Você está na página 1de 3

Moral e História (Alex - 1º seminário)

Moral e Ética são normas feitas para a sociedade, acreditava-se que a moral já nascia com o ser
humano.
Existem três morais sendo elas a Antiga, Feudal e Contemporânea.
Vasques associa o comportamento do homem com a natureza. O homem começa a moralidade a
partir do momento em que ele se identifica como ser humano, quando passou da vida natural para
um ser de convívio social.

Tendo o início:
• Coletividade;
• Domínio da natureza mediante o trabalho social;
• Absorção do indivíduo pelo coletivo,
• Individualidade não é aceita.

Virtudes Celebradas:
• Valentia
• Trabalho Braçal
Vícios:
• Covardia
• Egoísmo

A justiça é a repartição igual entre todos, a vingança é coletiva, existindo assim uma única moral
social para todos os membros do grupo.

Mudanças Históricas e Mudanças na Moral Social

• Aparecimento da propriedade privada;


• Aumento da produtividade;
• Divisão Social do Trabalho;
• Armazenamento do Excedente.

Aparecendo em seguida os Teólogos atenienses, política como técnica usada para dirigir e organizar
as relações entre os membros da sociedade, buscando o BEM DO TODO. Aristóteles, elaborou uma
concepção da vida humana como dirigida para a felicidade que consistia em uma vida vivida de
modo racional e virtuosa. Onde para ser feliz devemos ter 3 tipos de amor: Ágape, Eros e Philia.
Mas nessa época também iniciou-se a Moral dos Senhores e Proprietários e a Moral dos Escravos.

Em seguida veio a Sociedade Feudal, onde não existia mais escravos e sim servos. Sendo os servos
eram reconhecidos como seres humanos, ainda assim sujeitos a violência e arbitrariedade,

Foi feita a sugestão de vídeo: OS CROODS

Logo depois surge a Igreja Católica com a pirâmide social, representando Deus sobre a terra e a
humanidade.
• Desprezo pelo braçal;
• Profano e Sagrado.
Os servos desenvolvem valores, como a solidariedade, amor pelo trabalho que lhe provê o sustento,
igualdade e liberdade abstrata no plano espiritual.

Seguindo a progressão vem a Burguesia transformando vícios em virtudes, e a virtude substituída


pelo parasitismo social, exploração do homem pelo homem e o lucro como Lei Fundamental. Pra
conquistar melhores condições de vida, a pessoa teria que buscar por si mesmo e não esperar que o
trabalho ou patrão lhe auxiliar, na empresa não existe vínculo solidário entre os funcionários. O
colonialismo, maquiada em globalização ou economia de mercado.
• Leis independentes dos indivíduos, para “aparentar” imparcialidade diante das sociedades
excluídas pela própria sociedade.

O autor sugere uma nova moral, ele considera sempre e ao mesmo tempo como fim em si mesmo e
nunca como apenas um meio. Progresso Moral (Platão e Aristóteles), abnoéticas, em cada período
as moralidades mudam porque vivemos em sociedade em que o progresso da moral, acontece
dentro de cada círculo da sociedade em particular.
Ex.: Atores e atrizes Trans fazendo papéis em novelas.
A moral como caráter social.
Ex.: Casamento Gay.

As moralidades são de caráter social, com mudanças no decorrer da história para benefício do povo.
Não podemos criticar algo que já é aceito pelo todo mesmo não concordando, tenho que me adaptar
e aceitarmos para o bom convívio social.

No meio social precisamos ter consciência e responsabilidade.

A Moral e Outras formas de Comportamento Humano (Aline - 2º seminário)

As diversas formas:
1. Moral e Religião;
2. Moral e Política;
3. Moral e Direito;
4. Moral e Trato social;
5. Moral e Ciência.

1. A Religião sendo usada como ideologia e meio de subjugação do homem na sociedade e livre-
arbítrio e usando a moral da doutrina para controlar os fiéis. As normas morais impostas entre a
moral do homem e a moral da doutrina. Sendo o maior livro de regulamentação moral doutrinador é
a Bíblia.

2. Política e Moral não se absorvem, pois um depende do outro, se eu estou como representante do
coletivo, não podendo rotular e nem remover ou outros de dentro do coletivo.

3. Normatização de leis feita para normatizar uma sociedade.

4. São regras de sobrevivência que variam de sociedade em sociedade, de círculo em círculo, o trato
social independe do sujeito pois a lei fica acima de tudo, além de que ainda modifica o conforme o
passar do tempo

5. A ciência não pode ser qualificada moralmente, pois tem o caráter cientifico. Na idade média não
era permitida o estudo dos cadáveres pois os homens eram vistos como perfeições de Deus, porém
houve pessoas como Da Vinci que quebraram esse tabu e estudaram. Como diz o próprio Hipócrates
falou: “Acima de qualquer moralidade a vida”.

Responsabilidade Moral, Determinismo e Liberdade (Alisson – 3º avaliação)


LER O TEXTO E FAZER UM COMENTÁRIO

Avaliação Moral (Camila.C Baldez - 4º seminário)

1. O Bom como Valor


2. O Bom como Felicidade
3. O Bom como Prazer
4. O Bom como Boa Vontade
5. O Bom como útil.
6. Natureza como Bom.

1. Valor Atribuído, ao objeto social cada coisa tem um valor.

Objeto avaliado atos propriamente humanos, porém, nem todos atos podem ser avaliados pois tem
sentido moral próprio apenas quando afeta os outros. Avaliação sempre é a atribuição do valor
aprovando ou reprovando, ou em como vai afetar a sociedade.

2. Para Aristóteles a felicidade está na razão, é quando um homem usa a razão em prol da sociedade
ou dos outros para contribuir com o coletivo, no qual essa felicidade se reserva para os soberanos
excluindo os escravos, servos e mulheres, a esses se reservam a felicidade abstrata nos pós mortem,
ainda assim sustentando que humanos são seres irracionais pois põem os sentimentos acima da
razão.

3. Como sentimento agradável, para o Hedonismo o prazer é bom, porém não é o tipo de prazer
sexual, a moral do prazer é relativa ao si próprio, as interações sociais, além de que ela é flexível ao
local.

4. O bom já é algo nascido, não pode ser condicionado pois é algo que não pode ser moldado,
porém pode ser ajustado para o bem viver na sociedade. É a tal da agradabilidade. Todas pessoas
tem uma índole nascida, porém a sociedade tenta nos moldar para o bem convívio moral em
sociedade.

5. O ato será bom dependendo do agente da moral, o ato em si será benéfico independente do
elemento se for em sociedade. Na moral o bom é o ser útil. Se não tem utilidade acaba sendo aparte
da sociedade.

6. Hedonistas e Gedemonistas acreditam que a pessoa é condicionada pela sociedade em busca da


felicidade e não por próprio interesse, pois não se nasce com ela. Seria esse o Egoísmo ético.

O bom com intencionalidade (todos são interesseiros), todos se juntam com o objeto de proveito da
utilidade. O sujeito deve ser o que ele é, pois, a sociedade não pode condicionar.