Você está na página 1de 7

1

PONTUAÇÃO

A Importância da Pontuação
Um homem rico estava muito mal. Pediu papel e pena. Escreveu assim:
Deixo meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada
dou aos pobres.

Morreu antes de fazer a pontuação.


A quem deixava ele a fortuna?
Eram quatro concorrentes.

1) O sobrinho fez a seguinte pontuação:


Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro.
Nada dou aos pobres.

2) A irmã chegou em seguida. Pontuou assim o escrito:


Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro.
Nada dou aos pobres.

3) O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha dele:


Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro.
Nada dou aos pobres.

4) Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta


interpretação:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do
padeiro? Nada! Dou aos pobres.

Assim é a vida. Nós é que colocamos os pontos. E isso faz a diferença


(Autor desconhecido)

Devemos saber pontuar, para expressarmos bem nossos pensamentos.

VÍRGULA

Ordem direta: Os parentes / visitaram / o recém-nascido / ontem.


sujeito verbo complemento do adjunto
verbo adverbial

Ordem indireta:
-inversão : Ontem, os parentes visitaram o recém-nascido.
-intercalação: Os parentes, ontem, visitaram o recém-nascido.
-omissão : (Os parentes) Visitaram o recém-nascido ontem.
Na escrita, estes fenômenos são marcados por vírgula.

Não se usa, entretanto, a vírgula entre:

1. sujeito e verbo: Todos os membros do colegiado aceitaram a proposta.


2

2. Verbo e seus complementos: Paguei a conta ao padeiro.

3. Nome e complemento nominal e/ou adjunto adnominal: A intrigante resposta do mestre ao


aluno causou surpresa.

Usa-se a vírgula dentro da oração para:


1. marcar intercalação do:

1.1. adjunto adverbial: A plataforma de Enchova, na semana passada, foi desativada.

1.2. Conjunção: Não foi, portanto, culpa dele.

1.3. Expressões explicativas e corretivas: a saber, por exemplo, isto é, ou melhor, aliás, além
disso etc.A maior potência do mundo, ou seja, Os Estados Unidos adotam a democracia. Os
menores, ou melhor, as pessoas com menos de dezoito anos, não puderam ver o filme.

1.4. Separar paralelismo de provérbios:


Comer e coçar, é só começar.

2. Marcar inversão do:

2.1. adjunto adverbial: No começo, tudo me pareceu fácil.

2.2. Complemento pleonástico antecipado ao verbo: Aos nossos pais, devemos-lhe gratidão. /
Pedras preciosas, eu já as tive.

2.3. Nomes de lugar antecipados a datas: São Paulo, 20 de janeiro de 2005.

3. Enumeração: O menino estava cansado, sujo, faminto, doente.

Obs.: Mesmo que o e venha repetido antes de cada um dos elementos da enumeração, a
vírgula deve ser empregada: Marta estava inquieta. Falava, e gesticulava, e chorava.

4. Marcar elipse do verbo: Nós pensamos em vocês e vocês, em aventuras.

5. Para isolar:

5.1. vocativo: "Deus, o' Deus dos desgraçados, onde estais que não respondes?" (Castro Alves)

5.2. Aposto: Seu Ricardo, dono da padaria, não quis trocar o dinheiro.

6. Em termos repetidos: Não adianta! Jamais, jamais farei isso!

7. Saudações: Caro José,


Querida Patrícia,

8. Despedidas: Cordialmente seu,


3
Respeitosamente,
Um abraço,

9. Entre orações:

9.1. adjetivas explicativas: Deus, que é generoso, ajuda a todos.

9.2. Adverbiais: Mesmo que não tenha esperanças, tentarei.


Severino saiu de suas terras, a fim de encontrar uma vida melhor.

9.3. Coordenadas:

9.3.1. Assindéticas: Pegou a arma, disparou, soltou-a em seguida.

9.3.2. Sindética (exceto aditiva):"Penso, logo existo."


Choveu, porque as ruas estavam alagadas.

Obs: "aditivas" com sujeitos diferentes são separadas por vírgula: Você faz, e nós levamos a
culpa.

9.4. Intercaladas: Não vá, disse ele, que tudo pode piorar.
O povo, dizem certos políticos, precisa antes de comida do que de educação.

9.5. Reduzidas: O homem, para se fazer de forte, não chora.

PONTO

1. Emprega-se o ponto para indicar o término de frase declarativa de um período simples ou


composto.
Desejo-lhe uma feliz viagem.
A casa, quase sempre fechada, parecia abandonada, no entanto tudo no seu interior era
conservado com primor.

2. O ponto é usado em quase todas as abreviaturas, por exemplo: fev. = fevereiro, hab. =
habitante, rod. = rodovia.

3. O ponto empregado para encerrar um texto escrito recebe o nome de ponto final.

PONTO-E-VÍRGULA

Não se usa o ponto-e-vírgula entre a oração subordinada e a principal: Ela ataca, para defender
os filhotes.

É empregado entre:

l. orações que se equivalem em importância: O menino olha para o espelho; o espelho reflete
o menino.
4
2. Separar itens de uma lista:
Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:
I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;
II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;
III - pluralismo de idéias e de concepções, e coexistência de instituições públicas e privadas de
ensino;
IV - gratuidade do ensino em estabelecimentos oficiais;
........
(Constituição da República Federativa do Brasil)

3. Pausa maior que a vírgula e menor que o ponto: Eu conhecia aquele menino; era o meu
duplo.

4. Orações coordenadas em períodos longos, já marcadas por vírgulas no seu interior: Eu,
apressadamente, queria chamar socorro; o motorista, porém, mais calmo, resolveu o problema
sozinho.

