Você está na página 1de 49

GUIA DA REGUL ARIZAÇÃO

DE OBRAS EM PORTO ALEGRE

Título/nome

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 1


DICAS IMPORTANTES
PARA A LEITURA
DESTE EBOOK
Olá! Este eBook é um PDF interativo. Isso quer dizer que aqui, além do texto, você tam-
bém vai encontrar links, botões e um índice clicável.

Aqui você poderá compartilhar este ebook através das redes sociais, utilizando os ícones
interativos no canto superior esquerdo da página.

Ao clicar na opção IR PARA O ÍNDICE, você será direcionado para a página de sua prefe-
rência, proporcionando uma navegação interativa.

Quando o texto estiver assim, significa que foi transformado em Hiperlink. Ao clicá-lo,
você será direcionado para um site, um post ou algum material que irá complementar a
informação.

Eperamos que essas funções ajudem você a aproveitar melhor o nosso conteúdo! Tenha
uma ótima leitura!

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 2


O QUE VOCÊ
ENCONTRA
NESTE EBOOK
ÍNDICE
Introdução 04
Aprovação eletrônica dos projetos 06
Decreto 18.623/2014 regula o licenciamento 09
Requerimento e documentos 11
Condições prévias para o licenciamento 14
Prazo e penalidades 16
Agendamento e enquadramento do projeto 18
Acessar o site de agendamento 20
Enquadramento do projeto para aprovação 23
Lista completa de documentos 34
Outros documentos 43
O Sienge Platform 48
Referências 49

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 3


INTRODUÇÃO

Você é dos que tremem só de ouvir falar em Para evitar contratempos dessa natureza, é
burocracia? Se isso lhe acontece você não está necessário seguir o rito e cumprir essa etapa legal,
sozinho, porque esse é um dos grandes problemas sem deixar nada para trás que possa vir a causar
do País e atrapalha muitos investimentos na interrupções ou outros transtornos.
construção civil, especialmente na etapa de Isso passa pela Prefeitura e seus órgãos
licenciamento da obra. É um dos maiores tormentos encarregados de disciplinar e fiscalizar o setor.
dos empreendedores.
Um problema adicional é que cada Prefeitura tem
Não basta ter um ótimo projeto, um planejamento possui uma legislação própria para regularização de
perfeito e um canteiro de obras eficiente, se não obras. Isto significa que, embora haja procedimentos
estiver tudo legalmente registrado e autorizado e documentações comuns, há também muitas
para que o empreendimento saia do papel. Afinal, particularidades em relação a isso de uma cidade
se a edificação não estiver regularizada, pode ser para outra.
embargada, provocar multas ao proprietário ou até
ser demolida, mesmo depois da sua conclusão.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 4


INTRODUÇÃO

Por esse motivo, vamos focar esta publicação em


Porto Alegre, apresentando passo a passo como se
encaminha a legalização das obras na capital gaúcha,
da forma mais objetiva e clara possível.

Com este guia, vai ficar bem mais fácil para


sua empresa cumprir todos os trâmites que são
exigidos.

Além da papelada necessária, não podem faltar à


construtora ou incorporadora profissionais capazes
e experientes para realizar essa tarefa, além de boa
dose de paciência, é claro.

O primeiro passo é conhecer o que diz a legislação


a respeito, naquilo que ela tem de mais importante.
Vamos facilitar a sua vida com um resumo bem
acessível dessa regulamentação, é só continuar
a leitura para saber o que é essencial para o
licenciamento das suas obras.
Créditos: Freepik/Divulgação

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 5


Créditos: Freepik/Divulgação

Aprovação eletrônica
dos projetos

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 6


Aprovação eletrônica
dos projetos

Uma boa notícia neste sentido é que a Prefeitura de Porto


Alegre lançou em 2017 o Decreto Nº 19.741 alterando
dispositivos e artigos do atual Decreto de licenciamento,
visando facilitar e agilizar os processos de aprovação de
projetos de forma eletrônica.

A novidade permite o licenciamento expresso para


habitação unifamiliar de natureza simples. Nestes casos,
o profissional pode, simplesmente, anexar um termo
de compromisso junto ao projeto, declarando que os
procedimentos foram realizados conforme exige a norma
do município e já obtenha a permissão para construção.

Outra medida para trazer celeridade aos procedimentos Créditos: Freepik/Divulgação


de aprovação foi a unificação do processo de análise de
Estudo de Viabilidade Urbanística de 1º Grau (EVU) com a
etapa de aprovação do projeto arquitetônico, reduzindo o
tempo de avaliação.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 7


Aprovação eletrônica
dos projetos

Também foi desenvolvido um sistema em parceria com o


Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP)
para modernizar a tramitação e análise dos projetos
arquitetônicos.

Para possibilitar a eficiência do sistema, foi realizada uma


reestruturação organizacional nas secretarias envolvidas
no processo de aprovação e licenciamento das obras,
permitindo a análise simultânea por todos os órgãos
municipais envolvidos.
Créditos: Freepik/Divulgação

Os processos de licenciamento em Porto Alegre levavam


em média 170 dias para ser concluídos. A tramitação
digital foi implementada com o objetivo de diminuir esse
prazo para 120 dias, uma redução de 30%.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 8


Créditos: portoimagem/Divulgação

Decreto 18.623/2014 regula


o licenciamento

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 9


Decreto 18.623/2014 regula o
licenciamento

O licenciamento de edificações em Porto Alegre é Responsabilidade Técnica (ART) ou Registro de


regulado pelo Decreto nº 18.623, de 24 de abril de Responsabilidade Técnica (RRT) e aos proprietários
2014, que é muito claro: dos imóveis.

