Você está na página 1de 6

CONTRIBUIÇÕES JUDAICAS PARA A

HUMANIDADE
e a farsa de Albert Einstein
Essa é uma pergunta a todos os que se dizem contra os judeus (gostaria que o Luíz F. tb
respondesse):
Qual o motivo de se odiar judeus?_ As suas contribuições para o mundo são de suma
importância (e no texto que o Frindemberg sugeriu, sobre a superioridade dos brancos,
o autor deveria citar as contribuições dos judeus também), a sua educação é exemplar e
sua inteligência é admirável.
Sou judeu, contra os sionistas, sigo a Torá, não faço mal a ninguem e não tramo contra
os brancos. Recebi a educação dos judeus e acredito que apenas os que seguem o
talmud devem pensar daquela forma. Gostaria de receber algum exemplo de trama
judaica (clara, com participação evidente desses) contra os brancos.
Reconheço os erros judáicos, mas esses são cometidos pelos talmudicos (os que seguem
o talmud)...

Aguardo respostas.

Max Chernlov

01-18-2003

Resposta, por Althiz:


> Qual o motivo de se odiar judeus?

Qual o motivo para os judeus odiarem os seres humanos?

> As suas contribuições para o mundo são de suma


> importância (e no texto que o Frindemberg sugeriu,
> sobre a superioridade dos brancos, o autor deveria
> citar as contribuições dos judeus também)

A principal contribuição dos judeus no mundo foi a disseminação e promoção da


escravidão e da exploração.
Os judeus criaram um sistema no qual não precisam trabalhar, parasitam os povos e
sugam tudo o que podem, sem limites e sem pudor. Com bastante tempo e sem
obstáculos financeiros, os judeus se dedicam a aperfeiçoar suas "habilidades", em um
ciclo vicioso (que os judeus consideram virtuoso!). Dentre estas "habilidades"
podemos destacar a "arte da ludibriação" (teatro, dramaturgia/tele-dramaturgia,
cinema e outras 'artes de fingimentos'), que não cria riqueza nem evolução, e por isso
não pode ser considerada 'contribuição para o mundo', aliás, muito pelo contrário,
sob esta influência maléfica está sendo criada uma legião de retardados e
homossexuais.

Os judeus controlam a indústria fonográfica. Qualquer não-judeu que tenha talento


musical precisa se submeter às condições hebraicas para conseguir a edição de seu
CD. Estas condições são bem simples: a gravadora fica com 99,9% dos lucros
resultantes das vendas dos CDs, e se quiser ter retorno financeiro o músico terá de
fazer shows (se conseguir espaço nas casas de shows, que são em grande parte
controladas pelos judeus). O resultado é que 9 em cada 10 músicos de renome (seja lá
o que for que isso - renome - signifique) são judeus. E o que cantam estes judeus? Lixo
e merda!
Quantos talentos não foram sufocados e destruídos em nome da 'superioridade'
hebraica na área musical?! Então, nesta área os judeus, novamente, prestam um
grande desserviço à humanidade.

Na área de direito, onde há forte presença de judeus, não é diferente. Os judeus se


preocupam em criar um interminável conjunto de leis que servem unicamente aos
seus próprios interesses. O sistema judiciário se tornou tão complexo, caro ($$$) e
ineficiente que na prática é um caldeirão de injustiças. As leis são tão complexas e
injustas que é impossível a qualquer cidadão honesto viver sem transgredir alguma...
e então, quando este cidadão pacato representar qualquer ameaça aos planos
hebraicos é imediatamente 'enquadrado' por um promotor judeu e rapidamente
condenado por um juiz também judeu.
Na Alemanha, qualquer pessoa que pronuncie publicamente o nome 'Hitler' é punida
com cadeia. Na maior parte dos países ocidentais é 'crime de ódio' e 'racismo' não
acreditar na mentira do holocausto hebraico.
Quanta injutiça os judeus espalham por onde passam...!

Outro reduto judaico é o sistema financeiro. A usura hebraica é tão latente e


conhecida que os judeus sequer tentam negá-la.
No Brasil a constituição determina que ninguém pode cobrar mais de 1% de juros ao
mês, mas os juristas hebraicos encontraram uma forma 'sui generis' de interpretar a
constituição, na qual os banqueiros judeus não precisam respeitar este limite. Os
judeus podem cobrar qualquer taxa de juros, tanto que os juros cobrados pelos
bancos no Brasil são de 12% ao mês, quando não superiores. O limite de 1% é só vale
para os juros cobrados pelos não-judeus. Com os intermináveis usurários juros das
dívidas os judeus escravizam milhões, países inteiros, e produzem um atraso
tecnológico, econômico e social que jamais será recuperado. Bilhões passam fome para
que os judeus possam fazer suas adorações ao bezerro de ouro. Eis outra contribuição
judaica para o mundo.

