Você está na página 1de 36

Tecnologia em Radiologia

P r o f. M a u r í c i o E . G o u l a r t
m a u r i c i o b e t h @ g m a i l . c o m
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


ANEL BENZÊNICO .

 A estrutura básica dos meios de contraste iodados


hidrossolúveis deriva do ácido benzóico, onde estão fixados
três átomos de iodo (I) nas posições 2,4 e 6 com a associação
de dois radicais orgânicos (R1e R2) nas posições 3 e 5 do anel
benzênico.
 Os radicais orgânicos (R) conferem um caráter hidrofílico
(polinizado por água) á molécula.
 Atualmente, a molécula é composta por um anel benzênico
denominada monômero triiodado (três átomos de iodo) ou
com dois anéis, denominada dímero hexaiodado (seis átomos
de iodo.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE HIDROSSOLÚVEIS
 Os principais grupos de sais iodados benzênicos em uso
atualmente são: Acetrizoato, Diatrizoato, Iotalamato,
Metrizoato, Amitriodinato (iodamida), Ioxitalamato e Iodixanol,
ligados ao sal de sódio ou meglumina.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL

MONÔMERO (a) E DÍMERO (b) .

(a) (b)
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL

 Atualmente, os contrastes positivos hidrossolúveis são muito


utilizados e, sempre que possível, os não-iônicos, pois são
mais inócuos que os demais, podendo ser mais
concentrados, porem eles têm um custo muito elevado.

 Todas as soluções têm propriedades relacionadas com a


concentração do soluto. Estas propriedades incluem:

 Densidade;

 Viscosidade;

 Osmolalidade.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL

PROPRIEDADES .

 A DENSIDADE: está relacionada à proporção do peso


molecular e o grau de absorção do fóton de raios X.
Contrastes mais densos absorvem mais a radiação,
proporcionando maior contraste na imagem (mais clara).

 A gravidade é que a alta densidade dos meios de


contraste podem interferir em sua mescla com o
plasma e com outros fluidos corporais, aumentando
severamente o risco.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL

PROPRIEDADES .

 A VISCOSIDADE: Representa a capacidade de uma


solução para resistir à deformação ou, em termos mais
práticos, indica quanta força deve ser feita para a solução
passar por um cateter.

 A alta viscosidade também pode interferir na


mescla dos meios de contraste com o plasma e
outros líquidos e pode ocasionar diminuições transitórias
no fluxo sanguíneo.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


PROPRIEDADES .

 VISCOSIDADE: Os contrastes não iônicos diméricos


são os mais viscosos e os contrastes iônicos
monoméricos são os menos viscosos.

 Também sabemos que a viscosidade modifica-se com


a temperatura: quanto maior a temperatura, menos
viscoso o contraste será.

 Por esta razão, recomenda-se que os contrastes iônicos e


não iônicos, sejam aquecidos a temperatura corporal
antes da sua administração endovenosa.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


PROPRIEDADES .

 A OSMOLALIDADE: É a concentração osmótica; número de


partículas (moléculas) ou de íons de um soluto por quilograma
de solvente, medida em mOsm/kgH2O (miliosmol por
quilograma de água);
 O conceito de osmolalidade nada tem a ver com o caráter iônico
ou não-iônico de uma molécula;

 A osmolalidade do sangue é 300 mOsm/kg H2O (água);

 Os produtos podem ser de alta ou baixa osmolalidade e,


quimicamente, podem ser iônicos ou não-iônicos.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


PROPRIEDADES .

 EFEITO OSMÓTICO: A osmolalidade de um meio de


contraste atua diretamente na difusão do produto, do leito
vascular para o espaço intersticial.
 Após a injeção intravascular de um produto hiperosmolar, o
retorno ao nível osmótico sanguíneo normal (300 mOsm/kg
H2O) se faz por 2 mecanismos diferentes: Afluxo de líquido
intersticial, que faz diminuir a quantidade de MC presente no
setor vascular , Difusão do MC através da parede dos vasos,
em direção do espaço intersticial.
 Quanto maior a osmolalidade, maior a intolerância e a
probabilidade de reação alérgica.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


NEFROTRÓPICOS .

 Difundem-se apenas, sob condições fisiológicas, no plasma


sanguíneo e espaço intercelular.

 Após a injeção o contraste se difunde em torno de 2 a 3


minutos no plasma sanguíneo.

 Em 10 a 30 minutos, o contraste difunde-se no espaço


intercelular (por difusão).