• “Nenhuma obra de construção, inclusive as Assim, a responsabilidade pelos projetos


provisórias, reconstrução, ampliação, reforma, apresentados é do responsável técnico e ao Município
transladação, demolição ou reciclagem de uso cabe o licenciamento e a fiscalização das obras,
poderá ser realizada sem prévio licenciamento conforme a legislação vigente e as regras do Decreto.
municipal.” (Artigo 1º, § 1º)
Tratando-se de aprovação e licenciamento de
• “Nenhuma edificação poderá ser ocupada aumentos ou reformas em edificações de prédios
anteriormente à expedição da Carta de com mais de uma unidade autônoma, os responsáveis
Habitação.” (Artigo 1º, § 2º) técnicos, proprietários ou usuários a qualquer título
deverão atender ao Código Civil.
O mesmo Decreto define que a responsabilidade
sobre projetos, instalações, execuções e manutenção Agora vamos ao que mais interessa, ou seja, como
das edificações cabe exclusivamente aos profissionais solicitar e obter o licenciamento da obra na capital
legalmente habilitados por meio de Anotação de gaúcha.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 10


Créditos: stock.adobe/Divulgação

Requerimento e documentos
necessários

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 11


Requerimento e documentos
necessários

Estas são condições básicas do Decreto 18.623, que


você precisa conhecer muito bem.

A aprovação do projeto e o licenciamento da obra


devem ser solicitados pelo responsável técnico,
ou seja, o autor do projeto, por meio de um
requerimento padrão protocolado no Escritório de
Licenciamento e Regularização Fundiária (EGLRF),
atualmente vinculado à Secretaria Municipal de
Desenvolvimento Econômico, acompanhado dos
seguintes documentos (Artigo 3º) [Próxima página]

Créditos: stock.adobe/Divulgação

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 12


I – Declaração Municipal Informativa das Condições § 1º Ficam excetuados das exigências dos incisos I, II, III e
Urbanísticas do Solo (DMI); IV:

II – planta de situação de acordo com a al. “a” do inc. I I – projetos novos que tenham DM válida;
do Artigo 4º deste Decreto, graficando as limitações
administrativas; II – modificações de projetos aprovados e licenciados,
válidos;
III – Certidão ou Matrícula do Cartório de Registro de
Imóveis; III – projetos cujas obras tenham sido iniciadas; e

IV – guia do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) ou IV – projetos que possuem Estudo de Viabilidade
Certidão Negativa de Débito (CND) do imóvel; Urbanística (EVU), válido.

V – autorização do proprietário ou possuidor a qualquer § 2º Poderá ser solicitada a apresentação do


título; levantamento planialtimétrico para os demais casos não
previstos no inciso X.
VI – ART ou RRT pelo projeto;
§ 3º Ficam isentos do atendimento do inciso III.
VII – comprovante do pagamento da taxa de aprovação e
licenciamento conforme legislação específica; I – projetos de edificações em áreas objeto de termo
de permissão de uso, atendendo a legislação específica
VIII – projeto arquitetônico com apresentação gráfica, sob orientação da Equipe de Patrimônio, da Secretaria
padrão Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), Municipal de Fazenda (SMF), observados os condicionantes
em escala adequada para perfeita leitura e compreensão, de estabelecidos no próprio termo; e
acordo com a área e o tipo de projeto;
II – Projetos de edificações de prédios públicos ou em
IX – parecer ou manifestação dos órgãos externos ao áreas públicas.
Município que interfiram na implantação ou altura da
edificação, tais como companhia de energia elétrica,
companhia telefônica, V Comando Aéreo Regional (V
COMAR) e Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Observação: Além dos documentos básicos, comuns
Nacional (IPHAN); e a todos ou maioria dos empreendimentos, esta lista
poderá ser ampliada, conforme o enquadramento do
X – levantamento planialtimétrico quando se tratar de projeto. Vamos mostrar como é isso mais adiante.
Condomínios por unidade autônoma com mais de 3 (três)
unidades.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 13


Créditos: stock.adobe/Divulgação

Condições prévias para o


licenciamento

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 14


Condições prévias para o
licenciamento

Resumindo para você, a aprovação do projeto e atividade, e o parecer de outros órgãos que interfiram
o licenciamento da obra obedecem a algumas na implantação ou altura da edificação, tais como
condições, tais como a manifestação prévia da companhia de energia elétrica, companhia telefônica,
Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam). IPHAN e Superintendência de Portos e Hidrovias
(SPH).
O parecer da Smam é necessário quando houver
intervenção da edificação na vegetação arbórea Estando o projeto em condições de aprovação, o
existente com altura maior ou igual a dois metros, responsável técnico deverá anexar ao expediente, para
ou quando houver qualquer intervenção em Área deferimento, três vias da prancha contendo Planta de
de Preservação Permanente (APP), as quais devem Situação, Planta de Localização e Planilha de Controle
estar identificadas na planta, sob responsabilidade do e Registro (conforme modelos constantes nos anexos
responsável técnico. do Decreto), duas vias das demais pranchas.

