MAURO NAZIF.
PROJETO DE LEI Nº 5.436/09 – do Sr. Henrique Edu-
PROJETO DE LEI Nº 5.216/09 – do Sr. Maurício Rands ardo Alves – que “revoga o art. 10 da Lei nº 9.527, de
– que “acrescenta parágrafos à Lei nº 11.736, de 10 de 10 de dezembro de 1997, que veda o recebimento de
julho de 2008, com o objetivo de instituir uma “Semana aposentoria ou pensão por intermédio de conta cor-
Nacional de Educação, Conscientização e Orientação rente conjunta”.
sobre a Doença de Alzheimer”, e dá outras providências. RELATOR: D ­ eputado MOISES AVELINO.
Acrescenta parágrafos à Lei 11.736, de 10 de julho de
PROJETO DE LEI Nº 5.441/09 – do Sr. Mário Heringer
2008, com o objetivo de instituir uma “Semana Nacional – que “acrescenta dispositivo à Lei nº 8.213, de 24 de
de Educação, Conscientização e Orientação sobre a julho de 1991, que dispõe sobre os Planos de Benefí-
Doença de Alzheimer”, e dá outras providências”. cios da Previdência Social e dá outras providências”.
RELATOR: ­Deputado LAEL VARELLA. RELATOR: D ­ eputado MOISES AVELINO.
PROJETO DE LEI Nº 5.290/09 – do Sr. Antônio Roberto PROJETO DE LEI Nº 5.445/09 – do Sr. Ratinho Junior
– que “institui o Dia Nacional dos Direitos Fundamen- – que “altera o § 3º do art. 16 da Lei nº 8.213, de 24 de
tais da Pessoa com Transtornos Mentais”. julho de 1991, que dispõe sobre os Planos de Benefícios
RELATOR: ­Deputado MARCELO SERAFIM. da Previdência Social e dá outras providências”.
PROJETO DE LEI Nº 5.297/09 – da Sra. Dalva Figuei- RELATOR: D ­ eputado CLEBER VERDE.
redo – que “altera o art. 16 da Lei nº 11.340, de 07 de PROJETO DE LEI Nº 5.450/09 – do Sr. Eliene Lima – que
agosto de 2006 (Lei Maria da Penha), para estabelecer “dispõe sobre a busca imediata, por parte dos órgãos de
que a ação penal nos crimes de violência doméstica e segurança pública, de pessoas desaparecidas que sejam
familiar contra a mulher é pública e incondicionada”. portadores de deficiência física, mental ou sensorial”.
RELATORA: Deputada JÔ MORAES. RELATORA: Deputada BEL MESQUITA.
PROJETO DE LEI Nº 5.313/09 – do Senado Federal– PROJETO DE LEI Nº 5.465/09 – do Sr. João Oliveira
Expedito Júnior – que “altera a Lei nº 9.506, de 30 de – que “altera o art. 132 da Lei nº 8.069, de 13 de ju-
outubro de 1997, para impedir a aposentadoria, pelo lho de 1990, para reduzir a composição do Conselho
Plano de Seguridade Social dos Congressistas, de par- Tutelar a três membros em Municípios com menos de
lamentar que tenha perdido o mandato de acordo com cinco mil habitantes”.
o art. 55 da Constituição Federal por ato ou omissão RELATORA: Deputada ANDREIA ZITO.
ilícitos relacionados a recursos públicos”. PROJETO DE LEI Nº 5.477/09 – do Sr. Dr. Ubiali – que
RELATOR: ­Deputado ROBERTO BRITTO. “altera a Lei nº 8.742, de 07 de dezembro de 1993, que
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51463 

“Dispõe sobre a organização da Assistência Social”, PROJETO DE LEI Nº 5.685/09 – do Sr. Gonzaga Pa-
acrescentando Seção I-A em seu Capítulo IV e art. triota – que “cria o Estatuto de Saúde e Segurança
28-B, para instituir o Pecúlio da Criança e do Adoles- Doméstica e Familiar do Homem e dá outras provi-
cente Carente”. dências”.
RELATOR: ­Deputado MAURO NAZIF. RELATOR: D ­ eputado DR. PAULO CÉSAR.
PROJETO DE LEI Nº 5.494/09 – do Sr. Capitão Assu- PROJETO DE LEI Nº 5.694/09 – do Sr. Capitão Assu-
mção – que “torna obrigatório o check-up neurológico mção – que “dispõe sobre a imunização de mulheres
em pessoas com idade igual ou superior a 50 anos”. com a vacina contra o papilomavírus humano (HPV),
RELATOR: ­Deputado MANATO. na rede pública do Sistema Único de Saúde de todos
PROJETO DE LEI Nº 5.511/09 – da Sra. Solange Al- os estados e municípios brasileiros, nas condições
especificadas, e dá outras providências”.
meida – que “institui auxílio financeiro ao(s) adotante(s)
RELATORA: Deputada BEL MESQUITA.
de crianças e adolescentes irmãos”.
RELATOR: ­Deputado LEONARDO VILELA. PROJETO DE LEI Nº 5.699/09 – do Sr. Luiz Carlos
Hauly – que “dispõe sobre o incentivo para médicos e
PROJETO DE LEI Nº 5.515/09 – do Sr. Dr. Talmir –
odontólogos atuarem em municípios com população de
que “altera os arts. 1.583 à 1.586 da Lei nº 10.406, de
até vinte mil habitantes e dá outras providências”.
10 de janeiro de 2002, Código Civil, para aprimorar a
RELATOR: D ­ eputado ROBERTO BRITTO.
regulação sobre guarda compartilhada”.
RELATORA: Deputada JÔ MORAES. PROJETO DE LEI Nº 5.730/09 – do Sr. Geraldo Re-
sende – que “altera a Lei nº 9.656, de 3 de junho de
PROJETO DE LEI Nº 5.523/09 – do Sr. Márcio França 1998, que “dispõe sobre os planos e seguros privados
– que “altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, de assistência à saúde””.
para tornar invioláveis os Conselheiros Tutelares, por RELATOR: D ­ eputado CARLOS BEZERRA.
quaisquer de suas opiniões, palavras e votos”.
RELATOR: ­Deputado CARLOS BEZERRA. PROJETO DE LEI Nº 5.732/09 – do Senado Federal
– Paulo Paim – (PLS 216/2007) – que “permite que o
PROJETO DE LEI Nº 5.562/09 – do Sr. Carlos Bezerra trabalhador com mais de 60 (sessenta) anos de idade
– que “acrescenta § 9º ao art. 57 da Lei nº 6.015, de 31 e aquele que receba benefício de prestação continua-
de dezembro de 1973, que “dispõe sobre os registros da devido à pessoa portadora de deficiência e ao ido-
públicos, e dá outras providências””. so, de que trata a Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de
RELATOR: ­Deputado JOSÉ C. STANGARLINI. 1993, saquem seus recursos acumulados no Fundo
PROJETO DE LEI Nº 5.580/09 – do Sr. Fernando de Participação PIS-Pasep”.
Chiarelli – que “inclui art. 132-A na Lei nº 8.213, de RELATORA: Deputada ELCIONE BARBALHO.
24 de julho de 1991, para assegurar o pagamento de PROJETO DE LEI Nº 5.806/09 – do Sr. Francisco
benefício previdenciário após decisão favorável em Rossi – que “dispõe sobre a isenção para as pessoas
primeira instância”. jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, legal-
RELATOR: ­Deputado GERALDO PUDIM. mente qualificadas como Organizações da Sociedade
Civil de Interesse Público, do pagamento de tarifas
PROJETO DE LEI Nº 5.659/09 – do Senado Federal –
bancárias”.
Romeu Tuma – (PLS 450/2008) – que “acrescenta dispo-
RELATOR: D ­ eputado ANTONIO CRUZ.
sitivo à Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, estabe-
lecendo para o portador de hepatopatia grave o direito à PROJETO DE LEI Nº 5.826/09 – do Sr. Ciro Pedrosa –
aposentadoria integral por invalidez permanente”. que “altera a Lei nº 91, de 28 de agosto de 1935, para
RELATOR: ­Deputado GERALDO THADEU. permitir a declaração de utilidade pública de fundações
e associações comunitárias que explorem o Serviço de
PROJETO DE LEI Nº 5.672/09 – do Sr. Carlos Bezerra Radiodifusão Comunitária há mais de três anos, con-
– que “obriga os hospitais de todo o país a manter em tados da data da publicação da respectiva portaria de
local visível de suas dependências aviso informando autorização pelo Ministério das Comunicações”
sobre o direito da parturiente a acompanhante”. RELATOR: D ­ eputado ANTONIO CRUZ.
RELATOR: ­Deputado ANDRE ZACHAROW.
PROJETO DE LEI Nº 5.899/09 – do Senado Federal–
PROJETO DE LEI Nº 5.677/09 – do Sr. Marcelo Itagiba Kátia Abreu – (PLS 109/2007) – que “altera a Lei nº
– que “equipara o condomínio edilício à microempresa, 9.263, de 12 de janeiro de 1996, que regula o § 7º do
para efeito de benefícios administrativos, tributários e art. 226 da Constituição Federal, que trata do plane-
previdenciários a ela previstos em Lei”. jamento familiar, estabelece penalidades e dá outras
RELATOR: ­Deputado MOISES AVELINO. providências, para incluir o câncer de próstata entre
51464  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

as doenças cujo controle e prevenção devem integrar PROJETO DE LEI Nº 2.245/07 – do Sr. Reginaldo Lo-
o programa de atenção integral à saúde masculina pes – que “regulamenta a profissão de Tecnólogo e dá
no âmbito do Sistema Único de Saúde e assegurar o outras providências”.
oferecimento de aconselhamento genético nos casos RELATOR: D ­ eputado VICENTINHO.
em que haja indicação clínica”. DECURSO: 4ª SESSÃO
RELATOR: ­Deputado ALCENI GUERRA. ÚLTIMA SESSÃO: 22-09-09
PROJETO DE LEI Nº 5.914/09 – do Poder Executivo Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º)
– que “dispõe sobre a criação de cargos em comissão
PROJETO DE LEI Nº 4.542/08 – do Sr. Vitor Penido
e funções de confiança destinados ao Instituto Nacio-
– que “autoriza a criação de Centro Federal de Edu-
nal do Seguro Social – INSS, e cria cargos efetivos de cação Tecnológica – CEFET, no Município de Corinto,
Perito Médico Previdenciário”. no Estado de Minas Gerais”.
RELATOR: ­Deputado GERMANO BONOW. RELATOR: D ­ eputado DANIEL ALMEIDA.
DECURSO: 3ª SESSÃO
PROJETO DE LEI Nº 5.648/09 – do Senado Federal
ÚLTIMA SESSÃO: 23-09-09
– Flávio Arns – (PLS 429/2008) – que “autoriza o Po-
Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º) der Executivo a criar a Escola Técnica de Campina da
Lagoa, vinculada à Universidade Tecnológica Federal
PROJETO DE LEI Nº 5.781/09 – do Sr. José Aníbal do Paraná – UTFPR”.
– que “estabelece regras emergenciais e específicas RELATOR: D ­ eputado SÉRGIO MORAES.
para combate a epidemias ou pandemias no âmbito PROJETO DE LEI Nº 5.650/09 – do Senado Federal
nacional, inclusive, tratamento tributário diferenciado – João Pedro – (PLS 354/2008) – que “autoriza o Po-
para aquisição, fabricação e importação de bens ne- der Executivo a criar o Centro Federal de Educação
cessários no mercado interno e no exterior”. Tecnológica (Cefet) de Tefé, no Município de Tefé, no
RELATOR: ­Deputado ELEUSES PAIVA. Estado do Amazonas”.
DECURSO: 4ª SESSÃO RELATOR: D ­ eputado SABINO CASTELO BRANCO.
ÚLTIMA SESSÃO: 22-09-09 PROJETO DE LEI Nº 5.654/09 – do Senado Federal –
Flávio Arns – (PLS 416/2008) – que “autoriza o Poder
Substitutivo (Art. 119, II e §1º) Executivo a criar a Escola Técnica de Cerro Azul, vinculada
AS PROPOSIÇÕES ABAIXO SOMENTE RECEBE- à Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR),
RÃO EMENDAS APRESENTADAS POR MEMBROS no Município de Cerro Azul, no Estado do Paraná”.
DESTA COMISSÃO RELATOR: D ­ eputado LUIZ CARLOS BUSATO.
PROJETO DE LEI Nº 5.738/09 – do Senado Federal
PROJETO DE LEI Nº 4.389/04 – do Sr. João Campos –
– Fátima Cleide – (PLS 398/2008) – que “autoriza o
que “dispõe sobre a gratuidade do traslado interestadual
Poder Executivo a criar a Escola Agrotécnica Federal
de cadáveres ou restos mortais humanos, bem como do Vale do Anari, com sede no Município do Vale do
de órgãos e tecidos humanos para fins de transplante, Anari, no Estado de Rondônia”.
por empresas brasileiras de transporte aéreo”. RELATOR: D ­ eputado MAURO NAZIF.
RELATORA: Deputada ELCIONE BARBALHO. PROJETO DE LEI Nº 5.775/09 – do Senado Federal
COMISSÃO DE TRABALHO, – Adelmir Santana – (PLS 166/2008) – que “autoriza
DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO o Poder Executivo a criar a Escola Técnica Federal do
Gama, no Distrito Federal”.
AVISOS RELATOR: D ­ eputado LAERTE BESSA.
Substitutivo (Art. 119, II e §1º)
PROPOSIÇÕES EM FASE DE
AS PROPOSIÇÕES ABAIXO SOMENTE RECEBE-
RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES)
RÃO EMENDAS APRESENTADAS POR MEMBROS
DECURSO: 2ª SESSÃO DESTA COMISSÃO
ÚLTIMA SESSÃO: 24-09-09 PROJETO DE LEI Nº 3.439/00 – do Sr. Cezar Schirmer
Substitutivo (Art. 119, II e §1º) – que “acrescenta inciso ao art. 20 da Lei nº 8.036, de 11
de maio de 1990, a fim de permitir a movimentação da
AS PROPOSIÇÕES ABAIXO SOMENTE RECEBE- conta vinculada no FGTS para o pagamento do preço
RÃO EMENDAS APRESENTADAS POR MEMBROS da aquisição de lote destinado à construção de moradia
DESTA COMISSÃO própria”. (Apensados: PL 3538/2000, PL 3580/2000, PL
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51465 

3871/2000, PL 1992/2003, PL 4940/2005, PL 6217/2005, PROJETO DE LEI Nº 5.893/09 – do Poder Executivo –


PL 3447/2008, PL 4468/2008 e PL 5422/2009) que “altera a Lei nº 5.917, de 10 de setembro de 1973,
RELATORA: Deputada ANDREIA ZITO. que aprova o Plano Nacional de Viação, para incluir na
PROJETO DE LEI Nº 5.182/09 – da Sra. Andreia Zito Relação Descritiva das Rodovias do Sistema Rodovi-
– que “altera a Lei nº 8.878, de 11 de maio de 1994, ário Federal a Rodovia de Ligação BR-478”.
para acrescentar o art. 6-A, dispondo sobre a conta- RELATOR: D ­ eputado ROBERTO BRITTO.
gem de tempo de serviço para fins de aposentadoria
II – COMISSÕES TEMPORÁRIAS
e concessão de pensão por morte”.
RELATORA: Deputada GORETE PEREIRA. COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A
COMISSÃO DE VIAÇÃO E TRANSPORTES PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE
EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 300-A, DE 2008,
AVISOS DO SR. ARNALDO FARIA DE SÁ, QUE “ALTERA
A REDAÇÃO DO § 9º, DO ARTIGO 144 DA
PROPOSIÇÕES EM FASE DE CONSTITUIÇÃO FEDERAL”. ESTABELECE QUE
RECEBIMENTO DE EMENDAS A REMUNERAÇÃO DOS POLICIAIS MILITARES
A PARTIR DE AMANHÃ (DIA 22/09/2009)
DOS ESTADOS NÃO PODERÁ SER INFERIOR À
Substitutivo (Art. 119, II e §1º) DA POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL,
APLICANDO-SE TAMBÉM AOS INTEGRANTES
AS PROPOSIÇÕES ABAIXO SOMENTE RECEBE- DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
RÃO EMENDAS APRESENTADAS POR MEMBROS
E AOS INATIVOS.
DESTA COMISSÃO
PROJETO DE LEI Nº 5.380/09 – do Sr. José Airton Ci- AVISO
rilo – que “inclui na Relação Descritiva das Rodovias do
Sistema Rodoviário Federal, anexo da Lei nº 5.917, de PROPOSIÇÕES EM FASE DE
de 10 de setembro de 1973, que dispõe sobre o Plano RECEBIMENTO DE EMENDAS (10 SESSÕES)
Nacional de Viação, o trecho rodoviário com pontos de DECURSO: 8ª SESSÃO
passagem pela BR-222, Km 77,9 – São Luis do Curu ÚLTIMA SESSÃO: 23-09-09
– Pentecoste – General Sampaio – Paramoti – até a
BR -20 no Km 337,8 no Estado do Ceará”. Proposta de Emenda à Constituição
RELATOR: ­Deputado MARCELO TEIXEIRA. (Art. 202, §3º)
PROPOSIÇÕES EM FASE DE PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 300/08
RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 SESSÕES) – do Sr. Arnaldo Faria de Sá – que “altera a redação
DECURSO: 1ª SESSÃO do § 9º do art. 144 da Constituição Federal”.
ÚLTIMA SESSÃO: 25-09-09 RELATOR: D ­ eputado MAJOR FÁBIO.
Substitutivo (Art. 119, II e §1º) COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A
AS PROPOSIÇÕES ABAIXO SOMENTE RECEBE- PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE
RÃO EMENDAS APRESENTADAS POR MEMBROS EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 351-A, DE 2009,
DESTA COMISSÃO DO SENADO FEDERAL, QUE “ALTERA O
PROJETO DE LEI Nº 5.478/09 – do Sr. Professor Ruy ART. 100 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E
Pauletti – que “altera a Lei nº 5.917, de 10 de setem- ACRESCENTA O ART. 97 AO ATO DAS
bro de 1973, que aprova o Plano Nacional de Viação, DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS
para incluir, na Relação Descritiva das Ferrovias, os TRANSITÓRIAS, INSTITUINDO REGIME
trechos que especifica”. ESPECIAL DE PAGAMENTO DE
RELATOR: ­Deputado JAIME MARTINS. PRECATÓRIOS PELOS ESTADOS,
DECURSO: 5ª SESSÃO DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS”
ÚLTIMA SESSÃO: 21-09-09
AVISO
Projetos de Lei (Art. 119, I e §1º)
PROPOSIÇÕES EM FASE DE
PROJETO DE LEI Nº 5.717/09 – do Sr. Felipe Bornier
RECEBIMENTO DE EMENDAS (10 SESSÕES)
– que “dispõe sobre afixação de mensagem educativa
no painel dos automóveis”. DECURSO: 1ª SESSÃO
RELATOR: ­Deputado LÚCIO VALE. ÚLTIMA SESSÃO: 02-10-09
51466  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Proposta de Emenda à Constituição – Plenário, bem como do Relatório e do Voto que o