 Os contrastes com baixa osmolalidade tem tempo menor de


difusão que os de alta osmolalidade.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


NEFROTRÓPICOS .

 A velocidade de eliminação depende principalmente da taxa


de filtração glomerular.

 Aproximadamente 85% do contraste é eliminado através


dos rins,

 O restante do meio de contraste presente no organismo é


eliminado através do sistema hepatobiliar, uma porção
muito pequena deixa organismo através do intestino e,
eventualmente, pela tireóide.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


NEFROTRÓPICO IÔNICO .

 São eliminados seletivamente através do aparelho


glomerular renal.

 Os contrastes antigos, com osmolalidade, possuíam


acentuado efeito osmodiurético, ajudando sua eliminação.

 Contrastes modernos, apresentam osmolalidade menor


conseguido através de redução da dissociação das
moléculas.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL

NEFROTRÓPICO IÔNICO MONOMÉRICO.


M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL

NEFROTRÓPICO IÔNICO MONOMÉRICO.

Grupos de amidas Grupos de amidas


reduzem a toxidade reduzem a toxidade

Ácido Iotalâmico Iodamida

Exemplo dos MCs Conray e Urovison ,respectivamente (ambos monômeros).


M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


NEFROTRÓPICO NÃO-IÔNICO .

 Geralmente, são contrastes bastantes inócuos que não


causam tantas complicações nos pacientes como os iônicos.
 Possuem baixa omolalidade e a velocidade de eliminação é
maior que nos constrastes iônicos.

 A concentração do contraste na
urina é maior que nos contrastes
iônicos.
 A cardiodepressão e dor à
injeção durante a administração.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


NEFROTRÓPICO NÃO IÔNICO MONOMÉRICO

NÃO-IÔNICOS a base de 3 substituintes amidas com radicais


alcoólicos, conferindo elevada hidrossolubilidade e estabilidade em
solução. Ex: Iopromide (ULTRAVIST®)
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


NEFROTRÓPICO NÃO IÔNICO MONOMÉRICO

NÃO-IÔNICOS TRIIODADO, conferindo elevada hidrossolubilidade e


estabilidade em solução, com osmolalidade próxima ao plasma.
Entretanto, aumento na viscosidade em relação ao monômero iônico.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


COMPOSIÇÃO NEFROTRÓPICO
DIMEROS NÃO-IÔNICOS.

 Alguns meios de contraste não-iônicos utilizados em


radiodiagnóstico:

 Iopamidol
Em muitos estudos, o Iodixanol,
 Iohexol apresentou menor taxa de
toxicidade em relação ao
 Ioversol Iohexol e outros.

 Iodixanol
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


COMPOSIÇÃO NEFROTRÓPICO
DIMEROS NÃO-IÔNICOS.

 Dos MCs apresentados, um dos


principais meios de contraste não-
iônicos em uso atualmente é o

 Iodixanol
® Visipaque
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


COMPOSIÇÃO NEFROTRÓPICO
DIMEROS NÃO-IÔNICOS.

DÍMEROS NÃO-IÔNICOS (2 monômeros não-iônicos conjugados –


AMINOAÇÚCARES = Iodixanol (VISIPAQUE ®)
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


HEPATOTRÓPICOS INTRAVENOSOS

 São (Ligação de dois esteres triiodados), após a injeção ocorre


no plasma uma ligação albumínica e ligação nos receptores
hepáticos. Apenas contraste com ligação albumínica é eliminada
nas vias biliares.

Exemplo:

Biligrafina (Ioglicamato de Meglumina)

 Esses contrastes devem ser injetados lentamente (tempo e


quantidade = 1 a 2 ml/min – volume máximo de injeção 20 ml)
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


COMPOSIÇÃO HEPROTRÓPICO VENOSO

DÍMERO IÔNICO: Iodipamida (BILIGRAFINA ®)


M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


HEPATOTRÓPICOS ORAIS
 Esses MCs foram muito utilizados em exames que exigiam a
visualização da vesícula biliar, ducto cístico e demais
adjacências intra-hepática (ductos hepáticos). Mas, geralmente,
contrastam apenas a vesícula biliar e colédoco.
 Composto de iodo em 66,68% de sua composição.
 Opacificação da vesícula biliar até 19 horas.
 É eliminado em uma semana, mas, segue
afetando as provas de função tireóide
durante tempo prolongado (até um ano)
Exemplos:
 Telepaque (Ácido Iopanóico)
 Colebrina (Ácido Iocetâmico)
 Biloptin (Ácido Iopado de sódio)
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


COMPOSIÇÃO HEPROTRÓPICO ORAL

Facilitar a
Grupo de aminas
oxidação

Ácido acético
(carboxílico)

ÁCIDO IOPANÓICO: Telepaque ®


M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL OLEOSOS


OLEOSOS

 Possuem baixa osmolalidade e não difundem-se rapidamente


no plasma sangüíneo.