Vejamos um exemplo prático das práticas financeiras judaicas:


Até 1933 a Alemanha era um país totalmente controlado pelos banqueiros judeus. O
nível de desemprego era de 44% - médicos e engenheiros procuravam comida em latas
de lixo - e a inflação atingia absurdos de 'trilhões por cento ao ano', tão
inimaginavelmente alta que os trabalhadores (os privilegiados que tinham emprego)
recebiam salário duas vezes AO DIA, e tinham que ir correndo comprar algum
alimento, pois se deixassem passar algumas horas, o dinheiro já não compraria nem
um palito de fósforos. É mundialmente famosa esta história: uma dona de casa alemã
ia fazer suas compras levando um carrinho-de-mão cheio de dinheiro, e era assaltada.
O ladrão roubava-lhe o carrinho-de-mão, pois o dinheiro (emitido pelo Banco Central
controlado pelos judeus) não valia nada. Quando Hitler assumiu o poder (1933),
imediatamente promoveu o desmonte do poder hebraico, atingindo-o decisivamente
em sua coluna. O Estado retomou as rédeas da economia e a usura hebraica foi
banida. Em 3 anos o desemprego foi reduzido a ZERO, enquanto a economia crescia a
taxas superiores a 20% ao ano. NUNCA na história da humanidade um povo
experimentou tanto crescimento. Eis aí o motivo do apoio incondicional que o povo
dava a Hitler e ao Nacional-Socialismo, e também, o motivo do ódio judaico contra os
alemães.

> a sua educação é exemplar

O ensino básico e médio dos judeus é efetuado nos colégios israelitas, escolas super-
equipadas e onde um não-judeu jamais é admitido. Para o não-judeu o sionismo criou
o sistema de educação de progressão continuada, onde o indivíduo entra burro e, após
muitos anos de 'estudo', sai completamente ignorante, incapaz de escrever algo mais
que o próprio nome ou interpretar um texto com mais de 10 linhas. Matemática,
tabuada? Nem pensar... Porquê? Porque pessoas educadas são difíceis de serem
manipuladas e impossível de serem escravizadas. Na última década o ensino
universitário foi sacrificado para que os recursos fossem investidos no ensino básico.
Progressão continuada é o resultado deste 'investimento' e do sacrifício imposto.

Os judeus estudam em universidades particulares, com mensalidades tão caras que


são proibitivas para não-judeus. Assim fica fácil passar no vestibular. Para os não-
judeus o sionismo está criando "cotas para negros" nas universidades. Ao inserir no
meio acadêmico negros de baixo nível intelectual (falo num sentido científico-
antropológico, não racial) estarão dando mais um passo no desmantelamento e
desmoralização do ensino superior, principalmente o público.

Não obstante as vantagens sócio-econômicas, o sistema educacional judaico


seguidamente produz verdadeiros monumentos à burrice. Veja-se o caso deste
humorista (?) conhecido pela alcunha de 'Bussunda', que tem um QI tão elevado
quando o de um chipanzé.
> e sua inteligência é admirável.

Você deve estar se referindo às pretensas criações judaicas na área tecnológica e de


desenvolvimento científico. Desenvolver uma tecnologia significa 1% de inspiração e
99% de transpiração, mas os judeus raramente são afetos ao trabalho, ficam em seus
escritórios com ar-condicionado esfregando as mãos e planejando novas 'ações'.
Os judeus seguidamente se apropriam (roubam) do conhecimento gerado por
subordinados ou empregados, apresentando-os como se fossem seus.

Vou citar dois exemplos do que eu falo:


1. O judeu Graham Bell é citado em enciclopédias do mundo inteiro como o inventor
do telefone. Bell não inventou nada, roubou a invenção do imigrante italiano Antonio
Meucci, que residia em Staten Island (Nova Iorque). Meucci patenteou o telefone, mas
sua patente foi roubada pelo judeu Bell em conluio com funcionários judeus do
Escritório de Patentes. Isso mesmo, mesmo tendo patenteado e registrado, Meucci
teve sua invenção roubada por um judeu. Entrou com mais de 600 processos contra
Bell num período de 18 anos, mas perdeu todos, pois a (in)justiça é controlada pelos
judeus.
Em 2002 o congresso americano foi obrigado a reconhecer Meucci como verdadeiro
inventor do telefone, mas ninguém ficou sabendo, pois a mídia hebraica não divulga
estas notícias "politicamente incorretas".