(Art. 202, §3º) fundamentam, atinentes ao Levantamento de Audito-
ria realizado nas obras de implantação do Perímetro
PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº Irrigado de Rio Bálsamo, em Palmeiras dos Índios, no
351/09 – do Senado Federal – Renan Calheiros – Estado de Alagoas. (TC 017.176/2007-7).
(PEC 12/2006) – que “altera o art. 100 da Constitui- RELATOR: D ­ eputado GERALDO RESENDE
ção Federal e acrescenta o art. 97 ao Ato das Dispo-
sições Constitucionais Transitórias, instituindo regime PROPOSIÇÕES EM FASE DE
especial de pagamento de precatórios pelos Esta- RECEBIMENTO DE EMENDAS (8 DIAS)
dos, Distrito Federal e Municípios”. (Apensados: PEC DECURSO: 2º DIA
116/2003 (Apensado: PEC 329/2009), PEC 250/2004 ÚLTIMO DIA: 27/09/2009
(Apensados: PEC 527/2006, PEC 572/2006, PEC
PROJETO DE LEI Nº 61/2009-CN, que “abre ao Orça-
588/2006, PEC 67/2007, PEC 69/2007, PEC 153/2007
mento de Investimento para 2009, em favor de empre-
e PEC 243/2008), PEC 290/2004, PEC 467/2005, PEC
sas dos Grupos ELETROBRÁS e PETROBRÁS, crédito
366/2009 e PEC 395/2009)
especial no valor total de R$ 4.629.593.230,00 (quatro
COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR bilhões, seiscentos e vinte e nove milhões, quinhentos
PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À e noventa e tres mil e duzentos e trinta reais), para os
CONSTITUIÇÃO Nº 485-A, DE 2005, fins que especifica.”
DA SRA. SANDRA ROSADO, QUE “DÁ NOVA
REDAÇÃO AO ART. 98 DA CONSTITUIÇÃO IV – COORDENAÇÃO
FEDERAL, PREVENDO A CRIAÇÃO DE VARAS DE COMISSÕES PERMANENTES
ESPECIALIZADAS NOS JUIZADOS ESPECIAIS
ENCAMINHAMENTO DE MATÉRIA ÀS COMIS-
PARA AS QUESTÕES RELATIVAS
SÕES EM 18/09/2009:
ÀS MULHERES”.
Comissão da Amazônia, Integração Nacional e de
AVISO Desenvolvimento Regional:
PROPOSIÇÕES EM FASE DE PROJETO DE LEI Nº 5.957/2009
RECEBIMENTO DE EMENDAS (10 SESSÕES) Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento
DECURSO: 2ª SESSÃO e Desenvolvimento Rural:
ÚLTIMA SESSÃO: 01-10-09 PROJETO DE LEI Nº 5.898/2009
Proposta de Emenda à Constituição PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº
(Art. 202, §3º) 103/2009
PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 485/05 Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação
– da Sra. Sandra Rosado e outros – que “dá nova re- e Informática:
dação ao art. 98 da Constituição Federal, prevendo a MENSAGEM Nº 725/2009
criação de varas especializadas nos juizados especiais PROJETO DE LEI Nº 5.924/2009
para as questões relativas às mulheres”. Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania:
RELATORA: Deputada ALICE PORTUGAL.
PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 2.379/2006
III – COMISSÕES MISTAS PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 1.387/2009
PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 1.388/2009
COMISSÃO MISTA DE PLANOS, PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 1.389/2009
ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 1.391/2009
PROJETO DE LEI Nº 2.665/2000
AVISOS
PROJETO DE LEI Nº 2.876/2000
PROPOSIÇÕES EM FASE DE PROJETO DE LEI Nº 3.271/2000
RECEBIMENTO DE EMENDAS (5 DIAS ÚTEIS) PROJETO DE LEI Nº 3.530/2000
PROJETO DE LEI Nº 969/2003
DECURSO: 5º DIA PROJETO DE LEI Nº 7.409/2006
ÚLTIMO DIA: 21/09/2009 PROJETO DE LEI Nº 2.109/2007
PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO, referente ao PROJETO DE LEI Nº 2.135/2007
Aviso nº 28/2009-CN, que “encaminha ao Congres- PROJETO DE LEI Nº 2.226/2007
so Nacional cópia do Acórdão nº 1330/2009 – TCU PROJETO DE LEI Nº 2.247/2007
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51467 

PROJETO DE LEI Nº 2.314/2007 Eu mesmo, há cerca de 10 dias, era paraninfo,


PROJETO DE LEI Nº 2.368/2007 em Parnaíba, do Curso de Pedagogia da Universidade
PROJETO DE LEI Nº 2.390/2007 Estadual do Piauí – UESPI, e fiquei frustrado porque
PROJETO DE LEI Nº 2.425/2007 quando adentrei o avião, às 17h20min, fomos adver-
PROJETO DE LEI Nº 3.582/2008 tidos pela torre que, em Parnaíba, há 8 meses, não
PROJETO DE LEI Nº 4.487/2008 pousa avião noturno em razão da reforma do aeroporto.
PROJETO DE LEI Nº 4.927/2009 Ora, quem tem competência para fazer a reforma do
PROJETO DE LEI Nº 5.884/2009 aeroporto não precisa destruir o balizamento da torre
PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 382/2008
do aeroporto, se o está ampliando, sobretudo, para
PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 509/2009
avião de pequeno porte. Nessa mesma data deixei de
PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 356/2009
PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 392/2009 atender ao honroso convite da competente professora
RECURSO Nº 176/2008 Rosany Correa, diretora-geral do campus da FAP, de
Parnaíba por ocasião dos seus 10 anos de fecunda
Comissão de Finanças e Tributação:
atividade acadêmica no litoral piauiense.
PROJETO DE LEI Nº 5.870/2009 Então, é esse apelo que faço à INFRAERO, posto
PROJETO DE LEI Nº 5.937/2009 que fiquei frustrado por não poder atender aos 2 com-
Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento promissos acadêmicos, uma das raras ocasiões que
Sustentável: a vida pública me tem gratificado.
PROJETO DE LEI Nº 5.885/2009 Quero aqui também aproveitar para agradecer a
PROJETO DE LEI Nº 5.934/2009 atenção recebida hoje por parte do Diretor Fernando
Nicácio e toda sua equipe, jovens competentes, econo-
Comissão de Trabalho, de Administração e Servi-
mistas, administradoras, advogadas e arquitetas, quando
ço Público:
lá tratamos de assuntos ligados à área da INFRAERO,
PROJETO DE LEI Nº 5.627/2009 envolvendo o Ceará e o Piauí, Estados vizinhos.
PROJETO DE LEI Nº 5.851/2009 Sr. Presidente, como comunicação parlamentar,
PROJETO DE LEI Nº 5.932/2009
eu quero aqui chamar a atenção para a manchete de
NOTA: SUGESTÃO DE MODELO DE EMENDA DIS- primeira página do jornal O Globo da última segunda-
PONÍVEL NA INTRANET: feira, dia 07 de setembro, sob o título: “Mais da metade
http://intranet/Diretoria/Decom/Formulario/MODELO do cerrado brasileiro já foi desmatado”.
DE EMENDA.doc É da maior gravidade essa notícia, Sr. Presidente,
(Encerra-se a sessão às 11 horas e 59 porque exatamente no cerrado estão as 3 principais ba-
minutos.) cias hidrográficas brasileiras, e a do Rio São Francisco
e do Rio Parnaíba, no meu Estado, estão entre elas.
DISCURSO PROFERIDO PELO SR. DE-
Aplaudo, no mesmo jornal, a notícia divulgada de que
PUTADO PAES LANDIM NO PERÍODO DES-
o Ministério do Meio Ambiente está preocupado com a
TINADO A COMUNICAÇÕES PARLAMENTA-
destruição do cerrado, e quer dar a ele a mesma aten-
RES DA SESSÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA
ção dispensada à Amazônia, até porque, segundo as
DOS DEPUTADOS Nº 238, REALIZADA EM
estatísticas do próprio Ministério do Meio Ambiente, o
10 DE SETEMBRO DE 2009 – RETIRADO
bioma cerrado já perdeu quase 1 milhão de quilômetros
PELO ORADOR PARA REVISÃO:
quadrados, 50% da área original. Mas, segundo outras
O SR. PAES LANDIM (PTB-PI e Como Líder.) – Sr. autoridades, outros cientistas ou, no caso aqui, o pró-
Presidente, em nome da Liderança, apelo para a INFRA- prio biólogo Gustavo Fonseca, essa estimativa é muito
ERO a fim de restabelecer a capacidade do Aeroporto otimista. Ele acha que a destruição é muito maior.
de Parnaíba para pouso noturno. Trata-se de uma tra- E veja bem, Sr. Presidente, já era tempo de o
dição antiga do Aeroporto de Parnaíba. Mas a empresa cerrado, como diz muito bem o jornal, receber uma
que ganhou a concorrência para ampliar o aeroporto, atenção específica da área ambiental no Brasil, posto
dar a ele conotação internacional, por determinação do que agora anunciam seu monitoramento via satélite,
Governo do Presidente Lula – que lá esteve pessoal- como se faz na Amazônia.
mente, há 2 anos –, parece-me, sem muita experiência Ora, o cerrado, esse bioma que vai do litoral do
no ramo. Embora esteja trabalhando há cerca de 1 ano, Maranhão até o norte do Paraná e o sul do Mato Gros-
ela simplesmente destruiu as luminárias do aeroporto, so, cobre cerca de um quarto do território brasileiro,
o balizamento noturno, o que causa transtorno. aí incluídos também o oeste da Bahia, o sul do Mara-
51468  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

nhão, o sudoeste do Piauí e o norte do Mato Grosso. nhou, como jornalista, os 2 lados do fenômeno: seca
É o segundo maior bioma da América do Sul depois e inverso. Já disse isso aqui várias vezes.
da Amazônia e a savana de maior biodiversidade do Falamos sempre aqui ao deserto para as auto-
mundo. É prevista no cerrado a existência de quase 12 ridades do meio ambiente. Todas elas e todos os Mi-
mil espécies de plantas, muitas delas com proprieda- nistros não levam em conta que efetivamente esses
des medicinais e milhares delas endêmicas, ou seja, 2 biomas mereceriam uma atenção muito importante
que só existem no cerrado. por parte do Ministério do Meio Ambiente. Oxalá que
Já disse aqui certa feita que a sua fauna e flora essas notícias divulgadas pelo Ministério do Meio Am-
são talvez as mais bonitas do nosso bioma, mas prati- biente sobre o monitoramento do cerrado, anunciado
camente todas já destruídas. As previsões consideram pelo jornal O Globo, fossem verdadeiras, pois pode
que, no caso do meu Estado, o Piauí, se não forem
significar uma mudança cultural da própria estrutura
tomadas providências fortes de reversão de expecta-
do Ministério do Meio Ambiente.
tiva de destruição no cerrado, poderá ser um grande
Ora, Sr. Presidente, estudos científicos têm pro-
deserto dentro dos próximos 20 anos.
vado que certas áreas do cerrado do Piauí, e mesmo
É inconcebível, Sr. Presidente, por exemplo, que
certas áreas aproximas do cerrado, como a zona da
seja autorizada a exploração de carvoarias no cerra-
do piauiense, destruindo nossas madeiras, para levar caatinga, que faz fronteiras com o cerrado, já foram
carvão não para propiciar siderurgias nossas, mas dos áreas de Mata Atlântica. Ao longo dos séculos, essa
outros Estado. Disso se deduz a falta de fiscalização Mata Atlântica foi se destruindo até se transformar no
do IBAMA e da própria Polícia Federal, cuja presença que é hoje.
é indispensável para a proteção do nosso cerrado. O certo é que essa manchete do jornal O Glo-
Sempre lamentei, Sr. Presidente, que na estrutu- bo, repercutirá na mentalidade da sociedade brasileira
ra do Ministério do Meio Ambiente, do IBAMA e agora como um grito de socorro, de apoio, de incentivo até
do Instituto Chico Mendes não haja uma autoridade ao anúncio do Ministério do Ambiente de que vai re-
especializada em cerrado, em caatinga de ambas en- almente adotar uma política firme de proteção do cer-
tidades, o que mostra, de certa maneira, uma certa rado, sob pena de transformá-lo num grande deserto,
displicência, uma certa desproteção política em rela- como já ameaça o meu Estado do Piauí, exatamente
ção ao cerrado e à caatinga. por falta de fiscais do IBAMA, por falta de funcionários
Por outro lado, esta Casa se mostra insensível ambientalistas nos seus parques ambientais, como é o
ao drama do cerrado e da caatinga. Aqui se arrasta, caso do próprio Parque Nacional das Nascentes do Rio
há alguns anos, a emenda constitucional que inclui o Parnaíba e o Parque Nacional da Serra das Confusões.
cerrado e a caatinga dentro da mesma estrutura nor- Isso realmente frustra, Sr. Presidente, as expectativas
mativa constitucional de proteção, a exemplo do Pan- de proteção de nossos biomas caatinga e cerrado.
tanal, da Mata Atlântica e da Amazônia. Por último, Sr. Presidente, não custa lembrar que
Esse é um trabalho que vem sendo feito aqui por o INCRA, ao fazer seus assentamentos, deveria ter a
um verdadeiro Dom Quixote, esse grande ­Deputado de preocupação maior também com a proteção ambien-
Goiás, o ­Deputado Pedro Wilson. É importante a Casa
tal, com a plantação de árvores, para reverter o grande
dar uma resposta à sociedade brasileira, ao mundo,
desmatamento provocado pela construção de casas
mostrando a nossa preocupação com o meio ambien-
e de áreas para o trabalho dos assentados. Acho até
te. Essa proteção do cerrado e da caatinga, dentro do
mesmo que o INCRA deveria sempre submeter suas
contexto constitucional, ajudaria muito as políticas pú-
políticas de assentamento das áreas circunvizinhas a
blicas efetivamente de proteção desses 2 biomas – um
fantástico, pela sua exuberância e biodiversidade, o determinados biomas, sobretudo junto a parques am-
outro pelo seu belo exotismo, porque praticamente só bientais ou áreas de proteção ambiental, ao Ministério
existe no Brasil o ecossistema da caatinga, com uma do Meio Ambiente, para evitar colisão de interesses
riqueza diferenciada. Também a desertificação, através ambientais no País com a política estabelecida pelo
do desmatamento, das práticas e cultivo agrícola ain- próprio INCRA.
da do tempo dos indígenas vem atingindo nossa bela Muito obrigado, Sr. Presidente.
caatinga, que é um verdadeiro paraíso quando chove, O SR. PRESIDENTE (Luiz Couto) – Quero para-
na expressão de Euclides da Cunha, que estudou a benizá-lo, ­Deputado Paes Landim, pelo pronunciamento
sua exuberância e também a sua maldição na época e dizer a V.Exa. que, ou defendemos nossa caatinga e
de seca, porque na Batalha de Canudos, ele acompa- nossos cerrados, ou estaremos todos ferrados.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51469 

Ata da 249ª Sessão, Solene, Vespertina,


em 18 de setembro de 2009
Presidência dos Srs. Cleber Verde, Bel Mesquita, § 2º do art. 18 do RI

I – ABERTURA DA SESSÃO dos, mas nos deixa o seu pronunciamento, que, nesta
(Às 15h9) oportunidade, passo a ler:
“Sras. e Srs. ­Deputados, é com grande senso de
O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Declaro
justiça que esta Casa se reúne hoje, em sessão sole-
aberta a sessão.
ne, para comemorar o Dia do Garimpeiro, quando já
Sob a proteção de Deus e em nome do povo
se encontra em vigor, há mais de ano, o Estatuto do
brasileiro iniciamos nossos trabalhos.
Garimpeiro, a Lei nº 11.685, de 2008.
II – LEITURA DA ATA Nessa circunstância, as homenagens devidas
ao profissional do garimpo já sinalizam a promessa
O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Fica dis-
de novos tempos – a atividade já regulamentada e ga-
pensada a leitura da ata da sessão anterior.
rantida por lei, a respectiva realização integrando-se,
O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Passa-se sob todos os aspectos, à dinâmica social e econômica
à leitura do expediente. da Nação brasileira.
A SRA. BEL MESQUITA, servindo como 1º Se- Trata-se, na verdade, do honroso resultado de um
cretário, procede à leitura do seguinte grande esforço, seriamente empreendido por garimpei-
III – EXPEDIENTE ros, entidades sindicais, Parlamentares e membros do
Poder Executivo, a culminar no marco regulatório da
(Não há Expediente a ser lido) profissão, primeiro passo em direção a um novo capí-
O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Passa- tulo na história da exploração mineral do País.
se à E é longa, como sabemos, esta história. Logo
IV – HOMENAGEM depois da exploração do pau‑brasil, foi o produto da
mineração em terras brasileiras que enriqueceu de
O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – A presente forma até então inimaginável a metrópole portugue-
sessão solene objetiva homenagear o Dia Nacional do sa, nos primórdios da colonização. Donos que somos
Garimpeiro e foi requerida por mim, ­Deputado Cleber de uma das maiores e mais variadas jazidas minerais
Verde, do Estado do Maranhão. do globo, não podemos negar que somos tributários
Nesta oportunidade, para darmos início aos nos- de uma atividade secular, que se vem transformando
sos trabalhos, convido para fazer parte desta Mesa o com o advento das tecnologias, sustenta empresas
Sr. Toni Duarte, Presidente da Associação Nacional do porte da Companhia Vale do Rio Doce e continua
dos Garimpeiros de Serra Pelada – AGASP Brasil despertando a cobiça internacional.
(palmas); o Sr. Raimundo Ramalho, Vice-Presidente Nesse contexto especialmente complexo, a figura do
da AGASP Brasil (palmas); o Sr. Manoel Faustino dos garimpeiro autônomo, em labuta sob sol e condições de
Santos, líder garimpeiro do Estado do Piauí (palmas); trabalho inclementes, encontrou a esperança de se ver in-
o Sr. Orlindo Pereira de Souza, líder garimpeiro do serido na cadeia produtiva e no meio social, deixando para
Entorno de Brasília. (Palmas.) trás longas décadas de marginalização e sofrimento.
Na sequência, chamaremos os demais líderes A despeito das imperfeições porventura existen-
garimpeiros que aqui se encontram, considerando o tes, insistimos em que a entrada em vigor do Estatuto
espaço reduzido da mesa. do Garimpeiro é a promessa de resgate de muitas in-
Convido todos a ouvirem, de pé, o Hino Nacional. justiças contra a categoria dos garimpeiros, ao tempo
em que é promessa do exercício de uma atividade re-
(É executado o Hino Nacional.)
gulamentada, tendo em vista o respeito às normas de
O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – O Sr. Pre- segurança no trabalho e, simultaneamente, a proteção
sidente desta Casa, nobre e eminente ­Deputado Michel ao meio ambiente e às terras indígenas.
Temer, do PMDB de São Paulo, lamenta a ausência, Estima-se em 1,5 milhão o contingente de garim-
em função de compromissos anteriormente assumi- peiros em atividade no Brasil. Desses, apenas 350 mil
51470  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