Também deve haver manifestação prévia do Após o licenciamento da obra, o responsável técnico
Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), quando deverá buscar junto aos órgãos competentes
houver edificação em áreas não edificáveis, que devem as demais licenças necessárias, conforme
estar identificadas na planta. condicionantes estabelecidos na etapa da aprovação
ou ainda pela legislação Municipal, Estadual e Federal,
Assim como a liberação do V Comando Aéreo quando não forem dispensadas pelo próprio Decreto.
(Comar) quando houver restrição quanto à altura ou

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 15


Créditos: stock.adobe/Divulgação

Prazo e penalidades

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 16


Prazo e penalidades

O Município tem o prazo de 120 dias a partir da data


do protocolo, para análise e manifestação, deferindo
ou indeferindo o requerimento de aprovação do
projeto e licenciamento. Sem prejuízo de outras
penalidades, o Município poderá, a seu critério,
embargar obras que não observem as disposições
deste Decreto e determinar a demolição, total ou
parcial, a expensas dos proprietários, de obras
realizadas em desacordo com as normas técnicas,
legislação vigente ou ainda em desacordo com os
projetos aprovados.

Créditos: stock.adobe/Divulgação

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 17


Créditos: stock.adobe/Divulgação

Agendamento e enquadramento
do projeto

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 18


Agendamento e enquadramento
do projeto

Vamos agora, conforme o manual do Escritório de O projeto arquitetônico e os documentos anexados


Licenciamento de Edificações, apresentar todo o processo de são analisados pelas secretarias, simultaneamente,
aprovação e licenciamento. que informam o seu parecer. Um despacho final reúne
todos os pareceres.
Como primeiro passo, o responsável técnico deve realizar o
agendamento online para atendimento do escritório e depois Portanto, os projetos de aprovação e licenciamento de
responder a um questionário para o enquadramento do edificações devem seguir os
projeto. seguintes passos:

Após a conclusão do questionário, uma lista de documentos é • Agendar e responder o enquadramento do projeto;
gerada automaticamente para ser entregue, na data agendada, • Após, será disponibilizada uma lista de documentos;
e dar entrada no processo de aprovação e licenciamento.
• Esses devem ser entregues, na data agendada, no
Escritório de Licenciamento;
O e-mail informado no cadastro do agendamento/
enquadramento indicará ao responsável técnico todos os • Acompanhar o andamento do processo via e-mail
passos do trâmite e pareceres das secretarias. ou no portal da aprovação;
• eletrônica através do número de protocolo recebido
Os documentos entregues no momento do protocolo no atendimento.
são triados por uma equipe e, se estiverem corretos, são
digitalizados e os arquivos enviados eletronicamente para as Vamos explicar agora, detalhadamente, como realizar
secretarias envolvidas. todos estes procedimentos.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 19


Créditos: stock.adobe/Divulgação

Acessar o site de
agendamento

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 20


Acessar o site de
agendamento

O processo de aprovação e
licenciamento de projetos
arquitetônicos inicia com o
agendamento no site da Prefeitura
(clique aqui).

Ali, selecionar o item


ENQUADRAMENTO DE PROJETOS
ARQUITETÔNICOS, conforme a figura
abaixo.

Em seguida em Assunto: selecionar


PROTOCOLO PARA APROVAÇÃO DE
PROJETOS ou COMPLEMENTAÇÃO
DE DOCUMENTOS (para quando
o processo estiver solicitando
complementação de documentos).

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 21


Acessar o site de
agendamento

Preencher os demais dados e, a partir


da data selecionada, são fornecidas as
horas disponíveis. Escolher a hora para o
agendamento. Mas o agendamento ainda
não foi concluído. Para dar continuidade
é necessário responder às perguntas de
enquadramento do projeto, detalhado a
seguir.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 22


Créditos: stock.adobe/Divulgação

Enquadramento do projeto
para aprovação

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 23


Enquadramento do projeto
para aprovação

Para completar o agendamento é necessário responder A seguir, os blocos do enquadramento Básico,


ao enquadramento, que consiste em três blocos de Complementar e Especializado devem ser respondidos
perguntas referentes ao projeto arquitetônico. selecionando-se o bloco específico do formulário.

Após todas as respostas, uma lista final de documentos


é fornecida e devem ser entregues no momento do Enquadramento básico
atendimento.
O enquadramento básico engloba os documentos
Preencher os dados do agendamento: obrigatórios de acordo com o Artigo 3 do Decreto
Municipal n° 18.623/2014. A cada resposta, uma
• Nome: nome da pessoa que realizará o nova pergunta é disponibilizada. A lista final do
atendimento; enquadramento básico depende das respostas,
conforme esquematizado no fluxograma abaixo.
• E-mail: importante preencher corretamente o
e-mail, este é o meio de comunicação no qual se
informa o andamento do processo; Determinadas respostas exigem que seja reiniciado o
enquadramento.
• Logradouro e Número: endereço do imóvel;
• Data agendada: é a data agendada na etapa
anterior;
• Expediente Único: número do Expediente Único
(não é obrigatório);

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 24


Enquadramento do projeto
para aprovação

Vamos explicar melhor essa etapa, que é determinante


na concessão do licenciamento.
As perguntas do enquadramento básico são as
seguintes:

1- É projeto novo?