DOIS PONTOS

1. Para introduzir citação alheia: Foi-nos transmitido o seguinte recado: "o prazo não será
prorrogado”.

2. Para desenvolver uma palavra ou expressão: Fim do sonho: a seleção brasileira foi
desclassificada no jogo de ontem.

3. Anunciar uma enumeração:

“... Rubião recordou a sua entrada no escritório do Camacho, o modo porque falou: e daí
tornou atrás, ao próprio ato.
Estirado no gabinete, evocou a cena: o menino, o carro, os cavalos, o grito, o salto que deu,
levado de um ímpeto irresistível...” (Machado de Assis)

4. Saudação: Sr. Diretor do Imposto de Renda: / Ilma. Sra.:

5. Introdução de exemplos, notas ou observações:


Parônimos são vocábulos diferentes na significação e parecidos na forma. Exemplos:
ratificar/retificar, censo/senso, descriminar/discriminar etc.

RETICÊNCIAS

1. Basicamete, indica interrupção:


“ — Você quer Bentinho?
— Mamãe querendo...
— Quero, meu filho, sua majestade manda...” (M.A.)

2. Indica hesitação, surpresa, gagueira.


“ - Creio antes... sim... sim, creio sim.” (M.A.)
“ - Olha!... ah, não é... Também não sei pra que o prefeito põe tanta árvore na rua!” (M.A.)
5

2. Marcar aumento de emoção:


As palavras únicas de Teresa, em resposta àquela carta, significativa da turvação do infeliz,
foram estas: "Morrerei, Simão, morrerei. Perdoa tu ao meu destino... Perdi-te... Bem sabes que
sorte eu queria dar-te... e morro, porque não posso, nem poderei jamais resgatar-te.
(Camilo Castelo Branco)

ASPAS

1. Indicar expressões alheias, palavras estrangeiras, gírias, arcaísmos, formas populares,


fala de personagens: Meu cão não tem “pedigrees”, mas é “superlegal”.
Padre Antônio Vieira disse: “O livro é como um mudo que fala, um surdo que responde, um
cego que guia, um morto que vive.”

2. Para enfatizar as palavras: Tornou-se “arrimo de família”.

3. Para indicar que a palavra não está sendo empregada em sentido próprio: Ele me havia
passado a "receita" para conseguir aquele emprego.

TRAVESSÃO

Indica:
1. Mudança de interlocutor no diálogos:
— Não esqueça das sacolas, viu?
— Não, mãe, dou um jeito.

2. Dar destaque em palavras ou expressões no interior da frase: “Lenine abriu no berreiro,


esbravejou e correu a apanhar pedras para desacatar – esbodegar – as minhas vidraças.” (M.
Bandeira)

3. Orações intercaladas: Já falava a Juliana – quem ele tanto amava – de seus receios.

4. Ligar palavras encadeadas: rodovia Rio–São Paulo / o percurso casa–escola.

5. Enfatizar palavras ou frases :


"O rei da brincadeira - ê José"
"O sorvete é morango - é vermelho." (Gilberto Gil)

6. Marcar pausa prolongada: Fica uma certeza - a hipocrisia.

PARÊNTESES

1. Para isolar palavras, locuções, frases explicativas, reflexões, comentário que não
encaixam na seqüência lógica: Disseram que voltaria (será verdade?) (no exemplo, há um
comentário)

2. Expressar emoção: Clarissa olha atentamente o retrato (que medo!)


6
3. Referências a datas, indicações bibliográficas (autor, ano de publicação, página etc.):
Érico Veríssimo (l905 - l975) foi um grande romancista.
Obs.: os parênteses podem substituir o travessão ou a vírgula.

ASTERISCO

O asterisco, sinal gráfico em forma de estrela, é um recurso empregado para:

1. remissão a uma nota no pé da página ou no fim de um capítulo de um livro:


Ao analisarmos as palavras sorveteria, sapataria, confeitaria, leiteria e muitas outras que
contêm o morfema preso* -aria e seu alomorfe -eria, chegamos à conclusão de que este afixo
está ligado a estabelecimento comercial. Em alguns contextos pode indicar atividades, como
em: bruxaria, gritaria, patifaria etc.

* É o morfema que não possui significação autônoma e sempre aparece ligado a outras
palavras.

2. Substituição de um nome próprio que não se deseja mencionar:


O Dr.* afirmou que a causa da infecção hospitalar na Casa de Saúde Municipal está ligada à
falta de produtos adequados para assepsia.

PONTO DE INTERROGAÇÃO

O ponto de interrogação é empregado para indicar uma pergunta direta, ainda que esta não
exija resposta:

”O criado pediu licença para entrar:


— O senhor não precisa de mim?
— Não obrigado. A que horas janta-se?
— Às cinco, se o senhor não der outra ordem.
— Bem.
— O senhor sai a passeio depois do jantar? de carro ou a cavalo?
— Não.” (José de Alencar)

PONTO DE EXCLAMAÇÃO

1. O ponto de exclamação é empregado para marcar o fim de qualquer enunciado com


entonação exclamativa, que normalmente exprime admiração, surpresa, assombro,
indignação etc.

”— Viva o meu príncipe! Sim, senhor... Eis aqui um comedouro muito compreensível e muito
repousante, Jacinto!
— Então janta, homem!” (Eça de Queiroz)

2. O ponto de exclamação é também usado com interjeições e locuções interjetivas:


Oh!
Valha-me Deus!
7
INTERROGAÇÃO e EXCLAMAÇÃO

Indicam surpresa, perplexidade, impaciência em uma pergunta ou confirmação:


Pois então?!