encontram-se trabalhando de forma regular, de acor- vida digna e proteção dos poderes constituídos, como
do com a legislação minerária ou sob a proteção da prescreve nossa Constituição.
legislação trabalhista. Muito obrigado.”
Agora, com o suporte do Estatuto, garimpeiros Essas são as palavras do Presidente, que agra-
poderão trabalhar de forma autônoma, em regime de dece a todos e deseja-lhes uma excelente sessão so-
economia familiar, mediante contrato de parceria, ou lene. (Palmas.)
sob a forma de cooperativa, ou outra forma de asso- Não poderíamos esperar do nosso eminente
ciativismo. Dependendo apenas da outorga do compe- Presidente senão palavras de apoio e de incentivo aos
tente título minerário, expedido de acordo com a lei, ao garimpeiros de todo o Brasil que certamente estão re-
garimpeiro serão cominados os deveres de recupera- presentados pelos senhores e senhoras no plenário
ção de áreas degradadas, de cumprimento de dispo- desta que é a Casa do povo, desse povo que deve es-
sições do Código de Mineração, no que lhe couber, e tar assistindo a esta sessão pela TV Câmara em todo
da obediência às normas legais quanto à segurança o País e quiçá no mundo. (Palmas.)
e à saúde no trabalho, além da expressa proibição de O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Dando conti-
trabalho para menores de 18 anos. nuidade a esta sessão, convido a eminente Deputada Bel
São muitos progressos, Sras. e Srs. ­Deputados, Mesquita, do PMDB, para assumir os trabalhos, enquan-
que se refletirão a curto e a longo prazo na atividade ga- to eu me dirijo à tribuna para proferir discurso que fiz em
rimpeira no Brasil. E toda a sociedade será beneficiada, homenagem aos garimpeiros de todo o Brasil.
na medida da exploração ambientalmente responsável O Sr. Cleber Verde, § 2º do art. 18 do
e da geração e recolhimento de impostos, como ocorre Regimento Interno, deixa a cadeira da presi-
com qualquer atividade econômica no País. dência, que é ocupada pela Sra. Bel Mesquita,
São promessas, repetimos, que vão ao encontro de § 2º do art. 18 do Regimento Interno.
nossos anseios de crescimento, desenvolvimento susten- A SRA. PRESIDENTA (Bel Mesquita) – Con-
tável e de resgate de nossa imensa dívida social. cedo a palavra ao ­Deputado Cleber Verde, autor do
Quanto às lacunas do Estatuto, estamos certos requerimento.
de que o trabalho desta Casa se mostrará mais uma O SR. CLEBER VERDE (Bloco/PRB-MA. Sem re-
vez atento e eficaz, especialmente no que se refere visão do orador.) – Exma. Sra. Presidenta desta Casa
a questões como a aposentadoria especial para ga- nesta oportunidade, nobre e eminente Deputada Bel
rimpeiros, tendo em vista as condições insalubres de Mesquita, do Estado do Pará, em nome de quem cum-
trabalho, a exemplo do que já ocorre com o pescador primento todas as Sras. e Srs. ­Deputados que estão
e o lavrador brasileiros, e a retomada das negociações em plenário ou nesta Casa e que nos assistem pela
envolvendo as centenas de milhares de garimpeiros TV Câmara.
de Serra Pelada, que, após o fechamento do garimpo, Cumprimento o Sr. Toni Duarte, Presidente da As-
permaneceram sem qualquer apoio dos poderes pú- sociação Nacional dos Garimpeiros de Serra Pelada –
blicos, vivendo em condições de extrema dificuldade, AGASP Brasil; o Sr. Raimundo Ramalho, Vice‑Presidente
juntamente com suas famílias. da AGASP Brasil; o Sr. Manoel Faustino dos Santos, Líder
Nossa esperança é que, a partir de agora, o ga- Garimpeiro do Piauí; e o Sr. Orlindo Pereira de Souza,
rimpeiro brasileiro, trabalhando em terras brasileiras, Líder Garimpeiro do Entorno de Brasília.
participando ativamente do desenvolvimento econômico Em nome dos senhores que compõem esta Mesa
por meio da mineração legal, venha a se inserir de for- cumprimento todos os garimpeiros e todas as garim-
ma digna e produtiva no mercado de trabalho nacional, peiras que nos dão a honra de estar conosco nesta
recebendo o amparo e a atenção que a atividade exige, tarde e todos os garimpeiros que, com certeza, no
em termos de compensações para a insalubridade, de Pará, no Maranhão, em todo o Brasil, estão tendo a
estabelecimento de condições de segurança, de oferta oportunidade de assistir a esta sessão solene em ho-
de assistência técnica e educação ambiental. menagem ao garimpeiro. Como o Dia do Garimpeiro
Finalizando, gostaríamos de parabenizar a inicia- foi em 21 de julho e, portanto, a Câmara estava em
tiva do ilustre ­Deputado Cleber Verde, incansável bata- recesso, não tivemos oportunidade de fazer esta justa
lhador pelas causas dos garimpeiros, de realizar esta homenagem exatamente no dia em que se comemora
sessão solene. Aproveitamos para reiterar o empenho o Dia Nacional do Garimpeiro.
da Câmara dos ­Deputados na melhoria das condições Portanto, foi reservada esta sessão solene para,
de vida de todos os trabalhadores brasileiros. Cada um neste dia, homenagearmos os garimpeiros de todo o
e todos são meritórios de acesso à saúde, educação, Brasil. E é um grande prazer, eminente Deputada, no-
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51471 

bre, querido e estimado ­Deputado Marcio Junqueira, gal daquilo que lhes garantia a aposentadoria, apenas
estar aqui nesta data para comemorarmos, juntos, por meio de comprovação de sua atividade. O Gover-
esse dia, regulado no art. 18 da Lei nº 11.685, de 2 de no retirou do texto legal essa garantia ao garimpeiro,
junho de 2008, que institui o Estatuto do Garimpeiro e assim como tem hoje o lavrador e o pescador. Essa
dá outras providências. definição precisa ser resgatada. Quando o § 8º do art.
O nosso trabalho na Câmara dos ­Deputados tem 195 foi excluído, retirou-se do texto constitucional a ga-
sido incessantemente para ajudar a transformar a re- rantia de que o garimpeiro era um segurado especial.
alidade daqueles que trabalham nos garimpos e que Essa retirada foi feita de uma forma que prejudicou o
tiveram tolhidos os seus direitos, privados de condições garimpeiro de todo o Brasil.
digna de vida, com um futuro comprometido, o direito Hoje, mais de 40 mil garimpeiros do Maranhão
à aposentadoria, reiterado do texto do Estatuto. acalentam o sonho de ver o retorno dos recursos des-
Em audiência pública, realizada dia 26 de novembro tinados àquele garimpo e à sua manutenção que na
de 2008, na Comissão de Direitos Humanos e Minorias, época era feito de forma anual.
foi discutida a real situação dos garimpeiros, principal- Quem está aqui e esteve em Serra Pelada e quem
mente os que estiverem em Serra Pelada. Vejam que, só está nos assistindo sabe que, quando da exploração do
no Maranhão, mais de 100 mil pessoas se deslocaram Garimpo de Serra Pelada, as sobras de ouro, prata e
para os garimpos, na esperança de melhorar a vida, na paládio, oriundas dos 400 primeiros lotes de minérios
esperança de sustentar a família. Aliás, tenho orgulho de extraídos desse garimpo, segundo consta, encontra-se
estar nesta Casa representando o povo maranhense, que em poder da Caixa Econômica Federal para manuten-
me deu a oportunidade de representar não só o Estado, ção manual feita no garimpo.
mas também o povo brasileiro. Com o fechamento do garimpo, esses recursos
Registro ademais que está inserido no nosso advindos das sobras de minérios teriam que ser rever-
contexto de trabalho nesta Casa a coordenação da tidos aos garimpeiros.
Frente Parlamentar em Defesa dos Garimpeiros e Segundo informações colhidas na referida audi-
também da Frente Parlamentar em Defesa dos Apo- ência pública que, como Vice‑Presidente da Comissão
sentados e Pensionistas de todo o País. Ratificamos de Direitos Humanos, tive a oportunidade de requerer,
o nosso compromisso com eles nesta oportunidade, e para a qual foram convidados a Polícia Federal, o Mi-
porque entendemos que o trabalhador e o aposenta- nistério Público, o DNPM e entidades representativas
do precisam ter de fato Deputadas e ­Deputados com- para discutirem sobre essas sobras, o Banco Central
prometidos com essa bandeira. Faço este registro na do Brasil, por meio do Ofício nº 96.391, de 10 de maio
certeza e na esperança de melhorar a vida dos traba- de 1996, informou ao Secretário-Executivo do Minis-
lhadores e aposentados brasileiros, na esperança de tério da Fazenda, Dr. Pedro Parente, que a análise
poder fazer com que o nosso trabalho possa ajudar na feita pela Casa da Moeda do Brasil indica com preci-
sustentação das famílias brasileiras. são o montante de 2.074.556,80 gramas de paládio,
Centenas de garimpeiros morreram e tantos ou- 499.936,69 gramas de prata e 513.148,90 gramas de
tros estão com a saúde fragilizada até hoje. O garimpo platina e outros minérios.
de Serra Pelada foi fechado. Os garimpeiros têm esperança de que haja a redis-
O Governo Collor, faço questão de registrar, fe- tribuirão desses recursos aos que estão cadastrados em
chou o garimpo de Serra Pelada e não deu qualquer cooperativas ou associações. E, aqui, nobre Presidenta
perspectiva àqueles homens e àquelas mulheres que Deputada Bel Mesquita, refiro‑me especialmente aos
ali estavam trabalhando, buscando o seu sustento e garimpeiros maranhenses, com destaque aos do Pará e
o de sua família. do Maranhão, entre os quais muitos morreram ou foram
Não criamos benefício que pudesse permitir a acometidos de graves doenças. As famílias daqueles que
manutenção do seu dia a dia. E lhes foi tirada a opor- morreram aguardam por algum tipo de indenização re-
tunidade de trabalhar, de continuar fazendo a lavra do ferente ao direito que lhes é devido por terem iniciado o
ouro naquele área, deixando-os acéfalos, na verdade, trabalho de garimpagem naquela localidade.
da garantia do seu trabalho. Convidamos as entidades representativas da clas-
Não foi só o garimpeiro que ficou sem trabalho. se dos garimpeiros do Maranhão e de outros Estados
Centenas de empresas foram fechadas. Estavam lá para participarem daquela audiência pública naquela
instaladas e produziam botas, roupas e, depois, ven- data. Convidamos também, como disse há pouco, re-
diam-nas aos garimpeiros. presentantes do Departamento Nacional de Produção
E com o fechamento do garimpo, Sra. Presidenta, Mineral – DNPM, da Caixa Econômica Federal, da Po-
algo ainda mais grave os atingiu: a retirada do texto le- lícia Federal, do Ministério de Minas e Energia e dos
51472  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

demais órgãos envolvidos no assunto, considerando no discurso do Presidente Michel Temer, de fato, como
que alguns dos que trabalharam em empresas que ti- S.Exa. observa, deixou algumas lacunas.
nham maquinários entraram na Justiça. Estamos bus- Foi um avanço, porque reconhece a profissão
cando, por meio de precatório, indenizações vultosas. secular do garimpeiro, que, de forma autônoma e
E é preciso, naquela data, fazer os devidos esclareci- responsável, pode exercer sua atividade observando
mentos. Quando os recursos repassados pela Caixa as questões ambientais. Mas deixou-se de observar,
chegavam, por exemplo, às entidades, eram repassa- por exemplo, a garantia da aposentadoria deste ga-
dos às grandes empresas, mas os garimpeiros não rimpeiro.
viam esse dinheiro. Foi uma constatação que se fez, Quero registrar nesta tarde, neste dia em que se
à época, naquela audiência pública. homenageia o garimpeiro, que tive a oportunidade de
O objetivo da audiência foi discutir, com represen- apresentar alguns projetos para garantir a aposentadoria
tantes de organismos do Governo e com os respon- do garimpeiro de um modo geral. A princípio, apresenta-
sáveis por esses recursos, como estão sendo condu- mos um projeto de lei complementar que vinha garantir ao
zidos os processos existentes e o que os garimpeiros garimpeiro que trabalha – obviamente como autônomo ou
podem esperar desses recursos que estão na Caixa com carteira assinada – em condições de insalubridade,
Econômica Federal. a possibilidade de aposentar-se com menos tempo de
E lá estivemos reunidos, inclusive, com a Caixa serviço, dando-lhe um tratamento diferenciado, ou seja,
Econômica, com o Ministério Público, com a Polícia Fe- tratamento igual para os iguais e desigual para aqueles
deral, como disse, considerando que há um processo que são desiguais. Quem exerce atividade em ambiente
judicial por conta de uma cooperativa de garimpeiros. insalubre, perigoso, correndo risco de vida, tem de ter um
Obviamente, que o processo demanda o pagamento tratamento diferenciado. E nós, oportunamente, nesse
da Caixa a essa cooperativa. projeto, observávamos que ele poderia dar essa garan-
tia de comprovar a insalubridade da atividade, a fim de
A audiência foi de extrema importância. Registro,
lhe garantir o direito a um tempo menor de serviço. Hoje,
nesta tarde, nesta sessão solene: colhemos sugestões
o tempo de serviço para o homem é de 35 anos; para
importantes por parte das entidades representativas
o garimpeiro seria de 30 anos, porque exposto a ativida-
dos garimpeiros.
des especiais, ou de 25 anos, dependendo do contexto.
O que nós sabemos é que a população de Serra
O mesmo aplicar-se-ia à mulher garimpeira, garantindo
Pelada vive em condições subumanas, hoje, pelo menos
a ela o direito especial.
aqueles que vivem no entorno de Serra Pelada. Cer-
Entendíamos que o que foi feito com a retirada do
tamente, a Deputada Bel Mesquita, em seu discurso,
§ 8º do art. 195 da Constituição Federal não permitia
deve fazer a constatação de que centenas de milhares àquele garimpeiro que trabalha, que contribui como au-
de pessoas ainda vivem lá naquelas condições. tônomo, que não tem carteira assinada, contribuir para
Portanto, a Comissão de Direitos Humanos apro- a seguridade social. Tínhamos que resgatar a situação
vou requerimento para que seus membros possam desse garimpeiro. Portanto, ao identificar essa lacuna
conhecer de perto a realidade e fazer sugestões no no Estatuto, apresentamos uma alteração pela Lei nº
sentido de contribuir, principalmente, para que os ga- 5.227, de 2009, acrescentando 2 capítulos.
rimpeiros, sobretudo do Maranhão, que estiverem em No primeiro capítulo, pretendemos exatamente
Serra Pelada, que têm direito ao ouro que está na que esta Casa, ao apreciar o projeto em plenário, ao
Caixa Econômica, tenham o seu direito reconhecido aprová-lo, ao enviá-lo ao Senado e, por fim, à sanção
e, assim, tenha aquilo que vem lutando há mais de 20 presidencial, garanta, como acontece hoje com o la-
anos para ser consumado. Com o fechamento do ga- vrador e com o pescador, a todo garimpeiro do Brasil
rimpo, que tirou dos garimpeiros e pequenos minera- – que trabalha sob as intempéries do dia a dia, sob sol
dores a oportunidade de trabalhar, veio uma situação e sob chuva, e que não está em condições de contri-
de grande dificuldade. buir porque a sua renda não é previsível, e, portanto,
Em Serra Pelada, especialmente em Curionó- trabalha em regime de economia familiar – a renda de
polis, não há infraestrutura do Governo. Nem sequer 1 salário mínimo. Assim, garante-se o retorno àquilo
foi dada aos garimpeiros a ajuda de custo, seja com que preconizava e preconiza a Constituição no seu art.
aposentadoria seja com outro benefício, para garantir 195, a aposentadoria especial.
sua sobrevivência e a da sua família. O garimpeiro era considerado um segurado espe-
Por isso, quero fazer um registro importante, pela cial, com a faculdade de contribuir ou não, comprovando
oportunidade que tivemos da aprovação do Estatuto do sua atividade, por meio de associação, de cooperati-
Garimpeiro. Entendo que o Estatuto aqui mencionado va, apresentando documentos, pois na abrangência
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51473 