Obs: não há projeto anterior válido ou o Habite-


se já foi concedido para determinada metragem e
atividade.

SIM:
Os projetos de edificações são considerados novos
quando:
1) Não possuem habite-se, construções novas ou a
regularizar.
2) Possuem habite-se, entretanto pretende-se
alterar a metragem e/ou atividade.
3) Reconsideração de projetos indeferidos ou
arquivados (se não possui projeto aprovado e
licenciado e direito à obra iniciada).

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 25


Enquadramento do projeto
para aprovação

NÃO: Graus, necessitando de análise específica com vista à


Os projetos de edificações não são considerados novos identificação e à avaliação dos impactos decorrentes
quando envolve modificação de projeto nos seguintes da proposta.
casos:
1) Projeto possui validade de até dois anos; O Anexo está disponível no link abaixo: http://lproweb.
2) Para quando há a comunicação de conclusão de procempa.com.br/pmpa/prefpoa/spm/usu_doc/
fundações, tendo direito à obra iniciada. anexo11revisao.pdf

2- O projeto está contemplado no Anexo 11 da NÃO:


LC 646/10? Projetos que não se enquadram no Anexo 11 da Lei
Complementar 646/10, não necessitando de EVU
SIM: prévio.
Projetos que necessitem de Estudo de Viabilidade
Urbanística (EVU) de acordo com o Anexo 11 Para os imóveis inseridos em Área Especial de
da Lei Complementar 434/99 modificada pela Interesse Cultural, de acordo com o Artigo 5° do
Lei Complementar 646/10 (Plano Diretor de Decreto Municipal n° 18.886/2014, a análise do EVU
Desenvolvimento Urbano e Ambiental - PDDUA). será efetuada durante a etapa de requerimento de
aprovação do projeto arquitetônico, observadas
O Anexo 11 lista as atividades enquadradas como as exigências do Decreto 18.623/2014 e legislação
Projetos Especiais de Impactos Urbano de 1º ou 2º posterior, mediante consulta à Equipe do Patrimônio

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 26


Enquadramento do projeto
para aprovação

Histórico, Artístico e Cultural (EPHAC), da Secretaria NÃO:


Municipal de Cultura (SMC). Projetos que não se enquadrem no Artigo 2 do Decreto
18.623/2014.
3- O projeto possui validade de dois anos de acordo
com o Artigo 2 do Decreto Municipal 18.623/2014? 4- O projeto possui EVU válido de 18 meses
relativo ao projeto em questão de acordo com
SIM: o Artigo 159, Parágrafo 3, da Lei Complementar
Projetos aprovados e licenciados que estejam válidos 646/10?
de acordo com o Artigo 2 do Decreto Municipal n°
18.623/2014. SIM:
Projetos de Estudo de Viabilidade Urbanística (EVU) que
Artigo 2º O projeto licenciado terá o prazo de início das estejam válidos de acordo com o Parágrafo 3° do Artigo
obras de dois anos, a contar da data de aprovação e 159 da Lei Complementar 434/99 modificada pela Lei
licenciamento. Complementar 646/10.

Neste caso, são listados os documentos do Artigo 159 § 3º - As Viabilidades Urbanísticas e de


enquadramento básico: requerimento padrão, ART Edificação concedidas terão validade de 18 meses, exceto
ou RRT do projeto com respectivo comprovante de quando ocorrer modificação de traçado do PDDUA que
pagamento, DAM com comprovante de pagamento, incida sobre o imóvel objeto da viabilidade, que poderá
projeto arquitetônico e lista de modificações. ser reexaminada sob a égide da lei que a originou, para

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 27


Enquadramento do projeto
para aprovação

fins de adaptação ao novo traçado viário. 5- O projeto possui Declaração Municipal emitida
a partir do dia 25/11/2011?
Documentos listados: requerimento padrão, ART
ou RRT do projeto com respectivo comprovante de SIM:
pagamento, DAM com comprovante de pagamento e A Declaração Municipal (DM) era o antigo documento
projeto arquitetônico. fornecido pela Prefeitura e informava o regime
urbanístico e os condicionantes legais do lote solicitado.
NÃO: Esse documento foi extinto desde a implementação do
Projetos que não se enquadrem no Parágrafo 3° do Artigo sítio DMWEB, que disponibiliza as informações online.
159 da Lei Complementar Municipal 646/10. Nesse caso
não é possível prosseguir devido à necessidade prévia de A DMI (Declaração Municipal Informativa), que é o
Estudo de Viabilidade Urbanística. documento impresso da DMWEB, não substitui a DM
tratada nesta pergunta, são documentos distintos. A
A seguinte mensagem é alertada: Atenção! Conforme as validade da Declaração Municipal deve estar de acordo
características do seu projeto, você precisa primeiramente com as seguintes instruções normativas da Secretaria de
de um EVU (Estudo de Viabilidade Urbanística). Neste Planejamento Municipal (SPM):
caso, você deve refazer seu agendamento escolhendo
‘EVU’ no campo ‘Assunto’. Instrução Normativa nº 04, de 30 de novembro de
2010 - Dispõe sobre o prazo de validade das DMs.
Não é possível ir adiante a partir daqui.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 28