Mais aqui: http://www.italianhistorical.org/MeucciStory.htm

2. O (intocável) judeu Albert Einstein é considerado, segundo a mídia judaica, um dos


maiores cientistas da história da humanidade. Certo? Errado! Einstein foi um dos
maiores plagiadores e falsários da história da humanidade. Nunca inventou nada,
sempre foi medíocre. Em 1900, aos 21 anos de idade, foi reprovado em um concurso
para professor de segundo grau, seu conhecimento em física elementar era inferior ao
dos próprios alunos daquele nível, tendo obtido uma ridícula nota "5" nesta matéria.
De tão incapaz que era, nunca conseguiu aprender a dirigir automóvel e mal
conseguia andar numa bicicleta. Em 1905, Einstein, funcionário de terceira-classe do
escritório suíço de patentes, roubou a "Teoria da Relatividade" desenvolvida pelo
físico e matemático francês Henri Poincaré, e publicou como se fosse dele.
Segundo o cientista César Lattes, que revolucionou o conhecimento do mundo sub-
atômico, Einstein "é uma fraude, uma besta! Ele não sabia a diferença entre uma
grandeza física e uma medida de grandeza, uma falha elementar."
O "pacifista" Einstein incentivou Roosevelt a construir a bomba atômica, mas não
participou dos trabalhos, pois "o besta" não tinha conhecimento sequer comparável
ao de um estudante secundarista!

Mais aqui: http://www.geocities.com/Athens/Agora/9443/C6.HTM

Você ouve todos os dias as reverências à Einstein, mas provavelmente nunca ouviu
falar de Lattes ou Poincaré, pois os judeus controlam a mídia. Quantos gênios os
hebreus não terão destruído, arruinado ou sufocado em nome da "superioridade
judaica"...?

Eis aí, a "inteligência admirável" do judeu.

> Sou judeu, contra os sionistas, sigo a Torá, não faço mal
> a ninguem e não tramo contra os brancos. Recebi a educação
> dos judeus e acredito que apenas os que seguem o talmud
> devem pensar daquela forma.

Todos os camaradas sabem exatamente a diferença entre judeu talmudista/sionista e


judeu não-talmudista.

Judeus não-talmudistas da American Neturei Karta marcharam ao nosso lado em


defesa do povo palestino, no congresso contra o racismo realizado na África do Sul.
Estes judeus são nossos amigos.

Mas judeus não-talmudistas são uma minoria tão pequena que poucos sabem que
existem. Sendo os talmudistas/sionistas uma maioria esmagadora, então sempre que
eu cito simplesmente "judeu" estou me referindo a judeu talmudista, quando desejo
me referir ao judeu não-talmudista deixo isso explicitado.

Se os não-talmudistas quiserem ser levados a sério terão de deixar a postura quase


exclusivamente passiva que vêm adotando, e adotar ações práticas e visíveis pela
sociedade.

> Gostaria de receber algum exemplo de trama judaica


> (clara, com participação evidente desses) contra os brancos.
> Reconheço os erros judáicos, mas esses são cometidos pelos
> talmudicos (os que seguem o talmud)...

Os judeus sabem que nunca escravizarão a humanidade sem antes destruir a raça
branca.
No final do século 19 chegaram ao Brasil os imigrantes italianos. A intenção dos
brasileiros era utilizar os italianos como escravos, em substituição aos negros. Óbvio
que os brasileiros não conseguiram seu intento, pois não há como escravizar um povo
cultural e intelectualmente superior àqueles que tentam escravizá-los. Escravizar uma
raça superior é impossível, pois isso vai contra a ordem natural do universo.

Ligue a televisão, que é controlada por judeus, e você verá intermináveis iniciativas
dos judeus contra os brancos.
Todos os dias aparecem reportagens incentivando - de forma explícita ou sutil - a
miscigenação racial entre negros e brancas. Os judeus transformaram em mania
nacional chamar 'loura de burra', através do cantor (?) judeu "Gabriel, o pensador",
mas dizer que negra tem cabelo bom-bril é crime de racismo!
Leia mais aqui: http://www.natvan.com/portuguese/fs961c.html

Eu sou gaúcho, e vejo o ininterrupto ranço judaico contra o meu povo. Tentam
associar a imagem do gaúcho à de homossexuais. Querem destruir a nossa cultura,
pois sabem que é no RS que está um dos grandes centros mundiais da resistência
contra o sionismo, resistência esta inclusive objeto de estudo de universidades
israelenses.

Eis aí dois exemplos atuais e explícitos.

Se você foi suficientemente honesto para reconhecer a maldade do talmudismo,


certamente reconhece a veracidade dos "Protocolos dos Sábios de Sião", escritos pelo
sionistas em 1897. Esta é uma prova inquestionável dos maléficos planos judaicos
contra a humanidade e destruição da raça branca, que estão sendo implantados em
sua plenitude.

Os judeus semeiam ódio e opressão. Esperavam colher o quê? Amizade e respeito?

Althiz
01-20-2003