do projeto são exigidos diversos documentos: cartei- Seguridade Social e Família prova que se quer de fato
rinha do DNPM; venda do ouro, por meio de recibo fazer justiça aos garimpeiros e a todos aqueles que de
da Caixa Econômica; recibos da cooperativa; recibos fato estão inseridos no contexto do garimpo em todo
da associação; de qualquer caderneta em que conste o Brasil, especificamente aqueles que trabalharam no
sua profissão, e registro na Receita Federal. Ou seja, garimpo de Serra Pelada.
qualquer documento que esteja na mão do garimpei- Digo isso com a satisfação de ter sido o autor
ro, que seja contemporâneo, no qual conste sua pro- desse projeto, com a satisfação de ter acompanhado
fissão, para a mulher, aos 55 anos, e para o homem, e vivenciando um drama de milhares de maranhenses.
aos 60 anos, a fim de que sejam contemplados na ta- Sou do Maranhão, mas recebo e-mails e telefonemas
bela progressiva previdenciária, que vai de 60 a 180 de todo o Brasil exigindo e clamando por justiça, com
contribuições, para que façam jus à aposentadoria de a aprovação deste e de outros projetos que tramitam
1 salário mínimo. nesta Casa, em benefício dos garimpeiros.
Tal procedimento é exigido dos garimpeiros de Faço este registro exatamente por que esta Casa
todo o Brasil que comprovarem sua atividade na con- teve a oportunidade de aprovar e de criar o Estatuto do
dição de segurado especial, constando – repito – a Garimpeiro. Conta hoje também com uma frente su-
sua atividade de garimpeiro. prapartidária de aproximadamente 300 Parlamentares.
No Capítulo II, fizemos questão de destacar, após Todos os partidos participam dessa frente parlamentar.
um trabalho exitoso em Serra Pelada, e o Governo foi Orgulho-me de coordená-la. Como disse, essa frente
injusto, o pagamento de uma indenização aos garim- possui mais de 300 Parlamentares. Além de ­Deputados,
peiros que lá trabalharam. Com o fechamento do ga- há Senadores e representantes de entidades de clas-
rimpo, tirou-se a oportunidade de dezenas, centenas se. Ela tem como objetivo acompanhar até o final a
de milhares de pessoas que lá trabalhavam para o aprovação desse projeto, que, tenho certeza, haverá
sustento de suas famílias, sem se observar sequer a de ser aprovado no Congresso e sancionado pelo Pre-
perspectiva de uma renda mínima para sua manuten- sidente da República. Digo isso com convicção, porque
ção e de sua família. o Vice‑Presidente, José Alencar, já havia sancionado
Apresentamos, no Capítulo II ao Estatuto do Ga- o Estatuto do Garimpeiro, quando, na oportunidade,
rimpeiro, após a aprovação desse projeto, a garantia estava no exercício da Presidência da República, é do
de uma pensão vitalícia, da ordem de 3 salários mí- nosso partido, ­Deputado Marcio Junqueira...
nimos ao garimpeiro que trabalhou em Serra Pelada. Após a aprovação do Congresso, e eu não tenho
(Palmas.) O Governo não está fazendo nenhum favor, dúvida de que receberão esses 2 capítulos o mesmo
pois irá restituir parte do recurso retido na Caixa Eco- tratamento e a sanção, para que, se Deus quiser, muito
nômica, fruto de sobra de ouro, paládio e prata. Essa em breve, aqueles que trabalharam no garimpo de Serra
é uma das formas de se fazer justiça àqueles que lá Pelada e em todos os garimpos do Brasil, que trabalha
trabalharam – alguns inclusive já morreram – e a seus apenas para a sua subsistência e a de sua família, tenham
dependentes, que deverão comprovar essa condição desse benefício, dessa garantia da renda mínima.
de dependente, ou do companheiro que trabalhou em Portanto, ao concluir, quero registrar, de forma
Serra Pelada, por meio de documentos discriminados oportuna, que nós continuaremos aqui, firmes e com-
no projeto de forma clara e concisa, a fim de que faça prometidos com essa causa também, entre as muitas
jus ao benefício de 3 salários mínimos. que assumimos ao longo deste nosso mandato. São
Portanto, faço este registro no momento em que muitas causas. Nós já temos protocolados nesta Casa
a Comissão de Seguridade Social e Família, uma das mais de 300 projetos de lei. Todos dizem respeito à
mais importantes desta Casa, analisa o mérito das vida de brasileiros e brasileiras, de trabalhadores, de
questões da seguridade social e do direito previden- aposentados de modo geral. Esta é uma das bandeiras
ciário. A Comissão de Seguridade Social foi a que que assumi e com a qual pretendo ir até o fim.
primeiro recebeu esse projeto. Nesta oportunidade, Faço esse registro, nobre Presidenta Bel Mes-
neste dia tão importante, quero dizer aos senhores e quita, exatamente porque, quando solicitei audiência
às senhoras que aqui se encontram, nobre Deputada pública convocando a Polícia Federal, o Ministério Pú-
Bel Mesquita, e a todos que nos assistem, que a Co- blico, o DNPM e as entidades, muitas pessoas enviaram
missão de Seguridade Social e Família, por intermédio e-mail, perguntando se eu realmente teria coragem de
da Relatoria da eminente Deputada Elcione Barbalho, entrar nessa briga, se eu realmente teria coragem de
aprovou o relatório. Ele foi acolhido – registro neste dia entrar nessa luta em favor dos garimpeiros, porque
– unanimemente pelos membros daquela Comissão. muitos já se foram, muitos já morreram lutando em
Ou seja, a aprovação desse projeto na Comissão de favor dos garimpeiros.
51474  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Registro aqui, com satisfação, em nome dos ga- garantir, com urgência, repito, a aprovação no plená-
rimpeiros maranhenses, em nome dos garimpeiros de rio desta Casa.
todo o Brasil, que iremos entrar para valer nessa causa, Finalizo, portanto, parabenizando todos os ga-
porque entendemos que é uma causa justa (palmas) e rimpeiros brasileiros e todos aqueles que, de forma
que merece uma resposta do Congresso Nacional. direta ou indireta, contribuíram para o trabalho em
Para evitar ter algum atropelo no Projeto nº 5.227, Serra Pelada e em outros rincões de garimpo, em re-
uma lei nossa, apresentei também uma proposta de emen- giões distintas.
da constitucional, para garantir na Constituição o retorno Faço aqui um agradecimento especial pelo traba-
do garimpeiro à condição de segurado especial. lho à Frente Parlamentar em Defesa do Garimpeiro, à
Estamos, portanto, amparados no contexto social Deputada Bel Mesquita, ao ­Deputado Marcio Junqueira,
por diversas leis. Não deixaremos lacunas, nem bre- à Deputada Elcione Barbalho e tantos outros que vêm
chas. Os projetos que tramitam nesta Casa de fato têm contribuindo de forma incansável para que possamos,
um objetivo: a garantia do direito social, o resgate da com celeridade, garantir a aprovação desse projeto.
dívida social, o resgate da dívida que o Brasil tem com Dizia Rui Barbosa: “Não há nada mais relevante
o povo garimpeiro, não só os garimpeiros que estão no para a vida social do que a formação do sentimento
Brasil, mas os que trabalham, por exemplo, em regi- de justiça”.
ões extremas, nas fronteiras, a exemplo do Suriname
Tenho certeza de que, ao aprovarmos esse projeto
e da Guiana Francesa, onde centenas de milhares de
e os que se somam na garantia desses direitos, esta-
irmãos nossos trabalham no garimpo.
remos fazendo justiça ao garimpeiro de todo o Brasil.
É preciso amparar, proteger, esses trabalhado-
Muito obrigado. (Palmas.)
res. É por isso que estamos propondo uma audiência
pública também na Comissão de Direitos Humanos, PRONUNCIAMENTO ENCAMINHADO
para saber qual é o tratamento que o Governo está PELO ORADOR:
dando a esses nossos irmãos que trabalham em regi- Sr. Presidente, Sras. e Srs. ­Deputados, é um gran-
ões limítrofes entre países, para também garantir mi- de prazer estar aqui nesta data, para comemorarmos,
nimamente condições dignas a esses brasileiros que juntos, o Dia Nacional do Garimpeiro, comemorado no
trabalham e vivem no exterior. dia 21 de julho de cada ano, regulado no art. 18 da Lei
Meus irmãos, amigos, companheiros que aqui 11.685, de 2 de junho de 2008, que institui o Estatuto
se fazem presentes, brasileiros que assistem à ses- do Garimpeiro e dá outras providências.
são pela TV Câmara, essa é uma das causas que nos O nosso trabalho na Câmara dos ­Deputados tem
motiva a seguir caminhando, a ir em frente, com um
sido incessante para ajudar a transformar a realidade
único objetivo: a garantia de direitos sociais.
daqueles que trabalharam nos garimpos, e que tive-
Quero agradecer a todos os presentes e a todos
ram tolhidos os seus direitos, privados de condições
os que, de forma permanente, nos têm convidado para
dignas de vida, com um futuro comprometido, o direito
palestras e debates nos Municípios, para discutir temas
a aposentadoria retirado do texto do Estatuto.
como este. Quero, nesta oportunidade, agradecer às
Em Audiência Pública realizada dia 26 de novembro
entidades que vêm trabalhando, de forma insistente
e permanente, para que possamos consolidar esses de 2008 na Comissão de Direitos Humanos e Minorias, foi
direitos, a exemplo do que fez a AGASP Brasil, que discutida a real situação dos garimpeiros, principalmen-
esteve na Comissão de Seguridade Social e Família te os que estiveram em Serra Pelada. Vejam que, só do
pressionando. Aqui, sabemos, é necessário também a Maranhão, mais de 100 mil pessoas se deslocaram para
pressão vir de fora para dentro para que as respostas os garimpos, na esperança de melhorar suas vidas, na
aconteçam em benefício do povo brasileiro. A AGASP esperança de sustentar suas famílias.
Brasil levou centenas de garimpeiros à Comissão, Centenas de garimpeiros morreram e tantos ou-
e, oportunamente, foi por meio dessa pressão e da tros estão com sua saúde fragilizada até hoje. O ga-
consciência dos nobres membros da Comissão que rimpo foi fechado.
conseguimos lá a aprovação da matéria. O Governo Collor fechou o garimpo de Serra Pe-
Vai ser assim também na Comissão de Finanças lada e não deu nenhuma perspectiva àqueles homens
e Tributação, vai ser assim também na Comissão de e mulheres que ali estavam trabalhando, buscando o
Constituição e Justiça e vai ser assim também neste seu sustento e o de sua família. Não criamos nenhum
plenário, uma vez que já conseguimos aprovar o reque- benefício que pudesse permitir a manutenção do seu
rimento de urgência, que vai garantir maior celeridade, dia a dia. E lhes foi tirada a oportunidade de traba-
para que possamos trazer para cá essa discussão e lhar, naquela verdade, de continuar fazendo a lavra
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51475 

do ouro área, deixando-os acéfalos, na da garantia cessos existentes e o que os garimpeiros podem esperar
do seu trabalho. desses recursos que estão na Caixa Econômica.
E com o fechamento do garimpo, Sr. Presidente, E lá estivemos reunidos, inclusive, com a Caixa
algo ainda mais grave os atingiu: a retirada do texto le- Econômica, com o Ministério Público, com a Polícia
gal daquilo que lhes garantia a aposentadoria, apenas Federal, considerando que há um processo judicial por
por meio de comprovação de sua atividade. O Gover- conta de uma cooperativa de garimpeiros. Obviamen-
no retirou do texto legal essa garantia do garimpeiro, te, que o processo demanda o pagamento da Caixa
assim como tem hoje o lavrador e o pescador. a essa cooperativa. A audiência foi de extrema impor-
Hoje, mais de 40 mil garimpeiros do Maranhão tância. Colhemos sugestões importantes por parte das
acalentam o sonho recursos destinados àquele ga- entidades representativas de garimpeiros
rimpo e à sua manutenção, que na época era feita de O que nós sabemos é que a população de Serra
forma manual. Pelada vive em condições sub-humanas. Portanto, a Co-
As sobras de ouro, oriunda dos 400 primeiros missão de Direitos Humanos aprovou requerimento para
extraídos do garimpo de prata e lotes de Serra palá- que seus membros possam conhecer de perto a realidade
dio, minérios Pelada, segundo consta, encontra-se em e fazer sugestões no sentido de contribuir, principalmente,
poder da Caixa Econômica Federal. para que os garimpeiros, do Maranhão principalmente,
Com o fechamento do garimpo, esses recursos que estiverem em Serra Pelada, que têm direito ao ouro
advindos das sobras de minérios teriam que ser rever- que está na Caixa Econômica, tenham o seu direito re-
tidos aos garimpeiros. conhecido e, assim, tenham aquilo que vêm lutando há
Segundo consta de informações colhidas na referi- mais de 20 anos para ser consumado.
da Audiência Pública, o Banco Central do Brasil, através Com o fechamento do garimpo, que tirou dos
de Ofício nº 96.391 de 10 de maio de 1996, informou ao garimpeiros e pequenos mineradores a oportunidade
Secretário Executivo do Ministério da Fazenda, Dr. Pedro de trabalhar, veio uma situação de grande dificulda-
Parente que: “Análise feita pela Casa da Moeda do Brasil de. Em Serra Pelada, especialmente em Curionópolis,
indica com precisão, o montante de 2.074.556,80 gramas não há infraestrutura do Governo. Sequer foi dado aos
de paládio, 499.936,69 gramas de prata e 513.148,90 garimpeiros ajuda de custo, seja com aposentadoria
gramas de platina e outros minérios”. ou outro benefício, para garantir sua sobrevivência e
Os garimpeiros têm esperança de que haja a re- a de sua família.
distribuirão desses recursos aos garimpeiros que estão Por isso, a SOGARIMPO AGASP Brasil está in-
cadastrados em cooperativas ou associações. E aqui eu cumbida de pedir a devida indenização por danos mo-
me refiro especialmente aos garimpeiros maranhenses, rais, em razão da responsabilidade social do Governo
dentre os quais muitos morreram ou foram acometidos com os homens e mulheres que trabalharam em Serra
de graves doenças. As famílias daqueles que morreram Pelada. Hoje são mais de 47 mil Miados à COOMIGASP,
aguardam por algum tipo de indenização referente ao cooperativa que tem o Sr. Gessé como presidente, que
direito que lhes é devido por terem iniciado o trabalho tem a prerrogativa de reunir esses garimpeiros na bus-
de garimpagem naquela localidade. ca dos seus direitos. São muitas as ações, entre elas
Convidamos as entidades representativas da clas- está o direito à aposentaria desses homens e mulhe-
se dos garimpeiros do Maranhão e de outros Estados res que estiveram em Serra Pelada.
para participarem da audiência na Comissão de Direi- Da mesma forma, este Governo deve devolver
tos Humanos. Convidamos também representantes do o recurso da Caixa Econômica Federal, oriundo da
Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM, sobra de ouro, prata e platina, que foi depositado na
da Caixa Econômica Federal, da Polícia Federal, do instituição quando do fechamento do garimpo. Em
Ministério de Minas e Energia e dos demais órgãos audiência pública na Comissão de Direitos Humanos,
envolvidos no assunto, considerando que alguns dos que tive oportunidade de celebrar e que contou com a
que trabalharam em empresas que tinham maquinários participação da Polícia Federal, do Ministério Público,
entraram na Justiça. Quando os recursos repassados do DNPM e de várias entidades ligadas à defesa dos
pela Caixa chegavam, por exemplo, às entidades, eram garimpeiros e dos garimpos, pudemos discutir o as-
repassados às grandes empresas, mas os garimpeiros sunto em profundidade. E há, sim, recurso da ordem
não viam esse dinheiro. de mais de 250 milhões de reais na Caixa Econômica,
O objetivo da audiência foi discutir com represen- oriundos do garimpo de Serra Pelada.
tantes de organismos do Governo e com os responsáveis Esta semana encaminhamos oficio a Caixa Eco-
por esses recursos, como estão sendo conduzidos os pro- nômica Federal, para que nos prestassem as informa-
51476  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

ções sobre a quantidade de minério em seu poder e – Procurar, de modo contínuo, o aperfei-
qual é o valor de avaliação dos mesmos. çoamento da legislação referente ao garimpo
Portanto, a devolução desse recurso aos garim- e aos trabalhadores do garimpo, influindo no
peiros está mais do que na hora de ser processada, a processo legislativo a parir das comissões te-
fim de garantir fundamental beneficio para esses ho- máticas nas duas Casas do Congresso Nacio-
mens que somam quase 50 mil famílias, sendo que nal e nas demais Casas legislativas.
boa parte é do Maranhão. A pressão tem que ser de fora para dentro, para
Digo isso pela responsabilidade que temos, na con- fazermos valer a garantia do povo brasileiro, votando
dição de Parlamentares, de encontrar solução para as la- e aprovando matérias de interesse do trabalhador que
cunas deixadas pelo Governo e para as dificuldades que de fato precisam de correções e de alterações, pois
sofre o povo brasileiro, em especial o da Região Nordeste distorcem a garantia de direitos.
e do Estado do Maranhão, no tocante a leis que precisam Protocolizamos o Projeto de Lei nº 5.227, de
ser corrigidas e modificadas para atender aos interesses 2009, que busca reparar algo que considero extrema-
daqueles que aqui representamos. mente relevante: o direito dos garimpeiros. A propo-
É de suma importância a mobilização da sociedade, sição acrescenta 2 capítulos à Lei nº 11.685, de 2 de
das organizações, dos garimpeiros, dos Parlamentares, junho de 2008, o Estatuto do Garimpeiro. Com esses
para pressionar o Governo para resolver a questão. Por 2 capítulos, faremos uma correção no Estatuto, ao
esta razão, estamos trabalhando incessantemente. qual acrescentaremos o direito previdenciário, que foi
Foi registrada em 09 de junho de 2009 a Frente esquecido no projeto. Portanto, esse Estatuto merece,
Parlamentar em Defesa dos Garimpeiros, da qual sou obviamente, esse reparo, e, por isso, nesses 2 capítulos
Coordenador-Geral. Essa frente é suprapartidária e tem tratamos da aposentadoria dos garimpeiros.
o único objetivo de defender aqueles que trabalharam Tal projeto foi aprovado na Comissão de Seguri-
e ainda trabalham no garimpo de forma exclusiva para dade Social e Família por unanimidade, cuja relatora
sua subsistência ou aqueles que estão trabalhando na é a Presidente daquela Comissão, Deputada Elcione
atividade em regime industrial. Barbalho. O projeto foi encaminhado à Comissão de
Essa frente tem algumas finalidades. Quero enu- Finanças e Tributação.
merar algumas delas: A Razão principal do Projeto de Lei é que dei-
xaram de observar no Estatuto do Garimpeiro o item
– Debater os projetos em tramitação na
ligado ao tema previdenciário, o direito à aposentado-
Câmara dos ­Deputados, de interesse dos ga-
ria do garimpeiro.
rimpeiros, no que se refere à regulamentação
Em 1992, fecharam o garimpo de Serra Pelada
da aposentadoria;
e logo em seguida retiraram do texto previdenciário o
– Debater e criar solução para a questão
direito desse beneficio ao povo garimpeiro, que, até
da devolução da sobra de ouro, prata e pla-
então, se aposentava como o lavrador e o pescador,
tina, que foi depositado na Caixa Econômica apenas comprovando sua atividade por meio de coo-
Federal quando do fechamento do garimpo perativa, associação garimpeira, com documentos em
de Serra Pelada; que de fato constasse a profissão de garimpo. Retiraram
– Discutir as propostas em tramitação, do texto e não fizeram mais nenhuma menção sobre
referente a instituição da pensão vitalícia aos esses trabalhadores.
garimpeiros. A pensão vitalícia se faz neces- Estamos retomando essa discussão por meio de
sária, pois a atividade garimpeira está prevista uma emenda ao Estatuto do Garimpeiro e, como dito,
na Constituição Federal e na Legislação Mine- obtivemos a aprovação na Comissão de Seguridade
ral, Decreto-Lei nº 227, de 28 de fevereiro de Social e Família.
1967, devendo ser foco de políticas públicas, Faço um registro especifico em relação ao ga-
visando ao seu desenvolvimento sustentável, rimpo de Serra Pelada exatamente porque, quando
e esse benefício o País deve aos seus precur- do seu fechamento, por pressão do Governo, da Vale
sores, que por imposição governamental eram do Rio Doce, mais de 100 mil pessoas ficaram sem
obrigados a vender o ouro a DOCEGEO – Rio trabalho, sem alternativa que lhes permitisse subsistir
Doce Geologia e Mineração, uma subsidiária com a família. Já disse às cooperativas e às entidades
da Vale do Rio Doce, na época empresa es- que é preciso encaminhar processo de indenização
tatal, e para a CEF – Caixa Econômica Fede- por danos morais a esses trabalhadores.
ral que faziam a purificação e repassagem do Para fazer justiça, precisamos – é no segundo
ouro para o Banco Central do Brasil; capítulo que quero emendar o Estatuto – garantir uma
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51477 