Enquadramento do projeto
para aprovação

Instrução Normativa nº 01, de 14 de maio de 2012 - É possível verificar se o endereço objeto do projeto
Dispõe sobre a validade dos Protocolos e das Declarações possui DM válida, através de solicitação de vistas ao
Municipais Informativas das Condições Urbanísticas de processo ou em consulta aos atendentes do Escritório de
Ocupação do Solo – DMs em razão da Portaria DECEA nº Licenciamento.
168/PLN1.
Documentos listados: requerimento padrão, ART
As instruções determinam que todas as DMs emitidas até ou RRT do projeto com respectivo comprovante de
o dia 25/10/2010 não possuem validade. pagamento, DAM com comprovante de pagamento e
projeto arquitetônico.
As emitidas entre 26/10/2010 e 24/11/2011, dependem da
condicionalidade de altura e altitude em razão da Portaria NÃO:
DECEA n° 168/PLN1. Projetos que não se enquadrem nas validades das
instruções normativas citadas acima.
A partir do dia 25/11/2014, todas as Declarações
Municipais são válidas. 6- O projeto se encaixa no artigo 13 do Decreto
18.623/14?

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 29


Enquadramento do projeto
para aprovação

SIM: protocolizado no EGLRF, da SMGes, para a execução de


O Artigo 13 do Decreto Municipal 18.623/2014 trata obras, tais como:
de projetos objetos de dispensa parcial do processo
administrativo de aprovação de edificações, como I – aumento de até 50,00m² (cinquenta metros quadrados)
aumento de até 50 metros quadrados e reciclagem de em edificações regulares ou existentes;
uso. II – reciclagem de uso em edificações regulares ou
existentes que não dependam de EVU prévio;
Tais casos se enquadram somente quando a edificação
possuir carta de habitação (habite-se) ou existentes Documentos listados: requerimento padrão, ART
há mais de 20 anos (Artigo 159-B Lei Complementar ou RRT do projeto com respectivo comprovante
Municipal 646/10), além de não depender de EVU prévio. de pagamento, DAM com comprovante de
pagamento e projeto arquitetônico.
Artigo 13. Em função da natureza do empreendimento e
não havendo prejuízo ao exame e ao registro do Sistema NÃO:
Municipal de Gestão e Planejamento (SMGP) o Município Projetos que não se enquadrem no Artigo 13 do
poderá dispensar parcialmente a documentação ou Decreto 18.623/2014.
as etapas de tramitação, devendo ser solicitada pelo
responsável técnico pela autoria do projeto ou execução 7- O projeto envolve imóvel oriundo de aprovação
dos serviços por meio de requerimento padrão a ser de parcelamento de solo?

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 30


Enquadramento do projeto
para aprovação

SIM: respectivo comprovante de pagamento, DAM com


Para imóveis oriundos de aprovação e licenciamento comprovante de pagamento, projeto arquitetônico
de parcelamento do solo, realizado na forma de e certidão ou matrícula(s) do Registro de Imóveis
desmembramento ou fracionamento. atualizada.

Documentos listados: requerimento padrão, DMI, 8- Foi informado o início da obra através da
planta de situação, ART ou RRT do projeto com comunicação da conclusão das fundações? (Artigo
respectivo comprovante de pagamento, DAM com 159 LC 646/10 e Artigo 22 Dec 18.623/14)
comprovante de pagamento, projeto arquitetônico
e planta aprovada do EVU de loteamento válido, SIM:
ou do EVU de desmembramento válido ou do EVU Para projetos aprovados e licenciados que
de fracionamento. comunicaram a data de conclusão das
fundações, correspondentes ao início das obras. O
NÃO: Artigo 159, Parágrafo 2, da Lei Complementar 434/99
Projetos não oriundos de parcelamento do solo. modificada pela Lei Complementar 646/10 (PDDUA)
define o conceito de obra iniciada.
Documentos listados: requerimento padrão,
DMI, planta de situação, guia do IPTU ou CND Artigo 159 §2° Obra iniciada é aquela cujas fundações
do Imóvel, autorização(ões) do(s) proprietário(s) estejam concluídas e a conclusão tenha sido
do(s) imóvel(is), ART ou RRT do projeto com comunicada ao Poder Executivo, desde que executadas

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 31


Enquadramento do projeto
para aprovação

de forma tecnicamente adequada à edificação NÃO:


licenciada. Os projetos que não comunicaram a conclusão das
fundações conforme a legislação não possuem o
A comunicação é obrigatória, de acordo com o Artigo direito de obra iniciada. Nesse caso não é possível
22 do Decreto 18.623/2014. prosseguir devido ao projeto ser classificado como
projeto novo.
Artigo 22 Deverá ser comunicada a data da conclusão
das fundações, correspondentes ao início das obras, na Neste caso, a seguinte mensagem alerta:
forma da legislação específica.
Atenção! Conforme as suas respostas, seu projeto é
Documentos listados: requerimento padrão, ART ou classificado como ‘Novo’. Então, responda ‘Sim’ na
RRT do projeto com respectivo primeira pergunta deste questionário.
comprovante de pagamento, DAM com
comprovante de pagamento projeto arquitetônico, concluído o enquadramento básico, temos ainda o
lista de modificações e comunicado realizado da enquadramento complementar e o especializado.
conclusão das fundações.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 32