 Caíram em desuso

 Exemplos:

 Lipiodol, usado em linfografias. Nestes casos, recomenda-


se não usar contrastes hidrossolúveis, pois estes difundem
rapidamente para fora das vias linfáticas.
 Vasurix Polividona (Acetrizoato de meglumina ®Guerbet).
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO NÃO-HIDROSSOLÚVEL


INSOLÚVEL
 São insolúveis, portanto, não difundem-se no plasma
sanguíneo, gordura e água.
 Sulfato de Bário (BaSO4) é utilizado usado nos exames do
trato gastrointestinal,
 Podem ser administrados via oral e via retal.

Exemplos: Bariogel, Celobar, Neobar,


etc. Além de suspensões Aquosas
(Dionosil), contém ligações orgânicas
iodadas, as quais foram muito
utilizadas no passado em exames de
broncografia
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


GADOLÍNIO
 Trata-se e um complexo de gadolínio com um quelante, ácido
dietileno-triamina-penta-acético (DTPA = ÁCIDO PENTÉTICO),
que é administrado para aumentar a visualização das imagens
em ressonâncias magnéticas.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


GADOLÍNIO
 Trata-se e um complexo de gadolínio com um quelante, que é
administrado para aumentar a visualização das imagens em
ressonâncias magnéticas.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


GADOLÍNIO
 Esta solução aquosa é concentrada de sais dimeglumínicos de
ácido gadolínio-dietileno-triamino-penta-acético.

 Esta solução clara e aquosa,


concentrada de sais dimeglumínicos
de ácido gadolínio-dietileno-triamino-
penta-acético.

 Sua hiperosmolalidade relativa não


tem grande importância em virtude
de ser administrado em doses muito mais baixas que os MC
radiológicos.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


GADOLÍNIO

 A empresa Bayer healthCare


Pharmaceuticals lancçou o primeiro
MC para ressonãncia magnética em
1988. Atualmente, é possível
encontrar uma ampla gama de
agentes de contrastes para RM, que
colaboram no diagnóstico de diversos
Tumores e, especialmente, no realce de inúmeros vasos do
corpo humano, destacando sua permeabilidade e/ou
obstrução.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE POSITIVO HIDROSSOLÚVEL


GADOLÍNIO

 Na verdade, a solução do gadolínio


inclue nove substâncias ativas:
gadoversetamida (Optimark),
gadodiamida (Omniscan),
gadofosveset (Vasovist), ácido
gadoxético (Primovist), gadobenato
de dimeglumina (MultiHance), ácido
gadopentético (Magnevist, Magnegita e Gado-MRT-
ratiopharm*), gadobutrol (Gadovist), ácido gadotérico
(Dotarem) e gadoteridol (ProHance*).
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE PARA ULTRASSOM


MICROBOLHAS

 Na verdade, são microbolhas introduzidas em cavidades, como


por exemplo: útero, viabilizando o diagnóstico de estruturas
adjacentes.
 Consistem em micro partículas, cheias de ar poliméricas
especificamente formulados para pré-clínica ultra-sonografia.
 Devido às grandes diferenças em sua densidade e
compressibilidade em relação ao tecido ou plasma, as
microbolhas são altamente ecogênica.
 As microbolhas circulam em média 10 minutos e são
absorvidos pelo sistema reticuloendotelial (RES),
particularmente no fígado e baço.
M e i o s d e C o n t r a s t es
Prof. Maurício Goulart

CONTRASTE PARA ULTRASSOM


MICROBOLHAS
Atividades:
Nome: ____________________________ RA: ______________

1. Explique: Densidade; Viscosidade e Osmolalidade de meio de contraste (MC) radiográfico hidrossoluvel


nefrotrópico.

2. O usos de alta kilovoltagem implica em quais fatores radiográficos, durante a realização de exames contrastados
(com uso de MC) ?

3. Em quais exames radiográficos contrastados, utilizavam o MC hepatotrópico oral?

4. Aponte as principais características de um MC nefrotrópico hidrossoluvel.

5. Comente a respeito das gerações de MCs a base de Anel Benzênico?

Todas as questões estão abertas para discussão em sala de aula