pensão vitalícia ao trabalhador que lá esteve. No esco- É questão moral amparar esses irmãos nossos, que
po do projeto há uma documentação probante que vai ajudaram a construir uma nação rica, cujo solo é fértil, cujo
registrar quem de fato trabalhou no garimpo de Serra clima é bom, de alimento e água em abundância.
Pelada. A este pretendemos que seja garantida uma Precisamos amparar essas pessoas e trabalhar
pensão vitalícia, de forma diferenciada. muito para aprovação dos projetos que melhorem a qua-
Ainda, em continuidade à luta de sempre em favor lidade de vida e assegurem um futuro mais digno.
do Garimpeiro, protocolizamos esta semana a PEC em Agradecimentos.
favor dos Garimpeiros, a PEC 405/2009, que altera a A SRA. PRESIDENTA (Bel Mesquita) – Convido
redação do § 8º do art. 195 da Constituição Federal, o ­Deputado Cleber Verde para assumir novamente a
para assegurar ao Garimpeiro e ao pequeno minera- presidência da Mesa.
dor o direito à aposentadoria. A Sra. Bel Mesquita, § 2º do art. 18 do
A redação do § 8º do art. 195 da Constituição deve Regimento Interno, deixa a cadeira da presi-
restituir a redação original que foi retirada, e devolver dência, que é ocupada pelo Sr. Cleber Verde,
ao garimpeiro e ao pequeno minerador a condição de § 2º do art. 18 do Regimento Interno.
segurado especial.
A revogação do enquadramento do garimpeiro no O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – É com
Regime Geral de Previdência Social como segurado satisfação que passo a palavra à Deputada Bel Mes-
especial implica perda dos seguintes direitos: quita, que falará em nome do PMDB. (Palmas.) S.Exa.
dispõe do tempo que achar necessário.
a) recebimento de benefícios no valor de A SRA. BEL MESQUITA (Bloco/PMDB-PA. Sem
1 (um) salário mínimo independentemente de revisão da oradora.) – Caro amigo e colega ­Deputado
ter ou não produção comercializada (base de Cleber Verde, que no momento preside esta solenidade,
cálculo da contribuição previdenciária, cuja extremamente importante para os que lidam e vivem do
alíquota hoje é de 2,1%); garimpo e, por que não dizer, dos que dela são fruto, como
b) recebimento de benefícios decorrentes eu, da região de Serra Pelada, de Parauapebas.
de acidentes do trabalho; Cumprimento o Sr. Toni Duarte, Presidente da
c) redução de 5 (cinco) anos no limite Associação Nacional dos Garimpeiros de Serra Pelada
de idade para a aposentadoria por idade: 60
– AGASP; o Sr. Raimundo Ramalho, Vice‑Presidente
(sessenta) anos de idade, se homem; e 55
da AGASP – fico muito feliz de ter compartilhado uma
(cinquenta e cinco), se mulher, e
conversa interessante ali –; o Sr. Gessé Simão de
d) opção pelo enquadramento como se-
Melo, Presidente da Cooperativa de Mineração dos
gurado facultativo, contribuindo individualmen-
Garimpeiros de Serra Pelada; o Sr. Manoel Faustino
te, tal como os contribuintes individuais, para
dos Santos, líder garimpeiro do Piauí; o Sr. Orlindo
fazer jus a maior número de benefícios e a
Pereira de Souza, líder garimpeiro do Entorno de Bra-
rendas mensais de valores mais elevados.
sília, e a cada um dos garimpeiros e das garimpeiras
Dessa forma, estaremos, reparando um equívo- que fizeram e têm feito muito pelo nosso Brasil.
co, da dor silenciosa do abandono dessa classe social Sr. Presidente, Sras. Deputadas e Srs. ­Deputados,
na terceira idade, restaurando o respeito que a socie- aqueles que andam à cata de metais e pedras precio-
dade lhes deve. sas, que trabalham nas minas, os faiscadores deste
Srs. ­Deputados, Senadores, entidades represen- Brasil de ontem e de hoje, são os heróis desbravado-
tativas, como associações e cooperativas: res que, desde os bandeirantes, traduzem o progresso
Estou certo de que todo esse trabalho vai garan- desta Nação rica, a que temos a honra de pertencer.
tir, acima de tudo, o direito desses homens e dessas Com as campanhas em busca de ouro e diamantes,
mulheres que trabalharam no garimpo a uma vida já no século XVIII os garimpeiros demarcaram o pujante
digna, princípio constitucional basilar que deveria ser destino de crescimento do Brasil. Hoje, tendo como pa-
observado, sem sequer estar previsto em lei. Mas, trono o bandeirante Fernão Dias Paes Leme, nos mais
diante de tantos interesses, tornam-se simplesmente distantes rincões do País, eles continuam a garimpar não
palavras descumpridas. só minerais e pedras preciosas, mas, principalmente, os
Não podemos esquecer, acima de tudo e antes novos horizontes do desenvolvimento nacional.
de qualquer coisa, que lá encontram-se homens e mu- É que a própria palavra garimpar foi adquirindo
lheres, crianças, pessoas, cidadãos, seres humanos novas semânticas à medida que essa atividade pro-
que não podem ser tratados com descaso, abandona- fissional foi se tornando mais e mais presente. Assim,
dos à própria sorte. garimpar tem, cotidianamente, o sentido de procurar,
51478  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

de escolher. Ela desperta em nós ação de interesse consequentemente, ganhar em sua produção. Permitirá
pela realização de algo que muito desejamos encontrar, que a sociedade também ganhe com uma exploração,
devido, talvez, à dedicação com que a garimpagem se doravante, viável, responsável e sustentável.
devota a descobrir o que está oculto pela terra, pela Temos ainda que envidar muitos esforços para
rocha, pela água ou pela floresta. que a matéria aprovada na Comissão seja aprovada
Pujança de desenvolvimento e esperança de vida por todos os ­Deputados e se torne realmente lei, mas
emanam dos garimpeiros, já que, em todo lugar a que tenho certeza de que esta Casa vai fazer justiça aos
eles chegam, algum tempo depois começam a surgir garimpeiros, desde que ouvimos falar nos livros de his-
as construções das primeiras casas e barracas, dando tória sobre como o Brasil cresceu para o interior. Senão,
início, em princípio, a um povoado, que mais tarde se o Brasil seria como a Austrália, onde só há pessoas
torna, no mais das vezes, uma cidade. Foi assim com nas bordas do país. Na Austrália, quase não há habi-
Ouro Preto, Diamantina, Curionópolis, Parauapebas tantes no interior. Por todos vocês, o Brasil é grande,
– minha cidade –, Rio Verde e centenas de cidades imenso e há pessoas em todos os lugares.
brasileiras nascidas no caminhar das botas dos fais- Enfim, garimpeiros do nosso Brasil, essas são
cadores anônimos. conquistas de toda uma sociedade em prol da valo-
Quero fazer aqui breve parêntese, para dar um tes- rização dessa honrada profissão, para que continue-
temunho pessoal da vida dos garimpeiros de Serra Pelada mos a reconhecer, cada vez mais, uma atividade à
e da região, com quem convivi e convivo até hoje. qual tanto devemos o que o Brasil é. Nós temos uma
Quando cheguei a Parauapebas, em 1984, quem obrigação moral com todos vocês, homens e mulheres
me levou de Marabá a Parauapebas para o encontro que se dedicaram a desencavar a riqueza do Brasil, e
com Faisal, naquele instante meu marido e médico eu tenho certeza de que vamos honrar esse compro-
em Parauapebas, foram 2 garimpeiros, e eles já foram misso. (Palmas.)
me contando como era a vida deles em Serra Pelada: Portanto, a esse povo que sonha e planta espe-
difícil, mas encantadora. ranças, o Partido do Movimento Democrático Brasileiro
Eu vi muitos de vocês, garimpeiros, comemo- rende justas homenagens nesta sessão solene.
rando porque tinham um bamburrado. A alegria nesse Muito obrigada por eu ter a honra e o prazer de
momento era trazer a notícia de que tinham um bam- compartilhar este momento com os nobres ­Deputados
burrado. Naquele momento, pouquíssimos de vocês Cleber Verde, Marcio Junqueira e muitos outros. Apesar
imaginavam que estariam passando por dificuldades de ainda haver muita coisa para fazer – temos que abrir
vinte e poucos anos depois. a lata e ver o que está dentro para poder transformar
Quero dizer da minha satisfação de ter um filho –, já temos conquistas para comemorar.
nascido no dia 21 de julho. Ele não é um garimpeiro, Parabéns pelo seu dia, garimpeiros! (Palmas.)
mas conhece como ninguém a história de cada um de O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Convido
vocês como garimpeiro de Serra Pelada. para fazer parte da Mesa o Sr. Gessé Simão de Melo,
Como dizia, são centenas de milhares de seres Presidente da Cooperativa de Mineração de Garim-
humanos arrojados que se deslocam pelo nosso ter- peiros de Serra Pelada – COOMIGASP.
ritório, ajudando a arrancar as riquezas encavadas O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Concedo
em nosso País, contribuindo para o crescimento e o a palavra ao nobre ­Deputado Marcio Junqueira, pelo
desenvolvimento desta Nação. Por isso, saudamos a Democratas.
Lei nº 11.685, de 2008, conhecida como o Estatuto O SR. MARCIO JUNQUEIRA (DEM-RR. Sem re-
do Garimpeiro, marco regulatório que indica as obri- visão do orador.) – Sr. Presidente, ­Deputado Cleber Ver-
gações e as permissões do trabalho de garimpagem de, parabenizo V.Exa. por esta iniciativa. Cumprimento
no Brasil. Por essa razão, vemos como alvissareiro o minha querida amiga e eterna Prefeita de Parauapebas,
fato de a Comissão de Seguridade Social e Família, a Deputada Bel Mesquita, que muito conhece sobre
da qual também faço parte, ter aprovado a criação de a vida daqueles garimpeiros. Cumprimento também o
aposentadoria especial e pensão para os garimpeiros, Presidente da Associação Nacional dos Garimpeiros
cujo projeto foi relatado pela nobre Deputada Federal de Serra Pelada, Sr. Toni Duarte, em nome de quem
Elcione Barbalho. cumprimento todos os integrantes da Mesa.
Em suma, agora, sim, a profissão passou a existir Já que vou falar dos garimpeiros, vou falar de
legalmente. É que o Estatuto do Garimpeiro vem regulari- um garimpeiro especial que está nos assistindo nes-
zar o setor, tanto pelo lado do garimpo como pelo lado da te momento, pela TV Câmara, meu amigo querido e
sociedade, gerando a profissionalização dos trabalhadores amigo de muitos aqui, o Sr. Valdivino, de Nova Olinda
do ramo, possibilitando-lhes formar melhores parcerias e, do Norte, Estado do Amazonas.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51479 

Não redigi um discurso. Tenho apenas alguns pon- os nossos recursos naturais. Nós vamos, sim, desviar
tos a lembrar, porque, na verdade, sou um garimpeiro, uma grota, derrubar uma árvore, mas vamos plantar
isto está em minha memória. Não posso me esque- 10, devolver depois o rio para o seu leito, porque se há
cer de quando saí de Brasília e fui a Niquelândia, no uma coisa que sabemos fazer é trabalhar. O garimpeiro
Estado de Goiás, no Rio Traíra, ainda garoto. Depois sabe trabalhar. Agora, essa riqueza é para ficar embaixo
tive oportunidade de trabalhar no Estado do Pará, nos do chão. Para quem? Para as outras nações?
garimpos do Babaçu, do Mamão, em Tucumã. Estive Quero fazer aqui um chamamento: se neste País
em Serra Pelada, região da nossa querida Deputada existe terra e a ela tem direito o MST, não há proble-
Bel Mesquita. Estive em Roraima, na área ianômami, ma; se há terra para o índio, não há problema; se há
no Garimpo do Raimundo Neném, em Urariquera, no terra para o quilombo, não há problema, mas eu quero
Mucajaí. Enfim, estivemos no Madeira, depois fomos saber é da terra para trabalhar. Eu quero terra para os
à Guiana, ao Suriname e estivemos recentemente na garimpeiros! Os garimpeiros também precisam de terra
Venezuela para libertar alguns garimpeiros presos. para sustentar as suas famílias com dignidade.
Acho, ­Deputado Cleber Verde, que muito se avan- Nós iremos, ­Deputado Cleber Verde, impor a
çou, mas falta muito ainda. Falta começar a entender este Governo que temos de discutir a mineração neste
que falar em garimpeiro é muito pouco. Na verdade, País. Temos de extrair essa riqueza. Fiquei muito aten-
são bandeirantes, colonizadores, defensores, proteto- to quando V.Exa. falava das vantagens que o Estatuto
res, desbravadores deste País. (Palmas.) São homens garante. Quero só dizer a V.Exa. que garimpeiro quer
e mulheres, anônimos em sua grande maioria, que, fu- dignidade, o direito de trabalhar. Vamos cobrar isso
gindo da seca do Nordeste, da pobreza, enfrentaram com toda altivez.
as dificuldades e disseram para si mesmos: “Eu não Não quero mais me alongar, mas quero dizer a
vou roubar, vou trabalhar, vou enfrentar a malária, vou todos aqueles que nos escutam, que nos veem e nos
enfrentar a leishmaniose, vou carregar um ramanchi nas ouvem que o Brasil não pode mais adiar essa discussão.
costas, vou pegar um rói-rói, mas não vou roubar”. Não podemos mais deixar que falsos ambientalistas,
Infelizmente, ­Deputado Cleber Verde, o meu, o pessoas que sequer conhecem a realidade do nosso
seu, o nosso País vira as costas para quem quer tra- País, imperem. Todos falavam do soldado da borracha
balhar. Hoje os garimpeiros do Brasil são obrigados a quando ele foi para o Acre, mas se esquecem de falar
sair do Brasil, porque parece que em nosso País quem do garimpeiro que passou pelo Acre, por Rondônia e
trabalha não tem direito, não tem vez. Roraima. Queremos voltar, ele querem trabalhar.
Temos de fazer uma cobrança aos membros desta Termino dizendo a cada um dos senhores e das
Casa com um gesto simbólico, mas o Dia do Garimpeiro senhoras que vocês têm, da parte do meu partido, do
não pode ser um dia qualquer, deve ser feriado nacio- Democratas e deste ­Deputado, o respeito, a admira-
nal, para que as crianças nas escolas se lembrem de ção, o carinho e o reconhecimento do que significam
que houve homens e mulheres neste País que tiveram para nós, para o nosso País, porque foram os senho-
a coragem de trabalhar para não roubar. Vou insistir res e as senhoras que inspiraram esse amarelo da
muito nessa palavra, nesta tarde, desta tribuna. nossa bandeira, que é o amarelo do nosso ouro, que
Vejo os meus irmãos e as minhas irmãs brasilei- infelizmente só está na nossa bandeira, mas que ele
ros, compatriotas, presos em calabouços na Guiana, no saia da bandeira, do subsolo e vá para a família, para
Suriname, na Venezuela, porque este País, o nosso País a casa, para melhorar a vida de nós, brasileiros, por-
disse que daqui nós não podemos retirar as riquezas que que este País é nosso.
Deus nos deu. Por que se pode extrair ouro nos Estados Muito obrigado. (Palmas.)
Unidos, por que se pode extrair ouro na Rússia, por que O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Muito obri-
se pode extrair no Canadá, por que se pode extrair no gado, nobre ­Deputado Marcio Junqueira.
Alasca, na Venezuela, na Guiana e no Suriname, como O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Consideran-
eu já disse, e aqui no Brasil não? Porque está faltando, do que não há mais ­Deputados inscritos para representar
­Deputado Cleber Verde, homens como V.Exa. e mulheres seus partidos, passo a palavra ao Sr. Toni Duarte, Presi-
como a Deputada Bel Mesquita que tenham a coragem dente da Associação Nacional dos Garimpeiros de Serra
de dizer para o povo do Brasil que este País é nosso, de Pelada, que falará em nome da AGASP-Brasil.
todos nós. É de todos nós! (Palmas.) O SR. TONI DUARTE – Sr. Presidente da Fren-
Pobre Brasil! Nunca pensei que um dia pudesse te Parlamentar em Defesa dos Garimpeiros do Brasil,
dizer isso, eu que conheço a riqueza do meu País. Um ­Deputado Cleber Verde, meus cumprimentos.
País rico, mas pobre, infelizmente, ainda na coragem Quero cumprimentar a Deputada Bel Mesquita, eter-
de reconhecer a necessidade que temos de explorar na batalhadora das causas dos trabalhadores do Estado do
51480  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