Enquadramento do projeto
para aprovação

Enquadramento Complementar Enquadramento Especializado

O enquadramento complementar contempla perguntas O enquadramento especializado trata de condicionantes


sobre os condicionantes do lote onde o projeto está do projeto arquitetônico, como intervenção em
inserido, como altura e atividade (zona de ruído) vegetação arbórea, áreas de preservação permanente,
em zonas aeroportuárias, redes de alta tensão, faixa questões de abastecimento de água, coletor de fundos
marginal de rios e lagos e patrimônio cultural. A (esgoto cloacal), faixa não edificável e utilização de
cada resposta afirmativa, o documento ou declaração potencial construtivo. A cada resposta afirmativa, o
necessário para a aprovação do projeto é informado documento ou informação necessária para a aprovação
ao lado. de projeto é indicado ao lado.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 33


Créditos: stock.adobe/Divulgação

Lista completa de documentos

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 34


Lista completa de documentos

1. Requerimento padrão
2. DMI
3. Planta de Situação
4. Guia do IPTU ou CND do imóvel Após a conclusão dos questionários do
5. Autorização(ões) do(s) Proprietário(s) do(s) enquadramento básico, complementar
imóvel(is) envolvido(s) no projeto e especializado, uma lista completa dos
6. ART ou RRT documentos necessários é apresentada na tela,
conforme o exemplo abaixo, para ser entregue
7. DAM com comprovante de pagamento
na data agendada.
8. Projeto arquitetônico
9. Matrícula(s) do registro de imóveis ou Para sua melhor compreensão, vamos
Documento(s) que comprove(m) a posse do(s) explicar os principais documentos que são
imóvel(is) envolvido(s) no projeto solicitados.
10. Declaração na planta de que não haverá
impacto na vegetação e demarcar árvores a
permanecer
11. Declaração em planta de que não há APP

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 35


Lista completa de documentos

Requerimento padrão

O requerimento padrão é um formulário obrigatório


para solicitar determinados documentos na Prefeitura.

No requerimento padrão deve ser preenchido


o logradouro e número do imóvel, o número
do Expediente Único (se houver) e os dados do
proprietário do imóvel, requerente e responsável
técnico, com as respectivas assinaturas.

Também deve ser assinalada a linha “Aprovação de


Projeto e Licenciamento Edificação”, com a opção que
identifica a obra.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 36


Lista completa de documentos

DAM com comprovante de pagamento Responsabilidade Técnica (ART) ou Registro de


Responsabilidade Técnica (RRT). É imprescindível o
O Documento de Arrecadação Municipal (DAM) preenchimento correto dos dados do responsável
é a taxa obrigatória para que seja protocolado técnico, dados da obra e a atividade técnica de
o projeto arquitetônico. O tipo de contribuição projeto arquitetônico (ou laudo técnico).
deve ser ALPE - Aprovação e Licenciamento de
Projetos de Edificação - e metragem da área total
do projeto. DMI

• Para a emissão de DAM clique aqui. A Declaração Municipal Informativa (DMI) é o


documento disponível na DMWEB, em: http://
• Para consultar a tabela de taxas de serviços www2.portoalegre.rs.gov.br/dm/. Ele sintetiza as
clique aqui. informações urbanísticas e condicionantes do
quarteirão pesquisado. A DMI é um documento
distinto da DM, antigo documento fornecido pela
ART ou RRT Prefeitura.

A responsabilidade técnica do projeto arquitetônico


deve ser informada através da Anotação de

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 37


Lista completa de documentos

Planta de Situação 6. situação do imóvel graficada sobre mapa


cadastral do Município em escala 1/1000 e/
Planta de Situação É o documento no qual se ou 1/5000 quando for o caso e, por solicitação
informa a localização do imóvel no quarteirão. A da UPSD (Unidade de Parcelamento do Solo e
planta de situação deve estar de acordo com o Detalhamento) da SMUrb;
Artigo 4, inciso I do Decreto 18.623/2014.

[...](a) planta de situação:


1. dimensões de acordo com a certidão ou
matrícula do Cartório de Registro de imóveis (RI)
exceto para condomínios de unidades autônomas;
2. posição no quarteirão ou no condomínio,
quando for o caso;
3. orientação magnética ou geométrica;
4. numeração predial ou territorial do imóvel e dos
lindeiros, quando houver;
5. número do lote ou da quadra quando o imóvel
for originário de loteamento, ou da unidade
autônoma, quando integrante de condomínio por
unidades autônomas;

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 38


Lista completa de documentos

Projeto arquitetônico Abaixo, um exemplo de apresentação gráfica


simplificada correta e conforme o Decreto.
O projeto arquitetônico deve estar de acordo
com os artigos 4º ao 10º do Decreto Municipal
n° 18.623/2014, que detalha como deve ser a
apresentação gráfica dos projetos e de erros mais
comuns na apresentação dos mesmos.