Pará e do Brasil, por seu brilhante discurso e sua posição matéria que trata da pensão vitalícia aos garimpeiros
firme em prol dos garimpeiros de Serra Pelada. remanescentes de Serra Pelada e estabelece uma
Quero cumprimentar o ­Deputado Marcio Junquei- aposentadoria especial para mais de 1 milhão e 500
ra, que se identifica muito com a causa garimpeira. mil trabalhadores garimpeiros de todo o País. Esse
S.Exa. sempre esteve ao nosso lado. Nunca ficou de projeto foi aprovado por unanimidade na Comissão de
fora de nenhuma reunião e nunca deixou de dar o seu Seguridade Social e Família da Casa e segue agora
voto favorável àquilo que necessitamos. para a Comissão de Finanças e Tributação.
Quero cumprimentar o nosso companheiro Gessé Lamentavelmente, ainda encontramos barreiras
Simão, Presidente da Cooperativa de Mineração dos aqui e acolá por parte de alguns Parlamentares que
Garimpeiros de Serra Pelada, um dos maiores líderes estão longe de formar uma convicção positiva no que
garimpeiros de Serra Pelada. Ele foi eleito recentemen- diz respeito à instituição da pensão vitalícia de até 3
te, com 93% dos votos dos garimpeiros, para dirigir a salários mínimos aos garimpeiros que trabalharam pelo
COOMIGASP. (Palmas.) menos durante 6 anos em Serra Pelada, Deputada Bel
Quero cumprimentar também os nossos companhei- Mesquita, Deputada ativa do Estado do Pará.
ros líderes que fazem parte da AGASP-Brasil e todas as Esta Casa, em 1989, ajudou a aprovar a matéria que
lideranças que participam desta sessão nesta tarde em trata da pensão vitalícia aos seringueiros – há pouco isso
que comemoramos o Dia Nacional do Garimpeiro, embora foi lembrado pelo ­Deputado Marcio Junqueira – que foram
essa data seja celebrada em 21 de julho. recrutados para a extração da borracha na Amazônia,
Sr. Presidente, Sras. e Srs. ­Deputados, o Estatuto contribuindo para o esforço de guerra a que se submetia
do Garimpeiro, votado por esta Casa e sancionado no o País em 1945, durante a Segunda Guerra Mundial. Os
ano passado pelo Presidente da República, estabelece chamados soldados da borracha recebem pensão mensal
o 21 de julho como o Dia Nacional do Garimpeiro, que vitalícia de 2 salários mínimos, conforme garante o art. 54
está sendo comemorado neste momento, nesta sessão das Disposições Constitucionais Transitórias.
solene realizada com o objetivo de exaltar a categoria, Em 2007 esta Casa aprovou medida provisória as-
que por muitos anos ajudou, e continua ajudando, o segurando às pessoas vítimas da hanseníase que foram
lastro de riqueza do Tesouro Nacional. confinadas nas colônias de isolamento o direito de receber
Sras. e Srs. ­Deputados, senhoras e senhores em torno de 2 salários mínimos por toda vida.
garimpeiros de Serra Pelada, desde o Brasil Colônia, Cito esses 2 fatos para afirmar com toda con-
passando pelo Brasil Império e, agora, pelo Brasil vicção que os garimpeiros de Serra Pelada vivem a
República, essa categoria jamais teve, ao longo dos mesma situação dos seringueiros e dos hansenianos.
seus 509 anos de existência, o reconhecimento que Basta recorrer às tristes imagens dos mais de 100 mil
merece, nem pelo Governo – sinto muito dizer isso –, homens mantidos por quase 2 décadas pelo Estado
nem mesmo pelo Congresso Nacional. brasileiro no garimpo de Serra Pelada, de maneira
Temos motivos de sobra para falar sobre isso. No compulsória, realizando trabalho escravo.
ano passado, quando a Câmara e o Senado debatiam Devido a esses fortes argumentos da AGASP-Brasil,
o Estatuto do Garimpeiro em suas Comissões Temáti- exigimos do Governo Federal no mínimo uma indenização
cas, inúmeras entidades representativas da categoria, humanitária, negada até hoje a esses trabalhadores.
entre elas a nossa Associação Nacional dos Garim- Vou falar agora de algo que nunca foi mencionado
peiros de Serra Pelada e do Brasil, tentaram de todas no Congresso Nacional: o que de fato levou o Governo
as formas, sem sucesso, incluir no texto artigos que Federal a deixar que milhares de cidadãos oriundos
versassem sobre a forma de aposentadoria. Mas as de diversas partes do País abrissem um garimpo no
nossas súplicas, as nossas vozes não foram ouvidas. meio da Selva Amazônica, em um tempo em que a ex-
Não deram bola para um dos direitos mais elementa- ploração de ouro era assunto de segurança nacional.
res de uma classe trabalhadora. Por isso, apesar de O achado de uma pequena pepita de ouro em Serra
sermos uma categoria reconhecida por lei, não temos Pelada serviu, na verdade, de chamariz, utilizado pelo Go-
ainda o que comemorar. verno Militar para atrair trabalhadores que nunca haviam
Neste momento travamos uma grande batalha pisado num garimpo, com a falsa promessa de que, che-
na Câmara dos ­Deputados para que seja aprovado gando em Serra Pelada pobres, sairiam de lá ricos.
o Projeto de Lei nº 5.227, de 2009, que acrescenta A corrida do ouro e a formação do garimpo em
capítulos à Lei nº 11.695, de 2 de julho de 2008, que uma área que pertencia à então estatal Vale do Rio
instituiu o Estatuto dos Garimpeiros. Doce foram alimentadas, meus amigos, pelo próprio
O PL, de autoria do nobre ­Deputado Cleber Ver- Governo Federal. O objetivo era povoar a região sul do
de, Presidente da Frente Parlamentar, regulamenta a Pará, Estado da nobre Deputada Bel Mesquita, para
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51481 

se livrar de vez do perigo da guerrilha, que estava de Governo, que comprava o ouro no peso roubado, além
olho nas minas de ouro e diamante existentes nas dos poucos bamburrados, que contamos nos dedos. A
confluências da Serra das Andorinhas, esquadrilhadas maioria absoluta – e falo de mais de 100 mil pessoas
antes pelos guerrilheiros abatidos durante uma campa- – não conseguiu sequer um “reque”.
nha do Exército no Araguaia, em 1974. A exploração Em 1992, quando o Governo já não precisava
do garimpo também resolveria de forma urgente, com mais dos garimpeiros e para não entrar em conflito
o ouro de Serra Pelada, as graves crises de reservas com as recomendações da Organização Mundial do
cambiais que o País atravessava na época. Trabalho – OMT, tomou o garimpo dos garimpeiros e
­Deputado Cleber Verde, montou-se uma verda- o deu de volta à Vale do Rio Doce, sem reparar, no
deira operação militar para assegurar a aquisição do entanto, o que era devido a esses cidadãos.
ouro, controlando o garimpo e os trabalhadores, sob O violento ato praticado pelo Governo Collor de
a alegação de que a situação era considerada neces- Mello em 1992 produziu enormes sequelas nesses mi-
sária, conjuntural e transitória. lhares de trabalhadores, desorganizando suas vidas,
Diversos órgãos participaram da tal operação desmantelando seus lares, comprometendo o futuro
de confinamento de milhares de cidadãos, que foram de seus filhos. O declínio social imposto pelo Estado
obrigados a realizar trabalho forçado, perigoso e pre- brasileiro à família garimpeira claramente colocou-a na
judicial à saúde. extrema pobreza. O Governo que tirou Serra Pelada
A Presidência da República ficou com a coorde- dos garimpeiros negou a eles as condições básicas
nação geral dos trabalhos. O DNPM, Departamento de subsistência. Muitos desses homens, humilhados
Nacional de Produção Mineral, ficou encarregado da e com vergonha de retornar para suas famílias, bus-
orientação técnica e das frentes de garimpagem. A caram no suicídio a forma exata de resposta ao fra-
empresa DOCEGEO, que muitos dos senhores co- casso. Esse foi o holocausto a que foram submetidos
nheceram à época, ligada à Vale do Rio Doce, ficou
os nossos irmãos garimpeiros.
encarregada da administração do garimpo. A Secreta-
Srs. ­Deputados, a AGASP-Brasil entende que o
ria da Receita Federal encarregou-se da matrícula dos
Governo deve não apenas estabelecer uma pensão vi-
garimpeiros, do controle da arrecadação de tributos e
talícia aos garimpeiros de Serra Pelada, mas também
da comercialização. Coube ao Departamento de Po-
dar a esses trabalhadores uma indenização maior por
lícia Federal a missão rigorosa e intimidativa de não
todos os danos e crimes cometidos contra eles.
permitir qualquer tipo de evasão do minério de Serra
Diante desses fatos, a AGASP-Brasil exige que
Pelada. E a Caixa Econômica Federal foi encarregada
o Congresso Nacional aprove em caráter de urgência
dos pagamentos dos cheques emitidos pela DOCE-
GEO na compra do ouro. matéria que trata da aposentadoria especial e de uma
Sras. e Srs. ­Deputados, companheiros nossos, em pensão vitalícia a essa categoria.
quase 2 décadas de trabalho sem qualquer remunera- Acreditamos que o Congresso Nacional fará jus-
ção ou outras garantias necessárias a qualquer traba- tiça ao povo garimpeiro de Serra Pelada e aos mais
lhador, o Estado brasileiro, ostensivamente presente de 1 milhão e 500 mil garimpeiros do Brasil. Será um
em Serra Pelada, presenciou passivamente centenas ato que marcará, definitivamente, uma feição huma-
dos nossos irmãos garimpeiros sucumbirem nas frentes nitária do Parlamento brasileiro, como legítimo órgão
de trabalho, vítimas de soterramentos de barrancos, representativo do nosso povo. (Palmas.)
vítimas de infecções contraídas pelo uso descontrolado Ninguém pode dizer que 1 milhão e 500 mil pes-
do mercúrio, vítimas de malária e de outras enfermi- soas não são um fator preponderante para o Congresso
dades obtidas no garimpo. Aos familiares, ­Deputado Nacional, que representa o povo no Brasil.
Cleber Verde, cabia apenas o direito de enterrar seus Por fim, quero dizer às pessoas que estão as-
mortos, quando recebiam seus corpos. sistindo à TV Câmara e ouvindo a Rádio Câmara que
Durante 2 décadas de trabalho forçado e vigia- a Associação Nacional dos Garimpeiros de Serra Pe-
do pela forças federais como num grande campo de lada e do Brasil tem um compromisso. Vamos fincar
concentração, cujas imagens ainda estão vivas na o pé no Congresso Nacional para que os direitos dos
memória deste País, os garimpeiros –– muitos estão garimpeiros sejam respeitados.
aqui, além dos milhares que nos assistem pela TV Câ- Faço questão de dizer que nós construímos uma
mara e estão no Tocantins, no Maranhão, no Pará, no grande bancada de ­Deputados e Deputadas, que tem
Piauí –– arrancaram com suas mãos e carregaram nos compromisso com os garimpeiros, sobretudo com os
ombros quase 40 toneladas de ouro, prata e paládio. do Maranhão, do Pará, de Roraima, da Bahia, do To-
Quem mais lucrou com toda essa riqueza foi o próprio cantins, do Piauí, enfim, de vários Estados.
51482  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

A Associação vai continuar lutando diuturnamente Bel Mesquita, o ­Deputado Marcio Junqueira, o Sena-
para que o garimpeiro tenha a redenção que merece. dor João Ribeiro e o Senador Lobão Filho; além do
Muito obrigado, ­Deputado Cleber Verde. Muito Ministro Edison Lobão, que é uma referência nacional
obrigado, Deputada Bel Mesquita. (Palmas.) dos garimpeiros. (Palmas.)
O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Passo a Não posso deixar de lembrar também o nome do
palavra ao Sr. Gessé Simão de Melo, Presidente da ­Deputado Zé Geraldo, do Estado do Pará; da Governadora
COOMIGASP, representando as Cooperativas. Ana Júlia Carepa, que, deixando de lado a classificação
O SR. GESSÉ SIMÃO DE MELO – Boa tarde a partidária, teve em poucos dias o cuidado de dar apoio à
todos. Quero cumprimentar a Mesa, o ­Deputado Cle- cooperativa, aos garimpeiros de Serra Pelada.
ber Verde, Presidente da Frente Parlamentar em De- Pois bem, encontrei ali uma direção de fracasso,
fesa dos Garimpeiros, a Deputada Bel Mesquita, que homens e mulheres vivendo na miséria, lutando para
visualizou, dentro da sua expressão, o alvo mais im- alcançar um direito que lhes é sagrado, o de explorar
portante para nós. É preciso que haja imediatamente o garimpo. Foi dessa forma que nós pautamos o po-
determinação por parte do Governo e daqueles que se sicionamento firme de, em primeiro lugar, combater o
dizem representantes do povo para que o garimpeiro vandalismo que ali existia, porque vi companheiro nosso
pelo menos seja visto como cidadão. tombar, morto por alguém que se dizia representante
Ao Presidente da AGASP Brasil, Toni Duarte, as da nossa categoria. Na verdade, existia ali um bando
minhas considerações pelo posicionamento de uma de mercadores, de mercenários, que queriam, a qual-
entidade forte, que representa legitimamente os ga- quer preço, fazer um cambalacho de cooperativas e
rimpeiros de todo o Brasil. Vejo a AGASP Brasil não tomar o direito dos garimpeiros.
só como uma entidade que discute e defende os direi- Deputada Bel Mesquita, ­Deputado Cleber Verde,
tos dos garimpeiros, mas uma entidade que fornece é lamentável o que vou dizer a V.Exas. neste momen-
informação direta, com exclusividade, todos os dias, a to. A nação garimpeira, nos últimos dias, passou por
todos os garimpeiros do Brasil. Para mim, é uma enti- momentos de dificuldades, de apreensão pela falta de
dade muito forte no Brasil. (Palmas.) respeito que tiveram conosco.
Ao ­Deputado Marcio Junqueira, nossos agrade- Quando nós fizemos um negócio com a em-
cimentos. Também ficamos maravilhados de saber que presa Colossus, a única empresa que se manifestou
há ­Deputados por aqui que também já foram garim- para explorar o garimpo de Serra Pelada, fizemos um
peiros, pelos menos já sofreram um pouco e sabem negócio importante. Desde aquela época, a empresa
realmente da nossa realidade. nunca conseguiu trabalhar em paz. Quantas e quan-
Pois bem, garimpeiros que me conhecem, agra- tas vezes garimpeiros que aqui estão foram para Serra
deço por este momento a Deus, em primeiro lugar, e Pelada tentar defender os seus interesses porque não
aos senhores, pela oportunidade que me deram. havia uma moção, não havia uma posição definida do
Sou Presidente da COOMIGASP, uma das maio- Governo, e ficava aquela coisa sem entendimento?
res cooperativas, posso dizer, do mundo, detentora do Por que tanto vandalismo? Por que paralisavam as
maior garimpo a céu aberto do mundo, que é Serra sondas? Por que matavam nossos companheiros? Por
Pelada. Quero dizer aos senhores que venho de uma que invadiam cooperativas?
eleição na qual fui contemplado com mais de 92% dos Na verdade, Deputada Bel Mesquita, ali havia um
votos dos garimpeiros. que se dizia representante dos garimpeiros, da nossa ca-
Confesso a todos que não tinha interesse em ser tegoria, e queria, a qualquer preço, formar um Complexo
Presidente da COOMIGASP, porque observava que Carajás. Não passava de um mentiroso, nojento, apenas
não havia nenhum interesse por parte daqueles que se com a intenção de tomar o direito da COOMIGASP. Ela
diziam representantes das cooperativas ou até mesmo era o alvo: encampar a COOMIGASP e deixar de fora
do sindicato em fazer o melhor pelos garimpeiros. Vi ali todos os garimpeiros que aqui estão, como fizeram há
medida de forças para chegarem ao poder e dominarem poucos dias – uma última tentativa, espero.
financeiramente aqueles recursos que possivelmente Pois bem, a empresa Colossus, que fez o contrato
poderiam chegar às mãos dos garimpeiros. conosco, fez corretamente o seu trabalho e vimos acompa-
Isso, para mim, era ridículo. Eu ficava pasmado nhando todo o tempo, fiscalizando aquele investimento.
com tanta loucura. E não havia ação do Governo que Deputada, o investimento, que era da ordem de
pudesse deter pessoas desse nível. 18 milhões de dólares, foi quadriplicado e virou uma
Mas agradeço a Deus por ter encontrado, depois loucura, porque o funcionário parava hoje e, às vezes,
da nossa eleição, Parlamentares como o ­Deputado Cle- passava um mês sem trabalhar. Funcionários caríssi-
ber Verde, a Deputada Elcione Barbalho, a Deputada mos, técnicos importantes, equipamentos modernos,
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51483 

tudo paralisado por causa de um elemento, Deputada, E foi dessa forma que nós conseguimos fazer
por causa de um bandido. Foi isso o que aconteceu em com que esse tipo de vandalismo acabasse em Serra
Serra Pelada. E ele se dizia representante dos garim- Pelada.
peiros, do sindicato. Eu não sei como a nossa Nação, Hoje, Deputada Bel Mesquita e ­Deputado Cleber
como as autoridades não chegavam à conclusão de Verde, nós temos um departamento de ação social na
que era apenas um bandido vestido de garimpeiro! cooperativa, onde fazemos um trabalho lindo e mara-
Agora, para recebermos o direito do alvará de vilhoso em Serra Pelada.
lavra, que era a outorga dessa transferência para a Aquela gente recebe médicos todos os dias; há
SPE, Companhia de Desenvolvimento Mineral, empre- distribuição de medicamentos e cestas básicas para
sa criada na assembleia, quando foi feito o contrato, quem não tem emprego; além da prática de moda-
para que ela blindasse os direitos dos garimpeiros e lidades esportivas com a participação da criança, do
também da empresa, dada a loucura fraudulenta que jovem e do adulto. Isso é motivo de muita alegria den-
fizeram com os garimpeiros, quando fizeram uma série tro de Serra Pelada.
de precatórios e nos jogaram na Justiça... Hoje, quando chego em Serra Pelada, é como
Estamos comprometidos desde essa época com a se estivesse chegando o Governo do Estado. Temos
Receita Federal e com a Justiça. Por isso, a COOMIGASP esse apoio do povo de Serra Pelada.
não pôde mais abrir uma conta e esses cidadãos que es- E para melhorar, Deputada, ainda nesse depar-
tão por aqui, donos da maior jazida deste mundo, também tamento de ação social, estamos preparando profissio-
não tiveram condições de abrir uma conta corrente. nalmente, capacitando e qualificando a gente de Serra
Por essa razão, foi formalizada a SPE, Compa- Pelada. Mais de 100 homens estão fazendo cursos de
nhia de Desenvolvimento Mineral, que blinda esse di- mineração, geologia e de segurança do trabalho. Ago-
reito do garimpeiro e da empresa que estava à mercê ra, através de uma cooperativa prestadora de serviço,
da qual eles fazem parte e a que nós estamos nos as-
desses desordeiros.
sociando, eles vão trabalhar na montoeira. Estamos
Com muita luta, convencemos o DNPM e, graças
chegando ao final do nosso negócio. Vamos também
a Deus, a outorga foi autorizada. Hoje, os garimpeiros de
trabalhar no nosso ouro primário, através da Colossus
Serra Pelada podem dizer que têm os seus direitos asse-
e da cooperativa.
gurados, porque Serra Pelada nos pertence. (Palmas.)
É um trabalho social bonito. Quero dizer para
Foi uma loucura! Por isso, Deputada, o que era
V.Exa. que, ultimamente, as pessoas que faziam um
49% para nós começou a diluir nesse contrato. No con-
tipo de vandalismo em Serra Pelada não podem mais
trato que tínhamos 49%, a empresa... Tínhamos um
entrar lá, porque os cidadãos de Serra Pelada os re-
projeto mais ou menos deste tamanho (mostra folha
jeita. (Palmas.)
de papel) e, de repente, esse tamanho virou investi- Pois bem, Deputada Bel Mesquita e ­Deputado
mento. Esse tamanho virou investimento e a empre- Cleber Verde, é importante que eu fale, que eu desabafe
sa já não sabia mais o que fazer. Esses adversários sobre o que está acontecendo. Hoje, canto com muito
queriam, a qualquer preço, provar para a sociedade e orgulho, falo com muita vontade, com muito desejo,
para o Governo que existia um conflito interno entre porque hoje a expressão maior é exatamente cantar.
os garimpeiros com a própria empresa. Cantar de alegria, depois de tanto imbróglio, de tanta
Quero dizer para a Deputada Bel Mesquita e loucura por que passamos.
para o ­Deputado Cleber Verde que fizemos um traba- Hoje, para a montoeira, temos 3 propostas. Daqui de
lho em conjunto com a sociedade garimpeira e hoje, Brasília, nós recebemos uma proposta de uma empresa
no Brasil, temos várias delegacias regionais. Aqui, em que diz que pode operar, ou seja, ela pode produzir den-
Brasília, temos uma da cooperativa. Temos outras em tro da montoeira até mil toneladas de material por dia. É
Palmas e em Araguaína. No Estado do Pará, já temos uma forma de colocar um dinheirinho rápido nas mãos
4. Estamos criando uma em Novo Repartimento. Já tí- do garimpeiros de Serra Pelada. (Palmas.)
nhamos em Xinguara, em São Domingo do Araguaia Quero dizer a todos os brasileiros que demos entrada
e em Parauapebas, que ainda é um posto, mas em agora no relatório de pesquisas revelado pela Colossus. É
breve será concluída, e Belém. Aliás, são 5 no Pará, uma partezinha. Olha o tamanho. (Mostra folha de papel.)
com a de Novo Repartimento. No Maranhão, temos 5 Ela representa isso. Há 3 meses finalizamos isso. Agora,
delegacias regionais. nós entregamos ao DNPM. Não podemos falar de parcial,
Quero dizer, Deputada Bel Mesquita, que o povo porque não existe tecnicamente essa palavra parcial no
garimpeiro está unido. Tudo que acontece eles sabem DNPM. Mas podemos dizer aos senhores e assegurar
em tempo recorde. Estamos unidos. que continuam as pesquisas até o mês de março do ano
51484  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

que vem, e nós já temos muito mais do que foi revelado. em todos os dias que quiserem. Somos unidos hoje,
Nós temos agora o que foi feito depois de 3 meses. Ser- somos uma única família.
ra Pelada tem minério sim, e vai dar para todo mundo, Estou vindo de Palmas, onde ontem fiz uma
para todos os nossos irmãos garimpeiros, para a nossa grande reunião com os cooperados da COOMIGASP
família garimpeira. de Tocantins.
Quero dizer mais: hoje me orgulha muito saber Eu quero dizer aos senhores que estou cansado,
que existem ­Deputados como os senhores, Parlamen- mas só fisicamente. Ainda tenho o raciocínio do ho-
tares que se preocupam com a nossa situação previ- mem que chegou ali. Tenho coragem e determinação
denciária. Saber que os senhores estão aqui imbuídos para isso, e vamos chegar lá, em breve.
dessa responsabilidade, ignorada pelo Poder Público. Estamos implantando o projeto de Serra Pelada.
E agora nos dão o direito, a oportunidade de ter uma Vamos entregar agora o EIA/RIMA, o estudo de impacto
ambiental, e peço a todos os Parlamentares que nos
aposentadoria. Que seja uma pensão vitalícia, será ri-
apoiem. Vamos, sim, implantar o projeto o mais rápido
quíssima para nós, que nunca tivemos oportunidade,
possível. Esse projeto foi boicotado, mas agora não tem
que sempre fomos esquecidos. Hoje nós não somos
mais jeito. Foi transferida a outorga, o direito de trans-
mais ignorados, estamos sendo reconhecidos. É muito ferência para a SPE do alvará de lavras. Então, agora
importante para nós. Eu agradeço de coração, em nome estamos blindados. Mas eles estão dizendo ainda por
do meu Deus, a todos os que estão lutando por nós. aí que isso foi ruim para os garimpeiros.
Quero dizer também, Sra. Deputada, que é mui- Quero dizer a todos que nós acabamos de dizer a
to importante que os senhores tomem conhecimento, eles que devem ir para casa ou procurar alguma coisa
que esta Casa tome conhecimento: quando eu entrei para sair da desocupação. Hoje o garimpeiro está blindado
na cooperativa, assumi o compromisso de veemen- e está cuidado, e o que é nosso está seguro. Em breve
temente combater aqueles precatórios fraudulentos apresentarei o nosso quadro social verdadeiramente.
feitos em forma de conluio contra a nossa categoria. Contem comigo todos os garimpeiros do Brasil.
Estamos devendo à Caixa Econômica quase 500 mi- (Palmas.) Quem me conhece sabe qual é o meu po-
lhões de reais, quando nós não demos autorização a sicionamento e qual é a nossa determinação. Vamos
nenhum diretor, a nenhum advogado para tratar desse implantar o projeto. Chegaram a fazer comentários de
assunto por nós. Não assinamos nada. que eu tinha pretensões políticas. Pois eu quero dizer
Então, fui atrás, Deputada! Fui atrás, ­Deputado! à Nação inteira que a minha única pretensão política é
E hoje já foi feito. Pessoas donas de precatórios decla- resolver o problema de Serra Pelada. E vamos chegar
raram que aquilo não lhe pertence, que é uma fraude. lá, com fé em Deus.
Levamos à presença de uma juíza de respeito na mi- Muito obrigado a todos. (Palmas.)
nha cidade, que acolheu todas as informações, e agora O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Esta Pre-
estamos entrando com uma ação de justificação. Já sidência registra que a Frente Parlamentar em Defesa
entramos com a liminar. Quero dizer isso a todos os ga- dos Garimpeiros – existe a ficha de adesão para os
­Deputados que ainda não se filiaram – tem o objeti-
rimpeiros e a todos os Parlamentares, porque eu tenho
vo de garantir a aprovação dos projetos que tramitam
certeza de que, na hora que cair o primeiro precatório,
nesta Casa em benefício dos senhores garimpeiros.
vai ser igual a banana madura no seu cacho: começa
Ela precisa, obviamente, do apoio de todos, Câmara e
a cair tudo. E nós vamos chegar lá. (Palmas.)
Senado. Tenho certeza de que, juntos, com o fortale-
Eu sei que não fiz muito, mas é um sofrimento. cimento da Frente e o apoio dos Líderes desta Casa,
Talvez V.Exa. não saiba, Deputada, o que é remar con- vamos trazer, de forma imediata, o projeto à votação
tra a maré e encontrar elementos querendo quebrar o do Plenário da Câmara e, depois, o levaremos ao Ple-
seu remo, querendo provar à sociedade que eles estão nário do Senado.
certos e que nós estamos errados. Ao concluir esta sessão, quero agradecer a pre-
Portanto, Nação brasileira, saiba que dentro da sença a todos.
Cooperativa dos Garimpeiros de Serra Pelada... Eu
digo a todos os garimpeiros brasileiros: nós pusemos V – ENCERRAMENTO
ordem em Serra Pelada, nós lutamos no dia a dia e O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Nada mais
hoje existe uma unidade. havendo a tratar, vou encerrar a sessão.
No Estado do Pará, nós somos 17 mil famílias e O SR. PRESIDENTE (Cleber Verde) – Está en-
estamos unidos. Disseram que o Gessé só tinha condi- cerrada a sessão.
ção de unir o povo do Maranhão. Não! Estamos unidos (Encerra-se a sessão às 16 horas e 52
no Estado do Pará. E provo isso em todos os minutos, minutos.)
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51485 

DECISÃO DA PRESIDÊNCIA qualquer responsabilidade caso o acidente decorra de


“força maior, caso fortuito ou estado de necessidade”,
Arquive-se, nos termos do artigo 133 do RICD, a se- ou ainda quando o mesmo tenha sido provocado por
guinte proposição: culpa exclusiva da vítima.
PROJETO DE LEI Embora a vigência da futura lei seja estabelecida
a partir da data de sua publicação, o art. 11 determina a
Nº 3.614/2008 (Rodovalho) – Dispõe sobre a publicação aplicação imediata de suas disposições aos processos
das informações contábeis das empresas públicas. judiciais em curso, desde que não tenham sido defini-
Brasília, 18 de setembro de 2009. – Michel Te- tivamente julgados em primeiro grau de jurisdição.
mer, Presidente. Arquivado ao final da legislatura em que foi apre-
sentado, o Projeto de Lei nº 3.121, de 2004, foi desar-
PARECERES quivado a requerimento do autor. Ao ser apreciado
quanto ao mérito, em 15 de abril do corrente ano, na
PROJETO DE LEI Nº 3.121-B, DE 2004 Comissão de Viação e Transportes, o projeto foi unani-
(Do Sr. José Santana de Vasconcellos) memente rejeitado, nos termos do parecer do ­Deputado
Dispõe sobre a responsabilidade civil Giovanni Queiroz.
do prestador de serviço de transporte cole- Cumprindo a distribuição determinada pela Mesa,
tivo rodoviário de passageiros, em caso de cabe agora a esta Comissão de Trabalho, de Adminis-
acidente, e dá outras providências; tendo tração e Serviço Público emitir parecer sobre a pro-
pareceres: da Comissão de Viação e Trans- posição, que não chegou a receber qualquer emenda
portes, pela rejeição (relator: DEP. GIOVANNI durante o prazo já cumprido para tal finalidade.
QUEIROZ); e da Comissão de Trabalho, de II – Voto da Relatora
Administração e Serviço Público, pela rejei-
Embora o autor afirme, na justificação do projeto
ção (relatora: DEP. GORETE PEREIRA).
Despacho: Às Comissões de Viação e sob exame, tratar-se de medida em defesa do usuá-
Transportes; Trabalho, de Administração e Ser- rio dos serviços de transporte, a sólida argumentação
viço Público; e Constituição e Justiça e de Ci- exposta no voto do ­Deputado Giovanni Queiroz, que
dadania (Art. 54 RICD) relatou a matéria na Comissão de Viação e Transpor-
Apreciação: Proposição sujeita à aprecia- tes, demonstra o oposto. De fato, a responsabilidade
ção conclusiva pelas Comissões – Art. 24, II. objetiva dos prestadores de serviços de transporte
de passageiros é estatuída pela própria Constituição.
PUBLICAÇÃO DO PARECER DA Conforme o § 6º de seu art. 37, as pessoas jurídicas de
COMISSÃO DE TRABALHO, direito privado prestadoras e serviços públicos respon-
DE ADMINISTRAÇÃO E DE SERVIÇO PÚBLICO derão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade,
causem a terceiros, assegurado o direito de regresso
I – Relatório contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.
Vem a esta Comissão, para apreciação quanto ao Reparações dessa natureza vem sendo regular-
mérito, o projeto em epígrafe, que propõe lei de regência mente concedidas, tanto em âmbito administrativo como
específica para a responsabilidade civil de prestador em decorrência de ações judiciais, inexistindo funda-
de transporte coletivo rodoviário de passageiros, em mento para a edição de nova lei sobre a matéria, com
caso de acidente. Nos termos do art. 2º da proposição, enfoque exclusivamente circunscrito à responsabilidade
tal responsabilidade passaria a ser limitada, tornando- dos prestadores de serviços de transporte rodoviário de
se fixas as indenizações para as hipóteses de morte, passageiros. Assim é que, nos casos concretos, haven-
invalidez permanente, lesão grave e dano moral, de do o reconhecimento do prestador de serviço quanto à
acordo com os valores expressos em Unidades Fiscais sua responsabilidade e firmado entendimento quanto ao
de Referência – UFIR. Além do pagamento dessas in- valor da indenização, essa poderá ser paga administra-
denizações, o prestador de serviços somente assumiria tivamente. Caso contrário, cabe ao prejudicado propor
obrigações quanto ao ressarcimento de despesas com ação em juízo contra a pessoa jurídica responsável pelo
funeral, em caso de óbito, e de despesas hospitalares, dano, não lhe sendo exigido provar eventual culpa ou
até a metade do valor devido a título de indenização dolo do agente para fazer jus ao ressarcimento.
em caso de invalidez permanente ou lesão grave. Dessa forma, o projeto de lei sob parecer, ao invés
Adicionalmente, segundo o art. 9º do projeto de beneficiar o usuário, tende a prejudicá-lo, em espe-
sob parecer, o prestador de serviço ficaria isento de cial por fixar arbitrariamente os valores de indenização,
51486  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

subtraindo à vítima a possibilidade de ressarcimento por III – Parecer da Comissão


danos de maior monta que tenha efetivamente sofrido. A Comissão de Trabalho, de Administração e
Trata-se de determinação evidentemente prejudicial ao Serviço Público, em reunião ordinária realizada hoje,
usuário, tanto assim que o próprio projeto, em seu art. rejeitou o Projeto de Lei nº 3.121-A/04, nos termos do
6º, § 2º, sujeita o prestador de serviço de transporte “à parecer da relatora, Deputada Gorete Pereira.
perda do benefício da limitação de responsabilidade Estiveram presentes os Senhores ­Deputados:
civil estabelecida nesta lei” (negrito nosso), determinada Sabino Castelo Branco – Presidente, Sérgio Moraes e
em decorrência de inquérito administrativo a ser instau- Manuela d’Ávila – Vice-Presidentes, Andreia Zito, Daniel
rado quando a indenização devida não houver sido paga Almeida, Edgar Moury, Fernando Nascimento, Gorete
após transcorridos 120 dias do acidente. Pereira, Hermes Parcianello, Laerte Bessa, Luciano
Evidencia-se, dessa forma, a desvantagem que Castro, Luiz Carlos Busato, Major Fábio, Mauro Nazif,
a aprovação do projeto ocasionaria para as vítimas de Milton Monti, Roberto Santiago, Thelma de Oliveira,
acidente, em confronto com a situação vigente, assim Vicentinho, Alice Portugal, Armando Abílio, Carlos Al-
resumida nas bem postas palavras do ­Deputado Geo- berto Leréia, Emilia Fernandes, Ilderlei Cordeiro, Maria
vanni Queiroz: Helena e Sandra Rosado.
“Aos prejudicados, basta que recorram à Sala da Comissão, 16 de setembro de 2009. –
Justiça, reclamando a indenização que julguem ­Deputado Sabino Castelo Branco, Presidente.
apropriada. É o juiz, ao fim e ao cabo, que tem
PROJETO DE LEI Nº 3.454-B, DE 2008
a faculdade de fixar os termos da indenização,
(Do Superior Tribunal Militar)
se efetivamente devida. É ele o único que tem
o condão de mensurar os danos efetivamen- OFÍCIO Nº 395/2008 – PRES/STM
te ocorridos e proferir sentenças caso a caso,
Dispõe sobre a criação de cargos efe-
agindo com justiça”.
tivos, cargos em comissão e funções co-
Tampouco se sustenta a invocação da rapidez missionadas nos Quadros de Pessoal da
a ser alcançada no pagamento de indenizações caso Justiça Militar da União; tendo pareceres:
aprovado o projeto sob exame. De fato, a pré-fixação da Comissão de Trabalho, de Administra-
dos valores de indenização não garante que os pres- ção e Serviço Público, pela aprovação (re-
tadores de serviço de transportes venham a assumir lator: DEP. NELSON MARQUEZELLI); e da
a responsabilidade que lhes cabe com mais presteza Comissão de Finanças e Tributação, pela
do que o fazem atualmente. adequação financeira e orçamentária (re-
Outras objeções podem ser aditadas contra a lator: DEP. JOÃO DADO).
aprovação do Projeto de Lei nº 3.121, de 2004. Nes- Despacho: Às Comissões de Trabalho,
se sentido, cumpre assinalar que, já à época da apre- de Administração e Serviço Público; Finanças
sentação do projeto, a UFIR, adotada pelo autor para e Tributação (Art. 54 RICD) e Constituição e
fixar os montantes de indenização, encontrava-se ex- Justiça e de Cidadania (Art. 54 RICD)
pressamente extinta, por força do art. 29, § 3º, da Lei Apreciação: Proposição sujeita à aprecia-
nº 10.522, de 19 de julho de 2002, que resultou da ção conclusiva pelas Comissões – Art. 24 II.
conversão da Medida Provisória nº 2.176-79, de 23 de
agosto de 2001. Afigura-se descabida, por conseguinte, PUBLICAÇÃO DO PARECER
a adoção da UFIR como parâmetro para tal fim. DA COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO
Sujeita-se também a crítica o art. 11 do projeto,
que determina a aplicação da futura lei a processos I – Relatório
judiciais que estejam em curso à data de sua publica- Propõe o Superior Tribunal Militar, nos termos do
ção. O dispositivo determinaria a retroatividade da lei Projeto de Lei nº 3.454, de 2008, sejam criados 119
nova, em prejuízo da vítima de acidente, alcançando cargos efetivos de Analista Judiciário, 13 cargos efetivos
fato que haveria de ser julgado pela lei vigente à data de Técnico Judiciário, 02 cargos em comissão CJ-03,
de sua ocorrência. 09 cargos em comissão CJ-09, 14 funções comissio-
Ante o exposto, sou levada a concordar com o nadas FC-06 e 14 funções comissionadas FC-02.
juízo já proferido pela Comissão de Viação e Transpor- A Comissão de Trabalho, de Administração e Ser-
tes, razão pela qual apresento meu voto pela rejeição, viço Público, em reunião ordinária de 19 de novembro
no mérito, do Projeto de Lei nº 3.121, de 2004. 2008, aprovou o projeto.
Sala da Comissão, 2 de setembro de 2009. – Na Comissão de Finanças e Tributação, nenhuma
Deputada Gorete Pereira, Relatora. emenda foi apresentada ao projeto.
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51487 