Apresentação simplificada

Uma observação importante é que a apresentação


gráfica dos projetos arquitetônicos deve ser de
forma “simplificada”, isto é, as plantas baixas devem
demonstrar apenas o perímetro da edificação,
destacando graficamente, quando houver, a
identificação das unidades privativas, os vazios, as
áreas consideradas não adensáveis e isentas nos
termos da legislação específica.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 39


Lista completa de documentos

Planilha de controle e registro

• O modelo padrão da planilha de controle e


registro está disponível nos Anexos 1 e 2 do
Decreto 18.623/2014.

• O Anexo 1, folha 1, demonstra a planilha de


controle e registro para habitação unifamiliar de
até duas economias. A folha 2 tem as instruções
para o correto preenchimento.

• O Anexo 2, folha 1, apresenta a planilha de


controle e registro para edificações em geral e a
folha 2 contém as instruções.

Apresentação de planta baixa “completa” e incorreta.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 40


Lista completa de documentos

Autorização do Proprietário do imóvel A matrícula do registro de imóveis é o documento


envolvido no projeto que comprova a posse do imóvel. Alguns desses
documentos, complementares à matrícula do
O proprietário do imóvel é quem figura na imóvel, podem ser protocolados juntos para
matrícula junto ao Registro de Imóveis como comprovar a posse, como:
tal. A autorização é um documento em que o
proprietário (ou proprietários) do imóvel autoriza • Contrato de compra e venda.
a entrada do projeto por terceiros. • Locação - Contrato de Locação atualizado.
• Usucapião - Decisão Judicial.
Clique aqui para acessar o modelo padrão.
• Arrematado em Leilão - Carta de Arremate.

Caso o requerimento padrão ou ART/RRT possuir • Alienação de Imóvel Público - Documento de


Alienação.
a assinatura do(s) proprietário(s), já equivale à
apresentação desta autorização. • Inventariante ou Herdeiro - Certidão de Óbito ou
Certidão de Inventariante.
• Massa Falida - Autorização do Representante da
Matrícula(s) do Registro de Imóveis ou Massa Falida.
Documento(s) que comprove(m) a posse • Termo de Permissão de Uso - Termo de Permissão
do(s) imóvel(is) envolvido(s) no projeto de Uso.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 41


Lista completa de documentos

• Imóvel de DEMHAB - Certidão do DEMHAB com modificações do projeto aprovado para o projeto
as medidas do imóvel. modificado. Podem ser descritas em folha anexo ou
na prancha do projeto arquitetônico.

Planta aprovada do EVU de loteamento Artigo 19. § 1º O responsável técnico deverá


válido, ou do EVU de desmembramento apresentar lista das modificações efetuadas nas
pranchas a serem alteradas, para fins de verificação
válido ou do EVU de fracionamento
apenas das alterações.

A planta de Estudo de Viabilidade Urbanística


(EVU) para loteamento válido, desmembramento Comunicado Realizado da Conclusão das
válido e fracionamento, é necessária para a análise Fundações
do projeto arquitetônico. Anexando a planta de
EVU evita-se a consulta ao Expediente Único do Este documento encontra-se dentro do Expediente
parcelamento do solo. Único e deve ser protocolado após a conclusão das
fundações.

Lista de Modificações

A lista de modificações é exigida pelo Artigo 19


do Decreto 18.623/2014 e deve citar todas as

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 42


Créditos: Solar Minas/Divulgação

Outros documentos

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 43


Outros documentos

Além desses documentos, outros papéis poderão ser


solicitados no Enquadramento Complementar, de Quanto ao Enquadramento Especializado, a
órgãos externos à Prefeitura, tais como: documentação necessária é a seguinte:

• Ofício do V Comando Aéreo Regional (V Comar) • Indicação na planta de vegetação arbórea que
de Canoas. pretende-se remover/podar/transplantar e/ou
• Autorização da Companhia Estadual de Energia preservar.
Elétrica (CEEE) quanto à faixa não edificável. • Declaração na planta de que não haverá impacto
• Documentação da Superintendência de Portos e na vegetação e demarcar árvores a permanecer.
Hidrovias (SPH) informando a cota do nível médio • Laudo de Cobertura Vegetal emitido por
de enchentes. profissional habilitado (biólogo, engenheiro
• Autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e agrônomo ou engenheiro florestal) e ART ou
Artístico Estadual (IPHAE). equivalente.

• Autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e • Declaração na planta de que não há 8 ou mais


Artístico Nacional (IPHAN) espécies de vegetação arbórea acima de dois
metros de altura.
• Declaração do Responsável Técnico quanto à
Redução de Ruídos de acordo com critérios do • Declaração na planta de que não haverá impacto
RBAC 161. na vegetação e demarcar árvores a permanecer.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 44


Outros documentos

• Declaração em planta de que não há APP. • ART ou RRT pela execução e ou regularização da
• Termo de Compromisso do Departamento edificação.
Municipal de Água e Esgotos (DMAE)
responsabilizando-se pelo remanejo e eventual • Comprovante do pagamento da taxa de vistoria
conserto de canalizações já existentes na área da conforme legislação específica.
obra.
• Folha complementar, padrão da Coordenação
Após a aprovação e licenciamento do projeto e Vistoria Predial (CVP), devidamente preenchida
conforme Anexo 5 do Decreto, contendo
antes do início da obra deverá ser protocolada a
dados específicos da vistoria e declarando as
comunicação de instalação do canteiro de obras.
responsabilidades pela execução da obra, e
quando for exigido as responsabilidades pelo
Vistoria da edificação e concessão do Habite-se atendimento da Área Livre Permeável (ALP) ou
pelo Projeto de Gerenciamento dos Resíduos da
O conhecido Habite-se ou Carta de Habitação é Construção Civil (PGRCC).
uma certidão expedida pela Prefeitura atestando
que o imóvel está pronto para ser habitado e que • Memorando de liberação do Imóvel fornecido
foi construído ou reformado conforme as exigências pelo Departamento Municipal de Águas e Esgotos
legais estabelecidas pelo município. (DMAE).

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 45


Outros documentos

• Alvará de Prevenção e Proteção Contra Incêndios, • Planilha de áreas simplificada rateando a área
fornecida pelo Corpo de Bombeiros quando for aprovada e licenciada por economia quando estas
necessário. fizerem frente para o logradouro.

• Quadro II da NBR nº 12.721, em duas vias, em • Informação da área objeto de Habite-se em se


se tratando de edificação com mais de duas tratando de vistoria parcial.
unidades autônomas.
• Comprovante do atendimento de eventuais
• Atestado da Secretaria Municipal da Cultura condicionantes conforme estabelecido no § 4º do
quanto ao atendimento das obras de arte quando Artigo 3º do Decreto.
obrigatória a instalação destas, conforme o
Decreto nº 17.354, de 11 de outubro de 2011. • Em caso de utilização de solo criado apresentar
comprovante do pagamento conforme previsto
• Certidão Negativa de Débitos do imóvel a ser no Artigo 9º do Decreto 18.507, de 19 de
fornecido pela Secretaria Municipal da Fazenda, dezembro de 2013.
conforme Lei Complementar nº 686, de 2011, e •
alterações posteriores. • Em caso de TPC, apresentar cópia da matrícula
da área permutada em nome do Município
• Planilha de áreas simplificada rateando a área atendendo o § 2º do Artigo 4º do Decreto nº
aprovada e licenciada por bloco, quando for o 18.432, de 2013.
caso.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 46


Outros documentos

Caso a obra tenha sido construída em desacordo Para mais informações:


com o projeto aprovado, deverá ser requerida,
antes da vistoria, a aprovação de um novo projeto, Secretaria Municipal de Desenvolvimento
contendo as características exatas da obra. Econômico (SMDE) - Escritório de Licenciamento
(clique aqui)
Do contrário, se for constatada, durante a vistoria, a
necessidade de se aprovar o projeto novamente, o
Habite-se não será concedido. Avenida Júlio de Castilhos, 505, 16° andar, (de
segunda a sexta-feira, das 9h às 11h30 e das 13h45
O interessado deve providenciar a aprovação às17h30).
de um novo projeto, contendo exatamente as
características da obra. Somente após a aprovação Telefone: (51) 3289-7500.
deste novo projeto deverá ser protocolado novo
requerimento de vistoria.

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 47


O SIENGE PLATFORM
O Sienge Platform é um sistema de gestão, também chamado de
ERP - Enterprise Resource Planning - especializado na Indústria da Construção.

Com ele, você pode gerenciar e integrar todas as áreas de sua empresa.

Mas não é só isso: o Sienge também é uma plataforma aberta a conexões


com diferentes softwares e aplicativos.

Com o Sienge Platform e sua equipe altamente capacitada, as soluções para


as necessidades do setor estão a seu alcance!

Você pode encontrar outros materiais em nosso Blog, sempre com novidades
interessantes e úteis.

Clique abaixo e peça uma demonstração ou ligue para (48) 3027 8140.

Peça uma demonstração

Você encontra outros materiais disponíveis em nosso blog,


que está sempre com novidades úteis e interessantes.
PL ATFORM
Visite www.sienge.com.br/blog/

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 48


REFERÊNCIAS
Fiber Sals. Documentos necessários para iniciar uma obra de construção civil. Acessado em 15/03/2019.

Prefeitura de Porto Alegre. Escritório de Licenciamento. Acessado em 15 e 16/03/2019.

Prefeitura de Porto Alegre. Manual do Protocolo Setorial. Acessado em 15 e 16 /03/2019.

Prefeitura de Porto Alegre. Manual da Aprovação Eletrônica. Acessado em 15 e 16/03/2019

Sienge. Licenciamento de obras: quais são os documentos obrigatórios?. Acessado em 15/03/2019.

Sinduscon-RS. Prefeitura simplifica licenciamento de construções na capital. Acessado em 15/03/2019.

Zero Hora. Prefeitura unifica sistemas e espera deixar licenciamento 25% mais rápido. Acessado em 15/03/2019

IR PARA O ÍNDICE EBOOK GUIA DA REGULARIZAÇÃO DE OBRAS EM PORTO ALEGRE 49