É o nosso relatório. de maio de 2009, informando as estimativas do impacto


orçamentário-financeiro anualizado deste projeto de Lei,
II – Voto do Relator
cujos montantes totalizam R$ 15,7 milhões em 2009
Cabe a este órgão técnico exclusivamente o exame e o mesmo valor nos dois exercícios subsequentes. O
do projeto de lei quanto à sua compatibilização ou ade- Presidente do STM declara também, na justificativa
quação com o plano plurianual, a lei de diretrizes orça- do projeto, que a Justiça Militar da União possui mar-
mentárias e o orçamento anual, conforme estabelece o gem de crescimento de R$ 165 milhões, na dotação
art. 53, inciso II, combinado com o art. 32, inc. X, letra h, de pessoal, considerando o limite prudencial estabe-
do Regimento Interno da Câmara dos D ­ eputados. lecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
O projeto é compatível com a lei do Plano Plu- Em cumprimento à exigência estabelecida no art. 82,
rianual para o período 2008/2011 (Lei nº 11.653, de inciso IV, da LDO/2009, o Conselho Nacional de Justiça
07 de abril de 2008) tendo em vista que as despesas aprovou a criação de cargos proposta neste projeto de lei,
correrão por conta das ações 0C04 e 20AK previstas no conforme comprovam os documentos de fls. 10/15.
Programa nº 0566 – Prestação Jurisdicional Militar. Em face do exposto, opinamos pela ADEQUAÇÃO
No que se refere à compatibilidade do projeto à ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA do Projeto de Lei
Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO, o art. 169 da nº 3.454-A, de 2008.
Constituição Federal assim prescreve: Sala da Comissão, 20 de maio de 2009. – Deputado
João Dado, Relator.
“ Art. 169................................................
§ 1º. A concessão de qualquer vanta- III – Parecer da Comissão
gem ou aumento de remuneração, a criação A Comissão de Finanças e Tributação, em reu-
de cargos, empregos e funções (grifo nosso) nião ordinária realizada hoje,concluiu pela adequação
ou alteração de estrutura de carreiras, bem financeira e orçamentária do Projeto de Lei nº 3.454-
como a admissão ou contratação de pessoal, A/08, nos termos do Parecer do Relator, ­Deputado João
a qualquer título, pelos órgãos e entidades Dado, contra os votos dos ­Deputados Luiz Carreira e
da administração direta ou indireta, inclusive Guilherme Campos.
fundações instituídas e mantidas pelo poder O ­Deputado Alfredo Kaefer apresentou voto
público, só poderão ser feitas: em separado.
I – se houver prévia dotação orçamen- Estiveram presentes os Senhores ­Deputados:
tária suficiente para atender às projeções de Vignatti, Presidente; Antonio Palocci e Félix Mendon-
despesas de pessoal e aos acréscimos dela ça, Vice-Presidentes; Aelton Freitas, Alfredo Kaefer,
decorrentes (grifo nosso); Andre Vargas, Armando Monteiro, Ciro Pedrosa, Edu-
II – se houver autorização específica na ardo Amorim, Geraldinho, Guilherme Campos, Ilder-
lei de diretrizes orçamentárias (grifo nosso), lei Cordeiro, João Dado, Júlio Cesar, Julio Semeghini,
ressalvadas as empresas públicas e as so- Luiz Carreira, Manoel Junior, Marcelo Castro, Pedro
ciedades de economia mista.” Eugênio, Pedro Novais, Pepe Vargas, Ricardo Barros,
A Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO para o Rodrigo Rocha Loures, Silvio Costa, Vicentinho Alves,
Virgílio Guimarães, João Magalhães, Leonardo Quin-
exercício financeiro de 2009 (art. 84 da Lei nº 11.768,
tão, Professor Setimo e Zonta.
de 14 de agosto de 2008) estabelece que a criação de
Sala da Comissão, 16 de setembro de 2009. –
cargos, empregos e funções deve constar de anexo
­Deputado Félix Mendonça, Presidente em exercício.
específico da lei orçamentária (Anexo V da Lei Orça-
mentária para 2009). VOTO EM SEPARADO DO SR. ALFREDO KAEFER
O Anexo V da lei orçamentária para o exercício
de 2009 (Lei nº 11.897, de 30 de dezembro de 2008) 1. Relatório
autoriza, no item 2.3.1, a aprovação do presente proje- Vem ao exame desta Comissão o Projeto de Lei
to de lei e o provimento dos respectivos cargos para o nº 3454, de 2008, de autoria do SUPERIOR TRIBUNAL
exercício de 2009, limitando as despesas com tais ad- MILITAR, que “dispõe sobre a criação de cargos efeti-
missões ao montante de R$ 7.842.300,00 (sete milhões, vos, cargos em comissão e funções comissionadas nos
oitocentos e quarenta dois mil e trezentos reais). Quadros de Pessoal da Justiça Militar da União.”
Tendo em vista as exigências estabelecidas no O relator da proposição na CFT, ­Deputado JOÃO
art. 120 da LDO/2009 e art. 17, § 1º, da Lei de Res- DADO (PDT-SP), ofertou parecer em que concluiu pela
ponsabilidade Fiscal, o Presidente do Superior Tribunal adequação e compatibilidade orçamentária e financeira
Militar encaminhou o Ofício nº 122/PRES – 020, de 04 do PL nº 3454, de 2008.
51488  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

2. Análise deral e dos Municípios não poderá exceder os


Compete a esta Comissão exclusivamente o exa- limites estabelecidos em lei complementar.
me dos aspectos financeiro e orçamentário públicos, § 1º A concessão de qualquer vantagem
especialmente quando importem aumento ou diminui- ou aumento de remuneração, a criação de
ção da receita ou despesa pública. cargos, empregos e funções ou alteração de
Em que pese a justificativas do Poder Executivo, estrutura de carreiras, bem como a admissão
autor da matéria ora apreciada e os argumentos trazido ou contratação de pessoal, a qualquer título,
pelo relator nesta Comissão, temos que o projeto deve pelos órgãos e entidades da administração
ser considerado INCOMPATÍVEL E INADEQUADO SOB direta ou indireta, inclusive fundações institu-
O ASPECTO ORÇAMENTÁRIO-FINANCEIRA, confor- ídas e mantidas pelo poder público, só pode-
me transcrição da Nota Técnica nº 13/2009 – da Con- rão ser feitas:
sultoria de Orçamento da Câmara dos D ­ eputados: I – se houver prévia dotação orçamen-
“A Presidência da Comissão de Finanças e Tri- tária suficiente para atender às projeções de
butação – CFT – solicitou em 12.07.2009 (Of. Pres. n2 despesa de pessoal e aos acréscimos dela
625/09-CFT) esclarecimentos quanto à inexistência de decorrentes;
autorização especifica dos projetos de lei oriundos do II – se houver autorização específica na
Poder Executivo no Anexo V da LOA/2009, relativos à lei de diretrizes orçamentárias, ressalvadas as
criação de cargos, empregos e funções e reestrutura- empresas públicas e as sociedades de eco-
ção de carreiras. Nele sugere-se o encaminhamento nomia mista.”
de projeto de lei pelo Executivo alterando o Anexo V Desde a Lei nº 9.995/2000 (LDO/2001),
e especificando quais as proposições são nele auto- art. 62, tais autorizações vêm sendo remetidas
rizadas. ao anexo da lei orçamentária anual, atualmente
O Ministério do Planejamento, Orçamento e “Anexo V – Autorizações específicas de que
Gestão – MP, em 24.07.2009, por meio do Ofício nº trata o art. 169, § 1º, inciso II, da Constituição,
261/2009/ASPAR-GM-MP, respondeu ao questiona- relativas a despesas de pessoal e encargos
mento da CFT. sociais”, conforme estabelece o art. 84 da
LDO/2009:
O Ofício do MP, fundado na Nota Técnica nº 227/
“Art. 84 (...)
DEAFI/SOF/MP, de 14.07.2009, da Secretaria de Orça-
§ 1º O Anexo a que se refere o caput
mento Federal, teve como assunto: Da observância do
conterá autorização somente quando respal-
art. 84, § 1º, da Lei nº 11.768/2008 – Lei de Diretrizes
dada por proposição, cuja tramitação seja ini-
Orçamentárias para 2009, quanto à identificação dos
ciada no Congresso Nacional até 31 de agosto
projetos de lei, medidas provisórias e leis autorizados
de 2008, ou por lei de que resulte aumento
no Anexo V da Lei nº 11.897/2008 – Orçamentária
de despesa, com a discriminação dos limites
Anual para o exercício de 2009.
orçamentários correspondentes, por Poder
Esta Nota Técnica visa analisar as respostas ofe-
e Ministério Público da União e, quando for
recidas pelo órgão do Poder Executivo às questões
o caso, por órgão referido no art. 20 da Lei
suscitadas pela CFT.
Complementar no 101, de 2000:
O tema desta Nota Técnica já foi motivo da NT
I – com as respectivas quantificações,
COFF/CD nº 11/2009 1, de 01.07.2009, em anexo,
para a criação e o provimento de cargos em
onde são tecidas considerações sobre a necessidade
comissão, cargos efetivos, funções de confian-
da precisa identificação da proposição que aumente
ça e empregos;
gastos com pessoal para fins da autorização exigida
II – com as respectivas especificações,
pelo art. 169, § 1º, II, da Constituição.
relativas a vantagens, aumentos de remunera-
II – Análise ção e alterações de estruturas de carreira.”
II.1. ORIGEM DA OBRIGAÇÃO DA IDENTIFICAÇÃO Assim, dentre as exigências fixadas pelo art.
DA PROPOSIÇÃO QUE AUMENTE GASTOS COM 84 da LDO/2009, destaca-se a identificação precisa
PESSOAL NO ANEXO V DA LEI ORÇAMENTÁRIA da proposição legislativa motivo da autorização para
ANUAL criação dos cargos, submetida à condicionante de ter
iniciado sua tramitação até 31.08.2008.
Dispõe o art. 169, § 1º, II, da Constituição que: Ocorre que o Poder Executivo tem reiteradamente
“Art. 169. A despesa com pessoal ativo e não informado no Anexo V quais proposições justificam
inativo da União, dos Estados, do Distrito Fe- a autorização pleiteada e concedida no mencionado
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51489 

Anexo, como pode ser identificado no item a seguir. cutivo, que restringiu-se a nomear as “áreas”, generi-
Em virtude dessa inobservância já foram efetivadas camente, autorizadas.
questões de ordem no âmbito da Comissão Mista de A NT/SOF em seu item 11 afirma que a especi-
Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização durante ficação das proposições não se deu em razão de exi-
a tramitação da Proposta orçamentária para 2008 e gências das LDOs de 2008 e 2009, mas em virtude
2009 sem terem alcançado o efeito desejado. da necessidade de controle e acompanhamento pelo
II.2 – OBSERVAÇÕES SOBRE AS CONSIDERAÇÕES Poder Executivo das alterações de gastos com pessoal
EMITIDAS PELO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO pelos demais Poderes, nos seguintes termos:
NO OFÍCIO 261/2009/ASPAR-GM-MP “11. Vale esclarecer que a estrutura defi-
Inicialmente, a Secretaria de Orçamento Federal- nida nos dois últimos Anexos V da LOA 2008 e
SOF, em sua Nota Técnica (itens 5 a 8), concorda com 2009, particularmente no que concerne à dis-
a necessidade da identificação precisa da proposição criminação dos PLs, não foi motivada por uma
exemplificando com a Justiça do Trabalho e as propo- exigência da Lei de Diretrizes orçamentárias
sições de seus vários Tribunais Regionais. desses exercícios, mas tão-somente por uma
Ocorre que a NT/SOF em seu item 9 afirma que iniciativa do Poder Executivo em dar clareza
o Projeto de LDO/2008 contemplaria a discriminação e facilitar o acompanhamento e o controle dos
dos projetos de lei beneficiados pela autorização es- PLs dos demais Poderes.”
pecífica aqui discutida. Todavia, pode ser verificado
Reconhece a NT/SOF em seu item 12 que a
no site da Câmara dos ­Deputados que o PLDO/2008
nova redação da LDO/2010 não dará mais margem a
não contemplava tal discriminação em seu art. 87 2,
interpretações que permitam a inobservância do dis-
restringindo-se seu § 1º a prever:
posto em lei:
“Art. 87 (...)
§ 1º O Anexo a que se refere o caput “12. Registre-se, a propósito, que a obri-
discriminará os limites orçamentários autori- gatoriedade de discriminação dos PLs, Leis
zados por Poder e Ministério Público da União e Medidas Provisórias de criação de cargos,
e, quando for o caso, por órgão referido no art. reestruturação de carreiras, e concessão de
20 da Lei Complementar no 101, de 2000:” demais vantagens somente ocorrerá a partir
do exercício de 2010 em face de alteração in-
A exigência da discriminação de quais proposi- troduzida por emenda no dispositivo da LDO-
ções seriam motivo da autorização inserta no Anexo V 2010 que trata do assunto.”
da LOA/2008 só veio a constar do texto da LDO/2008
em razão da aprovação de emenda parlamentar, cons- Efetivamente, a nova redação dada pelo Con-
tando pela primeira vez do autógrafo da LDO/2008, gresso Nacional à previsão do Anexo da LOA/2010
aprovado pela CMO, nos seguintes termos: para as autorizações exigidas pelo art. 169 da Consti-
tuição exaustivamente remetem à obrigatoriedade da
“Art. 89 (...)
identificação expressa no Anexo de qual proposição é
§ 1º O Anexo a que se refere o caput es-
pecificará o fundamento legal e discriminará os motivo da autorização, ipsis litteris:
limites orçamentários autorizados, por Poder “Art. 82 (...)
e Ministério Público da União e, quando for o § 1º O Anexo a que se refere o caput
caso, por órgão referido no art. 20 da Lei Com- conterá autorização somente quando ampa-
plementar no 101, de 2000: “(grifamos) rada por projeto de lei ou medida provisória,
O termo “fundamento legal” foi impugnado pelo cuja tramitação seja iniciada no Congresso
Poder Executivo durante o processo orçamentário de Nacional até 31 de agosto de 2009, e terá os
2008 sob o argumento de que era impreciso e que limites orçamentários correspondentes dis-
proposição legislativa não possui natureza de fun- criminados, por Poder e Ministério Público da
damento legal. Efetivamente, o termo escolhido pelo União e, quando for o caso, por órgão referi-
Congresso Nacional não foi o melhor, ainda que os do no art. 20 da Lei Complementar nº 101, de
demais Poderes não tenham tido qualquer problema 2000, com as respectivas:
em sua compreensão, tanto que todos, incluindo o Mi- I – quantificações, para a criação de car-
nistério Público da União, observaram a LDO/2008, e gos, funções e empregos, identificando especi-
identificaram precisamente as proposições motivo da ficamente o projeto de lei, a medida provisória
autorização. O mesmo não ocorreu com o Poder Exe- ou a lei correspondente;
51490  Sábado  19  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Setembro de 2009

II – quantificações para o provimento de acerca da impossibilidade de inclusão de novas propo-


cargos, funções e empregos, especificando, no sições no Anexo V após a edição da lei orçamentária
caso do primeiro provimento, o projeto de lei, anual, em razão da restrição presente na LDO/2009,
a medida provisória ou a lei correspondente; repetida na LDO/2010, quanto ao início da tramita-
e III – especificações, relativas a vantagens, ção da proposição até 31.08.2009. Aplica-se tanto no
aumentos de remuneração e alterações de exercício de 2009 como no de 2010 em virtude da exi-
estruturas de carreira, identificando o projeto gência ter sido replicada na LDO/2010, art. 87, § 1º.
de lei, a medida provisória ou a lei correspon- A seguir são transcritos os itens onde é consignado
dente.” tal entendimento:
Em seu item 13, a NT/SOF apresenta o detalha- 16 . Quanto aos PLs nºs 4.024, de 2008
mento que deveria constar do Anexo V da LOA/2009, (Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região),
especificando uma a uma as proposições motivo das 4.355, de 2008 (Tribunal Regional do Traba-
autorizações genéricas constantes do mencionado lho da 15ª Região), 4.409, de 2008 (Tribunal
Anexo sob a forma de “áreas”, com grau de amplitude Regional do Trabalho da 7ª Região), 4.570, de
que impossibilita qualquer verificação pelo Congresso 2008 (Tribunal de Contas da União) e 4.572,
Nacional, a exemplo da área “Gestão e Diplomacia”, de 2009 (Superior Tribunal Militar), constan-
que açambarca os órgãos a seguir relacionados: tes do Anexo ao Of. Pres. Nº 625/09-CFT, de
2009, cabe informar que os mesmos não es-
M. Integração Nacional – PL 3.430, DE
tão incluídos nas autorizações específicas do
16/05/2008
Anexo V da LOA-2009, podendo-se afirmar
M. Planejamento – PL 3.452, DE
que as suas aprovações, no presente exercí-
26/05/2008
cio, contrariam os dispositivos constitucionais
M. Minas e Energia – PL 3.675, DE
e legais vigentes.
08/07/2008
17. Esses PLs foram todos encaminhados
MDIC – PL 3.944, DE 29/08/2008
ao Poder Legislativo em data posterior a 31 de
Presidência – PL 3.947, DE 29/08/2008
agosto de 2008, o que inviabiliza qualquer ini-
Poder Executivo – PL 3.952, DE
ciativa do Poder Executivo em alterar o Anexo V
29/08/2008
da LOA-2009 para contemplar esses projetos,
M. Fazenda – PL 3.956, DE 29/08/2008
sob pena de contrariar o disposto no § 1º do
M. Planejamento – PL 3.957, DE
art.84 da Lei nº 11 .768, de 2008, que deter-
29/08/2008
mina que o referido Anexo somente conterá
Presidência – PL 3.959, DE 29/8/2008
autorização quando respaldada por proposição,
Diversos – PL 3.960, DE 29/08/2008
cuja tramitação seja iniciada no Congresso
Presidência – PL 3.961, DE 29/08/2008
Nacional até 31 de agosto de 2008 .
Vê-se, dessa forma, a razoabilidade do exigido pela
LDO/2009. A informação por ela requerida existe no âmbi- Assim, somente poderão ser incluídas proposi-
to administrativo do Poder Executivo. Necessário é dar-se ções no Anexo V, seja na proposta orçamentária, seja
publicidade à sociedade de sua existência e subsídio ao por meio de PLN posterior, que tenham iniciado sua
exame de compatibilidade e adequação orçamentário- tramitação no Congresso Nacional antes de 31 de
financeiro pelo Congresso Nacional das proposições que agosto do exercício anterior, ou seja, até o envio da
aumentem gastos com pessoal da União. proposta orçamentária pelo Poder Executivo ao Con-
Observamos que a simples informação de que gresso Nacional. Dessa feita, proposição que não ve-
existem proposições que se vinculam às “áreas” do nha a ter sua tramitação no Congresso Nacional até
Poder Executivo, incluídas no Anexo V da LDO/2009, 31 de agosto de 2009, somente poderá ser incluída no
a nosso ver, não satisfaz o exigido pelo art. 84, § 1º, Anexo da LOA/2011 em 31 de agosto de 2010 e ser
da LDO/2009, pois este exige a prévia aprovação pelo considerada autorizada para fins do art. 169 da Cons-
Congresso Nacional a partir de parecer da CMO, de tituição a partir de 1º de janeiro de 2011.
tais autorizações específicas.
III – Conclusão
II.3 – PROPOSIÇÕES PASSÍVEIS DE INCLUSÃO NO
O exame de compatibilidade e adequação or-
ANEXO V DA LOA
çamentária e financeira de proposições legislativas,
Interessa ao tema aqui tratado a interpretação realizado pela CFT, desempenha importante função
dada pelo Poder Executivo, na NT/SOF item 16 e 17, na busca do inafastável equilíbrio fiscal pelo estado
Setembro de 2009  DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS  Sábado  19  51491 

brasileiro. A instrumentação desse controle exige parâ- orçamentária para o exercício de 2009 (Lei nº 11.897,
metros precisos e verificáveis e não a simples fixação de 30 de dezembro de 2008) em seu anexo V a auto-
de limites abstratos. rização para a criação do projeto de lei em tramitação
A identificação exata da proposição motivo da nesta Comissão.
autorização legislativa exigida pelo constituinte no art. Sala das Comissões, 16 de setembro de 2009.
169 e seu impacto efetivo e anualizado sobre o Tesou- – ­Deputado Alfredo Kaefer, PSDB-PR.
ro é requisito mínimo para a eficácia do controle de
PROJETO DE LEI Nº 5.171-A, DE 2009
gastos com pessoal, meta fixada pelo constituinte em
(Do Sr. Jurandy Loureiro)
vários dispositivos da Lex Legum.
O Poder Executivo em sua resposta aos questio- Altera a Lei nº 9.537, de 11 de dezem-
namentos formulados pela CFT reconhece a necessi- bro de 1997, para tornar obrigatória a pro-
dade da precisa aferição de tais parâmetros na iden- teção das hélices das embarcações; tendo
tificação da proposição ao exigir tal comportamento parecer da Comissão de Viação e Trans-
dos